Caderno de Fórmulas. CCB, CCE e NCE - Cetip21

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno de Fórmulas. CCB, CCE e NCE - Cetip21"

Transcrição

1 - Cetp21 Elaboração: Novembro/2005 Últma Atualzação: 27/05/2016

2 Apresentação E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos referentes às Cédulas de Crédto Bancáro CCB, Cédulas de Crédto à Exportação CCE e, para os tpos de remuneração acatados e executados pelo sstema de custóda. S ão abordados como parâmetros de atualzação do valor nomnal a varação do dólar comercal e dos índces de preços: IGP-M, IGP-DI, INPC e IPCA. Para correção mensal por índces de preço é dsponblzado cálculo pro-rata das útes ou corrdos da prmera varação mensal quando a data de emssão for descasada da data de vencmento e de pagamento de eventos, se houver. S ão descrtos os crtéros de cálculo de juros fxos ou spread. O spread pode ser postvo ou negatvo e é aplcável a atvos referencados em juros flutuantes. Como parâmetros de flutuação são acatados a taxa DI Over e a taxa Selc. Os juros fxos são utlzados por atvos pré ou pós-fxados. O valor fnancero de juros passa a ser sempre calculado a partr da multplcação do valor untáro de juros pela quantdade de atvos em custóda de cada partcpante detentor. T odos os valores untáros calculados pelo sstema passam a ter a precsão de 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. São valores untáros calculados pelo sstema: o valor nomnal atualzado, o valor nomnal remanescente, o valor untáro de juros e o valor untáro da amortzação, dentre outros. A s formas de amortzação acatam regstro de percentuas fxos ou varáves ncdndo sobre o valor de emssão, ou percentuas varáves sobre o valor remanescente, em períodos unformes. E stão descrtas neste Caderno as fórmulas para o cálculo automátco do valor de parcelas (ou prestações) de pagamento de acordo com o sstema francês de amortzação (Tabela Prce) para CCB, CCE ou NCE prefxado, admtndo, se necessáro, prazo de carênca com ncorporação de juros um período antes do níco dos pagamentos peródcos. C ompõe anda este caderno um Apêndce de esclarecmentos com nformações adconas e regras de datas com reflexo na geração de eventos e seus cálculos. Últma atualzação: 27/05/2016 2

3 Índce Atualzação do Valor Nomnal: Índces de Preços (IGP-M, IGP-DI, INPC e IPCA)... 5 a) Perodcdade de Atualzação: Mensal... 5 b) Perodcdade de Atualzação: Anual... 6 c) Pro-Rata... 6 d) Tpo de correção Correção Defasada... 6 e) Valor Nomnal Atualzado... 7 Atualzação do Valor Nomnal: US$ Comercal a) Perodcdade de atualzação b) Valor Nomnal atualzado Juros Fxos (ou Spread) a) Perodcdade de apuração b) Valor Untáro de Juros c) Valor Untáro de Juros da Amortzação d) Valor Fnancero dos Juros e) Fator de Juros (ou Spread) de acordo com crtéro de cálculo Juros Flutuantes Parâmetro de Flutuação: DI Over a) Perodcdade de apuração b) Valor Untáro de Juros c) Valor Untáro de Juros da Amortzação d) Valor Fnancero dos Juros Parâmetro de Flutuação: Taxa SELIC a) Perodcdade de apuração b) Valor Untáro de Juros c) Valor Untáro de Juros da Amortzação d) Valor Fnancero dos Juros Amortzação...!Fm mprevsto da fórmula Percentual fxo sobre valor nomnal de emssão ou após ncorporação, se houver, em períodos unformes Percentual varável sobre valor untáro de emssão, em períodos unformes Percentual varável sobre valor remanescente atualzado, em períodos unformes Percentual varável, períodos varáves (datas mputadas), sobre valor untáro de emssão (VNE VAR/NUF) Percentual varável, períodos varáves (datas mputadas), sobre valor remanescente (VNA VAR/NUF) Valor fnancero da amortzação Últma atualzação: 27/05/2016 3

4 Índce Valor Nomnal Remanescente após cada amortzação Tabela Prce para CCB/CCE/NCE Prefxado a) Perodcdade de Correção b) Forma de Pagamento c) Combnações possíves na utlzação dos campos d) CCB/CCE/NCE com uso da tabela prce com prazo de carênca e) Total de prestações (amortzações + juros) da Tabela Prce f) Equvalênca da taxa de juros - prce g) Valor da prestação na tabela prce (amortzação mas juros) h) Ajuste do Valor de VNE quando houver carênca e ncorporação de juros ) Valores de juros e amortzações - prestações na Tabela Prce Esclarecmentos Incorporação de Juros Regras de datas para Juros Constantes Regras de datas para Juros Varáves Amortzação Regras de datas para amortzações Regras de datas para Tabela Prce Regras de Datas para atualzação e/ou geração de eventos mensas Data de Iníco de Rentabldade Últma atualzação: 27/05/2016 4

5 Atualzação do Valor Nomnal: Índces de Preços (IGP-M, IGP-DI, INPC e IPCA) a) Perodcdade de Atualzação: Mensal CCBs/CCEs/NCEs com correção mensal por índce de preços devem ter prevsão de pagamento peródco de juros e/ou amortzações expressa em número de meses, salvo para atvos de renda fnal, conforme abaxo defndo. O pagamento de eventos a partr do prmero mês completo, para CCBs/CCEs/NCEs de atualzação mensal será admtdo se atenddas as seguntes condções: o ter prazo mínmo gual ou superor a 36 (trnta e ses meses); o e ser decorrente de operação de crédto mobláro Caso a CCB/CCE/NCE não atenda as condções acma descrtas, somente será permtdo seu regstro com correção mensal por índces de preços quando observados: o prazo mínmo de 1 (um) ano; o carênca de 12 meses para o prmero evento de amortzação; a partr deste prazo é acatada prevsão de amortzação com perodcdade nferor a 12 meses; o nexstênca de prevsão de pagamento peródco de juros (pagamento fnal de juros); haverá pagamento de juros referentes à parcela amortzada, quando da ocorrênca de eventos de amortzação Ou o prazo mínmo de 1 (um) ano e sempre múltplo de 12 meses; o datas casadas, entenddo como o da da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, concdente com o da da data a partr da qual será pago o prmero evento, se houver, ou com o da da data de vencmento; o eventos peródcos (juros e/ou amortzações), se houver, em prazo múltplo de 12 meses. Ou o prazo mínmo de 1 (um) ano; o nexstênca de prevsão de pagamento peródco de juros ou amortzação atvo de renda fnal; o datas de emssão e vencmento casadas ou descasadas; e o juros expressos em número de meses ou em das útes ou corrdos. Últma atualzação: 27/05/2016 5

6 b) Perodcdade de Atualzação: Anual É permtdo o regstro de CCB/CCE/NCE ndexada a índce de preços com correção anual, tendo a data de emssão como referênca para atualzação anual. Prazo mínmo: 1 (um) ano. A perodcdade de pagamento de juros e amortzação, se houver, pode ser expressa em número de meses ou das útes ou corrdos. É admtdo o descasamento entre o da da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, o da do vencmento, e o da do prmero pagamento de juros peródcos da CCB. O período entre a data do prmero pagamento de eventos e a data de vencmento, deve ser múltplo da perodcdade de pagamento, seja esta expressa em número de das, ou meses. Caso haja período nferor a um ano no fnal do prazo da CCB, este período não será corrgdo. c) Pro-Rata Para CCB/CCE/NCE com correção mensal por índces de preços quando verfcado descasamento entre a data de emssão e a data de vencmento ou a data de pagamentos peródcos, se houver, será aproprada pro-rata da útl ou corrdo, a prmera varação mensal do índce escolhdo, entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero anversáro mensal do atvo, entenddo como o da da data de vencmento em cada mês. d) Tpo de correção Correção Defasada O IGP-M, ndexador cujo número índce (e sua varação) é dvulgado no própro mês a que se refere, está dsponível para corrgr valores (nomnas) para do da prmero do mês segunte em dante. Já os demas índces acatados (IGP-DI, INPC e IPCA) são dvulgados (e suas varações) em torno do da 10 (+ ou 4) do mês segunte ao que se referem. Para estes índces a dvulgação do número índce do mês medatamente anteror às datas de referênca para atualzação, pode ocorrer até o da 14 do mês de atualzação. Com razoável segurança estão dsponíves para corrgr valores (nomnas) a partr do da 15 do mês em dante. Últma atualzação: 27/05/2016 6

7 Por consequênca, quando a CCB/CCE/NCE tver prevsão de correção mensal pelos índces de preços: IGP-DI, INPC ou IPC-A e tver data de vencmento e/ou pagamento peródco de eventos em da menor que o da 15 do mês, sua correção será efetuada utlzando-se, como base, o número índce do segundo mês anteror ao mês de emssão, de ncorporação de juros ou de amortzação, se houver. Quando a CCB/CCE/NCE tver prevsão de correção anual pelos índces de preços: IGP-DI, INPC ou IPC-A, e tver data de emssão em da nferor ao da 15 do mês, sua correção será efetuada utlzando-se, como base, o número índce do segundo mês anteror ao mês de emssão ou da últma atualzação. e) Valor Nomnal Atualzado e.1) Correção VNA VNB C VNA: Valor Nomnal atualzado, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; VNB (atualzação de perodcdade mensal): Valor Nomnal base. Valor Nomnal de emssão ou da data de ncorporação de juros, ou após a últma amortzação, se houver, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. VNB (atualzação de perodcdade anual): Valor Nomnal base. Valor Nomnal de emssão ou da data de ncorporação de juros, atualzação ou amortzação, se houver, o que ocorrer por últmo, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. C: Fator acumulado da varação do índce de preços utlzado (IGP-M, IGP-DI, INPC ou IPCA) calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento, calculado pela n fórmula: C 0 n : Número Índce do mês medatamente anteror ao mês de atualzação. 0 (para CCB/CCE/NCE com perodcdade de atualzação mensal, com data de emssão, ou data de níco de rentabldade, casada com a data de vencmento): Número Índce do mês medatamente anteror ao mês de emssão, de ncorporação de juros ou da últma amortzação, se houver. 0 (para CCB/CCE/NCE com perodcdade de atualzação anual): Número índce do mês medatamente anteror ao mês de emssão ou da últma atualzação. Últma atualzação: 27/05/2016 7

8 Caso a CCB/CCE/NCE com atualzação mensal não tenha data de emssão, ou data de níco de rentabldade, casada com a data de vencmento, será efetuada apropração da prmera varação mensal do índce escolhdo pro-rata, entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero anversáro mensal do atvo (entenddo como o da da data de vencmento em cada mês), por das útes ou corrdos. e.1.1) Defnção de C com pro-rata das corrdos: C m1 m0 pro rata pro rata mn m1 C: Fator calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; m1 : Número Índce referente ao mês 1. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 1 é gual ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 1 é gual ao mês medatamente anteror ao mês de emssão. m0 : Número Índce referente ao mês 0. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 0 é gual ao mês medatamente anteror ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 0 é gual ao segundo mês anteror ao mês de emssão. mn : Número Índce do mês medatamente anteror ao mês de atualzação, pagamento ou vencmento. pro-rata : Número de das corrdos entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror. pro-rata : Número de das corrdos entre a data de anversáro medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade. m1 m0 pro rata pro rata : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. mn m1 : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. pro rata pro rata : calculado com 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento. Últma atualzação: 27/05/2016 8

9 e.1.2) Defnção de C com pro-rata das útes: C m1 m0 pro rata pro rata mn m1 C: Fator calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; m1 : Número Índce referente ao mês 1. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 1 é gual ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 1 é gual ao mês medatamente anteror ao mês de emssão. m0 : Número Índce referente ao mês 0. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 0 é gual ao mês medatamente anteror ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 0 é gual ao segundo mês anteror ao mês de emssão. mn : Número Índce do mês medatamente anteror ao mês de atualzação, pagamento ou vencmento. pro-rata : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror. pro-rata : Número de das útes entre a data de anversáro medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade. m1 m0 pro rata pro rata : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. mn m1 : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. pro rata pro rata : calculado com 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento. e.2) Correção Defasada Quando a CCB/CCE/NCE for ndexada a IGP-DI, INPC ou IPC-A e tver da da data de vencmento menor que da 15 (para atvos com perodcdade de correção mensal) ou da da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, menor que da 15 (para Últma atualzação: 27/05/2016 9

10 atvos com perodcdade de emssão anual), a atualzação será efetuada utlzando-se o número índce do segundo mês anteror ao mês de atualzação. VNA VNB C DEFASADO VNA: Valor Nomnal atualzado, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; VNB (atualzação de perodcdade mensal): Valor Nomnal base. Valor Nomnal de emssão ou da data de ncorporação de juros, ou após a últma amortzação, se houver, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. VNB (atualzação de perodcdade anual): Valor Nomnal base. Valor Nomnal de emssão ou da data de ncorporação de juros, atualzação ou amortzação, se houver, o que ocorrer por últmo, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. C DEFASADO : Fator acumulado da varação do índce de preços utlzado (IGP-M, IGP-DI, INPC ou IPCA) calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento, calculado pela fórmula: C DEFASADO n 0 n : Número Índce do segundo mês medatamente anteror ao mês de atualzação. 0 (para CCB/CCE/NCE com perodcdade de atualzação mensal, com data de emssão, ou data de níco de rentabldade, casada com a data de vencmento): Número Índce do segundo mês medatamente anteror ao mês de emssão, de ncorporação de juros ou da últma amortzação, se houver. 0 (para CCB/CCE/NCE com perodcdade de atualzação anual): Número índce do segundo mês medatamente anteror ao mês de emssão ou da últma atualzação. Caso a CCB/CCE/NCE com atualzação mensal não tenha data de emssão, ou data de níco de rentabldade, casada com a data de vencmento, será efetuada apropração da prmera varação mensal do índce escolhdo pro-rata, entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero anversáro mensal do atvo (entenddo como o da da data de vencmento em cada mês), por das útes ou corrdos. Últma atualzação: 27/05/

11 e.2.1) Defnção de C DEFASADO com pro-rata das corrdos: C DEFASADO m1 m0 pro rata pro rata mn m1 C DEFASADO : Fator calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; m1 := Número Índce referente ao mês 1.Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 1 é gual ao mês medatamente anteror ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 1 é gual ao segundo mês anteror ao mês de emssão. m0 : Número Índce referente ao mês 0. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 0 é gual ao segundo mês medatamente anteror ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 0 é gual ao tercero mês anteror ao mês de emssão. mn : Número Índce do segundo mês medatamente anteror ao mês de atualzação, pagamento ou vencmento. pro-rata : Número de das corrdos entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror. pro-rata : Número de das corrdos entre a data de anversáro medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade. m1 m0 pro rata pro rata : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. mn m1 : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. pro rata pro rata : calculado com 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento. Últma atualzação: 27/05/

12 e.2.2) Defnção de C DEFASADO com pro-rata das útes: C DEFASADO m1 m0 pro rata pro rata mn m1 C DEFASADO : Fator calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; m1 := Número Índce referente ao mês 1.Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 1 é gual ao mês medatamente anteror ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 1 é gual ao segundo mês anteror ao mês de emssão. m0 : Número Índce referente ao mês 0. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no mês segunte ao mês de emssão, mês 0 é gual ao segundo mês medatamente anteror ao mês de emssão. Quando o prmero anversáro mensal do atvo ocorre no própro mês de emssão, mês 0 é gual ao tercero mês anteror ao mês de emssão. mn : Número Índce do segundo mês medatamente anteror ao mês de atualzação, pagamento ou vencmento. pro-rata : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror. pro-rata : Número de das útes entre a data de anversáro medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade. m1 m0 pro rata pro rata : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. mn m1 : calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. pro rata pro rata : calculado com 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento. Últma atualzação: 27/05/

13 Atualzação do Valor Nomnal: US$ Comercal a) Perodcdade de atualzação Dára b) Valor Nomnal atualzado VNA VNB C VNA: Valor Nomnal atualzado, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. VNB = Valor Nomnal base para atualzação, que pode ser o valor de emssão, após ncorporação de juros ou após amortzação, se houver. C: Fator resultante da varação do dólar dos EUA, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento, calculado pela fórmula: US n C US 0 US n = Valor de fechamento do dólar comercal (PTAX800 taxa de venda) do da útl medatamente anteror à data de atualzação, pagamento ou vencmento; US 0 = Valor de fechamento do dólar comercal (PTAX800 taxa de venda) do da útl medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, de ncorporação de juros e/ou de amortzação, se houver. Observação: Eventos agendados para das não útes serão lqudados no prmero da útl subsequente, aproprando a varação cambal até a taxa dsponível no últmo da útl antecedente. No caso dos fns de semana, por exemplo, eventos agendados para sábado, domngo ou segunda terão a mesma varação cambal. Últma atualzação: 27/05/

14 Juros Fxos (ou Spread) Refere-se à taxa de juros fxos que pode representar um rendmento prefxado ou a parcela de juros fxa de um atvo pós-fxado; ou ao spread, que é a parcela de juro fxa acrescda ao rendmento de um atvo referencado em taxa flutuante. A taxa é nformada com 4 (quatro) casas decmas. a) Perodcdade de apuração Dára, por das útes ou corrdos. Quando juro fxo em atvo corrgdo mensalmente por índce de preços a perodcdade de apuração é mensal. b) Valor Untáro de Juros J VNA Fator de Juros 1 J: Valor untáro dos juros acumulados no período, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. VNA: Valor Nomnal atualzado, se for o caso, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com 9 (nove) casas decmas, com arred. c) Valor Untáro de Juros da Amortzação J AM Fator de Juros 1 J: Valor untáro dos juros acumulados no período, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. AM: Valor da amortzação, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. d) Valor Fnancero dos Juros J VF J Q J VF : Valor fnancero dos juros calculado com 2 (duas) casas decmas, sem arred. J: Valor untáro de juros apurado com 8 (oto) casas decmas sem arred. Q: Quantdade do atvo em custóda do partcpante. Últma atualzação: 27/05/

15 e) Fator de Juros (ou Spread) de acordo com crtéro de cálculo 252 número de das útes entre a data de níco ou do últmo pagamento e o próxmo Fator de Juros Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros expressa em 252 das útes, nformada com 4 (quatro) casas decmas; : Número de das útes. Para atvo de renda fnal: número de das útes exstente no prazo total do atvo. Para atvo com pagamento peródco de juros: entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento de juros; : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre a data de ncorporação, se houver, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre o últmo pagamento de juros e a data de atualzação, próxmo pagamento ou data de vencmento. 252 Número de meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 21 a) Para atvos com datas casadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, concde com a data de anversáro mensal, entendda como o da da data de vencmento em cada mês. Fator de Juros N º Meses Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros expressa em 252 das útes, nformada com 4 (quatro) casas decmas; Últma atualzação: 27/05/

16 Nº Meses: Número de meses ntero entre: a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de vencmento, se renda fnal; ou entre a data da ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento de juros; : Número de das útes exstente no número de meses nformado. Para atvo de renda fnal: número de das útes exstente no número de meses total do atvo. Para atvo com pagamento peródco de juros: entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento de juros. : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre a data de ncorporação, se houver, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre o últmo pagamento de juros e a data de atualzação, próxmo pagamento ou data de vencmento. b) Para atvos com datas descasadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, não concde com a data de anversáro mensal, entendda como o da da data de vencmento em cada mês. Fator de Juros pro rata pro rata N º Meses Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros expressa em 252 das útes, nformada com 4 (quatro) casas decmas; pro-rata : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação ou anversáro mensal medatamente posteror; pro-rata : Número de das útes entre a data de anversáro mensal medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade; Últma atualzação: 27/05/

17 Nº Meses: Número de meses ntero entre: a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data o prmero pagamento de juros; ou entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de vencmento, se renda fnal; Após o prmero pagamento de juros peródcos, se houver, é o número de meses entre o últmo e o próxmo pagamento de juros ou vencmento. : Número de das útes entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data do prmero pagamento posteror ao prmero anversáro mensal; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento. : Número de das útes entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação; ou entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data do prmero pagamento posteror ao prmero anversáro mensal; ou entre o últmo pagamento de juros e a data de atualzação, até o próxmo pagamento. Observação: Até o prmero anversáro mensal do atvo que tenha datas descasadas a fórmula do fator de juros ou spread se compõe apenas da prmera expressão: Fator de Juros pro rata pro rata Após o prmero evento de juros, seja de ncorporação ou de pagamento peródco, a fórmula do fator de juros volta a conter apenas uma expressão: Fator de Juros N º Meses Últma atualzação: 27/05/

18 360 Número de das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo ou 365 Número de das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Fator de Juros ou 365 Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros expressa em 360 ou 365 das corrdos, nformada com 4 (quatro) casas decmas; : Número de das corrdos. Para atvo de renda fnal: das corrdos exstentes no prazo total do atvo. Para atvo com pagamento peródco de juros: entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo e o próxmo pagamento de juros. : Número de das corrdos entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre a data de ncorporação, se houver, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre o últmo pagamento de juros e a data de atualzação, próxmo pagamento ou data de vencmento. 360 Número de das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Com tratamento Lnear x N Fator de Juros Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros fxa, expressa ao ano com base de 360 das corrdos, nformada com 4 (quatro) casas decmas, podendo ser postva ou negatva. - x N N: Número de das corrdos. Para atvo de renda fnal: das corrdos exstentes no prazo total do atvo. Para atvo de renda fnal com amortzações peródcas: entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data da amortzação. Para atvo com pagamento peródco de juros: entre a data de emssão, ou data de níco de Últma atualzação: 27/05/

19 rentabldade, e o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo e o próxmo pagamento de juros. 360 Número de meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 30 ou 365 Número de meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 30 a) Para atvos com datas casadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, concde com a data de anversáro mensal, entendda como o da da data de vencmento em cada mês. Fator de Juros N º Meses ou 365 Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros expressa em 360 ou 365 das corrdos, nformada com 4 (quatro) casas decmas; Nº Meses: Número de meses ntero entre: a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de vencmento, se renda fnal; ou entre a data da ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento de juros; : Número de das corrdos exstente no número de meses nformado. Para atvo de renda fnal: número de das corrdos exstente no número de meses total do atvo. Para atvo com pagamento peródco de juros: entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e o prmero pagamento de juros; ou entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de ncorporação, se houver, e o prmero pagamento de juros; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento de juros; : Número de das corrdos entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou Últma atualzação: 27/05/

20 entre a data de ncorporação, se houver, e a data de atualzação, prmero pagamento ou data de vencmento; ou entre o últmo pagamento de juros e a data de atualzação, próxmo pagamento ou data de vencmento. b) Para atvos com datas descasadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, não concde com a data de anversáro mensal, entendda como o da da data de vencmento em cada mês. Fator de Juros ou 365 pro rata pro rata N º Meses ou 365 Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. : Taxa de juros expressa em 360 ou 365 das corrdos, nformada com 4 (quatro) casas decmas; pro-rata = Número de das corrdos entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação ou anversáro mensal medatamente posteror; pro-rata = Número de das corrdos entre a data de anversáro mensal medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade; Nº meses: Número de meses ntero entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data o prmero pagamento de juros; ou entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de vencmento, se renda fnal; Após o prmero pagamento de juros peródcos, se houver, é o número de meses entre o últmo e o próxmo pagamento de juros ou vencmento; : Número de das corrdos entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de atualzação; entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data do prmero pagamento posteror ao prmero anversáro mensal; Últma atualzação: 27/05/

21 ou entre o últmo pagamento de juros e a data de atualzação, até o próxmo pagamento. : Número de das corrdos: entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, se houver; ou entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data do prmero pagamento posteror ao prmero anversáro mensal; ou entre o últmo pagamento de juros e o próxmo pagamento. Observação: Até o prmero anversáro mensal do atvo com datas descasadas a fórmula do fator de juros se compõe apenas da prmera expressão: Fator de Juros ou 365 pro rata pro rata Após o prmero evento de juros, seja de ncorporação ou de pagamento peródco, a fórmula do fator de juros volta a conter apenas uma expressão: Fator de Juros N º de meses ou 365 Últma atualzação: 27/05/

22 Crtéros de Precsão casas decmas (nove) casas decmas, sem ou ou 360 arredondamento pro rata pro rata ou ou 100 pro rata pro rata ou (nove) casas decmas, com arredondamento 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento nº de meses ou 1 1 pro rata pro rata ou nº de meses nº de meses ou nº de meses x ou 360 pro rata pro rata ou ou ou 360 nº de meses x ou pro rata pro rata nº de meses x ou 360 nº de meses ou 9 (nove) casas decmas, com arredondamento 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento 9 (nove) casas decmas, com arredondamento 9 (nove) casas decmas, sem arredondamento 9 (nove) casas decmas, com arredondamento 9 (nove) casas decmas, com arredondamento ou 360 pro rata pro rata nº de meses x ou 360 Últma atualzação: 27/05/

23 Juros Flutuantes Parâmetro de Flutuação: DI Over a) Perodcdade de apuração Dára, por das útes. b) Valor Untáro de Juros J VNB Fator DI Fator de Spread 1 J: Valor untáro de juros, acrescdo de "Spread", se houver, acumulado no período, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; VNB: Valor Nomnal de emssão, ou da data da últma amortzação ou ncorporação, se houver, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; Fator DI n k p 1 TDI k Fator DI: Proóro das taxas DI Over, com uso de percentual aplcado, da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, ncorporação, se houver, ou pagamento de juros nclusve, até a data de atualzação, pagamento ou vencmento, exclusve, calculado com 8 (oto) casas decmas com arredondamento. n: Número de taxas DI over utlzadas; p: Percentual aplcado sobre a taxa DI over, nformado com 2 (duas) casas decmas; TDI k DI k TDI k : Taxa DI over, expressa ao da, calculada com 8 (oto) casas decmas com arred. DI k : Taxa DI over dvulgada pela CETIP, utlzada com duas casas decmas. Fator de Spread: Fator de "Spread", calculado com 9 (nove) casas decmas, com arredondamento, conforme defndo no Item "Juros Fxos ou Spread". p 1 TDI k : calculado com 16 (dezesses) casas decmas sem arred. 100 Fator DI Fator de Spread : calculado com 9 (nove) casas decmas com arred. Últma atualzação: 27/05/

24 c) Valor Untáro de Juros da Amortzação J AM Fator de Juros 1 J: Valor untáro dos juros acumulados no período, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. AM: Valor da amortzação, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. d) Valor Fnancero dos Juros J VF J Q J VF : Valor fnancero dos juros calculado com 2 (duas) casas decmas, sem arred. J: Valor untáro de juros apurado com 8 (oto) casas decmas sem arred. Q: Quantdade do atvo em custóda do partcpante. Parâmetro de Flutuação: Taxa SELIC a) Perodcdade de apuração Dára, por das útes. b) Valor Untáro de Juros J VNB Fator Selc Fator de Spread 1 J: Valor untáro de juros, acrescdo de "Spread", se houver, acumulado no período, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; VNB: Valor Nomnal de emssão, ou da data da últma amortzação ou ncorporação, se houver, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; Fator Selc n k p 1 TSelc k Fator Selc: Proóro das taxas Selc, com uso de percentual aplcado, da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, ncorporação, se houver, ou pagamento de juros nclusve, até a data de atualzação, pagamento ou vencmento, exclusve, calculado com 8 (oto) casas decmas com arredondamento. n: Número de taxas Selc utlzadas; Últma atualzação: 27/05/

25 p: Percentual aplcado sobre a taxa Selc, nformado com 2 (duas) casas decmas; TSelc k Selc 100 k TSelc k : Taxa Selc, expressa ao da, calculada com 8 (oto) casas decmas com arred. DI k : Taxa Selc dvulgada pelo BACEN, utlzada com duas casas decmas. Fator de Spread:: Fator de "Spread", calculado com 9 (nove) casas decmas, com arredondamento, conforme defndo no Item "Juros Fxos ou Spread". p 1 TSelc k 100 Fator Selc Fator de Spread : calculado com 16 (dezesses) casas decmas sem arred. : calculado com 9 (nove) casas decmas com arred. c) Valor Untáro de Juros da Amortzação J AM Fator de Juros 1 J: Valor untáro dos juros acumulados no período, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. AM: Valor da amortzação, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred. Fator de Juros: Fator de juros fxos, calculado com arred de 9 (nove) casas decmas. d) Valor Fnancero dos Juros J VF J Q J VF : Valor fnancero dos juros calculado com 2 (duas) casas decmas, sem arred. J: Valor untáro de juros apurado com 8 (oto) casas decmas sem arred. Q: Quantdade do atvo em custóda do partcpante. Últma atualzação: 27/05/

26 Amortzação Percentual fxo sobre valor nomnal de emssão ou após ncorporação, se houver, em períodos unformes AM Ta VNE C 100 AM : Valor untáro da -ésma parcela de amortzação, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento; VNE: Valor nomnal de emssão ou após ncorporação de juros, se houver, consderado com 8 (oto) casas decmas; Ta: Taxa fxa defnda pela dvsão de 100 pelo número de parcelas decorrente da perodcdade nformada pelo partcpante, utlzada com 4 (quatro) casas decmas. C : Fator de atualzação da -ésma parcela de amortzação, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arred, defndo conforme a perodcdade de atualzação: OBS: se atvo com correção dára (cambal) e mensal (índces de preços), fator de atualzação computado desde a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, ou ncorporação de juros, se houver, até a data de pagamento da amortzação. Se atvo com correção anual por índce de preços, com base na emssão, fator de atualzação computado da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, ou da ncorporação até a data da últma correção anual. Percentual varável sobre valor untáro de emssão, em períodos unformes AM Ta VNE C 100 Ta : -ésma taxa de amortzação nformada com 4 (quatro) casas decmas. n Obs: Ta AM, VNE e C : Varáves anterormente defndas. Últma atualzação: 27/05/

27 Percentual varável sobre valor remanescente atualzado, em períodos unformes AM Ta VNA 100 C VNA: Saldo do valor nomnal atualzado consderado com 8 (oto) casas decmas; AM, Ta e C : Varáves anterormente defndas. Percentual varável, períodos varáves (datas mputadas), sobre valor untáro de emssão (VNE VAR/NUF) AM Ta VNE C 100 AM, Ta, VNE e C : Varáves anterormente defndas. Percentual varável, períodos varáves (datas mputadas), sobre valor remanescente (VNA VAR/NUF) AM Ta VNA 100 AM, Ta e VNA: Varáves anterormente defndas. Valor fnancero da amortzação AM VF AM Q AM VF : Valor Fnancero da amortzação, com 2 (duas) casas decmas, sem arred. Q: Quantdade de atvos em custóda do partcpante. AM : Varável anterormente defnda. Valor Nomnal Remanescente após cada amortzação VNR VNA AM VNR: Valor Remanescente após a -ésma amortzação, calculado com 8 (oto) casas decmas, sem arredondamento. AM e VNA: Varáves anterormente defndas. Obs: Após o pagamento da -ésma parcela de amortzação VNR assume o lugar de VNB (Valor Nomnal base) para efeto de atualzação. Últma atualzação: 27/05/

28 Tabela Prce para CCB/CCE/NCE Prefxado Ao realzar o regstro de um CCB/CCE/NCE Prefxado com uso da Tabela Prce, o sstema calcula o valor da prestação (p) de acordo com o sstema francês de amortzação (Tabela Prce) e o desmembra nos eventos de juros e de amortzações. a) Perodcdade de Correção Dára. O valor dos juros entre pagamentos é atualzado daramente, por das útes ou corrdos, conforme defndo em sua característca. b) Forma de Pagamento Tabela Prce para CCB/CCE/NCE prefxada. c) Combnações possíves na utlzação dos campos Crtéros de cálculo de juros 252 número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x número das útes entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo 360 número das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo 365 número das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Fluxo da Tabela Prce: parcela a cada n mês n mês n mês n da útl n da corrdo n da corrdo d) CCB/CCE/NCE com uso da tabela prce com prazo de carênca Quando o período entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data do prmero pagamento de eventos for maor que a perodcdade de pagamento, confgurando uma carênca, deverá ocorrer um evento de ncorporação de juros, um período anteror à prmera data de eventos, (data nformada no campo a partr ). O valor de emssão será acrescdo de juros calculado para o atvo relatvo ao período entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação, Últma atualzação: 27/05/

29 período defndo como período de carênca. Deve ser nformado no campo ncorpora juros a opção e a data de ncorporação no campo em: e) Total de prestações (amortzações + juros) da Tabela Prce O número total de eventos de amortzações e juros será determnado pela dvsão do prazo entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, ou de ncorporação de juros (caso de atvo com carênca) e a data de vencmento, pelo valor nformado no campo a cada (período defndo para ocorrênca dos eventos), como defndo abaxo: e.1) Número Total de Prestações (NTP) P NTP P total evento NTP Número ntero do total de prestações. P total = Período total entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, ou ncorporação, se houver, e vencmento, na expressão da perodcdade escolhda (meses, das útes ou das corrdos). P evento = Período entre eventos, valor do campo parcela a cada, no Fluxo da Tabela Prce. e.1.1) Quando a perodcdade escolhda for em número de meses: T NTP Mes meses a cada T meses = Número de meses entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de vencmento ou entre data de ncorporação, se houver, e a data de vencmento. Mês a cada = Número de meses da perodcdade de pagamento de eventos nformado no campo parcela a cada no Fluxo da Tabela Prce. e.1.2) Quando a perodcdade escolhda for em das: T NTP Das das a cada Últma atualzação: 27/05/

30 T das = Número de das corrdos ou útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de vencmento ou entre a data de ncorporação, se houver, e a data de vencmento. Das a cada = Número de das nformado no campo parcela a cada, nformado no Fluxo da Tabela Prce. f) Equvalênca da taxa de juros - prce f.1) 360 número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 30 Parcela a cada: n mês prce f.2) n x número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 30 Parcela a cada: n mês prce f.3) n x número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 21 Parcela a cada: n mês prce f.4) n x número das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Parcela a cada: n da corrdo prce f.5) dc número das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Parcela a cada: n da corrdo prce f.6) dc número das útes entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Parcela a cada: n da útl Últma atualzação: 27/05/

31 prce du Onde: prce = taxa utlzada para obtenção da prestação na tabela prce, com 9 (nove) casas decmas com arredondamento. n: número de meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo. dc: número de das corrdos entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo. du: número de das útes entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo. : Taxa de juros, nformada com 4 (quatro) casas decmas. g) Valor da prestação na tabela prce (amortzação mas juros) P VNE 1 (1 prce prce ) NTP P: Valor da prestação, com 8 (oto) casas decmas sem arredondamento. VNE: Valor Nomnal de Emssão ou valor após ncorporação de juros, se houver, nformado com 8 (oto) casas decmas. NTP: número total de prestações, NTP é um número ntero. prce : taxa utlzada para obtenção da prestação na tabela prce, com 9 (nove) casas decmas com arredondamento. (1 ) prce NTP : calculado com 9 (nove) casas decmas com arredondamento. 1 (1 prce prce ) NTP : calculado com 9 (nove) casas decmas com arredondamento. h) Ajuste do Valor de VNE quando houver carênca e ncorporação de juros VNE ajt VNE VNE FatordeJuros1 VNE: Valor Nomnal de Emssão, nformado com 8 (oto) casas decmas. VNe ajt : Valor Nomnal de Emssão após ajuste da ncorporação de juros, calculado com 8 (oto) casas decmas sem arredondamento. Últma atualzação: 27/05/

32 Fator de Juros: Fator de juros fxos, apurado da data de emssão, ou data de níco de rentabldade, até a data de ncorporação, calculado com 9 (nove) casas decmas, com arredondamento. Cálculo do fator de juros de acordo com o crtéro de cálculo de juros 252 número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 21 a) Para atvos com datas casadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, concde com a data de anversáro mensal (da da data de vencmento em cada mês). Fator de Juros nº de meses : Taxa de juros expressa em 252 das útes, nformada com 4 (quatro) casas decmas. nº de meses: Número de meses ntero entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação. : Número de das útes exstente no número de meses nformado. : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação. b) Para atvos com datas descasadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, não concde com a data de anversáro mensal (da da data de vencmento em cada mês). Quando a data de ncorporação for gual a prmera data de anversáro logo após a data de emssão, ou data de níco de rentabldade: Fator de Juros pro rata pro rata Quando a data de ncorporação for posteror a prmera data de anversáro logo após a data de emssão, ou data de níco de rentabldade: Últma atualzação: 27/05/

33 Fator de Juros pro rata pro rata nº de meses : Taxa de juros expressa em 252 das útes, nformada com 4 (quatro) casas decmas; pro-rata : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro mensal medatamente posteror; pro-rata : Número de das útes entre a data de anversáro mensal medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade; nº de meses: Número de meses ntero entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data da ncorporação. : Número de das útes entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de cálculo. : Número de das útes entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação. 360 número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 30 ou 365 número meses entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo x 30 a) Para atvos com datas casadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, concde com a data de anversáro mensal (da da data de vencmento em cada mês). Fator de Juros nº de meses ou365 : Taxa de juros expressa em 360 ou 365 das, nformada com 4 (quatro) casas decmas; nº de meses: Número de meses ntero entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação. : Número de das útes exstente no número de meses nformado. : Número de das útes entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação. Últma atualzação: 27/05/

34 b) Para atvos com datas descasadas: Atvos em que a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, não concde com a data de anversáro mensal (da da data de vencmento em cada mês). Quando a data de ncorporação for gual a prmera data de anversáro logo após a data de emssão, ou data de níco de rentabldade: Fator de Juros ou365 pro rata pro rata Quando a data de ncorporação for posteror a prmera data de anversáro logo após a data de emssão, ou data de níco de rentabldade: Fator de Juros ou365 pro rata pro rata nº de meses ou365 : Taxa de juros expressa em 360 ou 365 das, nformada com 4 (quatro) casas decmas; pro-rata : Número de das corrdos entre a data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro mensal medatamente posteror; pro-rata : Número de das corrdos entre a data de anversáro mensal medatamente anteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade; nº de meses: Número de meses ntero entre a data de anversáro medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data da ncorporação. : Número de das corrdos entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de cálculo. : Número de das corrdos entre o prmero anversáro mensal medatamente posteror à data de emssão, ou data de níco de rentabldade, e a data de ncorporação. 252 número de das útes entre a data de níco ou últmo pagamento e o próxmo Últma atualzação: 27/05/

Elaboração: Novembro/2005

Elaboração: Novembro/2005 Elaboração: Novembro/2005 Últma atualzação: 18/07/2011 Apresentação E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos referentes às Cédulas

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Notas Comerciais Cetip21

Caderno de Fórmulas. Notas Comerciais Cetip21 Notas Comercas Cetp21 Últma Atualzação: 22/12/2015 E ste Caderno tem por objetvo nformar aos usuáros a metodologa e os crtéros de precsão dos cálculos de valorzação de Notas Comercas. É acatado regstro

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Títulos do Agronegócio - Cetip21 CDCA, CPR, CRA, CRH, CRP, CRPH, LCA, NCR

Caderno de Fórmulas. Títulos do Agronegócio - Cetip21 CDCA, CPR, CRA, CRH, CRP, CRPH, LCA, NCR Caderno de Fórmulas Títulos do Agronegóco - Cetp21 CDCA, CPR, CRA, CRH, CRP, CRPH, LCA, NCR Últma Atualzação: 15/08/2016 Caderno de Fórmulas CDCA CPR CRA - CRH CRP CRPH LCA NCR E ste Caderno de Fórmulas

Leia mais

Elaboração: Fevereiro/2008

Elaboração: Fevereiro/2008 Elaboração: Feverero/2008 Últma atualzação: 19/02/2008 E ste Caderno de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de precsão utlzados na atualzação das Letras

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N.º 273. Ref.: Alterações decorrentes do Projeto de Padronização de Taxas

CARTA-CIRCULAR N.º 273. Ref.: Alterações decorrentes do Projeto de Padronização de Taxas CARTA-CIRCULAR N.º 273 Aos Partcpantes de Todos os Sstemas Ref.: Alterações decorrentes do Projeto de Padronzação de Taxas A Central de Custóda e de Lqudação Fnancera de Títulos - CETIP comunca que a partr

Leia mais

Pricing e Marcação a Mercado www.cyrnel.com.br

Pricing e Marcação a Mercado www.cyrnel.com.br Prcng e Marcação a Mercado Cyrnel Internatonal Este documento tem caráter meramente nformatvo e fo preparado com base em nformações públcas. As nformações aqu apresentadas foram obtdas de fontes consderadas

Leia mais

PREÇO UNITÁRIO DE DEBÊNTURES METODOLOGIA DE CÁLCULO

PREÇO UNITÁRIO DE DEBÊNTURES METODOLOGIA DE CÁLCULO PREÇO UNITÁRIO DE DEBÊNTURES METODOLOGIA DE CÁLCULO Itrodução Cosoldado o projeto de Precfcação de Debêtures, que dvulga formações de taxas referecas para o mercado secudáro desde mao de 2004, e date do

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Swap

Caderno de Fórmulas. Swap Swap Elaboração: Abrl/25 Últma Atualzação: 5/4/216 Apresetação O adero de Fórmulas tem por objetvo oretar os usuáros do Módulo de, a compreesão da metodologa de cálculo e dos crtéros de precsão usados

Leia mais

Elaborado: 2002 Ultima atualização: 23/12/2004

Elaborado: 2002 Ultima atualização: 23/12/2004 Elaborado: 2002 Ultma atualzação: 23/12/2004 Cadero de Fórmulas Apresetação Sstema Nacoal de Atvos E ste Cadero de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de cálculo e os crtéros de

Leia mais

Probabilidade e Estatística. Correlação e Regressão Linear

Probabilidade e Estatística. Correlação e Regressão Linear Probabldade e Estatístca Correlação e Regressão Lnear Varáves Varável: característcas ou tens de nteresse de cada elemento de uma população ou amostra Também chamada parâmetro, posconamento, condção...

Leia mais

CÁLCULO DA DIRECTRIZ

CÁLCULO DA DIRECTRIZ CÁCUO DA DIRECTRIZ I - Elementos de defnção da polgonal de apoo: - Coordenadas dos vértces da polgonal (M, P ); - Dstânca entre vértces da polgonal ( d); - Rumos dos alnhamentos (ângulo que fazem com a

Leia mais

Manual de Precificação

Manual de Precificação Manual de Precfcação Custóda Qualfcada Revsão: Mao de 200 Págna /80 Objetvos Introdução O objetvo deste manual é a descrção da estrutura, prncípos e crtéros dos servços de marcação a mercado prestados

Leia mais

Caderno de Fórmulas. CDBs, DIs, DPGE, LAM, LC, LF, LFS, LFSC, LFSN, IECI e RDB. Última atualização:30/09/2015 1

Caderno de Fórmulas. CDBs, DIs, DPGE, LAM, LC, LF, LFS, LFSC, LFSN, IECI e RDB. Última atualização:30/09/2015 1 Última atualização:30/09/2015 1 E ste Caderno de Fórmulas tem por objetivo informar aos usuários a metodologia e os critérios de precisão dos cálculos aplicados aos ativos: Certificado de Depósito Bancário

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Debêntures Cetip21

Caderno de Fórmulas. Debêntures Cetip21 Última Atualização: 01/04/2016 E ste Cadero tem por objetivo iformar aos usuários a metodologia e os critérios de precisão dos cálculos implemetados Para Debêtures o Cetip21. São aqui apresetadas fórmulas

Leia mais

NTN-D NTN-H NTN-I NTN-M NTN-P NTN-R2

NTN-D NTN-H NTN-I NTN-M NTN-P NTN-R2 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. LISTA DE SIGLAS E SÍMBOLOS... 2 3. Bônus do Tesouro Nacional BTN... 4 4. Letras Financeiras do Tesouro LFT... 7 4.1 Letras Financeiras do Tesouro Série A LFT-A... 9 4.2

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE Aprova as Normas Geras do Processo Seletvo para

Leia mais

7 - Distribuição de Freqüências

7 - Distribuição de Freqüências 7 - Dstrbução de Freqüêncas 7.1 Introdução Em mutas áreas há uma grande quantdade de nformações numércas que precsam ser dvulgadas de forma resumda. O método mas comum de resumr estes dados numércos consste

Leia mais

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA Metodologa IHFA - Índce de Hedge Funds ANBIMA Versão Abrl 2011 Metodologa IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA 1. O Que é o IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA? O IHFA é um índce representatvo da ndústra de hedge

Leia mais

Preço Base = 2,581 US$/MMBTU x TMD 0

Preço Base = 2,581 US$/MMBTU x TMD 0 Portara Intermnsteral MME/MF/nº 176, de 01 de junho de 2001. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA E DA FAZENDA, no uso das atrbuções que lhes são conferdas pelo art. 87, parágrafo únco, ncso II, da

Leia mais

MÉTODO DE FIBONACCI. L, em que L

MÉTODO DE FIBONACCI. L, em que L Métodos de bonacc e da Seção Aúrea Adotando a notação: MÉTODO DE IBOACCI L e L L, em que L b a, resulta a: ncal orma Recursva: ara,,, - (-a) ou ara,,, - (-b) A esta equação se assoca a condção de contorno

Leia mais

Medidas de tendência central. Média Aritmética. 4ª aula 2012

Medidas de tendência central. Média Aritmética. 4ª aula 2012 Estatístca 4ª aula 2012 Meddas de tendênca central Ajudam a conhecer a analsar melhor as característcas de dados colhdos. Chamamos de meddas de tendênca central em decorrênca dos dados observados apresentarem

Leia mais

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES. CONCORRÊNCIA nº /12-SMT Processo Administrativo nº 2010-0.349.

PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES. CONCORRÊNCIA nº /12-SMT Processo Administrativo nº 2010-0.349. SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES MINUTA Fls.... do PA nº 2010-0.349.079-0, (a)... PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTES CONCORRÊNCIA nº /12-SMT Processo Admnstratvo nº

Leia mais

ANEXO II METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X

ANEXO II METODOLOGIA E CÁLCULO DO FATOR X ANEXO II Nota Técnca nº 256/2009-SRE/ANEEL Brasíla, 29 de julho de 2009 METODOLOGIA E ÁLULO DO FATOR X ANEXO II Nota Técnca n o 256/2009 SRE/ANEEL Em 29 de julho de 2009. Processo nº 48500.004295/2006-48

Leia mais

www.obconcursos.com.br/portal/v1/carreirafiscal

www.obconcursos.com.br/portal/v1/carreirafiscal www.obconcursos.com.br/portal/v1/carrerafscal Moda Exercíco: Determne o valor modal em cada um dos conjuntos de dados a segur: X: { 3, 4,, 8, 8, 8, 9, 10, 11, 1, 13 } Mo 8 Y: { 10, 11, 11, 13, 13, 13,

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS DE ESTATÍSTICA MÓDULO 2 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA - ELEMENTOS Prof. Rogério Rodrigues

CONCEITOS INICIAIS DE ESTATÍSTICA MÓDULO 2 DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA - ELEMENTOS Prof. Rogério Rodrigues CONCEITOS INICIAIS DE ESTATÍSTICA MÓDULO DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA - ELEMENTOS Prof. Rogéro Rodrgues I) TABELA PRIMITIVA E DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA : No processo de amostragem, a forma de regstro mas

Leia mais

Pagamento de complemento de salário-maternidade, considerando que este valor deve ser deduzido da guia de INSS, pois é pago pelo INSS.

Pagamento de complemento de salário-maternidade, considerando que este valor deve ser deduzido da guia de INSS, pois é pago pelo INSS. Complemento Salarial Licença Maternidade Abaixo estão descritas as regras do sistema para cálculo do complemento de salário-maternidade, no complemento salarial e na rescisão complementar por Acordo/Convenção/Dissídio:

Leia mais

Cálculo do Conceito ENADE

Cálculo do Conceito ENADE Insttuto aconal de Estudos e Pesqusas Educaconas Aníso Texera IEP Mnstéro da Educação ME álculo do onceto EADE Para descrever o cálculo do onceto Enade, prmeramente é mportante defnr a undade de observação

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Títulos Públicos - Cetip 21

Caderno de Fórmulas. Títulos Públicos - Cetip 21 Cadero de Fórmulas Títulos Públcos - Cetp 21 Últma Atualzação: 21/06/2017 Cadero de Fórmulas Apresetação Títulos Públcos E ste Cadero de Fórmulas tem por objetvo esclarecer aos usuáros a metodologa de

Leia mais

Probabilidade: Diagramas de Árvore

Probabilidade: Diagramas de Árvore Probabldade: Dagramas de Árvore Ana Mara Lma de Faras Departamento de Estatístca (GET/UFF) Introdução Nesse texto apresentaremos, de forma resumda, concetos e propredades báscas sobre probabldade condconal

Leia mais

A esse tipo de tabela, cujos elementos não foram numericamente organizados, denominamos tabela primitiva.

A esse tipo de tabela, cujos elementos não foram numericamente organizados, denominamos tabela primitiva. Dstrbução de Frequênca Tabela prmtva ROL Suponhamos termos feto uma coleta de dados relatvos à estaturas de quarenta alunos, que compõem uma amostra dos alunos de um colégo A, resultando a segunte tabela

Leia mais

Exercícios resolvidos do livro: Matemática Financeira Aplicada em Análise da Viabilidade de Projetos com HP-12C e Excel Célio Tavares

Exercícios resolvidos do livro: Matemática Financeira Aplicada em Análise da Viabilidade de Projetos com HP-12C e Excel Célio Tavares Exercício 9 Número de períodos - Nper 6 Preço à vista - VP 1.800,00 Parcela - PGTO 332,28 Tipo 0 Taxa 3% Exercício 10 Preço à vista - VP 15.000,00 Número de períodos - Nper 24,00 Parcela - PGTO 750,00

Leia mais

Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia

Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia Contrato de Swap Cambial com Ajuste Periódico Baseado em Operações Compromissadas de Um Dia Especificações 1. Definições Contrato (especificações): Contrato negociado: Posição Atualizada do Dia: Ponta

Leia mais

Coordenação de Semáforos

Coordenação de Semáforos Paragem dos Veículos Veículos "Lbertados" Paragem dos Veículos Veículos "Lbertados" "Agrupamento " Pelotões "Agrupamento " Pelotões C O O R D E N A Ç Ã O Onda Verde... IST/ Lcencaturas em Engª Cvl & Terrtóro

Leia mais

4 Capitalização e Amortização Compostas

4 Capitalização e Amortização Compostas 4.1 Itrodução Quado queremos fazer um vestmeto, podemos depostar todos os meses uma certa quata em uma cadereta de poupaça; quado queremos comprar um bem qualquer, podemos fazê-lo em prestações, a serem

Leia mais

CAPÍTULO 1 Exercícios Propostos

CAPÍTULO 1 Exercícios Propostos CAPÍTULO 1 Exercícos Propostos Atenção: Na resolução dos exercícos consderar, salvo menção em contráro, ano comercal de das. 1. Qual é a taxa anual de juros smples obtda em uma aplcação de $1.0 que produz,

Leia mais

Autores: Dani Gamerman (IM-UFRJ) Oswaldo Gomes de Souza Junior (SERPROS)

Autores: Dani Gamerman (IM-UFRJ) Oswaldo Gomes de Souza Junior (SERPROS) Prevsões de partdas de futebol usando modelos dnâmcos Autores: Dan Gamerman (IM-UFRJ) Oswaldo Gomes de Souza Junor (SERPROS) Alguns resultados que poderemos responder: Resultados dos jogos futuros; Quantos

Leia mais

ESTATÍSTICA. na Contabilidade Revisão - Parte 2. Medidas Estatísticas

ESTATÍSTICA. na Contabilidade Revisão - Parte 2. Medidas Estatísticas 01/09/01 ESTATÍSTICA na Contabldade Revsão - Parte Luz A. Bertolo Meddas Estatístcas A dstrbução de frequêncas permte-nos descrever, de modo geral, os grupos de valores (classes) assumdos por uma varável.

Leia mais

17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES)

17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) 17.1. Depósitos à ordem Contas à ordem 0,000% 28,00% no Os juros obtidos estão sujeitos a retenção na fonte de imposto sobre o rendimento, à taxa que estiver em vigor na data de pagamento de juros. e (2)

Leia mais

Introdução e Organização de Dados Estatísticos

Introdução e Organização de Dados Estatísticos II INTRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS 2.1 Defnção de Estatístca Uma coleção de métodos para planejar expermentos, obter dados e organzá-los, resum-los, analsá-los, nterpretá-los e deles extrar

Leia mais

Critérios de divisibilidade em bases numéricas genéricas

Critérios de divisibilidade em bases numéricas genéricas Crtéros de dvsbldade em bases numércas genércas Clezo A. Braga 1 Jhon Marcelo Zn 1 Colegado do Curso de Matemátca - Centro de Cêncas Exatas e Tecnológcas da Unversdade Estadual do Oeste do Paraná Caxa

Leia mais

CAPÍTULO 1 MATEMÁTICA Revisão de Conceitos Básicos

CAPÍTULO 1 MATEMÁTICA Revisão de Conceitos Básicos CAPÍTULO 1 MATEMÁTICA Revisão de Conceitos Básicos Exercício 1.1.: Achar o valor de X: 3 (2X 4) = 2 (X + 2) Exercício 1.2.: Achar o valor de X: 3X 3 = 8 4 Matemática Financeira 1 Exercício 1.3.: Comprei

Leia mais

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação Mnstéro da Educação Insttuto Naconal de Estudos e Pesqusas Educaconas Aníso Texera Cálculo do Conceto Prelmnar de Cursos de Graduação Nota Técnca Nesta nota técnca são descrtos os procedmentos utlzados

Leia mais

METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO EFICIENTE (ICO2)

METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO EFICIENTE (ICO2) METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO Abrl/2015 [data] METODOLOGIA DO ÍNDICE CARBONO O ICO2 é o resultado de uma cartera teórca de atvos, elaborada de acordo com os crtéros estabelecdos nesta metodologa. Os índces

Leia mais

Aportes Esporádicos e Contribuições Únicas. 2ª a 12ª. 1% sobre contribuição

Aportes Esporádicos e Contribuições Únicas. 2ª a 12ª. 1% sobre contribuição Rio de Janeiro, 3 de julho de 2008 Ref.: Comissionamento Corretores Segue a atualização dos percentuais de comissões previstos para os produtos abaixo relacionados, válidos para propostas implantadas a

Leia mais

Variáveis Indicadoras. Roteiro. Introdução

Variáveis Indicadoras. Roteiro. Introdução Varáves Indcadoras Rotero 1. Introdução 2. Varável Bnára de Intercepto 3. Varável de Interação 4. Aplcação 5. Varáves Qualtatvas com Váras Categoras 6. Referêncas Introdução Varáves Bnáras Modelo estenddo

Leia mais

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados Preço médio de locação inicia 2016 em queda de 0,16% Resultado de janeiro leva o Índice FipeZap de Locação a mostrar a nona queda nominal seguida na comparação com o mês anterior Os preços de locação iniciaram

Leia mais

Relação entre a Alavancagem Operacional e a Volatilidade do Lucro das Instituições Bancárias no Brasil

Relação entre a Alavancagem Operacional e a Volatilidade do Lucro das Instituições Bancárias no Brasil Relação entre a Alavancagem Operaconal e a Volatldade do Lucro das Insttuções Bancáras no Brasl Paulo Roberto Barbosa Lustosa José Alves Dantas Humberto Carlos Zendersky Lus Gustavo do Lago Quntero Resumo:

Leia mais

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma.

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA AV. FERNANDO FERRARI, 514 - GOIABEIRAS 29075-910 VITÓRIA - ES PROF. ANDERSON COSER GAUDIO FONE: 4009.7820 FAX: 4009.2823

Leia mais

2012. Banco do Brasil S.A. 3 a Edição

2012. Banco do Brasil S.A. 3 a Edição MANUAL DE MARCAÇÃO A MERCADO Agosto/2012 2012. Banco do Brasl S.A. 3 a Edção INTRODUÇÃO... 6 I. PRINCÍPIOS GERAIS DA MARCAÇÃO A MERCADO 6 II. OCORRÊNCIA DE RISCO SISTÊMICO E DE MERCADO 7 III. ESTRUTURAS

Leia mais

Escola Secundária de Lousada Ficha de trabalho de Matemática do 7º ano nº Data: / / 2011 Assunto: Tratamento de dados I Lições nº, e,

Escola Secundária de Lousada Ficha de trabalho de Matemática do 7º ano nº Data: / / 2011 Assunto: Tratamento de dados I Lições nº, e, Escola Secundára de Lousada Fcha de trabalho de Matemátca do 7º ano nº Data: / / 2011 Assunto: Tratamento de dados I Lções nº, e, Estatístca é um ramos da Matemátca que permte fazer um estudo de uma forma

Leia mais

Curso técnico Integrado de Administração

Curso técnico Integrado de Administração Curso técnico Integrado de Administração Desconto Simples Comercial ou Bancário (Por Fora) Desconto é o abatimento no valor de um título de crédito que pode ser: Letra de câmbio Fatura Duplicata Nota promissória

Leia mais

ESTIMATIVA DO VIÉS DE SUBSTITUIÇÃO NA INFLAÇÃO AO CONSUMIDOR E SEU IMPACTO NA PREVIDÊNCIA. Andres Rojas. Vera Lucia Fava

ESTIMATIVA DO VIÉS DE SUBSTITUIÇÃO NA INFLAÇÃO AO CONSUMIDOR E SEU IMPACTO NA PREVIDÊNCIA. Andres Rojas. Vera Lucia Fava ESTIMATIVA DO VIÉS DE SUBSTITUIÇÃO NA INFLAÇÃO AO CONSUMIDOR E SEU IMPACTO NA PREVIDÊNCIA Andres Roas Unversdade de São Paulo e Tendêncas Consultora Integrada Vera Luca Fava Unversdade de São Paulo Resumo

Leia mais

País (0101010101 + 0101010102 + 0101010103 + 0101010104 + 0101010105 + 0101010106). 0101010101 Exposição Ativa Comprada em Dólares dos EUA

País (0101010101 + 0101010102 + 0101010103 + 0101010104 + 0101010105 + 0101010106). 0101010101 Exposição Ativa Comprada em Dólares dos EUA Instruções de Preenchimento do documento 2011 (versão de 01/07/2008) Código Nome Descrição 0101010000 Total da Exposição Somatório do Total da Exposição Ativa Comprada na Cesta de Moedas no Ativa Comprada

Leia mais

Em muitas aplicações, estamos interessados em subgrafos especiais de um determinado grafo.

Em muitas aplicações, estamos interessados em subgrafos especiais de um determinado grafo. .4 Árvores Geradoras Em mutas aplcações estamos nteressados em subgrafos especas de um determnado grafo. Defnção Árvore Geradora - uma árvore T é chamada de árvore geradora de um grafo G se T é um subgrafo

Leia mais

COMUNICADO SNA Nº 010/01. Ref.: Trata do registro de Cédulas de Crédito Bancário CCB e de Certificados de Cédulas de Crédito Bancário CCCB.

COMUNICADO SNA Nº 010/01. Ref.: Trata do registro de Cédulas de Crédito Bancário CCB e de Certificados de Cédulas de Crédito Bancário CCCB. COMUNICADO SNA Nº 010/01 Aos Participantes do Sistema Nacional de Ativos SNA Ref.: Trata do registro de Cédulas de Crédito Bancário CCB e de Certificados de Cédulas de Crédito Bancário CCCB. A Central

Leia mais

UM PROCEDIMENTO PARA CALCULAR ÍNDICES A PARTIR DE UMA BASE DE DADOS MULTIVARIADOS

UM PROCEDIMENTO PARA CALCULAR ÍNDICES A PARTIR DE UMA BASE DE DADOS MULTIVARIADOS Vol. 21, No. 1, p. 107-117, junho de 2001 Pesqusa Operaconal 107 UM PROCEDIMENTO PARA CALCULAR ÍNDICES A PARTIR DE UMA BASE DE DADOS MULTIVARIADOS Luca Slva Kubrusly Insttuto de Economa /UFRJ Av. Pasteur,

Leia mais

Lista de exercício nº 1 Juros simples e compostos*

Lista de exercício nº 1 Juros simples e compostos* Lista de exercício nº 1 Juros simples e compostos* 1. Um investidor aplicou $1.000,00 numa instituição financeira que remunera seus depósitos a uma taxa de 5 % ao trimestre, no regime de juros simples.

Leia mais

CESTA DE MOEDAS DO BNDES

CESTA DE MOEDAS DO BNDES CESTA DE MOEDAS DO BNDES Ídce 1.Regulametação...pág..Decomposção da Cesta de Moedas do BNDES...pág. 3. Metodologa de Cálculo dos Cotratos do BNDES atrelados à Cesta de Moedas do BNDES.....pág.4 4.Sítese...pág.7

Leia mais

Tensão, Corrente Elétrica e Resistência Elétrica

Tensão, Corrente Elétrica e Resistência Elétrica Tensão, Corrente Elétrca e Resstênca Elétrca Bblografa: Instalações Elétrcas Predas Geraldo Cavaln e Severno Cerveln Capítulo 1. Instalações Elétrcas Hélo Creder Capítulo 2. Curso de Físca Volume 3 Antôno

Leia mais

Y = AN α, 0 < α < 1 (1) Π = RT CT = P Y W N (2) Π/ N = α N α -1 AP W = 0. W = α P AN α -1. P = W/α AN α -1

Y = AN α, 0 < α < 1 (1) Π = RT CT = P Y W N (2) Π/ N = α N α -1 AP W = 0. W = α P AN α -1. P = W/α AN α -1 Gabarto da Lsta 1 de Macro II 2008.01 1 a Questão a)falso, pode ocorrer que a força de trabalho cresça juntamente com o número de empregados. Se a Força de trabalho crescer mas que o número de empregados

Leia mais

CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários. Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagamentos Data: 16/11/2015

CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários. Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagamentos Data: 16/11/2015 1 CRI Certificados de Recebíveis Imobiliários Guia para Elaboração dos Fluxos de Pagametos Data: 16/11/2015 Sumário/Ídice CRI - CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS... 1 SUMÁRIO/ÍNDICE... 2 1. OBJETIVO...

Leia mais

Caderno de Debêntures

Caderno de Debêntures Caderno de Debêntures CMGD11 Cemig Distribuição Valor Nominal na Emissão: R$ 10.871,60 Quantidade Emitida: 23.042 Emissão: 1/6/2006 Vencimento: 2/6/2014 Classe: Não Conversível Forma: Escritural Espécie:

Leia mais

Dúvidas mais frequentes no 13º salário

Dúvidas mais frequentes no 13º salário Dúvidas mais frequentes no 13º salário COMO O SISTEMA CALCULA O 13º SALÁRIO NO PERSONA GOLD? 1º. Busca o Total de Horas Extras (HE) e divide pelo número de meses trabalhados, menos 1, pois o mês de cálculo

Leia mais

Comprimento de Arco. Comprimento de Arco

Comprimento de Arco. Comprimento de Arco UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I Comprmento de Arco

Leia mais

Caderno de Fórmulas. Opções Flexíveis

Caderno de Fórmulas. Opções Flexíveis Última Atualização: 01/06/2016 Apresentação O Caderno de Fórmulas tem por objetivo orientar os usuários dos contratos de Opção Flexível sobre Taxa de Câmbio, dos contratos de Opção Flexível sobre Ações

Leia mais

Regressão e Correlação Linear

Regressão e Correlação Linear Probabldade e Estatístca I Antono Roque Aula 5 Regressão e Correlação Lnear Até o momento, vmos técncas estatístcas em que se estuda uma varável de cada vez, estabelecendo-se sua dstrbução de freqüêncas,

Leia mais

1ª e 2ª leis da termodinâmica

1ª e 2ª leis da termodinâmica 1ª e 2ª les da termodnâmca 1ª Le da Termodnâmca Le de Conservação da Energa 2ª Le da Termodnâmca Restrnge o tpo de conversões energétcas nos processos termodnâmcos Formalza os concetos de processos reversíves

Leia mais

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS.

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS. Snas Lumnosos 1-Os prmeros snas lumnosos Os snas lumnosos em cruzamentos surgem pela prmera vez em Londres (Westmnster), no ano de 1868, com um comando manual e com os semáforos a funconarem a gás. Só

Leia mais

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO

SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO Orientações sobre o recolhimento dos valores devidos em face dos Contratos de Transição 1. Do Valor Devido 2. Do Recolhimento 2.1. Recolhimento por GRU Simples 2.2. Recolhimento

Leia mais

PROJETO DE LEI DA CÂMARA N. 125/2015 EMENDA MODIFICATIVA N

PROJETO DE LEI DA CÂMARA N. 125/2015 EMENDA MODIFICATIVA N PROJETO DE LEI DA CÂMARA N. 125/2015 EMENDA MODIFICATIVA N O caput e 1º a 3º do artigo 18 e os Anexos I a V da Lei Complementar nº 123, de 2006, na forma prevista no art. 1º e Anexos I a VI do PLC 125/2015,

Leia mais

COMUNICADO SPR N.º 002/94

COMUNICADO SPR N.º 002/94 COMUNICADO SPR N.º 002/94 Aos Participantes do Sistema de Proteção Contra Riscos Financeiros SPR A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos CETIP, informa os procedimentos a serem adotados

Leia mais

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA FINANCEIRA RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Caro aluno, Disponibilizo abaixo a resolução resumida das questões de Matemática Financeira da prova de Auditor da SEFAZ/PI 2015. Vale dizer que utilizei

Leia mais

O valor nominal do título é de R$ 500,00, a taxa é de 1% ao mês e o prazo é de 45 dias = 1,5 mês.

O valor nominal do título é de R$ 500,00, a taxa é de 1% ao mês e o prazo é de 45 dias = 1,5 mês. 13. (ISS-Cuiabá 2016/FGV) Suponha um título de R$ 500,00, cujo prazo de vencimento se encerra em 45 dias. Se a taxa de desconto por fora é de 1% ao mês, o valor do desconto simples será igual a a) R$ 7,00.

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU GUIÃO DE PONDERAÇÃO CURRICULAR PARA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE DO IPV

INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU GUIÃO DE PONDERAÇÃO CURRICULAR PARA AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE DO IPV ISTITUTO POLITÉCICO DE VISEU GUIÃO DE PODERAÇÃO CURRICULAR PARA AVALIAÇÃO DO DESEMPEHO DO PESSOAL DOCETE DO IPV - Dmensão Centífca O desempenho da dmensão centífca é avalado, em cada ano do período de

Leia mais

b. As medidas de posição mais importantes são as medidas de tendência central. Dentre elas, destacamos: média aritmética, mediana, moda.

b. As medidas de posição mais importantes são as medidas de tendência central. Dentre elas, destacamos: média aritmética, mediana, moda. Meddas de Posção Introdução a. Dentre os elementos típcos, destacamos aqu as meddas de posção _ estatístcas que representam uma sére de dados orentando-nos quanto à posção da dstrbução em relação ao exo

Leia mais

Salário Mínimo e Desigualdade Salarial: Um Estudo com Densidades Contrafactuais nas Regiões Metropolitanas Brasileiras

Salário Mínimo e Desigualdade Salarial: Um Estudo com Densidades Contrafactuais nas Regiões Metropolitanas Brasileiras Saláro Mínmo e Desgualdade Salaral: Um Estudo com Densdades Contrafactuas nas Regões Metropoltanas Brasleras Bruno Kawaoka Komatsu Naérco Aquno Menezes Flho Julho de 2014 Resumo Nos anos 2000 o mercado

Leia mais

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para Objetvos da aula Essa aula objetva fornecer algumas ferramentas descrtvas útes para escolha de uma forma funconal adequada. Por exemplo, qual sera a forma funconal adequada para estudar a relação entre

Leia mais

Netuno 4. Manual do Usuário. Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. Departamento de Engenharia Civil

Netuno 4. Manual do Usuário. Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. Departamento de Engenharia Civil Unversdade Federal de Santa Catarna UFSC Departamento de Engenhara Cvl Laboratóro de Efcênca Energétca em Edfcações - LabEEE Netuno 4 Manual do Usuáro Enedr Ghs Marcelo Marcel Cordova Floranópols, Junho

Leia mais

Adendo ao livro MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Autor: Hugo Medeiros de Goes

Adendo ao livro MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Autor: Hugo Medeiros de Goes Adendo ao livro MANUAL DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO Autor: Hugo Medeiros de Goes 1. ERRATA Página 180 No primeiro parágrafo do item 2.10.1 (Beneficiários): Onde se lê: Os beneficiários da pensão por morte

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDA

INSTRUMENTO PARTICULAR DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDA INSTRUMENTO PARTICULAR DE RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDA Por este instrumento particular de confissão de dívida e RENEGOCIAÇÃO, as partes abaixo qualificadas têm, entre si, justas e contratadas, a negociação da(s)

Leia mais

III - Início de Vigência Art. 3 - O Título entra em vigor na data do primeiro pagamento.

III - Início de Vigência Art. 3 - O Título entra em vigor na data do primeiro pagamento. Pé Quente Bradesco 10 Condições Gerais - Plano PM 60/60 G GLOSSÁRIO Subscritor - é a pessoa que subscreve a proposta de aquisição do Título, assumindo o compromisso de efetuar o pagamento na forma convencionada

Leia mais

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO, SALÁRIO DE BENEFÍCIO E RENDA MENSAL INICIAL CONCEITOS Professor: Anderson Castelucio CONCEITOS DE SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO Art. 214. Entende-se por salário-de-contribuição: I -

Leia mais

TAXAS DE JUROS. Como sabemos quando uma taxa é nominal?

TAXAS DE JUROS. Como sabemos quando uma taxa é nominal? TAXAS DE JUROS - é uma relação entre os juros pagos/recebidos no final de um período e o capital inicialmente aplicado/tomado independente do regime de capitalização; J.S. OU J.C. Taxa Nominal - é a taxa

Leia mais

LEIS DE KIRCHHOFF EM CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA

LEIS DE KIRCHHOFF EM CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNUA EXPERIÊNCI 04 LEIS DE KIRCHHOFF EM CIRCUITOS DE CORRENTE CONTÍNU 1. OBJETIVOS a) Determnar a força eletromotrz e a resstênca nterna de uma batera em um crcuto de malha únca. b) Calcular a resstênca nterna

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 62, DE 5 DE MAIO DE 2004

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 62, DE 5 DE MAIO DE 2004 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 62, DE 5 DE MAIO DE 2004 Estabelece os procedmentos para o cálculo do montante correspondente à energa de referênca de empreendmento de

Leia mais

Uma estimativa bayesiana aplicada aos casos notificados de hantavirose no estado do Pará via regressão logística

Uma estimativa bayesiana aplicada aos casos notificados de hantavirose no estado do Pará via regressão logística Uma estmatva bayesana aplcada aos casos notfcados de hantavrose no estado do Pará va regressão logístca Pâmela Tamrs Caldas Serra de Souza 1 Wagner Rogéro Ferrera Pnhero 1 Crstane Nazaré Pamplona de Souza

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE NEGOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS DELIBERAÇÃO Nº 19

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE NEGOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS DELIBERAÇÃO Nº 19 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE NEGOCIAÇÃO DE INSTRUMENTOS FINANCEIROS DELIBERAÇÃO Nº 19 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Negociação de Instrumentos Financeiros, no exercício

Leia mais

DUAS PARTICULARIDADES NA ANÁLISE DE NOVOS INVESTIMENTOS

DUAS PARTICULARIDADES NA ANÁLISE DE NOVOS INVESTIMENTOS DUAS PARTICULARIDADES NA ANÁLISE DE O que pode mudar quando se faz uma análise de sensibilidade da taxa de desconto Depreciação e inflação Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

Referências econômico-financeiras. Orientações sobre garantias financeiras e ativos garantidores

Referências econômico-financeiras. Orientações sobre garantias financeiras e ativos garantidores Referências econômico-financeiras Orientações sobre garantias financeiras e ativos garantidores 1 Índice: I. Objetivos 3 II. Lastro e Vinculação 4 III. Saldo de Ativos Garantidores para Provisão de Risco

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU: Resolução nº 3259, de 28 de janero de 2005. RESOLUÇÃO Nº 3259 Altera o dreconamento de recursos captados em depóstos de poupança pelas entdades ntegrantes do Sstema Braslero de Poupança e Empréstmo (SBPE).

Leia mais

Análise dos resíduos e Outlier, Alavancagem e Influência

Análise dos resíduos e Outlier, Alavancagem e Influência Análse dos resíduos e Outler, Alavancagem e Influênca Dagnóstco na análse de regressão Usadas para detectar problemas com o ajuste do modelo de regressão. Presença de observações mal ajustadas (pontos

Leia mais

Manual Sistema Débito Web

Manual Sistema Débito Web 1 Manual Sistema Débito Web A objetivo deste manual é orientar os usuários na utilização do novo sistema Débito, versão Web. Este sistema foi concebido para substituir o antigo Débito off-line no cálculo

Leia mais

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1

Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Programação de Computadores II TCC 00.174/Turma A 1 Professor Leandro A. F. Fernandes http://www.c.uff.br/~laffernandes Conteúdo: Introdução ao Java (exercícos) Materal elaborado pelos profs. Anselmo Montenegro

Leia mais

Contrato de Opção de Venda sobre Índice da Taxa Média de Operações Compromissadas de Um Dia (ITC) com Lastro em Títulos Públicos Federais

Contrato de Opção de Venda sobre Índice da Taxa Média de Operações Compromissadas de Um Dia (ITC) com Lastro em Títulos Públicos Federais Contrato de Opção de Venda sobre Índice da Taxa Média de Operações Compromissadas de Um Dia (ITC) com Lastro em Títulos Públicos Federais Especificações 1. Definições Contrato (especificações): Contrato

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SC Nota Fiscal Eletrônica de estorno emitida após o prazo previsto de cancelamento.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS-SC Nota Fiscal Eletrônica de estorno emitida após o prazo previsto de cancelamento. ICMS-SC Nota Fiscal Eletrônica de estorno emitida após o prazo previsto de 12/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Empregado comissionista puro como tratar se não atingir o piso da categoria

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Empregado comissionista puro como tratar se não atingir o piso da categoria Empregado comissionista puro como tratar se não atingir o piso da categoria 05/05/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnlesteMG Dscplna: Introdução à Intelgênca Artfcal Professor: Luz Carlos Fgueredo GUIA DE LABORATÓRIO LF. 01 Assunto: Lógca Fuzzy Objetvo: Apresentar o

Leia mais

PROVA DE ESTATÍSTICA & PROBABILIDADES SELEÇÃO MESTRADO/UFMG 2010/2011

PROVA DE ESTATÍSTICA & PROBABILIDADES SELEÇÃO MESTRADO/UFMG 2010/2011 Instruções: PROVA DE ESTATÍSTICA & PROBABILIDADES SELEÇÃO MESTRADO/UFMG 00/0 Cada uestão respondda corretamente vale (um) ponto. Cada uestão respondda ncorretamente vale - (menos um) ponto. Cada uestão

Leia mais

E-mails: damasceno1204@yahoo.com.br damasceno@interjato.com.br damasceno12@hotmail.com http://www. damasceno.info www. damasceno.info damasceno.

E-mails: damasceno1204@yahoo.com.br damasceno@interjato.com.br damasceno12@hotmail.com http://www. damasceno.info www. damasceno.info damasceno. Matemátca Fnancera 007. Prof.: Luz Gonzaga Damasceno E-mals: amasceno04@yahoo.com.br amasceno@nterjato.com.br amasceno@hotmal.com 5. Taxa Over mensal equvalente. Para etermnar a rentablae por a útl one

Leia mais

Receita Federal. Estudo das Convenções.

Receita Federal. Estudo das Convenções. Estudo das Convenções. 01. Calcule o montante da aplicação de R$ 10.000,00 por quatro meses e vinte dias, à taxa composta de 6% ao mês. Questões de Concursos 01. (Contador RJ) Um capital de R$ 200,00 foi

Leia mais