01/11/2013. Gestão de Pessoas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "01/11/2013. Gestão de Pessoas"

Transcrição

1 Gestão de Pessoas Tema 3: Planejamento Estratégico de Gestão de Pessoas Prof. Msc. Mônica Satolani O que estudar? Missão e Visão. Objetivos Organizacionais. Planejamento Estratégico Organizacional. Estratégia de RH. Modelos de Planejamento de RH. Fatores que Intervêm no Planejamento de RH. Apreciação Crítica do Planejamento de RH. Premissas do Planejamento Estratégico Toda organização existe com uma finalidade. Atuam com cooperação e competição com outras empresas. A estratégia organizacional é criada para interagir com o contexto ambiental da organização. 1

2 Premissas do Planejamento Estratégico A estratégia da organização é baseada e condicionada por: Missão organizacional. Visão do futuro. Valores. Objetivos da organização. Premissas do Planejamento Estratégico As empresas são compostas por pessoas que determinam características específicas que terão essa organização. A organização e os colaboradores irão mudar seus paradigmas uma apoiada pela outra. Premissas do Planejamento Estratégico Num cenário de mudanças e quebra de paradigmas as pessoas vão mudando. É necessário alinhar o comportamento organizacional com base na missão, valores, visão e objetivos da empresa. Essa é uma premissa para que o planejamento estratégico seja bem executado. 2

3 Missão Há vários conceitos para Missão. Todas as organizações têm uma missão a cumprir. Missão significa uma incumbência que se recebe, representa razão da existência de uma organização. Missão Uma definição da missão organizacional deve responder a três perguntas básicas: Quem somos nós? O que fazemos? E por que fazemos o que fazemos? Missão A missão deve ser conhecida pelos colaboradores assim como os objetivos essenciais da organização. Define por que a organização existe e para onde pretendem ir. 3

4 Missão As pessoas não poderão saber qual é o melhor caminho a seguir se não for por meio da missão. Deve ser disseminada a todos na organização. Missão A missão funciona como orientador para as atividades da organização. Ajuda a aglutinar os esforços dos seus membros. Serve para que fiquem claros os objetivos e facilita uma comunicação direta e clara. Missão A missão funciona como elemento impulsionador e inspirador. Deve refletir uma concordância interna de toda a organização. 4

5 Valores Valores são crenças básicas sobre o que se pode ou não fazer, sobre o que é ou não importante. São definidos pela organização. Muitas vezes podem diferir daquilo que os seus dirigentes acreditam ou valorizam no seu cotidiano. Deve-se buscar um alinhamento dos valores pessoais e organizacionais. Valores Valores são importantes e precisam ser demonstrados. Os líderes assumem um papel fundamental ao criar e sustentar a cultura organizacional por meio das suas ações, comentários e das decisões que adotam. Essas ações demonstram os valores. Visão A Visão é a opinião que a organização tem a respeito de si mesma e do seu futuro. É no que a empresa acredita, recursos que dispõe, tipo de relacionamento que deseja manter com seus clientes e mercado. 5

6 Visão O termo Visão é utilizado para descrever um sentido claro do futuro e a compreensão das ações necessárias para torná-lo rapidamente uma realidade. A empresa deve criar a visão e mantê-la sempre fresca na lembrança dos colaboradores. Visão A falta de visão dos negócios é prejudicial e desorienta a organização quanto às suas prioridades. A missão e a visão proporcionam os elementos básicos para a definição dos objetivos globais e a formulação da estratégia organizacional. Um pouco mais... 6

7 Antes de mais nada é importante compreender que o deve ser uma consequência da Estratégia da Organização. O planejamento estratégico de RH concilia os objetivos da organização com os objetivos dos funcionários. Auxilia e contribui para o alcance desses objetivos. A empresa precisa do conhecimento das pessoas para alcançar resultados. O planejamento estratégico de RH é desenhado para apoiar a organização no alcance de seus objetivos. Considera um determinado período de tempo. As bases do planejamento são a demanda e o fornecimento de pessoas para realizar o trabalho, alcançando assim os objetivos organizacionais. 7

8 A organização busca resultados e de outro lado os colaboradores desejam ser atendidos em suas necessidades. Pode-se dizer que o planejamento estratégico busca atender de forma integrada os interesses das pessoas e da organização. Modelo de Planejamento de RH Existem diversos modelos de planejamento de RH. Alguns são voltados para solucionar problemas de toda a organização. Outros são voltados para determinados níveis ou unidades de negócio específicas. Modelo de Planejamento de RH De acordo com Chiavenato (2004), apresenta-se alguns modelos: 1 - Modelo baseado na procura do produto ou serviço As necessidades de contratação de pessoas dependem da demanda de mercado pelo produto ou serviço. Trabalha-se com estimativas de contratação com base em previsões. 8

9 Modelo de Planejamento de RH 2. Modelo baseado em segmentos de cargo: Escolha de um fator estratégico (cargos chave) conforme a necessidade do setor solicitante. Definir o número de contratações atuais e futuras. Garantir que aquele fator chave estará presente com as contratações definidas. Modelo de Planejamento de RH 3. Modelo de substituição de postos-chave: Utilizado para mapear os organogramas e as posições-chave da organização. Cada funcionário é classificado de acordo com seu potencial para promoção. Funciona como um plano de carreira e sucessão. Modelo de Planejamento de RH 4. Modelo baseado no fluxo de pessoal: Mapeia o fluxo das pessoas para dentro, e para fora da organização (entradas e saídas). 9

10 Modelo de Planejamento de RH 5. Modelos de planejamento integrado - considera quatro fatores: Volume de produção. Mudanças tecnológicas /produtividade. Oferta e procura no mercado (clientela). Planejamento de carreiras dentro da organização. Vamos exercitar? Defina o ambiente das empresas e suas características principais. Quais os tipos de ambiente organizacional e qual a dinâmica ambiental? Quais as características organizacionais adequadas aos diferentes ambientes de negócios? 10

11 Quais os conceitos de missão, visão, objetivos e estratégia organizacional? Explique os diversos modos de planejamento de RH. Defina os índices de absenteísmo e de rotatividade de pessoas. Conclusão Missão e Visão. Objetivos Organizacionais. Planejamento Estratégico Organizacional. Estratégia de RH. Modelos de Planejamento de RH. Fatores que Intervêm no Planejamento de RH. Apreciação Crítica do Planejamento de RH. 11

12 Antes de mais nada é importante compreender que o deve ser uma consequência da Estratégia da Organização. O planejamento estratégico de RH concilia os objetivos da organização com os objetivos dos funcionários. Auxilia e contribui para o alcance desses objetivos. A empresa precisa do conhecimento das pessoas para alcançar resultados. O planejamento estratégico de RH é desenhado para apoiar a organização no alcance de seus objetivos. Considera um determinado período de tempo. As bases do planejamento são a demanda e o fornecimento de pessoas para realizar o trabalho, alcançando assim os objetivos organizacionais. 12

13 A organização busca resultados e de outro lado os colaboradores desejam ser atendidos em suas necessidades. Pode-se dizer que o planejamento estratégico busca atender de forma integrada os interesses das pessoas e da organização. 13

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Aula 8 Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 Seminário T&D e Estratégia de RH 3 4 Treinamento & Desenvolvimento Desenvolvimento de Lideranças 1 Seminário 3 The Young and the Clueless Bunker, K. A.;

Leia mais

Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc.

Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc. Administração Estratégica [2] Professor Demóstenes Farias, MSc. Fortaleza, agosto de 2012 A elaboração da visão de futuro A visão é o que a empresa idealiza para si. É a maneira pela qual a organização

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação O uso consciente da tecnologia para o gerenciamento Prof. Msc. Christien Lana Rachid Organização 1. Vínculo Administração-Tecnologia 2. Introdução a sistemas 3. Empresas e Sistemas

Leia mais

CAP - Curso de Aperfeiçoamento Profissional. Cronometragem e Cronoanálise - Nível Básico

CAP - Curso de Aperfeiçoamento Profissional. Cronometragem e Cronoanálise - Nível Básico Cronometragem e Cronoanálise - Nível Básico Toda empresa deve conhecer sua REAL capacidade de produção para que seja eficiente e produtiva, isso em qualquer tipo de segmento. Não conhecer os limites da

Leia mais

Gestão de Negócios (8)

Gestão de Negócios (8) Gestão de Negócios (8) Modelo: BALANCED SCORECARD Prof. Dr. Hernan E. Contreras Alday A grande idéia O Balanced Scorecard (painel balanceado de controle) usa, essencialmente, a medição integral de desempenho

Leia mais

Diagnóstico Organizacional

Diagnóstico Organizacional Este conteúdo faz parte da série: Diagnóstico Empresarial Ver 4 posts dessa série Diagnóstico Organizacional O diagnóstico organizacional ou empresarial é uma ferramenta de gestão que serve para analisar

Leia mais

Planejamento estratégico. de pessoas

Planejamento estratégico. de pessoas Planejamento estratégico de pessoas PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL X PLANEJAMENTO DE RH O QUE É GESTÃO POR RESULTADOS? A cada nível hierárquico, o líder reúne-se com os líderes que lhe são imediatamente subordinados

Leia mais

Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock

Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock Curso de Engenharia Industrial Madeireira UFPR Prof. Umberto Klock Introdução à Gestão de Projetos; Gestão de Escopo; Gestão de Prazos; Gestão de Custos; Gestão de Pessoas; Gestão de Comunicação; Gestão

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CST EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Missão A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Universidade Estácio de Sá consiste em formar profissionais

Leia mais

Reduções de Custos Logísticos na Cadeia de Suprimentos

Reduções de Custos Logísticos na Cadeia de Suprimentos Reduções de Custos Logísticos na Cadeia de Suprimentos Ricardo Amadeu Da Silva Coordenador Comitê de Logística CEISE Br Diretor Presidente - TransEspecialista 1 Gestão de Suprimentos A gestão da cadeia

Leia mais

ISO/IEC Processo de ciclo de vida

ISO/IEC Processo de ciclo de vida ISO/IEC 12207 Processo de ciclo de vida O que é...? ISO/IEC 12207 (introdução) - O que é ISO/IEC 12207? - Qual a finalidade da ISO/IEC 12207? Diferença entre ISO/IEC 12207 e CMMI 2 Emendas ISO/IEC 12207

Leia mais

Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? O Que faz uma organização triunfar e outra fracassar?

Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? O Que faz uma organização triunfar e outra fracassar? Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? O Que faz uma organização triunfar e outra fracassar? Que motivos estão por trás do sucesso organizacional? É ter pessoas que consigam se adaptar a

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS

Prof. Marcelo Mello. Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Prof. Marcelo Mello Unidade IV GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Gerenciamento de serviços Nas aulas anteriores estudamos: 1) Importância dos serviços; 2) Diferença entre produtos x serviços; 3) Composto de Marketing

Leia mais

Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino

Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino TELE AULA 1 Cientificidade do conhecimento Resumo Unidade de Ensino: 1 Competência da Unidade de Ensino: Resumo: Palavras-chave:

Leia mais

Analista de Negócio 3.0

Analista de Negócio 3.0 Conteúdo do Primeiro Módulo Fundamentos da Análise de Negócio: Neste módulo apresentaremos os principais problemas que afetam a maioria das empresas, por que as empresas precisam de um profissional como

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Tatiana Dornelas de Oliveira Residente de Administração em Gestão Hospitalar do HU/UFJF residecoadm.hu@ufjf.edu.br Como você enxerga o planejamento em nossas vidas? Definições

Leia mais

Unidade I PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade I PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade I PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Introdução aos processos organizacionais Qualquer tamanho de empresa, até as informais ou do terceiro setor. Visão moderna de gestão organizacional,

Leia mais

O MAIOR PORTAL DE NOTÍCIAS PARA RH DO BRASIL MUND RH. CONTATO: (11) (11)

O MAIOR PORTAL DE NOTÍCIAS PARA RH DO BRASIL MUND RH.  CONTATO: (11) (11) CONTATO: (11) 4091-9446 (11) 99620-1267 E-MAIL: marketing@mundorh.com.br O Mundo RH foi criado no início de 2016 com o objetivo de fazer uma publicação de Recursos Humanos. A isenção e o compromisso de

Leia mais

Unidade II. Gestão Empresarial. Profº Roberto Almeida

Unidade II. Gestão Empresarial. Profº Roberto Almeida Unidade II Gestão Empresarial Profº Roberto Almeida Equipes auto- gerenciáveis ou multidisciplinares Definição: São equipes formadas por gerentes com características de atributos formais e informais. Ou

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 T&D e Estratégia de RH Treinamento & Desenvolvimento 3 4 Coaching & Mentoring Desenvolvimento de Lideranças 1 T&D e Estratégia de RH Relembrando... Os processos

Leia mais

1º ENCONTRO INTERMUNICIPAL DE ESCOLAS DE GOVERNO DA REGIÃO DE SOROCABA

1º ENCONTRO INTERMUNICIPAL DE ESCOLAS DE GOVERNO DA REGIÃO DE SOROCABA 1º ENCONTRO INTERMUNICIPAL DE ESCOLAS DE GOVERNO DA REGIÃO DE SOROCABA A Avaliação de Desempenho em municípios paulistas, com destaque para o município de Tarumã Maria do Carmo M. T. Cruz Gestão de Pessoas

Leia mais

Processos de Engenharia de Requisitos

Processos de Engenharia de Requisitos Processos de Engenharia de Requisitos Engenharia de Software (SCE-5764) 1º Sem. 2012- Prof. Paulo C. Masiero Introdução Objetivo: criar e manter um documento de requisitos. Quatro subprocessos: Avaliação

Leia mais

Guia Prático do Planejamento Estratégico

Guia Prático do Planejamento Estratégico Guia Prático do Planejamento Estratégico Introdução A todo o momento surgem ideias para melhorar nossas vidas. A maior parte destas ideias morre, porque não são sistematizadas. Numa empresa também é assim,

Leia mais

Gestão de Pessoas. Curso de Pós-Graduação em Gestão Escolar Prof. Joelma Kremer, Dra.

Gestão de Pessoas. Curso de Pós-Graduação em Gestão Escolar Prof. Joelma Kremer, Dra. Gestão de Pessoas Curso de Pós-Graduação em Gestão Escolar Prof. Joelma Kremer, Dra. Aula 10 Motivação Os objetivos desta aula são: Apresentar uma visão integrada das principais teorias sobre motivação.

Leia mais

Processos de Gerenciamento de Projetos. Parte 02. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Processos de Gerenciamento de Projetos. Parte 02. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza Processos de Gerenciamento de Projetos Parte 02 CSE-301 / 2009 / Parte 02 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração:

Leia mais

II.2 GESTÃO AMBIENTAL Função: Estudos e Pesquisas

II.2 GESTÃO AMBIENTAL Função: Estudos e Pesquisas II.1 ADMINISTRAÇÃO JURÍDICA 1. Diferenciar nos processos administrativos: pessoa física e/ou pessoa jurídica. 2. Interpretar formas de contrato e compreender suas características. 3. Identificar as características

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CST DE MARKETING Campus: Alcântara Missão O Curso Superior de Tecnologia em Marketing da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar profissionais com elevados níveis

Leia mais

Ofício nº 003/2003 DGP Cáceres-MT., 31 de janeiro de Prezada Superintendente

Ofício nº 003/2003 DGP Cáceres-MT., 31 de janeiro de Prezada Superintendente Ofício nº 003/2003 DGP Cáceres-MT., 31 de janeiro de 2003. Prezada Superintendente Em atenção ao ofício circ. N 003/ESP/SAD, datado de 24 de janeiro do presente ano, estamos enviando em anexo, as necessidades

Leia mais

Analista de Negócio 3.0

Analista de Negócio 3.0 Estudo de Caso A industria Santos é uma empresa siderúrgica que possui duas plantas industriais em dois municípios do interior de Minas Gerais. A sede da empresa fica no estado de São Paulo, na cidade

Leia mais

Soluções de Nivelamento de Cargos

Soluções de Nivelamento de Cargos Towers Watson Soluções de Nivelamento de Cargos Global Grading System (GGS) e Mapa de Carreira A abordagem sistemática da Towers Watson para nivelamento de cargos ajuda as organizações a gerenciar as

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica Modelo de gestão Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e legais Planejamento estratégico Orçamento empresarial

Leia mais

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas

Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Perspectivas da Gestão Estratégica de Pessoas para as Organizações Públicas Aleksandra Pereira dos Santos Doutora em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações UnB Coordenadora-Geral de RH Previc

Leia mais

Trabalhar com planos de carreira ajuda a reter talentos

Trabalhar com planos de carreira ajuda a reter talentos Trabalhar com planos de carreira ajuda a reter talentos O mapeamento de carreira contribui para a definição de metas de longo prazo. Qual é o meu próximo passo? Em algum momento da carreira, a maioria

Leia mais

esocial: do planejamento à execução

esocial: do planejamento à execução esocial: do planejamento à execução esocial: do planejamento à execução Entender desafios, definir responsabilidades e estabelecer estratégias são aspectos fundamentais para tirar o projeto do papel Apesar

Leia mais

Nesse artigo falaremos sobre:

Nesse artigo falaremos sobre: Este conteúdo faz parte da série: Consultores Ver 5 posts dessa série Nesse artigo falaremos sobre: O mundo da consultoria em Recursos Humanos 1. Planilha de Avaliação de Desempenho (por Competências)

Leia mais

Training Course. DESTINATÁRIOS Este curso destina-se a todos os colaboradores que pretendam desenvolver competências interpessoais.

Training Course. DESTINATÁRIOS Este curso destina-se a todos os colaboradores que pretendam desenvolver competências interpessoais. MBA ASSESSMENT & DEVELOPMENT CENTER DESCRIÇÃO O Assessment Center é uma ferramenta que ajuda a conhecer e explorar melhor as competências e habilidades dos profissionais, tratando-se de um processo de

Leia mais

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos

BSC. deve contar a história da estratégia, começando. relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas em relação aos BSC Para KAPLAN & NORTON (1997), o Scorecard deve contar a história da estratégia, começando pelos objetivos financeiros a longo prazo e relacionando-se depois à seqüência de ações que precisam ser tomadas

Leia mais

Núcleo de Materiais Didáticos

Núcleo de Materiais Didáticos Gestão de Talentos e Mapeamento por Aula 4 Prof a Cláudia Patrícia Garcia Aula 4 - Gestão por claudiagarcia@grupouninter.com.br MBA em Gestão de Recursos Humanos Lembrando... A gestão por competências

Leia mais

PROJETO INTEGRADO AULA 4 INTEGRAÇÃO E ESCOPO

PROJETO INTEGRADO AULA 4 INTEGRAÇÃO E ESCOPO PROJETO INTEGRADO AULA 4 INTEGRAÇÃO E ESCOPO PROF.: KAIO DUTRA Gerenciamento da Integração do Projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos e as atividades necessárias para identificar,

Leia mais

Um guia para liderar

Um guia para liderar Estratégias para liderar com resultados Um guia para liderar e envolver pessoas para realizações criativas Princípios orientadores da liderança por Lourenço Stelio Rega Princípios orientadores da liderança

Leia mais

6 Dicas De Liderança Para Fazer Uma Ótima Gestão De Equipes Externas

6 Dicas De Liderança Para Fazer Uma Ótima Gestão De Equipes Externas 6 Dicas De Liderança Para Fazer Uma Ótima Gestão De Equipes Externas Uma grande parte do sucesso da gestão de pessoas se deve a capacidade dos gestores de liderar. E realmente essa é uma tarefa bem difícil

Leia mais

1.0. Gerenciamento de tempo. Por que temos a sensação de que o tempo passa rápido demais?

1.0. Gerenciamento de tempo. Por que temos a sensação de que o tempo passa rápido demais? 1.0. Gerenciamento de tempo Por que temos a sensação de que o tempo passa rápido demais? 2.0. Gerenciamento de tempo É porque gastamos o tempo em atividades que nada têm a ver com nossos objetivos, sonhos

Leia mais

Fundamentos de Gestão de TI

Fundamentos de Gestão de TI Fundamentos de Gestão de TI Tópico IV Desenho de Serviço (ITIL V3) José Teixeira de Carvalho Neto desenho de serviço desenho de serviço Objetivo: desenhar e especificar serviços novos ou alterados para

Leia mais

COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA?

COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA? Boletim Nº www.observatoriopiracicaba.org.br COMO ESTÃO OS PORTAIS DE TRANSPARÊNCIA E OS SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO AO CIDADÃO (SIC) DA PREFEITURA E DA CÂMARA? MAIO 2014 A transparência e o acesso aos documentos

Leia mais

PROJETO INTEGRADO AULA 3 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROF.: KAIO DUTRA

PROJETO INTEGRADO AULA 3 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROF.: KAIO DUTRA PROJETO INTEGRADO AULA 3 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS PROF.: KAIO DUTRA O que é um Projeto? Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil

Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil Gestão de Desempenho: a experiência do Grupo Águas do Brasil Agenda Objetivos da G. Desempenho Conceitos estruturantes O Modelo concebido para o grupo Águas do Brasil Relato da Experiência e dos Resultados

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COPA 2014

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COPA 2014 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO COPA 2014 Governo do Estado do Amazonas Equipe Técnica COORDENAÇÃO Marcelo Lima Filho Rodrigo Camelo de Oliveira Ronney César Peixoto ELABORAÇÃO Bernardo Monteiro de Paula Elaine

Leia mais

ADMINISTRAÇãO DE RECURSOS HUMANOS para farmácias

ADMINISTRAÇãO DE RECURSOS HUMANOS para farmácias ADMINISTRAÇãO DE RECURSOS HUMANOS para farmácias ADMINISTRAÇãO DE RECURSOS HUMANOS para farmácias SUMÁRIO 1. Introdução/ prefácio...9 2. O que faz o Gerente quando administra bem os Recursos Humanos da

Leia mais

GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO PROF. BARBARA TALAMINI VILLAS BÔAS

GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO PROF. BARBARA TALAMINI VILLAS BÔAS GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO PROF. BARBARA TALAMINI VILLAS BÔAS 9 ÁREAS DE CONHECIMENTO DE GP / PMBOK / PMI DEFINIÇÃO O Gerenciamento de Integração do Projeto envolve os processos necessários para assegurar

Leia mais

Depois do projeto. Antes do projeto. Gestor de projetos. Professora Msc: Estelamaris Pellissari

Depois do projeto. Antes do projeto. Gestor de projetos. Professora Msc: Estelamaris Pellissari Antes do projeto Depois do projeto Cliente Gestor de projetos Cliente Gestor de projetos Gestão de Projetos Professora Msc: Estelamaris Pellissari Gerenciamento de projetos A disciplina de gerenciamento

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar II PIM II

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar II PIM II UNIVERSIDADE PAULISTA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar II PIM II LOGÍSTICA 2º semestre, turmas ingressantes em Agosto. São Paulo 2011 1 PIM II PROJETO

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Visão Geral Profa.Paulo C. Masiero masiero@icmc.usp.br ICMC/USP Algumas Dúvidas... Como são desenvolvidos os softwares? Estamos sendo bem sucedidos nos softwares que construímos?

Leia mais

Construindo um Plano de Cargos e Salários

Construindo um Plano de Cargos e Salários O que é: Um Plano de Cargos e Salários é um modelo da estrutura da onde estão descritas as atribuições, deveres e responsabilidades de cada cargo além da especificação do salário para cada um desses cargos.

Leia mais

Roteiro Trabalho de RH

Roteiro Trabalho de RH Roteiro Trabalho de RH Fase I - Caracterização de Empresa -Histórico -Porte -Setor/Posição de Mercado/Atuação (local, regional, nacional e internacional) -Principais Produtos ou Serviços - Organograma

Leia mais

Veja o alô de John Chambers. O futuro é aqui agora com a Cisco TelePresence.

Veja o alô de John Chambers. O futuro é aqui agora com a Cisco TelePresence. Prospecto da empresa Veja o alô de John Chambers. O futuro é aqui agora com a Cisco TelePresence. 2010 Cisco e/ou suas afiliadas. Todos os direitos reservados. Este é um documento de informações públicas

Leia mais

Evento Corporativo: Incentivando a interação dos participantes

Evento Corporativo: Incentivando a interação dos participantes Evento Corporativo: Incentivando a interação dos participantes Evento Corporativo: Incentivando a interação dos participantes Promover o engajamento dos participantes de um evento pode representar um desafio

Leia mais

PORQUE FAZER UMA PESQUISA DE CLIMA?

PORQUE FAZER UMA PESQUISA DE CLIMA? Introdução PORQUE FAZER UMA PESQUISA DE CLIMA? Algumas pessoas que comandam organizações, ainda são muito resistentes a Pesquisas De Clima Organizacional; acreditam que é perda de tempo, e que esta pesquisa

Leia mais

de tecnologia P A R A EM 2016

de tecnologia P A R A EM 2016 ^ TENDENCIAS de tecnologia P A R A + RH EM 2016 Panto O RH de hoje faz + - MAIS com menos A expansão das plataformas de avaliação nas últimas décadas transformou praticamente toda a gestão de RH das empresas.

Leia mais

Administração Interdisciplinar

Administração Interdisciplinar Administração Interdisciplinar 21/9/2015 Rosely Gaeta Revisão Fundamentos da Administração Introdução àadministração e às organizações Fonte: Felipe Sobral Alketa Peci - Teoria e Prática no Contexto Brasileiro

Leia mais

Tema 01 Conceitos sobre gerenciamento de tempo e projeto

Tema 01 Conceitos sobre gerenciamento de tempo e projeto Tema 01 Conceitos sobre gerenciamento de tempo e projeto Objetivos da Aula Compreender a importância do tempo nos projetos. Revisar conceitos. Compreender o que deve ser considerado na elaboração de um

Leia mais

Relatório de Satisfação e Clima

Relatório de Satisfação e Clima Relatório de Satisfação e Clima 2014 Divisão de Gestão de Recursos Humanos 2 Motivação é a arte de fazer as pessoas fazerem o que você quer que elas façam porque elas o querem fazer. (Dwight Eisenhower)

Leia mais

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional

Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia nacional Excelência na Gestão Desafio dos Pequenos Negócios INSTITUCIONAL SEBRAE MISSÃO Promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS MÓDULO 9

MODELAGEM DE PROCESSOS MÓDULO 9 MODELAGEM DE PROCESSOS MÓDULO 9 Índice 1. Processo de Desenvolvimento de Sistemas - Continuação..3 1.1. Diagramas de Casos de Uso... 3 2 1. PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS - CONTINUAÇÃO 1.1. DIAGRAMAS

Leia mais

Cargos e Salários Professor Douglas

Cargos e Salários Professor Douglas 27 Uma das questões mais polêmicas referentes a salário é se este funcionaria como um fator de motivação para os funcionários. Se estudarmos a evolução do pensamento administrativo, detendo-nos, primeiramente,

Leia mais

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR Profª. Carla Verônica AULA 03 SUPERVISÃO E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Identificar os princípios da gestão participativa; Analisar a dialética do ambiente escolar; Perceber

Leia mais

Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos

Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos Gestão de Talentos Tupy RH -Projetos e Processos Joinville, Fevereiro de 2013 Responsáveis: Equipe Gestão de Talentos 0 Guia para criação de metas Este Guia Rápido tem por objetivo ajudá-lo no alinhamento

Leia mais

Gestão por Competência

Gestão por Competência Gestão por Competência Vera Gobetti 04/05/2017 GESTÃO POR COMPETÊNCIAS É UMA EVOLUÇÃO DA GESTÃO DE PESSOAS A Competência é sustentada em 3 pilares: 1- Conhecimento 2- Habilidades 3- Atitudes Aspectos Fundamentais

Leia mais

Responsabilidade da Direção

Responsabilidade da Direção 5 Responsabilidade da Direção A gestão da qualidade na realização do produto depende da liderança da alta direção para o estabelecimento de uma cultura da qualidade, provisão de recursos e análise crítica

Leia mais

6 TENDÊNCIAS QUE IRÃO MEXER COM AS ESTRUTURAS DO RH CONTEXTO ATUAL DO PAÍS DEVE NORTEAR AÇÕES DA ÁREA DE GESTÃO DE PESSOAS.

6 TENDÊNCIAS QUE IRÃO MEXER COM AS ESTRUTURAS DO RH CONTEXTO ATUAL DO PAÍS DEVE NORTEAR AÇÕES DA ÁREA DE GESTÃO DE PESSOAS. 6 TENDÊNCIAS 12 1 10 11 2 9 3 8 4 7 6 5 QUE IRÃO MEXER COM AS ESTRUTURAS DO RH CONTEXTO ATUAL DO PAÍS DEVE NORTEAR AÇÕES DA ÁREA DE GESTÃO DE PESSOAS. Charles Darwin dizia que não é o mais forte ou o mais

Leia mais

Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento das Partes Interessadas (PMBoK 5ª ed.) Este é o capítulo 13 do PMBoK e é uma área muito importante para o PMI, pois antes de levar em consideração o cumprimento dos prazos, orçamento e qualidade,

Leia mais

Criação de Valor. Isabela Barchet Matheus Henrique Pavão Siluk

Criação de Valor. Isabela Barchet Matheus Henrique Pavão Siluk Criação de Valor Isabela Barchet Matheus Henrique Pavão Siluk Criação de valor Noção de valor Diferentes perspecavas da criação de valor valor para o cliente valor para a empresa valor sustentável Noção

Leia mais

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing

Curso do Superior de Tecnologia em Marketing Curso do Superior de Tecnologia em Objetivos do curso 1.5.1 Objetivo Geral O Curso Superior de Tecnologia em na modalidade EaD da universidade Unigranrio, tem por objetivos gerais capacitar o profissional

Leia mais

G E S T Ã O D E I N V E S T I M E N T O S E C U S T O S D E C A P I T A L H U M A N O E M T E M P O S D E C R I S E

G E S T Ã O D E I N V E S T I M E N T O S E C U S T O S D E C A P I T A L H U M A N O E M T E M P O S D E C R I S E H E A L T H W E A L T H C A R E E R G E S T Ã O D E I N V E S T I M E N T O S E C U S T O S D E C A P I T A L H U M A N O E M T E M P O S D E C R I S E 0 1 D E O U T U B R O D E 2015 C E O C H A L L E

Leia mais

Quais os resultados você e sua equipe acreditam que conquistarão? É a partir desse ponto que inicia o processo da conquista.

Quais os resultados você e sua equipe acreditam que conquistarão? É a partir desse ponto que inicia o processo da conquista. Sumário 1. Acreditar 2. Aprender a motivar 3. Criar um time inovador 4. Gerir o tempo 5. Criar e manter credibilidade no relacionamento 6. Facilitar o compartilhar com a sua equipe 7. Sobre nós 1. Acreditar

Leia mais

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem

OBJETIVOS. Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL. Planejamento. Verificação Aprendizagem 1 OBJETIVOS Dar a conhecer a estrutura do Modelo de Excelência de Gestão MEG. Refletir sobre o ciclo PDCL Planejamento Execução Verificação Aprendizagem 2 INTRODUÇÃO Na aula passada, conhecemos os 11 Fundamentos

Leia mais

PERFIL CANDIDATO Qual o perfil que a Sonaecom procura?

PERFIL CANDIDATO Qual o perfil que a Sonaecom procura? CAPA PERFIL CANDIDATO Qual o perfil que a Sonaecom procura? RH I JCS I14 Dez 06 RH IJCSI14 Dez 06 PERFIL CANDIDATO QUAL O PERFIL QUE A SONAECOM PROCURA? ÍNDICE 1 2 3 4 ENQUADRAMENTO MISSÃO E VALORES SONAECOM

Leia mais

Projeto de Pesquisa: Como elaborar? Caroline Antero Machado Mesquita

Projeto de Pesquisa: Como elaborar? Caroline Antero Machado Mesquita Projeto de Pesquisa: Como elaborar? Caroline Antero Machado Mesquita O que é pesquisa? É a atividade básica da ciência; É a busca de conhecimentos; Atividade voltada para a solução de problemas; Segue

Leia mais

Metodologia do Ensino

Metodologia do Ensino Metodologia do Ensino Prof. Eduardo Henrique de M. Lima Definições: - Planejamento é uma necessidade constatnte em todas as áreas da atividade humana; - Planejar é analisar uma dada realidade, refletindo

Leia mais

DISCIPLINA: Administração de Sistemas de Informação

DISCIPLINA: Administração de Sistemas de Informação DISCIPLINA: Administração de Sistemas de Informação Profa. Msc. Cláudia Brazil Marques PLANO DE AULA 5 01.01. PROBLEMA Identificar as tendências em SI 01.02. CONHECIMENTOS (DCN, artigo 5º) Os papéis atribuídos

Leia mais

P-58 T&D E O ALINHAMENTO DE DISCURSOS E PRÁTICAS GUSTAVO G. BOOG E MARCELO BOOG

P-58 T&D E O ALINHAMENTO DE DISCURSOS E PRÁTICAS GUSTAVO G. BOOG E MARCELO BOOG P-58 T&D E O ALINHAMENTO DE DISCURSOS E PRÁTICAS GUSTAVO G. BOOG E MARCELO BOOG www.boog.com.br Estejam prontos, vamos ficar em pé, já vamos começar Fonte: Primeast e Autodescoberta Divertida 2 Diga seu

Leia mais

Seleção de pessoal. Para julgar com eficácia esses dois aspectos, é necessária, então, a coleta de dados do candidato sobre seus/suas:

Seleção de pessoal. Para julgar com eficácia esses dois aspectos, é necessária, então, a coleta de dados do candidato sobre seus/suas: Seleção de pessoal A etapa de seleção de pessoas é a que dá início a tudo, inserindo capital humano dentro da organização e fornecendo o recurso essencial para o funcionamento do PMC. O ponto principal

Leia mais

Escopo de trabalho para elaboração de material e treinamento junto as OSCs do município de Catalão - Goiás

Escopo de trabalho para elaboração de material e treinamento junto as OSCs do município de Catalão - Goiás Escopo de trabalho para elaboração de material e treinamento junto as OSCs do município de Catalão - Goiás 1. Antecedentes Global Communities está buscando empresas parceiras com experiência na elaboração

Leia mais

gente bonita de verdade qualidadedevida é cuidar-se por inteiro

gente bonita de verdade qualidadedevida é cuidar-se por inteiro gente bonita de verdade na comunidade qualidadedevida é cuidar-se por inteiro r a z ã o d e s e r nossa Razão de Ser é criar e comercializar produtos e serviços que promovam o bem- estar/ estar bem bem-estar

Leia mais

Revisão das Normas Regimentais Básicas das Escolas Estaduais

Revisão das Normas Regimentais Básicas das Escolas Estaduais Revisão das Normas Regimentais Básicas das Escolas Estaduais A construção coletiva na revisão da Proposta Pedagógica e do Regimento da Escola na perspectiva de uma educação de qualidade Objetivos da videoconferência:

Leia mais

Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut

Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut Relacionamento Interpessoal na Auditoria: Você está preparado? Elisabeth Sversut Você está preparado? Pense bem... Curso superior, pós-graduação, dois idiomas... Um Auditor Como qualquer outro profissional,

Leia mais

HEALTH WEALTH CAREER MERCER LEARNING FORTALECENDO HOJE OS LÍDERES DE RH DE AMANHÃ

HEALTH WEALTH CAREER MERCER LEARNING FORTALECENDO HOJE OS LÍDERES DE RH DE AMANHÃ HEALTH WEALTH CAREER MERCER LEARNING FORTALECENDO HOJE OS LÍDERES DE RH DE AMANHÃ MERCER LEARNING O Mercer Learning é um programa de Desenvolvimento em Gestão do Capital Humano aproveitamos os mais de

Leia mais

Proteção Social y Saúde em Brasil

Proteção Social y Saúde em Brasil Proteção Social y Saúde em Brasil Banco Interamericano do Desenvolvimento Divisão de Proteção Social e Saúde (SPH) Marcia Leite Arieira Washington, DC Os Programas do BID em Proteção Social Para combater

Leia mais

Diagnóstico e Gestão de TI; Modernização da Gestão de Pessoas; Desenvolvimento, Integração e Gerenciamento de Projetos de TI;

Diagnóstico e Gestão de TI; Modernização da Gestão de Pessoas; Desenvolvimento, Integração e Gerenciamento de Projetos de TI; Fundada em fevereiro de 2001, a ProBid é uma empresa formada por colaboradores com vasta experiência de mercado, especializada em Tecnologia da Informação, com foco estratégico no Setor Público e que utiliza

Leia mais

PRODUÇÃO DE CULTIVOS. Assim, sua empresa cultiva gestão de qualidade para colher melhores resultados.

PRODUÇÃO DE CULTIVOS. Assim, sua empresa cultiva gestão de qualidade para colher melhores resultados. Segmento AGROINDÚSTRIA PRODUÇÃO DE CULTIVOS Para o subsegmento de produção de cultivos, as soluções de software de gestão da TOTVS são referência na colheita de produtividade e eficiência. Um conjunto

Leia mais

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti

Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática. Profª. M.e Cláudia Benedetti Aula 1 O processo educativo: a Escola, a Educação e a Didática Profª. M.e Cláudia Benedetti Profa. M.e Cláudia Benedetti Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita

Leia mais

INSTRUMENTOS TÉCNICO-OPERATIVOS UTILIZADOS NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

INSTRUMENTOS TÉCNICO-OPERATIVOS UTILIZADOS NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL INSTRUMENTOS TÉCNICO-OPERATIVOS UTILIZADOS NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL Os Serviços da Proteção Social Básica, Média e Alta Complexidade exigem trabalho social interdisciplinar. Implica ainda, em

Leia mais

Eclosão da mediunidade

Eclosão da mediunidade FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Mediunidade: Estudo e Prática Programa 1 Módulo II As Bases da Comunicação Mediúnica Eclosão da mediunidade Tema 1 Qual a importância das ocorrências mediúnicas? Ocorrências

Leia mais

PROFESSOR RINALDO LIMA AUDITORIA EM RECURSOS HUMANOS OBJETIVOS ANÁLISE DA CONSULTORIA PREMISSAS PARA CONSULTORIA

PROFESSOR RINALDO LIMA AUDITORIA EM RECURSOS HUMANOS OBJETIVOS ANÁLISE DA CONSULTORIA PREMISSAS PARA CONSULTORIA PROFESSOR RINALDO LIMA Graduado em Ciências e Matemática e Especializado em Reengenharia e Qualidade Total e Engenharia de Telecomunicações. rinaldo@unopar.br AUDITORIA EM RECURSOS HUMANOS OBJETIVOS Aula

Leia mais

Tendências em Sistemas de Informação

Tendências em Sistemas de Informação Prof. Glauco Ruiz Tendências em Sistemas de Informação Os papéis atribuídos à função dos SI têm sido significativamente ampliados no curso dos anos. De 1950 a 1960 Processamento de Dados Sistemas de processamento

Leia mais

O omnichannel não é mais opcional. Experiência do cliente conectado ao contact center

O omnichannel não é mais opcional. Experiência do cliente conectado ao contact center O omnichannel não é mais opcional Experiência do cliente conectado ao contact center Conteúdo Introdução...3 A explosão do canal...4 Encontre seus clientes onde eles estiverem...5 Como criar uma experiência

Leia mais

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Aula 5

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Aula 5 CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 5 1 AGENDA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Tecnicas e conhecimentos (PMI) Processo Praxis 3.0 (Baseado em PMI) Visão Geral Atividades Bibliografia 2 Questões

Leia mais

Estrutura e papéis do RH

Estrutura e papéis do RH Aula 3 Estrutura e papéis do RH Agenda 1 2 3 Competências da organização Estrutura e papéis do RH Competências do profissional de RH 1 Competências da Organização ULRICH, Dave; SMALLWOOD, Norm. Capitalizing

Leia mais

Programas de Capacitação no Estaleiro Atlântico Sul. Fazendo o futuro acontecer, a toda velocidade!

Programas de Capacitação no Estaleiro Atlântico Sul. Fazendo o futuro acontecer, a toda velocidade! Programas de Capacitação no Estaleiro Atlântico Sul Fazendo o futuro acontecer, a toda velocidade! DESAFIOS DA RETOMADA DA INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA Alavancar os índices de produtividade assegurando a

Leia mais

ABORDAGEM DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

ABORDAGEM DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. ABORDAGEM DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br Para Laudon e Laudon (2007), Sistemas de Informações são considerados, juntamente com as tecnologias de

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO DE CASO NA NORMANDO GOMES & IRMÃOS (NORMANDO RECAP)

QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO DE CASO NA NORMANDO GOMES & IRMÃOS (NORMANDO RECAP) ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UM ESTUDO DE CASO NA NORMANDO GOMES & IRMÃOS (NORMANDO RECAP) Andrea

Leia mais