Equipe de Professores da FECAP. Exame de Suficiência CFC 02/2012 Setembro/2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Equipe de Professores da FECAP. Exame de Suficiência CFC 02/2012 Setembro/2012"

Transcrição

1 São Paulo, 05 de dezembro de Exame de Suficiência CFC 02/2012 Setembro/2012 Prezados professores, alunos, ex-alunos da Fecap e demais interessados, Mais uma vez apresentamos, nosso já rotineiro trabalho de apresentação, correção e comentários sobre as questões do Exame de Suficiência para o Registro Profissional dos bacharéis em Ciências Contábeis, aplicado em sua primeira edição neste ano, no mês de Setembro/2012. A Fecap, no intuito de colaborar com a qualidade do Exame de Suficiência e, sobretudo, para subsidiar nossa comunidade acadêmica, alunos e professores, com informações e dados sobre o referido exame, vem fazendo este trabalho de analisar, resolver e divulgar as questões. Como poderemos observar, a divisão das questões continua parecida com a dos exames anteriores, com grande quantidade de questões de Contabilidade Societária (suportadas por nossas disciplinas do TOP de Contabilidade Societária) e de Contabilidade de Custos / Gerencial (suportadas por nossas disciplinas do TOP de Análise Contábil Gerencial). Assunto / Tema Qtde. % Análise das Demonstrações Contábeis 2 3,77% Auditoria 3 5,66% Contabilidade de Custos / Gerencial 6 11,32% Contabilidade e Orçamento Público 3 5,66% Contabilidade Societária 22 41,51% Contabilidade Tributária 3 5,66% Direito do Trabalho 1 1,89% Direito Empresarial / Tributário 2 3,77% Ética e Legislação Profissional 3 5,66% Língua Portuguesa / Interpretação de Textos 3 5,66% Matemática Financeira 3 5,66% Perícia Contábil 2 3,77% Total 53* 100,00% Obs.: * O número é de 53 questões, pois há questões que cobram dois assuntos. Aproveito para agradecer o trabalho da Equipe de Professores do da Fecap, além de professores que atuam em outros cursos, pela dedicação e trabalho. Peço a toda comunidade acadêmica da FECAP que contribua com sugestões e críticas, para que possamos melhorar nosso trabalho nas edições futuras. Saudações acadêmicas, Prof. Ronaldo Fróes de Carvalho Coordenação de Ciências Contábeis

2 Questão 01 Uma sociedade empresária apresentou os seguintes saldos: Contas Saldo Atual Ajuste a Valor Presente - Contas a Receber R$ ,00 Caixa R$ ,00 Capital Social R$ ,00 Contas a Receber R$ ,00 Contas a Receber - Longo Prazo R$ ,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ ,00 Décimo Terceiro e Encargos a Pagar R$ ,00 Depreciação Acumulada R$ ,00 Despesas Administrativas R$ ,00 Despesas Pagas Antecipadamente - Seguros a Apropriar R$ ,00 Despesas com Vendas R$ ,00 Estoque R$ ,00 Férias e Encargos a Pagar R$ ,00 Fornecedores R$ ,00 ICMS a Recolher R$ ,00 Imobilizado R$ ,00 Impostos Incidentes sobre Venda R$ ,00 Receita de Vendas R$ ,00 Receita Financeira R$ ,00 Considerando os dados, o total dos saldos credores é de: a) R$ ,00. b) R$ ,00. c) R$ ,00. d) R$ ,00. Contas Credor Ajuste a Valor Presente - Contas a Receber R$ ,00 Capital Social R$ ,00 Décimo Terceiro e Encargos a Pagar R$ ,00 Depreciação Acumulada R$ ,00 Férias e Encargos a Pagar R$ ,00 Fornecedores R$ ,00 ICMS a Recolher R$ ,00 Receita de Vendas R$ ,00 Receita Financeira R$ ,00 R$ ,00

3 Alternativa Correta: D Gabarito Oficial: D Disciplina: Contabilidade Básica I e II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 Contribuição: Prof. Edmauro Carlos & Prof. Maurício Camilo

4 Questão 02 Uma sociedade empresária adquiriu uma máquina em , em dez parcelas de R$6.240,00, cujo valor presente total corresponde a R$60.000,00, considerando a taxa de juros da operação que coincide com a taxa de juros de mercado. A máquina ficou pronta para entrar em funcionamento em 1º , e sua vida útil foi estimada em 5 anos, com valor residual igual a zero. Considerando os dados fornecidos, o saldo da conta Depreciação Acumulada, pelo método linear, em , será de: a) R$11.000,00. b) R$11.440,00. c) R$12.000,00. d) R$12.480,00. De acordo com a NBC-TG-27 (CPC 27) Imobilizado, os juros pagos não devem ser capitalizados no valor do bem nesta hipótese e, portanto, serão lançados como despesa financeira, no resultado (a exceção a esta regra seria válida apenas para Ativos Qualificáveis, no contexto da NBC-TG-20 Custos com Empréstimos). Valor do Bem: $ ,00 (desconsiderar juros) Valor Residual: $ 0,00 Valor Depreciável: ,00 Vida Útil do Bem : 60 meses Depreciação Acumulada (considerando o período de uma ano) = (60.000/60) x 11 = ,00 Alternativa Correta: A Gabarito Oficial: A Disciplina: Contabilidade Intermediária / Contabilidade Internacional Bibliografia: NBC-TG-27 (CPC 27) Imobilizado (disponível em Contribuição: Prof. Edmauro Carlos & Prof. Ronaldo Fróes

5 Questão 03 Uma sociedade empresária iniciou suas atividades em O Diretor de Recursos Humanos apresentou as políticas de Recursos Humanos da empresa e, entre essas políticas, está contido o procedimento de concessão de férias, no qual ficou estabelecido que a empresa irá conceder as férias do pessoal contratado, no mês de maio, somente em dezembro de 2013, por ocasião das primeiras férias coletivas. O Departamento de Pessoal apresentou o relatório para efeito de apropriação das férias e 13º Salário, de acordo com o regime de competência, do pessoal lotado na área administrativa de onde foram extraídas as seguintes informações: Salário base R$15.000,00 Férias e Adicional R$1.662,50 13º Salário R$1.250,00 Considerando que a empresa não apresenta um ciclo operacional definido, o registro CORRETO da apropriação das férias e adicional e 13º Salário, no mês de maio de 2012, é: a) DÉBITO Despesas Administrativas - Férias R$ 1.662,50 CRÉDITO Férias - Passivo não Circulante R$ 1.662,50 DÉBITO Despesas Administrativas - 13º Salário R$ 1.250,00 CRÉDITO 13º Salário - Passivo não Circulante R$ 1.250,00 b) DÉBITO Despesas Administrativas - Férias R$ 1.662,50 CRÉDITO Férias - Passivo Circulante R$ 1.662,50 DÉBITO Despesas Administrativas - 13º Salário R$ 1.250,00 CRÉDITO 13º Salário - Passivo não Circulante R$ 1.250,00 c) DÉBITO Despesas Administrativas - Férias R$ 1.662,50 CRÉDITO Férias - Passivo não Circulante R$ 1.662,50 DÉBITO Despesas Administrativas - 13º Salário R$ 1.250,00 CRÉDITO 13º Salário - Passivo Circulante R$ 1.250,00 d) DÉBITO Despesas Administrativas - Férias R$ 1.662,50 CRÉDITO Férias - Passivo Circulante R$ 1.662,50 DÉBITO Despesas Administrativas - 13º Salário R$ 1.250,00 CRÉDITO 13º Salário - Passivo Circulante R$ 1.250,00

6 A alternativa correta é a D. As despesas administrativas de férias do mês devem ser pagas a partir do 12º mês em que o funcionário esteja na empresa, sugerindo que a classificação seja efetuada no Passivo não circulante. No entanto, caso o funcionário venha a sair da empresa antes de completar um ano de empresa, o valor proporcional das férias devem ser pagas, motivo pelo qual tal despesa deve ser estão classificada no Passivo circulante. Para a apropriação do 13º salário do mês, a obrigação de pagar é sempre no final do ano (exercício) e, por isso, é classificada no passivo circulante. Alternativa Correta: D Gabarito Oficial: D Disciplina: Contabilidade Básica I e Contabilidade Básica II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 Contribuição: Prof. Maurício Camilo

7 Questão 04 Uma sociedade empresária apresentou os seguintes dados relativos a um bem registrado no Imobilizado da empresa: Descrição Saldos em Custo de Aquisição R$ ,00 (-) Depreciação Acumulada R$ 7.500,00 Vida Útil 4 anos Valor Residual R$ 5.000,00 No dia 1º , o bem é vendido por R$8.000,00, à vista. O resultado contábil da venda do imobilizado, considerando que o bem foi depreciado pelo método linear até , é: a) R$812,50. b) R$1.437,50. c) R$1.750,00. d) R$2.375,00. Dados da Questão: Valor do Bem: $ ,00 Valor Depreciação Acumulada: $ 7.500,00 Valor Contábil Liquido: $ 7.500,00 Valor da Venda: $ 8.000,00 Valor Depreciável: $ ,00 (Valor do Bem menos Valor Residual) Depreciação do Período até 30/06/2012: (Valor depreciável / vida útil) x período Depreciação do Período até 30/06/2012: (($ )/48) x 6 = $ 1.250,00 Valor do Bem: $ ,00 (-) Depreciação Acumulada em 30/06/2012: $ 8.750,00 (=) Valor Contábil: $ 6.250,00 Resultado na Venda do Imobilizado = Valor da Venda menos Valor Liquido do Bem Resultado na Venda do Imobilizado = $ 8.000,00 $ 6.250,00 = $ 1.750,00 Alternativa Correta: C Gabarito Oficial: C Disciplina: Contabilidade Intermediária e Contabilidade Internacional Bibliografia: IUDICIBUS, Sérgio et al. Manual de Contabilidade Societária (2010). Editora Atlas Contribuição: Prof. Edmauro Carlos & Prof. Ronaldo Fróes

8 Questão 05 Uma sociedade empresária adquiriu mercadorias para revenda com pagamento à vista. O valor total da Nota Fiscal do fornecedor foi de R$ ,00. Neste valor, estão incluídos R$5.000,00 referentes a frete e R$12.000,00 referentes a impostos recuperáveis. Assinale a opção que apresenta o lançamento da operação a ser realizado. a) DÉBITO Estoque de Mercadorias R$ ,00 DÉBITO Impostos a Recuperar R$ ,00 CRÉDITO Caixa R$ ,00 b) DÉBITO Estoque de Mercadorias R$ ,00 DÉBITO Impostos a Recuperar R$ ,00 DÉBITO Despesa com Frete R$ 5.000,00 CRÉDITO Caixa R$ ,00 CRÉDITO Impostos a Pagar R$ ,00 c) DÉBITO Estoque de Mercadorias R$ ,00 CRÉDITO Caixa R$ ,00 CRÉDITO Impostos a Pagar R$ ,00 d) DÉBITO Estoque de Mercadorias R$ ,00 DÉBITO Impostos a Recuperar R$ ,00 DÉBITO Despesa com Frete R$ 5.000,00 CRÉDITO Caixa R$ ,00 A alternativa correta é a A. Do valor total a pago pela aquisição dos Estoques, deve ser desmembrado o valor de Impostos a Recuperar. Fretes sobre Compras devem fazer parte do custo dos Estoques, motivo pelo qual o valor está embutido na conta Estoque de Mercadorias. Alternativa Correta: A Gabarito Oficial: A Disciplina: Contabilidade Básica I e Contabilidade Básica II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 & NBC-TG-16 (CPC 16) Estoques (disponível em Contribuição: Prof. Maurício Camilo

9 Questão 06 Uma sociedade empresária adquiriu, em junho, 100 unidades de uma mercadoria ao preço unitário de R$10,00, com ICMS incluso no preço de 18%. Em outra aquisição, ainda no mesmo mês, porém de fornecedor de fora do Estado, a Nota Fiscal apresentou os seguintes valores: Quantidade adquirida 200 unidades Custo Unitário R$ 9,00 Valor total da Nota Fiscal R$ 1.800,00 Alíquota do ICMS 12% Ainda no mês de junho, foram vendidas as 300 unidades pelo preço unitário de R$15,00. A alíquota de ICMS da transação de venda é de 18%. Assinale a opção que apresenta o valor do Lucro Bruto no mês de junho. a) R$890,00. b) R$1.226,00. c) R$1.286,00. d) R$1.394,00. Para chegar à resposta, seguem os lançamentos: Compra de 100un com preço unitário de $ 10,00 cada e ICMS incluso de 18%. D- Estoque mercadorias...$ 820,00 D- ICMS a recuperar...$ 180,00 C- Caixa/Fornecedores...$ 1.000,00 Compra de 200un com preço unitário de $ 9,00 cada e ICMS incluso de 12%. D- Estoque mercadorias...$ 1.584,00 D- ICMS a recuperar...$ 216,00 C- Caixa/Fornecedores...$ 1.800,00 Venda de 300un com preço unitário de $ 15,00 cada e ICMS de 18%. D- Caixa/Clientes...$ 4.500,00 C- Receita de vendas...$ 4.500,00 ICMS D- ICMS sobre vendas...$ 810,00 C- ICMS a recolher...$ 810,00 Baixa do estoque D- C.M.V...$ 2.404,00 C- Estoque mercadorias...$ 2.404,00

10 Demonstração de Resultado do Exercício DRE Vendas brutas ,00 ( - ) ICMS s/ vendas... ( 810,00) Vendas líquidas ,00 C.M.V... ( 2.404,00) LUCRO BRUTO ,00 Alternativa Correta: C Gabarito Oficial: C Disciplina: Contabilidade Básica I e Contabilidade Básica II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, Contribuição: Prof. Maurício Camilo

11 Questão 07 Uma empresa comercial efetuou uma aplicação financeira de R$ ,00, em , e resgatou esta mesma aplicação, em , pelo valor líquido de R$ ,00, assim discriminado pela instituição financeira: Valor do Resgate = aplicação inicial = rendimentos R$ ,00 (-) IRRF (R$ 490,00) (-) IOF (R$ 10,00) (=) Valor Líquido creditado em conta corrente R$ ,00 Sabendo-se que a tributação do IOF é definitiva e que o IRRF deverá ser compensado com o imposto de renda devido pela empresa no futuro, o lançamento relativo ao resgate da operação provocará um impacto líquido em contas de resultado de: a) R$2.500,00. b) R$2.490,00. c) R$2.010,00. d) R$2.000,00. Segue lançamento para resolução: D- Banco conta movimento...$ ,00 D- IRRF a compensar...$ 490,00 D- Despesa IOF...$ 10,00 C- Receita financeira s/aplicação...$ 2.500,00 C- Aplicação financeira...$ ,00 Deve-se observar que a aplicação financeira foi efetuada no início do mês e resgatada no final do próprio mês, sendo registrado a receita sobre a aplicação financeira no resgate. Caso o resgate fosse efetuado no mês posterior, a receita deveria ser reconhecida no mês de competência. Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Contabilidade Intermediária Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 Contribuição: Prof. Maurício Camilo

12 Questão 08 Uma sociedade empresária apresentou as informações abaixo do mês de agosto de Receitas realizadas e não recebidas R$ ,00 Despesas pagas antecipadamente e não incorridas R$ ,00 Receitas realizadas e recebidas R$ ,00 Despesas incorridas e não pagas R$ ,00 Receitas recebidas antecipadamente e não realizadas R$ ,00 Despesas incorridas e pagas R$ ,00 Utilizando o Princípio da Competência, o valor do resultado do período é um lucro de: a) R$ ,00. b) R$ ,00. c) R$ ,00. d) R$ ,00. Respeitando o Princípio da Competência, as contas a serem consideradas de receitas realizadas e despesas incorridas, independente do pagamento e/ou recebimento. Receitas realizadas e não recebidas...r$ ,00 Receitas realizadas e recebidas...r$ ,00 ( - ) Despesas incorridas e não pagas...(r$ ,00) ( - ) Despesas incorridas e pagas...(r$ ,00) ( = ) Resultado do período Lucro... R$ ,00 - alternativa B Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Contabilidade Básica I e Contabilidade Básica II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 Contribuição: Prof. Maurício Camilo

13 Questão 09 Um item do imobilizado foi registrado, ao custo de aquisição, por R$60.000,00 e tem depreciação acumulada de R$12.000,00. As informações coletadas pela empresa indicam: Valor em uso R$ ,00 Valor justo líquido da despesa de venda R$ ,00 Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que o valor recuperável do ativo é de: a) R$47.000,00, não sendo, portanto, necessário proceder a um ajuste ao valor recuperável. b) R$47.000,00, sendo, portanto, necessário proceder a um ajuste ao valor recuperável negativo de R$1.000,00. c) R$50.000,00, não sendo, portanto, necessário proceder a um ajuste ao valor recuperável. d) R$50.000,00, sendo, portanto, necessário proceder a um ajuste ao valor recuperável positivo de R$3.000,00. Conforme a NBC-TG-01 (CPC 01) o teste de Impairment (Valor Recuperável de Ativos), consiste em comparar o Valor Contábil Líquido de um Ativo ou Unidade Geradora de Caixa com seu respectivo Valor Recuperável, devendo prevalecer nos registros contábeis, o menor entre os dois. Valor Contábil Líquido é o valor pelo qual um ativo está reconhecido no balanço depois da dedução de toda respectiva depreciação, amortização ou exaustão acumulada e provisão para perdas. Valor Recuperável de um ativo ou de uma unidade geradora de caixa é o maior valor entre o valor líquido de venda de um ativo e seu valor em uso. Valor em uso é o valor presente de fluxos de caixa futuros estimados, que devem resultar do uso de um ativo ou de uma unidade geradora de caixa. Valor líquido de venda é o valor a ser obtido pela venda de um ativo ou de uma unidade geradora de caixa em transações em bases comutativas, entre partes conhecedoras e interessadas, menos as despesas estimadas de venda. Assim, temos: Valor Contábil Valor Recuperável: Maior Ativo Concessão R$ ,00 Valor em Uso R$ ,00 (-) Amortização R$ (12.000,00) Valor Líquido de Venda R$ ,00 (=) Valor Contábil Líquido R$ ,00 Deve prevalecer o menor na Contabilidade, ou seja, R$ Assim, não deve registrar nenhuma operação na Contabilidade Alternativa Correta: C Gabarito Oficial: C Disciplina: Contabilidade Internacional Bibliografia: NBC-TG-01 (CPC 01) Perda na Recuperabilidade de Ativos disponível em Contribuição: Prof. Ronaldo Fróes

14 Questão 10 Na Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC), elaborada pelo Método Direto, serão evidenciados como Atividades Operacionais, Atividades de Investimento e Atividades de Financiamento, respectivamente: a) pagamento de empréstimos, aquisição de imobilizado e aumento de capital com reservas de lucros. b) pagamento de fornecedores, venda de imobilizado e aumento de capital em dinheiro. c) recebimentos de clientes, transferência do saldo em conta corrente para aplicações de liquidez imediata e integralização de capital com terrenos. d) recebimentos por vendas de mercadorias à vista, compra de veículo financiado a longo prazo e venda de imóveis de uso. a) pagamento de empréstimos (atividade de financiamento), aquisição de imobilizado (atividade de investimentos) e aumento de capital com reservas de lucros (não é demonstrada na DFC). b) pagamento de fornecedores (atividade operacional), venda de imobilizado (atividade de investimentos) e aumento de capital em dinheiro (atividade de financiamento). c) recebimentos de clientes (atividade operacional), transferência do saldo em conta corrente para aplicações de liquidez imediata (não é demonstrada na DFC, já que o valor da conta corrente e das aplicações de liquidez imediata são tratados como equivalentes de caixa) e integralização de capital com terrenos (não é demonstrada na DFC). d) recebimentos por vendas de mercadorias à vista, compra de veículo financiado a longo prazo (atividade de financiamento no pagamento do financiamento, no ato da compra não existe lançamento na DFC) e venda de imóveis de uso (atividade de investimentos). Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Análise das Demonstrações Contábeis Bibliografia: IUDÍCIBUS, Sérgio et. al. Manual de Contabilidade Societária. / NBC-TG-03 (CPC 03) Demonstração de Fluxo de Caixa (http://www.cpc.org.br/pdf/cpc03r2_final.pdf) Contribuição: Profa. Luciana Barragan, Prof. Marco Verrone e Prof. Régis César

15 Questão 11 Uma sociedade empresária foi constituída, em , com capital de R$ ,00, totalmente integralizado em moeda corrente nesta data. Nos meses de novembro e dezembro, foram realizadas as seguintes transações: Data Transação Valor Aquisição de terreno à vista, para futura construção da sede própria. R$ , Aquisição de mercadoria para revenda com prazo de pagamento para 20 dias. Venda de 60% das mercadorias adquiridas com prazo de recebimento de 15 dias. R$ ,00 R$ ,00 Considerando que não haverá distribuição de lucros e nem incidência de impostos, após o registro das transações ocorridas, o total do Ativo Circulante, em , é igual a: a) R$ ,00. b) R$ ,00. c) R$ ,00. d) R$ ,00. Os lançamentos para a resolução da questão são: Constituição da sociedade empresária em 31/10/2011. D- Caixa...$ ,00 C- Capital...$ ,00 Aquisição do terreno a vista em 10/11/2011. D- Caixa...$ ,00 C- Capital...$ ,00 Em 19/12/2011, aquisição de mercadorias para revenda a prazo. D- Estoque de mercadorias...$ ,00 C- Fornecedores...$ ,00 Em 19/12/2011, venda de 60% do estoque a prazo. D- Clientes...$ ,00 C- Receita de vendas...$ ,00 Baixa de 60% do estoque das mercadorias vendidas. D- CMV...$ ,00 C- Estoque Mercadorias...$ ,00

16 ATIVO CIRCULANTE Caixa... $ ,00 Clientes... $ ,00 Estoques... $ ,00 TOTAL... $ ,00 Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Contabilidade Básica I e Contabilidade Básica II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 Contribuição: Prof. Maurício Camilo

17 Questão 12 Com base nas informações a seguir, elabore a Demonstração da Mutação do Patrimônio Líquido (DMPL), e, em seguida, assinale a opção CORRETA. Patrimônio Líquido Capital Social R$ ,00 Reservas de Lucro R$ ,00 Reserva Legal R$ ,00 Reservas de Lucro para Expansão R$ ,00 Reservas para Contingências R$ ,00 Total do Patrimônio Líquido R$ ,00 Informações adicionais: O lucro do Exercício foi de R$70.000,00. A Reserva Legal é de 5% do Lucro do Exercício. Houve reversão total das Reservas para Contingências por deixarem de existir as razões que justificaram a sua constituição. Foram constituídas Reservas de lucros para Expansão de R$50.000,00. O valor destinado para dividendos é de: a) R$41.500,00. b) R$45.000,00. c) R$66.500,00. d) R$91.500,00. DMPL Reservas de Lucro Capital Legal Conting. Expansão LPA* TOTAL Saldo Lucro do Exercício Reserva Legal (3.500) - Reserva de Contingência (25.000) Reserva de Expansão (50.000) - Dividendos (41.500) (41.500) Total Lucros e Prejuízos Acumulados Alternativa Correta: A Gabarito Oficial: A Disciplina: Estrutura das Demonstrações Contábeis e Contabilidade Avançada I Bibliografia: IUDICIBUS, Sérgio et al. Manual de Contabilidade Societária (2010). Editora Atlas Contribuição: Prof. Edmauro Carlos

18 Questão 13 A contabilidade de uma empresa apresentou, no dia , os seguintes saldos: Contas Saldos Banco Conta Movimento R$ ,00 Capital a Integralizar R$ ,00 Capital Subscrito R$ ,00 COFINS Incidente sobre Vendas R$ 6.240,00 Custo das Mercadorias Vendidas R$ ,00 Despesas com Salários R$ ,00 Despesas de Comissões de Vendedores R$ ,00 Despesas de Juros R$ 1.700,00 Despesas Pagas Antecipadamente de Seguros R$ 4.500,00 Devolução de Vendas R$ ,00 Duplicatas a Pagar R$ ,00 Duplicatas a Receber R$ ,00 Estoque de Mercadorias R$ ,00 ICMS a Recuperar R$ 7.372,00 ICMS Incidente sobre Vendas R$ ,00 Imóveis de Uso da Empresa R$ ,00 PIS Incidente sobre Vendas R$ 1.352,00 Receita Bruta Tributável de Vendas R$ ,00 Receitas de Juros R$ 2.600,00 Reserva de Lucros R$ ,00 Tendo em vista as informações acima, o valor do Resultado Líquido do exercício, não levando em consideração o Imposto de Renda Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre o Lucro, é de: a) R$20.748,00. b) R$25.948,00. c) R$37.948,00. d) R$43.948,00. Para se chegar à resposta não é necessário montar a DRE no formado por função, como classicamente é apresentado. Apenas podemos chegar com base nos seguintes dados, diretamente: RECEITAS Receita Bruta Tributável de Vendas R$ Receitas de Juros R$ (=) Total das Receitas R$

19 DESPESAS E CUSTOS COFINS Incidentes sobre vendas R$ Custo das Mercadorias Vendidas R$ Despesas de Salários R$ Despesas Comissões de Vendedores R$ Despesas de juros R$ Devolução de vendas R$ ICMS incidente sobre vendas R$ PIS incidente sobre vendas R$ (=) Total de Despesas e Custos R$ RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO R$ Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Contabilidade Básica I e Contabilidade Básica II Bibliografia: Contabilidade Introdutória, Equipe FEA USP, Editora Atlas, 2010 Contribuição: Prof. Maurício Camilo

20 Questão 14 Assinale a opção que apresenta exemplo de valores que reduzem o valor adicionado bruto, por estarem incluídos nos insumos adquiridos de terceiros, na Demonstração do Valor Adicionado (DVA). a) Salários de empregados, computados no custo dos produtos vendidos. b) Estoque de matéria-prima. c) Despesas com serviço de representação comercial, prestada por terceiros. d) Aluguéis de máquinas utilizadas na produção. Conforme NBC-TG-09 Demonstração do Valor Adicionado: Salários de empregados representam uma distribuição do valor adicionado. A matéria-prima somente comporá os insumos adquiridos quando for consumida (utilizada na produção ou na prestação de serviços ou vendida). Despesas com serviços prestados por terceiros compreende uma redução do valor adicionado. Aluguéis de qualquer natureza compreendem uma distribuição do valor adicionado. Alternativa Correta: C Gabarito Oficial: C Disciplina: Contabilidade Avançada II / Estrutura das Demonstrações Contábeis Bibliografia: NBC-TG-09 (CPC 09) Demonstração do Valor Adicionado (disponível em Contribuição: Prof. Janilson Suzart

21 Questão 15 A empresa X é controladora da empresa Y. O controle foi obtido quando a empresa X adquiriu 100% das ações da empresa Y, pelo valor de R$50.000,00. Em , a empresa X emprestou R$5.000,00 para a empresa Y. Sabendo que o ativo da empresa Y é de R$55.800,00 e o ativo da empresa X é de R$ ,00 e, ainda, que não existe nenhuma outra transação entre as empresas, além da relatada, assinale a opção que apresenta o valor do ativo resultante da demonstração contábil consolidada em a) R$ ,00. b) R$ ,00. c) R$ ,00. d) R$ ,00. Ajustes Balanço Patrimonial X Y X + Y Débito Crédito Consolidado ATIVO ,00 Ativos ,00 Investimentos ,00 Emprest. a Receber , ,00 PASSIVO ,00 Passivos ,00 Emprest. a Pagar ,00 Patrimônio líquido Capital , , ,00 Alternativa Correta: A Gabarito Oficial: A Disciplina: Contabilidade Avançada II Bibliografia: IUDICIBUS, Sérgio et al. Manual de Contabilidade Societária (2010). Editora Atlas Contribuição: Prof. Edmauro Carlos e Prof. Clemil Robles

22 Questão 16 Uma sociedade empresária apresentou os seguintes gastos efetuados no mês de agosto de Aquisição de matéria-prima para industrialização sem incidência de tributos - R$ ,00 Fretes para transporte da matéria-prima adquirida - R$ 400,00 Gastos com pessoal para transformação da matéria- prima em produto acabado - R$ 1.800,00 Gastos com depreciação das máquinas da fábrica - R$ 230,00 Gastos com pessoal da área administrativo-financeira e jurídico - R$ 1.200,00 Gasto com frete da venda dos produtos acabados - R$ 300,00 Gastos com comissão de vendedores - R$ 900,00 Depreciação do veículo utilizado na entrega de produtos vendidos - R$ 320,00 Considerando que 50% da matéria-prima adquirida foi consumida na produção, e que a empresa apresentava no início do mês de agosto e no fim do mês de agosto estoque de produtos em elaboração zero e, ainda, que vendeu 60% da sua produção, o Custo dos Produtos Vendidos apurados pelo custeio por absorção é de: a) R$5.718,00. b) R$5.838,00. c) R$6.090,00. d) R$6.210,00. Composição do Custo: Matéria-prima R$ 7.500,00 Fretes para transporte da matéria-prima R$ 200,00 Gastos com pessoal para transformação da matéria-prima R$ 1.800,00 Gastos com depreciação das máquinas R$ 230,00 Total R$ 9.730,00 CMV = 60% R$ 5.838,00 Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Contabilidade e Análise de Custos Bibliografia: Martins, Eliseu. Contabilidade de Custos. Livro Texto. 10ª edição. São Paulo, Atlas: 2010 Martins, Eliseu. Contabilidade de Custos. Livro de Exercícios 10ª edição. São Paulo, Atlas: Contribuição: Prof. Edmauro Carlos & Prof. Gustavo Ortega

23 Questão 17 Uma empresa industrial, no mês de julho de 2012, utilizou em seu processo produtivo o valor de R$25.000,00 de matéria-prima; R$20.000,00 de mão de obra direta; e R$15.000,00 de gastos gerais de fabricação. O saldo dos Estoques de Produtos em Elaboração, em , era no valor de R$7.500,00 e, em , de R$10.000,00. O Custo dos Produtos Vendidos, no mês de julho, foi de R$40.000,00 e não havia Estoque de Produtos Acabados em Com base nas informações, assinale a opção que apresenta o saldo final dos Estoques de Produtos Acabados em a) R$17.500,00. b) R$20.000,00. c) R$57.500,00. d) R$60.000,00. Custo da Produção no Período (CPP) Consumo de Matéria-Prima R$ ,00 (+) Mão-de-Obra Direta R$ ,00 (+) Gastos Gerais de Fabricação R$ ,00 (=) Custo de Produção no Período R$ ,00 Custo da Produção Acabada (CPA) Estoque Inicial de Produtos em Elaboração R$ 7.500,00 (+) Custo de Produção no Período R$ ,00 (-) Estoque Final de Produtos em Elaboração (R$ ,00) (=) Custo da Produção Acabada R$ ,00 Custo dos Produtos Vendidos (CPV) Estoque Inicial de Produtos Acabados R$ 0,00 (+) Custo da Produção Acabada R$ ,00 (=) Estoque de Produtos Acabados à Disposição R$ ,00 (-) Custo dos Produtos Vendidos (R$ ,00) (=) Estoque Final de Produtos Acabados R$ ,00 Alternativa Correta: A Gabarito Oficial: A Disciplina: Contabilidade e Análise de Custos Bibliografia: Martins, Eliseu. Contabilidade de Custos. Livro Texto. 10ª edição. São Paulo, Atlas: 2010 Martins, Eliseu. Contabilidade de Custos. Livro de Exercícios 10ª edição. São Paulo, Atlas: Contribuição: Prof. Edmauro Carlos & Prof. Gustavo Ortega

24 Questão 18 Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira: A sequência CORRETA é: a) 3, 4, 2, 1. b) 4, 3, 1, 2. c) 4, 1, 2, 3. d) 2, 3, 1, 4. Autoexplicativa. (1) Bem ou serviço consumido com o objetivo de obter receita (4) Custo (2) Gasto ativado (3) Desembolso (3) Pagamento referente à aquisição de um bem ou serviço (1) Despesa (4) Bens ou serviços empregados na produção (2) Investimento Alternativa Correta: B Gabarito Oficial: B Disciplina: Contabilidade e Análise de Custos I Bibliografia: Martins, Eliseu. Contabilidade de Custos. Livro Texto. 10ª edição. São Paulo, Atlas: 2010 Martins, Eliseu. Contabilidade de Custos. Livro de Exercícios 10ª edição. São Paulo, Atlas: Contribuição: Prof. Edmauro Carlos & Prof. Gustavo Ortega

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE EXAME DE SUFICIÊNCIA Bacharel em Ciências Contábeis

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE EXAME DE SUFICIÊNCIA Bacharel em Ciências Contábeis 2 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE Ao receber o Caderno de Prova: 2ª Edição 2012 Edital N. o 02/2012 SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO Escreva seu nome e número de inscrição. Este caderno contém as questões da

Leia mais

Equipe de Professores da FECAP. Exame de Suficiência CFC 01/2013 Março/2013

Equipe de Professores da FECAP. Exame de Suficiência CFC 01/2013 Março/2013 São Paulo, 30 de junho de 2013. Exame de Suficiência CFC 01/2013 Março/2013 Prezados professores, alunos, ex-alunos da FECAP e demais interessados. Apresentamos a seguir nosso trabalho de apresentação,

Leia mais

CDE Comissão de Desenvolvimento de Ensino Preparando você para o Mercado de Trabalho

CDE Comissão de Desenvolvimento de Ensino Preparando você para o Mercado de Trabalho CDE Comissão de Desenvolvimento de Ensino Preparando você para o Mercado de Trabalho Colocando como principal interesse o direcionamento de nossos acadêmicos ao mercado de trabalho, a Comissão de Desenvolvimento

Leia mais

Equipe de Professores da FECAP

Equipe de Professores da FECAP São Paulo, 28 de fevereiro de 2014. Exame de Suficiência CFC 02/2013 Setembro/2013 Prezados professores, alunos, ex-alunos da Fecap e demais interessados, Apresentamos a seguir nosso trabalho de apresentação,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Julgue os itens a seguir, a respeito da Lei n.º 6.404/197 e suas alterações, da legislação complementar e dos pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). 71 Os gastos incorridos com pesquisa

Leia mais

Pessoal, a seguir comentamos as questões referentes ao cargo de Analista área Contabilidade do CNMP. Tomei como base o Caderno de Prova Tipo 004.

Pessoal, a seguir comentamos as questões referentes ao cargo de Analista área Contabilidade do CNMP. Tomei como base o Caderno de Prova Tipo 004. Analista CNMP Contabilidade Pessoal, a seguir comentamos as questões referentes ao cargo de Analista área Contabilidade do CNMP. Tomei como base o Caderno de Prova Tipo 004. De maneira geral, foi uma prova

Leia mais

Exame de Suficiência CFC Edição Setembro/2011

Exame de Suficiência CFC Edição Setembro/2011 Exame de Suficiência CFC Edição Setembro/2011 São Paulo, 08 de novembro de 2011. Prezados professores, alunos e ex-alunos da Fecap, Em continuidade ao trabalho iniciado no semestre passado, apresentamos

Leia mais

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com

Notas Explicativas. Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Home page: www.crc.org.br - E-mail: cursos@crcrj.org.br Notas Explicativas Armando Madureira Borely armando.borely@globo.com (Rio de Janeiro)

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral

Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral Maratona Fiscal ISS Contabilidade geral 1. Em relação ao princípio contábil da Competência, é correto afirmar que (A) o reconhecimento de despesas deve ser efetuado quando houver o efetivo desembolso financeiro

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

Exame de Suficiência CFC Edição Março/2011

Exame de Suficiência CFC Edição Março/2011 Exame de Suficiência CFC Edição Março/2011 São Paulo, 25 de maio de 2011. Prezados professores, alunos e ex-alunos da Fecap, Conforme é de conhecimento de todos, o Conselho Federal de Contabilidade (CFC)

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Correção da Prova Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Questão 7 Uma sociedade empresária mantém no seu estoque de mercadorias para revenda três tipos de mercadorias: I, II e III. O valor total

Leia mais

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova

BACEN Técnico 2010 Fundamentos de Contabilidade Resolução Comentada da Prova Conteúdo 1 Questões Propostas... 1 2 Comentários e Gabarito... 1 2.1 Questão 41 Depreciação/Amortização/Exaustão/Impairment... 1 2.2 Questão 42 fatos contábeis e regime de competência x caixa... 2 2.3

Leia mais

Exame de Suficiência CFC 01/2012 Março/2012

Exame de Suficiência CFC 01/2012 Março/2012 São Paulo, 08 de maio de 2012. Exame de Suficiência CFC 01/2012 Março/2012 Prezados professores, alunos, ex-alunos da Fecap e demais interessados, Mais uma vez apresentamos, nosso já rotineiro trabalho

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade

DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012. Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta. Analista-Contabilidade DEFENSORIA PÚBLICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL 2012 Resolução comentada da prova de Contabilidade Prof. Milton M. Ueta Analista-Contabilidade 1 Primeiramente, é necessário Apurar o Resultado pois, como

Leia mais

DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS

DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS 1 DICAS PARA EXAME DE SUFICIÊNCIA CUSTOS CUSTODIO ROCHA Você bem preparado para o futuro da 2profissão. 1 OBJETIVOS Identificação do Conteúdo de Custos Aplicado nas Provas de Suficiência Breve Revisão

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS O Conselho Federal de Contabilidade e o Comitê de Pronunciamentos Contábeis são responsáveis pela elaboração das normas contábeis comumente aceitas. Sobre essas normas, julgue

Leia mais

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos

Pessoal, ACE-TCU-2007 Auditoria Governamental - CESPE Resolução da Prova de Contabilidade Geral, Análise e Custos Pessoal, Hoje, disponibilizo a resolução da prova de Contabilidade Geral, de Análise das Demonstrações Contábeis e de Contabilidade de Custos do Concurso para o TCU realizado no último final de semana.

Leia mais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais

2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais Conteúdo 1 Introdução... 1 2 Questão 31 Classificação de Contas e Grupos Patrimoniais... 1 3 Questão 32 Natureza das contas... 3 4 Questão 33 Lançamentos - Operações de captação de recursos... 4 5 Questão

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Contabilidade Geral ICMS-RJ/2010

Contabilidade Geral ICMS-RJ/2010 Elias Cruz Toque de Mestre www.editoraferreira.com.br Temos destacado a importância das atualizações normativas na Contabilidade (Geral e Pública), pois em Concurso, ter o estudo desatualizado é o mesmo

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ITG 1000 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.418/12 -MODELO CONTÁBIL SIMPLIFICADO PARA MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE ALCANCE 1.... estabelece critérios e procedimentos específicos a serem observados pelas entidades

Leia mais

CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS

CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS CONTABILIDADE: DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA) PROCEDIMENTOS SUMÁRIO 1. Considerações Iniciais 2. Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA) na Lei das S.A. 3. Demonstração

Leia mais

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA. 1. Considerando os conceitos de passivos e provisões, julgue os itens abaixo como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção CORRETA. I. Provisões são passivos com prazo ou valor incertos.

Leia mais

Exame de Suficiência Setembro 2011 Bacharel

Exame de Suficiência Setembro 2011 Bacharel Exame de Suficiência Setembro 2011 Bacharel 01 - Acerca das demonstrações contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA. I - O recebimento de caixa resultante da venda de Ativo

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO CFC N.º 1.418/12 Aprova a ITG 1000 Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais e com

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS»CONTABILIDADE «21. A respeito das funções da Contabilidade, tem-se a administrativa e a econômica. Qual das alternativas abaixo apresenta uma função econômica? a) Evitar erros

Leia mais

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero).

e) 50.000.000,00. a) 66.000.000,00. c) 0,00 (zero). 1. (SEFAZ-PI-2015) Uma empresa, sociedade de capital aberto, apurou lucro líquido de R$ 80.000.000,00 referente ao ano de 2013 e a seguinte distribuição foi realizada no final daquele ano: valor correspondente

Leia mais

Contabilidade Geral e de Custos Correção da Prova Fiscal de Rendas do Estado do Rio de Janeiro Prof. Moraes Junior. CONTABILIDADE GERAL e DE CUSTOS

Contabilidade Geral e de Custos Correção da Prova Fiscal de Rendas do Estado do Rio de Janeiro Prof. Moraes Junior. CONTABILIDADE GERAL e DE CUSTOS CONTABILIDADE GERAL e DE CUSTOS 81 Assinale a alternativa que apresente a circunstância em que o Sistema de Custeio por Ordem de Produção é indicado. (A) O montante dos custos fixos é superior ao valor

Leia mais

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009

FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 FACULDADE CIDADE VERDE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CONTABILIDADE E CONTROLADORIA TURMA 2009 RELATÓRIO DE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO: UM ESTUDO DE CASO EM EMPRESA QUE ATUA NO RAMO DE SITUADA NO MUNICÍPIO DE

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Nas questões de 31 a 60, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a folha de respostas, único documento válido para a correção das

Leia mais

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF)) CONTABILIDADE INTERMEDIÁRIA CAPÍTULO 2: PASSIVO EXIGÍVEL E RECEITAS DIFERIDAS MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO MÓDULO 2 PASSIVO EXIGÍVEL (PE) E RECEITAS DIFERIDAS (ANTIGO RESULTADO DE EXERCÍCIOS FUTUROS (REF))

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar

1.1.2.07.001 Empréstimos a empregados 1.1.2.07.002 Empréstimos a terceiros 1.1.2.08 Tributos a Compensar 1.1.2.08.001 IR Retido na Fonte a Compensar A seguir um modelo de Plano de Contas que poderá ser utilizado por empresas comerciais, industriais e prestadoras de serviços, com as devidas adaptações: 1 Ativo 1.1 Ativo Circulante 1.1.1 Disponível 1.1.1.01

Leia mais

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa

1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1 Exercícios de Fixação (Questões de concurso) 1.1 Demonstração dos Fluxos de Caixa 1.1.1 Concurso para AFRF 2000 prova de contabilidade avançada - Questão 15 ENUNCIADO 15- Aplicações em Investimentos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Com relação aos conceitos, objetivos e finalidades da contabilidade, Julgue os itens subsequentes, relativos à correta classificação e julgue os itens a seguir. utilização de

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

Professor Gabriel Rabelo Contabilidade 03. Simulado de Contabilidade para o ISS RJ!

Professor Gabriel Rabelo Contabilidade 03. Simulado de Contabilidade para o ISS RJ! Professor Gabriel Rabelo Contabilidade 03 Simulado de Contabilidade para o ISS RJ! Olá colegas! Realizaremos hoje um pequeno simulado para o concurso do ISS RJ. Lembrando que quaisquer dúvidas podem ser

Leia mais

CGM-SP Auditor Municipal de Controle Interno Geral Prova Objetiva Comentada Contabilidade Geral

CGM-SP Auditor Municipal de Controle Interno Geral Prova Objetiva Comentada Contabilidade Geral CGM-SP Auditor Municipal de Controle Interno Geral Prova Objetiva Comentada Contabilidade Geral Salve, guerreiros(as)! A seguir comentamos as questões de Contabilidade Geral aplicadas no concurso da CGM-SP

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

A demonstração dos fluxos de caixa evidencia a variação ocorridas no saldo das disponibilidades da companhia, em um determinado exercício ou período,

A demonstração dos fluxos de caixa evidencia a variação ocorridas no saldo das disponibilidades da companhia, em um determinado exercício ou período, A demonstração dos fluxos de caixa evidencia a variação ocorridas no saldo das disponibilidades da companhia, em um determinado exercício ou período, por meio eo da exposição posção dos fluxos de recebimentos

Leia mais

TCE-TCE Auditoria Governamental

TCE-TCE Auditoria Governamental TCE-TCE Auditoria Governamental Pessoal, vou comentar as questões da prova. 61. Considere as informações extraídas do Balanço Orçamentário, referentes ao exercício financeiro de 2014, de uma entidade pública:

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte BALANÇO PATRIMONIAL 1. CRITÉRIO DE DISPOSIÇÃO DAS CONTAS NO ATIVO E NO PASSIVO (ART. 178 DA LEI 6.404/76): a. No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente de grau de liquidez dos elementos

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 67.424 76.165 DISPONIBILIDADES 4 5.328 312 TITULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INTRUMENTOS

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO

CONTABILIDADE E TURISMO Capítulo 1 CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Capítulo 1 Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Leia mais

DVA Demonstração do Valor Adicionado

DVA Demonstração do Valor Adicionado DVA Demonstração do Valor Adicionado A DVA foi inserida pela Lei nº 11.638/2007, (artigo 176, inciso V), no conjunto de demonstrações financeiras que as companhias abertas devem apresentar ao final de

Leia mais

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a).

Setembro 2012. Elaborado por: Luciano Perrone O conteúdo desta apostila é de inteira responsabilidade do autor (a). Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66

4 Fatos Contábeis que Afetam a Situação Líquida: Receitas, Custos, Despesas, Encargos, Perdas e Provisões, 66 Apresentação Parte I - CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE, 1 1 Introdução ao Estudo da Ciência Contábil, 3 1 Conceito, 3 2 Objeto, 3 3 Finalidade, 4 4 Técnicas contábeis, 4 5 Campo de aplicação, 5

Leia mais

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1..

1. INVENTÁRIOS 1.2 INVENTÁRIO PERIÓDICO. AGENTE E ESCRIVÃO DA POLICIA FEDERAL Disciplina: Contabilidade Prof.: Adelino Corrêa. 1.. 1. INVENTÁRIOS 1..1 Periódico Ocorre quando os estoques existentes são avaliados na data de encerramento do balanço, através da contagem física. Optando pelo inventário periódico, a contabilização das

Leia mais

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A

CEMEPE INVESTIMENTOS S/A CEMEPE INVESTIMENTOS S/A RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à apreciação de V.Sas. as demonstrações contábeis do exercício encerrado

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA

PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA PÓS GRADUAÇÃO DIRETO EMPRESARIAL FUNDAMENTOS DE CONTABILIDADE E LIVROS EMPRESARIAS PROF. SIMONE TAFFAREL FERREIRA DISTRIBUIÇÃO DA APRESENTAÇÃO - Aspectos Conceituais - Definições Teóricas e Acadêmicas

Leia mais

MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO

MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO MÓDULO VI CONTABILIDADE GERENCIAL BALANÇO PATRIMONIAL INTRODUÇÃO O tema Balanço Patrimonial será tratado sob a ótica do texto legal da Lei 6.404/76, Lei das Sociedades Anônimas e da Lei 10.406/02, o novo

Leia mais

Equipe de Professores da FECAP. Exame de Suficiência CFC 01/2014 Abril/2014

Equipe de Professores da FECAP. Exame de Suficiência CFC 01/2014 Abril/2014 São Paulo, 30 de abril de 2014. Exame de Suficiência CFC 01/2014 Abril/2014 Prezados professores, alunos, ex-alunos da Fecap e demais interessados, Apresentamos a seguir nosso trabalho de apresentação,

Leia mais

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa

Fornecedores. Fornecedores de Serviços (passivo. circulante) Salários e ordenados a pagar. Pró-labore (resultado) Caixa V Pagamento de fornecedores Retenção de IRF sobre serviços Retenção de IRF sobre salários Pró-labore Integralização de capital em dinheiro Integralização de capital em bens Depreciação ICMS sobre vendas

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse.

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse. CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006. 9 cópias na biblioteca

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

219 Ciências Contábeis

219 Ciências Contábeis UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROCESSO DE OCUPAÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES NÚCLEO DE CONCURSOS Edital n 06/2015 UOVR/COPAP/NC/PROGRAD / UFPR Prova Objetiva 18/10/2015 219 Ciências Contábeis INSTRUÇÕES

Leia mais

Prezado(a) Concurseiro(a),

Prezado(a) Concurseiro(a), Prezado(a) Concurseiro(a), A prova do TCM/RJ foi realizada no último final de semana e vou aproveitar para resolver as questões de Contabilidade Geral de forma simplificada e objetiva (nos cursos online,

Leia mais

AULA 10 - PIS E COFINS

AULA 10 - PIS E COFINS AULA 10 - PIS E COFINS O PIS É A CONTRIBUIÇÃO PARA O PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO SOCIAL. A COFINS ÉA CONTRIBUIÇÃO PARA O FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL. FATO DO PIS E DA COFINS SÃO OS MESMOS: a)a RECEITA

Leia mais

IRPJ - REAVALIAÇÃO DE BENS BASE LEGAL PARA O PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE BENS

IRPJ - REAVALIAÇÃO DE BENS BASE LEGAL PARA O PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE BENS Page 1 of 14 IRPJ - REAVALIAÇÃO DE BENS BASE LEGAL PARA O PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE BENS A Lei 6.404/76 (também chamada Lei das S/A), em seu artigo 8 º, admite a possibilidade de se avaliarem os ativos

Leia mais

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007

PLANO DE CONTAS. - Plano 000001 FOLHA: 000001 0001 - INSTITUTO DE ELETROTÉCNICA E ENERGIA DA USP DATA: 18/08/2009 PERÍODO: 01/2007 PLANO DE S FOLHA: 000001 1 - ATIVO 1.1 - ATIVO CIRCULANTE 1.1.1 - DISPONÍVEL 1.1.1.01 - BENS NUMERÁRIOS 1.1.1.01.0001 - (0000000001) - CAIXA 1.1.1.02 - DEPÓSITOS BANCÁRIOS 1.1.1.02.0001 - (0000000002)

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL

CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL CONTABILIDADE GERAL E GERENCIAL AULA 03: ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS TÓPICO 03: ORIGEM E EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA QUALIDADE A DRE tem por objetivo evidenciar a situação econômica de uma empresa,

Leia mais

RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO

RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO RESUMO DAS NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE APLICADAS AO SETOR PÚBLICO NBC T 16.1 - CONCEITUAÇÃO, OBJETO E CAMPO DE APLICAÇÃO A Contabilidade Pública aplica, no processo gerador de informações, os princípios

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS No exercício de 2011, a empresa ALFA auferiu juros no valor de R$ 12.500,00 e comissões sobre vendas no valor de R$ 250.000,00 de sua controlada GAMA. Considerando essa situação, julgue os itens a seguir,

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA

CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA 1 CURSO TÉCNICO EM CONTABILIDADE CONTABILIDADE SOCIETÁRIA Prof. Carmem Haab Lutte Cavalcante 2012 2 CONTABILIDADE SOCIETARIA 2 3 1 CONTABILIDADE Conceito de contabilidade, campo de atuação, usuários, objetivos

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Auditoria 1. Uma das diferenças entre o auditor independente e o auditor interno é que o primeiro

Maratona Fiscal ISS Auditoria 1. Uma das diferenças entre o auditor independente e o auditor interno é que o primeiro Maratona Fiscal ISS Auditoria 1. Uma das diferenças entre o auditor independente e o auditor interno é que o primeiro (A) necessita de registro no Conselho Regional de Contabilidade e o segundo, não. (B)

Leia mais

No prazo de 11 (onze) meses, no caso de aquisições ocorridas em agosto de 2011;

No prazo de 11 (onze) meses, no caso de aquisições ocorridas em agosto de 2011; Créditos sobre ativo imobilizado novas regras: A MP 540 artigo 4, de 2 de agosto de 2011 introduz novas regras para a tomada de crédito sobre itens do ativo imobilizado, conforme destacamos a seguir: O

Leia mais

13. Operações com mercadoria

13. Operações com mercadoria MATERIAL DE APOIO - ENVIADO PELO PROFESSOR 13. Operações com mercadoria Na comercialização de mercadoria (principal objeto de empresa comercial) existirão os tributos; entre eles o ICMS que será estudado

Leia mais

Créditos. a. das aquisições de bens para revenda efetuadas no mês;

Créditos. a. das aquisições de bens para revenda efetuadas no mês; Créditos Dos valores de Contribuição para o PIS/Pasep e Cofins apurados, a pessoa jurídica submetida à incidência não-cumulativa poderá descontar créditos, calculados mediante a aplicação das alíquotas

Leia mais

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO 2 -DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS. OBJETIVO E CONTEÚDO Os objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis podem ser variados. Cada grupo de usuários pode ter objetivos específicos para analisar as Demonstrações

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional O tamanho que a micro ou pequena empresa assumirá, dentro, é claro, dos limites legais de faturamento estipulados pela legislação para um ME ou EPP, dependerá do

Leia mais

Sumário. 1 Introdução. 2 Questões resolvidas 2.1 DFC

Sumário. 1 Introdução. 2 Questões resolvidas 2.1 DFC Sumário 1 Introdução... 1 2 Questões resolvidas... 1 2.1 DFC... 1 2.1.1 Concurso para AFRF 2003 prova de contabilidade avançada Questão 22... 1 2.1.2 Concurso para AFRF 2003 prova de contabilidade avançada

Leia mais

Pedro@ananadvogados.com.br

Pedro@ananadvogados.com.br Pedro@ananadvogados.com.br Sócio de Anan Advogados Especialista em Direito Empresarial pela PUC-SP MBA Controller pela FEA-USP Membro da Diretoria Jurídica da ANEFAC Diretor do Conselho Consultivo da APET

Leia mais

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A.

A Geradora Aluguel de Máquinas S.A. Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 17.488 25.888 Fornecedores e outras obrigações 17.561 5.153 Contas a receber

Leia mais

Prof. Carlos Barretto

Prof. Carlos Barretto Unidade IV CONTABILIDADE FINANCEIRA Prof. Carlos Barretto Objetivos gerais Capacitar os estudantes a adquirir conhecimentos necessários para o desenvolvimento das seguintes competências: consciência ética

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BALANÇO PATRIMONIAL: é a representação quantitativa do patrimônio de uma entidade. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL PARA MPU 2010 - Curso de Resolução de Questões 1 - ÍNDICE

CONTABILIDADE GERAL PARA MPU 2010 - Curso de Resolução de Questões 1 - ÍNDICE CONTABILIDADE GERAL PARA MPU 2010 - Curso de Resolução de Questões 1 - ÍNDICE Princípios Fundamentais de Contabilidade...02 Patrimônio: Ativo, Passivo e PL...04 Fatos Contábeis e Respectivas Variações

Leia mais

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 26 APRESENTAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 1 Objetivos e considerações gerais sobre as Demonstrações Financeiras Conteúdo

Leia mais

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade II DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 3 INTRODUÇÃO 1 2 A demonstração dos fluxos de caixa (DFC), a partir de 01/01/08, passou a ser uma demonstração obrigatória, conforme estabeleceu a lei

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES QUESTÕES 01) Fazem parte do grupo de contas do : A) Duplicatas a Receber Caixa Duplicatas a Pagar. B) Terrenos Banco Conta Movimento Credores Diversos. C) Duplicatas a Pagar Caixa Adiantamentos de Clientes.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos MP627 Alterações Fiscais sobre o Ajuste a Valor Presente

Parecer Consultoria Tributária Segmentos MP627 Alterações Fiscais sobre o Ajuste a Valor Presente 11/03/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas Pelo Cliente... 4 3. Análise da Legislação... 5 a. Ajuste a Valor Presente no Contas a Receber... 5 b. Ajuste

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES

2. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E INFORMAÇÕES 1. INTRODUÇÃO Referente à elaboração e divulgação de informações pelas instituições administradoras dos Fundos de Investimento Imobiliário, para o mercado de valores mobiliários e encaminhamento à Comissão

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

PROVA ESCRITA PROCESSO SELETIVO 2016 Nº DE INSCRIÇÃO: LEIA COM ATENÇÃO E SIGA RIGOROSAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES

PROVA ESCRITA PROCESSO SELETIVO 2016 Nº DE INSCRIÇÃO: LEIA COM ATENÇÃO E SIGA RIGOROSAMENTE ESTAS INSTRUÇÕES UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS MESTRADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROVA ESCRITA PROCESSO

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL SIMPLIFICADA PARA MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE ORIENTAÇÕES RECEBIDAS DO FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE,

Leia mais

Olá, pessoal! Fraternal abraço! Prof. Alipio Filho

Olá, pessoal! Fraternal abraço! Prof. Alipio Filho Olá, pessoal! Comento neste toque as questões de Contabilidade Pública e Orçamento Público que caíram no concurso para conselheiro substituto do TCE-AM. A banca foi a Fundação Carlos Chagas. Aproveito

Leia mais

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão

ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS. Prof. Mário Leitão ANALISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Mário Leitão Estrutura das Demonstrações Financeiras A análise das demonstrações financeiras exige conhecimento do que representa cada conta que nela figura. Há

Leia mais

TIRANDO DÚVIDAS E SOLUCIONANDO PROBLEMAS

TIRANDO DÚVIDAS E SOLUCIONANDO PROBLEMAS CONTABILIZAÇÃO DO PIS E DA COFINS 729 TIRANDO DÚVIDAS E SOLUCIONANDO PROBLEMAS Plantão Tributário Fisco e Contribuinte (*) por Silvério das Neves CONTABILIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES NÃO-CUMULATIVAS AO PIS

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

No concurso de São Paulo, o assunto aparece no item 27 do programa de Contabilidade:

No concurso de São Paulo, o assunto aparece no item 27 do programa de Contabilidade: Olá, pessoal! Como já devem ter visto, dois bons concursos estão na praça: Fiscal do ISS de São Paulo e Auditor Fiscal do Ceará. As bancas são, respectivamente, a Fundação Carlos Chagas (FCC) e a Escola

Leia mais