ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/ /09/2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORDEM DE SERVIÇO OS 003/DINFO/2013 16/09/2013"

Transcrição

1 A DIRETORIA DE INFORMÁTICA DINFO DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO -UERJ, no uso de suas atribuições legais, estabelece: Art. 1º: Para fins de normatização do Desenvolvimento Tecnológico na UERJ e com vistas a permitir a integração de dados e informações, serão identificados as ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS e as PLATAFORMAS DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO da UERJ. Art. 2º: Define-se como ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS EM/DINFO como o método e os instrumentos utilizados para a modelagem e descrição dos ambientes a serem estudados e construídos. 1º: Será utilizada a MDA (Model Driven Architecture, Arquitetura Dirigida pelo Modelo). A MDA é uma visão em como o software pode ser desenvolvido colocando a modelagem no centro do processo de desenvolvimento. 2º: A partir de um modelo abstrato do sistema é gerado um modelo mais concreto. Este processo de refinamento dos modelos vai sendo realizado até a geração do código fonte, considerado como a mais concreta representação do sistema de software. A chave para esse processo é que cada etapa da geração é automatizada o máximo possível. Art. 3º: Define-se que a Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas a ser adotada é baseada nas abordagens do Processo Unificado (UP), utilizando a UML (Unified Modeling Language) como linguagem de modelagem. 1º: O processo será dividido em fases que indicam quais fluxos de trabalho devem ser enfatizados em um dado instante, dentro de todo o ciclo de vida de um Projeto Orientado a Objetos:

2 I. Concepção estabelecer o escopo (domínio) do projeto, os prazos, a viabilidade econômica e identificar os riscos envolvidos; II. Elaboração refinar o domínio da solução, eliminar os principais riscos e estabelecer uma arquitetura estável a partir da qual o sistema poderá evoluir; III. Construção desenvolver o software de maneira iterativa até que esteja pronto (ciclo de entrega) para ser passado aos usuários para teste e homologação; IV. Transição disponibilizar o sistema para o usuário. Compreende a configuração do ambiente de produção e das estações de trabalho e o treinamento dos usuários. 2º: Estas fases deverão contemplar os fluxos de trabalho descritos a seguir: I. Modelagem do Negócio II. Análise de Requisitos de Software III. Análise Funcional (Analysis)

3 IV. Projeto Físico (Design) V. Codificação VI. Homologação VII. Implantação. Art. 4º: Define-se que os diagramas/modelos utilizados no processo de planejamento e desenvolvimento de sistemas devem seguir o paradigma da Orientação a Objetos e serão desenhados utilizando a linguagem UML. 1º: Pelo menos o Diagrama de Casos de Uso da linguagem UML deve ser criado para cada uma das atividades. Os demais diagramas/modelos serão utilizados de acordo com a complexidade de cada atividade. 2º: Os diagramas/modelos foram planejados e padronizados para gerar mais eficiência de comunicação inter e intra-equipe. 3º: O relacionamento entre os elementos foi cuidadosamente estudado para trazer o máximo de rastreabilidade entre elementos criados nas diversas fases do processo. 4º: Deve-se modelar apenas o essencial, reduzindo o número de modelos, otimizando o tempo de especificação, mas sem redução na qualidade de informação. 5º: A utilização de modelos UML para o planejamento e desenvolvimento dos sistemas, busca melhorar a/o: I. Compreensão: são mais simples e fáceis de compreender do que um código; II. Precisão: permite um melhor detalhamento do sistema a construir; III. Flexibilidade: maior facilidade em fazer alterações; IV. Comunicação: facilita a divulgação das informações às equipes envolvidas; V. Gerenciamento de riscos: permite prever e tratar os riscos antecipadamente.

4 Art. 5º: Define-se PLATAFORMAS DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - PDT/DINFO como ambiente de desenvolvimento, a linguagem e o banco de dados a ser utilizado. 1º: O ambiente de desenvolvimento será composto por: I. Servidor: Linux CentOS ou Red Hat; II. Servidor de Aplicações: Jboss (Java), Apache (PHP); III. Ferramenta para análise e modelagem: Enterprise Architect; IV. IDE de desenvolvimento: Netbeans (PHP), Eclipse (Java); V. Controle de Versão: Subversion; VI. Relatórios: Ireport (java). 2º: O padrão de arquitetura de software será o MVC (Model-view-controller), seguindo a estrutura de camadas. A estrutura do diretório a ser criado, de acordo com o MVC, está descrita no Anexo I. 3º: Os sistemas corporativos deverão ser desenvolvidos em ambiente Web. 4º: A linguagem de programação a ser utilizada nos sistemas corporativos de médio e grande porte será o Java e nos de pequeno porte e nas páginas corporativas será o PHP. No Anexo II encontra-se o padrão de tecnologias a ser utilizado para as linguagens Java e PHP e no Anexo III o estudo das linguagens avaliadas. 5º: O Sistema Gerenciador de Banco de Dados - SGBD a ser utilizado nos sistemas corporativos de médio e grande porte e/ou de maior criticidade será o Sybase e nos de pequeno porte e nas páginas corporativas será o PostgreSQL. Será possível a utilização do MySQL na licença GPL, quando for utilizado por algum sistema de pequeno porte ou página que necessite deste SGBD.

5 Art. 6º: A definição das ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS e das PLATAFORMAS DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO visa exclusivamente oferecer parâmetro para o atendimento e a integração tecnológica da UERJ Art. 7º: A presente Ordem de Serviço aplica-se a partir de 16 de setembro de Art. 8º: Revogam-se eventuais disposições em contrário. Lúcia Oliveira Diretora de Informática

6 Anexo I Estrutura do Diretório Linguagem Java Figura 1. Estrutura de diretório do Java Descrição das pastas: 1. Pasta principal contendo todo o projeto. 2. Pasta com um protótipo do sistema desenvolvido de forma rápida somente com telas para testes de aceitação relacionados a interface do sistema.

7 3. Pasta com arquivos-fontes Java. 4. Pasta contendo arquivos que fazem o controle e roteamento das páginas. 5. Pasta com arquivos que representam o domínio da aplicação. 6. Pasta com arquivos de rotinas relacionadas à persistência dos dados. 7. Pasta com arquivos auxiliares para o desenvolvimento. 8. Contém arquivos de configurações. 9. Pasta com arquivos de configurações e propriedades da aplicação. 10. Pasta com arquivos ou subpastas responsável pela camada de visão. 11. Contém arquivos de Cascading Style Sheets (css). 12. Contém mídias, imagens ou arquivos de audio. 13. Pasta com arquivos jsp, xhtml, html, jsf e outros. 14. Possui arquivos javascript. 15. Pasta com arquivos que são templates usados em outras partes. 16. Pasta com classes Java. 17. Pasta com bibliotecas usada na aplicação. Linguagem PHP Figura 2. Estrutura de diretório do PHP

8 Descrição das pastas: 1. Pasta principal contendo todo o projeto. 2. Pasta contendo arquivos que fazem o controle e roteamento das páginas. 3. Pasta com arquivos que representam o domínio da aplicação. 4. Pasta com arquivos de rotinas relacionadas à persistência dos dados 5. Pasta com um protótipo do sistema desenvolvido de forma rápida somente com telas para testes de aceitação da interface do sistema. 6. Pasta com arquivos auxiliares para o desenvolvimento. 7. Pasta com arquivos ou subpastas responsável pela camada de visão. 8. Contém arquivos de Cascading Style Sheets (css). 9. Contém mídias, imagens ou arquivos de audio. 10. Pasta com arquivos php. 11. Possui arquivos javascript. 12. Pasta com arquivos que são templates usados em outras partes. 13. Arquivo de configuração relacionada ao servidor apache. 14. Arquivo de configuração da aplicação como propriedades.

9 Anexo II Padrão de Tecnologias Linguagem Java Java Platform, Enterprise Edition 6 (Java EE 6) com as seguintes especificações JSR (Java Specification Request): Web Technologies JSR 52: Standard Tag Library for JavaServer Pages (JSTL)1.2 JSR 245: JavaServer Pages (JSP) 2.2 and Expression Language (EL) 1.2 JSR 314: JavaServer Faces (JSF) 2.0 Implementação (Primefaces) JSR 315: Servlet 3.0 Enterprise Technologies JSR 250: Common Annotations for the Java Platform 1.1 JSR 299: Contexts and Dependency Injection (CDI) for the Java EE Platform 1.0 JSR 303: Bean Validation 1.0 JSR 316: Managed Beans 1.0 JSR 317: Java Persistence API (JPA) 2.0 Implementação (Hibernate) JSR 318: Enterprise JavaBeans (EJB) 3.1 JSR 318: Interceptors 1.1 JSR 322: Java EE Connector Architecture 1.6 JSR 330: Dependency Injection for Java 1.0 JSR 907: Java Transaction API (JTA) 1.1 JSR 914: Java Message Server (JMS) 1.1 JSR 919: JavaMail 1.4 Outras linguagens utilizadas: Html, xml, xhtml, jquery, javascript, css. PHP, html, xml, xhtml, jquery, javascript, css. Linguagem PHP

10 Anexo III Estudo das Linguagens Avaliadas A fim de definir a linguagem a ser adotada para o desenvolvimento dos Sistemas Corporativos da UERJ realizou-se um comparativo entre as soluções Web mais utilizadas no mercado: Java, PHP e.net. Este comparativo levou em consideração os aspectos mais relevantes, inerentes à realidade da UERJ: A. Propriedade e expansibilidade Java pertence à Oracle, mas, apesar disso, é totalmente gratuito em qualquer uma de suas versões, amplamente difundido e expandido por uma imensa comunidade de desenvolvedores pessoas físicas e jurídicas que a tornam muito completa, sempre criando e melhorando frameworks para sua plataforma. Apesar disso, todas as normas e padrões referentes à linguagem são definidas pela Oracle, o que impede o efeito Torre de Babel, facilitando demais a integração entre diferentes frameworks de diferentes fornecedores. PHP não pertence a um fabricante específico, é mantido quase que integralmente por uma comunidade de desenvolvedores. É, assim como o Java, totalmente gratuito, mas, por não ter uma empresa dando a infraestrutura por trás, não se pode garantir sua continuidade, manutenção e suporte..net pertence à Microsoft, disponibiliza versões gratuitas e pagas. Apenas a versão paga apresenta os recursos de alta produtividade, mais adequados aos ambientes corporativos. Apesar de ser uma plataforma proprietária, há alguns componentes e bibliotecas de terceiros que estendem seus recursos, mas nenhum deles é homologado pela Microsoft. B. Arquitetura Java praticamente todos os padrões de projeto e arquiteturais mais importantes e utilizados na atualidade surgiram de especificações do J2EE. Todos esses padrões podem ser implementados e/ou adaptados em outras linguagens, mas sua origem se dá no Java. Assim sendo, os servidores HTTP e de aplicação, como o Tomcat e o JBoss, implementam internamente toda a arquitetura necessária a um melhor desempenho das aplicações desenvolvidas na linguagem. Em sua arquitetura interna, há

11 toda a infraestrutura nativa, sem necessidade de uso de frameworks de terceiros, para o correto desenvolvimento de acordo com todos os padrões existentes hoje na literatura. PHP é uma linguagem de script que funciona através da interpretação do código em tempo real pelo compilador. O código dinâmico da linguagem é inserido no meio do código HTML, sendo interpretado e executado no momento de sua chamada. Devido a isso, não há um suporte nativo à separação das camadas (visão, controle, negócio, etc.), sendo mais complexo implementar corretamente alguns dos padrões arquiteturais existentes, sempre ficando com uma aparência de adaptação. Por outro lado, essa arquitetura simplifica o desenvolvimento, tornando-o bem mais rápido..net permite os dois tipos de desenvolvimento, tanto com código script misturado ao código HTML, como fazendo uso de bibliotecas pré-compiladas. A execução é bastante rápida em ambos os cenários, além da plataforma dar um suporte muito grande ao desenvolvimento utilizando padrões, sendo bastante robusta e segura. A vantagem do.net permitir os dois tipos de desenvolvimento é que se pode optar por aplicações mais complexas, onde a segurança é muito importante, e aplicações mais rápidas, como web sites, onde isso pode não ser muito relevante, com facilidade de implementação nos dois cenários. C. Bibliotecas nativas e de terceiros Java o Java possui uma biblioteca padrão extremamente ampla e completa, permitindo o desenvolvimento de diversos tipos de aplicação, com centenas de recursos já prontos. Além disso, há diversos frameworks de terceiros que agregam ainda mais funcionalidades a essa já vasta biblioteca, permitindo várias soluções diferentes para um mesmo problema. Como tudo na linguagem é orientado a objetos e desenvolvido de acordo com os padrões J2EE, a conexão dessas ferramentas com o que já se tem desenvolvido é simples e rápida, tornando fácil a sua substituição, na maioria dos casos. PHP como a linguagem é desenvolvida e mantida por comunidade, há, como no Java, inúmeros frameworks e bibliotecas que podem ser utilizados. A biblioteca nativa também é ampla, mas não tão completa e complexa como a do Java. PHP é uma linguagem com um foco um pouco diferente do Java, que é desenvolvido para que nele sejam criadas aplicações complexas e corporativas. PHP,

12 apesar de permitir esse tipo de desenvolvimento, tem um foco um pouco diferente, sendo originada na intenção de que com ela sejam produzidos web sites..net o.net Framework é bastante amplo, completo e complexo, de forma similar ao Java, além de bastante leve, do ponto de vista computacional. Com relação a bibliotecas de terceiros, já não se pode falar o mesmo das outras duas linguagens, pois não existem muitas bibliotecas confiáveis disponíveis, principalmente porque a Microsoft não incentiva esse desenvolvimento. Apesar disso, o.net permite o desenvolvimento de aplicações de qualquer porte com bastante facilidade, inclusive para as aplicações desktop. D. Visão a longo prazo Java sendo a linguagem onde mais se desenvolvem sistemas, que mais determina padrões, que mais gera receita com cursos de especialização, que possui o maior número de profissionais certificados no mercado, é difícil imaginar seu fim. É fácil pensar a longo prazo em Java, se isso tudo for considerado. Há, ainda, outros fatores, como: funciona em qualquer sistema operacional/plataforma, é gratuito, inclusive para fins comerciais, é suportada por uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, seu uso em órgãos públicos é apoiado pelo governo federal o que pode acabar acontecendo em esfera estadual a qualquer momento e é, como já foi dito, extremamente plugável, o que permite um aumento considerável em seu tempo de vida e número de recursos. PHP é, depois do Java, a linguagem mais popular atualmente, sendo a preferida pela comunidade de desenvolvedores para a criação de web sites, por ser simples e rápida. É, porém, uma linguagem sem dono, o que pode ser muito bom ou muito ruim. Pensando no futuro, pode-se facilmente imaginar que, por diversos fatores - como falta de dinheiro, por exemplo - a comunidade não invista mais no PHP, decidindo criar uma nova linguagem, com outra arquitetura, totalmente orientada a objetos, multi plataforma, ou algo do tipo. Isso também pode acontecer com o Java? Pode, mas é muito mais difícil. Por ter uma empresa por trás, há muito dinheiro envolvido. As certificações, cursos, treinamentos, congressos e todos os eventos relacionados à plataforma do Java movimentam muito dinheiro, trazem muito lucro à Oracle, o que não acontece com o PHP. O fato de executar em ambiente Unix é um ponto positivo, pelo ponto de vista de uma possível determinação do uso de softwares livres em esfera estadual.

13 .NET é o ponto mais fraco da plataforma, uma vez que esta é desenvolvida pela Microsoft, uma empresa com histórico muito forte de isolamento de mercado. Esta é, inclusive, uma das características da empresa: querer estar na vanguarda e remar contra a corrente de tendências, se isolando e, em muitos casos, fechando demais seu mercado e limitando sua área de atuação. Além disso, o fato de só poder ser executada em ambiente Windows pesa muito contra, imaginando que é uma forte tendência a migração para software livre nos ambientes corporativos. E, finalmente, também pelo histórico da Microsoft, é possível que ela, a qualquer momento, descontinue o produto. Conclusão Dentre as três linguagens/plataformas apresentadas, percebe-se que, para o ambiente corporativo, onde há desenvolvimento de diversos sistemas integrados, complexos e com um grande número de funções e objetos em comum, o Java é a linguagem mais apropriada, por trazer de forma nativa todos os recursos necessários ao desenvolvimento nesse ambiente, sem necessidade de uso de ferramentas de terceiros. Tudo de forma gratuita e com o suporte de uma das maiores empresas do ramo de tecnologia. Já para sistemas de médio e pequeno porte poderá usar também PHP seguindo o paradigma da Orientação a Objetos principalmente na construção de sites. Java: - Maior manutenibilidade - Portabilidade Indiscutível - Robustez, segurança - Mais recursos, mais poder - Maior reutilização de código - Paradigma de Orientação a Objetos mais consolidado PHP: - Menor curva de aprendizagem - Maior produtividade para projetos pequenos

14

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS

DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS DESENVOLVIMENTO WEB UTILIZANDO FRAMEWORK PRIMEFACES E OUTRAS TECNOLOGIAS ATUAIS Emanuel M. Godoy 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil godoymanel@gmail.com,

Leia mais

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Amarildo Aparecido Ferreira Junior 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil aapfjr@gmail.com

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC DESENVOLVENDO APLICAÇÕES UTILIZANDO JAVASERVER FACES E MVC Felipe Moreira Decol Claro 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil felipe4258@hotmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS Rodrigo das Neves Wagner Luiz Gustavo Galves Mählmann Resumo: O presente artigo trata de um projeto de desenvolvimento de uma aplicação para uma produtora de eventos,

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

ARQUITETURA DO SISTEMA ERP PEGASUS

ARQUITETURA DO SISTEMA ERP PEGASUS ARQUITETURA DO SISTEMA ERP PEGASUS Elaborado por: Bruno Duarte Nogueira Arquiteto de Software Data: 05/03/2012 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Tecnologias... 3 2.1. Web Tier... 3 2.1.1. Facelets 1.1.14...

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

Manual de Procedimentos para Desenvolvimento de Softwares

Manual de Procedimentos para Desenvolvimento de Softwares Manual de Procedimentos para Desenvolvimento de Softwares Secretaria Geral de Informática Sin Universidade Federal de São Carlos - UFSCar Versão 2.1 O(s) critério(s) de escolha pelas tecnologias para desenvolvimento

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Daniel Paulo de Assis

Daniel Paulo de Assis Daniel Paulo de Assis Brasileiro, solteiro, 32 anos Rua Dr. Seng, 100 Bela Vista - São Paulo SP Telefone: (11) 9-4991-5770 / (18) 9-9119-2006 E-mail: daniel@dpassis.com.br WebSite: dpassis.com.br Linkedin:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS 1 de 6 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSOS BURITREINAMENTOS MANAUS-AM MARÇO / 2015 2 de 6 PACOTES DE TREINAMENTOS BURITECH A Buritech desenvolveu um grupo de pacotes de treinamentos, aqui chamados de BuriPacks,

Leia mais

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional

Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Aplicativo web para definição do modelo lógico no projeto de banco de dados relacional Juarez Bachmann Orientador: Alexander Roberto Valdameri Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2010 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br

Tecnologia Java. Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Tecnologia Java Daniel Destro do Carmo Softech Network Informática daniel@danieldestro.com.br Origem da Tecnologia Java Projeto inicial: Oak (liderado por James Gosling) Lançada em 1995 (Java) Tecnologia

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Cargo Função Superior CBO. Tarefas / Responsabilidades T/R Como Faz

Cargo Função Superior CBO. Tarefas / Responsabilidades T/R Como Faz Especificação de FUNÇÃO Função: Analista Desenvolvedor Código: Cargo Função Superior CBO Analista de Informática Gerente de Projeto Missão da Função - Levantar e prover soluções para atender as necessidades

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition)

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) Sumário. Java 2 Enterprise Edition. J2EE (Java 2 Enterprise Edition) Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) J2EE () Sumário Introdução J2EE () APIs J2EE Web Container: Servlets e JSP Padrão XML 2 J2EE é Uma especificação para servidores

Leia mais

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB

TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB TECNOLOGIAS E FRAMEWORKS PARA O DESENVOLMENTO DE INTERFACES WEB Marcelo Rodrigo da Silva Ribeiro 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marcelo.rodrigo@live.com,

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS

ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS ANEXO 05 ARQUITETURAS TECNOLÓGICAS PROCERGS Este anexo apresenta uma visão geral das seguintes plataformas: 1. Plataforma Microsoft.NET - VB.NET e C#; 2. Plataforma JAVA; 3. Plataforma Android, ios e Windows

Leia mais

Guilherme Augusto de Assis

Guilherme Augusto de Assis Guilherme Augusto de Assis Analista de Sistemas Pleno da empresa CPqD guiassys@gmail.com Resumo Possui graduação em Sistemas de Informação pela Faculdade de Administração e Ciências Contábeis de Hortolândia

Leia mais

OPORTUNIDADES: Analista de Sistemas

OPORTUNIDADES: Analista de Sistemas OPORTUNIDADES: Analista de Sistemas - Experiência em metodologias ágeis de desenvolvimento, - Experiência em desenvolvimento de sistemas com plataforma Microsoft.Net, - Experiência em banco de dados Microsoft

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS PARA APLICAÇÃO COMERCIAL. Java Peristence API 1.

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS PARA APLICAÇÃO COMERCIAL. Java Peristence API 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE MATEMÁTICA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO LINGUAGENS PARA APLICAÇÃO COMERCIAL Java Peristence API 1.0 Salvador-Ba Março/2009 1 RAMON PEREIRA LOPES Java Peristence API

Leia mais

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira

ENTERPRISE JAVABEANS 3. Msc. Daniele Carvalho Oliveira ENTERPRISE JAVABEANS 3 Msc. Daniele Carvalho Oliveira Apostila Servlets e JSP www.argonavis.com.br/cursos/java/j550/index.html INTRODUÇÃO Introdução Enterprise JavaBeans é um padrão de modelo de componentes

Leia mais

Java Web/UI. Maven3 Redmine CVS. Áreas de conhecimento: Web o Aplicativos Web o Portal de conteúdo o REST Services Web Site Performance

Java Web/UI. Maven3 Redmine CVS. Áreas de conhecimento: Web o Aplicativos Web o Portal de conteúdo o REST Services Web Site Performance Java Web/UI Atribuições do cargo: Desenvolvimento de um Portal/Aplicativo Web de conteúdo público utilizando HTML5+CSS3+JS de design responsivo usando a Web API do portal de transparência como provedora

Leia mais

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCC-0263. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCC-0263 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

WebApps em Java com uso de Frameworks

WebApps em Java com uso de Frameworks WebApps em Java com uso de Frameworks Fred Lopes Índice O que são frameworks? Arquitetura em camadas Arquitetura de sistemas WEB (WebApps) Listagem resumida de frameworks Java Hibernate O que são frameworks?

Leia mais

Desenvolvimento WEB II. Professora: Kelly de Paula Cunha

Desenvolvimento WEB II. Professora: Kelly de Paula Cunha Desenvolvimento WEB II Professora: Kelly de Paula Cunha O Java EE (Java Enterprise Edition): série de especificações detalhadas, dando uma receita de como deve ser implementado um software que utiliza

Leia mais

OPORTUNIDADES CWI: Analista de Sistemas Sênior

OPORTUNIDADES CWI: Analista de Sistemas Sênior OPORTUNIDADES CWI: Analista de Sistemas Sênior - Experiência em levantamento de requisitos. - Elaboração de especificação funcional. - Desejável conhecimento em logística e transporte. Analista de Testes

Leia mais

NOME DA APRESENTAÇÃO

NOME DA APRESENTAÇÃO 25 DE MAIO @MICROSOFT Novidades de Java EE 7 Ernest Duarte NOME DA APRESENTAÇÃO Nome (Nick no Fórum) About me! Nickname na Comunidade Ernest Duarte Profissão Instrutor em Ciências e Tecnologias Numéricas

Leia mais

Prova Específica Cargo Desenvolvimento

Prova Específica Cargo Desenvolvimento UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ Centro de Educação Aberta e a Distância CEAD/UFPI Rua Olavo Bilac 1148 - Centro CEP 64.280-001 Teresina PI Brasil Fones (86) 3215-4101/ 3221-6227 ; Internet: www.uapi.edu.br

Leia mais

OPORTUNIDADES CWI: Principais atividades: - Análise e desenvolvimento de sites Cross-plataform (IE/Firefox/Chrome/Safari).

OPORTUNIDADES CWI: Principais atividades: - Análise e desenvolvimento de sites Cross-plataform (IE/Firefox/Chrome/Safari). OPORTUNIDADES CWI: Analista de Testes - 2 anos de experiências em testes. - Experiência com alguma ferramenta de automação de testes. - Conhecimento em especificação de casos de testes. - Formação superior

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 10 Persistência de Dados

Leia mais

Ensino Superior: IESB Instituto de Educação Superior de Brasília Ciências da Computação - Cursando

Ensino Superior: IESB Instituto de Educação Superior de Brasília Ciências da Computação - Cursando Vinicius Nascimento Informações pessoais Estado civil: Casado Nacionalidade Brasileira Idade: 30 anos Naturalidade: Brasília DF Formação Ensino Superior: IESB Instituto de Educação Superior de Brasília

Leia mais

IplanRio DOP - Diretoria de Operações GIT - Gerência de Infraestrutura Tecnológica Gerente da GIT

IplanRio DOP - Diretoria de Operações GIT - Gerência de Infraestrutura Tecnológica Gerente da GIT 1. IDENTIFICAÇÃO Padrão Segmento Código P06.002 Revisão v. 2014 Plataformas Web 2. PUBLICAÇÃO Recursos Tecnológicos Versão Data para adoção Publicação v. 2014 23 de dezembro de 2014 PORTARIA N Nº 225 de

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração Ambiente Web É o ambiente formado

Leia mais

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro

Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Desenvolvimento em PHP usando Frameworks Elton Luís Minetto Agenda Ambiente Web PHP Problemas Frameworks CakePHP Symfony Zend Framework Prado CodeIgniter Demonstração O livro Ambiente Web É o ambiente

Leia mais

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO

ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA DIRAD/CPLIC-008/2008 1 ANEXO III PERFIL DOS PROFISSIONAIS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PARA MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO 1. INFORMAÇÕES GERAIS E CARACTERÍSTICA DO ATUAL AMBIENTE CORPORATIVO

Leia mais

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB)

PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) RELATÓRIO DE ENTREGA DO PRODUTO 1 (CONSTRUÇÃO DE PORTAL WEB) PARA A ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS PMGIRS PARA OS MUNICÍPIOS DE NOVO HORIZONTE, JUPIÁ, GALVÃO,

Leia mais

Introdução a Servlets

Introdução a Servlets Linguagem de Programação para Web Introdução a Servlets Prof. Mauro Lopes 1-31 21 Objetivos Iniciaremos aqui o estudo sobre o desenvolvimento de sistemas web usando o Java. Apresentaremos nesta aula os

Leia mais

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP

Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Use a Cabeça! FREEMAN, Eric e Elisabeth. HTML com CSS e XHTML BASHMAN, Brian / SIERRA Kathy / BATES, Bert. Servlets & JSP Software cliente: browser e outros Protocolo HTTP Infraestrutura de transporte

Leia mais

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO NO SITE www.superato.com.br. TÉCNICO EM INFORMÁTICA

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO NO SITE www.superato.com.br. TÉCNICO EM INFORMÁTICA INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO NO SITE www.superato.com.br. TÉCNICO EM INFORMÁTICA Estamos selecionando para CECRED - Cooperativa de Crédito de Blumenau. Cursando Sistemas da Informação ou Ciências

Leia mais

Analista de Negócio Pleno

Analista de Negócio Pleno Analista de Negócio Pleno Formação: Nível Superior na área de informática ou áreas afins. Desejável Pós Graduação em Gestão de Projetos, Tecnologia de Informação ou Negócios. Atividades: Realizar atividades

Leia mais

Powerlogic Agosto / 2011.

Powerlogic Agosto / 2011. Formação de Profissionais para Desenvolvimento Java EE/Web 2.0 Orientações para capacitação de mão de obra especializada para atividades de Especificação, Arquitetura e Implementação de Aplicações Java

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Contribuições do MDA para o desenvolvimento de software Anna Carla Mohr Verner Helder Eugenio dos Santos Puia Florianópolis,

Leia mais

Programação para Internet Orientada a Objetos com PHP & MySQL Visão Geral de Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL II

Programação para Internet Orientada a Objetos com PHP & MySQL Visão Geral de Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL II Programação para Internet Orientada a Objetos com PHP & MySQL Visão Geral de Programação Orientada a Objetos com PHP & MySQL II Prof. MSc. Hugo Souza Na última aula falamos um pouco da necessidade do surgimento

Leia mais

Como sobreviver com Java 2? Saulo Arruda

Como sobreviver com Java 2? Saulo Arruda Como sobreviver com Java 2? Saulo Arruda Agenda Apresentação Contexto do mercado Soluções para Java 5+ Soluções para Java 2 Conclusões Apresentação Saulo Arruda (http://sauloarruda.eti.br) Trabalha com

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional Introdução à Linguagem JAVA Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação Laboratório de Visão Computacional Vantagens do Java Independência de plataforma; Sintaxe semelhante às linguagens

Leia mais

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS

FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS FERRAMENTA WEB PARA MODELAGEM LÓGICA EM PROJETOS DE BANCOS DE DADOS RELACIONAIS PAULO ALBERTO BUGMANN ORIENTADOR: ALEXANDER ROBERTO VALDAMERI Roteiro Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI SECRETARIA DE EDUCAÇÃO ASSESSORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ANALISE DA PROPOSTA TÉCNICA DOS PARA EDITAL 0001/010 Profissional: Administrador de Sistemas Alcançada Classificação Habilidades e capacitação Num. De Certificados Pontos a) Descrição do cargo: Atuar como

Leia mais

TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS UTILIZADAS EM UMA ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB

TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS UTILIZADAS EM UMA ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB TECNOLOGIAS E FERRAMENTAS UTILIZADAS EM UMA ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB Ruan Alves Brandão 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil brandao15@gmail.com

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

MÓDULO Programação para Web 2

MÓDULO Programação para Web 2 MÓDULO Programação para Web 2 Sistemas Web na JEE OBJETIVO DO MÓDULO Arquitetura Web em aplicações JEE Conceitos iniciais Desenvolvimento Web Aplicações web tornam-se mais e mais importantes Mais e mais

Leia mais

Programação para Internet

Programação para Internet flavio@facom.ufu.br 1 Objetivos Fornecer uma visão geral do funcionamento de sistemas na Web e os protocolos envolvidos Introduzir o paradigma da programação para a Internet Conceituar as arquiteturas

Leia mais

J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition

J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition CURSO DE GRADUAÇÃO J2EE TM Java 2 Plataform, Enterprise Edition Antonio Benedito Coimbra Sampaio Junior abc@unama.br OBJETIVOS DO CURSO Capacitar os alunos no desenvolvimento de aplicações para a WEB com

Leia mais

Projeto Demoiselle. Para perguntas e respostas, utilizem a lista de discussões de usuários da comunidade: demoiselle-users@lists.sourceforge.

Projeto Demoiselle. Para perguntas e respostas, utilizem a lista de discussões de usuários da comunidade: demoiselle-users@lists.sourceforge. Projeto Demoiselle Para perguntas e respostas, utilizem a lista de discussões de usuários da comunidade: demoiselle-users@lists.sourceforge.net Palestrantes: Antônio Carlos Tiboni Luciana Campos Mota 20/07/2009

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

Apresentação da Empresa. CAPO Software. your team more agile

Apresentação da Empresa. CAPO Software. your team more agile Apresentação da Empresa CAPO Software QUEM SOMOS A CAPO SOFTWARE é provedora de serviços diversificados de TI com vasta experiência em desenvolvimento de sistemas e processo de configuração que compreende

Leia mais

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul

JSF e PrimeFaces. Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul JSF e PrimeFaces Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL 2015 Agenda Introdução Desenvolvimento Web Java Server Faces Exercício 2 Introdução Ao longo dos anos diversas linguagens de programação foram

Leia mais

Interessados favor enviar currículo para ti@holdenrh.com.br especificando no campo assunto o código da vaga.

Interessados favor enviar currículo para ti@holdenrh.com.br especificando no campo assunto o código da vaga. OPORTUNIDADES HOLDEN CONSULTORIA & RH Interessados favor enviar currículo para ti@holdenrh.com.br especificando no campo assunto o código da vaga. Se possível cadastrem-se também no site: WWW.holdenrh.com.br

Leia mais

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA O InterLIMS se apresenta

Leia mais

Demoiselle Framework. Palestrante: Flávio Gomes da Silva Lisboa JUN/2009

Demoiselle Framework. Palestrante: Flávio Gomes da Silva Lisboa JUN/2009 Demoiselle Framework Palestrante: Flávio Gomes da Silva Lisboa JUN/2009 Sumário Introdução Desenvolvimento de TI para Governo Elementos de Decisão Estratégia para a área de tecnologia Diretivas da Arquitetura

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente:

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente: ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Unidade IV DEFINIR A MELHOR SOLUÇÃO DE BANCO DE DADOS PARA AS NECESSIDADES DA EMPRESA.1 O uso das tecnologias.1.1 O software livre 1 A tecnologia de banco de dados, assim

Leia mais

Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério.

Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério. EDSON GONÇALVES Este livro é dedicado a minha esposa Edna e a todos os desenvolvedores que fizeram do software livre um meio profissional levado a sério. AGRADECIMENTOS Primeiramente gostaria de agradecer

Leia mais

Subáreas. Incubadoras tecnológicas, polos e parques tecnológicos. Formação. Experiência. Conhecimentos. Habilidades

Subáreas. Incubadoras tecnológicas, polos e parques tecnológicos. Formação. Experiência. Conhecimentos. Habilidades Subáreas Incubadoras tecnológicas, polos e parques tecnológicos Design Área: Inovação Perfil Profissional: Instrutor/Consultor Competências Implantação de incubadoras de empresas; Processo de seleção de

Leia mais

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44 Armazenando Dados em Aplicações Java Parte 2 de 3: Apresentando as opções Hua Lin Chang Costa, hualin@cos.ufrj.br, COPPE/UFRJ. Leonardo Gresta Paulino Murta, leomurta@ic.uff.br, IC/UFF. Vanessa Braganholo,

Leia mais

Oportunidades em SP. Experiência no mercado financeiro / instituições bancárias / produtos de tesouraria.

Oportunidades em SP. Experiência no mercado financeiro / instituições bancárias / produtos de tesouraria. Oportunidades em SP Analista Funcional Júnior CÓDIGO: Funcional Jr. Local: Itaim Bibi/SP Experiência no mercado financeiro / instituições bancárias / produtos de tesouraria. Experiência com documentação

Leia mais

Programação e Configuração de Aplicações JEE. Edilmar Alves

Programação e Configuração de Aplicações JEE. Edilmar Alves Programação e Configuração de Aplicações JEE Edilmar Alves Palestrante Sócio da InterSite Informática Professor Universitário Coordenador do JUGMS e membro do BrazilJUGs Fã de Linux, Java e outros softwares

Leia mais

Empresa tem 1,5 mil vagas de emprego em TI

Empresa tem 1,5 mil vagas de emprego em TI Empresa tem 1,5 mil vagas de emprego em TI Rogerio Jovaneli, de INFO Online Segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011-15h51 SÃO PAULO - A Cast, fornecedora de soluções e serviços em TI, revela dispor de 1,5

Leia mais

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Alexandro Deschamps (Ápice) alexandro@apicesoft.com Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo. Uma das grandes

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

JAVA ENTERPRISE EDITION: PERSISTÊNCIA DE BANCO DE DADOS

JAVA ENTERPRISE EDITION: PERSISTÊNCIA DE BANCO DE DADOS COLÉGIO ESTADUAL ULYSSES GUIMARÃES CURSO TÉCNICO PROFISSIONALIZANTE EM INFORMÁTICA ERINALDO SANCHES NASCIMENTO JAVA ENTERPRISE EDITION: PERSISTÊNCIA DE BANCO DE DADOS FOZ DO IGUAÇU 2013 SUMÁRIO 1. PERSISTÊNCIA

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

gerenciamento de portais e websites corporativos interface simples e amigável, ágil e funcional não dependendo mais de um profissional especializado

gerenciamento de portais e websites corporativos interface simples e amigável, ágil e funcional não dependendo mais de um profissional especializado O NetPublisher é um sistema de gerenciamento de portais e websites corporativos (intranets ou extranets), apropriado para pequenas, médias e grandes empresas. O conteúdo do website pode ser atualizado

Leia mais

Melhoria no Desenvolvimento Ágil com Implantação de Processo de Integração Contínua Multiplataforma para Java e.net. Hudson

Melhoria no Desenvolvimento Ágil com Implantação de Processo de Integração Contínua Multiplataforma para Java e.net. Hudson QUALIDADE Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software - SBQS Instituto Nokia de Tecnologia Unit Test Sucess Bug INdT Melhoria no Desenvolvimento Ágil com Implantação de Processo de Integração Contínua

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Relatório Apresentação Java Server Pages Adolfo Peixinho nº4067 Nuno Reis nº 3955 Índice O que é uma aplicação Web?... 3 Tecnologia Java EE... 4 Ciclo de Vida de uma Aplicação

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 01 e 02 Prof. Fernando Freitas Costa http://blog.fimes.edu.br/fernando nando@fimes.edu.br Conteúdo Programático Instalação e configuração básica do Eclipse Indigo e do

Leia mais

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado Web Services Autor: Rômulo Rosa Furtado Sumário O que é um Web Service. Qual a finalidade de um Web Service. Como funciona o serviço. Motivação para o uso. Como construir um. Referências. Seção: O que

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 6 EJB Enterprise Java

Leia mais

Apresentamos a divisão Portal Moveleiro Tecnologia, habilitada para o desenvolvimento de projetos alinhados a estratégias de e-business.

Apresentamos a divisão Portal Moveleiro Tecnologia, habilitada para o desenvolvimento de projetos alinhados a estratégias de e-business. SOLUÇÕES E-BUSINESS PERSONALIZADAS Apresentação Apresentamos a divisão Portal Moveleiro Tecnologia, habilitada para o desenvolvimento de projetos alinhados a estratégias de e-business. Atuando há 4 anos

Leia mais

Partner Network. www.scriptcase.com.br

Partner Network. www.scriptcase.com.br www.scriptcase.com.br A Rede de Parceiros ScriptCase é uma comunidade que fortalece os nossos representantes em âmbito nacional, possibilitando o acesso a recursos e competências necessários à efetivação

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Qualificar pessoas pra produzir resultados diferenciados

Qualificar pessoas pra produzir resultados diferenciados Qualificar pessoas pra produzir resultados diferenciados (61) 3024-0532 www.dissemine.com.br SCRN 702/703 bl. C Loja 50 - Asa Norte - Brasília - DF - CEP: 70.720-630 SOBRE A DISSEMINE TREINAMENTOS EM TI

Leia mais