Top Executive Compensation de agosto de 2010 Leonardo Salgado Olavo Chiaradia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Top Executive Compensation 2010. 19 de agosto de 2010 Leonardo Salgado Olavo Chiaradia"

Transcrição

1 Top Executive Compensation de agosto de 2010 Leonardo Salgado Olavo Chiaradia

2 Agenda 9h15 Abertura Alexandre Fialho, Diretor Hay Group 9h30 Top Executive Compensation Brasil 2010 Leonardo Salgado, Consultor Olavo Chiaradia, Consultor 11h00 Perguntas e respostas 11h30 Encerramento 2007 Hay Group. All Rights Reserved 2

3 Cenário Brasil Economia brasileira em crescimento Investimentos em infra estrutura; PIB projetado para o ano de 7%; Foco de investimento internacional. Continuam as consolidações setoriais Governança Corporativa Transparência Novas regras de Disclosure; Sustentabilidade - Triple bottom line Hay Group. All Rights Reserved 3

4 Top Executive Compensation Brasil 2010

5 Histórico Top Exec 2002 a % Número de empresas / ano Hay Group. All Rights Reserved 5

6 Informações Gerais do Estudo Amostra 256 empresas (+13%) 86 novas empresas 28 cargos executivos executivos (+ 16%) 171 CEOs e Presidentes de Subsidiárias (+6%) 2007 Hay Group. All Rights Reserved 6

7 Informações Gerais do Estudo Origem de Capital Nacionais 54% 46% Estrangeiras 7

8 Informações Gerais do Estudo Vendas Anuais em US$ Até 200 Milhões 21% 50% Acima de 1 Bilhão 29% 200 Milhões a 1 Bilhão 8

9 Informações Gerais do Estudo Número de Funcionários Até 300 Acima 5 mil 30% 16% 1501 mil até 5 mil 29% 25% 301 até 1500 mil 9

10 Informações Gerais do Estudo Setores % de empresas % em relação Industria de base Indústria Geral Serviços Infraestrutura Agronegócios Comércio/Varejo Siderurgia Consumo Saúde Elétrico Defensivos Hiper/Super Metalurgia Montadoras Comunicação Telecom Sucroalcoleiro Home Center Mineração Auto Peças Transporte Rodovias Sementes Distribuição Químico Farmacêutico Logística Gás Natural Pecuário Petroquímico Eletroeletrônico Call Center Limpeza urbana Papel/Celulose Máquinas Pesquisas Cimentos Equipamentos 2007 Hay Group. All Rights Reserved 10

11 Informações Gerais do Estudo Base das informações Salário Base: Maio 2010 Incentivos de Curto Prazo pagos entre Jun/09 e Mai/10 Incentivos de Longo Prazo concedidos entre Jun/09 e Mai/ Hay Group. All Rights Reserved 11

12 Conceitos de Remuneração 12

13 Resultados do Estudo Top Executive Compensation Survey Brasil 2010

14 Contexto Econômico Variação do PIB em relação ao mesmo período do ano anterior Fonte: revista Exame Julho/10 Estamos em um novo ciclo de crescimento? ,00% 7,2% 7,1% Ano 5,30% 5,40% 5,60% 6,20% 5,8% 6,10% 6,80% Vendas -10,3% Lucro + 19,7% 6,1% 5,1% 4,3% 0,80% 1st Q 2nd Q 3rd Q 1st Q 2nd Q 3rd Q 4th Q 1st Q 2nd Q 3rd Q 4th Q 4th Q 1st Q 2nd Q 3 rd Q 4 th Q -1,60% -2,10% -1,22% FORECAST SOURCES: IBGE LCA 14

15 Impactos deste cenário em Remuneração 15

16 Bases para análise Usaremos três estratos para analisar o mercado Mercado Geral: Todas as 256 empresas Governança Corporativa Mercado Executivo Hay: 92 empresas Selecionadas Evolução da Remuneração Mesmas Empresas: 170 empresas que participaram deste estudo em 2009 Comparações setoriais 16

17 O que aconteceu com os salários

18 Movimentação de Mercado Mediana * Mercado Hay Group Executivo 92 empresas Evolução do Salário Base nos últimos 3 anos Nível CEO e Presidente de Subsidiária 4,4% - 2,2% 7,0% Demais Executivos (VPs e Diretores) 5,9% 2,5% 3,4% Média desde 2004 Nível CEO e Presidente de Subsidiária Demais Executivos (VPs e Diretores) SB 4,5% 6,3% 2007 Hay Group. All Rights Reserved 18

19 Movimentação de Mercado Mediana * Mercado Hay Group Executivo 92 empresas Salário Base Demais Executivos % por Grade Hay 4,6 5,3 A Movimentação do Mercado não é Linear!! 4,9 2,9 0,7 Média Ponderada ,6 Nível Demais Executivos (VPs e Diretores) SB 3,4% 19

20 Análise de Remuneração por Setor Salário Base Mercado Geral Hay (todas as empresas) 107% 103% 100% 98% 96% Mercado Geral Executivo = 100% 95% 92% 84% Capital Intensivo Consumo Químico / Petroquímico Elétrico Comércio Telecom/Tecnologia Oper. Não Industriais Montadoras e Autopeças 20

21 Evolução Salarial por Cargo Mesmas empresas (2010 / 2009) Mesmos ocupantes (Mediana 2010 x Mediana 2009) Cargo VP / Diretor de Vendas VP / Diretor de TI VP / Diretor Logística e Suprimentos VP / Diretor Financeiro VP / Diretor RH VP / Diretor Industrial Salário Base 13% 12% 12% 11% 11% 11% 21

22 CEOs e Presidentes Mesmos Ocupantes x Promovidos ao cargo x Contratados no Mercado Mesmos Ocupantes Promovidos Contratados CEOs e Presidentes 66% 23% 11% Em relação aos mesmos ocupantes Movimentação do Salário Base 12% -3,4% 16% 22

23 Em resumo Fim do congelamento salarial no mercado; A prevalência de ajuste salarial (64%) para os Executivos continua a ocorrer em um mês diferente da data-base da empresa; A evolução salarial 2010 x 2009 reflete o impacto da crise nos salários dos Executivos. As decisões de aumento salarial devem considerar além da movimentação de mercado, as práticas da organização durante o período da crise; No nível Executivo o salário apresenta pouca diferenciação por setor econômico; As diferenças de evolução salarial por cargo são significativas e refletem a relação de oferta x demanda Hay Group. All Rights Reserved 23

24 Benefícios insert client logo

25 Benefícios Estabilidade nos benefícios tradicionais Prevalência: Previdência privada: 95% Automóvel: 87% para CEO / Presidente / 79% para Diretores Redução da concessão de Blindagem 65% para o CEO / Presidente 23% para Diretores 2007 Hay Group. All Rights Reserved 25

26 O que aconteceu com os incentivos

27 Movimentação de Mercado Mediana Mercado Hay Group Executivo 92 empresas Junho 2009 a Maio 2010 Nível CEO e Presidente de Subsidiária Demais Executivos (VPs e Diretores) Total em Dinheiro 5,9% 0,5% Remuneração Direta (ILP) 7,8% 2,5% Evolução Média (Junho/04 Maio/09) Nível CEO e Presidente de Subsidiária Demais Executivos (VPs e Diretores) Total em Dinheiro 4,9% 8,2% Remuneração Direta (ILP) 3,8% 5,3% 27

28 ICP Todos Executivos Alvo e Pago Evolução 2010 x 2009 x 2008 Mercado Hay Group Executivo 92 empresas Em # Salários Ano 2010 x x 2008 ICP Pago -13,4% 12,3% ICP Alvo -4,4% 8,5% Evolução # Salários ICP Pago 7,69 8,64 7,47 ICP Alvo 7,8 8,46 8,09 28

29 Incentivos de Curto Prazo Pago PLR + Bônus Múltiplo de Salários (Mediana) Mercado Não Executivos ,2 4,7 4,2 4,5 2,5 2,8 2,9 2,8 2,9 3,3 1,4 1,4 1,5 1,4 1,8 Profissional Gerência Alta Gerência 29

30 Top Executive Compensation 2010 Diretores Mercado Geral Hay (todas as empresas) Bônus Pago 2010 por cargo Apresentado com % salário anual Menores Maiores Cargo CEO CFO VP / Diretor Agrícola / Florestal VP / Diretor Unidade de Negócios Cargo VP / Diretor Planejamento Estratégico VP / Diretor Suprimentos VP / Diretor Técnico VP / Diretor de Auditoria Média ICP % do SB 108% 82% 71% 61% Média ICP % do SB 43% 43% 42% 39% 30

31 Incentivos de Curto Prazo Target Comparativo Global - Diretores Fonte: Demais Países - Hay Group PayNet Internacional % Salário Base Anual P50 60% 53% 50% 40% 35% 39% 40% 35% 30% 20% 10% 30% 29% 30% 29% 25% 22% 21% 20% 20% 20% 17% 17% 14% 9% 10% 9% 7% 9% 7% 0% * BRIC * * * Executive Manager Professional Brasil Russia India China Germany France UK USA 31

32 ICP Pago por Origem de Capital Mercado geral Hay (todas as empresas) Brasileiras x Estrangeiras Número de Salários por ano 29% 57% 57% Valor em Reais por ano 53% 84% 81% Maiores bônus em 2010 Mineração Produtos Consumo Engenharia / Construção Civil Menores bônus em 2010 Farmacêutico Químico Automotivo 2007 Hay Group. All Rights Reserved 32

33 Evolução do Total em Dinheiro Por Cargo Mesmas empresas (2010 / 2009) Mesmos Ocupantes (Mediana 2010 x Mediana 2009) Cargo Salário Base Total em Dinheiro Total em Dinheiro Alvo VP / Diretor Vendas 13% 37% 18% VP / Diretor TI 12% 12% 19% VP / Diretor Logística e Suprimentos 12% 19% 13% VP / Diretor Financeiro 11% 19% 17% VP / Diretor RH 11% 18% 18% VP / Diretor Industrial 11% 18% 18% 33

34 Análise de Remuneração por Setor Total em Dinheiro Alvo Mercado Geral Hay (todas as empresas) Mercado Geral 104% 103% 100% 98% 96% 96% 95% Executivo = 100% 72% Capital Intensivo Químico / Petroquímico Comércio Consumo Telecom/Tecnologia Elétrico Oper. Não Industriais Montadoras e Autopeças 34

35 Análise de Remuneração por Setor Total em Dinheiro Pago Mercado Geral Hay (todas as empresas) 110% 106% 101% 99% 97% 91% 89% Mercado Geral Executivo = 100% 69% Consumo Químico / Petroquímico Capital Intensivo Elétrico Comércio Oper. Não Industriais Telecom/Tecnologia Montadoras e Autopeças 35

36 Incentivos de Curto Prazo Diferenças por Macro Setores Mercado Geral Hay (todas as empresas) ICP médio pago 2010 x ICP médio pago 2009 Setor Produto Consumo Duráveis Papel e Celulose Serviços Telecom / TI Cimento e Material Construção Comunicação Variação ICP 2010 x % 104% 100% -49% -43% -17% 36

37 Análise do Total em Dinheiro Setores (queda / 2009, recuperação / 2010) 37

38 Análise do Total em Dinheiro Setores (queda / 2009 e viés de alta 2010) 38

39 Análise do Total em Dinheiro Setores (crescimento / 2009, queda / 2010) 39

40 Análise do Total em Dinheiro Setores com tendência 2009 mantida em

41 Gatilhos para pagamentos de bônus Empresas que têm gatilho para pagamento de Bônus: 55% Observa-se um crescimento em relação a 2009 de 66% Destas empresas: A prevalência no gatilho é lucro e EBITDA Tanto a mediana quanto a moda para disparar o gatilho é de 80% do alvo (meta para o ano) 41

42 Em resumo Leve desaceleração do ICP alvo em múltiplos de salários; A crise ensinou que gatilhos para pagamento de bônus são necessários e o mercado os incorporou rapidamente; Transferência de parte da oportunidade de ganho de curto prazo para o longo prazo, parece que o teto de ICP pode estar próximo; O desempenho setorial tem uma correlação forte com a capacidade de se atingir e/ou superar o alvo de ICP. 42

43 E os incentivos de longo prazo 43

44 Evolução nas práticas de Incentivos de longo Prazo (ILP) Mercado Hay Group Executivo 92 empresas % de Empresas com ILP % % % NACIONAIS 45% 55% Número de elegíveis aumentou 12% em 2010 ESTRANGEIRAS 44

45 Concessão por Origem de Capital Como % salário base anual - Diretores Estrato de empresas que praticam ILP Representa 40% das empresas do mercado Geral 140% 132% 120% 100% 80% 83% 111% 60% 40% 20% 31% 49% 8% 9% 30% 48% 16% 17% 45% 0% Brasileiras Americanas Europeias Q1 Mediana Q3 P90 45

46 Concessão por Tipo de Capital Como % salário base anual - Diretores Estrato de empresas que praticam ILP Representa 40% das empresas do mercado Geral 140% 120% 121% 100% 80% 60% 40% 20% 41% 51% 16% 19% 17% 37% 85% 0% Capital Fechado Capital Aberto Q1 Mediana Q3 P90 46

47 Evolução dos modelos de ILP 2004 x % 70% 67% 60% 55% 50% 40% 30% 20% 10% 24% 30% 15% 12% 20% 0% Stock Options Restricted Stock Bônus Diferido Performance Share

48 Capital Aberto x Fechado Comparativo Remuneração Capital Aberto x Fechado SB TD Pago TD Alvo RD (inclui ILP) 2010 X % 26% 27% 40% Comparativo por Tipo de Capital 2010 x x 2009 Abertas Fechadas Concessão de ILP em valor absoluto 112% -19% 48

49 Mix de Remuneração - Evolução Mercado Hay Group Executivo 92 empresas % 17% 14% 20% % 30% 27% % 49% 56% 53% ILP ICP SB 2007 Hay Group. All Rights Reserved 49

50 Em resumo Crescimento significativo tanto no número de participantes quanto no número de empresas com planos de ILP; O mercado está indo além do Stock Options, para equilibrar melhor a equação (retenção x incentivo); A migração de ICP para ILP neste último ano reflete uma ênfase na criação de valor e questões de retenção; Os programas de longo prazo se consolidam como uma parcela significativa da remuneração executiva. 50

51 Remuneração de Conselho insert client logo

52 Governança Corporativa Empresas com Conselho de Administração: % Companhias Abertas 15% S.A. não listadas - 20% Mercado tradicional 8% Nível 2-23% Nível 1 34% Novo mercado Cargos Pesquisados Presidente de Conselho Conselheiro Independente: contratado por meio de processos formais, com escopo de atuação bem definidos, sem vínculo societário Conselheiro Externo: não tem vínculo societário, pode ser caracterizado por Ex- Diretores, Advogados que prestam serviço à empresa e Diretores do Grupo Controlador Conselheiro Interno: Executivo da empresa 2007 Hay Group. All Rights Reserved 52

53 Modelo de Atuação de Conselheiros Presidente de Conselho e Conselheiros Independentes / Externos Dedicação Parcial / Significativa Dedicação Integral Uma ou mais reuniões por mês, participa em todas as reuniões Além da participação nas reuniões, acompanham a implementação das decisões estratégicas e, em muitos casos, têm uma dedicação semelhante à de um Executivo 2007 Hay Group. All Rights Reserved 53

54 Resultados Gerais NÃO ACIONISTAS - Dedicação Significativa / Parcial Membro 3º Quartil Mediana 1º Quartil Média Presidente de Conselho Conselheiro independente / externo Em relação à ,2% +20% +23,3% +33,6% ACIONISTAS - Dedicação Significativa / Parcial Membro 3º Quartil Mediana 1º Quartil Média Presidente de Conselho Conselheiro independente / externo Hay Group. All Rights Reserved 54

55 Conselheiro Independente - Comparativos Nível Governança Faixas de Faturamento 107% 109% Mediana Mercado 91% 84% Mediana Mercado 90% Nivel 1,2, NM Outras Acima de US$ 1 Bi De US$ 201 MM a US$ 1 Bi Até US$ 200 MM 2007 Hay Group. All Rights Reserved 55

56 Pontos de Interesse Tamanho do CAD: em média formado por 9 membros, onde: Acionista/Shareholder = 24% Conselheiro Externo = 30% Conselheiro Interno = 28% Conselheiro Independente = 18% Na maioria das empresas, as reuniões são mensais e duram 4h; Tivemos um crescimento de 67% na frequência de Conselheiros; A duração do mandato mais encontrada é de 2 anos (37%); Práticas de ICP e ILP são raras para esta população (< 9%); Em mais da metade da amostra (53%), os Conselheiros Independentes estão livres para participar em outros Conselhos Hay Group. All Rights Reserved 56

57 Perspectivas 2011

58 O que podemos esperar Remuneração está definitivamente na agenda dos Boards: Aumentos salariais acima da inflação (recuperação); ICP: deve permanecer com o atual nível de oportunidade e; Acreditamos que as empresas remunerem mais do que em 2010; Crescimento da demanda por blindagem / retenção. Continuar a migração da remuneração do curto para o longo prazo em função de: Diferimento de bônus; Concessão de Longo Prazo (múltiplos planos); Planos de Retenção (blindagem) Hay Group. All Rights Reserved 58

59 2010: Um ano de recuperação 2007 Hay Group. All Rights Reserved 59

60 2011: Um ano de expansão 2007 Hay Group. All Rights Reserved 60

61 Perguntas

62 Agradecimentos Equipe RIS ALAN ALEXANDRE ANDRE ANDREA ANTONIO CARLOS DANIEL DANIELA AMORIM DANIELA CARVALHO DIEGO FURTADO DIEGO MARTINS DIEGO VIEIRA FABIO ALVES FABIO FORCASSIM FABRIZIO GLAUCO GUILHERME GUSTAVO HENRIQUE ISABELA LUCIMAR MAIRA PAULA RAFAEL ABREU RAPHAEL HENRIQUE RAQUEL RENATO AIALA RENATO AREIAS RENATO LUZZI insert client logo RODOLFO RODRIGO ROLAND RONALDO THIAGO VINICIUS VIVIEN WALTER

63 O relatório completo do estudo será disponibilizado e enviado aos participantes a partir de 15 de setembro de 2010 Esta apresentação estará disponível no site Nos vemos no Top Exec 2011!

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015

TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 TENDÊNCIAS E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS 2015 CONTEÚDO 1. Como estamos até agora? 2. O que vem por aí... 3. Prioridades do RH para 2015 4. Nossa visão de 2015 01 COMO ESTAMOS ATÉ AGORA? PERFIL DOS PARTICIPANTES

Leia mais

Nossos serviços e práticas

Nossos serviços e práticas Ferramentas online para identificação de características da liderança Nossos serviços e práticas Nosso propósito Transformando estratégias em realidade Nossas práticas Construindo uma organização eficaz

Leia mais

Club Survey Varejo 2014. 22 de Maio de 2014

Club Survey Varejo 2014. 22 de Maio de 2014 Club Survey Varejo 2014 22 de Maio de 2014 1 Agenda 01 02 Fluxo do Projeto Escopo do Projeto ❶ Sobre o Hay Group 03 ❷ Tendências de RH ❸ Pesquisa de Eficiência ❹ Sobre 04 o Estudo ❺ Escopo do Projeto ❻

Leia mais

ABVCAP. Política de Recursos Humanos. Remuneração de Executivos nas Empresas Investidas. 8 de agosto de 2012

ABVCAP. Política de Recursos Humanos. Remuneração de Executivos nas Empresas Investidas. 8 de agosto de 2012 ABVCAP Política de Recursos Humanos Remuneração de Executivos nas Empresas Investidas 8 de agosto de 2012 1 Crescimento da Indústria de Private Equity no Brasil Captação e Investimentos (US$m) 1º Q Fonte:

Leia mais

Pesquisa Salarial - Presidentes e Diretores Executivos Brasil 2015. www.pageexecutive.com

Pesquisa Salarial - Presidentes e Diretores Executivos Brasil 2015. www.pageexecutive.com Pesquisa Salarial Presidentes e Diretores Executivos Brasil 2015 1 Índice Apresentação Metodologia Destaques Benefícios Outros Benefícios Forma de contratação Seguro D&O Presidente Diretor Financeiro Diretor

Leia mais

Bom dia! Sejam bem-vindos!

Bom dia! Sejam bem-vindos! 1 Bom dia! Sejam bem-vindos! 2 1º Treinamento sobre Governança e Remuneração em Conselhos 4 Estudo Conselhos de Administração: Governança e Remuneração no Brasil Há três anos a área de Remuneração Executiva

Leia mais

Club Survey Varejo 2014 Estudo Setorial Varejista 14ª edição

Club Survey Varejo 2014 Estudo Setorial Varejista 14ª edição Club Survey Varejo 2014 Estudo Setorial Varejista 14ª edição 2013 Hay Group. All Rights Reserved Club Survey Varejo 2014 Trata-se de um estudo sobre as principais práticas do mercado varejista brasileiro.

Leia mais

Hay Group Client Meeting

Hay Group Client Meeting Hay Group Client Meeting São Paulo / Brasil - 15 de Abril de 2009 Remuneração Cláudio Costa Agenda Contexto Econômico Resultados do estudo de remuneração Remuneração e a Crise Retorno sobre o investimento

Leia mais

Pesquisa de Remuneração AMPRO 2010

Pesquisa de Remuneração AMPRO 2010 Pesquisa de Remuneração AMPRO 2010 17 de Dezembro de 2010 Fabrizio Forti Gustavo Tavares Conteúdo 1. Objetivo 2. Parâmetros da Pesquisa 3. Cronograma 4. Metodologia 5. Exemplo dos Resultados 6. Resultados

Leia mais

BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO

BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO BRASIL 2015 PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EM GESTÃO DO CAPITAL HUMANO APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE VISÃO GERAL OBJETIVOS Os objetivos do Mercer College, Programa de Desenvolvimento

Leia mais

Pesquisa de Remuneração

Pesquisa de Remuneração Pesquisa de Remuneração Por OD&M BÓSNIA BRASIL BULGÁRIA CROÁCIA ITÁLIA LITUÂNIA MACEDÔNIA MONTENEGRO SÉRVIA ESLOVÊNIA www.odmconsulting.com.br 02 GI GROUP APRESENTA OD&M CONSULTING NOVAS SOLUÇÕES A MESMA

Leia mais

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009

Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Pesquisa Nacional Práticas e Resultados da Educação Corporativa 2009 Apresentação e discussão dos resultados do Setor Financeiro 1º Congresso Latino-Americano de Educação Financeira São Paulo,21 de outubro

Leia mais

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil

10º Estudo da Gestão de TI no Brasil www.pwc.com/br 10º Estudo da Gestão de TI no Brasil Sumário executivo Maio de 2011 PwC Índice Introdução Resultados Conclusão 3 5 11 1 1. Introdução A 10º edição do Estudo da Gestão de Tecnologia da

Leia mais

Mário Ibide STAB Out. 2012

Mário Ibide STAB Out. 2012 pessoas processos resultados Mário Ibide STAB Out. 2012 um consumo de país rico Motivado pelo crescimento da renda, o Brasil irá experimentar uma década de expansão do consumo. Fonte: Revista Exame - Ago.

Leia mais

Remuneração estratégica e benefícios

Remuneração estratégica e benefícios agenda 4ª Edição Remuneração estratégica e benefícios Aplicação das melhores práticas e políticas de remuneração, benefícios e programas motivacionais. A importância de um programa de remuneração e benefícios

Leia mais

Apresentação a Investidores. 4 de Dezembro de 2009

Apresentação a Investidores. 4 de Dezembro de 2009 Associação com Casa Bahia Apresentação a Investidores 4 de Dezembro de 2009 1 Considerações Iniciais Esta apresentação foi preparada para permitir uma melhor compreensão dos detalhes da operação pelo mercado.

Leia mais

Remuneração executiva e geração de valor

Remuneração executiva e geração de valor Remuneração executiva e geração de valor Práticas de remuneração e desempenho em empresas de capital aberto no Brasil Conteúdo I. Apresentação 3 II. Sobre a pesquisa 4 Características da amostra 5 III.

Leia mais

Mercer College Brasil 2014. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano

Mercer College Brasil 2014. Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano Mercer College Brasil 2014 Programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano APRENDA, PRATIQUE E DESENVOLVA-SE COM O MERCER COLLEGE VISÃO GERAL OBJETIVOS Os objetivos do Programa de Desenvolvimento

Leia mais

Cenários Macroeconômicos para 2014. Wellington Santos Damasceno ETENE

Cenários Macroeconômicos para 2014. Wellington Santos Damasceno ETENE Cenários Macroeconômicos para 2014 Wellington Santos Damasceno ETENE Fortaleza CE 28/11/2013 Cenário Internacional Regiões e Países Selecionados Variação do PIB real (%) Fonte: World Economic Outlook Database,

Leia mais

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa?

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Elton Moraes O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Sobre o Hay Group O Hay Group é uma consultoria mundial em gestão: Trabalhamos com líderes para transformar estratégias em realidade.

Leia mais

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Com a competição por talentos e a cobrança maior por resultados financeiros, as empresas vem procurando criar ou alterar

Leia mais

O papel da remuneração no engajamento profissional

O papel da remuneração no engajamento profissional O papel da remuneração no engajamento profissional 15 de Maio de 2014 Agenda 1. Sobre o Hay Group 2. Contexto de mercado 3. Estudo global: O papel da remuneração no engajamento 4. Estudo Brasil: Melhores

Leia mais

Termômetro tributário 2015 Tendências e desafios do profissional de impostos no Brasil

Termômetro tributário 2015 Tendências e desafios do profissional de impostos no Brasil Termômetro tributário 01 Tendências e desafios do profissional de impostos no Brasil Gestor tributário: aspirações e tendências Esta é mais uma edição do estudo da Deloitte sobre a área tributária no Brasil,

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

Pesquisa de Remuneração dos Administradores. Palestra Mensal IBGC Fevereiro de 2011

Pesquisa de Remuneração dos Administradores. Palestra Mensal IBGC Fevereiro de 2011 Pesquisa de Remuneração dos Administradores 2011 Palestra Mensal IBGC Fevereiro de 2011 1 Agenda Introdução Conselho de Administração Diretoria Estatutária Conselho Fiscal Divulgação da Remuneração Conclusão

Leia mais

Despesas de Viagem. Estudo

Despesas de Viagem. Estudo Despesas de Viagem 2014 Estudo SOBRE O ESTUDO A Carreira Muller, empresa especializada em consultoria de gestão de pessoas, desenvolveu o estudo Despesas de Viagens com o objetivo de publicar valores e

Leia mais

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012

A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL 6 ª 10 % MAIOR. do PIB. Indústria Química DO MUNDO INDUSTRIAL. Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 Carlos Fadigas A INDÚSTRIA QUÍMICA É RELEVANTE PARA O BRASIL Fonte: ABIQUIM, IBGE PIA/2012 10 % do PIB INDUSTRIAL 6 ª MAIOR Indústria Química DO MUNDO A INDÚSTRIA QUÍMICA DEVE FATURAR US$ 157 BILHÕES

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Brochura - Panorama ILOS

Brochura - Panorama ILOS Brochura - Panorama ILOS c Custos Logísticos no Brasil - 2014 - Apresentação O tema custos é uma preocupação recorrente dos executivos de logística no Brasil. Por isso, de dois em dois anos, o ILOS vai

Leia mais

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior

O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior O País que Queremos Ser Os fatores de competitividade e o Plano Brasil Maior Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo São Paulo, agosto de 2012 Introdução 1 Contexto Econômico Internacional;

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T07

Apresentação de Resultados 3T07 Apresentação de Resultados 3T07 Dezembro de 2007 2 Disclaimer Esse material foi preparado pela Tegma Gestão Logística S.A. ( Tegma" ou "Companhia") exclusivamente para as apresentações relacionadas à Oferta

Leia mais

Governança Corporativa Profa. Patricia Maria Bortolon

Governança Corporativa Profa. Patricia Maria Bortolon Governança Corporativa Performance e Remuneração de Executivos Aula 6 O debate sobre a remuneração A questão da remuneração tem sido alvo de intenso debate. O debate tem se focado em quatro áreas: O nível

Leia mais

Business Round Up BUSINESS ROUND UP

Business Round Up BUSINESS ROUND UP BUSINESS ROUND UP 1 Objetivo da Pesquisa QUAIS AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS E PERSPECTIVAS DOS PRINCIPAIS SETORES DA ECONOMIA DO BRASIL? Metodologia Pesquisa Quantitativa 400 entrevistas Com empresas associadas

Leia mais

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Área de Mercado de Capitais BNDES Desenvolvendo a Governança Corporativa Eduardo Rath Fingerl Diretor 02/06/2006 www.bndes.gov.br 1 de 23 Atuação

Leia mais

5ª EDIÇÃO. Agenda. 08 de Outubro 2015. Hotel Green Place Flat São Paulo, SP. Realização: www.corpbusiness.com.br

5ª EDIÇÃO. Agenda. 08 de Outubro 2015. Hotel Green Place Flat São Paulo, SP. Realização: www.corpbusiness.com.br Agenda 5ª EDIÇÃO 08 de Outubro 2015 Hotel Green Place Flat São Paulo, SP Realização: www.corpbusiness.com.br Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO COMO ESTABELECER UM PROGRAMA

Leia mais

Governança Corporativa em uma Joint Venture O caso da SAMARCO

Governança Corporativa em uma Joint Venture O caso da SAMARCO TÍTULO SOBRE ALGUM ASSUNTO Material Reservado de uso exclusivo da Samarco 42º ENCONTRO DE CONSELHEIROS CERTIFICADOS - IBGC Governança Corporativa em uma Joint Venture O caso da SAMARCO Belo Horizonte -

Leia mais

Apresentação d t ã de Resultados 3T07

Apresentação d t ã de Resultados 3T07 A t ã d Apresentação de Resultados 3T07 Agenda Eventos Recentes Destaques Estratégicos Destaques Financeiros Resultados Financeiros Guidance 2007 Guidance 2008 2 RESULTADOS 3T07 Os resultados referentes

Leia mais

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES

A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES A economia brasileira e as perspectivas do investimento Luciano Coutinho Presidente do BNDES O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira continuarácrescendo firmemente nos

Leia mais

Estudo de Remuneração 2012 2013

Estudo de Remuneração 2012 2013 1 Estudo de Remuneração 2012 2013 Apresentação Prezado (a), Nós da Michael Page temos a honra de apresentar a 6ª edição de nosso Estudo de Remuneração, versão 2012/2013. Há 6 anos este mapeamento tem o

Leia mais

ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS

ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS AMCHAM Goiânia 20/04/2012 2 ATRAÇÃO E RETENÇÃO DE TALENTOS - BASE DE INFORMAÇÕES II Pesquisa de Tendências em Gestão de Pessoas 2012 - Escritórios de Advocacia Ciclo Anual

Leia mais

Tendências da Governança Corporativa Tá na Mesa Porto Alegre, 7/04/2010. Gilberto Mifano

Tendências da Governança Corporativa Tá na Mesa Porto Alegre, 7/04/2010. Gilberto Mifano Tendências da Governança Corporativa Tá na Mesa Porto Alegre, 7/04/2010 Gilberto Mifano Agenda Panorama atual da GC no Brasil 2009 x 2003 Temas em discussão no Brasil e no Mundo 2 GOVERNANÇA CORPORATIVA

Leia mais

Parecer Técnico sobre a Metodologia de Cálculo dos Custos de Pessoal na Empresa de Referência

Parecer Técnico sobre a Metodologia de Cálculo dos Custos de Pessoal na Empresa de Referência watsonwyatt.com CONTRIBUIÇÃO AO PROCESSO DE AUDIÊNCIA PÚBLICA 052/2007 Parecer Técnico sobre a Metodologia de Cálculo dos Custos de Pessoal na Empresa de Referência 09 de Abril de 2008 Número de Empresas

Leia mais

Balanço Mercado de Trabalho 2014

Balanço Mercado de Trabalho 2014 Balanço Mercado de Trabalho 2014 x Resultados Fevereiro/2015 Apresentação Respondentes: 1016 profissionais do LinkedIn Período: de 15/jan/2015 a 10/fev/2015 Público:participantes dos seguintes grupos de

Leia mais

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012

PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição- 2011 / 2012 Member of ICMCI International Council of Management Consulting Institutes PESQUISA de HONORÁRIOS e TENDÊNCIAS da CONSULTORIA no BRASIL 11ª edição 2011 / 2012 Av. Paulista, 326 Conj. 77 Bela Vista CEP 01310902

Leia mais

Reunião APIMEC 2013. São Paulo, 19 de dezembro de 2013

Reunião APIMEC 2013. São Paulo, 19 de dezembro de 2013 Reunião São Paulo, 19 de dezembro de Importante O presente material tem caráter somente informacional. Não constitui uma oferta ou solicitação de investimento em qualquer fundo aqui mencionado ou quaisquer

Leia mais

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho

O cenárioeconômicoe as MPE. Brasília, 1º de setembro de 2010. Luciano Coutinho O cenárioeconômicoe as MPE Brasília, 1º de setembro de 2010 Luciano Coutinho O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia brasileira pode crescer acima de 5% a.a. nos próximos cinco

Leia mais

Termômetro tributário O perfil e as aspirações do profissional de impostos no Brasil. Pesquisa 2014/2015

Termômetro tributário O perfil e as aspirações do profissional de impostos no Brasil. Pesquisa 2014/2015 Termômetro tributário O perfil e as aspirações do profissional de impostos no Brasil Pesquisa 2014/2015 Entre desafios e demandas Um profissional multifacetado, envolvido com complexos aspectos técnicos

Leia mais

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE

2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 2013: RECESSÃO NA EUROPA EMPURRA MUNDO PARA A CRISE 30 países mais ricos do mundo (OCDE) tiveram uma queda no PIB de 0,2% no quarto trimestre de 2012. Diminuição forte do consumo na Europa vai afetar economia

Leia mais

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014

Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 1 Por uma nova etapa da cooperação econômica Brasil - Japão Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil São Paulo, 11 de Julho de 2014 Brasil: Fundamentos Macroeconômicos (1) Reservas International

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig Gustavo

Leia mais

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações

abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações abril de 2011 Remuneração Estratégica nas Organizações O RH nesses 20 anos Tático, político e de políticas Desdobrador da estratégia Influenciador da estratégia e da operação Consultor e assessor para

Leia mais

Introdução. Um 2013 difícil

Introdução. Um 2013 difícil Aetecno MBA Blogs Revista Rankings Últimas Notícias Contato Login H O M E I N T R O D U Ç Ã O R A N K I N G D A S 5 0 0 S E T O R E S A N Á L I S E E R A N K I N G S M E T O D O L O G I A Introdução Home

Leia mais

O Mercado de Seguros no Brasil no Século XXI

O Mercado de Seguros no Brasil no Século XXI 18º Congresso Brasileiro dos Corretores de Seguros O Mercado de Seguros no Brasil no Século XXI Cenário econômico atual e perspectivas para nosso país Henrique Meirelles 16 de Outubro, 2013 1 Agenda Introdução

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS Jun/15 Análise de Competitividade Embalagens Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da

Leia mais

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula

Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Cenário Econômico de Curto Prazo O 2º Governo Lula Esta apresentação foi preparada pelo Grupo Santander Banespa (GSB) e o seu conteúdo é estritamente confidencial. Essa apresentação não poderá ser reproduzida,

Leia mais

Artigo publicado. na edição 29. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2012

Artigo publicado. na edição 29. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. julho e agosto de 2012 Artigo publicado na edição 29 Assine a revista através do nosso site julho e agosto de 2012 www.revistamundologistica.com.br Paulo Guedes :: opinião O crescimento dos Gastos Logísticos no Brasil e no mundo

Leia mais

ESTAGIÁRIOS. Pesquisa Bolsa Estágio Março 2.013

ESTAGIÁRIOS. Pesquisa Bolsa Estágio Março 2.013 ESTAGIÁRIOS Pesquisa Bolsa Estágio Março 2.013 SOBRE A PESQUISA Esta pesquisa tem como objetivo disponibilizar informações sobre práticas e valores aplicados a Bolsa Estágio. A base de dados da pesquisa

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

Produção Industrial Março de 2015

Produção Industrial Março de 2015 Produção Industrial Março de 201 PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE SANTA CATARINA - MARÇO/1 Em março, a indústria de Santa Catarina produziu 4,0% menos na comparação com o mesmo mês do ano anterior, sexto resultado

Leia mais

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A ESTRATÉGIA DO SENAI PARA APOIAR A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA Inovação é o que distingue um líder de um seguidor. Steven Paul Jobs Grandes ideias mudam o mundo. Missão

Leia mais

Sondagem empresarial. A força de Goiás 2013

Sondagem empresarial. A força de Goiás 2013 Sondagem empresarial A força de Goiás 2013 Sobre as sondagens empresariais da PwC Brasil As sondagens empresariais realizadas pela PwC Brasil têm revelado o potencial e os desafios das diferentes unidades

Leia mais

Pessoas que cuidam de pessoas

Pessoas que cuidam de pessoas Pessoas que cuidam de pessoas Agenda Cenário Econômico Mundial Ranking PIB 2012 15,68 8,22 5,96 3,40 2,60 2,44 2,39 2,02 2,01 1,82 Estados Unidos China Japão Alemanha França Reino Brasil Rússia Itália

Leia mais

O Supply Chain Evoluiu?

O Supply Chain Evoluiu? O Supply Chain Evoluiu? Apresentação - 24º Simpósio de Supply Chain & Logística 0 A percepção de estagnação do Supply Chain influenciada pela volatilidade do ambiente econômico nos motivou a entender sua

Leia mais

POLÍTICAS DE REMUNERAÇÃO. Novembro/ 2015

POLÍTICAS DE REMUNERAÇÃO. Novembro/ 2015 POLÍTICAS DE REMUNERAÇÃO Novembro/ 2015 SAP Consultores Associados Soluções em Remuneração Atuamos há mais de 20 anos no desenvolvimento e implantação de projetos voltados para soluções em gestão de cargos,

Leia mais

Profissionais de sustentabilidade Atuação, projetos e aspirações. Pesquisa 2015

Profissionais de sustentabilidade Atuação, projetos e aspirações. Pesquisa 2015 Profissionais de sustentabilidade Atuação, projetos e aspirações Pesquisa 2015 O agente do crescimento sustentável A Deloitte e a Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade (ABRAPS) apresentam

Leia mais

Nossa Visão. Ser a melhor empresa de logística da América Latina.

Nossa Visão. Ser a melhor empresa de logística da América Latina. Nossa Visão Ser a melhor empresa de logística da América Latina. Nossos Valores Foco no cliente Gente faz a diferença e vale pelo que faz Integridade e transparência Lucro para valorização crescente Simplicidade

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento APIMEC BH 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$ milhares/ano)

Leia mais

SOLUÇÕES PARA A COMUNICAÇÃO B2B NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA

SOLUÇÕES PARA A COMUNICAÇÃO B2B NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA SOLUÇÕES PARA A COMUNICAÇÃO B2B NA INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA Automotive Business oferece respostas para estimular a comunicação B2B na indústria automobilística e segmentos relacionados. Os produtos editoriais,

Leia mais

Segurança, Privacidade e Gestão da Reputação no Novo Mundo

Segurança, Privacidade e Gestão da Reputação no Novo Mundo Segurança, Privacidade e Gestão da Reputação no Novo Mundo Marcus Vinícius Dias 2013 Reputation Institute All Rights Reserved O que é Reputação Corporativa Reputação Corporativa é a percepção coletiva

Leia mais

ENECONT 2013. GERSON STOCCO DE SIQUEIRA gerson@gaiasilvagaede.com.br

ENECONT 2013. GERSON STOCCO DE SIQUEIRA gerson@gaiasilvagaede.com.br ENECONT 2013 GERSON STOCCO DE SIQUEIRA gerson@gaiasilvagaede.com.br RETENÇÃO DE TALENTOS - MERCADO CRESCIMENTO SIGNIFICATIVO DO NÚMERO DE PARTICIPANTES DE EMPRESAS EM INCENTIVOS DE LONGO PRAZO (ILP) VISÃO

Leia mais

ESPECIAL EMPRESAS FLORESTAIS RECORREM ÀS CONSULTORIAS PARA NÃO ERRAR, PRINCIPALMENTE EM ÉPOCA DE CRISE NO ALVO. www.referenciaflorestal.com.

ESPECIAL EMPRESAS FLORESTAIS RECORREM ÀS CONSULTORIAS PARA NÃO ERRAR, PRINCIPALMENTE EM ÉPOCA DE CRISE NO ALVO. www.referenciaflorestal.com. ESPECIAL EMPRESAS FLORESTAIS RECORREM ÀS CONSULTORIAS PARA NÃO ERRAR, PRINCIPALMENTE EM ÉPOCA DE CRISE NO ALVO 58 www.referenciaflorestal.com.br MADEIRA SERRADA DE TECA Foto: arquivo N ão há espaço para

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto 1 Destaques 2009 OvolumedaALLnoBrasilcresceu5,8%em2009para35.631bilhõesdeTKU,apesardo difícil cenário de mercado, com forte queda na produção industrial e redução de 12% na produção de produtos agrícolas

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

TÓPICO ESPECIAL Agosto

TÓPICO ESPECIAL Agosto Jan-94 Dec-94 Nov-95 Oct-96 Sep-97 Aug-98 Jul-99 Jun-00 May-01 Apr-02 Mar-03 Feb-04 Jan-05 Dec-05 Nov-06 Oct-07 Sep-08 Aug-09 Jul-10 Jun-11 May-12 Apr-13 Mar-14 Feb-15 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11 Jul-11

Leia mais

Turma BNDES Engenharia Específica Regular

Turma BNDES Engenharia Específica Regular Turma BNDES Engenharia Específica Regular Banca: CESGRANRIO Edital de referência: 01/2012 (data da publicação: 17/12/2012) Carga horária (aulas presenciais): 161,0 horas EMENTA DA PROVA 1 OBJETIVA Carga

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002

EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002 EMPRESAS PERDIGÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO- 3º trimestre de 2002 Senhores Acionistas, A conjuntura política nacional continuou gerando turbulências no mercado, aumentando significativamente o risco do

Leia mais

ATENÇÃO. Apresentação

ATENÇÃO. Apresentação Apresentação O tema logística reversa vem crescendo em importância entre as empresas desde a regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Com as novas exigências, as empresas precisam buscar

Leia mais

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução

NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução NOVAS ESTIMATIVAS DO MODELO DE GERAÇÃO DE EMPREGOS DO BNDES* Sheila Najberg** Roberto de Oliveira Pereira*** 1- Introdução O Modelo de Geração de Empregos do BNDES 1 (MGE) estima o número de postos de

Leia mais

Reputação e Competitividade: A importância dos ativos intangíveis

Reputação e Competitividade: A importância dos ativos intangíveis Reputação e Competitividade: A importância dos ativos intangíveis Profa. Dra. Ana Luisa de Castro Almeida Novembro/2013 Reputation Institute, pioneiro e líder mundial em consultoria para gestão da reputação

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011

Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011 Integração de Cadeias Produtivas Superintendência de Desenvolvimento Industrial Setembro, 2011 Agenda 1. Crescimento do Mercado Consumidor e Ascensão da Classe Média 1. Áreas de Investimento e Adensamento

Leia mais

ENCONTRO CEA / SINDIPEÇAS

ENCONTRO CEA / SINDIPEÇAS ENCONTRO CEA / SINDIPEÇAS Julho-2013 Montadora Apresentar tópicos de Competitividade para o Setor de Autopeças Sistemista Tier 1 Tier 2 Tier 3 2 AGENDA Indicadores Macroeconômicos Evolução do Setor Perspectivas

Leia mais

GESTÃO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO NO BRASIL

GESTÃO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO NO BRASIL GESTÃO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO NO BRASIL Versão Resumida Práticas de gestão e contabilização de planos de stock options e outros tipos de ILP - Incentivos de Longo Prazo Pesquisa PRIS 2014 www.pris.com.br

Leia mais

APIMEC. 23 de outubro de 2008

APIMEC. 23 de outubro de 2008 APIMEC 23 de outubro de 2008 1 Importante As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e informações

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

ABDI A 2004 11.080) O

ABDI A 2004 11.080) O Atualizada em 28 de julho de 2010 Atualizado em 28 de julho de 2010 1 ABDI ABDI A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial foi instituída em dezembro de 2004 com a missão de promover a execução

Leia mais

As diretrizes de consumo no Brasil

As diretrizes de consumo no Brasil As diretrizes de consumo no Brasil A visão do consumidor Luiz Goes A GS&MD Gouvêa de Souza Consultoria Empresarial Canais de distribuição / Centrais e redes de negócios/ Controladoria e finanças / Crédito

Leia mais

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Liderança Feminina Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Sobre o Hay Group Hay Group é uma consultoria global em gestão que trabalha com líderes para transformar estratégias

Leia mais

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região

Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. Sindicato dos Químicos e Plásticos de São Paulo e Região 1 Entidades proponentes: Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté Sindicato dos Químicos e Plásticos

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Porto Alegre 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$

Leia mais

FRATTINI. Associados. Econômico. Agosto/14

FRATTINI. Associados. Econômico. Agosto/14 Agosto/14 Sumário ECONOMIA MELHORES & MAIORES 2014 ECONOMIA Inflação PIB Fonte: Veja, Julho 2014 Fonte: Veja, Julho 2014 Inflação Inflação continua preocupando em 2015. Fonte: Itaú BBA, Julho/14 Inflação

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

Desafios na Realização de Investimento de P&D e a Destinação de Recursos. Chesf Companhia Hidro Elétrica do São Francisco

Desafios na Realização de Investimento de P&D e a Destinação de Recursos. Chesf Companhia Hidro Elétrica do São Francisco Desafios na Realização de Investimento de P&D e a Destinação de Recursos Chesf Companhia Hidro Elétrica do São Francisco AGENDA 1. Visão Macro do Cenário P&D Nacional 2. A formula da Inovação 3. Desafios

Leia mais

Forma de coleta e período. Apresentação dos dados. Realização FSB Pesquisa.

Forma de coleta e período. Apresentação dos dados. Realização FSB Pesquisa. Forma de coleta e período Nesta pesquisa exploratória, as entrevistas foram pessoais e telefônicas, tendo sido realizadas entre 25 de novembro de 2014 e 10 de abril de 2015. As entrevistas com os líderes

Leia mais

Perspectivas, Desafios e Qualidade

Perspectivas, Desafios e Qualidade Perspectivas, Desafios e Qualidade 11. Encontro das Montadoras para a Qualidade Paulo Butori Presidente do Sindipeças e da Abipeças Sistemistas Tier 2 Tier 3 São Paulo, fevereiro novembro de de 2014 Agenda

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais