BIM - Building Information Modeling: : inovação que integra projeto, obra, operação e manutenção de edifícios.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BIM - Building Information Modeling: : inovação que integra projeto, obra, operação e manutenção de edifícios."

Transcrição

1 BIM - Building Infrmtin Mling: : invçã qu intgr prjt, br, prçã mnutnçã difícis. Eng. Mri Anglic Cvl Silv Sã Pul - SP

2 Estrutur básic b d ci prdutiv n cnstruçã civil Rvnds distribuirs mtriis Prdutrs Prdutrs mtéris mtéris prims prims básics básics Prdutrs Prdutrs mtriis mtriis cmpnnts cmpnnts sistms sistms cnstrutivs cnstrutivs CAPITAL CAPITAL PARA PARA PRODUÇÃO PRODUÇÃO Prdutrs Prdutrs bns bns finis finis --difícis, difícis, sistms sistms infr-strutur infr-strutur (trnsprt, (trnsprt, nrgi, nrgi, snmnt), snmnt), struturs struturs prcsss prcsss industriis industriis Frncrs Frncrs frrmnts frrmnts quipmnts quipmnts Srviçs Srviçs técnics técnics spcilizs: spcilizs: prjts, prjts, cnsultri, cnsultri, cntrl cntrl tcnlógic, tcnlógic, gstã gstã d d qulid qulid CAPITAL CAPITAL PARA PARA COMPRA COMPRA DOS DOS BENS BENS FINAIS FINAIS ENSINO E PESQUISA ENSINO E PESQUISA Frncrs Frncrs srviçs srviçs xcuçã xcuçã subsistms subsistms sistms sistms cnstrutivs cnstrutivs

3 SEGMENTAÇÃO DE MERCADO SEGMENTAÇÃO DE MERCADO

4 Tiplgi Obrs/Ngócis EDIFICAÇÕES INFRA-ESTRUTURA

5 Rsinciis Incrprçã imbiliári Prduçã sttl Cmrciis EDIFICAÇÕES bs imbiliári: flts, shpping cntrs, scritóris prprid privd: htlri, ci ljs, scls univrsids, hspitis privs Tiplgi Obrs públics dificçõs Escls Arprts Prsídis Etc.. Etc.. Industriis Obrs civis Obrs mntgm industril

6 Incrprr Cntrtçã Cntrtçã d d cnstruçã cnstruçã Cnstrutr C-incrprrs Invstirs Agnt finncir Orçmnt Orçmnt xcutiv xcutiv Plnjmnt Plnjmnt Przs Przs Qulid Qulid Sgurnç Sgurnç Mi Ambint Mi Ambint Gstã Gstã cntrl cntrl d d prduçã prduçã Arquitt Emprndimnts incrprçã imbiliári Rl stt Vibilid Vibilid técnic técnic cnômic cnômic Entrg Entrg Prjt Prjt Arquittur Arquittur pr pr lnçmnt lnçmnt (prjt (prjt lgl) lgl) Lnçmnt Lnçmnt vnds vnds Us, Us, prçã prçã mnutnçã mnutnçã Assistênci Assistênci Técnic Técnic Prjtists fundçõs, struturs, vdçõs, instlçõs, tc. crc 25 spcilids Frncrs - mtriis sistms - srviçs Administrr cnmíni

7 Emprndimnts prpritári ri únic Prpritári Invstirs Arquitt Agnt finncir Vibilid Vibilid técnic técnic cnômic cnômic Prjt Prjt Arquittur Arquittur Grncir Cntrtçã Cntrtçã d d cnstruçã cnstruçã Entrg Entrg Cnstrutr Orçmnt Orçmnt xcutiv xcutiv Plnjmnt Plnjmnt Przs Przs Qulid Qulid Sgurnç Sgurnç Mi Ambint Mi Ambint Gstã Gstã cntrl cntrl d d prduçã prduçã Us, Us, prçã prçã mnutnçã mnutnçã Assistênci Assistênci Técnic Técnic Prjtists fundçõs, struturs, vdçõs, instlçõs, tc. crc 25 spcilids Frncrs - mtriis sistms - srviçs Administrçã prdil

8 PROJETO Arquittur Arquittur Fundçõs Fundçõs Estruturs Estruturs Cncrt Cncrt Mtálic Mtálic Alvnri Alvnri struturl struturl Instlçõs Instlçõs (hidráulics, (hidráulics, létrics) létrics) Ar Ar cndicin cndicin Autmçã Autmçã Sgurnç Sgurnç prdil prdil Sgurnç Sgurnç cntr cntr incêndi incêndi Pisgism Pisgism Drngm Drngm Trrplngm Trrplngm Pvimntçã Pvimntçã Intrirs Intrirs Esqudris Esqudris vidrs vidrs Elvrs Elvrs / / trnsprt trnsprt vrticl vrticl Acústic Acústic Iluminçã Iluminçã Anális Anális térmic/ térmic/ nrgétic nrgétic Imprmbilizçã Imprmbilizçã Fchds Fchds (rvstimnts (rvstimnts xtrns) xtrns) u u fchmnts fchmnts pré-fbrics pré-fbrics Czinhs Czinhs Grgns Grgns Sgurnç Sgurnç cntr cntr incêndi incêndi Mi Mi mbint mbint Impct Impct tráfg tráfg

9 DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO DO DO EMPREENDIMENTO EMPREENDIMENTO CONSTRUÇÃO CONSTRUÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO Incrprr Incrprr (cncpçã, (cncpçã, crnçã crnçã prjt prjt prdut prdut - - smpnh, smpnh, spcificçõs, spcificçõs, custs custs iniciis, iniciis, infrmçõs infrmçõs clint clint finl) finl) Prpritári Prpritári mprndimnt mprndimnt Grncir Grncir Sgurr Sgurr Órgãs Órgãs prvçã prvçã s s prjts prjts (Prfitur, (Prfitur, Crp Crp Bmbirs, Bmbirs, Mi Mi Ambint, Ambint, Trfg) Trfg) Instituiçã Instituiçã finncir finncir 1. Emprs Engnhri Cnstruçã vibilizçã 1. Emprs Engnhri Cnstruçã vibilizçã mprndimnt mprndimnt (técnic (técnic custs), custs), crnçã crnçã prjt, prjt, custs, custs, plnjmnt, plnjmnt, lgístic, lgístic, smpnh, smpnh, gstã gstã d d qulid, qulid, sgurnç sgurnç mi mi mbint, mbint, cmprs cmprs cntrtçõs cntrtçõs gstã gstã frncrs, frncrs, cnstruçã, cnstruçã, vistri vistri ntrg, ntrg, ssistênci ssistênci pós pós ntrg. ntrg Frncrs Frncrs mtriis, mtriis, cmpnnts cmpnnts sistms, sistms, quipmnts. quipmnts Frncrs Frncrs srviçs. srviçs Órgãs Órgãs fisclizrs fisclizrs hbit-s, hbit-s, AVCB, AVCB, tc tc Administrr. Administrr Prpritári Prpritári difíci, difíci, incrprr. incrprr Emprs Emprs Engnhri Engnhri Cnstruçã Cnstruçã grntis, grntis, ssistênci ssistênci pós pós ntrg. ntrg Frncrs Frncrs mtriis, mtriis, cmpnnts cmpnnts sistms, sistms, quipmnts. quipmnts Frncrs Frncrs srviçs. srviçs Sgurrs. Sgurrs.

10 Ds infrmçõs prcss snvlvimnt mprndimnt Cncpçã Custs pr vibilid Custs pr vibilid Prjts pr prvçã Prjts pr prvçã Espcificçõs mtriis, cmpnnts sistms cnstrutivs Dtlhmnt d cncpçã Dtlhmnt d cncpçã Emprndimnt Lvntmnts quntittivs Lvntmnts quntittivs Custs pr prduçã Custs pr prduçã Rquisits smpnh Rquisits smpnh Prjts pr pr prduçã fbricçã Prjt ds As built Prjt ds As built Anális Anális tmp tmp ncssári pr pr prduçã, prgrmçã físic físic Ds Ds pr pr prçã mnutnçã

11 Grn cmplxid grncil (custs (custs lvs crrnts númr cpcitçã prfissinis rquris hrs hrs nvlvids). Imprcisã suscptibilid rrs rrs (custs, rtrblh). Invibilid stus mis mis tlhs simulçõs ( ( tã tã fld fld flt flt prtótip ). Invibilid vlir vlir impct rl rl ltrntivs. Cicl Cicl cmplt é lng. lng. Difícil Difícil rstrbilid. Gstã Gstã d d prduçã dificultd pl pl disprsã infrmçõs m m inúmrs cumnts, pl pl flt flt tlhmnt prcisã pr pr fbricçã. Oprçã mnutnçã dificultds pl pl flt flt cumntçã rliz.

12 BIM Building Infrmtin Mling HISTÓRICO E CONCEITUAÇÃO

13 cncit um um rprsntçã intgrçã virtul virtul ds ds infrmçõs sbr sbr um um dificçã m m tds tds s s dimnsõs pssívis cm cm spciis, spcificçõs ts ts s s cmpnnts, custs, przs przs pr pr xcuçã, cndiçõs us us prçã, vm vm sn sn prtic difrnts frms frms pr pr váris váris pinirs st st tip tip brdgm s s fim fim s s ns ns Atribui-s primir implmntçã prátic prátic um um mlgm sgun cncit BIM BIM m m pr pr Rbrt Rbrt Aish, Aish, qu qu fzi fzi prt prt d d GMW GMW Cmputrs pr pr mi mi RUCAPS --Rlly RllyUnivrsl Cmputr Aid Aid Prductin Systm Systm snvlvi pr pr is is prfssrs d d Univrsity f f Livrpl. A plicçã dqul épc épc fi fi n n br br Trminl 3 Arprt Hthrw.

14 Ns ns 90 st cncit cmçu sr snvlvi pr prjts grn nvrgdur cmplxid, ns quis trdicinl mlgm infrmçõs frgmntds nã intgrds rm um mpcilh pr nális vibilid sluçõs técnics cnômics quds principlmnt ns primirs stágis snvlvimnt prjt. Exmpls sts pinirs m plicr brdgm BIM frm: Arch. Frnk Ghry.

15 Onum, Inc., mprs rquittur crid m 1972, cm scritóris n Jpã ns EUA, qu, s 1993, tmbém trblh cm mlgm n brdgm qu tulmnt s nmin BIM. A Onum snvlvu um sistm plnjmnt mprndimnts intgr s sistms prjt qu fi t pr grns cntrtnts cm Gurd Cstir gvrn mricn pr tds s sus dificçõs. OPS OPS is is BIM BIM On-Dmnd. On-Dmnd. Entr Entr dt dt int int sprdsht, sprdsht, nd nd quickly quickly gt gt cst, cst, lctin lctin nd nd squr squr ftg ftg rprts rprts tht tht id id in in pwrful pwrful cisin-mking. cisin-mking. Us Us it it s s wy wy t t trmin trmin prgrmming prgrmming rquirmnts rquirmnts fr fr multi multi stry stry ffic ffic building building quickly. quickly. Exprt Exprt th th sm sm dt dt thrugh thrugh OPS OPS Editr Editr t t utmticlly utmticlly crt crt BIM. BIM. Imgin Imgin such such pwrful pwrful tl tl t t yur yur fingr fingr tips. tips.

16 Th sm prjct dt cn thn b xprtd thrugh OPS Editr Pr t IFC Cmplint BIM pplictins such s: Rvit

17 Archicd Ectct Ectct Th Thdt tht thtriginlly riginllystrtd strtdin in Excl Excl fw fwminuts g g hs hsnw utmticlly utmticllygnrtd gnrtd first firstvrsin vrsinf f BIM BIM with withll llth thdt nd ndgmtry rdy rdyfr fr signrs signrs t t bs bs thir thirwrk n. n.

18 Sistm plnjmnt Dfin prjct rquirmnts in OPS nd xprt t thr BIM pplictins. Dt nd grphics cn b xprtd frm OPS t IFC.

19 Digitl Prjct Prducts Ghry Tchnlgis' Digitl Prjct is suit f pwrful 3D building infrmtin mling nd mngmnt tls bsd n th pwr f Dssult Systms' CATIA-- cmprhnsiv sign nd mnufcturing pltfrm. Digitl Prjct uss CATIA s cr ngin. Th Digitl Prjct suit f prducts inclus tw bs prducts, Viwr nd Dsignr, nd svrl dd-n prducts: Primvr Intgrtin, MEP/Systms Ruting, Imgin & Shp, Knwldgwr, Spcilizd Trnsltrs nd Pht Studi. Bs prducts Dsignr nd Viwr my b usd s stnd-ln prducts; Viwr r Dsignr is rquird fr ll dd-n prducts.

20 DESIGN PHASE Building Infrmtin Mling Prmtric Dsign Gmtry Slutins Dsign t Fbrictin Building Anlysis Mling Vlu Enginring Mling Qulity Cntrl nd Clsh Dtctin Cnstructibility Anlysis Prductin nd Prjct Srvics POST CONSTRUCTION AND OPERATIONS As-Built 3D Ml Crtin Fcilitis Mngmnt Applictins Intgrtin QUANTITY AND COST ESTIMATING 4D Schduling nd Squnc Plnning Cst, Cntrct Allctin Bidding nd Tnring CONSTRUCTION Cnstructibility Simultin & Visuliztin Mnging 3D Submissins nd Apprvls Qulity Cntrl nd Clsh Dtctin Subcntrctr Prcsss Intgrtin Dsign t Fbrictin Lgistics Plnning Supply Chin Intgrtin Lk-Ahd Mling Wrkr Trining nd Sfty Pymnt Rqust Vlidtin & Apprvl Digitl Survying Intgrtin Qulity Assurnc

21 N Eurp, grn snvlvimnt plicçõs BIM têm crri ns píss nórdics, spcilmnt Finlândi Nrug. Os sistms d Slibri, mprs bsd m Hlsinqui, n Finlândi, cmçrm sr snvlvis m 1999 mprs já fi crid nqul épc intirmnt vltd à grçã sluçõs BIM.

22 N Ási mir snvlvimnt s sistms BIM vm sn plicçã pr um pltfrm snvlvid pl Gvrn Cingpur, m clbrçã cm indústri str d cnstruçã imbiliári, pr nális prvçã prjts, fzn cm qu s prjts pssm sr chcs pls própris snvlvrs pr mi Intrnt n mbint BIM, m rlçã às xigêncis lgislçã nrms.

23 O QUE NÃO É BIM? Frrmnts qu grm s sguints tips mls: Os qu cntém ds bjts sm tributs m 3D. Uss smnt pr visulizçã, sm intligênci m cd bjt. Sã mls qu nã sã suprt pr intgrçã ds nális prjt. Mls qu finm bjts ms nã justm sus psiçõs u prprçõs m rlçã utrs (sm intligênci prmétric). Mls crrnts rquivs múltipls m 2D pr srm utilizs cmbins. Mls qu nã prmitm qu s btnh simulçõs utmátics prtir ltrçõs m sus prâmtrs. Mls rstrits infrmçõs ds um fs únic prcss (cm prjt pr xmpl).

24 BIM: BIM: usms usms BIM BIM cm cm um um vrb vrb u u um um djtiv djtiv pr pr scrvr scrvr frrmnts, frrmnts, prcsss prcsss tcnlgis tcnlgis qu qu vibilizm vibilizm fcilitm fcilitm grçã grçã um um cumntçã cumntçã digitl digitl sbr sbr um um difíci, difíci, su su smpnh, smpnh, su su plnjmnt, plnjmnt, su su cnstruçã cnstruçã,, mis mis tr, tr, su su prçã. prçã. N N ntnt, ntnt, BIM BIM scrv scrv um um tivid, tivid, nã nã um um bjt. bjt. Pr Pr scrvr scrvr rsult rsult d d tivid tivid mlgm, mlgm, nós nós usms usms trm trm Building Building Infrmtin Infrmtin Ml Ml u u simplsmnt, simplsmnt, Building Building Ml Ml rprsntçã rprsntçã nã nã é é tã tã imprtnt imprtnt qunt qunt prcss prcss fzr fzr qu qu s s ds ds infrmçõs infrmçõs sjm sjm intgrs intgrs intrcmbiávis intrcmbiávis ntr ntr si, si, nã nã só só prtir prtir d d rprsntçã rprsntçã prjt, prjt, ms ms fundmntlmnt fundmntlmnt tds tds s s infrmçõs infrmçõs rquris rquris pr pr vibilizçã vibilizçã cnstruir cnstruir difíci difíci pis pis prá-l. prá-l. Estmn, Estmn, C.; C.; Tichlz, Tichlz, P; P; Scks, Scks, Rfl; Rfl; Listn, Listn, K. K. In: In: BIM BIM Hndbk Hndbk A A Gui Gui t t Building Building Infrmtin Infrmtin Mling. Mling. Wily, Wily,

25 BIM BIM nvlv nvlv rprsntçã rprsntçã prjt prjt cm cm bjts bjts gnérics gnérics u u prduts prduts spcífics, spcífics, frms frms sólids sólids u u spçs spçs vzis vzis (cm (cm frm frm um um sl) sl) qu qu crrg crrg cnsig cnsig sus sus prâmtrs prâmtrs tributs. tributs. cd cd bjt bjt é é fini fini pns pns um um vz, vz, liminn-s liminn-s muits muits pssibilids pssibilids rrs. rrs. finm finm bjts bjts prmtricmnt. prmtricmnt. Ist Ist signific signific qu qu sã sã finis finis cm cm prâmtrs prâmtrs m m rlçã rlçã utrs utrs bjts, bjts, u u sj, sj, s s um um bjt bjt mud, mud, ts ts s s utrs utrs bjts bjts rlcins rlcins l l sã sã utmticmnt utmticmnt ltrs ltrs tmbém, tmbém, pnn pnn st st rlçã rlçã u u ds ds rgrs rgrs mbutids mbutids n n bjt bjt fini fini m m rlçã rlçã s s mis. mis. rprsntçã rprsntçã nã nã é é tã tã imprtnt imprtnt qunt qunt prcss prcss fzr fzr qu qu s s ds ds infrmçõs infrmçõs sjm sjm intgrs intgrs intrcmbiávis intrcmbiávis ntr ntr si, si, nã nã só só prtir prtir d d rprsntçã rprsntçã prjt, prjt, ms ms fundmntlmnt fundmntlmnt tds tds s s infrmçõs infrmçõs rquris rquris pr pr vibilizçã vibilizçã cnstruir cnstruir difíci difíci pis pis prá-l. prá-l. Prfssr Prfssr Chrls Chrls Estmn, Estmn, Dsign Dsign Cmputing Cmputing Grup/AEC Grup/AEC Intgrtin Intgrtin Lbrtry, Lbrtry, Grgi Grgi Institut Institut f f Tchnlgy, Tchnlgy, Atlnt,USA. Atlnt,USA. 25

26 As frrmnts BIM sã difrnts ds frrmnts CADD prqu suprtm simulçã n lin, cm prticipçã váris gnts prcss prjt cnstruçã pr vlir ltrntivs cm ds infrmçõs smpnh, custs przs nvlvn ds spcificçõs, sluçõs prjt, ds custs plnjmnt. Iss pssibilit simulçã cmplt d br m difrnts cndiçõs prjt ds cndiçõs prçã mnutnçã. Dnnis Shln, Dirtr Tcnlgi d Infrmçã d Ghry Tchnlgis, fin BIM cm um bs cmum intgrávl infrmçõs ds rgnizs m três u mis dimnsõs. As dimnsõs prjt srvm cm um bs intrmdiçã ntr prjt cnstruçã nçã intgrçã ntr s prcsss té prçã difíci sã crçã d frm cm Ghry Tchnlgis vê BIM (ntrvist pr Ztlin & D Chir Qurtrly Rviw, 2006, vl 11, n 4). 26

27 Clssificçã ds frrmnts BIM As frrmnts u sftwrs sistms qu intgrm s sluçõs BIM utilizds tulmnt m váris píss d Améric Nrt, Eurp Ási frm snvlvids pr mprss váris nturzs cbrm s prts qu intgrm s n dimnsõs BIM. Assim, pm nvlvr sftwrs plnjmnt, prjt, custs, tc. O grup Grgi Tch ns EUA t sguint clssificçã: Frrmnts prliminrs - plnjmnt/ cncpçã inicil s spçs difíci - stus mss squms stu vibilid difíci - nális mbintl prliminr - stimtivs iniciis custs. Frrmnts BIM prjt. Frrmnts prjt struturl. Frrmnts BIM Cnstruçã. Frrmnts fbricçã. Frrmnts nális mbintl. Frrmnts grncimnt. Frrmnts rçmnt. Frrmnts spcificçã. Frrmnts grncimnt d prçã s difícis. Frrmnts pr prjt sistms prdiis.

28 Clssificçã Clssificçãds ds frrmnts frrmntsbim BIM Os Os sistms sistms tulmnt tulmnt dispnibilizs dispnibilizs n n mrc, mrc, nvlvm nvlvm sistms sistms pr pr qus qus tds tds sts sts clssificçõs clssificçõs sjm sjm rigm rigm nrt nrt mricn mricn u u urpus. urpus. O wbsit wbsit Grgi GrgiTch Tchprsnt um um nális nális sftwrs sftwrs xistnts xistnts m m cd cd um um sts sts ctgris, ctgris, cm cm sus sus crctrístics crctrístics scrits. scrits. Vj Vj m m n n mnu mnu à squrd squrd cliqu cliqu m m BIM BIM Tls Tls ntã ntã cliqu cliqu m m Entir EntirBIM BIM Tl TlList.

29 O ml ml prssupõ prssupõ ind ind intrprbilid, pis pis prcis prcis pssibilitr pssibilitr qu qu váris váris sistms sistms cnvrsm cnvrsm ntr ntr si, si, já jáqu s s infrmçõs infrmçõs ds ds srã srã prvnints prvnints difrnts difrnts tips tips sistms, sistms, uns uns fcs fcs m m prjtr, prjtr, utrs utrs m m plnjr, plnjr, utrs utrs m m rçr, rçr, utrs utrs m m simulr simulr smpnh smpnh térmic, térmic, cústic, cústic, tc. tc. Embuti Embuti nst nst ml ml stá státmbém tmbém um um imprtnt imprtnt vnç vnç qu qu s s prcsss prcsss nvlvis nvlvis m m prjtr prjtr cnstruir cnstruir têm têm gr gr cm cm s s frrmnts frrmnts qu qu vêm vêm sn sn snvlvids: snvlvids: pssibilid pssibilid,, pr pr mi mi simulçã, simulçã, vlir vlir impct impct ds ds cisõs cisõs pr pr tds tds s s intrfcs intrfcs difíci difíci pr pr prçã prçã mnutnçã mnutnçã usn usn msm msm bs bs ds ds infrmçõs infrmçõs prjt prjt cnstruçã cnstruçã pr pr fs fs us us difíci. difíci. 29

30 Intrprbilid Dfiniçã: Dfiniçã: é é hbilid hbilid is is u u mis mis sistms sistms trcrm trcrm infrmçõs infrmçõs (ncssáris (ncssáris dispnívis) dispnívis) usrm usrm infrmçã infrmçã intrcmbid. intrcmbid. O pdrã pdrã IFC IFC Industry IndustryFundtin FundtinClsss é um um lingugm lingugm nutr nutrpr trc trc infrmçõs infrmçõs ml ml difíci difíci snvlvi snvlvi pl pl Intrntinl IntrntinlAllinc Allincfr fr Intrprbility Intrprbility (IAI, (IAI, tulmnt tulmnt Building BuildingSmrt SmrtAllinc); As As mtlgis mtlgis IDM IDM MVC MVCindicm qul qul cntú cntúv v sr sr trc, trc, m m cd cd cs. cs. O pdrã pdrã IFD IFDunifrmiz cncits cncits difrnts difrnts língus. língus. Fnt: Prf. Edur Tl Snts, EPUSP

31 A intrprbilid prssupõ: 1) Pdrõs trminlgi cntínus s prjt té prçã; Ex. O qu chmms prt m prjt, m rçmnt, m plnjmnt, tc flh prt, prt prnt, prt + btnts? Cm nmms num rgiã nutr Brsil? 2) Pdrõs bjts Biblitc bjts 3) Dfiniçã nívl grgçã tip infrmçõs qu vm sr trcds ntr s gnts Rquisits trc qu vm str bss ns prátics prjt (mps prcss) Ex. Qun stms n fs prjt pré-xcutiv qu rquiv um rquitt v prsntr pr um prjtist struturs qu nã v?

32 Fnt: Prf. Pdr Mló Univrsid Nv Lisb 32

33 PRINCIPAIS BENEFÍCIOS DA DA IMPLANTAÇÃO DO DO BIM: BIM: Pr Pr s s prpritáris difícis Pr Pr s s mprss prjt Pr Pr s s mprss ngnhri cnstruçã Pr Pr s s mprss dministrçã difícis Pr Pr s s mprss grncimnt brs brs Pr Pr s s mprss fbricnts mtriis sistms Pr Pr s s mprss fbricnts sftwrs Pr Pr Pr Pr Públic 33

34 Anális mis prcis ntcipçã nális ns fss iniciis mprndimnt. Anális simulçã smpnh qulid. Visulizçã prcis. Crrçõs utmátics prtir ltrçõs. Dtlhmnt fbricçã ftiv (prtótip virtul difíci sus prts) Clbrçã ntr disciplins mis c n prcss (simultnid cntribuiçã pr rduçã cicl). Chcgm m rlçã um prjt sj (x. tndimnt nrms lgislçã). Anális cust mis prcis m fss mis c prcss. Pssibilid stblcr sincrnizçã ntr lmnts cnstrutivs prjts xcuçã d br. Fcilitr prcss cmptibilizçã ntr disciplins prjt. Dtctr clisõs ntr cmpnnts lmnts nts d br. Prcisã quntittiv pr cmprs pr prsntçã qu é ncssári s frncrs mtriis srviçs. Ds infrmçõs pr gstã d qulid infrmçõs fundçõs, rstrbilid cncrt, tsts hidráulic, nsis rlizs sus rsults, cntrl gmétric xcuçã, tc Ds pr prçã mnutnçã intgrs num únic ml.

35 CAD 4D Prf. Lúci Siblmn, Crngi Mlln Univrsity, prsnt n Prjt Invçã Tcnlógic CBIC/NGI

36 Cn yu build th prjct ccrding t this schdul? Prf. Lúci Siblmn, Crngi Mlln Univrsity, prsnt n Prjt Invçã Tcnlógic CBIC/NGI

37 Architcturl nd structurl sign prcsss Sktch 3D Vlum Ml 2D drwings & Spcifictins 3D Cmputr Ml Prf. Lúci Siblmn, Crngi Mlln Univrsity, prsnt n Prjt Invçã Tcnlógic CBIC/NGI

38 AIA - Amricn Institut f Architcts

39

40

41

42

43 BRASIL

44 Iníci Iníci n n mi mi cdêmic cdêmic (ind (ind sm sm intrçã intrçã cm cm s s mprss, mprss, s s s s primirs primirs ns ns EPUSP, EPUSP, UFRGS, UFRGS, UFPR, UFPR, UFF, UFF, UFBA). UFBA). Puc Puc cntt cntt rgniz rgniz ds ds mprss mprss str str cm cm cncituçã cncituçã ftiv ftiv BIM. BIM. Algums Algums inicitivs inicitivs s s prsntn prsntn cm cm BIM, BIM, ms ms sm sm ntndimnt ntndimnt cmplt cmplt qu qu BIM BIM rlmnt rlmnt signific. signific. Flt Flt rfrêncis rfrêncis m m língu língu prtugus. prtugus. Esfrç Esfrç individul individul mprss mprss prjt prjt rquittur rquittur struturs struturs cm cm s s frncrs frncrs sftwrs. sftwrs. Esfrç Esfrç individul individul lgums lgums mprss mprss incrprrs incrprrs cnstrutrs. cnstrutrs.

45 É um um invçã invçã disruptiv, disruptiv, ist ist é, é, rmp rmp cm cm váris váris méts méts trblh, trblh, cultur cultur impõ impõ nv nv rgnizçã rgnizçã prcss, prcss, ds ds rlçõs rlçõs mrc mrc.. Pssui Pssui implicçõs implicçõs lgis lgis cm cm cntrts, cntrts, dirits dirits utris utris utrs. utrs. Rqur Rqur prfissinis prfissinis cpcits. cpcits. Rqur Rqur invstimnt invstimnt m m hrdwr hrdwr sftwr. sftwr. Rqur Rqur intgrçã intgrçã n n ci ci prdutiv prdutiv intrss intrss cmprtilh cmprtilh puc puc dint dint um um l l d d ci ci szinh szinh fzr. fzr. Tms Tms qu qufzr trblh trblh stril stril spcífic spcífic básic básic pdrnizçã pdrnizçã ncssári. ncssári. Nã Nã pms pms ficr ficr ns ns té tésnvlvrms qu qu prcisms prcisms é prcis prcis trzr trzr cnhcimnt cnhcimnt fr fr ns ns intgrrms intgrrms mun mun msm msm fln fln prtuguês. prtuguês. É prcis prcis timizr timizr rcinlizr rcinlizr rlçã rlçã ntr ntr mi mi prduçã prduçã nsin nsin psquis, psquis, tnt tnt pr pr psquis psquis qunt qunt pr pr frmçã frmçã nvs nvs prfissinis. prfissinis. Ninguém Ninguém tirrá tirrábnfíci rl rl ftiv ftiv nm nm prjtist, prjtist, nm nm cnstrutr, cnstrutr, nm nm fbricnt fbricnt sftwr, sftwr, nm nm fbricnts fbricnts mtriis mtriis cmpnnts, cmpnnts, nm nm cnsultr, cnsultr, s s nã nã ntnrms ntnrms rl rl signific signific nã nã implntrms implntrms crrtmnt. crrtmnt.

46 GRUPO BIM Sã Pul - Rprsntnts: Pul Sgll Tri Arquitts/ AsBEA Prf. Edur Nrlli - Mcknzi / AsBEA Amury Mvtri Tri Arquitts/ AsBEA Hnriqu Cmbighi - CFA Cmbighi/ AsBEA Murill Snchs CFA Cmbighi/AsBEA Mirim Adr AsBEA/Adr Asscis Nlsn Cvs TQS Infrmátic/ABECE Suly Bun JKMF/ ABECE Frncisc Grzin Psqu Grzin/ABECE Srgi Cukirkrn SPHE / ABRASIP Srgi Kszim SKK / ABRASIP Fábi Pimnt Prjtr / ABRASIP Frnn Crrê Sinc Engnhri/Cmitê Tcnlgi Qulid SindusCnSP An Cristin Chlit Cyrl Brzil Rlty/ Cmitê Tcnlgí Qulid SindusCn-SP Crnçã: Mri Anglic Cvl Silv NGI Intrçã cm Escl Plitécnic d USP - Prf. Edur Tl Snts PCC/EPUSP 46

47 Objtivs Objtivs Grup Grup BIM, BIM, cri cri m m utubr utubr 2008, 2008, cm cm prticipçã prticipçã ds ds ntids ntids clss clss dirtmnt dirtmnt nvlvids nvlvids n n vibilizçã vibilizçã d d implntçã implntçã d d mlgm mlgm BIM BIM n n Brsil, Brsil, stã stã fcs fcs n n criçã criçã ds ds cndiçõs cndiçõs striis striis qu qu pssibilitm pssibilitm implntçã implntçã qud qud às às crctrístics crctrístics ncssids ncssids Brsil. Brsil. Sã Sã s s sguints sguints s s bjtivs bjtivs Grup Grup BIM: BIM: Prmvr Prmvr dissminr dissminr mprg mprg ntndimnt ntndimnt d d cncituçã cncituçã sbr sbr brdgm brdgm BIM BIM pr pr prt prt ts ts s s gnts gnts d d ci ci prdutiv, prdutiv, linhs linhs cm cm s s tndêncis tndêncis intrncinis intrncinis qus qus às às crctrístics crctrístics mrc mrc brsilir; brsilir; Lvntr Lvntr nlisr nlisr s s ncssids ncssids pr pr qu qu mrc mrc brsilir brsilir implnt implnt brdgm brdgm BIM BIM cm cm cncit cncit pdrõs pdrõs brts brts cm cm intrprbilid intrprbilid vibilizn vibilizn s s çõs çõs striis striis pr pr iss; iss; Intrgir Intrgir cm cm s s fbricnts fbricnts sistms sistms visn visn ncminhmnt ncminhmnt sluçõs sluçõs quds quds trblh trblh cnjunt cnjunt pr pr dissminçã dissminçã mprg mprg d d brdgm brdgm BIM; BIM; Intrgir Intrgir cm cm s s fbricnts fbricnts mtriis, mtriis, cmpnnts cmpnnts sistms sistms cnstrutivs cnstrutivs visn visn snvlvimnt snvlvimnt biblitcs biblitcs pdrõs pdrõs pr pr spcificçõs; spcificçõs; 47

48 5. 5. Intrgir Intrgir cm cm s s rgnisms rgnisms gvrnmntis gvrnmntis dirtmnt dirtmnt nvlvis nvlvis n n tm tm pr pr quçã quçã stágis stágis tps tps implntçã implntçã ds ds frrmnts frrmnts ns ns instâncis instâncis nális nális prvçã prvçã mprndimnts mprndimnts bm bm cm cm cntrtçã cntrtçã prjts prjts brs brs pl pl Pr Pr Públic; Públic; Intrgir Intrgir cm cm st st msm msm finlid finlid cm cm cntrtnts cntrtnts brs brs privds privds srids srids qu qu pssm pssm tirr tirr prti prti ds ds frrmnts frrmnts BIM BIM pr pr prjt, prjt, cnstruçã cnstruçã prçã prçã difícis; difícis; Prmvr Prmvr snvlvimnt snvlvimnt s s pdrõs pdrõs nrms nrms ncssáris ncssáris pnt pnt vist vist ds ds frrmnts, frrmnts, ds ds rlçõs rlçõs cntrtuis cntrtuis intrçã intrçã ntr ntr s s gnts gnts m m cnsnânci cnsnânci cm cm s s pdrõs pdrõs intrncinis intrncinis qus qus à à prçã prçã mrc mrc brsilir brsilir (prém (prém prmvn prmvn prfiçmnt prfiçmnt ds ds cndiçõs cndiçõs brsilirs brsilirs prçã prçã sistms sistms infrmçã infrmçã plics plics prjt prjt cnstruçã cnstruçã difícis); difícis); Intificr, Intificr, snvlvr snvlvr prmvr prmvr grçã grçã curss curss cpcitçã cpcitçã trinmnt trinmnt quips quips ds ds mprss mprss prjt prjt cnstruçã; cnstruçã; Vibilizr Vibilizr frmçã frmçã spcilists spcilists n n tm tm m m tds tds s s sus sus implicçõs; implicçõs; Vibilizr Vibilizr criçã criçã linhs linhs finncimnt finncimnt cssívis cssívis às às mprss mprss ts ts s s sgmnts sgmnts dirtmnt dirtmnt nvlvids nvlvids pr pr prmitir prmitir vibilizçã vibilizçã rcurss rcurss pr pr cmpr cmpr hrdwr, hrdwr, sftwr sftwr cpcitçã cpcitçã trinmnt; trinmnt; Anlisr Anlisr dissminr dissminr css css sucss sucss n n implntçã implntçã d d brdgm brdgm BIM. BIM. 48

49 PARA SABER MAIS: BIM Hndbk: A Gui t Building Infrmtin Mling fr Ownrs, Mngrs, Dsignrs, Enginrs nd Cntrctrs 2008, Jhn Wily & Sns Abut th Authrs Chuck Estmn is Prfssr in th Cllgs f Architctur nd Cmputing t Grgi Institut f Tchnlgy, Atlnt, nd Dirctr f th Cllg f Architctur PhD Prgrm, whr h lds rsrch in IT in building sign nd cnstructin. H hs bn ctiv in building mling rsrch sinc th 1970s nd hs wrkd with vrity f industry grups vlping BIM tchnlgy. Pul Tichlz, Prfssr Emritus t Stnfrd Univrsity, fund th Cntr fr Intgrtd Fcility Enginring (CIFE) t Stnfrd Univrsity in 1988 nd dirctd tht prgrm fr 10 yrs. H ws nmd th Cnstructin Mngmnt "Mn f th Yr" by th Amricn Scity f Civil Enginrs in 1985 nd wrd th Hnry C. Turnr Priz fr Innvtin in Cnstructin Tchnlgy by th Ntinl Building Musum in Rfl Scks, n Asscit Prfssr in Structurl Enginring nd Cnstructin Mngmnt t Tchnin-Isrl Institut f Tchnlgy, fund nd lds th BIM Lbrtry t th Isrl Ntinl Building Rsrch Institut. H hs cnductd primry nd pplid BIM rsrch fr industry, gvrnmnt, nd public rgniztins in Nrth Amric, Eurp, nd Isrl. Kthln Listn, tchnlgy cnsultnt nd PhD cndidt t Stnfrd Univrsity, c-fund Cmmn Pint tchnlgis, cnstructin simultin sftwr cmpny. Sh hs hld psitins t Autsk, nd wrkd n prjcts vlping tchnlgis nd prcsss t implmnt 3D/4D/BIM with vrity f rgniztins including Wlt Disny, Mrtnsn, URS, nd Prsns-Brinckrhff.

50 Eng. Eng. Mri Mri Anglic Cvl Cvl Silv Silv Sã Sã Pul Pul --SP SP

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis

São Paulo capta a maior parte dos fluxos aéreos, como mostra zona de influência potencial, regional, local dos aeroportos do Rio de Janeiro, vis-àvis Sã Pul cpt mir prt s fluxs rs, cm mstr zn influênci ptncil, rginl, lcl s rprts Ri Jnir, vis-vis principis rprts vizinhs - Sã Pul, Mins Gris Espírit Snt 148 Sã ftrs strtgics ligs rprts n snvlvimnt rginl

Leia mais

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês

Apenas 5% dos Brasileiros sabem falar Inglês Apns 5% ds Brsilirs sb flr Inglês D crd cm um lvntmnt fit pl British Cncil pns 5% d ppulçã sb fl r Dvs lbrr stms épcs pré-vnts sprtivs s lhs d mund td cmçm s vltr cd vz mis pr Brsil pr iss nã bst dminr

Leia mais

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas

Normalmente TI. padarias. Além. dormitórios. Assistência. Temos. Por. Nos. região. Nas Aprsntçã Instlçõs ds A l A Nrmlmnt A Além sc Filipins. ds sgur mis lugr Cbu trnnd td, tmp sgurnç ficiis prsnç cm cnt rgiã diss, pdris. tips váris Strbucks Dnld's, Mc cm 24hrs ljs tmbém váris prt pr Tms

Leia mais

Alteração da seqüência de execução de instruções

Alteração da seqüência de execução de instruções Iníci Busc d próxim Excut Prd Cicl busc Cicl xcuçã Prgrm Sqüênci instruçõs m mmóri Trdutr : Cmpilr X Intrprtr / Linkditr Cnvrt prgrm-fnt m prgrm bjt (lingugm máqui) Prgrm cmpil = mis rápi Prgrm Intrprt

Leia mais

Abordagens Administrativas. Abordagens Administrativas INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4. Abordagem Sistêmica ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO

Abordagens Administrativas. Abordagens Administrativas INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4. Abordagem Sistêmica ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO Abrgns Administrtivs ORGANIZAÇÃO COMO UM SISTEMA FECHADO INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 4 2009 Administrçã Cintífic Tylr (TAREFAS) Estu s rtis prdutivs slçã trblhr Incntiv slril cndiçõs mbintis trblh

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

providências. parágrafos da Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009, do

providências. parágrafos da Resolução nº 38, de 16 de julho de 2009, do LEI Nº 181/2010 Dispõ sbr Municipl quçã 051/2006 d Li 14, gst 2006, qu trt sbr Cnslh Municipl Alimntçã Esclr CMAE, s dispsiçõs d Li Frl junh 2009 MEC/FNDE/DAE-CD julh 11.947, 38, 2009, 16 Rsluçã dá 16

Leia mais

Atualização no licenciamento ambiental cearense

Atualização no licenciamento ambiental cearense ANO III - Nº 12- MAR-ABR/2012 SUPERINTENDÊNCIA ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE Atulizçã n licncimnt mbintl crns N últim runiã Cnslh Estdul Mi Ambint (Cm) fi prvd um nv rsluçã qu tuliz s critéris, prâmtrs custs

Leia mais

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

ingresso.ifsc.edu.br DO até o d a c Instituto Federal de Santa Catarina Campus Araranguá

ingresso.ifsc.edu.br DO até o d a c Instituto Federal de Santa Catarina Campus Araranguá Bltim d Câmpus Arrnguá An 3 Nº 9 Abril d 2014 ingrss.ifsc.du.br i DO té d A G O O P. 23 d mi Prticip. inscriçã n F ç s u Câmpus. d c t li bib l: Li Edit u.br/sit fsc.d.rrngu.i w w /w :/ p tt h pdf /prmi%20.

Leia mais

Notas Técnicas. CBPF-NT-005/13 agosto 2013. Módulo Microcontrolado de Interface padrão SDI-12 para aplicações em monitoramento ambiental

Notas Técnicas. CBPF-NT-005/13 agosto 2013. Módulo Microcontrolado de Interface padrão SDI-12 para aplicações em monitoramento ambiental ISSN 11-921 Nts Tcnics CBPF-NT-5/13 gst 213 Módul Micrcntrld Intrfc pdrã plicçõs m mnitrmnt mbintl Brun Rnt, Gnild N. Snts, Pdr Russn, Alxndr Bnvnt Grld Crnicchir Ciênci, Tcnlgi Invçã dx.di.rg/1.7437/nt2236-764/213.2.2

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CONTRIBUIÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL (SGE) À EFETIVAÇÃO DA ESTRATÉGIA

Leia mais

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX

CAPA. Marketing Direto - Set/10 - nº 101 - Ano IX CP 10 Mrkting n linh Dirt O mrcd tlfni stá m prcss trnsfrmçã. O bm crscimnt pssu, ufri d prtbilid tmbém. O rsultd é sgmnt qu gr brig mntr ptncilizr sus clints. Pr tnt, invst m rlcinmnt n mpliçã srviçs

Leia mais

LEI Nº 1152, 27 DE DEZEMBRO DE 1995. (Regulamentada pelo Decreto Municipal nº 2.301, de 19 de Setembro de 1996)

LEI Nº 1152, 27 DE DEZEMBRO DE 1995. (Regulamentada pelo Decreto Municipal nº 2.301, de 19 de Setembro de 1996) LEI Nº 1152, 27 DE DEZEMBRO DE 1995 (Rgulmntd pl Dcrt nº 2.301, 19 Stmbr 1996) (Cnslidd pl Dcrt nº 2.905, 26 Dzmbr 2000) Dpõ sbr rrgnizçã dmintrtiv d Prfitur Arujá dá prvincis. JOSÉ CLAUDIO MENDONÇA, PREFEITO

Leia mais

Políticas públicas de saúde: Sistema Único de Saúde

Políticas públicas de saúde: Sistema Único de Saúde Plítics públics sú: Sistm Únic Sú Dnizi Olivir Ris, Elin Crs Arúj Luiz Crls Olivir Ccíli Sumári Aprsntçã 2 Os impsss u ificuls SUS 13 O Pct pl Sú (buscn sís pr s prblms impsss) 16 Rfrêncis 17 2 Plítics

Leia mais

COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online

COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atulizçõs Onlin rquê s tulizçõs s livrs d COLEÇÃO LEGISLAÇÃO? N pnrm lgisltiv ncinl é frnt publicçã nvs diplms lgis, rgulrmnt, ltrm utrs diplms, s quis stã muits vzs incluís ns cmpilçõs

Leia mais

Análise estrutural e síntese das características lineares e sistêmicas de modelos de desenvolvimento de produto 1

Análise estrutural e síntese das características lineares e sistêmicas de modelos de desenvolvimento de produto 1 Anális struturl sínts ds crctrístics linrs sistêmics d mdls d dsnvlvimnt d prdut 1 Crls Frnnd Jung 2 Crl Schwngbr tn Ctn 3 Márci Elis Srs Echvst 4 Jsé Luis Durt Ribir 5 Rsum Est rtig prsnt s rsultds d

Leia mais

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES

CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES Luiz Frncisco d Cruz Drtmnto d Mtmátic Uns/Buru CAPÍTULO 9 COORDENADAS POLARES O lno, tmbém chmdo d R, ond R RR {(,)/, R}, ou sj, o roduto crtsino d R or R, é o conjunto d todos os rs ordndos (,), R El

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

Editorial. Radar. Últimas. Mapa da Vez. Eventos. Espaço do Leitor. Epidemiologia espacial da Língua Azul II

Editorial. Radar. Últimas. Mapa da Vez. Eventos. Espaço do Leitor. Epidemiologia espacial da Língua Azul II Sumári Editril 5 Rdr 9 Últims 6 Mp d Vz 10 Evnts 7 Espç d Litr 8 12 48 CAPA Dsnvlvimnt SIG: Um nv mund snd scbrt Epimilgi spcil d Língu Azul II 18 55 Entrvist Gff Ziss Bnc Dds Ggráfi cs n Crp Bmbirs d

Leia mais

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt FÍSICO-QUÍMICA 9. ANO Manual Tabla Priódica (frta a alun) Fichas (frta a alun) Apis Áudi (fichirs mp para dwnlad) Cadrn d Atividads (inclui Fichas d Labratóri) Cadrn d Labratóri Matriais Manipulávis Dssir

Leia mais

Definição e Criação de Molduras

Definição e Criação de Molduras TQS - Mldur Escrit pr Eng. Cmil Ferreir Seg, 20 Mi 2013 09:47 - Ness mensg rei lg dic crir nv mldur pltg n TQS. Ain nesse mesm text, lbrrei ts sbre recurs interessnte p uxiliá-ls criçã crimbs (u sels)

Leia mais

Projeto UCA. Um Computador Por Aluno. Relatório da configuração do Metasys Classmate PC. Beatriz Corso Magdalena. Carlos Fagundes

Projeto UCA. Um Computador Por Aluno. Relatório da configuração do Metasys Classmate PC. Beatriz Corso Magdalena. Carlos Fagundes Prjt UCA Um Cmputdr Pr Alun Rltóri d cnfigurçã d Mtsys Clssmt PC Btriz Crs Mgdln Crls Fguns Iris Elisbth Tmpl Cst 2010 Prjt UCA 1 Sári CPU...4 MEMÓRIA...4 SISTEMA OPERACIONAL...4 INTERFACE...5 APLICAÇÕES

Leia mais

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA)

Instituto de Pesquisa Económico Aplicada (IPEA) Emprgs n Brsil ririds lítics Escritri d Bnc Mundil n Brsil Rgiã d Améric Ltin Crib Institut squis Ecnómic Aplicd (IEA) Vic rsint LCR: Dirtr LCC5C: Dirtr LCSHD: Ecnmist rincipl: Lír d Equip: Dvid Frrnti

Leia mais

Projeto de extensão Judô Escolar certifica alunos da Escola de Ensino Básico Professor Mota Pires

Projeto de extensão Judô Escolar certifica alunos da Escola de Ensino Básico Professor Mota Pires Projto xtnsão Judô Escolr crtific lunos d Escol Ensino Básico Profssor Mot Pirs No di 7 julho 2015 form crtificdos os lunos d Escol Ensino Básico Profssor Mot Pirs, Arrnguá, qu prticiprm do curso Judô

Leia mais

FUND. Empréstimo. Empréstimo Sabesprev Uma opção segura para seu sonho virar realidade

FUND. Empréstimo. Empréstimo Sabesprev Uma opção segura para seu sonho virar realidade An XX nº 77 nvmbr/zmbr 2011 FUND PET SHO P Empréstim Empréstim Sbsprv Um pçã sgur pr su snh virr rlid Sbsprv Entr s mlhrs plns sú d pís. Cbrnç Pglirini Mrls Advgds Asscids é cntrtd pr cbrr indimplnts.

Leia mais

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS

Mapeamento Costeiro com Apoio de Imagens de Satélites THEOS Mpmnt Cstr cm Ap d Imgns d Stélts THEOS 1 Glbrt Pssnh Rbr, glbrt.pssnh@gml.cm Artur Wllcx ds Snts, rturwllcx@gml.cm Ubrtn d Suz Ds Junr, ubrtn.ds.junr@gml.cm Agrdcmnts: Rbr Brn, Gfísc/UFF UNIFESP Ls Unvrsdd

Leia mais

Associação de Resistores e Resistência Equivalente

Associação de Resistores e Resistência Equivalente Associção d sistors sistêci Equivlt. Itrodução A ális projto d circuitos rqurm m muitos csos dtrmição d rsistêci quivlt prtir d dois trmiis quisqur do circuito. Além disso, pod-s um séri d csos práticos

Leia mais

Histórico e fundamentação teórica do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância

Histórico e fundamentação teórica do Programa São Paulo pela Primeiríssima Infância ÚD S ICO rn cd m ics çã lúd rm s F pç s 3 FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL 0 A 3 ANOS 5 c rn Pr Sã gr Pr P m I n im ul fân ir í ci ssim pl ÃO AÇ RM FO O C n tít scim rn ul 5 s p nt F ut rm V rd é Pr i idig

Leia mais

EXMO SR. JUIZ FEDERAL DA VARA ÚNICA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ILHÉUS/BA.

EXMO SR. JUIZ FEDERAL DA VARA ÚNICA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ILHÉUS/BA. EXMO SR. JUIZ FEDERAL DA VARA ÚNICA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE ILHÉUS/BA. ICP nº 1.14.001.000097/2011-61 ICP nº 001.0.155502/2009 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA, pr sus

Leia mais

A Revolução da Longevidade: impacto na sociedade, na família e no indivíduo1

A Revolução da Longevidade: impacto na sociedade, na família e no indivíduo1 A Rvluçã d Lngvid: impct n scid, n fmíli n indivídu1 Ursul Lhr2 Rs A plstr mnstr s mudnçs mgráfics (lt xpcttiv vid, nt rápi grup ds pss iss), trzn ds d Almnh Singpur, nlisn impct sts ltrçõs d strutur ppulcinl

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO

RECURSOS HUMANOS ANÁLISE DO FLUXO DE TRABALHO RECURSOS HUMANOS Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl Intduçã Cncits dfiniçã Digms d flux d pcsss Gáfics d flux d pcsss Estud d cs: DDT d FPFutbl

Leia mais

Código PE-ACSH-2. Título:

Código PE-ACSH-2. Título: CISI Ctro Itrção Srvços Iformtc rão Excução Atv Itr o CISI Cóo Emto por: Grêc o Stor 1. Objtvo cmpo plcção Est ocumto tm como fl fr o prão brtur chmos suport o CISI. A brtur chmos é rlz o sstm hlpsk, qu

Leia mais

NEW HOLLAND VM, VL. VL6080 e VL6090

NEW HOLLAND VM, VL. VL6080 e VL6090 NEW HOLLND VM, VL Máquins Mls VM4090, Vindimr VL6040, lt VL6050, Cpcid VL6060, Plivlnt VL6080 VL6090 VL6070, 2 I3 VM, VL xclênci Nw Hllnd m td tcnlgi tip Brud: vinhs dur Há Nw mis Hllnd 30 têm ns mrc qu

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes

ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO. Prof. Dr. Roberto Valdés Puentes ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO: O PLANEJAMENTO Prf. Dr. Rbr Vdés Pus PPGED/FACED/UFU rbrpus@fcd.ufu.br MOMENTOS DO PROCESSO DE ENSINO, APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos

TEMA 5 2º/3º ciclo. A LIndo de perguntas. saudável? Luísa, 15 anos 2º/3º cicl s O Ã Ç T N E M I d pguns u m mu um p z pdms f ps O qu sudávl? blnç d i c n c id p Sá d p d n cm p, ic mbém é g á s n v ic. Dsc ís f m f civ b id v m u i d lóics. c s impânc s g õs sb ç n s

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Coordenação de Informática Aplicada à

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura de Volta Redonda Secretaria Municipal de Educação Departamento Pedagógico Coordenação de Informática Aplicada à Estd d Ri Jnir Prfitur Vlt Rdnd Scrtri Municipl Educçã Dprtmnt Pdgógic Crnçã Infrmátic Aplicd à Educçã 2012 B n Cmpus Prty p IAESMEVR Cmpus Prty é invçã tcnlógic ntrtnimnt ltrônic m r mund. Um ncntr nul

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Cálculo I

Lista de Exercícios 4 Cálculo I Lista d Ercícis 4 Cálcul I Ercíci 5 página : Dtrmin as assínttas vrticais hrizntais (s istirm) intrprt s rsultads ncntrads rlacinand-s cm cmprtamnt da funçã: + a) f ( ) = Ants d cmçar a calcular s its

Leia mais

Credenciamento de Bancos Múltiplos

Credenciamento de Bancos Múltiplos Crncimnt Bncs Múltipls mrn invr gstã ptncil cnômic-finncir d Flh Pgmnt Exrcit Brsilir. Gn Bd Ricr Mrqus Figuir Dirtr bstcimnt Exrcit Tn Cl Js Eustáqui S. Mrgtt ssssr Lgístic d Dirtri bstcimnt fnt rcits,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Smstr/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana d Parnaíba Cmpnnt Curricular: Gstã Emprsarial Módul: 1 Eix Tcnlógic: Sgurança C. H. Smanal: 2,5 Habilitaçã

Leia mais

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM

9. MODELAGEM DE CONVERSORES: MODELO DA CHAVE PWM Fns Chs C. 9 Mlgm nrsrs: ml h PWM J. A. Pml 9. MOEAGEM E CONERSORES: MOEO A CHAE PWM As lgs báss nrsrs CCCC ssum um h nrl ur nãnrl sss lmns lnrs nrns n m. A njun ss us hs r nm h PWM [9.]. O bj ns íul é

Leia mais

Ações Sociais e Sustentáveis Aon 2011

Ações Sociais e Sustentáveis Aon 2011 Açõs Sciis Sustntávis 2011 1. Aprsntçã 1. Aprsntçã é trminlgi d língu gélic pr unid, mtiv pl qul sms sinrgi milhrs cm 1. Aprsntçã vltds é trminlgi dcm língu gélic unid, qul sms disciplins culturs difrnts

Leia mais

Calendário de Treinamentos 2014 Academia Grundfos. Bem-vindos a Academia Grundfos

Calendário de Treinamentos 2014 Academia Grundfos. Bem-vindos a Academia Grundfos Clnário Trinmntos 24 Acmi Grunfos Bm-vinos Acmi Grunfos Grunfos Brsil Acmi Grunfos Clnário 24 1 2008 2006 7 200 i m c A s r o t u r t s n I p i Equ 2004 Ds 2004 Acmi Grunfos nftiz importânci qu tribuimos

Leia mais

Formação de professores na América: notas sobre

Formação de professores na América: notas sobre Nrms rtig Pr Submissã Artig Frmçã prfssrs Améric: nts sbr históri Brsilir Nrms cmpr Técnics (ABNT) s mis ducçã instruçõs ditriis. n sécul XX rtig submtis Rvist "Frmçã srã prcis pl Cnslh Excutiv qunt prtinênci

Leia mais

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Fabiano Gontijo. fgontijo@hotmail.com. Graduada em Filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UZIEL, Ann Pul. Rio Homossxulid Jniro: Grmond, ção. 2007. Fbino Gontijo Doutor m Antropologi m pl Scincs Écol s Socils Huts Frnç. Étus Profssor Adjunto Bolsist Antropologi Produtivid d m Univrsid Psquis

Leia mais

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR

IFC Câmpus Santa Rosa do Sul capacita 18 profissionais locais para elaboração do Cadastro Ambiental Rural CAR IFC Câmpus Snt Ros do Sul cpcit 18 profissionis locis pr lborção do Cstro Ambintl Rurl CAR No di 10 bril 2015, no Cntro Trinmnto Arrnguá (CETRAR), foi rlizdo um curso cpcitção profissionis rgião pr lborção

Leia mais

OLETIM COOPERATIVISTA

OLETIM COOPERATIVISTA CPERTIVISM É DE I N I C I T I V PPULR E M T U D. TD ELE É EDIFICD PEL CTIVIDDE DS CIDDÃS LETIM CPERTIVIST R E D C Ç Ã Ru Cruzir. E CRDEND D M I N I S T R Ç Ã : 1 - Tlf. NTÓNI 63 26 49 - L i s b - 3 N.

Leia mais

MOBILIDADE E TRANSPORTES

MOBILIDADE E TRANSPORTES 16 REVIST D GRNDE ÁRE METRPLITN DE LISB 4º TRIMESTRE 2006 MBILIDDE E TRNSPRTES N ÁRE METRPLITN DE LISB ENTREVIST NTÓNI CPUCH, PRESIDENTE D CÂMR DE CSCIS LMD UM TERR DE PRTUNIDDES DESTQUE UTRIDDE METRPLITN

Leia mais

O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL

O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL O ENSINO DA LÍNGUA ALEMÃ NO SUL DO BRASIL Diys Knyl Fssil1 RESUMO: Nst rtig, tnt-s discutir situçã linguístic à qul s imigrnts scnnts imigrnts lãs frm /u sã submtis, qui, n Brsil. Qustin-s qul é qudr jurídic

Leia mais

C A PA. Por Ví v i a n Ga m ba

C A PA. Por Ví v i a n Ga m ba Brunn Luz C A PA O mdic Ptrsn Lddi rtrt ss nv grçã: plnj trcr Mdicin pr sguir snh sr tr Pr Ví v i n G m b mrc trblh stá m cnstnt mudnç, s jvns qu stã sin ds univrsids m busc clcçã tmbm. Em funçã diss,

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE FEIRA DE SANTANA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE FEIRA DE SANTANA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE FEIRA DE SANTANA. O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pls Prcurdrs d Rpúblic qu st subscrvm, n us sus tribuiçõs cnstitucinis lgis, vm, prnt Vss Exclênci,

Leia mais

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte

Taxi: Opção mais rápida e cara. Deve ser evitada, a não ser que você privilegie o conforte Vi vijr pr? Situ-s com nosss dics roportos trns mtrôs Chgd m Avião: Aroporto Hthrow: Situdo crc 20 km ost um dos mis movim ntdos d Europ possui cinco trminis Dpois pssr pls formlids imigrção pgr su bggm

Leia mais

APLICAÇÃO DE MODELOS DE PREVISÃO DE DEMANDA EM UMA FARMÁCIA HOSPITALAR

APLICAÇÃO DE MODELOS DE PREVISÃO DE DEMANDA EM UMA FARMÁCIA HOSPITALAR APLICAÇÃO DE ODELOS DE PREVISÃO DE DEANDA E UA FARÁCIA HOSPITALAR rin Wil Afns Univrsidd Fdrl d Juiz d Fr Rrt lhirs rir Filh Univrsidd Fdrl d Juiz d Fr ri Luci d Olivir Nvs Univrsidd Fdrl d Ri d Jnir RESUO

Leia mais

usinas termelétricas Audiências Públicas projetos de usinas Jundiaí Paulínia # Santa Branca # Americana

usinas termelétricas Audiências Públicas projetos de usinas Jundiaí Paulínia # Santa Branca # Americana Esqums funcinmnt usins trmlétrics usn turb-grrs gss cmbustã vpr + fts s Audiêncis Públics cnvcs pl Scrtri Mi Ambint Est Sã Pul, durnt prcss licncimnt mbintl prjts usins (1998-2003) + crquis, fts érs stélit

Leia mais

Uniforme Exponencial Normal Gama Weibull Lognormal. t (Student) χ 2 (Qui-quadrado) F (Snedekor)

Uniforme Exponencial Normal Gama Weibull Lognormal. t (Student) χ 2 (Qui-quadrado) F (Snedekor) Prof. Lorí Vili, Dr. vili@pucrs.br vili@m.ufrgs.br hp://www.pucrs.br/fm/vili/ hp://www.m.ufrgs.br/~vili/ Uniform Exponncil Norml Gm Wibull Lognorml (Sudn) χ (Qui-qudrdo) F (Sndkor) Um VAC X é uniform no

Leia mais

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03

COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA MG COMPANHIA ABERTA NIRE 313.000.363-75 CNPJ/MF nº 17.281.106/0001-03 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 16 DE DEZEMBRO DE 2005 1.Dt,

Leia mais

Selt Engenharia Ltda.

Selt Engenharia Ltda. SELT ENGENHARIA LTDA.- FUNDADA EM 1 º DE SETEMBRO DE 1976 PELO ENG. JOSÉ MOHALLEM 2005-2015 SELT ENGENHARIA LTDA.- FUNDADA EM DE SETEMBRO DE 1976 PELO ENG. JOSÉ MOHALLEM SELT ENGENHARIA LTDA.- FUNDADA

Leia mais

Turma 2. Especialização em SAÚDE DA UNA - SUS FAMÍLIA. Universidade Aberta do SUS. Unidades de Conteúdo

Turma 2. Especialização em SAÚDE DA UNA - SUS FAMÍLIA. Universidade Aberta do SUS. Unidades de Conteúdo Espcilizçã m SAÚDE DA FAMÍLIA Turm 2 UNA - SUS Univrsi Abrt SUS Unis Cntú Scrtri Gstã Trblh Eucçã m Sú (SGTES) Scrtári: Mzrt Júli Tbs Sls Dprtmnt Gstã Eucçã m Sú (DEGES) Dirtr: Mônic Smpi Crvlh Scrtri

Leia mais

ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE MOVIMENTOS SOCIAIS ATRAVÉS DA INTERNET: O CASO DOS JOGOS ELETRÔNICOS. por. Letícia Perani Soares

ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE MOVIMENTOS SOCIAIS ATRAVÉS DA INTERNET: O CASO DOS JOGOS ELETRÔNICOS. por. Letícia Perani Soares ORGANIZAÇÃO POLÍTICA DE MOVIMENTOS SOCIAIS ATRAVÉS DA INTERNET: O CASO DOS JOGOS ELETRÔNICOS pr Ltíci Prni Srs (Alun d Curs Cmunicçã Scil) Mngrfi prsntd à bnc xmindr d disciplin Prjt Exprimntl II. Orintdr

Leia mais

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ«

PROFESSORA ======================= & ˆ«======================= & «G Emˆ_ «ˆ«j ˆ« PROSSOR L M: Trz d átim R. rvh & # m _ Ó Œ bm cm c ri nh n si & # Ó Œ du c tm _ bém. Ns s n, qu ri ri n t, d, ju v cê tm d ns & # 2 4 _ V cê é u m grn d mi g pr fs s r qu ri d qu ns qur tn t ms tr ns s

Leia mais

1. A Ortodontia como Especialidade da Medicina Dentária

1. A Ortodontia como Especialidade da Medicina Dentária Cntribut nsin spcili rtnti n FMDUP 31.Mi.2011 1. A Ortnti cm Espcili Mdicin Dntári Sgun Wrld Frtin f Orthntics (WFO), rtnti é fini cm " ár mdicin ntári s prcup cm suprvisã, rintçã crrcçã s struturs nt-fciis

Leia mais

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito

A atual relevância do ensino do inglês jurídico nos cursos de graduação em Direito A tul rlvânci nsino nos cursos grdução m Brv rflxão crc d ncssid s pssr lcionr o nos cursos grdução m sort mlhor prprr os futuros profissionis r pr o xrcício d dvocci mgistrtur promotori Cro migo litor:

Leia mais

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete,

Quem falou foi Henrieta, toda arrumada com a camisa de goleira. E tinha mais um monte de gente: Alice, Cecília, Martinha, Edilene, Luciana, Valdete, Cpítul 3 N ã p! Abu! On já viu? Et qu é n! Cê minh mã? Qun mnin chgm p jg nqul ming, qu ncntm? Um gup mnin. D cmit, têni, clçã muit ipiçã. E g? Afinl, qum tinh ti qul ii mluc? D qun vcê gtm futl? pguntu

Leia mais

c Vr :a e UNESCO Recursos Educacionais Abertos: Perguntas Frequentes Neil Butcher, OER Africa

c Vr :a e UNESCO Recursos Educacionais Abertos: Perguntas Frequentes Neil Butcher, OER Africa Rcurss Educcinis Abrts: Prgunts Frqunts Nil Butchr, OER Afric UNESCO Unitd Ntins Eductinl, Scintific nd Culturl Orgniztin iw COMMONWEALTH OfLEARNING L c Vr : UNESCO with Citç: th Cmmnwlth j prmissä A rplicr,

Leia mais

Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul Departamento de Ciências Sociais CURSO DE GEOGRAFIA. Aline Luciana Giongo Schenckel

Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul Departamento de Ciências Sociais CURSO DE GEOGRAFIA. Aline Luciana Giongo Schenckel Univrsid Rginl Nrst Est Ri Grn Sul Dprtmnt Ciêncis Sciis CURSO DE GEOGRAFIA Alin Lucin Ging Schnckl R E D E S E F L U X O S, T E R R I T Ó R I O E I D E N T I D AD E L O C AL : A E S T R AD A D O C O L

Leia mais

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas

+ fotos e ilustrações técnicas de outras usinas Imgns problms mbintis no sul Snt Ctrin, corrnts s tivis minrção crvão, su lvgm su uso m usin trmlétric + fotos ilustrçõs técnics outrs usins Fotos fits por Oswl Svá ntr 1992 2001, durnt visits fits juntmnt

Leia mais

População sofre com a falta de esgoto

População sofre com a falta de esgoto Jrnl Gurpuv, mi 2009 An 5 Ediçã 4 Ppulçã sfr cm flt sgt Gbril Jcubski Jrdim s Amrics Hj, mis 40.000 psss vivm sm r sgt m Gurpuv, mis 4.000 smnt n birr Jrdim s Amrics. p. 08 09 Prfitur x Snpr Entn pr Prfitur

Leia mais

ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO

ÉTICA NO SERVIÇO PÚBLICO AQ Agênci Ncinl Atulids Trnsts AQ Ministri Públic / Sã Pul AQuviáris Étic n Srviç = 1 Institut Grl Prícis / Snt Ctrin Administrçã = = Atulids = 41 1 O di m qu s brsilirs Fichári s vstirm vr ATUALIDADES

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

GRUPO LIBERTY SEGUROS

GRUPO LIBERTY SEGUROS Dmnstrçõs Finncirs Rsults Cmrmiss Rsnsili cm Trnsrênci LIBERTY SEGUROS S.. C.N.P.J. nº 6.550./000-72 GRUPO LIBERTY SEGUROS INDIN SEGUROS S.. T sgurnç qu um rcri rcis C.N.P.J. nº 6.00.5/000-59 Rltóri ministrçã

Leia mais

NESS-A TOUCH SCREEN 7" C/ MODEM

NESS-A TOUCH SCREEN 7 C/ MODEM 6 7 8 9 0 QUIPMNTOS ONTROLOS OMPRSSOR LTRNTIVO // LTRÇÃO LYOUT-IM MUTI PR SOPOST OTÃO MRÊNI LLN9 0 07/0/ LTRÇÃO O MOM O LYOUT LOUV 7 0 06// INLUSÃO O ORINTTIVO O LÇO OMUNIÇÃO IO V. 00 8/0/ INIIL TOS R.

Leia mais

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina

Estimativas dos impactos das mudanças climáticas nos zoneamentos da cultura da banana e da maçã no Estado de Santa Catarina Estimtivs s impcts s munçs climátics s znmnts cultur bnn mçã Est Snt Ctrin Cristin Pnlf1, Luiz Alb Hmms2, Cláudi Cmrg3, Angl Mns Mssignm4, Emnul Sl Prir Pint5 Mriln Lim6 qustã mátics t s munçs si discuti

Leia mais

Acervo: Biblioteca Pública de Santa Catarina

Acervo: Biblioteca Pública de Santa Catarina Acrv: Biblitc Públic d Snt Ctrin CCE d I [crt litr] Rvlu ã digitl J ur qu librdd smpr fi um tm xplrd m tds s rs d humnidd? Pdms ncntrr txts qu flm d ssunt dsd s pnsdrs grgs té hj, pssnd, clr, pl Rvluçã

Leia mais

A Influência do Capital Intelectual sobre a Performance dos Projetos de Software

A Influência do Capital Intelectual sobre a Performance dos Projetos de Software Influência Intlctual sbr Prfrmanc s Prjt Sftwar MUNIÇÃ DS RESULTDS D drian r, ran B. T. Mrals, Dr. (rintar), Paul M. Slig, Dr. (crintar) PRGRM DE PÓS-GRDUÇÃ EM ENGENRI E GESTÃ D NEIMENT UNIVERSIDDE FEDERL

Leia mais

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

ORION 6. Segunda Porta USB. Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. ORION 6 Sgun Port USB Hnry Equipmntos Eltrônios Sistms Lt. Ru Rio Piquiri, 400 - Jrim Wissópolis Cóigo Postl: 83.322-010 Pinhis - Prná - Brsil Fon: +55 41 3661-0100 INTRODUÇÃO: Pr orrto unionmnto, é nssário

Leia mais

CAPA APENAS PARA INDICAÇÃO Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CODE ao lado.

CAPA APENAS PARA INDICAÇÃO Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CODE ao lado. CP PENS PR INDICÇÃ Favor retirar essa informação, mas não retire o QR CDE ao lado. LINH FRM LINH ELETR LINH SUPER LINH MTEC LINH DPTS C T Á L G D E P R D U T S LINH EXP LINH EXPSIÇÃ SEGUR nossa história

Leia mais

BALANÇO GESTÃO. Revista Fórum 1

BALANÇO GESTÃO. Revista Fórum 1 BALANÇO 2010 2012 GESTÃO SUSTENTABILIDADE SAÚDE EQUILÍBRIO GASTRONOMIA ECONOMIA TECNOLOGIA Rvist Fórum 1 2 Rvist Fórum Rvist Fórum 3 Dirtri Excutiv Prsint: Antni Csr Rch A. Siquir 1 Vic-Prsint: Luiz Rbrt

Leia mais

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013

TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 TERMO ADITIVO A CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: CE000313/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 07/03/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011016/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46205.003892/2013-28

Leia mais

COOPERATIVISTA. instalar com os filhos e a mulher, só o subsídio de férias ou a colónia de férias poderia permitir-lhe um período de retemperança.

COOPERATIVISTA. instalar com os filhos e a mulher, só o subsídio de férias ou a colónia de férias poderia permitir-lhe um período de retemperança. B^n ^flzjék H BBB ÊÊÊÊ 9 B k jfib H BjH H w H psiçã fnsr ds intrsss d cnsidr. B H H 9 Mvimnt Cprtiv v firmmnt firmr CPERTIVIST REDCÇÃ E DMINISTRÇÃ: Ru d Cruzir. 1 - Tlf. 63 26 49 - Lisb 3 ir CRDEND NTÓNI

Leia mais

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis

Armazenamento de Sementes de Milho em Recipientes Reutilizáveis Arznnt d Snt d Milh Rcipint Rutilizávi Miz Sd Strg In Rubl Cntinr SANAZÁRIO, Ann Chritin 1. kinzri@yh.c.br; COELHO, Fábi Cunh 1. fclh@unf.br; VIEIRA, Hnriqu Durt 1. hnriqu@unf.br; RUBIM, RqulL Filh 1.

Leia mais

Plano de ação para o tema: resíduos

Plano de ação para o tema: resíduos Pln çã pr tem: resídus Dignóstic (situções melhrr) Objetiv(s) Met(s) Ações e Ativids Prevists Cncretizçã Avliçã- instruments e Indicdres ( mnitrizçã e vliçã Recurss Interveniente s Clendrizçã ções) Lix;

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

Perspectivas para 2015 CONFIRA NESTA EDIÇÃO EDITORIAL

Perspectivas para 2015 CONFIRA NESTA EDIÇÃO EDITORIAL E D U C A Ç Ã O I N FA N T I L E E N S I N O F U N D A M E N T A L Nº8 An 4 EDITORIAL Prspctivs pr 2015 Ouvims, pr td nss vid, dizrm qu águs prds nã mvm minhs. Nã só nã fzm cm tmbém sã fnts d dnçs, cntminçõs

Leia mais

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80)

MRP / MRP II MRP MRP / MRP II 28/04/2009. www.paulorodrigues.pro.br. Material Required Planning (anos 60) Manufacturing Resource Planning (anos 80) MSc. Pulo Cesr C. Rodrigues pulo.rodrigues@usc.br www.pulorodrigues.pro.br Mestre em Engenhri de Produção MRP Mteril Required Plnning (nos 60) Mnufcturing Resource Plnning (nos 80) MRP = Mteril Requirement

Leia mais

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares.

II L ATA N. 19/XIV. Conselheiro Fernando da Costa Soares. jf II L Comissão Ncionl Eliçõs ATA N. 19/XIV Tv lugr no di vint qutro jniro dois mil doz, sssão númro znov d Comissão Ncionl Eliçõs, n sl runiõs sit n Av. D. Crlos 1, n. 128 7. ndr, m Lisbo, sob prsidênci

Leia mais

w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995

w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995 (2-4- LIDO HOJE AS COMISSÕES DE: S E I 995 nnnnnnnnnnnnnnnnnnnn w2-49-, 01 PL PROJETO DE LEÍ 01-0846/1995 Dnmina "Praça Marcus França Trrs" a Praça VI, cadlg 46.573-9, situada n Distrit d Jaraguá - JAR.

Leia mais

Definição de Necessidades de Capacitação de Pós-Graduação

Definição de Necessidades de Capacitação de Pós-Graduação I Mdliddes Pós-grduçã strictu sens (mestrd e dutrd) Pós-dutrd de Cpcitçã Definiçã de Necessiddes de Cpcitçã de Pós-Grduçã O Ipe definirá sus necessiddes de cpcitçã em pós-grduçã nulmente, levnd em cnt:

Leia mais

Hino da CF 2010 ====================== & 2 C. ci - por ======================= ˆ ˆ ˆ ˆ««« ˆ ˆ« ====================== & œ ««« mui - to

Hino da CF 2010 ====================== & 2 C. ci - por ======================= ˆ ˆ ˆ ˆ««« ˆ ˆ« ====================== & œ ««« mui - to œ ====================== & 2 4 Œ = Rfr.: J sus ci v pr pri mi r um Ri n d jus ti ç_ sus v rs: "Vós nã p s ====================== & = us nhi r mui t gr & 2. j j { nh rs." "Vós nã p nh rs." dr Vz d_um s

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24.

21/07/2015 13:36:51 ARTE MODA ARTE ARQUITETURA ARQUITETURA ENTRETENIMENTO MODA DESTINO GASTRONOMIA GASTRONOMIA MODA POLINÉSIA FRANCESA. CAPA 24. R 3 R R D S VL L Ó S L U D K LÃ W -S / 3 SH FW -S Ã P UL F S SP / / : 8:3 3// 8/ 3/ : 6: SPCL - PRU C VCÊ UC VU.in 7 R Ú 8 9 - R$,,9 R$ CP.in S D PP R S G GS S - R$, 9 R D : : U Q R VG D R SÃ PU L FS H

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14

Eu só quero um xodó. Música na escola: exercício 14 Eu só qu u xdó Músic n scl: xcíci 14 Eu só qu u xdó Ptitus Mi, hni lt Aut: Dinguinhs stáci Rgiã: Pnbuc : 1973 Fix: 14 Anj: Edsn Jsé Alvs Músics: Edsn Jsé Alvs vilã Pvt clints, sx t Jsé Alvs Sbinh Zzinh

Leia mais

A PROPOSTA DE ENUNCIADO ADMINISTRATIVO

A PROPOSTA DE ENUNCIADO ADMINISTRATIVO A FUNDAMENTAÇÃO DO VOTO CONDUTOR DA EDIÇÃO DA SÚMULA ADMINISTRATIVA FAZ A DEMONSTRAÇÃO HISTÓRICA DA PORTARIA Nº 1.104-GM3/FAB. A PROPOSTA DE ENUNCIADO ADMINISTRATIVO PROCEDIMENTO DIVERSO N.º 2002.07.0003

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

Lyceum Educacional. A Educação está no nosso DNA

Lyceum Educacional. A Educação está no nosso DNA Lyum Euinl A Euçã tá n n DNA Lyum Grni u intituiçã frm fiz invr Atn u muni êmi trvé um Srtri Virtul Cnt u lun u intituiçã m móul Mbili Alqu u rp nt frm fiz Otimiz u rur iminu u ut Ofrç rviç prnliz u lun

Leia mais

9 Codificação de Canal: Códigos de Bloco Lineares

9 Codificação de Canal: Códigos de Bloco Lineares 9 Cfcaçã Canal: Cógs Blc Lnars Em capítuls antrrs stuáms cm alguma prfuna s s prlmas mas mprtants asscas a snh sstmas cmuncaçõs: prlma a cfcaçã fnt, prlma a transmssã nfrmaçã através canas russ. O prmr

Leia mais