: DPF, CFL, MES, PGF, GEO, CON, PBF, REF, DPA, SDO, SST, TOP, TEC, VIV. Status: Homologado Data do Status: 25/08/ :01:50 PROC-005-2

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ": DPF, CFL, MES, PGF, GEO, CON, PBF, REF, DPA, SDO, SST, TOP, TEC, VIV. Status: Homologado Data do Status: 25/08/2009 15:01:50 PROC-005-2"

Transcrição

1 Autor do Doc.: Editores: Título: Prestadores de Serviço Tipo do Documento: SubTipo: Nº: Áreas/Setores de Aplicação Adriano Marchiori Adriano Marchiori Qualificação em Saúde e Segurança do Trabalho para PROCEDIMENTO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL Procedimento PROC : DPF, CFL, MES, PGF, GEO, CON, PBF, REF, DPA, SDO, SST, TOP, TEC, VIV Áreas/Setores de Interface : Status: Homologado Data do Status: 25/08/ :01:50 Comentários sobre a revisão : Revisão Anterior: PROC OBJETIVO O Manual de Prestadores de Serviços da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal foi preparado com o objetivo de selecionar os Prestadores de Serviços, de acordo com os padrões de saúde e segurança do trabalho e exigidos na empresa. 2. INTRODUÇÃO Este manual foi desenvolvido para informar, orientar e auxiliar os Prestadores de Serviços no cumprimento das normas e procedimentos de saúde e segurança do trabalho da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal. É responsabilidade do Prestador de Serviços conhecer e cumprir com o disposto neste manual. Todo Prestador de Serviços que decida fazer parte da comunidade International Paper, deve cumprir o fluxo do processo de contratação e prestação de serviço, que engloba as seguintes etapas: Cotação para Prestação de Serviços; Pré-Qualificação dos Prestadores de Serviços em Saúde e Segurança do Trabalho Visita ao Prestador de Serviços; Aprovação do Prestador de Serviços; Avaliação dos documentos em geral; Agendamento de Integração Ambiental e de Saúde, Segurança do Trabalho junto à International Paper Unidade Florestal, antes do início das atividades; Liberação da área e verificação da Análise Preliminar de Risco;

2 Início do Trabalho do Prestador de Serviços; Avaliação de Desempenho do Prestador de Serviços; Esclarecimentos sobre este manual, antes da conclusão do processo de compras dos serviços devem ser encaminhados ao departamento de Compras da International Paper do Brasil Ltda; Após a contratação e durante a execução dos trabalhos os esclarecimentos devem ser obtidos diretamente com o profissional responsável pela atividade da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal.

3 3. ABREVIATURAS ASO CA DDS DSST EPI FISPQ LTCAT NR OSHSMT PCMSO PPRA ART SGAF SESMT SESTR PT CAT APR CIPA CIPATR Atestado de Saúde Ocupacional Certificado de Aprovação Diálogo Diário de Segurança Departamento de Saúde e Segurança do Trabalho Equipamento de Proteção Individual Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos Laudo Técnico das Condições Ambientais do Trabalho Norma Regulamentadora Ordem de Serviço para Higiene Segurança Medicina do Trabalho Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Anotação de Responsabilidade Técnica Sistema de Gestão Ambiental e Florestal Serviços Especializados em Engenharia Segurança e Medicina do Trabalho Serviço especializado em Saúde e Segurança do Trabalho Rural Permissão de Trabalho Comunicação de Acidente do Trabalho Análise Preliminar de Risco Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Comissão Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho Rural 4. DEFINIÇÕES 4.1. Acidente - Sob a ótica prevencionista, pode ser definido como uma ocorrência não programada ou inesperada, que interrompe ou interfere no processo normal de uma atividade, podendo ocasionar lesões nas pessoas envolvidas Análise Preliminar de Riscos - Avaliação dos riscos existentes no ambiente de trabalho e quanto à sua forma de execução. São analisados os riscos químicos, físicos, biológicos, ergonômicos e de acidentes. Após este levantamento são definidas e propostas recomendações de segurança para cada risco encontrado Comprador - Profissional do departamento de Compras da International Paper, responsável por contratar os serviços de um Prestador de Serviços Diálogo Diário de Segurança - Prática diária utilizada para orientação quanto à segurança na realização das tarefas Emergência - Evento inesperado e crítico que proporciona uma situação de perigo que necessita de ação imediata para tratá-la.

4 4.6. Empregado ou Subcontratado Pessoas com vínculo empregatício com o Prestador de Serviços ou com um subcontratado Equipamento de Proteção Individual - EPI - todo equipamento de uso pessoal que tem por finalidade proteger o trabalhador de lesões que possam ser provocadas por agentes físicos, químicos, mecânicos ou biológicos, porventura presentes no ambiente de trabalho Profissional IP Unidade Florestal Pessoa com vínculo empregatício com a International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal Integração Ambiental, Saúde e Segurança do Trabalho Processo de orientação contemplando procedimentos ambientais e de saúde e segurança do trabalho para todas as pessoas que venham a fazer qualquer tipo de atividade Plano de Atendimento à Emergências Procedimento definido pela International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal para orientar todas as pessoas a agirem de forma adequada em situações de emergência Prestador de Serviços Pessoa Jurídica contratada para a prestação de serviços Representante do Prestador de Serviços Pessoa Física legalmente vinculada (registrado) ao Prestador de Serviços e por ele designada para administrar os contratados Responsável pela Atividade Profissional da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal responsável pelas atividades do Prestador de Serviços Serviço a Quente - Qualquer operação temporária que envolva chama exposta ou que produza calor ou faísca, podendo causar a ignição de combustíveis sólidos, líquidos ou gasosos. Por exemplo: corte com maçarico, solda oxi-acetilênica, solda por arco, aplicação de revestimento em teto com chama aberta, lixamento, aquecimento ou cura com chama exposta ou outro tipo de serviço que possa gerar fagulhas ou chamas.

5 5. FLUXOGRAMA DE QUALIFICAÇÂO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO. FLUXOGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE PREST ADORES DE SERVIÇO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO REQUISIÇÃO DE SERVIÇO EMITIDA DEPARTAMENTO DE SUPPLY CHAIN Envia pedido de cotação Orienta consulta do manual PRESTADOR DE SERVIÇO Consulta o manual para avaliar as exigencias Preenche o Termo de Ciência e Responsabilidade e, se de acordo, Envia ao Depto de Compras NÃO CONCORDA? SIM VISITA NÃO APROVADO? Suspenso ou de squalificado O departamento de Supply Chain, informa na requisição de compras, que as empresas consultem o Manual de Pré-qualificação em Saúde e Segurança para Prestadores de Serviços que está disponível no site da International Paper A empresa vai avaliar suas condições para atender as exigências para a execução dos trabalhos, dentro dos padrões de segurança da International Paper. Se concordar, o representante do Prestador de Serviço, assina o termo contido no manual, reconhece firma e envia ao Departamento de Supply Chain. Não concordando, não está préqualificado para ser contratado. Os Representantes do Depto de Supply Chain, Segurança e Responsável pela Atividade, poderão visitar o fornecedor para a qualificação em saúde e segurança no trabalho. SIM DEPARTAMENTO DE SUPPLY CHAIN Encerra a cotação Define o Prestador de Serviço Orienta o Prestador para enviar a documentação DSST/DEPTO GESTÃO DE TERCEIROS AvaIiam toda a documentação exigida no manual e e estando tudo ok, liberam para integração. O Prestador de Serviço vencedor se deve enviar toda a documentação exigida no manual para o Depto de Gestão de Terceiros que fica responsável por toda a análise destes documentos. O Depto de Gestão de Terceiros e de Segurança avaliam todos os documentos enviados pelo prestador e liberam ou não para integração. DSST Integração de Segurança Todos os empregados subcontratados do Prestador de Serviço, participam do processo de integração para prestadores de serviço. PRESTADOR DE SERVIÇO Início dos trabalhos DSST Avaliação de desempenho A Análise de Riscos (cópia) deve estar disponível em todas as frentes juntamente com a Permissão de Trabalho. Nesta etapa serão inspeções e o executadas sistema as de acompanhamento dos trabalhos do Prestador de Serviço execução de suas tarefas. durante a Mantém a qualificação da Empresa SIM APROVADO? NÃO Suspenso ou desqualificado

6 6. DIRETRIZES DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA PRESTADOR DE SERVIÇOS 6.1. O compromisso da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal é proporcionar um ambiente de trabalho seguro e saudável para todos os funcionários e empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços que estejam desempenhando atividades na empresa Para cumprir este compromisso, a International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal tem como objetivo estabelecer um sistema eficaz de gestão de saúde e segurança do trabalho para Prestadores de Serviços, em cumprimento às exigências legais e para a proteção da integridade física das pessoas e dos ativos da companhia Os Prestadores de Serviços têm a responsabilidade primária com a saúde e segurança dos seus empregados ou subcontratados, bem como, pela prevenção de danos ou destruição das instalações. O Prestador de Serviços deverá adotar ação disciplinar para os empregados ou subcontratados que não sigam as determinações deste manual Nenhuma atividade será desenvolvida sem que todos os empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços tenham participado da Integração Ambiental e de Saúde e Segurança do Trabalho, ou entregue os documentos essenciais ao DSST Em caso de atividades especiais, será solicitado ao Prestador de Serviços documento complementar. Quando o departamento de Saúde e Segurança do Trabalho da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal julgar necessário uma reciclagem ou um treinamento específico, o Prestador de Serviços será comunicado para agendar o período diretamente com o DSST No prazo de um ano, toda documentação necessária deverá ser atualizada e os funcionários devem passar por reciclagem de Integração Ambiental e de Saúde e Segurança do Trabalho. 7. ACESSO E CONTROLE 7.1. É de responsabilidade da área responsável pelo serviço, o acesso e controle dos empregados Prestadores de Serviços da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal Locais de trabalho, canteiros de obras e veículos de Prestador de Serviços estão sujeitos à inspeção, sem aviso prévio Todos os empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços devem portar em local visível um crachá contendo foto, nome completo do empregado, data de admissão, número do PIS/PASEP, horário de trabalho e respectiva função. 8. PROIBIÇÕES GERAIS 8.1. Neste manual estão dispostas algumas ações que são terminantemente proibidas nas dependências da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal. O

7 desrespeito a essa proibição é considerado uma infração contratual, podendo gerar o rompimento do contrato com o Prestador de Serviços sem qualquer ônus a International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal, que, contudo poderá, por mera liberalidade, optar por prosseguir com o contrato, advertindo o Prestador de Serviços, mas, em qualquer um dos casos, sem prejuízo de seu direito de ressarcimento de eventuais perdas e danos É proibido, nas dependências da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal: Portar ou consumir drogas intoxicantes ou bebidas alcoólicas. A ocorrência de insultos, brigas ou desordens. Fumar em áreas não autorizadas. Armazenar materiais sem a permissão e em desacordo com as normas ambientais e de Saúde e Segurança do Trabalho da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal. Utilizar máquina fotográfica ou filmadora sem autorização do responsável da área. Trajar camiseta sem mangas, bermuda ou calçado aberto (chinelos, sandálias). Efetuar pagamentos em espécie. Ultrapassar os limites de velocidade estabelecidos. Encaminhar empregados ou subcontratados de Prestadores de Serviços à área da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal sem Integração Ambiental e de Saúde e Segurança do Trabalho. Não efetuar a coleta seletiva de lixo de acordo com os procedimentos ISO nas áreas da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal; Fazer o recrutamento de funcionários para as empresas prestadoras de serviço nas dependências da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal; Fazer reuniões sindicais sem a devida autorização da área de Recursos Humanos; Utilizar motocicleta para realizar serviços ou atividades nas áreas da International Paper do Brasil Ltda Unidade Florestal, exceto para uso particular do funcionário. (Ex. ida e vinda para o trabalho). 9. QUALIFICAÇÃO DO PRESTADOR DE SERVIÇOS 9.1. Qualificado é um status conquistado pelo Prestador de Serviços pré-qualificado; Este status é o resultado do processo de avaliação do Prestador de Serviços, quanto à Saúde e Segurança do Trabalho, após realização da visita e também durante o período em que realizou as tarefas para as quais foi contratado Para cada requisição de prestação de serviço haverá uma avaliação correspondente que alimentará um banco de dados da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal A avaliação do Prestador de Serviços será feita pela área requisitante, mediante atribuição de uma nota que varia de 0 a 10 (zero a dez) e será controlada pelo sistema de avaliação do departamento de Compras Mensalmente, haverá uma apuração média, por Prestador de Serviços, das notas das ordens de serviços realizadas no mês anterior e validadas pela supervisão da área sendo que havendo necessidade consultar o DSST O Prestador de Serviços será avaliado conforme o seguinte critério: Média igual ou superior a 7,5 Status - Qualificado

8 Média entre 7,4 e 5,0 Status - Suspenso 9.6. No status Suspenso, o Prestador de Serviços deverá apresentar e consensar com o Depto de Segurança da IP um plano de ação para eliminar as causas que levaram à média alcançada e somente após a validação do DSST, poderá ser novamente qualificado Neste plano de ação devem constar os prazos para conclusão das medidas propostas e em casos do não cumprimento destes a International Paper pode aplicar multas contratuais conforme especificado no contrato com o Prestador de Serviços Em caso de nota abaixo de 5,0, o Prestador de Serviços estará automaticamente Desqualificado No caso do Prestador de Serviços não executar nenhuma atividade por período superior a 12 meses, automaticamente perderá este status, necessitando reiniciar o processo de qualificação. 10. DOCUMENTAÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇOS O Prestador de Serviços deve encaminhar ao departamento de RH - Gestão de Terceiros os seguintes documentos: Prestador de Serviços Pessoa Jurídica 1. Contrato Social da empresa contratada pela International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal 2. ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), referente ao serviço a ser executado. 3. Termo de Ciência e Responsabilidade (anexo I) Prestador de Serviços Subcontratada Pessoa Jurídica 1. Contrato Social da empresa que executará a atividade na área da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal 2. ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), referente ao serviço a ser executado. 3. Contrato de Prestação de Serviço entre a Contratada e a Subcontratada 4. Termo de Responsabilidade da Contratada sobre a Subcontratada 5. Termo de Ciência e Responsabilidade (anexo I) Situações especiais (não se enquadram no item 10.1) 1. Termo de Ciência e Responsabilidade (anexo I) 2. Termo de Responsabilidade (anexo II) Entregar à Célula de Gestão de Documentos de Terceiros, depto. responsável pela avaliação de toda a documentação, conforme especificado no PROC 014: DA EMPRESA CONTRATADA PELA INTERNATIONAL PAPER UNIDADE FLORESTAL 1. Cópia simples Contrato Social da Empresa 2. Cópia simples Cartão do CNPJ (CGC)

9 3. APR Analise Preliminar de Risco 4. PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais 5. PCMSO Programa de Controle em Medicina e Saúde Ocupacional 6. LTCAT Laudo Técnico das Condições Ambientais de Trabalho 7. PCA Programa de Conservação Auditiva Port. MTB 19 (09/04/98) 8. PPR Programa de Progressão Respiratória IN 1 MTB (11/01/94) 9. CIPA ou CIPATR Envio do registro no MTB 10. SESMT Envio do registro no MTB 11. CIC e RG do Proprietário da Empresa (se for acessar a unidade Florestal) 12. Cópia simples CPF, RG, Ficha de EPI s e ASO dos empregados 13. Cópia da Apólice de Seguro de Vida em Grupo para todos os empregados Obs.: Deve ser informado sempre o numero do contrato ou a ordem de compra com a IP DA EMPRESA SUBCONTRATADA 1. Cópia simples Contrato Social da Empresa 2. Cópia simples Cartão do CNPJ (CGC) 3. Cópia simples Contrato entre as partes 4. Carta Subcontratação assinada pela Contratante 5. Demais documentos do item PARA EMPRESAS COM PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTÍNUOS É VEDADA A SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE SUA ESPECIALIDADE OU ATIVIDADE FIM. NOS CASOS DE CONTRATAÇÃO TIPO "SPOT" DEVE SER JUSTIFICADO PELA ÁREA SOLICITANTE E AVALIADO/CONSENSADO JUNTO AOS DEPTO DE SEGURANÇA E SUPRIMENTOS DOCUMENTAÇÃO DO EMPREGADO: (Prestador de Serviços) 1. Ficha ou livro de registro de empregados. Em se tratando de registro de empregados realizado em livro de registro, deverá ser apresentada cópia simples do termo de abertura e da página com o registro do empregado. Em se tratando de registro de empregado (ficha manual ou eletrônica) cópia simples. As fichas ou livros de registro devem conter foto, assinatura do empregado e estar preenchida com todos os dados necessários, de forma correta e legível. 2. Cópia simples CTPS (Foto, verso e contrato), toda vez que o funcionário retornar a IP necessita apresentar CTPS original. 3. Cópia simples RG / CPF 4. Cópia simples comprovante entrega individual de EPI s, assinado pelo empregado do prestador de serviços. Obs.: Para os eventuais, toda vez que vier na IP, terá que apresentar o comprovante de EPI s. 5. Cópia simples Atestado de Saúde Ocupacional (ASO) na validade e assinado INSTRUMENTISTA: 1. Cópia autenticada Curso técnico de Habilitação MOTORISTAS CARGAS PERIGOSAS: 1. Cópia simples Curso de Direção Defensiva

10 2. Cópia simples Curso de Movimentação e Operação de Produtos Perigosos (MOPP) 3. Cópia simples C.N.H. "D" ou "E" para composição reboque TÉCNICO DE SEGURANÇA: 1. Cópia simples da Carteira de Técnico de Segurança TRABALHADORES RURAIS QUE MANUSEIEM AGROTÓXICOS, ADJUVANTES E PRODUTOS AFINS: 1. Comprovação de capacitação profissional com carga mínima de 20 horas, conforme NR 31 item OPERADORES DE MÁQUINAS, TRATORES, ETC 1. Cópia simples C.N. H. (Mínima cat "C"). 2. Carteira de identificação conforme especificado nos itens e da NR OPERADORES DE MOTOSSERRAS 1. Comprovação do treinamento de capacitação conforme item da NR 31 ou NR 12 anexo TRABALHO EM ESPAÇOS CONFINADO 1. Certificado de treinamento conforme NR 33, item (mínimo 16 horas) SOLDADORES 1. Certificado de curso específico TRABALHOS EM OBRAS EM GERAL 1. Comprovante de treinamento referente a NR 18 (6 horas) MECÂNICOS VASOS DE PRESSÃO 1. Comprovação do Treinamento de segurança na Operação de Caldeiras/Vasos de pressão, conforme NR 13. Toda vez que sua empresa tiver a necessidade de Incluir um novo empregado para prestar serviços na IP, será obrigatório o envio dos documentos solicitados, bem como enviar por a matriz em EXCEL como todos os campos devidamente preenchidos, que vocês receberam e a foto digitalizada ESTRANGEIRO: 1. Cópia simples do Passaporte e o original em mãos 2. Cópia simples do visto de trabalho 3. Atestado de Saúde original expedido no país de origem 4. Carta apresentando o funcionário com nome, função e duração do trabalho AUTÔNOMO 1. Contratação direta pelo grupo IP, para serviços especializados não contínuos de atividade meio. 2. Documentação: cópia simples CPF, RG, Atestado de saúde ocupacional, ficha de EPI s e inscrição como contribuinte individual junto ao INSS e Prefeitura. 3. Ser autorizada pelo Departamento Jurídico. 4. Contratação indireta só será permitida no caso de brasileiro autônomo de empresa de grande porte, devendo o jurídico analisar antecipadamente e se autorizado emitir Termo de Responsabilidade.

11 10.3. Situações especiais que não se enquadrem como Prestadores de Serviços ou subcontratada, ou seja, onde não existe uma Requisição de Compra de serviços ou Contrato de Prestação de Serviços. Termo de Responsabilidade (anexo II) Análise Preliminar de Risco O departamento de RH - Gestão de Terceiros avaliará os requisitos mínimos dos documentos entregues validando-os ou não. Caso não estejam dentro dos padrões que exigem as Normas Regulamentadoras, os procedimentos da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal e demais leis vigentes no país, os documentos serão devolvidos com informações dos respectivos pontos de melhoria. O Prestador de Serviços deverá manter em seu escritório, em uma pasta devidamente identificada e atualizada, para consultas à qualquer momento, inclusive sem aviso prévio, todos os documentos relativos à saúde, segurança e meio ambiente, como por exemplo: PPRA original; PCMSO original Cópia ou original dos ASO dos funcionários; Cópia ou original das fichas de registro dos funcionários; Cópia ou original dos PPP dos funcionários demitidos; Cópia ou original das APR; Cópia ou original das fichas de entrega de EPI dos funcionários; Cópia ou original das OSHSMT de quem tiver; Cópia ou original dos certificados de treinamento dos funcionários relacionados a função. Registro do SESTR, SESMT ou Contrato de Acessória Registro da CIPA ou CIPATR, Atas de Instalação de Posse, Calendário das Reuniões e Atas das Reuniões Registros das Motosserras, Obs deverão estar também em campo a cópia autenticada do equipamento. Os documentos deverão ser arquivados por tempo indeterminado. 11. SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO E DO TRABALHO RURAL SESMT E SESTR O Prestador de Serviços deve cumprir todas as normas legais e técnicas vigentes no país, sobre saúde e segurança do trabalho Com relação ao SESTR, seguir o disposto em saúde e segurança do trabalho, conforme a NR31. Se o Prestador de Serviços atuar no ramo de atividade que não seja rural, porém estiver prestando serviços na área Florestal, seguir o disposto no quadro II da NR 04, referente ao quadro do SESMT ou SESTR, ou conforme o quadro abaixo; Numero de funcionários Horas de trabalho no mês De 1 a horas De 11 a horas De 26 a horas Acima de horas Nota: Em situações onde o Depto. de Segurança julgar necessário, poderá solicitar a presença do técnico de segurança em carga horária maior ou até mesmo em tempo

12 integral, isto após acordo entre o Responsável pela Atividade e o Responsável pelo Prestador de Serviços Para atividades de riscos, confirmada na análise preliminar de risco as quais devem ser apresentadas ao departamento de Saúde e Segurança do Trabalho, será exigido pela International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal o acompanhamento de um Técnico de Segurança do Trabalho em tempo integral na frente de trabalho A empresa que mantém contrato permanente com a International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal e conta com serviços do técnico de segurança do trabalho, deverá enviar no final de cada mês um relatório com a carga horária dos serviços prestados a empresa com a descrição das atividades realizadas, bem como um cronograma de visitas para o mês seguinte; 12. INTEGRAÇÃO AMBIENTAL E DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO As integrações ocorrem em dias específicos em cada unidade e tem como objetivo orientar os empregados e/ou subcontratados de Prestadores de Serviços quanto aos assuntos de saúde, segurança e meio ambiente buscando promover um ambiente de trabalho seguro e saudável além de integrar estes funcionários com as atividades e processos da International Paper Unidade Florestal A programação das integrações deve ser agendada previamente de acordo com a programação do Depto. de Segurança da International Paper Unidade Florestal Conforme disposto no PROC 014 Integração para funcionários Próprios e Prestadores de Serviços, é responsabilidade do Depto de RH - Gestão de Terceiros, avaliar toda a documentação e, se tudo estiver correto, este informa sobre a autorização para que os empregados e/ou subcontratados do Prestador de Serviços possam participar do processo de integração Caso o empregado e/ou subcontratado não se enquadre nestes casos o mesmo deve apresentar o Termo de Ciência e Responsabilidade Situações Especiais (Anexo II) Não será permitida a realização da integração caso a documentação não estiver regularizada, e também se o mesmo não estiver portando crachá de identificação, contendo foto, nome completo do empregado, data de admissão, número do PIS/PASEP, horário de trabalho e respectiva função Após realizada a integração todos os empregados e/ou subcontratados do Prestador de Serviços fazem uma avaliação sobre o conteúdo apresentado na integração. A Integração Ambiental e de Saúde e Segurança do Trabalho da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal, não substitui a obrigação da empresa contratada de realizar treinamento a seus empregados e/ou subcontratados antes do início de suas atividades.

13 12.7. Desta forma o Prestador de Serviços deve realizar uma integração de segurança com seus empregados e/ou subcontratados. Nesta integração devem ser apresentados temas relacionados à Saúde, Segurança e Meio Ambiente. 13. COMUNICAÇÃO E INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTES Os incidentes, as ocorrências e eventos danosos ao patrimônio ou aos interesses tanto do Prestador de Serviços quanto da International Paper Unidade Florestal, independente de sua extensão, deverão ser comunicados ao Depto. de Saúde e Segurança através do formulário de comunicação - Anexo VI deste manual Caso ocorra um acidente com funcionário de empresa prestadora de serviço, este deve comunicar imediatamente o departamento de Saúde e Segurança do Trabalho. Após isso este deve imediatamente iniciar uma investigação completa da ocorrência acompanhada das informações sobre as providências corretivas e preventivas adotadas. Para isso deve utilizar o formulário específico para investigação de acidentes que consta no Anexo III des manual. Esta investigação deve ser concluída em no máximo 10 dias. Caso seja necessário um prazo maior alheio à vontade do Prestador de Serviços, este deve comunicar o Depto. de Segurança da Unidade Florestal Em acidentes com lesão onde for necessária a emissão da CAT Comunicação de Acidente do Trabalho, o Prestador de Serviços deve enviar para o Depto. de Segurança uma cópia junto com a investigação da ocorrência O Prestador de Serviços deve fornecer para o Depto. de Segurança Unidade Florestal, até o primeiro dia útil do mês subsequente, as informações estatísticas sobre acidentes do trabalho que incluem as Horas Homens Trabalhadas no mês, número de acidentes por tipo e também o número de empregados e/ou subcontratados que estão prestando serviços para a International Paper Unidade Florestal. 14. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO RURAL O Prestador de Serviços deverá constituir a CIPATR ou CIPA dependendo de seu ramo de atividade. A CIPA ou CIPATR devem estar de acordo com o disposto nas NR-5 ou 31 respectivamente No dimensionamento da CIPATR ou CIPA o Prestador de Serviços deverá considerar o número máximo previsto de empregados e o Grau de Risco-3 (Unidade Florestal) Se o Prestador de Serviços não for obrigado a constituir a CIPATR ou CIPA, este deverá designar um representante, responsável pelo cumprimento dos objetivos destas NR s O Prestador de Serviços deve manter toda a documentação exigida pelas NR s 5 e 31 atualizadas e arquivadas e apresentar, quando necessário.

14 15. OUTRAS DISPOSIÇÕES O Prestador de Serviços deve comunicar imediatamente o responsável pela atividade sobre qualquer condição que coloque em risco a saúde ou a segurança das pessoas Também deve comunicar ao departamento de Saúde e Segurança do Trabalho da International Paper Unidade Florestal sobre quaisquer solicitações de visitas de agentes de fiscalização e peritos, bem como sobre quaisquer citações, intimações, notificações, solicitações e convocações de órgãos administrativos e judiciais que recebam, sempre que relacionadas com o serviço que executa nas dependências da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal ou que a envolva direta ou indiretamente Adotar medidas para eliminar ou neutralizar situações de insalubridade e condições inseguras do trabalho Divulgar os procedimentos que deverão ser adotados em caso de acidentes e doenças ocupacionais, apresentando ao SESTR da International Paper Unidade Florestal evidências dos mesmos Divulgar as obrigações e proibições que os empregados e/ou subcontratados devem conhecer e cumprir, assim como treinar e orientar seus funcionários em relação a este procedimento. 16. NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SAÚDE, SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE A International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal acredita que a melhor forma de executar uma atividade de maneira segura está fundamentada em duas condições básicas: criar um local de trabalho livre de acidente e incentivar a prática de comportamentos seguros, buscando a prevenção de acidentes e doenças do trabalho. As normas e procedimentos têm a finalidade de apresentar as melhores práticas implantadas pela International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal e que só resultarão na prevenção de acidentes se o Prestador de Serviços e seus empregados ou subcontratados disciplinarem a sua aplicação. É importante lembrar que nenhuma coleção de normas pode abranger todas as situações e, portanto, as regras contidas neste manual devem ser interpretadas como requisitos mínimos. As OSHSMT s e demais procedimentos da International Paper Unidade Florestal estão disponibilizadas na Internet (www.internationalpaper.com.br / papel / Fornecedores/Prestadores de Serviços) para que possam ser consultadas por todos os Prestadores de Serviços para o desenvolvimento de um planejamento seguro para a realização das atividades Também conforme determina a NR-1, o Prestador de Serviços deve instruir seus empregados e/ou subcontratados através de Ordens de Serviço, sinalizações e outros recursos audiovisuais, quanto às precauções a tomarem no sentido de evitar acidente de trabalho, doenças ocupacionais e agressões/danos ao meio ambiente de trabalho O Prestador de Serviços deve disponibilizar uma sistemática de reciclagens destas ordens de serviços e procedimentos de forma a garantir que todos os

15 empregados e/ou subcontratados tomem conhecimento das alterações e também no caso de novos funcionários recém chegados ao trabalho Situações não previstas por este manual devem ser avaliadas caso a caso Em situações que apresentem riscos iminentes de acidente com qualquer Profissional da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal, com Prestador de Serviços ou visitantes, devem ser tomadas ações para interromper práticas ou atividades inseguras e corrigi-las imediatamente. 17. PLANEJAMENTO DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE. O Prestador de Serviços com contrato superior a 3 meses deve elaborar e apresentar um Plano de Segurança e Medicina do Trabalho, detalhado e com abrangência a todos os requisitos obrigatórios legais previstos nas NR s da Portaria do MTE nº 3214 de 08 de junho de 1978, conforme roteiro abaixo: Dados da Empresa Descrição da atividade, número máximo de empregados e/ou subcontratados previstos, número máximo de homens hora trabalhadas, estrutura organizacional da empresa, o grau de risco em função dos serviços a serem executados, relação dos equipamentos/maquinários a serem mobilizados para os serviços e atribuições e responsabilidades Instalações (NR 18, NR 23, NR 24 e NR 31) Descrição dos procedimentos de instalações e operacionalização dos serviços a serem implantados para atender o período de contrato com relação: Alojamento, Sanitário de Campo, Água Potável, Áreas de Vivência, Alimentação dos Trabalhadores/Refeitórios, Ambulatório Médico, estrutura para primeiros socorros e atendimentos emergenciais, etc Organização e atuação do SESMT ou SESTR Descrição dos profissionais especializados em Segurança e Medicina do Trabalho a serem contratadas, atribuições e responsabilidades destes profissionais e a forma de atuação no acompanhamento dos serviços a serem executados Treinamento de integração O Prestador de Serviços após a contratação deve realizar integração com todos os seus empregados e/ou subcontratados com roteiro definido basicamente para: a) Prevenção de Acidentes; b) Primeiros Socorros; c) Combate à Incêndio; d) Produtos Químicos e) Equipamentos de Proteção Individual; f) Outros, considerando os riscos das atividades e os meios de proteção CIPA OU CIPATR O Prestador de Serviços deve constituir a CIPA ou CIPATR relacionando sua composição e cronograma de funcionamento e do treinamento dos respectivos membros, caso contrário deverá ter empregado designado treinado e com curso específico.

16 17.6. Atendimento de Acidente do Trabalho Para atendimento de acidentados o Prestador de Serviços deverá considerar quando da descrição dos procedimentos as diretrizes estabelecidas para atendimento aos acidentes do trabalho. Nestes procedimentos devem constar: a) Atendimento médico especializado dos acidentados; b) Dispositivos de atendimento e primeiros socorros (macas, etc.) c) Empregados treinados para prestação de primeiros socorros (NR 31) Diálogo Diário de Segurança O Prestador de Serviços deve garantir a realização do Diálogo Diário de Segurança com os seus empregados e/ou subcontratados, antes do início de suas atividades diárias, com o objetivo de discutir assuntos/temas específicos de Saúde e Segurança no Trabalho. Deve ser ministrado pela supervisão direta das equipes e/ou técnico de Segurança do Trabalho e/ou por profissionais treinados e qualificados, no tempo mínimo de 10 minutos Inspeções Programadas de Segurança Relacionar os tipos de inspeções de segurança a serem implementadas durante a realização dos serviços, especificando o objeto a ser inspecionado e o responsável pela inspeção e sua periodicidade Campanhas Específicas de Prevenção O Prestador de Serviços deve descrever os tipos de campanhas de obrigações legais e/ou institucionais, como forma de conscientizar os empregados sobre as questões de Saúde, Segurança e Meio Ambiente. São consideradas campanhas obrigatórias: a) 07 de Abril Dia Mundial da Saúde b) 05 de junho - Dia Mundial do Meio Ambiente e Ecologia c) 27 de julho Dia Nacional de Prevenção de Acidentes d) SIPATR Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho Rural (NR 31) e) 01 de dezembro Dia Mundial de Luta Contra a AIDS Alimentação dos funcionários O Prestador de Serviços deve descrever detalhadamente um plano de alimentação do trabalhador, incluindo o fornecimento de água potável, informando dados dos fornecedores/restaurantes, metodologia para acompanhamento da qualidade do preparo e distribuição das refeições e plano de ação para casos de emergência em caso de falta, problemas na distribuição ou algum tipo de intoxicação dos empregados e/ou subcontratados e também meios adequados para distribuição da água potável, incluindo higienização dos garrafões e outros depósitos de água potável Cuidados Gerais de Segurança O Prestador de Serviços deverá relacionar e descrever os cuidados básicos e gerais a serem seguidos por todos os funcionários em atendimentos aos requisitos legais das Normas Regulamentadoras e/ou legislação vigente, aplicáveis no presente contrato. Devem fazer parte desses cuidados: a) Transporte de pessoas (NR 31) b) Serviços Gerais com Eletricidade (NR 10)

17 c) Fornecimento de EPI s e Uniformes (NR 6) d) Contratação de Pessoal e) Máquinas e Equipamentos (NR 12) f) Resíduos e Coleta Seletiva de Resíduos entre outros g) Sinalização de Segurança (NR 26) h) Outros, se necessários Treinamentos O Prestador de Serviços deve preparar um Plano Anual de Treinamento para todas as funções, incluindo os treinamentos obrigatórios pela legislação vigente e também os não obrigatórios, mas que tem como objetivo treinar/capacitar/reciclar os empregados e/ou subcontratados envolvidos nas mais variadas atividades. Neste planejamento anual devem constar: a) quais os treinamentos b) quais as funções que se aplicam estes treinamentos c) o cronograma para realização destes treinamentos. 18. APRESENTAÇÃO DE ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO O início das atividades do Prestador de Serviços está condicionado à entrega da análise preliminar de risco para avaliação do DSST Conforme disposto na NR-1, A empresa é obrigada a informar aos trabalhadores os riscos profissionais que possam originar nos locais de trabalho, os meios para prevenir e limitar tais riscos e as medidas adotadas pela empresa Efetuar as análises do posto de trabalho e orientar os contratados é uma obrigação prevista em lei. Dessa forma, o Prestador de Serviços deve designar seu representante, do SESMT ou SESTR quando for o caso, para que possa, in loco, analisar os riscos, descrevê-los em impresso próprio e assiná-lo, conforme anexo V É obrigatória a divulgação dessas análises preliminar de riscos para todos os empregados Prestadores de Serviços envolvidos com as respectivas atividades Toda vez em que houver mudança nas condições de trabalho, a APR deve ser refeita, sendo revisada pelos empregados e/ou subcontratados mantendo devidamente assinada A APR deverá estar disponível no local de trabalho para consulta dos empregados e/ou subcontratados e auditorias do departamento de Saúde e Segurança do Trabalho junto com a PT; A APR deve ser feita e entregue ao departamento de saúde e segurança do trabalho da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal com 48 horas de antecedência antes da data prevista para inicio das atividades; A APR deve ser reciclada mensalmente com as equipes de trabalho, registrando no próprio campo da APR.

18 19. PERMISSÃO PARA TRABALHOS A Permissão para Trabalhos foi criada com o objetivo de informar ao responsável pela área onde será realizada a atividade do Prestador de Serviços de modo que esse após tomar conhecimento do serviço a ser realizado, autorize ou não o mesmo Antes do início de qualquer trabalho, o Prestador de Serviços deve solicitar a permissão para o trabalho junto ao funcionário da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal, responsável pela área onde a atividade será executada Não será permitida a realização de nenhuma atividade sem a permissão de trabalho devidamente preenchida O responsável pela emissão a PT deverá exigir que a APR esteja junto ao local de trabalho, e a PT deve ser liberada nas frentes de trabalho Após o encerramento da atividade descrita na PT, o Profissional da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal responsável pela atividade do Prestador de Serviços deverá preencher no formulário da PT a nota relacionada às questões de saúde e segurança do trabalho por aquele período estipulado na PT, conforme descrito no item 8 deste manual, e encaminhá-la posteriormente para avaliação do departamento de saúde e segurança do trabalho, o qual tomará as devidas providências, se necessário. 20. COMITÊS DE SEGURANÇA O Prestador de Serviços com contrato superior a 3 meses deve constituir e garantir o funcionamento dos Comitês de Segurança. Estes comitês têm como objetivo proporcionar condições para uma evolução sistemática de trabalho, onde se busque eliminar os riscos de acidentes, bem como buscar a melhoria nas condições de trabalho da consciência e o comprometimento de todos os empregados e/ou subcontratados da empresa através de reuniões mensais. A programação do comitê deve estar de acordo com o PROC 006 Comitê de Segurança Departamental, disponível na internet, onde o Prestador de Serviços deve seguir as diretrizes para estruturar seu(s) comitê(s). 21. AUDITORIAS DE SEGURANÇA Periodicamente o Depto. de Saúde e Segurança da International Paper Unidade Florestal realiza auditorias nos Prestadores de Serviços Estas auditorias são baseadas em itens exigidos pelas NRs e demais normas vigentes, de forma a atender aos requisitos de saúde, segurança e meio ambiente e o critério utilizado para a avaliação é consensado antecipadamente com os responsáveis pela área de segurança do Prestador de Serviços Participam da auditoria representantes do Prestador de Serviços e da International Paper Unidade Florestal onde através de um checklist é gerado um plano de ações para adequação dos pontos de melhoria Maiores detalhes serão discutidos entre com os responsáveis da área de segurança do Prestador de Serviços.

19 22. ISOLAMENTO/SINALIZAÇÃO Toda área a ser isolada ou sinalizada deve ser aprovada pelo Profissional da International Paper do Brasil Ltda - Unidade Florestal responsável pela área onde a atividade será executada, para garantir a segurança das pessoas e minimizar o impacto nas atividades envolvidas Todos os empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços devem respeitar os isolamentos e sinalizações existentes; Todos os trabalhos que estiverem sendo realizado onde exista circulação de pessoas deve ser isolado e identificado As áreas onde houver movimentação de máquinas, reflorestamento com árvores a mais de 2 m de altura, colheita mecanizada, adubação, distribuição de resíduos, manutenção de estradas e outras que o Departamento de segurança achar necessário, deverá ser sinalizado; 23. USO DE AR COMPRIMIDO Uso de Mangueiras As seguintes ações devem ser tomadas antes do início dos trabalhos: Conferir as mangueiras e conexões antes do uso. Utilizar somente mangueiras compatíveis com a pressão dos equipamentos. Evitar colocar as mangueiras em locais de passagem. Se for necessário, identificar o local ou desviar o trajeto. EPIs necessários: óculos de segurança e luvas É proibido utilizar ar comprimido para sua própria limpeza ou de outras pessoas. É proibido utilizar arames em substituição às braçadeiras. É proibido usar conectores lisos. Sinalizar o equipamento com a proibição do ar para limpeza da pele ou roupa; Uso de compressores de ar e vasos de pressão Para as empresas que utilizam compressores de ar ou outro tipo de vaso/cilindro de pressão, estas devem manter os mesmos em perfeitas condições de uso de acordo com os requisitos da NR 13 Caldeiras e Vasos sob Pressão, incluindo os testes e toda a documentação exigida por lei que deve estar disposta para consultas, inspeções ou auditorias. 24. TRABALHO EM ESPAÇOS CONFINADOS Todos que vão executar trabalhos no interior de qualquer espaço confinado devem seguir os procedimentos específicos A entrada em espaços confinados requer autorização por escrito do departamento de Saúde e Segurança do Trabalho e do responsável pela área onde a tarefa será executada, e somente será permitida por profissional devidamente habilitado conforme Norma Regulamentadora 33.

20 24.3. O Prestador de Serviços deve ter empregados e/ou subcontratados devidamente treinados para acompanhamento dos trabalhos, em tempo integral, na parte externa do espaço confinado conforme procedimentos da Norma Regulamentadora BLOQUEIO E ETIQUETAMENTO (ENERGIA ZERO ) Esta prática destina-se à proteção de pessoas e do patrimônio da empresa quando máquinas, equipamentos, tubulações, tanques, etc, necessitarem ser desenergizados ou bloqueados para alterações de estrutura, ajustes, reparos ou limpeza Todo bloqueio e etiquetamento dos equipamentos onde os empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços necessitem trabalhar ficam sob a responsabilidade da área onde será realizada a tarefa do executante Para uma eficaz ação de segurança em bloqueios e etiquetamento, todos os empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços devem estar atentos aos riscos potenciais contemplados na análise preliminar de riscos. 26. EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO ELÉTRICA Todos os equipamentos elétricos pertencentes ao Prestador de Serviços devem ser mantidos em perfeitas condições de uso Empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços que exercerão atividades com eletricidade devem estar qualificados e habilitados conforme legislação vigente NR Não deixar cabos elétricos em áreas onde possam provocar acidentes, serem danificados ou estarem em contato com produtos condutores de energia elétrica Em espaços confinados a tensão máxima permitida para equipamentos é de 110 Volts, devidamente aterrados e com relê de fuga. Todos os equipamentos que serão utilizados em atmosfera inflamável deverão ser à prova de explosão. A iluminação interna do local confinado deverá ser feita com sistema 12 Volts No caso de Prestadores de Serviços para serviços elétricos, este deve seguir rigorosamente a NR 10 desta forma atendendo a todos os requisitos aplicáveis as suas atividades. 27. EQUIPAMENTOS DE ELEVAÇÃO, TRANSPORTE E EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS DIVERSOS Os empregados ou subcontratados do Prestador de Serviços que necessitem operar equipamentos de elevação e qualquer tipo de transporte devem estar qualificados e habilitados, de acordo com a legislação pertinente, bem como portarem em lugar visível um cartão de identificação, com o nome e fotografia, conforme determina a NR Equipamentos de elevação e transporte devem ser operados dentro dos padrões especificados pelo fabricante. Em todo equipamento deverá estar indicada a carga máxima permitida, a qual nunca deve ser excedida. O Prestador de Serviços deve

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS ANTES DO INÍCIO DOS TRABALHOS Fornecer cópia deste manual a sua equipe de liderança, e exigir o seu cumprimento de acordo com o Artigo 157 Item I

Leia mais

Anexo contratual: Health and Safety (HAS)

Anexo contratual: Health and Safety (HAS) Com a premissa fundamental de perpetuar a visão preventiva e o controle eficaz dos riscos operacionais, este anexo contratual determina os princípios legais e gerenciais para a manutenção da integridade

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO TERCEIRIZADAS NA SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO... 02 3. CONCEITOS... 02 4. NORMAS APLICÁVEIS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIAS... 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS... 03 6. PROCEDIMENTOS... 03 7. CONTROLE DE REGISTROS...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação:

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação: ANEXO Nº I Item: SERVIÇO Unidade Requisitante: Código Cadastro: Empresa Contratada Especificações de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho para realização de integração na contratante. 1) Itens obrigatórios

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

Guia de Mobilização - Vale

Guia de Mobilização - Vale Guia de Mobilização - Vale 2ª Edição Nov/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APLICAÇÃO... 3 3. MACRO FLUXO DO PROCESSO DE MOBILIZAÇÃO... 3 3.1. CERTIFICAÇÃO... 3 3.2. CONTRATAÇÃO... 4 3.3. MOBILIZAÇÃO...

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Manual de Integração (SSO) saúde e segurança ocupacional Data da Revisão 18/12/2013

Procedimento Operacional Nome do procedimento: Manual de Integração (SSO) saúde e segurança ocupacional Data da Revisão 18/12/2013 1/5 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento Gestão de Contratos Service/Qualidade Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo Responsável Rubrica Administrativo

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Título: Tipo do Documento: SubTipo: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Plano de Controle a Emergências

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

MANUAL DE QUALIFICAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE.

MANUAL DE QUALIFICAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE. PRESTADORES DE SERVIÇOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE. MSSTMA-001-1 Segurança: Nós colocamos no papel Caros Prestadores de Serviços, O Manual de Qualificação em

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS NAS DEPÊNDENCIAS DA UDESC

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS NAS DEPÊNDENCIAS DA UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CNPJ 83.891.283/0001-36 CONTATO (48)3321-8155 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS

Leia mais

Departamento Regional Minas Gerais ERRATA Nº 01/2014

Departamento Regional Minas Gerais ERRATA Nº 01/2014 Serviço Social do Comércio Departamento Regional Minas Gerais Processo nº 14595/2012 Folha nº Informações e/ou despachos ERRATA Nº 01/2014 Nº do edital: Pregão Presencial nº 0054/2014 Área Técnica Responsável:

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP LEGISLAÇÃO A Portaria n 3214, de 08/06/1978, aprovou as normas regulamentadoras NR do capítulo V, Título II, da CLT, relativas a segurança e medicina do trabalho. Atualmente

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços Procedimento de Segurança para Execução de Serviços 1. OBJETIVO: Este procedimento tem como objetivo estabelecer requisitos básicos de segurança na execução de serviços realizados por empresa contratada

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

Este procedimento aplica-se a todas as unidades da Vale Fertilizantes e empresas contratadas.

Este procedimento aplica-se a todas as unidades da Vale Fertilizantes e empresas contratadas. Responsável Técnico: Alex Clementino Ferreira Gerência de Sistemas de Gestão Público-alvo: Empregados próprios e prestadores de serviços das unidades da Vale Fertilizantes. 1. OBJETIVO Nº: PGS-3209-74-24

Leia mais

Segurança e Medicina Ocupacional

Segurança e Medicina Ocupacional Segurança e Medicina Ocupacional Este documento apresenta as exigências mínimas para prestadores de serviços, referentes a Segurança e Medicina Ocupacional. 1 - Condições Básicas 1.1 - Plano de Segurança

Leia mais

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços.

Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços. 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO 25/03/203 PSP-0. INTRODUÇÃO O Procedimento de Controle de Acesso tem como objetivo orientar e padronizar o procedimento de acesso de pessoas as fábricas, garantindo que somente pessoas autorizadas possam

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno SEGURANÇA NO TRABALHO Eng. Daiana Paterno ATUALMENTE?? PORQUE? O cenário atual da Segurança e Saúde no Trabalho no Brasil ainda é muito distante do desejável. A Previdência Social registra, anualmente,

Leia mais

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Segue abaixo checklist que será utilizado na auditoria no fornecedor ou subcontratado das empresas signatárias.. Formalização da Empresa Peso.

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS De que trata cada Norma Regulamentadora (NR), urbanas e rurais. Nos links (sublinhados), você pode conferir o texto original das Normas, direto no site do Ministério do Trabalho

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

INTEGRAÇÃO - EHS MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

INTEGRAÇÃO - EHS MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO INTEGRAÇÃO - EHS MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Sustentabilidade Para garantir um futuro próspero às próximas gerações, nós fomentamos a Sustentabilidade como um pilar fundamental para o

Leia mais

Manual de Qualificação em Saude e Segurança do Trabalho e Meio Ambiente para Empresas Contratadas

Manual de Qualificação em Saude e Segurança do Trabalho e Meio Ambiente para Empresas Contratadas Manual de Qualificação em Saude e Segurança do Trabalho e Meio Ambiente para Empresas Contratadas Três Lagoas Paper Mill Três Lagoas MS Page 1 of 32 Manual de Qualificação em Saúde e Segurança do Trabalho

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd)

GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd) GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd) Antonio Keh Chuan Chou Gerente EHS GSC Latin America Sherwin Williams São Paulo, 22 de agosto de 2013 workshop AGENDA workshop Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho Operações

Leia mais

PRESTADORES DE SERVIÇOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE.

PRESTADORES DE SERVIÇOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE. PRESTADORES DE SERVIÇOS MANUAL DE QUALIFICAÇÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO E MEIO AMBIENTE. MSSTMA-001-1 1 Caros Prestadores de Serviços, O Manual de Qualificação em Saúde, Segurança do Trabalho e

Leia mais

Contato: (041) 3365-9406 (041) 9910-3494/8467-2429 www.edtrab.com.br

Contato: (041) 3365-9406 (041) 9910-3494/8467-2429 www.edtrab.com.br Contato: (041) 3365-9406 (041) 9910-3494/8467-2429 A Empresa Profissionalismo, Credibilidade e Qualidade são sinônimos do trabalho realizado pela empresa EDTRAB Serviços e Segurança do Trabalho. Pioneira

Leia mais

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho "Segurança o Tempo Todo"

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho Segurança o Tempo Todo Página: 1/14 1. OBJETIVO Descrever as principais rotinas gerenciais de segurança e saúde do trabalho à serem desenvolvidas pela equipe da ENDICON, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais,

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO R & W Engenharia Fundada em 19 de abril de 1991. Prestação de serviços em segurança do trabalho atendendo em especial as NRs6, 9, 13, 15, 16 e 17 com emissão de laudos técnicos. Treinamentos como: Cipa,

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

NOVO PRISMA AGRO FLORESTAL

NOVO PRISMA AGRO FLORESTAL NOVO PRISMA AGRO FLORESTAL PROCEDIMENTO INTERNO PARA INGRESSO DE COLABORADORES DAS EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS FLORESTAIS HISTÓRICO DAS REVISÕES: REVISÃO DESCRIÇÃO 01 Criação do procedimento 11/2007

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Trabalhos de Hidrojateamento

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia

PROCEDIMENTO GERAL. Gestão de Anomalia PÁG. 1/12 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para gestão de anomalias na BAHIAGÁS, determinando os critérios para seu registro, comunicação, investigação e a metodologia para definição e implantação

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Serviços de Limpeza e Disposição

Leia mais

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n. ANEXO I da NR-20 1 e 2.... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.º 9: a) o inventário e características dos inflamáveis

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas ANEXO IV Referente ao Edital de Pregão nº. 010/2015 Especificações Técnicas 1. OBJETIVO 1.1. A presente licitação tem como objeto a prestação de serviços para realização de cursos para os colaboradores

Leia mais

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO.

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO. EMPRESA Conforme o Art. 157 da CLT - Consolidação das Leis Trabalhistas Cabe às empresas: Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; Instruir os empregados, através de ordens

Leia mais

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 1987-2012 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Legislação

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO 1 Objetivo Promover a permanente melhoria e contínua compatibilização do trabalho com a prevenção da vida, integridade e patrimônio do SAAE Sorocaba e a promoção da saúde e segurança dos profissionais.

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para criação de Norma Regulamentadora sobre Trabalho em Altura

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral Exemplo de Relatório de Auditoria Geral Período 29/1/2009 Reavaliação para 15//2009 Dados da Auditoria Auditoria: Cliente: Setor: Nr Funcionários: Dt. Início: Dt. Término Usou a NR: Exemplo de Relatório

Leia mais

Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo

Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo Principais tipos de plataformas aéreas Mastro Telescópica Tesoura Unipessoal Articulada A segurança As plataformas foram desenvolvidas

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PVP SOCIEDADE ANÔNIMA Fundada em 1962 1 Índice Introdução...... 04 Política de Saúde e Segurança do Trabalho... 06 1. Prevenção e Controle de Riscos...

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - ANÁLISE GLOBAL - DESTAQUE AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA. - SÃO PEDRO DO

Leia mais

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

PROCEDIMENTO DO SISTEMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL TÍTULO : SAÚDE E SEGURANÇA 1. OBJETIVO: Informar, conscientizar e instruir os colaboradores, sobre possíveis riscos inerentes as funções desempenhadas em seu dia a dia do trabalho.

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA PARA EMPRESAS PARCEIRAS

MANUAL DE SEGURANÇA PARA EMPRESAS PARCEIRAS TÍTULO CÓDIGO PG-00-SQ-900 REVISÃO ÁREA DE CONTROLE SQ MANUAL DE SEGURANÇA PARA EMPRESAS PARCEIRAS PÁGINA 05 1/15 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 4. DESCRIÇÃO 4.1 Responsabilidades 4.2

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

ANEXO III - EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 7

ANEXO III - EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 7 Página 1 de 7 1. OBJETIVO 1.1. Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações e procedimentos concernentes às atividades de Segurança, Proteção ao

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

Secretaria da Administração

Secretaria da Administração Secretaria da Administração Procedimento para Elaboração de Programas de Segurança para Empresas Contratadas PCMSO / PPRA / PCMAT / ARO Revisão 00 2014 1. Objetivo Estabelecer as exigências mínimas sobre

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção

Leia mais

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL

5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL 5º WORSHOP DO ALGODÃO AMPASUL NOÇÕES BÁSICAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO RURAL Instituto Algodão Social Missão Promover aos associados do setor algodoeiro a responsabilidade social empresarial, a cidadania,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PÁG. 1/11 1. OBJETIVO Identificar os riscos envolvidos em cada passo da tarefa, estabelecer salvaguardas que garantam a eliminação ou controle dos riscos identificados. Essa ferramenta deve ser utilizada

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATIVIDADES INDICE 1.0 OBJETIVO... 1 2.0 DOCUMENTOS DE REFERENCIA... 1 3.0 DEFINIÇÕES... 2 4.0 RESPONSABILIDADES... 5

LIBERAÇÃO DE ATIVIDADES INDICE 1.0 OBJETIVO... 1 2.0 DOCUMENTOS DE REFERENCIA... 1 3.0 DEFINIÇÕES... 2 4.0 RESPONSABILIDADES... 5 Título LIBERAÇÃO DE ATIVIDADES Código EMAP-PC-20 Versão 0 Data 05/03/2015 Elaborado Por Aprovado por Francisco Lusivaldo M. Bezerra Daniel Aroucha INDICE 1.0 OBJETIVO... 1 2.0 DOCUMENTOS DE REFERENCIA...

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 Normas Regulamentadoras do trabalho, trabalho rural..objetivos ESPECÍFICOS Apresentar o modelo legal de organização,

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

VM - Zinco - TM Código. Documento de Dados Revisão 1.1 REQUISITOS DE DOCUMENTAÇÃO DE HSMQ E DHO PARA CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS

VM - Zinco - TM Código. Documento de Dados Revisão 1.1 REQUISITOS DE DOCUMENTAÇÃO DE HSMQ E DHO PARA CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS TM--087 Páginas 1 / 13 REQUISITOS DE DOCUMENTAÇÃO DE E DHO PARA CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS Todos os prestadores de serviços para a Votorantim Metais devem apresentar a documentação completa, conforme categoria

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria MTE n.º 593, de 28 de abril

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 017/2015 ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE

EDITAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 017/2015 ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES 3. NOMENCLATURA 4. DEFINIÇÕES 5. RESPONSABILIDADES 6. REQUISITOS

Leia mais

REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS

REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS 1. EPI s (Equipamentos de Proteção Individuais): Equipamento de Segurança de fabricação nacional ou estrangeira destinado a proteger a integridade física

Leia mais

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA O Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás - IPASGO, C.N.P.J. 01.246.693/0001-60, em cumprimento às determinações

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado.

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado. Com o objetivo de manter sua empresa informada a respeito das obrigatoriedades legais previstas na atual redação das Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho, Portaria MTE. 3214/78,

Leia mais

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente

GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG. Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente GRUPO STARSEG GRUPO STARSEG Assessoria e Consultoria em Segurança, Saúde e Meio Ambiente Rua Reverendo Martin Luther King, 161 Santo André - SP C.N.P.J: 05.667.311/0001-22 Tel: (011) 3461-8013 WWW.GRUPOSTARSEG.COM.BR

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO - CONTRATO MENSAL - MTQ Rev. 08 Criado em: 30/03/2012 Última revisão em: 08/09/2014

MANUAL DE TRABALHO - CONTRATO MENSAL - MTQ Rev. 08 Criado em: 30/03/2012 Última revisão em: 08/09/2014 MANUAL DE TRABALHO - CONTRATO MENSAL - MTQ Rev. 08 Criado em: 30/03/2012 Última revisão em: 08/09/2014 MANUAL DE TRABALHO A Qualitá Ocupacional, com o objetivo de facilitar a utilização dos serviços prestados

Leia mais

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 Aprova as Normas Regulamentadoras - NR - do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do

Leia mais

MANUAL PARA MONTADORAS

MANUAL PARA MONTADORAS 1. PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: De 13 a 17 de Abril de 2015, das 08:00 às 18:00h. MANUAL PARA MONTADORAS 2. PERÍODO DE MONTAGENS E DESMONTAGENS DOS STANDS Período de montagem de stands será de 23/03/2015

Leia mais

O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar:

O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar: O que é APR (Análise Preliminar de Risco)? A expressão APR significa Análise Preliminar de Risco é muito utilizada no dia-a-dia dos profissionais da área de segurança e saúde do trabalho. APR é uma técnica

Leia mais

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho Manual de Segurança e Saúde do Trabalho 1 INTRODUÇÃO A política de recursos humanos da Toledo do Brasil abrange as áreas de recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento de pessoal; administração

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

NR35. Todo trabalho em altura começa no solo. Portaria SIT nº313/12 TRABALHO EM ALTURA

NR35. Todo trabalho em altura começa no solo. Portaria SIT nº313/12 TRABALHO EM ALTURA Portaria SIT nº313/12 Todo trabalho em altura começa no solo OBJETIVO DO CURSO Promover a capacitação dos trabalhadores que realizam trabalhos em altura, no que diz respeito a prevenção de acidentes no

Leia mais