NETJETS BALANÇO AMBIENTAL NetJets Europe Iniciativa Climática Uma Verdadeira Diferença

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NETJETS BALANÇO AMBIENTAL NetJets Europe Iniciativa Climática Uma Verdadeira Diferença"

Transcrição

1 2010 NETJETS BALANÇO AMBIENTAL NetJets Europe Iniciativa Climática Uma Verdadeira Diferença Um breve sumário do nosso progresso deste ano, desde que divulgámos o nosso Environmental Progress Report, em 2009.

2 2010 BALANÇO AMBIENTAL Iniciativa Climática NetJets Eur 02

3 CONTENTS Carta do Presidente e Chief Executive Alterações Climáticas e Gestão de Carbono Para Além do Carbono: Outras Iniciativas e Impactos Ambientais Gestão NetJets Letter from theambiental Chairmanda and Chief Europe Executive Para Mais Informação rope - Uma Verdadeira Diferença 03

4 2010 BALANÇO AMBIENTAL Carta do Presidente e Chief Executive A NetJets Europe, enquanto líder da aviação executiva, sente uma profunda responsabilidade em minimizar o impacto ambiental das viagens aéreas. Conscientes de que a nossa indústria tem o seu peso em termos de poluição, resolvemos encarar o problema e, há três anos, atrás propusemo-nos a tornar a empresa de aviação executiva mais responsável do mundo sob o ponto de vista ambiental, ao lançar a Iniciativa Climática Real Difference. Já estamos adiantados em relação às nossas previsões, no que diz respeito a cumprir o nosso primeiro objectivo ambiental: tornarmo-nos 100% carbono zero até Outubro de À data de Outubro de 2010, já compensávamos as emissões de 73% das nossas horas de voo e de 100% de todas as operações internas. Também superámos o nosso segundo compromisso reduzir as emissões das operações na sede em 10% em dois anos com uma redução efectiva de 25,9% nos colaboradores de terra. Os resultados não poderiam ser atingidos sem o entusiástico apoio dos nossos proprietários, colaboradores e parceiros. 1 Tal como muitas empresas, a NetJets sentiu, a nível global, alguma volatilidade nos últimos dois anos. Tendo em conta que a eficiência depende, em parte, das economias de escala, algumas áreas do nosso negócio não foram tão eco-eficientes (numa base por voo ou por colaborador). Estas flutuações eram já esperadas, mas mesmo com estes desafios, a Real Difference continuou a progredir ao longo do ano que passou. Este balanço oferece um breve sumário dos nossos esforços ambientais e resultados desde que lançámos a nossa primeira Environmental Progress Report em Os leitores interessados poderão ler este relatório para mais informações. Esperamos lançar outro relatório extensivo em Será importante salientar alguns pontos: Através do nosso programa de redução de carbono, a NetJets Europe e os seus proprietários alocaram 4.8 milhões para a compra de créditos de carbono e apoiaram alguns melhores projectos de energia alternativa em todo o mundo. Mais de 80% dos nossos proprietários participam actualmente no programa. O nosso grupo de trabalho de combustível continua a identificar e implementar uma vasta gama de práticas que estão a resultar numa maior eficiência do combustível nos nossos voos. Durante os doze meses que terminaram em Outubro, conseguimos uma redução de 4,1% no uso de combustível por hora de voo, em grande parte graças a velocidades menores durante voos gratuitos e procedimentos operacionais e técnicos. Nós cumprimos e continuamos a cumprir as obrigações de monitorização e reporte enquanto nos preparamos para a inclusão da nossa empresa no Esquema de Comércio de Emissões (ETS) da União Europeia. No final de 2009, a NetJets Europe comprou a maioria no Aeroporto de Frankfurt-Egelsbach, o que nos trouxe novos desafios e oportunidades ambientais. Embora o nosso apoio à fase inicial do Projecto Princeton Next Generation Fuel tenha terminado, continuamos empenhados em encontrar formas de apoiar o desenvolvimento e uso de combustíveis alternativos. A NetJets Europe orgulha-se dos seus registos ambientais globais e assume o compromisso de os melhorar continuamente. Orgulhámo-nos dos nossos objectivos ambientais, que se desenrolam por toda a nossa organização. Pretendemos reduzir em 2% as nossas emissões de carbono por hora de voo, em 2011, através de melhorias operacionais. Também nos comprometemos a anunciar um conjunto de objectivos anuais no próximo ano para as reduções de emissões, até Cada colaborador tem a missão de atingir os seus próprios objectivos e, juntos, acreditamos que podemos fazer pequenas alterações que façam realmente a diferença. Com o forte apoio dos nossos proprietários e todos na nossa empresa, continuaremos a subir o nível para voos responsáveis sob o ponto de vista ambiental. Atenciosamente, Eric Connor Presidente e Chief Executive, NetJets Europe Dezembro, Em todo este relatório, a palavra proprietários refere-se a todos os clientes da NetJets Europe, incluindo os proprietários de aviões fraccionados e os portadores do Cartão Private Jet. 04

5 05 Eric Connor Presidente e Chief Executive, NetJets Europe

6 2010 BALANÇO AMBIENTAL Alterações climáticas e Gestão de Carbono A Iniciativa Climática da NetJets Europe tem-se centrado sobretudo nas nossas emissões de gás de efeito de estufa. Com base no Greenhouse Gas Protocol, a NetJets Europe criou um perfil extensivo das suas emissões de gás de efeito de estufa em cada ano, desde Isto inclui emissões causadas por: Voos. Todas as emissões de voos da frota de aviões da NetJets Europe, que representa o grosso da nossa pegada de carbono Operações internas. Todas as emissões em terra, incluindo as operações do nosso centro de operações, as viagens dos pilotos e outro pessoal de e para os voos, outras viagens de trabalho, transporte de casa para o trabalho e outras fontes. A figura e tabela em baixo mostram em detalhe as emissões de gás de efeito de estufa de 2009 por fonte. 3 2 Para mais informações sobre o inventário da NetJets Europe em GHG, por favor contacte-nos através do contacto da NJE no final deste relatório. 3 Este relatório refere-se sempre a dados do ano de 2009 segundo o calendário, a não ser que referido o contrário. NetJets Europe 2009 Perfil do Gás de Efeito de Estufa (Total de Emissões: 234,327 Tonelados CO 2 ) Emissões de Voos NJE (95%) Operações Internas (5%) Imobiliário (0.6%) Viagens de Trabalho (3.2%) Veículos próprios ou de leasing (0.2%) Entregas e Desperdícios (0.3%) Deslocações casa trabalho (0.6%) 06

7 NetJets Europe 2009 Emissões de gás de efeito de estufa por fonte (Unidades métricas CO 2 ) FONTE DE EMISSÃO DESCRIÇÃO EXCLUINDO AEROPORTO DE EGELSBACH Operações de Aviões Viagens de trabalho Imobiliário Entregas e desperdício Veículos próprios ou de leasing Deslocações para o trabalho Total de Emissões Consumo de combustível em voos de curta ou longa distância usando aeronaves da NJE ou subcontratadas. Viagens de trabalho dos colaboradores da NetJets viagens da tripulação entre voos e outras viagens de negócios. Inclui sistema de aquecimento e refrigeração, e consumo de electricidade para um total de 21 escritórios por toda a Europa, incluindo o Aeroporto de Egelsbach. Entregas de aviões ou peças, entregas em escritórios e transporte e descargas de desperdícios; transporte de passageiros para e do aeroporto; transportes dentro do aeroporto. Consumo de combustível de carros e outros veículos próprios da NetJets ou em regime de leasing. Estes podem variar de carros da empresa até rebocadores de aviões, incluindo veículos do Aeroporto de Egelsbach. Deslocações de e para o trabalho feitas pelos trabalhadores da NetJets, excluindo viagens da tripulação para o local dos voos ou viagens de trabalho. Todas as fontes de emissão de Gases de Efeito de Estufa (GHG) 265, ,718 10,417 7,596 1,267 1, ,837 1, , , ,718 7,596 1, , ,372 4 Emissões de operações de aviões e viagens de trabalho para o Aeroporto de Frankfurt-Egelsbach estão incluídas no inventário de 2009, mas não são calculadas separadamente. Os dados para calcular as entregas e desperdícios para o Aeroporto de Frankfurt-Egelsbach para 2009 não estavam disponíveis. 07

8 2010 BALANÇO AMBIENTAL NetJets Europe e o Esquema de Comércio de Emissões da União Europeia Uma das obrigações ambientais mais importante da NetJets Europe é cumprir integralmente com o Esquema de Comércio de Emissões (ETS) da União Europeia, uma iniciativa que pretende atingir os objectivos do Protocolo de Quioto. A aviação será incluída no ETS a partir de Os operadores de voos de passageiros e de carga que partam ou aterrem em aeroportos da EU terão que pagar pelas suas emissões. Enquanto a Europa se prepara para 2012, todos os operadores estão a fornecer informação às autoridades. Ao longo do ano passado, a NetJets tem cumprido as suas obrigações de monitorização e relatórios e está actualmente emprenhada em implementar um processo de verificação independente, tal como requerido pela legislação. Alguns dos membros da equipa inter-departamental da NetJets Europe (a 'Fuel Team ), que trabalha para diminuir as emissões de combustível. 08

9 Reduções nas Emissões de Voo As emissões de gases de efeito de estufa dos voos da NetJets Europe declinaram de forma absoluta de 2008 a 2009, mas, tal como aconteceu no ano passado, muito deste declínio deveu-se a uma redução do número de voos resultado da recessão económica global. Se compararmos por hora de voo, as emissões aumentaram ligeiramente (cerca de 2%) de 2008 para 2009, mas isto representa de qualquer forma um decréscimo global de quase 4% de 2007 para Muitos programas de eficiência novos foram implementados no decurso de 2009, resultando em alguns números bastante promissores. De Novembro de 2009 a Outubro de 2010, conseguimos uma redução de 4,1% no consumo de combustível por hora de voo, que se deve sobretudo às velocidades menores nos voos não pagos ou procedimentos operacionais e técnicos. 5 Um voo pagos é definido como 1) um voo de um Proprietário ou 2) outro voo da NetJets Europe que, embora não seja directamente feito em nome de um Proprietário, tem ligação à geração de lucro, como seja um voo de demonstração para um potencial cliente. As emissões dos voos de todos os tipos de retorno são compensadas através do nosso programa de créditos de carbono. As emissões de voos não pagos (como os voos ferry) são tratados como um extra agregado que se aplica aos voos pagos. Iniciativas para Reduzir as Emissões dos Voos Ao longo do ano passado, a empresa tem-se empenhado em reduzir o consumo global de combustível e emissões. A NetJets Europe consegue uma utilização optimizada das aeronaves ao 1) promover a partilha dos aviões através do nosso modelo de propriedade fraccionada e de cartão de cliente, 2) permitir que os proprietários variem de aeronave de acordo com as necessidades das diferentes viagens e 3) operar uma grande frota que promove viagens eficientes. 09

10 2010 BALANÇO AMBIENTAL Pilotar a Aeronave de Forma a Reduzir o Consumo de Combustível Desde finais de 2008, um grupo de trabalho interno procurou investigar formas de pilotar uma aeronave reduzindo o consumo do combustível. Muitas das suas recomendações específicas estão detalhadas no nosso relatório de Durante os últimos dois anos, transformámos cada uma destas recomendações numa sólida política da empresa e incorporámo-las na formação dos nossos pilotos. Desde Março de 2010, para além da formação intensiva que os nossos pilotos recebem por motivos de trabalho, todos os pilotos recebem formação sobre consumo de combustível, que é uma combinação de instrução numa sala de aulas e treinos no simulador no Centro de Treinos da NetJets Europe em Cascais, Portugal. Esta formação promove técnicas que melhoram a eficiência do voo, por exemplo, voar a altitudes maiores ou com diferentes velocidades de ventos. Até à altura, 30% de todos os pilotos receberam formação num simulador e estão a registar uma redução no consumo de combustível por hora de voo. À medida que se descobrem mais técnicas inovadoras, estas são incorporadas na formação. A NetJets Europe procurou e recentemente recebeu aprovação para realizar Extended Range Operations (EROPS) com regras comerciais, o que significa que a empresa pode agora realizar com o seu jacto Gulfstream G550 de motores gémeos voos com duração até 180 minutos (anteriormente o máximo eram 120 minutos). Este novo limite irá resultar em mais voos directos, menos paragens para reabastecer e uma redução global de consumo de combustível, bem como poupança de tempo e maior conveniência para os proprietários. Num voo do Rio Janeiro para Cidade do Cabo, por exemplo, o tempo é reduzido de 2,8 horas e há uma poupança de 5,49 kg. Melhorar a Eficiência da Aeronave O design da aeronave é determinante para a eficiência do combustível. Esforçamo-nos por melhorar esta eficiência ao comprar e usar aeronaves mais ecológicas. Recentemente, escolhemos como novo jacto leve o Embraer Phenom 300, depois de uma avaliação cuidadosa das suas características ambientais. Esta aeronave silenciosa e aerodinâmica, equipada com winglets, consome menos 14% de combustível que a concorrência mais próxima, e irá ajudar-nos a reduzir ainda mais a pegada ecológica dos nossos voos. A idade média da nossa frota, relativamente jovem, (metade da média da indústria) também contribui para a eficiência de combustível da nossa frota. 10

11 Programa de Créditos de Carbono Uma componente chave para o Real Difference é o Programa Créditos de Carbono para os voos, através do qual temos parcerias com os nossos proprietários de forma a conseguirmos voos carbono zero. Os contratos entre a NetJets Europe e os seus proprietários têm a duração padrão de cinco anos e, desde Outubro de 2007, todos os novos contratos e renovações incluem a compensação obrigatória de carbono em 100% enquanto política interna da empresa. Os proprietários de meio contrato também podem participar neste programa voluntariamente. À data de 1 de Outubro de 2010, 84% dos nossos proprietários participavam neste programa e as emissões de 73% das nossas horas de voo eram compensadas. A continuar esta política, a ideia é que todas as renovações de contrato incluam a compensação do carbono em 100% para os voos, até 1 de Outubro de Desde o início do programa até 31 de Outubro de 2010, conseguimos juntar mais de 4.8 milhões para a compra de créditos de carbono qualificados. Iniciativas para Reduzir e Compensar a Pegada de Carbono das Operações Internas Quando lançámos a Real Difference em Outubro de 2007, assumimos dois importantes compromissos quanto às operações de terra ou internas da NetJets Europe: Todas as operações internas teriam de ser 100% carbono zero Uma redução de 10% nas emissões de gás de efeito de estufa em todos os nossos escritórios ao longo de dois anos Cumprimos a primeira meta a que nos propusemos ao compensar em 100% as emissões das nossas operações internas. Para além disso, excedemos o objectivo de redução de 10% das operações do nosso escritório durante o primeiro ano da Real Difference. Apesar das emissões de operações internas por colaborador de terra terem aumentado no ano passado, excedemos de forma significativa o nosso compromisso de redução de 10% ao longo dos dois anos, atingindo uma descida de 25,9% de emissões por colaborador de terra das operações dos escritórios, de 2007 a Reconhecemos que as viagens de trabalho são responsáveis por grande parte das nossas emissões de operações internas. Nesse sentido, continuamos a divulgar o seu impacto ambiental, usar videoconferências sempre que possível e implementar controlo de gestão que assegure que cada viagem é realmente necessária. Como resultado disso, as emissões de viagens de negócios continuam a descer, com uma descida de 8,6% durante o ano passado e uma descida global de 18,3% desde 2007 para pessoal de terra. 11

12 2010 BALANÇO AMBIENTAL O Portfolio de Créditos de Carbono da NetJets Europe Para definir e localizar o portfolio de créditos de carbono, a NetJets contou com o apoio da EcoSecurities, líder na localização, desenvolvimento e comércio de créditos de redução de emissões. Os projectos incluídos no nosso portfolio são cuidadosamente seleccionados e são vetados, monitorizados e verificados segundo os níveis de Quioto. 6 Fizemos o máximo para assegurar que estes créditos trazem benefícios sólidos para o ambiente, são realmente autênticos, e têm um preço justo. A composição do portfolio muda de ano para ano, à medida que as actividades dos projectos são finalizadas. O portfolio actual inclui os projectos em baixo. Mongólia Interna Chiefeng Dongshan Fase II Projecto de Energia Eólica (China). Este projecto localiza-se na aldeia de Danianzi, no distrito de Songshan, cidade de Chiefeng, na Região Autónoma da Mongólia Interior. Envolve a instalação de 58 turbinas, cada uma produzindo 850Kw, numa capacidade total de 49.3 MW. Estima-se que a produção anual deste projecto seja de 124,073MWh. A electricidade gerada será vendida à Rede de Energia do Noroeste da China através de um acordo de compra de energia. O projecto irá ajudar a reduzir as emissões de GHG geradas a partir do carvão. Cogeração de Bagaço Lucélia (Brasil). Este projecto vem melhorar a eficiência da fábrica de cogeração da Central de Álcool Lucélia Ltda, uma refinaria de açúcar brasileira. O bagaço, um resíduo que resulta do processo do processamento da cana-de-açúcar, é uma fonte de combustível renovável. Este projecto vai permitir a esta refinaria vender electricidade gerada a partir do bagaço à rede nacional, poupando a mesma quantidade de energia fóssil. Como resultado, este projecto reduz as emissões de CO2 e contribui para o desenvolvimento sustentável regional e nacional. Cogeração de Bagaço Monte Rosa (Nicarágua). Ao estender as actividades de cogeração e aumentar a eficiência energética e capacidade de cogeração na refinaria de açúcar de Monte Rosa, este projecto gera electricidade para vender à rede, assim permitindo poupar energia fóssil. Este projecto cria ainda uma vantagem competitiva sustentável para a produção agrícola da indústria da cana-de-açúcar no Nicarágua ao tornando o bagaço uma mais-valia. A venda dos créditos gerados pelo projecto incrementa o poder de atracção dos projectos de cogeração a partir de bagaço, ajudando a promover esta fonte de energia e diminuendo a dependência das energias fósseis. Este projecto também cria directamente 35 novos postos de trabalho no local. 12

13 13 Fase II Projecto de Energia Eólica em Chiefeng Dongshan (China).

14 2010 BALANÇO AMBIENTAL Projecto de Energia Hídrica Shanmugou (China). Este projecto de pequena escala de energia hídrica na província de Sichuan na China tem uma capacidade total instalada de 10 MW, com uma previsão de geração de energia de 52,048 MWh por ano. O objectivo do projecto é utilizar os recursos hídricos do Rio Guanliao num esquema de fio de água (sem a criação de uma barragem ou reservatório) para gerar energia com emissões zero para a rede de energia de Huazhong, disponibilizando energia que de outra forma seria gerada em centrais de energia fóssil. Fase II Projecto de Energia Eólica em Chiefeng Dongshan (China). Projecto Hidroeléctrico de Wahei, na Província de Sichuan (China). Esta central hidroeléctrica na vila de Wahouku na margem do Rio Wahei consiste em dois geradores de 22 MW que usam a água do rio num esquema de fio de água. O projecto irá contribuir com mais de 180,000 MWh de electricidade com zero emissões para a rede de energia da China Central. Uma vez que a China está actualmente a comissionar uma nova central de energia a carvão, projectos como este ajudam a criar uma maior diversidade de fontes de energia, indo ao encontro do crescimento da procura e promovendo o desenvolvimento sustentável. 6 As Reduções de Emissões Certificadas (VERs) usadas pela NetJets Europe para compensar as emissões de GHG vêm de projectos em desenvolvimento sob o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo do Protocolo de Quioto, aprovado pela União Europeia. As VERs são criadas à medida que a actividade do projecto se inicia e as reduções de emissões são verificadas por um auditor independente acreditado. As reduções de emissões dos projectos certificados pelo CDM também devem responder a testes adicionais, o que significa que não teriam ocorrido em qualquer cenário de business-as-usual. Por outras palavras, são reduções adicionais. 14

15 Para além do Carbono: Outros Impactos e Iniciativas Ambientais Apesar de a atenção ambiental da NetJets Europe se tem centrado sobretudo em gerir e reduzir a emissão de gases de efeito de estufa, também temos estado a executar uma vasta gama de outros programas ambientais detalhados no nosso relatório de Alguns exemplos incluem reciclagem nos nossos escritórios, um sistema de limpeza de carro sem água, e utilização de tintas de avião amigas do ambiente. Durante o ano passado, também implementamos muitas novas iniciativas, algumas das quais estão descritas em baixo. Materiais Reutilizáveis para as Refeições em Voo Por reconhecer que as refeições a voo podem resultar em desperdício significativo, estamos gradualmente a implementar materiais de catering reutilizáveis conseguimos uma redução de 25% até agora. As nossas novas caixas de catering são fabricadas a partir de bambo sustentável e contêm talheres em Madeira e pratos de porcelana todos recicláveis. Mesmo as tampas são biodegradáveis e os pratos de porcelana serão reutilizados. À medida que vamos expandindo este programa, esperamos atingir níveis mais altos de reutilização. Redução do Ruído no Aeroporto Frankfurt-Egelsbach Enquanto sócios maioritários do Aeroporto de Frankfurt-Egelsbach, temo-nos concentrado em assegurar que o aeroporto segue todas as regulamentações, é ambientalmente responsável e responde às necessidades da comunidade local. O aeroporto tem funcionado com duas unidades estáticas de monitorização de ruído desde No seguimento desta compra, implementámos o Programa Aeroporto Silencioso (QAP). Como parte integral deste programa, o aeroporto está neste momento a adquirir mais duas unidades de monitorização de ruídos, uma delas móvel. Uma vez que este equipamento está mais apto para filtrar os ruídos circundantes (como ruído do trânsito da estrada, comboios, actividades agrícolas e aeronaves em passagem), teremos relatórios mais precisos que nos ajudarão a atingir os nossos objectivos. Também fizemos um novo caminho de aproximação que melhora a segurança e reduz o ruído; este é o único caminho de aproximação que a NetJets usa quando voa para Egelsbach. 15

16 2010 BALANÇO AMBIENTAL Frankfurt-Egelsbach Aspectos Naturais, Espaço Verde e Paisagismo Há cerca de seis anos atrás, a pista do Aeroporto de Frankfurt-Egelsbach foi aumentada. Durante esse processo, o riacho Hegbach teve que ser parcialmente desviado. Uma vez que o riacho foi desviado há alguns anos atrás, a expansão da pista permitiu-nos devolver o riacho ao seu curso habitual. Para além disso, ao comprar o terreno e plantar arbustos e árvores escolhidos a pensar no equilíbrio natural, a NetJets Europe pode melhorar tanto o ambiente como a beleza natural dos 25 hectares da paisagem do aeroporto. A NetJets Europe está neste momento a avaliar as opções para expandir as suas iniciativas ambientais no aeroporto através de diferentes pontos. Também nomeámos um oficial de ligação com a comunidade e iniciámos diversas formas de ligação e apoio às comunidades locais. Chegar aos Colaboradores, Proprietários, Parceiros e ao Público A NetJets Europe reconhece que a consciência ambiental deve estar presente em todas as áreas do nosso negócio e que a comunicação desempenha aqui um papel muito importante. Temos trabalhado no sentido de assegurar que os nossos Proprietários, colaboradores e parceiros estão perfeitamente a par da Real Difference e das nossas iniciativas ambientais específicas, juntamente com as acções que podem tomar para apoiar estes esforços. Comunicação para os nossos Proprietários. As nossas facturas mensais agradecem aos nossos Proprietários por participarem no nosso programa de Compensação e mostram quanto estão a pagar por estas compensações ambientais. Formação da Tripulação. Não só formamos a nossa tripulação com informação periódica sobre os objectivos globais do programa, mas também incorporámos módulos específicos de formação de pilotos que ajudam a nossa tripulação a contribuir para reduzir as emissões durante o trabalho. Participação na Single European Sky Air Traffic Management (ATM) Research (SESAR). objectivo da Iniciativa Single European Sky da Comissão Europeia é organizar o espaço e a navegação aéreos a um nível pan-europeu e não nacional, de forma a encurtar voos, reduzir o consume de combustível e melhorar a eficiência permitindo à Europa responder a questões futuras. A NetJets Europa é parceira da European Business Aviation Association (EBAA) e Dassault Aviation, contribuindo com a sua experiência em aviação executiva, segurança e operações em aeroportos pequenos, no sentido de desenvolver tecnologia, normas e regulamentos. Programas para Parceiros. De forma a assegurarmos a responsabilidade ambiental ao longo de toda a cadeia de trabalho, avaliamos as credenciais ambientais dos fornecedores e trabalhamos com parceiros chave no sentido de encontrar oportunidades para reduzirmos os impactos ambientais. 16

17 Programas para Colaboradores. Desde o nascimento da Real Difference, procuramos obter a cooperação e envolvimento dos nossos colaboradores por toda a empresa e pedimos as suas opiniões para melhorarmos os nossos programas. O nosso primeiro evento interno Day of Difference, lançado no final de 2010, destina-se a fomentar um envolvimento ainda maior por parte dos colaboradores no programa e nas questões ambientais em geral. Em termos globais, o programa interno permite aos colaboradores conhecerem o trabalho que está a ser realizado em toda a organização e partilhar ideias e boas práticas através de eventos internos, intranet, newsletters, e formações específicas. Relatórios Públicos. Comprometemo-nos a tornar públicos os nossos relatórios sobre a pegada de carbono e programas ambientais, e esperamos que esta transparência possa encorajar outras empresas a fazer o mesmo. 17

18 2010 BALANÇO AMBIENTAL Gestão Ambiental da NetJets Europe Os esforços ambientais da NetJets Europe são conduzidos por uma equipa transversal, de forma a assegurar uma estratégia ambiental sólida e pragmática e para fomentar a execução efectiva dessa estratégia ao longo de todas as áreas de negócio. A direcção estratégica global é definida pela nossa equipa de gestores seniores, conduzida pelo nosso CEO e pelo COO da nossa empresa, que se certifica que a NetJets Europe está a cumprir e a superar os seus compromissos ambientais. A equipa ambiental é gerida numa base diária por Joe Bauer, Director da Gestão de Recursos, e Adam Barriball, Vice-Presidente de Comunicação, e incorpora membros de várias áreas de operações, bem como representantes de regulatory affairs, finanças, comunicação e marketing. O Advisory Board Ambiental da NetJets Europe é um grupo de peritos em gestão ambiental que se certificam de que a empresa tem acesso à informação mais recente sobre questões climáticas e gestão ambiental. Esta Comissão reúne-se regularmente com os directores da Gestão Ambiental da NetJets Europe, para aconselhá-los, rever planos e identificar oportunidades para melhorar ou acelerar as iniciativas ambientais. Entre outros estes membros são, por ordem alfabética: DAN ESTY é professor na Universidade de Yale, Director do Yale Center for Business and the Environment e do Yale Center for Environmental Law and Policy. Já foi oficial sénior da US Environmental Protection Agency e ajudou muitas empresas internacionais como a Unilever, IKEA, Shell e Nokia, a conceber sólidos programas de sustentabilidade ou ambientais a longo prazo. JAN-OLAF WILLUMS é Presidente do Inspire, um grupo que investe em empresas jovens com interesses ambientais. É actualmente Presidente da Iniciativa Zero Emissions Mobility, tendo ainda sido CEO da empresa de carros eléctricos THINK. É professor da Norwegian School of Management, co-fundador do seu Centre for Corporate Citizenship, e membro do World Economic Forum Automotive Agenda Council e do Advisory Board Ambiental do EBRD. JOHN MCCALL MACBAIN, um Cliente da NetJets e fundador, ex-presidente e CEO da Trader.com, é um filantropo com interesses em protecção ambiental. Ele é Presidente do Conselho de Administração da European Climate Foundation. Ele foi um Académico Rhodes na Universidade de Oxford e tem um MBA da Harvard Business School. MARITTA R. VON BIEBERSTEIN KOCH-WESER trabalhou em programas ambientais no World Bank durante 18 anos e foi Directora Geral da World Conservation Union, a maior organização do mundo de agregação de instituições ambientais. É CEO do Global Exchange for Social Investment e Fundadora e Presidente da Earth3000. Para além disso, também está a coordenar o projecto Amazonia in Transformation: History and Perspectives na Universidade de São Paulo. 18

19 19 OLIVER RAPF é Head of Business and Industry Engagement on Climate Change na World Wildlife Fund Internacional. Está a liderar um programa global da WWF, o Climate Change Business Partnership Programme, servindo de consultor e trabalhando com empresas internacionais nas áreas de alterações climáticas e questões energéticas e liderando a equipa internacional da WWF de todo o mundo. Antes de 2007 era Vice-Director da European Climate Change and Energy Policy (outra unidade da WWF) e ajudou a coordenar o trabalho da WWF em Comércio de Emissões na União Europeia.

20 Para mais informações Para saber mais sobre a Iniciativa Climática da NetJets Europe Real Difference, vá a Se tiver alguma questão sobre este relatório, por favor contacte Adam Barriball, Vice-Presidente de Comunicação através de

Mensagens ambientais da HP

Mensagens ambientais da HP Mensagens ambientais da HP Definição da promessa Projeto para o meio ambiente Por ser líder ambiental há décadas no setor tecnológico, a HP faz a diferença com um projeto abrangente de estratégia ambiental,

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2013 Ford Nome fantasia: Ford - CNPJ: 03.470.727/0001-20 Tipo da empresa: Matriz Setor econômico: C. Indústrias de transformação

Leia mais

Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks

Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks Formulário de Candidatura para admissão como membro do Cluster 2Bparks Eu, abaixo-assinado/a, declaro que a organização que represento solicita a sua admissão como Membro do Cluster Ambiental 2Bparks e

Leia mais

Relatório de atribuição do Certificado off7. Observatório Português de Boas práticas Laborais

Relatório de atribuição do Certificado off7. Observatório Português de Boas práticas Laborais Relatório de atribuição do Certificado off7 Observatório Português de Boas práticas Laborais Ano: 2011 1. Índice 1. ÍNDICE... 2 2. SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 5 4. MEDIR... 8 4.1. METODOLOGIA

Leia mais

A DB Schenker está comprometida com o programa Climático 2020 do Grupo DB

A DB Schenker está comprometida com o programa Climático 2020 do Grupo DB A DB Schenker está comprometida com o programa Climático 2020 do Grupo DB, tendo como principal objectivo a redução de 20%, até ao ano de 2020, nas emissões de CO2. Formação em Eco condução, novas tecnologias

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

Case study. Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA

Case study. Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA Case study 2010 Aumentar o conhecimento, informar a decisão ÍNDICE E.VALUE ENERGIA E CO2 EM PORTUGAL EMPRESA A E.Value S.A. é uma empresa de consultoria e desenvolvimento, com competências nos domínios

Leia mais

A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia

A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia Seminário DCA-BR - Fontes Renováveis de Energia na Aviação São José dos Campos 10 de junho de 2010 Cmte Miguel Dau Vice-Presidente Técnico-Operacional

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

Otimização do uso do solo

Otimização do uso do solo Otimização do uso do solo Criamos uma cidade compacta, adensada, próxima de meios de transporte de alta capacidade, paisagens e ecossistemas visualmente atraentes e que agregam valor à comunidade. Urbanização

Leia mais

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE CGD 1 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE GEE CGD S.A. 2014 2 CGD Relatório de Compensação de Emissões de GEE - CGD S.A. 2014 1.1 Introdução O Programa de Baixo Carbono, pioneiro no setor da banca

Leia mais

Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas

Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas 1. OBJETIVO DO GUIA DE FERRAMENTAS Então você está pensando em começar ou expandir um negócio de energia limpa? Este é um guia passo a passo para que seu negócio

Leia mais

Apresentado por: Miquelina Menezes Maputo, 17 de Novembro de 2011

Apresentado por: Miquelina Menezes Maputo, 17 de Novembro de 2011 Energia Para Moçambique Análise do potencial do país no âmbito da geração de energias renováveis e revisão dos projectos de energia solar, eólica, hídrica, biomassa e biodiesel Apresentado por: Miquelina

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 347/XI/2ª (PSD)

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 347/XI/2ª (PSD) PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 347/XI/2ª (PSD) Recomenda ao Governo que utilize sistemas de teleconferência e videoconferência em substituição de reuniões presenciais I - Exposição de motivos A proposta de

Leia mais

SUPLEMENTO COMERCIAL. Domingo, 15 de Novembro de 2015 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE

SUPLEMENTO COMERCIAL. Domingo, 15 de Novembro de 2015 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE SUPLEMENTO COMERCIAL. Domingo, 15 de Novembro de 2015 ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE www.flyeverjets.com 2 Everjets inaugura voos regulares

Leia mais

ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL

ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL ESTUDO DA PEGADA CARBÓNICA NO SECTOR FINANCEIRO EM PORTUGAL Agosto de 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 ENQUADRAMENTO... 3 O IMPACTE DO SECTOR FINANCEIRO NAS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS... 4 PEGADA CARBÓNICA DO SECTOR

Leia mais

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente 1 Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente O Corinthia Hotel Lisbon está implementado num edifício com mais de 30 anos em que a

Leia mais

A Rockwell Automation está empenhada em aplicar. É nossa política irmos além do mero cumprimento. dos regulamentos e agirmos no interesse das

A Rockwell Automation está empenhada em aplicar. É nossa política irmos além do mero cumprimento. dos regulamentos e agirmos no interesse das ISO 14001 A4PT.QXD 8/31/99 4:52 PM Page 1 POLÍTICA AMBIENTAL A Rockwell Automation está empenhada em aplicar os mais altos padrões de gestão ambiental mundial. É nossa política irmos além do mero cumprimento

Leia mais

O RELATÓRIO DE ENERGIA ENERGIA 100% RENOVÁVEL ATÉ 2050

O RELATÓRIO DE ENERGIA ENERGIA 100% RENOVÁVEL ATÉ 2050 O RELATÓRIO DE ENERGIA ENERGIA 100% RENOVÁVEL ATÉ 2050 Este Relatório foi possível graças ao generoso apoio da ENECO ISBN 978 2 940443 26 0 Fotografia da capa: Wild Wonders of Europe / Inaki Relanzon /

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Rita Almeida Dias 18 Setembro de 2012 2012 Sustentare Todos os direitos reservados Anterior Próximo www.sustentare.pt

Leia mais

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE CLUSTER ENERGÉTICO DE BEJA OPORTUNIDADES SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO A sustentabilidade energética e climática é um desígnio estratégico duplo significado. Por um lado, desenvolvimento

Leia mais

GRANDES BARRAGENS: ENERGIA VERDE OU ESVERDEADA?

GRANDES BARRAGENS: ENERGIA VERDE OU ESVERDEADA? GRANDES BARRAGENS: ENERGIA VERDE OU ESVERDEADA? Paula CHAINHO Novas Barragens, Porto, 28 de Fevereiro PROGRAMA NACIONAL DE BARRAGENS Objectivos a) Contribuição para as metas de produção de energia com

Leia mais

GRUPO ROLEAR. Porque há coisas que não podem parar!

GRUPO ROLEAR. Porque há coisas que não podem parar! GRUPO ROLEAR Porque há coisas que não podem parar! INOVAÇÃO COMO CHAVE DO SUCESSO Desde 1979, com sede no Algarve, a Rolear resulta da oportunidade identificada pelo espírito empreendedor do nosso fundador

Leia mais

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012

XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 XIX CONGRESSO SOCIEDADE, TERRITÓRIO E AMBIENTE A INTERVENÇÃO DO ENGENHEIRO 19 e 20 de outubro de 2012 O CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA CONTINUARÁ A CRESCER, MAS AS POLÍTICAS DE EFICIÊNCIA TERÃO UM FORTE IMPACTO

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Case study 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA A Sociedade Ponto Verde é uma entidade privada sem fins lucrativos que tem por missão organizar e gerir a retoma e valorização de resíduos de embalagens

Leia mais

Castelo de Vide 16.02.2009. Mais eco. Mais futuro.

Castelo de Vide 16.02.2009. Mais eco. Mais futuro. Castelo de Vide 16.02.2009 Mais eco. Mais futuro. O mundo está nas nossas mãos... 1 O consumo energético mundial tem registado forte crescimento nos últimos anos, agravando o volume de emissões de CO 2

Leia mais

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!!

Combate as alterações climáticas. Reduz a tua pegada e muda o mundo!! Combate as alterações climáticas Reduz a tua pegada e muda o mundo!! O dióxido de carbono é um gás naturalmente presente na atmosfera. À medida que crescem, as plantas absorvem dióxido de carbono, que

Leia mais

Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades

Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades Utilização Racional de Biomassa Florestal Mitos e Realidades Paulo Canaveira Seminário Tecnicelpa Bioenergias. Novas Tendências 30 Março 2007 CELPA, Associação da Indústria Papeleira Pomos o Futuro no

Leia mais

Tuesday, April 3, 12

Tuesday, April 3, 12 No começo, era apenas a eco-eficiência Zerar emissões Reduzir, reutilizar, reciclar Minimizar o impacto ecológico Reduzir o consumo Eco produtos Sustentável Neutralizar carbono Eficiência energética No

Leia mais

Análise de sustentabilidade da empresa

Análise de sustentabilidade da empresa Análise de sustentabilidade da empresa Em 2013, a NAV Portugal manteve a prática de integração dos princípios de sustentabilidade nas políticas e processos da sua gestão, como suporte à promoção do seu

Leia mais

Otimização do uso do solo

Otimização do uso do solo Otimização do uso do solo Criamos uma cidade compacta, adensada, próxima de meios de transporte de alta capacidade e de paisagens e ecossistemas visualmente atraentes que agregam valor à comunidade. Urbanização

Leia mais

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural Guião de Programa de Rádio e Televisão Tema: Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+) Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante

Leia mais

José Perdigoto Director Geral de Energia e Geologia. Lisboa, 20 de Junho de 2011

José Perdigoto Director Geral de Energia e Geologia. Lisboa, 20 de Junho de 2011 O papel dos biocombustíveis na política energética nacional Seminário Internacional sobre Políticas e Impactes dos Biocombustíveis em Portugal e na Europa José Perdigoto Director Geral de Energia e Geologia

Leia mais

O Consumo de Energia está a aumentar

O Consumo de Energia está a aumentar Schneider Electric -Eficiência Energética HAG 04/2010 1 Luis Hagatong Energy Efficiency Manager Schneider Electric Portugal 3 as Jornadas Electrotécnicas Máquinas e instalações eléctricas ISEP 29 e 30

Leia mais

Enquadramento com as políticas de Ecoinovação. Clara Lopes, 8 Maio 2012, Lisboa

Enquadramento com as políticas de Ecoinovação. Clara Lopes, 8 Maio 2012, Lisboa Enquadramento com as políticas de Ecoinovação Clara Lopes, 8 Maio 2012, Lisboa Organização da apresentação Políticas de Eco-Inovação EcoAP Plano de Acção em Eco-Inovação Fundos para Eco-Inovação Parceria

Leia mais

PROGRAMA CAIXA CARBONO ZERO

PROGRAMA CAIXA CARBONO ZERO 1 RELATÓRIOS CGD NEUTRALIDADE CARBÓNICA 2010 PROGRAMA CAIXA CARBONO ZERO www.cgd.pt 2 1. A compensação de emissões como COMPROMISSO do Programa Caixa Carbono Zero A compensação de emissões inevitáveis

Leia mais

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE

UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE UMA BOA IDEIA PARA A SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS (Aberto a todos os Cidadãos) 1. O QUE É: O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade é uma iniciativa da Câmara Municipal de

Leia mais

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente

Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política de Saúde, Segurança e Meio Ambiente Política Global Novartis 1 de março de 2014 Versão HSE 001.V1.PT 1. Introdução Na Novartis, nossa meta é ser líder em Saúde, Segurança e Meio Ambiente (HSE).

Leia mais

Análise das implicações da implementação do "Emission trading scheme" no transporte aéreo: caso TAP. AIRDEV Seminar 20th October 2011

Análise das implicações da implementação do Emission trading scheme no transporte aéreo: caso TAP. AIRDEV Seminar 20th October 2011 AIRDEV Seminar 20th October 2011 Realizada por: Pedro Augusto Gomes Machado dos Santos Estrutura da apresentação 1. Introdução 2. Estado da arte 2.1. Impactes da aviação 2.2. Emission Trading Scheme 3.

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS

DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS DIMENSÃO MUDANÇAS CLIMÁTICAS CONTEÚDO CRITÉRIO I - POLÍTICA... 2 INDICADOR 1: COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO... 2 CRITÉRIO II GESTÃO... 3 INDICADOR 2: RESPONSABILIDADES... 3 INDICADOR 3: PLANEJAMENTO/GESTÃO

Leia mais

Redução da pegada de carbono por colaborador

Redução da pegada de carbono por colaborador Redução da pegada de carbono por colaborador 1 Redução da pegada de carbono por colaborador As atividades da consultoria jurídica são impulsionadoras de impactos ambientais significativos, sobretudo pelas

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD)

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL RAQUEL ALVES DA SILVA CRUZ Rio de Janeiro, 15 de abril de 2008. TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL TERMOELÉTRICAS

Leia mais

Volatilidade e Mudanças Estruturais Impactos na Indústria de Petróleo

Volatilidade e Mudanças Estruturais Impactos na Indústria de Petróleo Volatilidade e Mudanças Estruturais Impactos na Indústria de Petróleo Cristina Brunet de Figueiredo Coordenadora da Comissão de Responsabilidade Social do IBP Coordenadora de Comunicação e Relações Externas

Leia mais

SERVIÇO DE CONSULTORIA EVENTOS SUSTENTÁVEIS

SERVIÇO DE CONSULTORIA EVENTOS SUSTENTÁVEIS SERVIÇO DE CONSULTORIA EVENTOS SUSTENTÁVEIS Janeiro 2010 Sobre Maria Teresa Lemos: Presidente e fundadora da empresa Sustainable Side of the Street que se dedica ao Turismo Sustentável e que existe desde

Leia mais

CTT. Consigo por um futuro sustentável.

CTT. Consigo por um futuro sustentável. CTT. Consigo por um futuro sustentável. Boas práticas no fornecimento de serviços/produtos CTT. Consigo por um futuro sustentável. CTT. Consigo por um futuro sustentável. Porquê e para quê? CTT. Consigo

Leia mais

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA A Inspira, uma joint-venture formalizada em 2006 entre o grupo Blandy, com sede na Madeira e larga experiência

Leia mais

Dr. Henrique Relógio

Dr. Henrique Relógio Dia 28 de Maio Renovar com Sustentabilidade Dr. Henrique Relógio Jardins de S. Bartolomeu Case Study Renovar com Sustentabilidade Henrique Relógio henriquerelogio@gmail.com 1 Jardins São Bartolomeu Um

Leia mais

M ERCADO DE C A R. de captação de investimentos para os países em desenvolvimento.

M ERCADO DE C A R. de captação de investimentos para os países em desenvolvimento. MERCADO DE CARBONO M ERCADO DE C A R O mercado de carbono representa uma alternativa para os países que têm a obrigação de reduzir suas emissões de gases causadores do efeito estufa e uma oportunidade

Leia mais

29082012_WF_reporting_bro_PT. www.tomtom.com/telematics

29082012_WF_reporting_bro_PT. www.tomtom.com/telematics 29082012_WF_reporting_bro_PT www.tomtom.com/telematics T E L E M AT I C S Relatórios WEBFLEET Let s drive business Relatórios WEBFLEET As decisões de trabalho mais difíceis ficam muito mais simples com

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO

JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO Agenda Introdução Definição dos limites de um inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa Limites Operacionais Identificando e Calculando emissões

Leia mais

Redução do impacto ambiental através das práticas lean Autor: Lando Tetsuro Nishida.

Redução do impacto ambiental através das práticas lean Autor: Lando Tetsuro Nishida. Redução do impacto ambiental através das práticas lean Autor: Lando Tetsuro Nishida. O sistema de gerenciamento ambiental está se tornando cada vez mais uma prioridade na gestão das empresas. Em diversas

Leia mais

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram 10 Sumário executivo Conclusões coordenadas pela Deloitte, em articulação com os membros do Grupo de Trabalho da AÇÃO 7 Sumário executivo Em conjunto, as empresas que implementaram estes 17 projetos representam

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. A ENERGIA EM PORTUGAL 3. CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL

ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. A ENERGIA EM PORTUGAL 3. CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL ÍNDICE 1. QUEM SOMOS 2. A ENERGIA EM PORTUGAL 3. CONTRIBUIÇÃO DAS RENOVÁVEIS PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL 4. O PAPEL DE PORTUGAL NAS ENERGIAS RENOVÁVEIS 2 1. QUEM SOMOS 3 A APREN A APREN - Associação

Leia mais

Econergy International PLC. Projetos de MDL

Econergy International PLC. Projetos de MDL Econergy International PLC. Projetos de MDL São Paulo, 18 de agosto de 2006 Econergy Escritórios rios Ireland Boulder (CO) Washington D.C. Monterrey São Paulo Buenos Aires Nossa Missão é Agregar Valor

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos Pólo da Competitividade e Tecnologia da Energia (PCTE) O papel do PCTE na energia solar em Portugal 8 e 9 de Fevereiro de 2010 António Mano - EDP Antonio.ermidamano@edp.pt A VISÃO do ENERGYIN Motivos da

Leia mais

Palmela, 31 Outubro 2012. Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 1

Palmela, 31 Outubro 2012. Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 1 Palmela, 31 Outubro 2012 Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 1 O Consumo de Energia está a aumentar Schneider Electric - Eficiência Energética HAG 01/2010 2 mais rápido do que novas

Leia mais

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015

Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem. Jorge Soto 11/08/2015 Mudanças Climáticas Ameaças e Oportunidade para a Braskem Jorge Soto 11/08/2015 1 Braskem INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas Termoplásticas

Leia mais

Empresas brasileiras emitiram 85,2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa no ano passado

Empresas brasileiras emitiram 85,2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa no ano passado Empresas brasileiras emitiram 85,2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa no ano passado (Dados divulgados hoje no lançamento do programa Empresas pelo Clima, do GVCes, estão disponíveis em www.fgv.br/ces/epc

Leia mais

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012 POR JM. Energia sustentável

PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012 POR JM. Energia sustentável PUBLICADO NA EDIÇÃO IMPRESSA SEGUNDA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2012 POR JM Energia sustentável A ONU declarou 2012 como o Ano Internacional da Energia Sustentável para Todos. Esta iniciativa pretende chamar

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

Marcio Halla marcio.halla@fgv.br

Marcio Halla marcio.halla@fgv.br Marcio Halla marcio.halla@fgv.br POLÍTICAS PARA O COMBATE ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA AMAZÔNIA Programa de Sustentabilidade Global Centro de Estudos em Sustentabilidade Fundação Getúlio Vargas Programa de

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique Consolidar o Futuro Abreu Advogados Ferreira Rocha & Associados 2012 PORTUGAL

Leia mais

Produza a sua própria energia

Produza a sua própria energia Produza a sua própria energia CONTEÚDO ENERGIAFRICA QUEM SOMOS A NOSSA MISSÃO SERVIÇOS AS NOSSAS SOLUÇÕES SOLARES PROJECTO MODULO VIDA PORTEFÓLIO MAIS ENERGIA RENOVÁVEL, MAIS VIDA PARA O PLANETA www.energiafrica.com

Leia mais

RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO

RESUMO DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 25.6.2009 SEC(2009) 815 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO que acompanha a COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Demonstração

Leia mais

Hypercluster do mar. Setembro 2009

Hypercluster do mar. Setembro 2009 Hypercluster do mar Setembro 2009 Hypercluster do mar Segurança Marítima Projecto MarBIS Fórum cientifico e tecnológico Considerações finais 2 Hypercluster do mar Parcerias com empresas petrolíferas com

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2014 1. Dados do inventário Banco Santander S.A. (Brasil) Tipo de preenchimento: 1.1 Responsável pela elaboração do inventário

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

Estrutura do Plano de Acção de Energia e Sustentabilidade - Pacto dos Autarcas

Estrutura do Plano de Acção de Energia e Sustentabilidade - Pacto dos Autarcas Estrutura do Plano de Acção de Energia e Sustentabilidade - Pacto dos Autarcas Cascais, 26 de Agosto de 2010 1 P á g i n a ÍNDICE 1.ENQUADRAMENTO... 1 2.METAS E OBJECTIVOS... 2 3.MEDIDAS A IMPLEMENTAR...

Leia mais

Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE

Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE Energia, tecnologia e política climática: perspectivas mundiais para 2030 MENSAGENS-CHAVE Cenário de referência O estudo WETO apresenta um cenário de referência que descreve a futura situação energética

Leia mais

Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes. O consumismo de energia

Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes. O consumismo de energia Escola Profissional Desenvolvimento Rural de Abrantes O consumismo de energia Consumo de Energia O consumo da energia no mundo está resumido na sua maioria pelas fontes tradicionais como o petróleo, carvão

Leia mais

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO Medidas estão sendo tomadas... Serão suficientes? Estaremos, nós, seres pensantes, usando nossa casa, com consciência? O Protocolo de Kioto é um acordo internacional, proposto

Leia mais

Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira

Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira Economia verde, desenvolvimento sustentável e inovação - Os caminhos da indústria brasileira Nelson Pereira dos Reis Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Fiesp Vice presidente Departamento de

Leia mais

O que é o Banco Europeu de Investimento?

O que é o Banco Europeu de Investimento? O que é o Banco Europeu de Investimento? O BEI é o banco da União Europeia. Como primeiro mutuário e mutuante multilateral, proporciona financiamento e conhecimentos especializados a projectos de investimento

Leia mais

Gestão do Desempenho Forecasting. Tomada de decisão. Profissional. Professional. Previsão. A qualificação de negócios profissionais.

Gestão do Desempenho Forecasting. Tomada de decisão. Profissional. Professional. Previsão. A qualificação de negócios profissionais. Professional Profissional Tomada de decisão Gestão do Desempenho Forecasting Previsão A qualificação de negócios profissionais globais O CIMA é a escolha dos empregadores no recrutamento de líderes de

Leia mais

Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas

Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas 1 Estratégia ambiental dos CTT promove aumento de vendas O lançamento do portefólio Eco veio abrandar a tendência de redução de receitas e pelo terceiro

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Resiquímica, Resinas Químicas, SA Diretor(a) Marcos Lagoa Setor de Atividade Indústria química Número de Efetivos 117 NIF 508204950 Morada Rua Francisco Lyon de Castro,

Leia mais

Os consumidores avaliarão as iniciativas de sustentabilidade das empresas

Os consumidores avaliarão as iniciativas de sustentabilidade das empresas MEDIA COVERAGE Low Carbon Technology Partnerships initiative Sao Paulo Roundtable, October 7, 2015 Os consumidores avaliarão as iniciativas de sustentabilidade das empresas Peter White, diretor do Conselho

Leia mais

PRESS info. Vantajoso para a ecologia e economia Ecolution by Scania. P10902PT / Per-Erik Nordström 22 de Setembro de 2010

PRESS info. Vantajoso para a ecologia e economia Ecolution by Scania. P10902PT / Per-Erik Nordström 22 de Setembro de 2010 PRESS info P10902PT / Per-Erik Nordström 22 de Setembro de 2010 Vantajoso para a ecologia e economia Ecolution by Scania Ecolution by Scania é uma nova linha de produtos e serviços verdes com que os operadores

Leia mais

Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais

Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais TECNOFIL Workshop Municípios e Certificação Energética de Edifícios Lisboa, 18 Junho 2009 Objectivos A Agência Cascais Energia é

Leia mais

Tendências. Membro. ECOPROGRESSO, SA tel + 351 21 798 12 10 fax +351 21 798 12 19 geral@ecotrade.pt www.ecotrade.pt

Tendências. Membro. ECOPROGRESSO, SA tel + 351 21 798 12 10 fax +351 21 798 12 19 geral@ecotrade.pt www.ecotrade.pt 30 27 Evolução do Preço CO2 Jan 06 - Fev 07 Spot Price Powernext Carbon Jan de 2006 a Fev 2007 Spot CO2 (30/01/07) Preço Δ Mensal 2,30-64.50% 2007 2,35-64,4% 2008 15.30-16,16% Futuro Dez 2009 2010 15.85

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A

OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A INDÚSTRIA DO PETRÓLEO Ricardo de Gusmão Dornelles Diretor do Departamento de Combustíveis Renováveis Jun/2009 MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL E NACIONAL - 2008 54,9 45,1 Brasil (2008)

Leia mais

Sustentabilidade e Mudança Climática

Sustentabilidade e Mudança Climática Sustentabilidade e Mudança Climática 23 de Setembro 2009 Definindo uma Estratégia Corporativa para lidar com Mudanças Climáticas de forma sustentável Aceitar que o debate está concluído Entender a sua

Leia mais

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade.

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade. Tipo de parceria:joint venture Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade. Empresa da Eslováquia certificadaespecializada na produção de painéis

Leia mais

EFIÊNCIA DOS RECURSOS E ESTRATÉGIA ENERGIA E CLIMA

EFIÊNCIA DOS RECURSOS E ESTRATÉGIA ENERGIA E CLIMA INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite para participar neste debate e felicitar os organizadores pela importância desta iniciativa. Na minha apresentação irei falar brevemente da

Leia mais

Boas práticas na Distribuição: Como as empresas promovem o consumo sustentável

Boas práticas na Distribuição: Como as empresas promovem o consumo sustentável Boas práticas na Distribuição: Como as empresas promovem o consumo sustentável Inter IKEA Systems B.V. 2009 GREEN FEST - Consumo sustentável: a resposta da distribuição moderna Ana Teresa Fernandes IKEA

Leia mais

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva

Projecto REDE CICLÁVEL DO BARREIRO Síntese Descritiva 1. INTRODUÇÃO Pretende-se com o presente trabalho, desenvolver uma rede de percursos cicláveis para todo o território do Município do Barreiro, de modo a promover a integração da bicicleta no sistema de

Leia mais

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1.

Índice. rota 3. Enquadramento e benefícios 6. Comunicação Ética 8. Ética nos Negócios 11. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13. Percurso 1. rota 3 CLIENTES Rota 3 Índice Enquadramento e benefícios 6 Percurso 1. Comunicação Ética 8 Percurso 2. Ética nos Negócios 11 Percurso 3. Promoção para o Desenvolvimento Sustentável 13 responsabilidade

Leia mais