Conferência da igualdade racial reúne cerca de 400 gestores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conferência da igualdade racial reúne cerca de 400 gestores"

Transcrição

1 V Agosto de Número 56 Conferência da igualdade racial reúne cerca de 400 gestores Peterson Moreira / Sedese Cerca de 400 gestores, de 73 municípios mineiros, participaram, no último dia 28, no Hotel Tauá, região metropolitana de Belo Horizonte, da abertura da III Conferência Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (III CEPPIR). Com o tema Democracia e desenvolvimento sem racismo: por um Brasil afirmativo, o encontro, que aconteceu de 28 a 30 de agosto, propiciou a participação ampla e democrática de diversos segmentos da sociedade mineira, para reafirmar e ampliar o compromisso governamental com políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade. Durante a solenidade de abertura, o secretário de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), deputado estadual Cássio Soares, destacou que o governo de Minas Gerais tem adotado práticas afirmativas, com ações de acesso aos direitos universais de combate ao racismo e à intolerância religiosa, entre outras iniciativas, para a proteção e promoção dos direitos humanos. Com a implantação da Política de Promoção da Igualdade Racial, em 2005, Minas Gerais ampliou a cidadania, a inclusão social, a promoção e a proteção aos direitos humanos das populações negras, indígenas, cigana, dentre outras. Quero aproveitar o momento para reafirmar o compromisso governamental com as políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade social no âmbito do Estado de Minas. Esses fatores são essenciais, para que possamos ter uma democracia plena, destacou Cássio. Beatriz Alves Ferreira, gestora do município de Uberaba, disse que a conferência é um importante espaço para propor o debate de novos temas ligados ao racismo, em especial a influência negra na sociedade brasileira. Essas conferências são fundamentais, para que possamos ter uma sociedade mais justa, igualitária e sem preconceitos em um país com tanta diversidade cultura e racial, como é o Brasil, avaliou. Durante os três dias, os participantes debateram sobre as políticas de igualdade racial no Estado, Municípios e no Brasil; os arranjos institucionais para assegurar a sustentabilidade das políticas de igualdade racial; a participação política e o controle social igualdade racial nos espaços de decisão e mecanismos de participação da sociedade civil no monitoramento nessas políticas, entre outras temáticas. As ações de políticas públicas que foram propostas pelos gestores municipais serão apresentadas na III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (III CONAPIR), marcada para o mês de novembro, em Brasília. A III Conferência Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial foi uma realização da Sedese/ Subsecretaria de Direitos Humanos, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas Pró-Igualdade Racial (Cepir), em parceria com o Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Conepir) e Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Cepir Criada em 2011, a Coordenadoria Especial de Políticas Pró-Igualdade Racial (Cepir) está vinculada à subsecretaria de Direitos Humanos da Sedese.

2 Conselho da Mulher completa 30 anos e quer ampliar serviços para as mulheres no Estado Ricardo Barbosa/ ALMG O Conselho Estadual da Mulher de Minas Gerais (CEM/MG), vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), que completou 30 anos de existência no sábado (24) em busca da igualdade de direitos e de oportunidades entre todas as pessoas, quer ampliar a criação dos Conselhos Municipais de Direitos da Mulher (CMDM) no interior do Estado, bem como do número de equipamentos e serviços destinados a esse segmento, como forma de garantir um melhor atendimento à mulher. Hoje, em Minas, existem 82 CMDMs, órgãos de fundamental importância para a efetivação de políticas públicas voltadas para as mulheres. Em solenidade na Assembleia Legislativa de Minas (ALMG), no última dia 26, quando se discutiu os avanços e desafios na formulação de políticas públicas, a tônica dos discursos foi a necessidade de ampliação do número de mulheres nos espaços de poder, como forma de garantir maior representatividade, além de um combate sistêmico à violência doméstica. Durante a solenidade, foram agraciadas a atual presidente do CEM, Neusa Melo, e as ex-presidentes daquele conselho nos últimos 30 anos. Em seu discurso, representando o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado Cássio Soares, a subsecretária de Direitos Humanos e expresidente do CEM, professora Carmen Rocha, destacou o pioneirismo do conselho na construção da cidadania, pautada pelo respeito à diversidade e igualdade de direitos. Ela destacou os avanços no sentido de se adequar diplomas legais como normas trabalhistas, criminais e civis, e ressaltou que, em Minas, há avanços significativos a comemorar. Segundo Carmen Rocha, a Lei Maria da Penha chega hoje a todas as escolas de Minas de forma lúdica e planejada, por meio da cartilha Maria da Penha vai às Escolas, lançada pela Sedese em parceria com as secretarias de Educação e de Ciência e Tecnologia. Nossa crença é de que valores como o diálogo, tolerância e solidariedade passam necessariamente pela educação não sexista, de maneira transversal e com foco na construção de uma cultura de paz e de desconstrução da violência como fenômeno natural, afirmou. Carmen Rocha ainda lembrou que as mineiras têm assistência integral, do início da gravidez até o primeiro ano de vida dos bebês; que os hospitais, também em parceria com a Sedese, já começaram a emitir as certidões de nascimento, antes mesmo do recém-nascido deixar o hospital, como forma de garantir a cidadania; o reaparelhamento das delegacias especializadas de atendimento às mulheres; o excelente serviço do Disque Direitos Humanos no combate à violência contra as mulheres, bem como os programas de restauração de direitos humanos, que foram incrementados com a implantação da Casa de Direitos Humanos em Belo Horizonte, com destaque para o Centro Integrado de Atendimento à Mulher (CIM) e para o trabalho do Centro Risoleta Neves de Atendimento à Mulher (Cerna). A presidente do CEM, Neusa Melo, destacou o pioneirismo de Minas no país, com a implantação do Conselho da Mulher no Estado, antes mesmo da inauguração da unidade similar de São Paulo. Precisamos ter efetivação das políticas públicas para as mulheres, mas reconhecemos que já ocorreram avanços na questão do combate à violência em relação à saúde, mas é preciso ampliarmos os serviços e equipamentos de atendimento à mulher, principalmente no interior, ressaltou, lembrando que a Lei Maria da Penha foi um dos grandes avanços conquistados pelas mulheres. É claro que precisam de alguns ajustes, que já estão sendo inclusive alvo de projetos propostos pela Comissão Mista Parlamentar de Inquérito (CPMI) da Violência contra a Mulher, que busca ampliar os direitos das mulheres e fortalecer a legislação. A deputada federal Jô Moraes, que participou da primeira diretoria do Conselho Estadual da Mulher, lembrou que é preciso, em primeiro lugar, ampliar os espaços políticos e de poder da mulher. A solenidade contou com a presença de diversas autoridades, deputada estadual Luzia Ferreira e de representantes de movimentos feministas de Nova Lima, Vespasiano, Araxá, Santa Luzia e Belo Vale. Composição paritária Criado pelo Decreto nº , de 24 de agosto de 1983, o Conselho Estadual da Mulher de Minas Gerais tem composição paritária, com 20 conselheiras, sendo dez da sociedade civil e dez do poder público estadual. A presidência do órgão se alterna a cada quatro anos, com a representação de cada segmento. A primeira presidente do órgão foi Júnia Marise, que passou por todos os degraus da política, de vereadora a senadora por Minas.

3 Governo quer garantir a emissão de certidões de nascimento em 35 unidades hospitalares Com apenas 11 dias de vida, Gabriel conquistou o direito à cidadania ao receber a sua certidão de nascimento. A facilidade para o registro civil só foi possível com a inauguração oficial, no último dia 20, em Belo Horizonte, no Hospital Sofia Feldman, da primeira unidade interligada para a emissão do documento. Em breve, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) inaugura o espaço na Famuc Maternidade Municipal de Contagem, também já em fase de teste. Desde o dia 22 de julho até o último dia 19, as duas unidades já emitiram 286 certidões de nascimento. A emissão da certidão no próprio hospital é muito importante para as mães e facilita até mesmo para a consulta dos bebês, disse a estudante Aparecida da Silva, de 24 anos, mãe dos gêmeos Gabriel e Miguel, este último ainda internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Sofia Feldman. Ela aproveitou a visita do pai dos bebês, o marceneiro José Antriz Januário, de 22 anos, para registrar os filhos. O projeto para erradicação do sub-registro civil em Minas é realizado pela Sedese, em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Corregedoria Geral de Justiça de Minas Gerais, cartórios e o Sindicato dos Oficiais do Registro Civil das Pessoas Naturais (Recivil). A meta da Sedese é levar essa iniciativa, até junho de 2014, a mais 33 unidades hospitalares em Belo Horizonte, região metropolitana e no Semiárido mineiro, disse o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado Cássio Soares, durante a inauguração da unidade, ao afirmar que o governo estadual está cumprindo um dever com o cidadão. Em parceria com o Tribunal de Justiça, com a Recivil e as unidades hospitalares, estamos trabalhando para garantir o registro civil antes mesmo que o recém-nascido deixe o hospital, disse, lembrando que a intenção da Sedese é tornar cada vez menor o índice de sub-registro civil em Minas. De acordo com dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mineiros, com até 10 anos de idade, não possuíam o registro civil naquele ano. E a certidão de nascimento é a única maneira de garantir às pessoas o reconhecimento formal enquanto titulares de direitos, permitindo o pleno exercício da cidadania. Para isso, segundo Cássio Soares, a Sedese também vai realizar 88 mutirões em diversas comunidades tradicionais, como quilombolas, indígenas e ciganas, principalmente em municípios com alto índice de sub-registro civil de nascimento. Após o descerramento da placa de inauguração da unidade interligada do Sofia Feldman, que realiza cerca de 900 partos por mês, o diretor da Recivil, Nilo Nogueira, disse que a iniciativa é um marco histórico para Minas. Segundo ele, hoje existem cartórios no Estado e a intenção é aproveitar a inovação tecnológica e os avanços da internet, para facilitar a vida do cidadão. Hoje, já termos cerca de mil cartórios informatizados. Esperamos que, de seis meses a um ano, seja possível interligar todos os cartórios no Estado, disse. O corregedor-geral de Justiça, desembargador Luiz Audebert Delage, afirmou que a intenção é levar o projeto às grandes cidades do Estado. A partir de agora, haverá uma interligação entre a maternidade e a cidade de origem da família dos pais do recémnascido, que podem optar por fazer o registro na unidade interligada ou na cidade de origem, explicou, ressaltando a importância da iniciativa. O presidente do Tribunal de Justiça, Joaquim Herculano, salientou que é a partir do nome que o cidadão se torna referência para o mundo e garante o exercício dos seus direitos. Segundo ele, o investimento veio para cortar o mal pela raiz e garantir o registro civil aos recém-nascidos mineiros. Esta solução só está sendo adotada porque existem pessoas sérias que aderiram à causa. O cidadão precisa contar a sua história e ser reconhecido, afirmou. Na maternidade Sofia Feldman não nascem mais crianças, nascem cidadãos, disse o advogado Obregon Gonçalves, membro do Conselho Curador da Fundação de Assistência Integral à Saúde - Hospital Sofia Feldman. E X P E D I E N T E Orgão oficial da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social ASSCOM - Assessoria de Comunicação - (31)

4 Estudantes do Haiti conhecem ações da Sedese Seis estudantes do Haiti conheceram, no último dia 22, os programas sociais da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), para que possam implantá-los na reconstrução do seu país. Durante o encontro, que aconteceu na Cidade Administrativa de Minas Gerais, técnicos da Sedese mostraram o funcionamento e a importância de vários programas, como o Travessia, Poupança Jovem, Proteja Nossas Crianças, Maria da Penha vai às Escolas, Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas (PROVITA), entre outros. Para o haitiano Evens Batiste, que está cursando o décimo período de Engenharia de Produção no Instituto Metodista Isabela Hendrix, em Belo Horizonte, a iniciativa do governo mineiro terá fundamental importância para a sua formação acadêmica e para a população haitiana. Estamos conhecendo as ações do governo de Minas na área social, da saúde, esportes, entre outras, para que possamos utilizá-las como modelo na reconstrução do nosso país, que foi destruído após o terremoto de janeiro de Fernanda Toussaint/ Sedese A subsecretária de Projetos Especiais de Promoção Social da Sedese, Roberta Albanita, destacou a importância da iniciativa. O workshop possibilitou a troca de experiência para que os alunos possam ampliar sua qualificação, sobretudo na área de políticas públicas, com o intuito de criar gestores para a reconstrução do Haiti, explicou. O workshop foi uma iniciativa do governo de Minas Gerais, em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte e o Centro Universitário Izabela Hendrix. Mutirão leva mais cidadania à Chapada Gaúcha Moradores e comunidades tradicionais quilombolas da região de Chapada Gaúcha, no norte de Minas Gerais, participaram, do dia 18 a 25 de agosto, do mutirão de acesso a documentos básicos, como certidão de nascimento, casamento, carteira de identidade, trabalho, dentre outros serviços, como aferição de pressão arterial e glicose. Cerca de 800 pessoas foram beneficiadas com a ação, que aconteceu no Galpão Comunitário Av. São Francisco s/nº, Serra das Arraras, Chapada Gaúcha. De acordo com o coordenador especial de Políticas Pró-Igualdade Racial (Cepir), da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), Clever Machado, muitas comunidades tradicionais não possuem documentos civis devido à falta de informação e a distância de onde estão situadas, em relação à região central da cidade. Por uma questão cultural das comunidades quilombolas, ciganas e indígenas, muitas só se preocupam com a documentação quando precisam acessar algum tipo de serviço em que há essa exigência, explicou. A ação foi uma realização do governo de Minas Gerais, por meio da Sedese/ subsecretaria de Direitos Humanos, em parceria com o governo federal e prefeitura de Chapada Gaúcha.

5 Denúncias contra violação de direitos dos idosos crescem 34,4% em Minas O número de denúncias contra violação dos direitos dos idosos saltou de 645, nos sete primeiros meses do ano passado, para 867 em igual período deste ano, uma alta de 34,4%, segundo levantamento do Disque Direitos Humanos (DDH), órgão para recebimento de denúncias e orientações da Subsecretaria de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). Um dado que salta aos olhos foi o crescimento de 215% no abandono material, que passou de 13 registros, de janeiro a julho do ano passado, para 41 no mesmo período de Este item inclui o não fornecimento de material de higiene pessoal, de vestuário e até de alimentos, por pessoas que convivem com o idoso. Os idosos também têm sido mais vítimas de lesão financeira. Neste item, o número de denúncias subiu de 55 para 142, uma alta de 158%. Os maus-tratos familiares passaram de 410, nos sete primeiros meses do ano passado, para 531 em igual período deste ano, o que representa uma expansão de 29,5%. Na mesma comparação, os maus-tratos de terceiros saltaram de 38 para 41. Segundo o levantamento do DDH, os casos de abandono registraram um decréscimo de 38% neste ano, passando de 117 (2012) para 72. Segundo o coordenador do DDH, Jorge Noronha, essa expansão no número de denúncias se deve, principalmente, às campanhas voltadas para esse segmento, implementadas pelo governo estadual neste ano. A última delas, a de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa, lançada em junho deste ano, tem como foco a violência intrafamiliar em todo o Estado. Com a parceria da Assembleia Legislativa de Minas (ALMG), Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e Serviço Social do Comércio (Sesc), a campanha abrange todo o Estado e faz parte de uma iniciativa permanente do governo estadual, a campanha Rompendo o Silêncio. O secretário de Estado de Desenvolvimento Social, deputado Cássio Soares, destacou que é fundamental a colaboração da sociedade para reduzir os casos de violência contra a pessoa idosa no Estado. Segundo ele, apesar da expansão do número de denúncias, ainda é grande os casos de subnotificação em Minas. Isso ocorre porque a maior parte da violência está dentro da própria família e muitos idosos preferem se calar, com o receito de romper o laço afetivo com outros membros da família, afirmou. O Disque Direitos Humanos recebe as denúncias pelo número As pessoas podem ligar de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h. Minas intensifica ações para implementar Plano Estadual de Direitos Humanos Diversos setores ligados à área de gireitos humanos de órgãos públicos e da sociedade civil se reuniram na Escola do Legislativo, em Belo Horizonte, no dia 9 de agosto, para debater as ações que serão implementadas no Plano Mineiro de Direitos Humanos (PMDH). O plano pretende formular políticas públicas de direitos humanos para consolidar e fortalecer o Estado Democrático de Direito. Cerca de 100 pessoas, entre acadêmicos, representantes de conselhos de classe e autoridades governamentais, participaram do encontro. Durante a reunião, a subsecretária de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Subdh/ Sedese), Carmen Rocha, ressaltou a importância desse debate entre os diversos entes para a construção do plano. É fundamental que todas as pessoas contribuam na concepção desse material, uma vez que ele irá fortalecer a promoção, proteção e restauração de direitos humanos, no sentido de assegurar a todos a igualdade de direitos e de oportunidades, pontuou. Uma iniciativa da Subdh, por meio do Escritório de Direitos Humanos (EDH), a versão preliminar do plano ficará disponível para consulta no site da Sedese até o dia 30 de setembro, para que os profissionais possam contribuir com sugestões sobre a temática. A princípio, o material está dividido em cinco eixos: Promoção da Cultura de Direitos Humanos; Promoção da Interação Democrática entre Estado e Sociedade Civil e Prospecção de Direitos Humanos; Defesa Social, Acesso à Justiça e Restauração de Direitos Humanos; Desenvolvimento Sustentável e Garantia dos Direitos Sociais, Econômicos e Ambientais e Universalização dos Direitos. Com esse olhar e ações norteadas por diretrizes estratégicas do Estado em Rede, o governo estadual tem pautado suas ações pelo elevado sentido da justiça social, enquanto direito humano inalienável, atento a responder efetivamente às crescentes e emergentes demandas no campo social.

6 787 municípios participam de conferências regionais de assistência social Assistência Social, que será realizada de 16 a 19 de dezembro, em Brasília. Os 787 municípios mineiros considerados de pequeno porte no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (Suas) - até 50 mil habitantes - participam, até o dia 26 de setembro, de 15 pré-conferências regionais de assistência social na área de abrangência das 20 Diretorias Regionais da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). Das pré-conferencias sairão os delegados que estarão na X Conferência Estadual de Assistência Social, que acontece no período de 16 a 18 de outubro, no Hotel Tauá, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Os delegados dos municípios de médio porte ( a 100 mil habitantes), grande porte ( a 900 mil) e metrópole (mais de 900 mil) já escolheram os seus delegados nas conferências municipais de assistência social, que aconteceram até o dia 9 de agosto. Ao todo, cerca de mil delegados participam da X Conferência Estadual, de onde também sairão os representantes para a IX Conferência Nacional de Temática O tema definido pelo Conselho Estadual de Assistência Social (Ceas) para as pré-conferências regionais deste ano é a Gestão e o Financiamento na Efetivação do Suas. De acordo com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), deputado estadual Cássio Soares, a temática é de fundamental importância para o aperfeiçoamento do Sistema. As conferências são importantes, para que as comunidades contribuam com sugestões e críticas para a eficiência do Suas, destacou Cássio Soares, que participou de uma série de conferências municipais de assistência social em Minas Gerais neste ano. Ainda segundo Cássio, a assistência social tem como diretriz a descentralização político-administrativa para os três entes federados (União, estados e municípios). A participação da população, por meio de organizações representativas, é a primazia da responsabilidade dos governos federal, estadual e municipal na condução dessa política, pontuou. Em Minas Gerais, o Ceas é o responsável pela realização da X Conferência Estadual de Assistência Social, em parceria com a Sedese, por meio da Subsecretaria de Assistência Social. Cedca discute a redução da maioridade penal A redução da maioridade penal foi tema da Sessão Plenária Ampliada do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), órgão da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), no último dia 22. A reunião, que aconteceu no auditório da Associação Mineira do Ministério Público (AMMP), contou com a presença da subsecretaria de Direitos Humanos da Sedese e presidente do Cedca/MG, Carmen Rocha, do advogado especialista em Direito Penal, José Xavier, da psicanalista Cristiane Barreto, entre outros profissionais ligados a área, para debater sobre o assunto. Durante a abertura, Carmen Rocha defendeu a importância de se ampliar a discussão sobre os prós e contras da possibilidade de redução da maioridade penal no país. Está em jogo o destino de muitos adolescentes, e várias questões merecem a atenção de toda a sociedade, pois a redução da violência passaria necessariamente pela redução da maioridade penal?, questionou, lembrando que é necessário a sociedade participar do debate. José Xavier avaliou que o tema redução da maioridade penal precisa ser mais discutido e não pode ser oportunizado em cima de fatos marcantes que chamaram a atenção da sociedade, como a morte do menino João Hélio, no Rio, e o caso do menino Champinha, que comandou o sequestro e morte de um casal de jovens em São Paulo. O Direito Penal tem uma posição acessória. Ele só é chamado quando todas as ferramentas institucionais, sociais, já foram utilizadas. É muito para o Direito Penal ter que assumir esse ônus, frisou. Há cerca de dois meses, o Cedca/MG, órgão colegiado constituído pela sociedade civil e governo, soltou manifesto repudiando a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 83, de 2011, que amplia o entendimento de várias outras que tramitam no Congresso e propõe a redução da maioridade penal para 16 anos. O documento diz que o objetivo dessa PEC - e de outras com o mesmo teor - é o de revogar Cláusula Pétrea da Constituição Cidadã de 1988 e o Estatuto da Criança e do Adolescente, grande conquista dos brasileiros.

7 Minas quer aperfeiçoar e fortalecer a Rede de Proteção à Criança e AO Adolescente em Grandes Eventos O governo de Minas intensificou as ações para melhorar e aperfeiçoar o trabalho desenvolvido pela Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente durante os jogos da Copa das Confederações, realizados no Brasil em junho deste ano. Representantes dos estados que sediaram os eventos esportivos, bem como da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente e de várias entidades que buscam a proteção integral desse segmento, trocaram experiências em reunião no último dia 6, na Cidade Administrativa, para garantir o aprimoramento das ações durante a Copa do Mundo de A Rede foi criada pelo governo estadual, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), em parceria com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, operadores de Justiça e de Conselhos Tutelares e de Direitos, para prevenir violações da integridade física e psíquica de crianças e adolescentes, brasileiras e estrangeiras, durante os jogos da Copa das Confederações. Em Belo Horizonte, durante os eventos esportivos da Copa das Confederações, foram mantidos plantões do Juizado da Infância, da Defensoria Pública e dos Conselhos Tutelares, coordenados pelo Comitê Local de Proteção Integral de Crianças e Adolescentes. Nos demais municípios da RMBH, permaneceram os plantões dos Conselhos Tutelares. Ao todo, durante os 15 dias do evento, receberam atendimento 201 crianças e adolescentes, incluindo nesse montante a demanda diária normal desses órgãos e do Espaço Temporário de Convivência, criado em Belo Horizonte para a competição. Durante o 4º Encontro da Agência de Convergência e dos Comitês Locais para a Proteção Integral dos Direitos da Criança e do Adolescente, realizado no Plenarinho do 9º andar do Prédio Minas da Cidade Administrativa, o secretário adjunto de Desenvolvimento Social, Juliano Fisicaro, destacou o êxito do trabalho desenvolvido pela Rede para a Copa das Confederações e considerou que ele deve servir como um legado para a Copa de Esperamos que tanto os problemas quanto os pontos positivos sejam levantados nessa reunião, para que possamos aperfeiçoar para o ano que vem as experiências dos outros estados e tenhamos um evento muito melhor. Acho que o legado desses grandes eventos será a manutenção da Rede de Proteção no pós-copas, enfatizou, defendendo a criação de uma rede permanente de proteção integral às crianças e aos adolescentes, com a inclusão de outros estados e coordenação do governo federal. A secretária Angélica Goulart, da Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente do governo federal, destacou a importância do encontro em BH, onde foram abordadas todas as ações durante a Copa das Confederações, bem como as preocupações, competências e os investimentos para uma ação única de proteção integral às crianças e adolescentes. Apesar dos movimentos de rua, que marcaram os jogos e surpreenderam o Brasil, Angélica considerou positivo o resultado das ações. Foi uma experiência dos estados que sediaram a Copa das Confederações que pode ser melhorada para a Copa do Mundo. A ideia é que essa metodologia avance, destacou. A secretária Municipal de Promoção Social de Belo Horizonte, Gláucia Brandão, considerou a experiência inovadora, construída de forma colegiada, não só em Minas, mas com outros estados que participaram da Copa das Confederações. Acho que foi um aprendizado. Estamos nos preparando para a Copa do Mundo, que é um evento muito maior. Então, realmente é um plano piloto, para aperfeiçoarmos nesse tempo que ainda temos até a Copa do Mundo no ano que vem, disse, enfatizando que as ações devem ser aperfeiçoadas, para se tornarem um legado para os estados. A reunião em Belo Horizonte também contou com representantes dos Comitês Locais de Proteção Integral de Crianças e Adolescentes de Pernambuco, Distrito Federal, Minas Gerais, da Fifa e do Unicef.

INFORMATIVO SEDESE AMPLIA ATUAÇÃO COM NOVA ESTRUTURA

INFORMATIVO SEDESE AMPLIA ATUAÇÃO COM NOVA ESTRUTURA INFORMATIVO SECRETARIA DE ESTADO DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Janeiro de 2014 Número 61 SEDESE AMPLIA ATUAÇÃO COM NOVA ESTRUTURA Com a Reforma Administrativa feita pelo Governo de Minas na virada

Leia mais

SEDESE INAUGURA EM OUTUBRO A PRIMEIRA CENTRAL DE LIBRAS DO ESTADO

SEDESE INAUGURA EM OUTUBRO A PRIMEIRA CENTRAL DE LIBRAS DO ESTADO V Setembro de 2013 - Número 57 SEDESE INAUGURA EM OUTUBRO A PRIMEIRA CENTRAL DE LIBRAS DO ESTADO Peterson Moreira / Sedese A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) inaugura, no próximo

Leia mais

Serviços públicos destinados à pessoa idosa em Minas Gerais

Serviços públicos destinados à pessoa idosa em Minas Gerais Serviços públicos destinados à pessoa idosa em Minas Gerais Serviços instituídos pelo poder público, organizados de acordo com a parte do Estatuto do Idoso à qual estão relacionados. Serviços relacionados

Leia mais

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento;

Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres. 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Roteiro de Diretrizes para Pré-Conferências Regionais de Políticas para as Mulheres 1. Autonomia econômica, Trabalho e Desenvolvimento; Objetivo geral Promover a igualdade no mundo do trabalho e a autonomia

Leia mais

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL

PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL PROPOSTAS PARA O ESTADO BRASILEIRO - NÍVEIS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL MEDIDAS CONCRETAS PARA O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DOMÉSTICO/FAMILIAR A presente Matriz insere-se no

Leia mais

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos

Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração incentivando envolvimento da sociedade civil em fóruns e conselhos / / Fique ligado Notícias / Especiais Promenino Fundação Telefônica 10/12/2012 Os desafios da fiscalização do trabalho infantil Governo planeja ações com base em dados e tenta aprimorar combate à exploração

Leia mais

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal.

e construção do conhecimento em educação popular e o processo de participação em ações coletivas, tendo a cidadania como objetivo principal. Educação Não-Formal Todos os cidadãos estão em permanente processo de reflexão e aprendizado. Este ocorre durante toda a vida, pois a aquisição de conhecimento não acontece somente nas escolas e universidades,

Leia mais

Pacto Gaúcho pelo Fim do Racismo Institucional

Pacto Gaúcho pelo Fim do Racismo Institucional Pacto Gaúcho pelo Fim do Racismo Institucional Aos 21 de março de 2014, dia em que o mundo comemora o Dia Internacional contra a Discriminação Racial instituído pela ONU em 1966, adotamos o presente Pacto

Leia mais

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CARTA DO COMITÊ BRASILEIRO DE DEFENSORAS/ES DOS DIREITOS HUMANOS À MINISTRA DA SECRETARIA DOS DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Brasília,12 de Dezembro de 2012. O Comitê Brasileiro de Defensoras/es

Leia mais

ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE ALAGOAS

ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE ALAGOAS ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS DE ALAGOAS ENSINO BÁSICO Nomes das instituições representadas: SEE/AL, SEMED-Maceió, SEMED-Barra de Santo Antônio- Campestre e Novo Lino, Associação Clube

Leia mais

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014

DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS DELIBERAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA N 01/2014 A Diretoria Executiva do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente

Leia mais

VIII CONFERENCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE UBERABA

VIII CONFERENCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE UBERABA VIII CONFERENCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE UBERABA 27 DE MARÇO DE 2015 CENTRO ADMINISTRATIVO DA PREFEITURA MUNICIPAL DE UBERABA TEMA: POLÍTICA E O PLANO DECENAL DE DIREITOS

Leia mais

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza

FOME ZERO. O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza FOME ZERO O papel do Brasil na luta global contra a fome e a pobreza Seminário Internacional sobre Seguro de Emergência e Seguro Agrícola Porto Alegre, RS -- Brasil 29 de junho a 2 de julho de 2005 Alguns

Leia mais

Segunda Conferencia Regional para América Latina y el Caribe sobre el Derecho a la Identidad y Registro Universal de Nacimiento

Segunda Conferencia Regional para América Latina y el Caribe sobre el Derecho a la Identidad y Registro Universal de Nacimiento Segunda Conferencia Regional para América Latina y el Caribe sobre el Derecho a la Identidad y Registro Universal de Nacimiento da Presidência da República Brasil - Mercosul Sistema brasileiro de registro

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO

ANEXO IV PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL. Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO PROPOSTAS APROVADAS NA CONFERÊNCIA ESTADUAL ANEXO IV Eixo MOBILIZAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO MONITORAMENTO 1-Promoção dos Direitos de Crianças e Adolescentes Buscar apoio das esferas de governo (Federal e Estadual)

Leia mais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais

Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Carta Aberta aos candidatos e candidatas às prefeituras e Câmaras Municipais Estatuto da Criança e do Adolescente: 18 anos, 18 Compromissos A criança e o adolescente no centro da gestão municipal O Estatuto

Leia mais

PASSOS RECEBE RECURSOS PARA AS ÁREAS DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E SAÚDE

PASSOS RECEBE RECURSOS PARA AS ÁREAS DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E SAÚDE Novembro de 2013 - Número 59 PASSOS RECEBE RECURSOS PARA AS ÁREAS DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E SAÚDE Nádia Bícego Em visita a Passos, no Sul de Minas, na sexta-feira (29), o governador Antonio Anastasia

Leia mais

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015

PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios. Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 PLANO DE EDUCAÇÃO DA CIDADE DE SÃO PAULO: processo, participação e desafios Seminário dos/as Trabalhadores/as da Educação Sindsep 24/09/2015 Ação Educativa Organização não governamental fundada por um

Leia mais

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 5 GESTÃO DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da política e do Plano Decenal

Leia mais

III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL.

III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL. III CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL. DOCUMENTO BASE: 1 - A comissão organizadora propõe aos delegados das pré conferências a aprovação das seguintes propostas de políticas e ações

Leia mais

Escola de Políticas Públicas

Escola de Políticas Públicas Escola de Políticas Públicas Política pública na prática A construção de políticas públicas tem desafios em todas as suas etapas. Para resolver essas situações do dia a dia, é necessário ter conhecimentos

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GOVERNO POR UM CEARÁ MELHOR PRA TODOS A COLIGAÇÃO POR UM CEARA MELHOR PRA TODOS, com o objetivo de atender à Legislação Eleitoral e de expressar os compromissos

Leia mais

Briefing para Produção de Material - Assessoria de Comunicação SEDESE - ASSCOM

Briefing para Produção de Material - Assessoria de Comunicação SEDESE - ASSCOM SECRETARIA DE TRABALHO E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Subsecretaria de Assistência Social Diretoria de Proteção Especial Briefing para Produção de Material - Assessoria de Comunicação SEDESE - ASSCOM 1. Descrição:

Leia mais

3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA

3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA 3801 - SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS E SEGURANÇA CIDADÃ - ADMINISTRAÇÃO DIRETA Legislação: Lei nº 17.108, de 27 de julho de 2005. DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE TRABALHO PROGRAMAS ESPECÍFICOS VOLTADOS PARA

Leia mais

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República

Participação Social como Método de Governo. Secretaria-Geral da Presidência da República Participação Social como Método de Governo Secretaria-Geral da Presidência da República ... é importante lembrar que o destino de um país não se resume à ação de seu governo. Ele é o resultado do trabalho

Leia mais

LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015

LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015 LEI N.º 7.390, DE 6 DE MAIO DE 2015 Institui o Sistema Municipal de Assistência Social do Município de Santo Antônio da Patrulha e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL de Santo Antônio da Patrulha,

Leia mais

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Programa Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Mostrando que a proteção de nossas crianças e adolescentes também está em fase de crescimento Subsecretaria de Promoção

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE

PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE PLANO MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO A VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE APRESENTAÇÃO: A violência sexual contra a criança e o adolescente tem sido um problema de difícil enfrentamento por

Leia mais

Carta Unir para Cuidar Apresentação

Carta Unir para Cuidar Apresentação Carta Unir para Cuidar Apresentação Durante o 17º Encontro Nacional de Apoio à Adoção (ENAPA), na capital federal, de 07 a 09 de junho de 2012, as entidades participantes assumem, com esta carta de compromisso,

Leia mais

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília

FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS. Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília FÓRUM MUNDIAL DE DIREITOS HUMANOS Data: 10 a 13 de Dezembro de 2013 Local: Brasília Nome do Evento: Fórum Mundial de Direitos Humanos Tema central: Diálogo e Respeito às Diferenças Objetivo: Promover um

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

PROGRAMA. Brasil, Gênero e Raça. Orientações Gerais

PROGRAMA. Brasil, Gênero e Raça. Orientações Gerais PROGRAMA Brasil, Gênero e Raça Orientações Gerais Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Trabalho e Emprego Luiz Marinho Secretário-Executivo Marco Antonio de Oliveira Secretário

Leia mais

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS

8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS 8ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE MINAS GERAIS DOCUMENTO FINAL EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Ações de mobilização: 1. Ampla mobilização, por

Leia mais

PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS REALIZA AÇÃO PREVENTIVA EM DESFILE DE BLOCO EM BH

PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS REALIZA AÇÃO PREVENTIVA EM DESFILE DE BLOCO EM BH INFORMATIVO Fevereiro de 2014 Número 62 PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS REALIZA AÇÃO PREVENTIVA EM DESFILE DE BLOCO EM BH A Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) participou, no último

Leia mais

A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES AS AÇÕES SÃO DESENVOLVIDAS POR QUATRO ÁREAS ESTRATÉGICAS:

A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES AS AÇÕES SÃO DESENVOLVIDAS POR QUATRO ÁREAS ESTRATÉGICAS: O QUE É QUE FAZ A SECRETARIA MUNICIPAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES A Prefeitura de São Paulo, em maio de 2013, seguindo a política implementada nacionalmente e atendendo uma reivindicação histórica do movimento

Leia mais

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a).

Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). 1 Ofício nº 01/2015 - CDS - OAB/BLUMENAU Aos(as) Excelentíssimos(as) Vereadores(as) de Blumenau. Blumenau, 24 de junho de 2015. Ilustríssimo(a) Senhor(a) Vereador(a). Conforme se denota do sítio eletrônico,

Leia mais

Agendas Transversais

Agendas Transversais Reunião do Conselho Nacional de Direitos da Mulher - CNDM Agendas Transversais Maria do Rosário Cardoso Andrea Ricciardi 02/10/2013 Ministério do Planejamento 1 AGENDAS TRANSVERSAIS Igualdade Racial, Comunidades

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Tabela 1 Total da população 2010 Total de homens Total de mulheres Homens % Mulheres % Distrito Federal 2.562.963 1.225.237 1.337.

Tabela 1 Total da população 2010 Total de homens Total de mulheres Homens % Mulheres % Distrito Federal 2.562.963 1.225.237 1.337. PROGRAMA TÉMATICO: 6229 EMANCIPAÇÃO DAS MULHERES OBJETIVO GERAL: Ampliar o acesso das mulheres aos seus direitos por meio do desenvolvimento de ações multissetoriais que visem contribuir para uma mudança

Leia mais

PNDH - 3 DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE

PNDH - 3 DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE CURSO NEON PNDH - 3 DECRETO Nº 7.037, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2009. Profª Andréa Azevêdo Disciplina: DIREITOS HUMANOS E PARTICIPAÇÃO SOCIAL ANDRÉA AZEVÊDO Professora. e-mail: professoraandreaazevedo@yahoo.com.br

Leia mais

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte

Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Política Municipal para a População em Situação de Rua em Belo Horizonte Elizabeth Leitão Secretária Municipal Adjunta de Assistência Social Prefeitura Municipal de Belo Horizonte Março de 2012 Conceito

Leia mais

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil

Carta-Compromisso pela. Garantia do Direito à Educação de Qualidade. Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil 1 Carta-Compromisso pela Garantia do Direito à Educação de Qualidade Uma convocação aos futuros governantes e parlamentares do Brasil Para consagrar o Estado Democrático de Direito, implantado pela Constituição

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SE-001/2011

TERMO DE REFERÊNCIA SE-001/2011 TERMO DE REFERÊNCIA SE-001/2011 Objeto da contratação Consultor sênior Título do Projeto Projeto BRA 07/010 Designação funcional Duração do contrato Consultoria por produto 04 meses Data limite para envio

Leia mais

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO

PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO ÓRGÃO RESPONSÁVEL: Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulher NOME: PROGRAMA Nº- 105 CASA DA MULHER/CENTRO ESPECIALIZADO DE ATENDIMENTO A MULHER CASA ABRIGO Código Descrição FUNÇÃO: 14 Direitos

Leia mais

IX Conferência Nacional de Assistência Social. Orientações para a realização das Conferências Municipais de Assistência Social

IX Conferência Nacional de Assistência Social. Orientações para a realização das Conferências Municipais de Assistência Social IX Conferência Nacional de Assistência Social Orientações para a realização das Conferências Municipais de Assistência Social Programação da conferência poderá incluir: 1. Momento de Abertura, que contará

Leia mais

MATO GROSSO: MUITO ALÉM DO DEVER FUNCIONAL

MATO GROSSO: MUITO ALÉM DO DEVER FUNCIONAL MATO GROSSO: MUITO ALÉM DO DEVER FUNCIONAL Cuiabá-MT teve a primeira Promotoria de Justiça a aplicar a Lei Maria da Penha no Brasil, iniciando seus trabalhos no dia 22/09/2006, dia em que a Lei Maria da

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis

Políticas Setoriais Secretarias Municipais: Saúde, Assistência Social, Educação, Direitos Humanos(quando houver). Participações Desejáveis PARÂMETROS PARA A CONSTITUIÇÃO DAS COMISSÕES INTERSETORIAIS DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO NACIONAL DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E DEFESA DO DIREITO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À CONVIVÊNCIA FAMILIAR E COMUNITÁRIA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 65 Discurso na solenidade do Dia

Leia mais

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR

Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE. Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR 1 Anexo PROPOSTA DOCUMENTO BASE Versão Consulta Pública SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL - SINAPIR A Definição e organização do sistema: 1 O Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial

Leia mais

PROJETO BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA

PROJETO BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA 1 Ordem dos Advogados do Brasil Seção Minas Gerais Comissão OABCidadã PROJETO BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA Em Minas Gerais, a Secional da Ordem dos Advogados do Brasil, através da Comissão OAB/Cidadã, já

Leia mais

OBJETO DA CONTRATAÇÃO

OBJETO DA CONTRATAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA Título do Projeto Designação funcional Tipo de contrato Duração do contrato Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia (F079) Consultora SSA 5 meses Data

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015

DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 55.867, DE 23 DE JANEIRO DE 2015 Confere nova regulamentação ao Conselho Municipal de Segurança

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI. Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome PETI Programa de Erradicação do Trabalho Infantil Brasil livre do trabalho infantil, todos juntos nesse desafio! O Governo Federal e a sociedade brasileira

Leia mais

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL

EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL EIXO DE TRABALHO 01 DIREITO A CIDADANIA, PARTICIPAÇÃO SOCIAL E POLÍTICA E A REPRESENTAÇÃO JUVENIL Proposta I Fomentar a criação de grêmios estudantis, fóruns de juventude, diretórios centrais de estudantes,

Leia mais

PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO SEMINÁRIO BINACIONAL NA ÁREA DE SAÚDE BRASIL PERU LIMA - SETEMBRO/2011 VISÃO GERAL Abrangência: Governo Federal Marcos Legais Visão Geral do Planejamento e do Orçamento Recursos

Leia mais

SINAPIR: SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL

SINAPIR: SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL SINAPIR: SISTEMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL Instituição do SINAPIR Art. 47 da Lei 12.288/2010: Institui o SINAPIR como forma de organização e de articulação para implementação de políticas

Leia mais

Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de

Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de TERMO DE REFERÊNCIA Título do Projeto Gênero, Raça e Etnia Designação funcional Tipo de contrato Duração do contrato Programa Interagencial de Promoção da Igualdade de Consultoria por produto SSA 5 meses

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO ESTADO DE MINAS GERAIS 2011

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO ESTADO DE MINAS GERAIS 2011 T CONSELHO ESTADUAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE MINAS GERAIS ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DAS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NO ESTADO DE MINAS GERAIS

Leia mais

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS

EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS EIXO 2 PROTEÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS: PROPOSTAS APROVADAS OBTIVERAM ENTRE 80 e 100% DOS VOTOS Garantir a elaboração e implementação da Política e do Plano Decenal de Direitos Humanos de Criança e Adolescente

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO N 3431

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO N 3431 RESOLUÇÃO N 3431 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Complementar Estadual n 85, de 27 de dezembro de 1999, tendo em vista o contido

Leia mais

Das diretrizes gerais

Das diretrizes gerais PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Sr. Anderson Ferreira) Dispõe sobre o Estatuto da Família e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei institui o Estatuto da Família e dispõe

Leia mais

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES

ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES ANEXO II CONDIÇÕES E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO PARA APOIO E/ OU IMPLANTAÇÃO DE ÓRGÃOS COLEGIADOS E APOIO A FÓRUNS E REDES I ÁREAS DE INTERESSE Criança e Adolescente Apoio aos Fóruns, Comitês, Associações

Leia mais

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher

Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher A Defensoria Pública do Estado de São Paulo, através de seu Núcleo Especializado de Promoção e Defesa, vem por meio deste, apresentar os projetos apresentados por conta da assinatura do Termo de Cooperação

Leia mais

Participação Social no Governo Federal

Participação Social no Governo Federal PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL SECRETARIA NACIONAL DE ARTICULAÇÃO SOCIAL Participação Social no Governo Federal Gerson Luiz de Almeida Silva Secretário Nacional de Articulação Social 1. Visões

Leia mais

Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária

Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária Plano Nacional de Promoção, Proteção e Defesa do Direito de Crianças e Adolescentes à Convivência Familiar e Comunitária Manaus/AM 29 de Abril de 2014 Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Criança

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER NA CIDADE DE PONTA GROSSA

NÚCLEO DE ESTUDOS DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER NA CIDADE DE PONTA GROSSA 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( X ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Política Nacional de Participação Social

Política Nacional de Participação Social Política Nacional de Participação Social Apresentação Esta cartilha é uma iniciativa da Secretaria-Geral da Presidência da República para difundir os conceitos e diretrizes da participação social estabelecidos

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010

RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 RESOLUÇÃO CONJUNTA CNAS/CONANDA Nº 001 DE 09 DE JUNHO DE 2010 Estabelece parâmetros para orientar a constituição, no âmbito dos Estados, Municípios e Distrito Federal, de Comissões Intersetoriais de Convivência

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte Eunápolis Bahia

Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte Eunápolis Bahia Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte Eunápolis Bahia PORTARIA Nº 14/2009 Aprova o Regulamento da I Conferência Municipal de Cultura de Eunápolis-BA e dá outras providências. A SECRETÁRIA

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

Carta da Região Sudeste

Carta da Região Sudeste I FÓRUM ESTADUAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES I SEMINÁRIO SUDESTE DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES Carta da Região Sudeste Gestores da Saúde, Servidores da Saúde, Representantes de

Leia mais

14/Mar/2013 :: Edição 31 ::

14/Mar/2013 :: Edição 31 :: 14/Mar/2013 :: Edição 31 :: Cadernos do Poder Executivo Poder Geraldo Julio de Mello Filho Executivo DECRETO Nº 26.993 DE 13 DE MARÇO DE 2013 EMENTA: Descreve as competências e atribuições dos cargos comissionados

Leia mais

Plano de Advocacy. Repensando o Plano. Isabel d Avila Coordenadora de Advocacy

Plano de Advocacy. Repensando o Plano. Isabel d Avila Coordenadora de Advocacy Plano de Advocacy Repensando o Plano Isabel d Avila Coordenadora de Advocacy Relembrando Ações Finalizamos o 1º Dia da Capacitação Listando: - as Ações que foram Realizadas e representam um Avanço à condução

Leia mais

Presidente da CBF participa de reunião na Câmara dos Deputados

Presidente da CBF participa de reunião na Câmara dos Deputados Frente Parlamentar em Defesa dos Conselheiros Tutelares é reinstalada na Câmara dos Deputados Com o objetivo de discutir e acompanhar as demandas dos Conselhos Tutelares na Câmara dos Deputados, foi reinstalada

Leia mais

II Seminário Estadual de Educação em Direitos Humanos Construindo o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos - Eixo Educação Não-Formal

II Seminário Estadual de Educação em Direitos Humanos Construindo o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos - Eixo Educação Não-Formal II Seminário Estadual de Educação em Direitos Humanos Construindo o Plano Estadual de Educação em Direitos Humanos - Eixo Educação Não-Formal Data: 10 e 11 de dezembro de 2010 Local: UFPR Praça Santos

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Declaração de Brasília sobre Trabalho Infantil

Declaração de Brasília sobre Trabalho Infantil Declaração de Brasília sobre Trabalho Infantil Nós, representantes de governos, organizações de empregadores e trabalhadores que participaram da III Conferência Global sobre Trabalho Infantil, reunidos

Leia mais

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação

:: LINHAS DE AÇÃO. Apoio aos Municípios. Tecnologia e Informação em Resíduos. Promoção e Mobilização Social. Capacitação :: LINHAS DE AÇÃO Apoio aos Municípios Tecnologia e Informação em Resíduos Capacitação Promoção e Mobilização Social :: PRESSUPOSTOS DA COLETA SELETIVA Gestão participativa Projeto de Governo Projeto da

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1

AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO jun/15 GRUPO I META 1 Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta

Leia mais

Articulação da Participação Social e Processos Formativos Voltados ao Desenvolvimento Rural

Articulação da Participação Social e Processos Formativos Voltados ao Desenvolvimento Rural Universidade Federal da Paraíba - UFPB / Centro de Ciências Agrárias - CCA / Campus II Areia, Paraíba - 27 a 30 de outubro de 2014. Articulação da Participação Social e Processos Formativos Voltados ao

Leia mais

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares

V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares V Encontro Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares: uma política de apoio à gestão educacional Clélia Mara Santos Coordenadora-Geral

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 6.981, DE 2006

PROJETO DE LEI Nº 6.981, DE 2006 PROJETO DE LEI Nº 6.981, DE 2006 (do deputado Zezéu Ribeiro - PT/BA) Assegura às famílias de baixa renda assistência técnica pública e gratuita para o projeto e a construção de habitação de interesse social.

Leia mais

Belo Horizonte Responsabilidades do Setor Turístico na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Belo Horizonte Responsabilidades do Setor Turístico na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Belo Horizonte Responsabilidades do Setor Turístico na Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes Responsabilidade Multiplicadores* CMDCA, CEDCA, Minist. do Trabalho, Gestor de Política (SETUR

Leia mais

Disciplina: modernidade e Envelhecimento Curso de Serviço Social 3º e 5º Semestre Políticas públicas para idosos 1 Marco Legal Nacional Constituição Federal (1988) Art. 202 Inciso I Ao idoso é assegurado

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

Consultoria para avaliar a atividade de monitoramento e implementação do Programa Brasil Quilombola

Consultoria para avaliar a atividade de monitoramento e implementação do Programa Brasil Quilombola Consultoria para avaliar a atividade de monitoramento e implementação do Programa Brasil Quilombola 1. Programa: Atividade do Programa Interagencial para a Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia.

Leia mais

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social

O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social II Fórum de Informação em Saúde IV Encontro da Rede BiblioSUS O Projeto Casa Brasil de inclusão digital e social Maria de Fátima Ramos Brandão Outubro/2007 1 Apresentação O Projeto Casa Brasil Modelos

Leia mais

DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL.

DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL. PRINCÍPIOS PIOS DA POLÍTICA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS DE CRIANÇAS AS E ADOLESCENTES NO BRASIL. Contextualização A elaboração da Política Nacional e do Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 7.053 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2009. Institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente Natal, 2011 1. Quem somos 2. Histórico da Gestão Estratégica 3. Resultados práticos 4. Revisão

Leia mais

DADOS. Histórico de lutas

DADOS. Histórico de lutas MULHERES O partido Solidariedade estabeleceu políticas participativas da mulher. Isso se traduz pela criação da Secretaria Nacional da Mulher e por oferecer a esta Secretaria completa autonomia. Acreditamos

Leia mais

JORNADA DAS MARGARIDAS 2013

JORNADA DAS MARGARIDAS 2013 JORNADA DAS MARGARIDAS 2013 PAUTA INTERNA 1 - ORGANIZAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SINDICAL 1 Assegurar condições de igualdade para homens e mulheres exercerem com autonomia o trabalho sindical nas diversas secretarias

Leia mais