POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL"

Transcrição

1 UNIME- União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade de Ciências Agrárias e da Saúde Curso de Odontologia INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS ODONTOLÓGICAS POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL Professores(as): Michelle Falcão e Nilton César

2 O PASSADO DA SAÚDE BUCAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS - EXCLUDENTE - BAIXA COMPLEXIDADE - AÇÕES CURATIVAS/MUTILADORAS - ATIVIDADES EDUCATIVAS - 6 A 12 ANOS

3 RESULTADOS DO SB BRASIL % ADOLESCETES NUNCA FORAM AO DENTISTA 20% POPULAÇÃO BRASILEIRA EDÊNTULA 45% BRASILEIROS SEM ESCOVA DE DENTE ENTRE OUTROS...

4 EIS O SURGIMENTO DE UMA POLÍTICA... UNIVERSALIDADE EQUIDADE INTEGRALIDADE

5 EIS O SURGIMENTO DE UMA POLÍTICA...

6 POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL Garantir uma rede de atenção básica articulada com toda a rede de serviços e como parte indissociável desta; [...] assegurar a integralidade nas ações de saúde bucal, articulando o individual com o coletivo, a promoção e a prevenção com o tratamento e a recuperação da saúde da população adstrita. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal

7 POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL PRESSUPOSTOS cosemsbahia.com.br

8 PNSB - PRESSUPOSTOS 2.1. Assumir o compromisso de qualificação da atenção básica, garantindo qualidade e resolutividade, independentemente da estratégia adotada pelo município para sua organização; 2.2. Garantir uma rede de atenção básica articulada com toda a rede de serviços e como parte indissociável dessa;

9 PNSB - PRESSUPOSTOS 2.3. Assegurar a integralidade nas ações de saúde bucal, articulando o individual com o coletivo, a promoção e a prevenção com o tratamento e a recuperação da saúde da população adscrita, não descuidando da necessária atenção a qualquer cidadão em situação de urgência; 2.4. Utilizar a epidemiologia e as informações sobre o território subsidiando o planejamento deve-se buscar que as ações sejam precedidas de um diagnóstico das condições de saúde-doença das populações, através da abordagem familiar e das relações que se estabelece

10 PNSB - PRESSUPOSTOS 2.5. Acompanhar o impacto das ações de saúde bucal por meio de indicadores adequados, o que implica a existência de registros fáceis, confiáveis e contínuos; 2.6. Centrar a atuação na Vigilância à Saúde, incorporando práticas contínuas de avaliação e acompanhamento dos danos, riscos e determinantes do processo saúde doença, atuação intersetorial e ações sobre o território; 2.7. Incorporar a Saúde da Família como uma importante estratégia na reorganização da atenção básica;

11 PNSB - PRESSUPOSTOS 2.8. Definir política de educação permanente para os trabalhadores em saúde bucal, com o objetivo de implementar projetos de mudança na formação técnica, de graduação e pós-graduação para que atendam às necessidades da população e aos princípios do SUS Estabelecer política de financiamento para o desenvolvimento de ações visando à reorientação do modelo de atenção Definir uma agenda de pesquisa científica com o objetivo de investigar os principais problemas relativos à saúde bucal, bem como desenvolver novos produtos e tecnologias necessários à expansão das ações dos serviços públicos de saúde bucal, em todos os níveis de atenção.

12 POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL PRINCÍPIOS NORTEADORES

13 PNSB PRÍNCÍPIOS NORTEADORES Gestão Participativa Ética Acesso (prioridade absoluta aos casos de dor, infecção e sofrimento) Acolhimento (organização usuário-centrada) Vínculo Responsabilidade Profissional

14 POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL PROCESSO DE TRABALHO

15 PNSB PROCESSO DE TRABALHO Interdisciplinaridade e Multiprofissionalismo Integralidade da Atenção Intersetorialidade Ampliação e Qualificação da Assistência Condições de Trabalho

16 REDE INTEGRADA DE ATENÇÃO cosemsbahia.com.br

17 CAMPANHAS

18 POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL As principais linhas de ação do Brasil Sorridente 1. Reorganização da Atenção Básica em saúde bucal (Estratégia Saúde da Família) 2. Ampliação e qualificação da Atenção Especializada (Centros de Especialidades Odontológicas e Laboratórios Regionais de Próteses Dentárias) 3. Viabilização da adição de flúor nas estações de tratamento de águas de abastecimento público.

19

20 CAMPANHAS

21 REFERÊNCIAS BRASIL, Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília, COSTA, José Felipe Riani; CHAGAS, Luciana de Deus; SILVESTRE, Rosa Maria (orgs.). A política nacional de saúde bucal do Brasil: registro de uma conquista histórica.. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde, 2006.

Resumo da Lei nº8080

Resumo da Lei nº8080 Resumo da Lei nº8080 Lei n. 8.080, 19 de setembro de 1990 Sancionada pelo Presidente da República, Sr. Fernando Collor, e decretada pelo Congresso Nacional, foi publicada no Diário Oficial da União em

Leia mais

Legislação do SUS. Prefeitura do Natal - RN PROVA COMENTADA. Banca CKM Makiyama. www.romulopassos.com.br. Curso Completo de Enfermagem para Concursos

Legislação do SUS. Prefeitura do Natal - RN PROVA COMENTADA. Banca CKM Makiyama. www.romulopassos.com.br. Curso Completo de Enfermagem para Concursos Legislação do SUS Prefeitura do Natal - RN PROVA COMENTADA Banca CKM Makiyama 1. (Prefeitura de Jundiaí-SP/Makiyama/CKM/2012) De acordo com a Constituição Federal de 1988, quais são diretrizes de organização

Leia mais

Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Ministério da Saúde

Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Ministério da Saúde Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Ministério da Saúde COOPERAÇÃO TÉCNICA BRASIL/CUBA/HAITI FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS DE NÍVEL MÉDIO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE Oficina de trabalho

Leia mais

Programação Anual de Saúde - PAS 2016 LOA 2016 Programa Saúde Mais Perto de Você

Programação Anual de Saúde - PAS 2016 LOA 2016 Programa Saúde Mais Perto de Você Programação Anual de Saúde - PAS 2016 LOA 2016 Programa Saúde Mais Perto de Você Palmas - Novembro de 2015 GOVERNADOR DO ESTADO DO TOCANTINS Marcelo de Carvalho Miranda SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE Samuel

Leia mais

PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento

PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento PPA e o SUS: gestão, participação e monitoramento Jorge Abrahão de Castro Diretor de Temas Sociais da SPI/MPOG Brasília-DF, 26 de agosto de 2015 1 Inovações para o PPA 2016-2019 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

Leia mais

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrada

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrada A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrada As mudanças com a TIPIFICAÇÃO E O PROTOCOLO DE GESTÃO INTEGRADA nos serviços de Garantia de Direitos Quais as mudanças percebidas na garantia de direitos

Leia mais

Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental relacionada à Qualidade da Água para Consumo Humano - VIGIAGUA

Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental relacionada à Qualidade da Água para Consumo Humano - VIGIAGUA Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental relacionada à Qualidade da Água para Consumo

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E T SETEC EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA XXXV ENDP Porto Alegre, 02 de setembro de 2015. Histórico Organização da Educação Brasileira EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Formação Inicial e Continuada

Leia mais

Ana Vanda Bassara PLANO DE TRABALHO DOCENTE SEMESTRAL

Ana Vanda Bassara PLANO DE TRABALHO DOCENTE SEMESTRAL Ana Vanda Bassara Ensino Público de Qualidade que faz a Diferença! Ensino Fundamental, Médio e Profissional. Avenida das Acácias, 60, Jardim Pérola D Oeste, 85012-130 Telefone: (42) 3623 3394 / 36235954

Leia mais

PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE

PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE PLANO DE GOVERNO UNIÃO DEMOCRÁTICA E POPULAR 2013-2016 SAÚDE Valorização dos profissionais dentro disso; analisar a possibilidade da criação de plano de carreira de todos os profissionais da prefeitura;

Leia mais

PARECER COREN-SP 50/2013 CT PRCI n 100.568 Tickets nº 248.970, 285.940, 292.345, 297.031 e 295.651

PARECER COREN-SP 50/2013 CT PRCI n 100.568 Tickets nº 248.970, 285.940, 292.345, 297.031 e 295.651 PARECER COREN-SP 50/2013 CT PRCI n 100.568 Tickets nº 248.970, 285.940, 292.345, 297.031 e 295.651 Ementa: Encaminhamento de paciente para outros profissionais pelo Enfermeiro. 1. Do fato Enfermeiros que

Leia mais

AUDIENCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMILIA. TEMA : Debater o reajuste da tabela do SUS aplicável aos hospitais filantrópicos

AUDIENCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMILIA. TEMA : Debater o reajuste da tabela do SUS aplicável aos hospitais filantrópicos AUDIENCIA PÚBLICA NA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMILIA TEMA : Debater o reajuste da tabela do SUS aplicável aos hospitais filantrópicos Março/15 Formas de transferências federais Per capita Incentivos

Leia mais

2004 Política Nacional de Saúde Bucal. Ministério da Saúde

2004 Política Nacional de Saúde Bucal. Ministério da Saúde 2004 Política Nacional de Saúde Bucal Projeto SB Brasil Mais de 2.000 profissionais envolvidos 250 municípios 108.921 pessoas examinadas Situação Bucal Mais de 28% dos adultos não possuem nenhum dente

Leia mais

Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná. Fevereiro de 2013

Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná. Fevereiro de 2013 Planejamento da Estrutura das Unidades da Saúde da Família no Estado do Paraná Fevereiro de 2013 Missão Formular a Política de Atenção Primária no Estado do Paraná implementando as ações e serviços para

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014

Política Nacional de Atenção Básica. Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014 Política Nacional de Atenção Básica Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014 A ATENÇÃO BÁSICA A AB é o nível de atenção mais próximo das pessoas e deve ser, integral, resolutiva, inserida no território e a

Leia mais

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS

O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS O MP E A FISCALIZAÇÃO DO SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SUAS Redesenho/Reestruturação Orgânica da Política de Assistência Social estão Estabelecidos em 4 Instrumentos Básicos: Política Nacional de

Leia mais

QUESTIONÁRIO SOBRE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS. Denise Silveira, Fernando Siqueira, Elaine Tomasi, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini

QUESTIONÁRIO SOBRE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS. Denise Silveira, Fernando Siqueira, Elaine Tomasi, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini QUESTIONÁRIO SOBRE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS Denise Silveira, Fernando Siqueira, Elaine Tomasi, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE 1. UF: 2. Município:

Leia mais

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO DAS DST/AIDS Belo Horizonte - Minas Gerais Novembro de 2006

VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO DAS DST/AIDS Belo Horizonte - Minas Gerais Novembro de 2006 VI CONGRESSO BRASILEIRO DE PREVENÇÃO DAS DST/AIDS Belo Horizonte - Minas Gerais Novembro de 2006 Contextos Epidêmicos e Aspectos Sociais das DST/Aids no Brasil: Os Novos Horizontes da Prevenção José Ricardo

Leia mais

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrado

A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrado A Tipificação e o Protocolo de Gestão Integrado Acompanhamento Familiar Construção do Meu ponto de Vista acerca do Protocolo e da Tipificação Quais as mudanças percebidas na gestão dos CRAS a partir da

Leia mais

O QUE ESPERAR DE UMA ESPECIALIZAÇÃO DE 360H?

O QUE ESPERAR DE UMA ESPECIALIZAÇÃO DE 360H? XII Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade Belém/PA O QUE ESPERAR DE UMA ESPECIALIZAÇÃO DE 360H? Marcelo Gonçalves Depto. Medicina Social / UFRGS Contexto Insuficiência de profissionais

Leia mais

SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL SANEAMENTO RURAL: ATUAÇÃO DA FUNASA E O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL José Antonio da Motta Ribeiro Coordenação Geral de Engenharia Sanitária Salvador, 18 de Setembro de 2015 Fundação Nacional

Leia mais

PROCESSO N 476/2006 PROTOCOLO N.º 8.692.475-7 PARECER N.º 139/06 APROVADO EM 12/05/2006

PROCESSO N 476/2006 PROTOCOLO N.º 8.692.475-7 PARECER N.º 139/06 APROVADO EM 12/05/2006 PROTOCOLO N.º 8.692.475-7 PARECER N.º 139/06 APROVADO EM 12/05/2006 CÂMARA DE PLANEJAMENTO INTERESSADO: CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS CAETANO MUNHOZ DA ROCHA MUNICÍPIO: CURITIBA E REGIONAIS DE SAÚDE

Leia mais

RELAÇÃO DE CLASSIFICADO AO CARGO DE CONSELHEIRO TUTELAR AVALIAÇÃO PISCOSOCIAL

RELAÇÃO DE CLASSIFICADO AO CARGO DE CONSELHEIRO TUTELAR AVALIAÇÃO PISCOSOCIAL CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE SÍTIO DO MATO CMDCA A Comissão Eleitoral através da RESOLUÇÃO N.º 003, de 10 de abril de 2015 vem divulgar a relação dos Classificados ao

Leia mais

PORTARIA/SS/GAB/Nº041/2011

PORTARIA/SS/GAB/Nº041/2011 PORTARIA/SS/GAB/Nº041/2011 Aprova a Política Municipal de Educação Permanente em Saúde e dá outras providências O Secretário Municipal de Saúde, no uso das atribuições que lhe confere o Art.82, inciso

Leia mais

POLITÍCA A N ACIONAL L DE ATENÇAO BÁSICA

POLITÍCA A N ACIONAL L DE ATENÇAO BÁSICA POLITÍCA NACIONAL DE ATENÇAO BÁSICA O PACTO PELA VIDA 2006 PORTARIA Nº 399/GM DE 22 DE FEVEREIRO DE 2006. Conjunto de compromissos sanitários,expressos em objetivos de processos e resultados e derivados

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa

Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa Ministério da Saúde Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa PROMOVER A SAÚDE INTEGRAL DA POPULAÇÃO NEGRA,PRIORIZANDO A REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES ÉTNICO-RACIAIS,

Leia mais

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PRIMARIA À SAÚDE NO BRASIL. Dr Alexandre de Araújo Pereira

SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PRIMARIA À SAÚDE NO BRASIL. Dr Alexandre de Araújo Pereira SAÚDE MENTAL E ATENÇÃO PRIMARIA À SAÚDE NO BRASIL Dr Alexandre de Araújo Pereira Atenção primária no Brasil e no Mundo 1978 - Conferência de Alma Ata (priorização da atenção primária como eixo de organização

Leia mais

Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE.

Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE. Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE. A LEI BRASILEIRA DE PROTEÇÃO AOS AUTISTAS Fruto da luta das famílias pelos direitos dos seus filhos com autismo,

Leia mais

Assunto: Posicionamento do Ministério da Saúde acerca da integralidade da saúde dos homens no contexto do Novembro Azul.

Assunto: Posicionamento do Ministério da Saúde acerca da integralidade da saúde dos homens no contexto do Novembro Azul. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO Á SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS COORDENAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DOS HOMENS COORDENAÇÃO DE SAÚDE DA PESSOA IDOSA DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO

Leia mais

Linhas de Cuidado - Saúde Bucal

Linhas de Cuidado - Saúde Bucal PLANO REGIONAL DE SAUDE DA PESSOA IDOSA DRS V Barretos EIXOS COLEGIADOS DE GESTÃO REGIONAL CGR NORTE E SUL PRIORIDADE 01: EIXO 1 Melhoria da cobertura vacinal VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE - Sensibilizar

Leia mais

O Fortalecimento do Controle do Câncer do Colo do Útero e de Mama na Política de Saúde da Mulher

O Fortalecimento do Controle do Câncer do Colo do Útero e de Mama na Política de Saúde da Mulher VII Encontro Nacional para o Controle do Câncer do Útero e de Mama O Fortalecimento do Controle do Câncer do Colo do Útero e de Mama na Política de Saúde da Mulher SITUAÇÃO DEMOGRÁFICA População Brasileira:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA INTEGRADA EXERCÍCIO 2015

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA INTEGRADA EXERCÍCIO 2015 01 Legislativa 12.481.878,92 455.614.427,68 468.096.306,60 01 031 Ação Legislativa 0,00 186.049.391,21 186.049.391,21 01 031 3282 ATUAÇÃO LEGISLATIVA 0,00 186.049.391,21 186.049.391,21 01 032 Controle

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2012. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2012 Ensino Técnico ETEC DR. FRANCISCO NOGUEIRA DE LIMA Código: 059 Município: Casa Branca Eixo Tecnológico: Saúde, Ambiente e Segurança Habilitação Profissional: Técnico de Segurança

Leia mais

NAD PS Nagib Jorge Farah Jardim América Auditório Sala de Aula

NAD PS Nagib Jorge Farah Jardim América Auditório Sala de Aula NAD PS Nagib Jorge Farah Jardim América Auditório Sala de Aula NAD PS Alice Tibiriçá Irajá NAD PS Alice Tibiriçá Irajá Sala de Informática NAD Coordenação AP 3.2 Lins Sala de Aula NAD Coordenação AP 3.2

Leia mais

Programa Nacional de Saúde Ocupacional:

Programa Nacional de Saúde Ocupacional: Saúde Ocupacional: 2º Ciclo 2013/2017 Novos desafios Carlos Silva Santos - Coordenador do PNSOC Carolina Nunes Equipa de Coordenação do PNSOC Fafe 2015 Assegurar a proteção e promoção da saúde a todos

Leia mais

Plano Plurianual - Fundo Municipal de Saúde (art. 165, 1º da Constituição Federal )

Plano Plurianual - Fundo Municipal de Saúde (art. 165, 1º da Constituição Federal ) PROGRAMA: ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO: Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público. Manutenção das Atividades Administrativas Fundo

Leia mais

Art. 1º Este Decreto dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho - PNSST, na forma do Anexo.

Art. 1º Este Decreto dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho - PNSST, na forma do Anexo. Diário Oficial da União, nº 214, Seção I, p. 9, 08.11.2011 Decreto nº 7.602,de 07.11.2011 - Dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho - PNSST. A Presidenta da República, no uso

Leia mais

Para garantir uma prestação de serviços de qualidade nas APAEs é fundamental que haja um Gerenciamento de Recursos Humanos com objetivos claros.

Para garantir uma prestação de serviços de qualidade nas APAEs é fundamental que haja um Gerenciamento de Recursos Humanos com objetivos claros. Para garantir uma prestação de serviços de qualidade nas APAEs é fundamental que haja um Gerenciamento de Recursos Humanos com objetivos claros. AS PESSOAS DETERMINAM A CAPACIDADE DE DESEMPENHO DE UMA

Leia mais

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução As pesquisas e os investimentos que influenciaram as mudanças nas propostas para

Leia mais

Sistema Nacional de Vigilância Ambiental em Saúde - SNVA

Sistema Nacional de Vigilância Ambiental em Saúde - SNVA III Reunión Regional Direcciones de Salud Ambiental Santiago/Chile -28/8 al 1/9 2000 Sistema Nacional de Vigilância Ambiental em Saúde - SNVA Ministério da Saúde Fundação Nacional de Saúde Conceito Define-se

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Programa de Promoção da Saúde e Prevenção dos Agravos Relacionados ao Trabalho: Diagnóstico Situacional da Qualidade

Leia mais

Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB

Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB Matriz de Ações 2013 As ações constantes neste relatório estão sendo executadas no Território da Cidadania: Curimataú - PB Matriz de Ações 2013 1 Min. da Educação - MEC 1 Programa Mais Educação Campo Matriz

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva PPGCol

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva PPGCol OFERTA CURRICULAR 2014/1 Professor Responsável: Paulo Antônio Barros de Oliveira 1. Atividade de Ensino: Seminário Avançado Título: Saúde do trabalhador na atenção básica Nº Créditos: 02 Código da Respectiva

Leia mais

Ministério da Saúde SIMPÓSIO NACIONAL DE SAÚDE SAÚDE: DIREITO DE TODOS, DEVER DO ESTADO. FORMAÇÃO E RELAÇÕES DE TRABALHO Mesa 2

Ministério da Saúde SIMPÓSIO NACIONAL DE SAÚDE SAÚDE: DIREITO DE TODOS, DEVER DO ESTADO. FORMAÇÃO E RELAÇÕES DE TRABALHO Mesa 2 Ministério da Saúde SIMPÓSIO NACIONAL DE SAÚDE SAÚDE: DIREITO DE TODOS, DEVER DO ESTADO FORMAÇÃO E RELAÇÕES DE TRABALHO Mesa 2 Brasília, 17 de junho de 2015 O Sistema Único de Saúde O Brasil é o único

Leia mais

TÍTULO: AUTORES INNSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA INTRODUÇÃO

TÍTULO: AUTORES INNSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA INTRODUÇÃO TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA INCLUSÃO DA FISIOTERAPIA NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA AUTORES: Aglaê Dias Arruda, Bianca Nunes Guedes(bia.nunesguedes@bol.com.br), Fabiana Rocha Lima, Kátia Suely Q da S. Ribeiro,

Leia mais

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005 O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY A Importância de Serviço Civil Estruturado Bens e Serviços Públicos Governança Reforma da Política Econômica Gasto Público Sustentabilidade Fiscal Fonte:

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Extensão Esterina Placco Código: 091.01 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica

Leia mais

ÇÃO PERMANENTE PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃ

ÇÃO PERMANENTE PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃ ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA P DO PARANÁ CENTRO FORMADOR DE RECURSOS HUMANOS PLANO ESTADUAL DE EDUCAÇÃ ÇÃO PERMANENTE 2011-2013 2013 ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA ATÉ 2010 CENTRO FORMADOR DE RECURSO HUMANOS 2011..

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE PROTOCOLO PARA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE BUCAL - JUNHO/2006

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE PROTOCOLO PARA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE BUCAL - JUNHO/2006 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE PROTOCOLO PARA ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE BUCAL - JUNHO/2006 1- Compromissos da Saúde Bucal no SUS-BH Ampliação gradativa do acesso aos serviços de saúde bucal;

Leia mais

Dispensação: dispensar e entregar não são sinônimos

Dispensação: dispensar e entregar não são sinônimos ISBN: 978-85-7967-108-1 Vol. 1, Nº 16 Brasília, setembro de 2016 Dispensação: dispensar e entregar não são sinônimos Resumo Uso Racional de Medicamentos: fundamentação em condutas terapêuticas e nos macroprocessos

Leia mais

I Seminário Internacional de Atenção Primária em Saúde de São Paulo. Consolidando a eficiência do Sistema e a qualidade da atenção à saúde

I Seminário Internacional de Atenção Primária em Saúde de São Paulo. Consolidando a eficiência do Sistema e a qualidade da atenção à saúde I Seminário Internacional de Atenção Primária em Saúde de São Paulo Consolidando a eficiência do Sistema e a qualidade da atenção à saúde Missão A OS -ACSC, imbuída de filosofia cristã, tem como missão

Leia mais

AULA 2 ESF E A UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE MISSÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

AULA 2 ESF E A UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE MISSÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DISCIPLINA: ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DOCENTE: LUCI CRISTINA P. SUDAN AULA 2 ESF E A UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE MISSÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE Atender a população da área de abrangência ou do território.

Leia mais

Saúde se faz com gente

Saúde se faz com gente Desafios e Tendências na Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Saúde se faz com gente O SUS e a Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde de acordo com a Constituição Compete à gestão do Sistema Único

Leia mais

ENGENHARIA DO CUIDADO. O Papel das Tecnologias de Gestão e de Informação e Comunicação na Gestão do Cuidado de Condições Crônicas

ENGENHARIA DO CUIDADO. O Papel das Tecnologias de Gestão e de Informação e Comunicação na Gestão do Cuidado de Condições Crônicas ENGENHARIA DO CUIDADO O Papel das Tecnologias de Gestão e de Informação e Comunicação na Gestão do Cuidado de Condições Crônicas Agenda Cuidados Inovadores: Enfrentando o Desafio das Condições Crônicas

Leia mais

PROJETO Desenvolvimento de redes e contratualização de serviços de saúde no Distrito Federal Parceria GDF CHC 2013

PROJETO Desenvolvimento de redes e contratualização de serviços de saúde no Distrito Federal Parceria GDF CHC 2013 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PROJETO Desenvolvimento de redes e contratualização de serviços de saúde no Distrito Federal Parceria GDF CHC 2013 São Paulo, junho de 2013 QUALIHOSP

Leia mais

Vigilância Alimentar e Nutricional

Vigilância Alimentar e Nutricional Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Vigilância Alimentar e Nutricional Conceito de Segurança Alimentar

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº /2013

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº /2013 PREFEITURA MUNICIPAL DE CARLOS CHAGAS - MG PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº /2013 Cria os cargos de Coordenador de Programas Sociais, com base na Lei Complementar 1835, de 19 de janeiro de 2012, e dá outras

Leia mais

Campus UFSCar de Sorocaba Experiências em Sustentabilidade

Campus UFSCar de Sorocaba Experiências em Sustentabilidade Colóquio Sustentabilidade, Educação Ambiental e Eficiência Energética: um desafio para as instituições de ensino e para a sociedade. CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL Secretaria Especial do

Leia mais

Atividades de investigação de Infecções e Surtos em Serviços de Saúde

Atividades de investigação de Infecções e Surtos em Serviços de Saúde Atividades de investigação de Infecções e Surtos em Serviços de Saúde Gerência de Investigação e Prevenção das Infecções e dos Eventos Adversos Gerência Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde gipea@anvisa.gov.br

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 341/11 CIB/RS. A Comissão IntergestoresBipartite/RS, ad referendum, no uso de suas atribuições legais, e considerando:

RESOLUÇÃO Nº 341/11 CIB/RS. A Comissão IntergestoresBipartite/RS, ad referendum, no uso de suas atribuições legais, e considerando: RESOLUÇÃO Nº 341/11 CIB/RS A Comissão IntergestoresBipartite/RS, ad referendum, no uso de suas atribuições legais, e considerando: a importância estratégica da Atenção Básica na organização e consolidação

Leia mais

Programa de Apoio e Qualificação dos Hospitais Públicos de Referência Local e Microrregional do Paraná - HOSPSUS Fase 3

Programa de Apoio e Qualificação dos Hospitais Públicos de Referência Local e Microrregional do Paraná - HOSPSUS Fase 3 Programa de Apoio e Qualificação dos Hospitais Públicos de Referência Local e Microrregional do Paraná - HOSPSUS Fase 3 Paraná 2013 HOSPSUS FASE 3 Objetivos: - Apoiar os Hospitais de referência local e

Leia mais

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde

Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde Experiências de Formação de Nutricionistas para o Sistema Único de Saúde CASO 4: A INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO Introdução Neste Caso Didático será relatada a experiência de reorientação do processo de formação

Leia mais

Planejamento em Saúde na Atenção Básica. Rio de Janeiro, 30/07/2012 - Sala 07

Planejamento em Saúde na Atenção Básica. Rio de Janeiro, 30/07/2012 - Sala 07 Planejamento em Saúde na Atenção Básica Rio de Janeiro, 30/07/2012 - Sala 07 Planejamento da APS em Minas Gerais: O Plano Diretor da Atenção Primária à Saúde Wagner Fulgêncio Elias Secretaria de Estado

Leia mais

1.2. Natureza do Serviço 1.3. Modalidade 1.4. Nº de vagas 1.5. Localidade de Trabalho. Consultoria Produto 1 (uma) Brasília 1.6. Vinculação no PRODOC

1.2. Natureza do Serviço 1.3. Modalidade 1.4. Nº de vagas 1.5. Localidade de Trabalho. Consultoria Produto 1 (uma) Brasília 1.6. Vinculação no PRODOC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO DO CAMPO, INDÍGENA E PARA AS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

INSTRUMENTOS DE GESTÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Eline Alcoforado Maranhão de Sá

INSTRUMENTOS DE GESTÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL. Prof. Eline Alcoforado Maranhão de Sá INSTRUMENTOS DE GESTÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Prof. Eline Alcoforado Maranhão de Sá 1 A Norma Operacional NOB/SUAS 2005, da Política Nacional de Assistência Social consagra os eixos estruturantes

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS/FUNÇÕES AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS Zelar pela manutenção das instalações, mobiliários e equipamentos do órgão; Executar trabalhos braçais; Executar serviços de limpeza

Leia mais

Medidas de Acolhimento para a População Idosa. Instituto da Segurança Social, I.P. C.D.S.S - Vila Real 26 Setembro 2008

Medidas de Acolhimento para a População Idosa. Instituto da Segurança Social, I.P. C.D.S.S - Vila Real 26 Setembro 2008 Medidas de Acolhimento para a População Idosa Instituto da Segurança Social, I.P. C.D.S.S - Vila Real 26 Setembro 2008 I Feira Social Novos Trilhos para a Participação Social Rede Social de Peso da Régua

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA BOLSA DE ESTÁGIO SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA

CONCURSO PÚBLICO PARA BOLSA DE ESTÁGIO SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA CONCURSO PÚBLICO PARA BOLSA DE ESTÁGIO SECRETARIA DE AÇÃO SOCIAL E CIDADANIA NOME COMPLETO: RG: CPF: INSTRUÇÕES Leia atentamente e cumpra rigorosamente as instruções que se seguem: Os telefones celulares

Leia mais

Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Modelo de Excelência em Gestão Profa. Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Conceitos Fundamentais Os Fundamentos da Excelência em Gestão expressam conceitos que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC DE NOVA ODESSA Código: 234 Município: Nova Odessa Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Segurança do Trabalho Qualificação:

Leia mais

AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA

AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano Gerência de Gestão Ambiental Urbana e Territorial AGENDA DE GESTÃO AMBIENTAL URBANA Cidades Sustentáveis são pautadas em três

Leia mais

ABAIXO-ASSINADO PELA APROVAÇÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 723 E CONTRA ALTERAÇÕES NA LEI 12.871 QUE RESULTEM EM DESMONTE DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS

ABAIXO-ASSINADO PELA APROVAÇÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 723 E CONTRA ALTERAÇÕES NA LEI 12.871 QUE RESULTEM EM DESMONTE DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS PELA APROVAÇÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 723 E CONTRA ALTERAÇÕES NA LEI 12.871 QUE RESULTEM EM DESMONTE DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS No dia 29 de abril de 2016 a presidenta Dilma Rousseff publicou a Medida Provisória

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB Departamento de Educação Campus VII - Senhor do Bonfim Curso de Enfermagem Grupo de Pesquisa sobre o Cuidado em Enfermagem GPCEnf/CNPq ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENFERMAGEM

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 (De autoria do Senador Pedro Simon)

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 (De autoria do Senador Pedro Simon) PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2006 (De autoria do Senador Pedro Simon) Dispõe sobre a mineralização dos solos e a segurança alimentar e nutricional. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º A segurança

Leia mais

Mais Médicos: da formação, do provimento e fixação, qual é o papel do município?

Mais Médicos: da formação, do provimento e fixação, qual é o papel do município? 01/06/2014 SEMINÁRIO: Mais Médicos: da formação, do provimento e fixação, qual é o papel do município? Coordenador: Marcelo Dalla Coordenação CONASEMS Palestrantes: Alexandre Medeiros de Figueiredo DEGES/SGTES/MS

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO

PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO PLANO DE TRABALHO PEDAGÓGICO Justificativa. Considerando a necessidade da organização, coordenação e implementação de uma melhor qualidade no processo ensino e aprendizagem se faz necessário o trabalho

Leia mais

desenvolvimento sócioeconômico, interesses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana.

desenvolvimento sócioeconômico, interesses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana. POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE: Uma visão crítica A Política Nacional do Meio Ambiente tem por objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visando assegurar,

Leia mais

Profa.Dra. Ronalda Barreto Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Profa.Dra. Ronalda Barreto Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB Pelo Direito de Produzir e Viver em Cooperação de Maneira Sustentável Profa.Dra. Ronalda Barreto Silva Universidade do Estado da Bahia - UNEB Economia Solidária Atividades Econômicas Produção de bens Prestação

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR A PERSPECTIVA DA ENFERMAGEM NA ATUALIDADE Dra. Juliana Gurgel Passos Fiscal Coren-CE A Enfermagem, por se caracterizar como uma profissão

Leia mais

PORTARIA Nº 1.473, DE 24 DE JUNHO DE 2011

PORTARIA Nº 1.473, DE 24 DE JUNHO DE 2011 PORTARIA Nº 1.473, DE 24 DE JUNHO DE 2011 Institui os Comitês Gestores, Grupos Executivos, Grupos Transversais e os Comitês de Mobilização Social e de Especialistas dos compromissos prioritários de governo

Leia mais

8ª Conferência Municipal de Saúde de Colombo

8ª Conferência Municipal de Saúde de Colombo 8ª Conferência Municipal de Saúde de Colombo EXTRAÍDO DO RELATÓRIO FINAL DIRETRIZES PROPOSTAS PELAS OFICINAS TEMÁTICAS PARA COLOMBO, BIÊNIO 2005-2007, APROVADAS EM PLENÁRIA: OFICINA 01 ATENÇÃO BÁSICA E

Leia mais

MAIS EDUCAÇÃO. Brasília, 2008. Instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007, de 24/04/2007

MAIS EDUCAÇÃO. Brasília, 2008. Instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007, de 24/04/2007 Instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007, de 24/04/2007 -Ministério da Educação -Ministério do Esporte -Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome -Ministério da Cultura -Ministério

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA Universidade Estácio de Sá PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA E d i t a l d o E x a m e d e S e l e ç ã o 2 0 1 6 / 2 A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família, de acordo

Leia mais

Promoção da Alimentação Saudável

Promoção da Alimentação Saudável Promoção da Alimentação Saudável A Evolução da Segurança Alimentar e da Nutrição no Brasil nos anos recentes Redução da pobreza e das desigualdades sociais Redução da insegurança alimentar e da fome Redução

Leia mais

PARECER COREN-SP 031 /2013 CT. PRCI n 101.092. Tickets nºs 290.315, 293.537 e 299.887

PARECER COREN-SP 031 /2013 CT. PRCI n 101.092. Tickets nºs 290.315, 293.537 e 299.887 PARECER COREN-SP 031 /2013 CT PRCI n 101.092 Tickets nºs 290.315, 293.537 e 299.887 Ementa: Realização de teste de gravidez e informação do resultado. 1. Do fato Auxiliares e Técnicos de Enfermagem questionam

Leia mais

AQUARELA: HUMANIZANDO FUTUROS PROFISSIONAIS ATRAVÉS DE VIVÊNCIAS SOCIAIS

AQUARELA: HUMANIZANDO FUTUROS PROFISSIONAIS ATRAVÉS DE VIVÊNCIAS SOCIAIS AQUARELA: HUMANIZANDO FUTUROS PROFISSIONAIS ATRAVÉS DE VIVÊNCIAS SOCIAIS ALMEIDA¹, Dayane Dayse Lopes Avelino de PADILHA², Wilton Wilney Nascimento Centro de Ciências da Saúde/ Departamento de Clínica

Leia mais

Plano de Promoção. e Proteção dos Direitos da Criança. do Concelho de Marvão

Plano de Promoção. e Proteção dos Direitos da Criança. do Concelho de Marvão Plano de Promoção e Proteção dos Direitos da Criança do Concelho de Marvão 1 Índice Introdução I. Fundamentação A - Estratégias 1 Estudo e análise da realidade concelhia. 2 Promoção dos Direitos da Criança...

Leia mais

Sandra Aparecida Lino

Sandra Aparecida Lino CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Reeducação Postural dos Trabalhadores de Saúde da Unidade de Saúde de Cascalho Rico/MG Sandra Aparecida Lino Cascalho

Leia mais

INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E À ANÁLISE DE SITUAÇÃO DE SAÚDE

INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E À ANÁLISE DE SITUAÇÃO DE SAÚDE INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO E INFORMÁTICA EM SAÚDE E À ANÁLISE DE SITUAÇÃO DE SAÚDE Maria Paula Zaitune Departamento de Saúde Coletiva Universidade de Brasília Por que o sanitarista e/ou gestor do setor saúde

Leia mais

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO OUTUBRO DE 2013 SUMÁRIO MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO... 1 1. Núcleo de Informações

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Seminário: Um Olhar atualizado sobre a velhice 01.10.2013

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Seminário: Um Olhar atualizado sobre a velhice 01.10.2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE Seminário: Um Olhar atualizado sobre a velhice 01.10.2013 Particularidades no cuidado às pessoas idosas Maior vulnerabilidade DCNT como principais causas de morbimortalidade e incapacidade

Leia mais

André Merjan Figueiredo Ovidio Salvador Passareli

André Merjan Figueiredo Ovidio Salvador Passareli CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Composição de Equipes de Prevenção para a Redução de Agravos e Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho em servidores

Leia mais

Programa Saúde na Escola- PSE

Programa Saúde na Escola- PSE - Promoção da Alimentação Saudável- Ações para Promoção de Saúde na Escola e Desafios para sua implementação. Programa Saúde na Escola- PSE Equipe: Keila Fortes- Nutricionista FMS Maria do Rosário de Fátima

Leia mais

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996 Tramitação 1988 Promulgação da Constituição Federal 1988 a 1991 Início de discussão do projeto Jorge Hage na Câmara

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ODONTOLOGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ODONTOLOGIA Concurso Público de Provas e Títulos, para o cargo de Professor da Carreira de Magistério Superior do Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal da Universidade Federal de Uberlândia, para a Faculdade

Leia mais

CARTA DE BRASÍLIA. 1. Ampliar o diálogo entre os entes federativos, promovendo a articulação conjunta com prefeitos, governadores e parlamentares

CARTA DE BRASÍLIA. 1. Ampliar o diálogo entre os entes federativos, promovendo a articulação conjunta com prefeitos, governadores e parlamentares CARTA DE BRASÍLIA Os Secretários Municipais de Saúde reunidos no XXXI Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, no período de 06 a 08 de Agosto de 2015, na cidade de Brasília - DF reafirmam

Leia mais

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA

PREFEITURA DE JUIZ DE FORA Orgão: 01000 SECRETARIA DE GOVERNO UNIDADE ORÇAMENTÁRIA: 01110 SECRETARIA DE GOVERNO Página: 1 Codificação Especificação Fonte Conta Elem.Despesa Cat.Economica 04 Administração 04.031 Ação Legislativa

Leia mais

Controle Social no Programa Bolsa Família 1

Controle Social no Programa Bolsa Família 1 Controle Social no Programa Bolsa Família 1 Definição É o acompanhamento efetivo da sociedade civil na gestão do Programa Bolsa Família como contribuição para uma maior transparência das ações do Estado

Leia mais

Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos:

Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos: Proposta de Governo Em 2.008 apresentamos à comunidade um Plano de Governo centrado em quatro eixos: - As Pessoas em Primeiro Lugar - Desenvolvimento Econômico e Identidade Local - Território Ordenado

Leia mais