Parte I: CRIANÇA E ADOLESCENTE EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parte I: CRIANÇA E ADOLESCENTE EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA"

Transcrição

1 SÉRIE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL Parte I: CRIANÇA E ADOLESCENTE EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA ACOMPANHAMENTO MENTO DO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO E DE EXECUÇÃO DA PNAS/SUAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Orgnização: Luzia Magalhães Cardoso

2 Centro Universitário Augusto Motta Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários Coordenação de Extensão e Assuntos Comunitários Coordenação de Serviço Social Projeto de Extensão: Acompanhamento do Processo de Implantação e de Execução da PNAS/SUAS no Estado do Rio de Janeiro Proteção Social Especial - Parte I Crianças e adolescentes em situação de violência Organização: Luzia Magalhães Cardoso Rio de Janeiro, agosto de 2009

3 UNISUAM - Centro Universitário Augusto Motta Ana Cristina da Motta Cruz Chanceler Arapuan Medeiros da Motta Netto Reitor Cláudia de Freitas Costa Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários Rosane de Barros Cordeiro Coordenação de Extensão e Assuntos Comunitários Ana Maria Branco Coordenação do Curso de Serviço Social Rede de Recursos da Proteção Social da PNAS Estado do Rio de Janeiro. Proteção Social Especial: crianças e adolescentes em situação de violência. Luzia Magalhães Cardoso (Coordenação). Rio de Janeiro: UNISUAM, Política social 2.Assistência Social 3.Proteção Social Especial 4. Violência. I. Luzia Magalhães Cardoso (coordenação) II. Título: Proteção Social Especial: crianças e adolescentes: situação de violência. Índic es pa ra c a tá log o s is tem á tic o: Polítca de Assistência Social: proteção social especial: violência contra crianças e adolescentes.

4 U N IS U A M P R Ó-R E ITO R IA D E E X TE N S Ã O E A S S U N TOS C O M U N ITÁ R IOS C O OR D E N A Ç Ã O D E E X TE N S Ã O U N IV E R S ITÁ R IA C O OR D E N A Ç Ã O D E S E R V IÇ O S OC IA L Avenida Paris, 72 - Bonsucesso Tel. (021) CEP: Rio de Janeiro, RJ Luzia Magalhães Cardoso (Coordenação): Edição 2009 Alunos participantes: Angélica Cristina da Silva Vieira 6º período Darléa Fidélis Sant'Anna Josete Lima C. Marques 6º período Jussara Santana dos Santos 6º período Sabrina Marinho de Oliveira 6º período Siomara de Azevedo 6º período IIus tra ç ã o e org a niza ç ã o Luzia Magalhães Cardoso

5 SUMÁRIO Apresentação Introdução Identificando Sinais de Maus-tratos em Crianças e Adolescentes O que é Abuso ou Violência? Formas de Manifestação da Violência contra Crianças e Adolescentes Abuso ou violência psicológica Negligência Abuso ou violência sexual Abuso ou violência física Indicadores da violência

6 Compreendendo a situação O Estudo Social A entrevista A observação Primeiras providências Leis que asseguram a proteção Primeiras providência A Comunicação O Parecer Social Sugestão para a construção do documento de comunicação A importância da rede de proteção Endereços Conselhos Tutelares no município do Rio de Janeiro Conselhos tutelares em outros municípios do estado Juizados da Infância e Juventude do Estado do Rio de Janeiro Bibliografia Fones pesquisadas

7 APRESENTAÇÃO A proteção social é um direito estabelecido na Constituição da Repúbica Federativa do Brasil de 1988, devendo ser garantida por meio da Seguridade Social, alicerçada nas políticas sociais de Saúde, Previdência Social e Assistência Social. A partir da aprovação da Política Nacional de Assistência Social, em 2004, e da organização do Sistema Único de Assistência Social, em 2005, foram criadas unidades públicas estatais (Centro de Referência da Assistência Social CRAS e Centro de Referência Especialzado de Assistência Social CREAS) para executar serviços e programas destinados a garantir o acesso a meios que assegurem a proteção social básica e especial. Não é raro a associação da privação econômica e do não acesso a bens e serviços à violação de direitos que expõem os sujeitos a riscos iminentes, como ocorrem com pessoas em situação de rua, abandono, violência e trabalho infantil. Diante da complexidade dessa realidade a que pessoas, famílias e grupos sociais estão inseridos, a proteção social especial foi planejada visando oferecer uma atenção mais especializada àqueles que se encontrem nesse contexto, tendo o CREAS como uma das unidades executoras, que deve também se articular a outras instituições para garantir um atendimento individualizado, conforme as necessidades apresentadas pelos sujeitos e grupos demandantes dessa política específica. 7

8 Dentre as diversas possibilidades de situação de violação de direitos, considera-se de extrema gravidade a exposição à violência a que estão submetidas crianças e adolescentes. E entendendo que, nesses casos, é imprescindível que na reconstrução da rede de proteção se inclua o Conselho Tutelar como órgão responsável por garantir o cumprimento de direitos a essa parcela da população, iniciamos a série Proteção Social Especial apresentando o fenômeno violência contra a criança e o adolescente. A catilha objetiva também oferecer uma contribuição para as primeiras providências a serem tomadas no momento em que sejam indificadas crianças e adolescentes em situação de violência. Para a coleta das informações, foram consultados sites governamentais, não governamentais (slide 51), além de contatos telefônicos com os Conselhos Tutelares do município do Rio de Janeiro e daquelas coletadas pelos alunos participantes do projeto durante as visitas realizadas nos municípios da Região Metropolitana nos meses de novembro de 2008, junho e julho de Organizamos esse documento da seguinte forma: Identificando Sinais para a Intervenção nos Casos de Maus-tratos contra Crianças e Adolescentes; conceituando abuso e violência e apresentando alguns sinais de sua ocorrência; Compreendendo cada forma de manifestação da violência contra a criança e o adolescente, classificando as principais formas de violência contra essa geração; Uma contribuição para as primeiras providências, apresentando o estudo social, o relatório e parecer social; por fim, organizamos os endereços dos Conselhos Tutelares, dos Juízados da Infância e Juventude existentes nos municípios do Estado do Rio de Janeiro, 8

9 INTRODUÇÃO A VIOLÊNCIA CONTRA A CRIANÇA E O ADOLESCENTE necessita de muita atenção por parte da sociedade e, em particular, por parte de profissinais de saúde, de educação e da área da assistência social, visto que, pela especificidade do seu trabalho, eles podem identificar sinais que apontem para a presença de situações que ameçam a integridade física e psíquica desse grupo e intervir, de forma rápida, nas situações, visando interromper o ciclo de violação de direitos. Por meio da entrevista, da observação, do manuseio de técnicas e instrumentos específicos a cada profissional, além do inprescindível domínio teórico e conhecimento acerca dos sinais e indícios da ocorrência da violência, pode-se buscar os recursos necessários para retirar crianças e adolescentes dessa situação, bem como apontar meios para preveni-la. A violência contra crianças e adolescentes não está relacionada à classe social, à etnia ou à gênero, pois se faz presente em todos os grupos sociais, bem como não há traços específicos que identifique o perfil social, econômico e cultural dos agentes agressores. Devido à sua especificidade, a violência contra a população infanto-juvenil está bastante presente nos seus núcleos de convivência familiar, sendo, na maioria das vezes, perpetrada por aqueles que deveriam protegê-la, e intensificada no interior de suas residências, onde os membros da família parecem viver sob um pacto de silêncio. 9

10 IDENTIFICANDO SINAIS DE MAUS- TRATOS EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES 10

11 O QUE É ABUSO OU MAUS-TRATOS? Entende-se como abuso ou maus-tratos toda a relação onde predomina a vontade de um sujeito sobre os demais, de forma que, para satisfazer os seus desejos, utilizase da força física, da manipulação psicológica, da posição de autoridade e mesmo da supremacia econômica. Nas situações de abuso, maus-tratos ou violência contra a criança e o adolescente, o agente agressor está em condições de superioridade na relação com os primeiros, seja pela idade, tamanho, força, poder, autoridade, posição social, econômica ou política. A violência contra a criança e o adolescente pode ser praticada na forma de transgressão, omissão, ou supressão de seus direitos de cidadania. De acordo com a literatura específica, o abuso contra crianças e adolescentes é classificado da seguinte maneira: Abuso ou violência psicológica Negligência Abuso, violência sexual Abuso ou violência física Com frequência, as formas de violência se apresentam combinadas, visto as consequências psicológicas causadas pela negligência, violência física e sexual, como também os agravos na saúde, com possíveis sequelas, nos casos graves de violência psicológica. 11

12 FORMAS DE MANIFESTAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES 12

13 Você não serve para nada! Você não devia ter nascido! ABUSO PSICOLÓGICO Não aprende nada mesmo! **!!! ##!! Luzia 2009 ABUSO OU VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA é a interferência negativa de um adulto na competência social e/ou cognitiva da criança e do adolescente. A violência psicológica se apresenta na forma de comentários depreciativos sobre a criança ou adolescente, e se manifesta também nos xingamentos, gritos, isolamento e exigências acima de sua capacidade física e/ou emocional. 13

14 NEGLIGÊNCIA Luzia 2009 NEGLIGÊNCIA OU ABANDONO é quando há omissão por parte dos responsáveis acerca das necessidades físicas, cognitivas e/ou emocionais de crianças ou adolescentes, deixando de prover, de forma adequada, a alimentação, o vestuário, a educação, os cuidados com a higiene, e a saúde. Também é considerada negligência a falta de supervisão do processo de desenvovimento e a omissão na prevenção de riscos de acidentes etc. O abandono de crianças e adolescentes pode ocorrer temporariamente mas, seja qual for o motivo, constitui-se também em uma forma de maus-tratos. 14

15 ABUSO SEXUAL ABUSO OU VIOLÊNCIA SEXUAL é toda espécie de jogo ou ato sexual, hetero ou homossexual, entre adultos e crianças; adultos e adolescentes, e entre adolescentes e crianças. / As práticas são diversas: com ou sem contato sexual, como ocorre no exibicionismo e voyerismo. Luzia 2009 A maior parte dos casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes é realizada por pessoas de sua confiança, como o pai, padrasto, tio, por exemplo. 15

16 ABUSO FÍSICO Luzia 2009 ABUSO FÍSICO OU VIOLÊNCIA FÍSICA é toda forma de relacionamento com crianças e adolescentes onde os pais, responsáveis, ou outra pessoa adulta utiliza de sua força física no processo de disciplinamento ou no exercício da autoridade. As lesões provocadas podem ser leves ou mais acentuadas, contudo, os danos provocados pela violência são graves, podendo levar até à morte. 16

17 INDICADORES DA VIOLÊNCIA Devemos ficar atentos e proceder com critério para a identificação de maus-tratos, observando alguns indicadores: - Nas crianças e adolescente Lesões no corpo; ocultamento de lesões antigas; obesidade; distúrbios alimentares; tartamudez (gagueira); dificuldade de caminhar; áreas genitais ou anais com lesões; infecções urinárias; secreções vaginais ou penianas; excessiva vergonha no contato social; regressão no desenvolvimento psicológico; comportamento e curiosidade sexual inadequados à faixa etária; tendências suicidas; fugas da residência; comportamento agressivo, hiperativo ou apático, passivo ou hipoatico; apresenta baixa auto-estima; problemas de aprendizagem e/ou de sono; vestimentas inadequadas ao clima; fadiga constante; dificuldade de atenção ou de concentração; absenteísmo escolar; não cumprimento da agenda de vacinação; assume responsabilidades não apropriadas à idade. - Nas famílias Presença de despostismo familiar (autoritarismo de um dos membros); ocultam as lesões presentes no corpo da criança ou do adolescente ou apresentam justificativas pouco convincentes ou contraditórias ao fato; descrevem a criança ou o adolescente com adjetivos depreciativos; utilizam métodos disciplinares severos; presença de adicção, uso de antidrepressivos ou psicotrópicos; possessividade; expectativas irreais ao desenvolvimento da criança ou do adolescente; familiares com antecedentes de maustratos; apatia e passividade; baixa auto-estima; desleixo com a própria higiene e aparência. A soma de alguns desses indicadores pode apontar para a presença da violência. 17

18 COMPREENDENDO A SITUAÇÃO 18

19 O ESTUDO SOCIAL O Estudo Social é um processo constituído por recursos teóricos e técnicometodológicos inerentes ao trabalho do Assistente Social e tem como objetivo conhecer expressões da questão social que contribuem para a vulnerabilidade e risco social de pessoas, grupos e população. O Estudo Social consiste na coleta, organização, classificação, interpretação, análise das informações coletadas e no posicionamento profissional, ocorrendo durante o atendimento aos usuários dos serviços onde se realiza o trabalho do Assistente Social. Como intervenção e a ação não são procedimentos dicotômicos, durante o processo do Estudo Social, algumas providências são tomadas pelos profissionais e pelos prórpios usuários, visando a garantia de seus direitos. Sendo o Serviço Social uma profissão com características explicitamente interventiva, o trabalho do Assistente Social visa intervir nos fatores presentes e/ou determinantes de situações que ameaçam direitos. Na forma mais aguda, a ação de alguns fatores ameaçam a dignidade, a cidadania, a integridade física, psicológica e à própria vida. Para a realização do Estudo Social, o Assistente Social precisa ter claro qual é a expressão da questão social que está em análise, a fim de buscar os seus determinantes sociais, econômicos e culturais, dentre outros. Há também a necessidade do domínio de um acervo teórico específico, que orientará na construção de uma metodologia de investigação, na escolha das técnicas e na adaptação do instrumentos que serão utilizados, além da imprescindível clareza de seu papel profissional nesse processo. 19

20 A ENTREVISTA A entrevista é uma técnica de investigação científica muito utilizada por porfissionais que trabalham no atendimento a pessoas, como os Assistentes Sociais, visto que a compreensão da realidade da população atendida necessita da coleta de informações. Esse momento do trabalho do Assistente Social é imprescindível para que se possa intervir nos fatores determinantes ou agravantes de situações de risco ou vulnerabilidade social. Segundo Gil (1994: P. 113), A entrevista é (...) uma forma de interação social. Mais especificamente, é uma forma de diálogo assimétrico, em que uma das partes busca coletar e a outra se apresenta como fonte de informação. A entrevista também é um instrumento de intervenção profissional, quando conduzida de forma a possibilitar a reflexão do sujeito envolvido, levando-o a reavaliar as estratégias que utiliza frente às dificuldades encontradas e, assim, contribui também na construção de alternativas. Um bom exemplo da condução de uma entrevista reflexiva é a enquete operária, realizada por Marx em 1880, podendo ser encontrada também nos anexos do livro de Thiollent (1987), pois a construção e a ordem das questões objetiva uma compreensão mais crítica do respondente acerca do objeto em análise. É na pespectiva da entrevista como técnica de investigação e instrumento de reflexão que sugerimos que ela seja realizada para a compreensão dos determinantes da violência contra crianças e adolescentes. 20

21 Durante o processo de atendimento busca-se entender a construção do grupo familiar: nome, idade,naturalidade, etnia, nível de escolaridade, religião, grau de parentesco; a renda: profissão e renda dos que tem atividade remunerada; a dinâmica familiar: como são construídas as normas, alianças, conflitos e tensões (brigas na família, na comunidade); crises conjunturais (morte, doenças, desemprego, viagens, desparecimentos, novo morador etc.); uso de psicoativos e a justificativa da família; pessoas portadoras de necessidades especiais, pessoas com transtornos psíquicos. A rede de apoio é constituída pela família extensa, por amigos, vizinhos, religião, instituições diversas como posto de saúde, escola, instituições de assistência social etc. Compreender como a família se insere em sociedade, com quem conta nos momentos de necessidade etc. é, também, importante para avaliar o grau de isolamento social, que é um dos fatores presentes nas situações de violência contra a criança e o adolescente. 21

22 A história da gestação, do parto, do desenvolvimento físico e a relação social das crianças e adolescentes envolvidos, pode ajudar na avaliação da situação e na classificação do risco em que as mesmas se encontram. A compreensão acerca do lugar onde a criança ou o adolescente ocupam na organização familiar, com quem brincam, bem como informações sobre mudanças de comportamento ou início de alguma dificuldade na escola, a origem de seu nome pode também auxiliar no estudo social. Essas informações podem ser coletadas durante a entrevista, na observação, visita domiciliar, leitura de documentos, contato com outros profissionais etc. e podem ser organizadas em forma de roteiro ou no formato de formulário de entrevista. 22

23 A OBSERVAÇÃO A observação é uma técnica também muito utilizada para a compreensão dos fatores presentes em uma situação de violência contra crianças e adolescentes, pois ela possibilita perceber reações e comportamentos de pessoas, bem como elas se apresentam socialmente. A observação contribui também para conhecer a estrutura de uma comunidade, a dinâmica na relação entre pessoas e grupos. Segundo Gil, são três os tipos de observação: 1 - observação simples ou livre, onde se observa de forma esponfânea, não planejada; 2 - observação participante, quando há a participação do observador na realidade em estudo; o3 - bservação sistemática que visa uma maior precisão e controle do processo. Segundo Gil (op. cit.), esse tipo de observação necessita de um planejamento anterior, quando o profissional deverá determinar o que será observado, e construir um instrumento para o registro dos dados coletados durante a mesma. A obsevação é uma técnica frequentemente utilizada pelo Assistente Social nas visitas domiciliares e no atendimento dentro da instituição. 23

24 PRIMEIRAS PROVIDÊNCIAS 24

25 LEIS QUE ASSEGURAM A PROTEÇÃO A sociedade brasileira já avançou muito nas leis que garantem direitos. Com relação às crianças e adolescentes, a Constituição da República Federativa do Brasil, no artigo 227, apresenta o dever da família, da sociedade e do Estado em assegurar os direiros dessa parcela da população. A Lei nº 8.069, de 1990, conhecida como Estatuto da Criança e do Adolescente especifica melhor esses direitos, bem como a punição nas situações de desrespeito aos mesmos. Segundo a Constituição da República Federativa do Brasil, Artigo 227, parágrafo 4º, A lei punirá severamente o abuso, a violência e a exploração sexual da criança e do adolescente. No Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), Artigo 13, Os casos de suspeita ou confirmação de maustratos contra a criança ou adolescente serão obrigatoriamente comunicados ao Conselho Tutelar da respectiva localidade, sem prejuízo de outras providências legais. O Artigo 245 do ECA estabelece punições para as omissões de profissionais, Deixar o médico, professor ou responsável pelo estabelecimento de saúde e de ensino fundamental, pré-escola ou creche, de comunicar à autoridade competente os casos de que tenha conhecimento, envolvendo suspeita de maustratos contra a criança ou adolescente: Pena: Multa de três a vinte salários de referência, aplicando-se o dobro em caso de reincidência. 25

26 PRIMEIRAS PROVIDÊNCIAS Após o momento de identificação dos sinais de violência e da avaliação dos riscos, quando as suspeitas de violência contra a criança ou o adolescente permanecerem, ou se a mesma for comprovada, o fato deverá ser comunicado aos órgãos de sócio-proteção. Quando a avaliação profissional apontar para riscos iminentes dos sujeitos envolvidos, a intervenção das instituições sócio-jurídicas deverá ser solicitada imediatamente, a fim de garantir a proteção da criança e do adolescentes envolvidos. Mesmo nas situações em que haja a possibilidade de acompanhamento do núcleo familiar pelo mesmo profissional que identificou a violência, é imprescindível que o fato seja comunicado ao Conselho Tutelar. 26

27 A COMUNICAÇÃO O relatório social é um importante instrumento de comunicação de siutação de violação de direitos, utilizado no trabalho dos Assistentes Sociais com crianças e adolescentes em situação de violência, pois permite apresentar os fatos observados e a visão dos sujeitos envolvidos. Segundo Fávero et al. (2005), o Relatório Social diferencia-se do Laudo Social quando no documento são intruduzidas informações acerca da metodologia utilizada durante o atendimento, da competência técnica do profissional, seu parecer, providências tomadas sugestões de encaminhamento. 27

28 O PARECER PROFISSIONAL Após a descrição e a análise dos fatos, torna-se importante que o profissional apresente a sua avaliação técnica acerca da situação estudada. É o momento em que o profissional se utiliza do aporte teórico, ético e técnico para se posicionar diante do fato, de forma conclusiva e indicando caminhos a serem seguidos. Os determinantes presentes na realidade da criança ou do adolescente e de sua família que possam estar contribuindo para a ocorrência de violência devem ser explicitados. Por fim, torna-se necessário esclarecer se as suspeitas de violência se mantém ou se foi confirmada, justificando e apontando os risco para os envolvidos, bem como apontar as medidas que, na compreensão do profissional, deverão ser tomadas a curto e médio prazos. 28

29 SUGESTÃO PARA A CONSTRUÇÃO DO DOCUMENTO DE COMUNICAÇÃO 1 Em papel timbrado da insituição a que o profissional pertencer; 2 - Campo de identificação da criança ou do adolescente: nome, data de nascimento, número de matrícula na instituição, etnia, nome dos responsáveis, endereço, ponto de referência, telefone, grau de instrução, nome da escola ou creche etc; 3 Motivo do atendimento: informar como a situação chegou à instiuição, quem a trouxe, qual era o fato etc; 4 Percepção dos sujeitos envovidos acerca do fato, a partir do relato das pessoas atendidas; 5 Procedimentos: informar o número de atendimentos realizados, a relação de parentesco das pessoas entrevistadas, os encaminhamentos para outros profissionais e/ou instiuições etc; 6 Encaminhamento do Relatório ou Laudo Social do Assistente Social aos órgãos competente por meio de Ofício da Direção da Instituição. 29

30 A IMPORTÂNCIA DA REDE DE PROTEÇÃO Além da comunicação ao Conselho Tutelar, há a necessidade da construção de uma rede institucional para possibilitar o suporte à família. Conforme a situação, é imprescindível referenciar os envolvidos a outras instituições, como as de atendimento à adicção, de acompanhamento psicológicos, os centros especializados de atendimento às famílias em situação de violência, entre outros, além do apoio nos Centros de Referência Especializado de Proteção Social (CREAS), com a inserção nos serviços e programas existentes. Fortalecer a rede de proteção às famílias em situação de violência contribui também na intervenção em um dos determinantes da violência doméstica, o isolamento social. 30

31 ENDEREÇOS DE CONSELHOS TUTELARES - ESTADO DO RIO DE JANEIRO 31

32 O CONSELHO TUTELAR O Conselho Tutelar, conforme define o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), no artigo 131, (...) é um órgão autônomo e não jurisdicional encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente (...) O Conselho Tutelar é um órgão que integra o Sistema de Garantias de Direitos da Criança e do Adolescente, instituído pela Constituição Federal, fundamentada nos artigos 204 e 227 e no ECA que objetiva implementar a proteção integral, garantindo direitos fundamentais ao desenvolvimento físico, social e psicológico a essa parcela da população. (SEDH/CONANDA, 2007). O ECA aponta para uma política de atendimento que envolve e articula instituições executoras de várias políticas sociais: saúde, educação, assistência social, segurança etc. O ECA define três eixos constituintes do Sistema de Garantias de Direitos da Criança e do Adolescente: promoção, viabilizada pelas políticas sociais básicas; controle social, exercido por meio dos Conselhos de Direitos e de instiutições de organização da sociedade civil; e defesa de direitos, de responsabilidade das Instiuições sociojurídicas e do Conselho Tutelar. O Conselho Tutelar tem sua ação dentro do terceiro eixo, ou seja, a defesa de direitos de crianças e adolescentes, por isso integra a rede institucional da proteção social especial. 32

33 CONSELHOS TUTELARES DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO 01- Centro Área de abrangência: Santo Cristo/ Caju/ Cais do Porto/ Saúde/ Centro/ Aeroporto/ Bairro de Fátima/ Castelo/ Praça Mauá/ Rio Comprido/ Estácio/ Cidade Nova/ Catumbi/ Triagem/ São Cristóvão/ Mangueira/ Benfica/ Paquetá/ Santa Tereza Endereço: Rua do Acre, 42. Sobrado. Centro. Tel / Zona Sul Área de abrangência: Botafogo/ Catete/ Glória/ Cosme Velho/ Flamengo/ Laranjeiras/ Humaitá/ Urca/ Praia Vermelha/ Copacabana/ Leme/ Jardim Botânico/ Ipanema/ Vidigal/ São Conrado/ Rocinha Endereço:Rua Moura Brasil, nº 20, Laranjeiras. Tel / Vila Isabel Tijuca/ Praça da Bandeira/ Alto da Boa Vista/ Vila Isabel/ Grajaú/ Andaraí/ Maracanã. Endereço:Rua Desembargador isidro, 48. Próximo à Praça Sans Peña. Tijuca. Tel / Méier Área de abrangência:méier/ Todos os Santos/ Engenho de Dentro/ Encantado/ São Francisco Xavier/ Rocha/ Piedade/ Abolição/ Consolação/ Riachuelo/ Água Santa/ Sampaio/ Lins/ Engenho Novo/ Complexo do Alemão/ Bonsucesso/ Olaria/ Inhaúma/ Esperança/ Higienópolis/ Maria da Graça/ Jacaré/ Engenho da Rainha/ Tomás Coelho/ Del Castilho/ Jacarezinho/ Vieira Fazenda Endereço:Rua Dr. Leal, 706. Engenho de Dentro. Tel / Ramos Área de abrangência:ramos/ Manguinhos/ Olaria/ Penha/ Vigário Geral/ Parada de Lucas/ Penha Circular/ Jardim América/ Cordovil/ Brás de Pina/ Ilha do Governador- Ribeira/ Zumbi/ Cacuia/ Moneró/ Portuguesa/ Jardim Guanabara/ Cidade Universitária/ Complexo da Maré/ Vila Esperança/ Vila do João/ Vila do Pinheiro/ Praia de Ramos/ Timbau/ Maré/ Marcílio Dias/ Baixa do Sapateiro/ Nova Holanda/ Rubens Vaz/ Parque União/ Roquete Pinto/ Conjunto Pinheiro. Endereço: Rua Professor Lacê, 57. Ramos. Tel /

34 06- Madureira Área de abrangência: Irajá/ Vicente de Carvalho/ Vila da Penha/ Vista Alegre/ Vila Cosmos/ Madureira/ Quintino Bocaiúva/ Bento Ribeiro/ Marechal Hermes / Engenheiro Leal/ Turiaçu/ Campinho/ Rocha Miranda/ Oswaldo Cruz/ Anchieta/ Ricardo de Albuquerque/ Guadalupe/ Parque Anchieta/ Pavuna/ Coelho Neto/ Acari/ Barros Filho Endereço: Rua Capitão Aliatar Martins, 211. Irajá Tel / Jacarepaguá Área de abrangência: Jacarépaguá/ Praça Seca/ Valqueire/ Taquara/ Freguesia/ Anil/ Tanque/ Curicica/ Camorim/ Gardênia Azul/ Cidade de Deus/ Pechincha/ Barra da Tijuca/ Recreio dos Bandeirantes/ Vargem Grande/ Piabas/ Grumari/ Itanhangá. Endereço:Estrada Rodrigues Caldas, Prédio da Adm. - Colônia Juliano Moreira- Jacarepaguá. Tel: / / FAX: Bangu Área de abrangência: Bangu/ Campo dos Afonsos/ Santíssimo/ Deodoro/ Realengo/ Vila Militar/ Magalhães Bastos/ Padre Miguel/ Senador Camará/ Jardim Sulacap. Endereço:C. Regional de Bangu. Tel: / Campo Grande Área de abrangência: Campo Grande/ Santíssimo/ Senador Augusto Vasconcelos/ Mendanha/ Rio da Prata/ Monteiro/ Guaratiba/ Pedra de Guaratiba/ Morro da Pedra/ Praia do Aterro/ Ilha Guaratiba Endereço:Rua Tendi, nº 54. Campo Grande (Próximo ao Hospital Rocha Farias). Tel: / Santa Cruz Área de abrangência: Santa Cruz/ Paciência/ Sepetiba Endereço:Rua Lopes de Moura, 58 - Santa Cruz Tel: /

35 CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ANGRA DOS REIS Endereço: RUA QUARESMA JÚNIOR, 38 / 202. Angra dos Reis. CEP: Tel. (22) / FAX: (22) APERIBÉ Endereço: RUA AUGUSTO GOMES DA SILVA,14 CENTRO. Aperibé. CEP: Tel. (22) / FAX: (22) ARARUAMA Endereço: Rua JOAQUIM ANDRADE, 40 CENTRO. Araruama. CEP: Tel. (22) R.24 AREAL Endereço: Rua MARIA AVENA DO CARMO, 108 CENTRO. CEP: Tel. (24) / FAX: ARMAÇÃO DOS BÚZIOS Endereço: RUA LUIS JOAQUIM PEREIRA, 77 CENTRO. Armação de Búzios. CEP: Tel. (22) / FAX: (22) ARRAIAL DO CABO Endereço: AV. LUIZ CORREA, 300 PRAIA DOS ANJOS. Arraial do Cabo. CEP; Tel. (22) FAX: (22) BARRA DO PIRAÍ Endereço: TRAVESSA HUMBERTO MARTUSCELLO, 01 CENTRO. Barra o Piraí. CEP: Tel. (24) FAX: (24) Fórum BARRA MANSA Endereço: RUA JORGE LÓSSIO, 202 CENTRO. Barra Mansa. CEP: Tel. (24) / FAX: (24) BELFORD ROXO Endereço: AV. BENJAMIN PINTO DIAS, 1372/101 CENTRO. Belford Roxo. CEP: Tel. (21) / / TELEFAX: (21) BOM JARDIM Endereço: R. MIGUEL DE CARVALHO,158 CENTRO. Bom Jardim. CEP: Tel. (22) FAX: (22) BOM JESUS DE ITABAPOANA Endereço: R. EXPEDICIONÁRIO PAULO MOREIRA, 67 CENTRO. Bom Jesus do Itabapuana. CEP: FONE/FAX: (22) / / / CABO FRIO R. CASIMIRO DE ABREU, 143. Cabo Frio. CEP: Tel. (22) / FAX: (22)

CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONSELHOS TUTELARES DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEMAIS MUNICÍPIOS CT 2 MUNICÍPIO ENDEREÇO TELEFONE CEP ANGRA DOS REIS RUA QUARESMA JÚNIOR, 38 / 202 (22) 9836-0136 / 9830-0136 FAX: (22) 2664-1513 23.900-000

Leia mais

Angra dos Reis Barra do Piraí Barra Mansa Engenheiro Paulo de Frontim Itatiaia Mendes Miguel Pereira Parati Paty dis Alferes

Angra dos Reis Barra do Piraí Barra Mansa Engenheiro Paulo de Frontim Itatiaia Mendes Miguel Pereira Parati Paty dis Alferes Jurisdição das cidades da 7ª Região. Delegacia Cidade/Bairro* Angra dos Reis Barra do Piraí Barra Mansa Engenheiro Paulo de Frontim Itatiaia Mendes Miguel Pereira Parati Paty dis Alferes Pinheiral Pirai

Leia mais

TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015

TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015 TABELA DAS PROMOTORIAS COM ATRIBUIÇÃO EM EDUCAÇÃO atualizada em jul/2015 s Centro Regional de Apoio Administrativo Institucional MUNICÍPIOS Promotorias de Justiça ÚNICAS, CÍVEIS e de Proteção à INFÂNCIA

Leia mais

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Construindo as Metas Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Região: Sudeste; UF: Mesorregião: Município: Angra dos Reis; Aperibé; Araruama; Areal; Armação dos Búzios; Arraial do Cabo;

Leia mais

Endereços e telefones

Endereços e telefones Endereços e telefones Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (Sede da Procuradoria-Geral de Justiça) Avenida Marechal Câmara, nº 370, Centro, Rio de Janeiro, RJ CEP: 20020-080 Telefone: 2550-9050

Leia mais

CRAAI RIO DE JANEIRO Travessa do Ouvidor nº 38-6º andar, Centro Tel.: 2550-9000

CRAAI RIO DE JANEIRO Travessa do Ouvidor nº 38-6º andar, Centro Tel.: 2550-9000 CRAAI RIO DE JANEIRO Travessa do Ouvidor nº 38-6º andar, Centro Tel.: 2550-9000 Comarcas: Promotorias de Justiça da Infância e Juventude da Vara da Infância, da Juventude e do Idoso e Promotorias de Justiça

Leia mais

* RIO DE JANEIRO, PETRÓPOLIS, NOVA IGUAÇU, NITERÓI, SÃO GONÇALO E CAMPOS DOS GOYTACAZES. SENAC - Madureira Centro Universitário Celso Lisboa - Sampaio

* RIO DE JANEIRO, PETRÓPOLIS, NOVA IGUAÇU, NITERÓI, SÃO GONÇALO E CAMPOS DOS GOYTACAZES. SENAC - Madureira Centro Universitário Celso Lisboa - Sampaio * RIO DE JANEIRO, PETRÓPOLIS, NOVA IGUAÇU, NITERÓI, SÃO GONÇALO E CAMPOS DOS GOYTACAZES ABOLICAO ACARI AGUA SANTA ALTO DA BOA VISTA ANCHIETA * ANDARAÍ ANIL ARPOADOR BAIRRO DE FATIMA BANCARIOS * BANGU BARRA

Leia mais

1/14. Polícia Civil Principais Ocorrências Vítimas Estado RJ por DPs 2010 Números Absolutos

1/14. Polícia Civil Principais Ocorrências Vítimas Estado RJ por DPs 2010 Números Absolutos 1/14 1a. DP 4a. DP 5a. DP 6a. DP 7a. DP 9a. DP 10a. DP 12a. DP 13a. DP Totais Praça Mauá Praça da República Mem de Sá Cidade Nova Santa Teresa Catete Botafogo Copacabana Ipanema Homicídio doloso (total)

Leia mais

ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SMTR Nº 2432 DE 10 DE JANEIRO DE 2014

ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SMTR Nº 2432 DE 10 DE JANEIRO DE 2014 Diário Oficial nº : 203 Data de publicação: 13/01/2014 Matéria nº : 135434 ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SMTR Nº 2432 DE 10 DE JANEIRO DE 2014 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso de suas atribuições

Leia mais

COMARCA DE ANGRA DOS REIS

COMARCA DE ANGRA DOS REIS COMARCA DE ANGRA DOS REIS 1ª VARA DE FAMÍLIA, DA INFÂNCIA, DA JUVENTUDE E DO IDOSO - (competência na área da Infância e da Juventude e do Idoso, incluindo Endereço: PRAÇA MARQUÊS DE TAMANDARÉ Nº 156 -

Leia mais

Ministério Público do Rio de Janeiro Av. Marechal Câmara, 370 Centro CEP 20020-080 (em frente ao Protocolo)

Ministério Público do Rio de Janeiro Av. Marechal Câmara, 370 Centro CEP 20020-080 (em frente ao Protocolo) Pontos de coleta Rio de Janeiro Clube Naval Av. Rio Branco, 180 Centro Rio de Janeiro Primeira Igreja Batista do Recreio Rua Helena Manela, 101, Recreio, Rio de Janeiro Superintendência Regional da Receita

Leia mais

PROJETO ITICs Interação com as Tecnologias de Informação e Comunicação na Comunidade Escolar

PROJETO ITICs Interação com as Tecnologias de Informação e Comunicação na Comunidade Escolar PROJETO ITICs Interação com as Tecnologias de Informação e Comunicação na Comunidade Escolar 1 INTRODUÇÃO 2 Informações TécnicasT OBJETIVO METODOLOGIA TÉCNICA Conhecer a utilização das diversas tecnologias

Leia mais

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis Teresópolis a) R$ 500,00 (quinhentos reais): Porteiro,

Leia mais

BAIRRO das 06h00 das 21h00 1 ABOLIÇÃO R$ 34,50 R$ 41,00 2 ACARI R$ 60,50 R$ 73,00 3 ÁGUA SANTA R$ 37,00 R$ 44,00

BAIRRO das 06h00 das 21h00 1 ABOLIÇÃO R$ 34,50 R$ 41,00 2 ACARI R$ 60,50 R$ 73,00 3 ÁGUA SANTA R$ 37,00 R$ 44,00 RESOLUÇÃO SMTR Nº 2212 DE 29 DE MARÇO DE 2012 Autoriza o reajuste das tarifas do Serviço de Transporte de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro com origem no Terminal Internacional de Cruzeiros

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 16/2015 Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref: Orientações para o Recolhimento da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UF Municipio RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Aperibé RJ Aperibé CNPJ Razão Social FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

Nome da Unidade Endereço da Unidade Telefone da Unidade E-mails funcionais dos Membros

Nome da Unidade Endereço da Unidade Telefone da Unidade E-mails funcionais dos Membros PROMOTORIA DE JUSTIÇA JUNTO ÀS TURMAS RECURSAIS CRIMINAIS DA CAPITAL AVENIDA MARECHAL CÂMARA 350 7º ANDAR 20020080 CENTRO RIO DE carlara@mprj.mp.br PROMOTORIA DE JUSTIÇA JUNTO AO XVIII JUIZADO ESPECIAL

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER. Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS

Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER. Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro Presidente DESEMBARGADOR LUIZ ZVEITER Vice - Presidente DESEMBARGADORA LETICIA DE FARIA SARDAS Corregedor JUIZ ANTONIO AUGUSTO DE TOLEDO GASPAR Diretora -

Leia mais

TABELA DE PREÇO ZONA SUL 1 PREÇOS À VISTA FATURADO TABELA DE PREÇO ZONA SUL 2 PREÇOS À VISTA FATURADO

TABELA DE PREÇO ZONA SUL 1 PREÇOS À VISTA FATURADO TABELA DE PREÇO ZONA SUL 2 PREÇOS À VISTA FATURADO FAVOR LER TODAS AS INFORMAÇÕES COM ATENÇÃO ORIGEM CENTRO TABELA DE PREÇO CENTRO 1 PREÇOS À VISTA FATURADO CASTELO LAPA BAIRRO DE FÁTIMA GAMBOA SANTO CRISTO SAÚDE CIDADE NOVA SANTA TEREZA CENTRO NORMAL

Leia mais

Resolução Normativa RN 259

Resolução Normativa RN 259 Resolução Normativa RN 259 (Publicada em 17/06/11, alterada pela RN 268 de 20/10/11 e complementada pela IN/DIPRO nº n 37 de 07/12/11) Gerência de Regulação 27 de janeiro de 2012 Apresentação da Norma

Leia mais

Black Box Courrier Serviços de Entregas Rápidas LTDA - ME

Black Box Courrier Serviços de Entregas Rápidas LTDA - ME Rio de Janeiro, maio de 2012. A Black Box Courrier teve o início de suas atividades no ano de 2010, com sua sede em Botafogo, no município do Rio de Janeiro. Seus sócios fundadores almejando o crescimento,

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2437 DE 14 DE JANEIRO DE 2014

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2437 DE 14 DE JANEIRO DE 2014 Diário Oficial nº : 205 Data de publicação: 15/01/2014 Matéria nº : 135938 RESOLUÇÃO SMTR Nº 2437 DE 14 DE JANEIRO DE 2014 O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso de suas atribuições legais, Autoriza

Leia mais

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26.

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26. Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R Endereço: Rua: Profª Venina Correa Torres, nº 41 Bairro: Centro Município: Nova Iguaçu CEP: 26.220-100 Abrangência: Nova Iguaçu, Japeri, Mesquita, Nilópolis,

Leia mais

Guia de operação especial ônibus

Guia de operação especial ônibus Guia de operação especial ônibus Operação especial Mapa com bloqueios no entorno do Maracanã e pontos de parada Devido ao evento, o itinerário de alguns ônibus será alterado nos dias 15, 18, 22, 25 e 28

Leia mais

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro 1

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro 1 Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro 1 Análise Preliminar da Área Total Licenciada - 2º Trimestre de 2007 O 2º trimestre de 2007 registrou uma área total licenciada na ordem de 1.043 mil m², o que representa

Leia mais

1159 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL - BARRA DA TIJUCA RIO DE JANEIRO 1096 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL ILHA GOVERNADOR RIO DE JANEIRO 1097 22 OFICIO

1159 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL - BARRA DA TIJUCA RIO DE JANEIRO 1096 18 OFICIO DE NOTAS - SUCURSAL ILHA GOVERNADOR RIO DE JANEIRO 1097 22 OFICIO Código Serventia Nome da Serventia Município 1214 RCPN 02 DISTRITO CASIMIRO DE ABREU (BARRA S. JO 1216 02 OFICIO DE JUSTICA CASIMIRO DE ABREU 1217 RCPN 01 DISTRITO CASIMIRO DE ABREU 1221 OFICIO UNICO CONCEICAO

Leia mais

II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso.

II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso. DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE XXXIX CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL *A Coordenadora

Leia mais

Válida a partir de 1º de abril de 2015

Válida a partir de 1º de abril de 2015 Válida a partir de 1º de abril de 2015 Seção dos Classificados Imóveis Compra e Venda ZONA CENTRO B. Fátima, Catumbi, Centro, Cidade Nova, Gamboa, Lapa, Santo Cristo e Saúde 1ZC 2ZC ZONA SUL 1 Botafogo,

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Allan Blanco Carnevale Gabriela de Sousa Magalhes Adriana Lenine Januário Light Serviços

Leia mais

O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010

O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 O estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 Documento preliminar Coordenação: Luiz Cesar Ribeiro Responsável: Érica Tavares da Silva Colaboração: Juciano Rodrigues e Arthur Molina 1 P á g i n a Introdução

Leia mais

CENTRO DE INTERNET COMUNITÁTRIA - CICS

CENTRO DE INTERNET COMUNITÁTRIA - CICS Araruama Rua Dr. Bernardo Vasconcelo, nº 425 - Centro CENTRO DE INTERNET COMUNITÁTRIA - CICS RELAÇÃO DOS ENDEREÇOS DOS CICS - MUNICÍPIOS Arraial do Cabo Rua Duque de Caxias, n 37 Praia dos Anjos Centro

Leia mais

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu Apresentação: Lançado pelo SEBRAE RJ, é um roteiro turístico composto por 10 municípios do Estado do Rio de Janeiro; 3 Regiões turísticas: Metropolitana, Serra Verde Imperial, Costa do Sol - integradas

Leia mais

LEI Nº 4.914, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2006. CAPÍTULO XIV

LEI Nº 4.914, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2006. CAPÍTULO XIV LEI Nº 4.914, DE 08 DE DEZEMBRO DE 2006. 1 CAPÍTULO XIV Dos Juízes de Direito nas Comarcas de Angra dos Reis, Araruama, Armação dos Búzios, Barra do Piraí, Belford Roxo, Bom Jesus do Itabapoana, Cabo Frio,

Leia mais

O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO O ENFRENTAMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Pontos positivos da Rede de Atendimento no Estado do Rio de Janeiro entre 2007/2012: O número de serviços especializados que prestam

Leia mais

CURSOS TÉCNICOS OFERECIDOS PELA SECRETARIA:

CURSOS TÉCNICOS OFERECIDOS PELA SECRETARIA: CURSOS TÉCNICOS OFERECIDOS PELA SECRETARIA: Curso CE Local Tel ADMINISTRAÇÃO ALMIRANTE TAMANDARÉ Japeri (21) 2670-1250 2667-4924 AURELINO LEAL Niterói 2717-2802 2620-2319 AYDANO DE ALMEIDA Nilópolis 3760-2475

Leia mais

- Que Merda é Essa, dia 10/02 Ipanema - Simpatia é Quase Amor, dias 02/02 e 10/02 Ipanema - Banda de Ipanema, dias 09/02 e 12/02 Ipanema - Bloco

- Que Merda é Essa, dia 10/02 Ipanema - Simpatia é Quase Amor, dias 02/02 e 10/02 Ipanema - Banda de Ipanema, dias 09/02 e 12/02 Ipanema - Bloco - Que Merda é Essa, dia 10/02 Ipanema - Simpatia é Quase Amor, dias 02/02 e 10/02 Ipanema - Banda de Ipanema, dias 09/02 e 12/02 Ipanema - Bloco Bafafá, 16/02 Praia de Ipanema - Posto 9 123 JARDIM DE ALAH

Leia mais

RELAÇÃO DOS BATALHÕES DA PMERJ

RELAÇÃO DOS BATALHÕES DA PMERJ CENTRAL DE MANDADOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS DA CAPITAL RELAÇÃO DOS BATALHÕES DA PMERJ 2009 1º BATALHÃO Av. Salvador de Sá nº 02 - Estácio - RJ CEP: 21.715-010 Comandante: 2332-8462 Oficial de Dia:

Leia mais

Colocação de Portas Em Geral Rj

Colocação de Portas Em Geral Rj Colocação de Portas Em Geral Rj Informação do Vendedor Nome: Obras e Reformas Rj Nome: Obras Apelido: e Reformas Rj Detalhes do Anúncio Comum Titulo: Colocação de Portas Em Geral Rj Preço: R$ 000.00 Condição:

Leia mais

PESQUISA ADEMI DO MERCADO IMOBILIÁRIO

PESQUISA ADEMI DO MERCADO IMOBILIÁRIO PESQUISA ADEMI DO MERCADO IMOBILIÁRIO RELATÓRIO DE NOVEMBRO DE 212 I INTRODUÇÃO O objetivo deste relatório é analisar os resultados da Pesquisa ADEMI no mês de novembro de 212 no que diz respeito ao VSO

Leia mais

Lojas HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO Endereço

Lojas HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO Endereço Lojas HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO Endereço 1 Shopping Américas SEG A SÁBADO DE 10H AS 22H-DOMINGO E FERIADO: 13H AS AVENIDA DAS AMERICAS,15500 Loja 136-Recreio dos Bandeirantes- 2 Araruama SEG A SÁB: 9H AS

Leia mais

sistema de garantia de direitos sgd

sistema de garantia de direitos sgd sistema de garantia de direitos sgd Município do RIO DE JANEIRO / RJ Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional CEDCA Praça Cristiano Ottoni, 6º andar, sala 643 Prédio da Central do Brasil, Centro Telefone:

Leia mais

SMART EXPRESS TRANSPORTES SERVIÇOS DE MOTOBOY E ENTREGAS COM CARROS UTILITÁRIOS E EXECUTIVOS AGILIDADE PARA QUEM MANDA E PARA QUEM RECEBE

SMART EXPRESS TRANSPORTES SERVIÇOS DE MOTOBOY E ENTREGAS COM CARROS UTILITÁRIOS E EXECUTIVOS AGILIDADE PARA QUEM MANDA E PARA QUEM RECEBE 1. OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo estabelecer uma sistemática organizada de controle e combate a situações de vazamentos e derrames com risco ambiental e este procedimento se aplica a todas

Leia mais

NºLINHA VISTA ITINERÁRIO FUTURO

NºLINHA VISTA ITINERÁRIO FUTURO NºLINHA VISTA ITINERÁRIO FUTURO 100D 101C 101D 102C 103C 107C 1102C 1111C 111C 112B 112C 113B 1140B 114B 115B 119B 120B 122B NITEROI X PRACA XV CENTRAL X DUQUE DE CAXIAS (VIA VIGARIO GERAL) NITEROI X CASTELO

Leia mais

Colunagem Standard e Tablóide (Pág. Standard: 6 col x 52 cm - Pág. Tabloide: 5 col x 29cm)

Colunagem Standard e Tablóide (Pág. Standard: 6 col x 52 cm - Pág. Tabloide: 5 col x 29cm) Colunagem e Tablóide (Pág. : 6 col x 52 cm Pág. Tabloide: 5 col x 29cm) Primeiro Caderno, Segundo Caderno, Prosa e Verso, Morar Bem, Carro Etc., Boa Chance e Ela Primeiro Caderno Vida Ganha Tablóide Jogo

Leia mais

CEJA ENDEREÇOS TELEFONES

CEJA ENDEREÇOS TELEFONES CEJA ENDEREÇOS TELEFONES Araruama CIEP Brizolão 148 Professor Carlos Élio Vogas da Silva Rua Oscar Clark, s/nº - Parque Mataruna - Araruama - RJ (22) 2665-5953 (22) 2665-5431 Arraial do Cabo Maricá CEJA

Leia mais

CLÍNICAS DA FAMÍLIA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO: A EXPANSÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE EM QUESTÃO

CLÍNICAS DA FAMÍLIA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO: A EXPANSÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE EM QUESTÃO CLÍNICAS DA FAMÍLIA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO: A EXPANSÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE EM QUESTÃO Caracterização do problema Luiz Felipe Pinto 1 No primeiro mês da gestão (2009-2012) da Secretaria Municipal

Leia mais

ANTIGA RIO SÃO PAULO, KM32 RODOVIA AMARAL PEIXOTO, KM13,5 34,967 RUA IRAPURA, 430 - SANTISSIMO 78,035 RUA PERCY MURRAY, (FINAL) - COPACABANA 8,059

ANTIGA RIO SÃO PAULO, KM32 RODOVIA AMARAL PEIXOTO, KM13,5 34,967 RUA IRAPURA, 430 - SANTISSIMO 78,035 RUA PERCY MURRAY, (FINAL) - COPACABANA 8,059 01 EST. TRATAMENTO DE AGUA - GUANDU ANTIGA RIO SÃO PAULO, KM32 NOVA IGUAÇU RJ 898,099 136,325 47 NÃO NÃO NÃO 02 EST. TRATAMENTO DE AGUA - JUTURNAABA ESTRATA SÃO VICENTE DE PAULA, S/N ARARUAMA RJ 240,559

Leia mais

9h às 17h 10/11/15 10/11 a 01/12 10/11 a 04/12 (22) 26231640 rjacabuzios@correios.com.br

9h às 17h 10/11/15 10/11 a 01/12 10/11 a 04/12 (22) 26231640 rjacabuzios@correios.com.br ARMAÇÃO DE BÚZIOS AC ARMAÇÃO DE BUZIOS ESTRADA DA USINA VELHA 360 9h às 17h 10/11/15 10/11 a 01/12 10/11 a 04/12 (22) 26231640 rjacabuzios@correios.com.br BOM JESUS DE ITABAPOANA AC BOM JESUS DE ITABAPOANA

Leia mais

O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, instituído pela Lei nº 3.239, de 02 de agosto de 1999,no uso de suas atribuições legais, considerando:

O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, instituído pela Lei nº 3.239, de 02 de agosto de 1999,no uso de suas atribuições legais, considerando: RESOLUÇÃO CERHI-RJ Nº 107 DE 22 DE MAIO DE 2013 APROVA NOVA DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E REVOGA A RESOLUÇÃO CERHI N 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 O CONSELHO ESTADUAL

Leia mais

CENTROS DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CREAS

CENTROS DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - CREAS CENTROS DE REFERÊNCIA ESPECIALIZADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL - MUNICÍPIOS NOMES ENDEREÇOS TELEFONES EMAILS Angra dos Reis Aperibé Araruama Areal Armação de Búzios Arraial do Cabo Barra do Piraí Barra Mansa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE - UFF EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NOS CURSOS DE GRADUAÇÃO POR MEIO DO SiSU NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2016 O Reitor da Universidade

Leia mais

Determinação de Mercados Relevantes no Setor de Saúde Suplementar. 25 de junho de 2008

Determinação de Mercados Relevantes no Setor de Saúde Suplementar. 25 de junho de 2008 Determinação de Mercados Relevantes no Setor de Saúde Suplementar 25 de junho de 2008 Estrutura da Apresentação I Objetivo do Trabalho; II Metodologia; e III Estudos de Caso. I Objetivo do Trabalho O objetivo

Leia mais

RELAÇÃO DE LOCAIS DE VOTAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE URNAS

RELAÇÃO DE LOCAIS DE VOTAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE URNAS RELAÇÃO DE LOCAIS DE VOTAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE URNAS URNA SUBSEÇÃO LOCAL ENDEREÇO 1 RIO DE JANEIRO ESTÁCIO DE SÁ RUA SÃO JOSÉ, 35, 15º ANDAR, CENTRO - RIO DE JANEIRO - RJ 2 RIO DE JANEIRO ESTÁCIO DE SÁ

Leia mais

01 - Sede Estadual 02 - Sede Bangu

01 - Sede Estadual 02 - Sede Bangu 01 - Sede Estadual 02 - Sede Bangu Av. Vicente de Carvalho, 1121 Vila da Penha - Rio de Janeiro - RJ CEP: 21210-623 (21) 3013-2245 S.O.S Oração: (21) 3391-0707 Pr. Ubyratan Araújo Rua Belila, 10 - Bangu

Leia mais

Proposta Comercial. Serviços Esporádicos.

Proposta Comercial. Serviços Esporádicos. Proposta Comercial Serviços Esporádicos. Sobre a G R S A G R S Moto Express, ao longo de seus anos de experiência no segmento de entregas rápidas coloca a sua disposição, uma equipe de profissionais, altamente

Leia mais

EXECUÇÃO FISCAL (com pontos e hífen) ECHO 001 RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO ECHO 001

EXECUÇÃO FISCAL (com pontos e hífen) ECHO 001 RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO ECHO 001 ENDEREÇO DO IMÓVEL BAIRRO ECHO 001 RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO ECHO 001 ECHO 002 RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO RETIRADO

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GABINETE DO CONSELHEIRO JOSÉ GOMES GRACIOSA

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GABINETE DO CONSELHEIRO JOSÉ GOMES GRACIOSA RUBRICA: FLS.: 657 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO GABINETE DO CONSELHEIRO JOSÉ GOMES GRACIOSA VOTO GC-2 1593/2014 PROCESSO: TCE-RJ N o 238.182-1/13 ORIGEM: COORDENADORIA DE AUDITORIA E

Leia mais

Livro Adicional Eletrônico XML

Livro Adicional Eletrônico XML PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA Diretoria Geral de Fiscalização e Apoio às Serventias Extrajudiciais Divisão de Monitoramento Extrajudicial Livro Adicional Eletrônico

Leia mais

Gráfico 1 Frequência dos casos notificados por semana epidemiológica no município do Rio de Janeiro nos anos de 2011 e 2012:

Gráfico 1 Frequência dos casos notificados por semana epidemiológica no município do Rio de Janeiro nos anos de 2011 e 2012: Boletim nº 07 Terça-Feira 24/01/12 O número de casos acumulados notificados de dengue, nos anos de 2011 e 2012, até o momento, foi de 78.062 e 532 casos, respectivamente. Na semana 03 do ano de 2012 (15/01

Leia mais

Rio Estudos Levantamento de população em situação de rua

Rio Estudos Levantamento de população em situação de rua Rio Estudos Levantamento de população em situação de rua 1 Abertura A Prefeitura do Rio de Janeiro publica, nesta edição do Rio Estudos, o resultado do 2º levantamento realizado pela Secretaria Municipal

Leia mais

Municípios em Dados. SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti

Municípios em Dados. SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti Municípios em Dados SUBSECRETÁRIA DE PLANEJAMENTO Cláudia Uchôa Cavalcanti Equipe da Dimensão Territorial do Planejamento: Haidine da Silva Barros Duarte Francisco Filomeno Abreu Neto Paulo Cesar Figueredo

Leia mais

Seção Nº Linha/Seção Cat Tipo. Tarifa (R$)

Seção Nº Linha/Seção Cat Tipo. Tarifa (R$) Seção Nº Linha/Seção Cat Tipo Tarifa (R$) RJ 101 AUTO ÔNIBUS FAGUNDES LTDA. 0 430 M Niterói - São José SA O 3,60 0 431 M Niterói - Monjolos SA C 3,60 0 701 M Alcântara - Itaboraí (via Bernardino) SA O

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TCE/RJ ESCOLA DE CONTAS E GESTÃO - ECG EDITAL N O 02/2014

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TCE/RJ ESCOLA DE CONTAS E GESTÃO - ECG EDITAL N O 02/2014 TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO TCE/RJ ESCOLA DE CONTAS E GESTÃO - ECG EDITAL N O 02/2014 Fixa as normas do Processo Seletivo para ingresso na 3ª Turma do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu

Leia mais

DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. DEFINIÇÃO DA ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Gláucio José Marafon 1 João Rua 1 Adriana Paula da Silva Galhardo 2 Alvaro Henrique de Souza Ferreira 2 Ivan Luiz de Oliveira

Leia mais

FACULDADES DE DIREITO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS AO MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO DE JANEIRO

FACULDADES DE DIREITO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS AO MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO DE JANEIRO FACULDADES DE DIREITO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INSTITUIÇÕES DE ENSINO CONVENIADAS AO MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO DE JANEIRO UNIVERSIDADE Abeu - Centro Universitário - UNIABEU www.uniabeu.edu.br / pap@abeu.com.br

Leia mais

REGIÕES Metropolitana I Metropolitana II Baia da Ilha Grande Médio Paraíba Centro - Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Fluminense Noroeste Flumin.

REGIÕES Metropolitana I Metropolitana II Baia da Ilha Grande Médio Paraíba Centro - Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Fluminense Noroeste Flumin. REGIÕES Metropolitana I Metropolitana II Baia da Ilha Grande Médio Paraíba Centro - Sul Serrana Baixada Litorânea Norte Fluminense Noroeste Flumin. Região 1 HEMORIO - HEMOCENTRO COORDENADOR Rua Frei Caneca,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE - SEA INSTITUTO ESTADUAL DO AMBIENTE - INEA RESOLUÇÃO INEA Nº 15 DE 23 DE SETEMBRO DE 2010 ESTABELECE OS PROCEDIMENTOS A SEREM ADOTADOS

Leia mais

INTERNADOS INVOLUNTARIAMENTE

INTERNADOS INVOLUNTARIAMENTE 2012 RELATÓRIO do MÓDULO DE SAÚDE MENTAL - 2012 O Módulo de Saúde Mental - MSM é um sistema informatizado desenvolvido para o envio das notificações de internações psiquiátricas involuntárias, bem como

Leia mais

Postos de Coleta. Entre os principais materiais que podem ser doados, estão:

Postos de Coleta. Entre os principais materiais que podem ser doados, estão: Postos de Coleta A AACIRJ solicita a todos os nossos associados e não associados apoio às vítimas das chuvas na regiã Entre os principais materiais que podem ser doados, estão: - objetos de higiene pessoal;

Leia mais

QUEM SÃO OS DESAPARECIDOS? UM ESTUDO DO PERFIL DAS VÍTIMAS DE DESAPARECIMENTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

QUEM SÃO OS DESAPARECIDOS? UM ESTUDO DO PERFIL DAS VÍTIMAS DE DESAPARECIMENTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO QUEM SÃO OS DESAPARECIDOS? UM ESTUDO DO PERFIL DAS VÍTIMAS DE DESAPARECIMENTO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Resumo: Vanessa Campagnac Thaís C. Ferraz Thiago Soliva Poucas pesquisas foram realizadas objetivando

Leia mais

Federalismo Social 3.0 Família Carioca & Renda Melhor 700 mil Cariocas + 1 milhão Fluminenses

Federalismo Social 3.0 Família Carioca & Renda Melhor 700 mil Cariocas + 1 milhão Fluminenses Federalismo Social 3.0 Família Carioca & Renda Melhor 700 mil Cariocas + 1 milhão Fluminenses www.fgv.br/cps/fci Centro de Políticas Sociais CPS / FGV 1 Descrição dos Programas Complementos do programa

Leia mais

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now. PORTARIA DETRO/PRES. N O 983 DE 14 DE JANEIRO DE 2010 (publicada em 15 de janeiro de 2010) DISPÕE SOBRE A UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS DO TIPO PISO BAIXO NO SISTEMA INTERMUNICIPAL DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE

Leia mais

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES CREDORES - R.P. e Realizadas - /INVESTIMENTO - Página: Page 1 of 16 02 RESTITUIÇÕES 2º DISTRITO DA COMARCA DE CAMPOS DOS GOYTACAZES CNPJ/CPF: 23064378000154 2º RCPN DA COMARCA DA CAPITAL CNPJ/CPF: 23407222000129

Leia mais

ANEXO II TUTORES PRESENCIAIS ENDEREÇO DOS POLOS PARA ENTREGA DE INSCRIÇÃO E DOCUMENTOS

ANEXO II TUTORES PRESENCIAIS ENDEREÇO DOS POLOS PARA ENTREGA DE INSCRIÇÃO E DOCUMENTOS Polos Angra dos Reis Barra do Piraí Belford Roxo Bom Jesus do Itabapoana Campo Grande Cantagalo Duque de Caxias Itaguai Itaocara Itaperuna Macaé Magé Endereços Polo Verolme Av. dos Trabalhadores 179, Jacuecanga

Leia mais

Students to Business Rio de Janeiro

Students to Business Rio de Janeiro Students to Business Rio de Janeiro No Rio de Janeiro, a primeira fase do programa Students to Business será realizado em 25 unidades da Universidade Estácio de Sá em 11 municípios. Para as demais fases,

Leia mais

NÚCLEO HEMOTERAPIA DE NOVA IGUAÇU HOSPITAL GERAL DE NOVA IGUAÇU NÚCLEO DE HEMOTERAPIA ZONA SUL - INSTITUTO NACIONAL DE CARDIOLOGIA

NÚCLEO HEMOTERAPIA DE NOVA IGUAÇU HOSPITAL GERAL DE NOVA IGUAÇU NÚCLEO DE HEMOTERAPIA ZONA SUL - INSTITUTO NACIONAL DE CARDIOLOGIA Região 1 HEMORIO - HEMOCENTRO COORDENADOR Rua Frei Caneca, 8 Horário para Doações: diariamente de 07h às 18h (inclusive sábados, domingos e feriados) Tel.: 21 2505-0750/2505-6750 Tel.: 0800-2820708 (Disque

Leia mais

Sistema DCP. Provimento CGJ 63/2012. Alvará de Soltura Interior

Sistema DCP. Provimento CGJ 63/2012. Alvará de Soltura Interior Sistema DCP Provimento CGJ 63/2012 Alvará de Soltura Interior Índice 1. Informações Iniciais... 3 2. Utilização do Texto Alvará de Soltura... 3 2.1. Andamento 52 - Digitação de Documentos... 3 3. Recebimento

Leia mais

DIRETORIA GERAL DE LOGÍSTICA DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DIVISÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES

DIRETORIA GERAL DE LOGÍSTICA DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DIVISÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES DIRETORIA GERAL DE LOGÍSTICA DEPARTAMENTO DE INFRAESTRUTURA OPERACIONAL DIVISÃO DE MOVIMENTAÇÃO DE EXPEDIENTES MANUAL PARA POSTAGEM DE CORRESPONDÊNCIA DATA DE VIGÊNCIA 01/10/2013 SUMÁRIO 1 CONSIDERAÇÕES

Leia mais

Tel.: 21-2868-8134/2868-8126 Referência: Próximo ao Campus da UERJ e ao lado do Hospital Universitário Pedro Ernesto

Tel.: 21-2868-8134/2868-8126 Referência: Próximo ao Campus da UERJ e ao lado do Hospital Universitário Pedro Ernesto Postos de doação HEMORIO - HEMOCENTRO COORDENADOR Rua Frei Caneca, 8 Horário para Doações: diariamente de 7 as 18h (inclusive sábados, dogos e feriados) Tel.: 21 2332-8611 Tel.: 0800-2820708 (Disque Sangue)

Leia mais

Como Publicar Missas, Avisos Fúnebres e Religiosos em O Globo

Como Publicar Missas, Avisos Fúnebres e Religiosos em O Globo Para consultar RJ Cartórios no Estado do Rio de Janeiro. Cartorio RJ para registro civil: óbito, falecimento,... Como Publicar Missas, Avisos Fúnebres e Religiosos em O Globo CLIQUE AQUI e preencha o Formulário

Leia mais

Novas estimativas do IBGE para a população do Rio de Janeiro

Novas estimativas do IBGE para a população do Rio de Janeiro ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S Novas estimativas do IBGE para a população do Rio de Janeiro Nº 20080101 Janeiro - 2008 Fernando Cavallieri, Fabrício Leal de Oliveira - IPP/Prefeitura

Leia mais

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 22 DE SETEMBRO DE 2014

1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 22 DE SETEMBRO DE 2014 1ª RETIFICAÇÃO DO EDITAL Nº 01, DE 22 DE SETEMBRO DE 2014 A Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Desembargadora LEILA MARIA CARRILO CAVALCANTE RIBEIRO MARIANO, no uso das atribuições

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL Nº 01/2010 - RECENSEADOR QUADRO DE VAGAS E POLOS DE PROVA. Página 1 de 5

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL Nº 01/2010 - RECENSEADOR QUADRO DE VAGAS E POLOS DE PROVA. Página 1 de 5 3300100000 RJ ANGRA DOS REIS ANGRA DOS REIS 171 162 9 3300100001 RJ ANGRA DOS REIS / ABRAÃO - ILHA GRANDE ANGRA DOS REIS 6 5 1 3300100002 RJ ANGRA DOS REIS / MAMBUCABA ANGRA DOS REIS 22 21 1 3300159000

Leia mais

LINHA VISTA CONSÓRCIO ITINERÁRIO

LINHA VISTA CONSÓRCIO ITINERÁRIO 10 FÁTIMA X CENTRAL, Túnel João Ricardo, Rua Rivadávia Correia, Rua do Livramento, Rua Sacadura Cabral, Praça Mauá, Rua Acre, Rua Uruguaiana, Av. Presidente Vargas (pista lateral), Av. Rio Branco, 127

Leia mais

CONSELHO DIRETOR ATO DO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO INEA Nº 120 DE 17 DE JUNHO DE 2015.

CONSELHO DIRETOR ATO DO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO INEA Nº 120 DE 17 DE JUNHO DE 2015. Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado do Ambiente SEA Instituto Estadual do Ambiente INEA CONSELHO DIRETOR ATO DO CONSELHO DIRETOR RESOLUÇÃO INEA Nº 120 DE 17 DE JUNHO DE 2015. PRORROGA

Leia mais

ÔNIBUS Mudanças no itinerário

ÔNIBUS Mudanças no itinerário R. Teix. Freitas MUDANÇAS NO TRÂNSITO DO CENTRO 2ª EDIÇÃO FECHAMENTO DA PERIMETRAL E MERGULHÃO DA PRAÇA XV ÔNIBUS Mudanças no itinerário Binário Av. Venezuela Praça Mauá R. Camerino Candelária R. R. R.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE GERÊNCIA DE SAÚDE MENTAL

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE GERÊNCIA DE SAÚDE MENTAL GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE GERÊNCIA DE SAÚDE MENTAL RELAÇÃO DOS HOSPITAIS PSIQUIÁTRICOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIÃO CENTRO SUL Três Rios Clínica de Repouso

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO EDITAL DE CONVOCAÇÃO Eleições - triênio 2013/2015 A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, SECCIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, nos termos dos artigos 63 a 67 da Lei Federal 8.906/94 (Estatuto da Advocacia e

Leia mais

LINHA VISTA EMPRESA CONSÓRCIO ITINERÁRIO ALTERADO PARA... ATENÇÃO!

LINHA VISTA EMPRESA CONSÓRCIO ITINERÁRIO ALTERADO PARA... ATENÇÃO! LINHA VISTA EMPRESA CONSÓRCIO ITINERÁRIO ALTERADO PARA... ATENÇÃO! 6 Silvestre - Castelo Transurb 10 Fátima - Central Transurb IDA:... Av. Augusto Severo, Passeio Público, Av. Mem de Sá, Rua do Lavradio,

Leia mais

COMUNICADO. Secretaria Municipal de Assistência Social conta com 23 postos de atendimento para doações aos desabrigados das chuvas

COMUNICADO. Secretaria Municipal de Assistência Social conta com 23 postos de atendimento para doações aos desabrigados das chuvas COMUNICADO Secretaria Municipal de Assistência Social conta com 23 postos de atendimento para doações aos desabrigados das chuvas Além do Centro Administrativo São Sebastião (Rua Afonso Cavalcanti, 455,

Leia mais

2º SEMINÁRIO NACIONAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁREA TEMÁTICA: PLANEJAMENTO TERRITORIAL, POLÍTICAS PÚBLICAS

2º SEMINÁRIO NACIONAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁREA TEMÁTICA: PLANEJAMENTO TERRITORIAL, POLÍTICAS PÚBLICAS 2º SEMINÁRIO NACIONAL DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁREA TEMÁTICA: PLANEJAMENTO TERRITORIAL, POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCAÇÃO BÁSICA NO MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES: contradições e fracassos Resumo

Leia mais

do Pré-Vestibular Social CIEP 302 Charles Dickens R. Doce Angra/R. Doce s/nº - Jacuecanga Tel: (24) 3361-3003

do Pré-Vestibular Social CIEP 302 Charles Dickens R. Doce Angra/R. Doce s/nº - Jacuecanga Tel: (24) 3361-3003 Angra dos Reis Bangu Barra do Piraí Barra Mansa Belford Roxo (C. E. Pres. Kennedy) Bom Jesus de Itabapoana Campo Grande (Jeannette Mannarino) Campo Grande (Sarah Kubitscheck) do PréVestibular Social CIEP

Leia mais

COMENTANDO O CRESCIMENTO POPULACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Fany Davidovich *

COMENTANDO O CRESCIMENTO POPULACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Fany Davidovich * COMENTANDO O CRESCIMENTO POPULACIONAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Fany Davidovich * Como introdução ao tema, algumas observações se fazem necessárias. Primeiro, deve ser considerado que se trata de um

Leia mais

PROGRAMA O Drama MAIS da Inclusã EDUCAÇÃO - o PME Perversa

PROGRAMA O Drama MAIS da Inclusã EDUCAÇÃO - o PME Perversa PROGRAMA MAIS O Drama EDUCAÇÃO da Inclusão - PME Perversa Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Currículos e Educação Integral Construção da Política de Educação Integral no

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

Dia da Consciência Negra - feriados municipais

Dia da Consciência Negra - feriados municipais Nº UF Município 1 AL UNIAO DOS PALMARES 2 AM MANAUS 3 GO FLORES DE GOIAS 4 MG ITAPECERICA 5 MT ACORIZAL 6 MT AGUA BOA 7 MT ALTA FLORESTA 8 MT ALTO ARAGUAIA 9 MT ALTO DA BOA VISTA 10 MT ALTO GARCAS 11 MT

Leia mais

Sistema DCP Provimento CGJ 63/2012

Sistema DCP Provimento CGJ 63/2012 Sistema DCP Provimento CGJ 63/2012 Alvará de Soltura Fórum Central e Regionais Índice 1. Informações Iniciais...3 2. Utilização do Texto Alvará de Soltura...3 2.1. Andamento 52 - Digitação de Documentos...3

Leia mais

LINHAS MUNICIPAIS ALTERAÇÕES DE ITINERÁRIOS 14 DE MAIO DE 2016

LINHAS MUNICIPAIS ALTERAÇÕES DE ITINERÁRIOS 14 DE MAIO DE 2016 LINHAS MUNICIPAIS ALTERAÇÕES DE ITINERÁRIOS 14 DE MAIO DE 2016 006 Silvestre x IDA / VOLTA:, Rua Silvio Romero, Rua Riachuelo, Rua do Lavradio, Av. República do Chile, Av. Almirante Barroso, Av. Presidente

Leia mais

Botafogo Heloísa Helena Camillo Martine Rua Voluntários da Pátria, 190 - Sl. 1118 Tel.: 2551-0349 Campo Grande Molar Assistência Dentária Rua Agostinho Coelho, 6-2ª andar Tel.: 2515-9933 Centro Audiodonto

Leia mais