New Wave. Prótese Total de Joelho Rotacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "New Wave. Prótese Total de Joelho Rotacional"

Transcrição

1

2 Eliminando complicações mecânicas iniciais Centro de Rotação Condilar Sistema Central de Estabilização Alta elevação para eliminar qualquer risco de deslocamento. Aprofundado para evitar tensões patelares. Permite estabilidade durante toda a flexão. Longo eixo de rotação. 1

3 Garantindo Flexão Total Posicionamento posterior: reforça a ação do quadríceps; permite uma maior flexão a medida que elimina qualquer risco de contato entre o córtex femural posterior a superfície articular. Centro único de rotação: garante congruência frontal e sagital da extensão completa até uma flexão de 130º. Devido a uma superfície maximizada de contato (maior que 800mm 2 ), as pressões provocadas no polietileno sempre permanecem sob seu limite de resistência. 2

4 Execução dos materiais Um conceito inovador só é eficaz quando associado a materiais testados e a um processo industrial adequado. É por isso que todos os componentes da prótese de joelho New Wave são totalmente testados e selecionado, e todos os estágios do processo cumprem as exigências mais estritas do nosso sistema de garantia de qualidade. 1. Materiais Os componentes femurais e a bandeja tibial são feitos da liga metálica de cobalto, cromo e molibdeno, de acordo com a ISP As superfícies de articulação e os componentes patelares são fabricados de polietileno de densidade ultra alta (UHMWEP), de acordo com a ISO O marco divisório radiológico incluso na superfície de articulação é feito de aço inoxidável, de acordo com o padrão NF Revestimento A superfície dos implantes para cimentação tem um acabamento não polido, obtido por micro-esferas finas. Um processo especial, o aquecimento de compactação isostática, possibilita a eliminação de microporosidade, o que reduz o desgaste da superfície articulatória. A superfície áspera dos implantes para fixação sem cimento é obtida por um jato rarefeito de uma camada de 120 micrômetros de titânio puro (T40). Os parâmetros deste jato e a aplicação desta camada porosa são delimitados para não deteriorarem o substrato. Teste de flexão rotativa que avaliam a resistência do material revestido à fadiga comprovam que somente o Sistema de Aspiração a Vácuo (VPS) é qualificado para respeitar as propriedades da liga cobalto-cromo dos implantes (1). Em uma atmosfera inerte, as propriedades de adesão do titânio são significativamente desenvolvidas pois não há óxidos de titânio entre o substrato de metal e a cobertura porosa. Após a eliminação do pó de titânio que não se encontra junto à camada devido ao jato rarefeito ( com o objetivo de evitar poluição na superfície comum de contato dos dois materiais), toda a superfície que dará suporte ao osso é coberto com uma espessa camada homogênea de aproximadamente 80 micrômetros de hidroxiapatita. 3

5 3. Teste e Validação A qualidade do revestimento na resistência do substrato do metal foi atribuída à prótese por um teste de fadiga em flexão rotativa, segundo os requerimentos do padrão NFA A taxa linear de poluição medida e validada para cada jato rarefeito na superfície comum de revestimento e substrato está de acordo com os requerimentos do padrão NFS A determinação da aspereza na tração das camadas de titânio/hidroxiapatita é medida e validada para cada jato e está de acordo com os requerimentos do padrão NF S As principais características químicas do hidroxiapatita (dosagem de metais pesados, coeficiente Ca/P,...) são determinadas e validadas para cada jato de acordo com os requerimentos do padrão NP S94-065, S e S As maiores cargas possíveis de deformação dos componentes, sob as mais exigentes configurações, são calculadas por uma previsão da resistência do material e então confirmadas até a possível quebra dos componentes da prótese. A bandeja tibial submetida ao teste de fadiga, de acordo com os requerimentos do padrão NF ISO , não apresenta indícios de deformação nem de estar em seu limite máximo de resistência após mais de 10 milhões de ciclos sob uma carga de 380kg. O implante femural, testado de acordo com um modelo original que avalia a resistência à abertura condilar, foi submetido a cargas de até 430kg em mais de 12 milhões de ciclos e não apresentou indícios de deformação ou ruptura. 4. Embalagem e esterilização A esterilização da embalagem final dos implantes obedece os requerimentos da NF EN Implantes metálicos são esterilizados com irradiação gama, de acordo com os padrões NF EN552. Patelas e superfícies de suporte são esterilizadas com óxido de etileno, obedecendo aos padrões NF EN550. (1) Informe de B de 30/09/2003, realizado por CRITT* pesquisa de resistência a fadiga em flexão rotativa e de especificações mecânicas e dimensionais do revestimento por jato rarefeito de titânio, aço inoxidável e substratos cromo-cobalto. 4

6 Preparação Femural - Conjunto do sistema Goldfinger Uma haste centromedular mais curta (200mm de comprimento) está disponível quando a curvatura do fêmur a requer ou em caso de implante précio no quadril. 1. Posicionando o guia de alinhamento Goldfinger Insira a haste intramedular (M) no canal femural A abertura de entrada na margem superior do corte intercondilar deve estar alinhada com o eixo anatômico - Fig. 1. Faça um furo piloto no osso subcondral com uma broca de 8mm - Fig. 2. Alargue o canal medular com uma freza de 10mm para garantir o posicionamento perfeito do guia de alinhamento Goldfinger - Fig. 3. Introduza o guia de alinhamento no eixo da diáfise femural - Fig Ressecção femural distal Insira o Goldfinger e ajuste o disco para o ângulo entre o canal femural e o eixo mecânico (ângulo HKS), determinado pelo planejamento pré-operatório. - Trave nesta posição utilizando o parafuso travador. - Introduza o Goldfinger até que a lâmina esteja em contato com os dois côndilos - Fig. 5. IMPORTANTE: Neste estágio o alinhamento pode ser conferido com a haste de alinhamento extramedular (EM) posicionada no Goldfinger. O alinhamento correto acontece quando a extremidade proximal da haste de alinhamento EM está centrada sobre a cabeça do fêmur. Confira também se o guia está paralelo ao plano sagital do fêmur. Fig. 6. Compare as leituras aos dados do planejamento pré-operatório. Remova o Goldfinger, deixando no lugar apenas o guia de corte distal para a realização da ressecção femural. Fig Disponíveis vários tipos de lâminas de corte. 5

7 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger Hastes intramedulares medindo 200 e 250mm são disponíveis de acordo com o tamanho tibial. 3. Demarcação do ponto de entrada do guia de alinhamento intramedular (IM) Marque o orifício de entrada do canal medular com a ferramenta iniciadora. Ele está localizado perto da junção ACL, alinhado ao eixo anatômico da tíbia no osso subcondral - Fig. 1. Faça um furo piloto com uma broca de 8mm - Fig. 2. Insira uma freza de 8mm no canal medular para garantir o posicionamento perfeito do guia de ainhamento Goldfinger - Fing. 3. Introduza o guia de alinhamento. 4. Posicionamento do guia de alinhamento intramedular Goldfinger com o suporte de penetração tibial no orifício. - Fig. 4 IMPORTANTE: Neste estágio, o alinhamento pode ser conferido com a haste de alinhamento extramedular (EM) posicionada no Goldfinger. O alinhamento correto é atingido quando a extremidade da haste de alinhamento EM está centralizada no ponto médio do eixo bimaleolar. Confira também se a haste está completamente paralela ao plano sagital. 6

8 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger 5. Ajustamento do nível de ressecção no guia de corte tibial no orifício 6. Fixação do guia de corte tibial no orifício com dois pinos Uma correção de mais ou menos 2mmé possível de acordo com a posição do guia de corte nas garras fixas. 7

9 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger 7. Verificação Extensão de abertura utilizando o espaçador. Fig. 1 Eixo mecânico utilizando a haste de alinhamento extramedular. Fig.2 8. Verificando o tamanho do ântero-posterior femural. Fig Posicionamento latero-medial do guia de ressecção femural. Insira 2 pinos de fixação. Fure com uma broca de 5mm - Fig, 4. 8

10 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger 10. Introdução da manivela T Remova os dois pinos - Fig Flexão de abertura Flexione o joelho a 90º. Insira o hemi-espaçador da mesma espessura utilizada para a extensão. Coloque a rotação externa - Fig. 2. AVISO: Neste estágio é importante evitar qualquer risco de rotação interna. 12. Garantindo fixação do guia de ressecção femural. Faça um furo com uma broca de 3,2mm. Fixe o guia com dois parafusos (2 comprimentos de parafuso são disponíveis para evitar qualquer perfuração do córtex femural posterior) - Fig. 3. AVISO: A remoção da manivela T é obrigatória antes da realização das ressecções femurais. 13. Realização de ressecções femurais posteriores e anteriores e ressecções chanfradas 9

11 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger 14. Inserindo a prova femoral Comprima a prótese de teste até que ela esteja perfeitamente encaixada ao fêmur. Fixe a prótese de teste ao fêmur utilizando os parafusos específicos para fixação. 15. Preparando o corte intracondilar com cinzel e osteótomo Osteótomo Cinzel 16. Removendo os dois parafusos de fixação e fazendo os furos para os prendedores femurais 10

12 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger 17. Realização da ressecção chanfrada anterior do corte intracondilar Use o corte feito com o impactador para verificar o encaixe. Bem encaixado Não está bem encaixado 18. Selecionando o tamanho da bandeja tibial Fixe com dois pinos que tenham cabeça. 11

13 Preparação Tibial Componentes do suporte de penetração tibial para o sistema Goldfinger 19. Inserindo os implantes de teste Validação da estabilidade do ligamento. Pegue novamente o aparato extensor. Verifique o eixo. Verifique a extensão completa do joelho. Verifique a estabilidade do ligamento em extensão e flexão - Fig. 1. AVISO: em caso de instabilidade, sempre dê prioridade à estabilidade da extensão versus a estabilidade de flexão. 20. Perfuração do canal medular tibial Para fuirar, coloque a broca cônica dentro do guia de perfuração - Fig Perfuração com a quilha tibial Pressione fortemente o furado com a quilha tibial dentro do guia - Fig

14 Preparação Patelar 22. Marcando o centro funcional da patela Use um cauterizador elétrico para marcar a crista vertical; a esta crista, desenhe uma linha perpendicular no plano médio da patela. Faça um furo com uma broca base e meça a espessura da patela com o indicador de profundidade. 23. Ressecção patelar Guia de ressecção patelar. 24. Furando cada lado do centro funcional no plano vertical 25. Seleção do componente de teste apropriado e avaliação do encaixe 13

15 Cimentação do Implante 2. Superfície de apoio 1. Implante tibial 3. Implante femural 4. Implante patelar CONJUNTO DO IMPACTOR - EXTRATOR FEMURAL DESCONTAMINAÇÃO E LIMPEZA A maioria do material auxiliar foi concebido em blocos únicos ou de forma a serem separáveis para facilitar a limpeza e descontaminação. 14

16

Prótese total de joelho de plataforma móvel

Prótese total de joelho de plataforma móvel Installation du patient Posicionamento do paciente O paciente é posicionado em posição de supino. Coloque duas almofadas: uma na lateral da coxa e uma sob o pé para dar referências ao posicionar o membro

Leia mais

Scorpio NRG CR Liberdade1 Confiança2 Recuperação3

Scorpio NRG CR Liberdade1 Confiança2 Recuperação3 Scorpio NRG CR & PS Protocolo cirúrgico de sistema de joelho primário com raio único Liberdade 1 Confiança 2 Recuperação 3 PR Referenciamento posterior Este documento destina-se apenas ao uso por profissionais

Leia mais

TÉCNICA CIRÚRGICA PRÓTESE TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIO MB V

TÉCNICA CIRÚRGICA PRÓTESE TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIO MB V TÉCNICA CIRÚRGICA PRÓTESE TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIO MB V Sistema para Artroplastia de Joelho META BIO Excelente desempenho biomecânico. Histórico com mais de 10 anos de sucesso. Durabilidade Design da prótese

Leia mais

BCPP TUBE PLATE 95 O. Técnica Cirúrgica. 51.30 - Placa Tubo BCPP - 95 o

BCPP TUBE PLATE 95 O. Técnica Cirúrgica. 51.30 - Placa Tubo BCPP - 95 o BCPP TUBE PLATE 95 O Técnica Cirúrgica 51.30 - BCPP Tube Plate Materiais Titânio - Ti 6Al 4V ELI ASTM F-136 ISO 5832-3 Aço Inoxidável ASTM F-138 ISO 5832-1 Indicações A é indicada para as seguintes fraturas

Leia mais

Com muita história. Nasceu a tecnologia.

Com muita história. Nasceu a tecnologia. Com muita história. Nasceu a tecnologia. Mesmo sendo revolucionário em princípios e design, o Scorpio baseia-se em uma diversidade de princípios biomecânicos da anatomia e fisiologia do joelho. O ponto

Leia mais

TIBIAL LOCKING NAIL. Técnica Cirúrgica 72.30 - Haste Tibial Intramedular

TIBIAL LOCKING NAIL. Técnica Cirúrgica 72.30 - Haste Tibial Intramedular TIBIAL LOCKING NAIL Técnica Cirúrgica 72.30 - Tibial Locking Nail COLABORADORES: Dr. Geraldo Motta Filho MATERIAL: Aço inox NBR ISO 5832-1 Indicações Para fixação intramedular das fraturas da tíbia. Esta

Leia mais

Técnica operacional do sistema de revisão modular

Técnica operacional do sistema de revisão modular Técnica operacional do sistema de revisão modular Conteúdo Razões do design do sistema Securus Linha de implantes Securus 1 Razões do design Securus 2 Contraindicações 3 Avaliações pré-operatórias 4 Preparação

Leia mais

Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão

Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão Roteiro para Instrumentação da Técnica de Parafuso de Compressão O tipo de compressão gerada por um parafuso é designado compressão interfragmentária

Leia mais

Brocas Escalonadas para Telhas Arcos de Pua Garra para Mandril de Arco de Pua Verrumas para Arco de Pua. Verrumas Manuais. Ferros de Pua Mathieson

Brocas Escalonadas para Telhas Arcos de Pua Garra para Mandril de Arco de Pua Verrumas para Arco de Pua. Verrumas Manuais. Ferros de Pua Mathieson Brocas para Madeira Brocas de 3 Pontas Brocas de 3 Pontas para Mourão Brocas para Fibrocimento e Mourão Brocas em Aço Cromo 46 47 48 48 Brocas Escalonadas para Telhas Arcos de Pua Garra para Mandril de

Leia mais

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA

ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS. Técnica Cirúrgica 8.30 - Prótese Femoral Cimentada-ALPHA ALPHA-CEMENTED FEMORAL PROSTHESIS Técnica Cirúrgica 8.30 - ALPHA - Cemented Femoral Prosthesis Prótese Femoral Cimentada ALPHA Colaboradores Dr. Flávio Turíbio Dr. Milton Roos Material INOX ASTM F.138

Leia mais

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril.

Mandrilamento. determinado pela operação a ser realizada. A figura a seguir mostra um exemplo de barra de mandrilar, também chamada de mandril. A UU L AL A Mandrilamento Nesta aula, você vai tomar contato com o processo de mandrilamento. Conhecerá os tipos de mandrilamento, as ferramentas de mandrilar e as características e funções das mandriladoras.

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia

Ortopedia e Traumatologia Ortopedia e Traumatologia Fixação Interna Orthofix A Orthofix é uma companhia reconhecida mundialmente no desenvolvimento de soluções para fixação externa e interna na área de Traumatologia e Ortopedia.

Leia mais

Buco Maxilo Facial. Maxilo Facial GII 1.5 / 2.0 / 2.4

Buco Maxilo Facial. Maxilo Facial GII 1.5 / 2.0 / 2.4 Buco Maxilo Facial Maxilo Facial GII 1.5 / 2.0 / 2.4 Maxilo Facial GII 1.5 / 2.0 / 2.4 Sistema de Buco Maxilo Facial Os princípios biomecânicos da osteossíntese com placas aplicável a mandíbula culminou

Leia mais

Brocas para Concreto. Conjuntos de Brocas para Concreto Conjuntos Combinados Brocas para Furar Vidro Brocas SDS Max Brocas SDS Plus - Speedhammer

Brocas para Concreto. Conjuntos de Brocas para Concreto Conjuntos Combinados Brocas para Furar Vidro Brocas SDS Max Brocas SDS Plus - Speedhammer Conjuntos de Brocas para Concreto Conjuntos Combinados Brocas para Furar Vidro Brocas SDS Max Brocas SDS Plus Speedhammer 37 39 41 41 42 Brocas para Concreto Brocas para furação de paredes de concreto,

Leia mais

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Índice da seção Página Bielas Montagem da biela no pistão... 4 Verificação Instalação... 7 Remoção Torque... 8 Pistões Montagem do pistão na biela... 4 Verificação do desgaste

Leia mais

SDS-MAX SDS-PLUS CINZÉIS PERFURAÇÃO E CINZELADO DE BETÃO RESISTÊNCIA GARANTIDA.

SDS-MAX SDS-PLUS CINZÉIS PERFURAÇÃO E CINZELADO DE BETÃO RESISTÊNCIA GARANTIDA. CINZÉIS SDS-MAX SDS-PLUS PERFURAÇÃO E CINZELADO DE BETÃO www..pt RESISTÊNCIA GARANTIDA. PERFURAÇÃO E CINZELADO DE BETÃO Adquiriu a melhor ferramenta, agora compre o melhor acessório para o seu trabalho

Leia mais

Kit de Montagem de Mastro

Kit de Montagem de Mastro Parabéns pela aquisição do seu novo kit de montagem de mastro! Kit de Montagem de Mastro Manual de Instalação Este kit de montagem de mastro foi concebido para postes com 48 milímetros de diâmetro externo

Leia mais

JOELHO. Introdução. Carla Cristina Douglas Pereira Edna Moreira Eduarda Biondi Josiara Leticia Juliana Motta Marcella Pelógia Thiago Alvarenga

JOELHO. Introdução. Carla Cristina Douglas Pereira Edna Moreira Eduarda Biondi Josiara Leticia Juliana Motta Marcella Pelógia Thiago Alvarenga JOELHO Carla Cristina Douglas Pereira Edna Moreira Eduarda Biondi Josiara Leticia Juliana Motta Marcella Pelógia Thiago Alvarenga Introdução Articulação muito frágil do ponto de vista mecânico e está propensa

Leia mais

VITUS VITUS. Sistema de Haste Femoral Proximal Vitus PF PhD Dr. Axel Probst Dr. Werner Henke

VITUS VITUS. Sistema de Haste Femoral Proximal Vitus PF PhD Dr. Axel Probst Dr. Werner Henke VITUS PhD Dr. Axel Probst Dr. Werner Henke Indicações 1. Indicações para a haste curta Vitus-PF Fraturas da região trocantérica (Tipo 31A1-3, segundo a classificação AO) Fratura transcervical do colo femoral

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Quadril Zimmer (Argentina) Revisão Modular de Quadril O primeiro objetivo de uma revisão de quadril é estabelecer uma fixação, dessa maneira se alivia

Leia mais

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Página CILINDROS... 150 Inspeção e medição... 150 Retificação de cilindros... 150 Acabamento... 151 Limpeza... 151 MANCAIS DE MOTOR... 152 Mancal

Leia mais

Descrição: Prótese Total de Quadril

Descrição: Prótese Total de Quadril QUADRIL IMPORTADO Descrição: Prótese Total de Quadril Marca: Lépine (França). Hastes Femorais Desenho Quadrangular Auto Bloqueante com Longo Recuo de Resultados Clínicos. Opção de Haste com / sem Apoio

Leia mais

REMATO-REDE MULTICÊNTRICA DE. Dra. Iêda Caminha. Instituto Nacional de Tecnologia/INT Centro Coordenador REMATO

REMATO-REDE MULTICÊNTRICA DE. Dra. Iêda Caminha. Instituto Nacional de Tecnologia/INT Centro Coordenador REMATO REMATO-REDE MULTICÊNTRICA DE AVALIAÇÃO DE IMPLANTES ORTOPÉDICOS O E SUAS NECESSIDADES METROLÓGICAS Dra. Iêda Caminha Instituto Nacional de Tecnologia/INT Centro Coordenador REMATO VII Seminário Rio-Metrologia

Leia mais

Micrômetros para Medições de Rebordos de Latas

Micrômetros para Medições de Rebordos de Latas Micrômetros para Medições de Rebordos de Latas Série 147 Para controle preciso de profundidade e espessura em rebordos de latas. Profundidade de rebordo (profundidade maior que 5 mm) 147 103 para latas

Leia mais

Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para :

Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para : JOELHO JOELHO RM do Joelho Possibilita excelente avaliação e análise morfológica, com diferenciação espontânea para : ligamentos, meniscos e tendões músculos, vasos e tecido adiposo osso cortical ( hipointenso

Leia mais

Brocas, buchas e mandris

Brocas, buchas e mandris Brocas, buchas e mandris Para fixação de elementos, cada material exige broca e bucha específicos. Saiba quais são os tipos corretos para cada necessidade Fixações em parede de alvenaria, concreto ou drywall

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO PARA MOEDOR DE CARNE

MANUAL DE OPERAÇÃO PARA MOEDOR DE CARNE MANUAL DE OPERAÇÃO PARA MOEDOR DE CARNE 1-8 1 INTRODUÇÃO Neste manual de operação, você encontrará todas as informações necessárias sobre o equipamento para usá-lo corretamente. Ao adquirir um dos modelos

Leia mais

Conjunto de extracção de implantes

Conjunto de extracção de implantes Traumatologia e Extremidades Ombro Cotovelo Conjunto de extracção de implantes Mão e pulso Manual de extracção de implantes Módulos Um e Dois Anca Pélvis Fémur Tíbia e fíbula Pé e tornozelo Índice Precauções

Leia mais

Laboratório de Controle de

Laboratório de Controle de Laboratório de Controle de Qualidade - LCQ SENAI/CETEMO Eng. Maria Ballestrin Bertarello NBR 15860/2010 Está dividida em duas partes Parte 1 Requisitos de segurança Parte 2 Métodos de ensaios Escopo berços

Leia mais

Acesse: http://fuvestibular.com.br/

Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Esse torno só dá furo! Na aula sobre furação, você aprendeu que os materiais são furados com o uso de furadeiras e brocas. Isso é produtivo e se aplica a peças planas. Quando é preciso furar peças cilíndricas,

Leia mais

tecfix EP quartzolit Adesivo para ancoragem à base de resina epóxi Boletim Técnico tecfix EP quartzolit Pág. 1 de 7

tecfix EP quartzolit Adesivo para ancoragem à base de resina epóxi Boletim Técnico tecfix EP quartzolit Pág. 1 de 7 Pág. 1 de 7 Adesivo para ancoragem à base de resina epóxi 1. Descrição: Produto bicomponente, pré-dosado, à base de epóxi, isento de estireno e não retrátil, disposto em bisnaga com câmaras independentes,

Leia mais

Uso de ferramentas. Um aprendiz de mecânico de manutenção. Ferramentas de aperto e desaperto

Uso de ferramentas. Um aprendiz de mecânico de manutenção. Ferramentas de aperto e desaperto A U A UL LA Uso de ferramentas Um aprendiz de mecânico de manutenção verificou que uma máquina havia parado porque um parafuso com sextavado interno estava solto. Era preciso fixá-lo novamente para pôr

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

Prótese total de joelho com disco móvel estabilizado New Wave Conceitos e resultados em cinco anos de retrospectiva média

Prótese total de joelho com disco móvel estabilizado New Wave Conceitos e resultados em cinco anos de retrospectiva média Prótese total de joelho com disco móvel estabilizado New Wave Conceitos e resultados em cinco anos de retrospectiva média J. L. PRUDHON INTRODUÇÃO Neste artigo, não insistiremos no caminho que conduziu

Leia mais

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA

ANEXO I - DA ESPECIFICAÇÃO DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA ANEXO I - DA DO OBJETO // VALOR DE REFERENCIA GRANDES FRAGMENTOS 1 Parafuso cortical em aço inoxidável antimagnético, diâmetro da rosca de 4,5mm, diâmetro do núcleo de 3,0mm, hexágono interno de 3,5mm

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

Pedus. Técnica Cirúrgica

Pedus. Técnica Cirúrgica Técnica Cirúrgica com cunha 1. Características do produto Estabilidade angular. Orifícios de combinação. Isto torna possível usar parafusos com e sem estabilidade angular. Parafusos e placas de titânio.

Leia mais

T É C N I C A C I R Ú R G I C A ROI-C

T É C N I C A C I R Ú R G I C A ROI-C T É C N I C A C I R Ú R G I C A ROI-C CAGE CERVICAL com tecnologia de Âncoras ertebridge T É C N I C A C I R Ú R G I C A ROI-C CAGE CERVICAL Índice Abordagem cirúrgica e distração... Discectomia e medição

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO OPERACIONAL ITOPR 007- REV 01 Título: EMENDAS EM CORREIAS TRANSPORTADORAS CABO DE AÇO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO OPERACIONAL ITOPR 007- REV 01 Título: EMENDAS EM CORREIAS TRANSPORTADORAS CABO DE AÇO 1- DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA: Catálogos Goodyear, Mercúrio, Contitech 2- MATERIAIS E FERRAMENTAS: 2.1) Materiais: IT Descrição 01 Borracha de ligação, cabos/cobertura 02 Borracha de cobertura inferior e

Leia mais

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo.

Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. Há mais de 30 anos semeando sorrisos no Brasil e, agora, no mundo todo. A Dentoflex vai ainda mais longe A Dentoflex está no mercado odontológico há mais de 30 anos e não para de se reiventar. Para ser

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Índice Introdução 5 Implantes Auto-Rosqueável Inserção Direta ID Auto-Rosqueável Standard STD Auto-Rosqueável Cônico HI Expansor Ósseo Wedge Mini-Implante Ortodôntico Ancodent Provisório

Leia mais

STOL CH 701. 7R3-1 Rear Skin. Note: Tanto o lado superior como o lado inferior do revestimento estão perpendiculares a dobra longitudinal.

STOL CH 701. 7R3-1 Rear Skin. Note: Tanto o lado superior como o lado inferior do revestimento estão perpendiculares a dobra longitudinal. 7R3-1 Rear Skin Note: Tanto o lado superior como o lado inferior do revestimento estão perpendiculares a dobra longitudinal. Manuseia o revestimento Com muita atenção e delicadeza. desta forma você evitará

Leia mais

S o q u e t e s e A c e s s ó r i o s B e l z e r J o g o s d e s o q u e t e s

S o q u e t e s e A c e s s ó r i o s B e l z e r J o g o s d e s o q u e t e s S o q u e t e s e c e s s ó r i o s e l z e r Os soquetes são ferramentas manuais destinadas ao aperto e desaperto de porcas ou parafusos sextavados, conjugados com um acessório. Os soquetes e acessórios

Leia mais

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Índice Capítulo Título Página 1 Informações Gerais 3 2 Segurança 4 3 Especificações Técnicas 5 4 Ferramentas, Instrumentos e Materiais 6

Leia mais

Suporte de Montagem Ajustável em Parede e Suporte Móvel Ajustável para o ēno one. Guia de Instalação

Suporte de Montagem Ajustável em Parede e Suporte Móvel Ajustável para o ēno one. Guia de Instalação Suporte de Montagem Ajustável em Parede e Suporte Móvel Ajustável para o ēno one Guia de Instalação Número de referência: 2002105-014 Rev A 2011 PolyVision Corporation Todos os direitos reservados Suporte

Leia mais

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE

INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS PROCEDIMENTO DE INSTALAÇÃO DA CORRENTE UNP-130408 1 de 6 INSTALAÇÃO, LUBRIFICAÇÃO E MANUTENÇÃO DAS CORRENTES TRANSPORTADORAS A vida útil das correntes transportadoras e elevadoras está diretamente ligada aos cuidados com a instalação, lubrificação

Leia mais

Verano. guarda-sóis manual de troca de corda

Verano. guarda-sóis manual de troca de corda Verano guarda-sóis manual de troca de corda Verano guarda-sóis manual de troca de corda Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de fácil montagem,

Leia mais

Construção. Adesivo epóxi de baixa viscosidade para reparos e injeção em trincas e fissuras estruturais no concreto. Descrição do produto

Construção. Adesivo epóxi de baixa viscosidade para reparos e injeção em trincas e fissuras estruturais no concreto. Descrição do produto Ficha do Produto Edição 22/05/13 Sikadur 43 Adesivo epóxi de baixa viscosidade para reparos e injeção em trincas e fissuras estruturais no concreto Construção Descrição do produto é um adesivo estrutural

Leia mais

Rua do Manifesto, 2216 - Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 2271-3211 www.internacionalferramentas.com.br. Brocas para Concreto. www.irwin.com.

Rua do Manifesto, 2216 - Ipiranga - São Paulo Fone: +55 (11) 2271-3211 www.internacionalferramentas.com.br. Brocas para Concreto. www.irwin.com. Rua do Manifesto, 2 Ipiranga São Paulo Fone: +55 (11) 22713211 www.irwin.com.br Rua do Manifesto, 2 Ipiranga São Paulo Fone: +55 (11) 22713211 FURANDO CONCRETO Furar concreto é uma tarefa muito diferente

Leia mais

Úmero Proximal. Sistema de Placa Úmero Proximal

Úmero Proximal. Sistema de Placa Úmero Proximal Indicações Fraturas de 2, 3 e 4 fragmentos. Fraturas reconstituíveis da cabeça do úmero. Fraturas Patológicas. Indicações especiais tais como Pseudo-artroses e Osteotomias de correção. 1 Propriedades do

Leia mais

7 FURAÇÃO. 7.1 Furadeira

7 FURAÇÃO. 7.1 Furadeira 1 7 FURAÇÃO 7.1 Furadeira A furadeira é a máquina ferramenta empregada, em geral, para abrir furos utilizando-se de uma broca como ferramenta de corte. É considerada uma máquina ferramenta especializada

Leia mais

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001

MS/DATASUS 23/05/2012 10:23:44 E430000001 23/05/2012 10:23:44 Gestor: - Secretaria Estadual da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul Página: 1 PASSO FUNDO COMPLEXIDADE: MEDIA COMPLEXIDADE FINANCIAMENTO: Fundo de Ações Estratégicas e TIPO FINANC:

Leia mais

PROTETIZAÇÃO E TIPOS DE PRÓTESES

PROTETIZAÇÃO E TIPOS DE PRÓTESES PROTETIZAÇÃO E TIPOS DE PRÓTESES PROTETIZAÇÃO (A) OBJETIVOS GERAIS - Independência na marcha e nos cuidados pessoais - Adequação física e emocional quanto ao uso da prótese OBJETIVOS ESPECÍFICOS - Cicatrização

Leia mais

Instalação Concluida. IMPORTANTE: Não solte o conjunto Base-Projetor até que ele esteja. perfeitamente fixado ao suporte.

Instalação Concluida. IMPORTANTE: Não solte o conjunto Base-Projetor até que ele esteja. perfeitamente fixado ao suporte. IMPORTANTE: Não solte o conjunto Base-Projetor até que ele esteja perfeitamente fixado ao suporte. Após ter girado o conjunto inferior alinhando os furos como indicado abaixo, insira o parafuso allen no

Leia mais

2.2. Antes de iniciar uma perfuração examine se não há instalações elétricas e hidráulicas embutidas ou fontes inflamáveis.

2.2. Antes de iniciar uma perfuração examine se não há instalações elétricas e hidráulicas embutidas ou fontes inflamáveis. 1. Normas de segurança: Aviso! Quando utilizar ferramentas leia atentamente as instruções de segurança. 2. Instruções de segurança: 2.1. Aterramento: Aviso! Verifique se a tomada de força à ser utilizada

Leia mais

Índice. Caso 1 Estrutura para telhado duas águas... pag. 3. Caso 2 Estrutura para telhado três ou mais águas (espigão e água furtada)...pag.

Índice. Caso 1 Estrutura para telhado duas águas... pag. 3. Caso 2 Estrutura para telhado três ou mais águas (espigão e água furtada)...pag. Índice Caso 1 Estrutura para telhado duas águas... pag. 3 Caso 2 Estrutura para telhado três ou mais águas (espigão e água furtada)...pag. 11 Caso 3 Estrutura para telhas de fibrocimento e aço...pag. 15

Leia mais

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik

Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik Elementos Táteis de Alerta Linha Dome - Mozaik APRESENTAÇÃO Os elementos táteis Mozaik foram projetados para a sinalização tátil de pisos executados em praticamente quaisquer tipos de materiais de revestimento,

Leia mais

C-Plate PLACA CERVICAL ANTERIOR

C-Plate PLACA CERVICAL ANTERIOR T É C N I C A C I R Ú R G I C A C-Plate PLACA CERVICAL ANTERIOR T É C N I C A C I R Ú R G I C A C-Plate Índice pág. Passo 1 Passo 2 Passo 3 Passo 4 Passo 5 Passo 6 Opção Localização e preparação do segmento

Leia mais

Instruções de Instalação do Rack

Instruções de Instalação do Rack Instruções de Instalação do Rack Revise a documentação que acompanha o gabinete do rack para as informações sobre segurança e cabeamento. Antes de instalar o servidor em um gabinete do rack, revise as

Leia mais

EXAME DO JOELHO P R O F. C A M I L A A R A G Ã O A L M E I D A

EXAME DO JOELHO P R O F. C A M I L A A R A G Ã O A L M E I D A EXAME DO JOELHO P R O F. C A M I L A A R A G Ã O A L M E I D A INTRODUÇÃO Maior articulação do corpo Permite ampla extensão de movimentos Suscetível a lesões traumáticas Esforço Sem proteção por tecido

Leia mais

INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS. MODELO FE 45 CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Ø 45 mm PROFUNDIDADE DE CORTE TIPO DE ENCAIXE CM 2 MEDIDAS DE SEGURANÇA

INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS. MODELO FE 45 CAPACIDADE DE PERFURAÇÃO Ø 45 mm PROFUNDIDADE DE CORTE TIPO DE ENCAIXE CM 2 MEDIDAS DE SEGURANÇA 1 INTRODUÇÃO As Furadeiras de Base Magnética Merax caracterizam-se por serem robustas, porém leves e de fácil transporte. Utilizam qualquer tipo de broca, preferencialmente as brocas anulares. Trabalham

Leia mais

C-EC/U. Porta Comercial de Encosto em caixilho "U

C-EC/U. Porta Comercial de Encosto em caixilho U C-EC/U Porta Comercial de Encosto em caixilho "U A Dânica Doors recomenda que as instruções de montagem contidas neste manual sejam seguidas rigorosamente para que as portas atendam em sua plena funcionalidade.

Leia mais

Retificação cilíndrica

Retificação cilíndrica A U A UL LA Retificação cilíndrica A retificadora cilíndrica universal é uma máquina utilizada na retificação de todas as superfícies cilíndricas, externas ou internas de peças. Em alguns casos, essa máquina

Leia mais

CATÁLOGO DE METROLOGIA

CATÁLOGO DE METROLOGIA CATÁLOGO DE METROLOGIA 1 PAQUÍMETRO PAQUÍMETRO UNIVERSAL PAQUÍMETRO UNIVERSAL (MD) capacidade LEITURA 141-112 0-150mm / 0-6 0,02mm / 0,001 141-113 0-150mm / 0-6 0,05mm / 1/128 141-114 0-200mm / 0-8 0,02mm

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

Estruturas de serrotes para metais

Estruturas de serrotes para metais Serração Serras alternativas As máquinas de serração e as serras RIDGID foram desenvolvidas por profissionais para profissionais. Quaisquer que sejam as suas exigências em questões de serração, o programa

Leia mais

Prótese de Joelho (Sistema para Artroplastia de Joelho) Manual do Usuário - Implantes

Prótese de Joelho (Sistema para Artroplastia de Joelho) Manual do Usuário - Implantes Prótese de Joelho (Sistema para Artroplastia de Joelho) Manual do Usuário - Implantes Descrição As Próteses de Joelho Scorpio TS compreendem componentes femorais e patelares, bandejas tibiais, inserções

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

Serviços/Educação JRI. Atendimento de suporte. Financiamento de pesquisas. Verificações de estoque de remessa:

Serviços/Educação JRI. Atendimento de suporte. Financiamento de pesquisas. Verificações de estoque de remessa: Serviços/Educação JRI Financiamento de pesquisas Treinamento de profissionais de enfermagem Visitas à fábrica Cursos da Furlong Hip Atendimento de suporte Verificações de estoque de remessa: s Instrumentos

Leia mais

Instruções de Instalação do Rack

Instruções de Instalação do Rack Instruções de Instalação do Rack Revise a documentação fornecida com o gabinete do rack para obter informações de segurança e cabeamento. Antes de instalar o servidor em um gabinete do rack, revise as

Leia mais

Instrução de Montagem e de Regulagem

Instrução de Montagem e de Regulagem Instrução de Montagem e de Regulagem A ser guardada pelo usuário! Indicadores de posição da nova geração ÍNDICE DO CONTEÚDO Legenda 3 Indicações de Segurança 4 SWITCHmaster -Montagem e Regulagem dos Cames

Leia mais

Parafusos do cubo R10 Parafusos da tampa TAMANHO. Tamanho Torque de aperto

Parafusos do cubo R10 Parafusos da tampa TAMANHO. Tamanho Torque de aperto Acoplamento Falk Wrapflex Instalação e manutenção Tipos R10, R31, R35 Tamanhos 2 a 80 (Pág. 1 de 8) TIPO R10 TIPO R35 1 Montagem dos cubos BE Cubos R10 ESPAÇAMENTO TIPO R31 Cubos do eixo R31/R35 (R31)

Leia mais

www.meccomeletronica.com página 1

www.meccomeletronica.com página 1 Nem só o padeiro faz roscas Furação A furação é um processo de usinagem que tem por objetivo a geração de furos, na maioria das vezes cilíndricos, em uma peça, através do movimento relativo de rotação

Leia mais

Sistema de Paredes Trevo Drywall

Sistema de Paredes Trevo Drywall Nome da Empresa DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Endereço Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte - CE - CEP 63045-010 Tel/Fax (88)

Leia mais

Propriedades dos Materiais CAP 3

Propriedades dos Materiais CAP 3 Universidade Federal do Ceará Resistência dos Materiais I Propriedades dos Materiais CAP 3 Profa. Tereza Denyse de Araújo Março/2010 Roteiro de aula Ensaio de Cisalhamento Ensaio de Torção Falhas de Materiais

Leia mais

Solares. guarda-sóis manual de troca de corda

Solares. guarda-sóis manual de troca de corda Solares guarda-sóis manual de troca de corda Solares guarda-sóis manual de troca de corda Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de fácil montagem,

Leia mais

C A T Á L O G O D E P R O D U T O S FIXADORES EXTERNOS

C A T Á L O G O D E P R O D U T O S FIXADORES EXTERNOS C A T Á L O G O D E P R O D U T O S FIXADORES EXTERNOS A CPMH A empresa CPMH foi fundada 2010 e está entre as empresas especializadas que oferecem pesquisa, desenvolvimento e fabricação de instrumental

Leia mais

Construção. Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação. Características / Vantagens. Testes. Dados do Produto.

Construção. Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação. Características / Vantagens. Testes. Dados do Produto. Ficha de Produto Edição 02/09/2010 Identificação n 02 04 01 04 001 0 000001 Sikadur 30 Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação Características / Vantagens Testes Sikadur

Leia mais

DIÂMETRO ÓSSEO. Prof.Moisés Mendes

DIÂMETRO ÓSSEO. Prof.Moisés Mendes DIÂMETRO ÓSSEO INTRODUÇÃO CONCEITO: É definido pela menor distância entre duas extremidades ósseas. FINALIDADES: São usadas para determinar a constituição física,para fins ergonômicos,para fins de assimetria

Leia mais

T2 - SISTEMA DE HASTES TIBIAIS STRYKER (SISTEMA PARA FIXAÇÃO INTRAMEDULAR) INSTRUÇÕES DE USO IMPLANTES

T2 - SISTEMA DE HASTES TIBIAIS STRYKER (SISTEMA PARA FIXAÇÃO INTRAMEDULAR) INSTRUÇÕES DE USO IMPLANTES T2 - SISTEMA DE HASTES TIBIAIS STRYKER (SISTEMA PARA FIXAÇÃO INTRAMEDULAR) BREVE DESCRIÇÃO INSTRUÇÕES DE USO IMPLANTES Os implantes Stryker Trauma são dispositivos de um só uso são elaborados para a fixação

Leia mais

ART SHINGLE - TELHA DE MADEIRA

ART SHINGLE - TELHA DE MADEIRA ART SHINGLE - TELHA DE MADEIRA As Telhas de Madeira Art Shingle, além da resistência mecânica e durabilidade, tem como principais características, proporcionar beleza e excelente conforto térmico e acústico

Leia mais

TERMO DE CONTRATO Nº 097/2014 AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL MB OSTEOS COM. E IMP. DE MATERIAL MÉDICO LTDA

TERMO DE CONTRATO Nº 097/2014 AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL MB OSTEOS COM. E IMP. DE MATERIAL MÉDICO LTDA TERMO DE CONTRATO Nº 097/2014 PREGÃO Nº: 025/2014 PROCESSO Nº: 2014-0.024.689-6 CONTRATANTE: AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL CONTRATADA: MB OSTEOS COM. E IMP. DE MATERIAL MÉDICO LTDA CNPJ Nº: 58.850.728/0001-92

Leia mais

Parafuso de Interferência Bio-Absorvível

Parafuso de Interferência Bio-Absorvível Parafuso de Interferência Bio-Absorvível DESCRIÇÃO Os Parafusos de Interferência Bio-Absorvíveis são usados para fixação de ligamentos e tendões em intervenções cirúrgicas reparadoras dos ligamentos e

Leia mais

2 Montagem do Eixo X

2 Montagem do Eixo X 2 Montagem do Eixo X Lista de componentes Eixo X 2 x Haste lisa cromada Ø 8 mm x 370 mm 4 x Parafuso M3 x 10 mm - DIN-912 classe 8.8 preto 2 x Parafuso M3 x 16 mm - DIN-912 classe 8.8 preto 2 x Parafuso

Leia mais

Automatização para janelas maxim-ar e de tombar

Automatização para janelas maxim-ar e de tombar Automatização para janelas maxim-ar e de tombar Distribuído por Somfy Brasil www.somfy.com.br A Mingardi é uma empresa do grupo Somfy International, líder mundial em automatização de sistemas de aberturas

Leia mais

Calu Indústria de Equipamentos Odontológicos. Mail: caluodontologicos@hotmail.com Site: www.caluodontologicos.com.br MANUAL DE GARANTIA

Calu Indústria de Equipamentos Odontológicos. Mail: caluodontologicos@hotmail.com Site: www.caluodontologicos.com.br MANUAL DE GARANTIA Calu Indústria de Equipamentos Odontológicos Rua Lídia Monteiro Silva, 346 - Jd. Regina - Araraquara SP - Fone: (16) 3322.1467 3322.7811 Mail: caluodontologicos@hotmail.com Site: www.caluodontologicos.com.br

Leia mais

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Os discos de corte e desbaste são produzidos e controlados com rigor, sendo submetidos a testes internos que objetivam a reprodução da qualidade lote

Leia mais

Pedra Natural em Fachadas

Pedra Natural em Fachadas Pedra Natural em Fachadas SELEÇÃO, APLICAÇÃO, PATOLOGIAS E MANUTENÇÃO Real Granito, S.A. Índice Características típicas dos diferentes tipos de Rochas Ensaios para a caracterização de produtos em Pedra

Leia mais

Instruções de Instalação do Rack

Instruções de Instalação do Rack Instruções de Instalação do Rack Revise a documentação fornecida com o gabinete do rack para obter informações de segurança e cabeamento. Antes de instalar o servidor em um gabinete do rack, revise as

Leia mais

Movimentos da articulação do joelho. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Movimentos da articulação do joelho. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Movimentos da articulação do joelho Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Introdução Uma das mais complexas articulações do corpo humano. É composta por 3 articulações: 1. entre os côndilos mediais

Leia mais

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO

VEMAQ 10-1 - CARACTERÍSTICAS CONSTRUTIVAS 1.1 - APRESENTAÇÃO Equipamento: COLETOR COMPACTADOR DE LIXO 10 m³ Modelo : CCL-10 Aplicação: Coleta de resíduos domésticos e/ou industriais,selecionados ou não Fabricante: VEMAQ - Indústria Mecânica de Máquinas Ltda 1 -

Leia mais

INSTRUÇÕES DE USO DE PRODUTOS MÉDICOS KIT INSTRUMENTAL PARA HASTES INTRAMEDULARES BIOMET TRAUMA

INSTRUÇÕES DE USO DE PRODUTOS MÉDICOS KIT INSTRUMENTAL PARA HASTES INTRAMEDULARES BIOMET TRAUMA Nome Técnico: KIT INSTRUMENTAL INSTRUÇÕES DE USO DE PRODUTOS MÉDICOS NOME COMERCIAL: Kit Instrumental para Hastes Intramedulares- Biomet Trauma Fabricado por: Importado e Distribuído por: EBI, L.P (d/b/a

Leia mais

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS

DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS DEFEITOS ÓSSEOS EM ARTROPLASTIA TOTAL DE JOELHO PRIMÁRIA ENXERTIA AUTÓLOGA x CUNHAS METÁLICAS Por Paulo Alencar # e Rogério Fuchs * # Cirurgião Ortopedista, médico do Hospital de Clínicas da UFPR, em Curitiba,

Leia mais

TOOLS NEWS. Corpo de alta rigidez desenvolvido com tecnologia de ponta. Disponível em comprimentos de 2 ~ 6xD B202Z. Broca intercambiável MVX

TOOLS NEWS. Corpo de alta rigidez desenvolvido com tecnologia de ponta. Disponível em comprimentos de 2 ~ 6xD B202Z. Broca intercambiável MVX TOOLS NEWS Atualiz. 2014.7 B202Z Broca intercambiável Novo quebra-cavaco US Corpo de alta rigidez desenvolvido com tecnologia de ponta. Disponível em comprimentos de 2 ~ 6xD Broca intercambiável 4 arestas

Leia mais

Furação NOMENCLATURA A B C D E F G H I J K L M N O P Q

Furação NOMENCLATURA A B C D E F G H I J K L M N O P Q NOMENCLATURA A B C D E F G H I J K L M N O P Q Comprimento Total Haste Corpo Extremidade cônica neste comprimento Largura do Campo Largura das Costas Ângulo da Ponta Aresta Principal de Corte Diâmetro

Leia mais

Crescendo com Você. Montagem de Sistemas

Crescendo com Você. Montagem de Sistemas Crescendo com Você Montagem de Sistemas Estocagem Armazene as chapas em local seco e abrigado. Transporte as chapas de duas em duas. Transporte as chapas na posição vertical. Os calços devem ter 5 cm de

Leia mais

Catálogo de Produtos. Imagens ilustrativas Rev 04/2015. Implantes Odontológicos

Catálogo de Produtos. Imagens ilustrativas Rev 04/2015. Implantes Odontológicos Catálogo de Produtos Imagens ilustrativas Rev 04/2015 Implantes Odontológicos R Superfície ativa ImplantNews 2014; 11(1):36-39 Caracterização da superfície do implante dental Titaoss Plataforma Switching:

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. Dome fixo AXIS T90C10 IR-LED. Dome fixo AXIS T90C20 IR-LED PORTUGUÊS

GUIA DO USUÁRIO. Dome fixo AXIS T90C10 IR-LED. Dome fixo AXIS T90C20 IR-LED PORTUGUÊS GUIA DO USUÁRIO Dome fixo AXIS T90C10 IR-LED Dome fixo AXIS T90C20 IR-LED PORTUGUÊS Medidas de segurança Leia com atenção este guia de instalação até o final antes de instalar o produto. Guarde o guia

Leia mais

Transformadores compactos para soldagem manual

Transformadores compactos para soldagem manual Transformadores compactos para soldagem manual Manual do usuário e peças de reposição Referência Bantam Brasil 50 0/0 V - 60 Hz 006680 A ESAB se reserva o direito de alterar as especificações sem prévio

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort Amanco Ramalfort Desenho e Dimensões Os tubos Amanco Ramalfort foram desenvolvidos para condução de água no trecho compreendido entre o ponto de derivação da rede de distribuição de água e o kit cavalete

Leia mais