POLÍCIA MILITAR PROPOSTA DA PMBA PARA NOVA LOB APRESENTADA À COMISSÃO DE MODERNIZAÇÃO DA BAHIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLÍCIA MILITAR PROPOSTA DA PMBA PARA NOVA LOB APRESENTADA À COMISSÃO DE MODERNIZAÇÃO DA BAHIA"

Transcrição

1 POLÍCIA MILITAR DA BAHIA PROPOSTA DA PMBA PARA NOVA LOB APRESENTADA À COMISSÃO DE MODERNIZAÇÃO

2 PROJETO DE LEI Nº DE DE DE 2013 Reorganiza a Polícia Militar da Bahia, dispõe sobre o seu efetivo e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I FINALIDADE E COMPETÊNCIA Art. 1º - A Polícia Militar da Bahia - PMBA, órgão em regime especial de administração direta da estrutura da Secretaria da Segurança Pública, nos termos das Leis n.º 2.321, de 11 de abril de 1966, tem por finalidade preservar a ordem pública, a vida, a liberdade, o patrimônio e o meio ambiente, de modo a assegurar com equilíbrio e equidade, o bem estar social, na forma da Constituição do Estado da Bahia, competindo-lhe: I executar com exclusividade, ressalvadas as missões peculiares às Forças Armadas, o policiamento ostensivo fardado, planejado pelas autoridades policiais militares competentes a fim de assegurar o cumprimento da Lei, a preservação da ordem pública e o exercício dos poderes constituídos; II - exercer a missão de polícia ostensiva de segurança, de trânsito urbano e rodoviário, de proteção ambiental, guarda de presídios e instalações vitais, além do relacionado com a prevenção criminal, justiça restaurativa, proteção e promoção aos direitos humanos, preservação e restauração da ordem pública e defesa civil; III - atuar de maneira preventiva, como força de dissuasão em locais ou áreas específicas, onde se presuma ser possível a perturbação da ordem, mediando Pág. 2

3 conflitos e gerenciando crises em segurança pública e, quando necessário, exercer a atividade de repressão criminal especializada; IV promover a seleção, recrutamento, formação, aperfeiçoamento, capacitação, desenvolvimento profissional e cultural de seus servidores; V promover as atividades de ensino, pesquisa e extensão dos seus servidores; VI executar o termo circunstanciado, o inquérito policial militar e demais procedimentos administrativos disciplinares previstos em lei; VII - exercer a função de polícia judiciária militar, na forma da lei; VIII promover ações de inteligência de forma integrada com o sistema de informações, na forma da lei; IX promover pesquisa, estatística e análise criminal, com vistas à eficácia do planejamento e ação policial militar; X - garantir o exercício do poder de polícia aos órgãos públicos, especialmente os da área fazendária, sanitária, de proteção ambiental, de uso e ocupação do solo e do patrimônio cultural; XI - promover os meios necessários para difundir a importância do papel da Polícia Militar junto à sociedade, de forma a viabilizar o indispensável nível de confiabilidade da população; XII - assegurar o estabelecimento de canais de comunicação permanentes entre a sociedade e a Polícia Militar, que promovam a paz social; XIII - atuar de maneira repressiva, em caso de perturbação da ordem, precedendo o eventual emprego das Forças Armadas; XIV - quando mobilizada parcial ou totalmente pelo Governo Federal, cumprir as missões policiais-militares ou militares pertinentes à defesa nacional conforme estabelecer a legislação específica; Pág. 3

4 XV promover vistorias e inspeções em estruturas e edificações utilizadas para eventos públicos, com vista à segurança pública; XVI - promover a prevenção e combate a incêndios, busca e salvamento, bem como realizar atividades auxiliares de socorro de urgência e atendimento de emergência pré-hospitalar; XVII - promover a participação da comunidade no Corpo de Bombeiros, em forma de cooperação e de modo voluntário; XVIII - proceder à instrução e orientação das guardas municipais, quando solicitada; XIX - exercer outras competências necessárias ao cumprimento da finalidade da Instituição; XX exercer vistorias e inspeções em estruturas e edificações objetivando a prevenção a incêndios e demais sinistros na forma da lei. Art. 2º - A Polícia Militar tem os seguintes princípios institucionais: legalidade, impessoalidade, moralidade, transparência, publicidade, efetividade, eficiência, hierarquia militar, disciplina militar, ética, profissionalismo, unidade de doutrina, interdisciplinaridade, autonomia institucional, respeito aos direitos humanos e proteção e promoção à dignidade da pessoa humana. Art. 3º - A Polícia Militar será comandada por oficial da ativa da PMBA, do último posto do Quadro de Oficiais Policiais Militares, nomeado pelo Governador do Estado. Art. 4 - O Alto Comando, órgão consultivo e de orientação superior, tem a seguinte composição: I - o Comandante Geral da Polícia Militar, que o presidirá; II - o Subcomandante Geral da Polícia Militar; III - o Comandante de Operações Policiais Militares; IV - o Comandante de Operações de Bombeiros Militares; Pág. 4

5 V - o Corregedor Geral; VI - o Diretor do Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão; VII o Diretor do Departamento de Inteligência; VIII - o Diretor do Departamento de Pessoal; IX - o Diretor do Departamento de Apoio Logístico; X o Diretor do Departamento de Auditoria e Finanças. CAPÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO Art. 5º - A Polícia Militar tem a seguinte estrutura básica: I Órgãos de Direção Geral: a) Comando Geral; b) Subcomando Geral; II Órgãos de Direção Estratégica: a) Comando de Operações Policiais Militares; b) Comando de Operações Bombeiros Militares; c) Corregedoria; d) Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão; 1. Centro Corporativo de Projetos. III - Órgãos de Direção Tática: a) Comandos de Policiamento Regionais; Pág. 5

6 b) Comando de Policiamento Especializado; c) Comandos Regionais de Bombeiros; IV Órgãos de Direção Setorial: a) Departamento de Pessoal; b) Departamento de Apoio Logístico; 1. Centro de Arquitetura e Engenharia; 2. Centro de Material Bélico. c) Departamento de Auditoria e Finanças; d) Departamento de Comunicação Social; e) Departamento de Modernização e Tecnologia; f) Departamento de Inteligência; g) Departamento de Polícia Comunitária e Direitos Humanos; h) Departamento de Atividades Técnicas de Bombeiros Militares; i) Departamento de Promoção Social; j) Departamento de Saúde; 1. Hospital Geral; 2. Odontoclínica; 3. Junta Policial Militar de Saúde. k) Instituto de Ensino e Pesquisa; 1. Centro de Educação Física e Desportos. l) Gabinete do Comando Geral; Pág. 6

7 m) Departamento de Relações Institucionais. 1. Assistências Militares do Tribunal de Justiça, do Ministério Público, da Assembleia Legislativa, da Secretaria da Segurança Pública, da Prefeitura e da Câmara de Vereadores do Município de Salvador; 2. Assessoria Militar junto a outros Órgãos Federais, Estaduais ou Municipais. V Órgãos de Execução do Ensino: a) Academia de Polícia Militar; b) Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças Policiais Militares: 1. Batalhões de Ensino, Instrução e Capacitação; c) Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças Bombeiros Militares; d) Colégios da Polícia Militar. VI Órgãos de Execução Operacional: a) Unidades Operacionais Policiais Militares; b) Unidades Operacionais Bombeiros Militares. VII Ouvidoria. 1º A estrutura organizacional da Polícia Militar da Bahia passa a ser a constante no Anexo I desta lei. 2º - A fixação da estrutura interna das organizações policiais militares, suas competências e atribuições dos respectivos titulares, serão regulamentadas em ato próprio. Art. 6º - O Comando Geral é órgão diretivo superior e estratégico, responsável pelas atividades desenvolvidas na Polícia Militar, com a seguinte composição: Pág. 7

8 a) Comandante Geral; b) Gabinete do Comando Geral. Art. 7º - O Subcomando Geral é órgão responsável pela coordenação e controle das atividades desenvolvidas na Polícia Militar, bem como assessoramento do Comando Geral, integrando a sua composição a Companhia Independente de Comando e Serviços. Art. 8º - O Gabinete do Comando Geral é o órgão responsável pela coordenação das atividades do comando geral e relações institucionais da Polícia Militar. Art. 9º - O Comando de Operações Policiais Militares tem a seguinte composição: a) Comando de Policiamento Regional da Capital - Atlântico: 1 - Batalhões de Polícia Militar; 2 - Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. b) Comando de Policiamento Regional da Capital Baía de Todos os Santos: 1 - Batalhões de Polícia Militar; 2 - Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. c) Comando de Policiamento Regional da Capital Central: 1 - Batalhões de Polícia Militar; 2 - Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. d) Comando de Policiamento da Região Metropolitana de Salvador RMS; Pág. 8

9 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. e) Comando de Policiamento Regional Leste: 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. f) Comando de Policiamento Regional Norte: 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. g) Comando de Policiamento Regional Oeste: 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. h) Comando de Policiamento Regional Sul: 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 Companhias Independentes de Policiamento Tático. i) Comando de Policiamento Regional Sudoeste: 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; Pág. 9

10 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. j) Comando de Policiamento Regional da Chapada: 1 Batalhões de Polícia Militar; 2 Companhias Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes de Policiamento Tático. k) Comando de Policiamento Especializado: 1 - Batalhões Especializados de Polícia Militar; 2 - Esquadrões Independentes de Polícia Militar; 3 - Companhias Independentes Especializadas de Policia Militar; 4 - Grupamento Aéreo Independente da Polícia Militar. l) Batalhão de Polícia de Reforço Operacional; Art. 10 O Comando de Operações de Bombeiros Militares tem a seguinte composição: a) Comando Regional de Bombeiros de Salvador e Região Metropolitana; 1- Grupamentos de Bombeiros Militares; b) Comando Regional de Bombeiros Norte; 1 - Grupamentos de Bombeiros Militares; c) Comando Regional de Bombeiros Sul; 1 - Grupamentos de Bombeiros Militares; Art O Colegiado, órgão consultivo, tem a seguinte composição: I - Comandante Geral da Polícia Militar, que o presidirá; Pág. 10

11 II - Subcomandante Geral da Polícia Militar; III - Comandante de Operações Policiais Militares; IV - Comandante de Operações de Bombeiros Militares; V Corregedor Geral; VI - Diretor do Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão; VII - Diretor do Departamento de Pessoal; VIII - Diretor do Departamento de Apoio Logístico; IX - Diretor do Departamento de Auditoria e Finanças; X - Diretor do Departamento de Modernização e Tecnologia; XI - Diretor de Departamento de Inteligência; XII - Diretor do Departamento de Saúde; XIII - Diretor do Departamento de Comunicação Social; XIV - Diretor do Departamento de Promoção Social; XV - Diretor do Departamento de Polícia Comunitária e Direitos Humanos; XVI - Diretor do Departamento de Relações Institucionais; XVII - Diretor do Departamento de Atividades Técnicas de Bombeiros Militares; XVIII - Diretor do Instituto de Ensino e Pesquisa; XIX - Diretor da Academia de Polícia Militar; XX - Diretor do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças Policiais Militares; XXI - Diretor do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças Bombeiros Militares; Pág. 11

12 XXII - Assistente Militar do Comando Geral; XXIII- Comandante de Policiamento Regional da Capital Atlântico; XXIV - Comandante de Policiamento Regional da Capital Baia de Todos os Santos; XXV - Comandante de Policiamento Regional da Capital Central; XXVI - Comandante de Policiamento da Região Leste; XXVII - Comandante de Policiamento da Região Oeste; XXVIII - Comandante de Policiamento da Região Sul; XXIX - Comandante de Policiamento da Região Norte; XXX- Comandante de Policiamento da Região Sudoeste; XXXI - Comandante de Policiamento da Região da Chapada; XXXII - Comandante de Policiamento da Região Metropolitana de Salvador; XXXIII - Comandante de Policiamento Especializado; XXXIV - Comandante Regional de Bombeiros de Salvador e Região Metropolitana; XXXV - Comandante Regional de Bombeiros Norte; XXXVI - Comandante Regional de Bombeiros Sul; XXXVII - Ouvidor. Art A estrutura organizacional da Polícia Militar da Bahia, Órgão em Regime Especial de Administração Direta, é composta dos seguintes órgãos e respectivas finalidades: I Comando Geral da Polícia Militar que tem por finalidade planejar, executar, avaliar, deliberar e controlar todas as atividades da Polícia Militar da Bahia; Pág. 12

13 II - Subcomando Geral da Polícia Militar que tem por finalidade a coordenação geral e controle das atividades administrativas, correicionais e operacionais em assessoramento ao Comandante-Geral; III Corregedoria Geral que tem por finalidade assistir ao Comandante e Subcomandante Geral da Polícia Militar no desempenho de suas atribuições constitucionais, políticas e administrativas, realizar a atividade correicional, zelando pela justiça e disciplina dos integrantes da PMBA, bem como gerenciar as atividades dos segmentos de correição descentralizados nas Organizações Policiais Militares; IV - Comando de Operações Policiais Militares que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e supervisionar as atividades de polícia ostensiva, de acordo com as necessidades de preservação da ordem pública, bem como supervisionar as atividades realizadas pelos Comandos de Policiamento e de Unidades Operacionais no que concerne à eficiência nas missões de policiamento ostensivo; V - Comando de Operações de Bombeiros Militares que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e supervisionar as atividades de prevenção e combate a incêndios, busca, salvamento, atendimento pré-hospitalar e defesa civil desenvolvidas pelas Organizações de Bombeiros Militares; VI - Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão que tem por finalidade de elaborar o planejamento das políticas públicas, executar a programação orçamentária e a consolidação dos planos, programas, projetos, gestão e atividades governamentais no âmbito da Polícia Militar da Bahia, bem como o acompanhamento e avaliação. VII - Departamento de Pessoal que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e executar as atividades de administração de pessoal da PMBA. VIII - Departamento de Apoio Logístico que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e executar as atividades de logística e de patrimônio da PMBA; IX - Departamento de Auditoria e Finanças que tem por finalidade executar a análise e controle da gestão dos órgãos integrantes da estrutura da Polícia Militar da Bahia, exercendo o acompanhamento da execução orçamentária, financeira, Pág. 13

14 patrimonial e de contabilidade da PMBA; X - Departamento de Modernização e Tecnologia que tem por finalidade coordenar e executar as atividades de tecnologia da informação e telecomunicações, promovendo a elevação da qualidade de serviços e das atividades da PMBA, em estreita articulação com os órgãos estaduais de tecnologia da informação e telecomunicações; XI - Departamento de Inteligência que tem por finalidade o cumprimento de atividades que lhe sejam atribuídas pelo Comando Geral, nos níveis estratégico, tático e operacional, bem como a coordenação, o planejamento, o controle e a execução das atividades de busca, produção e salvaguarda de informações necessárias à PMBA e gerenciar as atividades técnicas dos segmentos descentralizados de inteligência nas Organizações Policiais Militares; XII- Departamento de Polícia Comunitária e Direitos Humanos que tem por finalidade desenvolver e divulgar as políticas de policiamento comunitário e Direitos Humanos da PMBA; XIII- Departamento de Relações Institucionais que tem por finalidade assessorar o Comandante Geral nas relações de interesse da PM com órgãos e instituições dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, em âmbito Federal, Estadual e Municipal, Ministério Público, Tribunais de Contas e Organismos Internacionais; XIV - Departamento de Comunicação Social que tem por finalidade promover o fluxo de informações de caráter interno e externo, na área de comunicação social, bem como apoiar tecnicamente as Unidades da na sua área de atividade; XV - Departamento de Promoção Social que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e executar as atividades de promoção social da PMBA; XVI - Departamento de Saúde que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e executar as atividades de promoção, prevenção, tratamentos médico e odontológico, reabilitação e recuperação dos agravos à saúde dos integrantes da PMBA e dos seus dependentes; Pág. 14

15 XVII - Departamento de Atividades Técnicas de Bombeiros Militares que tem por finalidade planejar, avaliar e efetuar pesquisas, vistorias, análise de projetos de prevenção e combate a incêndios na sua área específica de atuação, emitindo os respectivos pareceres; XVIII - Instituto de Ensino e Pesquisa que tem por finalidade o planejamento, controle e fiscalização das atividades de ensino, pesquisa e cultura da PMBA, atuando como instância superior na elaboração e regulamentação da política institucional de educação para as organizações a ele tecnicamente subordinadas; XIX - Academia de Polícia Militar, Instituição de Ensino Superior de Segurança Pública que tem por finalidade promover a formação, capacitação, aperfeiçoamento, especialização e educação continuada de Oficiais da Polícia Militar e co-irmãs, bem como de outras instituições da área de Defesa Social e Segurança Pública; XX - Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças que tem por finalidade promover a formação, capacitação, aperfeiçoamento, especialização e educação continuada dos Quadros de Praças da Polícia Militar e co-irmãs, bem como de outras instituições da área de Defesa Social e Segurança Pública; XXI - Gabinete do Comando Geral que tem por finalidade prestar assistência ao Comandante Geral da Polícia Militar em tarefas técnicas e administrativas; XXII - Comandos de Policiamento Regional que têm por finalidade planejar, assessorar, coordenar, executar, avaliar e controlar as atividades operacionais policiais militares nas regiões sob sua responsabilidade; XXIII - Comando de Policiamento Especializado que tem por finalidade planejar, assessorar, coordenar, executar, avaliar e controlar as atividades operacionais especializadas em todo o Estado da Bahia; XXIV - Comandos Regionais de Bombeiros que têm por finalidade planejar, assessorar, coordenar, executar, avaliar e controlar as atividades operacionais de bombeiros militares nas regiões sob sua responsabilidade; Pág. 15

16 XXV - Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças Bombeiros Militares que tem por finalidade a capacitação, formação, aperfeiçoamento, especialização e educação continuada do Quadro de Praças Bombeiros Militares, bem como de outras instituições da área de Defesa Civil; XXVI Ouvidoria que tem por finalidade a interlocução entre a sociedade e a Polícia Militar da Bahia; XXVII Batalhões de Polícia Militar que têm por finalidade a execução das atividades de polícia ostensiva em suas respectivas áreas de responsabilidade territorial, sob coordenação e acompanhamento técnico dos respectivos Comandos de Policiamento; XXVIII Batalhões de Ensino, Instrução e Capacitação que têm por finalidade exercer as atividades de formação, instrução, capacitação e aperfeiçoamento, de forma regionalizada, com subordinação ao Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças; XXIX Batalhão de Polícia de Choque que tem por finalidade a execução das atividades de preservação da ordem pública, constituindo-se ainda, numa tropa de reação do Comando Geral, especialmente instruída e treinada para as missões de apoio às outras Unidades Operacionais; XXX Batalhão de Operações Policiais Especiais que tem por finalidade o atendimento de ocorrências de alta complexidade e intervenções de alto risco, constituindo-se, ainda, numa tropa de reação do Comando Geral; XXXI Batalhão de Polícia de Guardas que tem por finalidade executar as atividades de guarda e preservação da ordem nos estabelecimentos penais do Estado, bem como da escolta de presos, constituindo-se, ainda, numa tropa de representação da PMBA; XXXII Batalhão de Polícia Rodoviária que tem por finalidade a execução das missões de policiamento de trânsito e escolta de dignitários, na malha rodoviária estadual e nas demais, quando conveniado, bem como de apoio às demais Unidades Operacionais; Pág. 16

17 XXXIII Batalhão Especializado de Polícia Turística que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar e executar as atividades de policiamento turístico; XXXIV Batalhão Especializado de Policiamento de Eventos que tem por finalidade a execução das missões específicas de policiamento em eventos; XXXV Batalhão de Policia de Reforço Operacional planejar, coordenar e dirigir o emprego do efetivo da atividade meio da PMBA em apoio às atividades de polícia ostensiva, em articulação e com o acompanhamento técnico-operacional do Comando de Operações Policiais Militares; XXXVI - Grupamentos de Bombeiros Militares que tem por finalidade as missões de prevenção e combate a incêndio, busca, atendimento pré-hospitalar, salvamento e defesa civil nas suas áreas de responsabilidade territorial, sob coordenação e acompanhamento técnico dos respectivos Comandos Regionais de Bombeiros Militares; XXXVII Colégios da Polícia Militar que têm por finalidade planejar, estabelecer e executar as atividades necessárias para a oferta de ensino fundamental e médio; XXXVIII Hospital Geral que tem por finalidade dirigir as atividades médico-hospitalares no nível de atenção à saúde secundária e terciária aos pacientes atendidos ambulatorialmente ou em regime de internação hospitalar; XXXIX - Odontoclinica que tem por finalidade prestar atendimento em nível ambulatorial nas diversas especialidades odontológicas; XL Junta Policial Militar de Saúde que tem por finalidade avaliar a adequação ao perfil profissiográfico dos candidatos aos processos de recrutamento e seleção de ingresso nas carreiras da Polícia Militar, avaliar a capacidade laborativa dos militares estaduais, bem como revisar os processos relativos aos militares estaduais em situação de inatividade e emitir diagnóstico sobre as limitações temporárias ou definitivas destes servidores para o exercício da atividade policial militar. Pág. 17

18 XLI Centro de Arquitetura e Engenharia que tem por finalidade construir, ampliar, reformar e recuperar instalações físicas da Polícia Militar, com custo estimado até o limite de valor para licitação na modalidade tomada de preços. XLII Centro Corporativo de Projetos que tem por finalidade a identificação, seleção, alinhamento e priorização dos projetos estratégicos da Polícia Militar, em conformidade com a orientação do Comando da Corporação. XLIII Centro de Educação Física e Desportos que tem por finalidade planejar, executar, implementar e controlar a educação física, o desporto e a defesa pessoal na Corporação. XLIV Centro de Material Bélico que tem por finalidade planejar, coordenar, controlar, assessorar, armazenar, manutenir, distribuir e recolher material bélico, avaliando e atestando as atividades da Corporação no que concerne a esse equipamento. XLV - Grupamento Aéreo que tem por finalidade a execução das atividades de policiamento ostensivo utilizando como meio de locomoção aeronaves; XLVI - Companhias Independentes da Polícia Militar que têm por finalidade executar as atividades de polícia ostensiva em suas respectivas áreas de responsabilidade territorial, sob coordenação e acompanhamento técnico dos respectivos Comandos de Policiamento; XLVII Companhias Independentes de Policiamento Especializado que têm por finalidade a execução de missões de policiamento ostensivo especializado nas respectivas áreas de responsabilidade, bem como em apoio às outras Unidades Operacionais; XLVIII - Companhias Independentes de Polícia Rodoviária que têm por finalidade a execução das missões de policiamento de trânsito e escolta de dignitários, na malha rodoviária estadual bem como de apoio às demais Unidades Operacionais; Pág. 18

19 XLIX - Companhias Independentes de Policiamento Tático que têm por finalidade a execução de missões de policiamento ostensivo tático nas respectivas áreas de responsabilidade, bem como em apoio às demais Unidades Operacionais; L - Companhias Independentes de Polícia de Guarda que têm por finalidade executar as atividades de guarda e preservação da ordem nos estabelecimentos penais do Estado, bem como da escolta de presos, constituindo-se, ainda, numa tropa de representação da PMBA; LI - Companhia Independente de Comando e Serviços que tem por finalidade a execução das atividades administrativas e de segurança das instalações do Quartel do Comando Geral; LII - Esquadrões de Polícia Montada que têm por finalidade a execução das atividades de policiamento ostensivo montado, missões especiais e apoio às demais Unidades Operacionais da PMBA; LIII - Esquadrões de Motociclistas que têm por finalidade a execução das atividades de policiamento de trânsito e escolta de dignitários, bem como de apoio às demais Unidades Operacionais. LIV Companhias Independentes de Polícia de Proteção Ambiental que têm por finalidade as missões de policiamento ostensivo ambiental nas respectivas áreas de responsabilidade, bem como em apoio às demais Unidades Operacionais; LV Bases Comunitárias de Segurança que têm por finalidade executar as atividades de policiamento ostensivo em seus respectivos setores de responsabilidade territorial, em articulação com os respectivos Comandos de Área. Parágrafo único - As Organizações Operacionais Especializadas da Polícia Militar, Batalhões, Esquadrões, Companhias Especializadas e Grupamento Aéreo que têm por finalidade a execução das missões de polícia ostensiva dentro de suas especialidades, terão atuação em todo o Estado da Bahia ou região definida em regulamentação. Pág. 19

20 CAPÍTULO III DA REGIONALIZAÇÃO E DESDOBRAMENTO Art A ação policial militar dar-se-á em todo território do Estado, de forma regionalizada, por meio de planejamento e acompanhamento dos Comandos Operacionais e sob as diretrizes do Comando Geral. Art O desdobramento das regiões em áreas, subáreas e setores será estabelecido de conformidade com as necessidades e características fisiográficas, psicossociais, políticas e econômicas, ficando autorizado o Comandante-Geral da Polícia Militar a adotar as providências neste sentido. CAPÍTULO IV DO PESSOAL Art O efetivo da Polícia Militar será distribuído nos seguintes quadros: I - Oficiais: a) Quadro de Oficiais Policiais Militares QOPM; b) Quadro de Oficiais Bombeiros Militares QOBM; c) Quadro de Oficiais de Saúde da Polícia Militar/Médico QOSPM/ Médico; d) Quadro de Oficiais de Saúde da Polícia Militar/Odontólogo QOSPM/ Odontólogo; e) Quadro Especial de Oficiais Policiais Militares QEOPM; f) Quadro Especial de Oficiais Bombeiros Militares QEOBM; g) Quadro de Oficiais Especialistas Policiais Militares QOEPM. Pág. 20

21 II - Praças: a) Quadro de Praças Policiais Militares QPPM; b) Quadro de Praças Bombeiros Militares QPBM; M; S; c) Quadro de Praças Especialistas Policiais Militares Músicos QPEPM/ d) Quadro de Praças Especialistas Policiais Militares de Saúde QPEPM/ Art O Quadro de Oficiais Policiais Militares é composto de Oficiais integrantes da Corporação, responsáveis pelas atividades meio e fim de Polícia Militar. Parágrafo único Por conveniência e interesse da administração o Oficial do QOPM poderá exercer função prevista para os demais Quadros existentes na Corporação. Art. 17 O Quadro de Oficiais Bombeiros Militares é composto de Oficiais integrantes da Corporação, responsáveis pelas atividades de bombeiros da Polícia Militar. Art. 18 O Quadro de Oficiais de Saúde da Polícia Militar/Médico é composto por todos os Oficiais Médicos integrantes da Corporação, sendo responsável pela atividade médica da Polícia Militar. Art O Quadro de Oficiais de Saúde da Polícia Militar/Odontólogo é composto por todos os Oficiais Odontólogos integrantes da Corporação, sendo responsável pela atividade odontológica da Polícia Militar. Art O Quadro de Oficiais Auxiliares de Polícia Militar e o Quadro de Oficiais Auxiliares de Bombeiros Militares passam a ter a denominação de Quadro Especial de Oficiais Policiais Militares e de Quadro Especial de Oficiais Bombeiros Militares, respectivamente, e são compostos por Oficiais existentes nos seus respectivos Quadros, sendo responsável pelo exercício de atividades operacional e administrativa da Instituição, excetuando-se o comando e subcomando de Batalhões, Grupamentos, Companhias, Subgrupamentos e Pelotões. Pág. 21

22 1º - O maior grau hierárquico do Quadro Especial de Oficiais Policiais Militares e do Quadro Especial de Oficiais Bombeiros Militares é o Posto de Major. 2º - O ingresso na carreira de Oficial no Quadro Especial de Oficiais Policiais Militares e no Quadro Especial de Oficiais Bombeiros Militares é privativo de militar estadual, e dar-se-á mediante Curso de Formação realizado na própria Instituição, mediante inscrição dos Subtenentes mais antigos para preenchimento de cinquenta por cento das vagas, e processo seletivo interno de provas ou de provas e títulos para preenchimento dos outros cinquenta por cento, ao qual somente poderão concorrer os Subtenentes e Sargentos com Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos e preencham os demais requisitos legais. 3º - Somente poderão concorrer à promoção ao posto de Major do QEOPM e do QEOBM os Capitães dos respectivos Quadros que possuam curso de nível superior reconhecido pelo Ministério da Educação, preenchidos os demais requisitos legais, após conclusão com aproveitamento do Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais ou equivalente, promovido pela Polícia Militar da Bahia. Art O Quadro de Oficiais Especialistas Policiais Militares é privativo de militar estadual e o seu ingresso dar-se-á mediante Curso de Formação realizado pela Polícia Militar da Bahia, por integrantes do quadro de praças, desde que possuam curso de nível superior reconhecido pelo Ministério da Educação, possuam no mínimo dez anos de efetivo serviço e preencham os demais requisitos legais. 1º - O preenchimento das respectivas vagas dar-se-á por processo seletivo interno de provas ou de provas e títulos, conforme áreas profissionais definidas em edital. 2º - Os atuais Oficiais pertencentes às Bandas de Música passam a pertencer ao quadro de Oficiais Especialistas Policiais Militares, mediante opção, no prazo de 120 (cento e vinte) dias, a contar da data de publicação desta Lei, em caráter irrevogável. 3º - O maior grau hierárquico do Quadro de Oficiais Especialistas Policiais Militares é o Posto de Major. Pág. 22

LEI Nº 13.202 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2014

LEI Nº 13.202 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2014 LEI Nº 13.202 DE 09 DE DEZEMBRO DE 2014 Institui a Organização Básica do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembleia Legislativa

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL N

EMENDA CONSTITUCIONAL N EMENDA CONSTITUCIONAL N Altera e acrescenta dispositivos da Constituição do Estado da Bahia. A MESA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DA BAHIA, no uso da atribuição prevista no ar!. 74, S 3, da Constituição

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE RORAIMA AMAZÔNIA: PATRIMÔNIO DOS BRASILEIROS SECRETARIA LEGISLATIVA Publicada no Diário Oficial nº 1.880 de 10 de setembro de 1998 LEI COMPLEMENTAR Nº 027 DE 09 DE SETEMBRO

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos 1 de 9 17/10/2013 13:46 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.165, DE 29 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta o inciso I do art. 48 da Lei n o 6.450, de 14 de outubro

Leia mais

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável;

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável; Lei Delegada nº 125, de 25 de janeiro de 2007. (Publicação Diário do Executivo Minas Gerais 26/01/2007) (Retificação Diário do Executivo Minas Gerais 30/01/2007) Dispõe sobre a estrutura orgânica básica

Leia mais

Tropa de Elite - Polícia Militar Legislação da Polícia Militar Parte 05 Wagner Gomes

Tropa de Elite - Polícia Militar Legislação da Polícia Militar Parte 05 Wagner Gomes Tropa de Elite - Polícia Militar Legislação da Polícia Militar Parte 05 Wagner Gomes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. PROMOÇÃO CONCEITO: O acesso na hierarquia

Leia mais

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990

DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DECRETO N 6.664 DE 05 DE MARÇO DE 1990 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÃO DO ANEXO III DO DECRETO N 2.456, DE 24.09.1982. O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ, no uso de suas atribuições que lhe confere o art. 135, inciso

Leia mais

Faço saber que a Assembleia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei.

Faço saber que a Assembleia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte Lei. ANTEPROJETO DE LEI Nº XXX, DE XX.XX.2014 Dispõe sobre a Carreira do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul - CBMRS e dá outras providências. GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Leia mais

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE LEI N.º 1.297, DE 06 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre apoio a Gestão do Sistema Único de Saúde, da realização de conferências no âmbito municipal, da reformulação e funcionamento do Conselho Municipal de

Leia mais

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR

ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Subordinação: Finalidade: ASSISTÊNCIA MILITAR DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR - ADMINISTRAÇÃO DIRETA AO PREFEITO

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007

ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 ATO NORMATIVO Nº 006 /2007 Dispõe sobre os cargos em comissão do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999

LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 LEI COMPLEMENTAR 54 1999 de 13/12/1999 Dispõe sobre a organização básica do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais - CBMMG - e dá outras providências. O Povo do Estado de Minas Gerais, por seus representantes,

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE SAÚDE, CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL, DA DIVISÃO DE MEIO-AMBIENTE E

Leia mais

CAPÍTULO III DA REESTRUTURAÇÃO

CAPÍTULO III DA REESTRUTURAÇÃO LEI N 3934 DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO E REORGANIZAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICIPIO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM E DÁ OUTRA PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Cachoeiro de Itapemirim,

Leia mais

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I

REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I REGIMENTO DA UNIDADE DE AUDITORIA INTERNA DO IF SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I Disposições Preliminares Art. 1º A Auditoria Interna do IF Sudeste de Minas Gerais, está vinculada ao Conselho Superior,

Leia mais

Lei: Art. 8º É dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula dos menores, a partir dos 6 (seis) anos de idade, no ensino fundamental.

Lei: Art. 8º É dever dos pais ou responsáveis efetuar a matrícula dos menores, a partir dos 6 (seis) anos de idade, no ensino fundamental. Lei: Art. 5º. I - educação básica, nas etapas da educação infantil e ensino fundamental, obrigatória e gratuita a partir dos 4 (quatro) anos de idade, assegurada inclusive a sua oferta gratuita para todos

Leia mais

Art. 1º - Os Quadros de Organização da Brigada Militar e a carreira dos Militares Estaduais passam a observar os preceitos estatuídos na presente Lei.

Art. 1º - Os Quadros de Organização da Brigada Militar e a carreira dos Militares Estaduais passam a observar os preceitos estatuídos na presente Lei. ANTEPROJETO DE LEI Nº xx DE 2013. Dispõe sobre a carreira dos Militares do Estado do Rio Grande do Sul e dá outras providências. Art. 1º - Os Quadros de Organização da Brigada Militar e a carreira dos

Leia mais

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA

Atribuições do órgão conforme a Lei nº 3.063, de 29 de maio de 2013: TÍTULO II DAS COMPETÊNCIAS DOS ÓRGÃOS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA SECRETARIA MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA E OBRAS End: Travessa Anchieta, S-55 Centro Fone: (14) 3283-9570 ramal 9587 Email: engenharia@pederneiras.sp.gov.br Responsável: Fábio Chaves Sgavioli Atribuições

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina

PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina PREFEITURA MUNICIPAL DE POUSO REDONDO CNPJ 83.102.681/0001-26 Rua Antonio Carlos Thiesen, 74 89.172-000 Pouso Redondo Santa Catarina LEI N. 1925/06 de 25.07.2006. Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal

Leia mais

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama.

2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097. de Umuarama. 24 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 de Umuarama. 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 25 ANEXO I DO REGULAMENTO A QUE SE REFERE O DECRETO Nº 9510/2013 26 2ª feira 02/Dez/2013 - Edição nº 9097 ANEXO

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.421, DE 05 DE ABRIL DE 2010. (publicada no DOE nº 062, de 05 de abril de 2010 2ª edição) Institui a Carreira

Leia mais

Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei:

Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte lei: LEI Nº 1512/2009 SÚMULA: Cria o Conselho Municipal da Educação. Faço saber, que a Câmara Municipal de Mangueirinha, Estado do Paraná aprovou e eu, ALBARI GUIMORVAM FONSECA DOS SANTOS, sanciono a seguinte

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 Dispõe sobre a criação do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi e aprovação do seu regulamento. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, na conformidade do Processo nº PREX- 1785/2001,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADO EM PLACAR Em 26/10/05 Mª Neide Freire da Silva Mat. 13941 PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS DECRETO Nº 271, DE 26 DE OUTUBRO DE 2005. Aprova o Regimento Interno e Organograma da Guarda Metropolitana

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.051, DE 23 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 23.10.2015 N. 3.759 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão Semad, suas finalidades

Leia mais

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013.

LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. LEI Nº 982 DE 16 DE MAIO DE 2013. Dispõe sobre a criação, composição, competência e funcionamento do Conselho Municipal de Esporte e Lazer CMEL. O Povo do Município de Turvolândia Estado de Minas Gerais,

Leia mais

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007

LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 LEI DELEGADA N.º 79, DE 18 DE MAIO DE 2.007 DISPÕE sobre a SECRETARIA DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA SSP, definindo suas finalidades, competências e estrutura organizacional, fixando o seu quadro de cargos

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

LEI N 588, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011.

LEI N 588, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. Pág. 1 de 6 LEI N 588, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. ALTERA A LEI N 302, DE 28/12/2001, QUE DISCIPLINA SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE CRUZEIRO DO SUL/AC E DÁ OUTRAS PROVIDENCIAS.

Leia mais

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013.

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. REESTRUTURA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO, O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FAZENDA VILANOVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO ANTONIO DORNELLES, PREFEITO

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007.

LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. LEI Nº 2.278/07, DE 24 DE AGOSTO DE 2007. Dispõe sobre a criação do Instituto Escola de Governo e Gestão Pública de Ananindeua, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE ANANINDEUA estatui, e eu

Leia mais

PORTARIA AGEPEN Nº 10, DE 14 DE OUTUBRO DE 2015.

PORTARIA AGEPEN Nº 10, DE 14 DE OUTUBRO DE 2015. PORTARIA AGEPEN Nº 10, DE 14 DE OUTUBRO DE 2015. Dispõe sobre a administração e o controle de bens que compõem o acervo patrimonial da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, e dá outras

Leia mais

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005

ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 ATO DO DIRETOR-GERAL Nº 1516, DE 2005 Estabelece as competências da Secretaria de Segurança Legislativa do Senado Federal e das Subsecretarias e Serviços a ela subordinados. O DIRETOR-GERAL DO SENADO FEDERAL,

Leia mais

GABINETE DO PREFEITO

GABINETE DO PREFEITO 1 Proc. nº 27.401/2008 LEI COMPLEMENTAR Nº 674 de 25 de novembro de 2013 Altera a Lei Complementar nº 582, de 19 de dezembro de 2008, alterada pela Lei Complementar nº 644, de 05 de abril de 2012, no que

Leia mais

LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015.

LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. LEI N.º 6.048, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2015. Autoriza o Poder Executivo a doar os bens que equipam a Capela Mortuária do Bairro Progresso, para a Associação do Bairro Progresso. O Prefeito Municipal de Erechim,

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SERGIPE, Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado aprovou e que eu sanciono a seguinte Lei Complementar Publicada no Diário Oficial do dia 07 de julho de 2011 Estabelece a Estrutura Administrativa do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e do Ministério Público Especial; cria, modifica e extingue órgãos

Leia mais

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG;

o artigo 13, VIII do Estatuto da UEPG; Certifico que a presente Resolução foi disponibilizada neste local no dia 05/12/2014 Graziela de Fátima Rocha Secretaria da Reitoria RESOLUÇÃO UNIV. N o 43, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2014. Aprova o Regimento

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015.

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO MUNICÍPIO DE MORMAÇO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUÍS CARLOS MACHADO PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

Lei N. 391/2007 Wanderlândia 14 de Março de 2007.

Lei N. 391/2007 Wanderlândia 14 de Março de 2007. Lei N. 391/2007 Wanderlândia 14 de Março de 2007. Altera na integra o texto da Lei nº. 334/2002, de 20 de Dezembro de 2002, que cria o Conselho Municipal de Educação e da outras providencias. Faço saber

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 004/2013. O Prefeito Municipal de Governador Lindenberg ES, Estado do Espírito Santo apresenta o presente projeto de lei;

PROJETO DE LEI Nº 004/2013. O Prefeito Municipal de Governador Lindenberg ES, Estado do Espírito Santo apresenta o presente projeto de lei; PROJETO DE LEI Nº 004/2013 Ementa: Dispõe sobre o cargo de controlador interno e auditor público interno do Município de Governador Lindenberg ES e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Governador

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 DOU de 05/10/09 seção 01 nº 190 pág. 51 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO DAS CIDADES RESOLUÇÃO RECOMENDADA N 75, DE 02 DE JULHO DE 2009 Estabelece orientações relativas à Política de Saneamento Básico e

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Poder Executivo e dá outras providências.

LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE 2005. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Administração Direta do Poder Executivo e dá outras providências. Diário Oficial do Município - Belo Horizonte Ano XI - Nº: 2.273-01/01/2005 Poder Executivo Secretaria Municipal de Governo Lei nº 9.011 de 1º de janeiro de 2005 - Anexos LEI Nº 9.011 DE 1 DE JANEIRO DE

Leia mais

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO

MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO MODELO REGIMENTO DO CORPO CLÍNICO CAPÍTULO I CONCEITUAÇÃO Art. 1º - Corpo Clínico é o conjunto de médicos que se propõe a assumir solidariamente a responsabilidade de prestar atendimento aos usuários que

Leia mais

ESTATUTO DO DISTRITO ESTADUAL DE FERNANDO DE NORONHA

ESTATUTO DO DISTRITO ESTADUAL DE FERNANDO DE NORONHA DECRETO Nº 26.266, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003. DOE 24.12.2003, p. 04. P.Execuitivo Altera o Estatuto do Distrito Estadual de Fernando de Noronha, aprovado pelo Decreto nº 25.297, de 12 de março de 2003,

Leia mais

LEI Nº 11.646, DE 10 DE JULHO DE 2001.

LEI Nº 11.646, DE 10 DE JULHO DE 2001. LEI Nº 11.646, DE 10 DE JULHO DE 2001. Autoriza o Poder Executivo a criar a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul - UERGS e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL. Faço

Leia mais

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Publicada D.O.E. Em 23.12.2003 LEI Nº 8.966 DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003 Reestrutura o Plano de Carreira do Ministério Público do Estado da Bahia, instituído pela Lei nº 5.979, de 23 de setembro de 1990,

Leia mais

DECRETO Nº. 8.780, DE 02 DE JULHO DE 2009.

DECRETO Nº. 8.780, DE 02 DE JULHO DE 2009. DECRETO Nº. 8.780, DE 02 DE JULHO DE 2009. Dispõe sobre as competências, a estrutura básica e o Quadro de Lotação de Cargos Comissionados da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana - SEMOB, e dá outras

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 2.054, DE 29 DE OUTUBRO DE 2015 (D.O.M. 29.10.2015 N. 3.763 Ano XVI) DISPÕE sobre a estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia da Informação e Controle Interno Semef,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI COMPLEMENTAR Nº 272, DE 11 DE JUNHO DE 2007 - D.O. 12.06.07. Autor: Poder Executivo * Fixa o efetivo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso, e dá outras providências. (*Revogada pela

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 005/2013

ATO NORMATIVO Nº 005/2013 ATO NORMATIVO Nº 005/2013 Dispõe sobre as funções de confiança exercidas por servidores do Ministério Público do Estado da Bahia e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA,

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA

CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA CAPÍTULO I DA NATUREZA E COMPETÊNCIA Art.1º - A SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE - SUSAM integra a Administração Direta do Poder Executivo, na forma da Lei nº 2783, de 31 de janeiro de 2003, como órgão responsável,

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.707, DE 23 DE FEVEREIRO DE 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração

Leia mais

MENSAGEM Nº, de 2008.

MENSAGEM Nº, de 2008. MENSAGEM Nº, de 2008. = Tenho a honra de submeter à elevada consideração de Vossas Excelências o projeto de Lei anexo, que objetiva criar o Conselho Municipal Antidrogas COMAD. Um dos mais graves problemas

Leia mais

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete:

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete: LEI Nº 12.911, de 22 de janeiro de 2004 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - e do Fundo Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - FUNSEA-SC

Leia mais

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local

Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL SECRETARIA NACIONAL DE JUVENTUDE Perfil e Jornada de Trabalho da Equipe de Profissionais da Estação Juventude Local a) COORDENADOR ADJUNTO: 01 (Contratação Temporária

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999. Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta

Leia mais

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências

Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências LEI 7.176/97 DE 10 DE SETEMBRO DE 1997 Reestrutura as Universidades Estaduais da Bahia e dá outras providências O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono

Leia mais

JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul.

JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 580/2004, de 15-06-04. REESTRUTURA o Conselho Municipal de Educação do Município de Mormaço e dá outras providências. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do

Leia mais

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br

Rua Ulisses Caldas, 81 - Centro - Natal/RN 59025-090 (55)xx84-3232-8863 www.natal.rn.gov.br LEI Nº. 6.067, DE 11 DE MARÇO DE 2010. Altera a Lei Ordinária 5.711/06, que dispõe sobre a Organização Administrativa da Câmara Municipal do Natal, e dá outras providências. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE

Leia mais

LEI Nº 467 DE 26 DE MARÇO DE 2014.

LEI Nº 467 DE 26 DE MARÇO DE 2014. LEI Nº 467 DE 26 DE MARÇO DE 2014. DISPÕE SOBRE O SERVIÇO VOLUNTÁRIO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE IRAMAIA, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara

Leia mais

REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO

REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO 1 REGULAMENTO OPERACIONAL DA DIRETORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA INSTITUIÇÃO Art.1º A Diretoria de Ensino de Graduação (DEG) é órgão da Pró-Reitoria Acadêmica, do Centro Universitário de Maringá.

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR

POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR POLÍCIA MILITAR DE SANTA CATARINA 5ª REGIÃO DE POLÍCIA MILITAR 14º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR Maslow e as necessidades humanas: A preocupação com a segurança. Qualificando a palavra segurança : Conceito

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 09/2010 Aprova o Regimento Interno da Comissão Interna de Supervisão da Carreira dos Cargos

Leia mais

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA

LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 CAPÍTULO I DA FINALIDADE E COMPETÊNCIA Publicada D.O.E. Em 19.01.99 LEI Nº 7.439 DE 18 DE JANEIRO DE 1999 Dispõe sobre a criação da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia - ADAB e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI COMPLEMENTAR N. 305, DE 8 DE OUTUBRO DE 2015 Cria o Corpo Voluntário de Militares do Estado da Reserva Remunerada e dispõe sobre a convocação dos inscritos para serviço ativo em caráter transitório.

Leia mais

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES.

REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES. REGULAMENTO DAS INSPETORIAS, REPRESENTAÇÕES E DAS COMISSÕES AUXILIARES DE FISCALIZAÇÃO-CAFs CAPÍTULO I DAS INSPETORIAS E REPRESENTAÇÕES Seção I Da Natureza e Finalidade das Inspetorias Art. 1º A Inspetoria

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE LEI N. 1.099, DE 1º DE DEZEMBRO DE 1993 "Dispõe sobre a constituição do Conselho Estadual do Bem-Estar Social e a criação do Fundo Estadual a ele vinculado e dá outras providências." O GOVERNADOR DO ESTADO

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010 RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 442, DE 1º DE JULHO DE 2010 Institui o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública CIOSP no âmbito da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS CENTRO DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS CENTRO DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS CENTRO DE EXTENSÃO REGIMENTO CENEX DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS / UFMG Belo Horizonte, 2008. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS HOSPITAL DAS CLÍNICAS

Leia mais

Prefeitura Municipal de São João del-rei

Prefeitura Municipal de São João del-rei Lei nº 4.990 de 20 de dezembro de 2013 Cria o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, no Município de São João del-rei, revoga as leis n 3.702, de 25 de abril de 2002 e n 2.501, de 07 de junho de

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13

LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13 LEI COMPLEMENTAR Nº 02/13 DE 25/03/13 CRIA ORGÃOS E AMPLIA CARGOS DE PROVIMENTO EM COMISSÃO NA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL DE CAMPOS NOVOS, ACRESCENTA DISPOSITIVOS NA LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 574/2004. 14-04-2004. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul.

LEI MUNICIPAL Nº 574/2004. 14-04-2004. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul. LEI MUNICIPAL Nº 574/2004. 14-04-2004 CRIA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DE MORMAÇO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. JOSÉ ALVORI DA SILVA KUHN PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio Grande do Sul. FAÇO

Leia mais

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010.

LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. Pág. 1 de 5 LEI N 547, DE 03 DE SETEMBRO DE 2010. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL FMHIS E INSTITUI O CONSELHO GESTOR DO FMHIS. O PREFEITO MUNICIPAL DE CRUZEIRO DO SUL ACRE, EM EXERCÍCIO,

Leia mais

Projeto de Lei n.º 004/2015

Projeto de Lei n.º 004/2015 [ Página n.º 1 ] ALTERA DISPOSITIVOS DA LEI COMPLEMENTAR MUNICIPAL N.º 717/2013, COM A EXTINÇÃO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER E A CRIAÇÃO DA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA, ESPORTE

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1390/2006

LEI COMPLEMENTAR Nº 1390/2006 LEI COMPLEMENTAR Nº 1390/2006 "Cria a Guarda Municipal e dá outras providências" A CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA BÁRBARA, por seus Representantes legais, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE, CONSTITUIÇÃO E COMPOSIÇÃO DO CONSELHO

CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE, CONSTITUIÇÃO E COMPOSIÇÃO DO CONSELHO LEI Nº 3890 REGULAMENTA A PARTICIPAÇÃO POPULAR NAS AÇÕES SOCIAIS DE PROTEÇÃO, DEFESA E ATENDIMENTO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, NOS TERMOS DO INCISO II DO ARTIGO 88 DA LEI FEDERAL Nº 8.069,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA - FAIT

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA - FAIT REGULAMENTO N. 001 /2001 REGULAMENTO GERAL DO NÚCLEO DE EXTENSÃO E AÇÃO COMUNITÁRIA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA Dr. Germano Alonso Shimizu, Diretor da FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS

Leia mais

LEI Nº 15.853 DE 11 DE OUTUBRO DE 2011.

LEI Nº 15.853 DE 11 DE OUTUBRO DE 2011. LEI Nº 15.853 DE 11 DE OUTUBRO DE 2011. 1 Dispõe sobre a criação do Conselho Municipal de Economia Solidária e o Fundo Municipal de Fomento à Economia Solidária e dá outras providências. O Prefeito Municipal

Leia mais

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte

Prefeitura Municipal de Ipiranga do Norte Lei nº 396, de 25 de fevereiro de 2013. Dispõe sobre a criação da Coordenadoria Municipal de Defesa Civil e do Fundo Municipal de Defesa Civil e dá outras providências. PEDRO FERRONATO, Prefeito Municipal

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Page 1 of 7 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.958, DE 26 DE JUNHO DE 2009. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003, que dispõe sobre a organização da Presidência da República e dos Ministérios; autoriza a prorrogação de contratos temporários firmados com fundamento no art.

Leia mais

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 457, DE 08 DE MARÇO DE 2002. Institui o Fórum Permanente da Agenda 21, no âmbito do Município de Goiânia, e estabelece normas para a sua organização

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade

Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. CAPÍTULO I. Da Finalidade Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências.. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte lei:

Leia mais

LEI DE ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA PMPA. (L O B) Versão atualizada e com alterações em negrito

LEI DE ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA PMPA. (L O B) Versão atualizada e com alterações em negrito LEI DE ORGANIZAÇÃO BÁSICA DA PMPA (L O B) Versão atualizada e com alterações em negrito BELÉM-PA / JAN 2014 EQUIPE RESPONSÁVEL: MAJ PM MARINHO CAP PM DE OLIVEIRA SGT PM RAPOSO SD PM TESSA MONTAGEM E ORGANIZAÇÃO:

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE. CAPÍTULO I Da Finalidade. CAPÍTULO II Dos Princípios, Objetivos e Metas Seção I Dos Princípios LEI N. 1.343, DE 21 DE JULHO DE 2000 Institui a Política Estadual do Idoso - PEI e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado

Leia mais

Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima FEMACT-RR, e do

Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima FEMACT-RR, e do Este texto não substitui o original publicado no Diário Oficial, de 07/07/2011 LEI N 815 DE 7 DE JULHO DE 2011 Dispõe sobre a transformação da Fundação Estadual do Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia do

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

O PREFEITO MUNICIPAL DO SALVADOR, CAPITAL DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, CONSELHOS COMUNITÁRIOS Órgão/Sigla: Natureza Jurídica: Vinculação: Finalidade: CONSELHOS COMUNITÁRIOS ORGAO COLEGIADO GABINETE DO PREFEITO Tornar os cidadãos parte ativa no exercício do governo, mediante

Leia mais

Capítulo I Âmbito de Aplicação, Objetivos e Diretrizes

Capítulo I Âmbito de Aplicação, Objetivos e Diretrizes MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS COORDENAÇÃO GERAL DE DESENVOLVIMENTO ESTUDANTIL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ALIMENTAÇÃO ESTUDANTIL Capítulo I Âmbito de Aplicação,

Leia mais