Aos doze dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aos doze dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do"

Transcrição

1 ACTA N.º 07/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 12 DE ABRIL DE 2010 Aos doze dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do Município, teve início a reunião ordinária da Câmara Municipal, com a presença dos seguintes membros do órgão executivo: Dr. José Macedo Vieira, Presidente da Câmara Municipal, Dr. Ilídio Renato Garrido Matos Pereira, Vereador, Dra. Andrea Luísa Neiva Maia da Silva, Vereadora, Prof. Luís Diamantino de Carvalho Batista, Vereador, Dra. Maria Isabel Meireles Maio Graça, Vereadora, Dr. António Jorge Quintas Duarte Serrano Araújo, Vereador, Dr. Afonso Gonçalves da Silva Oliveira, Vereador e Eng.º Paulo Jorge Pinheiro d Eça Guimarães, Vereador Faltou à reunião o Vereador Eng. Aires Henrique do Couto Pereira, por se encontrar em gozo de férias. -- Aberta a reunião, procedeu-se à apreciação dos assuntos constantes da Ordem do Dia APROVAÇÃO DA ACTA DA REUNIÃO DE É presente para aprovação a acta referida em título. A Câmara deliberou, por maioria, com a abstenção da Vereadora Dra. Maria Isabel Meireles Maio Graça, aprovar a acta apresentada APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DO RELATÓRIO DE GESTÃO E CONTAS DO ANO DE É presente para apreciação do executivo, o Relatório de Gestão e Contas relativo ao período que decorreu de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro do ano transacto, que fica a fazer parte integrante desta acta. Neste relatório constam todos os documentos de prestação de contas indicados no Anexo I da Resolução n.º 4/2001, de 18 de Agosto, do Tribunal de Contas, à excepção dos n. os 20 e 23 que para o presente exercício não são aplicáveis. Apreciado o processo das contas de gerência de 2008, verificouse que o mesmo, no movimento orçamental, acusava de RECEITA ,55 e de DESPESA ,70, acusando um SALDO EM DINHEIRO de ,85 e, em OPERAÇÕES DE TESOURARIA, registou-se de ENTRADAS DE FUNDOS um valor de ,36 e de SAÍDAS um montante de ,91, com um SALDO de ,47, acusando as CONTAS DE ORDEM um saldo de

2 , A Câmara, no exercício da competência que lhe é conferida pela alínea e) do n.º 2 do artigo 64.º da Lei das Autarquias Locais (Lei n.º 169/99, de 18 de Setembro, na redacção introduzida pela Lei n.º 5- A/2002, de 11 de Janeiro), deliberou, por maioria, com votos contra dos Vereadores eleitos pelo Partido Socialista e a abstenção do Vereador eleito pelo Partido Popular, o seguinte: Aprovar o Relatório de Gestão e Contas do ano de 2009, julgando o Tesoureiro, Carlos Manuel Nunes Correia, quite com o Município pela responsabilidade inerente às funções que desempenhou durante esse período; Submeter o Relatório de Gestão e Contas do ano de 2009 à apreciação e votação da Assembleia Municipal, nos termos da alínea c) do n.º 2 do artigo 53.º da Lei das Autarquias Locais, propondo ainda ao órgão deliberativo que, no exercício da competência que lhe é conferida pelo n.º do POCAL aprove que o RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO, no valor de ,03, seja transferido para a conta 59 RESULTADOS TRANSITADOS Remeter as Contas do ano de 2009 ao Tribunal de Contas, em cumprimento do disposto no n.º 1 do artigo 51.º da Lei das Finanças Locais (Lei n.º 2/2007, de 15 de Janeiro), bem como às demais entidades indicadas nos artigos 50.º do mesmo diploma e 6.º e seguintes do Decreto-Lei n.º 54- A/99, de 22 de Fevereiro Os Vereadores eleitos pelo Partido Socialista apresentaram a seguinte Declaração de Voto: Este Relatório de contas, mais do que expressar a actividade da autarquia no ano civil de 2009, espelha as opções políticas do mandato do anterior executivo. Na verdade, atendendo a que 2009 foi o último ano do anterior mandato que terminou em Outubro, faz todo o sentido analisar este documento como consequência das opções políticas seguidas no decorrer do mandato autárquico de Nesse sentido, há anos que o Partido Socialista da Póvoa de Varzim tem vindo a alertar para a necessidade de alterar o modelo de gestão autárquica que tem sido seguido, mas que hoje, já todos reconhecem a grave situação financeira que atravessa a nossa autarquia. Recentemente o próprio Vereador do Pelouro das Finanças anunciou um congelamento temporário dos pagamentos e quer o Presidente quer o Vicepresidente da autarquia nos últimos tempos têm publicamente assumido uma grande preocupação com a situação financeira do município. No entanto, é esta maioria PSD que governa a autarquia há mais de 20

3 anos Não é de agora que o Partido Socialista tem vindo a alertar para esta situação, plasmada em várias declarações de voto, estando hoje todos de acordo: a autarquia da Póvoa de Varzim vive um momento financeiramente aflitivo. Dívida da autarquia: Desde há vários anos a esta parte que a Dívida a curto, médio e longo prazo tem vindo a aumentar. Neste momento, a dívida a curto prazo da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim ascende a 23.2M e a dívida total aumentou para 40.2M. Preocupa-nos particularmente o elevado montante da dívida a curto prazo porque é essa dívida que lesa a economia da região, ao afectar directamente o tecido empresarial local. Relembramos que em 2008, quando se assistiu a um galopante aumento da dívida a curto prazo (as dívidas a fornecedores aumentaram 150% afectando cerca de 500 empresas, muitas delas do concelho) foi justificado tal aumento com o atraso nas transferências da administração central, no entanto as contas do ano de 2009 vêm confirmar a gravidade da situação. Senão vejamos: em 2009, mesmo contraindo dois empréstimos a longo prazo para pagar dívidas a curto prazo, (no âmbito do PREDE Programa de Regularização Extraordinária das Dívidas do Estado) esta dívida a curto prazo diminuiu 2M, quando o montante desses empréstimos foi de 5,28M, o que só confirma a tendência preocupante de aumento da dívida. Neste momento a autarquia, mesmo após contrair esses empréstimos, continua a dever a cerca de 400 fornecedores, com as implicações que isso tem no nosso tecido empresarial. Aumento das Despesas Correntes O valor das despesas correntes, será porventura, o melhor espelho do modelo de gestão de qualquer entidade, pública ou privada. No caso da autarquia esse diagnóstico é também merecedor de preocupação. Não é de agora que o Partido Socialista tem vindo a incentivar os sucessivos executivos camarários a criar um desígnio de diminuição em 10% das despesas correntes no espaço da legislatura. E se o fizemos de forma insistente no passado, não foi por nenhuma deriva eleitoralista ou demagógica, pois sempre estivemos disponíveis para acompanhar a maioria PSD nesse desígnio, estando plenamente convictos que essa diminuição da despesa corrente implicaria uma gestão mais rigorosa, com medidas menos populares e eleitoralistas, não tendo havido no passado coragem política para tal. Na actual conjuntura económica e social - nomeadamente com a diminuição das receitas correntes da autarquia decorrentes do IMT, IMI e taxas de urbanização - a diminuição das despesas correntes deixa de ser uma medida de boa gestão, para passar a ser uma imperiosa necessidade em nome da sustentabilidade financeira do Município. Mais uma vez lamentamos que o Partido Socialista, que atempadamente alertou para esta

4 situação e na altura foi apelidado de catastrofista e demagógico, tenha razão antes do tempo! Constatase assim um aumento significativo da despesa corrente, quer na óptica dos compromissos assumidos, que aumentam 2,4M (+ 6,9%), quer na óptica da despesa efectivamente paga, que sofre um acréscimo de 2,8M (+9,3%) face a Com efeito, aprofundando um pouco mais, destacamos os acréscimos verificados nos compromissos assumidos quanto às seguintes rubricas da despesa: - Despesas com pessoal: +2,7 (remunerações incertas e abonos variáveis + 8%) - Outros trabalhos especializados : +12.7% - Subsídios a Instituições: +4,5% - Utilização de equipamentos da Varzim Lazer: +18% - Conservação de bens: +62% Estes dados ganham ainda outra dimensão quando se prevê para 2010 (segundo o Plano e Orçamento aprovado) um crescimento de 11% das despesas correntes. Constatamos assim, também neste capítulo o diagnóstico que se extrai da análise do Relatório de Gestão e Contas não é nada simpático para a autarquia e, por consequência, para os poveiros. Pois se por um lado temos vindo a assistir recentemente, por parte da maioria PSD, a um discurso de muita preocupação com os gastos e com a saúde financeira da autarquia, reconhecendo até a intenção de haver uma maior contenção e rigor, o que é certo é que hoje pagamos erros de gestão reincidentes dos últimos anos e o executivo, apesar das boas intenções, continua a denotar uma incapacidade de contenção de custos. Conclusão: O Relatório de Gestão e Contas da autarquia apresenta um diagnóstico preocupante como procuramos descrever: Aumento da Dívida do Município; Diminuição das Receitas Correntes (neste capítulo muito resultado da actual conjuntura económica); Aumento das Despesas Correntes; Este retrato económico-financeiro do Município, embora resultante de opções políticas, ganha especial dimensão, tornando-se particularmente preocupante se somarmos ao facto da autarquia ver hoje esvaziadas as possibilidades de obtenção de receita futura. Senão vejamos: As famílias poveiras estão já economicamente sufocadas e não é viável aumentar ainda mais a carga fiscal municipal (note-se que as receitas correntes decorrentes da facturação ao munícipe de água, resíduos sólidos, saneamento e tarifas de salubridade, crescem no seu conjunto 1,7%) A evolução da capacidade de endividamento líquida do Município está também esgotada, no cumprimento da Lei das Finanças Locais (em 2007 havia uma folga de 19,2M, em 2008 já só restavam 8.5M e em 2009 ficou praticamente esgotada a capacidade de endividamento da autarquia) Em anos anteriores já se procederam a iniciativas de antecipação de receita (Concessão dos parques de estacionamento da Avenida Mouzinho e do Casino e

5 concessão da Bomba de gasolina na Via B) Nos dois últimos anos recorreu-se às linhas de crédito disponíveis: Pagar a Tempo e Horas e PREDE. Não pretendemos ser mensageiros da desgraça e recusamo-nos a enveredar num discurso alarmista, mas esgotada que está a capacidade de obtenção extraordinária de receita e esvaziada a possibilidade legal de recorrer a mais crédito e atendendo ao aumento da dívida da autarquia, o diagnóstico é deveras preocupante. Neste sentido, reiteram os Vereadores do Partido Socialista a sua disponibilidade para, responsavelmente e sem demagogias, partilhar com a maioria a adopção de medidas extraordinárias de contenção e rigor na gestão do Município da Póvoa de Varzim, se assim o executivo o entender. Tendo em conta que o presente Relatório de Gestão e Contas reflecte as opções políticas do anterior mandato, com as consequências supra expostas, os Vereadores do Partido Socialista votam contra o Relatório de Gestão e Contas de O Vereador eleito pelo Partido Popular apresentou a seguinte Declaração de Voto: Não temos outra opção senão a de nos abstermos nesta votação. Se por um lado, em momento oportuno, já demos conta da nossa discordância votando contra este orçamento na Assembleia Municipal aquando da sua votação; por outro, assentimos que, tecnicamente, estas são as contas desse orçamento. O próprio Revisor Oficial de Contas certifica a sua concordância com os preceitos legais exigíveis, colocando apenas algumas ênfases. A nosso ver, o problema vem de trás. Um orçamento e grandes opções do plano maus, têm necessariamente de originar umas contas más. Vejamos: Análise da execução orçamental 1. Não podemos deixar de realçar que o balanço, à data de 31.Dez.2009 apresenta um Resultado Líquido do Exercício de EUR ,03. Verifica-se que os resultados extraordinários contribuíram com cerca de Eur 1,3 M (ver pag. 29 da DR: proveitos e ganhos extraordinários custos e perdas extraordinários) para o resultado, atenuando o RLE que seria ainda mais negativo não fosse esta correcção. Já em 2008, o RLE seria negativo em Eur 200m sem a correcção dos resultados extraordinários. Pode isto indiciar que o diferimento de subsídios anteriormente atribuídos ao Município vão cobrindo o resultado negativo não à medida da execução dos investimentos a que se destinavam, mas antes da conveniência orçamental. Receitas de capital 2. A receita apresenta um desvio de cerca de 28,9% relativamente ao previsto. Isto é, dos EUR 71,5 M previstos de receita, foram obtidos apenas cerca de Eur 50,8 M. Tal facto fica a dever-se às vendas de património (essencialmente habitações

6 sociais) que se cifraram em apenas 1,1% do previsto. Despesas de capital 3. A compensação para este desvio na receita fez-se pela redução de investimento. Veja-se o Plano Plurianual de investimentos ficaram Eur 16 M por realizar. Eur 6M no ordenamento do território, Eur 3,2M no saneamento, Eur 800m no abastecimento de água, Eur 1M na protecção do meio ambiente (afecta principalmente o novo cemitério), Eur 700m na cultura e desporto e Eur 3M em transportes rodoviários. Importa notar onde se está a poupar no investimento ou estamos a cortar na manutenção e renovação de áreas chave, adiando e provavelmente agravando o investimento futuro; ou o orçamento era simplesmente disparatado. Receita corrente vs. Despesa corrente 4. Registe-se ainda a nota constante do documento (pag. 8) onde se dá conta das receitas correntes superarem claramente a despesa corrente. Verificandose a evolução de 2008 para 2009, constata-se que as receitas correntes diminuem cerca de 3% (Eur 1M) e as despesas correntes aumentam cerca de 10% (de Eur 30M para Eur 32,8M). Esta política orçamental não é sustentável. Analisando o comportamento dos últimos 5 anos, verifica-se que as receitas correntes aumentam de cerca de Eur 29M para Eur 36M (24%), Eur 7M, ao passo que a despesa corrente é mais célere no seu crescimento aumenta 37,5%. 5. Na página 12, conseguimos verificar que o desvio orçamental da despesa corrente se fez principalmente à custa da redução da aquisição de bens e serviços (77% realizado). Ou seja, conseguiu poupar-se Eur ,75. É de facto louvável o esforço! E afinal, verificamos que é possível poupar na despesa corrente no nosso Município! Veremos quanto será possível no decurso deste ano. Plano Plurianual de Investimentos 6. Com um grau de execução de 48,3%, verificamos que os principais cortes se ficaram a dever às funções sociais (educação 33% (Eur 0,4M em Eur 1,2M previstos), habitação e serviços colectivos, ) com 47,8% (de Eur 23M apenas foram realizados Eur 11M) e, nas funções económicas, os transportes rodoviários a condicionarem o grau de execução com 40,1% para um total de execução de 43,6%. Isto afecta principalmente a pavimentação de ruas e rectificação de caminhos nas freguesias. Ora estas opções não são, claramente, as nossas. Detalhe-se por exemplo, os arranjos urbanísticos nas freguesias, previstos com Eur 550m e apenas executados em Eur 187m. Detalhe-se ainda o saneamento com Eur 3,2M aquém do previsto rede de drenagem Amorim / Terroso praticamente 0; Idem para a rede de Navais / Estela; rede de Argivai, Beiriz e Amorim sul com Eur 1,3M; rede de drenagem de Laúndos com 0. As águas pluviais com Eur 550m que o orçamentado; ou o abastecimento de água com Eur 700m que o

7 orçamentado. Quanto ao turismo, o investimento previsto foi de Eur 30m Desta pobre dotação realizou-se 78,5%, ou seja, Eur 24,6m. Mas, enfim, não se tendo feito, assume-se o compromisso de fazer. Assim, os compromissos de utilização orçamental chegam a uma realização de 98,7%... Demonstração de resultados 7. Conseguimos constatar que, se pensarmos analogamente ao EBITDA (CMVMC + FSE + CP + OCPO), estes são superiores aos proveitos (VPS+IT+PS+OPGO). Mais uma vez, constata-se que a actividade operacional não é sustentável. 8. Evolução da dívida Nos últimos 5 anos, a dívida de terceiros passou de Eur 1,1M para Eur 11M (Eur 17M em 2008). Na prática traduz-se no agravamento dos prazos médios de recebimento que se vai traduzir num aumento da dívida a terceiros, praticamente no mesmo montante. Financia-se o atraso nos recebimentos, com um atraso nos pagamentos Não deixa de ser preocupante que a dívida de curto prazo (a receber e a pagar) tenha aumentado Eur 10M. Ressalte-se que a redução nas dívidas a receber resulta não de um aumento de eficiência das cobranças, mas antes do desvio das verbas para o Turismo de Portugal, resultado das já referidas alterações legais das verbas das zonas de jogo. No fundo, as dívidas ao Município decrescem pois este tem menos dinheiro a receber Estes factos diminuem a capacidade de endividamento do Município. Note-se que a dívida de MLP sofre um agravamento. Aparentemente, empurra-se o problema para diante! Em resumo, a) O resultado líquido do exercício de 2009 do Município da Póvoa de Varzim é negativo em cerca de Eur 1,1M. Este resultado é atenuado pelo efeito dos resultados extraordinários, sem os quais o resultado do ano seria de negativo em cerca de Eur 2,4M. Este resultado traduz claramente uma performance negativa no exercício de 2009, em linha com o que já havia acontecido em Isto significa que, no exercício de 2009, os proveitos operacionais revelaram-se insuficientes para fazer face às despesas exageradamente altas para as quais alertámos desde logo aquando da apresentação do orçamento. b) A Câmara manifestou total incapacidade de cumprir com o orçamento no que respeita a receitas de capital, nomeadamente a venda de bens de investimento c) Por esse motivo cortou nos investimentos essencialmente à custa das freguesias e das funções sociais d) As despesas aumentam mais do que as receitas Concluindo, verifica-se que a actuação do Executivo, em 2009, se traduziu numa deterioração de valor, delapidando-se o património do erário público, principalmente em virtude de uma política orçamental errada Os Vereadores eleitos pelo Partido Social Democrata apresentaram a seguinte Declaração de Voto:------

8 Estranhamente (porque parece ser de uma matemática que falamos), os números, lidos politicamente, parecem sujeitar-se aos desejos (por vezes, até aos caprichos mais ilógicos) de quem os interpreta. E há quem se especialize em torturá-los até que eles confessem o que se pretende. É assim, muitas vezes, na estatística; é assim, por via de regra, na política. E é pena que assim seja, porque os números (pobres deles) mais não são que a expressão matemática da realidade. E, por isso, a guerra dos números é, no fundo, a expressão da cegueira de quem se recusa a ver a realidade e, já que não pode eliminá-la ou apoucá-la, tenta, por esta via, construir uma outra realidade. Desvie-se a conversa para onde se quiser, certo é que do Relatório de Gestão e Contas do Ano de 2009 emergem, firmes, alguns dados insusceptíveis de segundas leituras - a saber: - que as contas estão certificadas sem reservas; - que a execução orçamental, não obstante as dificuldades financeiras face a constrangimentos administrativos exteriores ao município, atingiu o maior valor pago de sempre (cerca de 50,8M ); - que, na óptica dos compromissos, a despesa total teve um decréscimo de 1,4 M ; - que a despesa total paga aumentou 2,6M ; - que a despesa corrente paga aumentou 2,8M ; - que as Receitas Correntes superaram de forma clara as Despesas Correntes (3,2M ), suportando, desta forma, uma parcela significativa de investimentos; - que, no tocante às Despesas com Pessoal, o seu aumento ficou a dever-se unicamente ao aumento com as actualizações dos vencimentos e com as contribuições para a Caixa Geral de Aposentações, no montante de 345 mil euros; - que o número de funcionários diminuiu 4% - tal como o volume de horas extraordinárias baixou igualmente 4%; - que os subsídios (pagos) a Instituições registaram um aumento de 4,5%, mas todos foram atribuídos por deliberação (unânime!) da Câmara; - que a despesa com a utilização dos equipamentos desportivos da Varzim Lazer aumentou, apenas, 0,88%; - que a divida a terceiros a curto prazo desceu 2,1M relativamente ao exercício anterior; - que o passivo diminuiu 0,4M ; - que o Imobilizado constituído pelos equipamentos municipais cresceu 4,4,M, apresentando um valor superior a 172M ; - que o facto de o Resultado Líquido do Exercício ser negativo não deriva do aumento dos custos pois estes, comparativamente a 2008, diminuíram em aproximadamente 1 milhão de euros, o que significa que aquele resultado negativo tem como única justificação o facto de, também comparativamente a 2008, o exercício de 2009 ter registado uma diminuição de proveitos na ordem dos 3 milhões de euros; - que a diminuição da capacidade de endividamento líquido do município resulta essencialmente de 2 factores: a redução da dívida de

9 terceiros (motivada pela captura de 7M por parte do Turismo de Portugal); e a alteração da Lei do sector empresarial local, da qual resultou que a contribuição da LIPOR (que em 2008 originou uma diminuição do endividamento líquido do município) deixou de relevar. (Ver nº5 do art. 32º da lei 53- F/2006, de 29 de Dezembro, na redacção introduzida pela Lei 64-A/2008, de 31 de Dezembro); - que, mesmo contraindo 2 empréstimos a longo prazo no montante de 5,28M (ambos aprovados por unanimidade na Câmara), o município da Póvoa de Varzim continua com uma capacidade de endividamento de médio e longo prazos na ordem dos 4,1M. Perante estas realidades - firmes, evidentes, certificadas não hesitamos em votar favoravelmente o presente Relatório de Gestão e Contas do Ano de Que, perante as circunstâncias, traduzem, inegavelmente, a melhor gestão possível dos recursos municipais em INFORMAÇÃO DA PRESIDÊNCIA - CANDIDATURA DO ESTÁDIO MUNICIPAL COMO CENTRO DE TREINO OFICIAL PARA O CAMPEONATO DO MUNDO 2018/ O Presidente da Câmara comunicou que, através da formalização de dois Acordos de Local de Treinos junto da Federação Portuguesa de Futebol, foi apresentada candidatura do Estádio Municipal para Centro de Treino Oficial para o campeonato do Mundo 2018/2022. A Câmara tomou conhecimento ª E 3.ª PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO AO ORÇAMENTO DA DESPESA E 2.ª PROPOSTA DE ALTERAÇÃO AO PLANO DE INVESTIMENTOS PARA 2010 RATIFICAÇÃO DE DESPACHOS São presentes as propostas de alteração referidas em título, que ficam a fazer parte integrante desta acta, sobre as quais recaíram despachos de aprovação do Vereador das Finanças, que se submetem a ratificação do executivo municipal. A Câmara deliberou, por unanimidade, ratificar os Despachos do Vereador das Finanças DESPACHO DA PRESIDÊNCIA CONSUMO DE ENERGIA ELÉCTRICA REFERENTE AO 1.º TRIMESTRE DE 2010 ILUMINAÇÃO PÚBLICA É presente, para conhecimento do executivo, o Despacho proferido pelo Presidente da Câmara, cujo teor se transcreve: Tendo presente a Relação Valorizada de Facturas da EDP Serviço Universal, S. A., correspondente ao consumo de energia eléctrica/iluminação pública durante o 1.º trimestre de 2010, meses de Janeiro, Fevereiro e Março, no exercício da competência conferida à Câmara Municipal pela alínea b) do n.º 1 do art.º 18.º do Decreto-Lei n.º 197/99 de 8 de Junho, delegada no Presidente da

10 Câmara por deliberação tomada em reunião de 2 de Novembro de 2009, determino que se proceda ao pagamento da despesa supra mencionada, cujo valor é de ,83 (duzentos e trinta e nove mil, cento e noventa e sete euros e oitenta e três cêntimos). Mais determino que de acordo com o disposto no n.º 3 do art. 65.º da Lei das Autarquias Locais, o presente despacho seja submetido à próxima reunião do executivo camarário, para conhecimento. A Câmara tomou conhecimento DESPACHO DA PRESIDÊNCIA AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS CEGO DO MAIO UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO MUNICIPAL É presente, para ratificação do executivo, o Despacho proferido pelo Presidente da Câmara, cujo teor se transcreve: Por deliberação tomada em reunião de 20 de Outubro de 2008, a Câmara Municipal decidiu assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte do Agrupamento Vertical de Escolas Cego do Maio, para a realização da sua Festa Final, que se veio a realizar no dia 18 de Junho de 2009 estimando-se então que os custos dessa utilização importariam em 1.500,00. Sucede que o custo efectivo da utilização do Pavilhão Municipal, para o fim indicado, veio a ser de 2.000,00 - conforme consta da respectiva factura, emitida pela Varzim Lazer, EEM em 21 de Julho de Face ao exposto, importando regularizar a situação dessa factura, determino que se proceda ao seu pagamento. Mais determino que o presente despacho seja submetido à próxima reunião do executivo camarário, tendo em vista a sua ratificação. A Câmara deliberou, por unanimidade, ratificar o Despacho do Presidente da Câmara DESPACHO DO VEREADOR DO DESPORTO FACTURAS DA VARZIM LAZER, EM UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS É presente, para ratificação do executivo, o Despacho proferido pelo Vereador do Desporto, cujo teor se transcreve: Os serviços titulados pelas facturas n.º 79, 81, 82, 83, 84, 85, 86, 88, 89, 90 e 92/2010 da Varzim Lazer, E.E.M. correspondem à utilização dos equipamentos municipais transmitidos para aquela empresa, por parte de entidades apoiadas por esta Câmara Municipal, tendo cada uma sido previamente solicitada e autorizada, assumindo esta Autarquia os respectivos custos. Assim, no exercício da competência conferida ao Presidente da Câmara, pela alínea a) do n.º 1 do artigo 18.º do Decreto-Lei n.º 197/99, de 8 de Junho, competência esta que me está delegada por despacho da Presidência n.º 1/DC/2009 de 02 de Novembro de 2009, determino que se proceda ao pagamento das facturas supra

11 mencionadas cujo valor é de ,56. Mais determino que o presente despacho seja submetido à próxima reunião do executivo camarário, tendo em vista a sua ratificação. A Câmara deliberou, por unanimidade, ratificar o Despacho do Vereador do Desporto MINUTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM O CINECLUBE OCTOPUS É presente minuta de Protocolo, que fica a fazer parte integrante desta acta, a celebrar entre o Município da Póvoa de Varzim e o Cineclube Octopus, tendo por objectivo a divulgação do cinema de qualidade, europeu e português, através das sessões de cinema a realizar no Auditório Municipal da Póvoa de Varzim. A Câmara deliberou, por unanimidade, aprovar a minuta de Protocolo a celebrar com o Cineclube Octopus MINUTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM A ASSOCIAÇÃO DA BANDA MUSICAL DA PÓVOA DE VARZIM É presente minuta de Protocolo, que fica a fazer parte integrante desta acta, a celebrar entre o Município da Póvoa de Varzim e a Associação da Banda Musical da Póvoa de Varzim, tendo por objectivo promover e divulgar a cultura musical e o seu ensino no concelho da Póvoa de Varzim, durante o ano de A Câmara deliberou, por unanimidade, aprovar a minuta de Protocolo a celebrar com Associação da Banda Musical da Póvoa de Varzim MINUTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM A ASSOCIAÇÃO VARAZIM TEATRO É presente minuta de Protocolo, que fica a fazer parte integrante desta acta, a celebrar entre o Município da Póvoa de Varzim e a associação Varazim Teatro, tendo por objectivo promover a existência de uma actividade teatral contínua e diversificada no concelho da Póvoa de Varzim. A Câmara deliberou, por unanimidade, aprovar a minuta de Protocolo a celebrar com a associação Varazim Teatro APOIOS AO ABRIGO DO N.º 4 DO ARTIGO 64º DA LEI DAS AUTARQUIAS LOCAIS (LEI N.º 169/99 DE 18 DE SETEMBRO) Compete à Câmara Municipal, no âmbito do apoio a actividades de interesse municipal, deliberar sobre as formas de apoio a entidades e organismos legalmente existentes, nomeadamente com vista à prossecução de obras de interesse municipal, bem como à informação e defesa dos cidadãos e, bem assim, apoiar ou comparticipar, pelos meios adequados, no apoio a actividades de interesse municipal, de natureza social, cultural, desportiva, recreativa ou outra FATERNIDADE NUNO ÁLVARES - NÚCLEO 44 TERROSO

12 Através de carta de 26 de Fevereiro último, vem a Fraternidade Nuno Álvares Núcleo 44 Terroso solicitar o apoio do Município para a realização de uma Corrida de Galgos, a contar para o respectivo Campeonato Nacional, que terá lugar em Terroso, no dia 25 de Abril do corrente ano. A Câmara deliberou, por unanimidade, oferecer à Fraternidade Nuno Álvares Núcleo 44 Terroso o Troféu a atribuir ao vencedor da Corrida de Galgos AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES MANHÃ DESPORTIVA Através de carta de 25 de Setembro do ano transacto, vem o Agrupamento de Escolas Dr. Flávio Gonçalves solicitar a cedência do Pavilhão Municipal no dia 26 de Março, para a realização de uma manhã desportiva com a colaboração dos professores de AFD. Relativamente a este assunto o Gabinete de Desporto informa que o Pavilhão Municipal se encontra disponível e que o custo de utilização será 1.500,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte do Agrupamento de Escolas Dr. Flávio Gonçalves LEÕES DA LAPA FUTEBOL CLUBE 48.º ANIVERSÁRIO Através de carta de 6 do corrente mês de Abril, vem a associação Leões da Lapa Futebol Clube solicitar o apoio do Município para a organização de um Grande Prémio de Atletismo e de um Festival de Ranchos Folclóricos, no âmbito das comemorações do 48.º aniversário da associação, eventos que terão lugar no dia 18 do corrente mês de Abril. A Câmara deliberou, por unanimidade, atribuir à associação Leões da Lapa Futebol Clube um subsídio no valor de 1.000,00 (mil euros) ESTÁGIO DE KUNG-FU WUSHU A associação francesa Ecole Bernard manifestou intenção de concretizar um estágio de Kung-Fu Wushu de 1 a 14 de Agosto na nossa cidade, solicitando a cedência, para o efeito, do Pavilhão Municipal. Relativamente a este assunto o Gabinete de Desporto informa que o Pavilhão Municipal se encontra disponível e que o custo de utilização é de 1.776,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte da Ecole Bernard FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL LIGA EUROPEIA É presente informação do Gabinete de Desporto dando conta de que a Federação Portuguesa de Voleibol solicita a cedência do Pavilhão Municipal entre os dias 13 e 17 de Junho, para a realização de um jogo a contar para a Liga Europeia 2010, entre as selecções nacionais de Portugal e da Grécia. Informa ainda o

13 Gabinete de Desporto que o Pavilhão Municipal se encontra disponível e que o custo de utilização é de ,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte da Federação Portuguesa de Voleibol AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES FESTIVAL DE MÚSICA ESPANHOLA Através de carta de 9 de Março último, vem o Agrupamento de Escolas Dr. Flávio Gonçalves solicitar a cedência do Pavilhão Municipal, no dia 2 de Junho, para a realização de um Festival de Música Espanhola. Relativamente a este assunto a Varzim Lazer informa que a referida instalação está disponível e que o custo de utilização é de 2.000,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte do Agrupamento de Escolas Dr. Flávio Gonçalves AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS CEGO DO MAIO FESTA DE FINAL DE ANO Através de carta de 2 de Março último, vem o Agrupamento Vertical de Escolas Cego do Maio solicitar a cedência do Pavilhão Municipal, no dia 18 de Junho, para a realização da Festa de Final do Ano. Relativamente a este assunto a Varzim Lazer informa que a referida instalação está disponível e o custo de utilização é de 2.000,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte do Agrupamento de Escolas Cego do Maio CENTRO DE CANARICULTURA E ORNITOLOGIA DA PÓVOA DE VARZIM 5.º CAMPEONATO ORNITOLÓGICO INTERNACIONAL C.O.M. DO ATLÂNTICO O Centro de Canaricultura e Ornitologia da Póvoa de Varzim, em conjunto com os clubes congéneres de Barcelos e Braga, vai organizar o 5.º Campeonato Ornitológico Internacional COM do Atlântico, nesta cidade, de 22 de Outubro a 1 de Novembro do corrente ano. Para o efeito, vem solicitar o apoio do Município traduzido no seguinte: a) cedência do Pavilhão Municipal para a realização do evento; b) fabrico e aplicação de um painel outdoor para colocação à entrada da cidade; c) oferta de um objecto alusivo ao evento a todos os concorrentes (350 pessoas), bem como aos juízes classificadores e representantes estrangeiros (30 pessoas); d) texto de saudação aos participantes e de boas vindas à nossa Cidade, por parte do Presidente da Câmara, que será publicado no catálogo oficial, em conjunto com as mensagens dos Presidentes das Câmaras Municipais de Braga e Barcelos; e) colaboração do Gabinete de Imprensa da autarquia na divulgação do evento. A Câmara deliberou, por unanimidade,

14 conceder o apoio solicitado pelo Centro de Canaricultura e Ornitologia da Póvoa de Varzim RANCHO FOLCLÓRICO DA CASA DO POVO DE AGUÇADOURA Através de carta de 22 de Março do corrente ano, vem o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Aguçadoura solicitar o apoio financeiro do Município para fazer face às despesas inerentes à sua actividade, designadamente a organização de um Festival, viagens e manutenção de trajes. A Câmara deliberou, por unanimidade, atribuir ao Rancho Folclórico da Casa do Povo de Aguçadoura um subsídio no valor de 1.000,00 (mil euros) ANNDDI ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DESPORTO PARA A DEFICIÊNCIA INTELECTUAL CAMPEONATO NACIONAL DE TÉNIS DE MESA É presente informação do Gabinete de Desporto, dando conta de que a Associação Nacional do Desporto para a Deficiência Intelectual solicita a cedência do Pavilhão Municipal, no dia 26 de Junho, para a realização do Campeonato Nacional de Ténis de Mesa. Informa ainda o Gabinete de Desporto que o Pavilhão Municipal se encontra disponível e que o custo de utilização é de 2.000,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte da Associação Nacional do Desporto para a Deficiência Intelectual PÓVOA FUTSAL CLUBE 2.º TORNEIO PRIMAVERA ESCOLINHAS É presente informação do Gabinete de Desporto, dando conta de que o Póvoa Futsal Clube solicita a cedência do Pavilhão Municipal, nos dias 2 e 3 de Abril, tendo em vista a realização do 2.º Torneio Primavera, em Futsal. Informa ainda o Gabinete de Desporto que o Pavilhão Municipal se encontra disponível e que o custo de utilização é de 4.000,00. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização do Pavilhão Municipal por parte do Póvoa Futsal Clube CRUZ VERMELHA PORTUGUESA CASA DO REGAÇO UTILIZAÇÃO DAS PISCINAS MUNICIPAIS A Delegação da Póvoa de Varzim da Cruz Vermelha Portuguesa vem solicitar autorização para as crianças da Casa do Regaço utilizarem as Piscinas Municipais. Sobre este assunto, é presente comunicação da Varzim Lazer, EEM, informando da disponibilidade das piscinas e que o custo será de 14,00 por pista/hora, acrescidos de 0,53 por participante. A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização das Piscinas Municipais por parte da Delegação da Póvoa de Varzim da Cruz Vermelha Portuguesa

15 11.13 ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS AOS AGRUPAMENTOS VERTICAIS DE ESCOLAS PARA MANUAIS E MATERIAL ESCOLAR DOS ALUNOS DO 1.º CEB PARA O ANO LECTIVO 2009/ É presente Informação do Gabinete de Educação, propondo a atribuição de subsídios aos Agrupamentos Verticais de Escolas Campo Aberto, Rates, Aver-o-Mar e Dr. Flávio Gonçalves, para aquisição de manuais e material escolar de alunos do 1.º CEB, a quem foi atribuído o escalão A e B, mas que só recentemente receberam as respectivas declarações da Segurança Social. O valor total dos subsídios a atribuir é de 1.482,00 (conforme quadro anexo à Informação, com indicação dos valores a atribuir a cada Agrupamento). A Câmara deliberou, por unanimidade, atribuir os subsídios propostos pelo Gabinete de Educação ASSOCIAÇÃO DE AMIZADE PÓVOA DE VARZIM CIDADES GEMINADAS PRAÇA DOS PINTORES Através de carta de 15 de Março do corrente ano, vem a Associação de Amizade Póvoa de Varzim Cidades Geminadas solicitar o apoio financeiro do Município para a realização da iniciativa denominada Praça dos Pintores, a realizar durante o mês de Maio. A Câmara deliberou, por unanimidade, atribuir à Associação de Amizade Póvoa de Varzim Cidades Geminadas um subsídio no valor de 5.000,00 (cinco mil euros) FEDERAÇÃO ACADÉMICA DO PORTO QUEIMA DAS FITAS DO PORTO Através de carta de 25 de Março do corrente ano, vem a Federação Académica do Porto solicitar o apoio do Município, traduzido na cedência da Praça de Touros, no dia 9 de Maio do corrente ano, para a realização da Garraiada no âmbito de mais uma edição da Queima das Fitas. Relativamente a este assunto a Varzim Lazer informa que a Praça de Touros está disponível na data pretendida e que o custo total da utilização será de 6.000,00 (seis mil euros). A Câmara deliberou, por unanimidade, assumir os encargos decorrentes da utilização da Praça de Touros por parte da Federação Académica do Porto COMISSÃO DE FESTAS DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM AGUÇADOURA Através de carta de 30 de Março do corrente ano, a Comissão de Festas de Nossa Senhora da Boa Viagem de Aguçadoura, vem solicitar o seguinte apoio do Município: 1. subsídio para pagamento à Banda Musical da Póvoa de Varzim, bem como cedência do Coreto para a sua actuação, que terá lugar no dia 25 de Julho; 2. subsídio com vista ao apoio da procissão e corrida de cavalos a realizar nos dias 25 e 26 de Julho, bem como apoio logístico através da cedência de 100 metros de barreiras de protecção

16 incluindo transporte das mesmas; 3. cedência de carro de limpeza (vassoura); 4. subsídio para apoio à corrida de cavalos, que terá lugar em 26 de Julho e apoio logístico no nivelamento e recomposição da pista junto ao Campo de Futebol através de máquina apropriada e 8 a 10 camiões de pó de pedra para a pista de cavalos; 5. subsídio destinado ao apoio na iluminação eléctrica durante a realização das festas; 6. subsídio para pagamento das despesas das festividades. A Câmara deliberou, por unanimidade, atribuir à Comissão de Festas de Nossa Senhora da Boa Viagem de Aguçadoura um subsídio no montante de 1.000,00 (mil euros), acrescido do valor correspondente a 50% do custo da actuação da Banda Musical da Póvoa de Varzim e, bem assim, oferecer um troféu, assumir os custos com o fornecimento de energia eléctrica e conceder o demais apoio logístico solicitado APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DO RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO E DAS CONTAS DO EXERCÍCIO DE 2009 DA VARZIM LAZER, EEM É presente, para apreciação do executivo municipal, no exercício da competência que lhe é conferida pela alínea a) do n.º 2 do artigo 39.º do Regime Jurídico do Sector Empresarial Local (Lei n.º 53-F/2006, de 29 de Dezembro), o relatório do Conselho de Administração e as Contas do Exercício do ano de 2009, da Varzim Lazer Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos Desportivos e de Lazer, EEM. Do processo, cuja cópia fica a fazer parte integrante desta acta, consta o parecer emitido pelo Fiscal Único.- No exercício da competência que lhe é conferida pela alínea a) do n.º 2 do artigo 39.º do Regime Jurídico do Sector Empresarial Local (Lei n.º 53-F/2006, de 29 de Dezembro), a Câmara deliberou, por maioria, com votos contra dos Vereadores eleitos pelo Partido Socialista, aprovar o relatório do Conselho de Administração, as Contas do Exercício do ano de 2009 e a proposta de aplicação dos resultados, bem como o parecer do Fiscal Único Os Vereadores eleitos pelo Partido Socialista apresentaram a seguinte Declaração de Voto: Antes de passarmos propriamente à análise do relatório e contas da Varzim Lazer de 2009, recordemos o que já dizíamos em 2008, aquando da avaliação do relatório e contas desse ano: - Ano após ano o Partido Socialista vem alertando para a inviabilidade da Varzim Lazer como empresa com contas equilibradas e prestadora de serviços de qualidade à comunidade Poveira. Infelizmente a realidade tem vindo, de forma reiterada, a dar razão ao PS. Mais recentemente, em Novembro de 2009, aquando da apreciação do relatório instrumentos previsionais, o PS na sua declaração de voto referia: a realidade

17 destes anos tem-se encarregado de demonstrar a falência desta opção. Feita esta breve chamada de atenção a considerações colocadas pelo PS no passado mais recente, passemos então a analisar alguns dados que nos pareceram mais relevantes no relatório e contas de 2009 da VL. i) o volume de negócios foi de 1.4M, dos quais 0,95M foram utilizações pagas pela Câmara (página 127 do R&C CM), ou seja, 68% das prestações de serviços foram despesa da Câmara. No exercício de 2008 esta percentagem rondava os 50%. A esta almofada acresce o subsídio anual da concessionária da zona de jogo de 180 mil euros (no exercício anterior foi de 173 mil euros). Apesar da robusta contribuição da Câmara há uma quebra do total das prestações de serviços em 1,76%; ii) o resultado líquido do exercício foi mais uma vez negativo (-64 mil euros) - menor que no ano anterior (-194 mil euros), mas que é fruto da anulação da provisão para o processo judicial que foi decidido a favor da VL. Porém se somarmos ao resultado líquido negativo do exercício a receita que a autarquia assegura à Varzim Lazer, esta empresa municipal custa ao Município mais de 1 milhão de euros por ano (a que acrescem as reparações e manutenção dos imóveis efectuados pela Câmara e as despesas com a publicidade aos eventos desenrolados nos equipamentos geridos pela VL); iii) o Cash-flow, várias vezes referido pela maioria PSD como sustentáculo da exploração da Varzim Lazer, antes da restruturação que determinou a passagem do imobilizado para a Autarquia, revelou-se negativo em Cai assim por terra aquele que era o último indicador financeiro positivo da gestão da empresa municipal; iv) outro rubrica que não deixa de aumentar são as dívidas de clientes, que já atingem os 12 mil euros. Situação que denota algum laxismo por parte da gestão na cobrança destes montantes, uma vez que não são dívidas do seu maior cliente - Câmara Municipal; v) relativamente aos recurso humanos é de realçar o esforço feito na formação dos colaboradores (721h), através de verbas do QREN/POPH e o presença dos nadadores salvadores (Delfins). A este ritmo, daqui a 3-4 anos teremos, possivelmente, uma nova reestruturação financeira ou reforço dos capitais da Varzim Lazer. Maus resultados, aliados a uma exploração deficitária, e à maior dependência da Câmara Municipal - sua principal cliente, denotam que a Varzim Lazer segue pelo caminho errado. Neste enquadramento, os Vereadores do Partido Socialista votam contra O Relatório e Contas da Varzim Lazer do exercício de APROVAÇÃO DE PARTE DA ACTA EM MINUTA A Câmara deliberou, por unanimidade, aprovar em minuta, para produzir efeitos imediatos, o texto das

18 deliberações tomadas nos seguintes pontos: 1 APROVAÇÃO DA ACTA DA REUNIÃO DE ; 2 APRECIAÇÃO E VOTAÇÃO DO RELATÓRIO DE GESTÃO E CONTAS DO ANO DE 2009; 4 2.ª E 3.ª PROPOSTAS DE ALTERAÇÃO AO ORÇAMENTO DA DESPESA E 2.ª PROPOSTA DE ALTERAÇÃO AO PLANO DE INVESTIMENTOS PARA 2010 RATIFICAÇÃO DE DESPACHOS; 5 DESPACHO DA PRESIDÊNCIA CONSUMO DE ENERGIA ELÉCTRICA REFERENTE AO 1.º TRIMESTRE DE 2010 ILUMINAÇÃO PUBLICA; 6 DESPACHO DA PRESIDÊNCIA AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS CEGO DO MAIO UTILIZAÇÃO DO PAVILHÃO MUNICIPAL; 7 DESPACHO DO VEREADOR DO DESPORTO FACTURAS DA VARZIM LAZER, EM UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS MUNICIPAIS; 8 MINUTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM O CINECLUBE OCTOPUS; 9 MINUTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM A ASSOCIAÇÃO DA BANDA MUSICAL DA PÓVOA DE VARZIM; 10 MINUTA DE PROTOCOLO A CELEBRAR COM A ASSOCIAÇÃO VARAZIM TEATRO ENCERRAMENTO Não havendo mais assuntos a tratar, o Sr. Presidente deu por encerrada a reunião quando eram vinte horas e trinta minutos De tudo para constar se lavrou a presente acta E eu,.., Jorge Manuel de Guimarães Caimoto, Chefe da Divisão dos Serviços Jurídicos e funcionário designado para lavrar as actas das reuniões do executivo, a redigi, subscrevo e vou assinar

Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços

Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços ACTA N.º 08/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 19 DE ABRIL DE 2010 Aos dezanove dias do mês de Abril de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Leia mais

Aos vinte e quatro dias do mês de Janeiro de dois mil e onze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Aos vinte e quatro dias do mês de Janeiro de dois mil e onze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões ACTA N.º 02/11 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 24 DE JANEIRO DE 2011 Aos vinte e quatro dias do mês de Janeiro de dois mil e onze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Aos dezassete dias do mês de Dezembro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Aos dezassete dias do mês de Dezembro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões Fl. ATA N.º 25/12 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 17 DE DEZEMBRO DE 2012 Aos dezassete dias do mês de Dezembro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Aos vinte dias do mês de Fevereiro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Aos vinte dias do mês de Fevereiro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos ATA N.º 04/12 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 20 DE FEVEREIRO DE 2012 Aos vinte dias do mês de Fevereiro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Aos cinco dias do mês de Maio de dois mil e oito, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do

Aos cinco dias do mês de Maio de dois mil e oito, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do ACTA N.º 09/08 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 05 DE MAIO DE 2008 Aos cinco dias do mês de Maio de dois mil e oito, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços

Leia mais

sobre as quais recaíram despachos de aprovação do Presidente da Câmara, que se submetem a

sobre as quais recaíram despachos de aprovação do Presidente da Câmara, que se submetem a Fl. ATA N.º 14/13 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 01 DE JULHO DE 2013 Ao primeiro dia do mês de Julho de dois mil e treze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Leia mais

Pelo Vice-Presidente da Câmara e Vereador do Desporto foi apresentada a seguinte Proposta: --------------

Pelo Vice-Presidente da Câmara e Vereador do Desporto foi apresentada a seguinte Proposta: -------------- Fl. ATA N.º 13/13 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 17 DE JUNHO DE 2013 Aos dezassete dias do mês de Junho de dois mil e treze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Ao primeiro dia do mês de Fevereiro de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Ao primeiro dia do mês de Fevereiro de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos ACTA N.º 03/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 01 DE FEVEREIRO DE 2010 Ao primeiro dia do mês de Fevereiro de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Aos dois dias do mês de Agosto de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do

Aos dois dias do mês de Agosto de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do ACTA N.º 16/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 02 DE AGOSTO DE 2010 Aos dois dias do mês de Agosto de dois mil e dez, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços

Leia mais

Aos seis dias do mês de Dezembro de dois mil e dez, pelas dezoito horas e trinta minutos, na Sala de

Aos seis dias do mês de Dezembro de dois mil e dez, pelas dezoito horas e trinta minutos, na Sala de ACTA N.º 25/10 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 06 DE DEZEMBRO DE 2010 Aos seis dias do mês de Dezembro de dois mil e dez, pelas dezoito horas e trinta minutos, na Sala

Leia mais

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães Freguesia de Tabuadelo e São Faustino Concelho de Guimarães Relatório de Gerência de Contas e Relatório de Actividades Ano de 2013 Índice: Introdução:... 3 Analise Económica e Financeira... 5 Execução

Leia mais

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS

5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 5 Análise Orçamental RELATÓRIO E CONTAS 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2010 2011 RECEITA Crescimento da Receita Total 19,8 3,7 Receitas Correntes / Receita Total 61 67,2 Crescimento das

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIO A ACTIVIDADES DE INTERESSE MUNICIPAL PREÂMBULO

REGULAMENTO DE APOIO A ACTIVIDADES DE INTERESSE MUNICIPAL PREÂMBULO REGULAMENTO DE APOIO A ACTIVIDADES DE INTERESSE MUNICIPAL PREÂMBULO Atendendo a que a atribuição de apoios a entidades ou instituições que contribuam para o desenvolvimento do concelho de S. Pedro do Sul

Leia mais

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de -------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em reunião ordinária para apreciação e deliberação

Leia mais

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA ORDEM DO DIA

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA ORDEM DO DIA Câmara Municipal de Matosinhos Reunião ordinária de 01 de Fevereiro de 2011 ------------------------------------------------------------------- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA --------------------------------------------------------------------MUNICIPAL

Leia mais

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS

DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS DELIBERAÇÕES APROVADAS EM MINUTA E PARA EFEITOS IMEDIATOS (Nos termos do nº3 do artº 92º do Decreto-Lei nº 169/99, de 18/09) --------- Reunião de 2 de Novembro de 2004 ------- ----6ª ALTERAÇÃO AO ORÇAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS 2010 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL

RELATÓRIO E CONTAS 2010 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL 5 ANÁLISE ORÇAMENTAL 1 PRINCIPAIS DESTAQUES [Indicadores] Indicadores 2009 RECEITA Crescimento da Receita Total -18,8 19,8 Receitas Correntes / Receitas Totais 76,1 61 Crescimento das Receitas Correntes

Leia mais

1. Do Plano Plurianual de Investimentos. 1.1.- Introdução

1. Do Plano Plurianual de Investimentos. 1.1.- Introdução Página 1 de 16 1. Do Plano Plurianual de Investimentos 1.1.- Introdução Pretende-se com o presente relatório complementar os documentos que constituem a Conta de Gerência relativa ao ano de 2006, elaborada

Leia mais

1.1- Aprovação da acta da reunião ordinária do dia 2007/03/14. 2.1- Resumo do diário de Tesouraria referente ao dia 2007-03-27.

1.1- Aprovação da acta da reunião ordinária do dia 2007/03/14. 2.1- Resumo do diário de Tesouraria referente ao dia 2007-03-27. 93 ORDEM DE TRABALHOS 1. ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 1.1- Aprovação da acta da reunião ordinária do dia 2007/03/14. 2. DIVISÃO FINANCEIRA 2.1- Resumo do diário de Tesouraria referente ao dia 2007-03-27. 2.2-

Leia mais

RELATÓRIO INSTRUMENTOS PREVISIONAIS VARZIM

RELATÓRIO INSTRUMENTOS PREVISIONAIS VARZIM 2012 RELATÓRIO INSTRUMENTOS PREVISIONAIS VARZIM LAZEREEM 1 - Introdução 2 - Análise dos Documentos Previsionais 2.1 - Plano Plurianual de Investimentos 2.2 - Orçamento Anual de Exploração 2.3 - Demonstração

Leia mais

Município de Alcácer do Sal Relatório de prestação de contas consolidadas

Município de Alcácer do Sal Relatório de prestação de contas consolidadas 1- INTRODUÇÃO A lei das Finanças Locais (Lei nº 2/2007, de 15 de Janeiros) veio determinar a obrigatoriedade da consolidação de contas para os Municípios que detenham serviços municipalizados e/ou a totalidade

Leia mais

Fls. 1. Departamento de Administração Geral tel.: 351 + 253 + 51 51 23 / 33 fax: 351 + 253 + 51 51 34 e-mail: camaraguimaraes@mail.telepac.

Fls. 1. Departamento de Administração Geral tel.: 351 + 253 + 51 51 23 / 33 fax: 351 + 253 + 51 51 34 e-mail: camaraguimaraes@mail.telepac. Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art.º 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS 3. RECURSOS HUMANOS 4. ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA. Balanço

1. INTRODUÇÃO 2. PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS 3. RECURSOS HUMANOS 4. ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA. Balanço 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS 3. RECURSOS HUMANOS 4. ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA Balanço Demonstração dos Resultados Gastos Rendimentos Resultados 5. FACTOS RELEVANTES OCORRIDOS APÓS O

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA 1 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA ACTA Nº 10/2008 - MAIO --- DATA DA REUNIÃO: Vinte de Maio de dois mil e oito. -------------------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala das

Leia mais

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 03 DE SETEMBRO DE 2012

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 03 DE SETEMBRO DE 2012 Fl. ATA N.º 18/12 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 03 DE SETEMBRO DE 2012 Aos três dias do mês de Setembro de dois mil e doze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Quadro 1. Execução do Plano

Quadro 1. Execução do Plano Município de Condeixa-a-Nova - Relatório de Gestão 2008 1. Do Plano Plurianual de Investimentos 1.1. Introdução Pretende-se com o presente relatório complementar os documentos que constituem a Conta de

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS E APOIOS ÀS ASSOCIAÇÕES/COLECTIVIDADES SEM FINS LUCRATIVOS DO MUNICÍPIO DE BORBA Praça da República 7150-249 Borba Telf.: 268 891 630 Fax: 268 894 806 balcaounico@cm-borba.pt

Leia mais

APROVAÇÃO DE ACTAS ORDEM DO DIA

APROVAÇÃO DE ACTAS ORDEM DO DIA APROVAÇÃO DE ACTAS --- A acta da reunião ordinária realizada no dia 14 de Outubro de 2004 foi aprovada por maioria, com cinco votos a favor (Grupos do PS e PSD) e uma abstenção (Ver. David Mendes). A acta

Leia mais

1º Semestre Relatório e Contas 2010

1º Semestre Relatório e Contas 2010 1º Semestre Relatório e Contas 2010 Índice 02 Relatório de Gestão 02 Considerações Gerais 03 Situação Económico-Financeira 09 Demonstrações Financeiras 10 Balanço 11 Demonstração de Resultados por Natureza

Leia mais

Texto completo e actualizado dos Estatutos da VARZIM LAZER EMPRESA MUNICIPAL DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS E DE LAZER, E.M.

Texto completo e actualizado dos Estatutos da VARZIM LAZER EMPRESA MUNICIPAL DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS E DE LAZER, E.M. Texto completo e actualizado dos Estatutos da VARZIM LAZER EMPRESA MUNICIPAL DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS DESPORTIVOS E DE LAZER, E.M. CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Denominação e natureza 1 - A

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio ao Cooperativismo

Regulamento Municipal de Apoio ao Cooperativismo Regulamento Municipal de Apoio ao Cooperativismo Considerando a necessidade de apoiar a criação e a consolidação de cooperativas residentes no concelho. Considerando a necessidade de incentivar a expansão

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE * Acta da reunião de 15.11.2006 * Livro 97 * Fl.197 ACTA N.º 47/2006 PERÍODO DA ORDEM DO DIA

CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE * Acta da reunião de 15.11.2006 * Livro 97 * Fl.197 ACTA N.º 47/2006 PERÍODO DA ORDEM DO DIA CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE * Acta da reunião de 15.11.2006 * Livro 97 * Fl.197 ACTA N.º 47/2006 ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE PENICHE, REALIZADA NO DIA 15 DE NOVEMBRO DE 2006:

Leia mais

ACTIVIDADE MUNICIPAL E SITUAÇÃO FINANCEIRA

ACTIVIDADE MUNICIPAL E SITUAÇÃO FINANCEIRA MUNICÍPIO DE VISEU Informação do Presidente da Câmara Municipal AM 27.ABRIL.2012 PRESTAÇÃO DE CONTAS ACTIVIDADE MUNICIPAL E SITUAÇÃO FINANCEIRA Exmo. Senhor Presidente da Assembleia Municipal Exmos. Senhores

Leia mais

CIDADE DO PORTO CONFERÊNCIA DE IMPRENSA SOBRE AS CONTAS DE GERÊNCIA DO MUNICÍPIO DO PORTO EM 2010

CIDADE DO PORTO CONFERÊNCIA DE IMPRENSA SOBRE AS CONTAS DE GERÊNCIA DO MUNICÍPIO DO PORTO EM 2010 CONFERÊNCIA DE IMPRENSA SOBRE AS CONTAS DE GERÊNCIA DO MUNICÍPIO DO PORTO EM 2010 Fazendo exactamente aquilo que critica ao governo PS, a coligação PSD/CDS apresentou os grandes números das Contas Municipais

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE, REALIZADA EM 06.09.2010

CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE, REALIZADA EM 06.09.2010 Acta nº. 18/2010 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE RESENDE, REALIZADA EM 06.09.2010 LOCAL: ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS 17 526 004 7 283 896 24 809 900 DESPESAS 12 372 900 12 437 000 24 809 900

CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS 17 526 004 7 283 896 24 809 900 DESPESAS 12 372 900 12 437 000 24 809 900 ANÁLISE DO ORÇAMENTO: RECEITA E DESPESA O orçamento para 2014 volta a ser mais contido que o anterior, situando-se em 24.809.900, ou seja menos 4,3% que o de 2013. Como se verá mais à frente, o plano de

Leia mais

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA

REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA 1 REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA ACTA Nº 26/2006 - DEZEMBRO --- DATA DA REUNIÃO: Sete de Dezembro de dois mil e seis. ------------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala

Leia mais

----- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 28 DE JANEIRO DO ANO DE 2011.---------------------------------------------------------------

----- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 28 DE JANEIRO DO ANO DE 2011.--------------------------------------------------------------- ACTA Nº 2/2011 ----- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE 28 DE JANEIRO DO ANO DE 2011.--------------------------------------------------------------- ----- Aos 28 dias do mês de Janeiro

Leia mais

Acta da Assembleia Geral Ordinária da Federação Portuguesa de Bridge de 27 de Novembro de 2011

Acta da Assembleia Geral Ordinária da Federação Portuguesa de Bridge de 27 de Novembro de 2011 1 FPB Instituição de Utilidade Pública Acta da Assembleia Geral Ordinária da Federação Portuguesa de Bridge de 27 de Novembro de 2011 Pelas 15 horas e 30 minutos do dia 27 de Novembro de 2011, numa sala

Leia mais

ACTA N.º 06/2005 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 16 / 03 / 2005 RESUMO DIÁRIO DE TESOURARIA REFERENTE AO DIA 15 / 03 / 2005

ACTA N.º 06/2005 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 16 / 03 / 2005 RESUMO DIÁRIO DE TESOURARIA REFERENTE AO DIA 15 / 03 / 2005 CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO ALENTEJO ACTA N.º 06/2005 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 16 / 03 / 2005 PRESENÇAS PRESIDENTE : ESTÊVÃO MANUEL MACHADO PEREIRA VEREADORES : JOÃO LUIS BATISTA PENETRA MANUEL

Leia mais

MINUTA N.º 2/2015. Reunião realizada em 21 de janeiro de 2015

MINUTA N.º 2/2015. Reunião realizada em 21 de janeiro de 2015 MINUTA N.º 2/2015 Reunião realizada em 21 de janeiro de 2015 ASSUNTOS: Deliberação n.º 11/2015 ---------------------------------------------------------------------- ------- 2.1. CÁLCULO DOS FUNDOS DISPONÍVEIS

Leia mais

CÂMARAMUNICIPALDEAVEIRO PROPOSTA N',...3..12013

CÂMARAMUNICIPALDEAVEIRO PROPOSTA N',...3..12013 CÂMARAMUNICIPALDEAVEIRO PROPOSTA N',...3..12013 TíTULO: Contrato programa entre o Município de Aveiro e a EMA - Estádio Municipal de Aveiro, E.E.M. Considerando: CONSIDERANDO QUE: 1- No passado dia 7/2/2013

Leia mais

Auditoria Tribunal de Contas

Auditoria Tribunal de Contas Auditoria Tribunal de Contas Situação económico Financeira do SNS 2006 www.acss.min-saude.pt Lisboa, 26 de Novembro de 2007 Auditoria Tribunal de contas nota prévia O Relatório do Tribunal de Contas (RTC)

Leia mais

M U N I C Í P I O D E S Á T Ã O

M U N I C Í P I O D E S Á T Ã O DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÁTÃO REALIZADA NO DIA 16-01-2015 PRESENTES ATA Nº. 2/2015 PRESIDENTE Alexandre Vaz VICE- PRESIDENTE Paulo Santos VEREADORES Zélia Silva Rosa Carvalho Fernando

Leia mais

Gabinete de Apoio ao Consumidor. Relatório Anual do Fundo de Garantia Automóvel Ano de 2014. Banco de Cabo Verde

Gabinete de Apoio ao Consumidor. Relatório Anual do Fundo de Garantia Automóvel Ano de 2014. Banco de Cabo Verde Gabinete de Apoio ao Consumidor Relatório Anual do Fundo de Garantia Automóvel Ano de 2014 Banco de Cabo Verde ÍNDICE pág. 1. Âmbito e atribuições do FGA...3 2. Actividades desenvolvidas pelo FGA em 2014...4

Leia mais

ESTATUTOS DA ALBIGEC GESTÃO DE EQUIPAMENTOS CULTURAIS, DESPORTIVOS E DE LAZER, E.M., S.A.

ESTATUTOS DA ALBIGEC GESTÃO DE EQUIPAMENTOS CULTURAIS, DESPORTIVOS E DE LAZER, E.M., S.A. ESTATUTOS DA ALBIGEC GESTÃO DE EQUIPAMENTOS CULTURAIS, DESPORTIVOS E DE LAZER, E.M., S.A. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Denominação e Natureza Jurídica 1. A ALBIGEC Gestão de Equipamentos Culturais,

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Em conformidade com os poderes regulamentares que lhes são atribuídos pelos artigos 112º n.º 8 e 241º da Lei Constitucional, devem os Municípios aprovar os respectivos regulamentos municipais,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANTEIGAS ACTA N.º 7/2002

CÂMARA MUNICIPAL DE MANTEIGAS ACTA N.º 7/2002 30 ACTA N.º 7/2002 Acta da reunião ordinária realizada aos vinte e sete dias do mês de Março de dois mil e dois. Aos vinte e sete dias do mês de Março de dois mil e dois reuniu no Salão Nobre dos Paços

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTIAGO DO CACÉM

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTIAGO DO CACÉM DELIBERAÇÕES DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTIAGO DO CACÉM DO DIA DOIS DE DEZEMBRO DE DOIS MIL E DEZ ------- Aos dois dias do mês de Dezembro de dois mil e dez, nesta cidade de Santiago

Leia mais

PRAZILÂNDIA, TURISMO E AMBIENTE E.M.

PRAZILÂNDIA, TURISMO E AMBIENTE E.M. PRAZILÂNDIA, TURISMO E AMBIENTE E.M. Em 31/08/2012 foi publicada a Lei n.º 50/2012, que aprovou o novo regime jurídico da atividade empresarial local e das participações locais, revogando as Leis n.º 53

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS

JUNTA DE FREGUESIA DE GALVEIAS MINUTA DA ATA NR.8/2014 MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE ABRIL DO ANO DE DOIS MIL E QUINZE ---------------------------------------------------------------------- ---------

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3T10)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3T10) Capital Social: 115.000.000 Capital Próprio Individual a 30 de Junho de 2010: 7.933.916 Capital Próprio Consolidado a 30 de Junho de 2010: 7.438.971 Sede: Av. General Norton de Matos Estádio do Sport Lisboa

Leia mais

Aos dezanove dias do mês de Dezembro de dois mil e onze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Aos dezanove dias do mês de Dezembro de dois mil e onze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos ACTA N.º 26/11 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 19 DE DEZEMBRO DE 2011 Aos dezanove dias do mês de Dezembro de dois mil e onze, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões

Leia mais

Capítulo VI. Gestão Financeira e Patrimonial. Artigo 18.º. Princípios de Gestão

Capítulo VI. Gestão Financeira e Patrimonial. Artigo 18.º. Princípios de Gestão Capítulo VI Gestão Financeira e Patrimonial Artigo 18.º Princípios de Gestão 1. A gestão deve articular-se com os objectivos prosseguidos pela Câmara Municipal de Viseu, visando a promoção do desenvolvimento

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES QUADRIÉNIO 2006/2009 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL 2008/03/06 ÍNDICE REUNIÃO DE 2008/03/06 ASSUNTOS EXTRA ORDEM DO DIA 4 ASSUNTOS DE ANTES DA ORDEM DO DIA 5

Leia mais

1. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE. 1.1 Identificação

1. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE. 1.1 Identificação 1. CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE 1.1 Identificação Espinho é uma cidade situada no distrito de Aveiro, região Norte e subregião do Grande Porto. Segundo os censos de 2001, o concelho tem uma população residente

Leia mais

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA OITO DE OUTUBRO DE DOIS MIL E

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA OITO DE OUTUBRO DE DOIS MIL E Acta n.º 21 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA OITO DE OUTUBRO DE DOIS MIL E CATORZE. ------------------------- ------- Aos oito dias de mês de Outubro do ano de dois mil e catorze, na Sala de

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 05 FEVEREIRO DE 2014 A Câmara deliberou, por unanimidade, justificar a falta da Vice-Presidente, Senhora Dr.ª Felícia Maria Cavaleiro

Leia mais

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS

8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2 NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 8.2.1 - Princípios Contabilísticos Na contabilidade autarca é necessário cumprir um conjunto de princípios contabilísticos, de modo a obter uma imagem

Leia mais

ACTA DA REU IÃO ORDI ÁRIA DA CÂMARA MU ICIPAL DE TRA COSO REALIZADA EM 8 DE OVEMBRO DE 2011.

ACTA DA REU IÃO ORDI ÁRIA DA CÂMARA MU ICIPAL DE TRA COSO REALIZADA EM 8 DE OVEMBRO DE 2011. ACTA DA REU IÃO ORDI ÁRIA DA CÂMARA MU ICIPAL DE TRA COSO REALIZADA EM 8 DE OVEMBRO DE 2011. *A1* Aos 8 dias do mês de Novembro do ano 2011, nesta Cidade de Trancoso e sala das sessões dos Paços do Município,

Leia mais

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS

Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS Lei n.º 29/87, de 30 de Junho ESTATUTO DOS ELEITOS LOCAIS A Assembleia da República decreta, nos termos dos artigos 164.º, alínea d), 167.º, alínea g), e 169.º, n.º 2, da Constituição, o seguinte: Artigo

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANTEIGAS ACTA Nº 10/99

CÂMARA MUNICIPAL DE MANTEIGAS ACTA Nº 10/99 45 ACTA Nº 10/99 Acta da reunião ordinária realizada aos doze dias do mês de Maio de mil novecentos e noventa e nove. Aos doze dias do mês de Maio de mil novecentos e noventa e nove reuniu no Salão Nobre

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga Regimento do Conselho Municipal de Educação de Braga A lei de bases do sistema educativo assume que o sistema educativo se organiza de forma a descentralizar, desconcentrar e diversificar as estruturas

Leia mais

Estatutos - Hospitais E.P.E.

Estatutos - Hospitais E.P.E. Estatutos - Hospitais E.P.E. ANEXO II ao Decreto-Lei n.º 233/05, de 29 de Dezembro ESTATUTOS CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Natureza e duração 1 - O hospital E. P. E. é uma pessoa colectiva de

Leia mais

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3.

ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º ARTIGO 2. ARTIGO 3. ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO 1.º Denominação e Regime Jurídico 1 - A empresa adota a denominação de RESIALENTEJO TRATAMENTO E VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS, E.I.M., adiante designada por RESIALENTEJO,

Leia mais

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA PERÍODO DA ORDEM DO DIA REGULAMENTO DO TRANSITO NA ÁREA DA CIDADE DE VALENÇA

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA PERÍODO DA ORDEM DO DIA REGULAMENTO DO TRANSITO NA ÁREA DA CIDADE DE VALENÇA 24 - JUNHO - 2009 A C T A N.º /2009 ACTA DA REUNIÃO ORDI- NÁRIA DA CÂMARA MUNI- CIPAL DE VALENÇA REALI- ZADA NO DIA 24 DE JUNHO DE 2009. - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Aos vinte e quatro dias

Leia mais

ESTATUTOS DA APL - ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S. A.

ESTATUTOS DA APL - ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S. A. ESTATUTOS DA APL - ADMINISTRAÇÃO DO PORTO DE LISBOA, S. A. CAPÍTULO I Denominação, duração, sede e objecto Artigo 1.º Denominação e duração 1 - A sociedade adopta a forma de sociedade anónima de capitais

Leia mais

ESTATUTOS FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM. Artigo 1º. (Denominação e natureza jurídica)

ESTATUTOS FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM. Artigo 1º. (Denominação e natureza jurídica) ESTATUTOS FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM Artigo 1º (Denominação e natureza jurídica) 1. A FLUVIÁRIO DE MORA EMPRESA MUNICIPAL, EM, adiante também designada simplesmente por Fluviário de Mora,

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES QUADRIÉNIO 2006/2009 ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL 2009/08/05 ÍNDICE REUNIÃO DE 2009/08/05 JUSTIFICAÇÃO DE FALTA 5 APROVAÇÃO DA ACTA DA REUNIÃO DE 29/07/2009

Leia mais

Instrumentos de Gestão Previsional

Instrumentos de Gestão Previsional Instrumentos de Gestão Previsional Ano 2012 Relatório 1.Introdução Dando cumprimento ao artigo 40º da Lei 53-F/2006 de 29 de Dezembro, a Empresa Municipal, TEGEC Trancoso Eventos, EEM, vem apresentar os

Leia mais

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27 mod. EXP 14.1 Aos vinte e sete dias do mês de Abril do ano de dois mil e nove, reuniu no Salão Nobre dos Paços do

Leia mais

Fls. 1. Fich: EDITAL L - N.º 12 - de 8 de Junho de 2006.doc

Fls. 1. Fich: EDITAL L - N.º 12 - de 8 de Junho de 2006.doc Fls. 1 EDITAL DA REUNIÃO DE CÂMARA DE 8 DE JUNHO DE 2006 CÂMARA Aprovação da acta da reunião ordinária da Câmara Municipal, realizada em 25 de Maio de 2006. -----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

ATA Nº 07/2014 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE QUATRO DE

ATA Nº 07/2014 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE QUATRO DE ATA Nº 07/2014 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE QUATRO DE ABRIL DE 2014. ----------------------------------------------------------------------------- ----- Aos quatro dias do mês

Leia mais

NORMAS E PRINCÍPIOS DE EXECUÇÃO ORÇAMENTAL 2015

NORMAS E PRINCÍPIOS DE EXECUÇÃO ORÇAMENTAL 2015 NORMAS E PRINCÍPIOS DE EXECUÇÃO ORÇAMENTAL 2015 CAPÍTULO I 1 Artigo 1º (Objeto) O presente documento estabelece, sem prejuízo do disposto na legislação em vigor, os princípios, regras e procedimentos aplicáveis

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOUTIM

MUNICÍPIO DE ALCOUTIM MUNICÍPIO DE ALCOUTIM ATA N.º 18/2013 Da reunião pública Ordinária da Câmara Municipal de Alcoutim Realizada em 28 de outubro de 2013 ---------- Aos vinte e oito dias do mês de outubro de dois mil e treze,

Leia mais

ANÁLISE ECONOMICO-FINANCEIRA DA PORTUGAL TELECOM

ANÁLISE ECONOMICO-FINANCEIRA DA PORTUGAL TELECOM Departamento de Engenharia Electrotécnica e de Computadores Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 5.º ANO 1.º SEMESTRE ECÓNOMIA E GESTÃO 2001/2001 2.º TRABALHO ANÁLISE ECONOMICO-FINANCEIRA

Leia mais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL. CAPÍTULO I Disposições Gerais

ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL. CAPÍTULO I Disposições Gerais ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO VODAFONE PORTUGAL CAPÍTULO I Disposições Gerais ARTIGO PRIMEIRO (Natureza) A Fundação Vodafone Portugal, adiante designada abreviadamente por Fundação, é uma instituição de direito

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL

CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL CÂMARA MUNICIPAL DO CRATO EDITAL João Teresa Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal do Crato, em cumprimento do disposto no artigo 91.º da Lei n.º 169/99 de 18 de setembro, torna público que na 27.ª reunião

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO Preâmbulo O Associativismo constitui um esteio importante e singular de intervenção da sociedade civil na realização e prática de atividades de índole cultural,

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIEIRA DO MINHO REGIMENTO INTERNO A lei nº 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Em 31 de Dezembro do ano de 2011 e 31 de Dezembro de 2012, estas rubricas tinham a seguinte composição:

Em 31 de Dezembro do ano de 2011 e 31 de Dezembro de 2012, estas rubricas tinham a seguinte composição: 8.2 Notas ao Balanço e à Demonstração de Resultados As demonstrações financeiras relativas ao exercício de 2012, foram preparadas de acordo com os princípios contabilístico fundamentais previstos no POCAL

Leia mais

EDITAL. --------- Dr. José Artur Fontes Cascarejo, Presidente da Câmara Municipal de Alijó:--------------

EDITAL. --------- Dr. José Artur Fontes Cascarejo, Presidente da Câmara Municipal de Alijó:-------------- 1 EDITAL --------- Dr. José Artur Fontes Cascarejo, Presidente da Câmara Municipal de Alijó:-------------- --------- Nos termos e para efeitos do disposto do número 1 no artigo 91º da Lei nº 5-A/2002,

Leia mais

ESTATUTOS DA AMBISOUSA. Capítulo I Disposições gerais. Artigo 1º Denominação e natureza

ESTATUTOS DA AMBISOUSA. Capítulo I Disposições gerais. Artigo 1º Denominação e natureza ESTATUTOS DA AMBISOUSA Capítulo I Disposições gerais Artigo 1º Denominação e natureza A Ambisousa Empresa Intermunicipal de Tratamento e Gestão de Resíduos Sólidos, EIM (de ora em diante AMBISOUSA) é uma

Leia mais

ESTATUTOS DA APBA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA BLONDE D AQUITAINE

ESTATUTOS DA APBA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA BLONDE D AQUITAINE ESTATUTOS DA APBA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA BLONDE D AQUITAINE CAPÍTULO I ARTIGO PRIMEIRO (Constituição e denominação) Entre os bovinicultores fundadores da presente associação e os que queiram aderir aos

Leia mais

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. --- DATA DA REUNIÃO: Dezassete de julho de dois mil e doze. --------------------------

REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. --- DATA DA REUNIÃO: Dezassete de julho de dois mil e doze. -------------------------- REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE S. JOÃO DA MADEIRA AT A N º 18/2012 - JULHO --- DATA DA REUNIÃO: Dezassete de julho de dois mil e doze. -------------------------- --- LOCAL DA REUNIÃO: Sala das

Leia mais

FREGUESIA DE ALVORNINHA

FREGUESIA DE ALVORNINHA 56 Aos vinte dias do mês de setembro do ano de dois mil e doze, nesta Freguesia de Alvorninha e edifício da Junta de Freguesia, compareceram os Senhores: Presidente Virgílio Leal dos Santos, Secretário

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL LAGOA AÇORES ATA Nº 18/2014 DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA 05 DE SETEMBRO DE 2014. (Contém 9 Folhas)

CÂMARA MUNICIPAL LAGOA AÇORES ATA Nº 18/2014 DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA 05 DE SETEMBRO DE 2014. (Contém 9 Folhas) 1 CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOA AÇORES ATA Nº 18/2014 DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA 05 DE SETEMBRO DE 2014 (Contém 9 Folhas) ESTIVERAM PRESENTES OS SEGUINTES MEMBROS: VEREADORA CRISTINA DE FÁTIMA DA

Leia mais

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8

ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8 ASSEMBLEIA DE FREGUESIA DE ENXAMES ACTA N.º 8 Aos vinte dias do mês de Abril do ano de dois mil e sete, reuniu a Assembleia de freguesia de Enxames não se registando nenhuma falta. Ao iniciar a sessão

Leia mais

1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013

1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013 1.ª REUNIÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA REALIZADA NO DIA 22 DE OUTUBRO DE 2013 A Câmara reconhecendo a urgência de deliberação deliberou, por unanimidade, apreciar o seguinte assunto não incluído na

Leia mais

MANUAL DE APOIO AOS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

MANUAL DE APOIO AOS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS MANUAL DE APOIO AOS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS A prestação de contas é matéria que deve respeitar o quadro normativo em vigor actualmente (consultar nota final deste manual). No POCAL Simplificado,

Leia mais

Aos seis dias do mês de Outubro de dois mil e oito, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do

Aos seis dias do mês de Outubro de dois mil e oito, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos Paços do ACTA N.º 19/08 ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DA PÓVOA DE VARZIM DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Aos seis dias do mês de Outubro de dois mil e oito, pelas dezoito horas, na Sala de Reuniões dos

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2011 1. Análise do Plano Plurianual de Investimentos (PPI) Neste orçamento, o Município ajustou, as dotações para despesas de investimento, ao momento de austeridade que o país

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO CAPÍTULO I

REGULAMENTO FINANCEIRO CAPÍTULO I REGULAMENTO FINANCEIRO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objeto e Âmbito de Aplicação 1. O presente regulamento define as normas relativas à obtenção de rendimentos e realização de gastos, as regras

Leia mais

ACTA N.º 29/2006 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 27 / 12 / 2006 FALTAS JUSTIFICADAS FALTAS INJUSTIFICADAS

ACTA N.º 29/2006 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 27 / 12 / 2006 FALTAS JUSTIFICADAS FALTAS INJUSTIFICADAS CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA DO ALENTEJO ACTA N.º 29/2006 REUNIÃO ORDINÁRIA DE CÂMARA DE 27 / 12 / 2006 PRESENÇAS PRESIDENTE : JOÃO LUIS BATISTA PENETRA VEREADORES : MANUEL ANTÓNIO MENDES FADISTA ANTÓNIO

Leia mais

ESTATUTOS DE MOBITRAL EMPRESA MUNICIPAL MOBÍLIAS TRADICIONAIS ALENTEJANAS, E.M. CAPÍTULO I

ESTATUTOS DE MOBITRAL EMPRESA MUNICIPAL MOBÍLIAS TRADICIONAIS ALENTEJANAS, E.M. CAPÍTULO I ESTATUTOS DE MOBITRAL EMPRESA MUNICIPAL MOBÍLIAS TRADICIONAIS ALENTEJANAS, E.M. CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1.º Denominação personalidade e capacidade jurídica 1 - A empresa adopta a denominação

Leia mais

ESTATUTOS. CAPÍTULO I Disposições gerais

ESTATUTOS. CAPÍTULO I Disposições gerais ESTATUTOS CAPÍTULO I Disposições gerais ARTIGO 1º Forma, denominação e duração 1. A Associação é composta pelos municípios portugueses de Alandroal, Moura, Mourão, Portel, Reguengos de Monsaraz, Serpa

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA NOTA JUSTIFICATIVA A Lei 159/99, de 14 de Setembro, estabelece no seu artigo 19.º, n.º 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os Conselhos locais de Educação. A Lei 169/99, de 18

Leia mais

ATA N.º 96 Mandato 2009-2013. Data da reunião extraordinária: 25-03-2013 Local da reunião: Sala das reuniões da Câmara Municipal de Santarém

ATA N.º 96 Mandato 2009-2013. Data da reunião extraordinária: 25-03-2013 Local da reunião: Sala das reuniões da Câmara Municipal de Santarém REUNIÃO DO EXECUTIVO MANDATO 2009-2013 DE 25-03-2013 133 Data da reunião extraordinária: 25-03-2013 Local da reunião: Sala das reuniões da Câmara Municipal de Santarém Início da reunião: 09,30 horas Términus

Leia mais

ORDEM DO DIA. ------- A Câmara Municipal deliberou, por unanimidade, aprovar as actas apresentadas. ---------------------------

ORDEM DO DIA. ------- A Câmara Municipal deliberou, por unanimidade, aprovar as actas apresentadas. --------------------------- ------------------------------------------------------------------- ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA --------------------------------------------------------------------MUNICIPAL REALIZADA A ONZE DE

Leia mais

Acta da Reunião Ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Figueira Castelo Rodrigo, realizada no dia quatro de Setembro de dois mil e seis.

Acta da Reunião Ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Figueira Castelo Rodrigo, realizada no dia quatro de Setembro de dois mil e seis. Acta da Reunião Ordinária da Câmara Municipal do Concelho de Figueira Castelo Rodrigo, realizada no dia quatro de Setembro de dois mil e seis. ------ Aos quatro dias do mês de Setembro do ano de dois mil

Leia mais