Os Novos Desafios do Pré-Sal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Os Novos Desafios do Pré-Sal"

Transcrição

1 Os Novos Desafios do Pré-Sal (os caminhos a seguir) Magda Chambriard Diretora Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis

2 Evolução Institucional Novas leis para o Pré-sal Emenda Constitucional Nº 9/95 Lei nº 9.478/97 Criação da ANP & CNPE Implantação da ANP Resolução CNPE nº 8/03 Autossuficiência Descoberta do Pré-sal Grupo Interministerial do Pré-sal Rodada Zero Cluster pré-sal PL para as áreas do Pré-sal

3 Quadro Atual (2010) Reservas Provadas Óleo ~14 bilhões bbl (*) Gás ~423 bilhões m 3 Produção Óleo e LGN 2,2 milhões bbl/dia Gás 62,8 milhões m 3 /dia (*) Inclui as reservas provadas da área do pré-sal (Campo de Lula) Balanço Importação/Exportação Óleo 293 mil bbl/dia Gás 35 millhões m 3 /dia

4 Reservas Provadas de Petróleo (Pré-sal: recursos de até 50 bilhões de bbl) Bilhões de barris bilhões de barris Lula, Iracema, Iara, Guará, Parque das Baleias e Franco Futuro próximo

5 O caminho para o Pré-sal: as Rodadas de Licitações da ANP Áreas ofertadas pela ANP 2º Rodada 3º Rodada Resultado: Descoberta de Tupi, Iara, Guará, Júpiter, Carioca, Parati, Caramba e Bem-Te-Vi

6 Situação Atual Polo Pré-Sal Desde 2004: RJ 86 poços exploratórios perfurados 23 poços (27%) sem notificação de descoberta SP Carioca Iara Guará Lula ~ 10 TLDs Legenda O CAPITAIS Limites entre Estados Sismica 3D Santos Polígono Pré-Sal Campos de Produção Blocos Exploratórios Blocos Cessão Onerosa Rodadas

7 Produção e Reservas Petrobras Histórico da produção e previsões

8 O papel da ANP na superação dos desafios 40,0 30,0 20,0 10,0 0,0 Dependência externa (C/P %) Desenvolvimento das atividades de E&P -10, Autossuficiência Estímulo ao desenvolvimento e redução das desigualdades regionais Aumento do investimento local (CL) Fortalecimento da indústria brasileira Melhores práticas de SMS Proteção à vida humana e ao meio ambiente Pesquisa e Desenvolvimento como importante fator de indução!

9 Moldura institucional para a política de conteúdo local Governo Política Incentivos (p.ex. Programa para o aumento da nacionalização da produção - PNP)* * Linha de financiamento para indústrias estrangeiras Regulação que venham a se instalar no Brasil e que alcancem 60% de conteúdo local em ANP Monitoramento seus produtos em três a cinco anos Auditoria Certificação por 3. parte Operadoras nacionais Operadoras internacionais ONIP > identificação de fornecedores Implementação e desenvolvimento de fornecedores

10 O caminho para os investimentos no setor de Petróleo e Gás O pré-sal: recursos de até 50 bilhões de bbl? Enorme demanda de bens e serviços Desafios tecnológicos Política de conteúdo local regulamentada Política de investimentos em P&D

11 Experiência no mar Perfuração de poços exploratórios em águas cada vez mais profundas Fonte: Petrobras, 2011

12 Regras de Segurança Operacional Resolução ANP nº 43/2007 Sistema de Gestão de Segurança Operacional-SGSO Modelo não prescritivo; Abordagem não restritiva à inovação tecnológica; A ANP está alinhada com os foros internacionais mais importantes para a definição das melhores práticas da indústria; Participação no IRF (International Regulators Forum), juntamente com o Canadá, EUA, Noruega, Holanda, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia.

13 Segurança Operacional: O papel da ANP A responsabilidade de regular A regulamentação da ANP se mostrou eficiente após o acidente de Macondo, no Golfo do México, e após o acidente de Montara, na Austrália (Resolução n. 43/2007); A ANP tem atuado em segurança operacional com rigor, mais do que as petroleiras gostariam, mas isso é a salvaguarda do sucesso do pré-sal; Inúmeras interdições, não conformidades identificadas, etc; A Deepwater Horizon, que perfurava Macondo, foi fiscalizada cerca de 50 vezes entre 2005 e 2010 e apenas uma não conformidade foi identificada.

14 O Caminho para o Pré-Sal: um déjà-vu? Bacia de Campos (2010) Águas até 160 m Bacia de Campos (anos 70) Águas até 500 m Bacia de Campos (anos 80) Águas até ~3.000 m + 60 plataformas

15 2006 o ano que não terminou 40,0 Dependência externa (C/P %) 30,0 20,0 10,0 0,0-10,0 Autossuficiência Pré-sal Novos Desafios 2-ANP-2A-RJS 2-ANP-1-RJS LIBRA Decisões estratégicas Regulação CL, P&D, SGSO, licitações, conhecimento...

16 Considerações finais O pré-sal é um novo paradigma que vai exigir muito das instituições brasileiras; A ANP está ciente do seu papel e disposta a participar do desafio de regular e fiscalizar a indústria, encorajando o investimento em E&P; A ANP está convicta de que regula a utilização de um patrimônio que é da Sociedade Brasileira; O grande volume de bens e serviços para o Pré-sal, a ser contratado na próxima década, é essencial para alavancar o desenvolvimento da indústria brasileira; É essencial também para proporcionar inserção de tecnologia, desenvolver capacitação técnica no país e viabilizar a construção de infraestrutura;

17 Considerações finais O Pré-sal é um desafio técnico, econômico e financeiro para o Brasil; Mas é, também, uma oportunidade histórica de desenvolvimento ; Nós estamos convictos de que estamos aptos a superar esses desafios porque já enfrentamos - e vencemos - desafios semelhantes no passado! Slide alternativo ao anterior

18 Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis ANP Av. Rio Branco, 65 Centro Rio de Janeiro Brasil 12º to 22º andar Telefone: +55 (21)

19 BS-4 BS ANP-1-RJS (Franco) 2-ANP-2A-RJS (Libra) S-M-419 S-M ANP-2A-RJS (Libra) 2-ANP-1-RJS (Franco) Lula Lula Rodada 0 BS-500 and BS-4 Pré-sal não era objetivo Áreas devolvidas para ANP Rodada 6 Nenhuma oferta

20 Plataformas e TLDs Nº de plataformas em produção: Santos: 8 Campos: 59 Espírito Santo: 6 Camamu-Almada: 1 SEAL: 27 Potiguar: 29 Ceará: 9 Total: 139 Nº de sondas marítimas operando: 65 TLD em Guará: Fim do PAD em dez/2012. TLD no poço 1-BRSA-594-SPS de 25/12/2010 a 31/07/2011. Ainda vão realizar um TLD (5 meses, se não me engano) no 3-BRSA-788-SPS, não sabemos a data certa de início, mas já solicitamos o cronograma atualizado de todos os TLDs dessa área de Santos. Júpiter: BM-S-24 - PAD do poço 1-BRSA-559A-RJS: Fim do PAD em fev/2016. Tem TLD contingente, mas sem data certa. Fica dependente dos estudos e desenvolvimento de tecnologia para lidar com o alto teor de CO2.

Potencial petrolífero dos estados brasileiros. Magda Chambriard Diretora Geral Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis

Potencial petrolífero dos estados brasileiros. Magda Chambriard Diretora Geral Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Potencial petrolífero dos estados brasileiros Magda Chambriard Diretora Geral Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Aspectos Gerais Evolução da História Institucional Brasileira de

Leia mais

A Indústria do Petróleo e a Geração de Emprego para Engenheiros

A Indústria do Petróleo e a Geração de Emprego para Engenheiros A Indústria do Petróleo e a Geração de Emprego para Engenheiros Magda Chambriard Diretora-Geral 04 de novembro de 2013 Sumário 1 Cenário Atual e Perspectivas de Investimentos 2 12ª Rodada de Licitações

Leia mais

Ganha o Brasil, ganha o Ceará, ganham todos os cearenses!

Ganha o Brasil, ganha o Ceará, ganham todos os cearenses! Ganha o Brasil, ganha o Ceará, ganham todos os cearenses! O P A Refinaria Premium do Ceará é um compromisso firmado há alguns anos pelo Governo Federal com o Ceará. Chegou a hora de exigirmos que a Refinaria

Leia mais

FORNECEDORES PETROBRAS

FORNECEDORES PETROBRAS FORNECEDORES PETROBRAS CONTEÚDO LOCAL E&P-CORP/CBS CONTEÚDO LOCAL PRINCÍPIOS DO CONTEÚDO LOCAL IMPORTÂNCIA PARA O BRASIL Aumento do parque fabril; Maior valor agregado do que é produzido no pais; Investimento

Leia mais

A Variável Ambiental na Nona Rodada de Licitações

A Variável Ambiental na Nona Rodada de Licitações A Variável Ambiental na Nona Rodada de Licitações Lúcia Maria de A. Lima Gaudêncio M.Sc. Engenharia Ambiental Coordenadoria de Meio Ambiente Cintia Itokazu Coutinho M.Sc. Engenharia Ambiental Superintendência

Leia mais

CONTEÚDO LOCAL PETROBRAS

CONTEÚDO LOCAL PETROBRAS 1 CONTEÚDO LOCAL PETROBRAS 2 PROMINP CONTEXTO ATUAL ENFOQUE INTERNO PETROBRAS 3 PROMINP CONTEXTO ATUAL ENFOQUE INTERNO PETROBRAS HISTÓRICO PROMINP 4 2003 O Prominp - Programa de Mobilização da Indústria

Leia mais

Considerações sobre a Lei da Partilha. Adriano Pires Junho de 2015

Considerações sobre a Lei da Partilha. Adriano Pires Junho de 2015 Considerações sobre a Lei da Partilha Adriano Pires Junho de 2015 Mudanças propostas Extinguir a obrigatoriedade da Petrobras de ter um mínimo de 30% dos campos do pré-sal que vierem a ser leiloados no

Leia mais

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de São Paulo para o Atendimento à Indústria de Petróleo e Gás

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de São Paulo para o Atendimento à Indústria de Petróleo e Gás OFICINA DE TRABALHO Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de São Paulo para o Atendimento à Indústria de Petróleo e Gás São Paulo, 25 de outubro de 2011 Pedro Penido D. Guimarães EVOLUÇÃO DOS INVESTIMENTOS

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE CONTEÚDO LOCAL

CERTIFICAÇÃO DE CONTEÚDO LOCAL CERTIFICAÇÃO DE CONTEÚDO LOCAL Os contratos de concessão para Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural, firmados entre a ANP e as empresas vencedoras nas rodadas de licitações, incluem a Cláusula

Leia mais

O Petróleo no Mundo RESERVAS PRODUÇÃO CONSUMO

O Petróleo no Mundo RESERVAS PRODUÇÃO CONSUMO O Petróleo ORIGEM DO PETRÓLEO O petróleo é uma substância oleosa, inflamável, menos densa que a água, com cheiro característico e de cor variando entre o negro e o castanho escuro. Embora objeto de muitas

Leia mais

PROGRAMA DA CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO & GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS

PROGRAMA DA CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO & GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS INSERÇÃO DE PEQUENAS EMPRESAS NA CADEIA PRODUTIVA DE ÓLEO E GÁS CENÁRIO POR QUE TRABALHAR NA CADEIA DO PETRÓLEO? Em função do potencial do mercado (Oportunidade) A Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás movimentará

Leia mais

A Regulação do Contrato de Partilha do Pré-sal

A Regulação do Contrato de Partilha do Pré-sal Workshop da Coordenadoria Nacional das Câmaras de Geologia e Minas CCEGM do CONFEA A Regulação do Contrato de Partilha do Pré-sal José Alberto Bucheb PETROBRAS Recursos Humanos/Universidade Petrobras Gerente

Leia mais

Regulação do Petróleo

Regulação do Petróleo Regulação do Petróleo Adriano Drummond Cançado Trindade Faculdade de Direito - Universidade de Brasília 2015 Breve Histórico do Petróleo Petróleo = óleo de pedra George Bauer 1542 Transformação de matéria

Leia mais

Joias. Ativos da Petrobras à venda estão na lista dos 20 maiores campos produtores da ANP - Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Joias. Ativos da Petrobras à venda estão na lista dos 20 maiores campos produtores da ANP - Marcelo Carnaval / Agência O Globo Petrobras tenta vender grandes campos em produção do pré-sal O Globo - Rio de Janeiro/RJ - HOME - 10/12/2015-06:00:00 - por Ramona Ordoñez / Bruno Rosa 10/12/2015 6:00 Joias. Ativos da Petrobras à venda

Leia mais

Seminário sobre Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul - SisGAAz

Seminário sobre Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul - SisGAAz Seminário sobre Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul - SisGAAz Diretor da DGePEM Diretoria de Gestão de Programas Estratégicos da Marinha, Vice-Almirante Antonio Carlos Frade Carneiro Por Luiz Padilha

Leia mais

Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020

Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020 Marcelo Mafra Borges de Macedo Superintendente de Segurança Operacional e Maio Ambiente Análise das Rodadas de Licitação até 2013 e perspectivas para a exploração de petróleo no horizonte 2020 O Papel

Leia mais

3,8 bilhões em vendas. > 20.000 empregados. 1,4 milhão de toneladas produzidas

3,8 bilhões em vendas. > 20.000 empregados. 1,4 milhão de toneladas produzidas Em resumo 2016 Líder mundial em seus mercados, a Vallourec fornece soluções tubulares que são referência para os setores de energia e para as aplicações mais exigentes. Seus tubos, conexões e serviços

Leia mais

Política energética no Brasil: a questão do petróleo

Política energética no Brasil: a questão do petróleo Política energética no Brasil: a questão do petróleo João Henrique da Fonseca Leonardo Sangoi de Oliveira Ilha Pier Francesco De Maria Instituto de Economia IE/UNICAMP Conteúdo História do petróleo no

Leia mais

BOLETIM DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

BOLETIM DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL EDIÇÃO 49 MAIO/216 BOLETIM DE EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL M I N I S T É R I O D E P G @ M M E. G O V. B R E D I Ç Ã O 4 9 - M A I O 2 1 6 D E M I N A S E E N E R G I A S U MÁRIO INTRODUÇÃO

Leia mais

PRÉ-SAL SOBERANIA E FINANCIAMENTO DA SUSTENTABILIDADE

PRÉ-SAL SOBERANIA E FINANCIAMENTO DA SUSTENTABILIDADE PRÉ-SAL SOBERANIA E FINANCIAMENTO DA SUSTENTABILIDADE Introdução A Agência Internacional de Energia estima que, de 2006 a 2030, o crescimento da demanda mundial de energia será da ordem de 45%. Segundo

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DAS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DE PERFURAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL - SGSO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DAS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DE PERFURAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL - SGSO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA SEGURANÇA OPERACIONAL DAS INSTALAÇÕES MARÍTIMAS DE PERFURAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL - SGSO Silvio Jablonski Chefe de Gabinete Agência Nacional do Petróleo, Gás

Leia mais

Centro de Excelência em Engenharia, Suprimento e Construção. Pedro Barusco Filho Gerente Executivo da ENGENHARIA

Centro de Excelência em Engenharia, Suprimento e Construção. Pedro Barusco Filho Gerente Executivo da ENGENHARIA Centro de Excelência em Engenharia, Suprimento e Construção Pedro Barusco Filho Gerente Executivo da ENGENHARIA São Paulo, 22 de novembro de 2006 Origem do Centro de Excelência O Projeto foi proposto pela

Leia mais

CEM ANOS DA SHELL NO BRASIL: PROSPECTANDO O FUTURO

CEM ANOS DA SHELL NO BRASIL: PROSPECTANDO O FUTURO CEM ANOS DA SHELL NO BRASIL: PROSPECTANDO O FUTURO Apresentação na Britcham Brasil - Filial Rio de Janeiro André Araujo Presidente da outubro 2012 1 A FORÇA DA MARCA 4.600 postos de serviço da Raízen,

Leia mais

Potencial do Pré-Sal. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard

Potencial do Pré-Sal. Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard Potencial do Pré-Sal Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis Magda Chambriard O Pré-Sal como o novo paradigma Evoluçã ção o Institucional Constituição de 1934 O Regime de concessões

Leia mais

2 O Mercado de Gás Natural

2 O Mercado de Gás Natural 2 O Mercado de Gás Natural 2.1 Reservas e Oferta de Gás Natural Em 2004, as reservas provadas de gás natural ficaram em torno de 326,1 bilhões m³, um aumento de 32,9% em relação a 2003, e serão expandidas,

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: ENGENHARIA DE PETRÓLEO SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia de Petróleo da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólida formação técnica nas áreas

Leia mais

SMES Segurança, Meio Ambiente, Eficiência Energética e Saúde

SMES Segurança, Meio Ambiente, Eficiência Energética e Saúde Segurança, Meio Ambiente, Eficiência Energética e Saúde Eficiência Energética e Redução de Emissões atividades da Petrobras Conselho de Meio Ambiente da CNI Painel Energia 29 de agosto de 2011 Eduardo

Leia mais

A QUEIMA DE GÁS NATURAL NO BRASIL. Superintendência de Comercialização e Movimentação de Gás Natural

A QUEIMA DE GÁS NATURAL NO BRASIL. Superintendência de Comercialização e Movimentação de Gás Natural A QUEIMA DE GÁS NATURAL NO BRASIL Superintendência de Comercialização e Movimentação de Gás Natural Abril, 2002 Nota Técnica n o 010/02/SCG Rio de Janeiro, 30 de abril de 2002 Assunto: A QUEIMA DE GÁS

Leia mais

O Impacto das Energias Limpas no Ambiente

O Impacto das Energias Limpas no Ambiente República de Angola Ministério do Ambiente Seminário Energias Limpas em Angola: Ministério da Energia e das Águas O Impacto das Energias Limpas no Ambiente Direcção Nacional de Tecnologias Ambientais 7

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO A RMRJ NO CONTEXTO NACIONAL: ATUALMENTE EXISTEM 41 REGIÕES METROPOLITANAS NO BRASIL, SENDO QUE 21 POSSUEM MAIS DE 1 MILHÃO DE HABITANTES,

Leia mais

Curso de Petróleo e Gás Natural

Curso de Petróleo e Gás Natural Curso de Petróleo e Gás Natural Autor: Prof. Eng. Octávio Mathedi Instituição de Ensino: METHODUS - Ensino a Distância http://www.methoduscursos.com.br Descrição: O curso de Petróleo e Gás Natural foi

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS Programa Nº 05/2016

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 5.354, DE 2009 (Do Sr. Inocêncio Oliveira)

PROJETO DE LEI N.º 5.354, DE 2009 (Do Sr. Inocêncio Oliveira) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 5.354, DE 2009 (Do Sr. Inocêncio Oliveira) Disciplina a distribuição dos royalties e da participação especial sobre a produção de petróleo e gás natural no país.

Leia mais

Desenvolvimento Tecnológico em Biocombustíveis

Desenvolvimento Tecnológico em Biocombustíveis Desenvolvimento Tecnológico em Biocombustíveis Juliana Vaz Bevilaqua Coordenadora de Gestão Tecnológica Petrobras Biocombustível S/A Abril 2009 A Petrobras Em suas mais de100 plataformas de produção, e

Leia mais

Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise

Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise Carlos Alexandre Nascimento LSE Enterprise PROJETO PPPS EM INFRAESTRUTURA SOCIAL NO NORDESTE DO BRASIL SEMINÁRIO PPPS, BANDA LARGA E INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS APLICADAS AOS SERVIÇOS PÚBLICOS: EXPERIÊNCIAS

Leia mais

ANÁLISE DA ARRECADAÇÃO DE ROYALTIES NOS CAMPOS DO PRÉ-SAL LOCALIZADOS NA BACIA DE SANTOS SOB REGIME DE CONCESSÃO

ANÁLISE DA ARRECADAÇÃO DE ROYALTIES NOS CAMPOS DO PRÉ-SAL LOCALIZADOS NA BACIA DE SANTOS SOB REGIME DE CONCESSÃO ANÁLISE DA ARRECADAÇÃO DE ROYALTIES NOS CAMPOS DO PRÉ-SAL LOCALIZADOS NA BACIA DE SANTOS SOB REGIME DE CONCESSÃO ana carolina mansilha flor da silva (UFRJ) carol.mansilha@poli.ufrj.br Rosemarie Broker

Leia mais

Novos Passos e Novo Modelo no Desenvolvimento do SIBRATEC Sistema Brasileiro de Tecnologia. Cristina Shimoda MCTI Edgard Rocca - Finep

Novos Passos e Novo Modelo no Desenvolvimento do SIBRATEC Sistema Brasileiro de Tecnologia. Cristina Shimoda MCTI Edgard Rocca - Finep Novos Passos e Novo Modelo no Desenvolvimento do SIBRATEC Sistema Brasileiro de Tecnologia Cristina Shimoda MCTI Edgard Rocca - Finep Sibratec Sistema Brasileiro de Tecnologia Decreto de instituição do

Leia mais

Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Rio de Janeiro

Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Rio de Janeiro Centro de Pesquisa & Desenvolvimento Rio de Janeiro Um dos principais objetivos da Tenaris é a melhoria constante da qualidade e a diversidade de seus produtos, acompanhando os clientes e analisando as

Leia mais

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Sustentabilidade Contexto Aumento no número de pessoas Maior quantidade de recursos explorados Produção e consumo: compras

Leia mais

Não Renovável. Renovável. Ondas. Ondas. Solar. Solar. Petróleo. Petróleo. Gás Natural Biomassa. Gás Natural. Biomassa. Nuclear. Hídrica.

Não Renovável. Renovável. Ondas. Ondas. Solar. Solar. Petróleo. Petróleo. Gás Natural Biomassa. Gás Natural. Biomassa. Nuclear. Hídrica. Fontes de Energia Ondas Solar Ondas Solar Biomassa Renovável Hídrica Geotérmica Eólica Petróleo Gás Natural Biomassa Nuclear Hídrica Geotérmica Eólica Carvão Petróleo Gás Natural Não Renovável Nuclear

Leia mais

Ministério de Minas e Energia

Ministério de Minas e Energia PLANO NACIONAL DE ENERGIA HORIZONTE 2030 Altino Março Ventura de 2007 Filho Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético SPE/MME LAS / ANS SYMPOSIUM 2008 SETOR ENERGÉTICO PROCESSO DE PLANEJAMENTO

Leia mais

Núcleo de Inovação Tecnológica

Núcleo de Inovação Tecnológica Núcleo de Inovação Tecnológica Pró-reitoria de Pesquisa, Inovação e Pósgraduação Paulo Roberto Barbosa paulorb@ifsp.edu.br Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo 10 de junho de 2014 Equipe

Leia mais

Inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas na cadeia produtiva do petróleo, gás e energia.

Inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas na cadeia produtiva do petróleo, gás e energia. CONVÊNIO Convênio PETROBRAS Petrobras X / SEBRAE Sebrae Inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas na cadeia produtiva do petróleo, gás e energia. Lançamento Fórum Regional do PROMINP

Leia mais

O direito humano à água

O direito humano à água Seminário: Democratização da política de serviços de saneamento básico por meio de inovações sociotécnicas. Lições para enfrentar os desafios O direito humano à água Francisco Lopes Secretário Executivo

Leia mais

Perspectivas e desafios no setor. de petróleo e gás. Ricardo Cunha da Costa Rogério Londero Boeira Caio Britto de Azevedo 1

Perspectivas e desafios no setor. de petróleo e gás. Ricardo Cunha da Costa Rogério Londero Boeira Caio Britto de Azevedo 1 17 Perspectivas e desafios no setor de petróleo e gás Ricardo Cunha da Costa Rogério Londero Boeira Caio Britto de Azevedo 1 O Brasil encontra-se atualmente em uma situação ímpar no que se refere ao setor

Leia mais

UM NOVO MARCO LEGAL PARA PESQUISA E LAVRA DAS JAZIDAS BRASILEIRAS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL

UM NOVO MARCO LEGAL PARA PESQUISA E LAVRA DAS JAZIDAS BRASILEIRAS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL ESTUDO UM NOVO MARCO LEGAL PARA PESQUISA E LAVRA DAS JAZIDAS BRASILEIRAS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO

Leia mais

CLIPPING EVENTO DO DIA 22/03 SOBRE O REPETRO

CLIPPING EVENTO DO DIA 22/03 SOBRE O REPETRO CLIPPING EVENTO DO DIA 22/03 SOBRE O REPETRO 21 de março de 2012 Setor de petróleo e gás debate mudanças tributárias com a Receita As modificações do Repetro, regime tributário especial para petróleo e

Leia mais

Emenda nº, de 2010/CCJ ao PLC Nº 309, de 2009 (Modificativa)

Emenda nº, de 2010/CCJ ao PLC Nº 309, de 2009 (Modificativa) 1 Emenda nº, de 2010/CCJ ao PLC Nº 309, de 2009 (Modificativa) Os artigos 1º, 3º, 7º, 8º, 10, 11, 13, 14, 17 e 18 do Projeto de Lei da Câmara nº 309, de 2009, passam a vigorar com as seguintes redações:

Leia mais

Questões de governo em espionagem, informações e segurança cibernética

Questões de governo em espionagem, informações e segurança cibernética Questões de governo em espionagem, informações e segurança cibernética Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Rafael H. Moreira Secretário-Adjunto de Política de Informática Brasília, outubro de

Leia mais

III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2013. www.aptel.com.br

III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2013. www.aptel.com.br III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira 2013 Criação do fundo setorial CT ENERG (1999) Lei 9.991/2000 determina às concessionárias realizar investimentos mínimos em P&D Lei da Inovação

Leia mais

PRÉ-SAL Perguntas e Respostas

PRÉ-SAL Perguntas e Respostas Ministério de Minas e Energia PRÉ-SAL Perguntas e Respostas Perguntas mais frequentes sobre o marco regulatório do Pré-Sal 1 presala4.indd 1 21/09/2009 09:49:31 presala4.indd 2 21/09/2009 09:49:31 2 Apresentação

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS.

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS. CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS Maio/2010 1º Dia PROGRAMAÇÃO 08h00 às 09h00 - Credenciamento 09h00 às 09h30 Abertura Boas vindas! 09h30 às 10h15 Exposição dialogada: Retrospectiva Luta por Direitos

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Planejamento e Investimentos Estratégicos Processo de seleção para Analistas Temáticos A SPI está reestruturando sua atuação, buscando reforçar

Leia mais

Indústria do Rio Grande do Sul Petróleo, Gás, Naval e Offshore

Indústria do Rio Grande do Sul Petróleo, Gás, Naval e Offshore Indústria do Rio Grande do Sul Petróleo, Gás, Naval e Offshore Comitê de Competitividade em Petróleo, Gás, Naval e Offshore CCPGE Florianópolis, 11 de abril de 2014 A Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: QUESTÕES EMERGENTES NA ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: QUESTÕES EMERGENTES NA ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: QUESTÕES EMERGENTES NA ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS Oscar de Moraes Cordeiro Netto 1 ; Carlos Eduardo Morelli Tucci; Dalci Maria dos Santos & Marcio de Miranda Santos INTRODUÇÃO

Leia mais

APRESENTAÇÃO LIQUIGÁS

APRESENTAÇÃO LIQUIGÁS APRESENTAÇÃO LIQUIGÁS AUDIÊNCIA PÚBLICA: VENDA DA LIQUIGÁS DISTRIBUIDORA S/A ANTONIO EDUARDO MONTEIRO DE CASTRO PRESIDENTE DA LIQUIGÁS 07/07/2016 AGENDA LIQUIGÁS MERCADO E ÁREAS DE NEGÓCIO ESTRUTURA OPERACIONAL

Leia mais

O setor florestal no mundo

O setor florestal no mundo O setor florestal no mundo Segmentos: Energia térmica Produtos sólidos de madeira Celulose de mercado Papel O setor florestal no mundo Comércio internacional de produtos florestais: US$ 290 bilhões / ano

Leia mais

Presidência da República Secretaria de Imprensa. Pronunciamento do Presidente da República

Presidência da República Secretaria de Imprensa. Pronunciamento do Presidente da República Presidência da República Secretaria de Imprensa Pronunciamento do Presidente da República Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em cadeia nacional de rádio e televisão,

Leia mais

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Camila Araújo, sócia de Gestão de Riscos Empresariais e responsável do Centro de Governança Corporativa da Deloitte A pauta da ética e da transparência nunca

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO Estratégias de Desenvolvimento em Minas Gerais Raphael Guimarães Andrade Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais Belo Horizonte, 09 de outubro

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa

Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa PROMOVER A SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO NEGRA,PRIORIZANDO A REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES ÉTNICO-RACIAIS,

Leia mais

ECONOMIA TEXANA. Se o Texas fosse uma nação, seria a 13 a maior economia mundial. Produto Interno Bruto (PIB) 2013

ECONOMIA TEXANA. Se o Texas fosse uma nação, seria a 13 a maior economia mundial. Produto Interno Bruto (PIB) 2013 PORQUE O TEXAS? PORQUE O TEXAS? WHY TEXAS? ECONOMIA TEXANA Rank Nação Milhões de US$ 1 Estados Unidos* 16,244,600 2 China 8,227,103 3 Japão 5,959,718 4 Alemanha 3,428,131 5 França 2,612,878 6 Reino Unido

Leia mais

José Formigli Diretor do E&P. 500 mil barris de óleo por dia no Pré-Sal

José Formigli Diretor do E&P. 500 mil barris de óleo por dia no Pré-Sal José Formigli Diretor do E&P 500 mil barris de óleo por dia no Pré-Sal LOCALIZAÇÃO DA PROVÍNCIA PRÉ-SAL LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DO PRÉ-SAL CONCESSÃO (BACIA DE SANTOS) CONCESSÃO (BACIA DE CAMPOS) (00%) BALEIA

Leia mais

Universidade de Brasília. Mestrado Profissional em Regulação e Gestão de Negócios - REGEN O PRÉ-SAL NO REGIME DE PARTILHA DE PRODUÇÃO

Universidade de Brasília. Mestrado Profissional em Regulação e Gestão de Negócios - REGEN O PRÉ-SAL NO REGIME DE PARTILHA DE PRODUÇÃO Universidade de Brasília Mestrado Profissional em Regulação e Gestão de Negócios - REGEN O PRÉ-SAL NO REGIME DE PARTILHA DE PRODUÇÃO A PRIMEIRA LICITAÇÃO E OS DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO Marcelo Rocha do

Leia mais

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A

CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A CO N T R O L A D O R I A E O U V I D O R I A M E N S A G E M À A S S E M B L E I A L E G I S L A T I V A 2 0 1 3 G O V E R N O P A R T I C I P A T I V O, É T I C O E C O M P E T E N T E C o n t r o l a

Leia mais

Painel I Cenário Político: Posição do Governo e Planejamento Energético

Painel I Cenário Político: Posição do Governo e Planejamento Energético IV Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira Painel I Cenário Político: Posição do Governo e Planejamento Energético Helder Queiroz Diretor da ANP 02 de Junho de 2014 Sumário 1 2 3 4 Cenário

Leia mais

Cipasa Urbanismo garante estrutura de crescimento com redução de 70% no tempo de backup e restauração

Cipasa Urbanismo garante estrutura de crescimento com redução de 70% no tempo de backup e restauração Cipasa Urbanismo garante estrutura de crescimento com redução de 70% no tempo de backup e restauração Indústria: Construção PERFIL DO CLIENTE Empresa: Cipasa Urbanismo Empregados: 250 EMPRESA DESAFIO BENEFÍCIOS

Leia mais

Seminário Fluminense de Fomento Florestal Câmara Brasil- Alemanha RJ, IF-UFRRJ, IEF/SEMADUER

Seminário Fluminense de Fomento Florestal Câmara Brasil- Alemanha RJ, IF-UFRRJ, IEF/SEMADUER SITUAÇÃO E PERSPECTIVAS DO FOMENTO FLORESTAL NO BRASIL Rubens Garlipp* Seminário Fluminense de Fomento Florestal Câmara Brasil- Alemanha RJ, IF-UFRRJ, IEF/SEMADUER Rio de Janeiro 31 de agosto 2006 * Engº

Leia mais

A ANP e os Desafios do Pré-Sal

A ANP e os Desafios do Pré-Sal A ANP e os Desafios do Pré-Sal Britcham Seminario Internacional de Energia Luis Dutra 27 de novembro 2008 A regulação do setor de petróleo Fundamentos legais da atuação da ANP 1995 Emenda Constitucional

Leia mais

FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO

FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO FORMULÁRIO DE PRÉ-PROJECTO iniciativa CENTROS DE EXCELÊNCIA :: iniciativa :: gestão :: financiamento ÍNDICE NOTAS EXPLICATIVAS PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PRÉ-PROJECTO 3 I - INFORMAÇÃO GERAL 5 1.

Leia mais

O QUE É E O QUE OFERECE?

O QUE É E O QUE OFERECE? O QUE É E O QUE OFERECE? O que é? Um programa gratuito de aceleração em larga escala para negócios inovadores de qualquer setor e lugar do Brasil, realizado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria

Leia mais

A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014

A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude. Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014 A Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Porto Alegre 29 de abril de 2014 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO 1. O conceito de Trabalho Decente 2.

Leia mais

BNDES. Financiamento de Infra-estrutura Roberto Timotheo da Costa BUENOS AIRES, 15 DE ABRIL DE 2004. www.bndes.gov.br 1

BNDES. Financiamento de Infra-estrutura Roberto Timotheo da Costa BUENOS AIRES, 15 DE ABRIL DE 2004. www.bndes.gov.br 1 BNDES Financiamento de Infra-estrutura Roberto Timotheo da Costa BUENOS AIRES, 15 DE ABRIL DE 2004 www.bndes.gov.br 1 INVESTIR EM INFRA-ESTRUTURA, PARA QUE? Para melhorar a atual infra-estrutura nacional,

Leia mais

Compartilhamento de Infraestrutura

Compartilhamento de Infraestrutura Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Competição Compartilhamento de Infraestrutura Abraão Balbino e Silva Gerente de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Visão Geral da Atuação

Leia mais

O crescimento do mercado de TV paga e os desafios para a televisão brasileira

O crescimento do mercado de TV paga e os desafios para a televisão brasileira O crescimento do mercado de TV paga e os desafios para a televisão brasileira ABTA 2012 São Paulo, agosto de 2012 Manoel Rangel Diretor Presidente A televisão (programação linear) no mundo é, cada vez

Leia mais

BLOCO K Jan-2016. EFD ICMS/IPI Bloco K

BLOCO K Jan-2016. EFD ICMS/IPI Bloco K EFD ICMS/IPI Bloco K BLOCO K Jan-2016 Governança e Conformidade Legal Oportunidade para Melhorias de Produtividade Exige Integração de Processos e Áreas Funcionais Processos Integrados (ERP) é Fundamental

Leia mais

Volney Zanardi Junior Presidente do Ibama

Volney Zanardi Junior Presidente do Ibama Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Seminário sobre Licenciamento Ambiental do Conama Volney Zanardi Junior Presidente do Ibama Brasília,

Leia mais

4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação

4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Aureliano da Costa Representante Sudeste João Weyl Representante Norte Janesmar Cavalcante Representante Nordeste João Carlos de Souza Maia Representante

Leia mais

E o que estamos fazendo sobre os pneus?

E o que estamos fazendo sobre os pneus? PROGRAMAS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA I PNEUS Vamos aos pneus! E o que estamos fazendo sobre os pneus? - O CONPET, programa criado pelo Governo Federal em 1991 e executado pela Petrobras, promove a eficiência

Leia mais

Escola Superior de Redes

Escola Superior de Redes Escola Superior de Redes Por que uma Escola Superior de Redes? Capacitação em TIC é um dos objetivos do Programa Prioritário de Informática do MCT/SEPIN (PPI RNP). A ESR é um novo instrumento na realização

Leia mais

DESAFIOS DA EXTENSÃO RURAL NA NOVA MATRIZ ENERGÉTICA

DESAFIOS DA EXTENSÃO RURAL NA NOVA MATRIZ ENERGÉTICA DESAFIOS DA EXTENSÃO RURAL NA NOVA MATRIZ ENERGÉTICA 2º Fórum Brasileiro sobre Energias Renováveis veis Biocombustíveis Belo Horizonte Outubro 2007 O QUE É EXTENSÃO RURAL É um instrumento de política pública

Leia mais

C,T&I e a Defesa Nacional: a Visão da Indústria

C,T&I e a Defesa Nacional: a Visão da Indústria C, T & I e a Defesa Nacional: A visão da indústria C,T&I e a Defesa: a visão da indústria A indústria e a Defesa Nacional Os desafios de C,T&I no País e a visão da CNI para a Política de Inovação Os desafios

Leia mais

Financiamento para descentralização produtiva com inclusão social

Financiamento para descentralização produtiva com inclusão social Associação Brasileira de Instituições Financeiras de Desenvolvimento Financiamento para descentralização produtiva com inclusão social Maurício Elias Chacur Presidente da ABDE 40ª Reunião Ordinária da

Leia mais

Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE.

Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE. Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE. A LEI BRASILEIRA DE PROTEÇÃO AOS AUTISTAS Fruto da luta das famílias pelos direitos dos seus filhos com autismo,

Leia mais

O marco regulatório do Pré-sal e o papel da Pré-sal Petróleo S.A no panorama de regulação da indústria de petróleo e gás

O marco regulatório do Pré-sal e o papel da Pré-sal Petróleo S.A no panorama de regulação da indústria de petróleo e gás O marco regulatório do Pré-sal e o papel da Pré-sal Petróleo S.A no panorama de regulação da indústria de petróleo e gás Gabriela Borba Evangelista Mestranda em direito pela Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

Infra-estrutura de Transporte de Gás Natural no Brasil e Interconexão nos Países do Cone Sul

Infra-estrutura de Transporte de Gás Natural no Brasil e Interconexão nos Países do Cone Sul Mesa Redonda sobre Energia e o Mercado de Carbono no Cone Sul Infra-estrutura de Transporte de Gás Natural no Brasil e Interconexão nos Países do Cone Sul José Cesário Cecchi Tathiany Rodrigues Moreira

Leia mais

Combustíveis fósseis. Carvão mineral e petróleo no Brasil

Combustíveis fósseis. Carvão mineral e petróleo no Brasil Combustíveis fósseis Carvão mineral e petróleo no Brasil Carvão mineral formação Carvão mineral Brasil Carvão mineral Aquecimento Perda de água, enxofre e impurezas COQUE Problemas veios Brasil: 2008 importação

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI

CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI EAD Ensino à Distância do TCE-MT para a Gestão Pública CONTRATAÇÃO DE SOLUÇÕES DE TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Agenda 1. Relevância das contratações de TI para a APF 2. Antigo Modelo de Contratação

Leia mais

1. INTRODUÇÃO a. Histórico b. Missão da 1ª Bda AAAe c. Composição dos meios da 1ª Bda AAAe

1. INTRODUÇÃO a. Histórico b. Missão da 1ª Bda AAAe c. Composição dos meios da 1ª Bda AAAe 1. INTRODUÇÃO a. Histórico b. Missão da 1ª Bda AAAe c. Composição dos meios da 1ª Bda AAAe 2. DESENVOLVIMENTO a. Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro b. Estrutura da artilharia antiaérea c. A ameaça

Leia mais

O mercado de trabalho para os engenheiros. Engenheiro Civil Valter Fanini

O mercado de trabalho para os engenheiros. Engenheiro Civil Valter Fanini para os engenheiros Engenheiro Civil Valter Fanini Formação do salário dos engenheiros O contexto macro-econômico O mercado de trabalho As informações do mercado (RAIS) As normas legais O contexto macro-econômico

Leia mais

Financiamento ao Setor de Gás e Petróleo Políticas Operacionais Março/2004

Financiamento ao Setor de Gás e Petróleo Políticas Operacionais Março/2004 Financiamento ao Setor de Gás e Petróleo Políticas Operacionais Março/2004 Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural PROMINP 1º Fórum Regional Rio Grande do Norte 05 de Março

Leia mais

Pesquisa, Inovação e Capacitação em Energia a experiência da FGV. Paulo César Cunha FGV Energia

Pesquisa, Inovação e Capacitação em Energia a experiência da FGV. Paulo César Cunha FGV Energia Pesquisa, Inovação e Capacitação em Energia a experiência da FGV Paulo César Cunha FGV Energia Há 70 anos a FGV nasceu com o objetivo de preparar pessoal qualificado para a administração pública e privada

Leia mais

Programa de Financiamento da Cadeia Produtiva da Petrobras. Julho / 2012

Programa de Financiamento da Cadeia Produtiva da Petrobras. Julho / 2012 Programa de Financiamento da Cadeia Produtiva da Petrobras Julho / 2012 Os Motivadores do Programa Progredir Principais Características Operacionais Resultados CENÁRIO ATUAL PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO»

Leia mais

Programa Cisternas Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e Outras Tecnologias Sociais de Acesso à Água

Programa Cisternas Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e Outras Tecnologias Sociais de Acesso à Água Programa Cisternas Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e Outras Tecnologias Sociais de Acesso à Água Contexto Institucional/Legal Água enquanto alimento integra os direitos fundamentais

Leia mais

Política de Risco Socioambiental

Política de Risco Socioambiental Política de Gestão de Risco Política de Risco Socioambiental Controle de Versões Dono / Emitido por Revisada por Aprovado por PL-003.7-GR V1 Gestão de Riscos Compliance Alta Administração Vigência Exercício

Leia mais

Pré-sal: A nova era do petróleo no Brasil. Helder Queiroz Diretor

Pré-sal: A nova era do petróleo no Brasil. Helder Queiroz Diretor Pré-sal: A nova era do petróleo no Brasil Helder Queiroz Diretor Agosto 2013 Agenda 1 2 3 4 Evolução recente do setor de O&G no Brasil Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Rodadas de Licitação Considerações

Leia mais

Visão Global do Programa Veículo Elétrico

Visão Global do Programa Veículo Elétrico Visão Global do Programa Veículo Elétrico 26 de junho de 2013 Diretoria Geral Assessoria de Mobilidade Elétrica Sustentável Histórico do Programa VE Itaipu/KWO Acordo de cooperação tecnológico ITAIPU -KWO

Leia mais

CURSO: Engenharia de Controle e Automação Campus Praça XI Missão

CURSO: Engenharia de Controle e Automação Campus Praça XI Missão CURSO: Engenharia de Controle e Automação Campus Praça XI Missão O Curso de Engenharia de Controle e Automação da Universidade Estácio de Sá tem por missão formar profissionais com sólidos conhecimentos

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Ensino Superior Santo André dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia

Leia mais