Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz"

Transcrição

1 Modelo de Governo Mandato I Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Secretário Presidente não Executivo Vogal Vogal Presidente Vogal Efetivo - ROC Vogal Efetivo Vogal Suplente - ROC Mesa da Assembleia Geral Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz DGTF, representada por Dr. Mário José Alveirinho Carrega Conselho de Administração Dr. Marco Paulo Monsanto Biscaia Fernandes Dr. Gonçalo Oliveira Lage Dr. Bernardo Maya Múrias Afonso Conselho Fiscal Prof. Dr. Diogo José Paredes Leite de Campos Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, representada por Dr. José Luís Guerreiro Nunes Dra. Maria João Dias Pessoa Araújo Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, representada por Dra. Isabel Gomes de Novais Paiva 01/07/ / /07/ / /07/ /2017 Mandato II Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Secretário Presidente não Executivo Vice-Presidente Vogal Presidente e ROC Efetivo Vogal Vogal ROC Suplente Mesa da Assembleia Geral (*) IAPMEI, representado por Miguel Jorge de Campos Cruz DGTF, representada por Dr. Mário José Alveirinho Carrega Conselho de Administração (**) Prof. José de Albuquerque Epifânio da Franca DGTF, representada por Eng. Carlos António Monteiro de Castro Vago Conselho Fiscal Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, representada por Dr. José Luís Guerreiro Nunes Dra. Maria João Dias Pessoa Araújo Dr. Mário Rui do Carmo Matos Dra. Isabel Gomes de Novais Paiva 10/02/ / /02/ /02/ / /02/ /2014 (*) O Sr. Dr. Luís Filipe dos Santos Costa apresentou o seu pedido de renúncia ao cargo de Presidente em (**) O Sr. Dr. Luís Filipe Carvalho Lopes apresentou o seu pedido de renúncia ao cargo de Vice-Presidente em 14 de junho; o Sr. Dr. João Carlos de Magalhães Correia de Matos foi cooptado como Vogal do Conselho de Administração em 15 de junho e renunciou a este cargo com efeitos a 30 de abril de 2013

2 Estatuto remuneratório fixado O estatuto remuneratório dos órgãos sociais para o mandato , fixado por deliberação social unânime por escrito de 1 de julho de 2015, estabelece: 1. Mesa Assembleia Geral Presidente senha de presença no valor de 500 euros Secretário senha de presença no valor 350 euros 2. Conselho Administração Presidente não executivo não aufere remuneração Vogal executivo vencimento mensal ilíquido de 3.662,56 euros, pago 14 vezes por ano, acrescido de 40% a título de abono mensal para despesas de representação, no montante de 1.465,02, pago 12 vezes por ano Os membros executivos do Conselho de Administração auferem ainda as seguintes regalias ou benefícios sociais: a) O valor mensal de combustíveis e portagens afeto às viaturas de serviço é de um quarto do valor do abono mensal para despesas de remuneração fixadas nos termos definidos no n.º 3 do artigo 33.º do Estatuto do Gestor Público; b) Abono para despesas com comunicações, onde se inclui o telefone móvel, o telefone domiciliário e a internet, cujo valor máximo global mensal não pode exceder 80,00 euros, nos termos do disposto nos n.ºs 3 e 4 do artigo 32.º do Estatuto do Gestor Público; c) Benefícios sociais de aplicação generalizada a todos os trabalhadores da empresa, com exceção dos respeitantes aos planos complementares de reforma, aposentação, sobrevivência ou invalidez, de acordo com o artigo 34.º do Estatuto do Gestor Público; d) Subsídio de refeição, cujo valor não pode ser superior ao valor fixado na Portaria D/2008, de 31 de dezembro, alterada pela Portaria 1458/2009, de 31 de dezembro, sem prejuízo do disposto no n.º 2 do artigo 43.º da Lei 82-B/2014, de 31 de dezembro. Não é permitida: a) A utilização de cartões de crédito e outros instrumentos de pagamento, tendo por objeto a realização de despesas ao serviço da empresa, nos termos disposto no n.º 1 do artigo 32.º do Estatuto do Gestor Público; b) O reembolso de quaisquer despesas que possam ser consideradas como despesas de representação pessoal, nos termos do n.º 2 do artigo 32.º do Estatuto do Gestor Público.

3 Conforme disposto no artigo 41.º da Lei 82-B/2014, de 31 de dezembro, durante o ano de 2015, não há lugar à retribuição aos gestores públicos de remunerações variáveis de desempenho. 3. Conselho Fiscal Presidente - não aufere remuneração Vogal efetivo (ROC) a remuneração anual líquida do ROC será a constante do contrato de prestação de serviços a celebrar entre o CA da entidade e o referido ROC, com o limite máximo equivalente a 12 meses da remuneração global mensal ilíquida, atribuída nos termos legais, ao Presidente do Conselho de Administração Vogal efetivo remuneração mensal ilíquida de 961,42 euros, pagos 14 vezes ano Deverão ser reembolsados pela entidade aos membros do Conselho Fiscal as despesas de transporte, bem como quaisquer outras imprescindíveis e realizadas no estrito exercício das suas funções. 4. Disposições gerais aplicáveis a todos os membros dos Órgãos Sociais Às remunerações dos órgãos sociais aplicam-se: Aos valores ilíquidos previstos serão aplicadas as remunerações remuneratórias legalmente vigentes, sem prejuízo da aplicação de outras disposições que venham a ser aprovadas; Por via do disposto no artigo 256.º da Lei nº 82-B/2014, de 31 de dezembro, a remuneração a auferir efetivamente pelos membros dos órgãos sociais eleitos não pode exceder o montante atribuído à data de 1 de março de 2012, data de entrada em vigor da Resolução do Conselho de Ministros de 16/2012, de 14 de fevereiro, sem prejuízo da possibilidade de opção pela remuneração do lugar de origem por parte dos membros do Conselho de Administração.

4 Remunerações e outras regalias (valores anuais) REMUNERAÇÕES AUFERIDAS EM Mesa Assembleia Geral Mandato (Início - Fim) Cargo Bruto (1) Remuneração Anual 2014 ( ) Remuneratórias (2) Valor após (3)=(1)-(2) Presidente IAPMEI / Miguel Jorge de Campos Cruz (3) Secretário DGTF / Mário José Alveirinho Carrega (1) Valor da Senha de presença fixada Valor da Senha Fixado ( ) (2) Antes de reduções remuneratórias (3) - O Prof. Miguel Jorge de Campos Cruz foi indicado para o cargo em 11.dez.14, em subsituição do Dr. Luís Filipe Costa Em ambos os casos, renunciaram à remuneração correspondente ao cargo desempenhado, sendo a mesma liquidada ao IAPMEI 2. Conselho Administração Remunerações Mandato (Início - Fim) Cargo Designação OPRLO Forma (1) Data Entidade Pagadora [O/D] Presidente AG n.a Vice-Presidente Carlos António Monteiro de Castro AG n.a. - (1) Indicar Resolução (R) / AG / DUE / Despacho (D) OPRLO - Opção pela Remuneração do Lugar de Origem; O/D: Origem / Destino Fixado [S/N] Classificação [A/B/C] EGP Remuneração Base Despesas de Representação N Carlos António Monteiro de Castro N EGP - Estatuto do Gestor Público Valores mensais Bruto Remuneração Anual ( ) Variável Fixa (**) Bruto (1) Remuneratórias (2) Valor após (3)=(1)-(2) Carlos António Monteiro de Castro Redução de anos anteriores: refere a remunerações regularizadas no ano em referência pertecentes a anos anteriores (*)Indicar os motivos subjacentes a este procedimento (**)Incluir a remuneração + despesas de representação Benefícios Sociais Beneficíos Sociais ( ) Subsídio de Refeição Regime de Proteção Social Seguro de Outros Seguro de Seguro de Montante pago Acidentes Valor / Dia Identificar Valor Saúde Vida Identificar Valor Ano Pessoais Carlos António Monteiro de Castro 10, Segurança Social

5 Acumulação de Funções Acumulação de Funções Entidade Função Regime Carlos António Monteiro de Castro Gastos com Comunicações Móveis Plafond Mensal Definido Gastos com Comunicações Móveis ( ) Valor Anual Observações O Presidente do CA não aufere quaisquer remunerações, regalias ou compensações suportadas pela Sociedade Carlos António Monteiro de Castro Encargos com Viaturas Viatura atribuída Celebração de contrato Valor de Modalidade referência da (1) viatura Encargos com Viaturas Ano Início Ano Termo Valor da Renda Mensal Gasto Anual com Rendas [S/N] [S/N] [ ] [Identificar] [ ] [ ] Nº Prestações Contratuais Remanescentes Carlos António Monteiro de Castro S N Aquisição (1) Aquisição; ALD; Leasing ou Outra Gastos Anuais Associados com Viaturas Plafond Mensal definido para combustível Combustível Gastos anuais associados a Viatura ( ) Portagens Outras Reparações Seguro Observações Carlos António Monteiro de Castro Gastos Anuais Associados a Deslocações em Serviço Deslocações em Serviço Gastos anuais associados a Deslocações em Serviço Custo com Alojamento Ajudas de Custo Outras Gasto total com viagens [ ] [ ] [ ] [Identificar] Valor [ ] [ ] Carlos António Monteiro de Castro n.a

6 3. Conselho Fiscal Mandato (Início - Fim) Designação Estatuto Remuneratório Fixado (mensal) Forma (1) Data [ ] Presidente e ROC Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, SROC AG , Vogal Mário Rui do Carmo Matos AG , Vogal Maria João Dias Pessoa Araújo AG ,00 (1) Indicar AG / DUE / Despacho Cargo Bruto (1) Remuneração Anual ( ) Remuneratórias (2) Valor após (3)=(1)-(2) Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, SROC Mário Rui do Carmo Matos Maria João Dias Pessoa Araújo Auditor Externo Identificação do Auditor Externo (SROC/ROC) Data de contratação Remuneração Anual ( ) Nº de inscrição na OROC Nº Registo na CMVM Data Período Valor da Prestação de Serviços Remuneratórias Contratada Valor após BDO & Associados, SROC ,00 510, ,00

7 REMUNERAÇÕES AUFERIDAS EM Mesa Assembleia Geral Mandato (Início - Fim) Cargo Bruta (2) Remuneração Anual ( ) (Lei OE) Bruta após Presidente IAPMEI / Luís Filipe dos Santos Costa (3) Secretário DGTF / Mário José Alveirinho Carrega (1) Valor da Senha de presença fixada (2) Antes de reduções remuneratórias Estatuto Remuneratório Fixado ( ) (1) (3) - O Presidente da Mesa renunciou à remuneração correspondente ao cargo desempenhado, sendo a mesma liquidada ao IAPMEI 5. Conselho Administração Remunerações Variável Fixa Outra Remuneração Anual ( ) Redução Lei 12-A/2010 Redução (Lei OE) Redução anos Bruta após Carlos António Monteiro de Castro João Carlos de Magalhães Correia de Matos Redução de anos anteriores: refere a remunerações regularizadas no ano em referência pertecentes a anos anteriores Benefícios Sociais Subsídio de Refeição Beneficíos Sociais ( ) Regime de Proteção Social Seguro de Seguro de Seguro de Outros Acidentes Identificar Valor Saúde Vida Pessoais Identificar Valor Carlos António Monteiro de Castro Segurança Social João Carlos de Magalhães Correia de Matos 226 Segurança Social Acumulação de Funções Acumulação de Funções - valores anuais ( ) Entidade Função Regime Bruta Redução (Lei OE) Bruta após [Identificar] [Identificar] [Público/Privado] [ ] [ ] [ ] Carlos António Monteiro de Castro João Carlos de Magalhães Correia de Matos Gastos com Comunicações Móveis Gastos com Comunicações Móveis ( ) Plafond Mensal Definido Valor Anual Observações O Presidente do CA não aufere quaisquer remunerações, regalias ou compensações suportadas pela Sociedade Carlos António Monteiro de Castro João Carlos de Magalhães Correia de Matos Encargos com Viaturas Viatura atribuída Celebração de contrato Encargos com Viaturas Valor de referência Modalidade Ano Início Ano Termo da viatura Nº Prestações Valor da Renda Mensal Valor Anual [S/N] [S/N] [ ] [ ] [ ] Carlos António Monteiro de Castro S N Aquisição João Carlos de Magalhães Correia de Matos S N n.a. Comodato n.a

8 Gastos Anuais Associados com Viaturas Plafond Mensal definido Combustível Gastos anuais associados a Viatura ( ) Portagens Outras Reparações Seguro Observações Carlos António Monteiro de Castro João Carlos de Magalhães Correia de Matos Gastos Anuais Associados a Deslocações em Serviço Deslocações em Serviço Gastos anuais associados a Deslocações em Serviço Custo com Alojamento Ajudas de Custo Outras Gasto total com viagens [ ] [ ] [ ] [Identificar] Valor [ ] [ ] Carlos António Monteiro de Castro n.a João Carlos de Magalhães Correia de Matos n.a Conselho Fiscal Bruta Remuneração Anual ( ) Redução (Lei OE) Bruta após Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, SROC Mário Rui do Carmo Matos Maria João Dias Pessoa Araújo

9 REMUNERAÇÕES AUFERIDAS EM Mesa Assembleia Geral 2012 unid.: MESA DA ASSEMBLEIA GERAL Presidente Secretário Secretário Secretário IAPMEI / Luis Filipe Costa (1) Mário Carrega Ana Abrantes (2) Júlio André Mandato I / II I / II I I Remuneração anual fixa Redução decorrente da Lei 64-B/ Remuneração anual efectiva (1) - O Presidente da Mesa renunciou à remuneração, sendo a mesma liquidada ao IAPMEI (2) - A Dra. Ana Francisca Gomes Ferreira Abrantes renunciou à remuneração correspondente ao cargo desempenhado 2.Conselho Administração CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Remunerações e Encargos Vice-Presidente Vogal Vogal Vogal Vogal Vogal Carlos de Castro João Pereira Nunes João Miguel Caeiro Pelicano da Cunha Luís Lopes João Correia de Matos Mandato I / II I I I II II Adaptado ao EGP (Sim/Não) Não Não Não Não Não Não Remuneração Total ( ) OPRLO n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. Entidade de Origem (identificar) Entidade pagadora (origem/destino) Remuneração Anual Despesas de Representação (Anual) Senha de presença (Valor Anual) Redução decorrente da Lei 12-A/ Redução decorrente da Lei 64-B/ Suspensão do pagamento dos subsidios de férias e natal de anos anteriores Remuneração Anual Efetiva Líquida ( ) Remuneração variável Isenção de Horário de Trabalho (IHT) Outras (identificar) Subsídio de deslocação Subsídio de refeição Encargos com benefícios sociais Regime de Proteção Social - Identificar Regime (ADSE/Seg.Social/Outros) Seg.Social Seg.Social Seg.Social Seg.Social Seg.Social Seg.Social - Valor Seguros de saúde (*) Seguros de vida (*) Seguro de Acidentes Pessoais Outros (indicar) Acumulação de Funções de Gestão (S/N) N N N N N N Entidade (identificar) Remuneração Anual O Presidente do Conselho de Administração não aufere quaisquer remunerações, regalias ou compensações suportadas pela Sociedade (*) - Em condições idênticas às praticadas para os colaboradores da Sociedade O Dr. Luís Filipe Carvalho Lopes esteve em exercício de funções desde 10 de fevereiro até 15 de junho O Dr. João Carlos Correia de Matos iniciou funções em 15 de junho

10 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Parque Automóvel Vice-Presidente Vogal Vogal Vogal Vogal Vogal Carlos de Castro João Pereira Nunes João Miguel Caeiro Pelicano da Cunha Luís Lopes João Correia de Matos Mandato I / II I I I II II Modalidade de Utilização Aquisição Aquisição Aquisição Aquisição Aquisição Comodato Valor de referência da viatura nova n.a. Ano Inicio (aquisição) n.a. Ano Termo N.º prestações (se aplicável) Valor Residual Valor de renda/prestação anual da viatura de serviço Combustível gasto com a viatura Plafond anual Combustivel atribuído Outros (Portagens / Reparações / Seguro) Limite definido conforme Art.º 33 do EGP (Sim/Não) (*) (*) Aguarda-se fixação dos limites por parte da Comissão de Vencimentos CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Outras Regalias e Compensações (*) (*) (*) (*) (*) (*) Vice-Presidente Vogal Vogal Vogal Vogal Vogal Carlos de Castro João Pereira Nunes João Miguel Caeiro Pelicano da Cunha Luís Lopes João Correia de Matos Mandato I / II I I I II II Plafond mensal atribuido em comunicações móveis Gastos anuais com comunicações móveis Outras (indicar) Limite definido conforme Art.º 32 do EGP (Sim/Não) (*) (*) Aguarda-se fixação dos limites por parte da Comissão de Vencimentos CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Gastos com Deslocações (*) (*) (*) (*) (*) (*) Vice-Presidente Vogal Vogal Vogal Vogal Vogal Carlos de Castro João Pereira Nunes João Miguel Caeiro Pelicano da Cunha Luís Lopes João Correia de Matos Mandato I / II I I I II II Custo total anual c/ viagens Custos anuais com alojamento Ajudas de custo n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. n.a. Outras (indicar) Conselho Fiscal CONSELHO FISCAL Presidente e ROC Pedro Matos Silva, G.J. e P.C., SROC Presidente e ROC Isabel Paiva, Miguel Galvão, SROC Vogal Vogal Vogal Mário Rui Matos Mª Isabel Ressureição Mandato I II I / II I II unid.: Mª João Araújo Remuneração anual fixa Redução decorrente da Lei 64-B/ Remuneração anual efectiva

11 Funções e Responsabilidades 1. Conselho de Administração Compete ao Conselho de Administração, além de definir as grandes linhas a que deve obedecer a gestão da empresa e exercer, em geral, os mais amplos poderes de gestão, praticar os seguintes actos tendentes à realização do objecto e interesse sociais: a) Aprovar os objectivos e as políticas de gestão; b) Aprovar os planos de actividade e financeiros anuais e pluri-anuais e os orçamentos anuais, bem como as alterações que se revelem necessárias; c) Gerir os negócios da Sociedade e praticar todos os actos e operações relativos ao objecto social que não caibam na competência atribuída a outros órgãos da Sociedade; d) Elaborar e apresentar os Relatórios e Contas Anuais; e) Pedir a Convocação das Assembleias Gerais; f) Representar a Sociedade em juízo e fora dele, activa e passivamente, podendo desistir, transigir e confessar em quaisquer pleitos e, bem assim, celebrar convenções de arbitragem; g) Aquirir, alienar ou, por qualquer forma, onerar bens e direitos, móveis ou imóveis; h) A mudança de sede, abertura ou encerramento de filiais, sucursais, agências, delegações ou outras formas locais de representação; i) Deliberar extensões ou reduções importantes da actividade da Sociedade; j) Decidir modificações importantes na organização da Sociedade; k) O estabelecimento, alteração ou cessação de acordos ou outras formas de cooperação duradoura com outras sociedades ou instituições; l) A obtenção de financiamentos e emissão de obrigações; m) Propor à Assembleia Geral alterações Estatutárias; n) Constituir mandatários com os poderes que julgue convenientes, incluindo os de substabelecer; o) Designar, de entre os seus membros, um que desempenhe funções de vice-presidente, substituindo o Presidente nos impedimentos deste; p) Exercer as demais competências que lhe sejam atribuídas pela Assembleia Geral. O Regulamento do Conselho de Administração aprovado em 24 de outubro de 2008 explicita as competências deste órgão e define as suas regras de funcionamento.

12 Currículos 1. Membros da Mesa da Assembleia-Geral 1.1. Presidente Prof. Dr. Miguel Jorge de Campos Cruz Data de Nascimento: 22 de novembro de 1967 Habilitações Académicas Doutoramento (PhD) em Economia pela London Business School (Universidade de Londres- 1998) Mestrado em Gestão pela Universidade Católica Portuguesa (1996) MBA com especialização em Finanças pela Universidade Católica Portuguesa (1993) Licenciatura em Economia pela Universidade Católica Portuguesa (1990) Formação Ação de Team Building (2012) Programação Neuro-Linguística (2011) EU Funds (2011) Curso Europeu de Primeiros Socorros (2010) CAGEP Curso Avançado de Gestão Pública (2007) Participação em diversos seminários especializados, em Portugal e no estrangeiro, designadamente sobre Fundos Estruturais, Capital de Risco, Instrumentos Financeiros, Empreendedorismo, Benchmarking, Boas Práticas, Mercados de Capitais. Atividade Profissional presente: Presidente do Conselho Diretivo do IAPMEI presente: Presidente do Conselho de Administração do Centro para o Desenvolvimento e Inovação Tecnológico : Vogal do Conselho Diretivo do IAPMEI : Presidente do Conselho de Administração da Agência de Inovação presente: Vice-Presidente do Conselho de Administração da Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua presente: Vice-Presidente do Conselho Geral do Fundo Autónomo de Apoio à Concentração e Consolidação de Empresas presente: Presidente do Conselho Geral e de Supervisão da Portugal Ventures : Vogal da Comissão Diretiva do PRIME Programa de Incentivos à Modernização da Economia. Presidiu à Comissão Diretiva por um período de cerca de 9 meses, em substituição

13 : Vogal da Comissão de Gestão do POE Programa Operacional de Economia, tendo presidido à mesma por um período de cerca de 6 meses : Gestor do Programa Energia 1999: Sub-Diretor Geral da Direção Geral de Indústria : Técnico Superior do Banco CISF Millennium BCP Outras funções exercidas: presente: Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Lispolis Associação para o Polo Tecnológico de Lisboa presente: Presidente da Mesa da Assembleia Geral da PME Investimentos presente: Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Capital de Risco presente: Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Federação Nacional de Associações de Business Angels presente: Vogal da Direção do INDEG/IUL Projetos : Vogal da Direção do INDEG/IUL presente: Membro da Comissão de Acompanhamento dos Programas COMPETE e regionais (Norte, Centro, Alentejo, Lisboa e Algarve) : Membro da Comissão de Acompanhamento dos projetos PIN e depois da Comissão Permanente de Apoio ao Investidor presente: Membro do CCIFI Conselho de Coordenação dos Incentivos Fiscais ao Investimento presente: Membro do Conselho Nacional da REN Rede Ecológica Nacional presente: Deputy SME Envoy para Portugal junto da Comissão Europeia. Atividade Académica e Científica presente: Docente Universitário : Investigador do Center for Economic Forecasting da London Business School : Investigador do Centro de Estudos Aplicados da Universidade Católica Portuguesa 1989: Jornalista Estagiário no Semanário Económico 1.2. Secretário Dr. Mário José Alveirinho Carrega Data de Nascimento: 18 de agosto de 1966 Habilitações Académicas Licenciatura em Organização e Gestão de Empresas, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG/UTL) concluída no ano de 1990 com média final de curso de 13 valores.

14 Atividade Profissional Funções Exercidas: De setembro de 1990 a 28 de fevereiro de 1992, Auditor da Price Waterhouse; De 4 de março de 1992 a 13 de outubro de 1992, quadro superior no Gabinete de Organização Informática da Direção-Geral do Tesouro - Ministério das Finanças; De 14 de outubro de 1992 a 18 de maio de 1993, quadro superior no Tribunal de Contas; Desde 19 maio de 1993, quadro superior na Direção-Geral do Tesouro e Finanças - Ministério das Finanças a desempenhar funções na área do Setor Empresarial do Estado; Ocupou os cargos de Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Transtejo Transportes Tejo, S.A., Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Hospital de Santa Marta, S.A. e Secretário da Mesa da Assembleia Geral da PME Investimentos Sociedade de Investimento, S.A.; Ocupa atualmente os cargos de Presidente do Conselho Fiscal da Fundação Museu do Douro, Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da SIMAB Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores, S.A. e Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da PME Investimentos Sociedade de Investimento, S.A.. 2. Membros do Conselho de Administração 2.1. Presidente Dr. Marco Paulo Monsanto Biscaia Fernandes Data de Nascimento: 22 de dezembro de 1969 Habilitações Académicas INSEAD/IES Social Entrepreneurship Program (2011) Mestrado em Gestão e Estratégia Industrial pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (1999) Licenciatura em Economia pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (1994) Atividade Profissional jun.2013 out.2006: Diretor Executivo na Agência DNA Cascais (Business and Innovation Centre da rede EBN); set.2006 set.2004: Senior manager da Mundiserviços; ago.2004 out.1998: Project manager da INXL Promoção Empresarial; ago.1998 jan.1996: Analista de crédito e adviser de aplicações financeiras na Caixa Geral de Depósitos.

15 2.2. Vogal Dr. Gonçalo Oliveira Lage Data de Nascimento: 11 de junho de 1980 Habilitações Académicas MBA IESE/AESE Executive Master in Business Administration Programa avançado em Digital Media realizado em IESE - Nova Iorque Programa avançado em Linear Programming e Decision Making na India, IIM Indian Institute of Management Licenciatura em Gestão de Marketing pelo Instituto Superior de Comunicação Empresarial (ISCEM) Atividade Profissional 2012 jul.2015: Secretário-Geral da Confederação dos Serviços de Portugal; 2009 jul.2015: Coordenador da Comissão Finanças e Administração Pública e Serviços da Câmara Municipal de Cascais; mar mar.2012: Assessor Vereador Finanças e Património da Câmara Municipal de Cascais; out.2009 mar.2011: Assessor do Presidente da Câmara Municipal de Cascais com Pelouro Finanças, Ambiente, Urbanismo, Requalificação Urbana e Obras; : Project Manager da Agência de Empreendedorismo DNA Cascais; : Representante de Multinacional (Uniters) para Portugal e Espanha; : Sócio fundador de start-up de base tecnológica; 2.3. Vogal Dr. Bernardo Maya Múrias Afonso Data de Nascimento: 21 de agosto de 1978 Habilitações Académicas Chartered Financial Analyst (CFA) Membro da CFA Society of the UK (2011) Programa de Corporate Finance e formação em liderança J.P. Morgan Londres ( ) Licenciatura em Organização e Gestão de Empresas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (2004) Atividade Profissional jul jul.2015: Assessor no Governo de Portugal no Gabinete do Secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade e no Gabinete do Secretário de Estado do Tesouro; jul jul.2013: Diretor da Equipa de Investimentos da Strongeagle, Lda. Capital de Risco Lisboa;

16 jul ago.2013: Co-Fundador da Brainwapps Studios, Lda Social Media Lisboa; abr abr.2011: Vice-Presidente da FICC Division da J.P. Morgan Banca de Investimento Londres; mar mar.2007: Gestor de ativos de portfólios de renda fixa no Banco Privado Português Lisboa; jan mar.2006: Analista da Fixed Income Division do Citigroup Banca de Investimento Lisboa; jan dez.2003: Relações Públicas da Fundação das Casas de Fronteira e Alorna Eventos Corporativos e Culturais Lisboa. 3. Membros do Conselho Fiscal 3.1. Presidente Prof. Dr. Diogo José Paredes Leite de Campos Data de Nascimento: 4 de dezembro de 1944 Habilitações Académicas Doutoramento em Direito, Universidade de Coimbra Docteur d État en Droit, Universidade de Paris II Doutoramento em Economia Políticas Económicas e Sociais, Universidade de Paris IX DEA em História da Expansão pela EHESS e Universidade de Paris IV Atividade Profissional Advogado (sócio) Leite de Campos, Soutelinho & Associados Sociedade de Advogados, RL. (Lisboa) e Rolim, Viotti e Leite de Campos (Brasil) Advogado em Portugal e no Brasil - campo preferencial de atuação: Direito Tributário (contencioso, consultoria e Direito internacional e europeu), Teoria Geral do Direito, Direito Civil, Direito de Imobiliário e Direito das Sociedades.; Professor Catedrático da Faculdade de Direito de Coimbra (jubilado) e da Universidade Autónoma de Lisboa; Administrador do Banco de Portugal ( ); Presidente do Conselho Consultivo da CMVM ( ); Presidente da Comissão que elaborou um projeto sobre a tributação da família ( ); Presidente da Comissão que elaborou a Lei Geral Tributária (1998); Autor ou co-autor de diversos ante-projetos de lei sobre Direito fiscal, comercial e financeiro (locação financeira, titularização de créditos, imposto de mais-valias, sistema bancário de Macau, etc.); Membro de diversos grupos de trabalho do Comité de Assuntos Fiscais da OCDE; Membro da Comissão Técnica de Impostos da Ordem dos ROCS (2004);

17 Autor de mais de duzentas obras sobre temas de Direito Fiscal, Direito Civil e Direito Comercial, publicadas em Portugal, Espanha, França, Itália, Países Baixos, República Checa, Rússia, Brasil, Argentina, México, Canadá, etc; Lecionou, proferiu conferências ou fez parte de júris, nas Universidades de Coimbra, de Lisboa, Católica Portuguesa, Nova de Lisboa, Autónoma de Lisboa, Portucalense, Livre de Lisboa, Paris II, Paris X, Montpellier, Poitiers, Bordeaux, Carlos de Praga, Academia Financeira de Moscovo, Roma La Sapienza, Federal Fluminense, Federal de Minas Gerais, Salamanca, Santiago de Compostela, Federal do Paraná, Federal do Rio Grande do Sul, do Estado de S. Paulo, Fundação Getúlio Vargas (S. Paulo), Castilla la Mancha, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (Belo Horizonte), Alma Mater Studiorum (Bolonha), Complutense de Madrid, etc; Membro da Comissão de avaliação externa da Faculdade de Direito da Universidade de S. Paulo, Brasil (2010); Leccionou cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento sobre Direito Civil, Direito Fiscal, Direito Comercial, Direito Bancário e dos Seguros, Direitos da personalidade, Direito da insolvência e recuperação das empresas, Direito da regulação, etc.; Membro da lista de árbitros do CAAD, sendo árbitro em diversos tribunais coletivos; Árbitro em tribunais ad hoc em matérias de Direito Privado; Fez parte de dezenas de júris de mestrado, doutoramento, agregação, concurso para professor associado e professor catedrático em Portugal e noutros Países; Orientou e orienta dissertações de mestrado e doutoramento; É diretor ou membro da comissão de redação de diversas revistas jurídicas portuguesas e de outros países; Membro do Conselho Cientifico da Fondation pour le Droit Continental (Paris); Secretário Geral do grupo português da Association Henri Capitant ( ); Presidente do Grupo português da Association Henri Capitant ( ) Vogal Dr. José Luís Guerreiro Nunes Data de Nascimento: 14 de junho de 1971 Habilitações Académicas Licenciatura em Gestão pela Universidade Lusíada, Lisboa, 1989/94. Atividade Profissional Funções exercidas: Sócio de Isabel Paiva, Miguel Galvão & Associados, Sroc, Lda. a partir de dezembro de 2001, sendo Revisor Oficial de Contas em total exclusividade e em representação da citada sociedade;

18 Revisor oficial de contas em exclusividade de várias empresas/instituições de maio/01 a dezembro/01; Auditor na Moreira, Valente e Associados, Sroc de dezembro/00 a abril/01; Assistente da Direção do Teatro Nacional D. Maria II de fevereiro/00 até novembro/00; Supervisor financeiro da Comissão Nacional de Luta Contra a Sida (CNLCS) de janeiro/99 até fevereiro/00; Auditor no Departamento de Auditoria do Banco Nacional Ultramarino (BNU agora inserido na Caixa Geral de Depósitos) de novembro/97 até janeiro/99; Responsável pelos estudos de viabilidade económica de ALTAFEL PROJE - Consultadoria para os Negócios e a Gestão, Lda., desde outubro/95 até novembro/97; Auditor na Baltasar e Jacob - Sroc de 01/01/96 até 31/07/97; Colaborador do Revisor Oficial de Contas José Pinto Baltasar de 21/11/94 a 31/12/95 Ordem Profissional e Outros Técnico Oficial de Contas inscrito na CTOC sob o n.º 4507; Inscrito na Ordem dos Economistas sob o n.º 4947; Revisor Oficial de Contas inscrito na OROC sob o n.º Vogal Dra. Maria João Dias Pessoa de Araújo Data de Nascimento: 25 de setembro de 1958 Habilitações Académicas Licenciatura em Economia pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa em Pós Graduação em Estudos Europeus dominante económica pelo Centro de Estudos Europeus da Universidade Católica Portuguesa. Atividade Profissional Funções exercidas: Subdiretora-Geral da Direção-Geral do Tesouro e Finanças desde agosto de 2011; Diretora de Serviços de Contabilidade da Direção de Serviços dos Assuntos Comunitários da Direção Geral do Orçamento entre maio de 2007 e agosto de 2011; Diretora de Serviços dos Assuntos Monetários e Financeiros da Direção-Geral de Assuntos Europeus e Relações Internacionais do Ministério das Finanças entre outubro de 1999 e maio de 2007; Assessora da Direção-Geral de Assuntos Europeus e Relações Internacionais do Ministério das Finanças entre 1998 e 1999;

19 Técnica Superior no Gabinete de Assuntos Europeus do Ministério das Finanças entre 1986 e 1998; Técnica Superior no Gabinete de Estudos e Planeamento do Ministério das Finanças entre 1981 e Outras Funções Exercidas Administradora não executiva da Parpública Participações Públicas (SGPS), S.A. Representante do Ministério das Finanças no Conselho Geral e de Supervisão da Portugal Capital Venture Sociedade de Capital de Risco, S.A. Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Parque Expo 98, S.A. Representante da DGAERI na Comissão Euro do Ministério das Finanças. Assistente na Católica Lisbon School of Business & Economics

Estatuto remuneratório fixado

Estatuto remuneratório fixado Estatuto remuneratório fixado De acordo com o estabelecido pela Comissão de Vencimentos em 14 de abril de 2004, os membros dos Órgãos Sociais podem auferir as seguintes remunerações principais brutas:

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único Modelo de Governo II 2014-2016 Cargo Órgãos Sociais Eleição Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Francisca Passo Valente Carneiro Fernandes José Manuel Matos da Silva Sandra Bela de

Leia mais

1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração

1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração Órgãos Sociais 1. Estatuto remuneratório fixado para os Membros do Conselho de Administração A. Competência para a Determinação Compete à Assembleia Geral a aprovação da política de remunerações dos membros

Leia mais

Remunerações e outras regalias

Remunerações e outras regalias Remunerações e outras regalias 1. Mesa Assembleia Geral Não se aplica 2. Conselho de Administração Exercício de 2012 Adaptado ao EGP (Sim/Não) sim sim sim sim sim sim Remuneração Total (1.+2.+3.+4.) 69,863.78

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Francisco Torres Sampaio Inês Alexandra Gomes da Costa. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Francisco Torres Sampaio Inês Alexandra Gomes da Costa. Conselho de Administração Modelo de Governo O modelo de governo adoptado pela Polis Litoral Norte é o modelo clássico, composto pelo Conselho de Administração, Assembleia Geral e Fiscal Único, constituindo estes os seus órgão sociais

Leia mais

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos

Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Estatutos da Caixa Geral de Depósitos Conforme aprovado em Assembleia Geral de 22 de julho de 2011 e posterior alteração pela Deliberação Unânime por Escrito de 27 de junho de 2012. CAPÍTULO I Natureza,

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia-geral. Não Aplicável. Conselho de Administração Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vice-Presidente Secretário Mesa da Assembleia-geral Não Aplicável Presidente Conselho de Administração Izabel Maria Nunes Rodrigues Daniel

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Secretário Professora Doutora Maria Helena Vaz de Carvalho Nazaré Dr. José Carlos Moreira Amaral (cessou

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Vice- Secretário Dra. Sara Alexandra Pereira Simões Duarte Ambrósio Dra. Rita Maria Pereira Silva Dr. Cláudio José Sarmento

Leia mais

Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A.

Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A. Estatutos da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, S.A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objecto Artigo 1º Denominação e duração 1 - A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação

Leia mais

ESTATUTOS DE MOBITRAL EMPRESA MUNICIPAL MOBÍLIAS TRADICIONAIS ALENTEJANAS, E.M. CAPÍTULO I

ESTATUTOS DE MOBITRAL EMPRESA MUNICIPAL MOBÍLIAS TRADICIONAIS ALENTEJANAS, E.M. CAPÍTULO I ESTATUTOS DE MOBITRAL EMPRESA MUNICIPAL MOBÍLIAS TRADICIONAIS ALENTEJANAS, E.M. CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Denominação personalidade e capacidade jurídica 1 - A empresa adopta a denominação

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Dra. Luísa Maria do Rosário Roque

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Mesa da Assembleia Geral. Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Dra. Luísa Maria do Rosário Roque Modelo de Governo Mandato (2014-2016) Quadro III Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Mesa da Assembleia Geral Presidente Secretário Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins Dra. Luísa Maria do Rosário

Leia mais

ESTATUTOS DA APL - ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S. A.

ESTATUTOS DA APL - ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S. A. ESTATUTOS DA APL - ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S. A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objecto Artigo 1.º Denominação e duração 1 - A sociedade adopta a forma de sociedade anónima de capitais

Leia mais

Pacto Social da ATLÂNTICOLINE, S. A. «CAPÍTULO I» Constituição, Sede e Objecto. Artigo 1.º (Natureza e designação)

Pacto Social da ATLÂNTICOLINE, S. A. «CAPÍTULO I» Constituição, Sede e Objecto. Artigo 1.º (Natureza e designação) Pacto Social da ATLÂNTICOLINE, S. A. «CAPÍTULO I» Constituição, Sede e Objecto Artigo 1.º (Natureza e designação) A Sociedade é comercial, encontra-se constituída sob o tipo de sociedade anónima, tem existência

Leia mais

Modelo de Governo. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Presidente 2015-2017. Resolução 12/2015, de 12.

Modelo de Governo. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Presidente 2015-2017. Resolução 12/2015, de 12. Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente João Manuel Alves da Silveira Ribeiro 12/2015, de 12.02(*) 2015-2017 Vogal (1 Mário de Figueiredo Bernardes

Leia mais

CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objeto social

CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objeto social ESTATUTOS DA PARPÚBLICA PARTICIPAÇÕES PÚBLICAS (SGPS), S.A. CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objeto social Artigo 1.º (Denominação) A sociedade adota a denominação PARPÚBLICA Participações Públicas

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO DA EDP ENERGIAS DE PORTUGAL, S.A.

REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO DA EDP ENERGIAS DE PORTUGAL, S.A. REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO DA EDP ENERGIAS DE PORTUGAL, S.A. 13 de Outubro de 2015 REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXECUTIVO EDP Energias de Portugal, S.A. ARTIGO 1.º (Âmbito)

Leia mais

2013/2015 2010/2012. 2. Fiscal Único 2013/2015

2013/2015 2010/2012. 2. Fiscal Único 2013/2015 Modelo de Governo O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E. P. E, reveste a natureza de entidade pública Empresarial, e foi criado através do Decreto-Lei n.º 50-A/2007 de 28 de Fevereiro,

Leia mais

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação

ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I. Natureza, denominação, duração, sede e objeto. Artigo 1.º. Natureza e denominação ESTATUTOS DA IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. CAPÍTULO I Natureza, denominação, duração, sede e objeto Artigo 1.º Natureza e denominação A sociedade tem a natureza de sociedade anónima de capitais

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Carlos José Cadavez Fernando Miguel P. Oliveira Pereira. José Joaquim Costa

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração. Carlos José Cadavez Fernando Miguel P. Oliveira Pereira. José Joaquim Costa Modelo de Governo O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E. P. E, reveste a natureza de entidade pública Empresarial, e foi criado através do Decreto-Lei n.º 50-A/2007 de 28 de Fevereiro,

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso.

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso. Modelo de Governo Mandato III Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Presidente Vogal (1) Vogal (2) Henrique Manuel Gil Martins Rogério Pereira Rodrigues Artur Manuel Trindade Mimoso RCM nº8/2014 de 25.02

Leia mais

PACTO SOCIAL (Março 2009)

PACTO SOCIAL (Março 2009) NORMA-AÇORES, SOCIEDADE DE ESTUDOS E APOIO AO DESENVOLVIMENTO REGIONAL, S. A. E S T A T U T O S CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO Artigo 1.º (Firma) 1. Nos termos da lei e dos presentes estatutos,

Leia mais

CURRICULUM VITAE JOSÉ GABRIEL PAIXÃO CALIXTO

CURRICULUM VITAE JOSÉ GABRIEL PAIXÃO CALIXTO CURRICULUM VITAE JOSÉ GABRIEL PAIXÃO CALIXTO ECONOMISTA Janeiro, 2006 Rua Marquês de Pombal, Nº 17 7200-389 Reguengos de Monsaraz Telemóvel: +351 964 895 518 jose.calixto@netcabo.pt C URRICULUM VITAE JOSÉ

Leia mais

Proposta / Ponto 4. DOCUMENTOS PREPARATÓRIOS ASSEMBLEIA GERAL Porto 8 maio 2013. Exmo. Senhor. Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Proposta / Ponto 4. DOCUMENTOS PREPARATÓRIOS ASSEMBLEIA GERAL Porto 8 maio 2013. Exmo. Senhor. Presidente da Mesa da Assembleia Geral DOCUMENTOS PREPARATÓRIOS ASSEMBLEIA GERAL Porto 8 maio 2013 Proposta / Ponto 4 Exmo. Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Geral Grupo Soares da Costa, SGPS,S.A. Exmo. Senhor Presidente, Relativamente

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE. Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO PRIMEIRO. Tipo e Firma

CONTRATO DE SOCIEDADE. Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO PRIMEIRO. Tipo e Firma CONTRATO DE SOCIEDADE de Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO PRIMEIRO Tipo e Firma A sociedade é constituída segundo o tipo de sociedade anónima e adopta a firma Empresa Geral do Fomento, S.A. ARTIGO

Leia mais

ESTATUTO DA SOCIEDADE .. SOCIEDADE UNIPESOAL S.A.

ESTATUTO DA SOCIEDADE .. SOCIEDADE UNIPESOAL S.A. ESTATUTO DA SOCIEDADE.. SOCIEDADE UNIPESOAL S.A. CAPÍTULO I Da Firma, Tipo, Sede, Duração e Objecto Social ARTIGO 1.º (Natureza jurídica, denominação e duração) A sociedade adopta o tipo de sociedade anónima

Leia mais

CCV Correios de Cabo Verde, SA. Decreto Lei nº 9-A/95:

CCV Correios de Cabo Verde, SA. Decreto Lei nº 9-A/95: CCV Correios de Cabo Verde, SA Decreto Lei nº 9-A/95: Transforma a empresa Pública dos Correios e Telecomunicações CTT, em duas sociedades anónimas de capitais públicos. ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação,

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único. Fiscal Único. Conselho Consultivo

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato. Conselho de Administração. Fiscal Único. Fiscal Único. Conselho Consultivo Modelo de Governo Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração (1) (2) Director Clínico (3) Enf. Director (4) Eng. Joaquim Nabais Esperancinha Dr. António José Horta Lérias Eng. João

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração FISCAL ÚNICO. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração

Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração FISCAL ÚNICO. Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato. Conselho de Administração Modelo de Governo Mandato 2015-2017 Cargo Órgãos Sociais Nomeação Mandato Conselho de Administração Presidente Vogal (1) Vogal (2) Vogal (3) Vogal (4) José Manuel de Araújo Cardoso Manuel Basto Carvalho

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ECONOMIA. Portaria n.º 1502/2002 de 14 de Dezembro

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ECONOMIA. Portaria n.º 1502/2002 de 14 de Dezembro MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DA ECONOMIA Portaria n.º 1502/2002 de 14 de Dezembro A Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 17 de Junho, publicada em 26 de Julho, que aprovou o PPCE - Programa

Leia mais

CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL. NOME - Diogo Nuno de Gouveia Torres Feio FORMAÇÃO ACADÉMICA

CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL. NOME - Diogo Nuno de Gouveia Torres Feio FORMAÇÃO ACADÉMICA CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL NOME - Diogo Nuno de Gouveia Torres Feio FORMAÇÃO ACADÉMICA 1998 - Mestrado em Ciências Jurídico-Políticas, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, com

Leia mais

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

LISGRÁFICA, Impressão e Artes Gráficas, SA

LISGRÁFICA, Impressão e Artes Gráficas, SA LISGRÁFICA, Impressão e Artes Gráficas, SA ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, Sede e Objecto Artigo 1º Denominação A sociedade continua a sua existência e actividade sob a denominação Lisgráfica-Impressão

Leia mais

ESTATUTOS DA COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, S.A.

ESTATUTOS DA COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, S.A. ESTATUTOS DA COMPANHIA DAS LEZÍRIAS, S.A. CAPÍTULO I Denominação, sede, duração e objecto Artigo 1.º A sociedade adopta a forma de sociedade anónima e a denominação de Companhia das Lezírias, S.A., abreviadamente

Leia mais

Sandra Maria Fevereiro Marnoto Licenciada em Gestão (1994) e Mestre em Finanças (2001) pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e é

Sandra Maria Fevereiro Marnoto Licenciada em Gestão (1994) e Mestre em Finanças (2001) pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e é Célio Alberto Alves Sousa Licenciado em Relações Internacionais, Ramo Ciências Económicas e Políticas, pela Universidade do Minho (1994), pós graduado em Gestão Empresarial (1998) e doutorado em Management

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3.

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3. ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º Denominação e Regime Jurídico 1 - A empresa adota a denominação de RESIALENTEJO TRATAMENTO E VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS, E.I.M., adiante designada por RESIALENTEJO,

Leia mais

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional

Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Secção II 1* Fundos e sociedades de investimento imobiliário para arrendamento habitacional Artigo 102.º Objecto É aprovado o regime especial aplicável aos fundos de investimento imobiliário para arrendamento

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE O GOVERNO DA SOCIEDADE

RELATÓRIO SOBRE O GOVERNO DA SOCIEDADE RELATÓRIO SOBRE O GOVERNO DA SOCIEDADE Relatório sobre o Governo da Sociedade 1. Missão, objectivos e políticas da empresa a) A Companhia das Lezírias (CL) na sua qualidade de maior empresa agrícola portuguesa

Leia mais

Órgãos Sociais da SATU-Oeiras, E.M., S.A. Triénio 2012-2014. Assembleia Geral. Presidente da Mesa da Assembleia Geral

Órgãos Sociais da SATU-Oeiras, E.M., S.A. Triénio 2012-2014. Assembleia Geral. Presidente da Mesa da Assembleia Geral Assembleia Geral Presidente da Mesa da Assembleia Geral Nome: Jorge Manuel Madeiras Silva Pracana Licenciatura em Direito na Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa. Advogado. Membro de

Leia mais

CONTRATO DE SOCIEDADE DA TOMÁS TIMBANE E ASSOCIADOS ADVOGADOS SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA

CONTRATO DE SOCIEDADE DA TOMÁS TIMBANE E ASSOCIADOS ADVOGADOS SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA CONTRATO DE SOCIEDADE DA TOMÁS TIMBANE E ASSOCIADOS ADVOGADOS SOCIEDADE UNIPESSOAL, LDA CAPÍTULO I FIRMA, OBJECTO SOCIAL E SEDE ARTIGO PRIMEIRO (Firma) Um) A Sociedade é constituída sob a forma de sociedade

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 10.45 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 10.45 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA ALTRI, SGPS, S.A. DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RELATIVA AO PONTO SEGUNDO DA ORDEM DOS TRABALHOS O Conselho de Administração da ALTRI, SGPS, S.A. propõe à Assembleia Geral

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013. Série. Número 181

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013. Série. Número 181 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 27 de dezembro de 2013 Série Suplemento Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA MADEIRA Decreto Legislativo Regional n.º 31/2013/M Segunda alteração ao

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS (Apreciar sobre a renúncia do Revisor Oficial de Contas e deliberar sobre a eleição do Revisor

Leia mais

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A.

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO DO BANCO SANTANDER TOTTA, S.A. Nos termos e para os efeitos do disposto no artigo 2.º, n.º 1, da Lei n.º 28/2009, de 19

Leia mais

Organização: Promoção: Apoio:

Organização: Promoção: Apoio: Viseu, 24 de Janeiro de 2013 15h00 às 18h00 Museu do Quartzo Monte de Santa Luzia - Abraveses 3515 Viseu PROGRAMA DA CONFERÊNCIA 14h30 Receção dos Convidados e Participantes 15h00 Sessão de Abertura presidida

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A.

REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A. REGULAMENTO DA COMISSÃO EXECUTIVA DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REDITUS - SOCIEDADE GESTORA DE PARTICIPAÇÕES SOCIAIS, S.A. ARTIGO 1.º (Âmbito e Aplicabilidade) 1. O presente regulamento estabelece as regras

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. ARTIGO 1.º

REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO. Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. ARTIGO 1.º REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. ARTIGO 1.º (Composição do Conselho de Administração) 1. O Conselho de Administração é composto por um número mínimo de três

Leia mais

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato

Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Modelo do Governo Mandato I - 2013-2015 Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Conselho de Administração Presidente: Fernando Manuel Marques Vogal Executivo: Diretora Clínica: Enfermeiro Diretor: Augusta

Leia mais

Regulamento do Conselho de Administração da Assembleia da República

Regulamento do Conselho de Administração da Assembleia da República Regulamento do Conselho de Administração da Assembleia da República publicado no Diário da Assembleia da República, II Série C, n.º 11 de 8 de Janeiro de 1991 Conselho de Administração O Conselho de Administração

Leia mais

IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO

IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO IV GOVERNO CONSTITUCIONAL PROPOSTA DE LEI N.º /2010 DE DE FUNDO FINANCEIRO IMOBILIÁRIO A presente Lei cria o Fundo Financeiro Imobiliário e estabelece o respectivo regime jurídico. Os princípios de planeamento,

Leia mais

Síntese Curricular. 1. Membros da Mesa da Assembleia-Geral. 1.1. Presidente Carlos Alberto Martins Portas. Data de Nascimento: 29 de novembro de 1936

Síntese Curricular. 1. Membros da Mesa da Assembleia-Geral. 1.1. Presidente Carlos Alberto Martins Portas. Data de Nascimento: 29 de novembro de 1936 Síntese Curricular 1. Membros da Mesa da Assembleia-Geral 1.1. Presidente Carlos Alberto Martins Portas Data de Nascimento: 29 de novembro de 1936 Doutor em Engenharia Agronómica Prof. Emérito da Universidade

Leia mais

S.A. e AFA SGPS, S.A. propõem a seguinte lista de membros para a Mesa da Assembleia Geral,

S.A. e AFA SGPS, S.A. propõem a seguinte lista de membros para a Mesa da Assembleia Geral, ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, SA Reunião de 26 de Agosto de 2015 (Continuação da reunião iniciada em 29 de Maio de 2015) PONTO 6 DA ORDEM DO DIA Proceder à eleição

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 14 de Maio de 2015

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 14 de Maio de 2015 ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 14 de Maio de 2015 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 8 DA ORDEM DE TRABALHOS (Deliberar sobre a eleição dos membros do Conselho Fiscal para exercerem funções durante

Leia mais

ESTATUTOS FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM. Artigo 1º. (Denominação e natureza jurídica)

ESTATUTOS FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM. Artigo 1º. (Denominação e natureza jurídica) ESTATUTOS FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM Artigo 1º (Denominação e natureza jurídica) 1. A FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM, adiante também designada simplesmente por Fluviário de Mora,

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 12.00 HORAS

ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. A REALIZAR, NA SEDE SOCIAL, NO DIA 24 DE ABRIL DE 2014, PELAS 12.00 HORAS ASSEMBLEIA GERAL DE ACCIONISTAS DA COFINA, SGPS, S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO PONTO SEGUN DA ORDEM S TRABALHOS O Conselho de Administração da COFINA, SGPS, S.A. propõe à Assembleia Geral que os resultados

Leia mais

Anexo da Proposta ao Ponto 1 da ordem de trabalhos da Assembleia Geral Anual, a realizar a 4 de Abril de 2014

Anexo da Proposta ao Ponto 1 da ordem de trabalhos da Assembleia Geral Anual, a realizar a 4 de Abril de 2014 Anexo da Proposta ao Ponto 1 da ordem de trabalhos da Assembleia Geral Anual, a realizar a 4 de Abril de 2014 P 1 de 6 António Agostinho Cardoso da Conceição Guedes Nome: António Agostinho Cardoso da Conceição

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL. CAPÍTULO I Disposições Gerais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL. CAPÍTULO I Disposições Gerais ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO PRIMEIRO (Natureza) A Fundação Vodafone Portugal, adiante designada abreviadamente por Fundação, é uma instituição de direito

Leia mais

APROVADO POR DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DE 15 DE SETEMBRO DE 2015 REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA SONAE SGPS, SA

APROVADO POR DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DE 15 DE SETEMBRO DE 2015 REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA SONAE SGPS, SA APROVADO POR DELIBERAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DE 15 DE SETEMBRO DE 2015 REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA SONAE SGPS, SA ARTIGO 1.º COMPOSIÇÃO DO CONSELHO E COMISSÕES 1. O Conselho de

Leia mais

ESTATUTOS COLISEU MICAELENSE SOCIEDADE DE PROMOÇÃO E DINAMIZAÇÃO DE EVENTOS CULTURAIS, SOCIAIS E RECREATIVOS, E.M., S.A.

ESTATUTOS COLISEU MICAELENSE SOCIEDADE DE PROMOÇÃO E DINAMIZAÇÃO DE EVENTOS CULTURAIS, SOCIAIS E RECREATIVOS, E.M., S.A. ESTATUTOS COLISEU MICAELENSE SOCIEDADE DE PROMOÇÃO E DINAMIZAÇÃO DE EVENTOS CULTURAIS, SOCIAIS E RECREATIVOS, E.M., S.A. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Denominação, sede, objeto e duração Artigo 1.º Tipo,

Leia mais

Finantia SGFTC, S.A. Relatório e Contas 2012

Finantia SGFTC, S.A. Relatório e Contas 2012 Finantia SGFTC, S.A. Relatório e Contas 2012 Finantia S.G.F.T.C., S.A. Rua General Firmino Miguel, nº 5 1º 1600-100 Lisboa Matrícula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa e Pessoa Colectiva nº

Leia mais

FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PÚBLICA

FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PÚBLICA FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PÚBLICA ASPECTOS FUNDAMENTAIS 1 F U N D O S F E C H A D O S D E S U B S C R I Ç Ã O P Ú B L I C A ASPECTOS FUNDAMENTAIS RE GIM E JURÍDICO O enquadramento jurídico dos Fundos

Leia mais

CATEGORIA A TRABALHO DEPENDENTE

CATEGORIA A TRABALHO DEPENDENTE CATEGORIA A TRABALHO DEPENDENTE A tributação nesta Categoria de rendimentos é fundamentalmente baseada na existência de uma remuneração proveniente do trabalho por conta de outrém. A classificação como

Leia mais

Direito Público AS RECENTES ALTERAÇÕES À LEI-QUADRO DOS INSTITUTOS PÚBLICOS E AO ESTATUTO DO GESTOR PÚBLICO FEVEREIRO 2012 01

Direito Público AS RECENTES ALTERAÇÕES À LEI-QUADRO DOS INSTITUTOS PÚBLICOS E AO ESTATUTO DO GESTOR PÚBLICO FEVEREIRO 2012 01 Briefing FEVEREIRO 2012 01 AS RECENTES ALTERAÇÕES À LEI-QUADRO DOS INSTITUTOS PÚBLICOS E AO ESTATUTO DO GESTOR PÚBLICO Direito Público Durante o mês de Janeiro de 2012 foram aprovados dois diplomas que

Leia mais

MGI Internacional. Presença em mais de 80 países

MGI Internacional. Presença em mais de 80 países MGI Internacional Presença em mais de 80 países Presente em mais de 80 países e com mais de 280 escritórios em todos os Continentes, a MGI é uma das maiores associações internacionais de empresas independentes

Leia mais

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS A Assembleia da República decreta, nos termos dos artigos 164.º, alínea d), 167.º, alínea g), e 169.º, n.º 2, da Constituição, o seguinte: Artigo

Leia mais

Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto. Artigo 1.º. Natureza e Firma

Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto. Artigo 1.º. Natureza e Firma Contrato de Sociedade do Banco Espírito Santo, S.A. Capítulo I Denominação, Sede, Duração e Objecto Artigo 1.º Natureza e Firma 1. A Sociedade é organizada sob a forma de sociedade anónima e adopta a firma

Leia mais

SECÇÃO PRIMEIRA ASSEMBLEIA GERAL ARTIGO QUINTO (CONSTITUIÇÃO DA ASSEMBLEIA GERAL)

SECÇÃO PRIMEIRA ASSEMBLEIA GERAL ARTIGO QUINTO (CONSTITUIÇÃO DA ASSEMBLEIA GERAL) ESTATUTOS DA ISA INTELLIGENT SENSING ANYWHERE, S.A. CAPÍTULO PRIMEIRO DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E OBJECTO ARTIGO PRIMEIRO (DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO E SEDE) A sociedade, constituída sob a forma de sociedade

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 133 13 de Julho de 2009 4449. (CNC), anexo ao presente decreto -lei e que dele faz parte integrante. Artigo 2.

Diário da República, 1.ª série N.º 133 13 de Julho de 2009 4449. (CNC), anexo ao presente decreto -lei e que dele faz parte integrante. Artigo 2. Diário da República, 1.ª série N.º 133 13 de Julho de 2009 4449 Decreto-Lei n.º 160/2009 de 13 de Julho Com a aprovação de um novo Sistema de Normalização Contabilística, inspirado nas normas internacionais

Leia mais

CURRÍCULOS DOS MEMBROS PROPOSTOS PARA O CONSELHO FISCAL

CURRÍCULOS DOS MEMBROS PROPOSTOS PARA O CONSELHO FISCAL CURRÍCULOS DOS MEMBROS PROPOSTOS PARA O CONSELHO FISCAL Daniel Bessa Daniel Bessa Fernandes Coelho é desde junho de 2009 diretor geral da COTEC Portugal, Associação Empresarial para a Inovação. Desde junho

Leia mais

Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado. Batalha, 8 Julho de 2010

Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado. Batalha, 8 Julho de 2010 Encontro Nacional de Instaladores da APIRAC-Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração e Ar Condicionado Batalha, 8 Julho de 2010 As vossas necessidades... O apoio aos Empreendedores e às PME s

Leia mais

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO RUAS RECRIAR UNIVERSIDADE ALTA E SOFIA

ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO RUAS RECRIAR UNIVERSIDADE ALTA E SOFIA ESTATUTOS DA ASSOCIAÇÃO RUAS RECRIAR UNIVERSIDADE ALTA E SOFIA CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1. Denominação e natureza A RUAS Recriar Universidade Alta e Sofia, adiante designada abreviadamente

Leia mais

ESTATUTOS. GESLOURES, Gestão de Equipamentos Sociais, E.M., Unipessoal, Lda.

ESTATUTOS. GESLOURES, Gestão de Equipamentos Sociais, E.M., Unipessoal, Lda. GESLOURES, Gestão de Equipamentos Sociais, E.M., Unipessoal, Lda. Capital Social 3.562.000,00 NIF. 502 814 063 Registada na Conservatória do Registo Comercial de Loures sob o nº 0001/920522 1 CAPÍTULO

Leia mais

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL DE CONTAS E PELO AUDITOR EXTERNO DA EDP

Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL DE CONTAS E PELO AUDITOR EXTERNO DA EDP Conselho Geral e de Supervisão REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL DE CONTAS E PELO AUDITOR EXTERNO DA EDP 16.12.2010 REGULAMENTO SOBRE A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PELO REVISOR OFICIAL

Leia mais

Mesa da Assembleia Geral. Dr. Paulo Manuel Marques Fernandes Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins.

Mesa da Assembleia Geral. Dr. Paulo Manuel Marques Fernandes Dr. Paulo Miguel Garcês Ventura Dra. Maria Fernanda Joanaz Silva Martins. Modelo de Governo MANDATO ATUAL (*) Cargo Órgãos Sociais Eleição Mandato Vice- Conselho de Administração Dr. António Manuel Palma Ramalho Dr. José Serrano Gordo Eng.º José Luis Ribeiro dos Santos Dr. Alberto

Leia mais

ASPECTOS FUNDAMENTAIS

ASPECTOS FUNDAMENTAIS FUNDOS ESPECIAIS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO ASPECTOS FUNDAMENTAIS 1 F U N D O S M I S T O S ASPECTOS FUNDAMENTAIS RE GIM E JURÍDICO O enquadramento jurídico dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII)

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

Relatório de Transparência

Relatório de Transparência Relatório de Transparência ISABEL PAIVA, MIGUEL GALVÃO & ASSOCIADOS - Sociedade de Revisores Oficiais de Contas, Lda Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2014 Índice: 1. Introdução 2. Estrutura Jurídica

Leia mais

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto *

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Nos termos da Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 26 de Julho, que aprovou o Programa para a Produtividade e o Crescimento da Economia, foi delineado

Leia mais

FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR

FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR FUNDOS FECHADOS DE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR ASPECTOS FUNDAMENTAIS 1 F U N D O S F E C H A D O S D E S U B S C R I Ç Ã O PA R T I C U L A R ASPECTOS FUNDAMENTAIS RE GIM E JURÍDICO O enquadramento jurídico

Leia mais

Currículos. 1. Membros do Conselho de Administração. 1.1. Administradores Executivos. 1.1.1. Presidente CA Luís Filipe Ottolini Coimbra

Currículos. 1. Membros do Conselho de Administração. 1.1. Administradores Executivos. 1.1.1. Presidente CA Luís Filipe Ottolini Coimbra Currículos 1. Membros do Conselho de Administração 1.1. Administradores Executivos 1.1.1. Presidente CA Luís Filipe Ottolini Coimbra Ano de Nascimento: 1944 - Licenciatura em Engenharia Aeronáutica e Mecânica

Leia mais

Princípios Gerais de Atribuição de Despesas de Transporte e Alojamento e de Ajudas de Custo aos Deputados

Princípios Gerais de Atribuição de Despesas de Transporte e Alojamento e de Ajudas de Custo aos Deputados Princípios Gerais de Atribuição de Despesas de Transporte e Alojamento e de Ajudas de Custo aos Deputados Resolução da Assembleia da República n.º 57/2004, de 6 de agosto com as alterações introduzidas

Leia mais

ESTATUTOS DO INSTITUTO DE GESTÃO DO CRÉDITO PÚBLICO (IGCP)

ESTATUTOS DO INSTITUTO DE GESTÃO DO CRÉDITO PÚBLICO (IGCP) ESTATUTOS DO INSTITUTO DE GESTÃO DO CRÉDITO PÚBLICO (IGCP) Decreto-Lei n.º 160/96 de 4 de Setembro (com as alterações introduzidas pelos D.L. n.º 28/98, de 11 de Fevereiro, D.L. n.º 2/99, de 4 de Janeiro,

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 12 de agosto de 2015. Série. Número 146

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 12 de agosto de 2015. Série. Número 146 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 12 de agosto de 2015 Série Sumário SECRETARIA REGIONAL DA SAÚDE Despacho n.º 372/2015 Designa no cargo de Chefe do Gabinete, o licenciado Miguel

Leia mais

Associação dos Administradores de Insolvências. Estatutos. Capítulo I Natureza e Fins. Artigo 1º Natureza

Associação dos Administradores de Insolvências. Estatutos. Capítulo I Natureza e Fins. Artigo 1º Natureza Associação dos Administradores de Insolvências Estatutos Capítulo I Natureza e Fins Artigo 1º Natureza 1. A Associação dos Administradores de Insolvências, adiante designada simplesmente por ASSOCIAÇÃO,

Leia mais

Estatutos da Esposende 2000 EM, Sociedade Unipessoal, Lda

Estatutos da Esposende 2000 EM, Sociedade Unipessoal, Lda Estatutos da Esposende 2000 EM, Sociedade Unipessoal, Lda ESPOSENDE 2000 ACTIVIDADES DESPORTIVAS E RECREATIVAS, EM, CAP I - Disposições Gerais Art.º 1º - Denominação e natureza 2 Art.º 2º - Capital Social

Leia mais

ESTATUTOS da Concórdia - Centro de Conciliação, Mediação de Conflitos e Arbitragem. Capítulo I. Denominação, sede e objeto.

ESTATUTOS da Concórdia - Centro de Conciliação, Mediação de Conflitos e Arbitragem. Capítulo I. Denominação, sede e objeto. ESTATUTOS da Concórdia - Centro de Conciliação, Mediação de Conflitos e Arbitragem Capítulo I Denominação, sede e objeto Artigo 1 É constituída por tempo indeterminado, com sede em Lisboa, na Rua Rodrigo

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º DENOMINAÇÃO, NATUREZA E SEDE 1. A Associação para o Desenvolvimento da Medicina Tropical, adiante designada por ADMT é uma associação cientifica e tecnológica,

Leia mais

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração

CEMIG TRADING S.A. ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Objeto e Duração CEMIG TRADING S.A. O presente Estatuto é uma consolidação do aprovado pela Escritura Pública de Constituição, em 29-07-2002 - arquivada na JUCEMG em 12-08-2002, sob o nº 3130001701-0, e pelas Assembléias

Leia mais

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA OBRIGAÇÕES COLEP / 2014 2017 FICHA TÉCNICA

EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA OBRIGAÇÕES COLEP / 2014 2017 FICHA TÉCNICA EMPRÉSTIMO OBRIGACIONISTA OBRIGAÇÕES COLEP / 2014 2017 FICHA TÉCNICA Emitente: Colep Portugal, S.A. Modalidade: Emissão de obrigações a taxa variável por oferta particular e direta. Moeda: Euro ( ). Montante

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 13.REV2/2013 SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS, CONDIÇÕES ESPECÍFICAS DE APLICAÇÃO DAS DESPESAS ELEGÍVEIS E METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM

Leia mais

CTT- CORREIOS DE PORTUGAL, S.A. ESTATUTOS. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Duração e Objeto. Artigo 1º Denominação

CTT- CORREIOS DE PORTUGAL, S.A. ESTATUTOS. CAPÍTULO I Denominação, Sede, Duração e Objeto. Artigo 1º Denominação CTT- CORREIOS DE PORTUGAL, S.A. ESTATUTOS CAPÍTULO I Denominação, Sede, Duração e Objeto Artigo 1º Denominação A sociedade adota a forma de sociedade anónima e a denominação de CTT - Correios de Portugal,

Leia mais

www.pwc.com/pt empresarial Jorge Figueiredo

www.pwc.com/pt empresarial Jorge Figueiredo www.pwc.com/pt Fiscalidade pessoal e empresarial Jorge Figueiredo 18 de Fevereiro de 2011 Agenda 1. IRS 1.1 Alterações das taxas 1.2 Outros rendimentos 1.3 Dedução específica Categoria A 1.4 Reporte de

Leia mais

Proposta Ponto 2 da Ordem de Trabalhos da Assembleia Geral de Acionistas da Galp Energia, SGPS, S.A., Sociedade Aberta de 23 de Novembro de 2012

Proposta Ponto 2 da Ordem de Trabalhos da Assembleia Geral de Acionistas da Galp Energia, SGPS, S.A., Sociedade Aberta de 23 de Novembro de 2012 Proposta Ponto 2 da Ordem de Trabalhos da Assembleia Geral de Acionistas da Galp Energia, SGPS, S.A., Sociedade Aberta de 23 de Novembro de 2012 Eleição de cinco novos membros para o Conselho de Administração

Leia mais

ESTATUTOS. LOULÉ CONCELHO GLOBAL, E.M., Unipessoal, S.A.

ESTATUTOS. LOULÉ CONCELHO GLOBAL, E.M., Unipessoal, S.A. CÂMARA MUNICIPAL DE LOULÉ Código Postal 8104-001 ESTATUTOS LOULÉ CONCELHO GLOBAL, E.M., Unipessoal, S.A. CAPÍTULO I Da Sociedade e do capital social ARTIGO 1.º Denominação A Sociedade adota a denominação

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01.REV/SIAC/2012 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) METODOLOGIA DE CÁLCULO DAS DESPESAS COM O PESSOAL TÉCNICO DO BENEFICIÁRIO E LIMITES À ELEGIBILIDADE DE DESPESAS Nos termos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º. Constituição, Denominação e Natureza

ASSOCIAÇÃO TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º. Constituição, Denominação e Natureza ASSOCIAÇÃO TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA ESTATUTOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Constituição, Denominação e Natureza A Associação Trienal de Arquitectura de Lisboa é uma associação cultural,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA SUMOL+COMPAL

REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA SUMOL+COMPAL REGULAMENTO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA SUMOL+COMPAL Incluindo: (I) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO (II) COMISSÃO EXECUTIVA (III) COMITÉ DE AUDITORIA INTERNA Este regulamento aplica-se à SUMOL+COMPAL considerando

Leia mais

João Paulo Torre Vieito (coordenador)

João Paulo Torre Vieito (coordenador) Docentes João Paulo Torre Vieito (coordenador) Doutorando em Ciências Empresariais, especialização em Finanças, na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Mestre em Finanças e MBA em Gestão de

Leia mais

22 e 23 de Setembro de 2014 Funchal

22 e 23 de Setembro de 2014 Funchal 22 e 23 de Setembro de 2014 Funchal Apoios Instituto de Direito do Trabalho da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (IDT) Empresa de Electricidade da Madeira ACIF - Associação Comercial e Industrial

Leia mais