ELETROSTÁTICA wagnumbers.com.br O UNIVERSO PODE SER CARACTERIZADO POR GRANDEZAS FUNDAMENTAIS: MATÉRIA / MASSA, ENERGIA, ESPAÇO,

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ELETROSTÁTICA wagnumbers.com.br O UNIVERSO PODE SER CARACTERIZADO POR GRANDEZAS FUNDAMENTAIS: MATÉRIA / MASSA, ENERGIA, ESPAÇO,"

Transcrição

1 ELETROSTÁTICA wagnumbers.com.br O UNIVERSO PODE SER CARACTERIZADO POR GRANDEZAS FUNDAMENTAIS: MATÉRIA / MASSA, ENERGIA, ESPAÇO, E TEMPO. A MATÉRIA É CONSTITUÍDA POR PARTÍCULAS MUITO PEQUENAS CHAMADAS DE ÁTOMOS. TODA A MATÉRIA PODE SER CLASSIFICADA EM QUALQUER UM DOS DOIS GRUPOS: ELEMENTOS OU COMPOSTOS. NUM ELEMENTO, TODOS OS ÁTOMOS SÃO IGUAIS. EXEMPLOS DE ALUMÍNIO, COBRE, CARBONO, O GERMÂNIO E O SILÍCIO. TABELA PERIÓDICA. UM COMPOSTO É FORMADO POR UMA COMBINAÇÃO DE ELEMENTOS. A ÁGUA, POR EXEMPLO, É UM COMPOSTO CONSTITUÍDO PELOS ELEMENTOS HIDROGÊNIO E OXIGÊNIO. A MENOR PARTÍCULA DE QUALQUER COMPOSTO QUE AINDA CONTENHA AS CARACTERÍSTICAS ORIGINAIS DAQUELE COMPOSTO É CHAMADA DE MOLÉCULA. 1

2 ÁTOMO OS ÁTOMOS SÃO CONSTITUÍDOS POR PARTÍCULAS SUBATÔMICAS: ELÉTRONS, PRÓTONS E NÊUTRONS, COMBINADOS DE VÁRIAS FORMAS. O ELÉTRON É A CARGA NEGATIVA (- ) FUNDAMENTAL DA ELETRICIDADE. OS ELÉTRONS GIRAM EM TORNO DO NÚCLEO, OU CENTRO DO ÁTOMO, EM TRAJETÓRIAS DE "CAMADAS" CONCÊNTRICAS, OU O PRÓTON É A CARGA POSITIVA (+) FUNDAMENTAL ELETRICIDADE. OS PRÓTONS SÃO ENCONTRADOS NO NÚMERO DE PRÓTONS, DENTRO DO NÚCLEO DE ÁTOMO ESPECÍFICO, DETERMINA O NÚMERO DAQUELE ÁTOMO. POR EXEMPLO, O ÁTOMO DE ÓRBITAS DA NÚCLEO. O QUALQUER ATÔMICO SILÍCIO TEM 14 PRÓTONS NO SEU NÚCLEO E, PORTANTO, O NÚMERO ATÔMICO DO SILÍCIO É 14. O NÊUTRON, OU CARGA NEUTRA FUNDAMENTAL DA ELETRICIDADE, TAMBÉM É ENCONTRADO NO NÚCLEO. OS ÁTOMOS DE ELEMENTOS DIFERENTES DIFEREM ENTRE SI PELO NÚMERO DE ELÉTRONS E DE PRÓTONS QUE CONTÊM. NO SEU ESTADO NATURAL, UM ÁTOMO DE QUALQUER ELEMENTO CONTÉM UM NÚMERO IGUAL DE ELÉTRONS E DE PRÓTONS. COMO A CARGA NEGATIVA (- ) DE CADA ELÉTRON TEM O MESMO VALOR ABSOLUTO QUE A CARGA POSITIVA (+) DE CADA PRÓTON, AS DUAS CARGAS OPOSTAS SE CANCELAM. UM ÁTOMO NESTAS CONDIÇÕES É ELETRICAMENTE NEUTRO, OU ESTÁ EM EQUILÍBRIO. O ÁTOMO MAIS SIMPLES É O ÁTOMO DE HIDROGÊNIO, QUE CONTÉM 1 PRÓTON NO SEU NÚCLEO EM EQUILÍBRIO COM 1 ELÉTRON QUE GIRA EM TORNO DO NÚCLEO (FIG A). O ÁTOMO SEGUINTE MAIS SIMPLES É O ÁTOMO DE HÉLIO, QUE POSSUI 2 PRÓTONS NO SEU NÚCLEO EQUILIBRADOS POR 2 ELÉTRONS ORBITANDO EM TORNO DO NÚCLEO (FIG B) 2

3 UM ÁTOMO ESTÁVEL (NEUTRO) POSSUI UMA CERTA QUANTIDADE DE ENERGIA, QUE É IGUAL À SOMA DAS ENERGIAS DOS SEUS ELÉTRONS. OS ELÉTRONS, POR SUA VEZ, POSSUEM ENERGIAS DIFERENTES CHAMADAS DE NÍVEIS DE ENERGIA. O NÍVEL DE ENERGIA DE UM ELÉTRON É PROPORCIONAL À SUA DISTÂNCIA DO NÚCLEO. PORTANTO OS NÍVEIS DE ENERGIA DE ELÉTRONS EM CAMADAS MAIS AFASTADAS DO NÚCLEO SÃO MAIORES DO QUE OS ELÉTRONS EM CAMADAS MAIS PRÓXIMAS DO NÚCLEO. OS ELÉTRONS SITUADOS NA CAMADA MAIS EXTERNA SÃO CHAMADOS DE ELÉTRONS DE VALÊNCIA. QUANDO SE APLICA A CERTOS MATERIAIS ENERGIA EXTERNA COMO CALOR, LUZ OU ENERGIA ELÉTRICA, OS ELÉTRONS ADQUIREM ENERGIA. ISTO PODE FAZER COM QUE O ELÉTRON SE DESLOQUE PARA UM NÍVEL DE ENERGIA MAIS ALTO. DIZ- SE QUE UM ÁTOMO EM QUE ISTO ACONTECEU ESTÁ NUM ESTADO EXCITADO. UM ÁTOMO NUM ESTADO EXCITADO É INSTÁVEL. AO SER DESLOCADO PARA A CAMADA MAIS EXTERNA DO ÁTOMO, O ELÉTRON SOFRE A MÍNIMA ATRAÇÃO POSSÍVEL PELAS CARGAS POSITIVAS DOS PRÓTONS DENTRO DO NÚCLEO DO ÁTOMO. SE FOR APLICADA AO ÁTOMO UMA ENERGIA SUFICIENTE, ALGUNS DOS ELÉTRONS DE VALÊNCIA ABANDONARÃO O ÁTOMO. ESTES ELÉTRONS SÃO CHAMADOS DE ELÉTRONS LIVRES. É O MOVIMENTO DOS ELÉTRONS LIVRES QUE PRODUZ A CORRENTE ELÉTRICA NUM CONDUTOR METÁLICO. 3

4 CARGA ELÉTRICA ELEMENTAR Elétron à Carga negativa Próton à Carga positiva Essas cargas, iguais em valor absoluto, são conhecidas como cargas elementares (e), sendo a menor carga elétrica encontrada na natureza. Sua intensidade é: e = 1, C em que C (coulomb) representa no S.I. a unidade de carga elétrica. Como a menor carga possível é a de um elétron, conclui- se que a carga (q) de qualquer corpo eletrizado é um número (n) da carga elementar (e): q = n.e O Coulomb é uma unidade muito grande se comparada com a carga elementar. Por isso, na prática, costuma- se usar os submúltiplos microcoulumb (1µC = 10-6 C) e o nanocoulomb (1nC = 10-9 C) Exemplos 1) Quantos elétrons precisam ser retirados de um corpo para que ele fique com carga de 1 C? 6,25 x eletrons 2) Um corpo possui prótons e elétrons. Quanto à sua carga determine: a) O sinal; b) A intensidade. 3) Um corpo tem elétrons e prótons. Podemos afirmar que o corpo está carregado com uma carga elétrica de: 4) Considerando que e=1, C, quantos elétrons devem ser retirados de um corpo para que sua carga elétrica final seja 4C? 4

5 PRINCÍPIOS DA ELETROSTÁTICA Princípio da Atração e Repulsão Cargas elétricas de sinais opostos se atraem e Cargas elétricas de sinais iguais se repelem. Princípio da Conservação da Carga Elétrica Num sistema eletricamente isolado é constante a soma algébrica das cargas positivas e negativas. q1 + q2 = q1 + q2 = constante Exemplo: 5

6 PROCESSOS DE ELETRIZAÇÃO Eletrização por ATRITO Eletrização por CONTATO Eletrização por INDUÇÃO Evidências da força ELETROSTÁTICA - Caneta que atrai papéis - Desvio de um filete de água Lei de Coulomb Esta lei, formulada por Charles Augustin Coulomb, refere-se às forças de interação (atração e repulsão) entre duas cargas elétricas puntiformes, ou seja, com dimensão e massa desprezível. Lembrando que, pelo princípio de atração e repulsão, cargas com sinais opostos são atraídas e com sinais iguais são repelidas, mas estas forças de interação têm intensidade igual, independente do sentido para onde o vetor que as descreve aponta. O que a Lei de Coulomb enuncia é que a intensidade da força elétrica de interação entre cargas puntiformes é diretamente proporcional ao produto dos módulos de cada carga e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa. Ou seja: Onde a equação pode ser expressa por uma igualdade se considerarmos uma constante k, que depende do meio onde as cargas são encontradas. O valor mais usual de k é considerado quando esta interação acontece no vácuo, e seu valor é igual a: Então podemos escrever a equação da lei de Coulomb como: Para se determinar se estas forças são de atração ou de repulsão utiliza-se o produto de suas cargas, ou seja: 6

7 Exercícios 01) Determine a magnitude da força elétrica em um elétron no átomo de hidrogênio, exercida pelo próton situado no núcleo atômico. Assuma que a órbita eletrônica tem um raio médio de d = 0, m. 2) (Fuvest) Duas partículas, eletricamente carregadas com + 8, C cada uma, são colocadas no vácuo a uma distância de 30 cm, onde. A força de interação eletrostática entre essas cargas é: a) de repulsão e igual a 6,4 N. b) de repulsão e igual a 1,6 N. c) de atração e igual a 6,4 N. d) de atração e igual a 1,6 N. e) impossível de ser determinada 7

8 Resolução: Como ambas as cargas são positivas, pela Lei de Dufay a força entre elas é de repulsão e pela Lei de Coulomb: onde Q = +8, e r = 30 cm = m, Resposta: A 8

9 Campo Elétrico Assim como a Terra tem um campo gravitacional, uma carga Q também tem um campo que pode influenciar as cargas de prova q nele colocadas. E usando esta analogia, podemos encontrar: Desta forma, assim como para a intensidade do campo gravitacional, a intensidade do campo elétrico (E) é definido como o quociente entre as forças de interação das cargas geradora do campo (Q) e de prova (q) e a própria carga de prova (q), ou seja: Chama-se Campo Elétrico o campo estabelecido em todos os pontos do espaço sob a influência de uma carga geradora de intensidade Q, de forma que qualquer carga de prova de intensidade q fica sujeita a uma força de interação (atração ou repulsão) exercida por Q. Já uma carga de prova, para os fins que nos interessam, é definida como um corpo puntual de carga elétrica conhecida, utilizado para detectar a existência de um campo elétrico, também possibilitando o cálculo de sua intensidade. Vetor Campo Elétrico Voltando à analogia com o campo gravitacional da Terra, o campo elétrico é definido como um vetor com mesma direção do vetor da força de interação entre a carga geradora Q e a carga de prova q e com mesmo sentido se q>0 e sentido oposto 9

10 se q<0. Ou seja: A unidade adotada pelo SI para o campo elétrico é o N/C (Newton por coulomb). Interpretando esta unidade podemos concluir que o campo elétrico descreve o valor da força elétrica que atua por unidade de carga, para as cargas colocadas no seu espaço de atuação. 10

11 O campo elétrico pode ter pelo menos quatro orientações diferentes de seu vetor devido aos sinais de interação entre as cargas, quando o campo é gerado por apenas uma carga, estes são: Quando a carga de prova tem sinal negativo (q<0), os vetores força e campo elétrico têm mesma direção, mas sentidos opostos, e quando a carga de prova tem sinal positivo (q>0), ambos os vetores têm mesma direção e sentido Já quando a carga geradora do campo tem sinal positivo (Q>0), o vetor campo elétrico tem sentido de afastamento das cargas e quando tem sinal negativo (Q<0), tem sentido de aproximação, sendo que isto não varia com a mudança do sinal das cargas de provas. Quando uma única partícula é responsável por gerar um campo elétrico, este é gerado em um espaço que a circunda, embora não esteja presente no ponto onde a partícula é encontrada. Campo elétrico gerado por mais do que uma partícula eletrizada. Quando duas ou mais cargas estão próximas o suficiente para que os campos gerados por cada uma se interfiram, é possível determinar um campo elétrico resultante em um ponto desta região. Para isto, analisa-se isoladamente a influência de cada um dos campos gerados sobre um determinado ponto. 11

12 Por exemplo, imaginemos duas cargas postas arbitrariamente em um ponto A e outro B, com cargas e, respectivamente. Imaginemos também um ponto P sob a influência dos campos gerados pelas duas cargas simultaneamente. O vetor do campo elétrico resultante será dado pela soma dos vetores e no ponto P. Como ilustram os exemplos a seguir: Como as duas cargas geradoras do campo têm sinal positivo, cada uma delas gera um campo divergente (de afastamento), logo o vetor resultante terá módulo igual à subtração entre os valores dos vetores e direção e sentido do maior valor absoluto. Assim como no exemplo anterior, ambos os campos elétricos gerados são divergentes, mas como existe um ângulo formado entre eles, esta soma vetorial é calculada através de regra do paralelogramo, ou seja, traçando-se o vetor soma dos dois vetores, tendo assim o módulo direção e sentido do vetor campo elétrico resultante. 12

13 Como ambas as cargas que geram o campo tem sinais negativos, cada componente do vetor campo resultante é convergente, ou seja, tem sentido de aproximação. O módulo, a direção e o sentido deste vetor são calculados pela regra do paralelogramo, assim como ilustra a figura. 13

14 Neste exemplo, as cargas que geram o campo resultante têm sinais diferentes, então um dos vetores converge em relação à sua carga geradora ( ) e outro diverge ( ). Então podemos generalizar esta soma vetorial para qualquer número finito de partículas, de modo que: Linhas de força Estas linhas são a representação geométrica convencionada para indicar a presença de campos elétricos, sendo representadas por linhas que tangenciam os vetores campo elétrico resultante em cada ponto, logo, jamais se cruzam. Por convenção, as linhas de força têm a mesma orientação do vetor campo elétrico, de modo que para campos gerados por cargas positivas as linhas de força são divergentes (sentido de afastamento) e campos gerados por cargas elétricas negativas são representados por linhas de força convergentes (sentido de aproximação). Quando se trabalha com cargas geradoras sem dimensões, as linhas de força são representadas radialmente, de modo que: 14

15 15

16 Questões: 01. O campo elétrico gerado em P, por uma carga puntiforme positiva de valor +Q a uma distância d, tem valor absoluto E. Determinar o valor absoluto do campo gerado em P por uma outra carga pontual positiva de valor +2Q a uma distância 3d, em função de E. 02. Determine a intensidade do campo elétrico resultante no ponto P, sabendo que ele foi gerado exclusivamente pelas duas cargas elétricas da figura. Temos ainda: Q 1 = +9,0nC; Q 2 = +4,0nC; K 0 = 9, unid. SI; o meio é vácuo. Testes: 03. (MACKENZIE) Sobre uma carga elétrica de 2, C, colocada em certo ponto do espaço, age uma força de intensidade 0,80N. Despreze as ações gravitacionais. A intensidade do campo elétrico nesse ponto é: a) 1, N/C b) 1, N/C c) 2, N/C d) 1, N/C e) 4, N/C 04. (FCC) Uma carga pontual Q, positiva, gera no espaço um campo elétrico. Num ponto P, a 0,5m dela, o campo tem intensidade E=7, N/C. Sendo o meio vácuo onde K 0 = unidades S. I., determine Q. a) 2, C b) 4, C c) 2, C d) 4, C e) 2, C 05. (F. C. M. SANTA CASA) Em um ponto do espaço: I. Uma carga elétrica não sofre ação da força elétrica se o campo nesse local for nulo. II. Pode existir campo elétrico sem que aí exista força elétrica. III. Sempre que houver uma carga elétrica, esta sofrerá ação da força elétrica. Use: C (certo) ou E (errado). a) CCC b) CEE c) ECE d) CCE e) EEE 16

17 06. Considere as três figuras a seguir. Nelas temos: Analise cada figura e descubra o sinal das cargas elétricas q e Q. Pode-se dizer que: I. Na figura 1: Q > 0 e q >0 II. Na figura 2: Q < 0 e q > 0 III. Na figura 3: Q < 0 e q < 0 IV. Em todas as figuras: q > 0 Use, para a resposta, o código abaixo: a) Se todas forem verdadeiras. b) Se apenas I, II e IV forem verdadeiras. c) Se apenas I e III forem verdadeiras. d) Se apenas II for verdadeira. e) Se nenhuma for verdadeira. 07. (UCBA) Qual dos gráficos a seguir melhor representa o módulo do campo elétrico em função da distância d até a carga elétrica puntiforme geradora? 17

18 08. Considere as duas cargas positivas Q 1 e Q 2, fixas sobre a reta x da figura abaixo. Sabemos que Q 1 > Q 2 e que A, M B, F e G são apenas cinco pontos geométricos escolhidos na reta x. Em um dos cinco pontos, o campo elétrico resultante é NULO. Este ponto é: a) A b) B c) M d) F e) G 18

19 09. (FMABC - SP) Duas cargas puntiformes Q 1 e Q 2, de sinais opostos, estão situadas nos pontos A e B localizados no eixo x, conforme mostra a figura abaixo. Sabendo-se que Q 1 > Q 2, podemos afirmar que existe um ponto do eixo x, situado a uma distância finita das cargas Q 1 e Q 2 no qual o campo elétrico resultante, produzido pelas referidas cargas, é nulo. Esse ponto: a) está localizado entre A e B; b) está localizado à direita de B; c) coincide com A; d) situa-se à esquerda de A; e) coincide com B. 10. (MACKENZIE) Considere a figura abaixo: As duas cargas elétricas puntiformes Q 1 e Q 2 estão fixas, no vácuo onde K 0 = 9, N.m 2 /C 2, respectivamente sobre os pontos A e B. O campo elétrico resultante no P tem intensidade: a) zero b) 4, N/C c) 5, N/C d) 9, N/C e) 1, N/C 19

20 Resolução: 01 - E' =!!! 02 - E res = E 04 - A 05 - D 06 - C 07 - E 08 - B 09 -B 10 - A 20

21 21

COLÉGIO RESSURREIÇÃO NOSSA SENHORA LISTA DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO ESPELHOS PLANOS PROF.: DUDUNEGÃO

COLÉGIO RESSURREIÇÃO NOSSA SENHORA LISTA DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO ESPELHOS PLANOS PROF.: DUDUNEGÃO COLÉGIO RESSURREIÇÃO NOSSA SENHORA LISTA DE EXERCÍCIOS DE REVISÃO ESPELHOS PLANOS PROF.: DUDUNEGÃO 01. Duas cargas puntiformes encontram-se no vácuo a uma distância de 10cm uma da outra. As cargas valem

Leia mais

Lista de exercícios de Física / 2 Bimestre Unidades 1, 2 e 3

Lista de exercícios de Física / 2 Bimestre Unidades 1, 2 e 3 Nota Lista de exercícios de Física / 2 Bimestre Unidades 1, 2 e 3 Data: 18 de maio de 2012 Curso: Ensino Médio 3 ano A Professora: Luciana M.A. Teixeira Nome: Nº Instruções gerais Para a resolução desta

Leia mais

LISTA ELETROSTÁTICA 3ª SÉRIE

LISTA ELETROSTÁTICA 3ª SÉRIE 1. (Pucrj 013) Duas cargas pontuais q1 3,0 μc e q 6,0 μc são colocadas a uma distância de 1,0 m entre si. Calcule a distância, em metros, entre a carga q 1 e a posição, situada entre as cargas, onde o

Leia mais

Exercícios sobre Força de Coulomb

Exercícios sobre Força de Coulomb Exercícios sobre Força de Coulomb 1-Duas cargas elétricas iguais de 10 6 C se repelem no vácuo com uma força de 0,1 N. Sabendo que a constante elétrica do vácuo é de 9 10 9 N m /C, qual a distância entre

Leia mais

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 08 ELETRIZAÇÃO E FORÇA ELÉTRICA REVISÃO

FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 08 ELETRIZAÇÃO E FORÇA ELÉTRICA REVISÃO FÍSICA - 2 o ANO MÓDULO 08 ELETRIZAÇÃO E FORÇA ELÉTRICA REVISÃO Fixação 1) (CESGRANRIO) No modelo mais elementar do átomo de hidrogênio (modelo de Bohr), o elétron gira em órbita circular em torno do próton

Leia mais

CARGAS ELÉTRICAS. Por Jonathan T. Quartuccio

CARGAS ELÉTRICAS. Por Jonathan T. Quartuccio CARGAS ELÉTRICAS Por Jonathan T. Quartuccio Há muito tempo o homem vem estudando fenômenos relacionados a eletricidade. Na Grécia antiga, o fenômeno de atração entre corpos já era observado quando se atritava

Leia mais

Tema de Física Eletrostática Força elétrica e campo elétrico Prof. Alex S. Vieira

Tema de Física Eletrostática Força elétrica e campo elétrico Prof. Alex S. Vieira Tema de Física Eletrostática Força elétrica e campo elétrico 1) Se, após o contato e posterior separação, F 2 é o módulo da força coulombiana entre X e Y, podese afirmar corretamente que o quociente F

Leia mais

Professor: Douglas/ Wesley Assunto: Eletrostática ( Carga Elétrica, Processo de Eletrização, Força Elétrica e Campo Elétrico ) ELETROSTÁTICA

Professor: Douglas/ Wesley Assunto: Eletrostática ( Carga Elétrica, Processo de Eletrização, Força Elétrica e Campo Elétrico ) ELETROSTÁTICA Curso: Engenharia Básica Professor: Douglas/ Wesley Assunto: Eletrostática ( Carga Elétrica, Processo de Eletrização, Força Elétrica e Campo Elétrico ) ELETROSTÁTICA A eletrostática é basicamente descrita

Leia mais

Lista de Exercícios Campo Elétrico

Lista de Exercícios Campo Elétrico Considere k o = 9,0. 10 9 N. m 2 /C 2 Lista de Exercícios Campo Elétrico 1. Uma partícula de carga q = 2,5. 10-8 C e massa m = 5,0. 10-4 kg, colocada num determinado ponto P de uma região onde existe um

Leia mais

Título: Professor: Turma: 2ª Lista de Física II Tadeu 3ª Ano

Título: Professor: Turma: 2ª Lista de Física II Tadeu 3ª Ano Título: Professor: Turma: 2ª Lista de Física II Tadeu 3ª Ano Questão 1 Três esferas metálicas iguais estão carregadas eletricamente e localizadas no vácuo. Inicialmente, as esferas A e B possuem, cada

Leia mais

FÍSICA (Eletricidade e Eletromagnetismo) Cap. I - CARGA ELÉTRICA E LEI DE COULOMB

FÍSICA (Eletricidade e Eletromagnetismo) Cap. I - CARGA ELÉTRICA E LEI DE COULOMB Cap. I - CARGA ELÉTRICA E LEI DE COULOMB FÍSICA (Eletricidade e Eletromagnetismo) A eletrostática é um ramo da Física que estuda os fenômenos relacionados com cargas elétricas em repouso. Um dos primeiros

Leia mais

Exercícios de Eletrostática Lista 1

Exercícios de Eletrostática Lista 1 Exercícios de Eletrostática Lista 1 1. Se tivermos um balão de borracha com uma carga positiva distribuída sobre sua superfície, podemos afirmar que (A) na região externa ao balão o campo elétrico é nulo.

Leia mais

CARGA ELÉTRICA. Unidade de medida no S.I.: Coulomb (C) 1 Coulomb é a carga elétrica de 6,25. 10 18 prótons (ou elétrons).

CARGA ELÉTRICA. Unidade de medida no S.I.: Coulomb (C) 1 Coulomb é a carga elétrica de 6,25. 10 18 prótons (ou elétrons). Introdução à Eletrostática DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: NOTA: ASS: INTRODUÇÃO Na Grécia antiga (séc. IV ac) algumas pessoas observaram que um pedaço de âmbar, atritado

Leia mais

Aula 15 Campo Elétrico

Aula 15 Campo Elétrico 1. (Fatec 2010) Leia o texto a seguir. Técnica permite reciclagem de placas de circuito impresso e recuperação de metais Circuitos eletrônicos de computadores, telefones celulares e outros equipamentos

Leia mais

Prof. A.F.Guimarães Questões de Eletricidade 1 Carga Elétrica

Prof. A.F.Guimarães Questões de Eletricidade 1 Carga Elétrica Questão 1 rof..f.guimarães Questões de Eletricidade 1 Carga Elétrica (UFG) Dadas as afirmações: I. O elétron é uma partícula que apresenta a menor carga elétrica conhecida e repele prótons. II. O próton

Leia mais

ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS ÁTOMOS

ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS ÁTOMOS ESTRUTURA ELETRÔNICA DOS ÁTOMOS MECÂNICA QUÂNTICA E OS ORBITAIS ATÔMICOS 1926 Físico austríaco Erwin Schrödinger Equação de onda de Schrödinger Incorpora tanto o comportamento ondulatório como o de partícula

Leia mais

Atração fatal. Ernesto atritou um canudo de refresco com. A força elétrica como um vetor

Atração fatal. Ernesto atritou um canudo de refresco com. A força elétrica como um vetor A U A UL LA Atração fatal Ernesto atritou um canudo de refresco com um pedaço de papel higiênico. Depois colocou o canudo contra uma parede, enquanto Roberto observava. - Olha como ele fica grudado! -

Leia mais

MÓD. 2 FORÇA ELÉTRICA/LEI DE COULOMB

MÓD. 2 FORÇA ELÉTRICA/LEI DE COULOMB MÓD. FORÇA ELÉTRICA/LEI DE COULOMB 1. (Fgv 010) Posicionadas rigidamente sobre os vértices de um cubo de aresta 1 m, encontram-se oito cargas elétricas positivas de mesmo módulo. Sendo k o valor da constante

Leia mais

TP064 - CIÊNCIA DOS MATERIAIS PARA EP. FABIANO OSCAR DROZDA

TP064 - CIÊNCIA DOS MATERIAIS PARA EP. FABIANO OSCAR DROZDA TP064 - CIÊNCIA DOS MATERIAIS PARA EP FABIANO OSCAR DROZDA fabiano.drozda@ufpr.br 1 AULA 02 ESTRUTURA ATÔMICA e LIGAÇÃO ATÔMICA CAPÍTULO 02 CALLISTER 5 a Ed. 2 ESTRUTURA ATÔMICA Modelo atômico de Bohr

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA 1 2º BIMESTRE

LISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA 1 2º BIMESTRE Professor (a): Demetrius Leão Segmento: Ensino Médio Data de Entrega: Estudante: EDUCAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO EDUSESC Área Especial 2/3 Lote B Norte Taguatinga DF Componente Curricular: Ano Letivo:

Leia mais

Eletrização e Força Elétrica

Eletrização e Força Elétrica Parte I Eletrização e Força Elétrica 1. (Unicamp 014) A atração e a repulsão entre partículas carregadas têm inúmeras aplicações industriais, tal como a pintura eletrostática. As figuras abaixo mostram

Leia mais

Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 2010. Trabalho de Recuperação de Física (1 e 2º Bimestres) Instruções:

Ensino: Médio Professor: Renato Data:, de 2010. Trabalho de Recuperação de Física (1 e 2º Bimestres) Instruções: Uma Escola ensando em Você luno(a): nº Série: 3 ano Disciplina: Física Ensino: Médio rofessor: Renato Data:, de 010 Trabalho de Recuperação de Física (1 e º imestres) Instruções: 1. O trabalho deverá ser

Leia mais

www.pontodosconcursos.com.br Prof. Guilherme Neves 1

www.pontodosconcursos.com.br Prof. Guilherme Neves 1 Aula 00 Física Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Apresentação Olá, pessoal! Em breve teremos o concurso para Polícia Civil do Distrito Federal. A banca organizadora será o IADES.

Leia mais

CARGA ELÉTRICA. 1.1 Introdução ao Eletromagnetismo

CARGA ELÉTRICA. 1.1 Introdução ao Eletromagnetismo Bertolo Eletromagnetismo 1 CARGA ELÉTRICA 1.1 Introdução ao Eletromagnetismo exceção do relâmpago, as manifestações ordinárias da Natureza, desde o congelamento da água até o crescimento de uma planta,

Leia mais

Física Elétrica Cargas Elétrica e Eletrização Prof. Marco Simões. Exercícios 1

Física Elétrica Cargas Elétrica e Eletrização Prof. Marco Simões. Exercícios 1 Física Elétrica Cargas Elétrica e Eletrização Prof. Marco Simões Exercícios 1 1. Um corpo inicialmente neutro recebe 10 milhões de elétrons. Este corpo adquire uma carga de: (considere! = 1,6 10!!"!).

Leia mais

Lei de Coulomb. Fig.33.1

Lei de Coulomb. Fig.33.1 Lei de Coulomb 1 Fig.33.1 33.1. O único meio que ternos de detectar e medir cargas elétricas que não se deslocam é observar a interação entre corpos eletrizados, ou seja, medindo a força que um exerce

Leia mais

A lei de Coulomb descreve a força elétrica (em Newtons) entre dois corpos carregados com carga Q 1 e Q 2 (em Coulombs) da seguinte maneira: =

A lei de Coulomb descreve a força elétrica (em Newtons) entre dois corpos carregados com carga Q 1 e Q 2 (em Coulombs) da seguinte maneira: = A lei de Coulomb descreve a força elétrica (em Newtons) entre dois corpos carregados com carga Q 1 e Q 2 (em Coulombs) da seguinte maneira: = sendo d a distância (em metros) entre os centros dos corpos

Leia mais

Evolução dos Modelos Atômicos A DESCOBERTA DO ÁTOMO

Evolução dos Modelos Atômicos A DESCOBERTA DO ÁTOMO Evolução dos Modelos Atômicos A DESCOBERTA DO ÁTOMO A DESCOBERTA DAS PARTÍCULAS SUBATÔMICAS Após Dalton ter apresentado sua teoria atômica, em 1808, na qual sugeria que os átomos eram indivisíveis, maciços

Leia mais

Modelos atômicos. Modelo de Bohr

Modelos atômicos. Modelo de Bohr Modelos atômicos Modelo de Bohr O modelo de Bohr apresenta limitações significativas, não servindo para explicar vários dos fenômenos nos quais estão envolvidos elétrons. As deficiências do modelo de Bohr

Leia mais

INSTRUÇÕES. O tempo disponível para a realização das duas provas e o preenchimento da Folha de Respostas é de 5 (cinco) horas no total.

INSTRUÇÕES. O tempo disponível para a realização das duas provas e o preenchimento da Folha de Respostas é de 5 (cinco) horas no total. INSTRUÇÕES Para a realização desta prova, você recebeu este Caderno de Questões. 1. Caderno de Questões Verifique se este Caderno de Questões contém a prova de Conhecimentos Específicos referente ao cargo

Leia mais

Campo Magnético. Prof a. Michelle Mendes Santos michelle.mendes@ifmg.edu.br

Campo Magnético. Prof a. Michelle Mendes Santos michelle.mendes@ifmg.edu.br Campo Magnético Prof a. Michelle Mendes Santos michelle.mendes@ifmg.edu.br O Magnetismo O magnetismo é um efeito observado e estudado há mais de 2000 anos. O magnetismo descreve o comportamento de objetos

Leia mais

aplicada à força sentida por uma carga q 0, devida à N cargas q 1 q 2 q n

aplicada à força sentida por uma carga q 0, devida à N cargas q 1 q 2 q n Eletricidade O Campo eléctrico Consideremos a equação aplicada à força sentida por uma carga q 0, devida à N cargas q 1 q 2 q n onde é a distância desde a carga até o ponto do espaço onde se encontra a

Leia mais

Aula II - Tabela Periódica

Aula II - Tabela Periódica Aula II - Tabela Periódica Tutora: Marcia Mattos Pintos Rio Grande, 16 agosto de 2014. Revisão Átomo: Unidade fundamental da matéria; Partes do átomo: núcleo e eletrosfera. Carga Elétrica das partículas

Leia mais

Física Geral III Capítulo 1 Carga elétrica

Física Geral III Capítulo 1 Carga elétrica Física Geral III Capítulo 1 Carga elétrica (Cap. 23 halliday, Cap. 21 Sears, Cap 29 Tipler vol 2) (1 ª Aula/2 Aula) Sumário: 1.1 Introdução 1.2 A carga Elétrica 1.3 - A carga Elétrica e a Estrutura da

Leia mais

FÍSICA (Eletromagnetismo) CAMPOS ELÉTRICOS

FÍSICA (Eletromagnetismo) CAMPOS ELÉTRICOS FÍSICA (Eletromagnetismo) CAMPOS ELÉTRICOS 1 O CONCEITO DE CAMPO Suponhamos que se fixe, num determinado ponto, uma partícula com carga positiva, q1, e a seguir coloquemos em suas proximidades uma segunda

Leia mais

Turma: Terça-feira ( ) Quarta-feira diurno ( ) Quarta-feira noturno ( ) Quinta-feira ( ) Sexta-feira ( ) Nome do aluno ID Assinatura

Turma: Terça-feira ( ) Quarta-feira diurno ( ) Quarta-feira noturno ( ) Quinta-feira ( ) Sexta-feira ( ) Nome do aluno ID Assinatura 005 Lista de exercícios que deve ser entregue no dia da prova (conteúdo: propriedades da matéria, unidades de medidas, estrutura atômica, propriedades eletrônicas e tabela periódica Química para Engenharia

Leia mais

LISTA DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1º SEMESTRE 3º ANO

LISTA DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1º SEMESTRE 3º ANO Maceió - Alagoas FÍSICA TIO BUBA LISTA DE RECUPERAÇÃO DE FÍSICA 1º SEMESTRE 3º ANO Professor(a): JOÃO CARLO ( BUBA) 01) O campo elétrico gerado em P, por uma carga puntiforme positiva de valor +Q a uma

Leia mais

A forma geral de uma equação de estado é: p = f ( T,

A forma geral de uma equação de estado é: p = f ( T, Aula: 01 Temática: O Gás Ideal Em nossa primeira aula, estudaremos o estado mais simples da matéria, o gás, que é capaz de encher qualquer recipiente que o contenha. Iniciaremos por uma descrição idealizada

Leia mais

Leupico a matéria é discreta ou contínua? - átomos

Leupico a matéria é discreta ou contínua? - átomos Estrutura Atômica A descoberta da estrutura atômica Os gregos antigos foram os primeiros a postular que a matéria é constituída de elementos indivisíveis. Thales água Anaxímenes ar Heráclito fogo Empédocles

Leia mais

Lei de Coulomb. Página 1 de 9

Lei de Coulomb. Página 1 de 9 1. (Unesp 2015) Em um experimento de eletrostática, um estudante dispunha de três esferas metálicas idênticas, A, B e C, eletrizadas, no ar, com cargas elétricas 5Q, 3Q e 2Q, respectivamente. Utilizando

Leia mais

MICROFONE E ALTIFALANTE

MICROFONE E ALTIFALANTE MICROFONE E ALTIFALANTE Um microfone é um transdutor que transforma energia mecânica (onda sonora) em energia elétrica (sinal elétrico de corrente alternada). O altifalante é um transdutor que transforma

Leia mais

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 7

IBM1018 Física Básica II FFCLRP USP Prof. Antônio Roque Aula 7 Potencial Elétrico Quando estudamos campo elétrico nas aulas passadas, vimos que ele pode ser definido em termos da força elétrica que uma carga q exerce sobre uma carga de prova q 0. Essa força é, pela

Leia mais

A força elétrica F, que a carga negativa q sofre, e o campo elétrico E, presente no ponto onde ela é fixada, estão corretamente representados por

A força elétrica F, que a carga negativa q sofre, e o campo elétrico E, presente no ponto onde ela é fixada, estão corretamente representados por MOD 3. CAMPO ELETRICO 1. (Uea 014) Duas cargas elétricas puntiformes, Q e q, sendo Q positiva e q negativa, são mantidas a uma certa distância uma da outra, conforme mostra a figura. A força elétrica F,

Leia mais

RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS PROPOSTOS AULA 01 TURMA ANUAL. 05. Item A

RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS PROPOSTOS AULA 01 TURMA ANUAL. 05. Item A RESOLUÇÃO DE EXERCÍCIOS PROPOSTOS 01. Item B AULA 01 TURMA ANUAL I Correto. Ao passar para um nível mais interno o elétron emite energia na forma de luz. II Falso. Rutherford não propôs um átomo maciço,

Leia mais

TEORIA DOS ORBITAIS MOLECULARES -TOM

TEORIA DOS ORBITAIS MOLECULARES -TOM TEORIA DOS ORBITAIS MOLECULARES -TOM TOM - Importância - Elucidar alguns aspectos da ligação não explicados pelas estruturas de Lewis, pela teoria da RPENV e pela hibridização. - Exemplo: Por que o O 2

Leia mais

www.professormazzei.com - ATOMÍSTICA Folha 04 João Roberto Mazzei

www.professormazzei.com - ATOMÍSTICA Folha 04 João Roberto Mazzei Questão 01 Rutherford idealizou um modelo atômico com duas regiões distintas. Esse modelo pode ser comparado a um estádio de futebol com a bola no centro: a proporção entre o tamanho do estádio em relação

Leia mais

Aula 12.2 Conteúdo: Magnetismo: Campo magnético e suas características. Os fenômenos magnéticos Experiência de Oersted. INTERATIVIDADE FINAL

Aula 12.2 Conteúdo: Magnetismo: Campo magnético e suas características. Os fenômenos magnéticos Experiência de Oersted. INTERATIVIDADE FINAL Aula 12.2 Conteúdo: Magnetismo: Campo magnético e suas características. Os fenômenos magnéticos Experiência de Oersted. 2 Habilidades: Identificar as características próprias dos campos magnéticos e suas

Leia mais

CINEMÁTICA DO PONTO MATERIAL

CINEMÁTICA DO PONTO MATERIAL 1.0 Conceitos CINEMÁTICA DO PONTO MATERIAL Cinemática é a parte da Mecânica que descreve os movimentos. Ponto material é um corpo móvel cujas dimensões não interferem no estudo em questão. Trajetória é

Leia mais

2. Duas partículas eletricamente carregadas com cargas Q 1 = +8, C e Q 2 = -5,0.10 -

2. Duas partículas eletricamente carregadas com cargas Q 1 = +8, C e Q 2 = -5,0.10 - EXERCÍCIOS DE REVISÃO PARA PROVA EAD 1. Duas cargas iguais de 54.10-8 C, se repelem no vácuo e estão separadas por uma distância de 30cm. Sabendo-se que a constante elétrica do vácuo é 9.10 9 Nm 2 /C 2,

Leia mais

Ligações Iônicas. Tipos de Ligações

Ligações Iônicas. Tipos de Ligações Ligações Iônicas Tipos de Ligações Existem diversos tipos de ligações para se considerar quando analisar a composição química de um composto. Uma ligação pode ser definida como uma força que prende grupos

Leia mais

Propriedades Elétricas do Materiais

Propriedades Elétricas do Materiais Propriedades Elétricas do Materiais Por que estudar propriedades elétricas dos materiais? Apreciação das propriedades elétricas de materiais é muitas vezes importante, quando na seleção de materiais e

Leia mais

2-ELETROMAGNETISMO (Página 24 a 115 da apostila Fundamentos do Eletromagnetismo, do professor Fernando Luiz Rosa ( Mussoi

2-ELETROMAGNETISMO (Página 24 a 115 da apostila Fundamentos do Eletromagnetismo, do professor Fernando Luiz Rosa ( Mussoi 2-ELETROMAGNETISMO (Página 24 a 115 da apostila Fundamentos do Eletromagnetismo, do professor Fernando Luiz Rosa ( Mussoi Disciplina de Eletromagnetismo 1 COMPETÊNCIAS Conhecer as leis fundamentais do

Leia mais

CONFIGURAÇÕES ELETRÔNICAS E PERIODICIDADE QUÍMICA

CONFIGURAÇÕES ELETRÔNICAS E PERIODICIDADE QUÍMICA CONFIGURAÇÕES ELETRÔNICAS E PERIODICIDADE QUÍMICA A tabela periódica é o guia para a ordem na qual os orbitais são preenchidos. Ela está estruturada de forma que os elementos com o mesmo padrão de configurações

Leia mais

Evolução dos Modelos Atômicos

Evolução dos Modelos Atômicos Evolução dos Modelos Atômicos 1. (Puc - RS) O átomo, na visão de Thomson, é constituído de a) níveis e subníveis de energia. b) cargas positivas e negativas. c) núcleo e eletrosfera. d) grandes espaços

Leia mais

3 Reações Proibidas por Spin

3 Reações Proibidas por Spin 3 Reações Proibidas por Spin Em reações químicas, elétrons ligantes são redistribuídos quando ligações químicas são quebradas e formadas. Quando alguns dos elétrons dos reagentes ou dos produtos são desemparelhados,

Leia mais

OLIMPÍADA PIAUIENSE DE QUÍMICA - 2014 Modalidade EF

OLIMPÍADA PIAUIENSE DE QUÍMICA - 2014 Modalidade EF OLIMPÍADA PIAUIENSE DE QUÍMICA - 2014 Modalidade EF INSTRUÇÕES 1 Esta prova contém oito questões no total, sendo duas questões abertas e seis questões de múltipla escolha. 2 Antes de iniciar a prova, confira

Leia mais

Do que somos feitos? >>Vídeo: Física- Química- Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)<<

Do que somos feitos? >>Vídeo: Física- Química- Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)<< Prof. Gabriel Aká Do que somos feitos? >>Vídeo: Física Química Os Primeiros Modelos Atômicos (Dalton, Thomson, Rutherford, Bohr)>Átomo

Leia mais

NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA

NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA NOTAS DE AULAS DE FÍSICA MODERNA Prof. Carlos R. A. Lima CAPÍTULO 4 MODELOS ATÔMICOS E VELHA TEORIA QUÂNTICA Edição de janeiro de 2009 CAPÍTULO 4 MODELOS ATÔMICOS E VELHA TEORIA QUÂNTICA ÍNDICE 4.1- Primórdios

Leia mais

MASSA ATÔMICA, MOLECULAR, MOLAR, NÚMERO DE AVOGADRO E VOLUME MOLAR.

MASSA ATÔMICA, MOLECULAR, MOLAR, NÚMERO DE AVOGADRO E VOLUME MOLAR. MASSA ATÔMICA, MOLECULAR, MOLAR, NÚMERO DE AVOGADRO E VOLUME MOLAR. UNIDADE DE MASSA ATÔMICA Em 1961, na Conferência da União Internacional de Química Pura e Aplicada estabeleceu-se: DEFINIÇÃO DE MASSA

Leia mais

corpos eletrizados carg r a g s campo elétrico

corpos eletrizados carg r a g s campo elétrico Introdução A princípio vimos que corpos eletrizados ficam sujeitos a forças de atração ou de repulsão, dependendo dos tipos de cargas que possuem. Um corpo eletrizado é capaz de repelir e de ser repelido

Leia mais

FUNDAÇÃO LUSÍADA UNILUS CURSO DE TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA ANDRÉ LUIZ SILVA DE JESUS SÍNTESE DA MATÉRIA DE FÍSICA APLICADA DO 1º SEMESTRE

FUNDAÇÃO LUSÍADA UNILUS CURSO DE TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA ANDRÉ LUIZ SILVA DE JESUS SÍNTESE DA MATÉRIA DE FÍSICA APLICADA DO 1º SEMESTRE FUNDAÇÃO LUSÍADA UNILUS CURSO DE TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA ANDRÉ LUIZ SILVA DE JESUS SÍNTESE DA MATÉRIA DE FÍSICA APLICADA DO 1º SEMESTRE SANTOS 2012 Matéria, Energias e Interações Para a produção dos raios

Leia mais

+++++++ - - - - - - -

+++++++ - - - - - - - www.pascal.com.br Prof. Edson Osni Ramos 3. (UEPG - 99) ε = 2 - - - - - - - d = 0,2 cm = 0,002 m Entre as placas do capacitor não há corrente elétrico (existe um dielétrico). Nesse caso, o capacitor está

Leia mais

ROLAMENTO, TORQUE E MOMENTUM ANGULAR Física Geral I (1108030) - Capítulo 08

ROLAMENTO, TORQUE E MOMENTUM ANGULAR Física Geral I (1108030) - Capítulo 08 ROLAMENTO, TORQUE E MOMENTUM ANGULAR Física Geral I (1108030) - Capítulo 08 I. Paulino* *UAF/CCT/UFCG - Brasil 2012.2 1 / 21 Sumário Rolamento Rolamento como rotação e translação combinados e como uma

Leia mais

CAMPO ELÉTRICO E POTENCIAL ELÉTRICO

CAMPO ELÉTRICO E POTENCIAL ELÉTRICO AULA 24 1- CAMPO ELÉRTRICO CAMPO ELÉTRICO E POTENCIAL ELÉTRICO Campo elétrico é uma região do espaço modificada (perturbação eletrostática) pela presença de um corpo eletrizado (carga fonte). Considere

Leia mais

Colégio Saint Exupéry

Colégio Saint Exupéry Colégio Saint Exupéry Apostila QUÍMICA No nosso dia-a-dia o ato de classificar as coisas é algo corriqueiro. Em um faqueiro colocamos em um mesmo espaço as facas, em outro os garfos, etc. Agrupar coisas

Leia mais

Principais modelos atômicos. Modelo Atômico de Thomson (1898)

Principais modelos atômicos. Modelo Atômico de Thomson (1898) Principais modelos atômicos Modelo Atômico de Thomson (1898) Com a descoberta dos prótons e elétrons, Thomson propôs um modelo de átomo no qual os elétrons e os prótons, estariam uniformemente distribuídos,

Leia mais

1 Notas de aula Prof. Johny Carvalho

1 Notas de aula Prof. Johny Carvalho 1 Notas de aula Prof. Johny Carvalho 1.1 Tópicos Campo elétrico Conceito de campo elétrico Unidade de intensidade de campo elétrico Campo elétrico de uma carga puntiforme Q fixa Campo elétrico de várias

Leia mais

Luz Polarizada. Luz natural. Luz Polarizada. Luz polarizada

Luz Polarizada. Luz natural. Luz Polarizada. Luz polarizada Óptica Polarização da luz Luz Polarizada Luz natural Luz Polarizada Luz polarizada Dupla refração ou Birrefringência Sólidos amorfos: átomos distribuídos aleatoriamente. A velocidade da luz é a mesma em

Leia mais

Lei de Gauss e Condutores em Equilíbrio Eletrostático

Lei de Gauss e Condutores em Equilíbrio Eletrostático Lei de Gauss e Condutores em Equilíbrio Eletrostático 2008 Fluxo Elétrico: Está relacionado com o número líquido de linhas de força que atravessam uma superfície. φ e = EA 1 ou φ e = EA 2 cosθ = E ˆnA2

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL YVONE PIMENTEL CURITIBA - PARANÁ DISCIPLINA: FÍSICA

COLÉGIO ESTADUAL YVONE PIMENTEL CURITIBA - PARANÁ DISCIPLINA: FÍSICA COLÉGIO ESTADUAL YVONE PIMENTEL CURITIBA - PARANÁ DISCIPLINA: FÍSICA - Professor: Ronald Wykrota (wykrota@uol.com.br) EJA INDIVIDUAL - 3ª SÈRIE AULAS 01 e 02 ELETRICIDADE: É a parte da Física que estuda

Leia mais

PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO Vestibular ITA 2016 QUÍMICA

PROVA COMENTADA PELOS PROFESSORES DO CURSO POSITIVO Vestibular ITA 2016 QUÍMICA 01. Alternativa: A 02. Alternativa: E 03. Alternativa: SEM RESPOSTA 04. Alternativa: E PROVA COMENTADA PELOS 05. Alternativa: C 06. A soma do n ọ de prótons com o n ọ de nêutrons é definido como número

Leia mais

Capítulo 2 Estrutura Atômica

Capítulo 2 Estrutura Atômica Capítulo 2 Estrutura Atômica Teoria atômica da matéria John Dalton: Cada elemento é composto de átomos. Todos os átomos de um elemento são idênticos. Nas reações químicas, os átomos não são alterados.

Leia mais

2005 by Pearson Education. Capítulo 09

2005 by Pearson Education. Capítulo 09 QUÍMICA A Ciência Central 9ª Edição Capítulo 9: Geometria molecular e teorias de ligação David P. White Formas espaciais moleculares As estruturas de Lewis fornecem a conectividade atômica: elas nos mostram

Leia mais

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 30 QUANTIDADE DE MOVIMENTO E IMPULSÃO REVISÃO

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 30 QUANTIDADE DE MOVIMENTO E IMPULSÃO REVISÃO FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 30 QUANTIDADE DE MOVIMENTO E IMPULSÃO REVISÃO Como pode cair no enem? Quando uma fábrica lança um modelo novo de automóvel é necessário que muitos testes sejam feitos para garantir

Leia mais

1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera?

1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera? 1 - Na eletrosfera de um átomo de magnésio temos 12 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera? 2 - Na eletrosfera de um átomo de carbono temos 6 elétrons. Qual a carga elétrica de sua eletrosfera?

Leia mais

INF01 118 Técnicas Digitais para Computação. Conceitos Básicos de Circuitos Elétricos. Aula 2

INF01 118 Técnicas Digitais para Computação. Conceitos Básicos de Circuitos Elétricos. Aula 2 INF01 118 Técnicas Digitais para Computação Conceitos Básicos de Circuitos Elétricos Aula 2 1. Grandezas Elétricas 1.1 Carga A grandeza fundamental em circuitos elétricos é a carga elétrica Q. As cargas

Leia mais

Centro de gravidade de um corpo é o ponto onde podemos supor que seu peso esteja aplicado.

Centro de gravidade de um corpo é o ponto onde podemos supor que seu peso esteja aplicado. Apostila de Revisão n 4 DISCIPLINA: Física NOME: N O : TURMA: 2M311 PROFESSOR: Glênon Dutra DATA: Mecânica - 4. Corpo Rígido 4.1. Torque análise semiquantitativa, na Primeira Etapa, e quantitativa, na

Leia mais

mais vapores do vinho. É, portanto, uma mistura homogênea.

mais vapores do vinho. É, portanto, uma mistura homogênea. Resolução das atividades complementares Química p. I. Falsa. As amostras A e B contêm a mesma substância (naftalina). Essas amostras se fundem, portanto, na mesma temperatura. II. Falsa. A temperatura

Leia mais

EXERCÍCIOS CONFIGURAÇÃO ELETRÔNICA E PROPRIEDADES ATÔMICAS E TENDÊNCIAS PERIÓDICAS

EXERCÍCIOS CONFIGURAÇÃO ELETRÔNICA E PROPRIEDADES ATÔMICAS E TENDÊNCIAS PERIÓDICAS EXERCÍCIOS CONFIGURAÇÃO ELETRÔNICA E PROPRIEDADES ATÔMICAS E TENDÊNCIAS PERIÓDICAS Questão 1 O cloreto de tionila, SOCl 2, é um importante agente de coloração e um importante agente oxidande em química

Leia mais

ESTRUTURA DO ÁTOMO. 3. (G1 - cftmg 2016) Sobre as propriedades do íon sulfeto ( ) verdadeiro ou (F) para falso.

ESTRUTURA DO ÁTOMO. 3. (G1 - cftmg 2016) Sobre as propriedades do íon sulfeto ( ) verdadeiro ou (F) para falso. 1. (Udesc 2014) O enunciado Em um mesmo átomo, não podem existir dois elétrons com o mesmo conjunto de números quânticos refere-se a(ao): a) Princípio da Exclusão de Pauli. b) Princípio da Conservação

Leia mais

Profª.. Carla da Silva Meireles

Profª.. Carla da Silva Meireles Estrutura eletrônica dos átomos Profª.. Carla da Silva Meireles O que fazem os elétrons? Como eles se mantém em órbita? As leis da física eram insatisfatórias para descrever movimento de partículas tão

Leia mais

Analogia com a polarização elétrica

Analogia com a polarização elétrica Analogia com a polarização elétrica Polarização orientação de dipolos elétricos, devido à ação de um campo elétrico. Magnetização - orientação de dipolos magnéticos, devido à ação de um campo magnético.

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA

CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA CENTRO EDUCACIONAL SESC CIDADANIA Professor: Vilson Mendes Lista de exercícios de Física I ENSINO MÉDIO NOTA: Aluno (: Data SÉRIE/TURMA 3ª Lista 2 Campo Elétrico 1. Em certa região existe um vetor campo

Leia mais

Química. Resolução das atividades complementares. Q33 Distribuição eletrônica

Química. Resolução das atividades complementares. Q33 Distribuição eletrônica Resolução das atividades complementares 3 Química Q33 Distribuição eletrônica p. 6 1 (Uniube-MG) Um átomo cuja configuração eletrônica é 1s 2 2s 2 2p 6 3s 2 3p 6 4s 2 tem como número atômico: a) 10 c)

Leia mais

A unidade de freqüência é chamada hertz e simbolizada por Hz: 1 Hz = 1 / s.

A unidade de freqüência é chamada hertz e simbolizada por Hz: 1 Hz = 1 / s. Movimento Circular Uniforme Um movimento circular uniforme (MCU) pode ser associado, com boa aproximação, ao movimento de um planeta ao redor do Sol, num referencial fixo no Sol, ou ao movimento da Lua

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS ÓTICOS

ASSOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS ÓTICOS ASSOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS ÓTICOS Neste artigo, a Equipe SEI aborda um assunto que é bastante cobrado nos concursos militares: a associação de instrumentos óticos. Você encontrará um resumo teórico, dois

Leia mais

RESPOSTA: C. a) só a I. b) só a II. c) só a III. d) mais de uma. e) N.d.a. RESPOSTA: C

RESPOSTA: C. a) só a I. b) só a II. c) só a III. d) mais de uma. e) N.d.a. RESPOSTA: C 1. (ITA - 1969) Usando L para comprimento, T para tempo e M para massa, as dimensões de energia e quantidade de movimento linear correspondem a: Energia Quantidade de Movimento a) M L T -1... M 2 L T -2

Leia mais

Metais. Grande número de entidades iguais mantidas coesas em um retículo cristalino.

Metais. Grande número de entidades iguais mantidas coesas em um retículo cristalino. Ligações Metálicas Grande número de entidades iguais mantidas coesas em um retículo cristalino. Metais Não pode ser explicado pela teoria das ligações covalentes o arranjo dos metais não segue o padrão

Leia mais

06-11-2015. Sumário. Da Terra à Lua. Movimentos no espaço 02/11/2015

06-11-2015. Sumário. Da Terra à Lua. Movimentos no espaço 02/11/2015 Sumário UNIDADE TEMÁTICA 1 Movimentos na Terra e no Espaço. Correção do 1º Teste de Avaliação. Movimentos no espaço. Os satélites geoestacionários. - O Movimentos de satélites. - Características e aplicações

Leia mais

Um espelho é uma superfície muito lisa e que permita alto índice de reflexão da luz que incide sobre ele. Espelhos possuem formas variadas:

Um espelho é uma superfície muito lisa e que permita alto índice de reflexão da luz que incide sobre ele. Espelhos possuem formas variadas: * 16/03/16 Um espelho é uma superfície muito lisa e que permita alto índice de reflexão da luz que incide sobre ele. Espelhos possuem formas variadas: * *Definição *Um espelho plano é aquele em que a superfície

Leia mais

Unidade 13 Introdução à Dinâmica Impulsiva. Introdução Quantidade de Movimento Impulso Teorema do Impulso

Unidade 13 Introdução à Dinâmica Impulsiva. Introdução Quantidade de Movimento Impulso Teorema do Impulso Unidade 13 Introdução à Dinâmica Impulsiva Introdução Quantidade de Movimento Impulso Teorema do Impulso Introdução Em um acidente automobilístico, nem sempre é fácil descobrir quem foi o culpado. Por

Leia mais

Prof. Renato. SESI Carrão. Física 3ª. Série 2011. Aula 25. Eletromagnetismo

Prof. Renato. SESI Carrão. Física 3ª. Série 2011. Aula 25. Eletromagnetismo Aula 25 1. James C. Maxwell Teoria do (~ 1870); Compilação das teorias sobre eletricidade, magnetismo e eletromagnetismo construídas até então (1600 a 1870); Desenvolvimento da Lei de Ampère; Previsão

Leia mais

Disciplina: Física Turma:3º ano Professor: André Antunes Escola SESI Jundiaí Aluno (a): Data: / / 2017.

Disciplina: Física Turma:3º ano Professor: André Antunes Escola SESI Jundiaí Aluno (a): Data: / / 2017. LISTA DE EXERCÍCIOS CAMPO ELÉTRICO E ELETRODINÂMICA 1- Não é necessário folha em anexo (Fazer na própria lista); 2- Leia com atenção para descobrir o que o exercício pede e retire os dados; 3- Verifique

Leia mais

ELETROMAGNETISMO FONTES DE CAMPO MAGNÉTICO

ELETROMAGNETISMO FONTES DE CAMPO MAGNÉTICO 1. (Ufpe) Constantes físicas necessárias para a solução dos problemas: Dois fios longos, iguais e paralelos, separados por 12 mm e transportando correntes iguais a 80 ma, se atraem com uma força F. Se

Leia mais

Lição 2. Instrução Programada

Lição 2. Instrução Programada Lição 2 Na lição anterior falamos da matéria, analisando sua constituição. Verificamos que a natureza da eletricidade poderia ser revelada pelo estudo das partículas constituintes do átomo. Havíamos chegado

Leia mais

a) N B > N A > N C. b) N B > N C > N A. c) N C > N B > N A. d) N A > N B > N C. e) N A = N C = N B.

a) N B > N A > N C. b) N B > N C > N A. c) N C > N B > N A. d) N A > N B > N C. e) N A = N C = N B. Prof. Renato SESI Carrão Física 1º. ano 2011 Lista de exercícios 1 (Aulas 13 a 24) *** Formulário *** v = Δx/Δt Δx = x f x i Δt = t f t i a = Δv/Δt Δv = v f v i F R = m.a g = 10 m/s 2 P = m.g F at = μ.n

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Escola que a gente quer é a Escola que a gente faz!

ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Escola que a gente quer é a Escola que a gente faz! ESCOLA ESTADUAL JOÃO XXIII A Escola que a gente quer é a Escola que a gente faz! NATUREZA DA ATIVIDADE: EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO - ELETROSTÁTICA DISCIPLINA: FÍSICA ASSUNTO: CAMPO ELÉTRICO, POTENCIAL ELÉTRICO,

Leia mais

21- EXERCÍCIOS FUNÇÕES DO SEGUNDO GRAU

21- EXERCÍCIOS FUNÇÕES DO SEGUNDO GRAU 1 21- EXERCÍCIOS FUNÇÕES DO SEGUNDO GRAU 1. O gráfico do trinômio y = ax 2 + bx + c. Qual a afirmativa errada? a) se a > 0 a parábola possui concavidade para cima b) se b 2 4ac > 0 o trinômio possui duas

Leia mais

Coeficiente de Assimetria e Curtose. Rinaldo Artes. Padronização., tem as seguintes propriedades: Momentos

Coeficiente de Assimetria e Curtose. Rinaldo Artes. Padronização., tem as seguintes propriedades: Momentos Coeficiente de Assimetria e Curtose Rinaldo Artes 2014 Padronização Seja X uma variável aleatória com E(X)=µ e Var(X)=σ 2. Então a variável aleatória Z, definida como =, tem as seguintes propriedades:

Leia mais

Capítulo 13. Quantidade de movimento e impulso

Capítulo 13. Quantidade de movimento e impulso Capítulo 13 Quantidade de movimento e impulso Quantidade de movimento e impulso Introdução Neste capítulo, definiremos duas grandezas importantes no estudo do movimento de um corpo: uma caracterizada pela

Leia mais