Omissão de Socorro. Aula 7

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Omissão de Socorro. Aula 7"

Transcrição

1 Omissão de Socorro Aula 7

2 CRIMES OMISSIVO PRÓPRIO O que é o crime omissivo próprio? É aquele em que a lei prevê como núcleo da conduta do tipo uma omissão. Situação na qual a lei penal criminaliza aquele que não age em determinada situação que deveria agir (se abstém). Excluem-se aqui os casos de omissão imprópria crimes comissivos por omissão. Neste caso a lei penal não prevê uma omissão, mas sim uma ação. E o agente que sendo o garante (dever legal, contratual ou gerador do perigo) não agir para evitar um resultado criminoso, já que possuia o dever legal de cuidado, responderá pelo crime comissivo (por ação) na modalidade omissiva imprópria.

3 Omissão de socorro Art Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública: Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa. Parágrafo único - A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte. Dever de Solidariedade

4 Constitucionalidade dos crimes de perigo abstrato: Principal ponto de divergência princípio da lesividade Um dos aspectos do princípio da lesividade é que só interessa ao Direito Penal punir condutas que de fato violem bens jurídicos penalmente tutelados ou, ao menos, os exponham concretamente a lesão Luigi Ferrajoli Nas situações em que, de fato, nenhum perigo subsista, o que se castiga é a mera desobediência ou violação formal da lei por parte de uma ação inócua em si mesma. Também estes tipos deveriam ser reestruturados, sobre a base do princípio da lesividade, como delitos de lesão, ou pelo menos, de perigo concreto, segundo mereça o bem em questão uma tutela limitada ao prejuízo ou antecipada à mera colocação em perigo

5 Análise das Elementares Deixar de prestar assistência Dolo de omissão Criança Abandonada ou Extraviada Pessoa Inválida Não fazer algo. Não ajudar ou auxiliar. Dever pessoal o próprio sujeito age O agente não cria o risco de resultado proibido, mas incrementa o risco. Criança aquele que não tenha 12 anos completos - ECA (8.069/90) art 2º Por qualquer motivo abandonada à própria sorte por seus responsáveis ou tenha com eles perdido o contato ou a vigilância e não saiba retornar ao seu encontro. Aquele que não consegue por si só (autonomamente) prover sua própria segurança, por condições normais ou acidentais. Ex: idoso, cego, enfermo.

6 Adolescente e Adulto Nesta parte o sujeito passivo não é qualquer pessoa, é somente a criança Nesta parte o sujeito passivo é qualquer pessoa. Erro de Tipo Pessoa com 12 anos ou mais, se estiver abandonada ou extraviada - não há o dever de assistência nestas modalidades. Contudo, o art. 135 prevê o dever de assistência aplicável a qualquer pessoa (vítima) que se encontre nas seguintes situações: inválida, desamparo ou grave e iminente perigo. Então, nestas hipóteses o agente responderá por sua omissão. Ex: garoto de 13 anos perdido na praia. Agente não ajudou, pois acreditava que a pessoa perdida tinha mais de 12 anos (mas na realidade ainda era criança). Erro escusável/inescusável Excluem o dolo inexistência de modalidade culposa, agente não responderá por nada.

7 Análise das Elementares Pessoa Ferida, ao Desamparo ou em Grave e Iminente Perigo Perigo diverso de crime O Sujeito Passivo Não Pode Estar Sob a Guarda (em qualquer modalidade) do Sujeito Ativo O ferimento, desamparo ou perigo devem ser substanciais, de modo a incrementar o risco de um resultado proibido. Ex: pessoa com ferimento na mão ou perdida dentro de um hospital não caracterizam o crime. Porque? Ausência de tipicidade material Iminência do perigo o perigo deve ser imediato. Ex: casa irá desabar dentro de um mês. Não caracteriza o crime Perigo deve ser de pessoa desconhecida ou pessoa sem vínculo com o agente. Se estiver, caracteriza crime omissivo impróprio, abandono de incapaz (art. 133) ou abandono de recém-nascido (art. 134)

8 Análise das Elementares O Perigo Não Pode ser Gerado Por Crime Em Andamento Art Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito. No caso da autoridade/agente policial, ele tem o dever legal de agir, mesmo que estiver de folga/férias. Neste caso a omissão é imprópria, respondendo pelo crime cometido e não pelo 135 O cidadão tem o poder (faculdade) de agir, mas não o dever. Dever de solidariedade e não de heroísmo. Qualquer do povo pode se omitir se o perigo ou ferimento se originar de um crime que está ocorrendo flagrante delito. Se agir legítima defesa de 3º E se puder agir sem risco pessoal (ligar para a polícia, chamar auxílio)? Divergência a doutrina majoritária entende que não caracteriza a omissão de socorro a ausência de solicitação de auxílio, no caso de crime. Passada a situação de crime, voltará a existir o dever de assistência, já que o risco é gerado pelo ferimento/desamparo e não mais pelo crime. Quanto tempo? Razoabilidade. Se não agir? Art. 135

9 Análise das Elementares 2ª Parte Forma Alternativa de Cometimento ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública: Qual autoridade pública? Se o agente não socorrer pessoalmente a vítima e também não pedir socorro da autoridade pública, responderá igualmente pela omissão. Aquela com a função própria ou imprópria de assistir no socorro a autoridade que tenha a habilidade/treinamento para cessar o perigo. Ex: Acidente no trânsito polícia, bombeiro, médico, socorrista. Não pode ser qualquer uma. Ex: agente se depara com pessoa acidentada próxima ao fórum e pede auxílio para o promotor.

10 2ª Parte Forma Alternativa de Cometimento Dever Alternativo ou Subsidiário? O cidadão pode escolher se socorre pessoalmente ou solicita auxílio da autoridade? Não! Dever subsidiário só solicitará auxílio se não puder socorrer imediatamente, sem risco pessoal. Ex: criança se afogando em lago na zona rural. Nesta circunstância o socorro será inócuo, pois levará muito tempo até atender ao chamado. Não basta que o agente solicite assistência pública, ele tem o dever pessoal de salvar a criança. E se não encontrar nenhuma autoridade pública ou pelas circunstâncias seja impossível a chamada de emergência? Não responderá por nada. O dever do cidadão é de assistência e não de evitar o resultado proibido.

11 Análise das Elementares Exclusão da tipicidade: existência de risco pessoal Não há obrigação de assistência direta, se houver risco pessoal para o agente ou terceiros incêndio, carro prestes a explodir, agente não sabe nadar etc. Nestes casos ainda subsiste o dever subsidiário solicitar assistência pública. Se não conseguir o contato, não responderá por nada. Erro de tipo: Suposição de risco pessoal Pessoa desfalecida na estrada durante a madrugada. Agente não auxilia, por acreditar ser uma emboscada criminosa. Erro escusável/inescusável Excluem o dolo inexistência de modalidade culposa, agente não responderá por nada.

12 Destaques Momento Consumativo Admite tentativa? Com a efetiva omissão. Não, por se tratar de crime omissivo próprio. Ou se omite ou não se omite. E se o socorro já houver sido suprido por terceiros? Causa de Aumento de Pena Descaracteriza o crime, salvo se o auxílio do agente também for necessário. Parágrafo único - A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte. Forma praeterdolosa agente tem dolo na omissão, mas culpa na lesão grave ou morte. Se resultar lesão leve fica absorvida pelo art. 135

13 Situações Mais Comuns na Prática Omissão no atendimento médico emergencial (pronto-atendimento) Dever legal do médico, enfermeiro, recepcionista, segurança do estabelecimento de saúde providenciar atendimento imediato para os pacientes graves. Independe de ter plano de saúde ou condições de pagar (discussão posterior na esfera cível). Se simplesmente se omite em prestar o atendimento: Art. 135 Omissão de socorro. TRÊS SITUAÇÕES Se condiciona o atendimento a exigência de garantia (cheque-caução, nota promissória) ou preenchimento prévio de formulários : Art. 135-A Condicionamento de atendimento médicohospitalar emergencial No caso de omissão para pessoa idosa (60 anos ou mais) Art. 97 da Lei /03 (Estatuto do Idoso)

14 IMPORTANTE PARA CONCURSO Art. 97. Deixar de prestar assistência ao idoso, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, em situação de iminente perigo, ou recusar, retardar ou dificultar sua assistência à saúde, sem justa causa, ou não pedir, nesses casos, o socorro de autoridade pública: Pena detenção de 6 (seis) meses a 1 (um) ano e multa. Parágrafo único. A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte. Neste crime, não é só a omissão no socorro. Mas o retardo ou a criação de óbices (dificultar) também são criminalizados. No concurso público: cuidado ao diferenciar a omissão de socorro simples para o delito específico contra idoso

15 Situações Mais Comuns na Prática Omissão nos acidentes de trânsito Código de Trânsito Brasileiro Art Deixar o condutor do veículo, na ocasião do acidente, de prestar imediato socorro à vítima, ou, não podendo fazê-lo diretamente, por justa causa, deixar de solicitar auxílio da autoridade pública: Penas - detenção, de seis meses a um ano, ou multa, se o fato não constituir elemento de crime mais grave. Parágrafo único. Incide nas penas previstas neste artigo o condutor do veículo, ainda que a sua omissão seja suprida por terceiros ou que se trate de vítima com morte instantânea ou com ferimentos leves.

16 Se o condutor não se envolver em acidente algum, mas estiver no contexto do trânsito, será aplicada a regra geral. Art. 135 (Omissão de Socorro) do Código Penal. Exemplo: Pessoa dirige seu veículo normalmente e avista no acostamento uma pessoa ferida. Se o condutor se envolver em acidente de trânsito, cujo resultado possa ser lhe atribuído à título de culpa: incidirá a pena do resultado + causa de aumento de pena. Exemplo: Pessoa dirige seu veículo acima da velocidade permitida e colide em outro, causando lesões a vítima. Se não prestar socorro, a pena será (art. 303 CTB) de 6 meses a dois anos + 1/3 ( único) Art Praticar homicídio culposo na direção de veículo automotor: Penas - detenção, de dois a quatro anos 1o No homicídio culposo cometido na direção de veículo automotor, a pena é aumentada de 1/3 (um terço) à metade, se o agente: III - deixar de prestar socorro, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à vítima do acidente; Art Praticar lesão corporal culposa na direção de veículo automotor: Penas - detenção, de seis meses a dois anos Parágrafo único. Aumenta-se a pena de 1/3 (um terço) à metade, se ocorrer qualquer das hipóteses do 1o do art. 302.

17 O artigo 304 do CTB só é aplicável ao agente que se envolva em acidente de trânsito e o resultado não lhe seja atribuível, nem mesmo à título de culpa. Ex: Suicida se joga na frente do veículo em alta velocidade; problema técnico absolutamente extraordinário e imprevisível ocasiona a colisão; outro veículo colide contra o conduzido pelo agente, desviando sua rota e fazendo com que venha a abaloar a vítima. Inconstitucionalidade do único do art. 304 Argumentos: 1º) Dever de solidariedade exagerado 2º) Nemo tenetur se detegere 3º) Ausência de tipicidade material - Se a vítima morreu instantaneamente, se a omissão foi suprida por terceiros ou há apenas ferimentos leves, inexiste bem jurídico a ser tutelado (perigo de grave incremento no risco proibido).

18 Então como fica? Resumo Motorista que não se envolve em acidente, mas avista pessoa ferida e se omite Motorista se envolve em acidente, no qual se atribui o resultado à titulo de culpa e se omite Motorista se envolve em acidente, no qual não é possível atribuí-lo o resultado nem à título de culpa, e se omite Art. 135 CP Omissão de Socorro. Pena 1 a 6 meses Art. 302 ou 303 CTB + Causa de Aumento de Pena 2 a 4 anos + 1/3 6 meses a 2 anos + 1/3 Art. 304 CTB Pena 6 meses a 1 ano

19 Omissão nos acidentes de trânsito E se há recusa da vítima em ser socorrida? Subsiste o dever legal de assistência. O agente deverá socorrê-la mesmo contra sua vontade. E se a omissão é derivada de perigo de linchamento? E se a omissão é derivada da inaptidão do agente ou receito de piorar a condição da vítima? Há risco pessoal. Não responderá por nada. Neste caso não há que se falar em omissão de socorro, pois a omissão deriva de um justo motivo. Assim o agente apenas tem o dever de solicitar apoio das autoridades. Ex: imobilização da coluna cervical. Kit médico

20 Omissão de socorro- Art Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública: Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa. Parágrafo único - A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte. Nomen Iuris Objeto Jurídico Sujeito Ativo Sujeito Passivo Elemento Subjetivo Tentativa Forma Culposa Comum, Próprio ou Mão Própria Concurso de Pessoas Participação de Pessoas Forma Livre ou Vinculada Material, Formal ou Mera Conduta Ação Penal Competência Rito Transeunte ou Não Transeunte Crime de Perigo Criança ou Qualquer pessoa (vide explicação)

Direito Penal. Art. 130 e Seguintes

Direito Penal. Art. 130 e Seguintes Direito Penal Art. 130 e Seguintes Artigos 130 e 131 Perigo de Contágio Venéreo (Art. 130) e Perigo de Contágio de Moléstia Grave (Art. 131) - Crimes de perigo individual (e não de perigo comum); - A consumação

Leia mais

Munição Referente ao Injusto Penal e Ilicitude

Munição Referente ao Injusto Penal e Ilicitude 1 UNIPOL MUNIÇÃO REFERENTE A ILICITUDE E INJUSTO PENAL Munição Referente ao Injusto Penal e Ilicitude Vamos lá! para falarmos de ILICITUDE não podemos esquecer nosso quadro do Crime nunca! PRIMEIRO DEVEMOS

Leia mais

Liberdade provisória sem fiança.

Liberdade provisória sem fiança. Liberdade provisória sem fiança. OBJETIVO DESSE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM SERÁ A APRESENTAÇÃO DO INSTITUTO DA LIBERDADE PROVISÓRIA SEM FIANÇA LIBERDADE PROVISÓRIA LIBERDADE PROVISÓRIA A liberdade

Leia mais

AULA EMERJ ESTATUTO DO IDOSO PROFESSORA CRISTIANE DUPRET

AULA EMERJ ESTATUTO DO IDOSO PROFESSORA CRISTIANE DUPRET AULA EMERJ ESTATUTO DO IDOSO PROFESSORA CRISTIANE DUPRET Art. 1 o É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.

Leia mais

A Lei 10.216/2001 e o Código Penal análise.

A Lei 10.216/2001 e o Código Penal análise. A Lei 10.216/2001 e o Código Penal análise. Luciana C. Paiotti Figueredo Juíza de Direito Responsável pelo julgamento das execuções das Medidas de Segurança e pelas visitas correicionais dos Hospitais

Leia mais

AÇÃO CIVIL EX DELICTO

AÇÃO CIVIL EX DELICTO CONCEITO é a ação ajuizada pelo ofendido na esfera cível para obter indenização pelo dano causado pelo crime. LOCAL DA PROPOSITURA: ação pode ser proposta no foro do domicílio da vítima, do local dos fatos,

Leia mais

Art. 134 - Expor ou abandonar recém-nascido, para ocultar desonra própria: 1º - Se do fato resulta lesão corporal de natureza grave:

Art. 134 - Expor ou abandonar recém-nascido, para ocultar desonra própria: 1º - Se do fato resulta lesão corporal de natureza grave: ART. 134 EXPOSIÇÃO OU ABANDONO DE RECÉM-NASCIDO Art. 134 - Expor ou abandonar recém-nascido, para ocultar desonra própria: Pena - detenção, de seis meses a dois anos. 1º - Se do fato resulta lesão corporal

Leia mais

www.concursovirtual.com.br

www.concursovirtual.com.br 01) No dia 25 de fevereiro de 2014, na cidade de Ariquemes, Felipe, nascido em 03 de março de 1996, encontra seu inimigo Fernando na rua e desfere diversos disparos de arma de fogo em seu peito com intenção

Leia mais

LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO

LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO LICENÇA POR ACIDENTE EM SERVIÇO DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES PROCEDIMENTO FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Licença concedida em decorrência de dano físico ou

Leia mais

Atualização da Legislação de Trânsito

Atualização da Legislação de Trânsito Atualização da Legislação de Trânsito Alexandre Basileis No dia 1º de novembro de 2014, entra em vigor a Lei 12.971, de 9 de maio de 2014, que altera os artigos. 173, 174, 175, 191, 202, 203, 292, 302,

Leia mais

[Digite aqui] GUIA PARA OS CMDCAS A RESPEITO DA RESOLUÇÃO 164/2014

[Digite aqui] GUIA PARA OS CMDCAS A RESPEITO DA RESOLUÇÃO 164/2014 GUIA PARA OS CMDCAS A RESPEITO DA RESOLUÇÃO 164/2014 O que os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA precisam saber a respeito do Registro da Entidade e a Inscrição dos Programas

Leia mais

OS CRIMES DE OMISSÃO DE SOCORRO E DE CONDICIONAMENTO DE ATENDIMENTO MÉDICO- HOSPITALAR EMERGENCIAL

OS CRIMES DE OMISSÃO DE SOCORRO E DE CONDICIONAMENTO DE ATENDIMENTO MÉDICO- HOSPITALAR EMERGENCIAL OS CRIMES DE OMISSÃO DE SOCORRO E DE CONDICIONAMENTO DE ATENDIMENTO MÉDICO- HOSPITALAR EMERGENCIAL ROGÉRIO TADEU ROMANO Procurador Regional da Republica aposentado Noticia-se que o Delegado titular da

Leia mais

Crimes do Estatuto do Idoso 10.741/03 Prof. Marcelo Daemon

Crimes do Estatuto do Idoso 10.741/03 Prof. Marcelo Daemon Crimes do Estatuto do Idoso 10.741/03 Prof. Marcelo Daemon I Fundamento Constitucional Art. 229. Os pais têm o dever de assistir, criar e educar os filhos menores, e os filhos maiores têm o dever de ajudar

Leia mais

ASSUNTO: CAUSAS DIRIMENTES, JUSTIFICATIVAS E EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE

ASSUNTO: CAUSAS DIRIMENTES, JUSTIFICATIVAS E EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE ASSUNTO: CAUSAS DIRIMENTES, JUSTIFICATIVAS E EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE OBJETIVO: PERMITIR AO CADETE IDENTIFICAR E ANALISAR AS CAUSAS DIRIMENTES, JUSTIFICATIVAS E A EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE. SUMÁRIO: 1 -

Leia mais

NOÇÕES GERAIS DE PARTE GERAL DO CP E CPP ESSENCIAIS PARA O ENTENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL

NOÇÕES GERAIS DE PARTE GERAL DO CP E CPP ESSENCIAIS PARA O ENTENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL NOÇÕES GERAIS DE PARTE GERAL DO CP E CPP ESSENCIAIS PARA O ENTENDIMENTO DA LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL 1. ITER CRIMINIS CAMINHO DO CRIME FASE INTERNA COGITAÇÃO ( irrelevante para direito penal) 2. FASE EXTERNA

Leia mais

Sumário 1. Conceito de crime 2. Definições importantes 3. Classificação das infrações penais 4. Os requisitos do fato punível

Sumário 1. Conceito de crime 2. Definições importantes 3. Classificação das infrações penais 4. Os requisitos do fato punível Sumário Nota à segunda edição........................................................ 23 1. Conceito de crime.......................................................... 25 1.1. Conceito Formal.........................................................

Leia mais

CRIMES DE TRÂNSITO EM ESPÉCIE LEI 9.503/97

CRIMES DE TRÂNSITO EM ESPÉCIE LEI 9.503/97 CRIMES DE TRÂNSITO EM ESPÉCIE LEI 9.503/97 CRIME CTB PENA AUMENTO DA PENA 1/3 A ½ Art. 302 Homicídio culposo Art. 303 Lesão corporal culposa Art. 304 Omissão de socorro Detenção, 2 a 4 anos e meses a 2

Leia mais

DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Artigos 125 a 129 do Código de Processo Civil)

DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Artigos 125 a 129 do Código de Processo Civil) DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Artigos 125 a 129 do Código de Processo Civil) A denunciação da lide chama o denunciado que mantém vínculo de direito com o denunciante, a fim de responder a garantia do negócio jurídico,

Leia mais

PARECER N, DE 2012. RELATORA: Senadora VANESSA GRAZZIOTIN. A proposta está estruturada em três artigos.

PARECER N, DE 2012. RELATORA: Senadora VANESSA GRAZZIOTIN. A proposta está estruturada em três artigos. PARECER N, DE 2012 Da COMISSÃO DE MEIO AMBIENTE, DEFESA DO CONSUMIDOR E FISCALIZAÇÃO E CONTROLE, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado n 460, de 2011, do Senador Ciro Nogueira, que altera

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 07 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

DISPENSA DE LICITAÇÃO: AUSÊNCIA DE TIPICIDADE MATERIAL. FATO ATÍPICO. TRANCAMENTO DA AÇÃO PENAL.

DISPENSA DE LICITAÇÃO: AUSÊNCIA DE TIPICIDADE MATERIAL. FATO ATÍPICO. TRANCAMENTO DA AÇÃO PENAL. DISPENSA DE LICITAÇÃO: AUSÊNCIA DE TIPICIDADE MATERIAL. FATO ATÍPICO. TRANCAMENTO DA AÇÃO PENAL. Por força do art. 89 da Lei 8.666/1993 constitui delito Dispensar ou inexigir licitação fora das hipóteses

Leia mais

Teoria geral do crime

Teoria geral do crime CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº 49 DATA 13/10/15 DISCIPLINA DIREITO PENAL (NOITE) PROFESSOR CHRISTIANO GONZAGA MONITORA JAMILA SALOMÃO AULA 07/08 Ementa: Na aula de hoje serão abordados os seguintes

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 0011/2012

NOTA TÉCNICA Nº 0011/2012 NOTA TÉCNICA Nº 0011/2012 Brasília, 26 de junho de 2012. ÁREA: TÍTULO: Contabilidade Pública Restos a Pagar Considerando que, de acordo com o art. 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é vedado ao

Leia mais

HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR E TRABALHADOR Noção de TRABALHADOR Pessoa singular que, mediante retribuição, se obriga a prestar serviço a um empregador, incluindo

Leia mais

MISAEL DUARTE A ANÁLISE DA OMISSÃO IMPRÓPRIA EM FACE DA ATUAÇÃO DO BOMBEIRO E AS CONSEQUÊNCIAS NA ESFERA CIVIL E PENAL

MISAEL DUARTE A ANÁLISE DA OMISSÃO IMPRÓPRIA EM FACE DA ATUAÇÃO DO BOMBEIRO E AS CONSEQUÊNCIAS NA ESFERA CIVIL E PENAL MISAEL DUARTE A ANÁLISE DA OMISSÃO IMPRÓPRIA EM FACE DA ATUAÇÃO DO BOMBEIRO E AS CONSEQUÊNCIAS NA ESFERA CIVIL E PENAL CURITIBA 2014 MISAEL DUARTE A ANÁLISE DA OMISSÃO IMPRÓPRIA EM FACE DA ATUAÇÃO DO BOMBEIRO

Leia mais

ANTP COMISSÃO DE TRÂNSITO GT SEGURANÇA O REGISTRO DEACIDENTES NOBRASIL:

ANTP COMISSÃO DE TRÂNSITO GT SEGURANÇA O REGISTRO DEACIDENTES NOBRASIL: ANTP COMISSÃO DE TRÂNSITO GT SEGURANÇA O REGISTRO DEACIDENTES NOBRASIL: A QUESTÃO DA FALTA DE PADRONIZAÇÃO DO FORMULÁRIO Engo. José Antonio Oka jaoka@uol.com.br 26/04/13 Gestão da Segurança Viária Nesta

Leia mais

AÇÕES EM CASO DE ACIDENTES DE TRABALHO, EMERGÊNCIAS, URGÊNCIAS E DEMAIS SITUAÇÕES DE ATENDIMENTO À SAÚDE NO CPqRR POP NUST 02 REV04

AÇÕES EM CASO DE ACIDENTES DE TRABALHO, EMERGÊNCIAS, URGÊNCIAS E DEMAIS SITUAÇÕES DE ATENDIMENTO À SAÚDE NO CPqRR POP NUST 02 REV04 AÇÕES EM CASO DE ACIDENTES DE TRABALHO, EMERGÊNCIAS, URGÊNCIAS E DEMAIS SITUAÇÕES DE ATENDIMENTO À SAÚDE NO CPqRR POP NUST 02 REV04 Elaborado por: Elislene Drummond e Estefânia Câmara Verificado por: Luciana

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA TRT-5 PRESTADOR MÉDICO

MANUAL DO SISTEMA TRT-5 PRESTADOR MÉDICO Tribunal Regional do Trabalho 5ª Região MANUAL DO SISTEMA TRT-5 PRESTADOR MÉDICO Manual do Sistema TRT5-Saúde para Prestador Médico Baseado no modelo fornecido pelo TST-SAÙDE Versão 1.0 7/outubro/2014

Leia mais

Código Penal, com as alterações vigentes - artigos: 299, 312 a 327, 356 a 357, 359

Código Penal, com as alterações vigentes - artigos: 299, 312 a 327, 356 a 357, 359 Falsidade ideológica Código Penal, com as alterações vigentes - artigos: 299, 312 a 327, 356 a 357, 359 Art. 299 - Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO ENTRE O NOVO CÓDIGO CIVIL, O CÓDIGO CIVIL DE 1916 E O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE QUANTO A ADOÇÃO.

QUADRO COMPARATIVO ENTRE O NOVO CÓDIGO CIVIL, O CÓDIGO CIVIL DE 1916 E O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE QUANTO A ADOÇÃO. 1 QUADRO COMPARATIVO ENTRE O NOVO CÓDIGO CIVIL, O CÓDIGO CIVIL DE E O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE QUANTO A ADOÇÃO. Artigo 1618 Só a pessoa maior de 18 (dezoito) anos pode adotar. Artigo 368 -

Leia mais

LAUDO PARA SOLICITAÇÃO, AVALIAÇÃO E AUTORIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS DO COMPONENTE ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO

LAUDO PARA SOLICITAÇÃO, AVALIAÇÃO E AUTORIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS DO COMPONENTE ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO LAUDO PARA SOLICITAÇÃO, AVALIAÇÃO E AUTORIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS DO COMPONENTE ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO SOLICITAÇÃO DO MEDICAMENTO Campo 1 - Nome do Paciente:

Leia mais

REGIME JURÍDICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

REGIME JURÍDICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO REGIME JURÍDICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Pela Lei nº 3/2014* de 28 de Janeiro (em vigor desde 27 de Fevereiro), foi alterado o regime jurídico da promoção e prevenção da segurança e da saúde no

Leia mais

DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO

DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO DICAS E EXERCÍCIOS LEI 9.503/97 - CRIMES DE TRÂNSITO (ART. 291 AO 312 DO CTB) PCGO-2016 PROF: PAULO SÉRGIO QUESTÃO 01 (PROVA PRF 2008 CESPE/UNB) De acordo com o CTB e acerca das ações penais por crimes

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

Art. 130. Perigo de contágio venéreo. Pena detenção, de três meses a um ano, ou multa. 2º. Representação.

Art. 130. Perigo de contágio venéreo. Pena detenção, de três meses a um ano, ou multa. 2º. Representação. Art. 129, caput. Lesão Corporal de Natureza Leve Pena detenção, de três meses a um ano. 4º deste mesmo artigo motivo de relevante valor social ou moral/domínio de violenta emoção, logo após injusta provocação

Leia mais

VERIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE ÓBITOS EXCERTOS DA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL

VERIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE ÓBITOS EXCERTOS DA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL VERIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE ÓBITOS EXCERTOS DA LEGISLAÇÃO APLICÁVEL / A palavra certidão constante do texto deverá ser entendida como certificado de óbito. COMENTÁRIOS/ORIENTAÇÕES: A regra geral da verificação

Leia mais

CONFLITO APARENTE DE NORMAS PENAIS PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES

CONFLITO APARENTE DE NORMAS PENAIS PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES CONFLITO APARENTE DE NORMAS PENAIS PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES É quando 2 ou mais normas aparentemente podem ser aplicadas ao mesmo fato. Tal conflito é meramente aparente, pois apenas uma das normas

Leia mais

CORRUPÇÃO ATIVA E CORRUPÇÃO PASSIVA - AS DIFERENÇAS ENTRE OS CRIMES PRATICADOS POR FUNCIONÁRIO PÚBLICO E PARTICULAR

CORRUPÇÃO ATIVA E CORRUPÇÃO PASSIVA - AS DIFERENÇAS ENTRE OS CRIMES PRATICADOS POR FUNCIONÁRIO PÚBLICO E PARTICULAR CORRUPÇÃO ATIVA E CORRUPÇÃO PASSIVA - AS DIFERENÇAS ENTRE OS CRIMES PRATICADOS POR FUNCIONÁRIO PÚBLICO E PARTICULAR Fabrício Cortese Mendonça 1 1. INTRODUÇÃO Para que possamos compreender de uma forma

Leia mais

OS PLANOS DO MUNDO JURÍDICO

OS PLANOS DO MUNDO JURÍDICO OS PLANOS DO MUNDO JURÍDICO Rosane Becker 1 1 INTRODUÇÃO O negócio jurídico, para que seja válido e tornar-se efetivo, necessita de alguns elementos chamados de essenciais. Esses elementos são a existência,

Leia mais

ACIDENTE DO TRABALHO E RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR. Adriana Jardim Alexandre Supioni adrianajardim@terra.com.br

ACIDENTE DO TRABALHO E RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR. Adriana Jardim Alexandre Supioni adrianajardim@terra.com.br ACIDENTE DO TRABALHO E RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR Adriana Jardim Alexandre Supioni adrianajardim@terra.com.br ACIDENTES DO TRABALHO ESTATÍSTICAS No mundo: 2,34 milhões de pessoas morrem a cada

Leia mais

DIREITO AMBIENTAL. Prof.: LEONARDO BARRETO

DIREITO AMBIENTAL. Prof.: LEONARDO BARRETO DIREITO AMBIENTAL Prof.: LEONARDO BARRETO Art. 1º (VETADO) Art. 2º Quem, de qualquer forma, concorre para a prática dos crimes previstos nesta Lei, incide nas penas a estes cominadas, na medida da sua

Leia mais

3.1. PERIGO DE CONTÁGIO VENÉREO ART. 130 DO CÓDIGO PENAL

3.1. PERIGO DE CONTÁGIO VENÉREO ART. 130 DO CÓDIGO PENAL Capítulo 3 D a Periclita ç ã o Da Vida E Da Saúde Periclitação vem do verbo periclitar que significa estar em perigo, correr perigo. Este capítulo do Código Penal tutela as situações em que a vida ou a

Leia mais

Acidente de Trabalho. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.

Acidente de Trabalho. Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1. Acidente de Trabalho Matéria: Saúde e Segurança no Trabalho/Benefício e Assist. Social Professora: Debora Miceli Versão: 1.0 - jun/13 O que é Acidente de Trabalho? Art. 19. Acidente do trabalho é o que

Leia mais

Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental.

Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI No 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona

Leia mais

Estágios da Despesa Pública

Estágios da Despesa Pública Professor Luiz Antonio de Carvalho Estágios da Despesa Pública lac.consultoria@gmail.com CONCEITO: A despesa pública consiste na realização de gastos, isto é, na aplicação de recursos financeiros de forma

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) PROJETO DE LEI Nº, DE 2009 (Do Sr. Capitão Assumção) Altera dispositivo da lei 8.069 (Estatuto da Criança e do Adolescente) para obrigar a realização da triagem neonatal completa realizada em recém nascidos.

Leia mais

ANEXO 3 GERENCIAMENTO DE MODIFICAÇÕES

ANEXO 3 GERENCIAMENTO DE MODIFICAÇÕES ANEXO 3 GERENCIAMENTO DE MODIFICAÇÕES 1 OBJETIVO O objetivo do Gerenciamento de Modificações consiste em prover um procedimento ordenado e sistemático de análise dos possíveis riscos introduzidos por modificações,

Leia mais

AULA 3 DIREITO EMPRESARIAL

AULA 3 DIREITO EMPRESARIAL AULA 3 DIREITO EMPRESARIAL CAPACIDADE DA PESSOA FÍSICA Capacidade de direito ou capacidade jurídica É a aptidão que a pessoa física possui de exercer direitos e contrair obrigações. O ser humano possui

Leia mais

Ação de Exigir Contas

Ação de Exigir Contas Ação de Exigir Contas Previsão legal e Observações! No NCPC está disciplinado nos arts. 550/553! Possuía previsão no CPC/73 estava disciplinado no art. 914/919.! Obs. No CPC73 o nome de tal ação era de

Leia mais

ATA NOTARIAL DE USUCAPIÃO ORIENTAÇÕES GERAIS

ATA NOTARIAL DE USUCAPIÃO ORIENTAÇÕES GERAIS Aos notários catarinenses Prezados colegas, Com a finalidade de orientar aos colegas sobre o procedimento a ser adotado na lavratura de atas notariais para fins de usucapião, nos termos do que dispõe o

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador GEOVANI BORGES I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador GEOVANI BORGES I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em caráter terminativo, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 512, de 2007, do Senador Paulo Paim, que acrescenta parágrafo ao art. 764 da Consolidação

Leia mais

Departamento de Polícia Rodoviária Federal 4ª Superintendência Regional Minas Gerais PLANO DE TRABALHO

Departamento de Polícia Rodoviária Federal 4ª Superintendência Regional Minas Gerais PLANO DE TRABALHO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Departamento de Polícia Rodoviária Federal 4ª Superintendência Regional Minas Gerais PLANO DE TRABALHO Referente ao Convênio n.º 003 /2004 4ª SRPRF PM/R. NEVES

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO EXAME DE ORDEM OAB 1ª FASE

CONTROLE DE CONTEÚDO EXAME DE ORDEM OAB 1ª FASE 1 Teoria Geral da Constituição / Separação de Poderes 2 Direitos e deveres individuais e coletivos 3 Nacionalidade 4 Direitos políticos/ Partidos Políticos 5 Organização Político-Administrativa 6 Poder

Leia mais

WORKSHOP 45 anos de ABLP. Simone Paschoal Nogueira

WORKSHOP 45 anos de ABLP. Simone Paschoal Nogueira WORKSHOP 45 anos de ABLP Simone Paschoal Nogueira São Paulo, 30 de novembro de 2015 Lixiviados Principal Legislação Resolução CONAMA 01/86 Significativo Impacto ( EIA) Resolução CONAMA 237/97 Licenciamento

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANO AMBIENTAL

RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANO AMBIENTAL RESPONSABILIDADE CIVIL POR DANO AMBIENTAL O QUE É RESPONSABILIDADE? S.f. 1. Qualidade de responsável. 2. Dir. Obrigação geral de responder pelas conseqüências dos próprios atos ou pelas dos outros. (Michaelis)

Leia mais

Capítulo 2 2.1. ROUBO ART. 157 DO CÓDIGO PENAL

Capítulo 2 2.1. ROUBO ART. 157 DO CÓDIGO PENAL Capítulo 2 D o Roubo e da Ext o r s ã o 2.1. ROUBO ART. 157 DO CÓDIGO PENAL O crime de roubo é a subtração de coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante violência, grave ameaça ou qualquer outro

Leia mais

Material Teórico DIREITO DO IDOSO. Aula 4. Crimes Contra o Idoso. Conteudista Responsável: Profª Marlene Lessa. cod IdosoCDS1110_a04

Material Teórico DIREITO DO IDOSO. Aula 4. Crimes Contra o Idoso. Conteudista Responsável: Profª Marlene Lessa. cod IdosoCDS1110_a04 Material Teórico DIREITO DO IDOSO Aula 4 Crimes Contra o Idoso Conteudista Responsável: Profª Marlene Lessa cod IdosoCDS1110_a04 1 Introdução Nossa aula tratará do Direito do Idoso na esfera do crime.

Leia mais

São aquelas em que há uma multiplicidade de sujeitos. Posso ter na obrigação vários devedores, vários credores ou vários credores e vários devedores.

São aquelas em que há uma multiplicidade de sujeitos. Posso ter na obrigação vários devedores, vários credores ou vários credores e vários devedores. OBRIGAÇÕES DIVISÍVEIS E INDIVISÍVEIS São aquelas em que há uma multiplicidade de sujeitos. Posso ter na obrigação vários devedores, vários credores ou vários credores e vários devedores. A classificação

Leia mais

ILICITUDE CONCEITO:É a relação de antagonismo, contrariedade que se estabelece entre o fato típico e o ordenamento.

ILICITUDE CONCEITO:É a relação de antagonismo, contrariedade que se estabelece entre o fato típico e o ordenamento. ILICITUDE CONCEITO:É a relação de antagonismo, contrariedade que se estabelece entre o fato típico e o ordenamento. Exclusão de ilicitude (tipos permissivos) Art. 23 - Não há crime quando o agente pratica

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA BOLSA DE ESTÁGIO SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA

CONCURSO PÚBLICO PARA BOLSA DE ESTÁGIO SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA CONCURSO PÚBLICO PARA BOLSA DE ESTÁGIO SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA NOME COMPLETO: RG: CPF: INSTRUÇÕES Leia atentamente e cumpra rigorosamente as instruções que se seguem: Os telefones celulares

Leia mais

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação.

Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. PLANO DE CURSO - 2010/01 Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e / ou da Coordenação. DISCIPLINA: DIREITO PENAL IV PROFESSOR: ISRAEL DOMINGOS JORIO TURMA: 6DM UNIDADES CONTEÚDOS

Leia mais

Cadastrando uma nova denúncia

Cadastrando uma nova denúncia Cadastrando uma nova denúncia Versão 1.0 Índice 1. Introdução... 2 2. Consultando uma denúncia... 2 3. Incluindo uma denúncia... 4 Cadastrando uma nova denúncia Pág. 2 1. Introdução O Conselho Tutelar

Leia mais

1) Qual a resolução que dispõe sobre a notificação da autuação e defesa da autuação?

1) Qual a resolução que dispõe sobre a notificação da autuação e defesa da autuação? Diante da veiculação e circulação de e-mails falsos, o DER/MG esclarece que não faz uso de correio eletrônico para notificar sobre a existência de multas. 1) Qual a resolução que dispõe sobre a notificação

Leia mais

"USE SEMPRE A PREVENÇÃO EM TRÂNSITO E EVITE SURPRESAS DESAGRADAVEIS"

USE SEMPRE A PREVENÇÃO EM TRÂNSITO E EVITE SURPRESAS DESAGRADAVEIS "USE SEMPRE A PREVENÇÃO EM TRÂNSITO E EVITE SURPRESAS DESAGRADAVEIS" RECURSO DE MULTA Todo cidadão ao ser multado, tem por direito fazer um recurso e assim tentar junto ao órgão que lhe impôs a penalidade

Leia mais

Guarda e suas implicações sobre os regimes previdenciários

Guarda e suas implicações sobre os regimes previdenciários Guarda e suas implicações sobre os regimes previdenciários Adalgisa Wiedemann Chaves Promotora de Justiça Promotoria de Justiça de Família e Sucessões Duas análises possíveis: 1. Guarda no Eixo Parental

Leia mais

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS

PARCELAMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS PARCELAMENTO DE TRIBUTOS ESTADUAIS ICMS IPVA ITCD TAXAS 1. INTRODUÇÃO - LEGISLAÇÃO Lei 6.763/75 Consolidação da Legislação Tributária do Estado de Minas Gerais. Regulamento do Processo e dos Procedimentos

Leia mais

Regulamento Interno. A inscrição para admissão deverá ser efetuada pessoalmente pelo

Regulamento Interno. A inscrição para admissão deverá ser efetuada pessoalmente pelo CADERNO DIÁRIO Rua Joaquim Nicolau de Almeida, nº 805 4400-188 Vila Nova de Gaia www.caderno-diario.com 917049954/223716660 Regulamento Interno Disposições Gerais A inscrição para admissão deverá ser efetuada

Leia mais

CARTILHA DOS PROCEDIMENTOS DA BIOMETRIA

CARTILHA DOS PROCEDIMENTOS DA BIOMETRIA CARTILHA DOS PROCEDIMENTOS DA BIOMETRIA Controladoria Regional de Trânsito HELP DESK / CRT 2009 INFORMAÇÕES INICIAIS 1- Que candidatos terão que verificar a biometria e a partir de que momento? Todos os

Leia mais

AULA 4 02/03/11 A ANÁLISE TIPOLÓGICA DO ART. 121

AULA 4 02/03/11 A ANÁLISE TIPOLÓGICA DO ART. 121 AULA 4 02/03/11 A ANÁLISE TIPOLÓGICA DO ART. 121 1 O ARTIGO 121, 2º 1.1 INCISO I O inciso I, do 2º, do art. 121, do Código Penal trata do homicídio qualificado porquanto ocorra por motivo torpe 1 (formulação

Leia mais

Registo de Representantes Autorizados e Pessoas Responsáveis

Registo de Representantes Autorizados e Pessoas Responsáveis Instrução da Euronext 2-01 Alterado em 4 de Agosto de 2014 Data de Entrada em vigor: 11 de Agosto de 2014 Assunto: Registo de Representantes Autorizados e Pessoas Responsáveis Departamento: Regulation

Leia mais

Juizados Especiais Cíveis

Juizados Especiais Cíveis Juizados Especiais Cíveis Juiz de Direito/RS 1) O que é Juizado Especial Cível? É uma justiça mais célere, informal, totalmente gratuita, destinada a julgar as causas de menor complexidade. São aquelas

Leia mais

AULA 04. OBRIGAÇÕES DE FAZER e OBRIGAÇÕES DE NÃO FAZER.

AULA 04. OBRIGAÇÕES DE FAZER e OBRIGAÇÕES DE NÃO FAZER. AULA 04 OBRIGAÇÕES DE FAZER e OBRIGAÇÕES DE NÃO FAZER. 1. DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER 1.1. DEFINIÇÃO A obrigação de fazer (obligatio faciendi) abrange o serviço humano em geral, seja material ou imaterial,

Leia mais

7 - SUJEITOS DE DIREITO

7 - SUJEITOS DE DIREITO 7 - SUJEITOS DE DIREITO Pessoa Natural é o homem possuidor de capacidade para adquirir direitos e assumir obrigações; Todo ser humano é pessoa; 02 categorias: PN e PJ Personalidade jurídica é a aptidão

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 149, DE 19 DE SETEMBRO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 149, DE 19 DE SETEMBRO DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 149, DE 19 DE SETEMBRO DE 2003 Dispõe sobre uniformização do procedimento administrativo da lavratura do auto de infração, da expedição da Notificação da Autuação e da Notificação da Penalidade

Leia mais

Acumulação de funções

Acumulação de funções Exmo. Sr. Presidente da Camara Municipal 3250-100 ALVAIÁZERE Acumulação de funções, trabalhador no com relação jurídica de emprego publico a tempo indeterminado / termo resolutivo desta Camara Municipal

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS...

SUMÁRIO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS... SUMÁRIO CAPÍTULO I CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 13 Processo X procedimento... 13 Ritos no processo de cognição... 13 Procedimento comum... 14 Procedimento especial... 14 Atividade jurisdicional estrutura...

Leia mais

REGULAMENTO 03 de abril de 2016 Art. 1 Art. 2

REGULAMENTO 03 de abril de 2016 Art. 1 Art. 2 REGULAMENTO Os grupos interessados em participar deste Encontro, a realizar-se no dia 03 de abril de 2016, estarão condicionados a este regulamento, ao qual aderem automaticamente por ocasião de solicitação

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DO DIREITO DA FIB

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DO DIREITO DA FIB REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DO DIREITO DA FIB A Diretora da Faculdade de Direito das Faculdades Integradas Brasileiras - FIB, nos termos do artigo 12, inciso XXIII do Regimento Geral

Leia mais

Roubo. - Caso a própria vítima tenha se colocado em estado que impossibilite a resistência, haverá furto. Ex. Bêbado que dorme na praça.

Roubo. - Caso a própria vítima tenha se colocado em estado que impossibilite a resistência, haverá furto. Ex. Bêbado que dorme na praça. Roubo Art. 157 - Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência: Pena

Leia mais

A Reforma do Código Penal Brasileiro ACRIERGS 2012

A Reforma do Código Penal Brasileiro ACRIERGS 2012 A Reforma do Código Penal Brasileiro ACRIERGS 2012 Reforma e Consolidação de Leis Os Ganhos da Consolidação e Atualização das Leis Penais Os riscos do açodamento Omissão de Socorro Art. 394. Deixar de

Leia mais

RETIFICAÇÃO ANEXO IV DECLARAÇÃO

RETIFICAÇÃO ANEXO IV DECLARAÇÃO RETIFICAÇÃO No Edital de Credenciamento nº 001/2008 Credenciamento de Entidades Médicas e Psicológicas, publicado no Diário Oficial Paraná Comércio, Indústria e Serviços, de 25 de junho de 2008, página

Leia mais

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S Regulamento que estabelece os procedimentos a observar em caso de Acidentes de Trabalho O presente regulamento visa dar cumprimento ao disposto no artigo 5.º do REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA, HIGIENE

Leia mais

Sumário COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS... 13 GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 15 NOTA DOS AUTORES À 4ª EDIÇÃO... 17. Parte I DIREITO DAS OBRIGAÇÕES

Sumário COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS... 13 GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 15 NOTA DOS AUTORES À 4ª EDIÇÃO... 17. Parte I DIREITO DAS OBRIGAÇÕES COLEÇÃO SINOPSES PARA CONCURSOS... 13 GUIA DE LEITURA DA COLEÇÃO... 15 NOTA DOS AUTORES À 4ª EDIÇÃO... 17 Parte I DIREITO DAS OBRIGAÇÕES Capítulo I INTRODUÇÃO AO DIREITO DAS OBRIGAÇÕES... 25 1. Conceito,

Leia mais

A OMISSÃO DE SOCORRO E O DESCASO COM A VIDA DA VÍTIMA ACIDENTADA NO TRÂNSITO

A OMISSÃO DE SOCORRO E O DESCASO COM A VIDA DA VÍTIMA ACIDENTADA NO TRÂNSITO A OMISSÃO DE SOCORRO E O DESCASO COM A VIDA DA VÍTIMA ACIDENTADA NO TRÂNSITO Rafael Durand Couto 1 O presente trabalho tem por escopo apresentar alguns aspectos comportamentais das pessoas na contemporaneidade

Leia mais

Para a Lei 11.788/2008, a jornada de estágio é de, no máximo 6 horas diárias, e semanalmente no mínimo 20 e no máximo 30 horas.

Para a Lei 11.788/2008, a jornada de estágio é de, no máximo 6 horas diárias, e semanalmente no mínimo 20 e no máximo 30 horas. 1. A partir de quando posso estagiar? Alunos dos Cursos Superiores: a partir do segundo período. Alunos dos Cursos Técnicos Integrados: a partir do segundo ano. Alunos dos Cursos Técnicos Subsequentes:

Leia mais

PPR Taxa Garantida 2% + O PPR Taxa Garantida 2%+ é um plano de poupança que assegura:

PPR Taxa Garantida 2% + O PPR Taxa Garantida 2%+ é um plano de poupança que assegura: Característi cas PPR Taxa Garantida 2% + O PPR Taxa Garantida 2%+ é um plano de poupança que assegura: Capital e rendimento mínimo garantido a uma taxa mínima garantida de 2% em cada ano durante o prazo

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE 2012.

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE 2012. ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 23 DE 4 DE ABRIL DE 2012.

Leia mais

ATOS DO PODER EXECUTIVO

ATOS DO PODER EXECUTIVO ATOS DO PODER EXECUTIVO DECRETO Nº 43.538 DE 03 DE ABRIL DE 2012 INSTITUI O REGIME ADICIONAL DE SERVIÇOS (RAS) PARA POLICIAIS CIVIS, POLICIAIS MILITARES, BOMBEIROS MILITARES E AGENTES PENITENCIÁRIOS -

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Nº 17599/CS

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Nº 17599/CS Nº 17599/CS RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS Nº 115.083/MG RECORRENTE: DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO PACIENTE: HÉLIO LÚCIO DE QUEIROZ RECORRIDO: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL RELATOR: MINISTRO LUIZ FUX LEI

Leia mais

Consultório On-line. Tudo o que você precisa em um só lugar.

Consultório On-line. Tudo o que você precisa em um só lugar. 1) ACESSO AO SISTEMA Digite o endereço www.unimedbh.com.br/consultorio em qualquer computador com acesso à internet. Preencha os campos com o seu usuário e a senha. Para o login, digite as letras ADM,

Leia mais

Novas aplicações on-line da Segurança Social Direta

Novas aplicações on-line da Segurança Social Direta Novas aplicações on-line da Segurança Social Direta O programa do XXI Governo Constitucional assumiu, entre os seus objetivos essenciais para o relançamento da economia portuguesa e para a criação de emprego,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA - CIDADÃO 1. PORTAL DA SALA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO

MANUAL DO SISTEMA - CIDADÃO 1. PORTAL DA SALA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO 1. PORTAL DA SALA DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO O portal da Sala de Atendimento ao Cidadão está disponível no endereço: www.cidadao.mpf.mp.br. Nesse ambiente é possível registrar uma manifestação, consultar

Leia mais