Flora do Cerrado sensu stricto Parque Estadual de Terra Ronca, Goiás, BRASIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Flora do Cerrado sensu stricto Parque Estadual de Terra Ronca, Goiás, BRASIL"

Transcrição

1 1 1 Anacardium occidentale ANACARDIACEAE 2 Anacardium occidentale ANACARDIACEAE 3 Annona coriacea 4 Annona coriacea 5 Annona coriacea 6 Annona crassiflora 7 Annona crassiflora 8 Annona crassiflora 9 Annona crassiflora 10 Annona tomentosa 11 Annona tomentosa 12 Annona tomentosa 13 Duguetia furfuracea 14 Duguetia furfuracea 15 Duguetia furfuracea 16 Xylopia aromatica 17 Xylopia aromatica 18 Hancornia speciosa 19 Hancornia speciosa 20 Hancornia speciosa

2 2 Fotos: Ana Magalhães Teixeira, Thomaz Gaya e José Roberto R. Pinto. Produzido por: Ana Magalhães Teixeira e Thomaz Gaya. Apoio: Rede ComCerrado Agradecemos aos colaboradores 21 Aspidosperma macrocarpon 22 Aspidosperma macrocarpon 23 Aspidosperma tomentosum 24 Aspidosperma tomentosum 25 Tabebuia aurea 26 Tabebuia aurea 27 Zeyheria montana 28 Zeyheria montana 29 Zeyheria montana 30 Cochlospermum regium BIXACEAE 31 Protium ovatum BURSERACEAE 32 Discocactus sp. CACTACEAE 33 Kielmeyera coriacea 34 Kielmeyera coriacea 35 Kielmeyera speciosa 36 Kielmeyera speciosa 37 Kielmeyera rubriflora 38 Caryocar cuneatum CARYOCARACEAE 39 Caryocar cuneatum CARYOCARACEAE 40 Caryocar cuneatum CARYOCARACEAE

3 3 41 Exellodendron cordatum 42 Exellodendron cordatum 43 Exellodendron cordatum 44 Hirtella ciliata 45 Hirtella ciliata 46 Hirtella ciliata 47 Hirtella ciliata 48 Hirtella ciliata 49 Connarus suberosum 50 Connarus suberosum 51 Connarus suberosum 52 Rourea induta 53 Rourea induta 54 Rourea induta 55 Curatella americana DILLENIACEAE 56 Davilla elliptica DILLENIACEAE 57 Davilla elliptica DILLENIACEAE 58 Davilla elliptica DILLENIACEAE 59 Diospyros sericea EBENACEAE 60 Erythroxylum deciduum ERYTHROXYLACEAE

4 4 61 Erythroxylum deciduum ERYTHROXYLACEAE 62 Andira vermifuga 63 Andira vermifuga 64 Andira vermifuga 65 Bauhinia sp. 66 Bowdichia virgilioides 67 Bowdichia virgilioides 68 Calliandra sp. 69 Chamaecrista orbiculata 70 Chamaecrista orbiculata 71 Chamaecrista orbiculata 72 Copaifera luetzelburgii 73 Copaifera luetzelburgii 74 Copaifera luetzelburgii 75 Dimorphandra gardneriana 76 Hymenaea stigonocarpa 77 Hymenaea stigonocarpa 78 Hymenaea stigonocarpa 79 Leptolobium dasycarpum 80 Leptolobium dasycarpum

5 5 Manoel Cláudio da Silva-Júnior, Jair Eustáquio Q. de Faria, Anderson Alves-Araújo, Aryanne Amaral, Daniela Zappi, Jorge A. S. Costa e Roberta Chacon elo auxílio na identificação de espécies. Ana M. Teixeira Thomaz Gaya [fieldguides.fieldmuseum.org] [686] versão 1 06/ Plathymenia reticulata 82 Plathymenia reticulata 83 Stryphnodendron coriaceum 84 Stryphnodendron coriaceum 85 Stryphnodendron coriaceum 86 Heisteria citrifolia OLACACEAE 87 Heisteria citrifolia OLACACEAE 88 Antonia ovata LOGANIACEAE 89 Antonia ovata LOGANIACEAE 90 Lafoensia pacari 91 Lafoensia pacari 92 Lafoensia pacari 93 Lafoensia pacari 94 Lafoensia pacari 95 Eriotheca gracilipes MALVACEAE 96 Eriotheca gracilipes MALVACEAE 97 Mouriri elliptica 98 Mouriri elliptica 99 Mouriri elliptica 100 Mouriri pusa

6 6 101 Mouriri pusa 102 Mouriri gardneri 103 Mouriri gardneri 104 Mouriri gardneri 105 Mouriri gardneri 106 Brosimum gaudichaudii MORACEAE 107 Brosimum gaudichaudii MORACEAE 108 Brosimum gaudichaudii MORACEAE 109 Virola subsessilis MYRISTICACEAE 110 Virola subsessilis MYRISTICACEAE 111 Virola subsessilis MYRISTICACEAE 112 Eugenia cf. suberosa MYRTACEAE 113 Eugenia cf. suberosa MYRTACEAE 114 Eugenia cf. suberosa MYRTACEAE 115 Ouratea ovalis OCHNACEAE 116 Ouratea ovalis OCHNACEAE 117 Ouratea ovalis OCHNACEAE 118 Agonandra brasiliensis OPILIACEAE 119 Agonandra brasiliensis OPILIACEAE 120 Alibertia edulis

7 7 Manoel 121 Ferdinandusa elliptica 122 Ferdinandusa elliptica 123 Ferdinandusa elliptica 124 Cordiera sp. 125 Cordiera sp. 126 Rudgea erioloba 127 Rudgea erioloba 128 Tocoyena formosa 129 Tocoyena formosa 130 Esenbeckia pumila RUTACEAE 131 Casearia sylvestris SALICACEAE 132 Casearia sylvestris SALICACEAE 133 Magonia pubescens 134 Magonia pubescens 135 Magonia pubescens 136 Magonia pubescens 137 Magonia pubescens 138 Pouteria subcaerulea 139 Pouteria subcaerulea 140 Pouteria ramiflora

8 8 Manoel Cláudio da Silva-Júnior, Jair Eustáquio Q. de Faria, Anderson Alves-Araújo, Aryanne Amaral, Daniela Zappi, Jorge A. S. Costa e Roberta Chacon elo auxílio na identificação de espécies. 141 Pouteria ramiflora 142 Pouteria ramiflora 143 Pouteria torta 144 Pouteria torta 145 Pouteria torta 146 Simarouba versicolor 147 Simarouba versicolor 148 Simarouba versicolor 149 Callisthene fasciculata 150 Qualea grandiflora 151 Qualea grandiflora 152 Qualea parviflora 153 Qualea parviflora 154 Salvertia convallariodora 155 Salvertia convallariodora 156 Vochysia gardneri 157 Vochysia gardneri 158 Vochysia gardneri 159 Simaba ferruginea 160 Simaba ferruginea

9 Flora do Cerrado sensu stricto Parque Estadual de Terra Ronca, Goiás, BRASIL 9 Ana Magalhães C. Teixeira1, Thomaz R. L. M. Gaya2, José Roberto Rodrigues Pinto1, Cássia Beatriz Munhoz1,3 Manoel Cláudio da Silva-Júnior, Jair Eustáquio Q. de Faria, Anderson Alves-Araújo, Aryanne Amaral, Daniela Zappi, Jorge A. S. Costa e Roberta Chacon elo auxílio na identificação de espécies. Ana M. Teixeira Thomaz Gaya [fieldguides.fieldmuseum.org] [686] versão 1 07/2015 Vista panorâmica do cerrado sentido restrito no Parque Estadual de Terra Ronca Fotos: Ana M. C. Teixeira Vista panorâmica do cerrado do Parque, com a serra geral ao fundo (foto superior do lado esquerdo) e perfil fisionômico (demais fotos)

CERNE ISSN: Universidade Federal de Lavras Brasil

CERNE ISSN: Universidade Federal de Lavras Brasil CERNE ISSN: 0104-7760 cerne@dcf.ufla.br Universidade Federal de Lavras Brasil de Oliveira, Marcela Cristina; Soares Scolforo, José Roberto; de Mello, José Márcio; Donizette de Oliveira, Antônio; Weimar

Leia mais

COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DE COMUNIDADES ARBÓREAS DE CERRADO stricto sensu NO NORTE DO TOCANTINS E SUL DO MARANHÃO 1

COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DE COMUNIDADES ARBÓREAS DE CERRADO stricto sensu NO NORTE DO TOCANTINS E SUL DO MARANHÃO 1 Composição e estrutura de comunidades arbóreas de... 673 COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DE COMUNIDADES ARBÓREAS DE CERRADO stricto sensu NO NORTE DO TOCANTINS E SUL DO MARANHÃO 1 Marcelo Brilhante de Medeiros

Leia mais

REGENERAÇÃO NATURAL EM ÁREAS DEGRADADAS COM ENFOQUE NA CAPACIDADE DE RESILIÊNCIA DAS ESPÉCIES LENHOSAS DO CERRADO

REGENERAÇÃO NATURAL EM ÁREAS DEGRADADAS COM ENFOQUE NA CAPACIDADE DE RESILIÊNCIA DAS ESPÉCIES LENHOSAS DO CERRADO REGENERAÇÃO NATURAL EM ÁREAS DEGRADADAS COM ENFOQUE NA CAPACIDADE DE RESILIÊNCIA DAS ESPÉCIES LENHOSAS DO CERRADO Ayuni Larissa Mendes Sena 1, 2, José Roberto Rodrigues Pinto 1, 3 ( 1 Universidade de Brasília,

Leia mais

Estudo da estrutura da regeneração natural e da vegetação adulta de um cerrado senso stricto para fins de manejo florestal

Estudo da estrutura da regeneração natural e da vegetação adulta de um cerrado senso stricto para fins de manejo florestal SCIENTIA FORESTALIS n. 61, p. 64-78, jun. 2002 Estudo da estrutura da regeneração natural e da vegetação adulta de um cerrado senso stricto para fins de manejo florestal The study of the natural regeneration

Leia mais

CAPÍTULO IX TRAJETÓRIAS DE CRESCIMENTO DE ESPÉCIES DO CERRADO

CAPÍTULO IX TRAJETÓRIAS DE CRESCIMENTO DE ESPÉCIES DO CERRADO CAPÍTULO IX TRAJETÓRIAS DE CRESCIMENTO DE ESPÉCIES DO CERRADO José Roberto Scolforo Antônio Carlos Ferraz Filho Charles Plínio de Castro Silva Claudio Roberto Thiersch Maria Zélia Ferreira Com o objetivo

Leia mais

LEVANTAMENTO QUANTITATIVO EM TRÊS HECTARESDE VEGETAÇÃO DE CERRADO 1

LEVANTAMENTO QUANTITATIVO EM TRÊS HECTARESDE VEGETAÇÃO DE CERRADO 1 LEVANTAMENTO QUANTITATIVO EM TRÊS HECTARESDE VEGETAÇÃO DE CERRADO 1 JOSÉ ELIAS DE PAULA 2, JOSÉ IMAÑA-ENCINAS 3 E NILTON SUGIMOTO 4 RESUMO - Uma investigação foi conduzida com objetivo de quantificar e

Leia mais

Solos, Florística e Fitossociologia em Áreas de Reserva sob Vegetação de Cerrado Sensu Stricto em Propriedades Rurais de Urutaí, GO

Solos, Florística e Fitossociologia em Áreas de Reserva sob Vegetação de Cerrado Sensu Stricto em Propriedades Rurais de Urutaí, GO Solos, Florística e Fitossociologia em Áreas de Reserva sob Vegetação de Cerrado Sensu Stricto em Propriedades Rurais de Urutaí, GO Álvaro de Oliveira Cardoso 1 Dalilla Cristina Socorro Lemos 2 Carlos

Leia mais

MARCELLO MESSIAS BARBOSA

MARCELLO MESSIAS BARBOSA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA DE CERRADO SENTIDO

Leia mais

EFEITO DO DESMATAMENTO NO ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES LENHOSAS EM UM CERRADO Sensu stricto

EFEITO DO DESMATAMENTO NO ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES LENHOSAS EM UM CERRADO Sensu stricto EFEITO DO DESMATAMENTO NO ESTABELECIMENTO DE ESPÉCIES LENHOSAS EM UM CERRADO Sensu stricto Alba Valéria Rezende *, Carlos Roberto Sanquetta **, Afonso Figueiredo Filho *** * Eng. Florestal, Dr a., Depto.

Leia mais

EFEITO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE UMA ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO NA FAZENDA ÁGUA LIMPA-DF 1

EFEITO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE UMA ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO NA FAZENDA ÁGUA LIMPA-DF 1 Efeito de incêndios florestais na estrutura e composição... 129 EFEITO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS NA ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA DE UMA ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO NA FAZENDA ÁGUA LIMPA-DF 1 Nilton

Leia mais

Fitossociologia de um fragmento de cerrado sensu stricto na APA do Paranoá, DF, Brasil

Fitossociologia de um fragmento de cerrado sensu stricto na APA do Paranoá, DF, Brasil Acta bot. bras. 18(4): 903-909. 2004 Fitossociologia de um fragmento de cerrado sensu stricto na APA do Paranoá, DF, Brasil Sérgio Lelis Assunção 1 e Jeanine Maria Felfili 1,2 Recebido em 01/04/2003. Aceito

Leia mais

Anexo C C-1. Capítulo III Diagnóstico do meio biótico

Anexo C C-1. Capítulo III Diagnóstico do meio biótico Anexo C C-1 Anexo C. Capítulo III Diagnóstico do meio biótico Quadro 1. Listagem de espécies vegetais identificadas na área de estudo da UHE São Família Nome Popular Fitofisionomias 7 8 33 2 4 6 9 13 27

Leia mais

1 Instituto de Biologia UNICAMP Campinas - SP. 2 Instituto de Geociências UNICAMP Campinas - SP

1 Instituto de Biologia UNICAMP Campinas - SP. 2 Instituto de Geociências UNICAMP Campinas - SP 183 Regeneração de espécies lenhosas do cerrado em plantios de Pinus sp e Eucaliptus sp no município de Itirapina, Estado de São Paulo. ALMEIDA, A. C. A 1. CHABES, M.L. 1 KUNIYOSHI, T.M. 1 RODRIGUES, P.E.

Leia mais

MUDANÇA NA COMUNIDADE LENHOSA DE UM CERRADÃO E UM CERRADO STRICTO SENSU NO PARQUE DO BACABA, NOVA XAVANTINA - MT

MUDANÇA NA COMUNIDADE LENHOSA DE UM CERRADÃO E UM CERRADO STRICTO SENSU NO PARQUE DO BACABA, NOVA XAVANTINA - MT UFMT UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE ENGENHARIA FLORESTAL Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais e Ambientais UFMT MUDANÇA NA COMUNIDADE LENHOSA DE UM CERRADÃO E UM CERRADO STRICTO

Leia mais

Alunos: Claudinei, Jéssica Fenker Antunes, Lorrainy Bartasson, Luiz Henrique Argolo Camilo, Mariana Caixeta Milhome Viana.

Alunos: Claudinei, Jéssica Fenker Antunes, Lorrainy Bartasson, Luiz Henrique Argolo Camilo, Mariana Caixeta Milhome Viana. Fitossociologia, florística e comparação da riqueza e diversidade da vegetação arbórea entre um cerrado típico, campo limpo e mata ciliar próxima ao Rio Noidori e Rio das Mortes-MT. Alunos: Claudinei,

Leia mais

Grandes linhas de atuação da Embrapa I. Ordenamento, monitoramento e gestão em territórios

Grandes linhas de atuação da Embrapa I. Ordenamento, monitoramento e gestão em territórios Grandes linhas de atuação da Embrapa I. Ordenamento, monitoramento e gestão em territórios II. Manejo, valorização e valoração de recursos naturais (floresta e recursos hídricos) III. Produção agropecuária

Leia mais

O Cerrado Brasileiro: berço das águas e celeiro do mundo. Felipe Ribeiro Embrapa Cerrados 8 maio de 2017

O Cerrado Brasileiro: berço das águas e celeiro do mundo. Felipe Ribeiro Embrapa Cerrados 8 maio de 2017 O Cerrado Brasileiro: berço das águas e celeiro do mundo Felipe Ribeiro Embrapa Cerrados 8 maio de 2017 Objetivos 1. Identificar as características do bioma Cerrado e avaliar a importância da preservação

Leia mais

Ci. Fl., v. 23, n. 1, jan.-mar., 2013

Ci. Fl., v. 23, n. 1, jan.-mar., 2013 Ciência Florestal, Santa Maria, v. 23, n. 1, p. 29-43, jan.-mar., 2013 ISSN 0103-9954 FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA EM ÁREAS DE CAMPO SUJO E CERRADO SENSU STRICTO NA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DE PIRAPITINGA MG

Leia mais

FITOSSOCIOLOGIA DAS ESPÉCIES ARBÓREAS NATIVAS DE CERRADO EM ÁREAS ADJACENTES A DEPÓSITOS DE RESÍDUOS DOMICILIARES

FITOSSOCIOLOGIA DAS ESPÉCIES ARBÓREAS NATIVAS DE CERRADO EM ÁREAS ADJACENTES A DEPÓSITOS DE RESÍDUOS DOMICILIARES FITOSSOCIOLOGIA DAS ESPÉCIES ARBÓREAS NATIVAS DE CERRADO EM ÁREAS ADJACENTES A DEPÓSITOS DE RESÍDUOS DOMICILIARES Otacílio Antunes Santana 1, José Imaña-Encinas 2 1 Biólogo, Dr., Depto. Geografia, UnB,

Leia mais

Palavras-chave: sensitrilha, percepção ambiental, descrição botânica, escrita em Braille

Palavras-chave: sensitrilha, percepção ambiental, descrição botânica, escrita em Braille Desenvolvimento de um guia botânico como instrumento de inclusão de pessoas com deficiência visual 1 Flávio Pereira Meno 2, Isabel Dias Carvalho 3, Paula Andrea Nascimento dos Reys Magalhães 4 1 Artigo

Leia mais

COMPONENTE ARBÓREO E ARBUSTIVO DE UM REMANESCENTE DE CERRADÃO EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL

COMPONENTE ARBÓREO E ARBUSTIVO DE UM REMANESCENTE DE CERRADÃO EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL COMPONENTE ARBÓREO E ARBUSTIVO DE UM REMANESCENTE DE CERRADÃO EM CAMPO GRANDE, MATO GROSSO DO SUL Elidiene Priscila Seleme 1, Ângela Lúcia Bagnatori Sartori 2 ( 1 Programa de Pós-Graduação em Biologia

Leia mais

FITOSSOCIOLOGIA E DIVERSIDADE DE UMA ÁREA DE CERRADO STRICTU SENSU NO PARQUE ESTADUAL DO RIO PRETO, SÃO GONÇALO DO RIO PRETO, MG

FITOSSOCIOLOGIA E DIVERSIDADE DE UMA ÁREA DE CERRADO STRICTU SENSU NO PARQUE ESTADUAL DO RIO PRETO, SÃO GONÇALO DO RIO PRETO, MG FITOSSOCIOLOGIA E DIVERSIDADE DE UMA ÁREA DE CERRADO STRICTU SENSU NO PARQUE ESTADUAL DO RIO PRETO, SÃO GONÇALO DO RIO PRETO, MG Erik Júnior Paulino, Josiane Silva Bruzinga, Sílvia da Luz Lima Mota, Vinícius

Leia mais

ALEXANDER PAULO DO CARMO BALDUINO

ALEXANDER PAULO DO CARMO BALDUINO ALEXANDER PAULO DO CARMO BALDUINO ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO LENHOSA DE CERRADO STRICTO SENSU E SUA RELAÇÃO COM O SOLO NA ESTAÇÃO FLORESTAL DE EXPERIMENTAÇÃO DE PARAOPEBA-MG Tese apresentada à Universidade

Leia mais

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Gardenal Fina, Bruna; Monteiro, Reinaldo ANÁLISE DA ESTRUTURA ARBUSTIVO-ARBÓREA DE UMA ÁREA DE CERRADO Sensu Stricto,

Leia mais

Caracterização florística de um fragmento de cerrado na APA Estadual do Rio Pandeiros - Bonito de Minas/MG

Caracterização florística de um fragmento de cerrado na APA Estadual do Rio Pandeiros - Bonito de Minas/MG Caracterização florística de um fragmento de cerrado na APA Estadual do Rio Pandeiros - Bonito de Minas/MG Hamilton dos Reis Sales 1, Rubens Manoel dos Santos 2, Yule Roberta Ferreira Nunes 3, Franciellen

Leia mais

Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, Rio Grande do Norte - BRASIL FLORA DO PARQUE DA CIDADE NATAL

Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, Rio Grande do Norte - BRASIL FLORA DO PARQUE DA CIDADE NATAL 1 Ayrthon Weslley Vitorino de Medeiros [ayrthon.medeiros@gmail.com] [fieldguides.fieldmuseum.org] [836] versão 1 11/2016 1 Aphelandra nuda ACANTHACEAE 2Thyrsacanthus ramosissimus ACANTHACEAE 3 Anacardium

Leia mais

CERNE ISSN: Universidade Federal de Lavras Brasil

CERNE ISSN: Universidade Federal de Lavras Brasil CERNE ISSN: 0104-7760 cerne@dcf.ufla.br Universidade Federal de Lavras Brasil Brilhante de Medeiros, Marcelo; Machado Teles Walter, Bruno; Pereira Silva, Glocimar Fitossociologia do cerrado stricto sensu

Leia mais

Conhecimento Popular das Espécies Vegetais da Estação Ecológica de Uruçuí Una, Piauí

Conhecimento Popular das Espécies Vegetais da Estação Ecológica de Uruçuí Una, Piauí Conhecimento Popular das Espécies Vegetais da Estação Ecológica de Uruçuí Una, Piauí Luciano Cavalcante de Jesus França (1) ; Gustavo Moreira Saraiva (2) ; Glaciellen Priscila (3) ; Marcelo Sousa Lopes

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL VALEC MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) DAS OBRAS DE IMPLANTAÇÃO DA FERROVIA OESTE LESTE (EF 334), ENTRE FIGUEIRÓPOLIS (TO) E ILHÉUS (BA) VOLUME

Leia mais

VAS, GOIÁS. vras-chave florística, fitossociologia, cerrado, Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

VAS, GOIÁS. vras-chave florística, fitossociologia, cerrado, Parque Estadual da Serra de Caldas Novas Levantamento florístico e fitossociológico em duas áreas de cerrado 43 LEVANT ANTAMENT AMENTO O FLORÍSTICO E FITOSSOCIOLÓGICO EM DUAS AS ÁREAS DE CERRADO SENSU STRICTO NO PARQ ARQUE UE ESTADU ADUAL AL

Leia mais

Fitossociologia de uma área de cerrado marginal, Parque Estadual do Mirador, Mirador, Maranhão*

Fitossociologia de uma área de cerrado marginal, Parque Estadual do Mirador, Mirador, Maranhão* SCIENTIA PLENA VOL. 5, NUM. 10 2009 www.scientiaplena.org.br Fitossociologia de uma área de cerrado marginal, Parque Estadual do Mirador, Mirador, Maranhão* G. M. da Conceição 1 & A. A. J. F. Castro 2

Leia mais

Florística, fitossociologia e diversidade da vegetação arbórea nas matas de galeria do Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), Piauí, Brasil

Florística, fitossociologia e diversidade da vegetação arbórea nas matas de galeria do Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), Piauí, Brasil Acta bot. bras. 24(2): 483-496. 2010. Florística, fitossociologia e diversidade da vegetação arbórea nas matas de galeria do Parque Nacional de Sete Cidades (PNSC), Piauí, Brasil Mariana de Queiroz Matos

Leia mais

ESTUDO FITOSSOCIOLÓGICO EM ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO NA ESTAÇÃO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL GALHEIRO - PERDIZES, MG

ESTUDO FITOSSOCIOLÓGICO EM ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO NA ESTAÇÃO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL GALHEIRO - PERDIZES, MG CAMINHOS DE GEOGRAFIA - REVISTA ON LINE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA Instituto de Geografia UFU ESTUDO FITOSSOCIOLÓGICO EM ÁREA DE CERRADO SENSU STRICTO NA ESTAÇÃO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Densidade Básica Da Madeira Para Quantificação De Biomassa Em Vegetação De Mata Atlântica

Densidade Básica Da Madeira Para Quantificação De Biomassa Em Vegetação De Mata Atlântica Densidade Básica Da Madeira Para Quantificação De Biomassa Em Vegetação De Mata Atlântica José da Silva Cerqueira Neto¹, Andrea Vita Reis Mendonça², Josival Santos Souza², Bruno Melo da Matta³, Lorena

Leia mais

LEVANTAMENTO FITOGEOGRÁFICO E CATALOCAÇÃO DAS ESPÉCIES NATIVAS DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO PARQUE ESTADUAL SERRA DE JARAGUÁ- GOIÁS.

LEVANTAMENTO FITOGEOGRÁFICO E CATALOCAÇÃO DAS ESPÉCIES NATIVAS DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO PARQUE ESTADUAL SERRA DE JARAGUÁ- GOIÁS. Porto Alegre/RS 23 a 26/11/2015 LEVANTAMENTO FITOGEOGRÁFICO E CATALOCAÇÃO DAS ESPÉCIES NATIVAS DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO PARQUE ESTADUAL SERRA DE JARAGUÁ- GOIÁS. Mayara da Silva Tinoco (*), Agostinho Carneiro

Leia mais

Ben Hur Marimon Junior 2,4 e Mundayatan Haridasan 3

Ben Hur Marimon Junior 2,4 e Mundayatan Haridasan 3 Acta bot. bras. 19(4): 913-926. 25 Comparação da vegetação arbórea e características edáficas de um cerradão e um cerrado sensu stricto em áreas adjacentes sobre solo distrófico no leste de Mato Grosso,

Leia mais

FITOSSOCIOLOGIA EM COMUNIDADES ARBÓREAS REMANESCENTES DE CERRADO SENSU STRICTO NO BRASIL CENTRAL

FITOSSOCIOLOGIA EM COMUNIDADES ARBÓREAS REMANESCENTES DE CERRADO SENSU STRICTO NO BRASIL CENTRAL FITOSSOCIOLOGIA EM COMUNIDADES ARBÓREAS REMANESCENTES DE CERRADO SENSU STRICTO NO BRASIL CENTRAL Zenesio Finger 1*, Felipe Augusto Finger 2 1* Universidade Federal do Mato Grosso, Faculdade de Engenharia

Leia mais

FITOSSOCIOLOGIA E ESTRUTURA PARAMÉTRICA DE UMA ÁREA DE CERRADO stricto sensu NA RESERVA LEGAL DA ARCELOR MITTAL (Itamarandiba - MG)

FITOSSOCIOLOGIA E ESTRUTURA PARAMÉTRICA DE UMA ÁREA DE CERRADO stricto sensu NA RESERVA LEGAL DA ARCELOR MITTAL (Itamarandiba - MG) FITOSSOCIOLOGIA E ESTRUTURA PARAMÉTRICA DE UMA ÁREA DE CERRADO stricto sensu NA RESERVA LEGAL DA ARCELOR MITTAL (Itamarandiba - MG) Josiane Silva Bruzinga 1, Sílvia da Luz Lima Mota 1, Israel Marinho Pereira

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS PARA A CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA SEMENTE RESGATADO EM ÁREAS DE APROVEITAMENTO DE CINCO HIDRELÉTRICAS NO BIOMA CERRADO

DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS PARA A CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA SEMENTE RESGATADO EM ÁREAS DE APROVEITAMENTO DE CINCO HIDRELÉTRICAS NO BIOMA CERRADO Documentos ISSN 0102-0110 Setembro, 2005 138 DESENVOLVIMENTO DE METODOLOGIAS PARA A CONSERVAÇÃO DE GERMOPLASMA SEMENTE RESGATADO EM ÁREAS DE APROVEITAMENTO DE CINCO HIDRELÉTRICAS NO BIOMA CERRADO República

Leia mais

Análise da vegetação arbórea de um remanescente de Cerradão em Bandeirantes, Mato Grosso do Sul, Brasil 1

Análise da vegetação arbórea de um remanescente de Cerradão em Bandeirantes, Mato Grosso do Sul, Brasil 1 Análise da vegetação arbórea de um remanescente... 31 Análise da vegetação arbórea de um remanescente de Cerradão em Bandeirantes, Mato Grosso do Sul, Brasil 1 Dirce Cristiane Camilotti 2, Teresa Cristina

Leia mais

Ciência Florestal ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Florestal ISSN: Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Florestal ISSN: 0103-9954 cf@ccr.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Vale Teixera do, Ailton; Fiedler, Nilton César; Silva Fernandes da, Gilson Avaliação energética da biomassa do

Leia mais

EFEITO DE QUEIMADAS SOBRE A ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA COMUNIDADE VEGETAL LENHOSA DO CERRADO SENTIDO RESTRITO EM CALDAS NOVAS, GO 1

EFEITO DE QUEIMADAS SOBRE A ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA COMUNIDADE VEGETAL LENHOSA DO CERRADO SENTIDO RESTRITO EM CALDAS NOVAS, GO 1 Efeito de queimadas sobre a estrutura e composição 695 EFEITO DE QUEIMADAS SOBRE A ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA COMUNIDADE VEGETAL LENHOSA DO CERRADO SENTIDO RESTRITO EM CALDAS NOVAS, GO 1 Sérgio de Faria

Leia mais

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Faria Lopes, Sérgio de; Vale, Vagner Santiago do; Schiavini, Ivan EFEITO DE QUEIMADAS SOBRE A ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO

Leia mais

AS FITOFISIONOMIAS DA RODOVIA TO 030 NO TRECHO DA APA JALAPÃO AO MUNICÍPIO DE SÃO FÉLIX DO TOCANTINS-TO.

AS FITOFISIONOMIAS DA RODOVIA TO 030 NO TRECHO DA APA JALAPÃO AO MUNICÍPIO DE SÃO FÉLIX DO TOCANTINS-TO. AS FITOFISIONOMIAS DA RODOVIA TO 030 NO TRECHO DA APA JALAPÃO AO MUNICÍPIO DE SÃO FÉLIX DO TOCANTINS-TO. Eliane Marques dos Santos 1, Lúcio Flavo Marini Adorno 2, Eduardo Ribeiro dos Santos 3 1 Mestranda

Leia mais

Estrutura e florística do estrato arbóreo no cerrado. Resumo

Estrutura e florística do estrato arbóreo no cerrado. Resumo Rodriguésia 61(4): 731-747. 2010 http://rodriguesia.jbrj.gov.br Estrutura e florística do estrato arbóreo no cerrado sensu stricto de Buritis, Minas Gerais, Brasil Floristics and structure of the cerrado

Leia mais

ESTRUTURA DE UM CERRADO STRICO SENSU NA GLEBA CERRADO PÉ-DE-GIGANTE, SANTA RITA DO PASSA QUATRO, SP

ESTRUTURA DE UM CERRADO STRICO SENSU NA GLEBA CERRADO PÉ-DE-GIGANTE, SANTA RITA DO PASSA QUATRO, SP Acta bot. bras. 17(4): 531-539. 2003 531 ESTRUTURA DE UM CERRADO STRICO SENSU NA GLEBA CERRADO PÉ-DE-GIGANTE, SANTA RITA DO PASSA QUATRO, SP Alessandra Tomaselli Fidelis 1,3 Silvana Aparecida Pires de

Leia mais

ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DA REGENERAÇÃO NATURAL DE UMA ÁREA DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE CURVELO, MG

ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DA REGENERAÇÃO NATURAL DE UMA ÁREA DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE CURVELO, MG ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DA REGENERAÇÃO NATURAL DE UMA ÁREA DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE CURVELO, MG Israel Marinho Pereira 1 ; André César Pinheiro 2 ; Marcio Leles Romarco de Oliveira 3 ; Thiago José

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ABUNDÂNCIA DE ESPÉCIES ARBÓREAS DO CERRADO SENSU STRICTO NO PANTANAL, MATO GROSSO, BRASIL

DISTRIBUIÇÃO E ABUNDÂNCIA DE ESPÉCIES ARBÓREAS DO CERRADO SENSU STRICTO NO PANTANAL, MATO GROSSO, BRASIL DISTRIBUIÇÃO E ABUNDÂNCIA DE ESPÉCIES ARBÓREAS DO CERRADO SENSU STRICTO NO PANTANAL, MATO GROSSO, BRASIL Gilmar Alves Lima Júnior, Natasha Brianez Rodrigues, Débora Soares Barreto, Letícia Borges Pinto,

Leia mais

ESTOQUE DE CARBONO EM CERRADO Sensu stricto DO DISTRITO FEDERAL 1. CARBON STOCK IN CERRADO Sensu stricto IN THE FEDERAL DISTRICT

ESTOQUE DE CARBONO EM CERRADO Sensu stricto DO DISTRITO FEDERAL 1. CARBON STOCK IN CERRADO Sensu stricto IN THE FEDERAL DISTRICT Estoque de carbono em cerrado sensu stricto do... 527 ESTOQUE DE CARBONO EM CERRADO Sensu stricto DO DISTRITO FEDERAL 1 Artur Orelli Paiva 2, Alba Valéria Rezende 3 e Reginaldo Sergio Pereira 3 RESUMO

Leia mais

ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO E CARACTERÍSTICAS EDÁFICAS DE UM CERRADÃO EM SOLO DISTRÓFICO E EM SOLO MESOTRÓFICO NO TRIÂNGULO MINEIRO

ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO E CARACTERÍSTICAS EDÁFICAS DE UM CERRADÃO EM SOLO DISTRÓFICO E EM SOLO MESOTRÓFICO NO TRIÂNGULO MINEIRO Original Article 2013 ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO E CARACTERÍSTICAS EDÁFICAS DE UM CERRADÃO EM SOLO DISTRÓFICO E EM SOLO MESOTRÓFICO NO TRIÂNGULO MINEIRO VEGETATION STRUCTURE AND SOIL CHARACTERISTICS OF A DYSTROPHIC

Leia mais

LEVANTAMENTO FITOSSOCIOLÓGICO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA SEMIDECÍDUA PRÓXIMO A ENCOSTA DO MORRO DO PAXIXI, AQUIDAUANA - MS.

LEVANTAMENTO FITOSSOCIOLÓGICO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA SEMIDECÍDUA PRÓXIMO A ENCOSTA DO MORRO DO PAXIXI, AQUIDAUANA - MS. LEVANTAMENTO FITOSSOCIOLÓGICO EM UM FRAGMENTO DE FLORESTA SEMIDECÍDUA PRÓXIMO A ENCOSTA DO MORRO DO PAXIXI, AQUIDAUANA - MS. Bruna Duque Guirardi (*), João Carlos Raimundo Junior, Kelvin Rosalvo de Melgar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS. Livro da Disciplina ECR 03

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS. Livro da Disciplina ECR 03 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA INSTITUTO DE BIOLOGIA PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA E CONSERVAÇÃO DE RECURSOS NATURAIS Livro da Disciplina ECR 03 ECOLOGIA DE CAMPO 2º SEMESTRE DE 2005 Organizadores: Ariovaldo

Leia mais

Ciência Florestal Universidade Federal de Santa Maria ISSN (Versión impresa): BRASIL

Ciência Florestal Universidade Federal de Santa Maria ISSN (Versión impresa): BRASIL Ciência Florestal Universidade Federal de Santa Maria cf@ccr.ufsm.br ISSN (Versión impresa): 0103-9954 BRASIL 2002 Ailton Teixera do Vale / Maria Aparecida Mourão Brasil / Alcides Lopes Leão QUANTIFICAÇÃO

Leia mais

Relação solo vegetação em áreas de vegetação nativa de cerrado. Cristiano dos Santos Ferreira 1 ferreiracs@hotmail.it

Relação solo vegetação em áreas de vegetação nativa de cerrado. Cristiano dos Santos Ferreira 1 ferreiracs@hotmail.it Relação solo vegetação em áreas de vegetação nativa de cerrado Cristiano dos Santos Ferreira 1 ferreiracs@hotmail.it Maria Inês Cruzeiro Moreno 2 inmoreno_@hotmail.com Campus Catalão Palavras-chave: Cerrado,

Leia mais

DRY BIOMASS DISTRIBUTION IN A CERRADO SENSU STRICTO SITE IN CENTRAL BRAZIL 1

DRY BIOMASS DISTRIBUTION IN A CERRADO SENSU STRICTO SITE IN CENTRAL BRAZIL 1 661 DRY BIOMASS DISTRIBUTION IN A CERRADO SENSU STRICTO SITE IN CENTRAL BRAZIL 1 Ailton Teixeira do Vale 2 e Jeanine Maria Felfili 2 ABSTRACT The Cerrado has been the main source of firewood and charcoal

Leia mais

68 ISSN Dezembro, 2008 Corumbá, MS

68 ISSN Dezembro, 2008 Corumbá, MS 68 ISSN 1981-7231 Dezembro, 2008 Corumbá, MS Foto: Daniel De Granvile (http//www.pantanalecoturismo.tur.br) Estoques de Carbono do Estrato Arbóreo de Cerrados no Pantanal da Nhecolândia Ana Helena B. Marozzi

Leia mais

COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA, RIQUEZA E DIVERSIDADE DE UM CERRADO SENSU STRICTO NO SUDESTE DO ESTADO DE GOIÁS

COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA, RIQUEZA E DIVERSIDADE DE UM CERRADO SENSU STRICTO NO SUDESTE DO ESTADO DE GOIÁS Original Article 64 COMPOSIÇÃO FLORÍSTICA, RIQUEZA E DIVERSIDADE DE UM CERRADO SENSU STRICTO NO SUDESTE DO ESTADO DE GOIÁS FLORISTIC COMPOSITION, RICHNESS AND DIVERSITY OF A CERRADO SENSU STRICTO IN SOUTHEASTERN

Leia mais

DE CERRADO SENTIDO RESTRITO NO NORTE DE MINAS GERAIS

DE CERRADO SENTIDO RESTRITO NO NORTE DE MINAS GERAIS Florística e estrutura FLORÍSTICA da comunidade E ESTRUTURA arbórea... DA COMUNIDADE ARBÓREA DE DUAS ÁREAS DE CERRADO SENTIDO RESTRITO NO NORTE DE MINAS GERAIS 267 Fernanda Vieira da Costa 1, Karla Nunes

Leia mais

Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN: X Universidade de Taubaté Brasil

Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN: X Universidade de Taubaté Brasil Ambiente & Água - An Interdisciplinary Journal of Applied Science ISSN: 1980-993X ambi-agua@agro.unitau.br Universidade de Taubaté Brasil Botini Pires, Tatiani; Pereira Pierangeli, Maria Aparecida Composição

Leia mais

FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL MUNICIPAL DO INHAMUM, CAXIAS, MARANHÃO, BRASIL

FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL MUNICIPAL DO INHAMUM, CAXIAS, MARANHÃO, BRASIL FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL MUNICIPAL DO INHAMUM, CAXIAS, MARANHÃO, BRASIL 122 Leidiana Paiva NERES¹ Gonçalo Mendes da CONCEIÇÃO² ¹ Acadêmica do Curso de Ciências Biológicas.

Leia mais

Levantamento florístico e dendrométrico de um hectare de Cerrado sensu stricto em Planaltina, Distrito Federal

Levantamento florístico e dendrométrico de um hectare de Cerrado sensu stricto em Planaltina, Distrito Federal Revista Brasileira de Ciências Agrárias v.2, n.4, p.292-296, out.-dez., 2007 Recife, PE, UFRPE. www.agrariaufrpe.com Protocolo 165-19/07/2007 José E. de Paula 1 José Imaña-Encinas 2 Otacílio A. Santana

Leia mais

ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO DE UM CERRADÃO E A HETEROGENEIDADE REGIONAL DO CERRADO NO MARANHÃO, BRASIL 1

ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO DE UM CERRADÃO E A HETEROGENEIDADE REGIONAL DO CERRADO NO MARANHÃO, BRASIL 1 Estrutura da vegetação de um cerradão 921 ESTRUTURA DA VEGETAÇÃO DE UM CERRADÃO E A HETEROGENEIDADE REGIONAL DO CERRADO NO MARANHÃO, BRASIL 1 Helisvania Gomes Silva 2, Nivaldo de Figueiredo 3 e Gilda Vasconcellos

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DIAMÉTRICA E ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DE CERRADO SENSU STRICTO EM GURUPI-TO

DISTRIBUIÇÃO DIAMÉTRICA E ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DE CERRADO SENSU STRICTO EM GURUPI-TO DISTRIBUIÇÃO DIAMÉTRICA E ESTRUTURA FITOSSOCIOLÓGICA DE CERRADO SENSU STRICTO EM GURUPI-TO Virgílio Lourenço Silva Neto 1, Alessandro Lemos de Oliveira 2, André Ferreira dos Santos 3, Suza Teles Santos

Leia mais

Espécies vegetais com potencial antimicrobiano em área de cerrado em Prudente de Morais (MG)

Espécies vegetais com potencial antimicrobiano em área de cerrado em Prudente de Morais (MG) Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013. Belo Horizonte Espécies vegetais com potencial antimicrobiano em área de cerrado em Prudente de Morais (MG) Mayara Magalhães Enoque (1), Andréia

Leia mais

Edson de Souza Lima 1, Herson Souza Lima 2, James Alexander Ratter 3. (recebido: 11 de março de 2009; aceito: 30 de setembro de 2009)

Edson de Souza Lima 1, Herson Souza Lima 2, James Alexander Ratter 3. (recebido: 11 de março de 2009; aceito: 30 de setembro de 2009) 468 MUDANÇAS PÓS-FOGO NA ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO DA VEGETAÇÃO LENHOSA, LIMA, E. de S. et al. EM UM CERRADO MESOTRÓFICO, NO PERÍODO DE CINCO ANOS (1997-2002) EM NOVA XAVANTINA - MT Edson de Souza Lima 1,

Leia mais

Levantamento florístico de área de extração de calcário na cidade de Uberaba/MG, Brasil

Levantamento florístico de área de extração de calcário na cidade de Uberaba/MG, Brasil 964 Artigo original DOI: 105902/2236117015627 Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental Santa Maria, v. 19, n. 2, mai-ago. 2015, p. 964-971 Revista do Centro de Ciências Naturais e

Leia mais

Recebido em 16/06/00. Aceito em 25/09/01.

Recebido em 16/06/00. Aceito em 25/09/01. Composição florística e fitossociologia do cerrado 103 COMPOSIÇÃO O FLORÍSTICA E FITOSSOCIOLOGIA DO CERRADO SENTIDO RESTRITO O NO MUNICÍPIO DE ÁGUA A BOA A MT Recebido em 16/06/00. Aceito em 25/09/01.

Leia mais

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Ferreira Morais, Rodrigo; Ferreira Morais, Fernando; de Lima, Jose Francisco COMPOSIÇÃO E ESTRUTURA DA COMUNIDADE ARBÓREA

Leia mais

José Elias de Paula 1 José Imaña-Encinas 2 * Otacílio Antunes Santana 3 Gustavo Silva Ribeiro 2 Christian Rainier Imaña 4

José Elias de Paula 1 José Imaña-Encinas 2 * Otacílio Antunes Santana 3 Gustavo Silva Ribeiro 2 Christian Rainier Imaña 4 Biotemas, 22 (3): 35-46, setembro de 2009 ISSN 0103 1643 Levantamento florístico e sua distribuição diamétrica da vegetação de um cerrado sensu stricto e de um fragmento de floresta de galeria no ribeirão

Leia mais

Instituto Florestal, Estação Experimental de Assis, Caixa Postal 104, , Assis, SP. 2

Instituto Florestal, Estação Experimental de Assis, Caixa Postal 104, , Assis, SP. 2 Caracterização de dois estratos da vegetação em uma área de Cerrado. 251 CARACTERIZA CTERIZAÇÃ ÇÃO O DE DOIS ESTRATOS OS DA VEGETAÇÃ ÇÃO O EM UMA ÁREA DE CERRADO NO MUNICÍPIO DE BROTAS, SP,, BRASIL Recebido

Leia mais

IMPORTÂNCIA E A CONTRIBUIÇÃO DE VON MARTIUS PARA O CONHECIMENTO DA FLORA ARBÓREA DO CERRADO

IMPORTÂNCIA E A CONTRIBUIÇÃO DE VON MARTIUS PARA O CONHECIMENTO DA FLORA ARBÓREA DO CERRADO IMPORTÂNCIA E A CONTRIBUIÇÃO DE VON MARTIUS PARA O CONHECIMENTO DA FLORA ARBÓREA DO CERRADO The importance and the contribution of Von Martius to the knowledge of the arboreal flora of Cerrado Natália

Leia mais

ESTRUTURA E DIVERSIDADE DA VEGETAÇÃO ARBÓREA- ARBUSTIVA EM CERRADO SENSU STRICTO SUBMETIDO A DISTÚRBIOS ANTRÓPICOS

ESTRUTURA E DIVERSIDADE DA VEGETAÇÃO ARBÓREA- ARBUSTIVA EM CERRADO SENSU STRICTO SUBMETIDO A DISTÚRBIOS ANTRÓPICOS Associação Cultural e Educacional de Garça ACEG / Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal FAEF Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal Re.C.E.F. ISSN: 1678-3867 Ano IX - Volume 18 Número

Leia mais

Palavras-chave Brasil, Cerrado, Pantanal, Florística, Fitofisionomias.

Palavras-chave Brasil, Cerrado, Pantanal, Florística, Fitofisionomias. Acta bot. bras. 15(2): 213-229. 2001 213 CARACTERIZAÇÃO CTERIZAÇÃO FITOFISIONÔMICA E LEVANT ANTAMENT AMENTO O FLORÍSTICO PRE- LIMINAR AR NO PANT ANTAN ANAL AL DOS RIOS MORTES-ARA TES-ARAGU GUAIA, COCALINHO,

Leia mais

Trilhas Interpretativas Ecológicas: conhecimento e lazer

Trilhas Interpretativas Ecológicas: conhecimento e lazer Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 10., 2013, Belo Horizonte Trilhas Interpretativas Ecológicas: conhecimento e lazer Daniela Esteves Ferreira dos Reis Costa (1), Andréia Fonseca Silva (2),

Leia mais

PARQUE ESTADUAL DA SERRA DE CALDAS NOVAS, CALDAS NOVAS, GO

PARQUE ESTADUAL DA SERRA DE CALDAS NOVAS, CALDAS NOVAS, GO UNIVERSIDADE DE BRASILIA PÓS-GRADUAÇÃO EM ECOLOGIA MÉTODOS DE CAMPO EM ECOLOGIA 2 O SEMESTRE DE 2003 PARQUE ESTADUAL DA SERRA DE CALDAS NOVAS, CALDAS NOVAS, GO Aos leitores Temos os prazer de apresentar

Leia mais

ISSN Heringeriana. Brasília. Volume 7 (1): 1-120, julho de 2013.

ISSN Heringeriana. Brasília. Volume 7 (1): 1-120, julho de 2013. ISSN 1983 6996 Heringeriana Brasília Volume 7 (1): 1-120, julho de 2013. FITOSSOCIOLOGIA DO COMPONENTE ARBÓREO E FLORÍSTICA DE UM REMANESCENTE DE CERRADO SENTIDO RESTRITO CONTÍGUO A ÁREAS DE AGRICULTURA

Leia mais

Boletim de Pesquisa 86 e Desenvolvimento ISSN Setembro, 2005

Boletim de Pesquisa 86 e Desenvolvimento ISSN Setembro, 2005 Boletim de Pesquisa 86 e Desenvolvimento ISSN 1676-1340 Setembro, 2005 FITOSSOCIOLOGIA DE UM TRECHO DE CERRADO SENSU STRICTO NA BACIA DO RIO CORUMBÁ - ÁREA DE INFLUÊNCIA DIRETA DO APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO

Leia mais

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO E FITOSSOCIOLÓGICO EM CERRADO RUPESTRE E CERRADO TÍPICO CONTÍGUOS DO PARQUE DO BACABA.

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO E FITOSSOCIOLÓGICO EM CERRADO RUPESTRE E CERRADO TÍPICO CONTÍGUOS DO PARQUE DO BACABA. LEVANTAMENTO FLORÍSTICO E FITOSSOCIOLÓGICO EM CERRADO RUPESTRE E CERRADO TÍPICO CONTÍGUOS DO PARQUE DO BACABA. Michele Ribeiro 1, Carla Vitorino 1, Josenilton de Farias 1, Alexandre Portella e Emilia Braga.

Leia mais

Diversidade de Frutos Carnosos da Floresta Atlântica, Pernambuco - BRASIL FLESHY FRUITS of the ATLANTIC FOREST 1

Diversidade de Frutos Carnosos da Floresta Atlântica, Pernambuco - BRASIL FLESHY FRUITS of the ATLANTIC FOREST 1 Diversidade de Frutos Carnosos da Floresta Atlântica, Pernambuco - BRASIL FLESHY FRUITS of the ATLANTIC FOREST 1 of Pernambuco 1a Henriettea succosa 1b Fruit 1c Seeds 1d Fruit in cut transverse 2a Thyrsodium

Leia mais

EQUAÇÕES DE VOLUME DE MADEIRA PARA O CERRADO DE PLANALTINA DE GOIÁS

EQUAÇÕES DE VOLUME DE MADEIRA PARA O CERRADO DE PLANALTINA DE GOIÁS EQUAÇÕES DE VOLUME DE MADEIRA PARA O CERRADO DE PLANALTINA DE GOIÁS José Imaña-Encinas, Otacílio Antunes Santana, José Elias de Paula 3, Christian Rainier Imaña 4 Eng. Florestal, Ph.D., Depto. Engenharia

Leia mais

ESTRUTURA FITOSSOCIOLOGICA DE UMA ÁREA DE MINERAÇÃO DE OURO SOB DIFERENTES MODELOS DE RECUPERAÇÃO

ESTRUTURA FITOSSOCIOLOGICA DE UMA ÁREA DE MINERAÇÃO DE OURO SOB DIFERENTES MODELOS DE RECUPERAÇÃO ESTRUTURA FITOSSOCIOLOGICA DE UMA ÁREA DE MINERAÇÃO DE OURO SOB DIFERENTES MODELOS DE RECUPERAÇÃO Israel Marinho Pereira 1, Vinicius Valadares Moura 2, Anne Priscila Dias Gonzaga 3, Wander Gladson Amaral

Leia mais

FITOSSOCIOLOGIA DE UMA ÁREA DE CERRADO DENSO NA RECOR-IBGE, BRASÍLIA-DF

FITOSSOCIOLOGIA DE UMA ÁREA DE CERRADO DENSO NA RECOR-IBGE, BRASÍLIA-DF Fitossociologia de uma área de cerrado denso na RECOR-IBGE, Brasília-DF. 225 FITOSSOCIOLOGIA DE UMA ÁREA DE CERRADO DENSO NA RECOR-IBGE, BRASÍLIA-DF Recebido em 24/2/. Aceito em 3/4/2. Luciana A. Z. Andrade

Leia mais

DIVERSIDADE E ÍNDICE SUCESSIONAL DE UMA VEGETAÇÃO DE CERRADO SENSU STRICTO NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS-UEG, CAMPUS DE ANÁPOLIS 1

DIVERSIDADE E ÍNDICE SUCESSIONAL DE UMA VEGETAÇÃO DE CERRADO SENSU STRICTO NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS-UEG, CAMPUS DE ANÁPOLIS 1 81 DIVERSIDADE E ÍNDICE SUCESSIONAL DE UMA VEGETAÇÃO DE CERRADO SENSU STRICTO NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS-UEG, CAMPUS DE ANÁPOLIS 1 Adriana Rosa Carvalho 2 e Stéphany Marques-Alves 3 RESUMO A composição

Leia mais

VOLUME DE MADEIRA DE UM HECTARE DE CERRADO SENSU STRICTO

VOLUME DE MADEIRA DE UM HECTARE DE CERRADO SENSU STRICTO VOLUME DE MADEIRA DE UM HECTARE DE CERRADO SENSU STRICTO EM PLANALTINA DE GOIÁS José Imaña-Encinas¹, Otacílio Antunes Santana¹, José Elias de Paula², Gustavo Silva Ribeiro¹ (¹Departamento de Engenharia

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS REBROTA DE INDIVÍDUOS LENHOSOS EM ÁREA DE CERRADO SENTIDO RESTRITO COMO RESPOSTA AO FOGO FABIANE FURLANETO

Leia mais

Fitossociologia e similaridade florística entre trechos de Cerrado sentido restrito em interflúvio e em vale no Jardim Botânico de Brasília, DF 1

Fitossociologia e similaridade florística entre trechos de Cerrado sentido restrito em interflúvio e em vale no Jardim Botânico de Brasília, DF 1 Acta bot. bras. 18(1): 19-29, 2004 Fitossociologia e similaridade florística entre trechos de Cerrado sentido restrito em interflúvio e em vale no Jardim Botânico de Brasília, DF 1 Mônica Souza da Fonseca

Leia mais

Potencial madeireiro de 22 espécies arbóreas do Cerrado: caracterização anatômica, física e energética

Potencial madeireiro de 22 espécies arbóreas do Cerrado: caracterização anatômica, física e energética UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE VEGETAL Potencial madeireiro de 22 espécies arbóreas do Cerrado: caracterização anatômica, física e energética Mayara Cristina

Leia mais

FLÓRULA LENHOSA DE UMA MANCHA URBANA DE CERRADO NA CIDADE DE TERESINA (PI) 2ª APROXIMAÇÃO 1

FLÓRULA LENHOSA DE UMA MANCHA URBANA DE CERRADO NA CIDADE DE TERESINA (PI) 2ª APROXIMAÇÃO 1 FLÓRULA LENHOSA DE UMA MANCHA URBANA DE CERRADO NA CIDADE DE TERESINA (PI) 2ª APROXIMAÇÃO 1 Jéssica Sonaly da Silva Resende 2 Regina Pereira de Oliveira 2 Marina Alves da Silva 2 Vanessa Rocha Barbosa

Leia mais

Comparação dos métodos de parcelas e pontos-quadrantes para descrever uma comunidade lenhosa de Cerrado Típico

Comparação dos métodos de parcelas e pontos-quadrantes para descrever uma comunidade lenhosa de Cerrado Típico Biotemas, 28 (2): 61-72, junho de 2015 ISSNe 2175-7925 61 http://dx.doi.org/10.5007/2175-7925.2015v28n2p61 Comparação dos métodos de parcelas e pontos-quadrantes para descrever uma comunidade lenhosa de

Leia mais

ARTIGO. Galhas de insetos em uma área de cerrado sentido restrito na região semi-urbana de Caldas Novas (Goiás, Brasil)

ARTIGO. Galhas de insetos em uma área de cerrado sentido restrito na região semi-urbana de Caldas Novas (Goiás, Brasil) Revista Brasileira de Biociências Brazilian Journal of Biosciences Instituto de Biociências UFRGS ARTIGO ISSN 1980-4849 (on-line) / 1679-2343 (print) Galhas de insetos em uma área de cerrado sentido restrito

Leia mais

Mortalidade pós-fogo em espécies lenhosas de campo sujo submetido a três queimadas prescritas anuais

Mortalidade pós-fogo em espécies lenhosas de campo sujo submetido a três queimadas prescritas anuais Acta bot. bras. 19(3): 493-500. 2005 Mortalidade pós-fogo em espécies lenhosas de campo sujo submetido a três queimadas prescritas anuais Marcelo Brilhante de Medeiros 1,3 e Heloísa Sinátora Miranda 2

Leia mais

Termos para indexação: Cerrado, conservação, extrativismo, Norte de Minas Gerais

Termos para indexação: Cerrado, conservação, extrativismo, Norte de Minas Gerais ANÁLISE DA DIVERSIDADE E FITOSSOCIOLOGIA DE UM CERRADO SENSU STRICTO PARA SUBSIDIAR A CRIAÇÃO DE UMA RESERVA EXTRATIVISTA NA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO Galiana da Silveira Lindoso 1,2, Gabriel Damasco

Leia mais

2 PROGRAMA DE PLANTIOS COMPENSATÓRIOS

2 PROGRAMA DE PLANTIOS COMPENSATÓRIOS 2 PROGRAMA DE PLANTIOS COMPENSATÓRIOS 2.1 SUBPROGRAMA DE SALVAMENTO DA FLORA E PRODUÇÃO DE MUDAS EM VIVEIROS 2.1.1 Justificativa I. Este subprograma apresenta as ações necessárias ao salvamento da flora

Leia mais

Palavras-chave: ecologia, florestas, áreas úmidas, vegetação arbórea.

Palavras-chave: ecologia, florestas, áreas úmidas, vegetação arbórea. 1 FITOSSOCIOLOGIA E ESTRUTURA DE CERRADÃO E MATA SEMIDECÍDUA DO PANTANAL DA NHECOLÂNDIA, MS MARTA PEREIRA DA SILVA 1, VALI JOANA POTT 1, FLÁVIO JORGE PONZONI 2 e ARNILDO POTT 1 RESUMO: O Pantanal da Nhecolândia

Leia mais

Família Gênero Epíteto Nome popular Código da Matriz Coordenada Coordenada Zona Ecológica Região Local Projeto

Família Gênero Epíteto Nome popular Código da Matriz Coordenada Coordenada Zona Ecológica Região Local Projeto Fabaceae faboideae Centrolobium tomentosum Araribá 009 005 021 38'39,25''S 047 12'43,75''W Litoral Sul Sete Barras SP Fazenda Boa Vista Matrizes Lauraceae Ocotea glaziovii 2184 024 12'28,00''S 047 52'30,00''W

Leia mais

Variações temporais na estrutura da vegetação lenhosa de um cerrado denso em Itirapina, SP

Variações temporais na estrutura da vegetação lenhosa de um cerrado denso em Itirapina, SP Variações temporais na estrutura da vegetação lenhosa de um cerrado denso em Itirapina, SP FLÁVIO J. SOARES JÚNIOR 1, ALOYSIO DE P. TEIXEIRA 2, FABIANO T. FARAH 3, TIAGO B. BREIER 4 RESUMO - (Variações

Leia mais

Florística e Fitossociologia num fragmento de cerrado no sudoeste de Goiás 1

Florística e Fitossociologia num fragmento de cerrado no sudoeste de Goiás 1 Florística e Fitossociologia num fragmento de cerrado no sudoeste de Goiás 1 Eloise Rocha 2, Paula Andrea N. dos Reys Magalhães 3, Michellia Pereira Soares 4 1 Artigo apresentado à Faculdade de Engenharia

Leia mais

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Árvore ISSN: Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Árvore ISSN: 0100-6762 r.arvore@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Ferreira de Lima, Renato Augusto; Gastaldello Rando, Juliana; Duarte Barreto, Klaus COMPOSIÇÃO E DIVERSIDADE NO CERRADO

Leia mais