Consumo de carne e lácteos e seus impactos sobre emissões de gases de efeito estufa: políticas, entendimento e comportamento do público

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Consumo de carne e lácteos e seus impactos sobre emissões de gases de efeito estufa: políticas, entendimento e comportamento do público"

Transcrição

1 Cnsum de carne e láctes e seus impacts sbre emissões de gases de efeit estufa: plíticas, entendiment e cmprtament d públic Um mesa rednda de partes interessadas brasileiras 01 de junh de 2015 Sala da Cngregaçã Faculdade de Saúde Pública Universidade de Sã Paul Esta reuniã é rganizada cnjuntamente pela Chatham Huse e Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul.

2 Page 2 f 9 Cntextualizand a reuniã O sistema alimentar mundial é uma grande fnte de gases de efeit estufa que cntribuem até 29 pr cent das emissões glbais. Iniciativas de mitigaçã tendem a se cncentrar n lad da ferta, através d desenvlviment de práticas agríclas 'inteligentes' para clima e as tentativas de desenvlver emquadraments e incentivs para evitar desmatament. N entant, uma literatura crescente enfatiza a imprtância d cnsum, apntand intervenções cmplementares d lad da demanda cm parte imprtante da respsta. Um direcinadr chave das emissões de gases de efeit de estufa (GEE) d lad da demanda é a prprçã de prduts de rigem animal recurss-intensivs na dieta ttal, e em particular prveniente de gad ruminante. Os últims dads da Organizaçã para a Alimentaçã e Agricultura (FAO) da ONU sugerem que a pecuária emite 7,1 Gt de CO2 eq-an-1, representand 14,5 pr cent de tdas as emissões induzidas pel hmem. Em parceria cm a Universidade Glasgw Media Grup (GUMG), pesquisadres d Departament de Energia, Ambiente e Recurss da Chatham Huse, empreenderam uma pesquisa em 12 países e grups fcais ns EUA, Rein Unid, China e Brasil para explrar a cmpreensã e cmprtament d públic em relaçã a cnsum de carne e de láctes e seu impact sbre s GEE. Esta pesquisa será cmplementada cm mesas redndas cm partes interessadas em cada um ds quatr países-chave, que irá reunir especialistas d gvern, d setr privad, academia e da sciedade civil para discutir plíticas e medidas que pderiam reduzir as emissões de gases de efeit estufa assciadas cm cnsum de carne e láctes. As cnclusões da pesquisa, grups fcais e reuniões das partes interessads serã integradas num relatóri da Chatham Huse, que será publicad durante Outn eurpeu de O prjet de pesquisa é financiad pela Fundaçã Alliance Avatar e a Fundaçã Craig McCaw e Susan.

3 Page 3 f 9 Agenda 01 de junh de 2015 Sala da Cngregaçã Faculdade de Saúde Pública Universidade de Sã Paul Esta mesa rednda será rganizada ssegund as regras da Chatham Huse. As regras da Chatham Huse Rule sã as seguintes: "Quand uma reuniã, u parte dela, é realizada sb a Regra Chatham Huse, s participantes sã livres para usar as infrmações recebidas, prém nã pde ser revelada a identidade nem a afiliaçã ds radres, nem de qualquer utr participante." Iss é usad para encrajar a discussã aberta. Facilitadr: Prfessra Helena Ribeir, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul Inscrições e café Bas vindas e cnsiderações intrdutórias Prfessr Carls August Mnteir, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul Antny Frggatt, Pesquisadr Sênir n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse Sessã 1 Cnstruind cenári O papel ds rebanhs nas mudanças climáticas e s benefícis sciais e ambientais pela reduçã n cnsum de carne e láctes Padrões dietétics n Brasil A lacuna na cnscientizaçã: achads nacinais e internacinais a partir de inquérits realizads em 12 países pela Chatham Huse e implementad pr Ipss MORI Prpósit desta reuniã Apresentações pr: Prfessr Carls August Mnteir, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul Antny Frggatt, Pesquisadr Sênir n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse

4 Page 4 f Café Sessã 2 O cntext nacinal brasileir Cntribuiçã d sectr pecuári para as emissões nacinais de gases de efeit de estufa A escala de prduçã, cnsum e as tendências futuras A cmpreensã pública, respsta a nvas infrmações e desafi das plíticas O status de carne e láctes, cnsum e as barreiras e facilitadres para a mudança na dieta Apresentações pr: Marina Piatt, Crdenadra, Iniciativa de Clima e Agricultura, IMAFLORA Dr Hiltn da Silveira Pint, Pesquisadr cnvidad, Centr de Pesquisa Aplicada em Meterlgia e Clima, UNICAMP Laura Wellesley, Pesquisadr Assciad n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse Rachel Shairp, Crdenadra n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse Almç Sessã 3 Identificand pnts de entrada de plíticas existentes Plíticas nacinais em curs para mudanças climáticas (e.g. public prcurement) e a imprtância relacinada à agricultura e pecuária Plíticas relevantes, regulaçõess, diretrizes e initiativas sbre dietas sustentáveis, saúde e nutriçã Apresentações pr: Dra. Patricia Jaime Cnstante, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul Café Sessã 4 Elevand a cnscientizaçã d públic Esta sessã final será uma discussã mderada e estruturada pr jrnalistas e líderes plítics sbre a elevaçã da cnscientizaçã pública sbre dieta e mudanças climáticas e pssíveis respstas pelas plíticas. Quais sã as prtunidades mais prmissras em terms de ptencial de impact e apel / aceitabilidade para públic? Quais sã esperads cm principais desafis que devem ser superads? Quais sã s respectivs papéis e respnsabilidades ds diferentes atres? Sequência e crngrama para plíticas e medidas Jantar

5 Page 5 f 9 Lista ds participantes cnfirmads Prfessr Ricard Abramvay, Faculdade de Ecnmia, Administraçã e Cntabilidade (FEA), Universidade de Sã Paul Alexandre Berndt, Pesquisadr de Sistemas de Prduçã Sustentáveis, Embrapa Pecuária Sudeste Pedr Burnier, Gerente Prgrama Agrpecuária, Amigs da Terra - Amazônia Brasileira Daniela Chiaretti, Jrnalista Senir de Mei Ambiente, Valr Ecnômic Antny Frggatt, Pesquisadr Sênir n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse Dr Werner Grau, Presidente, The Nature Cnservancy Andre Guimaraes, Diretr Executiv, Cnservatin Internatinal Brasil Dr. Patricia Jaime Cnstante, Prfessra Assciada, Departament de Nutriçã da Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul Dr Myanna Lahsen, Institut Nacinal de Pesquisas Espaciais Dal Marcndes, Diretr Executiv, Envlverde Dr. Sergi Margulis, Ex- Secretári Nacinal de desenvlviment Sustentável, Secretaria de Assunts Estratégics Ja Meirelles Filh, Diretr Geral, Peabiru Institute Prfessr Carls August Mnteir, Departament de Nutriçã, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de Sã Paul Marina Piatt, Crdenadra, Iniciativa de Clima e Agricultura, IMAFLORA Prfessr Helena Ribeir, Ex-Diretra da Faculdade de Saúde Pública, Crdenadra d Prgrama em Saúde Glbal Sustentabilidade, Universidade de Sã Paul Dr Carls Rittl, Secretári-Executiv d Observatóri d Clima Fernand Sampai, GTPS Grup de Trabalh da Pecuária Sustentável Andrea Sants, Secretária Executiva, Painel Brasileir de Mudanças Climáticas Rachel Shairp, Crdenadra n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse Marina Silva, Ex-Senadra e Ex-Ministra d Mei Ambiente Dr Hiltn da Silveira Pint, Pesquisadr cnvidad, Centr de Pesquisa Aplicada em Meterlgia e Clima, UNICAMP Dr Avram Slvic, Vice-Presidente de Negócis Develpment (Brasil), Smart Agriculture Analytics Eduard Jrge Sbrinh, Ex-deputad Federal

6 Page 6 f 9 Prfessr Marcs Srrentin, Departament de Ciências Flrestais, ESALQ, Universidade de Sã Paul Zaíra Trnc Salern, Assciaçã Brasileira de Nutriçã (ASBRAN), e Cnselh Nacinal de Saúde Carls Vicente, Insitut Marina Silva (IMAS) Laura Wellesley, Pesquisadr Assciad n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse

7 Page 7 f 9 Bigrafia ds radres Dra Helena Ribeir é prfessra titular d Departament de Saúde Ambiental e ex-diretra da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Sã Paul. Ela também é crdenadra d recém-criad Prgrama da USP sbre Saúde Glbal e Sustentabilidade. Ela detém um bacharelad em Gegrafia pela Pntifícia Universidade Católica de Sã Paul (1972), Mestre em Gegrafia pela Universidade da Califórnia, Berkeley (1981) e dutrad em Gegrafia Física pela Universidade de Sã Paul (1988). Tem experiência na área de Geciências, cm fc em Climatlgia Gegráfica e s seguintes temas: saúde ambiental, saúde urbana, gegrafia médica, pluiçã d ar, mudanças climáticas e educaçã ambiental. Anterirmente ela cupu carg de cnselheir ambiental d prefeit de Sã Paul e fi membr d Cmitê Executiv d ICLEI - Cnselh Internacinal para Iniciativas Ambientais Lcais. Dr Carls August Mnteir é prfessr titular n Departament de Nutriçã da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Sã Paul (USP). Ele também é crdenadr científic d Centr de Estuds Epidemilógics em Saúde e Nutriçã da USP, editr da Revista de Saúde Pública; Editr Assciad de Nutriçã e Saúde Pública; e membr d cnselh editrial d Internatinal Jurnal f Obesity. Prfessr Mnteir é atualmente membr d Grup Cnsultiv de Perits em Nutriçã da OMS (NUGAG) e d grup de trabalh da Organizaçã Pan-Americana da Saúde para a eliminaçã de grduras trans nas Américas. Ele também é membr da Academia Brasileira de Ciências desde Sua pesquisa inclui a avaliaçã nutricinal e d cnsum alimentar da ppulaçã; tendências seculares e s determinantes bilógics e sciecnômics de ambas as deficiências nutricinais e de besidade e utras denças relacinadas cm a nutriçã; e avaliaçã ds prgramas de alimentaçã e nutriçã. Ele também trabalhu cm questões ligadas à transições nutricinais e epidemilógicas ds países em desenvlviment de renda baixa e média, em assciaçã cm Barry Ppkin e utrs clegas. Ele pssui MD e PhD, ambs pela Universidade de Sã Paul (USP). Antny Frggatt se uniu à Chatham Huse em 2007 e é pesquisadr sênir n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss. Ele estudu plítica energética e ambiental na Universidade de Westminster e na Unidade de Pesquisa de Ciência Plítica da Universidade de Sussex. Atualmente é pesquisadr hnrári da Universidade de Exeter. Na Chatham Huse ele é especialista em segurança energética glbal e das plíticas eurpeias de electricidade. Ele trabalhu cm cnsultr independente há 15 ans cm grups ambientalistas, acadêmics e órgãs públics na Eurpa e na Ásia. Ele também trabalhu cm jrnalista freelance. Em 1992, ele fi c-autr d Relatóri de Estad da Indústria Nuclear Mundial, atualmente uma revisã anual independente d sectr nuclear. Marina Piatt tem vind a trabalhar n Imaflra, uma ONG brasileira, n dmíni da Agricultura e d clima Prjects desde Seu trabalh envlve iniciativas relacinadas cm as bas práticas agríclas, preservaçã d mei ambiente e ds direits humans. Ela também está envlvida em prjects relacinads cm a agricultura de baix carbn e REDD + salvaguardas na flresta amazônica. Marina tem uma licenciatura em Engenharia Agrnômica pela Universidade d Estad de Sã Paul n Brasil e ela pssui Mestrad em Agricultura Trpical da Universidade de Bnn, na Alemanha. Na Universidade da Califórnia, ela passu um an cm um cmpanheir Humphrey d Prgrama Fulbright. Dr Hiltn da Silveira Pint fi prfessr d Institut de Bilgia da Universidade Estadual de Campinas até utubr de Ele fi criadr d Centr de Pesquisas Aplicadas à Meterlgia e Clima para Agricultura - Cepagri / Unicamp e ele fi diretr em várias casiões, até 2012, nde ele permanece cm pesquisadr cnvidad. Ele crdena várias perações n Zneament de Riscs d Clima e Mudanças Climáticas na Agricultura cm financiament nacinal e internacinal, incluind a Agência Brasileira de Invaçã - FINEP, d Ministéri d Desenvlviment Agrári, d Banc Mundial e da Embaixada Britânica. Ele faz a mair parte de seu trabalh científic em parceria cm a Embrapa. Tem experiência na área de Agrnmia, cm ênfase em Agrmeterlgia, atuand principalmente ns seguintes temas: alterações climáticas, riscs climátics, de mitigaçã e adaptaçã, de zneament agrícla e de café. Fi assessr d Ministéri da Agricultura, Ministéri da Ciência e Tecnlgia, Ministéri de Minas e Energia, s departaments de Agricultura e Ciência e Tecnlgia d Estad de Sã Paul e FINEP. Durante cinc ans, ele fi Vice-Chefe da Climatlgia Agrícla d IAC (Institut Agrnômic de Campinas). Laura Wellesley é um pesquisadr assciad n departament de Energia, Mei Ambiente e Recurss (EER) da Chatham Huse. Ela trabalha em questões relacinadas cm a segurança alimentar e as

8 Page 8 f 9 alterações climáticas. Laura fi anterirmente crdenadra d prjet na Chatham Huse, gestã de prjets d departament EER sbre gvernança flrestal e extraçã ilegal de madeira e da investigaçã de empresa cligada. Antes de ingressar na Chatham Huse, Laura trabalhu cm pesquisadra da Glbal Witness, cm fc na extraçã mineral e gvernança n Afeganistã. Ela tem um mestrad em África e Desenvlviment Internacinal da Universidade de Edimburg e um mestrad em Línguas Mdernas e Medievais (francês e espanhl) da Universidade de Cambridge. Dra Patricia Jaime Cnstante é Prfessra Assciada n Departament de Nutriçã na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Sã Paul. Ela tem mestrad e dutrad na mesma instituiçã. Ela teve psiçã de pós-dc em Epidemilgia Nutricinal n Centr de Pesquisas Epidemilógicas em Nutriçã e Saúde da USP e utra psiçã pós-dc na Lndn Schl de Higiene e Medicina Trpical de Alimentaçã e Nutriçã e Plíticas Públicas. Fi crdenadra de Alimentaçã e Nutriçã da Crdenaçã Geral d Ministéri da Saúde Tem experiência na área de alimentaçã, nutriçã e saúde pública, pesquisand s seguintes temas: avaliaçã de prgramas e plíticas de alimentaçã e nutriçã, grups ppulacinais de cnsum de aliments, intervenções nutricinais e prmçã da alimentaçã saudável.

9 Page 9 f 9 Detalhes da Organizaçã Lcal FSP/USP está lcalizada na Avenida Dr. Arnald 715, Sã Paul , tel.: (Estaçã Clínicas d Metrô). A reuniã acntecerá na Sala da Cngregaçã. Estruturas Refrescs e almç serã ferecids ns mments indicads na agenda. Regra Chatham Huse Esta mesa rednda será rganizada ssegund as regras da Chatham Huse. As regras da Chatham Huse Rule sã as seguintes: "Quand uma reuniã, u parte dela, é realizada sb a Regra Chatham Huse, s participantes sã livres para usar as infrmações recebidas, prém nã pde ser revelada a identidade nem a afiliaçã ds radres, nem de qualquer utr participante." Iss é usad para encrajar a discussã aberta. Suprte financeir Esta mesa rednda é rganizada cm financiament da Avatar Alliance Fundatin e Craig and Susan McCaw Fundatin.

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Da Declaração à Ação dos Vários Interessados Diretos Primeira reunião do fórum

Da Declaração à Ação dos Vários Interessados Diretos Primeira reunião do fórum Da Declaraçã à Açã ds Váris Interessads Direts Primeira reuniã d fórum Centr de Cnvenções Brasil 21 Brasília, DF, 8 e 9 de mai de 2012 AGENDA ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ESCRITÓRIO REGIONAL DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR

POR UMA GEOGRAFIA MELHOR LISTA CANDIDATA ÀS ELEIÇÕES PARA OS CORPOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE GEÓGRAFOS BIÉNIO 2006-2008 POR UMA GEOGRAFIA MELHOR Assembleia Geral Presidente Jsé Albert Ri Fernandes (FL, Universidade

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

MARCELLO VIEIRA LASNEAUX

MARCELLO VIEIRA LASNEAUX MARCELLO VIEIRA LASNEAUX RESUMO DAS QUALIFICAÇÕES Cnheciment de diversas áreas de bilgia, grande experiência cm prfessr de ensin básic, ratória, capacidade de trabalhs interdisciplinares, gestã, crdenaçã,

Leia mais

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa

III Seminário do Agronegócio. Financiamento e Marketing 24 e 25 de novembro de 2005 Auditório da Biblioteca Central Universidade Federal de Viçosa III Seminári d Agrnegóci Financiament e Marketing 24 e 25 de nvembr de 2005 Auditóri da Bibliteca Central Universidade Federal de Viçsa RELATÓRIO FINAL O EVENTO O III Seminári d Agrnegóci fi realizad dias

Leia mais

Gestão ambiental de zonas de amortecimento de unidades de conservação em áreas urbanas

Gestão ambiental de zonas de amortecimento de unidades de conservação em áreas urbanas Gestã ambiental de znas de amrteciment de unidades de cnservaçã em áreas urbanas Marta Feppel Ribeir Instituiçã: Universidade d Estad d Ri de Janeir IVIG/COPPE/Universidade Federal d Ri de Janeir Email:

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P

Gestor de Inovação e Empreendedorismo (m/f) GIE /15 P A Pessas e Sistemas, empresa de Cnsultria na área da Gestã e ds Recurss Humans e cm atividade nas áreas de Recrutament e Seleçã, Frmaçã e Cnsultria, prcura para a Câmara Municipal de Amarante - Agência

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

w w w. i n i c i a t i v a v e r d e. o r g. b r

w w w. i n i c i a t i v a v e r d e. o r g. b r w w w. i n i c i a t i v a v e r d e. r g. b r EFEITO ESTUFA DESMATAMENTO Históric de desmatament em Sã Paul DESMATAMENTO Cbertura atual CONSEQUECIAS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS Reduçã na bidiversidade http://www.baixaki.cm.br/imagens/wpapers/bxk22741_abelha-_-rubi-marra-1-800.jpg

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema

Plano de Desenvolvimento Econômico Regional e Local dos Municípios do Pontal do Paranapanema Plan de Desenvlviment Ecnômic Reginal e Lcal ds Municípis d Pntal d Paranapanema 1ª Etapa Diagnóstic Ecnômic e Definiçã de Cenáris Apresentaçã as municípis 20/08/2014 Cnvêni: Elabraçã: Plan de Desenvlviment

Leia mais

Seminário Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS 20 a 22 de Outubro de 2014. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Seminário Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS 20 a 22 de Outubro de 2014. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Seminári Pntificia Universidade Católica d Ri Grande d Sul PUCRS 20 a 22 de Outubr de 2014 Ministéri da Ciência, Tecnlgia e Invaçã ÍNDICE Cm funcina CNPq? Sistema de Avaliaçã Prjets e Blsas. Platafrmas

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014

FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2014 Març 2015 FUNDAÇÃO CHAMPAGNAT MORADA Estrada de Benfica, nº 372 - Lisba Tel./Fax. 217780073 Email funda_champagnat@maristascmpstela.rg Índice I. Intrduçã.1

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida

REQUISITOS PRINCIPAIS: Regulamentação final sobre controles preventivos de alimentos para consumo humano Visão rápida O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda

Pós-graduação. em Negócios e Marketing de Moda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Pós-graduaçã em Negócis e Marketing de Mda Intrduçã A Faculdade Santa Marcelina é recnhecida nacinalmente pel seu pineirism pr lançar a primeira graduaçã de mda

Leia mais

Situação Atual da EFTP no Afeganistão

Situação Atual da EFTP no Afeganistão Data: 8 de mai de 2015 Situaçã Atual da EFTP n Afeganistã Dr. Enayatullah Mayel Diretr Executiv d Prgrama Prgrama Nacinal de Desenvlviment de Cmpetências Ministéri d Trabalh, Assunts Sciais, Mártires e

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP

A Cooperação para a Saúde no Espaço da CPLP A Cperaçã para a Saúde n Espaç da CPLP Ainda antes da I Reuniã de Ministrs da Saúde da CPLP, realizada em Abril de 2008, em Cab Verde, fram adptads s seguintes instruments que, n quadr da saúde, pretenderam

Leia mais

Projecto de Dinamização dos Sistemas de Produção Pecuários nos Sectores de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (contrato DCI-NSAPVD 2010 / 257 105)

Projecto de Dinamização dos Sistemas de Produção Pecuários nos Sectores de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (contrato DCI-NSAPVD 2010 / 257 105) Prject de Dinamizaçã ds Sistemas de Prduçã Pecuáris ns Sectres de Pitche e Gabu BALAL GAINAKO (cntrat DCI-NSAPVD 2010 / 257 105) Terms de referência para a selecçã de um Perit para a realizaçã d Estud:

Leia mais

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p.

Volume I: Tecnologia Sesi cultura e as leis de incentivo à cultura. Brasília: SESI/DN, 2007, 50p. Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 SESI Serviç Scial da Indústria Dads da rganizaçã Nme: SESI Serviç Scial da Indústria Endereç: Av Paulista, 1313, Sã Paul, SP Site: www.sesi.rg.br Telefne: (11) 3146-7405

Leia mais

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi

1. Objetivo Geral. Página 1 de 5 CURSO LEADER COACH BELÉM. SESI Serviço Social da Indústria. IEL Instituto Euvaldo Lodi O país d futur parece estar chegand para muits brasileirs que investiram em qualidade e prdutividade prfissinal, empresarial e pessal ns últims ans. O gigante adrmecid parece estar despertand. Dads d Centr

Leia mais

FÓRUM ECONÓMICO PORTUGAL - CHINA

FÓRUM ECONÓMICO PORTUGAL - CHINA PORTUGAL - CHINA 一 届 中 国 葡 萄 牙 商 务 论 坛 UMA PARCERIA PARA O FUTURO 锻 造 未 来 合 作 CONFERÊNCIAS DE NEGÓCIOS FEIRA DE COMÉRCIO E INVESTIMENTO III GALA : PRÉMIOS DE MÉRITO EMPRESARIAL 商 务 会 议 投 资 与 贸 易 会 务 三

Leia mais

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem.

Os valores solicitados para transporte e seguro saúde deverão ser comprovados por um orçamento integral fornecido por uma agência de viagem. Aluns de Pós-Graduaçã de Instituições Estrangeiras Visa apiar visitas de n máxim 30 dias, de dutrands de instituições estrangeiras, qualificads, e prcedentes de Centrs de Excelência para estudarem, pesquisarem

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

CURRICULUM VITAE (sintético)

CURRICULUM VITAE (sintético) Universidade Técnica de Lisba CURRICULUM VITAE (sintétic) Abel Hermíni Lurenç Crreia acrreia@fmh.ult.pt Junh de 2013 1 1. Identificaçã e habitações Natural de Justes, Vila Real, 24 de junh de 1963. Prfessr

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de RPPNs

IV Congresso Brasileiro de RPPNs Prt Alegre - RS 26 a 29 de utubr de 2011 IV Cngress Brasileir de RPPNs A cnservaçã vluntária para um Brasil sustentável Api: Organizaçã: Realizaçã: Secretaria Estadual d Mei Ambiente d Ri Grande d Sul

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL

WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL WORKSHOPS SOBRE AS POSSIBILIDADES DE COOPERAÇÃO / CONCENTRAÇÃO NO SECTOR AUXILIAR NAVAL ÍNDICE I. Apresentaçã e bjectivs d wrkshp II. III. Resultads ds inquérits Ambiente cmpetitiv Negóci Suprte Prcesss

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Curso de Extensão: Finanças Corporativas

Curso de Extensão: Finanças Corporativas 1. Apresentaçã Curs de Extensã: Finanças Crprativas Uma crpraçã é, genericamente, caracterizada pela tmada de duas decisões fundamentais, a de financiament e a de investiment. O prcess de seleçã, análise

Leia mais

Estratégias de Conservação da Biodiversidade

Estratégias de Conservação da Biodiversidade Estratégias de Cnservaçã da Bidiversidade Estratégia Glbal De entre tds esses prcesss internacinais desenvlvids será de destacar decrrid após a Cnferência de Estclm, de 1972, que daria lugar à criaçã d

Leia mais

5 o Encontro da Escola de

5 o Encontro da Escola de 5 Encntr da Escla de SAÚDE E ALIMENTAÇÃO: UMA VISÃO INTERPROFISSIONAL PROGRAMAÇÃO 13 DE MAIO DE 2014 PALESTRAS E MESAS REDONDAS PARTICIPE E ACOMPANHE Infrmações e inscrições: www.anhembi.br 5 Encntr da

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versã 0.0 25/10/2010 Sumári 1 Objetivs... 3 2 Cnceits... 3 3 Referências... 3 4 Princípis... 3 5 Diretrizes d Prcess... 4 6 Respnsabilidades... 5 7

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Anglo American. Biodiversidade Brasil

Anglo American. Biodiversidade Brasil Angl American Bidiversidade Brasil GRUPO ANGLO AMERICAN A Angl American é um ds maires grups de mineraçã e recurss naturais d mund, cmprmetida em perar de frma sustentável e respnsável. Um ds Princípis

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 2.0) A - Intrduçã Neste an, sua nta fi inferir a 60 pnts e vcê nã assimilu s cnteúds

Leia mais

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento

Aliança Estratégica com a Delta Dezembro, 2011. Uma Consistente História de Investimento Aliança Estratégica cm a Delta Dezembr, 2011 Uma Cnsistente História de Investiment 1 Agenda Resum da Operaçã 1 Benefícis da Operaçã 2 2 Disclaimer O material a seguir é uma apresentaçã cnfidencial cntend

Leia mais

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento

Por favor, considere a proteção ao meio ambiente antes de imprimir esse documento Interbrs Tecnlgia e Sluções de Internet Ltda. Rua Dr. Guilherme Bannitz, 126 2º andar Cnj. 21 /179 Itaim Bibi - Sã Paul- SP - 04532-060 Fne: 55 11 9209-3717 / 55 11 8162-0161 Pr favr, cnsidere a prteçã

Leia mais

Mestrado em Sistemas de Informação

Mestrado em Sistemas de Informação U n i v e r s i d a d e d M i n h Departament de Sistemas de Infrmaçã Mestrad em Sistemas de Infrmaçã 2003/2005 Tecnlgias de Streaming em Cntexts de Aprendizagem Sb a rientaçã d Prfessr Dutr Henrique Sants

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Turismo Sénior. Outono / Inverno 2011-12. Benalmadena Benidorm Maiorca

Turismo Sénior. Outono / Inverno 2011-12. Benalmadena Benidorm Maiorca Turism Sénir Outn / Invern 2011-12 Benalmadena Benidrm Mairca Entidades envlvidas Oriznia é descbrir e desfrutar. É fazer cm a cnfiança que smente uma rganizaçã líder n sectr turístic ibéric pde ferecer.

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS

SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS PROJETO DE REFORÇO DAS CAPACIDADES E COMPETÊNCIAS RELATIVAS A GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS ILHAS Crdenadr: Parceirs: SEMINÁRIO PARTICIPATIVO DE REUTILIZAÇÃO DAS ÁGUAS RESIDUAIS TRATADAS Intercâmbi

Leia mais

MODALIDADE DE FORMAÇÃO

MODALIDADE DE FORMAÇÃO CURSO 7855 PLANO DE NEGÓCIO - CRIAÇÃO DE PEQUENOS E MÉDIOS NEGÓCIOS Iníci ------ Duraçã 50h Hrári(s) ------ OBJECTIVOS GERAIS - Identificar s principais métds e técnicas de gestã d temp e d trabalh. -

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade

MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmio Braztoa de Sustentabilidade MANUAL DE APRESENTAÇÃO DA INICIATIVA 3º Prêmi Brazta de Sustentabilidade Sã Paul - 2014 Seja bem vind a 3 Prêmi Brazta de Sustentabilidade É ntória as crescentes demandas que setr de turism tem cm tema

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l

Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i o R e g i o n a l p a r a o B r a s i l e o C o n e S u l Fund de Desenvlviment das Nações Unidas para a Mulher E s c r i t ó r i R e g i n a l p a r a B r a s i l e C n e S u l Fnd de Desarrll de las Nacines Unidas para la Mujer O f i c i n a R e g i n a l p

Leia mais

Prezado Senhor Diretor Presidente CASUL- COOPERATIVA DE AGRÁRIA CAFEICULTORES DO SUL DE SÃO PAULO Olavo Morales Garcia

Prezado Senhor Diretor Presidente CASUL- COOPERATIVA DE AGRÁRIA CAFEICULTORES DO SUL DE SÃO PAULO Olavo Morales Garcia Prezad Senhr Diretr Presidente CASUL- COOPERATIVA DE AGRÁRIA CAFEICULTORES DO SUL DE SÃO PAULO Olav Mrales Garcia O IBRASS INSTITUTO BRASILEIRO DO ASSOCIATIVISMO, entidade sem fins ecnômics, frmada pr

Leia mais

VISÃO GERAL E RESULTADOS. Inovação & Colaboração Recomendações de Políticas Públicas Compromissos de Ação

VISÃO GERAL E RESULTADOS. Inovação & Colaboração Recomendações de Políticas Públicas Compromissos de Ação VISÃO GERAL E RESULTADOS Invaçã & Clabraçã Recmendações de Plíticas Públicas Cmprmisss de Açã Ri de Janeir, 21 de junh de 2012 1 Cnteúd I. Sumári Executiv... 3 II. Energia & Clima...... 8 III. Água & Ecssistemas...

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CICLO DE ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk A partir d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American de Adaptaçã

Leia mais

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização

Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Vox Mercado Pesquisa e Projetos Ltda. Dados da organização Data de elabraçã da ficha: Jun 2007 Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Vx Mercad Pesquisa e Prjets Ltda. Dads da rganizaçã Nme: Prefeitura Municipal de Bel Hriznte Endereç: Av. Afns Pena, 1212 - Cep.

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

Antropologia do Consumo no Marketing

Antropologia do Consumo no Marketing Antrplgia d Cnsum n Marketing Objetivs Demnstrar cm as influências culturais estã relacinadas cm s hábits de cnsum, a relaçã cm as Marcas e cmprtament de cmpra, evidenciand assim, prcess fundamental para

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Inventári de Emissões de Gases de Efeit Estufa CEDS BRAVO 2011 Objetivs d inventári Cumprir exigências externas/internas Identificar, quantificar e relatar as principais emissões de GEE Implementar ações

Leia mais

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 Este frmulári deve ser preenchid pr tds s aluns matriculads n Mestrad em Atençã à Saúde n an de 2013. Os dads servirã para atualizar, n Cleta Capes, as atividades

Leia mais

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida

é a introdução de algo novo, que atua como um vetor para o desenvolvimento humano e melhoria da qualidade de vida O que é invaçã? Para a atividade humana: é a intrduçã de alg nv, que atua cm um vetr para desenvlviment human e melhria da qualidade de vida Para as empresas: invar significa intrduzir alg nv u mdificar

Leia mais

Prefeitura Municipal

Prefeitura Municipal Prefeitura Municipal Publicad autmaticamente n Diári de / / Divisã de Prtcl Legislativ Dê-se encaminhament regimental. Sala das Sessões, / / Presidente Curitiba, 22 de julh de 2015. MENSAGEM Nº 049 Excelentíssim

Leia mais

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO

ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), - 2/3 2013 2-3 DEZEMBRO Encntr de Alt Dirigentes - Viseu 2/3 Dez 2013 Cm Invar para Ser Mais Cmpetitiv ENCONTRO de ALTOS DIRIGENTES VISEU (PORTUGAL), 2-3 DEZEMBRO 2013 Apresentaçã Crprativa Cnfidencial Cnclusões finais Página

Leia mais

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique

III Jornadas de Cooperação no Sector de Saúde em Moçambique. Planificação no Sector da Saude em Moçambique III Jrnadas de Cperaçã n Sectr de Saúde em Mçambique Planificaçã n Sectr da Saude em Mçambique Maput, Març de 2013 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO # Jrnadas de Cperaçã d Sectr da Saúde cnstituem um event anual:

Leia mais

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi

táxis compartilhados Shared-transport / Shared-taxi Benefícis ds serviçs de transprte de táxis cmpartilhads Shared-transprt / Shared-taxi Reuniã de Especialistas sbre Transprte Urban Sustentável: Mdernizand e Trnand Eclógicas as Frtas de Táxis nas Cidades

Leia mais

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º).

VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteração no cronograma (Art. 6º e Art. 12º). VERSÃO ATUALIZADA EM 07/08/2015 > Alteraçã n crngrama (Art. 6º e Art. 12º). APRESENTAÇÃO Idealizad e instituíd pela Assciaçã Nacinal de Entidades Prmtras de Empreendiments Invadres (Anprtec), em parceria

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

2 o Seminário. 2 o Curso. 29 e 30. 02 a 20. Internacional de Convivência com o Semiárido. Internacional. outubro de 2015.

2 o Seminário. 2 o Curso. 29 e 30. 02 a 20. Internacional de Convivência com o Semiárido. Internacional. outubro de 2015. 2 Seminári Internacinal de Cnvivência cm Semiárid 29 e 30 utubr de 2015 2 Curs Internacinal de Cnvivência cm Semiárid 02 a 20 nvembr de 2015 P R O G R A M A Ç Ã O C O M P L E T A Intrduçã O semiárid brasileir

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SAE / Secretaria de Assuntos Estratégicos

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SAE / Secretaria de Assuntos Estratégicos IPEA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SAE / Secretaria de Assunts Estratégics Gabinete Chefia Executiva Órgãs Específics e Singulares Entidade Vinculada Departament de Articulaçã cm a Sciedade Departament de Planejament

Leia mais

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS

INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS INSTITUTO PROFESSOR KALAZANS CURSO DE PERITO JUDICIAL AERONÁUTICO - EMENTA EDITORA BIANCH COORDENADOR MENTOR PROFESSOR PROFESSOR KALAZANS 1 1 Bacharel em Direit; Pós-graduad em nível de Especializaçã em

Leia mais

WORKSHOP 1 Critérios ambientais e sociais na contratação: Como fazer?

WORKSHOP 1 Critérios ambientais e sociais na contratação: Como fazer? WORKSHOP 1 Critéris ambientais e sciais na cntrataçã: Cm fazer? Paula Trindade Investigadra LNEG Crdenadra Building SPP Helena Esteván EcInstitut Tratad da Uniã Eurpeia Princípis: Livre mviment de bens

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA

PROJETO CADASTRO DE FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUA SUBTERRÂNEA IINNTTRRODDUUÇÇÃÃO I As decisões sbre a implementaçã de ações de cnvivência cm a seca exigem cnheciment básic sbre a lcalizaçã, caracterizaçã e dispnibilidade das fntes de água superficiais e subterrâneas.

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março)

Cursos Profissionais de Nível Secundário (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Curss Prfissinais de Nível Secundári (Decret-Lei n.º 74/2004, de 26 de Març) Família Prfissinal: 07 - Infrmática 1. QUALIFICAÇÕES / SAÍDAS PROFISSIONAIS As qualificações de nível

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

Master in Business Administration - Gestão Social II Turma

Master in Business Administration - Gestão Social II Turma Prgrama de Estuds Culturais e Sciais A pós-graduaçã lat sensu MBA em Gestã Sciambiental, na área de administraçã d Terceir Setr e gestã de prgramas/prjets sciais está centrada na criaçã de plíticas e prgramas

Leia mais

PORTARIA CONJUNTA SE/STN Nº 321, DE 20 DE AGOSTO DE 2009.

PORTARIA CONJUNTA SE/STN Nº 321, DE 20 DE AGOSTO DE 2009. PORTARIA CONJUNTA SE/STN Nº 321, DE 20 DE AGOSTO DE 2009. O SECRETÁRIO-EXECUTIVO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA E O SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL n us de suas atribuições e bservad dispst na Prtaria MF nº 424,

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES

WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES WORKSHOP SOBRE PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS E CONCESSÕES Tribunal de Cntas da Uniã Marcel Pachec ds Guaranys Brasília, 22.11.2011 ROTEIRO Dads d setr Infraestrutura aeprtuária: desafis Definiçã da mdalidade

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

MUSEU VIRTUAL DE CIÊNCIAS E SALA VIRTUAL DE LEITURA: Entendimento e Informações Técnicas

MUSEU VIRTUAL DE CIÊNCIAS E SALA VIRTUAL DE LEITURA: Entendimento e Informações Técnicas MUSEU VIRTUAL DE CIÊNCIAS E SALA VIRTUAL DE LEITURA: Entendiment e Infrmações Técnicas A elabraçã da prpsta baseu se em alguns pressupsts que fcam nã só us presente d Museu e da Sala de Leitura, cm suas

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA EAD

GUIA RÁPIDO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO FINANCEIRA EAD UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI Fundada em 1970 cm intuit de ferecer primeir curs superir de Turism d Brasil, a Universidade Anhembi Mrumbi ampliu sua ferta de curss em diferentes áreas durante a década de.

Leia mais

Carbon Disclosure Project 2010 - Pedido de Informações ao Fornecedor

Carbon Disclosure Project 2010 - Pedido de Informações ao Fornecedor Carbn Disclsure Prject 2010 - Pedid de Infrmações a Frnecedr Slicitams uma respsta às questões que se seguem até 31 de Julh de 2010. Respnda a pedid de infrmações através d nss Sistema de Respstas Online

Leia mais