Segurança de Ativos Utilizando RFID

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Segurança de Ativos Utilizando RFID"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA LUCAS PEDROSO E SILVA E RODRIGO CÉSAR ARANTES DE OLIVEIRA Segurança de Ativos Utilizando RFID Goiânia 2008

2 LUCAS PEDROSO E SILVA E RODRIGO CÉSAR ARANTES DE OLIVEIRA Segurança de Ativos Utilizando RFID Monografia apresentada ao Programa de Pós Graduação do Instituto de Informática da Universidade Federal de Goiás, como requisito parcial para obtenção do Certificado de Especialização em Computação. Área de concentração: Segurança de Sistemas e Redes de Computadores. Orientador: Prof. Vagner Sacramento Goiânia 2008

3 LUCAS PEDROSO E SILVA E RODRIGO CÉSAR ARANTES DE OLIVEIRA Segurança de Ativos Utilizando RFID Monografia apresentada no Programa de Pós Graduação do Instituto de Informática da Universidade Federal de Goiás como requisito parcial para obtenção do Certificado de Especialização em Computação, aprovada em 30 de Setembro de 2008, pela Banca Examinadora constituída pelos professores: Prof. Vagner Sacramento Instituto de Informática UFG Presidente da Banca Prof. Nome do membro da banca Instituto de Informática UFG - Universidade Federal de Goiás Prof. Nome do membro da banca Instituto de Informática UFG - Universidade Federal de Goiás

4 Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do trabalho sem autorização da universidade, do autor e do orientador(a). Lucas Pedroso e Silva e Rodrigo César Arantes de Oliveira Texto com um perfil resumido do autor do trabalho. Por exemplo: (Graduou se em Artes Cênicas na UFG - Universidade Federal de Goiás. Durante sua graduação, foi monitor no departamento de Filosofia da UFG e pesquisador do CNPq em um trabalho de iniciação científica no departamento de Biologia. Durante o Mestrado, na USP - Universidade de São Paulo, foi bolsista da FAPESP e desenvolveu um trabalho teórico na resolução do Problema das Torres de Hanói. Atualmente desenvolve soluções para problemas de balanceamento de ração para a pecuária de corte.)

5 Dedicatória do trabalho a alguma pessoa, entidade, etc.

6 Agradecimentos Texto com agradecimentos àquelas pessoas/entidades que, na opinião do autor, deram alguma contribuíção relevante para o desenvolvimento do trabalho.

7 Epígrafe é uma citação relacionada com o tópico do texto Nome do autor da citação, Título da referência à qual a citação pertence.

8 Resumo Silva, Lucas Pedroso e de Oliveira, Rodrigo César Arantes.. Segurança de Ativos Utilizando RFID. Goiânia, p. Monografia de Especialização. Instituto de Informática, Universidade Federal de Goiás. Resumo do trabalho Palavras chave Palavra-chave 1, palavra-chave 2, etc.

9 Abstract Silva, Lucas Pedroso e de Oliveira, Rodrigo César Arantes.. Segurança de Ativos Utilizando RFID. Goiânia, p. Monografia de Especialização. Instituto de Informática, Universidade Federal de Goiás. Um resumo delineado dos principais pontos do texto. Keywords Palavra-chave 1, Palavra-chave 2, etc.

10 Sumário Lista de Figuras 13 Lista de Tabelas 14 1 Introdução 15 2 A Tecnologia RFID (Identificação por Rádio Freqüência) Funcionalidades Chave Componentes dos Sistemas RFID Identificadores Componentes de um Identificador Freqüências de Operação dos Identificadores Tipos de Identificadores Identificadores Passivos Identificadores Semipassivos Identificadores Ativos Classificação dos Identificadores Faixa de Leitura dos Identificadores Leitores Componentes de um Leitor Tipo de Leitores Diretividade Polarização Ganho Middleware RFID O Barramento de Serviço RFID Comunicação Identificador-Leitor Iniciação da Comunicação Técnicas de Comunicação RFID Comunicação Por Acoplamento (Coupling) Acoplamento Indutivo Acoplamento Magnético Acoplamento Capacitivo Comunicação Por Acoplamento Difuso de Retorno Zonas de Interrogação Distância de Propagação do Sinal Trabalhando em Ambientes Densos Singulação 43

11 Colisões Protocolos Anti-colisões 44 3 Segurança RFID Problemas com RFID Problemas Relacionados à Tecnologia Problemas relacionados à Privacidade e Ética Problemas relacionados à Segurança Riscos RFID Riscos aos Processos de Negócio Riscos à Inteligência de Negócio Risco à Privacidade Riscos Externos Perigos da Radiação Eletromagnética Ataques a Redes de Computadores Ataques e Contra-medidas de Segurança em Sistemas RFID Identificando Falhas e Alvos Técnicas de ataques aplicados à Identificadores e Leitores RFID Tipos de ataques e Contra-medidas Eavesdropping Spoofing Inserção (Insertion) Repetição (Replay) Negação de Serviço (DoS) Vírus/Malware RFID Ataque Man in the Middle (MIM) Técnicas de ataque aplicadas ao Middleware Técnicas de ataque aplicadas às aplicações e ao banco de dados RFID Ataque aos Dados Inundação de Dados (Data Flooding) Duplicação Proposital de Identificadores RFID Eventos falsos Taxas de leitura Ataques de vírus Ataques a comunicação com as aplicações ou banco de dados RFID Ataque a camada de aplicação Ataques de repetição TCP Criptografia Criptografia de Chave Simétrica Criptografia de Chave Assimétrica Autenticação Autenticação por senha Keyed-Hash Message Authentication Code (HMAC) Assinatura Digital 85

12 4 Segurança de Ativos utilizando RFID Importância Para que serve Desafios/Dificuldades de implementação 91 5 Framework Segurança de Ativos Utilizando RFID Fase Inicial Avaliação de riscos Desenvolvimento de políticas Política de Uso RFID Política de Segurança Necessidades que o sistema deve atender Projeto do Sistema RFID Definindo a Arquitetura do Sistema Tipos de visibilidade RTLS (Real Time Location System) Ponto de Checagem Padrões e Regulações Regulamentos de RFID Padrões de RFID Impacto dos Padrões e Regulamentos Definindo a freqüência de operação Selecionando identificadores e leitores RFID Selecionando identificadores Selecionando leitores Preparando uma análise do ambiente (site survey) Análise da Infra-estrutura Física do Ambiente Análise do ambiente de radiofreqüência Determinação do ruído eletromagnético do ambiente Protegendo o sistema RFID de interferências e ruídos Preparação do Desenho do Ambiente Requerimentos relativos ao middleware e as aplicações Middleware Aplicações Integração da informação com outros sistemas Topologia física e lógica Posicionamento dos leitores RFID Implementação do sistema de gerenciamento de ativos RFID Preparação para instalação Instalando o hardware Instalação dos leitores Instalação das antenas Instalação dos cabos Testes Assegurando a segurança do sistema Conclusão 129

13 Referências Bibliográficas 132

14 Lista de Figuras 2.1 Componentes de um Identificador (Tag) [20] Classe dos Identificadores [20] Características que afetam a faixa de leitura [20] Antena [20] O Papel do Leitor no Processo de Coletar Informação [20] Componentes Físicos de um Leitor [7] Estrutura RFID com Middleware [14] Estrutura Modular do Middleware [20] Diagrama de Bloco Tiny AES Encryptor/Decryptor [2] Arquitetura RFID 104

15 Lista de Tabelas 2.1 Faixas de operação e alcance médio dos identificadores passivos [20] Faixa de Freqüência UHF alocada para sistemas RFID [20] Características dos Tipos de Identificadores [20] Características das classes dos identificadores RFID [20] Padrões ISO/IEC [10] Fatores que determinam o nível de risco aos processos de negócios Fatores que determinam o nível de risco aos processos de negócios Fatores que determinam o nível de risco aos processos de negócios NIST Recommended Key Sizes Riscos e Ameaças Limites SAR adotados por várias entidades reguladoras Bandas RF usadas para dispositivos RFID em várias regiões Alguns padrões RFID desenvolvidos pela ISO 109

16 Introdução CAPÍTULO 1 Com o grande aumento no interesse mundial sobre a tecnologia de RFID (identificação por radio-freqüência), é necessário que sejam estudados como estas aplicações estão sendo desenvolvidas. A tecnologia RFID permite a identificação e captação de dados através da utilização de ondas eletromagnéticas (sinais de rádio) e tem como principal característica permitir associar um identificador único e outras informações a qualquer objeto, animal ou mesmo pessoa e ler essas informações mediante um dispositivo sem fios. Quando os dispositivos RFID são ligados a bases de dados e a redes de comunicações, como a Internet, esta tecnologia proporciona um poderoso modo de oferta de novos serviços e aplicações para praticamente qualquer ambiente. Os dispositivos RFID são, na verdade, vistos como a porta de entrada numa nova fase de desenvolvimento da sociedade da informação, muitas vezes denominada Internet das coisas 1, na qual a Internet liga não só computadores e terminais de comunicações, como, potencialmente, qualquer dos objetos que nos rodeiam todos os dias vestuário, outros bens de consumo etc. O potencial da tecnologia RFID é realmente espantoso e os constantes melhoramentos tornam a sua aplicação ilimitada. A constante evolução deste produto resultará na presença cada vez maior no dia-a-dia das pessoas e das empresas, beneficiando setores tais como logística, saúde, educação, segurança, comércio, indústria, agricultura, pecuária e outros, trazendo soluções para localização, identificação, rastreamento, segurança, gerenciamento, controle, administração, monitoramento etc. Com o surgimento e amadurecimento da tecnologia RFID, a administração dos ativos 2 ganhou um novo e forte aliado. A justificativa de tanta importância em torno da identificação por freqüência de rádio para a segurança de ativos deve-se à possibilidade de localização e reconhecimento dos recursos da organização com potenciais ganhos de eficiência e precisão, além de novos horizontes de serviços como inventário on-line, atualização de informações sobre os ativos, segurança contra furtos e perdas, relatórios 1 Internet of things é uma visão futura de uma rede na qual todos objetos físicos são identificados por um identificador RFID e colocado na rede, por isso é chamada de Internet de Coisas. 2 Ativos podem ser tangíveis, que incluem a infra-estrutura, como centros de dados, servidores, equipamentos, produtos, impressoras etc, e intangíveis, que incluem dados ou outras informações de valor.

17 16 para controle etc., a fim de combater o furto e roubo de recursos da organização, trazendo a possibilidade de uma administração mais produtiva e bem menos onerosa. Baseado em tendências como o encarecimento dos sistemas de segurança de informação das organizações, estas estão reconhecendo cada vez mais a necessidade por medidas de administração, maior eficiência e agilidade, controle (rastreabilidade) e segurança dos recursos (ativos). Administrar os ativos de forma precisa e eficaz, mantendo-os seguros (livres de furtos ou perdas), utilização de ferramentas automáticas para inventário dos recursos físicos, utilização da informação sobre os ativos, mantendo os dados em dia (atualizados) são questões que merecem ser analisadas e estudadas a fundo. A identificação de ativos em tempo real e de forma precisa é possível através da utilização de tecnologia de RFID, entretanto, existem alguns desafios e dificuldades na implantação de um sistema de segurança por radio-freqüência como a infra-estrutura complexa necessária para coletar, examinar e mover o vasto volume de dados que os identificadores geram por freqüência de rádio, escolher um padrão adequado de identificadores e das antenas e posicioná-las de forma a cobrir toda a área desejada, observando os obstáculos físicos, interferência de sinal, ruídos, escolha do software de gerenciamento de ativos, além de desafios inerentes às tecnologias de comunicação sem fio como a transferência de dados de forma segura. Perdas por roubo de dados proprietários em corporações e outras instituições mais que dobrou de 2005 para 2006, passando a um total de 356,000 dólares por incidente. 10% de todas as companhias, agências de governo, e instituições educacionais sofreram essas perdas. Oitenta três milhões de registros confidenciais foram perdidos ou roubados em Mais de 10 milhões de cidadãos dos EUA foram afetados por roubos de identidade no mesmo ano. Recentes publicações indicam a média de 1 a 4% de notebooks roubados por ano, sendo que a perda de um notebook pode ter efeitos catastróficos para uma corporação. Apenas 43% das organizações que sofreram essas perdas informaram os dados por temor do impacto potencial na imagem ou no preço da ação da instituição. [5] Este trabalho procura evidenciar como corporações conseguem resultados acima da média pelo simples fato de terem uma visão diferente do futuro que está por vir, pela sua obstinada procura e por não apenas moldar o seu futuro, mas também o do seu setor. Mostrar a vantagem e o retorno sobre o investimento da aplicação desta tecnologia e fornecer algumas diretrizes a serem seguidas para a maximização deste investimento. A conscientização das organizações apoiada pela necessidade de contribuições e uma melhoria na administração e segurança precisa e eficaz no uso dos ativos, apontam ao surgimento deste trabalho, cujo objetivo é apresentar soluções voltadas à administração de ativos de uma corporação focando na segurança dos recursos contra roubos, furtos ou perdas utilizando a tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (Radio Frequency Identification RFID), estudar a viabilidade de implantação em ambientes corporativos,

18 17 as necessidades, quais são as suas vantagens e desvantagens e tendências do mercado da implantação de RFID na segurança de ativos, evidenciando os benefícios e as desvantagens da adoção desta tecnologia. O estudo irá mostrar os principais desafios e dificuldades de implantação, mostrando soluções que tornem viáveis este tipo de solução. Tal discussão é apresentada neste trabalho que está estruturado como segue: Capítulo 2 Fundamentos RFID: mostra todo aspecto técnico da tecnologia de RFID, mostrando as diferentes freqüências de operação e funcionalidades que cada uma delas oferece. Capítulo 3 Segurança em RFID: estuda as técnicas de ataque em sistemas de pontos de checagem e de tempo real, os riscos e falhas. Capítulo 4 Segurança de Ativos Utilizando RFID: estuda a importância, a utilidade, os desafios e dificuldades de implantação. Capítulo 5 Um Sistema de Segurança de Ativos: estuda as necessidades e requisitos de um sistema de segurança de ativos, vantagens e desvantagens de sistemas baseados em pontos de checagem e sistemas de localização em tempo real (RTLS). Capítulo 6 Conclusão: discussão sobre as dificuldades, viabilidades e tendências.

19 CAPÍTULO 2 A Tecnologia RFID (Identificação por Rádio Freqüência) O objetivo deste capítulo é descrever as partes de um sistema RFID, definições, principais características, componentes, padrões, seus relacionamentos entre si e alguns requisitos funcionais e de nível de serviço específicos da tecnologia RFID. Não há uma arquitetura RFID única e universal que se adapte a todos os requisitos de todos os sistemas. Devido a uma recente confluência de tecnologias, sistemas RFID agora oferecem algumas funcionalidades chave, que possuem um impacto distinto e previsível sobre as arquiteturas de sistemas que a usem. Todo sistema é constituído basicamente de três componentes, os leitores, os identificadores e o middleware, que serão mais profundamente abordados no decorrer do capítulo. O leitor é o dispositivo interrogador, que, através de uma antena, reconhece a presença de um identificador e lê as informações presentes neste; o identificador é o dispositivo que identifica o item; e middleware é o responsável pela comunicação entre o(s) leitor(es) e o(s) sistema(s) de análise(s) e aplicações. [10] Os fatos que possibilitam que esta tecnologia seja aplicada para a criação da Internet of things (rede de objetos) são: a identificação de itens automaticamente com pouca dependência do posicionamento do leitor em relação ao identificador, a possibilidade do item a ser identificado estar em movimento, a possibilidade de reescrever dados nos identificadores adicionando-os e removendo-os quando aplicável, a possibilidade de identificar individualmente bilhões de itens, uma variedade de formas e aplicações, e a possibilidade de ler uma grande quantidade de itens ao mesmo tempo. A capacidade de associar uma identidade eletrônica a um objeto físico estende a Internet ao mundo real, possibilitando que objetos integrem a Internet of things. Aplicações poderão identificar itens nesta rede devido a suas identidades eletrônicas e comunicação sem fio sem a necessidade de intervenção. Para os negócios isto pode significar um melhor controle dos processos, inventários contínuos e mais precisos, melhor visibilidade na cadeia de suprimentos, garantia de autenticidade, localização e segurança de ativos, mais informações sobre itens em movimento etc. [7][10]

20 2.1 Funcionalidades Chave Funcionalidades Chave Além das funcionalidades mencionadas anteriormente para a Internet of things, um sistema RFID pode fornecer outros recursos e capacidades como a capacidade de codificar identificadores RFID, bem como a possibilidade de reescrever dados quando necessário, a capacidade de anexar (associar) identificadores RFID codificados a objetos físicos, a capacidade de rastrear a movimentação de itens com identificadores (mesmo estando em movimento), a capacidade de integrar informações RFID nas aplicações de negócio e a capacidade de produzir informações que possam ser compartilhadas entre negócios. Examinaremos mais de perto cada um destes itens. [7] Identificando RFID Codificados. Codificar identificadores é um processo de dois passos. O primeiro é selecionar um esquema de identificação, como uma string de letras e números, para rastrear com unicidade os itens em questão. Por exemplo, os itens da sala 117 do segundo andar do bloco B serão iniciados por BLB-02AND- SALA117-XXXXX. Assim que isso for feito, pode-se anexar essas identidades aos identificadores RFID, que é o processo de codificação, no qual regras são usadas para transformar uma mensagem legível por uma pessoa em um código legível por uma máquina. Cada tipo de identificação, de código de barras e códigos óticos difusos a tiras magnéticas e identificadores RFID, possui uma codificação determinada, que permite a ele representar uma identidade. Anexando identificadores RFID. Anexar identificadores RFID em itens é um processo que requer tempo. Anexar identificadores manualmente é o método mais obvio, mas menos eficiente. Pode-se utilizar um método automatizado para anexar rótulos inteligentes, porém uma consideração importante deve ser feita que é a taxa relativamente alta de defeitos destes identificadores RFID, devido à sua delicadeza e sensibilidade. Rastreando o movimento de itens. Anexar um identificador quando um item é enviado beneficia os recebedores porque eles podem rastrear o movimento do item da doca de envio até a de recebimento. O custo deste conhecimento é a dispersão de leitores por todo o negócio, além das mudanças nos processos para assegurar que os leitores vejam os identificadores quando eles chegam em uma nova etapa do seu processo. Usando dados RFID nas aplicações de negócio. Os verdadeiros benefícios das tecnologias RFID serão percebidos apenas quando forem integradas as informações de rastreamento dos componentes RFID nas aplicações de negócio. Usar informações RFID requer a integração com as aplicações corporativas existentes.

21 2.2 Componentes dos Sistemas RFID 20 Compartilhando dados RFID B2B 1. Assim que uma empresa integra dados RFID internamente e adapta seus processos de negócio para alavancar esses dados, encontrará motivos para compartilhá-los com seus parceiros de negócios e começará a fornecer serviços B2B baseados nos dados. Auto-organização de dispositivos inteligentes. Na medida em que um número crescente de dispositivos é conectado à Internet, a tarefa de fornecer, configurar, monitorar e gerenciá-los é um desafio sempre crescente. Padrões de middleware RFID como eventos em nível de aplicação ajudam a desacoplar as aplicações corporativas dos leitores e antenas, mas configurar esses componentes para funcionarem como middleware RFID pode ser uma tarefa que necessite de tempo. Tecnologias como redes em malhas e Jini 2 fornecem configuração dinâmica e características de auto-conserto de modo que middleware RFID possa se adaptar a mudanças na configuração física de leitores e outros sensores. 2.2 Componentes dos Sistemas RFID Os componentes que iremos estudar englobam não apenas os equipamentos presentes para capturar as informações armazenadas nos identificadores, mas também da infra-estrutura necessária para que estes dados cheguem aos sistemas legados de forma significativa e não apenas uma enxurrada de dados sobre itens. Iremos detalhar os identificadores, os leitores, o middleware e o barramento de informações da empresa (ESB - Enterprise Service Bus). [20] Identificadores O objetivo de um identificador é associar dados a um objeto físico. Cada identificador tem um mecanismo para armazenar estes dados e um modo de comunicá-los. Nem todos os identificadores têm chips ou bateria, mas todos têm antena. [10] Apenas duas características são universais a todos os identificadores: eles são anexados para identificar produtos e eles são capazes de transmitirem informação através de ondas de rádio. Existem outras capacidades, mas estas não são universais, como a possibilidade de serem desligados por um comando e nunca mais responderem a um 1 B2B (Business to Business) faz uso das tecnologias baseadas em Web para conduzir os negócios entre empresas e pode ser definido como troca de mensagens estruturadas com outros parceiros comerciais a partir da Internet ou de redes privadas, para criar e transformar assim as suas relações de negócios, como a compra, venda e troca de informações de produtos e de serviços. 2 Jini é uma tecnologia baseada em Java que permite a descoberta e provisionamento (capacidade de recebimento de informações de configuração do middleware) de dispositivos.

22 2.2 Componentes dos Sistemas RFID 21 interrogador, a capacidade de serem graváveis (uma ou mais vezes), terem protocolos de anti-colisão, encriptação e compatibilidade com padrões. [10][7] Os identificadores têm tanto características físicas como lógicas. As físicas são suas características de fabricação como invólucro e encapsulamento, faixas de operação, fonte de energia e capacidade de armazenamento e processamento. As características lógicas estão ligadas como os padrões e são usados para atenderem às necessidades da camada de negócios. [10] Componentes de um Identificador Um identificador deve ter componentes para suportar as seguintes funcionalidades: [20] Armazenar informação(ões) sobre um item; Processar o pedido de informação vindo de um leitor; Preparar e enviar a resposta ao leitor. Os componentes presentes em um identificador para suportar estas funcionalidades são: [20] Chip: Usado para gerar ou processar um sinal. É um circuito integrado (IC) feito de silício. O chip consiste nos seguintes componentes funcionais: Unidade lógica: Implementa o protocolo de comunicação usado para comunicação entre o leitor e identificador; Memória: Usada para armazenar dados (informações); Modulador: Usado para modular os sinais de envio e demodular os sinais recebidos; Controlador de força: Converte a corrente alternada recebida no sinal para corrente contínua e supri de energia os componentes do chip. Antena: Em um sistema RFID, a antena do identificador recebe o sinal (um pedido de informação) de um leitor e transmite o sinal de resposta (informação de identificação) de volta ao leitor. É feito de metal ou material baseado em metal. Leitores, que será discutido posteriormente, e identificadores têm suas próprias antenas. As antenas são geralmente utilizadas por identificadores e leitores operando nas frequências LF, HF, UHF e microondas, que serão explicadas na seção

23 2.2 Componentes dos Sistemas RFID 22 Os identificadores (e leitores) operando a LF e HF usam enrolamentos indutivos (como antenas) para enviar e receber sinais utilizando a técnica de comunicação por acoplamento indutivo (inductive coupling communication technique), que usam a indução de corrente em um enrolamento como um meio de transferir dados ou energia. As técnicas de comunicação serão detalhadamente discutidas na seção Suporte: Esta é a parte que armazena o chip e a antena, em outras palavras, é a estrutura de apoio para o identificador. O suporte pode ser feito de materiais diferentes como plástico, politereftalato de etila (PET), papel e vidro epóxi. O material pode ser rígido ou flexível, dependendo das exigências de uso. São projetados fundamentos para identificadores RFID para satisfazer exigências de uso específicas como as seguintes: [20] Dissipação de formação de eletricidade estática; Durabilidade sob condições operacionais específicas; Proteção mecânica para o chip, antena e conexões; Superfície de impressão lisa. Assim, um identificador consiste em um chip e uma antena alocados em um suporte (estrutura), conforme figura 2.1. Figura 2.1: Componentes de um Identificador (Tag) [20] Freqüências de Operação dos Identificadores Sistemas RFID usam diferentes freqüências de rádio, mas existem as quatro faixas de freqüência mais utilizadas: baixa freqüência (30-300KHz), alta freqüência (3-30MHz), ultra alta freqüência (300MHz-3GHz), microondas (1GHz-300GHz). Quanto à

24 2.2 Componentes dos Sistemas RFID 23 faixa de operação, as freqüências que os identificadores usam para se comunicar com os leitores são: [10] 1. Baixa freqüência (LF) geralmente usada para controle de acesso e rastreamento de itens, seu alcance é de aproximadamente 50 cm; 2. Alta freqüência (HF) usada onde taxas de leituras e distâncias mínimas são necessárias, seu alcance médio fica em torno de 3 metros; 3. Freqüência Ultra Alta (UHF) que oferece as maiores taxas de leitura e distância, seu alcance chega até 9 metros; 4. Microondas que é usado para, por exemplo, identificação de veículos e tem alcance bem maior do que as outras faixas, acima de 10 metros. Dependendo da faixa em que as freqüências operam, elas respondem a diferentes distâncias e se comportam de forma diferente nos meios em que passam. Devido a estes dispositivos comunicarem-se usando ondas eletromagnéticas, eles são classificados como dispositivos de rádio e são regulamentados para não interferirem em equipamentos de segurança e outros existentes hoje em dia como televisões e rádios. Devido a isto, as freqüências de operação são as definidas pela ISM 3 (Industrial, Scientific, and Medical) e mostradas na tabela 2.1. Dependendo da faixa que operam seu comportamento é diferente, por exemplo, baixas freqüências são melhores para uso em meios com a presença de água, onde as freqüências mais altas sofrem uma refração muito grande, por outro lado altas freqüências têm a possibilidade de transmitirem uma taxa maior de dados, além de um alcance maior. [10] Tabela 2.1: Faixas de operação e alcance médio dos identificadores passivos [20] Nome Faixa de Freqüência Faixa Reservada ISM Alcance Médio Low frequency (LF) kHz < 135 khz <50 cm High frequency 3-30MHz 6.78 MHz, 8.11 MHz, <3 m (HF) MHz, MHz Ultrahigh frequency 300Mhz-3GHz 433 MHz, 869 MHz <9 m (UHF) Microondas > 3GHz 2.44 GHz, 5.8 GHz >10 m Sistemas de RFID que operam em LF e HF usam praticamente as mesmas freqüências em todo o mundo, como mostrado na tabela 2.1, mas não há nenhum acordo 3 ISM é um grupo de freqüências, inicialmente reservadas para uso não comercial nos campos industrial, científico e médico, e agora utilizadas para os sistemas RFID.

25 2.2 Componentes dos Sistemas RFID 24 global sobre quais freqüências deveriam ser usadas para sistemas de RFID que operam em UHF. São alocadas faixas de freqüências UFH aos sistemas de RFID em regiões diferentes do mundo, como mostrado na tabela 2.2. [20] Tabela 2.2: Faixa de Freqüência UHF alocada para sistemas RFID [20] Região Faixa de Freqüência UHF alocada para Força Sistemas RFID Estados Unidos MHz 4W Austrália MHz 1W Europa MHz 2W Hong Kong MHz / MHz 2W / 4W Japão MHz 4W Para uma dada freqüência, um tipo de identificador e uma técnica de comunicação, a distância prática para leitura de um identificador depende de outros fatores como a força máxima do rádio e o tamanho da antena. [20] Tipos de Identificadores As duas maiores características que determinam a performance e o uso de um identificador são o tipo do identificador e a freqüência de operação dele. Os tipos de identificadores são determinados pelos dois fatores seguintes: [20] O identificador pode iniciar uma comunicação? O identificador possui fonte de energia? Baseando nas diferentes combinações das respostas das perguntas acima existem três tipos de identificadores: passivos, semipassivos e ativos Identificadores Passivos Um identificador passivo é um identificador que não possui sua própria fonte de energia, como uma bateria, e com isso, não pode iniciar uma comunicação. Ele responde ao sinal enviado pelo leitor gerando energia através do sinal recebido. Em outras palavras, o sinal recebido ativa o identificador passivo. Seu funcionamento é da seguinte forma: [20] 1. A antena do identificador passivo recebe o sinal enviado pelo leitor. 2. A antena envia o sinal ao IC. 3. Parte da energia do sinal é usada para ligar o IC.

Segurança de Ativos Utilizando RFID

Segurança de Ativos Utilizando RFID UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA LUCAS PEDROSO E SILVA E RODRIGO CÉSAR ARANTES DE OLIVEIRA Segurança de Ativos Utilizando RFID Goiânia 2008 LUCAS PEDROSO E SILVA E RODRIGO CÉSAR ARANTES

Leia mais

ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA

ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ESTUDO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA Camila de Brito Miranda 1 ; Rafaela do

Leia mais

RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br

RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br RFID Você vai usar! Jean Pierre Borges de Sousa jeansousa@inf.ufg.br Graduado em Sistemas de Informação FASAM Mestrado em andamento em Ciência da Computação INF/UFG PRIMEIROS PASSOS Surgiu na Segunda Guerra

Leia mais

2 Tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (RFID)

2 Tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (RFID) 2 Tecnologia de Identificação por Rádio Freqüência (RFID) A tecnologia de IDentificação por Rádio Freqüência (RFID) provê uma forma de identificar unicamente itens, distinguindo-os de qualquer outro, além

Leia mais

RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO

RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO WORKSHOP TECNOLOGIA CARDS 2009 RFID: APLICABILIDADE, CONFIABILIDADE, SEGURANÇA, PADRÕES E CASES DE SUCESSO São Paulo, 27.4.2009 Karina Prado Diretora Comercial GD Burti S.A. DEFINIÇÃO Radio-Frequency Identification

Leia mais

Entendendo a Tecnologia RFID

Entendendo a Tecnologia RFID Entendendo a Tecnologia RFID Como o próprio nome sugere a identificação por radiofreqüência é uma tecnologia de identificação automática que utiliza ondas eletromagnéticas como meio para capturar as informações

Leia mais

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico

A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico A Tecnologia RFID Aplicada à Logística Instituto de Desenvolvimento Logístico Avenida Prudente de Morais, 290 4º andar Cidade Jardim (31) 2531 0166 contato@idel.com.br www.idel.com.br 1 Palestrante Mac

Leia mais

RFID (Identificação por Radiofrequência)

RFID (Identificação por Radiofrequência) RFID (Identificação por Radiofrequência) Este tutorial apresenta a descrição de conceitos de RFID, tecnologia wireless de identificação e coleta de dados. Vergílio Antonio Martins Engenheiro de Eletrônica

Leia mais

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM

A Física por trás da Tecnologia RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM A Física por trás da Tecnologia RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM 2 Espectro electromagnético 3 Espectro de frequência para o sistema RFID Tamanho da antena Existe uma razão de proporção

Leia mais

5. Aplicação na gestão do fluxo inbound e na armazenagem

5. Aplicação na gestão do fluxo inbound e na armazenagem 5. Aplicação na gestão do fluxo inbound e na armazenagem O presente capítulo tem como objetivo analisar o uso do sistema RFID no varejo com foco na gestão do fluxo inbound e na armazenagem de um centro

Leia mais

Básico do RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM

Básico do RFID. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Básico do RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM 2 Organização da apresentação 1. História; 2. Funcionamento do sistema RFID; 3. Aplicações. Organização da apresentação 1. História; 2. Funcionamento

Leia mais

Introdução ao sistema RFID

Introdução ao sistema RFID Introdução ao sistema RFID Profa. Renata Rampim de Freitas Dias Professora associada ao Centro de Excelência em RFID RFID _ Filme O que é RFID? RFID é um termo genérico denotando: A identifição de um objeto

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

RFID: Identificação por Radiofrequência

RFID: Identificação por Radiofrequência RFID: Identificação por Radiofrequência 10 principais tendencias tecnológicas de 2015 - Gartner Computação em toda parte; Internet das coisas; Impressão 3D; Análises avançadas, pervasivas e invisíveis;

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801)

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801) 50 GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984-3801) APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIOFREQÜÊNCIA (RFID) PARA CONTROLE DE BENS PATRIMONIAIS PELA WEB Marcelo Gonçalves Narciso Resumo: Este

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS A Internet global A World Wide Web Máquinas de busca Surgiram no início da década de 1990 como programas de software relativamente simples que usavam índices de palavras-chave.

Leia mais

Identificação por Dispositivos de Radiofrequência - RFID -

Identificação por Dispositivos de Radiofrequência - RFID - Identificação por Dispositivos de Radiofrequência - RFID - Os dispositivos de identificação por meio de rádio frequência têm atingido já desde alguns anos um estado de difusão aplicacional e comercial

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Dispositivos de entrada sem fio 1 INTRODUÇÃO

Dispositivos de entrada sem fio 1 INTRODUÇÃO Dispositivos de entrada sem fio 1 INTRODUÇÃO Nosso seminário vai apresentar uma tecnologia de entrada de dados sem fio, ou seja, os dados de entrada vao ser transmitidos sem a necessidade de meios fisicos

Leia mais

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014

Comunicação Sem Fio REDES WIRELES. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio. Comunicação Sem Fio 06/05/2014 REDES WIRELES Prof. Marcel Santos Silva Comunicação Sem Fio Usada desde o início do século passado Telégrafo Avanço da tecnologia sem fio Rádio e televisão Mais recentemente aparece em Telefones celulares

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Cronograma. RFID ( Radio Frequency Identification ) Histórico. Histórico. O que é RFID? Vídeo IBM

Cronograma. RFID ( Radio Frequency Identification ) Histórico. Histórico. O que é RFID? Vídeo IBM Cronograma RFID ( Radio Frequency Identification ) Alexandre Gaddo Fábio Rossi Guilherme Rodrigues Histórico O que é RFID? Componentes Funcionamento Porque utilizar padrão epc Estrutura de codificação

Leia mais

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO Sistema de rádio bidirecional digital profissional A solução de comunicação em rádios bidirecionais de próxima geração está aqui, com melhor desempenho, produtividade e preço e mais oportunidades para

Leia mais

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS

LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS LNet Mobility WIRELESS SOLUTIONS INTRODUÇÃO: Entende-se por Mobilidade a possibilidade de poder se comunicar em qualquer momento e de qualquer lugar. Ela é possível graças às redes wireless, que podem

Leia mais

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3

Brasil EPC. Código Eletrônico de Produto. Volume 3 Brasil EPC Código Eletrônico de Produto Volume 3 A implementação do código eletrônico de produto (EPC) e da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), promete importantes benefícios aos consumidores

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados?

Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? Alessandro F. Cunha O que são sistemas embarcados? 1. Introdução Alguma vez você já se deu conta que o microondas de sua casa tem uma capacidade computacional maior do que tinha o projeto Apolo, que levou

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Fundamentos em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Camada Física Primeira cada do modelo OSI (Camada 1) Função? Processar fluxo de dados da camada 2 (frames) em sinais

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores.

PROJETO DE PESQUISA. Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. PROJETO DE PESQUISA 1. Título do projeto Automação residencial utilizando dispositivos móveis e microcontroladores. 2. Questão ou problema identificado Controlar remotamente luminárias, tomadas e acesso

Leia mais

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior

Arquitetura de Computadores. Professor: Vilson Heck Junior Arquitetura de Computadores Professor: Vilson Heck Junior Agenda Conceitos Estrutura Funcionamento Arquitetura Tipos Atividades Barramentos Conceitos Como já discutimos, os principais componentes de um

Leia mais

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

RFID Radio Frequency Identification

RFID Radio Frequency Identification Unisinos RFID Radio Frequency Identification Juliane Soares Maiquel Mari Alves Paulo Dreher Vanessa Fernandes Sumário Introdução 3 Histórico 4 O Sistema RFID 8 Métodos de funcionamento 13 Protocolo 17

Leia mais

Organização de Computadores 1

Organização de Computadores 1 Organização de Computadores 1 SISTEMA DE INTERCONEXÃO (BARRAMENTOS) Prof. Luiz Gustavo A. Martins Arquitetura de von Newmann Componentes estruturais: Memória Principal Unidade de Processamento Central

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Sem Fio Fabricio Breve Tipos de transmissão sem fio Rádio Infravermelho Laser Aplicações Em ambientes internos: Ideal para situações onde não é possível utilizar cabeamento

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

TM-RFID010: MODULO DE TREINAMENTO COMERCIAL DE LEITORES E TAGS

TM-RFID010: MODULO DE TREINAMENTO COMERCIAL DE LEITORES E TAGS TM-RFID010: MODULO DE TREINAMENTO COMERCIAL DE LEITORES E TAGS TM-RFID010: PALESTRANTES Antonio de Carvalho Administração de Empresas - FECAP Analise de Sistemas ADP Systems Gerente de Negócios Wagner

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

Fábio Costa e Miguel Varela

Fábio Costa e Miguel Varela Sistema de Informação e Gestão dos Laboratórios do Departamento de Eng.ª Electrotécnica com Tecnologia RFID Projecto Final de Licenciatura em Eng. Electrotécnica e de Computadores Ramo de Electrónica e

Leia mais

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO DOS RFID s O Um sistema de RFID é composto, basicamente, por uma antena, que funciona como receptor, faz a leitura do sinal

Leia mais

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson

Redes Industriais. Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Redes Industriais Centro de Formação Profissional Orlando Chiarini - CFP / OC Pouso Alegre MG Inst.: Anderson Capítulo 2 Meio Físicos A automação no meio produtivo Objetivos: Facilitar os processos produtivos

Leia mais

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS - SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS I - Aspectos gerais: 1. Sistema eletrônico para gestão e rastreamento do enxoval hospitalar, composto por etiquetas dotadas

Leia mais

Entrada e Saída. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Entrada e Saída. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Entrada e Saída Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Dispositivos Externos; E/S Programada; E/S Dirigida por Interrupção; Acesso Direto à Memória; Bibliografia. Prof. Leonardo Barreto Campos

Leia mais

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto

ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto ROADSHOW PORTO RFID aplicado à Gestão Logística 26 de Maio 2011 Luis Peixoto The global language of business GS1 EPCglobal/RFID Uma ferramenta logística RASTREABILIDADE INFORMAÇÃO EM TEMPO REAL GS1 EPC

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

Dificuldades para a adoção de RFID nas operações de uma cadeia de suprimentos

Dificuldades para a adoção de RFID nas operações de uma cadeia de suprimentos Dificuldades para a adoção de RFID nas operações de uma cadeia de suprimentos Neli R. da Silveira Almeida Prado (UNIP Ribeirão Preto) neli.prado@gmail.com Néocles Alves Pereira (UFSCAR) dnap@power.ufscar.br

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

Experiência de implementação de soluções RFID e RTLS em função do Inventário e de controlo de stock tanto em armazéns como em lojas

Experiência de implementação de soluções RFID e RTLS em função do Inventário e de controlo de stock tanto em armazéns como em lojas Experiência de implementação de soluções RFID e RTLS em função do Inventário e de controlo de stock tanto em armazéns como em lojas Silvério Paixão l Director de Inovação & Standars l GS1 Portugal 17 e

Leia mais

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios.

Internet of Things. utilizá-la em diversos tipos de negócios. Internet of Things 10 formas de utilizá-la em diversos tipos de negócios. INTRODUÇÃO As interfaces Machine to Machine (M2M) estão facilitando cada vez mais a comunicação entre objetos conectados. E essa

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 4 Introdução aos Sistemas Biométricos 1. Identificação, Autenticação e Controle

Leia mais

SOBRE A TECNOLOGIA RFID

SOBRE A TECNOLOGIA RFID SOBRE A TECNOLOGIA RFID (*) - RFID Identificação por Rádio Freqüência Usa antenas que lêem e gravam informações em chips para monitoramento de ativos pessoas ou objetos fixos ou móveis. A tecnologia RFID

Leia mais

Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias

Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias São Paulo, 21 de setembro de 2010 Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias e Dario Thober Centro de Pesquisas von Braun Centro de Pesquisa sem fins lucrativos Soluções inovadoras

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Meios de Transmissão Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Abril de 2012 1 / 34 Pilha TCP/IP A B M 1 Aplicação Aplicação M 1 Cab M T 1 Transporte Transporte

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição

William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição William Stallings Arquitetura e Organização de Computadores 8 a Edição Capítulo 7 Entrada/saída Os textos nestas caixas foram adicionados pelo Prof. Joubert slide 1 Problemas de entrada/saída Grande variedade

Leia mais

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores

ATIVIDADE 1. Definição de redes de computadores ATIVIDADE 1 Definição de redes de computadores As redes de computadores são criadas para permitir a troca de dados entre diversos dispositivos estações de trabalho, impressoras, redes externas etc. dentro

Leia mais

Manual de Transferência de Arquivos

Manual de Transferência de Arquivos O Manual de Transferência de Arquivos apresenta a ferramenta WebEDI que será utilizada entre FGC/IMS e as Instituições Financeiras para troca de arquivos. Manual de Transferência de Arquivos WebEDI Versão

Leia mais

SpinCom Telecom & Informática

SpinCom Telecom & Informática Rastreador GPS/GSM modelo Com as fortes demandas por segurança e gestão de frota, a SpinCom, acaba de lançar o rastreador GPS/GSM modelo. O rastreador é indicado para aplicações de rastreamento de automóveis,

Leia mais

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI

TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI TOPOLOGIAS E CONCEITOS BÁSICOS SOBRE O PADRÃO IEEE 802.16 (WIMAX) MATHEUS CAVECCI Dezembro 2011 INTRODUÇÃO A transmissão de dados via ondas de radio não é novidade, segundo Haykin e Moher, as primeiras

Leia mais

Fundamentos da RFID: Entendendo e usando a identificação por radiofreqüência

Fundamentos da RFID: Entendendo e usando a identificação por radiofreqüência Whitepaper Fundamentos da RFID: Entendendo e usando a identificação por radiofreqüência ÍNDICE Introdução 2 Como funciona a tecnologia RFID 2 Tags (Transponders) 2 Opções de leitores/gravadores 3 Utilizando

Leia mais

Considerações do mundo real. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE

Considerações do mundo real. Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE Considerações do mundo real Profa. Renata Rampim de Freitas Dias, RFIDSCM Eng. Luiz Renato Costa - RFID CoE 2 Benefícios e oportunidades com RFID 3 Benefícios e oportunidades com RFID São os benefícios

Leia mais

3. Caracterização do problema

3. Caracterização do problema 3. Caracterização do problema Os autores Grove Bhatt 2006 se preocuparam em recomendar seis passos para implementação do RFID que podem ser extrapolados quando associado à tecnologia GPS,ou seja: Determinar

Leia mais

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback

Meios de transmissão. Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Professor Leonardo Larback Meios de transmissão Na comunicação de dados são usados muitos tipos diferentes de meios de transmissão. A escolha correta dos meios de transmissão no projeto

Leia mais

RFID. Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID

RFID. Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID RFID Laird SEU FORNECEDOR DE ANTENAS RFID RFID A Identificação por Rádiofrequência permite a uma organização capturar, mover e gerenciar informações de e para cada ponto de atividade dentro do negócio

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor.

Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor. Air-Fi - sistema sem fio Sinta-se confortável com a confiança e o desempenho líderes do setor. Corte os fios e sinta-se confortável com a solução sem fio Air-Fi da Trane. A comunicação sem fio Air-Fi da

Leia mais

Setores Trilhas. Espaço entre setores Espaço entre trilhas

Setores Trilhas. Espaço entre setores Espaço entre trilhas Memória Externa Disco Magnético O disco magnético é constituído de um prato circular de metal ou plástico, coberto com um material que poder magnetizado. Os dados são gravados e posteriormente lidos do

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof.

Introdução à Informática. Aula 04. Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados. Prof. Aula 04 Sistemas Operacionais Aplicativos e Utilitários Transmissão e meios de transmissão de dados Sistema Operacional Um conjunto de programas que se situa entre os softwares aplicativos e o hardware:

Leia mais

WMS - Warehouse Management System

WMS - Warehouse Management System Sistema de Gestão Empresarial LUSANA SOUZA NATÁLIA BATUTA MARIA DAS GRAÇAS TATIANE ROCHA GTI V Matutino Prof.: Itair Pereira Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. WMS... 2 3. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 4. POLÍTICA

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

Introdução à tecnologia RFID

Introdução à tecnologia RFID Sumário Como surgiu a tecnologia RFID... 2 Como funciona?... 2 Quais os benefícios e onde utilizar o sistema de RFID... 4 Utilização proposta... 4 Etapas para leitura de dados via RFID... 5 Diagrama de

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência

RFID. RFID - Identificação por Radiofreqüência RFID RFID - Identificação por Radiofreqüência Sistema de Identificação por Radio Frequência O que é RFID? Objetivo e utilidade similares ao código de barras; Composto por 3 elementos: Uma antena; Um leitor;

Leia mais

Comunicação da informação a longas distâncias

Comunicação da informação a longas distâncias Comunicação da informação a longas distâncias População mundial versus sistema de comunicação Comunicação, informação e mensagem Comunicação - é o ato de enviar informação, mensagens, sinais de um local

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores

Arquitetura e Organização de Computadores Arquitetura e Organização de Computadores Entrada/Saída Material adaptado, atualizado e traduzido de: STALLINGS, William. Arquitetura e Organização de Computadores. 5ª edição Problemas Entrada/Saída Grande

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Localização de veículos em chão de fábrica usando tecnologia RFID

Localização de veículos em chão de fábrica usando tecnologia RFID Localização de veículos em chão de fábrica usando tecnologia RFID José Lourenço Lemos Netto, Mauricio Duarte (Orientador), Bacharelado em Ciência da Computação Centro Universitário Eurípedes de Marília,

Leia mais

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RFID

BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RFID BREVES CONSIDERAÇÕES SOBRE RFID Aldo Ventura da Silva * RESUMO O presente trabalho teve como objetivo mostrar o funcionamento do sistema de RFID, visando seu histórico, e principais atributos, assim servindo

Leia mais

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia

Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Gerência de Redes e Serviços de Comunicação Multimídia Aula 3 Gerenciamento de Redes Cenário exemplo Detecção de

Leia mais

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto Fundamentos de Arquitetura de Computadores Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Conteúdo 4. i. Introdução ii. O Trabalho de um Processador iii. Barramentos iv. Clock Interno e Externo v. Bits do Processador

Leia mais

O que é RFID? Fernando Xavier Maio/2007

O que é RFID? Fernando Xavier Maio/2007 Fernando Xavier Maio/2007 Agenda :: Contexto :: RFID :: Elementos :: Funcionamento :: Benefícios :: Barreiras :: Mercado :: Usos :: Questões :: Segurança :: Mitos Contexto :: Dificuldade na identificação

Leia mais

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br

João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br. José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br João Bosco Beraldo - 014 9726-4389 jberaldo@bcinfo.com.br José F. F. de Camargo - 14 8112-1001 jffcamargo@bcinfo.com.br BCInfo Consultoria e Informática 14 3882-8276 WWW.BCINFO.COM.BR Princípios básicos

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

Mais inteligência para reforçar sua frota

Mais inteligência para reforçar sua frota Mais inteligência para reforçar sua frota Com o SiteWatch, nossos clientes deixam as suposições de lado na hora de gerenciar a frota O CASE SiteWatch é um sistema de telemetria que captura informações

Leia mais

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede.

Meios de Transmissão. Conceito. Importância. É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Conceito Importância É a conexão física entre as estações da rede. Influência diretamente no custo das interfaces com a rede. Meios de Transmissão Qualquer meio físico capaz de transportar

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Computação Aula 01-02: Introdução 2o. Semestre / 2014 Prof. Jesus Agenda da Apresentação Definição e surgimento de Sistemas Distribuídos Principais aspectos de Sistemas Distribuídos

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

13560-320 - São Carlos SP Brasil. {colenci, rodrigo, fredy}@cossconsulting.com

13560-320 - São Carlos SP Brasil. {colenci, rodrigo, fredy}@cossconsulting.com Rastreabilidade na Saúde com WelCOSS-iHealth: Sistema inteligente para controle de estoque e movimentação de sangue e hemoderivados baseada em etiquetas RFID EPC Colenci Neto. Alfredo 1, Bianchi, Rodrigo

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

Alessandro F. Cunha RFID Etiquetas com eletrônica de ponta Parte II

Alessandro F. Cunha RFID Etiquetas com eletrônica de ponta Parte II Alessandro F. Cunha RFID Etiquetas com eletrônica de ponta Parte II 1. FAIXAS DE FREQUÊNCIA ALCANCE CAPACIDADE Como conseqüência dos campos eletromagnéticos, a faixa de freqüência determina também as características

Leia mais

A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA RFID NAS DIFERENTES ÁREAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA-CBMSC

A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA RFID NAS DIFERENTES ÁREAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA-CBMSC A APLICAÇÃO DA TECNOLOGIA RFID NAS DIFERENTES ÁREAS DO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DE SANTA CATARINA-CBMSC Angelo João Heinzen Miguel 1 RESUMO Este artigo trata da tecnologia RFID (Radio Frequency Identification),

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA REITORIA ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto: Medição de alcance de transponders RFID na Empresa Fockink Panambi

Leia mais

Tecnologia RFID e seus benefícios RFID technology and their benefits

Tecnologia RFID e seus benefícios RFID technology and their benefits Tecnologia RFID e seus benefícios Tecnologia RFID e seus benefícios RFID technology and their benefits Claudia Boechat Seufitelli* Daniele Fontes Henrique** Sérgio Inácio da Rosa*** Rogério Atem de Carvalho****

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais