Estudo de Viabilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo de Viabilidade"

Transcrição

1 Estudo de Viabilidade Projeto InfoSupply Professora: Carla Silva Recife, 28 de Outubro de 2012.

2 Controle de Versões Versão Responsável pela modificação Modificação realizada

3 Sumário 1. Motivação Introdução: O Problema Identificado Apresentação das Alternativas para o Sistema Alternativa Alternativa Alternativa Estudo da Viabilidade Operacional Estudo da Viabilidade Técnica Alternativa Alternativa Alternativa Comparação Estudo da Viabilidade de Cronograma Alternativa Alternativa Alternativa Estudo da Viabilidade Econômica Alternativa Alternativa Alternativa Análise Final das Alternativas Conclusão Apêndice A Detalhamento do Estudo de Viabilidade Operacional Alternativa Alternativa

4 Alternativa Apêndice B Detalhamento do Estudo de Viabilidade Econômica Alternativa Alternativa Alternativa

5 1. Motivação O sistema que uma empresa adota tem impacto direto em seu desempenho no mercado, custos e controle de processos. Através do uso de sistemas informatizados, muitas vezes, é possível obter melhorias no gerenciamento, disponibilidade e segurança da informação, além de, em muitos casos, permitir a automação de vários procedimentos. A motivação desse projeto é a criação de uma solução que permita a uma loja de produtos de informática aumentar a venda de computadores personalizados e, consequentemente, os seus lucros, além da melhoria na satisfação dos seus clientes. 2. Introdução: O Problema Identificado Um dos cenários para a realização da compra de um computador personalizado por parte de um cliente necessita que ele se dirija à loja e faça contato com o vendedor para a escolha dos componentes do produto. Neste cenário, o comprador pode se deparar com problemas como a necessidade de deslocamento até a loja, falta de informação do vendedor sobre os produtos, possibilidade de enfrentar fila para realizar seu pedido e, até mesmo, esperar um tempo considerável para a montagem do computador por ele escolhido. Já o dono da loja se vê sempre na necessidade de ter vendedores constantemente qualificados para a realização de um bom atendimento ao cliente. O outro cenário possível para a compra de um computador personalizado é através do uso da loja virtual que permite ao comprador realizar seu pedido através da escolha das peças que vão fazer parte do produto. Neste cenário, também existem problemas como a ausência de padronização das informações das peças no website e a falta de dados necessários para a verificação de compatibilidade entre as peças escolhidas, o que faz com que, frequentemente, o usuário tenha que recorrer a outros sites da Internet em busca de informação sobre a compatibilidade das peças que ele escolheu. Isto pode desestimular o usuário no momento da compra e mostrar que o ambiente online da loja não se mostra um local adequado e/ou completo para a realização deste tipo de operação. 1

6 Diante disso, são apresentadas três propostas com o intuito de melhorar o processo de venda de computadores personalizados. 2.1 Apresentação das Alternativas para o Sistema Nesta seção serão apresentadas as três alternativas propostas para a resolução do problema identificado, de modo a esclarecer o significado de cada alternativa Alternativa 1 A primeira alternativa propõe um sistema web acessível por qualquer computador com Internet. Esse sistema permitirá ao usuário escolher as peças disponíveis no estoque da loja, na ordem que desejar, para compor seu computador. Ao final de sua escolha, o sistema irá verificar se existe alguma incompatibilidade entre as peças escolhidas, informando ao cliente quais foram os problemas encontrados e as possíveis soluções para resolvê-los mediante sugestões. Após o cliente ter selecionado seu computador de maneira que os componentes sejam compatíveis, ele pode finalizar o pedido, retornando ao sistema habitual de pagamento/entrega da loja Alternativa 2 A segunda alternativa propõe um sistema inacessível aos clientes da loja, sendo de uso exclusivo dos funcionários através de terminais localizados dentro do próprio estabelecimento. O sistema terá o cadastro dos componentes computacionais que a loja disponibiliza, bem como dados do estoque dos mesmos e informações das principais características de compatibilidade entre eles. O sistema também contará com guidelines que especificam ou auxiliam o vendedor alertando-o sobre os principais pontos que devem ser atentados no momento da montagem e descoberta dos perfis de computadores adequados ao usuário (perfis pré-definidos, porém passíveis de modificação. Ex.: gamer, business, economy, family). 2

7 2.1.3 Alternativa 3 A terceira alternativa também é um sistema web acessível por qualquer computador com Internet. Nesta alternativa, o cliente vai montar o seu computador através de um sistema passo-a-passo, onde cada passo é representado por um tipo de componente (processador, placa-mãe, gabinete, etc.) e, em cada etapa, ele deve escolher um elemento da lista de peças disponíveis no estoque da loja. Se no passo 1 o tipo de componente é um processador, então será exibido ao usuário um conjunto de processadores a partir do qual ele deve escolher um item para dar continuidade ao passo seguinte. Após o passo 1 ser completado, o cliente é levado ao passo 2 que consistiria, por exemplo, da seleção de um tipo de placa-mãe e assim sucessivamente, até finalizar todas as etapas necessárias para a montagem do computador. Em cada passo as opções apresentadas são garantidamente compatíveis com as peças selecionadas nos passos anteriores. Sendo assim, nesta proposta não há a possibilidade de erros no momento da escolha das peças que compõem o produto desejado, já que as opções mostradas são baseadas numa sequência totalmente compatível de componentes. É um instrumento de grande suporte, sobretudo a usuários leigos, isto é, sem experiência prévia com a montagem de computador. Assim como a primeira solução, após a montagem da máquina, o comprador pode finalizar o pedido retornando ao sistema habitual de pagamento/entrega da loja. 3. Estudo da Viabilidade Operacional Nesta seção serão apresentados os resultados do estudo de viabilidade sob o ponto de vista operacional, isto é, será avaliada a urgência do problema, de modo a saber se realmente vale à pena a resolução do mesmo ou se a proposta em questão funcionará para resolver o problema enfrentado pelo estabelecimento. Serão adotados como critérios de avaliação desta viabilidade a estrutura PIECES e a análise do relacionamento usuário-sistema de modo a identificar o quão bem o usuário final (funcionários da loja ou clientes) e a gerência se sentem com a implantação do sistema em suas rotinas de trabalho. A seguir, são definidos os elementos que compõe a estrutura PIECES juntamente com os elementos usuário e gerência que auxiliarão na atribuição da nota de viabilidade operacional desta alternativa de solução. Esta nota posteriormente será considerada como ponto chave no processo de escolha da melhor solução a ser estabelecida. 3

8 Performance Informação Economia Controle Eficiência Serviços Usuário Gerência Considera a adequação do nível de vazão (throughput) e tempo de resposta do sistema proposto. Considera o nível de informações formatadas, corretas, úteis, pertinentes e com tempo adequado providas ao usuário/gerência pelo sistema proposto. Considera o nível custo/eficiência dos serviços de informação providos pelo sistema e sua adequação à organização (redução de custos e aumento de benefícios). Considera o nível de eficiência do sistema proposto para evitar fraudes e garantir a corretude e segurança dos dados e da informação. Considera o nível de utilização dos recursos humanos, físicos ou temporais (evitar ociosidade). Considera o nível de flexibilidade, extensibilidade e o fornecimento de serviços confiáveis por parte do sistema proposto. Considera o nível de comodidade e conveniência para os usuários finais. Considera o nível de facilidade de gerir o processo. Nesta seção, serão mostrados os resultados conclusivos das análises realizadas. Assim, para maiores detalhes e percepções sobre a viabilidade operacional das três alternativas, recomenda-se fortemente a leitura do Apêndice A. A primeira alternativa apresenta as características de performance, eficiência, serviços e usuário final como pontos fortes, porém seu valor de economia (custobenefício) em comparação com as outras duas se apresenta bem desfavorável. Na segunda alternativa, os campos de controle e gerência são considerados os pontos de maiores destaques, já que é um sistema de acesso interno, restrito apenas ao estabelecimento. No entanto, nos quesitos de performance e informação ela se encontra abaixo das outras duas alternativas. A terceira alternativa se apresentou como a mais viável operacionalmente e em quase todos os quesitos ela se apresenta com valores no mínimo iguais às outras duas, com exceção do fator controle, onde perde para a segunda alternativa devido ao fato de ser um sistema fundamentalmente web. Os resultados descritos acima são resumidos quantitativamente na tabela a seguir, seguindo uma escala de notas de 0 a 10 e pesos de 1 a 3, onde 10 é a maior nota e 3 é o maior peso no impacto da análise de viabilidade operacional. 4

9 Critérios Alternativa 1 Alternativa 2 Alternativa 3 Pesos Performance Informação Economia Controle Eficiência Serviços Usuário Gerência TOTAL 7 7, Estudo da Viabilidade Técnica Este estudo visa analisar a praticidade das soluções técnicas em relação às alternativas propostas. Serão considerados como pontos cruciais de análise da tecnologia a ser adotada: disponibilidade no mercado (caso não esteja disponível, é importante saber se há a possibilidade de aquisição desta tecnologia), maturidade (presença de uma grande base de clientes capazes de recomendar e opinar sobre problemas e melhorias), conhecimento técnico necessário por parte dos especialistas e equipe de projeto (caso seja considerada uma tecnologia nova, é importante avaliar o tempo de aprendizado da equipe de modo que não prejudique o cronograma final estabelecido para a entrega da solução). 4.1 Alternativa 1 Com relação à infraestrutura, a alternativa 1 necessita do aluguel de servidor(es) web e servidor(es) de banco de dados mysql. Para a implementação, serão usadas as linguagens php/sql/html/css/javascript/owl. Em relação aos softwares para desenvolvimento, serão utilizados o sistema operacional ubuntu, as ferramentas de modelagem MySQL Workbench, protegé e astah. O ambiente de programação 5

10 contará com a IDE eclipse e o pacote de aplicativos google docs para a realização da documentação necessária. É importante destacar que a equipe de desenvolvimento apresenta conhecimento técnico e está atualizada em várias das tecnologias escolhidas. Além disso, as ferramentas necessárias ao desenvolvimento do projeto já se encontram consolidadas no mercado, são gratuitas e possuem uma grande base de desenvolvedores, tornando essa alternativa bastante viável. A única ressalva que deve ser feita é em relação ao uso da linguagem owl, que não é de conhecimento do time de desenvolvimento e se faz necessário um treinamento para o correto uso da linguagem como também de sua ferramenta de modelagem. 4.2 Alternativa 2 A alternativa 2 faz uso da infraestrutura de servidor(es) de banco de dados já disponível(eis) na loja. Como linguagens de desenvolvimento, serão utilizadas Java e SQL. Em relação aos softwares para desenvolvimento, os escolhidos serão o sistema operacional ubuntu; as ferramenta de modelagem MySQL Workbench e astah. O ambiente de programação contará com a IDE eclipse e o pacote de aplicativos google docs para a realização da documentação necessária. Em relação ao hardware, serão necessárias máquinas desktop (terminais) já disponíveis pelo estabelecimento que serão utilizadas pelos vendedores para a obtenção das informações necessárias sobre as peças, sobre os computadores previamente definidos passíveis de modificação e guidelines úteis. A tecnologia adotada de hardware/software já se encontra disponível no mercado. Não será necessário o treinamento técnico e contínuo da equipe de funcionários por se tratar de um sistema simples e de funcionamento facilmente perceptível. Isso permite que o usuário seja capaz de fazer uso da solução sem grandes dificuldades e de forma automatizada. Por não se tratar de tecnologias novas e complexas e, consequentemente, não haver a necessidade de treinamento técnico especializado, o cronograma do sistema não sofrerá impactos negativos, seguindo o prazo de entrega estabelecido. 6

11 4.3 Alternativa 3 Em níveis de infraestrutura, a terceira alternativa necessita do aluguel de servidor(es) web e servidor(es) de banco de dados mysql. Para a implementação, serão usadas as linguagens php/sql/html/css/javascript. Em relação aos softwares para desenvolvimento, os escolhidos serão o sistema operacional ubuntu, as ferramenta de modelagem MySQL Workbench e astah. O ambiente de programação contará com a IDE eclipse e o pacote de aplicativos google docs para a realização da documentação necessária. É importante destacar que a equipe de desenvolvimento apresenta conhecimento técnico e está atualizada com relação às tecnologias adotadas. Além disso, as ferramentas necessárias ao desenvolvimento do projeto já se encontram consolidadas no mercado, são gratuitas e possuem uma grande base de desenvolvedores, tornando essa alternativa bastante viável. 4.4 Comparação Em relação aos critérios de viabilidade técnica especificados acima, a alternativa 2 se mostra como a mais viável devido ao fato de utilizar tecnologias já conhecidas pela empresa, além do fato de não necessitar do aluguel de equipamentos de hardware extras. Em contrapartida, a primeira alternativa apresentou o pior resultado das três devido à necessidade do aprendizado através de treinamentos em novas tecnologias e ferramentas, o que vai causar um certo impacto no cronograma do projeto. Abaixo, é mostrada uma tabela sintetizando os resultados através de notas de 0 a 10, onde 10 é o maior valor, que evidenciam a comparação entre as alternativas propostas. Alternativas Notas Alternativa 1 8 Alternativa 2 10 Alternativa 3 9 7

12 5. Estudo da Viabilidade de Cronograma Embora haja grande interesse da loja na implantação de uma solução que aumente seus lucros, a forma atual que a empresa opera é de certo modo lucrativa, se encontra implantada há muito tempo e seus funcionários são familiarizados com o processo, dessa forma não há urgência na implantação do novo sistema. 5.1 Alternativa 1 O prazo para a entrega final do produto resultante da primeira alternativa são 5 meses, considerando 2 semanas para treinamento nas novas ferramentas e linguagens, 4 meses para desenvolvimento, 1 semana para a realização dos testes e a semana restante para a implantação do sistema e o treinamento da equipe a operar o novo sistema. 5.2 Alternativa 2 O prazo total de implementação, testes e implantação do sistema proposto na segunda alternativa é de 3 meses. O prazo definido foi dividido em 2 meses e duas semanas de implementação, 1 semana de testes e 1 semana de implantação. 5.3 Alternativa 3 O prazo total de implementação, testes, implantação e treinamento do sistema proposta na terceira alternativa é de 4 meses. O prazo definido foi dividido em 3 meses e duas semanas de implementação, 1 semana de testes e 1 semana de implantação e treinamento. A seguir, é mostrada uma tabela sintetizando os resultados das notas de 0 a 10, onde 10 é o maior valor, que evidenciam a comparação entre as alternativas propostas. 8

13 Alternativas Tempo (meses) Notas Alternativa Alternativa Alternativa Estudo da Viabilidade Econômica Nesta seção serão apresentas as alternativas propostas sob o ponto de vista de viabilidade econômica. Serão mostrados de forma geral, para cada alternativa, os aspectos de custo-benefício e a conclusão resultante deste relacionamento. É importante observar que quanto maior o valor ROI e menor o período de payback, melhor a viabilidade econômica que é desejada pela organização. 6.1 Alternativa 1 Custos Envolvidos: Aluguel do servidor web e servidor de banco de dados; Manutenção do servidor web e servidor de banco de dados; Salário dos desenvolvedores do sistema; Despesas com materiais de escritório; Custo com aluguel, energia, água e telefone para os desenvolvedores; Pagamento dos salários dos funcionários encarregados da limpeza das instalações usadas para o desenvolvimento; Treinamento de funcionários; Manutenção do software. Benefícios: Aumento da demanda por serviços da loja estimado em 15%; Aumento da satisfação dos clientes estimado em 60%; Permite o autoatendimento do cliente. 9

14 Conclusão: Com um ROI de -17,82% e payback não existente para o período dos cinco anos analisados (ver Apêndice B para detalhes), esta alternativa apresentou uma viabilidade econômica pior que as outras 2 propostas, principalmente devido a seu alto custo inicial e baixo benefício econômico acumulado se comparado aos custos acumulados durante os cinco anos analisados. Com um valor de ROI negativo, é possível concluir que esta alternativa se mostra inviável economicamente dentro do período analisado. 6.2 Alternativa 2 Custos Envolvidos: Manutenção do servidor de banco de dados já disponível na empresa; Salário dos desenvolvedores do sistema; Despesas com materiais de escritório; Custo com aluguel, energia, água e telefone para os desenvolvedores; Pagamento dos salários dos funcionários encarregados da limpeza das instalações usadas para o desenvolvimento; Manutenção do software. Benefícios: Aumento da demanda por serviços da loja estimado em 10%; Aumento da satisfação dos clientes em 50% e dos funcionários estimado em 70%; Diminuição dos erros de configuração, com montagem de um computador compatível de acordo com o perfil do usuário. Aproximadamente 5x mais rápida que o modo atualmente empregado. Conclusão: Com um ROI de 28,74% e payback de 3,55 anos (ver Apêndice B para detalhes), a alternativa por mais que não traga um retorno financeiro tão grande quanto à terceira, possui um custo inicial bem reduzido em relação às outras alternativas apresentadas. 10

15 6.3 Alternativa 3 Custos Envolvidos: Aluguel do servidor web e servidor de banco de dados; Manutenção do servidor web e servidor de banco de dados; Salário dos desenvolvedores do sistema; Despesas com materiais de escritório; Custo com aluguel, energia, água e telefone para os desenvolvedores; Pagamento dos salários dos funcionários encarregados da limpeza das instalações usadas para o desenvolvimento; Treinamento de funcionários; Manutenção do software. Benefícios: Aumento da demanda por serviços da loja estimado em 20%; Aumento da satisfação dos clientes estimado em 60%; Permite autoatendimento dos clientes. Conclusão: Com um ROI de 62,43% e payback de 2,42 anos (checar Apêndice B para detalhes), esta alternativa apresentou uma viabilidade econômica alta em comparação com as outras duas anteriores. Em resumo, apesar de possuir um médio custo, esta opção proporciona um aumento da demanda por serviços da loja de forma significativa e, consequentemente, traz o melhor retorno financeiro dentro dos cinco anos analisados. Isto acontece, principalmente, porque esta alternativa possui um maior alcance público quando comparada à segunda alternativa e apresenta um custo inicial menor que a primeira. 7. Análise Final das Alternativas A tabela abaixo apresenta o resultado final comparativo entre as três alternativas propostas, de modo a identificar aquela que melhor apresenta um conjunto de viabilidades satisfatórias de acordo com o objetivo da organização. 11

16 Viabilidades Pesos Alternativa 1 Alternativa 2 Alternativa 3 Operacional 50% 7 7,38 8 Técnica 10% Cronograma 10% Econômica 30% Final 100% 5,69 7,78 8,5 Na atribuição dos pesos da tabela acima foi levada em consideração à ordem de prioridade dos objetivos organizacionais, em que a viabilidade operacional e a econômica são consideradas os pontos mais críticos para a escolha da melhor alternativa. O fator operacional, incluindo os critérios estabelecidos na estrutura PIECES, o bom relacionamento do usuário com o sistema e a facilidade de gerenciamento compõem o objetivo principal da loja de venda de produtos informáticos e determinam, fundamentalmente, a necessidade de implantação do sistema. A viabilidade técnica e de cronograma foram as duas que obtiveram menor peso. Na viabilidade técnica, as tecnologias que foram escolhidas são maduras e a equipe de desenvolvimento já possui experiência com as mesmas, com exceção das tecnologias usadas para criação e modelagem de ontologias da proposta 1. Na viabilidade de cronograma, como os prazos são mais flexíveis e a loja não necessita imediatamente da implantação do sistema, então o tempo não se torna um fator crítico para o projeto. Diante dos estudos de viabilidade que foram realizados, concluiu-se que a alternativa 3 apresenta ótimos resultados em todos os tipos de viabilidades, resultando no mais alto conceito (indicado pela nota 8,5 na tabela acima) se comparada com as alternativas 1 e Conclusão Todo os resultados analisados mostram que o uso de sistemas informáticos auxiliam os processos de gerenciamento, obtenção de informações e contribuem para a realização das atividades diárias da empresa de modo mais seguro, eficiente e eficaz. Além disso, com aumento da satisfação dos clientes em obter o produto de sua 12

17 escolha, de maneira mais cômoda, é possível aumentar os lucros líquidos após o período de payback. O estudo dos diversos tipos de viabilidades identifica uma melhor solução para o(s) problema(s) enfrentado pela organização, de modo que seus objetivos principais e secundários sejam cumpridos. Diante disto, foram apresentadas três alternativas possíveis de resolverem o problema estudado (auxiliar os usuários na escolha e montagem de um computador personalizado, com o apoio de um sistema automatizado e de funcionários capacitados). Após a análise criteriosa de cada tipo de viabilidade (operacional, técnica, de cronograma e econômica), foi possível achar a solução mais adequada para a resolução do problema, sendo a alternativa 3 aquela que apresentou melhores resultados. Formulário do Relatório da Equipe Apêndice A Detalhamento do Estudo de Viabilidade Operacional Alternativa 1 A seguir, são apresentados os critérios de avaliação da viabilidade operacional para a alternativa 1, definidos no contexto da proposta analisada: Performance: A vazão nesse caso é alta, já que o sistema permite que muitos usuários possam ao mesmo tempo montar seus computadores personalizados. Quanto ao 13

18 tempo de resposta ele é bom, já que o sistema consegue computar as escolhas feitas em pouco tempo e sugerir ao usuário novas alternativas caso necessário. Informação: A informação disponibilizada sobre as peças será padronizada durante a escolha das mesmas. No momento da montagem da máquina pelo usuário, podem ocorrer incompatibilidades, de modo que o sistema avisará o(s) motivo(s) do ocorrido e quais suas possíveis soluções. Economia: Os custos relativos à esta alternativa incluem os de desenvolvimento e manutenção do website, treinamento de alguns funcionários e os custos de aluguel de servidor web e de banco de dados. Apesar destes custos, o número de funcionários que trabalham na loja pode ser diminuído, já que não são mais tão necessários os vendedores para a realização da compra pelo usuário. Além disso, a quantidade de usuários que a loja pode abranger é maior, pois a mesma não se limita aos clientes que possam visitar suas instalações físicas. Controle: O controle das informações trafegadas é de extrema importância em um sistema web, já que a internet, por si só, é um meio inseguro de tráfego de dados. Dados trafegados entre esse sistema e o já existente na loja devem receber atenção especial pela rede. Porém, dados importantes do ponto de vista da segurança como dados de cartão de crédito e de senha de login não são de responsabilidade do sistema. Eficiência: A eficiência é alta, devido ao cliente necessitar apenas de conexão com a internet para realizar sua compra a qualquer momento e em qualquer local. O tempo gasto pelo cliente para a realização da compra pode variar de baixo a alto dependendo do seu nível de conhecimento em montagem de computadores e conexão com a Internet. Serviços: O sistema é flexível, pois para adicionar novas peças em uma categoria ou até mesmo novas categorias de peças, bastaria adicionar as novas regras de comparação/compatibilidades entre os elementos de cada categoria e mensagens de sucesso ou erro de montagem atreladas às mesmas. Seus serviços são bem confiáveis, pois tem um processamento procedural simples, e as informações que ele dispõem são necessariamente consistentes em toda a aplicação ( e corretos se o sistema tiver sido alimentado de forma correta). Usuário: 14

19 Sistema bastante cômodo para o usuário, pois é acessível de qualquer ambiente. No entanto, é possível que seja gerada alguma frustração por parte do usuário final durante o procedimento de montagem do computador, em virtude de encontrar um número elevado de incompatibilidades entre componentes selecionados. Isso pode gerar um processo de tentativa e erro bastante desagradável para um usuário leigo. Gerência: O processo de cadastros das peças que compõem o sistema exige maior atenção, pois é fundamental que as informações sejam inseridas corretamente para garantir o funcionamento correto do sistema. Todavia, o sistema torna automático e trivial outros aspectos, como a verificação da compatibilidade das peças e análise de disponibilidade de componentes do estoque. Alternativa 2 A seguir, são apresentados os critérios de avaliação da viabilidade operacional para a alternativa 2, definidos no contexto da proposta analisada: Performance: A alternativa em questão dispõe de uma performance razoável, pois permite ao funcionário realizar consultas de diversas peças em tempo reduzido, além de fornecer resultados de computadores pré-definidos de maneira automática passíveis de modificação. No entanto, a presença de guidelines aumenta o tempo de retorno final, uma vez que o funcionário precisará ler os pontos sugeridos para que ele mesmo possa realizar uma montagem compatível dos componentes. Informação: As informações disponibilizadas apresentam corretude e consistência, desde que o sistema tenha uma comunicação imediata com a fonte de dados atualizada, caso contrário, o funcionário não verá as últimas modificações ocorridas no sistema sobre os componentes nem o guideline que eventualmente tenha sido alterado. Além disso, é importante ressaltar que este critério também deve levar em consideração o resultado das consultas, uso de guideline e montagem pré-definida de computadores passíveis de modificação. Esses pontos são de grande utilidade para os funcionários visando atender o objetivo do cliente. Economia: A solução é considerada econômica, pois não depende de custos adicionais de serviços/provedores de hospedagem online, uma vez que a fonte das informações 15

20 podem estar incluídas no próprio banco de dados da empresa. Além disso, não há custos relacionados ao treinamento técnico-especializado de pessoal nem de equipamentos de hardware (terminais) os quais já são de propriedade da loja. Controle: O fato de o cliente necessitar comparecer à loja para realizar e efetivar seu pedido, além de se tratar de um sistema interno à loja dificulta que ataques externos tenham acesso de maneira remota para realizar fraudes ou danos aos dados e informações disponibilizadas. Isso permite, também, um maior controle por parte do gerente que pode visualizar o funcionamento do sistema e o resultado do mesmo em nível de satisfação do funcionário e do cliente. Eficiência: O sistema é razoavelmente eficiente, pois utiliza bem os recursos humanos (funcionários) e os recursos físicos (terminais, recursos de banco de dados, etc.) para garantir o funcionamento do sistema, no entanto, ao considerar o fator de disponibilidade, há uma limitação temporal devido ao tempo de funcionamento da loja e horário de trabalho dos funcionários, além das restrições de disponibilidade dos mesmos no atendimento aos clientes. Serviço: A solução proposta é considerada razoavelmente extensível e flexível, pois permite o acréscimo de novas funcionalidades e atualizações, no entanto, a mudança de qualquer informação do sistema exige uma notificação e conhecimento por parte do funcionário para que, se em algum momento desejar realizar os procedimentos de montagem devido a uma memorização do guideline, ele consiga se adequar às novas informações e passos necessários para a correta montagem do desktop do cliente. Usuário: O sistema é cômodo e conveniente aos usuários (funcionários) e clientes do estabelecimento por se tratar de um produto facilmente manipulável, sem grandes dificuldades de adaptação e/ou manuseio da informação. Gerência: Pelo fato de ser um sistema interno, é evidente a intromissão da gerência nos aspectos de verificação das informações fornecidas pelo sistema, bem como a identificação da necessidade e satisfação dos clientes após a relação de interação tripla: cliente-funcionário-sistema. Alternativa 3 16

21 A seguir, são apresentados os critérios de avaliação da viabilidade operacional para a alternativa 3, definidos no contexto da proposta analisada: Performance: Devido ao sistema ser web, então qualquer usuário que dispunha de internet pode fazer uso do sistema e o número de clientes que pode ser atendido simultaneamente é grande, portanto, a vazão (throughput) é alta. O tempo de resposta desta proposta também é alto devido ao sistema não necessitar de complexas operações computacionais para dar retorno ao usuário, sendo a única causa que possa comprometer o tempo de resposta é caso a velocidade e a qualidade da internet do usuário seja baixa. Informação: As informações são disponibilizadas de modo rápido e padronizado, sempre compatíveis com o(s) fluxo(s) anterior(es) escolhidos pelo usuário e formatadas de um modo simples, com a intenção de facilitar a escolhas dos componentes para usuários que até mesmo sejam inexperientes na escolha de peças de computadores. Economia: Os custos relativos à esta alternativa envolvem o de desenvolvimento e manutenção do website, treinamento de alguns funcionários e os custos de aluguel de servidor e banco de dados. Apesar de tudo isso, o número de funcionários que trabalham na loja podem ser diminuídos, já que não são mais necessários os vendedores para a realização da compra pelo usuário e a quantidade de usuários que a loja pode abranger é maior, pois a mesma não se limita aos clientes que possam visitar suas instalações físicas. Controle: O controle das informações trafegadas é de extrema importância em um sistema web, já que a internet, por si só, é um meio inseguro de tráfego de dados. Dados trafegados entre esse sistema e o já existente na loja devem receber atenção especial pela rede. Porém, dados importantes do ponto de vista da segurança como dados de cartão de crédito e de senha de login não são de responsabilidade do sistema. Eficiência: A eficiência é alta, devido ao cliente necessitar apenas de conexão com a internet para realizar sua compra a qualquer momento e em qualquer local. O tempo gasto pelo cliente para a realização da compra é baixo, já que poucas interações com 17

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Estudo de Viabilidade SorveTech (Sistema de Gerenciamento) Professora: Carla Silva Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Ciência da Computação Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Taciana Lima Lourenço Silva Schuenemann Estudo de Viabilidade Clínica médica

Leia mais

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir?

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir? Engenharia de Software O Estudo de Viabilidade Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício Alternativas de comparação 1 2 Idéias

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade Desenvolvimento de Sistema Web de Auxílio a Treinos Físicos (Personal Trainer Virtual) Curso de Ciência da Computação Centro de Informática - UFPE 23/10/2012 Prof. Carla Silva Sumário

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva Equipe (Ciência da Computação): Airton Sobral (asds) Alan Gomes (aga) Glauco Roberto (grps)

Leia mais

Projeto CI. Curso: Engenharia da Computação Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva

Projeto CI. Curso: Engenharia da Computação Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva Projeto CI Curso: Engenharia da Computação Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva Recife, 28 de outubro de 2012 Sumário 1. Motivação... 4 2. Introdução:

Leia mais

Estudo de Viabilidade CondoMine. Recife, outubro de 2012 Centro de Informática, Universidade Federal de Pernambuco

Estudo de Viabilidade CondoMine. Recife, outubro de 2012 Centro de Informática, Universidade Federal de Pernambuco Estudo de Viabilidade CondoMine Recife, outubro de 2012 Centro de Informática, Universidade Federal de Pernambuco SUMÁRIO Motivação... 4 1. Introdução... 5 2. Apresentação das Alternativas para o Sistema...

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Centro de Informática - CIn Estudo de Viabilidade Congretz Recife, Novembro de 2013 1 Equipe Anderson Luiz (alfr) Eduardo Macedo (erbm) José Araújo (jasn) Rodolfo

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade WorkerTraining Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva Cynthia Raphaella, Húgaro Bernardino, Jéssica Barbalho e Wellton Thiago Recife, 20/01/2013

Leia mais

RJMDocs ESTUDO DE VIABILIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA/ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA.

RJMDocs ESTUDO DE VIABILIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA/ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA/ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA RJMDocs ESTUDO DE VIABILIDADE Equipe: Nome Esforço da Equipe (%) Assinatura Aline Medeiros 25% Bruno

Leia mais

Retorno do investimento com aplicativos empresariais em celulares.

Retorno do investimento com aplicativos empresariais em celulares. Retorno do investimento com aplicativos empresariais em celulares. Introdução A simulação do retorno sobre o investimento (do inglês ROI return on investment) tem sido utilizada como importante ferramenta

Leia mais

Estudo de Viabilidade Projeto de promoções dirigidas em shoppings

Estudo de Viabilidade Projeto de promoções dirigidas em shoppings UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Estudo de Viabilidade Projeto de promoções dirigidas em shoppings Professora: Carla Taciana (ctlls@cin.ufpe.br)

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Mestrado em Ciência da Computação 2011.2 Estudo de Viabilidade Grupo: Fernanda Nóbrega de Medeiros Martins fnmm@cin.ufpe.br Mayara Benicio de Barros

Leia mais

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo

Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos. Plano de Testes. Versão <1.1> DeltaInfo. Soluções para web Soluções para o mundo Sistema BuildParty para montagem e gerenciamento de eventos Plano de Testes Versão DeltaInfo Soluções para web Soluções para o mundo DeltaInfo 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Documento de Requisitos Projeto InfoSupply Recife, 23 de novembro de 2012. Controle de Versões 2 Sumário 1. Introdução... 5 1.1. Motivação... 5

Leia mais

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege

Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Faculdade de Tecnologia Senac DF Sistema de Armazenamento de Dados Eleitorais - SisElege Documento de Visão Versão 4.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/09/2014 1.0 Versão Inicial do

Leia mais

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional. Unidade 3: Modelagem de requisitos e de soluções (Parte a) 1 Casos de uso 1.1 Conceitos básicos e parâmetros de descrição Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Universidade Salgado de Oliveira Especialização em Tecnologia da Informação Qualidade em Engenharia de Software Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Prof. Msc. Edigar Antônio Diniz Júnior

Leia mais

Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots

Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots Diretrizes para criação de um padrão de desenvolvimento de sistemas de informação baseados em cots Roosewelt Sanie Da Silva¹ 1 Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Rodovia

Leia mais

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Especificação de Requisitos e Modelagem Orientada

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Engenharia de Requisitos. Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos. Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este documento especifica os requisitos do sistema Controle de Reserva de Hotel, fornecendo aos

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

O QUE É PARA QUE SERVE ONDE CONFIGURAR 8 SEGURANÇA GERAL

O QUE É PARA QUE SERVE ONDE CONFIGURAR 8 SEGURANÇA GERAL ORG 8 SEGURANÇA GERAL Tão importante quanto alimentar corretamente o sistema com os dados e realizar todas as configurações corretamente é cuidar para que esse trabalho não seja perdido por uma série de

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS. Todos os direitos reservados à Softbox

MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS. Todos os direitos reservados à Softbox MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS 2012 Todos os direitos reservados à Softbox 1101001112211110000212451 Seja bem vindo! Você está recebendo o MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS. Este manual

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

Estudo de Viabilidade. GMon Sistema de Gerenciamento de Monitores. Curso: Ciências da Computação Professora: Carla Silva

Estudo de Viabilidade. GMon Sistema de Gerenciamento de Monitores. Curso: Ciências da Computação Professora: Carla Silva Estudo de Viabilidade GMon Sistema de Gerenciamento de Monitores Curso: Ciências da Computação Professora: Carla Silva Recife, 20 de Janeiro de 2012 1 Sumário 1. Motivação... 3 2. Problema identificado...

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo FARMAINFOR Modernização da Farmácia do Hospital Mater Day Documento de Requisitos Versão 1.1 Histórico de Revisão

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1

Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos- Versão 1.1 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.1 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011 1.0 Versão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II. Primeiro Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE II Primeiro Trabalho Descrição do trabalho: Escrever um Documento de Visão. Projeto: Automatização do sistema que

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos ESTUDO DE VIABILIDADE Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício

Leia mais

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX)

CEP 2 100 99010-640 0 (XX) 54 3316 4500 0 (XX) ANEXO 2 INFORMAÇÕES GERAIS VISTORIA 1. É obrigatória a visita ao hospital, para que a empresa faça uma vistoria prévia das condições, instalações, capacidade dos equipamentos, migração do software e da

Leia mais

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo

Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo Maximus Software Soluções Tecnológicas Ltda. A empresa que desenvolve o seu Produto ao Máximo FARMAINFOR Modernização da Farmácia do Hospital Mater Day Documento de Requisitos Versão 2.0 Histórico de Revisão

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual do Oeste do Paraná Estudo de Requisitos de um software para uma loja de lentes de contato Bruno Eduardo Soares Leonardo Zanotto Baggio Maykon Valério da Silva Cascavel, 10 de Junho

Leia mais

Catálogo de Cursos. Knowledge for excellence management

Catálogo de Cursos. Knowledge for excellence management Knowledge for excellence management Atenção: as informações deste catálogo estão sujeitas à alteração sem prévio aviso. Assegure-se de consultar sempre a revisão vigente deste documento. www.softexpert.com.br

Leia mais

Jan.2012. Características Gerais do Sistema:

Jan.2012. Características Gerais do Sistema: Jan.2012 Características Gerais do Sistema: O Software Global Cartórios traz um conceito novo em uma plataforma inovadora que reúne todas as especialidades em um único sistema. O Global Cartórios é um

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01

Documento de Visão. Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Documento de Visão Versão 2.5 Projeto SysTrack - Grupo 01 Junho de 2011 Histórico de revisão: DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTORES 19/02/2011 1.0 Versão inicial. João Ricardo, Diogo Henrique. 24/02/2011 2.0 Modificação

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco UFPE Centro de Informática CIn Estudo de Viabilidade Sistema de atendimento de Tele-Assistências NUTES (UFPE) Disciplina: Engenharia de Requisitos Professor: Jaelson

Leia mais

Requisitos do Sistema

Requisitos do Sistema PJ8D - 017 ProJuris 8 Desktop Requisitos do Sistema PJ8D - 017 P á g i n a 1 Sumario Sumario... 1 Capítulo I - Introdução... 2 1.1 - Objetivo... 2 1.2 - Quem deve ler esse documento... 2 Capítulo II -

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

Especificação Suplementar

Especificação Suplementar Especificação Suplementar Versão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/10/2014 2.0 2.1 funcionalidade e segurança de M. Vinícius acesso 30/10/2014

Leia mais

COLABORAÇÃO, CRM, GERÊNCIA DA PRODUÇÃO, PROJETOS, SERVIÇOS, OBRAS E VENDAS VIA INTERNET

COLABORAÇÃO, CRM, GERÊNCIA DA PRODUÇÃO, PROJETOS, SERVIÇOS, OBRAS E VENDAS VIA INTERNET MANUAL DO USUÁRIO BITÁVEL GERENCIADOR ONLINE (GOL) Software Web para: COLABORAÇÃO, CRM, GERÊNCIA DA PRODUÇÃO, PROJETOS, SERVIÇOS, OBRAS E VENDAS VIA INTERNET Versão 2.5.1 1 Índice de Conteúdo 1) LICENÇA

Leia mais

Documento de Visão. Compras. T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Versão 2.

Documento de Visão. Compras. T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Versão 2. Documento de Visão Compras Versão 2.0 09/11/2010 Introdução Este documento abordará as questões pertinentes ao desenvolvimento do módulo Compras para o sistema T2Ti ERP. Breve descrição do produto O produto

Leia mais

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT

ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT ALÉM DO BUG TRACKING : GERENCIANDO O SETOR DE SUPORTE COM O MANTISBT Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI034)

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2009 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2009 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2009 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução... 03 Projetos e Fatos Relevantes 2009... 03 Raio X de Investimentos e Custos... 09 Considerações

Leia mais

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi (Sistema de Gerenciamento Financeiro) Especificação dos Requisitos do Software Gerenciador Financeiro CITi Versão 1.0 Autores: Bruno Medeiros de Oliveira Igor Rafael Medeiros Pedro Araújo de Melo Tiago

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Casos de Uso Objetivos Principais dos Casos de Uso: Delimitação do contexto de

Leia mais

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br

Soluções em Software para Medicina Diagnóstica. www.digitalmed.com.br Soluções em Software para Medicina Diagnóstica www.digitalmed.com.br NOTA DE AGRADECIMENTO Primeiramente, agradecemos pela sua receptividade em conhecer as nossas soluções, afinal, é sempre uma imensa

Leia mais

SOLO NETWORK (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41) 4062-6971 (48) 4062-6971 (51) 4062-6971 (61) 4062-6971

SOLO NETWORK (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41) 4062-6971 (48) 4062-6971 (51) 4062-6971 (61) 4062-6971 Índice Perguntas & Respostas do Programa Autodesk Subscription Clique para seguir o link 1. Visão Geral... 3 1.1 O que é o Programa Autodesk Subscription?... 3 1.2 A quem destina-se o Programa Autodesk

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

SISTEMAS OPERACIONAIS ABERTOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 9-1. O KERNEL DO LINUX Nos sistemas GNU/Linux, todas as distribuições baseadas nos sistemas GNU/Linux existentes são compatíveis, graças ao uso de um kernel único desenvolvido por uma equipe de

Leia mais

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos

APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos. Requisitos + APOO Análise e Projeto Orientado a Objetos Requisitos Requisitos 2 n Segundo Larman: n São capacidades e condições às quais o sistema e em termos mais amplos, o projeto deve atender n Não são apenas

Leia mais

Termo de Referência. Anexo II - Especificações Técnicas - Requisitos Funcionais. Diretoria Técnica-Operacional. Gerência de Tecnologia da Informação

Termo de Referência. Anexo II - Especificações Técnicas - Requisitos Funcionais. Diretoria Técnica-Operacional. Gerência de Tecnologia da Informação Diretoria Técnica-Operacional Gerência de Tecnologia da Informação Termo de Referência Anexo II Especificação Técnica 1 - INTRODUÇÃO Página 2 de 9 do TR-007-3700 de Este anexo tem por objetivo detalhar

Leia mais

Symantec Backup Exec.cloud

Symantec Backup Exec.cloud Proteção automática, contínua e segura que faz o backup dos dados na nuvem ou usando uma abordagem híbrida, combinando backups na nuvem e no local. Data Sheet: Symantec.cloud Somente 2% das PMEs têm confiança

Leia mais

Configuração SERVIDOR.

Configuração SERVIDOR. REQUISITOS MINIMOS SISTEMAS FORTES INFORMÁTICA. Versão 2.0 1. PRE-REQUISITOS FUNCIONAIS HARDWARES E SOFTWARES. 1.1 ANALISE DE HARDWARE Configuração SERVIDOR. Componentes Mínimo Recomendado Padrão Adotado

Leia mais

Conheça Melhor a Loja Virtual ASP

Conheça Melhor a Loja Virtual ASP Proposta para Instalação da Loja Virtual Grátis no mês de junho 2011 O comércio eletrônico não é um bicho de 7 cabeças Ter sua loja virtual, agora ficou mais fácil ainda! Sem necessidade de saber programação

Leia mais

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB

Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Sincronização do Catálogo de Endereços no MDaemon 6.x com o uso do ComAgent, LDAP, MAPI e WAB Alt-N Technologies, Ltd 1179 Corporate Drive West, #103 Arlington, TX 76006 Tel: (817) 652-0204 2002 Alt-N

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto

Plano de Gerenciamento do Projeto Projeto para Soluções Contábeis 2015 Plano de Gerenciamento do Projeto Baseado na 5ª edição do Guia PMBOK Brendon Genssinger o e Elcimar Silva Higor Muniz Juliermes Henrique 23/11/2015 1 Histórico de alterações

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

São mais de 20 anos no mercado

São mais de 20 anos no mercado São mais de 20 anos no mercado No mercado há mais de 20 anos, o CEM é um software de cálculo de esquadrias equipado com recursos de alta tecnologia que otimiza processos e alcança os melhores resultados.

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC

Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Artur Petean Bove Júnior Tecnologia SJC Objetivo O objetivo do projeto é especificar o desenvolvimento de um software livre com a finalidade de automatizar a criação de WEBSITES através do armazenamento

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO. Serviço Administração do CA

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO. Serviço Administração do CA 1 de 12 Analista de Suporte I 1 Acesso ao sistema O sistema de chamados esta disponível na web no endereço HTTP://sme.netcenter.com.br O acesso ao sistema é feito com o número de designação do estabelecimento.

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos.

Em 2012, a Prosoft planejou o lançamento da Versão 5 dos seus produtos. VERSÃO 5 Outubro/2012 Release Notes Não deixe de atualizar o seu sistema Planejamos a entrega ao longo do exercício de 2012 com mais de 140 melhorias. Mais segurança, agilidade e facilidade de uso, atendendo

Leia mais

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque

SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque 1 / 7 SLA - Service Level Agreement (Acordo de Nível de Serviço) Gerenciamento de Estoque Código: : Data de Publicação: Cliente: Faculdade de Tecnologia SENAC-GO 2 / 7 Identificação e Histórico do Documento

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL. Caro cliente,

PROPOSTA COMERCIAL. Caro cliente, PROPOSTA COMERCIAL Caro cliente, O MakerPlanet.COM é uma empresa que oferece serviçso de hospedagem especializado em publicação de aplicações Maker na internet. Todos os nossos planos são totalmente compatíveis

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

w w w. p c s i s t. c o m. b r

w w w. p c s i s t. c o m. b r w w w. p c s i s t. c o m. b r S E U P R O G R A M A D E P O N T O S P C Como gerenciar minha FORÇA DE VENDA em TEMPO REAL, pela internet, de qualquer lugar que eu estiver? Como acompanhar minhas vendas

Leia mais

Software. Gerenciamento de Manutenção

Software. Gerenciamento de Manutenção Software Gerenciamento de Manutenção Importância de um Software de Manutenção Atualmente o departamento de manutenção das empresas, como todos outros departamentos, necessita prestar contas de sua atuação

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV

Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Sumário Tópicos Especiais em Sistemas de Telecomunicações IV Modelagem de Sistemas de Software Departamento de Engenharia de Telecomunicações Escola de Engenharia Universidade Federal Fluminense Setembro

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

Há 15 anos, a Bertholdo é uma empresa especializada em soluções de tecnologia da informação e comunicação.

Há 15 anos, a Bertholdo é uma empresa especializada em soluções de tecnologia da informação e comunicação. Há 15 anos, a Bertholdo é uma empresa especializada em soluções de tecnologia da informação e comunicação. Desenvolvemos lojas virtuais, websites, portais, intranets, webmails, hotsites, entre outros serviços

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5

A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5 A WEB COMO PLATAFORMA Revolução do HTML5 Juliano Flores Prof. Lucas Plautz Prestes Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de TI (GTI034) 06/11/2012 RESUMO Escrever programas de computador,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS 1. CONCEITO Master Vendas não é somente um sistema, e sim, um novo conceito de gestão para sua empresa. Foi desenvolvido por profissionais de informática juntamente com

Leia mais

Online Store. Documento de Requisitos. Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Informática. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas (IF718)

Online Store. Documento de Requisitos. Universidade Federal de Pernambuco. Centro de Informática. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas (IF718) Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas (IF718) Professor: Augusto Sampaio (acas@cin.ufpe.br) Online Store Documento de Requisitos Equipe: Edilson

Leia mais

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1

Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Manual TDMax Web Commerce VERSÃO: 0.1 Sumário Visão geral Bilhetagem Eletrônica... 3 1 TDMax Web Commerce... 4 1.1 Requisitos e orientações gerais... 4 2 Acesso... 5 2.1 Como realizar um cadastro usuário

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário

Ministério do Desenvolvimento Agrário Capítulo 1 Ministério do Desenvolvimento Agrário Instituição: Sítio: Caso: Responsável: Palavras- Chave: Ministério do Desenvolvimento Agrário www.mda.gov.br Plano de Migração para Software Livre Paulo

Leia mais

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Satélite Manual de instalação e configuração CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Índice Índice 1.Informações gerais 1.1.Sobre este manual 1.2.Visão geral do sistema 1.3.História

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Desenvolvimento de Software. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 2º semestre 2011.2

Curso Superior de Tecnologia em Desenvolvimento de Software. Trabalho Interdisciplinar Semestral. 2º semestre 2011.2 Curso Superior de Tecnologia em Desenvolvimento de Software Trabalho Interdisciplinar Semestral 2º semestre 2011.2 Um por todos e todos por um 1. Apresentação Geral Todo e qualquer projeto gerido por uma

Leia mais

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos

Sistema de Inteligência Patrimônial. Especificação dos Requisitos Sistema de Inteligência Patrimônial Especificação dos Requisitos Especificação dos Requisitos Data Versão: 18 / 11 / 2015 Histórico das Revisões Data Versão Descrição Autor 23 / 11/ 2015 1.0 Versão Inicial

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Professor: Adriel Ziesemer Disciplina: Engenharia de Software TRABALHO ACADÊMICO Cristian Santos - nº 45671 Guilherme

Leia mais