MOBILIZAÇÃO DOS CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO DE RIO LARGO/AL: O PROJECTU DA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MOBILIZAÇÃO DOS CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO DE RIO LARGO/AL: O PROJECTU DA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA"

Transcrição

1 MOBILIZAÇÃO DOS CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO DE RIO LARGO/AL: O PROJECTU DA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA Javan Sami Araújo dos Santos Secretaria Municipal de Educação de Rio Largo/AL Porto de Galinhas Ipojuca/PE 2015

2 APRESENTAÇÃO MOBILIZAÇÃO DOS CONSELHEIROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO DE RIO LARGO/AL: O PROJECTU DA PARTICIPAÇÃO NA PROMOÇÃO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA Significa lançar um ideário para diante, como o próprio sentido etimológico da palavra projeto, o termo projectu, que tem sua origem no latim e nos leva presumir um futuro com atitudes diferenciadas do que há no presente. Sendo assim, a proposta do trabalho foi propor uma direção, um caminho, um rumo. Isso porque, com a mobilização tem-se a intencionalidade do compromisso com a coletividade. Portanto, articula a participação do cidadão para atuar em sociedade.

3 INTRODUÇÃO O trabalho partiu da necessidade constatada quanto à ampliação dos estudos sobre os caminhos da gestão democrática e participativa na rede pública municipal de Rio Largo/AL, relacionada ao tema da atuação dos Conselheiros Municipais de Educação na democratização do Sistema de Ensino.

4 JUSTIFICATIVA PROPOSTA DA AÇÃO IN LÓCUS Paro (1997, p. 25) diz que A democracia, enquanto valor universal e prática de colaboração recíproca entre grupos e pessoas, é um processo globalizante que, tendencialmente, deve envolver cada indivíduo, na plenitude de sua personalidade. Reconhecendo que deve estar pautado na realização de atividades que sejam participativas, descentralizadas, coletivas, autônomas, responsáveis, comprometidas com a sociedade, assim exercendo sua cidadania.

5 Só existirá Democracia no Brasil no dia em que se montar no país, a máquina que prepara as democracias. Essa máquina é a da escola pública. Anísio Teixeira, (Manifesto dos Pioneiros, 1932)

6 GESTÃO DEMOCRÁTICA

7 O PRINCÍPIO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NO CONTEXTO DA LDB Na medida em que a administração seja entendida como a utilização racional de recursos para a realização de determinados fins (PARO, 1997), é bastante vasto o conjunto de determinações constantes na atual LDB que diz respeito à gestão da educação. Todavia, é possível levantar alguns pontos que dizem respeito mais diretamente à democratização e participação.

8 Anjos e Demônios, 1949 Maurits Cornelis Escher ( ) xilogravura 41,6 cm

9 LIBERDADE & AUTONOMIA A liberdade de ambos somente existe quando ambos são livres ao mesmo tempo, senão não há sentido para a liberdade, nem para a autonomia. A autonomia somente existe na proporção em que ela acontece nas relações sociais e por este caminho ela é construída. Tanto no plano individual, como no plano coletivo ou institucional.

10 OBJETIVOS FINALIDADES DA MOBILIZAÇÃO EM PROL DA DEMOCRATIZAÇÃO O PROJECTU: da Participação à promoção da Gestão Democrática Garantir por meio da mobilização dos conselheiros municipais de educação no Órgão Colegiado (Conselho Municipal de Educação) a capacidade participativa na construção da gestão democrática e efetivação do Conselho em Rio Largo/AL.

11 FUNÇÕES INDISSOCIÁVEIS NA GESTÃO DEMOCRÁTICA Função Pedagógica Função Social Função Gerencial Função Técnica

12 CONSIDERAÇÕES FINAIS Conseguimos por meio dos diversos sujeitos da sociedade civil organizada e pública, perceber as ações do Conselho Municipal de Educação e as implicações participativas na gestão pública municipal, possibilitando e fortalecendo a autonomia e a valorização da comunidade. Portanto, a democracia deve preocupar-se com a convivência e o diálogo entre sujeitos que pensam de formas diferentes e querem coisas distintas, de maneira que o aprendizado torne-se necessário a capacidade de discutir, de elaborar e planejar regras coletivamente, assim como a superação dos limites e das divergências, contribuindo dessa forma, para melhoria na construção de projetos comuns, que fazem os avanços serão mais significativos.

13 Pela atenção, Obrigado!! Magritte (82) Whatsapp

14 Avante, pois A ESCOLA É NOSSA!

15 REFERÊNCIAS ARAÚJO, Sergio Onofre de. Gestão Democrática? Os desafios de uma gestão participativa na educação pública em uma sociedade clientelista e oligárquica. Maceió: EDUFAL, BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia. 6º Ed. São Paulo: Brasiliense, DOURADO, Luís Fernandes. Conselho Escolar, gestão democrática da educação e escolha do diretor. 1. ed. Brasília-DF: MEC/SEB, HYPÓLITO, Álvaro Moreira; LEITE, Maria Cecília; DALL IGNA, Maria Antonieta; MARCOLLA, Valdinei. Gestão Educacional e Democracia Participativa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, LÜCK, H. Concepções e processos democráticos de gestão educacional. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. São Paulo: Ática, PARO, Vitor Henrique. Gestão escolar, democracia e qualidade do ensino. São Paulo: Ática, VIEIRA, Sofia Lerche; MEDEIROS, Isabel Letícia Pedroso de. Gestão escolar democrática: concepções e vivências. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

Gestão e prática educacional democrática

Gestão e prática educacional democrática Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Educação Sociologia da Educação - I A - 2015/1 Eixo Escola e Cidadania Gestão e prática educacional democrática Vanessa Souza Pereira - Mestranda

Leia mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E OS CONSELHOS ESCOLARES.

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E OS CONSELHOS ESCOLARES. 02364 GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL E OS CONSELHOS ESCOLARES. SIRLEY TEREZINHA. FILIPAK - PUCPR CLOVES ANTONIO DE AMISSIS AMORIM - PUCPR RESUMO A experiência profissional dos diretores (gestores),

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E O TRABALHO COLETIVO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E O TRABALHO COLETIVO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS GESTÃO ESCOLAR DEMOCRÁTICA E O TRABALHO COLETIVO: DESAFIOS E PERSPECTIVAS Vanilda Aparecida Alves Escola Municipal Salim Bittar vanilda_alves@hotmail.com Marília Beatriz Ferreira Abdulmassih Pontifícia

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO ESCOLAR: AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR

FUNDAMENTOS DA GESTÃO ESCOLAR: AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR FUNDAMENTOS DA GESTÃO ESCOLAR: AS ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS DO PEDAGOGO ENQUANTO GESTOR Kely-Anee de Oliveira Nascimento Universidade Federal do Piauí kelyoliveira_@hotmail.com INTRODUÇÃO A escola é a

Leia mais

Índice. 1. O Processo de Organização Escolar Pensando para a Prática Grupo Módulo 8

Índice. 1. O Processo de Organização Escolar Pensando para a Prática Grupo Módulo 8 GRUPO 5.1 MÓDULO 8 Índice 1. O Processo de Organização Escolar...3 1.1. Pensando para a Prática... 3 2 1. O PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO ESCOLAR O processo de organização escolar dispõe de etapas a fim de que

Leia mais

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA PÚBLICA: UMA REALIDADE DISTANTE

GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA PÚBLICA: UMA REALIDADE DISTANTE GESTÃO DEMOCRÁTICA NA ESCOLA PÚBLICA: UMA REALIDADE DISTANTE Arlete Vieira Lima RESUMO O artigo relata as questões relevantes da "Gestão democrática na escola pública" analisada em quatro instituições

Leia mais

O que vêm à sua mente?

O que vêm à sua mente? Controle Social O que vêm à sua mente? Controle Social Controle da sociedade Algo controla a sociedade X Controle da sociedade A sociedade controla algo Quando o Algo controlou a sociedade Breve resgate

Leia mais

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013

PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 Página 1 de 5 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 247, DE 10 DE MAIO DE 2013 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

Trabalho Social em Habitação de Interesse Social: Perspectivas Políticas

Trabalho Social em Habitação de Interesse Social: Perspectivas Políticas PUC SP Pontifícia Universidade Católica de São Paulo São Paulo Nov. 2015 Trabalho Social em Habitação de Interesse Social: Perspectivas Políticas Cíntia Almeida Fidelis Assistente Social Assessoria Técnica

Leia mais

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares;

D E C R E T A. a) dos cursos de licenciaturas; b) das residências pedagógicas; c) das práticas pedagógicas curriculares; Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 16.718 DE 11 DE MAIO DE 2016 Dispõe sobre a instituição e organização dos Complexos Integrados de Educação, no âmbito

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DO ORIENTADOR EDUCACIONAL

ATRIBUIÇÕES DO ORIENTADOR EDUCACIONAL ATRIBUIÇÕES DO ORIENTADOR EDUCACIONAL Durante o planejamento o Orientador Educacional deverá ter disponível a legislação específica que ao regulamentar a profissão, delimitou suas atribuições. Tratase

Leia mais

CEI MUNDO PARA TODO MUNDO. Bases pedagógicas e de gestão

CEI MUNDO PARA TODO MUNDO. Bases pedagógicas e de gestão CEI MUNDO PARA TODO MUNDO Bases pedagógicas e de gestão BASES PEDAGÓGICAS Garantir educaçao inclusiva como fundamento de toda açao pedagógica. Garantir o acesso a educação de qualidade como direito de

Leia mais

ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO

ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO Unidade II ORIENTAÇÃO E PRÁTICA DE GESTÃO DA EDUCAÇÃO EM AMBIENTES ESCOLARES E NÃO ESCOLARES Prof. Tarciso Joaquim de Oliveira 5. Prática de gestão da educação no contexto da atualidade O propósito dessa

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: DESAFIOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA DEMOCRÁTICA

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: DESAFIOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA DEMOCRÁTICA PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO: DESAFIOS NA CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA DEMOCRÁTICA Justificando a pesquisa Regina Célia Barbalho Professora, aluna do Mestrado em Administração pela FBV Recife/PE reginabarbalho@uol.com.br

Leia mais

Semestre letivo/ Módulo 4º semestre. Curso: Pedagogia Componente Curricular: Gestão Escolar Carga Horária: 50 horas.

Semestre letivo/ Módulo 4º semestre. Curso: Pedagogia Componente Curricular: Gestão Escolar Carga Horária: 50 horas. FACULDADE SUMARÉ PLANO DE ENSINO Curso: Pedagogia Componente Curricular: Gestão Escolar Carga Horária: 50 horas Semestre letivo/ Módulo 4º semestre Professor(es): Período: 1º Semestre / 2015 Ementa Reflexão

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Análise da perspectiva de Justiça na conjuntura do Liberalismo e do Comunitarismo Carolina Cunha dos Reis A possibilidade de fundamentação da ação política sobre os princípios éticos

Leia mais

Tema. - Socialização das Atividades; Horário. 08:00 às 09:00hs - Dinâmica; 09:00 às 12:00hs. 12:00 às 13:00hs Almoço

Tema. - Socialização das Atividades; Horário. 08:00 às 09:00hs - Dinâmica; 09:00 às 12:00hs. 12:00 às 13:00hs Almoço Progestão 8ª edição 2012 5º encontro presencial Sistematização Módulo III Turma: 1 Tutora: Linamar Gonçalves Data : 11 de Julho Local: E.E. Jose Gomes Junqueira Horário Tema 08:00 às 09:00hs - Dinâmica;

Leia mais

ANEXO I - ORIENTAÇÃO PARA AS ESCOLAS SOBRE A IMPLANTAÇÃO/IMPLEMENTAÇÃO DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS 2017

ANEXO I - ORIENTAÇÃO PARA AS ESCOLAS SOBRE A IMPLANTAÇÃO/IMPLEMENTAÇÃO DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS 2017 ANEXO I - ORIENTAÇÃO PARA AS ESCOLAS SOBRE A IMPLANTAÇÃO/IMPLEMENTAÇÃO DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS 2017 Contextualização O Projeto de Gestão Democrática da Educação foi desenvolvido pela SEE em 2016 e contou

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE

POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE POLÍTICA INSTITUCIONAL E PROMOÇÃO AO CPC E ENADE PROENADE A Política Institucional de Promoção ao CPC e ENADE PROENADE nos Cursos de Graduação

Leia mais

Revisão das Normas Regimentais Básicas das Escolas Estaduais

Revisão das Normas Regimentais Básicas das Escolas Estaduais Revisão das Normas Regimentais Básicas das Escolas Estaduais A construção coletiva na revisão da Proposta Pedagógica e do Regimento da Escola na perspectiva de uma educação de qualidade Objetivos da videoconferência:

Leia mais

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva

Projeto: Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS COLETIVO MS Ministério da Saúde Secretaria Executiva Valorização do Trabalho e dos Trabalhadores do MS 2011 2014 Ministério da Saúde Secretaria Executiva O Coletivo MS é um grupo de trabalhadores do Ministério da Saúde, coordenado pela Secretaria Executiva,

Leia mais

ANÁLISE DOS CONCEITOS EDUCACIONAIS NAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS E PROGRESSISTAS

ANÁLISE DOS CONCEITOS EDUCACIONAIS NAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS E PROGRESSISTAS SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO LICENCIATURA EM MATEMÁTICA ELISANDRO RAFAEL BAUMGARTEN ANÁLISE DOS CONCEITOS EDUCACIONAIS NAS TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS LIBERAIS E PROGRESSISTAS Horizontina 2015 ELISANDRO

Leia mais

Índice. 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional Os Saberes dos Professores...4

Índice. 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional Os Saberes dos Professores...4 GRUPO 5.3 MÓDULO 4 Índice 1. Professor-Coordenador e suas Atividades no Processo Educacional...3 2. Os Saberes dos Professores...4 2.1. O Papel do Coordenador Pedagógico... 5 2 1. PROFESSOR-COORDENADOR

Leia mais

REDE SOCIOASSISTENCIAL

REDE SOCIOASSISTENCIAL REDE SOCIOASSISTENCIAL O que é Vulnerabilidade Social? Pode ser entendida como a condição de risco em que uma pessoa se encontra. Um conjunto de situações mais, ou menos problemáticas, que situam a pessoa

Leia mais

Metodologia do Ensino

Metodologia do Ensino Metodologia do Ensino Prof. Eduardo Henrique de M. Lima Definições: - Planejamento é uma necessidade constatnte em todas as áreas da atividade humana; - Planejar é analisar uma dada realidade, refletindo

Leia mais

PLANO PLURIANUAL

PLANO PLURIANUAL Maio de 2011 É POR AQUI O Maranhão avança com o processo democrático. Esta oportunidade de mobilização é muito valiosa para o exercício da cidadania, afinal nem sempre conseguimos reunir tantas pessoas

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR: A ESCOLA COMO UM ESPAÇO DE EXERCÍCIO DA DEMOCRACIA.

GESTÃO ESCOLAR: A ESCOLA COMO UM ESPAÇO DE EXERCÍCIO DA DEMOCRACIA. GESTÃO ESCOLAR: A ESCOLA COMO UM ESPAÇO DE EXERCÍCIO DA DEMOCRACIA. Autor: Nayanne Costa Rocha Universidade do Estado do Rio Grande do Norte UERN nayannerocha@hotmail.com RESUMO: Esse estudo traz algumas

Leia mais

Avaliação Nacional da Alfabetização ANA

Avaliação Nacional da Alfabetização ANA Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Avaliação Nacional da Alfabetização ANA Diretoria de Avaliaçaõ da Educação Básica CGEC DAEB - INEP Maio de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-2 DISCIPLINA: Socialização das Experiências Docentes II JP0040 PROFESSOR: Ms. Patrícia Moura Pinho I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II

Leia mais

Câmara Municipal de São Caetano do Sul

Câmara Municipal de São Caetano do Sul SENHOR PRESIDENTE PROJETO DE LEI INSTITUI O CONSELHO MUNICIPAL DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA, COM A FINALIDADE DE ELABORAR E IMPLEMENTAR O PROGRAMA DE APOIO À ECONOMIA SOLIDÁRIA E AO COOPERATIVISMO POPULAR

Leia mais

DEZ ANOS: trajetórias e repercussões

DEZ ANOS: trajetórias e repercussões DEZ ANOS: trajetórias e repercussões Criação do Programa Gestão Criação do Programa Em busca das referências legais Criação do Programa Portaria Ministerial 2.896/2004 Cria no âmbito da Secretaria de Educação

Leia mais

ELEIÇÃO DE DIRETOR: ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE INGRESSO AO CARGO DE DIRETOR. Daniel Junior de Oliveira 1, Fabiana Kalil Borges 2

ELEIÇÃO DE DIRETOR: ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE INGRESSO AO CARGO DE DIRETOR. Daniel Junior de Oliveira 1, Fabiana Kalil Borges 2 A formação docente em Ciência, Tecnologia, Sociedade e Educação Ambiental ELEIÇÃO DE DIRETOR: ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE INGRESSO AO CARGO DE DIRETOR Daniel Junior de Oliveira 1, Fabiana Kalil Borges 2 1

Leia mais

A Gestão do Cuidado e dos Serviços de Saúde

A Gestão do Cuidado e dos Serviços de Saúde A Gestão do Cuidado e dos Serviços de Saúde O processo de descentralização dos serviços de saúde, como princípio organizativo do SUS, não se limita à transferência de responsabilidades e recursos ao gestor

Leia mais

A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER AVANÇOS?

A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER AVANÇOS? A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER AVANÇOS? A QUALIDADE E ENSINO DE GRADUAÇÃO E O COMPLEXO EXERCÍCIO DE PROPOR INDICADORES: É POSSÍVEL OBTER

Leia mais

2 EMENTA Conceituação literária de regional e universal. Obras literárias produzidas no Tocantins.

2 EMENTA Conceituação literária de regional e universal. Obras literárias produzidas no Tocantins. 8 semestre INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, 1 IDENTIFICAÇÃO Componente Curricular: Literatura Regional Total de horas: 80 Conceituação literária de regional e universal. Obras literárias produzidas no Tocantins.

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA POLÍTICA AMBIENTAL

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA POLÍTICA AMBIENTAL CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA POLÍTICA AMBIENTAL Porto Alegre 2014 CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IPA Reitor e Pró-Reitor de Graduação Roberto Pontes da Fonseca Coordenadora de Graduação Luciane Torezan

Leia mais

Projeto Preliminar: Levantamento de requisitos e proposta de um Planejamento Estratégico Transparente e Participativo para o IFSC

Projeto Preliminar: Levantamento de requisitos e proposta de um Planejamento Estratégico Transparente e Participativo para o IFSC Instituto de Física de São Carlos Programa de Qualidade e Produtividade Projeto Preliminar: Levantamento de requisitos e proposta de um Planejamento Estratégico Transparente e Participativo para o IFSC

Leia mais

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo

(Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo LEI Nº 16.271, DE 17 DE SETEMBRO DE 2015 (Projeto de Lei nº 415/12, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo do Legislativo) Aprova o Plano Municipal de Educação de São Paulo META 1. Ampliar o investimento

Leia mais

DESAFIOS PARA A ESCOLA PÚBLICA

DESAFIOS PARA A ESCOLA PÚBLICA 02403 GESTÃO ESCOLAR, ESFERA PÚBLICA E DEMOCRACIA PLURALISTA: DESAFIOS PARA A ESCOLA PÚBLICA Silvana de Alencar Silva Mestranda em Educação IFMT/PPGE/UFMT Glaucia Eunice Gonçalves da Silva Doutoranda em

Leia mais

Sicredi Pioneira RS Nova Petrópolis, uma história centenária de cooperativismo e desenvolvimento. Márcio Port

Sicredi Pioneira RS Nova Petrópolis, uma história centenária de cooperativismo e desenvolvimento. Márcio Port Sicredi Pioneira RS Nova Petrópolis, uma história centenária de cooperativismo e desenvolvimento Márcio Port Sicredi Pioneira RS A Sicredi Pioneira RS é. Fundação: 28/12/1902, em Linha Imperial, localidade

Leia mais

O Projeto Político-Pedagógico na perspectiva do planejamento participativo. Curso de Especialização em Gestão Escolar 18/05/17

O Projeto Político-Pedagógico na perspectiva do planejamento participativo. Curso de Especialização em Gestão Escolar 18/05/17 O Projeto Político-Pedagógico na perspectiva do planejamento participativo Curso de Especialização em Gestão Escolar 18/05/17 É necessário conhecer e apreender a realidade de cada instituição escolar que

Leia mais

MINUTA EM CONSTRUÇÃO

MINUTA EM CONSTRUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR UNIVERSITÁRIO MINUTA EM CONSTRUÇÃO RESOLUÇÃO POLÍTICA DE AÇÕES AFIRMATIVAS E PROMOÇÃO DA IGUALDADE ÉTNICO-RACIAL Institui a Política de Ações Afirmativas

Leia mais

Regulamento Quadro de Valor

Regulamento Quadro de Valor Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil Regulamento Quadro de Valor Ano Letivo 2015/16 Regulamento do Quadro de Valor Preâmbulo A escola, enquanto agente dinamizador de inovação social e cultural, deve

Leia mais

PERSPECTIVAS DE GESTÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ARTICULAÇÃO ENTRE O ADMINISTRATIVO E O PEDAGÓGICO

PERSPECTIVAS DE GESTÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ARTICULAÇÃO ENTRE O ADMINISTRATIVO E O PEDAGÓGICO 1 PERSPECTIVAS DE GESTÃO ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ARTICULAÇÃO ENTRE O ADMINISTRATIVO E O PEDAGÓGICO Formação e Gestão em Processos Educativos Soênia Maria Fernandes Introdução O presente trabalho

Leia mais

MESA REDONDA: O Desenvolvimento Local a partir da Atuação de Fundações e Institutos. Cecília Galvani

MESA REDONDA: O Desenvolvimento Local a partir da Atuação de Fundações e Institutos. Cecília Galvani MESA REDONDA: O Desenvolvimento Local a partir da Atuação de Fundações e Institutos Cecília Galvani Instituto Lina Galvani Quem Instituto Empresarial Familiar (OSCIP) criada em 2003, inspirada nos valores

Leia mais

Carta-compromisso dos Candidatos ao Governo do Estado com a Educação Básica Pública

Carta-compromisso dos Candidatos ao Governo do Estado com a Educação Básica Pública Carta-compromisso dos Candidatos ao Governo do Estado com a Educação Básica Pública A Constituição Federal Brasileira de 1988 e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional LDBEN nº 9394/96 que regem,

Leia mais

O Controle Social em Saúde

O Controle Social em Saúde O Controle Social em Saúde 1 Generalidades em 1.986, a VIII Conferência Nacional de Saúde (VIII CNS) constituiu o momento culminante de formatação político-ideológica do projeto da reforma sanitária brasileira.

Leia mais

FACULDADE SANTA MARIA DA GLÓRIA - SMG REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA

FACULDADE SANTA MARIA DA GLÓRIA - SMG REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE SANTA MARIA DA GLÓRIA - SMG REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA Maringá 01/2017 1 REGIMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA CAPÍTULO I Da Comissão Própria de Avaliação CPA Concepção

Leia mais

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. CURSO: Pedagogia. Período: Não definido. Semestre de Ingresso: 1º. C.H. Teórica: 40h

PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM. CURSO: Pedagogia. Período: Não definido. Semestre de Ingresso: 1º. C.H. Teórica: 40h PLANO DE ENSINO E APRENDIZAGEM CURSO: Pedagogia Disciplina: Educação de Jovens e Adultos Professor: Renato Ribeiro Período Letivo: 2 sem/2016 Série: 5ª Série 6ª Série Período: Não definido C.H. Teórica:

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR E EDUCACIONAL EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: A INOVAÇÃO E A QUALIDADE DOS PROCESSOS GESTORES, DENTRO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO.

GESTÃO ESCOLAR E EDUCACIONAL EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: A INOVAÇÃO E A QUALIDADE DOS PROCESSOS GESTORES, DENTRO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO. GESTÃO ESCOLAR E EDUCACIONAL EM EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: A INOVAÇÃO E A QUALIDADE DOS PROCESSOS GESTORES, DENTRO DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO. ANTONIO AMORIM Professor Titular Pleno da Universidade

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN:

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: O MATERIAL DOURADO NA COMPREENSÃO DAS OPERAÇÕES BÁSICAS NO CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS. Lenilson Oliveira do Nascimento - IFAL 1 lenils_on@hotmail.com Douglas Lopes do Nascimento- IFAL 2 wicham_douglas@hotmail.com

Leia mais

GESTÃO ESCOLAR NUMA PERSPECTIVA DEMOCRÁTICA 1

GESTÃO ESCOLAR NUMA PERSPECTIVA DEMOCRÁTICA 1 GESTÃO ESCOLAR NUMA PERSPECTIVA DEMOCRÁTICA 1 Daiana dos Santos 2 Lucia Alves Santana RESUMO Este trabalho tem por finalidade apontar aspectos da gestão escolar numa perspectiva democrática, enfatizando

Leia mais

Projeto - Agenda 21 na escola

Projeto - Agenda 21 na escola Projeto - Agenda 21 na escola Fonte: istock Tema: Sustentabilidade socioambiental Público alvo O projeto é destinado a todos os alunos e funcionários da escola devendo ser estendido também aos pais e comunidade

Leia mais

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL EDUCAÇÃO, UM TESOURO A DESCOBRIR Jacques Delors e outros para a UNESCO 4 PILARES DA EDUCAÇÃO Aprender a conhecer Aprender a fazer Aprender a viver com os outros Aprender

Leia mais

DIAGNÓSTICO SOBRE AS CAUSAS DA EVASÃO E RETENÇÃO NO IFAL

DIAGNÓSTICO SOBRE AS CAUSAS DA EVASÃO E RETENÇÃO NO IFAL DIAGNÓSTICO SOBRE AS CAUSAS DA EVASÃO E RETENÇÃO NO IFAL TERMO DE ABERTURA DO PROJETO AMPLIADO Portfólio de Projetos Estratégicos de 201 Objetivo Estratégico: PR01 - Reduzir as taxas de evasão e retenção

Leia mais

Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino Saúde

Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino Saúde Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino Saúde Base Legal Constituição Federal de 1988 Leis 8.080 e 8.142 de 1990 Lei 9.394 de 20 de dezembro de 1996 (LDB) Lei 12.871 de 22 de outubro de 2013: capítulos

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Gestão Escolar IV Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 7º 1 - Ementa (sumário, resumo) Dimensões da participação: política,

Leia mais

CONSELHO ESCOLAR: Natureza, organização e funcionamento. Cefisa M. Sabino Aguiar

CONSELHO ESCOLAR: Natureza, organização e funcionamento. Cefisa M. Sabino Aguiar CONSELHO ESCOLAR: Natureza, organização e funcionamento. Cefisa M. Sabino Aguiar cefisa.aguiar@gmail.com QUE LUGAR A GESTÃO DEMOCRÁTICA OCUPA EM MIM? A ESCOLA PÚBLICA A quem pertence O QUE CONCERNE A TODOS

Leia mais

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional Excelência na Gestão Desafio dos Pequenos Negócios INSTITUCIONAL SEBRAE MISSÃO Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA BOLETIM DE SERVIÇO UNIDADE: Campus Avançado Cristalina Nº: 03/2016 DATA: 31/03/2016 2016 MINISTRO DA EDUCAÇÃO Aloizio Mercadante

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação NÃO GEROU PROCESSO CALENDÁRIO LETIVO DA UNIDADE DE ENSINO TERÁ 111 DIAS LETIVOS.

Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação NÃO GEROU PROCESSO CALENDÁRIO LETIVO DA UNIDADE DE ENSINO TERÁ 111 DIAS LETIVOS. Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação PROCESSO Nº: INTERESSADO(A): NÃO GEROU PROCESSO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VITÓRIA COMEV PARECER SOBRE O FUNCIONAMENTO DO CMEI PROFESSORA

Leia mais

Direção Regional dos Recursos Humanos e da Administração Educativa

Direção Regional dos Recursos Humanos e da Administração Educativa M03 Bandolim 1 35 Norberto Gonçalves da Cruz Duailibi e Silva RAM 3.1 Sim 10,000 10 0 0 0 15-08-1979 35 M04 Clarinete 1 1 Márcia Maurília Nóbrega Fernandes RAM 2.2 Não 20,003 15 0 1826 1826 03-08-1981

Leia mais

Associação Brasileira de Enfermagem Seção Distrito Federal

Associação Brasileira de Enfermagem Seção Distrito Federal Associação Brasileira de Enfermagem Seção Distrito Federal Realizações da ABEn/DF nas Gestões 2004/2007/2010. Cumprimentamos a todas e todos vocês, associadas (os) e demais visitantes da nossa página e

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SÃO ROQUE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SÃO ROQUE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO CAMPUS SÃO ROQUE Rodovia Prefeito Quintino de Lima, 2100, Paisagem Colonial - CEP 18136-540 São Roque SP Fone (11)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA 1. Número e Título do Projeto: OEI BRA09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação

Leia mais

PORTARIA Nº 132, DE 24 DE JUNHO DE 2009

PORTARIA Nº 132, DE 24 DE JUNHO DE 2009 Página 1 de 6 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 132, DE 24 DE JUNHO DE 2009 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas

Leia mais

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas

Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas Descrição do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas O Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas tem caráter multidisciplinar, integrando em suas disciplinas diversos

Leia mais

PARTICIPAÇÃO POLÍTICA NA ESCOLA E A FORMAÇÃO DA CIDADANIA: UM DESAFIO PARA A COMUNIDADE ESCOLAR

PARTICIPAÇÃO POLÍTICA NA ESCOLA E A FORMAÇÃO DA CIDADANIA: UM DESAFIO PARA A COMUNIDADE ESCOLAR PARTICIPAÇÃO POLÍTICA NA ESCOLA E A FORMAÇÃO DA CIDADANIA: UM DESAFIO PARA A COMUNIDADE ESCOLAR Ariadne Schmidt Furtado UFSM/RS Sueli Menezes Pereira UFSM/RS Resumo O presente trabalho decorre da pesquisa

Leia mais

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL

TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Curso Gestão para Educação de Qualidade 1 TEXTO 2 EDUCAÇÃO DE QUALIDADE UM DIREITO SOCIAL Sonia Balzano... a escola de qualidade é aquela que tem como valor fundamental a garantia dos direitos de aprendizagem

Leia mais

DIRETRIZES PARA A DISCIPLINA DE PRÁTICA PEDAGÓGICA

DIRETRIZES PARA A DISCIPLINA DE PRÁTICA PEDAGÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ UNIFAP PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO PROGRAD COORDENADORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COEG COLEGIADO DO CURSO DE GEOGRAFIA DIRETRIZES PARA A DISCIPLINA

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE Conceito: São arranjos organizativos de ações e serviços de saúde, de diferentes densidades tecnológicas,

Leia mais

FILOSOFIA DO DIREITO

FILOSOFIA DO DIREITO PÓS-GRADUAÇÃO DIREITO ELEITORAL FADIVALE FILOSOFIA DO DIREITO Prof. José Luciano Gabriel lugafap@yahoo.com.br jlgabriel.blogspot.com NORBERTO BOBBIO 18/10/1909 a 09/01/2004. O FUTURO DA DEMOCRACIA Pág.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA PROMOÇÃO DO SANEAMENTO AMBIENTAL

A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA PROMOÇÃO DO SANEAMENTO AMBIENTAL XXI ENCONTRO TÉCNICO AESABESP A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA NA PROMOÇÃO DO SANEAMENTO AMBIENTAL São Paulo/SP, 11 de Agosto de 2010 GERMANO HERNANDES FILHO PARADIGMA DA MODERNIDADE PARADIGMA

Leia mais

A FORMAÇÃO DOCENTE: PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO

A FORMAÇÃO DOCENTE: PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO A FORMAÇÃO DOCENTE: PIBID E O ESTÁGIO SUPERVISIONADO Regina Célia Cola Rodrigues Mestranda em Educação: Currículo PUC/SP Profª Drª Neide de Aquino Noffs Professora Orientadora da Pesquisa Resumo O presente

Leia mais

Grupo de Trabalho do Voluntariado

Grupo de Trabalho do Voluntariado Grupo de Trabalho do Voluntariado Coordenador: Sergio Dias Bebiano, Vice coordenador: Edvar Dias Campos Membros: Altair de Paula Marinho, Cleber Teixeira, Daniela Sampaio Frutuoso, Eliane Silva Freire

Leia mais

PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE

PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE CONCEITO DE SAÚDE Saúde é a resultante das condições de alimento, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade,

Leia mais

Fundamentos do TE 27/11/2012

Fundamentos do TE 27/11/2012 Unidade I Fundamentos do Esportivo Conceito de Conceito de Esportivo Processo Conceito de É um processo pelo qual se submete alguém à busca de melhoria de alguma coisa. Visa a melhoria pois envolve diversas

Leia mais

CONSELHOS ESCOLARES NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CONSELHOS ESCOLARES NA EDUCAÇÃO INFANTIL CONSELHOS ESCOLARES NA EDUCAÇÃO INFANTIL Cíntia Caldonazo Wendler * - UFPR Resumo: O artigo visa apresentar pesquisa, em andamento, a respeito da implantação de Conselhos Escolares nos Centros Municipais

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores. Pibid. Licenciaturas e educação básica.

Palavras-chave: Formação de professores. Pibid. Licenciaturas e educação básica. Programa de incentivo à formação de professores: a escola básica como espaço de formação de professores Bartolina Ramalho Catanante i -UEMS Giana Amaral Yamin ii - UEMS RESUMO Este texto tem como objeto

Leia mais

Gestão Democrática Escolar: Desafios da Ação Democrática

Gestão Democrática Escolar: Desafios da Ação Democrática SILVA, Adriana Escobar da [1] SILVA, Adriana Escobar da. Gestão Democrática Escolar: Desafios da Ação Democrática. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 1. Vol. 9. pp 830-842.,

Leia mais

Módulo 01 - Rotinas Administrativas da PRODIRH

Módulo 01 - Rotinas Administrativas da PRODIRH Ambiente Organizacional Administrativo UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL E RECURSOS HUMANOS Câmpus Samambaia Prédio da Reitoria Caixa Postal 131 CEP 74001 970

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 30 DE MAIO DE 2012 Estabelece Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos. O Presidente do Conselho Nacional de Educação, no uso de suas atribuições

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO 1. O LABORATÓRIO DIDÁTICO DE FÍSICA

RESUMO INTRODUÇÃO 1. O LABORATÓRIO DIDÁTICO DE FÍSICA O LABORATÓRIO DE FÍSICA NAS ESCOLAS PUBLICAS DE ENSINO MÉDIO DE PALMAS TOCANTINS Jenison Ferreira dos SANTOS (1) Weimar Silva CASTILHO (2) Aluno de Graduação do Curso Física IFTO jfsarraias@bol.com.br

Leia mais

PLANO DE AÇÃO

PLANO DE AÇÃO INSTITUTO FLORENCE DE ENSINO SUPERIOR COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO 2016-207 São Luís 2016 1 INTRODUÇÃO O plano de ações da CPA define os rumos dos trabalhos que serão desenvolvidas pela

Leia mais

Prof. Jefferson Monteiro

Prof. Jefferson Monteiro Prof. Jefferson Monteiro Histórico O Programa Segundo Tempo é uma política pública de esporte educacional idealizado e criado em 2003 pelo Ministério do Esporte, destinado a democratizar o acesso à prática

Leia mais

MODELO DE PLANEJAMENTO ADEQUADO PARA BAIRROS

MODELO DE PLANEJAMENTO ADEQUADO PARA BAIRROS MODELO DE PLANEJAMENTO ADEQUADO PARA BAIRROS Ana Paula CUNHA 1 Wilson de Luces Forte MACHADO 2 RESUMO: O objetivo deste estudo é analisar e comparar dois modelos de planejamento (estratégico e participativo)

Leia mais

SÉRGIO RUY BARBOSA PRESIDENTE

SÉRGIO RUY BARBOSA PRESIDENTE 1991-2010 SÉRGIO RUY BARBOSA PRESIDENTE Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração Histórico*. Início dos anos 90 - primeiros fóruns. 1995-1998: Participação na discussão das ECs 19 e

Leia mais

PROJETO. Identidade e a prática pedagógica do professor de Ensino Religioso

PROJETO. Identidade e a prática pedagógica do professor de Ensino Religioso PROJETO Identidade e a prática pedagógica do professor de Ensino Religioso A CIDADANIA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO RELIGIOSO LÉO MARCELO PLANTES MACHADO Orientador: DR. SÉRGIO ROGÉRIO AZEVEDO

Leia mais

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA Vanessa Martins Hidd Santos NOVAFAPI INTRODUÇÃO A avaliação institucional constitui objeto de preocupação e análise na NOVAFAPI, desde sua fundação quando

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

Avaliação da vulnerabilidade estrutural de escolas expostas a ameaças naturais

Avaliação da vulnerabilidade estrutural de escolas expostas a ameaças naturais Workshop Boas práticas Defesa Civil do Estado de São Paulo Avaliação da vulnerabilidade estrutural de escolas expostas a ameaças naturais Atividade do projeto institucional Cemaden Educação Viviana Aguilar

Leia mais

Mediação: um caminho para a construção de cidades interculturais. Amadora, 16 de Outubro de 2012

Mediação: um caminho para a construção de cidades interculturais. Amadora, 16 de Outubro de 2012 Projeto de Mediação Intercultural em Serviços Públicos MISP Geração Autarquias Mediação: um caminho para a construção de cidades interculturais Amadora, 16 de Outubro de 2012 FASE PILOTO 1.ª Geração: Projeto-piloto

Leia mais

FORMAS DE PROVIMENTO DO CARGO DE GESTOR ESCOLAR NOS MUNÍCIPIOS ALAGOANOS (NORDESTE BRASILEIRO)

FORMAS DE PROVIMENTO DO CARGO DE GESTOR ESCOLAR NOS MUNÍCIPIOS ALAGOANOS (NORDESTE BRASILEIRO) FORMAS DE PROVIMENTO DO CARGO DE GESTOR ESCOLAR NOS MUNÍCIPIOS ALAGOANOS (NORDESTE BRASILEIRO) Edna Prado Universidade Federal de Alagoas Brasil wieldna@uol.com.br Anna Rita Sartore Universidade Federal

Leia mais

CURRÍCULO MÍNIMO 2013

CURRÍCULO MÍNIMO 2013 CURRÍCULO MÍNIMO 2013 (Versão preliminar) Componente Curricular: SOCIOLOGIA (Curso Normal) Equipe de Elaboração: COORDENADOR: Prof. Luiz Fernando Almeida Pereira - PUC RJ ARTICULADOR: Prof. Fábio Oliveira

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI 1 REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI Outubro/2005 Atualizado em jan.2013 2 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. A Comissão Própria de Avaliação

Leia mais

Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc.

Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc. Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc. Fortaleza, agosto de 2012 A elaboração da visão de futuro A visão é o que a empresa idealiza para si. É a maneira pela qual a organização

Leia mais

UTILIZANDO O JORNAL ESCOLAR COMO UMA METODOLOGIA DIFERENCIADA EM SALA DE AULA

UTILIZANDO O JORNAL ESCOLAR COMO UMA METODOLOGIA DIFERENCIADA EM SALA DE AULA UTILIZANDO O JORNAL ESCOLAR COMO UMA METODOLOGIA DIFERENCIADA EM SALA DE AULA Área Temática: Meio Ambiente Coordenador(a): Jane Schumacher 1 Autor: Eduardo da Luz Rocha 2 RESUMO: Este trabalho foi elaborado

Leia mais

Treinamento Esportivo

Treinamento Esportivo Treinamento Esportivo Introdução Fundamentos Aplicação dos conteúdos e foco Conceitos Atletas Não Atletas Treinamento Treinamento Esportivo Significado Esporte Composição Alto Rendimento Coordenação e

Leia mais

OFICINAS PEDAGOGICAS: COMO FORMA DE AUXILIO NO APRENDIZADO DOS EDUCANDOS NAS AULAS DE GEOGRAFIA

OFICINAS PEDAGOGICAS: COMO FORMA DE AUXILIO NO APRENDIZADO DOS EDUCANDOS NAS AULAS DE GEOGRAFIA OFICINAS PEDAGOGICAS: COMO FORMA DE AUXILIO NO APRENDIZADO DOS EDUCANDOS NAS AULAS DE GEOGRAFIA Angeline Batista da Cruz Universidade Estadual da Paraíba pibidcruz@bol.com.br Clara Mayara de Almeida Vasconcelos

Leia mais