ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS NORMAS REGULAMENTADORAS - NR S E A OHSAS - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY ASSESSMENT SERIES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS NORMAS REGULAMENTADORAS - NR S E A OHSAS - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY ASSESSMENT SERIES"

Transcrição

1 ISSN ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE AS NORMAS REGULAMENTADORAS - NR S E A OHSAS - OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY ASSESSMENT SERIES Hermom Leal Moreira (UNIC - Universidade de Cuiabá) Joseph Herondino Rodrigues Rosa (UNIC - Universidade de Cuiabá) Resumo A Gestão de Segurança do Trabalho deve ser contínua no ambiente laboral e as normatizações regem e estabelecem obrigações a respeito das condições de segurança nas quais os trabalhadores devem exercer suas atividades, cabendo às organizaçõees implementar ações que visem o estabelecimento de boas condições de Segurança e Saúde do Trabalho - SST, logrando êxito no atendimentos de indicadores de desempenho de Programas de Gestão atuando de forma competitiva e responsável. Este artigo visa analisar comparativamente as diretrizes das Normas Regulamentadoras instituídas pela Portaria nº 3.214, de 08 de Junho de 1978 do Ministério do Trabalho, com a norma internacional OHSAS - Occupational Health and Safety Assessment Series - Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho. Palavras-chaves: Normas Regulamentadoras (NR s), OHSAS, Segurança e Saúde no Trabalho.

2 1. INTRODUÇÃO A implantação de sistemas de gestão trazem como benefício imediato a identificação de falhas que podem ser utilizadas para a prática de ações corretivas e futuras implementações bem como incorporam em seu escopo o atendimentos à legislação vigente em termos de segurança e saúde no trabalho, produção de produtos com qualidade e certificação, que tanto no mercado nacional como no mercado internacional. Com isso foram criadas regras de norteamento que, constantemente atualizadas, tornaram-se normas padronizadas, tais como: OHSAS internacional e NR - Norma Regulamentadora - 1 a 35 nacionais e como existem no momento várias normas em vigor (nacional e internacional), torna-se necessário escolher a referência técnica na qual se deseja trabalhar visando atender especificamente as demandas produzidas e, com isso, deixar tanto o profissional quanto o cliente cientes da matriz normativa que deverá ser seguida. Araújo, Santos e Mafra (2006) consideram que para implementação do Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho, também é importante conhecer os níveis de desempenho em relação à Segurança e Saúde no Trabalho que as organizações podem apresentar, visto que o propósito básico do sistema é atuar sobre esse desempenho e concordado com análises como esta o presente estudo tem como escopo apresentar características e semelhanças entre as normas supracitadas, podendo servir como parâmetro para analise e atendimento as questões legais de ordem previdenciária e trabalhista evitandose sobreposição e retrabalho de atividades e ações que são correlatas. 2. Sistemas de Gestão e Legislação Laboral Atualmente existem normas de nível nacional como também normas a nível internacional que norteiam a qualidade e a certificação principalmente para empresas que procuram expandir seu mercado de atuação e encontram desafios não só em bem cumprir as normas nacionais, bem como, em satisfazer o cumprimento das normas internacionais, visando uma maior competitividade. 2

3 Partindo do principio de que se intervir nas causas e não nos efeitos, conforme descrição de Falconi, os administradores dos sistemas de gestão em segurança e saúde do trabalho ganham mais responsabilidades, principalmente pelo dever de praticar o prevencionismo, no processo e na gestão focada na produtividade segura. Pois na medida com que se reduzem os custos com ações corretivas, ou seja, atacam as causas de forma preventiva, os custos e perdas decorrentes dos mesmos tendem a ser reduzido de modo proporcional. No momento em que procede ao cotejamento entre as diferentes normas, é importante orientar as empresas no esforço contínuo de cumprir com suficiência os requisitos dos programas, visto as características estritamente técnicas de uma em relação à outra, buscando-se assim o vislumbre de uma plataforma comum para as ações dos gestores dentro das ações a serem executadas. 3. Gestão de SST Segurança e Saúda no Trabalho Atender aos requisitos legais de saúde e segurança, regidos pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e Normas Regulamentadoras que tratam de Segurança e Saúde ocupacional é vital para as organizações conforme Araujo (2006) e o conhecimento das normas regulamentadoras geralmente fica restrito aos profissionais das áreas de engenharia de segurança e/ou jurídica das empresas devido às características do próprio sistema de gestão que oferece de forma genérica dispositivo para o cumprimento de exigências legais. A comparação sistemática entre a norma nacional e a norma internacional facilitará o alcance de melhor nível de entendimento dos envolvidos nas gestão do programas de gestão em estudo. O gestor que além de ter o dever de possuir o conhecimento técnico e da legislação em saúde e segurança, mas, também um perfil com conhecimento dos processos de trabalho, das legislações trabalhista, previdenciária e ambiental brasileira e estrangeira, e, principalmente com cultura de gestão. 4. Comparativo entre OHSAS E NR s Buscou-se demonstrar a existência de termos, atividades e ações correlatas entre os itens legais a serem cumpridos pelas empresas no quesito laboral e nas diretrizes da norma OHSAS buscando assim deixar identificar estes itens para que os resultados obtidos nas ações 3

4 possam ser possam ser compartilhados e utilizados nos diversos instrumentos que exijam ou venham exigir ações semelhantes entre si. Com isto, é possível implementar uma gestão eficiente e eficaz a ser realizada de modo a atender não somente os objetivos das múltiplas áreas e setores da organização, mas também os dos órgãos de fiscalização. Campos (2004) descreve bem a relação entre as pessoas e o meio organizacional quando ele descreve que uma empresa é uma organização de seres humanos: Nós, seres humanos, precisamos sobreviver... e para atender a esta necessidade de sobrevivência é que o ser humano se organiza em indústrias, hospitais, escolas, prefeituras, etc...., portanto, uma empresa é uma organização de seres humanos que facilitar a luta pela sobrevivência de outros seres humanos. De modo geral a gestão organizacional é um conjunto de elementos inter-relacionados, interatuantes e interdependentes, utilizados no planejamento, operações e controle das atividades. Comparar a norma internacional OHSAS com a nacional NR: normas estas que servem à qualificação e à certificação das empresas. A OHSAS (Occupational Health and Safety Assesment Series Série de Avaliação da Segurança e Saúde do Trabalho) é um conjunto de diretrizes criadas e publicadas em resposta às necessidades das empresas internacionais que visavam padronizar e certificar suas empresas a nível global. Estando em sua 2º edição, as diretrizes hoje atingem o nível de norma internacional para avaliação e certificação de sistemas de gestão. A NR (Normas Regulamentadoras) é uma série de normas criadas para regulamentarem e fornecerem orientações sobre procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho no Brasil. A primeira NR foi criada na década de 80 e atualizada e revisada conforme o surgimento das necessidades atuais, existindo hoje 35 NR s. Utilizando o método comparativo buscou-se demonstrar entre as normas OHSAS e NR s o grau das diferenças complexas entre ambas, citando o item da OHSAS e o assunto correspondente nas NR s demonstrando suas diferentes aplicabilidades. A OHSAS: , em si está subdividida em itens, os mesmos foram utilizados para a sua comparação replicando trechos importantes e comparando-os com a NR de assunto correspondente. 4

5 5. Análise comparativa A análise dos itens abaixo visa mostrar em que sentido as normas se correlacionam observando-se a partir da norma internacional os itens aplicáveis nas NR s. É importante notar que este estudo pode ser utilizado em futuras discussões sobre a criação de uma norma regulamentadora específica de gestão de segurança do trabalho que venha operacionalizar a aplicação de todas as demais NR s, uma vez que atender integralmente a todos os requisitos das NR s via OHSAS, constitui-se em uma tarefa hercúlea, e a análise do custo benefício deste tipo foge ao escopo deste estudo OHSAS: Item 1 Escopo Esta norma da Série de Avaliação da Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS) especifica requisitos para um Sistema de Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional (SSO), permitindo a uma organização controlar os riscos e melhorar seu desempenho em SSO. No 1º item da norma OHSAS que trata do objetivo e campo de aplicação da mesma, percebe-se que ela possui o caráter de sugerir o que é apropriado à empresa do que uma obrigar aos que dela se servem, podendo ser ou não adotada por qualquer empresa que almeja uma certificação - a nível nacional como a nível internacional. Contudo na NR-1 existe a obrigatoriedade de aplicá-la às empresas privadas e públicas, e também aos trabalhadores autônomos, aos sindicatos e aos próprios órgãos públicos que possuem empregados celetistas; e sua inobservância gera penalidades pecuniárias (Lei nº 6514/77, Lei nº 6986/82 e Portaria nº 290/97) OHSAS: Item 2 Publicações Outras publicações que fornecem informações ou diretrizes estão listadas na Bibliografia. É aconselhável que sejam consultadas as 5

6 últimas edições de cada publicação. Especificamente, deve ser feita referência a: - OHSAS 18002: 1999, Diretrizes para a implementação da OHSAS 18001; - Organização Internacional do Trabalho:2001 Guia para sistemas de gestão de saúde e segurança ocupacional (OSH-MS); No caso das NR s, as leis complementares que corroboram com sua complementação e atualização baseiam-se nas CLT artigos 154 a 201, juntamente com a Portaria de nº3.214 de 08/06/1978 (ambas fazendo referência à Lei de nº de 22/12/1977 que outorga a existência e a exigência das NR-1 a 35) OHSAS: Item 3 Termos e Definições No item 03 da OHSAS, a mesma cita vários tipos de nomenclaturas explicando caso a caso as suas funcionalidades e aplicabilidades. São eles: 3.1 Risco Aceitável: Risco que foi reduzido a um nível que pode ser tolerado pela organização considerando suas obrigações legais e a sua política de SSO. Este termo Risco Aceitável é também tratado nas NR s principalmente na NR-2 (Inspeção Prévia) e na NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais) visando fazer com que as ferramentas de trabalho e o trabalho em si não sejam maléficos ao trabalhador, baixando os riscos de acidente de trabalho a quase zero. 3.2 Auditoria: Processo sistemático, documentado e independente para obter evidências de auditoria e avaliá-las objetivamente para determinar a extensão na qual os critérios de auditoria são atendidos. O termo Auditoria, citado é similar ao abordado na NR-5 (Comissão Interna de Prevenção de acidentes CIPA) e NR-28 (Fiscalização e Penalidades). Porém, embora haja similaridade, ambas possuem aplicabilidades levemente divergentes. Tal qual: na OHSAS a 6

7 Auditoria é preliminarmente efetuada por uma auditoria interna podendo apontar as falhas existentes e logo após, será efetuada a auditoria externa que procederá ou não à certificação requerida pela empresa. Já no caso da norma nacional, a empresa emprega seus próprios trabalhadores para formar a CIPA (Comissão Interna de Acidentes) prevista na NR-5, tem como função principal fiscalizar a adequação da empresa às normas vigentes (auditoria interna) e, somente em caso de denuncias ou de alto índice acidentes será realizada a auditoria externa através da fiscalização (NR-28 Fiscalização e Penalidades) efetuada pelo Ministério Público do Trabalho. 3.3 Melhoria Contínua: Processo recorrente de se avançar com o sistema de gestão em SSO com o propósito de atingir o aprimoramento do desempenho em SSO geral, coerente com a política de SSO da organização. Nota: Não é necessário que este processo seja aplicado simultaneamente a todas as áreas de atividade. Possuindo metas, o termo de Melhoria Contínua abrangido pela OHSAS pode ser aplicado ora a uma ora a outra etapa do serviço, não sendo necessário aplicá-lo ao todo simultaneamente. Esta forma de aplicação difere da aplicabilidade prevista na NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais PPRA) que visa uma constante atuação de melhoramento envolvendo todos os serviços feitos. 3.4 Ação Corretiva: Ação para eliminar a causa de uma não conformidade identificada ou outra situação indesejável. Nota 01: Podem existir mais de uma causa para uma não conformidade. Nota 02: Ação corretiva e tomada para evitar a repetição e ação preventiva é tomada para prevenir a ocorrência. Este item encontra-se desdobrado em várias NR s para que haja abrangência máxima de correção de um possível acidente e também de prevenção do erro que o originaria. Assim, este tópico surge as NR s: NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO) que visa descobrir os riscos existentes e a auxiliar na elaboração e implementação do PCMSO na empresa; NR-8 (Edificações) que tem por fim tornar o local de trabalho seguro 7

8 para a execução do trabalho; NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais PPRA) que objetiva antecipar, reconhecer, avaliar e controlar a ocorrência ao risco ambiental. 3.5 Documentação: Informação e o meio no qual ela está contida. Nota: O meio físico pode ser papel, magnético, disco de computador de leitura ótica ou eletrônica, fotografia ou amostra padrão, ou uma combinação destes. Tanto a OHSAS como a NR possibilitam o uso de todos os meios físicos para oficializar ou mesmo instruir as empresas. Mas realçando que as empresas, ao procederem, à utilização da NR-7 (Programa de Controle de saúde Ocupacional PCMSO) e da NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais PPRA), costumam empregar mais o método de visualização de imagens visando obter maior clareza documental. 3.6 Perigo: Fonte, situação ou ato com um potencial para dano em termos de prejuízo humano ou doença, ou uma combinação destes. A OHSAS trata genericamente o tema perigo. Já as NR s tratam o tema mais minuciosamente, fazendo uso da NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO) e NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais PPRA) como normas regulamentadoras que visam trabalhar a fundo esse problema. Nas NR s citadas é possível identificar o tipo de perigo e os possíveis danos que o mesmo pode causar, bem como indicam as possíveis medidas de prevenção que devem ser tomadas. 3.7 Identificação do Perigo: Processo de reconhecimento de que um perigo existe e definição de suas características. Este é um tema polêmico cuja avaliação muitas vezes depende de ponto-de-vista subjetivo, embora tanto a OHSAS como as NR s dediquem a ele imenso cuidado apesar da abordagem diferenciada. 8

9 Neste item da OHSAS está configurado tão somente a definição da situação identificação do perigo. Já as NR s versam sobre o assunto em todas as suas publicações, às vezes de maneira abrandada, às vezes com maior profundidade: como se vê na NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO) e na NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais PPRA), ambas identificam, preveem e sanam os riscos de perigo as quais são dirigidas. 3.8 Doença e Doença Ocupacional: Identificável, condição física ou mental adversa originada ou agravada pelo trabalho ou situação relacionada ao trabalho. Este item está diretamente associado à saúde do trabalhador e é tratado na NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO) e na NR-17 (Ergonomia) visando sempre a proteção do mesmo. De acordo com a NR-7 o PCMSO que vá a ser redigido pela empresa deve visar a proteção e a manutenção da saúde do trabalhador. Já a NR-17 estabelece parâmetros de ergonomia que permite ao trabalhador um certo nível de conforto aumentando assim seu rendimento e segurança. 3.9 Incidente: Evento relacionado ao trabalho no qual ocorreu ou poderia ter ocorrido lesão ou doença (não importando a severidade) ou morte. Devido à característica deste item citado que prejudica notoriamente o andamento dos trabalhos em uma empresa muitas são as NR s que dele tratam: NR-3 (Embargo ou Interdição), NR-5 (Comissão Interna de Prevenção de acidentes CIPA) e NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO). A NR-3 determina que para todo acidente deve ser aberto uma CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) e entregue para a Delegacia do Trabalho; já a NR-5 oriente que o meio de trabalho deve ser constantemente verificado a fim de ser efetuado diagnóstico de possíveis locais, ou mesmo de função, que possam estar trazendo risco ao trabalhador e ao local de trabalho; e, por fim, temos a NR-7 que visa preservar a saúde do trabalhador estudando o 9

10 histórico de acidentes para promover futuras ações de segurança, assim como também localizar possíveis acidentes iminentes Parte Interessada: Pessoa ou grupo, dentro ou fora do local de trabalho, interessado ou afetado pelo desempenho do SSO de uma organização. Como citado neste item da OHSAS, vemos que esta norma é endereçada àqueles que dela se utilizam e dela participam para alcançarem seus fins. Já as NR s são vinculadas a todos aqueles que trabalham em território nacional indistintamente. Contudo como é lógico, de maior interesse ao trabalhador, empresa contratante e ao Ministério do Trabalho Não Conformidade: Não atendimento a um requisito. Nota: Uma não conformidade pode ser qualquer desvio em relação a: - Relevantes normas de trabalho, práticas, procedimentos, requisitos legais, etc. - Requisitos do sistema de gestão em SSO. Ao não atendimento da empresa a todos as exigências (legais, técnicas, trabalhistas, etc...) citadas pela OHSAS para que lhe seja concedida a qualificação ou certificação pretendida, a todo serviço ou mesmo ação que não esteja de acordo a OHSAS alega ser uma não conformidade. Já a própria NR possui outros métodos de avaliação que estão contidas na: NR-3 (Embargo ou Interdição) e na NR-28 (Fiscalização e Penalidades). Devido as suas determinações a NR-28 pode, por exemplo, ser aplicada na fiscalização da empresa como um todo: desde o engenheiro responsável pela empresa até mesmo ao próprio Agente de Segurança enviado pela Delegacia do Trabalho. Já a NR-3 visa exclusivamente embargar ou mesmo interditar uma empresa/serviço, sendo mais comumente aplicada pelo Agente de segurança da Delegacia do trabalho após uma vistoria (vistoria anual ou através de denúncia) Saúde e Segurança Ocupacional: Condições e fatores que afetam, ou podem afetar, a saúde e a segurança dos funcionários, e 10

11 outros trabalhadores (incluindo pessoal temporário e contratado), visitantes e qualquer outra pessoa no local de trabalho. Este item é tratado igualmente nas NR s que determinam práticas de segurança que abrangem não só o trabalhador em serviço, mas também ao visitante que esteja de passagem ou mesmo inspecionando o serviço. São elas: NR-5 (Comissão Interna de Prevenção de acidentes CIPA) e a NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO) Sistema de Gestão da SSO: Parte do sistema de gestão da organização utilizado para desenvolver e implementar sua política de SSO e gerenciar os riscos a SSO. Nota 01: Um sistema de gestão é um conjunto de elementos interrelacionados utilizados para estabelecer a política, os objetivos e para atingir esses objetivos. Nota 02: Um sistema de gestão inclui estrutura organizacional, atividades de planejamento, responsabilidades, práticas, procedimentos, processos e recursos. A OHSAS em si se estrutura para o cumprimento deste item e suas notas. Também a NR no geral atende a este tópico da OHSAS. Por isso cotejar esse item as NR s individualmente é praticamente impossível, pois todas as suas normatização evoluem no todo para cumprir este quesito Objetivo de SSO: Metas, em termos de desempenho da SSO, que uma organização estabelece para ela própria alcançar. O objetivo da Segurança e Saúde Operacional da empresa (SSO) deve fazer parte dos objetivos gerais da empresa, estar vinculado ao próprio sistema operacional da empresa, e embora as NR s tratem das mesmas questões das OHSAS, o assunto deste item só possui similaridade com a NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional PCMSO) que objetiva procurar ter um maior controle sobre a saúde e segurança do trabalhador Desempenho em SSO: Resultados mensuráveis do gerenciamento dos riscos de uma organização. 11

12 Nota 01: A medição do desempenho em SSO inclui a medição da eficácia dos controles da organização. Tanto as NR s como a OHSAS trabalham a partir de registros documentais criando assim seu sistema. No caso das NR s esse nível de desempenho é medido com aplicação da NR-2 (Inspeção Prévia), NR-3 (Embargo ou Interdição), NR-5 (Comissão Interna Contra Acidentes CIPA) e NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional - PCMSO) cada uma possuindo um foco diferenciado que possibilita uma visão geral da empresa Política de SSO: Intenções e princípios gerais de uma organização em relação ao seu desempenho em SSO, conforme formalmente expresso pela alta administração. Nota: A política de SSO provê uma estrutura para ação e definição de seus objetivos de SSO. O tema levantado por este item da OHSAS é similar à realidade da criação das NR s, não cabendo a uma só NR específica. Em vista disso, é correto afirmar que as NR s no geral, embasam as orientações administrativas das empresas para alcançarem uma melhoria da saúde e segurança do trabalhado Organização: Empresa, corporação, firma, empreendimento, autoridade ou instituição, ou parte ou combinação desses, incorporada ou não, pública ou privada, que tenha funções e administração próprias. Nota: Para organizações que tenham mais de uma unidade operacional, uma única unidade operacional pode ser definida como uma organização. Embora seja óbvia a necessidade desse item da OHSAS para o funcionamento de qualquer empresa, ele não é trabalhado pelas NR s. As NR s passam pelo pressuposto de que essa organização jurídica já tem existência legal definida em código próprio. 12

13 3.18 Ação Preventiva: Ação para eliminar a causa de uma potencial não conformidade. Nota 01: Podem existir mais de uma causa para uma potencial não conformidade. Nota 02: Ação corretiva e tomada para evitar a repetição e ação preventiva é tomada para prevenir a ocorrência. Assim como o item 3.7 Identificação do Perigo, esse item também se torna polêmico visto que o responsável pela ação preventiva (Engenheiro de Segurança do Trabalho e/ou Técnico de segurança do Trabalho) precisará ter muita experiência no assunto para poder ter o discernimento necessário e identificar as possíveis falhas. Contudo, a NR-2 (Inspeção Prévia) tende a facilitar o trabalho da ação preventiva ao tornar necessária a inspeção prévia que determina as ações a serem tomadas de acordo com o trabalho Procedimento: Forma especificada de executar uma atividade ou um processo. Nota: Os procedimentos podem ser documentados ou não. Embora tanto a OHSAS como a NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional - PCMSO) trate desse mesmo assunto, ambas são divergentes quando o assunto é a obrigatoriedade da documentação. A NR-7 determina claramente que toda ordem deve ser feita na forma escrita/papel, devendo ter uma cópia de todo a documentação arquivada na empresa para futuras auditorias Registro: Documento que apresenta resultados obtidos ou fornece evidências de atividades realizadas. O item registro aqui citado é o documento final, o relatório final das atividades empresariais realizadas e este será armazenado para consultas futuras. De acordo com as NR s todos os documentos utilizados no procedimento da empresa no quesito SSO devem ser por escrito e armazenados para futuras fiscalizações; devendo ser obrigação do responsável pela área de atuação a sua criação e seu armazenamento. 13

14 3.21 Risco: Combinação entre a probabilidade de ocorrência de um evento ou exposição perigosa e a gravidade da lesão ou doença que pode ser causada pelo este evento ou exposição. A preocupação com a saúde do trabalhador é uma constante nas duas normas. Na norma nacional temos a NR-7 (Programa de Controle de Saúde Ocupacional - PCMSO) que trata sobre doenças que possam afetar o desempenho do trabalhador. Também a NR-9 (Programa de Prevenção a Riscos Ambientais PPRA) trata dos riscos e possíveis acidentes que possam prejudicar a saúde do trabalhador Análise de risco: Processo para avaliar os riscos originados dos perigos, levando em consideração a adequação dos controles existentes e decidir se o risco é aceitável ou não. A preocupação com o controle dos riscos também existe na NR-5 (Comissão Interna de acidentes CIPA) que determina a essa comissão que elabore regulamente o Mapa de Riscos previsto na Portaria nº 25 de , para permanentemente tornar compatível o trabalho desenvolvido pela empresa e a preservação da vida e saúde do trabalhador Local de Trabalho: Qualquer local físico no qual atividades relacionadas ao trabalho são realizadas sob o controle da organização. Nota: Quando considerar o quê constitui-se local de trabalho, a organização deve levar em conta os efeitos a OH&S de pessoas que, por exemplo, viajam ou estejam em trânsito (dirigindo, voando ou navegando), trabalhando sob a supervisão de clientes ou trabalhando em casa). O Local de trabalho é o próprio meio ambiente ao qual o trabalhador está exposto no exercício de suas funções. Tanto a OHSAS quanto a NR-1 (Disposições Gerais) determina que o local de trabalho é a área onde se encontra à disposição da empresa. 14

15 6. CONCLUSÕES Atuando como parâmetro de padrão internacional, a OSHA serve tanto como um apoio para orientar países que não possuem sua própria regulamentação como também um incentivo para o aperfeiçoamento da regulamentação existente se for o caso. No caso do Brasil que possui a NR já regulamentada e revisada, a OSHA serve mais como um complemento e parâmetro para que possamos estar aperfeiçoando as NR s, visto que ambas tratam praticamente de vários assuntos correlacionados sendo que uma se completa com a outra. Devido ao fato de ambas se completarem, é certo que uma revisão que incrementasse as NR s com os itens e artigos contidos na OSHA, que hoje são pouco claros ou mesmo inexistentes nas NR s, faria com que as NR s atuassem com muito mais clareza e abrangência na implementação e normatização da Segurança do Trabalho. Tomando o fato que ambas as normas já possuem teorias e pesquisas de profissionais da área, o uso de ambas padronizando-as no mercado nacional torná-los-ia mais competitivos internacionalmente sem grandes custos em longo prazo. Por outro lado, em curto prazo várias empresas nacionais teriam dificuldades tanto financeiramente como profissionalmente para se adequarem ao novo panorama legal, visto que a demanda de profissionais qualificados para exercer as NR s hoje vigentes ainda se encontra escassa. Ou seja, a interação da NR com a OSHA forçaria um salto quantitativo e qualitativo de conhecimento a nível acadêmico e dos profissionais que atuam na área, que considero benéfico e é importante que esse esforço ocorra. 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALBERTON, A. Uma Metodologia para auxiliar no gerenciamento de riscos e na seleção de alternativas de investimentos de segurança. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, ARAUJO, R. P. Sistemas de Gestão em Segurança e Saúde no Trabalho: Uma Ferramenta Organizacional. Joinville: Monografia Apresentada à Universidade de Santa Catarina para obtenção de título de especialista em Segurança do Trabalho, UDESC

16 BITENCOURT, C. L; QUELHAS, O. L. G. Histórico da revolução dos conceitos de segurança. XVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Niterói RJ, Artigo disponível em < > acesso em BRITISH STANDART INSTITUITION. Guide to occupation health and safety management systems BS Londres, BRITISH STANDART INSTITUITION. Occupation health and safety management systems Guidelines Specification BSI OHSAS London, CARDELLA, B. Segurança no trabalho e prevenção de acidentes: uma abordagem holística. São Paulo: Atlas,1999. MPAS MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL. Seminário Regional sobre Reformas dos Sistemas de Pensão na América Latina. Coleção Previdência Social, Brasília, MPAS, Disponível em <http://www.previdenciasocial.gov.br/arquivos/office/3_ pdf> acesso em OHSA Occupational Safety and Health Administration. Norma Apostila da Norma. OLIVEIRA, Cláudio Antônio Dias de. Manual Prático de Saúde e Segurança do Trabalho. São Caetano do Sul, São Paulo: Yendis Editora,

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

Gestão da Segurança e Saúde no. Angela Weber Righi

Gestão da Segurança e Saúde no. Angela Weber Righi Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Angela Weber Righi LEGISLAÇÃO BRASILEIRA PARA SST Legislação brasileira para SST Consolidação das leis do trabalho (CLT) editada em 01/05/1943 Título II das normas

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

OHSAS-18001:2007 Tradução livre

OHSAS-18001:2007 Tradução livre SISTEMAS DE GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL - REQUISITOS (OCCUPATIONAL HEALTH AND SAFETY MANAGEMENT SYSTEMS - REQUIREMENTS) OHSAS 18001:2007 Diretrizes para o uso desta tradução Este documento

Leia mais

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios.

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. Módulo 2 Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. História das normas de sistemas de gestão de saúde e segurança

Leia mais

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007)

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007) Gestão e otimização da produção Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional () Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho Introdução Fonte: Ministério da

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais.

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. RESOLUÇÃO Nº 306, DE 5 DE JULHO DE 2002 Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA

GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA Odilon Machado de Saldanha Júnior Belo Horizonte 2009 2 GUIA DO PROTOCOLO SALDANHA PARA AUDITORIA DO PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ELABORADO APROVADO FOLHA: 1/24 NOME Vivan Gonçalves Coordenador do SESMT Teresinha de Lara Coordenador do SGI DATA: 02/01/2007 VERSÃO: 01 ÍNDICE 1. Objetivo 4 1.1. Escopo do SGSSO TELEDATA 5 2. Referências

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO. Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Risk Tecnologia Coleção Risk Tecnologia SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO Requisitos e Diretrizes para a Integração de Sistemas de Gestão PAS 99:2012 Aplicável às Atuais e Futuras Normas ISO 9001, ISO 14001,

Leia mais

Texto para Discussão

Texto para Discussão Convênio: Fundação Economia de Campinas - FECAMP e Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE Termo de Referência: Reforma Trabalhista e Políticas Públicas para Micro e Pequenas Empresas Texto

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO OHSAS 18001 SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO IMPORTANTE: A BSI-OHSAS 18001 não é uma Norma Britânica. A BSI-OHSAS 18001 será cancelada quando da inclusão do seu conteúdo

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO DIRETRIZES BÁSICAS Elaborado em: 05/01/2011 Autor: Borges 1.Introdução É comum entre empregadores e colaboradores que exerçam cargos de confiança a preocupação em gerir

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NOÇÕES DE OHSAS 18001:2007 CONCEITOS ELEMENTARES SISTEMA DE GESTÃO DE SSO OHSAS 18001:2007? FERRAMENTA ELEMENTAR CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE CRÍTICA 4.3 PLANEJAMENTO A P C D 4.5 VERIFICAÇÃO

Leia mais

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho

Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho Integração de sistemas certificáveis de gestão da qualidade, meio ambiente e segurança do trabalho (ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001) Prof. Livre Docente Otávio J. Oliveira UNESP CONTEXTUALIZAÇÃO - Diluição

Leia mais

Planejamento da Auditoria de Saúde e Segurança no Trabalho OHSAS 18001

Planejamento da Auditoria de Saúde e Segurança no Trabalho OHSAS 18001 Planejamento da Auditoria de Saúde e Segurança no Trabalho OHSAS 18001 Cássio Eduardo Garcia (SENAC) cassiogarcia@uol.com.br Resumo Um dos principais instrumentos que uma organização pode utilizar para

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 Prof. Me. Vítor Hugo Magalhães Vono Engenheiro de Segurança do Trabalho Lei 6514 de 12/77 Capítulo V da CLT da Segurança e Medicina do Trabalho (art.

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

Gestão da segurança e saúde do trabalho

Gestão da segurança e saúde do trabalho 1 Gestão da segurança e saúde do trabalho RESUMO Renata Pereira de Araujo 1 Neri dos Santos 2 Wilson José Mafra 3 re_ambiental@yahoo.com.br 1 neri@egc.ufsc.br 2 mafra@joinville.udesc.br 3 1 Universidade

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 017/02 PREPARAÇÃO E ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA Página 2 de 5

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 017/02 PREPARAÇÃO E ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA Página 2 de 5 Página 2 de 5 1 OBJETIVO Este procedimento tem por objetivo o estabelecimento das diretrizes para elaboração de procedimentos técnicos e administrativos a serem adotados em situações emergenciais, tais

Leia mais

Prefácio. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional.

Prefácio. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional. Esta Norma OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo como Norma Internacional. Esta Norma OHSAS foi elaborada de acordo com as regras estabelecidas nas Diretrizes ISO/IEC,

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO DE AVALIADORES DE SGI PELAS NORMAS DE GESTÃO DE QUALIDADE, SMS E RESPONSABILIDADE SOCIAL 1 MODELOS DE GESTÃO MODELO Busca representar a realidade GESTÃO ACT CHECK PLAN DO PDCA 2 MODELOS DE GESTÃO

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização

Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos Clientes Localização 1º FORUM LISTER DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Antônio Sampaio Diretor Técnico INTRODUÇÃO Institucional Serviços Especialidades Laboratórios Conveniados Treinamentos

Leia mais

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express Apresentação 2 PPRA perguntas & respostas 3 PCMSO perguntas & respostas 5 Links Úteis 6 apresentação

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013. Qualificação: SEM CERTIFICAÇÃO TÉCNICA

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Plano de Trabalho Docente 2013. Qualificação: SEM CERTIFICAÇÃO TÉCNICA Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Dr. Francisco Nogueira de Lima Código:059 Município: CASA BRANCA Área Profissional: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: TÉCNICO EM SEGURANÇA

Leia mais

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000

Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Anexo A (informativo) Correspondência entre, ISO 14001:1996, ISO 9001:1994 e ISO 9001:2000 Tabela A.1 - Correspondência entre, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994 Seção Seção ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1994

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Segurança da Informação Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Norma: ISO/IEC NBR 27001 e ISO/IEC NBR 27002 Histórico O BSi (British Standard Institute) criou a norma BS 7799,

Leia mais

II.7.7 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador

II.7.7 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador 60 / 70 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador.1 Justificativa A PETROBRAS busca integrar Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS, consolidando os princípios relacionados a estes

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

Sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho em uma empresa de fabricação de sucos e polpas de frutas

Sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho em uma empresa de fabricação de sucos e polpas de frutas Sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho em uma empresa de fabricação de sucos e polpas de frutas Cristiane Kelly F. da Silva(UFPB) criskfsilva@yahoo.com.br Derylene da Fonseca Ferreira (UFPB)

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PAS 99:2006. Especificação de requisitos comuns de sistemas de gestão como estrutura para a integração

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PAS 99:2006. Especificação de requisitos comuns de sistemas de gestão como estrutura para a integração Coleção Risk Tecnologia SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PAS 99:2006 Especificação de requisitos comuns de sistemas de gestão como estrutura para a integração RESUMO/VISÃO GERAL (visando à fusão ISO 31000

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

POLÍTICA DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO

POLÍTICA DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO POLÍTICA DE HIGIENE E SEGURANÇA DO TRABALHO Toda empresa deve adotar uma Política de Higiene e Segurança do Trabalho e ao adotar políticas para as suas atividades, as empresas passam a dispor de instrumentos

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 3 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA ISO 14.001:2004 O que é ISO? A ISO - International Organization for Standardization é uma organização sediada em Genebra, na Suíça. Foi fundada em 1946; A sigla ISO foi

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

Política de Gestão de Riscos

Política de Gestão de Riscos Política de Gestão de Riscos 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002

POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002 POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002 POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Norma N-134.0002 Estabelece as diretrizes da política de segurança e saúde do trabalho na Celesc, definindo

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina VI-057 - IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO SGI (MEIO AMBIENTE E SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO)

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL

IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL PARTE: I Conceitos da gestão ambiental Aplicação: micro, pequenas e médias empresas. Referência: Norma NBR ISO 14001:2004 Tempo para implantação: de 5 à 12 meses. Duas Momentos (fases): planejamento implementação

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

Titulação: Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho PLANO DE CURSO

Titulação: Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho PLANO DE CURSO C U R S O D E E N G E N H A R I A D E P R O D U Ç Ã O Autorizado pela Portaria nº 1.150 de 25/08/10 DOU Nº 165 de 27/08/10 Componente Curricular: Higiene e Segurança do Trabalho Código: Pré-requisito:

Leia mais

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S

C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S C A T Á L O G O D E T R E I N A M E N T O S 200 D I F E R E N C I A D O S Sistema de Gestão Unificado - Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança Ocupacional.. Baseado no padrão C&Z4003 que reúne os

Leia mais

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação?

Qual a diferença entre certificação e acreditação? O que precisamos fazer para obter e manter a certificação ou acreditação? O que é a norma ISO? Em linhas gerais, a norma ISO é o conjunto de cinco normas internacionais que traz para a empresa orientação no desenvolvimento e implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE. Welliton Donizeti Popolim

CONTROLE DE QUALIDADE. Welliton Donizeti Popolim CONTROLE DE QUALIDADE Welliton Donizeti Popolim UM CENÁRIO MAIS COMPLEXO... Requisitos do consumidor mundial Qualidade ambiental Segurança Satisfação Produtos e serviços qualificados e certificados

Leia mais

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre

Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta do Departamento de Engenharia Civil, UFPE, Engenheira Civil, Mestre VI-093 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA NAS ÁREAS DE MEIO AMBIENTE, QUALIDADE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL UMA ABORDAGEM PRÁTICA NA INDÚSTRIA PETROFLEX-CABO/PE Maria do Carmo Sobral (1) Professora adjunta

Leia mais

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015

MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 MUDANÇAS NA ISO 9001: A VERSÃO 2015 Está em andamento o processo de revisão da Norma ISO 9001: 2015, que ao ser concluído resultará na mudança mais significativa já efetuada. A chamada família ISO 9000

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça/SP Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança. Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA

SECRETARIA DE SAÚDE SECRETARIA EXECUTIVA DE COORDENAÇÃO GERAL DIRETORIA GERAL DE PLANEJAMENTO - GERÊNCIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E PARTICIPATIVA NOTA TÉCNICA 07/13 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO - RAG ORIENTAÇÕES GERAIS Introdução O Planejamento é um instrumento de gestão, que busca gerar e articular mudanças e aprimorar o desempenho dos sistemas de

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP LEGISLAÇÃO A Portaria n 3214, de 08/06/1978, aprovou as normas regulamentadoras NR do capítulo V, Título II, da CLT, relativas a segurança e medicina do trabalho. Atualmente

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016

01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016 BOLETIM INFORMATIVO Nº 28/2015 ANO XII (13 de agosto de 2015) 01. esocial confirma fiscalização trabalhista total em 2016 Embora o esocial passe efetivamente a ser obrigatório a partir de setembro de 2016,

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA ELETROBRAS ELETRONORTE

POLÍTICA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA ELETROBRAS ELETRONORTE POLÍTICA DE GESTÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL DA ELETROBRAS ELETRONORTE 1 OBJETIVO... 1 2 CONCEITOS... 3 3 DIRETRIZES... 3 4 RESPOSABILIDADES... 5 5 DISPOSIÇÕES GERAIS... 5 2 1 OBJETIVO

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS De que trata cada Norma Regulamentadora (NR), urbanas e rurais. Nos links (sublinhados), você pode conferir o texto original das Normas, direto no site do Ministério do Trabalho

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

NR4- SESMT. Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Alunos:

NR4- SESMT. Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho. Alunos: NR4- SESMT Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho UFMS Faculdade de Engenharia Civil Prof. MSc. Elizabeth Spengler Cox e M. Leite Alunos: Jeverson Vasconcelos de Souza

Leia mais

Questões jurídicas e de riscos referentes aos processos de licenciamento e operação de Shoppings Centers

Questões jurídicas e de riscos referentes aos processos de licenciamento e operação de Shoppings Centers Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings ALSHOP Questões jurídicas e de riscos referentes aos processos de licenciamento e operação de Shoppings Centers São Paulo, 26 de julho de 2012 Marcelo Drügg

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Introdução à Segurança do Trabalho Desde seu aparecimento na Terra, o homem convive com situações de risco e por não ter controle sobre elas, esteve sempre sujeito a todo tipo de acidentes. Com o passar

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL ESPECIFICAÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL ESPECIFICAÇÃO ICS 03.100.01; 13.100 1 / 30 APRESENTAÇÃO A OHSAS 18001 foi desenvolvida com a participação das seguintes organizações: National Standards

Leia mais

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP

Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP Módulo 3 Procedimento e processo de gerenciamento de riscos, PDCA e MASP 6. Procedimento de gerenciamento de risco O fabricante ou prestador de serviço deve estabelecer e manter um processo para identificar

Leia mais

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade

Sistemas de Gestão da Qualidade. Introdução. Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade. Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Tema Sistemas de Gestão da Qualidade Projeto Curso Disciplina Tema Professor Pós-graduação Engenharia de Produção Gestão Estratégica da Qualidade Sistemas de Gestão da Qualidade Elton Ivan Schneider Introdução

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO - RDC No- 22, DE 23 DE ABRIL DE 2013 Aprova os Procedimentos Comuns para as Inspeções nos Fabricantes de Produtos Médicos e Produtos para Diagnóstico de Uso in vitro nos Estados Partes, e dá

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

RISCOS DE ACIDENTES EM OBRAS CIVIS DENTRO DE UMA. Monografia Apresentada ao Curso de Engenharia Civil UFC - 2012

RISCOS DE ACIDENTES EM OBRAS CIVIS DENTRO DE UMA. Monografia Apresentada ao Curso de Engenharia Civil UFC - 2012 RISCOS DE ACIDENTES EM OBRAS CIVIS DENTRO DE UMA SUBESTAÇÃO ELÉTRICA Aluna: Thalita Ripardo Ximenes Orientadora: Profª.. Dra. Ana Barbara de Araujo Nunes Monografia Apresentada ao Curso de Engenharia Civil

Leia mais

Impresso em 01/09/2015 15:46:32 (Sem título)

Impresso em 01/09/2015 15:46:32 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 24/08/2015 Verificado por Fernando Cianci em 25/08/2015 Aprovado por Ricardo Fontenele/BRA/VERITAS em 25/08/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5.

SUMÁRIO ÍNDICE. 1 Objetivo: 3. 2 Aplicação e Alcance: 3. 3 Referências: 3. 4 Definições e Abreviaturas: 4. 5 Responsabilidades: 5. OG Procedimento de Gestão PG.SMS.014 Denominação: Auditoria Interna do Sistema de Gestão de SMS SUMÁRIO Este procedimento estabelece premissas básicas sobre os critérios de planejamento e princípios a

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO DE ESPECIALISTA EM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO PARTE I INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Módulo 01: Generalidades (10 horas). o Sistema de Gestão: o que é e quais os benefícios? o Qualidade o Ambiental o Saúde e Segurança no Trabalho o Sistema

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI da Revista Construção e Mercado Pini Junho 2013. Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva

Texto para Coluna do NRE-POLI da Revista Construção e Mercado Pini Junho 2013. Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva Texto para Coluna do NRE-POLI da Revista Construção e Mercado Pini Junho 2013 Gerenciamento de riscos na implantação de empreendimentos imobiliários residenciais no atual cenário de desvios de prazos e

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais