PROJETO UDLEnsino Mundial de Português

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO UDLEnsino Mundial de Português"

Transcrição

1 PROJETO UDLEnsin Mundial de Prtuguês Graça Brges Castanh Yvnne Dmings Maria de Lurdes B. Serpa Abril 2013 CAST Prtuguese Wrld Language Institute Lesley University UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 1

2 ÍNDICE BOAS VINDAS 3 INTRODUÇÃO 4 SECÇÃO 1: DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DE RECURSOS SEÇÃO 2: INFORMAÇÃO ADICIONAL E RECURSOS UNIVERSAL DESIGN FOR LEARNING (UDL): UDL APLICADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA COMO DEFINIR OS NÍVEIS DE PROFICIÊNCIA 9 O USO DE LINGUAGEM NÃO SEXISTA EM PORTUGUÊS 11 TIPOS DE LIVROS DIGITAIS 13 HERANÇA CULTURAL 14 FONTES SELECIONADAS 14 SECÇÃO 3. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 15 UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 2

3 Prjet UDL- Ensin Mundial de Prtuguês Bas Vindas Cars e Caras Clegas: Bem vinds e bem vindas a prjet Universal Design fr Learning Teaching Prtuguese Wrldwide. Este prjet, resultad de uma clabraçã internacinal, visa a criaçã de recurss didátics, a dispnibilizar em platafrma eletrónica, as dcentes e estudantes d idima lus pel mund fra, bem cm enriqueciment e cnheciment múts ds indivídus prvenientes das diferentes culturas lusófnas. Esta clabraçã, iniciada em 2012, pelas seguintes instituições: CAST, Prtuguese Wrld Language Institute, da Lesley University, Gvern Reginal ds Açres, através da Direçã Reginal das Cmunidades, e a Universidade ds Açres, cntu cm um cnjunt alargad de esclas/universidades aderentes, tais cm: Açres Clégi d Castanheir Clégi S. Francisc Xavier Escla Básica Integrada da Maia Escla Básica Integrada da Ribeira Grande EB/JI de Sã Rque, 2 Escla Básica e Secundária d Nrdeste Escla Secundária da Laga Escla Secundária das Laranjeiras Externat Clégi Passarada Estads Unids King Open - Prgram Olá, Cambridge, MA Escla Prtuguesa de Cambridge & Smerville, MA Esperand que este guia seja útil n prcess de desenvlviment de livrs, materiais e/u utrs recurss, s quais deverã respeitar s princípis da abrdagem Universal Design fr Learning (UDL), aqui se apresenta um breve intrduçã d prjet, seguida de rientações relevantes, rganizadas em secções e respetivas referências bibligráficas: Intrduçã Secçã 1- Diretrizes e Requeriments d Prjet Secçã 2 Infrmaçã Adicinal e Recurss Secçã 3 Referências bibligráficas Aguardams cm expetativa seu cntribut e será um prazer para nós pder trabalhar em linha cm dcentes e ppulações esclares de td mund, interessadas na aprendizagem d Prtuguês! Bem hajam! A Equipa de Liderança d Prjet de UDL-TPW Estads Unids; C-Diretras: Mestre Yvnne Dmings e Prf. Dutra Maria de Lurdes B. Serpa; Crdenadra de Prjet em Massachussetts: Mestre Aida Bairs. PORTUGAL: Diretra: Prf. Dutra Graça Castanh; Crdenadra de Prjet ns Açres: Mestre Helena Pint UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 3

4 Intrduçã O Prjet Universal Design fr Learning Teaching Prtuguese Wrldwide (UDL-TPW) fi frmalizad através da assinatura, pr parte das entidades prmtras, de um MEMORANDUM OF UNDERSTANDING (MOU) que teve lugar n CAST em Fevereir de De acrd cm referid MOU, prjet UDL-TPW visa prmver a clabraçã internacinal, n âmbit d desenvlviment de recurss pedagógic-didátics, a serviç de tdas as situações de ensin/aprendizagem d idima lus a nível mundial. Tais recurss irã prmver e viabilizar interesse na língua prtuguesa, dand a prtunidade as aprendentes de cnhecer de frma mais aprfundada ric patrimóni cultural ds váris países e cmunidades de língua prtuguesa. Para atingir esta missã, s bjetivs d prjet sã: 1. Cntribuir para a valrizaçã e expansã da língua prtuguesa, garantind a sua internacinalizaçã e cnslidand seu estatut de língua glbal. 2. Aumentar as pssibilidades de acess a recurss pedagógic/didátics cm qualidade e culturalmente adequads, cncebids à luz ds princípis d desenh universal (UDL), cm vista à melhria ds prcesss de ensin aprendizagem da língua prtuguesa. 3. Estimular entendiment e cnheciment interculturais entre s diverss pvs de língua prtuguesa n mund. 4. Aplicar s principis d UDL à aprendizagem da língua prtuguesa, cm base em cnteúds das diversas áreas d saber, ns dmínis da ralidade, leitura, escrita e funcinament da língua. 5. Garantir prtunidades de interaçã a nível glbal as aluns e dcentes de língua prtuguesa na perspetiva de língua materna, língua ficial, língua 2, língua de herança e língua estrangeira. Benefícis para esclas/dcentes e estudantes: As esclas participantes, respetivs dcentes e ppulações esclares, terã a prtunidade de prjetar seu trabalh a nível mundial, cntribuind para a valrizaçã d nss mair patrimóni cultural cmum - a língua prtuguesa. As dcentes participantes é ferecida frmaçã n âmbit (1) ds princípis rientadres de UDL, assim cm n us de ferramentas dispníveis na platafrma eletrónica d CAST, preparadas para efeit, as quais irã facilitar trabalh a desenvlver junt de ppulações esclares diversas, nde impera a variabilidade e (2) d Ensin da UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 4

5 Língua prtuguesa, na sua cmplexidade e diversidade (língua materna, língua ficial, L2, língua de herança e língua estrangeira). Os/as dcentes e estudantes terã acess a recurss, elabrads de acrd cm s princípis de UDL e apresentads em múltiplas pções didáticas, s quais irã facilitar s prcesss de ensin/aprendizagem frmais u infrmais. Os/as estudantes e dcentes terã a prtunidade de criar e publicar em platafrma eletrónica s trabalhs realizads n âmbit d seu currícul esclar, nas diversas áreas d saber, apstand nas nvas tecnlgias a serviç da internacinalizaçã da língua prtuguesa n cntext mundial. UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 5

6 Secçã 1: Diretrizes para a Elabraçã de Recurss Muitas sã as ferramentas dispnibilizadas as dcentes de língua prtuguesa n site d CAST. Cntud, nesta seçã, darems destaque a uma ferramenta que prevê a cnstruçã de recurss digitais interativs, elabrads cm base ns princípis d UDL. Bk Builder (http://bkbuilder.cast.rg) é uma ferramenta versátil e flexível, criada pel CAST, a qual facilita a prduçã de recurss diversificads que permitem atividades múltiplas, dand respsta à variabilidade que caracteriza tdas as ppulações esclares. A partir desta ferramenta, s utilizadres pderã criar livrs agra em Prtuguês, cmplementads pr um cnjunt de pções pedagógicas, baseadas ns princípis de UDL que sã fundaments na neurciência basta clicar em Prtuguese (Prtuguês) N âmbit d prjet Universal Design fr Learning Teaching Prtuguese Wrldwide (UDL-TPW), Bkbuider ferece um interface para prtuguês. Para a sua utilizaçã, após entrada n Bk Builder, basta clicar em Prtuguese na parte superir direita d ecrã. Critéris Os critéris a seguir pels participantes neste prjet sã s seguintes: 1. Os recurss prduzids devem ser categrizads pr faixa etária e nível de prficiência em língua prtuguesa: a. Faixa etária: Indicar públic-alv a quem se dirige material prduzid (crianças, pré-adlescentes, adlescentes, jvens e adults). b. Nível de Prficiência na Língua Prtuguesa: Indicar nível de prficiência em língua prtuguesa aquand da elabraçã da capa d livr. Para mais infmaçã sbre s níveis de prficiência, ver a tabela 1 na secçã de Recurss. 2. Os recurss prduzids devem cnter a Autria ds mesms, prevend-se as seguintes pssibilidades: a. Os/as autras pdem participar individualmente u em clabraçã cm um u mais autres/as. Nesta última situaçã, dever-se-á registar nme de tds s intervenientes. b. Uma mini-bigrafia ds autres/as, respetivas idades e an de frequência esclar (ex. Su a Layla, tenh catrze ans, estu n 8º an de esclaridade e viv ns Açres) devem ser aspets a incluir u n princípi u n fim ds recurss elabrads. c. Td material a dispnibilizar ns recurss carece de autrizaçã ds seus autres/as sempre que se incluam materiais prduzids pr terceirs.http://bkbuilder.cast.rg/resurces.php?p=media). d. Para traduzir, adaptar u publicar materiais de utrem, deve ser requerida uma autrizaçã a quem pssui s direits de UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 6

7 autr/a. O mdel para slicitar direits autrais pderá ser adquirid clicand 3. Aplicand s princípis d Universal Design fr Learning, s recurss elabrads a partir d Bkbuilder devem antecipar a variabilidade ds futurs utilizadres. Para iss, s autres/as devem prvidenciar: a. mais de um md de representaçã d cnteúd (ex. text, imagens, áudi, víde, vide) b. mais de uma maneira de s aluns/as expressarem a cmpreensã ds cnteúds (ex. pderã desenhar, usar mímica, língua gestual, dramatizaçã, escrever, cantar, gravar em língua gestual u víde, usar a sua língua materna, etc.) c. mais de uma frma de mtivar e envlver s/as estudantes cm recurs a linguagens e atividades múltiplas que apelem à identificaçã cultural e etária, a mund das vivências e emções de cada aprendente. 4. Os recurss elabrads devem respeitar um cnjunt de aspets linguístics, a saber: a. Idima: Os recurss prduzids, n âmbit d prjet UDL-TPW, devem ser apresentads primrdialmente em língua prtuguesa, cm pssibilidade de texts bilingues u trilingues, elabrads em cmbinatórias que cntemplem, para além d Prtuguês, utrs idimas, cm, pr exempl, Inglês, Espanhl, Francês, etc. O idima n Bk Builder dever ser especificad. Para tal, basta clicar na palavra Prtuguês. b. Linguagem Nã-Sexista : Prque este prjet visa abranger tda a ppulaçã esclar, respeitand as suas especificidades, s autres/as sã chamads a usar linguagem nã-sexista independentemente da língua u línguas esclhidas. Ver Tabela 2 na secçã de Recurss. c. Nv acrd Ortgráfic Prtuguês a rtgrafia das palavras deve bedecer a nv Acrd Ortgráfic. Para mais infrmaçã ver: 5. Indicações sbre Patrimóni Cultural veiculad n livr sã desejáveis, pel que s seus autres/as devem: Indicar a dimensã cultural em fc na capa d livr, mencinand também país e respetiv grup étnic (Para sugestões, ver Patrimóni Cultural na Resurces sectin). 6. A publicaçã ds recurss: a. Os livrs cmplets devem ser publicads na Bibliteca Pública d. Depis de clicar n btã de Livr Cmplet, siga para Criar e Editar Livrs (na esquerda) e clique em Publicar na tabela abaix de Títul d Livr. Uma vez que cncrde cm as cndições dadas, clique em Publicar na Bibliteca Pública. b. Livrs em Prtuguês u Prtuguês-Inglês que cumpram s critéris deste prjet serã recnhecids (detalhes abaix). UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 7

8 D respeit pr estes critéris dependerá a inclusã ds recurss n prjet da UDL-TPW. A participaçã ttal neste prgrama implica a aceitaçã de tds s critéris. Seçã 2: Infrmaçã Adicinal e Recurss Universal Design fr Learning (UDL): Basead na investigaçã em ciências da aprendizagem (estuds cgnitivs e neurciência), paradigma educacinal Universal Design fr Learning (UDL) fundamenta-se em três tips de redes neurnais: (1) a rede d recnheciment ( quê?) (2) a rede estratégica ( cm?) e (3) a rede afetiva ( prquê?) da aprendizagem. Quadr 1. As Três Redes Neurnais a rede d recnheciment a rede estratégica ( quê?) ( cm?) a rede afetiva ( prquê?) Fnte: Traduzid de Estas redes neurnais sã a base ds três princípis de UDL identificads: (1) prprcinar meis múltipls de representaçã; (2) prprcinar meis múltipls de açã e expressã e (3) prprcinar meis múltipls de autinvlviment. Ver Quadr 2 Quadr 2. Os Três Princípis de UDL Representaçã Expressã & Açã Aut-envlviment/ Engagement Prprcinar meis múltipls de apresentaçãda infrmaçã Prprcinar meis múltipls de açã e expressã Prprcinar meis múltipls de autinvlviment. Fnte: Para mais infrmações, visita rhttp://www.cast.rg/udl/index.html e Estes principis ajudam prfessres e prfessras a elabrarem metas, métds, recurss pedagógic-didátics e prpstas de avaliaçã de frma persnalizada, crrespndend às especificidades ds aprendentes e variabilidade existente ns cntexts frmais e infrmais de educaçã. UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 8

9 A versã prtuguesa das diretrizes estará dispnível a curt trech. UDL Aplicad à Aprendizagem da Língua UDL visa ferecer prtunidades múltiplas de aprendizagem de excelência para tds s aprendentes em geral, respeitand fatr da variabilidade; enquant prjet UDL Teaching Prtuguese Wrldwide tem cm bjetiv ferecer prtunidades de qualidade a tds e tdas quant desejem aprender a língua prtuguesa. Pr este mtiv, é imprtante que s autres e autras ds recurss, livrs, jgs e utrs materiais indiquem nivel de prficiência em Prtuguês a que este material se destina (Ver Quadr 1). Aprendentes de qualquer idade, que se encntrem em prcess de aprendizagem de uma nva língua, prgridem rum à prficiênica em níveis u etapas. O nível de prficiência linguística em Prtuguês é um fatr imprtante a ter em cnsideraçã na prduçã e n acess de recurss dispníveis, pis cndicina acess as cnteúds linguístics de frma autónma. Pr exempl, se nível d recurs dispnível fr demasiad avançad, estudante pderá nã retirar qualquer sentid d text prque nã entende. Cm efeit, de acrd cm investigaçã feita sbre ensin de uma língua, sempre que um text apresenta cinc u mais palavras descnhecidas d alun, numa página, a cmpreensã d text pderá ficar ameaçada, uma vez que a mensagem será inacessível. Uma alternativa é ferecer recurss bilingues em Prtuguês-Inglês. Na criaçã de recurss, n âmbit deste prjet, é imprtante indicar, ns própris materiais, nível u estádi de prficiência em Prtuguês d públic alv. O regist desta dimensã frnecerá infrmaçã valisa as dcentes, prgenitres e ppulaçã estudantil em geral, permitind a esclha ds texts mais indicads a cada cas u situaçã. Cm Definir s Níveis de Prficiência O Quadr 1 frnece infrmaçã sbre que s aprendentes sã capazes de fazer u cmpreender ns váris níveis de aquisiçã d prtuguês cm língua estrangeira, L2 u língua de herança. Quand cmeçar a preparar s seus recurss deve indicar nível de prficiência linguística em Prtuguês d públic a que se destina e registar mesm na capa d livr, primeira página usand, para efeit, s níveis já definids n quadr 1. UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 9

10 QUADRO 3. Definiçã de Níveis de Prficiência na Língua Prtuguesa (herança, segunda lingua) para Orientações na Prduçã de Livrs e Outrs Recurss Didátics. [Os níveis de prficiência sã independentes de idade.] 1 * 2 ** 3 *** Nível de Prficiência em Prtuguês Fase Inicial Fase nã Verbal Cmeç d desenvlviment verbal Fase das Palavras Desenvlviment verbal de frases Fase das Frases Descriçã ds Níveis de Prficiência em Prtuguês cm Língua /Segunda/Estrangeira Tem um nível de cmpreensã em Prtuguês mínim Nã verbaliza ainda em Prtuguês Limita-se a respnder cm um Sim u Nã Desenha u apnta cm respsta em Prtuguês Tem um nível de cmpreensã em Prtuguês ainda de principiante Respnde verbalmente usand uma u duas palavras Cmunica cm palavras isladas Cmpreende frases e usa cm frequência expressões relacinadas cm dimensões de interesse imediat (infrmações básicas sbre si própri u da sua família, cmpras, gegrafia lcal, etc.). Cmunica em situações simples e rtineiras que exigem trca de infrmaçã básica, familiar e d dia a dia. Descreve de frma simples aspets relativs a necessidades imediatas. 4 **** Desenvlviment intermédi de cmpetência linguística Fase intermédia Tem já uma ba cmpreensã de Prtuguês Pde prduzir frases simples A gramática e prnúncia ainda demnstram carateristicas de desenvlviment A influência da língua materna d alun u aluna ainda é visível. Frequentemente nã entende piadas e utras dimensões equivalentes da língua 5 ***** Desenvlviment avançad de cmpetência linguística Fase Avançada Cmpreende cm facilidade que uve e lê. Sabe sumarizar a infrmaçã btida através de material escrit u escutad, recnstruind argum ents e rganizand as ideias de frma cerente e lógica de acrd cm a cultura de rigem. Expressa-se cm espntaneidade, fluência, precisã, apresentand nuances e subtilezas de significad mesm em situações difíceis. Fntes: Adaptaçã feita a partir d "Cmmn Eurpean Framewrk f Reference: Learning, Teaching, Assessment", cnsultad em: de Krashen and Terrell (1983) cnsultad em Acquisitin.aspx UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 10

11 O Us de Linguagem Nã Sexista em Prtuguês Na prduçã de recurss para a aprendizagem u melhrament da prficiência em Prtuguês este prjet exige us de linguagem nã sexista ns recurss dispníveis nline. Prquê? Prque é imprtante valrizar e respeitar tdas as pessas, independentemente d seu géner, cm membrs válids da sciedade. O us e abus d masculin em Prtuguês para indicar feminin e masculin é imprecis e indesejável. Pr iss trna-se imprtante apresentar mdels de bas práticas às gerações mais jvens que explicitamente nã devem permitir que alguém fique invisível. A linguagem nã sexista, já em us há mais de três décadas em língua inglesa, encntra-se explanada n manual da American Psychlgy Assciatin (APA) que regula as publicações de natureza académica. À semelhança d que se passa cm s falantes d Inglês, s utentes d Prtuguês pderã também repensar us de palavras cm carga sexista, descbrind frmas mais precisas e bjetivas, d pnt de vista científic, respeitadras das diferenças de géner (pr exempl: Hmem nã deverá significar hmem e mulher, uma vez que mulher nunca pderá significar hmem e mulher; aluns nã é a expressã adequada para especificar ambs s grups de alunas e aluns, etc.). Uma versã anterir à apresentada n Quadr 2 fi inicialmente publicada em 1991e fi baseada n mdel apresentad pel APA Publicatin Manual, Third Editin. UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 11

12 Quadr 4. Exempls de Linguagem Sexista em Prtuguês e Sugestões de Alteraçã 1. Expressões Sexistas O Hmem Os prfessres Os aluns Os secretáris Os leitres Utilizadr Os cmpadres de... Os pais de... O Sr. e a Sra Mendes Eles Autres Os clientes Cidadã Os menins Os filhs O hmem e a mulher Os pais Deve-se usar sujeit indeterminad Dedicad as jvens A lja d cidadã Alternativas Nã Sexistas a humanidade, ser human, pv, a gente, géner human. Os prfessres e prfessras; as prfessras e prfessres; as prfessras/es Os aluns e alunas u s/as estudantes Os secretáris e Secretárias Os leitres e as leitras Utilizadr e utilizadra u Utilizdr/a O cmpadre e a cmadre de... O pai e a mãe de... A Sra. Natália e Sr. Marin Mendes, casal Csta- Mendes Eles e elas Autres e autras; autras e autres; autres/as A clientela cidadã e cidadã Os menins e meninas, a criança, as crianças, s/as jvens Os filhs e filhas A mulher e hmem O pai e a mãe Precisa-se de... em vez de O hmem precisa de... Dedicad a jvens u dedicad à juventude A lja da cidadania Evite estereótips: EXAMPLS - Referência a As mulheres devem ser representadas em tarefas tarefas/prfissões que crrespndem à realidade ds nsss dias. esteretipadas cm base Pdem ser engenheiras, médicas, mecânicas, n géner cmandantes, etc. Pr seu turn, s hmens pdem ser prfessres, czinheirs, enfermeirs, empregads dméstics, cuidadres de crianças e idss, etc. - Atributs físics, Evitar que s menins sejam sempre frtes e as intelectuais e mrais meninas frágeis; que s menins sejam inteligentes e esteretipads as meninas sensíveis; que s menins sejam bns na matemática e as meninas na leitura; que s menins pssam ser mal-educads enquant as meninas devem prtar-se bem tds s dias; que s menins pssam estar sujs e as meninas nã, etc. - As cres, as rupas e s Evitar que s menins se vistam sempre de azul e as adereçs em meninas de cr-de-rsa. Que s menins surjam cm representaçã d géner pistlas, bjets pesads e as meninas cm bnecas e flres. - Brincadeiras e tarefas As meninas nã devem estar sempre cntadas 1 UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 12

13 Expressões Sexistas infantis - linguagem fensiva cm base n géner - expressões que penalizam a cndiçã humana de nascer hmem u mulher. - expressões e cmprtaments típics d bullying Alternativas Nã Sexistas cm bnecas e s menins cm carrs; as meninas nã devem ajudar as mães na limpeza da casa, enquant s menins ajudam pai a lavar carr u a tratar d jardim, etc. Evitar estereótips que definem as mulheres cm send fúteis e s hmens sábis; as mulheres dependentes e s hmens cm cabeça de casal e prvedr de aliments; as mulheres faladras em excess e s hmens calads e cerentes ns seus pensaments e desempenhs rais, etc. Tant hmens quant mulheres pdem chrar, ser frtes u fracs cnsante as experiências vividas. Tant uns cm utras pdem ser hmssexuais, heteressexuais, etc. Nunca retratar s menins cm send brigões, arruaceirs, livres e preparads para partir em aventuras, imprtunand e desrespeitand as meninas. OTHER Add yur examples and share them with UDL-TPW cmmunity Surces: Castanh (2012), Serpa (1991)and Serpa (2011) Fr mre infrmatin abut nnsexist Prtuguese language see Castanh, G. (2007) available at Fr mre infrmatin abut nnsexist language in English see the APA Manual r age.pdf Tips de Livrs Digitais Estes sã s pssíveis tips e sugestões para s livrs a cnstruir n âmbit d prjet UDL-TPW em Bk Builder: a. Bigrafias (persnalidades de países u cmunidades falantes d Prtuguês). b. Pesia c. Cnts de fadas (riginais u reescrits) d. Livrs temátics cm imagens e. Traduções u adaptações cm as respetivas autrizações ds seus autres. f. Livrs para ensinar prtuguês cm língua de herança, L2 u língua estrangeira, rganizad pr áreas lexicais, estruturas gramaticais, etc.) g. Livrs para ensinar a ler em Prtuguês UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 13

14 h. Riddles i. Vks j. Realistas k. Ficcinais l. Narrativs m. Flclre (traditinal r mdern) n. Jgs. Apps Herança Cultural Os autres e autras devem indicar a cultura alv ns livrs, na respetiva capa, pr país u cmunidade cnfrme abaix se apresenta a. Geral b. Angla c. Açres (Prtugal) d. Brasil e. Timr Leste f. Guiné g. Macau h. Madeira (Prtugal) i. Mçambique j. Prtugal Cntinental k. Cmunidades fra de Prtugal i. USA ii. France iii. Angla iv. Other Fntes Selecinadas Bk Builder está dispnível para Prtguês n website de Bk Builder, já estã incluidas uma variedade de recurss especificamente para Prtuguês. Ver basta clicar Prtuguês NOTA: precisa de fazer lgin UDL at Glance https://sites.ggle.cm/a/pgcps.rg/what-is-universal-designfr-learning/verview Prtuguese Wrld Language Institute Para Mais Infrmações: Cas tenha alguma questã u dúvida u cas queira aderir a prjet, cntatar: Prtugal: Prfª. Dutra Graça Castanh u a Mestre HelenaPint USA: Mestre Yvnne Dmings Prfª. Dutra Maria de Lurdes B. Serpa r Mestre Aida Bairs UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 14

15 Secçã 3. Referências Bibligráficas ACTFL-American Cuncil Fr the Study f Freign Language American Psychlgical Assciatin. (1983). The publicatin manual f the American Psychlgical Assciatin. Washingtn, DC: APA. Third Editin. CAST: Center fr Applied Special Technlgy. Castanh, G. (2007). A linguagem sexista. Kimangla. Available at Cuncil f Eurpe (n.d.) Cmmn Eurpean Framewrk f Reference: Learning, Teaching, Assessment. Retrieved frm Cummins, J. (1991). Language Develpment and Academic Learning Cummins, J in Malave, L. and Duquette, G. Language, Culture and Cgnitin Clevedn: Multilingual Matters. Dmings, Y. (2011). Bk Builder and UDL-TPW Prject. Internatinal Curriculum Cnference, Azres, Prtugal: University f the Azres. Krashen, S.D. &Terrell, T.D. (1983).The natural apprach: Language acquisitin in the classrm.hayward, CA: Alemany Press. Serpa, C. V. (2012). A linguagem nã sexista. Clquis Lusfnia, S. Miguel, Azres. Serpa, M. L. (1991). Prtuguese American student authrs: a handbk. Cambridge, MA: Lesley University. UDL Bkbuider Website UDL-TPW Prject REACH EXPAND INNOVATE 15

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS

3. DESTINATÁRIOS DA ACÇÃO 4. EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS An 2-B Frmulári de preenchiment brigatóri,

Leia mais

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO

PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO PRÊMIO DE INCENTIVO À EDUCAÇÃO 1. OBJETIVO O Prêmi de Incentiv à Educaçã é uma iniciativa das empresas d Pl Industrial, através d Cmitê de Fment Industrial de Camaçari - COFIC. Tem pr bjetiv estimular,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013.

PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. PORTARIA Nº 025-R, DE 14 DE MARÇO DE 2013. ATUALIZA DIRETRIZES PARA A IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO ALFABETIZAÇÃO PARA ESTUDANTES DAS TURMAS DO 2º, 3º e 4º ANOS E 4ª SÉRIES DO ENSINO FUNDAMENTAL, COM DOIS ANOS

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

Regulamento da Feira de Ciência

Regulamento da Feira de Ciência Regulament da Feira de Ciência A Feira A Feira de Ciência é um é um prject rganizad pel Núcle de Física d Institut Superir Técnic (NFIST). Esta actividade cnsiste em desenvlver um prject científic pr um

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de

ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA. O ENCONTROCAS é um evento semestral realizado pelo Instituto Superior de Faculdade de Ciências Sciais Aplicadas de Bel Hriznte Institut Superir de Educaçã Curs de Pedaggia ENCONTROCAS 2º SEMESTRE 2012 - ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O CURSO DE PEDAGOGIA O ENCONTROCAS é um event semestral

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL DA DISCIPLINA DE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 8º an Subdmíni Cmunicaçã e clabraçã CC8 Cnheciment e utilizaçã adequada e segura de diferentes tips de ferramentas de cmunicaçã,

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas

Escola Básica e Secundária de Velas Escla Básica e Secundária de Velas Dcument Orientadr para a Implementaçã das TIC na Educaçã Pré-Esclar e Ensin Básic 1 As TIC na Educaçã Pré-Esclar e n Ensin Básic O presente Dcument de Orientações Metdlógicas

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA

DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA DISCIPLINA: LINGUA ESTRANGEIRA MODERNA EMENTA: O ensin de língua estrangeira cm um códig de diferentes estruturas lingüísticas, cm ênfase na ralidade, leitura e escrita cm veículs de cmpreensã d mund.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO DE 2014 CURSO: GESTÃO EMPRESARIAL Objetivs: Gestã Empresarial Desenvlver cmpetências para atuar n gerenciament de prjets, prestand cnsultria

Leia mais

Plano de Recuperação - Inglês

Plano de Recuperação - Inglês Escla: 9º 2005/2006 Prf. I- APOIO PEDAGÓGICO ACRESCIDO Plan de Recuperaçã - Inglês Existência de dis níveis diferenciads: Nível I aluns cm graves deficiências de base. N.º Nme Nível II aluns cm algumas

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 2.0) A - Intrduçã Neste an, sua nta fi inferir a 60 pnts e vcê nã assimilu s cnteúds

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Semana 3: Distribuição em Serviços

Semana 3: Distribuição em Serviços 1 Semana 3: Distribuiçã em Serviçs 1. Distribuiçã O prcess de distribuiçã da ferta da empresa insere-se n cntext d cmpst de marketing cm a funçã respnsável pr trnar prdut acessível a cnsumidr. Em serviçs

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A UERGS E O PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS O Prgrama Ciência sem Frnteiras, lançad n dia 26 de julh de 2011, é um prgrama d Gvern Federal que busca prmver a cnslidaçã, a expansã e a internacinalizaçã

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

REGULAMENTO 1- OBJETIVO

REGULAMENTO 1- OBJETIVO REGULAMENTO 1- OBJETIVO O Prgrama Nv Temp é um iniciativa da Cargill Agricla SA, que visa ferecer as seus funcináris e das empresas patrcinadras ds plans de previdência sb a gestã da CargillPrev Sciedade

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Proposta de Formação para o uso pedagógico e integrado do Tablet Educacional Estudos Autônomos

Proposta de Formação para o uso pedagógico e integrado do Tablet Educacional Estudos Autônomos Prpsta de Frmaçã para us pedagógic e integrad d Tablet Educacinal Estuds Autônms Objetiv geral: OBJETIVOS Prmver a Frmaçã Cntinuada ds Prfessres, Crdenadres Pedagógics e Gestres Esclares, na mdalidade

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 1 de 10 PROJETO E RELATÓRIO DE ATIVIDADES Página 2 de 10 O Prjet Aliança O Prjet Aliança é uma idéia que evluiu a partir de trabalhs realizads cm pessas da cmunidade d Bairr da Serra (bairr rural

Leia mais

Gabinete de Serviço Social

Gabinete de Serviço Social Gabinete de Serviç Scial Plan de Actividades 2009/10 Frmar hmens e mulheres para s utrs Despertar interesse pel vluntariad Experimentar a slidariedade Educaçã acessível a tds Precupaçã particular pels

Leia mais

Objeto de Avaliação Caraterísticas e Estrutura Critérios Gerais de Classificação. Tipologia / nº itens. A prova está organizada em cinco grupos:

Objeto de Avaliação Caraterísticas e Estrutura Critérios Gerais de Classificação. Tipologia / nº itens. A prova está organizada em cinco grupos: ESCOLA SECUNDÁRIA PADRE BENJAMIM SALGADO An Letiv 2011/2012 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Disciplina: Bilgia - Códig 302 Nível de Ensin: Secundári Frmaçã: Específica Mdalidade: Prva Escrita

Leia mais

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos

(1) (2) (3) Estágio II Semestral 6 Inovação e Desenvolvimento de Produtos Turísticos Estági II Semestral 6 Invaçã e Desenvlviment de Prduts Turístics Desenvlviment e Operacinalizaçã de Prjects Turístics Inglês Técnic IV Legislaçã e Ética d Turism Opçã Semestral 4 6/6 Sistemas de Infrmaçã

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás

PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Informática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróleo e Gás PROJETO 22ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 22 e 23 DE OUTUBRO CURSOS: Eletrônica, Infrmática, Mecânica, Mecatrônica, Química e Petróle e Gás Objetiv: Elabrar e desenvlver um prjet na área prfissinal,

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

REGULAMENTO 2015 BOLSA DE ESTUDO PARA COREIA DO SUL DENTRO DO MARCO DE COOPERAÇÃO ENTRE AS CIDADES DE SÃO PAULO E SEUL

REGULAMENTO 2015 BOLSA DE ESTUDO PARA COREIA DO SUL DENTRO DO MARCO DE COOPERAÇÃO ENTRE AS CIDADES DE SÃO PAULO E SEUL REGULAMENTO 2015 BOLSA DE ESTUDO PARA COREIA DO SUL DENTRO DO MARCO DE COOPERAÇÃO ENTRE AS CIDADES DE SÃO PAULO E SEUL SECRETARIA MUNICIPAL DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS E FEDERATIVAS DA PREFEITURA DE SÃO

Leia mais

1ª reunião do GD de TIC 03/03/2016 Cenpec. Registro da reunião INFORMES:

1ª reunião do GD de TIC 03/03/2016 Cenpec. Registro da reunião INFORMES: 1ª reuniã d GD de TIC 03/03/2016 Cenpec Registr da reuniã INFORMES: Bett Brasil Educar 2016 (mai) já tems a prgramaçã, é pssível que Cenpec ganhe alguns cnvites; será imprtante terms representantes d GD

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Laboratório Ibero Americano de Inovação Cidadã Convocatória de Projetos

Laboratório Ibero Americano de Inovação Cidadã Convocatória de Projetos Labratóri Iber American de Invaçã Cidadã Cnvcatória de Prjets Cnvcatória aberta para prjets de invaçã cidadã A iniciativa da Secretaria Geral Iber Americana (SEGIB) Cidadania 2.0, a Agencia Espanhla de

Leia mais

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro

Seminário de Acompanhamento SNPG. Área 21. APCNs. André F Rodacki Marcia Soares Keske Rinaldo R J Guirro Seminári de Acmpanhament SNPG Área 21 APCNs André F Rdacki Marcia Sares Keske Rinald R J Guirr Áreas de Avaliaçã - CAPES Clégi de Humanidades Ciências Humanas Ciências Sciais Aplicadas Linguística, Letras

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

Desenho centrado em utilização

Desenho centrado em utilização Desenh centrad em utilizaçã Engenharia de Usabilidade Prf.: Clarind Isaías Pereira da Silva e Pádua Departament de Ciência da Cmputaçã - UFMG Desenh centrad em utilizaçã Referências Cnstantine, L.L., &

Leia mais

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

COLÉGIO MILITAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COLÉGIO MILITAR INGLÊS 1º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2015 2016 Grup Disciplinar de Inglês/Alemã 08.09.2015 Preâmbul 1. Pretende-se que a avaliaçã em Língua Estrangeira valrize td percurs esclar d alun,

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 Índice 1. Missã, Visã e Valres 2. Enquadrament 3. Prjects e Actividades 4. Cnslidaçā Interna 4.1. Aspects Gerais da Organizaçā e Funcinament da AJU 4.2. Recurss Humans 4.3. Frmaçā

Leia mais

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990.

LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990. O IASAe a Escla Municipal de SantAndré realizaram uma série de ações vltadas para a disseminaçã e efetivaçã ds Direits das Crianças e Adlescentes estabelecids pel

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Oficina de Capacitação em Comunicação

Oficina de Capacitação em Comunicação Oficina de Capacitaçã em Cmunicaçã APRESENTAÇÕES: DICAS E INSTRUMENTOS Marcele Basts de Sá Cnsultra de Cmunicaçã mbasts.sa@gmail.cm Prjet Semeand Águas n Paraguaçu INTERESSE DO PÚBLICO Ouvir uma ba história

Leia mais

MAGDA FERREIRA DA FONTE

MAGDA FERREIRA DA FONTE MAGDA FERREIRA DA FONTE CURRICULUM VITAE DADOS PESSOAIS Nme E-mail Nacinalidade Magda Ferreira da Fnte magda.fnte@reitria.ulisba.pt Prtuguesa FORMAÇÃO ACADÉMICA Nvembr de 2014 Estudante de Dutrament na

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO www.passencncurs.cm.br Infrmações sbre Cncurs Inscrições: 27/10/2014 a 21/11/2014 Carg: Auxiliar de Sala: Educaçã Infantil Taxa de Inscriçã: R$ 48,00 Salári/Remuneraçã: R$ 1.146,27 Nº Vagas: Cadastr de

Leia mais

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira CAPÍTULO IV Valres, Crenças, Missã, Visã.e Plítica da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira Há alguns ans, quand tínhams ótims atletas, perdíams a Cpa d Mund de futebl, as Olimpíadas, errand em cisas básicas.

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

Estratégias de Conservação da Biodiversidade

Estratégias de Conservação da Biodiversidade Estratégias de Cnservaçã da Bidiversidade Estratégia Glbal De entre tds esses prcesss internacinais desenvlvids será de destacar decrrid após a Cnferência de Estclm, de 1972, que daria lugar à criaçã d

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR GEOGRAFIA

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR GEOGRAFIA Ensin Fundamental e Médi Rua Estáci de Sá, 667, Bairr Pacaembu, Cascavel, PR Fnes: (45) 3229-5260/3229-1043 Site: www.cscpacaembu.seed.pr.gv.br e-mail: cscpacaembu@seed.pr.gv.br PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA

PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA PLATAFORMA EMPRESAS PELO CLIMA CAMINHO PARA ELABORAÇÃO DE AGENDAS EMPRESARIAIS EM ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO CLIMA Prpsta de Framewrk Resultad d diálg crrid em 26 de junh de 2013, n Fórum Latin-American

Leia mais

Projeto. O Índio e suas influências na cultura brasileira

Projeto. O Índio e suas influências na cultura brasileira Prjet O Índi e suas influências na cultura brasileira 6 a 9 ANO 2014 ESCOLA ESTADUAL TUBAL VILELA DA SILVA PROFESSORA: GEANE F. BALIEIRO ENSINO RELIGIOSO. Escla Estadual Tubal Vilela da Silva Prfessra

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

CHAMADA RESEARCHER CONNECT

CHAMADA RESEARCHER CONNECT CHAMADA RESEARCHER CONNECT CURSOS DE CURTA DURAÇÃO PARA DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES EM COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA ESTADOS PARTICIPANTES Sã Paul Paraná Distrit Federal Giás Minas Gerais Pernambuc Espírit

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 3 FINANÇAS PÚBLICAS Questã n 1 Cnheciments Específics O text dissertativ deve cmtemplar e desenvlver s aspects apresentads abaix. O papel d PPA é de instrument de planejament de médi/lng praz que visa à cntinuidade ds bjetivs

Leia mais

ESCOLA MONDRIAN FUNDAMENTAL SÃO GABRIEL - RS. Tema da proposta: O ensino de Ciências através da literatura infantil: Tudo por causa do pum?

ESCOLA MONDRIAN FUNDAMENTAL SÃO GABRIEL - RS. Tema da proposta: O ensino de Ciências através da literatura infantil: Tudo por causa do pum? ESCOLA MONDRIAN FUNDAMENTAL SÃO GABRIEL - RS PROFESSORA LIA HEBERLÊ DE ALMEIDA TURMAS KANDINSKY Tema da prpsta: O ensin de Ciências através da literatura infantil: Tud pr causa d pum? Objetiv Geral: Estimular

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS

DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS DIRETORIA DE UNIDADE COORDENAÇÃO DE CURSOS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (X) PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE EXTENSÃO Acadêmic ; Scial PROJETO DE INTERDISCIPLINARIDADE

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Ontologias: da Teoria à Prática

Ontologias: da Teoria à Prática Ontlgias: da Teria à Prática I Escla de Ontlgias UFAL-USP Endhe Elias e Olav Hlanda Núcle de Excelência em Tecnlgias Sciais - NEES Universidade Federal de Alagas UFAL Rteir Mtivaçã Ontlgias Engenharia

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ACESSO ÀS ATIVIDADES ACADÊMICAS

ORIENTAÇÕES PARA ACESSO ÀS ATIVIDADES ACADÊMICAS ORIENTAÇÕES PARA ACESSO ÀS ATIVIDADES ACADÊMICAS Apresentaçã A ESMPU adtu cm platafrma de educaçã a distância Mdle, um ambiente virtual de aprendizagem (AVA) que prprcina a ferta das mais diversas atividades

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES

DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES Critéris de Avaliaçã Direçã Reginal de Educaçã d Nrte Agrupament de Esclas AMADEO DE SOUZA-CARDOSO Telões - Amarante EDUCAÇÃO MUSICAL 2ºCICLO An Letiv 2014/2015 Dmíni Cgnitiv

Leia mais

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno.

Poder e escola: Uma analise acerca das relações entre professor e aluno. Pder e escla: Uma analise acerca das relações entre prfessr e alun. Marcs Paul A. Rdrigues 1 Andersn Silva Nunes 2 Intrduçã: O presente trabalh expõe s tips de pder exercid pels prfessres sbre s aluns,

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

PASTORAL DA JUVENTUDE ARQUIDIOCESE DE LONDRINA PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO

PASTORAL DA JUVENTUDE ARQUIDIOCESE DE LONDRINA PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO PROJETO ESCOLA DE COORDENADORES PASSO A PASSO 1) Justificativa: A lharms para a realidade ds nsss grups de Pastral de Juventude, percebems a necessidade de reafirmaçã metdlógica d pnt de vista da açã eclesial.

Leia mais

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1

Edital Simplificado de Seleção de Monitoria 2015.1 Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia d Ri de Janeir Edital Simplificad de Seleçã de Mnitria 2015.1 A Direçã Geral d IFRJ/, cmunica, pel presente Edital, que estarã abertas as inscrições para

Leia mais

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 Este frmulári deve ser preenchid pr tds s aluns matriculads n Mestrad em Atençã à Saúde n an de 2013. Os dads servirã para atualizar, n Cleta Capes, as atividades

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt www.highskills.pt geral@highskills.pt Índice Designaçã d Curs... 2 Duraçã Ttal d Curs de Frmaçã... 2 Destinatáris... 2 Objetiv Geral... 2 Objetivs Específics... 2 Estrutura mdular e respectiva carga hrária...

Leia mais