CYNTHIA A. MONTGOMERY O ESTRATEGA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CYNTHIA A. MONTGOMERY O ESTRATEGA"

Transcrição

1 CYNTHIA A. MONTGOMERY O ESTRATEGA Seja o líder de que a sua empresa precisa The Strategist Traduzido do inglês por Maria Teresa Castanheira

2 Para Anneke, Mathea e Nils, Que encontrem lugares onde possam fazer a diferença E para Bjørn, para todo o sempre

3 ÍNDICE Agradecimentos 9 INTRODUÇÃO: O que Aprendi no Horário de Atendimento Estratégia e Liderança É um Estratega? O Mito do Supergestor Começar com uma Finalidade Transformar a Finalidade em Realidade A sua Própria Estratégia Mantenha Tudo Vibrante O Indispensável Estratega 163 Nota da Autora 181 Questões Frequentes 183 Leituras Recomendadas 191 Notas 197

4 AGRADECIMENTOS Enquanto redigia este livro, não me saía da cabeça uma frase do último capítulo de As Aventuras de Huckleberry Finn: Se eu soubesse o trabalho que dá fazer um livro nunca me tinha metido nisto. Ao olhar retrospetivamente para o processo, fico impressionada com o lado comunitário do projeto e com as pessoas competentes que ele pôs no meu caminho. Agradeço o apoio financeiro do Departamento de Investigação na Harvard Business School e a autorização dada pela Harvard Business Review para utilizar partes de um artigo meu aí publicado. Também agradeço a oportunidade que tive de trabalhar com Lynda Applegate, Jackie Baugher e Kathleen Mara na Formação de Executivos; Cathyjean Gustafson no Morgan Hall; Imelda Dundas na Faculty Development; e Chris Allen e outros na Baker Library. Uma das colaborações mais gratificantes foi a de Sharon Johnson e David Kiron, quando lançáramos as primeiras ideias para o livro. Os casos de estudo do meu colega David Yoffie sobre a Gucci e a Apple são parte essencial dos meus cursos de formação de executivos e pontos de partida de dois capítulos deste livro. De um modo mais geral, a comunidade intelectual da HBS e, em particular, o grupo de Estratégia têm tido uma enorme influência na minha visão do mundo e no modo como ensino. Durante a redação do livro, surgiu uma nova comunidade: Jim Levine, que me mostrou as diversas maneiras de as boas editoras criarem valor; a minha editora na HarperCollins, Hollis Heimbouch, com cujas apreciações pude contar; Charles Burke, cuja ponderação no discurso melhorou muitos parágrafos menos conseguidos; e Karen Blumenthal, Kent Lineback, Susanna Margolis e Lisa Baker que ajudaram nos diversos esboços da proposta e do manuscrito. 9

5 O ESTRATEGA Foi um privilégio trabalhar com os empresários e os gestores de todo o mundo que inspiraram este livro e me fizeram ver quanto acrescentaram às suas empresas enquanto estrategas. Agradeço -lhes por partilharem as suas histórias e por me terem encorajado a contar a minha. Em casa, agradeço ao meu marido, Birger, que manteve a chama acesa, mesmo quando tudo parecia esmorecer. 10

6 No final, é importante lembrarmo -nos de que não podemos ser o que temos de ser continuando a ser o que somos. Max De Pree, diretor executivo da Herman Miller, in Leadership is an Art

7 INTRODUÇÃO: O QUE APRENDI NO HORÁRIO DE ATENDIMENTO Está prestes a obter uma visão revisionista do conceito de estratégia. Não que aquilo que aprendeu esteja incorreto. A questão é que está incompleto. Estratégia é um dos cursos fundamentais de praticamente todas as escolas de gestão do mundo. Tive o privilégio de ensinar diversas modalidades de estratégia durante mais de 30 anos primeiro na Universidade de Michigan, depois na Kellogg School, na Northwestern e, nos últimos 20 e poucos anos, na Harvard Business School. Durante a maior parte do tempo, trabalhei com estudantes de MBA, até a formação executiva se ter tornado central no meu ensino. Foi esta experiência, especialmente o período de cinco anos no programa Harvards Entrepreneur, Owner, President (EOP), que inspirou este livro 1. O trabalho com líderes de quase todos os ramos de atividade e de quase todas as nações que se confrontavam com os seus problemas de estratégia no mundo real mudou não só o modo como ensino estratégia, mas também, e principalmente, o meu pensamento sobre estratégia. Esta experiência fez -me pôr em causa algumas regras básicas da estratégia e, em última análise, questionar tanto a cultura como a mentalidade que se desenvolveu à sua volta. Mais importante ainda, ensinar no EOP obrigou -me a conhecer o modo como se constrói a estratégia na maior parte dos negócios e pela mão de quem. Foi tudo isto que me fez acreditar que chegou o momento de mudar. Está na altura de abordar a estratégia de uma forma diferente e de transformar uma atividade mecânica e analítica num processo mais profundo, mais significativo e, de longe, mais gratificante para um líder. 13

8 O ESTRATEGA O CAMINHO PERCORRIDO Há 50 anos, ensinava -se Estratégia na maioria das escolas de gestão, como parte do currículo geral. Tanto no ensino universitário como na prática, era identificada como o dever mais importante do presidente a pessoa que tinha como principal responsabilidade estabelecer o rumo de uma empresa e desenvolvê -lo. Esta função decisiva envolvia tanto a conceção como a implementação: combinava pensar e fazer. Embora o conceito de estratégia tivesse uma profundidade considerável, não era muito rigoroso. Os gestores utilizavam, de forma heurística, o muito generalizado modelo SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities, and Threats) * para avaliarem os seus negócios e identificarem as situações competitivas mais atraentes. Porém, estava longe de ser clara a melhor forma de o fazer. Além de fazerem listas dos diversos fatores a ter em conta, os gestores tinham poucos instrumentos para os ajudarem nestas avaliações. Nas décadas de 1980 e 1990, o meu colega Michael E. Porter abriu um importante caminho nesta área. Aquilo que mudou decisivamente a análise foi o reforço do aspeto Oportunidades e Ameaças, completando as bases da estratégia com a muito necessária teoria económica e com as provas empíricas, fornecendo, assim, uma maneira muito mais sofisticada de avaliar o ambiente competitivo de uma empresa. A partir daqui aconteceu uma revolução tanto na prática como no ensino da estratégia. Mais especificamente, os gestores começaram a compreender o impacto profundo que as forças do ramo de atividade poderiam ter no sucesso das suas empresas e como poderiam utilizar a informação para as posicionar favoravelmente. Os progressos das últimas décadas não só aperfeiçoaram os instrumentos, mas também difundiram um ramo de atividade completamente novo. Em muitos aspetos, a estratégia tornou -se o bailiado de especialistas legiões de graduados do MBA e consultores de estra- * No original. Análise de Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças. (N. da T.) 14

9 O QUE APRENDI NO HORÁRIO DE ATENDIMENTO tégia, armados com quadros conceptuais, com técnicas e dados interessados em ajudar os gestores a analisarem os seus respetivos ramos de atividade, ou a posição das suas empresas, com vista a obterem uma vantagem estratégica. Na verdade, tinham muito para dar. A própria formação académica e investigação que fiz durante este período refletiram este ambiente intelectual, e aquilo que fiz na sala de aula, desde essa altura e durante muitos anos, era a encarnação viva deste novo campo da estratégia. Porém, com o tempo, aquilo que era bom por direito próprio desencadeou um conjunto de consequências indesejadas. Mais especificamente, a estratégia passou a prender -se mais com a formulação do que com a implementação, e mais com a obtenção da análise correta inicial do que com a convivência com uma estratégia ao longo do tempo. De forma igualmente problemática, a função singular do líder como um árbitro e um guardião da estratégia foi obnubilada. Embora se tenham escrito inúmeros livros sobre estratégia nos últimos 30 anos, praticamente nada se escreveu sobre o estratega e sobre aquilo que este papel decisivo exige da pessoa que é responsável por ele. Só muito depois desta mudança compreendi plenamente o que tinha acontecido. Era um clássico Shakespeare: Como numa peça, tínhamo -nos tornado vítimas das nossas próprias maquinações. Tínhamos feito com que a estratégia descesse do seu lugar de topo na organização para se tornar numa função especializada. Desejando um novo ideal, tínhamos perdido de vista o valor daquilo que tínhamos a riqueza da capacidade de julgar, a continuidade do objetivo, a vontade de comprometer a organização com um determinado caminho. Cheios de boas intenções, tínhamos encurralado a estratégia e tínhamo -la reduzido a um mero exercício intelectual. Ao fazê -lo, perdemos uma grande parte da sua vitalidade e muita da sua relação com a vida quotidiana de uma empresa e, ao mesmo tempo, perdemos de vista aquilo que é necessário para a conduzir. Ensinar no programa EOP fez com que me apercebesse destes problemas. 15

10 O ESTRATEGA Quando comecei a trabalhar com o grupo, recorri a um currículo que era muito parecido com aquele que usaria em qualquer programa para executivos. Ao longo de várias discussões e apresentações, nas aulas, discutimos os princípios duradouros da estratégia, os quadros conceptuais que os captam e uma diversidade de casos de estudo que deram vida aos conceitos e às tensões. Ainda o fazemos sendo uma parte muito valiosa daquilo que fazemos. Porém, nos intervalos das aulas, os estudantes do EOP todos eles executivos e empresários talentosos começaram a pedir -me para se encontrarem comigo no meu gabinete, para falarem das mais diversas situações com que se deparavam nas suas empresas. Muitas vezes, estas conversas ocorriam num horário pouco habitual e, por vezes, duravam até à noite. Muitas começavam de forma relativamente previsível. Falávamos das condições dos seus ramos de atividade, das forças e das fraquezas e dos esforços que faziam para construir e ampliar uma vantagem competitiva. Muitas destas discussões acabavam aí e uma aplicação sensata daquilo que estivéramos a fazer na aula, fosse o que fosse, parecia dar conta das necessidades. Contudo estas conversas assumiam frequentemente um rumo diferente. A par de todos os pontos convencionais, colocavam -se outros, relacionados com a questão de saber o que fazer quando se atingiam os limites da análise e o caminho a seguir ainda não era suficientemente claro, questões sobre qual a melhor altura para abandonar uma vantagem competitiva existente e a melhor altura para manter o rumo; sobre a reinvenção de um negócio ou a identificação de um novo objetivo, uma nova razão para ter importância. Embora muitas das empresas em causa tivessem um sucesso bastante considerável (uma delas crescera até um lucro de 2 mil milhões de dólares em apenas nove anos), quase nenhuma tinha o tipo de vantagem competitiva sustentável a longo prazo que era ensinado nos livros de estratégia como sendo o Santo Graal. Ao trabalhar com estes gestores, normalmente na casa dos 30 anos, e ao ouvir as suas histórias, acabei por concluir que não podemos dar -nos ao luxo de pensar na estratégia como algo estabelecido, como 16

11 O QUE APRENDI NO HORÁRIO DE ATENDIMENTO um problema que esteja resolvido e assente. A estratégia o sistema de criação de valor que subjaz à posição competitiva de uma empresa e à sua singularidade tinha de ser compreendida como algo aberto e não como algo fechado. É um sistema que evolui, avança e se altera. Nestas noites de conversas a dois, também vi algo diferente: vi o estratega, o ser humano, o líder. Vi o modo como estes executivos se sentiam responsáveis por fazer as coisas como deve ser. Vi o modo como estavam empenhados nestas escolhas e o quanto estava em jogo. Vi a energia e o compromisso que punham nos seus empreendimentos. Também vi as suas preocupações secretas: Estarei a fazer bem o meu trabalho? Estarei a proporcionar a liderança de que a minha empresa precisa? E, acima de tudo, vi nestas conversas o potencial enorme que estes líderes tinham em mãos e a profunda oportunidade que tinham para fazer a diferença na sua empresa. Nestes momentos em que estivemos juntos, ambos começámos a compreender que, se os seus negócios haviam de se destacar e fazer a diferença que tem importância, era com eles que tudo tinha de começar. UMA NOVA COMPREENSÃO Nas vidas de todos nós, há momentos que nos transformam, que nos afastam daquilo que nos é familiar e que nos fazem ver novos caminhos. Para mim, a experiência EOP foi um desses momentos. Não se limitou a mudar uma parte das ideias que tinha sobre estratégia; ganhei uma nova maneira de ver o estratega, bem como o poder e a promessa desse papel. Nestas páginas, irei partilhar consigo aquilo que aprendi. Ao fazê- -lo, espero que ganhe uma nova compreensão acerca do que é a estratégia, da razão da sua importância e do que deve fazer para levar por diante esta tarefa. Também espero que venha a compreender que, para além das análises e das abordagens dos consultores altamente qualificados e das exortações dos manuais que ensinam como fazer, 17

12 O ESTRATEGA está a necessidade do julgamento, da continuidade, da responsabilidade que recai diretamente sobre si enquanto líder. E porque este papel é da sua responsabilidade, O Estratega é um apelo pessoal à ação. Repõe um componente essencial do processo de fazer estratégia que foi ignorado durante décadas: o líder. A pessoa que tem de viver as questões mais importantes. É por isso que o meu objetivo principal não é ensinar estratégia, mas dotá -lo e inspirá -lo para ser um estratega, um líder cujo tempo que passa ao leme pode ter um impacto profundo nos destinos do seu negócio. 18

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios É evidente a importância de um bom plano de negócios para o empreendedor, mas ainda existem algumas questões a serem respondidas, por exemplo: Como desenvolver

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

Como organizar um processo de planejamento estratégico

Como organizar um processo de planejamento estratégico Como organizar um processo de planejamento estratégico Introdução Planejamento estratégico é o processo que fixa as grandes orientações que permitem às empresas modificar, melhorar ou fortalecer a sua

Leia mais

Cinco principais qualidades dos melhores professores de Escolas de Negócios

Cinco principais qualidades dos melhores professores de Escolas de Negócios Cinco principais qualidades dos melhores professores de Escolas de Negócios Autor: Dominique Turpin Presidente do IMD - International Institute for Management Development www.imd.org Lausanne, Suíça Tradução:

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra:

MBA IBMEC 30 anos. No Ibmec, proporcionamos a nossos alunos uma experiência singular de aprendizado. Aqui você encontra: MBA Pós - Graduação QUEM SOMOS Para pessoas que têm como objetivo de vida atuar local e globalmente, ser empreendedoras, conectadas e bem posicionadas no mercado, proporcionamos uma formação de excelência,

Leia mais

7 passos para se tornar Dono da sua Carreira

7 passos para se tornar Dono da sua Carreira Divulgação Portal METROCAMP 7 passos para se tornar Dono da sua Carreira de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br As melhores empresas se concentram em seus pontos fortes e tornam os fracos irrelevantes.

Leia mais

G t es ã tão E t s t ra é té i g? ca O Que é isso? TEORIA TE DAS DA ORGANIZA OR Ç GANIZA Õ Ç ES E Prof. Marcio Peres

G t es ã tão E t s t ra é té i g? ca O Que é isso? TEORIA TE DAS DA ORGANIZA OR Ç GANIZA Õ Ç ES E Prof. Marcio Peres Gestão Et Estratégica? téi O Que é isso? TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES Prof. Marcio Peres Estratégias Linhas de ação ou iniciativas altamente relevantes que indicam como serão alcançados os Objetivos Estratégicos.

Leia mais

Os Desafios da Gestão e da Liderança Marco Antonio Ornelas

Os Desafios da Gestão e da Liderança Marco Antonio Ornelas Os Desafios da Gestão e da Liderança Marco Antonio Ornelas Marco Antonio Ornelas Psicólogo com Especialização em Comportamento Organizacional pela Califórnia American University. Formação em Coaching pelo

Leia mais

Formulário de Planejamento Estratégico

Formulário de Planejamento Estratégico Formulário de Planejamento Estratégico Para Empreendimentos Sociais 1. Missão É o propósito da organização, bem como sua amplitude de operações e responde às perguntas: qual é a razão de existir daquela

Leia mais

Marketing. Aula 04. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Marketing. Aula 04. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Marketing Aula 04 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia e

Leia mais

Administração TRE Maio 2010

Administração TRE Maio 2010 TRE Maio 2010 Noções de Planejamento Estratégico: missão, visão, valores. BSC - Balanced Scorecard (conceito, perspectivas, mapa estratégico e objetivo estratégico). Gestão por Processos. Ciclo PDCA Conceito

Leia mais

Em colaboração com: GESTÃO DE EMPRESAS E NEGÓCIOS LEIRIA 2015 SETEMBRO E OUTUBRO. www.aese.pt/gen

Em colaboração com: GESTÃO DE EMPRESAS E NEGÓCIOS LEIRIA 2015 SETEMBRO E OUTUBRO. www.aese.pt/gen Em colaboração com: GESTÃO DE EMPRESAS E NEGÓCIOS GEN LEIRIA 2015 SETEMBRO E OUTUBRO www.aese.pt/gen BEM-VINDO AO GEN É com muito gosto que lhe apresentamos o GEN, criado pela AESE, numa perspetiva de

Leia mais

Ram Charan. Escritor e consultor de negócios. 1967 - Harvard Business School. Outros livros do autor: Execução. Pipeline de Liderança

Ram Charan. Escritor e consultor de negócios. 1967 - Harvard Business School. Outros livros do autor: Execução. Pipeline de Liderança Ram Charan Nascimento: Ocupação: Doutorado: 1939 Índia Escritor e consultor de negócios 1967 - Harvard Business School Outros livros do autor: Execução Pipeline de Liderança A Arte de Cultivar Líderes

Leia mais

Código de Conduta e de Boas Práticas

Código de Conduta e de Boas Práticas Código de Conduta e de Boas Práticas Preâmbulo Aos membros da comunidade académica da Universidade de Lisboa (docentes e investigadores, trabalhadores não docentes e não investigadores, bolseiros de investigação,

Leia mais

Política Corporativa Setembro 2012. Política de Recursos Humanos da Nestlé

Política Corporativa Setembro 2012. Política de Recursos Humanos da Nestlé Política Corporativa Setembro 2012 Política de Recursos Humanos da Nestlé Autoria/Departamento Emissor Recursos Humanos Público-Alvo Todos os Colaboradores Aprovação Concelho Executivo, Nestlé S.A. Repositório

Leia mais

O acesso a uma plataforma online "recheada" de propostas de atividades meticulosamente concebidas é uma outra das mais-valias deste projeto.

O acesso a uma plataforma online recheada de propostas de atividades meticulosamente concebidas é uma outra das mais-valias deste projeto. CARTAS Caros colegas, um professor não é apenas aquele que ensina, mas também o que se deixa aprender. E ainda há tanto para aprender... Com o NPP e metas curriculares, urge adquirirmos ferramentas para

Leia mais

Análise SWOT. Filipe Vana Leonardo Monteiro Marcus Voloch

Análise SWOT. Filipe Vana Leonardo Monteiro Marcus Voloch Análise SWOT Filipe Vana Leonardo Monteiro Marcus Voloch SWOT O significado ANÁLISE SWOT Criada por Kenneth Andrews e Roland Christensen, dois professores da Harvard Business School, e posteriormente aplicada

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca r f Considerei particularmente oportuno

Leia mais

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS por David Miller The European Business Review, março/abril 2012 As mudanças estão se tornando mais frequentes, radicais e complexas. Os índices de falha em projetos

Leia mais

Sua Excelência Embaixadora da Finlândia;

Sua Excelência Embaixadora da Finlândia; República de Moçambique Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional Gabinete do Ministro DISCURSO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA, ENSINO SUPERIOR E

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais?

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais? TEMA - liderança 5 LEADERSHIP AGENDA O Que fazem os LÍDERES eficazes Porque é que certas pessoas têm um sucesso continuado e recorrente na liderança de empresas ou de organizações de todos os tipos? O

Leia mais

COACHING DESPORTIVO APLICADO ÀS

COACHING DESPORTIVO APLICADO ÀS Formação COACHING DESPORTIVO APLICADO ÀS - A Liderança do Desporto para as Organizações - Luanda Lisboa Fev. 2015 Em parceria com Apresentação Alcançar elevados níveis de desempenho e obter o máximo de

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

w w w. y e l l o w s c i r e. p t

w w w. y e l l o w s c i r e. p t consultoria e soluções informáticas w w w. y e l l o w s c i r e. p t A YellowScire iniciou a sua atividade em Janeiro de 2003, é uma empresa de consultoria de gestão e de desenvolvimento em tecnologias

Leia mais

Ana Maria Be encourt 1

Ana Maria Be encourt 1 ABERTURA Ana Maria Be encourt 1 Senhor Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Senhor Embaixador Presidente da Comissão Nacional da UNESCO, Senhora Secretária Regional da Educação

Leia mais

PROGRAMA DE DIREÇÃO DE EMPRESAS

PROGRAMA DE DIREÇÃO DE EMPRESAS 2016 JANEIRO > JULHO PORTO www.aese.pt/pde Escola associada: PROGRAMA DE DIREÇÃO DE EMPRESAS OBJETIVOS DO PROGRAMA O PDE atinge este ano a sua sexagésima edição, destacando-se como o Programa mais vezes

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA 2015-16 O PGL foi desenhado para profissionais, com mais de 5 anos de experiência, dinâmicos, com grande capacidade de trabalho e ambição de aceder a novas responsabilidades. PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA LISBOA

Leia mais

ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL MBA EXECUTIVO EM LIDERANÇA E GESTÃO ORGANIZACIONAL ESCOLA SUPERIOR DE PROPAGANDA E MARKETING POS GRADUAÇÃO EM: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS CIÊNCIAS

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

República de Moçambique. Presidência da República

República de Moçambique. Presidência da República República de Moçambique Presidência da República Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança, por ocasião

Leia mais

O ABC da gestão do desempenho

O ABC da gestão do desempenho Por Peter Barth O ABC da gestão do desempenho Uma ferramenta útil e prática para aprimorar o desempenho de pessoas e organizações 32 T&D INTELIGÊNCIA CORPORATIVA ED. 170 / 2011 Peter Barth é psicólogo

Leia mais

Organização da Aula Empreendedorismo Aula 2 Competitividade: Século XXI Contextualização Vantagem Competitiva

Organização da Aula Empreendedorismo Aula 2 Competitividade: Século XXI Contextualização Vantagem Competitiva Empreendedorismo Aula 2 Prof. Me. Fabio Mello Fagundes Organização da Aula Competitividade Estratégia Ambiente das organizações Competitividade: Século XXI Hiperconcorrência Contextualização Economia globalizada

Leia mais

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA PORTO 2016

PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA PORTO 2016 PROGRAMA DE GESTÃO E LIDERANÇA PORTO 2016 O PGL foi desenhado para profissionais, com mais de 5 anos de experiência, dinâmicos, com grande capacidade de trabalho e ambição de aceder a novas responsabilidades.

Leia mais

Aprendizagem híbrida, semipresencial e on-line na Laureate Education: Explorando mitos e melhores práticas

Aprendizagem híbrida, semipresencial e on-line na Laureate Education: Explorando mitos e melhores práticas Aprendizagem híbrida, semipresencial e on-line na Laureate Education: Explorando mitos e melhores práticas Apresentado por: Dr. Barry Sugarman Vice-presidente de Planejamento Estratégico e Iniciativas

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Análise SWOT. julho 2014. Pontos fortes vs Pontos fracos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA. Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido

Análise SWOT. julho 2014. Pontos fortes vs Pontos fracos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA. Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido julho 2014 Análise SWOT Pontos fortes vs Pontos fracos Diretor: João Pedro de Moura Carita Polido AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FRONTEIRA Escola Básica Frei manuel Cardoso Escola Básica de Cabeço devide Visão:

Leia mais

LIDERAR COMO UM TREINADOR

LIDERAR COMO UM TREINADOR info@bizpoint.pt 21 828 09 57 www.bizpoint.pt LIDERAR COMO UM TREINADOR - A Liderança do Desporto para as Organizações - VALOR PROMOCIONAL até 15 Junho Lisboa 7 e 8 Julho 2015 Organização: Apresentação

Leia mais

SEJA O LÍDER DE QUE SUA EMPRESA PRECISA CYNTHIA A. MONTGOMERY

SEJA O LÍDER DE QUE SUA EMPRESA PRECISA CYNTHIA A. MONTGOMERY O ESTRATEGISTA SEJA O LÍDER DE QUE SUA EMPRESA PRECISA CYNTHIA A. MONTGOMERY Para Anneke, Mathea e Nils. Que encontrem lugares em que possam fazer a diferença. E para Bjørn, sempre. É importante lembrar

Leia mais

VELHOS MITOS E NOVO MUNDO

VELHOS MITOS E NOVO MUNDO VELHOS MITOS E NOVO MUNDO 2 As mudanças nunca ocorrem sem inconvenientes, até mesmo do pior para o melhor. Richard Hooker WWW.RICARDOPEIXE.COM WWW.CONSEGUIREMPREGO.PT 7 MITOS INTRODUÇAO O Mercado de Trabalho

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS

XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS XII ENCONTRO GESVENTURE DISCURSO DE BOAS VINDAS Exmo. Senhor Presidente do Grupo Caixa Geral de Depósitos, Engº Fernando Faria de Oliveira Exmo. Senhor Presidente do IAPMEI e da InovCapital, Dr. Luís Filipe

Leia mais

Mestrado Online respostas

Mestrado Online respostas Mestrado Online respostas Resumo 1. Por que razão escolheu este mestrado em regime online? 1. Escolhi o mestrado online porque é um mestrado que aborda questões relacionadas com a minha área de formação,

Leia mais

CGBA Certificate in Global Business Administration

CGBA Certificate in Global Business Administration CGBA Certificate in Global Business Administration Desafios Internacionais, Líderes Globais O CERTIFICATE IN GLOBAL BUSINESS ADMINISTRATION O Certificate in Global Business Administration (CGBA), criado

Leia mais

3. Estratégia e Planejamento

3. Estratégia e Planejamento 3. Estratégia e Planejamento Conteúdo 1. Conceito de Estratégia 2. Vantagem Competitiva 3 Estratégias Competitivas 4. Planejamento 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Administração de Pequenas Empresas

Leia mais

Curso de Pós-Graduação em CC / SI Especialização em Engenharia de Software

Curso de Pós-Graduação em CC / SI Especialização em Engenharia de Software Curso de Pós-Graduação em CC / SI Especialização em Engenharia de Software Disciplina: Modelagem de Processos Prof. Ricardo Villarroel Dávalos ricardo.davalos@unisul.br e rvdavalos@gmail.com Porto União,

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correcta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS DO 2º CICLO

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS DO 2º CICLO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE INGLÊS-2ºCICLO (PROVA ORAL) 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico de Inglês, a

Leia mais

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Governança de TI Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? 2010 Bridge Consulting Apresentação A Governança de Tecnologia

Leia mais

Curso Life Design Vida, Finanças pessoais e Carreira

Curso Life Design Vida, Finanças pessoais e Carreira Curso Life Design Vida, Finanças pessoais e Carreira Início 26 de março - 2015 INTRODUÇÃO Desde que comecei a minha carreira profissional, há 20 anos, me pergunto: O que alguém precisa fazer para ter uma

Leia mais

ÍNDICE SINTÉTICO. Rogério Matias. Cálculo Financeiro. Teoria e Prática. 4ª edição. iii

ÍNDICE SINTÉTICO. Rogério Matias. Cálculo Financeiro. Teoria e Prática. 4ª edição. iii Rogério Matias Cálculo Financeiro Teoria e Prática 4ª edição iii ÍNDICE SINTÉTICO Índice Sintético... v Dedicatória... ix Notas à 4ª edição... xi Agradecimentos... xiii Prefácio... xv Formulário... xvii

Leia mais

Plano Estratégico da Universidade Aberta 2011-2015

Plano Estratégico da Universidade Aberta 2011-2015 Plano Estratégico da Universidade Aberta 2011-2015 Paulo Maria Bastos da Silva Dias Índice 1. Nota de Abertura... 1 2. Áreas de Intervenção e Desenvolvimento... 4 2.1 Formação e Aprendizagem ao Longo da

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Leader coach e estratégia Disney

Leader coach e estratégia Disney 34 Leader coach e estratégia Disney As organizações enfrentam grandes desafios. Surge a necessidade de adaptação. Um dos principais fatores que fazem a diferença são seus líderes. Os líderes precisam adotar

Leia mais

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s.

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s. Bom dia a todos e a todas, Não é difícil apontar vantagens económicas às medidas de gestão empresarial centradas na igualdade de género. Em primeiro lugar, porque permitem atrair e reter os melhores talentos;

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP Prof a. Nazaré Ferrão Centro Ensino Superior do Amapá Curso de Administração Disciplina: ADM. DE REC. MATERIAIS E PATRIMONIAIS Professor: NAZARÉ DA SILVA DIAS FERRÃO Aluno: Turma: 5 ADN FRANCISCHINI, Paulino G.; GURGEL, F.

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br

FACULDADE PITÁGORAS. Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos desta unidade: Ao final desta

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 40 Discurso no encontro com representantes

Leia mais

Analista de Negócio e Processos

Analista de Negócio e Processos Analista de Negócio e : Competências (Conhecimento, Habilidade e Atitude) Negociar Saber negociar Facilitar Ser um facilitador nato Analisar Comunicar Saber se comunicar com facilidade Solucionar Ter capacidade

Leia mais

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social Semana da Liberdade de Escolha da Escola / School Choice Week & I Conferência da Liberdade de Escolha da Escola / 1st School Choice Conference Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Leia mais

Arquitetura da Aprendizagem Uma abordagem estratégica

Arquitetura da Aprendizagem Uma abordagem estratégica Arquitetura da Aprendizagem Uma abordagem estratégica 7 Olá, tudo bem? A experiência do LAB SSJ em desenvolver soluções de aprendizagem alinhadas a objetivos de negócio nos mostra que a formação de uma

Leia mais

Teia de Executivos e Empreendedores de Impacto em Ações Sustentáveis

Teia de Executivos e Empreendedores de Impacto em Ações Sustentáveis Teia de Executivos e Empreendedores de Impacto em Ações Sustentáveis NEGÓCIOS COMO AGENTE DE MUDANÇA Iniciativa: INOVARTE Negócios Sustentáveis Parceria: MinasInvest - www.teias.teiaslive.net ESTRUTURAS

Leia mais

O CÁLCULO MENTAL NO CONTEXTO ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ATIVIDADE

O CÁLCULO MENTAL NO CONTEXTO ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ATIVIDADE O CÁLCULO MENTAL NO CONTEXTO ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ATIVIDADE Débora de Lima Velho Junges 1 Resumo: Este estudo possui como tema norteador a possibilidade de inserção do cálculo mental no contexto escolar.

Leia mais

Teste 3 - Auto-avaliação das habilidades empreendedoras

Teste 3 - Auto-avaliação das habilidades empreendedoras Teste 3 - Auto-avaliação das habilidades empreendedoras Para cada questão, faça um círculo na resposta que está mais adequada às suas crenças ou ações, mesmo que aparentemente não tenham algo em comum

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema

PHC Dashboard CS. Diversidade de análises de dados pré-configuradas. Representação gráfica da informação do sistema PHC Dashboard CS Um novo nível de gestão A gestão da informação empresarial de forma sintética, visual e abrangente, possibilitando uma tomada de decisão mais rápida, correcta e precisa. BUSINESS AT SPEED

Leia mais

Gestão Empresas Módulo Estratégia Empresarial

Gestão Empresas Módulo Estratégia Empresarial Formação em Gestão Empresas Crescimento Pessoal Impacto Global 1 Índice 1. Introdução 3 2. Pensamento e planeamento estratégico 4 3. Análise do meio envolvente 7 4. A empresa 9 5. Alianças estratégicas

Leia mais

V Congresso da Indústria Portuguesa Agro-Alimentar COMPETITIVIDADE E CRESCIMENTO. Intervenção do Presidente da FIPA

V Congresso da Indústria Portuguesa Agro-Alimentar COMPETITIVIDADE E CRESCIMENTO. Intervenção do Presidente da FIPA V Congresso da Indústria Portuguesa Agro-Alimentar COMPETITIVIDADE E CRESCIMENTO Intervenção do Presidente da FIPA Exmo. Secretário de Estado Agricultura, Exmo. Senhor Presidente da CIP, Estimados associados

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Este material resulta da reunião de fragmentos do módulo I do Curso Gestão Estratégica com uso do Balanced Scorecard (BSC) realizado pelo CNJ. 1. Conceitos de Planejamento Estratégico

Leia mais

Capítulo 9 Emprego. 9.1 Introdução

Capítulo 9 Emprego. 9.1 Introdução Capítulo 9 Emprego 9.1 Introdução Hoje em dia, as redes sociais são as grandes responsáveis pelas contratações de emprego. Muitos dos responsáveis por recrutamento e recursos humanos das empresas avaliam

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

Conteúdos Interdisciplinares Aplicados. uma proposta de atuação no turno noturno

Conteúdos Interdisciplinares Aplicados. uma proposta de atuação no turno noturno Conteúdos Interdisciplinares Aplicados uma proposta de atuação no turno noturno 1 Conteúdos Interdisciplinares Aplicados uma proposta de atuação no turno noturno O Reinventando o Ensino Médio abriga várias

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

LIDERANÇA DESPORTIVA APLICADA ÀS

LIDERANÇA DESPORTIVA APLICADA ÀS Formação LIDERANÇA DESPORTIVA APLICADA ÀS - A Liderança do Desporto para as Organizações - Luanda 17 e 18 Março 2015 Hotel Skyna **** Em parceria com Apresentação Alcançar elevados níveis de desempenho

Leia mais

Plano Geral de Formação

Plano Geral de Formação Plano Geral de Formação 2 0 1 6 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Índice Mensagem de boas vindas Católica Business Schools Alliance 10 razões para nos escolher MBA Atlântico Oficina

Leia mais

MOSTRA O QUE VALES EM TODA A EUROPA CENTRO NACIONAL EUROPASS

MOSTRA O QUE VALES EM TODA A EUROPA CENTRO NACIONAL EUROPASS CENTRO NACIONAL EUROPASS Tem maior probabilidade de ter sucesso na vida se souber rentabilizar todos os seus talentos? Da mesma forma, termos consciência das nossas fraquezas evita vivermos situações de

Leia mais

Cooperação Universidade Empresa

Cooperação Universidade Empresa INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CERIMÓNIA DE ABERTURA DO ANO LECTIVO 2010/2011, DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO, SOB O TEMA «CONTRIBUIÇÃO DO ENSINO

Leia mais

Liderança Positiva. Força que Impacta o Desempenho das Pessoas

Liderança Positiva. Força que Impacta o Desempenho das Pessoas Liderança Positiva Força que Impacta o Desempenho das Pessoas Uma parceria É com muita satisfação que a Nova School of Business and Economics e a SOCIESC apresentam o Programa Liderança Positiva Força

Leia mais

DIREITO EMPRESARIAL PARA ECONOMISTAS E GESTORES

DIREITO EMPRESARIAL PARA ECONOMISTAS E GESTORES DIREITO EMPRESARIAL PARA ECONOMISTAS E GESTORES 2014 Paulo Olavo Cunha Doutor em Direito Professor da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa) e na Católica Lisbon School of Business

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master

em - Corporate Reporting (1.ª Edição) Executive Master www. indeg. iscte-iul. pt EXPERIÊNCIA DE IMERSÃO AVANÇADA NO STATE OF THE ART E NAS ALTERAÇÕES MAIS RECENTES NAS TEMÁTICAS, NORMATIVAS E MÉTODOS DE REPORTE INTEGRADO DAS ORGANIZAÇÕES VISANDO UM DESEMPENHO

Leia mais

3. Estratégia. Conteúdo

3. Estratégia. Conteúdo 3. Estratégia Conteúdo 1. Conceito de Estratégia 2. A Empresa e seu Ambiente Geral e Ambiente Tarefa 3. Vantagem Competitiva 4 Estratégias Competitivas 5. Forças Competitivas de Porter 6. Falhas Fatais

Leia mais

EMPRESA FAMILIAR. Palavras-chaves: 1. empenho; 2. dedicação; 3. adaptação; 4. flexibilidade; 5. planejamento a longo prazo.

EMPRESA FAMILIAR. Palavras-chaves: 1. empenho; 2. dedicação; 3. adaptação; 4. flexibilidade; 5. planejamento a longo prazo. EMPRESA FAMILIAR Resumo: Um mercado atraente em busca de maximização dos lucros. Conheça as vantagens e desvantagens de se ter ou trabalhar em uma empresa familiar. Cerca de 75% das empresas existentes

Leia mais

1º Trabalho Listas de Discussão

1º Trabalho Listas de Discussão 1º Trabalho Listas de Discussão Catarina Santos Meios Computacionais no Ensino 05-03-2013 Índice Introdução... 3 Resumo e análise da mensagem da lista Matemática no secundário... 4 Resumo e análise da

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca o futuro, sem esquecer as nossas

Leia mais

PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO. Princípios orientadores

PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO. Princípios orientadores PLANO CURRICULAR DO ENSINO SECUNDÁRIO Princípios orientadores O Ensino Secundário no Colégio Pedro Arrupe orienta-se de forma coerente para o desenvolvimento integral do aluno, promovendo um crescimento

Leia mais

12. TEORIAS CONTINGENCIAIS OU SITUACIONAIS

12. TEORIAS CONTINGENCIAIS OU SITUACIONAIS 12. TEORIAS CONTINGENCIAIS OU SITUACIONAIS Vários estudos foram feitos no sentido de se isolar fatores situacionais que afetam a eficácia da liderança, tais como: a) grau de estruturação da tarefa que

Leia mais

3 - Seleccionar e responder a Anúncios de Emprego ou redigir uma Carta de Candidatura Espontânea.

3 - Seleccionar e responder a Anúncios de Emprego ou redigir uma Carta de Candidatura Espontânea. Mercado de Emprego Etapas a Percorrer 1 - Estabelecer o Perfil Profissional Fazer a avaliação de si mesmo: - Competências - Gostos - Interesses Elaboração de uma lista do tipo de empregos que correspondem

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

GESTÃO EDUCACIONAL COM ÊNFASE EMPRESARIAL

GESTÃO EDUCACIONAL COM ÊNFASE EMPRESARIAL GESTÃO EDUCACIONAL COM ÊNFASE EMPRESARIAL Prof. André Pestana: Um dos mais renomados teóricos em Gestão Educacional com ênfase empresarial do Brasil. Especialista em Marketing Educacional. Autor de vários

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO GESTÃO ESTRATÉGICA NO APL

ESTUDO DIRIGIDO GESTÃO ESTRATÉGICA NO APL Curso de Capacitação de Agentes Gestores em APLs ESTUDO DIRIGIDO GESTÃO ESTRATÉGICA NO APL Prof. Gustavo Martins Porto Alegre, abril 2012 Estudo Dirigido Estratégia Competitiva A partir dos conceitos e

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIA CROSS- CULTURAL PARA UM TRABALHO BEM- SUCEDIDO NO ÂMBITO INTERNACIONAL. Hanna Maria Helstelä.

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIA CROSS- CULTURAL PARA UM TRABALHO BEM- SUCEDIDO NO ÂMBITO INTERNACIONAL. Hanna Maria Helstelä. DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIA CROSS- CULTURAL PARA UM TRABALHO BEM- SUCEDIDO NO ÂMBITO INTERNACIONAL Hanna Maria Helstelä swisscam BRASIL A facilitadora 2 Hanna Maria Helstelä Uma Finlandesa da Alemanha

Leia mais