- A crescente necessidade de sistemas inteligentes e de aquisição de conhecimento levaram à necessidade de implementação de Data Warehouses.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- A crescente necessidade de sistemas inteligentes e de aquisição de conhecimento levaram à necessidade de implementação de Data Warehouses."

Transcrição

1 - A crescente necessidade de sistemas inteligentes e de aquisição de conhecimento levaram à necessidade de implementação de. - O que é uma Data Warehouse? - Colecção de bases de dados orientadas por assunto e desenhadas para suportar sistemas de apoio à decisão (William Inmon) - Bases de dados desenhada e optimizada para um tipo de processamento específico.

2 Orientada por Assunto A informação contida numa Data Warehouse pertence a um domínio específico, em vez de englobar as necessidades específicas de uma organização Integrada Apesar da informação poder ter origem diversas, devese encontrar num estado estável e coerente. Variação temporal Toda a informação contida numa Data Warehouse esta associada a um intervalo específico de tempo. Não-Volatilidade Toda a informação é estável dentro da Data Warehouse. Pode ser adicionada mas não removida informação.

3 Processo de integrar as transformações efectuadas sobre determinado tipo de informação por forma a permitir a aplicação de sistemas de aquisição de conhecimento. Aquisição de conhecimento não-imediato a partir da análise factual de uma BD. Normalmente alimentadas por um ou vários sistemas OLTP. Sistemas de inferência. Geração de regras. Arvore de decisão Algoritmos de agrupamento (Clustering) Sistemas de apoio à decisão...

4 OnLine Transaction Process (OLTP) Enquadramento das bases de dados tradicionais. Âmbito de trabalho Transação Quantidade de informação Grupos de linhas Natureza da informação Primitiva Volatilidade da informação Alta Tempo de resposta Segundos Prioridades Desempenho e avaliabilidade Tipos de acessos Predefinidos e estáticos

5 OnLine Analytical Process (OLAP) Enquadramento das Âmbito de trabalho Base de dados inteira Quantidade de informação Linhas individuais Natureza da informação Derivada Volatilidade da informação Baixa Tempo de resposta Horas, dias,... Prioridades Flexibilidade Tipos de acessos Não definido e dinâmico

6 Tabela Clientes BD Tradicional Criação da tabela Inserção de elementos Alteração de elementos Remoção de elementos Código Função Operário Operário Director Secret. Consulta da informação desejada Data Warehouse Instante em que foram adicionados, alterados ou eliminados elementos. Aquisição de conhecimento sobre as alturas em que normalmente se inserem, alteram ou removem elementos Nome Ana José Paulo Carla Idade Morada Abc Dfg Odk Ikj

7 Administração de São acedidas essencialmente para operações de leitura Aplicação de processos analíticos sobre a informação. Tal como nas Bases de Dados tradicionais: Conhecimento prévio das operações a efectuar. Conhecimento prévio das aplicações a aceder à BD. Arquitectura Tipo de acesso Consultas-Padrão...

8 Desenho de Requisitos de acesso à informação, estruturas, índices e processos de optimização (clustering) são específicos das. Bastante usual a arquitectura em estrela: Dimension Table Dimension Table Subject Table Dimension Table Dimension Table

9 Arquitectura em Estrela Uma tabela central (Subject table) mantém a informação primária sobre o assunto da Data Warehouse. Rodeada por tabelas que representam os factores que influenciam (Dimension tables) a actividade. Justificações: É uma arquitectura flexível o suficiente para permitir a adição de novas tabelas á medida que a Data Warehouse cresce. É facilmente perceptível para os implementadores e utilizadores da BD. Modela a forma como os utilizadores tipicamente raciocinam acerca de uma domínio. Facto central influenciado por vários factores. Muitos SGBD s estão optimizados para construir junções em arquitecturas em estrela, potenciando a eficiência do sistema.

10 Arquitectura em Estrela - Exemplo Tipo Tempo Rendimento Clientes Local

11 Quando a complexidade do domínio aumenta, esta arquitectura pode dar origem à "Floco de Neve" em que as tabelas terminais da estrela são também influenciadas por diversos factores e constituem elas próprias tabelas centrais de outras estrelas. D10 D9 D1 D8 D7 DS3 DS4 S1 DS1 DS2 D2 D3 D = Dimension table S = Subject Table DS = Dimension / Subject Table D6 D5 D4

12 Desnormalização é factor bastante usual nas Data Warehouses. Uma vez que funcionam como armazém para os dados e as suas alterações, tendem a apresentar dimensões elevadas. Necessidade de aplicação de mecanismos de compressão sobre algumas tabelas ou atributos específicos. Encorajamento de operações paralelas, sem necessidade de dependência entre parcelas da BD.

13 Registo de Informação Uma das tarefas principais consiste na análise dos objectivos dos utilizadores da de forma a poder implementar métodos que registem a informação pretendida. Evolução de determinados factores (ao longo do dia, hora, segundos,...) Relação entre vários parâmetros Importante a percepção: Qual o objectivo principal da Data Warehouse? Que resultados se esperam obter após a análise da informação aqui contida?

14 Registo de Informação Fase seguinte consiste na captura da informação necessária a partir dos sistemas OLTP. SGBD s internos / externos, Sinais do utilizador, Sensores, Etc... OLTP OLAP OLTP

15 Qualidade da Informação Utilizadores da Data Warehouse poderão não ter: Conhecimentos específicos de informática. Conhecimento sobre significado de determinados valores em campos específicos da BD. Necessidade da informação permanecer legível. Substituição de códigos por valores com significado intrínseco. No processo de transferência da informação, tomar previdência de forma a que permaneça legível.

16 Qualidade da Informação Exemplo Análise da relação entre a categoria dos empregados da firma X e a sua produtividade. Código_Categoria Produtividade Categoria Produtividade 1 17% Condutor 17% 5 27% Estagiário 27% 6 62% Chefe de Linha 62% 2 82% Efectivo 82%

17 Qualidade da Informação Identificação de informação inválida ou irrelevante. A implementação de valores por defeito pode constituir um problema. Ao identificar valor "1/1/1900" em Dt_Nascimento significa que o empregado tem realmente 103 anos, ou não? Ter em mente que a análise da informação será feita por sistemas computacionais. Pouco racionais Pouco flexíveis

18 Qualidade da Informação Necessário o estabelecimento de políticas relativamente a anomalias (inevitáveis) Encontradas pelos implementadores. Idenbtificadas pelos utilizadores finais. Inconsistências nos sistemas OLTP reflectemse nas Ignorar inconsistencias? Corrigir o problema no sistema OLTP? Corrigir o problema na fase de importação da informação?

19 Desempenho de Tabelas automáticas de sumarização Constituem um dos factores principais com vista a melhoria da eficiência de uma Data Warehouse Consistem em tabelas / vistas, actualizadas a partir de eventos (triggers) e que sumariam o conteúdo de parcelas de informação. Alguns SGBD s permitem a sua criação automática a partir das funções matemáticas SQL: COUNT SUM AVG MIN MAX

20 Consistência da informação Informação nos sistemas OLTP-fonte está permanentemente a mudar Necessidade de actualização da Data Warehouse. Implementação de mecanismos que determinem o grau de actualização da Data Warehouse Grau de confiança nos resultados obtidos após análise e aquisição de conhecimento.

- Qualquer operação só é possível se uma das seguintes condições for satisfeita:

- Qualquer operação só é possível se uma das seguintes condições for satisfeita: Segurança em BD - A generalidade dos SGBD s administra o acesso a qualquer recurso da Base de Dados. - Qualquer operação só é possível se uma das seguintes condições for satisfeita: - Foi garantido o privilégio

Leia mais

Modelo de dados do Data Warehouse

Modelo de dados do Data Warehouse Modelo de dados do Data Warehouse Ricardo Andreatto O modelo de dados tem um papel fundamental para o desenvolvimento interativo do data warehouse. Quando os esforços de desenvolvimentos são baseados em

Leia mais

Fundamentos da Análise Multidimensional

Fundamentos da Análise Multidimensional Universidade Técnica de Lisboa INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Informática e Sistemas de Informação Aplicados em Economia Fundamentos da Análise Multidimensional Fundamentos da Análise Multidimensional

Leia mais

EXCEL. Listas como Bases de Dados

EXCEL. Listas como Bases de Dados Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL Listas como Bases de Dados (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina

Leia mais

Data Warehousing e OLAP

Data Warehousing e OLAP Data Warehousing e OLAP Jornadas de Engenharia Informática Instituto Politécnico da Guarda Henrique Madeira Departamento de Engenharia Informática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Leia mais

Diagrama de entidades relacionamentos (abordado anteriormente) Diagrama de Fluxo de Dados (DFD)

Diagrama de entidades relacionamentos (abordado anteriormente) Diagrama de Fluxo de Dados (DFD) Diagrama de entidades relacionamentos (abordado anteriormente) Prod_Forn N N 1 Stock 1 1 N Prod_Enc N 1 N 1 Fornecedor Movimento Encomenda Diagrama de Fluxo de Dados (DFD) Ferramenta de modelação gráfica,

Leia mais

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos.

Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. 1. Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Uma Base de Dados é uma colecção de dados partilhados, interrelacionados e usados para múltiplos objectivos. O conceito de base de dados faz hoje parte do nosso

Leia mais

Data Mining: Conceitos e Técnicas

Data Mining: Conceitos e Técnicas Data Mining: Conceitos e Técnicas DM, DW e OLAP Data Warehousing e OLAP para Data Mining O que é data warehouse? De data warehousing para data mining Data Warehousing e OLAP para Data Mining Data Warehouse:

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

Banco de Dados - Senado

Banco de Dados - Senado Banco de Dados - Senado Exercícios OLAP - CESPE Material preparado: Prof. Marcio Vitorino OLAP Material preparado: Prof. Marcio Vitorino Soluções MOLAP promovem maior independência de fornecedores de SGBDs

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

Projecto Final de Licenciatura Engenharia Informática - Computadores e Sistemas. elaborado por: Filipe Manuel Marques Pinto Pinheiro

Projecto Final de Licenciatura Engenharia Informática - Computadores e Sistemas. elaborado por: Filipe Manuel Marques Pinto Pinheiro OLAP (ONLINE ANALYTICAL PROCESSING) Projecto Final de Licenciatura Engenharia Informática - Computadores e Sistemas elaborado por: Filipe Manuel Marques Pinto Pinheiro orientado por: Engº Paulo Alexandre

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

Análise de Sistemas. Conceito de análise de sistemas

Análise de Sistemas. Conceito de análise de sistemas Análise de Sistemas Conceito de análise de sistemas Sistema: Conjunto de partes organizadas (estruturadas) que concorrem para atingir um (ou mais) objectivos. Sistema de informação (SI): sub-sistema de

Leia mais

Bases de Dados II Engª. Informática + Ensino Informática

Bases de Dados II Engª. Informática + Ensino Informática Introdução SQL SERVER hugomcp@di-ubi.pt, 2004 Arranque do MS SQLServer UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Informática Bases de Dados II Engª. Informática + Ensino Informática Pode-se usar o

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

EXCEL TABELAS DINÂMICAS

EXCEL TABELAS DINÂMICAS Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL TABELAS DINÂMICAS (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina Wanzeller

Leia mais

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação.

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação. Mecanismo usado para mais fácil e rapidamente aceder à informação existente numa base de dados. Bases de Dados de elevadas dimensões. Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de

Leia mais

Consultas (Queries) ou Interrogações

Consultas (Queries) ou Interrogações Consultas (Queries) ou Interrogações Principal finalidade das interrogações: Extracção, manipulação (inserção, alteração e remoção) e definição de dados. As interrogações mais comuns destinam-se a pesquisar

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3.

Aplicação A. Aplicação B. Aplicação C. Aplicação D. Aplicação E. Aplicação F. Aplicação A REL 1 REL 2. Aplicação B REL 3. Sumário Data Warehouse Modelagem Multidimensional. Data Mining BI - Business Inteligence. 1 2 Introdução Aplicações do negócio: constituem as aplicações que dão suporte ao dia a dia do negócio da empresa,

Leia mais

Data Warehouse. Diogo Matos da Silva 1. Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. Banco de Dados II

Data Warehouse. Diogo Matos da Silva 1. Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil. Banco de Dados II Data Warehouse Diogo Matos da Silva 1 1 Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG, Brasil Banco de Dados II Diogo Matos (DECOM - UFOP) Banco de Dados II Jun 2013 1 /

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Ensino Regular Diurno Disciplina: T.I.C. Professores: Margarida Afonso Curso Profissional - Técnico de Auxiliar de Saúde Ano: 10.º Turma(s): TAS MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO OBJECTIVOS Indicar as principais

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que a IBM desenvolvia

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

sistemas de informação nas organizações

sistemas de informação nas organizações sistemas de nas organizações introdução introdução aos sistemas de objectivos de aprendizagem avaliar o papel dos sistemas de no ambiente empresarial actual definir um sistema de a partir de uma perspectiva

Leia mais

Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse

Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse. Fases para um Projeto de Data Warehouse Definição escopo do projeto (departamental, empresarial) Grau de redundância dos dados(ods, data staging) Tipo de usuário alvo (executivos, unidades) Definição do ambiente (relatórios e consultas préestruturadas

Leia mais

Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies. Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados. Module Introduction

Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies. Cap. 1 Arquitectura de Sistemas de Bases de Dados. Module Introduction Bases de Dados II 6638: BSc in Information Systems and Technologies Cap. 1 Module Introduction Objectivos O propósito e a origem da arquitectura de base de dados a três níveis. O conteúdo dos níveis externo,

Leia mais

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço. Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração

Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço. Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração Escola Naval Mestrado em Segurança da Informação e Direito no Ciberespaço Segurança da informação nas organizações Gestão de Configuração Fernando Correia Capitão-de-fragata EN-AEL 14 de Dezembro de 2013

Leia mais

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo ANUAL ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Curso Profissional de Técnico de Restauração Cozinha - Pastelaria Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Manual do GesFiliais

Manual do GesFiliais Manual do GesFiliais Introdução... 3 Arquitectura e Interligação dos elementos do sistema... 4 Configuração do GesPOS Back-Office... 7 Utilização do GesFiliais... 12 Outros modos de utilização do GesFiliais...

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS

PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS PLANIFICAÇÃO DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Ano Lectivo 2010/2011 José Júlio Frias R. 1. ENQUADRAMENTO ÁREA DE FORMAÇÃO ITINERÁRIO DE QUALIFICAÇÃO SAIDA(S)PROFISSIONAL(IS) 481. CIÊNCIAS INFORMÁTICAS 48101.

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

Administração e Optimização de BDs

Administração e Optimização de BDs Departamento de Engenharia Informática 2010/2011 Administração e Optimização de BDs Mini-Projecto 1 2º semestre A resolução deve ser claramente identificada com o número de grupo e entregue sob a forma

Leia mais

Manual de Utilização do OTRS ITSM [1.3]

Manual de Utilização do OTRS ITSM [1.3] Manual de Utilização do OTRS ITSM [1.3] ÍNDICE Manual de Utilização do OTRS ITSM [1.3]... 1 ÍNDICE... 2 ÍNDICE DE FIGURAS... 3 Prefácio... 4 2 Acesso ao OTRS ITSM... 5 Registo de Ticket Classificação do

Leia mais

Bases de Dados. Bibliografia. 1. Parte I Componente Teórica. Pedro Quaresma

Bases de Dados. Bibliografia. 1. Parte I Componente Teórica. Pedro Quaresma Índice Bases de Dados Pedro Quaresma Departamento de Matemática Universidade de Coimbra 2010/2011 1. Parte I Componente Teórica 1.1 Introdução 1.2 Modelo ER 1.3 Modelo Relacional 1.4 SQL 1.5 Integridade

Leia mais

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

Escola Secundária de Camarate

Escola Secundária de Camarate Escola Secundária de Camarate Ano Lectivo 2014/2015 Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde e Técnico de Restauração e Bar

Leia mais

3 ao Quadrado - Agenda Web

3 ao Quadrado - Agenda Web 3 ao Quadrado - Agenda Web Relatório de Gestão de Projectos de Software - Grupo A - LEIC 2001/2002 http://gnomo.fe.up.pt/gps01a João Montenegro - ei97023@fe.up.pt André Teixeira - ei97024@fe.up.pt Carlos

Leia mais

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso

5 Estudo de Caso. 5.1. Material selecionado para o estudo de caso 5 Estudo de Caso De modo a ilustrar a estruturação e representação de conteúdos educacionais segundo a proposta apresentada nesta tese, neste capítulo apresentamos um estudo de caso que apresenta, para

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L

P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L P L A N I F I C A Ç Ã O A N U A L DEPARTAMENTO: MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS ÁREA DISCIPLINAR: 550 - INFORMÁTICA DISCIPLINA: PSI CURSO: Profissional DE: Téc. de Gestão e Programação de Sist. Informáticos

Leia mais

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação

Ministério das Finanças Instituto de Informática. Departamento de Sistemas de Informação Ministério das Finanças Instituto de Informática Departamento de Sistemas de Informação Assiduidade para Calendários Específicos Junho 2010 Versão 6.0-2010 SUMÁRIO 1 OBJECTIVO 4 2 ECRÃ ELIMINADO 4 3 NOVOS

Leia mais

Visão Artificial Para a Indústria. Manual do Utilizador

Visão Artificial Para a Indústria. Manual do Utilizador Visão Artificial Para a Indústria Manual do Utilizador Luis Fonseca Carvalho de Matos ( luis.matos@ua.pt ) Julho de 2007 Índice de conteúdos 1. Apresentação......1 1.Conceito de Funcionamento......1 2.

Leia mais

UFCD 786. Instalação e configuração de sistemas de bases de dados

UFCD 786. Instalação e configuração de sistemas de bases de dados UFCD 786 Instalação e configuração de sistemas de bases de dados 1 Noção de Base de Dados De uma forma genérica uma base de dados é um conjunto de dados (BD) Exemplos de BD s: Uma agenda de moradas Uma

Leia mais

Processo de análise estruturada - Abordagem clássica

Processo de análise estruturada - Abordagem clássica Processo de análise estruturada - Abordagem clássica Desenvolver modelo físico actual Modelo físico actual Modelos a desenvolver tendo em conta a abordagem clássica Desenvolver modelo lógico actual Modelo

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Como tornar o seu. Maribel Yasmina* Isabel Ramos*

Como tornar o seu. Maribel Yasmina* Isabel Ramos* Os sistemas de Business Intelligence são imprescindíveis a decisores dinâmicos e motivados para aproveitar as oportunidades que uma sociedade em transformação rápida pode oferecer Maribel Yasmina* Como

Leia mais

Aprendizagem Simbólica MIACC 02

Aprendizagem Simbólica MIACC 02 Aprendizagem bólica MIACC 02 João Gama LIACC, FEP jgama@liacc.up.pt Introdução O que é Extracção de Conhecimento? Exploração e análise, por meios automáticos ou semi-automáticos, de grandes quantidades

Leia mais

OLAP. Introdução. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

OLAP. Introdução. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática OLAP Introdução Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática OLAP Online analytical processing Existem dois tipos distintos de processamento sobre bases de dados: OLTP Online

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes Microsoft Access Nível I Introdução Objectivos Introdução; Criar tabelas; Fazer consultas; Elaborar formulários; Executar relatórios. 2 Introdução aos Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Desde

Leia mais

Estruturas de Armazenamento e Indexação. Rafael Lage Moreira Barbosa 10.1.4217

Estruturas de Armazenamento e Indexação. Rafael Lage Moreira Barbosa 10.1.4217 Estruturas de Armazenamento e Indexação Rafael Lage Moreira Barbosa 10.1.4217 Estruturas de Armazenamento Banco de Dados são armazenados fisicamente como arquivos de registro, que em geral ficam em discos

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados.

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados. O QUE É O ACCESS? É um sistema gestor de base de dados relacional. É um programa que permite a criação de Sistemas Gestores de Informação sofisticados sem conhecer linguagem de programação. SISTEMA DE

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados

INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados Número: Nome: 1 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------- INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO Administração e Optimização de Bases de Dados Exame

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Complemento I - Noções Introdutórias em Data Warehouses

Complemento I - Noções Introdutórias em Data Warehouses Complemento I - Noções Introdutórias em Data Warehouses Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LECTIVO 2015 / 2016 CURSO/CICLO DE FORMAÇÃO Técnico de Eletrotecnia e Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos / 2015/2018 DISCIPLINA: Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Desenvolvimento Cliente-Servidor 1

Desenvolvimento Cliente-Servidor 1 Desenvolvimento Cliente- 1 Ambiienttes de Desenvollviimentto Avançados Engenharia Informática Instituto Superior de Engenharia do Porto Alexandre Bragança 1998/99 Ambientes de Desenvolvimento Avançados

Leia mais

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Agenda Introdução Contexto corporativo Agenda Introdução Contexto corporativo Introdução O conceito de Data Warehouse surgiu da necessidade de integrar dados corporativos

Leia mais

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35

Índice. Introdução 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais 35 Introdução 31 1. Bases de Dados Relacionais 31 2. Modelação de Bases de Dados 31 3. Modelo de Classes UML 32 4. Linguagem SQL 32 5. Sobre o Microsoft" Access" 32 Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema

Leia mais

Sistemas de Bases de Dados

Sistemas de Bases de Dados Sistemas de Bases de Dados Carlos Viegas Damásio José Alferes e Carlos Viegas Damásio Sistemas de Bases de Dados 2014/15 Objectivos - Em Bases de Dados (2º ano) pretendia-se: Que os estudantes fossem capazes

Leia mais

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos

Data Warehouses. Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Data Warehouses Alunos: Diego Antônio Cotta Silveira Filipe Augusto Rodrigues Nepomuceno Marcos Bastos Silva Roger Rezende Ribeiro Santos Conceitos Básicos Data Warehouse(DW) Banco de Dados voltado para

Leia mais

SAD orientado a DADOS

SAD orientado a DADOS Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Sistemas de Informação Prof.: Maico Petry SAD orientado a DADOS DISCIPLINA: Sistemas de Apoio a Decisão SAD orientado a dados Utilizam grandes repositórios

Leia mais

Data Warehouses Uma Introdução

Data Warehouses Uma Introdução Data Warehouses Uma Introdução Alex dos Santos Vieira, Renaldy Pereira Sousa, Ronaldo Ribeiro Goldschmidt 1. Motivação e Conceitos Básicos Com o advento da globalização, a competitividade entre as empresas

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica

ACTOS PROFISSIONAIS GIPE. Gabinete de Inovação Pedagógica ACTOS PROFISSIONAIS GIPE Gabinete de Inovação Pedagógica Cooptécnica Gustave Eiffel, CRL Venda Nova, Amadora 214 996 440 910 532 379 Março, 2010 GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 1 GIPE - Gabinete

Leia mais

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) é constituído por um conjunto de dados associados a um conjunto de programas para acesso a esses

Leia mais

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BPstat manual do utilizador Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line

Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Estatística Básica via MySQL para Pesquisas On-Line Gabriel Ramos Guerreiro - DEs, UFSCar 1 2 Anderson Luiz Ara-Souza - DEs, UFSCar 1 3 Francisco Louzada-Neto - DEs, UFSCar 1 4 1. INTRODUÇÃO Segundo Cavalcanti

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

UML (Unified Modelling Language) Diagrama de Classes

UML (Unified Modelling Language) Diagrama de Classes UML (Unified Modelling Language) Diagrama de Classes I Classes... 2 II Relações... 3 II. Associações... 3 II.2 Generalização... 9 III Exemplos de Modelos... III. Tabelas de IRS... III.2 Exames...3 III.3

Leia mais

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Governança do BI O processo geral de criação de inteligência começa pela identificação e priorização de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA GESTÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA GESTÃO 07-05-2013 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA GESTÃO Aula I Docente: Eng. Hercílio Duarte 07-05-2013 2 Objectivo Sistemas Modelos Dados Vs. Informação Introdução aos sistemas de Informação 07-05-2013 3 Introdução

Leia mais

e-business A IBM definiu e-business como: GLOSSÁRIO

e-business A IBM definiu e-business como: GLOSSÁRIO Através do estudo dos sistemas do tipo ERP, foi possível verificar a natureza integradora, abrangente e operacional desta modalidade de sistema. Contudo, faz-se necessário compreender que estas soluções

Leia mais

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Objetivos Ao finalizar este módulo o participante: Recordará os conceitos básicos de um sistema OLTP com seus exemplos. Compreenderá as características de um Data Warehouse

Leia mais

FUNDAÇÃO MINERVA CULTURA ENSINO E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NOTA EXPLICATIVA

FUNDAÇÃO MINERVA CULTURA ENSINO E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NOTA EXPLICATIVA NOTA EXPLICATIVA DA AQUISIÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO ÂMBITO DO 1º CICLO DE ESTUDOS DO CURSO DE LICENCIATURA/MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA, CONDUCENTE AO GRAU DE LICENCIADO EM CIÊNCIAS DA ARQUITECTURA.

Leia mais

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO

NOME SEXO CPF NASCIMENTO SALARIO Tutorial SQL Fonte: http://www.devmedia.com.br/articles/viewcomp.asp?comp=2973 Para começar Os Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados Relacionais (SGBDr) são o principal mecanismo de suporte ao armazenamento

Leia mais

MSc. Daniele Carvalho Oliveira

MSc. Daniele Carvalho Oliveira MSc. Daniele Carvalho Oliveira AULA 2 Administração de Banco de Dados: MSc. Daniele Oliveira 2 CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE BANCO DE DADOS Administração de Banco de Dados: MSc. Daniele Oliveira 3 Conceitos

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação 1 1 Bases de Dados SISTEMAs DE GESTÃO DE ANO LECTIVO 2001/2002 Sistemas de Informação 2 2 Sistemas de Informação e organizações Informação e Informação nas organizações Sistemas de Informação (SI) Planeamento

Leia mais

Conceitos, tabelas e consultas

Conceitos, tabelas e consultas MICROSOFT ACCESS Conceitos, tabelas e consultas 1. CONCEITOS Base de Dados é um conjunto de dados organizados SGBD (Sistema de Gestão de Base de Dados) programa que permite fazer a gestão da base de dados.

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro

Leia mais

UFCD 8 Controlo e armazenagem de mercadorias Carga horária 50 horas ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS

UFCD 8 Controlo e armazenagem de mercadorias Carga horária 50 horas ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS ARMAZENAGEM DAS MERCADORIAS O que é a armazenagem? A armazenagem é constituída por um conjunto de funções: - de recepção, - descarga, - carregamento, matérias-primas, - arrumação produtos acabados ou semi-acabados

Leia mais

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia

Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL. Helena Galhardas 2012 IST. Bibliografia Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Helena Galhardas Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 1 Sumário Restrições de Integridade (RIs) em SQL Chave

Leia mais

Sistemas Operativos - 2005/2006. Trabalho Prático v1.0

Sistemas Operativos - 2005/2006. Trabalho Prático v1.0 Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia de Viseu Engenharia de Sistemas e Informática Sistemas Operativos - 2005/2006 Trabalho Prático v1.0 Introdução O presente trabalho prático visa

Leia mais

A SÈTIMA. O nosso principal objectivo

A SÈTIMA. O nosso principal objectivo 03 A SÈTIMA A SÉTIMA produz soluções de software maioritariamente com recurso à WEB, de modo a dar suporte ao crescimento tecnológico que é já a maior realidade do século XXI. Esta aposta deve-se ao facto

Leia mais

Tarefa Orientada 18 Tabelas dinâmicas

Tarefa Orientada 18 Tabelas dinâmicas Tarefa Orientada 18 Tabelas dinâmicas Análise de dados através de tabelas dinâmicas. Conceitos teóricos As Tabelas Dinâmicas são tabelas interactivas que resumem elevadas quantidades de dados, usando estrutura

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Conceitos básicos sobre E.S: Ambiência Caracterização do software Fases de desenvolvimento 1 Introdução Aspectos Introdutórios Crise do Software Definição de Engenharia do Software 2 Crise do Software

Leia mais

Computação Paralela. Desenvolvimento de Aplicações Paralelas João Luís Ferreira Sobral Departamento do Informática Universidade do Minho.

Computação Paralela. Desenvolvimento de Aplicações Paralelas João Luís Ferreira Sobral Departamento do Informática Universidade do Minho. Computação Paralela Desenvolvimento de Aplicações Paralelas João Luís Ferreira Sobral Departamento do Informática Universidade do Minho Outubro 2005 Desenvolvimento de Aplicações Paralelas Uma Metodologia

Leia mais

Soluções de software para os processos de intralogística

Soluções de software para os processos de intralogística Software Solution Soluções de software para os processos de intralogística Desde soluções simples e flexíveis até à complexa gestão de stocks: JMIF, Kardex Drive, Power Pick Global Software Solution Warehouse

Leia mais

Unified Software Development Process

Unified Software Development Process 59/170 Unified Software Development Process Sumário Breve história do Unified Process O Unified Process O ciclo de vida do Unified Process O RUP (Rational Unified Process) 60/170 Breve História do Unified

Leia mais

foram previstas inicia-se um círculo vicioso em que é feito um pedido aos informáticos, esse pedido entra na «linha de montagem» das queries, e num

foram previstas inicia-se um círculo vicioso em que é feito um pedido aos informáticos, esse pedido entra na «linha de montagem» das queries, e num PREFÁCIO Actualmente estamos confrontados com um mundo fascinante em que todos os dias surgem novidades no universo das novas tecnologias da informação, mas em que velhos problemas no que concerne à falta

Leia mais

Tarefa Orientada 19 Triggers

Tarefa Orientada 19 Triggers Tarefa Orientada 19 Triggers Objectivos: Criar triggers AFTER Criar triggers INSTEAD OF Exemplos de utilização Os triggers são um tipo especial de procedimento que são invocados, ou activados, de forma

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores Software de Localização GSM para o modem Siemens MC35i Manual do Utilizador Índice

Leia mais

TIC Unidade 2 Base de Dados. Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado.

TIC Unidade 2 Base de Dados. Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado. Conceitos relativos à Informação 1. Informação O que á a informação? Informação é todo o conjunto de dados devidamente ordenados e organizados de forma a terem significado. 2. Dados Em informática designa-se

Leia mais

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento de Informática Ficha prática nº 7 SGBD Microsoft Access e SQL Server Objectivo: Criação de uma aplicação em arquitectura

Leia mais