Coded by People. Relatório Anual 2010 Consolidado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Coded by People. Relatório Anual 2010 Consolidado"

Transcrição

1 Coded by People Relatório Anual 2010 Consolidado

2 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS 2010 índice Números Relevantes de / Mensagem do Presidente 7/ Outlook 2011/ Sobre a PRIMAVERA 10/ Estrutura do Grupo/Accionistas/ Composição dos Órgãos Sociais/Comissão de Sustentabilidade/ Missão e Valores/ Mercados/ Oferta de Produtos/ Oferta de Serviços/ Consultoria/ Formação/ Suporte Técnico/ A Componente Financeira 20/ Receitas/ RESULTADOS/ Estrutura de Capitais/ Inovação e Financiamento/ Road Map das soluções PRIMAVERA 26/ O CRESCIMENTO NOS MERCADOS PRIMAVERA 30/ PRIMAVERA Portugal 32/ PRIMAVERA Angola 33/ PRIMAVERA Moçambique 34/ PRIMAVERA Espanha 35/ YET Your Electronic Transactions 36/ Estratégia 38/ O crescimento/ O capital humano/ A tecnologia/ Recursos Humanos 40/ Responsabilidade Social 42/ Cidadania corporativa/ Desenvolvimento empresarial sustentável/ Ambiente/ Educação/ Proximidade à comunidade/ Mecenato/ A marca PRIMAVERA 44/ Contas do exercício de / Balanço Consolidado em 31 de Dezembro de 2010/ Demonstração Consolidada dos Resultados por Naturezas/ Anexo ao Balanço e Demonstração de Resultados Consolidados/ 1 Empresas Incluídas NA CONSOLIDAÇÃO/ 2 OUTROS INVESTIMENTOS FINANCEIRoS NA CONSOLIDAÇÃO/ 3 Número Médio DE COLABORADORES/ 4 Diferenças de Consolidação/ 5 Compromissos Financeiros QUE NÃO FIGUREM NO BALANÇO CONSOLIDADO/ 6 BASES DE APRESENTAÇÃO PRINCIPAIS POLITICAS CONTABILÍSTICAS/ 7 COTAÇÕES DE MOEDA ESTRANGEIRA/ 8 - DESPESAS DE DESENVOLVIMENTO/ 9 - Movimentos ocorridos nas rubricas ACTIVO INTANGIVEL E ACTIVO FIXO TANGIVEL/ 10 DÍVIDAS A TERCEIROS COM VENCIMENTO SUPERIOR A CINCO ANOS/ 11 IMPOSTOS DIFERIDOS/ 12 REMUNERAÇÃO DOS ORGÃOS SOCIAIS/ 13 INDICAÇÃO DOS BENS EM LOCAÇÃO FINANCEIRA/ 14 Informações exigidas POR DIPLOMAS LEGAIS/ 15 Partes relacionadas/ 16 INTERESSES MINORITÁRIOS/ 17 DATA BASE DAS CONTAS CONSOLIDADAS/ Certificação Legal das Contas 57/ Relatório e Parecer do Fiscal Único 59/

3 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS 2010 Números Relevantes de 2010 Volume de negócios 1 EBITDA 2 % 9,4 % Venda de novas licenças Renovação de contratos % 90% 1 Relativo a vendas de licenças, formação e consultoria. 2 Inclui investimento com abertura da filial de Moçambique, aumento de 10,7% no efectivo (reforço de I&D, suporte a clientes, consultoria) e investimento no sector dos transportes. Criação da Primavera Software. Lançamento do primeiro produto: Contalib

4 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS 2010 Mensagem do Presidente 2010 foi um ano focado na protecção do EBITDA em simultâneo com a manutenção do investimento em novos produtos. Tal só foi possível com um forte crescimento do negócio. Estimados Accionistas, Colaboradores, Parceiros e Clientes das soluções PRIMAVERA, A partir do ano de 2010 a PRIMAVERA Business Software Solutions, SA, passa a apresentar as suas contas em formato consolidado, em substituição das contas individuais, permitindo dessa forma a todos os seus stakeholders uma melhor leitura sobre a informação financeira do grupo. Em 2010 o volume de negócios consolidado do grupo foi de M, dos quais M (+19%) são relativos a vendas de licenças, consultoria e formação realizadas em todos os mercados. A margem EBITDA foi de 9,4% e a margem do EBIT foi de 2,5%, correspondendo a um valor de 0,37 M. É significativo o facto de estes resultados terem sido conseguidos num ano em que o principal mercado da empresa viveu uma forte crise económica e em simultâneo a empresa ter reforçado o seu investimento, traduzido pelo crescimento em 10,7% do efectivo médio de colaboradores, que evoluiu de 196 colaboradores em 2009 para 211 colaboradores em No final de 2010 o grupo tinha nas suas fileiras 230 colaboradores. O ano de 2010 resultou também na concretização de um vasto conjunto de outros objectivos que nos parecem importantes assinalar, na medida em que se constituem também como o garante de sucessos futuros. Destaco para começar a excelente resposta que toda a organização deu ao desígnio lançado pela administração para os próximos anos, no sentido de se reforçar a atenção pela concretização dos resultados previstos em orçamento das empresas. A conquista do EBITDA, mais do que a conquista do volume de negócio, é hoje assumidamente o principal indicador gerido pelos responsáveis das várias empresas do grupo, sendo de registar a rápida adaptação a processos de decisão mais pragmáticos no que ao resultado financeiro das opções tomadas no dia-a-dia da organização respeita. Jorge Batista Executive Vice President, Corporate Management José Dionísio President David Afonso Vice President, Software Solutions Architecture O ano fica também marcado pela abertura, com resultados imediatos, da PRIMAVERA Moçambique. A dimensão do mercado moçambicano justificava essa opção e, em ano de instalação, a PRIMAVERA viu crescer em 90% o volume de negócios nesse país, garantindo em simultâneo um acompanhamento mais próximo aos seus parceiros e clientes finais aí sedeados. Com duas sucursais em África, em Luanda e Maputo, a PRIMAVERA tem hoje melhores condições para cumprir um dos vectores da sua estratégia, que é a de se tornar cada vez mais um player africano com forte presença na África subsariana. Registe-se também o facto de o último estudo de mercado realizado pela IDC ter demonstrado que a PRIMAVERA reforçou a sua posição de liderança em todos os mercados onde está directamente presente, à excepção do mercado espanhol, onde dada a pequena dimensão da nossa presença ainda não se justifica a sua integração nesse estudo. Manter a PRIMAVERA líder nos mercados em que já o é, garantindo dessa forma um prémio muito importante sobre a valorização da empresa, é para todos os responsáveis da empresa um desígnio. Em 2010 a PRIMAVERA alterou de forma muito significativa algumas das premissas que suportavam o seu Partner Program, nomeadamente criando condições comerciais que permitissem reforçar o interesse dos parceiros pela conquista de novos negócios, retirando-os da zona de conforto criada ao longo dos anos com a conquista e manutenção do seu parque de clientes. Estas medidas, com implicações na política de concessão de margens de negócio, não tendo sido inicialmente aceite da melhor forma por parte significativa dos nossos parceiros, acabou por resultar num crescimento de 31% das vendas de novas licenças. Tendo a PRIMAVERA desde sempre optado por um modelo comercial indirecto, o facto de a performance comercial do canal PRIMAVERA ser hoje significativamente superior relativamente ao passado recente, reveste-se de especial importância. É importante também assinalar o elevado nível de fidelização dos nossos clientes, traduzido pela taxa anual de renovação dos contratos de manutenção de software de 90%. Por outro lado e apesar de 2010 ter sido um ano difícil em termos económicos globais, em especial no principal mercado da PRIMAVERA, o português, a taxa de satisfação dos nossos Parceiros cresceu de 13,96 para 14,44 pontos, numa escala de 20 pontos. Lançamento do Gesconta, Contalib Pro e Gestão Comercial

5 10 11 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS Mensagem do Presidente 7 Outlook 2011 Em 2010 a PRIMAVERA colocou em produção o projecto da Sociedade de Transportes Colectivos do Porto, SA (STCP), e praticamente concluiu o projecto da Universidade do Porto e das suas catorze faculdades. Ambos os projectos pela dimensão das instituições em causa, mas também, pelos respectivos valores de venda e pelos valores do investimento colocado pela PRIMAVERA em prol dos mesmos, merecem relevância neste relatório. Em 2010 a PRIMAVERA certificou a sua área de desenvolvimento em CMMI Nível 2, garantindo dessa forma a conformidade com as melhores práticas de desenvolvimento de software. O primeiro resultado desse investimento é traduzido pelo decréscimo em 14,3% do número de problemas reportados pelo mercado relativamente à totalidade dos produtos. Este resultado terá sido uma das principais alavancas do aumento da satisfação dos nossos parceiros no que à representação da marca PRIMAVERA respeita. Entre os objectivos que ficaram por concretizar, destacam-se o crescimento pouco significativo registado pela operação espanhola, justificado em grande medida pela forte crise económica e social vivida nesse país, mas também, pela dificuldade sentida na conquista e maturação do canal de parceiros e a não concretização, apesar dos intensos esforços desenvolvidos nesse sentido, de qualquer aquisição de empresas que nos permitisse crescer de forma não orgânica merece destaque menos positivo. Outlook 2011 Perspectivar o ano de 2011 do ponto de vista do negócio não é fácil para a generalidade dos decisores, dado o elevado nível de instabilidade económica e política pelo qual o mundo e em especial Portugal atravessam. Os acontecimentos já registados durante o primeiro trimestre do ano, dos quais se sublinham a instabilidade política e social nos países do Médio Oriente e Norte de África, com consequências no aumento do preço do petróleo, mas também, o tremor de terra registado no Japão, cujas consequências são nesta data difíceis de apurar mas que seguramente marcarão os próximos anos em termos económicos, a grave crise financeira e política que tanto Portugal como a Espanha atravessam e que já derivou na entrada do Fundo Monetário Internacional no primeiro país, constituem-se como variáveis de uma equação de resultado imprevisível para a perspectivação dos resultados de qualquer organização e em especial de uma empresa com níveis de maturidade como o detido pela PRIMAVERA. No entanto, se excluirmos as variáveis externas, a PRIMAVERA não tem razões para não confiar na concretização de um ano positivo. A estabilidade da gestão e das estratégias em desenvolvimento, a equipa experiente que gere cada uma das áreas e empresas do grupo, o commitment de todos os colaboradores com o projecto e com os bons resultados do mesmo, são, desde logo, os principais suportes para essa confiança. Mas também o lançamento sucessivo de novos produtos e versões, já iniciado em 2010, com destaque para o produto Qpoint e para a nova versão do WebCentral, lançamentos esses que continuarão a acontecer durante o ano de 2011 de acordo com o roadmap de desenvolvimento da empresa, suportam as nossas melhores expectativas do ponto de vista comercial. A PRIMAVERA beneficia hoje do facto de ter mantido os seus níveis de investimento em I&D nos últimos anos muito acima dos valores praticados pelos seus concorrentes internacionais. Em 2010 a empresa investiu 25% do volume de negócios em I&D, consciente do facto de os seus concorrentes apresentarem valores compreendidos entre 10% e 15%, mantendo dessa forma a sua opção de investir numa oferta competitiva e abrangente de produtos em detrimento de margens de negócio superiores. Deve-se sublinhar que a gestão e os seus accionistas de referência estão seguros relativamente à validade desta opção que garante a preparação da empresa e dos seus parceiros tendo em vista o aproveitamento do ciclo de retoma económica que acabará por surgir. A escolha do ERP PRIMAVERA deveu-se essencialmente à grande versatilidade do sistema, o qual nos permite gerir automaticamente e de forma integrada toda a informação financeira, comercial e operacional gerada nas várias localizações onde operamos em Moçambique. Victor Fonseca Galpenergia Moçambique O ano de 2011 será também e finalmente o ano da afirmação da Cloud. Perto de 2100 empresas têm hoje o seu sistema de facturação ou a sua área financeira directa ou indirectamente (através dos prestadores de serviços de contabilidade e processamento de salários) tratada em ambiente Cloud, com tecnologia PRIMAVERA. A PRIMAVERA tem, já hoje, disponível para a Cloud, uma solução completa e com a mesma usabilidade relativamente às soluções on-premise. Por fim, as boas expectativas para 2011 são também suportadas pelo facto de a nossa operação nos mercados africanos continuar a dar mostras de poder crescer nos próximos anos de forma muito significativa, tanto pela via do up-selling sobre a base instalada de clientes, como pela via da conquista de novas grandes contas. José Dionísio President

6 12 13 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS 2010 Sobre a PRIMAVERA 10 Sobre a Primavera 12 Estrutura do Grupo 13 Accionistas 14 Composição dos Órgãos Sociais 15 Comissão de Sustentabilidade 15 Missão e Valores 16 Mercados 17 Oferta de Produtos 18 Oferta de Serviços 18 Consultoria 18 Formação 18 Suporte Técnico A PRIMAVERA - Business Software Solutions, S.A. (PRIMAVERA) é uma sociedade de capitais 100% portugueses especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções de gestão de negócio e integração de processos empresariais num mercado global, com soluções para as Pequenas, Médias, Grandes Organizações e Administração Pública. Com início de actividade em 1993, com um capital social de , a empresa encontra- -se sediada em Braga, tendo delegações em Lisboa, Madrid, Luanda e Maputo, contando actualmente com 230 colaboradores. Lançamento do Contabilidade de Gestão

7 14 15 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS Sobre a Primavera 12 Estrutura do Grupo 13 Accionistas 14 Composição dos Órgãos Sociais 15 Comissão de Sustentabilidade 15 Missão e Valores 16 Mercados 17 Oferta de Produtos 18 Oferta de Serviços 18 Consultoria 18 Formação 18 Suporte Técnico A empresa tem presença directa em Portugal, Espanha, Angola e Moçambique e tem clientes em cerca de 20 países. É líder de mercado nos mercados em que tem sucursais à excepção do mercado espanhol. Mais de 40 mil empresas clientes finais recorrem diariamente às soluções PRIMAVERA para o controlo e gestão das suas operações e processos de negócio. Para este trajecto de sucesso, em muito tem contribuído o compromisso assumido no sentido de desenvolver soluções de vanguarda que respondam antecipadamente às necessidades das empresas, razão pela qual a PRIMAVERA está inscrita no grupo das 500 maiores empresas europeias com maior potencial de crescimento, um ranking promovido pela Growth Plus. Das diversas distinções e prémios recebidos, importa referenciar o prémio PME Inovação atribuído, em 2006, pela COTEC, Associação Empresarial para a Inovação, e que distingue empresas que pela sua atitude e actividade inovadoras constituem exemplos de criação de valor para o país. Em termos de cultura organizacional, a PRIMAVERA tem vindo a ser destacada como uma das Melhores Empresas para Trabalhar em Portugal, num estudo realizado pela consultora Heidrick & Struggles para a revista EXAME. Ao nível de certificações, em 2007, o grupo obteve a certificação do seu sistema de gestão da qualidade (certificado da qualidade segundo a norma ISO-9001:2001). Em 2010, a PRIMAVERA viu as suas práticas de desenvolvimento de software reconhecidas pelo Software Engineering Institute, ao obter a Certificação CMMI Nível 2, uma das mais prestigiadas certificações de qualidade para o desenvolvimento de software a nível mundial. A PRIMAVERA orgulha-se ainda de ser uma empresa com preocupações de crescimento sustentável, através da adopção de um comportamento social e ambiental com altos padrões de exigência, partilhado por toda a equipa. Entre as iniciativas promovidas por este projecto destacam-se a promoção de soluções e serviços de processamento electrónico que permitam a desmaterialização de processos, reduzam o impacto ambiental e promovam a sustentabilidade empresarial. ESTRUTURA DO GRUPO A PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA constitui-se como um grupo de empresas de direito local. ACCIONISTAS Não se verificaram em 2010 alterações na constituição da sociedade e na sua estrutura societária, pelo que em 31 de Dezembro de 2010 eram os seguintes os accionistas e respectivas participações. Accionista Nº de Acções Capital (%) PRIMAVERA SGPS, S.A ,24 PRIMAVERA BSS, S.A ,94 Armindo Augusto Gonçalves Lobo ,71 David Afonso ,65 José Manuel Maia Dionisio ,59 Jorge Manuel Barroso Batista ,59 Felicidade Augusta Moura Ferreira ,53 Paulo Sérgio de Araújo Quintal ,35 José Fernandes Mendes ,35 Victor Manuel Alves Malheiro ,35 Ana Cristina L. N. de Carvalho ,35 Hugo Alexandre Quintela Ribeiro ,35 Fernanda Maria Teixeira Queirós ,35 Carlos Manuel Argainha Oliveira ,35 Luís Miguel de Sousa M.F. Cadillon ,18 Isabel Clara V. R. C. Oliveira e Oliveira ,12 TOTAL PRIMAVERA Business Software Solutions, S.A. 100% 99,9% 100% 100% 99% 99% Technology PRIMAVERA Software Factory Primavera portugal Primavera Espanha Primavera Angola Primavera Moçambique YET Your Electronic Transactions Lançamento do Gestão de Pessoal e Gestão Bancária Primeira participação na Inforpor

8 16 17 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS Sobre a Primavera 12 Estrutura do Grupo 13 Accionistas 14 Composição dos Órgãos Sociais 15 Comissão de Sustentabilidade 15 Missão e Valores 16 Mercados 17 Oferta de Produtos 18 Oferta de Serviços 18 Consultoria 18 Formação 18 Suporte Técnico COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS SOCIAIS De acordo com o pacto social em vigor o Conselho de Administração é nomeado por mandatos de dois anos, sendo a presidência ocupada alternadamente pelos dois fundadores da empresa, José Manuel Maia Dionísio e Jorge Manuel Barroso Batista, enquanto representantes do accionista maioritário, a PRIMAVERA SGPS, SA. Mesa da Assembleia-geral Armindo Augusto Lobo Presidente Diogo Ribeiro Secretário Conselho de Administração José Manuel Maia Dionísio President Jorge Manuel Barroso Batista Executive Vice President, Corporate Management David Afonso Vice President, Software Solutions Architecture Fiscal Único Joaquim Guimarães, Manuela Malheiro e Mário Guimarães SROC N.º 148 Representada por Maria Manuela Alves Malheiro ROC N.º 916 José Manuel Maia Dionísio Presidente do Conselho de Administração, com mandato até Abril de Pelouros Marketing, Comercial, Serviços Fundador da empresa em 1993 Licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática pela Universidade do Minho. Gestor das várias empresas do Grupo PRIMAVERA. Membro do Conselho de Escola da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Membro do Cons elho Estratégico da Universidade Lusófona. Membro do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas de Real em Braga. Jorge Manuel Barroso Batista Vice-Presidente Executivo, com mandato até Abril de Pelouros I&D, Financeiro, Internal IT Fundador da empresa em 1993 Licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática pela Universidade do Minho. Gestor das várias empresas do Grupo PRIMAVERA. Co-fundador do Pólo de Software do Minho e Associação CEDT, iniciativas apoiadas pela COTEC. Membro do Conselho de Administração do Centro de Computação Gráfica David Afonso COMISSÃO DE SUSTENTABILIDADE Em 2010, a PRIMAVERA por deliberação da Assembleia Geral constituiu a Comissão de Sustentabilidade. Composta por membros chave da PRIMAVERA e reconhecidos membros externos, esta Comissão tem com o propósito principal garantir que as políticas e estratégias implementadas pelo Conselho de Administração se integram em conceitos de sustentabilidade emanados pelos accionistas da empresa, nomeadamente no que respeita: À sustentabilidade financeira do Negócio; À conduta ética dos seus colaboradores e parceiros; À responsabilidade social e ambiental no âmbito do ecossistema PRIMAVERA; À defesa da meritocracia e excelência enquanto pilares da valorização de colaboradores e parceiros. Em 2010 a Comissão de Sustentabilidade reuniu por duas vezes. Constituição Jorge Manuel Barroso Batista PRIMAVERA Executive Vice President João Paulo P. Parente da Cruz PRIMAVERA Innovation Head Manager José Carlos Gonçalves de Azevedo PRIMAVERA Portugal Country Manager José Azevedo Rodrigues Professor Associado Convidado da ISTE-UL MISSÃO E VALORES A PRIMAVERA tem como missão - Desenvolver e comercializar soluções inovadoras de software, destinadas à gestão das organizações empresariais, que contribuam para o reforço da sua competitividade. A actividade da PRIMAVERA e a conduta dos seus Colaboradores pautam-se pelos seguintes valores fundamentais: Inovação, Sustentabilidade, Compromisso, Integridade, Profissionalismo, Pessoas. Na base da excelência dos produtos e serviços oferecidos pela PRIMAVERA BSS está uma equipa de profissionais altamente qualificados e motivados, que tem alicerçado desde sempre o seu desempenho na Inovação e Qualidade e que trabalha em uníssono para a prossecução dos objectivos da empresa. Acima de tudo, a PRIMAVERA é uma marca que investe na evolução permanente das suas competências e realizações, antecipando as necessidades e expectativas de todos os seus stakeholders. Movida pela vontade de se ultrapassar a si própria, na busca da excelência em todas as suas vertentes de actuação, inspira-se no futuro para inovar. O sucesso é o resultado natural da paixão com que enfrenta os desafios do presente. O espírito de equipa da PRIMAVERA está traduzido na própria identidade visual da empresa. A união entre o Sol e a Borboleta pretendem transmitir os principais atributos da equipa: a Juventude, Ambição, Criatividade e Liberdade. Uma equipa cuja principal missão consiste em explorar e desenvolver novas tecnologias que proporcionem o lançamento de soluções inovadoras, e que espelhem o state of the art do sector. Esta busca constante pela perfeição é sustentada, ainda, através de uma participação regular em programas de investigação e de uma estreita colaboração com a comunidade académica. Vice-Presidente, com mandato até Abril de Licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática pela Universidade do Minho. Pelouros Arquitectura das soluções Integrou os quadros da PRIMAVERA em Lançamento do projecto Educação XXI Entrada nos PALOP Preparação das versões para o bug do milénio

9 18 19 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS Sobre a Primavera 12 Estrutura do Grupo 13 Accionistas 14 Composição dos Órgãos Sociais 15 Comissão de Sustentabilidade 15 Missão e Valores 16 Mercados 17 Oferta de Produtos 18 Oferta de Serviços 18 Consultoria 18 Formação 18 Suporte Técnico MERCADOS A PRIMAVERA, ao longo dos últimos anos, tem vindo a afirmar-se como um grupo empresarial multinacional, acompanhando e fidelizando cerca de empresas clientes em mais de 20 países. Com presença directa em Portugal, Espanha, Angola e Moçambique, e uma importante operação em Cabo Verde e na Guiné-Bissau é, segundo a analista de Quota de mercado global Português vs. Notoriedade mercado IDC (Dez 2009), líder de mercado em muitos destes países com cotas de 16,7% em Portugal, 36,7% em Angola, 29,9% em Moçambique e 40% em Cabo Verde. A comercialização das soluções de gestão PRIMAVERA é assegurada por uma rede de cerca de 400 parceiros comerciais certificados a quem compete assegurar a implementação, formação e suporte às soluções instaladas, garantindo para o efeito a PRIMAVERA a sua formação e certificação. OFERTA DE PRODUTOS A PRIMAVERA tem uma ampla oferta de produtos, todos desenvolvidos pela empresa TECHNOLOGY, empresa do grupo responsável pelo desenvolvimento do software. Ao nível do seu núcleo, o ERP, a oferta cobre a totalidade da pirâmide de mercado, pelo que toda e qualquer organização independentemente da sua dimensão é alvo da mesma. Para além disso, a empresa dispõem de um conjunto de produtos de âmbito sectorial, oferta essa que lhe permite interpretar a estratégia que visa garantir a presença junto das médias e grandes empresas, em especial nos sectores da Construção, Retalho, Indústria, Serviços e Administração Pública. Em 2010 a empresa apresentou ao mercado a sua oferta para a Cloud, oferta que será consolidada em 2011 e 2012 através de uma estratégia que permitirá aos actuais clientes optarem entre uma adesão gradual ao novo ambiente tecnológico, evitando disrupções relativamente às actuais soluções instaladas e a adopção total por esse esse ambiente. O facto de a empresa ter disponível todas as suas soluções através da sua Cloud privada, garantindo em simultâneo as componentes relativas à infra-estrutura, Plataforma e Software ( IaaS, PaaS e SaaS), permite que se encare o futuro próximo com grande optimismo no que à adesão massiva dos seus clientes ao ambiente Cloud respeita. A PRIMAVERA tem milhares de clientes no sector da prestação dos serviços de contabilidade, empresas que pelas suas características rapidamente arrastarão outras dezenas de milhares de empresas suas clientes para o produto PRIMAVERA, em virtude das características oferecidas pelas soluções em ambiente Cloud. 30% primavera Plataformas ERP / RH / CRM Soluções Verticais Produtos Especializados 25% 20% Quota de Voz Microsoft BS PHC sage 15% 10% SAP 5% Oracle TI -5% 0% 5% 10% 15% 20% IBS Médias e grandes organizações Pequenas empresas -5% Quota de Mercado Micro Empresas Fonte: Estudo IDC, 2009 Lançamento da 2.ª Geração Abertura da delegação de Lisboa Preparação das versões para o Euro

10 20 21 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS Sobre a Primavera 12 Estrutura do Grupo 13 Accionistas 14 Composição dos Órgãos Sociais 15 Comissão de Sustentabilidade 15 Missão e Valores 16 Mercados 17 Oferta de Produtos 18 Oferta de Serviços 18 Consultoria 18 Formação 18 Suporte Técnico Oferta de Serviços Sendo a PRIMAVERA uma empresa focada nas suas soluções ao nível do produto, a crescente importância que a componente dos serviços tem vindo a ganhar comprova a validade de uma estratégia que visa a conquista do mercado pela via do conhecimento e da aceitação permanente daqueles que são os mais difíceis desafios no âmbito dos sistemas de informação para as empresas. A área de serviços é composta por três grandes áreas, com uma missão clara na estratégia da PRIMAVERA e que se constituem, juntamente com o produto, como os alicerces da percepção final e da notoriedade sentida pelos clientes da empresa. Consultoria A PRIMAVERA Consulting é a unidade de negócio do grupo que tem como missão suportar, através de competências de alto nível, a entrada dos produtos PRIMAVERA nas empresas de média e grande dimensão. Essa presença, na maioria das vezes solicitada pelo canal PRIMAVERA, garante a presença da empresa em projectos de maior dimensão e complexidade, para os quais as estruturas das empresas Parceiras frequentemente não reúnem as condições para, por si, garantirem a conquista e concretização desses projectos. Formação A PRIMAVERA Academy é a unidade de negócio que tem como missão primeira formar e certificar o canal PRIMAVERA. Nos últimos anos a PRIMAVERA Academy tem também visto crescer o seu negócio através da venda de formação a utilizadores dos seus produtos, formação essa também comercializada em grande parte através do canal PRIMAVERA. Nesta área deve destacar-se a crescente adesão que a oferta formativa no âmbito do elearning tem merecido por parte dos clientes, sendo de esperar que nos próximos anos esse modelo formativo venha a imperar. Suporte Técnico O PRIMAVERA Support Center é a unidade de negócio que tem como missão prioritária garantir o suporte técnico solicitado pelo canal PRIMAVERA. De forma crescente e no âmbito da estratégia há muito anunciada pela empresa, esta unidade tem vindo a prestar serviços de suporte a clientes finais no âmbito de contratos de outsoursing existentes entre a PRIMAVERA e alguns dos seus Parceiros. Em 2009 a STCP,SA iniciou um processo de substituição do ERP SAP por soluções PRIMAVERA. Dado o elevado nível de sofisticação e exigência inerentes, tratou-se de um projecto revestido de alguma complexidade, mas com garantia de resposta das funcionalidades consideradas imprescindíveis ao bom funcionamento dos serviços e à adequada gestão da empresa. O ano de 2010 foi marcado pelo arranque da implementação e esperamos atingir, em 2011, a total optimização do sistema. Helena Meira Directora de Sistemas de Informação STCP, SA Integração de VBA nos produtos PRIMAVERA Tournée de Software em Portugal

11 22 23 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS 2010 A Componente Financeira Investimento em I&D 20 A COMPONENTE FINANCEIRA 22 Receitas 23 Resultados 22 Estrutura de Capitais 22 Inovação e Financiamento Jorge Batista Executive Vice President, Corporate Management Considerando as dificuldades decorrentes da grave crise financeira sentida em todo o mundo e, particularmente a crise que se vive no principal mercado da PRIMAVERA (o Português), decidimos aplicar um conjunto de medidas preventivas para melhor controlar e ajustar o custo das operações e dos recursos humanos afectos às mesmas. Foram igualmente promovidas mudanças ao nível das políticas comerciais e de descontos para parceiros. A conjugação das medidas identificadas haveria de resultar em receitas no valor de Euros em 2010 (dos quais Euros se referem a vendas de licenças, consultoria e formação) enquanto os custos de operação se situaram em Euros de que resultou um EBITDA de Euros (9,4% do Volume de Negócios). A organização continuou a dar especial atenção à área de I&D, cujo investimento subiu para os Euros (26% do Volume de Negócios), e para as iniciativas de fidelização e satisfação de clientes M 26% Volume Negócios Novas Licenças Manutenção de Software M M +31% +17% M M M 24% Volume Negócios Consultoria Academia M +3% -7% M M M M 23 % Volume Negócios Aquisição da Paleta de Ideias Conversão para empresa de capital limitado

12 24 25 PRIMAVERA RELATÓRIO E CONTAS A COMPONENTE FINANCEIRA 22 Receitas 23 Resultados 22 Estrutura de Capitais 22 Inovação e Financiamento RECEITAS As vendas de licenças de New Business (NB) cresceram 31% ( Euros), recuperando para níveis equivalentes aos registados em O crescimento de 32,4% na venda de licenças no mercado Português contribuiu definitivamente para um bom desempenho nesta rubrica. A ligeira recuperação dos mercados e a majoração das políticas comerciais de descontos relacionados com a venda de licenças de New Business tiveram também um impacto positivo no crescimento das vendas globais. A venda de licenças de Continuity Service Agreement (CSA) obteve desempenhos muito positivos em todos os mercados registando um aumento consolidado de 17% ( Euros). Realce para o mercado de Portugal onde a venda de CSA passou de Euros para Euros correspondendo a um crescimento de 19%. A venda de CSA passou a ter um peso de 49% na venda total de licenças o que está em linha com as políticas implementadas com vista ao crescimento do número de clientes em regime de CSA. A origem deste crescimento está no facto de a partir de 2010 os CSA passarem a ser obrigatórios para todos os clientes (até 2010 apenas eram obrigatórias para os clientes de PRIMAVERA Executive e produtos Verticais) e no bom trabalho desenvolvido no mercado de Angola (+52% de utilizadores) e Moçambique (+ 73% de utilizadores) para mudar os clientes do regime de Clientes de Upgrade para o regime de Clientes de CSA. Os serviços de Consultoria tiveram um crescimento global consolidado de 3%, passando de Euros para Euros tendo o crescimento nos mercados Africanos contribuído com Euros o que permitiu acomodar a diminuição de valor de vendas consolidadas nos restantes mercados. A Academia mantém a tendência de vendas negativa (iniciada em 2008) o que perfila a necessidade de inovar quanto aos programas e mercados alvo dos serviços da mesma. O decréscimo de vendas na Academia foi 7% ( Euros). Os trabalhos para a própria empresa foram de Euros (-25%) tendo sido ainda registados Euros em vendas de outros produtos e serviços. Resultados O EBITDA foi de Euros, representando 9,4% do Volume de Negócios, consequência da contenção ao nível dos custos e da boa performance das vendas de produtos e serviços com as vendas de Novas Licenças de Software (+31%) e vendas de Licenças de Continuidade (+17%) a contribuírem significativamente para o EBITDA. Custos 2010 CMVMC FSEs Pessoal Amortizações Imparidades Outros Custos Operacionais Juros e Gastos Similares Total de Custos Realce para a rubrica de custos com pessoal que incorpora em 2010 o reforço do número de recursos afectos a actividades de I&D (+12 Engenheiros), a abertura da PRIMAVERA Moçambique e o aumento de capacidade das equipas de serviços e de suporte a clientes. O EBITDA (9,4%) e os Resultados Líquidos (0,3%) são o reflexo de um ano de forte investimento numa conjuntura económica pouco favorável. Apesar das dificuldades do ano o grupo manteve os principais rácios financeiros a um bom nível. Rácios 2010 Rent. Económica das Vendas 0,3% Solvabilidade 37% Autonomia Financeira 27% Liquidez Geral 177% Valor das Acções Considerando os resultados líquidos do exercício consolidados o valor do Lucro por Acção em 2010 foi de 0,015 Euros. O valor contabilístico por acção atingiu os 1,415 Euros representando uma valorização desde a sua emissão em 2000 de 41,5%, sendo a média anual de valorização de 3,8%. Resultados 2010 %VN EBITDA ,4 Operacionais ,5 Antes de impostos ,9 Liquidos ,3 Renovação da imagem PRIMAVERA Lançamento da Linha Empresarial

Liderança Empresarial A crise como alavanca de oportunidades. AEP Março.2012

Liderança Empresarial A crise como alavanca de oportunidades. AEP Março.2012 Liderança Empresarial A crise como alavanca de oportunidades AEP Março.2012 1/ Perfil Em busca da Excelência Missão Inovar com qualidade 1/ Perfil Trabalhamos diariamente no desenvolvimento de soluções

Leia mais

FERRAMENTAS? a alterar, em muitas organizações, um. instrumento tão abrangente como um orçamento

FERRAMENTAS? a alterar, em muitas organizações, um. instrumento tão abrangente como um orçamento O QUE É IMPRESCINDÍVEL NUMA SOLUÇÃO DE ORÇAMENTAÇÃO E PREVISÃO? Flexibilidade para acomodar mudanças rápidas; Usabilidade; Capacidade de integração com as aplicações a montante e a jusante; Garantir acesso

Leia mais

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial.

A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. POWERING BUSINESS QUEM SOMOS A ARTSOFT é uma empresa especializada no desenvolvimento e comercialização de soluções tecnológicas de apoio à gestão empresarial. Desde 1987 que desenvolvemos um trabalho

Leia mais

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais de 55,8 milhões EBITDA de 3,1 milhões Margem EBITDA de 5,6% EBIT de 0,54 milhões Resultado Líquido negativo

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema.

Com esta tecnologia Microsoft, a PHC desenvolveu toda a parte de regras de negócio, acesso a dados e manutenção do sistema. Caso de Sucesso Microsoft Canal de Compras Online da PHC sustenta Aumento de 40% de Utilizadores Registados na Área de Retalho Sumário País: Portugal Industria: Software Perfil do Cliente A PHC Software

Leia mais

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES

RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015: A COFACE APRESENTA LUCRO DE 66 MILHÕES DE EUROS, APESAR DE UM AUMENTO DE SINISTROS EM PAÍSES EMERGENTES Crescimento de volume de negócios: + 5.1% a valores e taxas

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News 28 PME Líder CRITÉRIOS Bloomberg News CRITÉ RIOS COMO CHEGAR A PME LÍDER Atingir o Estatuto PME Líder é a ambição de muitas empresas. É este o primeiro passo para chegar a PME Excelência. Saiba o que precisa

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

Vantagem Garantida PHC

Vantagem Garantida PHC Vantagem Garantida PHC O Vantagem Garantida PHC é um aliado para tirar maior partido das aplicações PHC A solução que permite à empresa rentabilizar o seu investimento, obtendo software actualizado, formação

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA Quem Somos Somos um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação, Comunicação e Gestão. Estamos presente em Portugal,

Leia mais

Programa Avançado de Gestão

Programa Avançado de Gestão PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão Com o apoio de: Em parceria com: Nova School of Business and Economics Com o apoio de: PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão A economia Angolana enfrenta hoje

Leia mais

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação O GRUPO AITEC Breve Apresentação Missão Antecipar tendências, identificando, criando e desenvolvendo empresas e ofertas criadoras de valor no mercado mundial das Tecnologias de Informação e Comunicação

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

Premier. Quando os últimos são os Primeiros

Premier. Quando os últimos são os Primeiros Premier Quando os últimos são os Primeiros Fundada em 1997 Especializada no desenvolvimento de soluções informáticas de apoio à Gestão e consultoria em Tecnologias de Informação. C3im tem como principais

Leia mais

1. Resultados do Exercício

1. Resultados do Exercício PARAREDE, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede Social: Av. José Malhoa nº 21, 1070157 Lisboa Pessoa Colectiva nº 503.541.320 Capital Social de 125.087.500 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Chegamos ao final de mais um ano e, por isso, é oportuno, fazer-se um

Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Chegamos ao final de mais um ano e, por isso, é oportuno, fazer-se um Sr. Vice-Governador do BNA; Srs. Membros do Conselho de Administração do BNA; Distintos Membros dos Órgãos Sociais da Banca Comercial; Sr Representante das Casas de Câmbios Srs. Directores e responsáveis

Leia mais

MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008

MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 MEIOSTEC, S.A. RELATÓRIO E CONTAS 2008 ÍNDICE 01 Relatório de Gestão... 1 02 Conjuntura Económica... 2 03 A Empresa... 3 04 Análise Financeira... 9 1 MEIOSTEC S.A.

Leia mais

PUB. Interface. Banca &Seguros

PUB. Interface. Banca &Seguros Interface Banca &Seguros PUB DOSSIER Marketing Bancário: focos em tempo de crise RADAR Sistema financeiro no triângulo estratégico DOSSIER Tecnologias de informação e gestão de fraude Tendências Mobilidade

Leia mais

w w w. y e l l o w s c i r e. p t

w w w. y e l l o w s c i r e. p t consultoria e soluções informáticas w w w. y e l l o w s c i r e. p t A YellowScire iniciou a sua atividade em Janeiro de 2003, é uma empresa de consultoria de gestão e de desenvolvimento em tecnologias

Leia mais

tecnologias para o seu sucesso tecnologias de informação

tecnologias para o seu sucesso tecnologias de informação tecnologias para o seu sucesso tecnologias de informação A experiência ao serviço do sucesso. A Alvo é uma empresa tecnológica nacional líder na implementação e suporte de soluções inovadoras de software

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda.

Relatório de Gestão & Contas - Ano 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO. Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. RELATÓRIO DE GESTÃO Resende e Fernandes, Construção Civil, Lda. 2012 ÍNDICE DESTAQUES... 3 MENSAGEM DO GERENTE... 4 ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO... 5 Economia internacional... 5 Economia Nacional... 5

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Qpoint Rumo à excelência empresarial

Qpoint Rumo à excelência empresarial Qpoint Rumo à excelência empresarial primavera bss A competitividade é cada vez mais decisiva para o sucesso empresarial. A aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance dos processos organizacionais

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Empresa: COFINA, SGPS, S.A. Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 Período de referência: Valores em Euros 1º Trimestre 3º Trimestre

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1 Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, Daniela Santana 2, Manuela Cunha 3, Sandra Castro 4 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharias, Universidade

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto Estratégia Empresarial Capítulo 4 Missão e Objectivos João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Análise da Empresa Análise Estratégica Missão, Objectivos

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

Software de gestão para pequenos negócios com grande dinamismo

Software de gestão para pequenos negócios com grande dinamismo Software de gestão para pequenos negócios com grande dinamismo Nas soluções PRIMAVERA Starter tem tudo o que precisa para começar já a faturar Instalar e Usar Atualizações Automáticas Suporte Técnico Incluído

Leia mais

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO Título do projecto: Nome do responsável: Contacto telefónico Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características inovadoras (Descreva

Leia mais

Tabela para Portugal. Julho de 2012. PRIMAVERA STARTER EASY 1 posto apenas # Versão Actual. PRIMAVERA STARTER 2 postos apenas Versão Actual

Tabela para Portugal. Julho de 2012. PRIMAVERA STARTER EASY 1 posto apenas # Versão Actual. PRIMAVERA STARTER 2 postos apenas Versão Actual Tabela para Portugal Julho de 2012 PRIMAVERA STARTER EASY 1 posto apenas # Versão Actual 1 Ano (Vds + Inv + Cco) 115 7.5 2 Anos (Vds + Inv + Cco) 199 7.5 # Produto em regime de subscrição anual * Desconto

Leia mais

Segunda maior distribuidora petrolífera de Angola com gestão PRIMAVERA

Segunda maior distribuidora petrolífera de Angola com gestão PRIMAVERA Case Study Pumangol Segunda maior distribuidora petrolífera de Angola com gestão PRIMAVERA Com um projeto ambicioso que prevê a abertura de 200 postos de abastecimento de combustível em Angola até 2015,

Leia mais

A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento

A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento Nuno Netto nnetto@deloitte.pt 28 de Outubro 2014 Agenda 2014. Para informações, contacte Deloitte Consultores, S.A.

Leia mais

IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andar, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com

IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andar, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com CADERNO IDC Nº 53 IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andar, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com ROI - Retorno do Investimento OPINIÃO IDC Os anos 90 permitiram a inclusão das tecnologias

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONCHIQUE

MUNICÍPIO DE MONCHIQUE CONCURSO LIMITADO POR PRÉVIA QUALIFICAÇÃO ao abrigo dos artigos 162.º a 192.º do Código dos Contratos Públicos (CCP) aprovado pelo n.º 1, do art.º 1.º do D.L. n.º 18/2008, de 29/01 AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

CURSO DE GESTÃO DE VENDAS (15 horas)

CURSO DE GESTÃO DE VENDAS (15 horas) CURSO DE GESTÃO DE VENDAS Inedem- Apotec Outono 2007 25 e 26 de Setembro 9h00 às 18h30 Dirigido a gestores da área financeira com necessidade de ferramentas informáticas de elevada eficácia na avaliação

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO

FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO FORMULÁRIO DE PROPOSTA DE PROJECTO ESPAÇO RESERVADO AO TI: PROPOSTA Nº DATA DA ENTRADA: / / RECEBIDO POR: I. IDENTIFICAÇÃO DO PROMOTOR NOME: Nº DE SÓCIO: MORADA: CÓDIGO POSTAL - LOCALIDADE: CONCELHO: TELEFONE:

Leia mais

PHC Consolidação CS. A execução da consolidação contabilística de grupos de empresas

PHC Consolidação CS. A execução da consolidação contabilística de grupos de empresas Descritivo PHC Consolidação CS PHC PHC Consolidação CS A execução da consolidação contabilística de grupos de empresas A consolidação contabilística no que respeita à integração de contas e respectivos

Leia mais

PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE SI/TI

PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE SI/TI (1) PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE SI/TI Docente: Turma: T15 Grupo 5 Mestre António Cardão Pito João Curinha; Rui Pratas; Susana Rosa; Tomás Cruz Tópicos (2) Planeamento Estratégico de SI/TI Evolução dos SI

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto *

Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Decreto-Lei n.º 187/2002 de 21 de Agosto * Nos termos da Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 26 de Julho, que aprovou o Programa para a Produtividade e o Crescimento da Economia, foi delineado

Leia mais

DOSSIER DE IMPRENSA 2015

DOSSIER DE IMPRENSA 2015 DOSSIER DE IMPRENSA 2015 A Empresa A Empresa A 2VG é uma empresa tecnológica portuguesa criada em 2009, que surgiu para colmatar uma necessidade detetada no mercado das tecnologias de informação e comunicação

Leia mais

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010

INVESTIR NO FUTURO CONTRATO DE CONFIANÇA ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL. Janeiro de 2010 INVESTIR NO FUTURO UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL Janeiro de 2010 UM CONTRATO DE CONFIANÇA NO ENSINO SUPERIOR PARA O FUTURO DE PORTUGAL No seu programa, o Governo

Leia mais

O controlo de gestão nas unidades de saúde: o Balanced Scorecard

O controlo de gestão nas unidades de saúde: o Balanced Scorecard O controlo de gestão nas unidades de saúde: o Balanced Scorecard P o r C a r l o s M a n u e l S o u s a R i b e i r o O Balanced Scorecard apresenta-se como alternativa viável aos tradicionais sistemas

Leia mais

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001

BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 BANCO ESPIRITO SANTO RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 2 RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2001 ASPECTOS MAIS RELEVANTES: SIGNIFICATIVO CRESCIMENTO DA ACTIVIDADE DESIGNADAMENTE A CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

Apresentação de Resultados 2009. 10 Março 2010

Apresentação de Resultados 2009. 10 Março 2010 Apresentação de Resultados 2009 10 Março 2010 Principais acontecimentos de 2009 Conclusão da integração das empresas adquiridas no final de 2008, Tecnidata e Roff Abertura de Centros de Serviços dedicados

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

Primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde arranca em Portugal

Primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde arranca em Portugal Primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde arranca em Portugal É hoje apresentada publicamente a primeira Unidade Empresarial de Serviços Partilhados em Saúde a funcionar em Portugal.

Leia mais

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com

Moçambique. Agenda EVENTOS 2013 NEW!! INSCREVA-SE EM. Também in Company. inscrip@iirportugal.com. VISITE www.iirportugal.com Moçambique Agenda EVENTOS 2013 NEW!! Também in Company INSCREVA-SE EM inscrip@iirportugal.com VISITE www.iirportugal.com INOVAÇÃO Estimado cliente, Temos o prazer de lhe apresentar em exclusiva o novo

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadora Capital Social: 169.764.398 Euros sob o número único de matrícula e de pessoa colectiva 503 219 886 COMUNICADO

Leia mais

O SECTOR A SOLUÇÃO Y.make Num mundo cada vez mais exigente, cada vez mais rápido e cada vez mais competitivo, o papel dos sistemas de informação deixa de ser de obrigação para passar a ser de prioridade.

Leia mais

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Receitas consolidadas de 62,6 M, uma subida de 10,8% no 3º trimestre, sendo de referir:

Leia mais

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO

MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO 4 de Agosto de 2011 MISSÃO DO GRUPO DE TRABALHO Apresentar um novo modelo de organização de serviços e organismos do Estado vocacionados para: - Promoção e captação de investimento estrangeiro; - Internacionalização

Leia mais

Consultoria de Gestão Sistemas Integrados de Gestão Contabilidade e Fiscalidade Recursos Humanos Marketing e Comunicação Consultoria Financeira JOPAC SOLUÇÕES GLOBAIS de GESTÃO jopac.pt «A mudança é a

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

apresentação corporativa

apresentação corporativa apresentação corporativa 2 Índice 1. Apresentação da BBS a) A empresa b) Evolução c) Valores d) Missão e Visão 2. Áreas de Negócio a) Estrutura de Serviços b) Accounting/Tax/Reporting c) Management & Consulting

Leia mais

O Contributo do Cluster da Electrónica e Telecomunicações para o Desenvolvimento Económico Espanhol

O Contributo do Cluster da Electrónica e Telecomunicações para o Desenvolvimento Económico Espanhol O Contributo do Cluster da Electrónica e Telecomunicações para o Desenvolvimento Económico Espanhol O presente estudo visa caracterizar o cluster da electrónica, informática e telecomunicações (ICT), emergente

Leia mais

BES AS APOIO FINANCEIRO BES AS FINANCEIR ÕES ÀS EMPRESAS FINANCEIR ÕES UÇ SOL

BES AS APOIO FINANCEIRO BES AS FINANCEIR ÕES ÀS EMPRESAS FINANCEIR ÕES UÇ SOL 38 PME Líder SOLUÇÕES FINANCEIRAS BES Helen King/CORBIS APOIO FINANCEIRO ÀS EMPRESAS O BES disponibiliza uma vasta oferta de produtos financeiros e serviços, posicionando-se como o verdadeiro parceiro

Leia mais

Contabilidade Financeira II 2008/2009

Contabilidade Financeira II 2008/2009 Contabilidade Financeira II 2008/2009 Capital Próprio CAPITAL PRÓPRIO Conceitos Gerais Aplicação de resultados Valor nominal, contabilístico e de mercado Demonstração das Alterações do C.P. Aumentos de

Leia mais

Gestão e tecnologia para PME s

Gestão e tecnologia para PME s www.sage.pt Gestão e tecnologia para PME s Sage Porto Sage Lisboa Sage Portugal A longa experiência que temos vindo a acumular no desenvolvimento de soluções integradas de software de gestão para as pequenas

Leia mais

O nosso desafio é o seu sucesso!

O nosso desafio é o seu sucesso! O nosso desafio é o seu sucesso! Clien tes de Refe rên cia Distribuição Construção Civil Industria Tecnologias Potenciamos o seu negócio A Empre sa. Somos uma empresa especializada na prestação de serviços

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

ANA obtém certificação em quatro áreas críticas com apoio da VP Consulting

ANA obtém certificação em quatro áreas críticas com apoio da VP Consulting ANA obtém certificação em quatro áreas críticas com apoio da VP Consulting Contactos: Isabel Fonseca Marketing VP Consulting Telefone: +351 22 605 37 10 Fax: +351 22 600 07 13 Email: info@vpconsulting.pt

Leia mais

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO ANO DE 2006 Após

Leia mais

O aumento da força de vendas da empresa

O aumento da força de vendas da empresa PHC dcrm O aumento da força de vendas da empresa O enfoque total na actividade do cliente, através do acesso remoto à informação comercial, aumentando assim a capacidade de resposta aos potenciais negócios

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Manuel Moreira Coordenador do PSGSS Benguela, 22 e 23 de Maio Agenda Objetivos Gerais Objectivos Estratégicos Estrutura do Projecto Inciativas

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS I. INTRODUÇÃO O Governo apresentou ao Conselho Económico e Social o Projecto de Grandes Opções do Plano 2008 (GOP 2008) para que este Órgão, de acordo com

Leia mais

PHC Consolidacão. Execute de uma forma simples e eficaz a consolidação contabilística de grupos de empresas

PHC Consolidacão. Execute de uma forma simples e eficaz a consolidação contabilística de grupos de empresas PHCConsolidacão DESCRITIVO O módulo PHC Consolidação foi desenhado para executar a consolidacão contabilística, no que diz respeito à integração de contas e respectivos ajustamentos de consolidação. PHC

Leia mais

CONTABILIDADE FINANCEIRA II. 2ª Frequência. Responda a cada grupo em folha separada

CONTABILIDADE FINANCEIRA II. 2ª Frequência. Responda a cada grupo em folha separada CONTABILIDADE FINANCEIRA II Equipa Docente: Data: 8 de Janeiro de 2008 Cristina Neto de Carvalho Duração: 2 horas Sofia Pereira 2ª Frequência Responda a cada grupo em folha separada A Ibersol tem como

Leia mais

Solução Integrada de Gestão e Recuperação de Créditos

Solução Integrada de Gestão e Recuperação de Créditos Solução Integrada de Gestão e Recuperação de Créditos 201105 1 Empresa Perfil Caracterização One-Stop-Shop - Outsourcing Estratégico Cobrança Telefónica Cobrança por Interpelação Pessoal Apoio a Diligências

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal

O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal O reforço da gestão da inovação nas empresas portuguesas CCDR Algarve 6 de Maio de 2009 Isabel Caetano COTEC Portugal COTEC PORTUGAL - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL PARA A INOVAÇÃO A COTEC Portugal - Associação

Leia mais

RESULTADOS ANUAIS 2011

RESULTADOS ANUAIS 2011 RESULTADOS ANUAIS 2011 15 de Fevereiro de 2011 VAA - Vista Alegre Atlantis, SGPS, SA sociedade aberta com sede no Lugar da Vista Alegre em Ílhavo, com o número de contribuinte 500 978 654, matriculada

Leia mais

Relatório & C o n t a s de

Relatório & C o n t a s de Relatório & C o n t a s de 2010 Garantia Seguros Relatório & Contas de 2010 2 RELATÓRIO & CONTAS DE 2010 GARANTIA SEGUROS - RELATÓRIO & CONTAS DE 2010 3 Senhores Accionistas, No cumprimento dos preceitos

Leia mais

Inovação e Criação de Novos Negócios

Inovação e Criação de Novos Negócios INOVAÇÃO E TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO AGRÍCOLA Inovação e Criação de Novos Negócios Luís Mira da Silva Cristina Mota Capitão Isabel Alte da Veiga Carlos Noéme Inovação INOVAÇÃO Inovação: introdução INOVAR

Leia mais

No entanto, antes de ser financeira, a crise tem uma natureza económica.

No entanto, antes de ser financeira, a crise tem uma natureza económica. INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CONFERÊNCIA «O QUE FAZER POR PORTUGAL? MEDIDAS PARA ULTRAPASSAR A CRISE», SOB O TEMA «AS PESSOAS E AS EMPRESAS

Leia mais

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO CVGARANTE SOCIEDADE DE GARANTIA MÚTUA PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO 14 de Outubro de 2010 O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às empresas,

Leia mais

Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação

Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação Uma Estratégia de Crescimento com base no Conhecimento, Tecnologia e Inovação Tópicos da Intervenção do Senhor Ministro da Economia e da Inovação 24 de Novembro de 2005 Plano Tecnológico - Inovação e Crescimento

Leia mais

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais?

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais? TEMA - liderança 5 LEADERSHIP AGENDA O Que fazem os LÍDERES eficazes Porque é que certas pessoas têm um sucesso continuado e recorrente na liderança de empresas ou de organizações de todos os tipos? O

Leia mais

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E Quem somos? Quem somos? O que fazemos? O que nos distingue? Onde estamos? 2 Quem somos? APRESENTAÇÃO A Talent Search foi

Leia mais

Banco Popular, Espanha

Banco Popular, Espanha Banco Popular, Espanha Tecnologia avançada de automação do posto de caixa para melhorar a eficiência e beneficiar a saúde e segurança dos funcionários O recirculador de notas Vertera contribuiu para impulsionar

Leia mais

Marcos N. Lessa. Global Document Outsourcing Director

Marcos N. Lessa. Global Document Outsourcing Director Marcos N. Lessa Global Document Outsourcing Director Managed Print Services: Serviço de valor acrescentado Managed Print Services (MPS) é um serviço que envolve a gestão de todos os equipamentos de impressão,

Leia mais

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO

Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Oportunidades de Financiamento PROJETOS EMPRESARIAIS E OS SISTEMAS DE INCENTIVO Hugo Barros UALG Universidade do Algarve Albufeira, 12 de Março 2015 INOVAÇÃO PAPEL CRUCIAL NO CRESCIMENTO ECONÓMICO DOS

Leia mais

3. RELATÓRIO DE GESTÃO ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA

3. RELATÓRIO DE GESTÃO ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA 3. RELATÓRIO DE GESTÃO ANÁLISE ECONÓMICA E FINANCEIRA página 3.1. Indicadores Gerais 40 3.1.1. Volume de Negócios 40 3.1.2. Valor Acrescentado Bruto 40 3.2. Capitais Próprios 41 3.3. Indicadores de Rendibilidade

Leia mais