01/11/2013. Gestão de Pessoas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "01/11/2013. Gestão de Pessoas"

Transcrição

1 Gestão de Pessoas Tema 3: Planejamento Estratégico de Gestão de Pessoas Prof. Msc. Mônica Satolani O que estudar? Missão e Visão. Objetivos Organizacionais. Planejamento Estratégico Organizacional. Estratégia de RH. Modelos de Planejamento de RH. Fatores que Intervêm no Planejamento de RH. Apreciação Crítica do Planejamento de RH. Premissas do Planejamento Estratégico Toda organização existe com uma finalidade. Atuam com cooperação e competição com outras empresas. A estratégia organizacional é criada para interagir com o contexto ambiental da organização. 1

2 Premissas do Planejamento Estratégico A estratégia da organização é baseada e condicionada por: Missão organizacional. Visão do futuro. Valores. Objetivos da organização. Premissas do Planejamento Estratégico As empresas são compostas por pessoas que determinam características específicas que terão essa organização. A organização e os colaboradores irão mudar seus paradigmas uma apoiada pela outra. Premissas do Planejamento Estratégico Num cenário de mudanças e quebra de paradigmas as pessoas vão mudando. É necessário alinhar o comportamento organizacional com base na missão, valores, visão e objetivos da empresa. Essa é uma premissa para que o planejamento estratégico seja bem executado. 2

3 Missão Há vários conceitos para Missão. Todas as organizações têm uma missão a cumprir. Missão significa uma incumbência que se recebe, representa razão da existência de uma organização. Missão Uma definição da missão organizacional deve responder a três perguntas básicas: Quem somos nós? O que fazemos? E por que fazemos o que fazemos? Missão A missão deve ser conhecida pelos colaboradores assim como os objetivos essenciais da organização. Define por que a organização existe e para onde pretendem ir. 3

4 Missão As pessoas não poderão saber qual é o melhor caminho a seguir se não for por meio da missão. Deve ser disseminada a todos na organização. Missão A missão funciona como orientador para as atividades da organização. Ajuda a aglutinar os esforços dos seus membros. Serve para que fiquem claros os objetivos e facilita uma comunicação direta e clara. Missão A missão funciona como elemento impulsionador e inspirador. Deve refletir uma concordância interna de toda a organização. 4

5 Valores Valores são crenças básicas sobre o que se pode ou não fazer, sobre o que é ou não importante. São definidos pela organização. Muitas vezes podem diferir daquilo que os seus dirigentes acreditam ou valorizam no seu cotidiano. Deve-se buscar um alinhamento dos valores pessoais e organizacionais. Valores Valores são importantes e precisam ser demonstrados. Os líderes assumem um papel fundamental ao criar e sustentar a cultura organizacional por meio das suas ações, comentários e das decisões que adotam. Essas ações demonstram os valores. Visão A Visão é a opinião que a organização tem a respeito de si mesma e do seu futuro. É no que a empresa acredita, recursos que dispõe, tipo de relacionamento que deseja manter com seus clientes e mercado. 5

6 Visão O termo Visão é utilizado para descrever um sentido claro do futuro e a compreensão das ações necessárias para torná-lo rapidamente uma realidade. A empresa deve criar a visão e mantê-la sempre fresca na lembrança dos colaboradores. Visão A falta de visão dos negócios é prejudicial e desorienta a organização quanto às suas prioridades. A missão e a visão proporcionam os elementos básicos para a definição dos objetivos globais e a formulação da estratégia organizacional. Um pouco mais... 6

7 Antes de mais nada é importante compreender que o deve ser uma consequência da Estratégia da Organização. O planejamento estratégico de RH concilia os objetivos da organização com os objetivos dos funcionários. Auxilia e contribui para o alcance desses objetivos. A empresa precisa do conhecimento das pessoas para alcançar resultados. O planejamento estratégico de RH é desenhado para apoiar a organização no alcance de seus objetivos. Considera um determinado período de tempo. As bases do planejamento são a demanda e o fornecimento de pessoas para realizar o trabalho, alcançando assim os objetivos organizacionais. 7

8 A organização busca resultados e de outro lado os colaboradores desejam ser atendidos em suas necessidades. Pode-se dizer que o planejamento estratégico busca atender de forma integrada os interesses das pessoas e da organização. Modelo de Planejamento de RH Existem diversos modelos de planejamento de RH. Alguns são voltados para solucionar problemas de toda a organização. Outros são voltados para determinados níveis ou unidades de negócio específicas. Modelo de Planejamento de RH De acordo com Chiavenato (2004), apresenta-se alguns modelos: 1 - Modelo baseado na procura do produto ou serviço As necessidades de contratação de pessoas dependem da demanda de mercado pelo produto ou serviço. Trabalha-se com estimativas de contratação com base em previsões. 8

9 Modelo de Planejamento de RH 2. Modelo baseado em segmentos de cargo: Escolha de um fator estratégico (cargos chave) conforme a necessidade do setor solicitante. Definir o número de contratações atuais e futuras. Garantir que aquele fator chave estará presente com as contratações definidas. Modelo de Planejamento de RH 3. Modelo de substituição de postos-chave: Utilizado para mapear os organogramas e as posições-chave da organização. Cada funcionário é classificado de acordo com seu potencial para promoção. Funciona como um plano de carreira e sucessão. Modelo de Planejamento de RH 4. Modelo baseado no fluxo de pessoal: Mapeia o fluxo das pessoas para dentro, e para fora da organização (entradas e saídas). 9

10 Modelo de Planejamento de RH 5. Modelos de planejamento integrado - considera quatro fatores: Volume de produção. Mudanças tecnológicas /produtividade. Oferta e procura no mercado (clientela). Planejamento de carreiras dentro da organização. Vamos exercitar? Defina o ambiente das empresas e suas características principais. Quais os tipos de ambiente organizacional e qual a dinâmica ambiental? Quais as características organizacionais adequadas aos diferentes ambientes de negócios? 10

11 Quais os conceitos de missão, visão, objetivos e estratégia organizacional? Explique os diversos modos de planejamento de RH. Defina os índices de absenteísmo e de rotatividade de pessoas. Conclusão Missão e Visão. Objetivos Organizacionais. Planejamento Estratégico Organizacional. Estratégia de RH. Modelos de Planejamento de RH. Fatores que Intervêm no Planejamento de RH. Apreciação Crítica do Planejamento de RH. 11

12 Antes de mais nada é importante compreender que o deve ser uma consequência da Estratégia da Organização. O planejamento estratégico de RH concilia os objetivos da organização com os objetivos dos funcionários. Auxilia e contribui para o alcance desses objetivos. A empresa precisa do conhecimento das pessoas para alcançar resultados. O planejamento estratégico de RH é desenhado para apoiar a organização no alcance de seus objetivos. Considera um determinado período de tempo. As bases do planejamento são a demanda e o fornecimento de pessoas para realizar o trabalho, alcançando assim os objetivos organizacionais. 12

13 A organização busca resultados e de outro lado os colaboradores desejam ser atendidos em suas necessidades. Pode-se dizer que o planejamento estratégico busca atender de forma integrada os interesses das pessoas e da organização. 13

Administração do Relacionamento com os

Administração do Relacionamento com os Unidade I Administração do Relacionamento com os Clientes Prof. MSc. Marcelo S. Zambon Objetivos da Disciplina Compreender o que são e quem são os clientes. Porque os clientes são vistos como início e

Leia mais

Gestão de Pessoas. Remuneração Variável. Allan Souza // Belchior Borges Felipe Mangabeira // Júlio Bordin

Gestão de Pessoas. Remuneração Variável. Allan Souza // Belchior Borges Felipe Mangabeira // Júlio Bordin Gestão de Pessoas Remuneração Variável Allan Souza // Belchior Borges Felipe Mangabeira // Júlio Bordin Salário O salário é a retribuição em dinheiro ou equivalente paga pelo empregador ao empregado em

Leia mais

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS:

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: Treinamento É o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. Treinamento Custo ou investimento?

Leia mais

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana Tema 01 Apresentação do PEA. Fundamentos

Leia mais

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares

Gerenciamento de Integração. Prof. Anderson Valadares Gerenciamento de Integração Prof. Anderson Valadares 1. Conceito A área de conhecimento em gerenciamento de integração do projeto inclui processos e as atividades necessárias para identificar, definir,

Leia mais

LIDERANÇA DE RH EM SINTONIA COM O NEGÓCIO

LIDERANÇA DE RH EM SINTONIA COM O NEGÓCIO LIDERANÇA DE RH EM SINTONIA COM O NEGÓCIO A corporação contemporânea é complexa, e cada uma de suas muitas partes está constantemente em movimento, tudo reagindo a um ambiente de negócios em mudança. Ram

Leia mais

Gestão Estratégica da Qualidade

Gestão Estratégica da Qualidade UNIVERSIDADE DE SOROCABA Curso Gestão da Qualidade Gestão Estratégica da Qualidade Aula 08 25/10 Professora: Esp. Débora Ferreira de Oliveira Missão, Visão e Valores Missão: razão de ser de uma empresa,

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Aula 8 Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 Seminário 2 Treinamento e Desenvolvimento 3 Desenvolvimento de Lideranças 1 Seminário 3 The Young and the Clueless Bunker, K. A.; Kram, K. E.; Ting, S. HBR,

Leia mais

Visão, Missão, Valores e Objectivos. Gestão Estratégica.

Visão, Missão, Valores e Objectivos. Gestão Estratégica. Visão, Missão, Valores e Objectivos. Gestão Estratégica. Baseado no Livro Administração Pública: Modernização, Qualidade e Inovação de Carlos Carapeto e Fátima Fonseca Neste contexto, há quem afirme que

Leia mais

Quando duas pessoas trocam um objeto, cada

Quando duas pessoas trocam um objeto, cada Quando duas pessoas trocam um objeto, cada uma fica com apenas um dos objetos trocados Na troca de idéias e conhecimentos... Entre duas pessoas, eles se somam Entre muitas pessoas, eles se multiplicam

Leia mais

Gerenciamento de projetos (Project Management).

Gerenciamento de projetos (Project Management). Gerenciamento de projetos (Project Management). A gestão de projetos é uma das áreas fundamentais de qualquer departamento de sistemas de informação, estando hoje em dia amplamente difundido dentro das

Leia mais

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS AULA 12 1 Professora Ms Karen Reis 2012 JOGOS DIGITAIS Simuladores de Empresas HISTÓRICO DE DADOS Front End (Input) Resultado Fontes Primárias Catálogos Transacionais

Leia mais

Gestão de desempenho com base em competências

Gestão de desempenho com base em competências Gestão de desempenho com base em competências Working Paper EXECUTIVE 2 de abril de 2008 Sergio Ricardo Goes Oliveira Gestão de desempenho com base em competências Working Paper Objetivo Este documento

Leia mais

Engenharia Econômica

Engenharia Econômica Engenharia Econômica Aula 1: Conceitos Básicos Lucas Motta Universidade Federal de Pernambuco 23 de Março de 2015 Engenharia Econômica Definição Trata-se de um estudo econômico e financeiro de um projeto,

Leia mais

Trata-se do processo de gestão, organização e orientação da equipe do projeto;

Trata-se do processo de gestão, organização e orientação da equipe do projeto; Aula 19 1 2 Trata-se do processo de gestão, organização e orientação da equipe do projeto; A equipe do projeto refere-se às pessoas com papéis e responsabilidades para completar o projeto; É importante

Leia mais

COMO VENDER MAIS USANDO FUNIL DE VENDAS. Capítulo III: Etapas do Funil de Vendas

COMO VENDER MAIS USANDO FUNIL DE VENDAS. Capítulo III: Etapas do Funil de Vendas COMO VENDER MAIS USANDO FUNIL DE VENDAS Capítulo III: Etapas do Funil de Vendas Índice Introdução Defina suas etapas de vendas corretamente Como definir suas etapas de vendas 03 05 06 2 Introdução Olá,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação

Administração de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação A tecnologia da informação está em toda parte nos negócios 1 Departamentos comuns em uma organização FUNDAMENTOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DA TECNOLOGIA

Leia mais

Qualidade de Software Normatização

Qualidade de Software Normatização Qualidade de Software Normatização Norma ISO/IEC 12207 processo do ciclo de vida de software Norma criada em 1995 com o objetivo de fornecer uma estrutura comum para adquirente, fornecedor, desenvolvedor,

Leia mais

SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+

SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+ SUGESTÕES PARA INTERVENÇÕES PEDAGÓGICAS ORIENTADAS PELOS DADOS DO GEEKIE TESTE APRENDA+ Passo a Passo 1 COMPREENDENDO OS RESULTADOS 1) Professores e coordenadores fazem a leitura individual dos dados gerais

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. PALESTRA:

Leia mais

Sistemas de Informação para Bibliotecas

Sistemas de Informação para Bibliotecas Sistemas de Informação para Bibliotecas Notas de Apoio ao Tópico 1 Henrique S. Mamede 1 Antes de mais nada: O QUE É MESMO INFORMAÇÃO?? Dados Informação Conhecimento Sabedoria 2 Dados São tipicamente voltados

Leia mais

Capítulo 7 Selecionando clientes que interessam

Capítulo 7 Selecionando clientes que interessam Capítulo 7 Fortaleza, maio de 20 assunto delicado: escolher clientes que nos interessam atender, pois nem todos são rentáveis, pela receita que consomem [custo operacional], pois pode inviabilizar a realidade

Leia mais

Da administração à promoção do conhecimento.

Da administração à promoção do conhecimento. Da administração à promoção do. Aula tema 05 Conteúdo: 1. Barreiras à criação do 2. Fatores promotores da criação do Desafios para a criação do nas empresas A criação do nas empresas não é algo fácil de

Leia mais

DISCURSIVA RESPOSTAS - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO

DISCURSIVA RESPOSTAS - AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO AVALIAÇÃO DISCURSIVA ADMINISTRAÇÃO RESPOSTAS - DE DESEMPENHO DE DES Discursiva Respostas Administração Avaliação de Desempenho VP Concursos - Consultoria e Coaching www.vpconcursos.com.br Administração Geral - Avaliação

Leia mais

A importância do treinamento e da conscientização na prevenção à fraude

A importância do treinamento e da conscientização na prevenção à fraude 14/02/2013 A importância do treinamento e da conscientização na prevenção à fraude CLAUDIO SCATENA GERENTE DE COMPLIANCE CORPORATIVO AES BRASIL Agenda Um cenário em transformação Um sistema de Educação

Leia mais

Apoio aos profissionais brasileiros da qualidade para melhorar e aumentar eficiência e produtividade. Maximização dos esforços de melhoria contínua.

Apoio aos profissionais brasileiros da qualidade para melhorar e aumentar eficiência e produtividade. Maximização dos esforços de melhoria contínua. Apoio aos profissionais brasileiros da qualidade para melhorar e aumentar eficiência e produtividade. Maximização dos esforços de melhoria contínua. Baseado em Corpo de Conhecimentos específicos mundialmente

Leia mais

Modelagem de processos e gestão da qualidade da fundação uniselva. Prof. Dr. Cristiano Maciel Diretor

Modelagem de processos e gestão da qualidade da fundação uniselva. Prof. Dr. Cristiano Maciel Diretor Modelagem de processos e gestão da qualidade da fundação uniselva Prof. Dr. Cristiano Maciel Diretor Fundação UNISELVA Missão: Apoiar as atividades de pesquisa, ensino, extensão, trinômio de sustentação

Leia mais

Para garantir uma prestação de serviços de qualidade nas APAEs é fundamental que haja um Gerenciamento de Recursos Humanos com objetivos claros.

Para garantir uma prestação de serviços de qualidade nas APAEs é fundamental que haja um Gerenciamento de Recursos Humanos com objetivos claros. Para garantir uma prestação de serviços de qualidade nas APAEs é fundamental que haja um Gerenciamento de Recursos Humanos com objetivos claros. AS PESSOAS DETERMINAM A CAPACIDADE DE DESEMPENHO DE UMA

Leia mais

Aula 6 Contextualização

Aula 6 Contextualização Gestão Financeira Aula 6 Contextualização Prof. Esp. Roger Luciano Francisco Fluxo de Caixa Fluxo de caixa é o conjunto de movimentações, de entradas e saídas de dinheiro, de um período determinado nas

Leia mais

As cooperativas como Agente de Transformação Social. Ms: Darlenia Almeida Guimarães Consultora Organizacional

As cooperativas como Agente de Transformação Social. Ms: Darlenia Almeida Guimarães Consultora Organizacional As cooperativas como Agente de Transformação Social. Ms: Darlenia Almeida Guimarães Consultora Organizacional Acolhimento Ideias de Projetos Como identificar uma demanda que provoque transformação social

Leia mais

Instruções para elaboração de TCC PROPOSTA DE NEGÓCIOS

Instruções para elaboração de TCC PROPOSTA DE NEGÓCIOS INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMAS CERTIFICATES Instruções para elaboração de TCC PROPOSTA DE NEGÓCIOS Estas instruções para elaboração de TCC do tipo Proposta de Negócio possuem dois tópicos:

Leia mais

11/5/2009 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO SELMA ERICHSEN

11/5/2009 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO SELMA ERICHSEN UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO SELMA ERICHSEN O PLANO DE NEGÓCIOS COMO FATOR FUNDAMENTAL PARA A VERIFICAÇÃO DA VIABILIDADE ECONÔMICA NA ABERTURA DE UM NOVO EMPREENDIMENTO Orientador:

Leia mais

Definição de Marketing para o Século XXI

Definição de Marketing para o Século XXI Definição de Marketing para o Século XXI Objetivos da Gestão de Marketing: Criar ou identificar valor, produzindo inovações estratégicas em produtos, processos e modelagem de negócios, a partir de um profundo

Leia mais

Tipologia dos Escritórios de Projeto

Tipologia dos Escritórios de Projeto Tipologia dos Escritórios de Projeto Tipologia dos Escritórios de Negócio Todos sabemos que conduzir projetos é muito mais do que uma arte e que ao Gerente de Projetos cabe a responsabilidade de gerenciar

Leia mais

!"!" #$!" % &!" & ' (% & &.!/ &0,1" 2, ' 34),5 6 )%! #$% $ &!", & 71" 2, $ '(!", &,

!! #$! % &! & ' (% & &.!/ &0,1 2, ' 34),5 6 )%! #$% $ &!, & 71 2, $ '(!, &, % &!" & ' (% & )* +,-!" &.!/ &0,1" 2, ' 34),5 6 )%! #$% $ &!", & 71" 2, ' 34),5 6 )%! $ '(!", &, 71" 2, #$!" 8 Introdução Evolução da Administração Evolução das empresas Consequência dessa evolução para

Leia mais

COMINN COMpetences for INNovation in the metal sector DEFINITION OF LEARNING OUTCOMES

COMINN COMpetences for INNovation in the metal sector DEFINITION OF LEARNING OUTCOMES COMINN COMpetences for INNovation in the metal sector País: Instituição: Qualificação: Lituânia VMU (Vytautas Magnus University) Mobilizadores de inovação dentro das PME do metal : Objetivo de Aprendizagem:

Leia mais

Desenvolvimento Organizacional

Desenvolvimento Organizacional Desenvolvimento Organizacional O desenvolvimento Organizacional nasceu na década de 1960 devido as mudanças no mundo das organizações e em função das estruturas convencionais serem inadequadas a essas

Leia mais

PLANEJAMENTO SIMPLIFICADO DE PROJETOS

PLANEJAMENTO SIMPLIFICADO DE PROJETOS PLANEJAMENTO SIMPLIFICADO DE PROJETOS Nestor Nogueira de Albuquerque, MsC. Gestão e Desenvolvimento Regional V Encontro de Pós-GraduaP Graduação UNITAU 2005 Necessidade de um processo de Gestão de Projetos

Leia mais

Modelos de ação da Igreja e metodologias de planejamento. Objetivo da aula. Organização da igreja. Curso: Teologia.

Modelos de ação da Igreja e metodologias de planejamento. Objetivo da aula. Organização da igreja. Curso: Teologia. Curso: Teologia. Prof: Nicanor Lopes. Modelos de ação da Igreja e metodologias de planejamento Objetivo da aula Conhecer e analisar os modelos de ação da Igreja; Analisar quatro métodos de planejamento

Leia mais

Instruções para elaboração de TCC ANÁLISE DE MERCADO

Instruções para elaboração de TCC ANÁLISE DE MERCADO INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA PROGRAMAS CERTIFICATES Instruções para elaboração de TCC ANÁLISE DE MERCADO Estas instruções para elaboração de TCC do tipo Melhoria de Processo possuem três tópicos:

Leia mais

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização,

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização, LIDERANÇA E PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DAS IPSS Cuidamos do Futuro do Envelhecimento em Portugal GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os

Leia mais

LIDERANÇA. Conteúdo: O que é liderança Estilos de liderança Delegação Feedback

LIDERANÇA. Conteúdo: O que é liderança Estilos de liderança Delegação Feedback LIDERANÇA LIDERANÇA Objetivo: Sensibilizar os empresários das MPEs sobre a importância da liderança eficaz para a construção e motivação da equipe e consequente alcance de resultados. Conteúdo: O que

Leia mais

MANUAL Árvore de Indicadores

MANUAL Árvore de Indicadores MANUAL Árvore de Indicadores Revisão do Planejamento Estratégico e desdobramentos Sumário Apresentação Árvore de Indicadores Conceitos e Desafios 03 03 Relação de Causa e Efeito 05 Construção da árvore

Leia mais

Prof. Paulo Barreto. Teoria do Desenvolvimento organizacional

Prof. Paulo Barreto. Teoria do Desenvolvimento organizacional Prof. Paulo Barreto Teoria do Desenvolvimento organizacional Introdução O Desenvolvimento Organizacional nada mais é que as mudanças que ocorrem dentro de uma organização. Segundo essa teoria aberta, democrática

Leia mais

Um Projeto de Sucesso!

Um Projeto de Sucesso! Um Projeto de Sucesso! IF66J/S71 Oficinas de Integração 3 Eng. Computação Profs. João A. Fabro e Heitor S. Lopes.-Slide 1/46 O que é um Projeto de Sucesso? IF66J/S71 Oficinas de Integração 3 Eng. Computação

Leia mais

Pós-graduação Lean Operations Management. Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT

Pós-graduação Lean Operations Management. Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT Pós-Graduação LEAN OPERATIONS MANAGEMENT A Learning Factory tem actualmente como parceiros: 1. Plano curricular (módulos e carga horária) Formação Inicial (4 módulos) Learning Factory Workshop Estágio

Leia mais

Política de Risco Socioambiental

Política de Risco Socioambiental Política de Gestão de Risco Política de Risco Socioambiental Controle de Versões Dono / Emitido por Revisada por Aprovado por PL-003.7-GR V1 Gestão de Riscos Compliance Alta Administração Vigência Exercício

Leia mais

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área

Missão e objetivos da empresa X X X X X. Objetivos por área X X Qualidade das informações X X X X X Integração dos orçamentos por área Visão por meio das atividades de valor) Preço Prazo Assistência Técnica s Pagamento Pré-vendas Pós-vendas Modelo de gestão X Análise de aspectos políticos governamentais, econômicos e X X legais Planejamento

Leia mais

A VISÃO, A MISSÃO E O FOCO

A VISÃO, A MISSÃO E O FOCO A VISÃO, A MISSÃO E O FOCO Em um Discurso que MARTIN LUTHER KING fez em 1963, nos Estados Unidos, ele começou dizendo: «TENHO UM SONHO: UM DIA, OS HOMENS SE LEVANTARÃO E SE DARÃO CONTA QUE SÃO FEITOS PARA

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL 2014

PLANEJAMENTO ANUAL 2014 PLANEJAMENTO ANUAL 2014 Disciplina: ENSINO RELIGIOSO Período: Anual Professor: MARIA LÚCIA DA SILVA Série e segmento: 7º ANO 1º TRIMESTRE 2º TRIMESTRE 3º TRIMESTRE * conhecer os elementos básicos que compõe

Leia mais

Curso de Atendimento Personalizado e Call Center. Referencial Pedagógico

Curso de Atendimento Personalizado e Call Center. Referencial Pedagógico Curso de Atendimento Personalizado e Call Center Referencial Pedagógico 1. Competências Globais e Específicas Desenvolver competências gerais e específicas no âmbito do Atendimento ao Público, ao nível

Leia mais

(baseado nas sugestões do IATF)

(baseado nas sugestões do IATF) Polvo e Tartarugas Método de mapeamento de processos (identificação e determinação da seqüência e interação dos processos) (baseado nas sugestões do IATF) Princípios de Gestão da Qualidade Um dos oito

Leia mais

Marketing empresarial. Especialização em Gestão da Produção

Marketing empresarial. Especialização em Gestão da Produção Marketing empresarial Especialização em Gestão da Produção Aula 1! Introdução à disciplina! Conceitos e histórico! Importância do marketing para a organização! Ambiente de marketing Informações básicas!

Leia mais

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua;

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; QUEM SOMOS A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; Especializada em Vida e Previdência, possui portfólio completo para assegurar nossos clientes e seus familiares dos

Leia mais

Introdução à Manutenção O QUE VOCÊ ENTENDE POR MANUTENÇÃO?

Introdução à Manutenção O QUE VOCÊ ENTENDE POR MANUTENÇÃO? MANUTENÇÃO Introdução à Manutenção O QUE VOCÊ ENTENDE POR MANUTENÇÃO? Introdução à Manutenção O que a manutenção tem a ver com a qualidade total? Disponibilidade de máquina; Aumento da competitividade;

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS. Formação de Facilitadores para Melhoria de Processos

GESTÃO POR PROCESSOS. Formação de Facilitadores para Melhoria de Processos GESTÃO POR PROCESSOS Formação de Facilitadores para Melhoria de Processos GESTÃO POR PROCESSOS GRUPO GEPRO: Adauto - AUDINT Eneida - HC Gláucia - PRDU Jane - PRDU Maria Bernadete - HC Maria do Rosário

Leia mais

A Função de Compliance na Banca Comercial

A Função de Compliance na Banca Comercial A Função de Compliance na Banca Comercial Objetivos Gerais: Este curso é dirigido a todos os profissionais que pretendam adquirir conhecimentos de Compliance na Banca Comercial Objetivos Específicos: No

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI

INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI 11/05/011 INTRODUÇÃO ÀS ESTRATÉGIAS DE TI Prof. Carlos Faria (adaptação) 011 O CONCEITO DE TI A Tecnologia da Informação abrange todos os aspectos envolvidos no gerenciamento das informações de uma organização.

Leia mais

DESIGN GRÁFICO QUE NEGÓCIO É ESSE?

DESIGN GRÁFICO QUE NEGÓCIO É ESSE? DESIGN GRÁFICO QUE NEGÓCIO É ESSE? O QUE É DESIGN GRÁFICO? Design Gráfico é o planejamento dos aspectos funcionais e visuais de peças gráficas que servem de suporte para a comunicação de diversos tipos

Leia mais

Cadeira: Análise de Sistemas

Cadeira: Análise de Sistemas Cadeira: Análise de Sistemas Aulas 5, 6 00/03/16 Docente: Cláudia Ivete F. Jovo cjovo@up.ac.mz & cifjovo@gmail.com M.Sc. Cláudia Jovo 2016/DI 0 - Quem são os envolvidos no desenvolvimento de um SI? - Funções

Leia mais

Gestão de Projetos. Gerenciamento de Conflitos

Gestão de Projetos. Gerenciamento de Conflitos Gestão de Projetos Gerenciamento de Conflitos O que eu espero senhores, é que depois de um razoável período de discussão, todo mundo concorde comigo. Winston Churchill (primeiro ministro britânico durante

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS

GESTÃO POR PROCESSOS GESTÃO POR PROCESSOS O que é um Processo: Uma série de ações que produz um resultado que agrega valor ao produto ou serviço. Gestão de Processos: Conjunto de ações sistemáticas, baseadas em fatos e dados

Leia mais

Administração e Economia para Engenharia

Administração e Economia para Engenharia Administração e Economia para Engenharia Unidade 2.3: Modelagem do trabalho, direção, gerência e supervisão 1 Uma empresa Organização Disponibilizar / vender bens e serviços Finalidade: resultado (lucro)

Leia mais

BANCO DE DADOS I AULA 2. Willamys Araújo willamysaraujo7@gmail.com

BANCO DE DADOS I AULA 2. Willamys Araújo willamysaraujo7@gmail.com BANCO DE DADOS I AULA 2 Willamys Araújo willamysaraujo7@gmail.com Modelagem de Dados Modelagem de dados é o estudo das informações existentes em um contexto sob observação para a construção de um modelo

Leia mais

RECURSOS HUMANOS PLANEAMENTO DE RH S

RECURSOS HUMANOS PLANEAMENTO DE RH S RECURSOS HUMANOS Introdução Definição e conceitos Introdução Definição e conceitos Planeamento de rh s? Introdução Definição e conceitos Definição e conceitos Cascio, (1986): O planeamento de RH s é: um

Leia mais

Conceitos Básicos em Estatística

Conceitos Básicos em Estatística Introdução à Estatística Conceitos Básicos em Estatística 1 Conceitos Básicos em Estatística Definição Uma população é uma colecção de unidades individuais, que podem ser pessoas, animais, resultados experimentais,

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: QUALIDADE DE SOFTWARE Tema: Testes de Caixa

Leia mais

ALM Asset & Liability Management

ALM Asset & Liability Management ALM Asset & Liability Management Gestão de Ativos e Passivos Michael Witt, FSA MAAA Milliman do Brasil 12 de agosto de 2009 Agenda O que é ALM? Por que ALM é importante para as seguradoras? Estratégias

Leia mais

Desenvolvimento de Estratégias

Desenvolvimento de Estratégias Desenvolvimento de Estratégias Aula 18 Plano de carreira Análise do ambiente Oportunidades Ameaças Objetivos Alvos concretos Estratégias Ações e prazos para atingir objetivos Follow-up Análise de potencial

Leia mais

Gerencia de Projeto. Andreza Leite andreza.lba@gmail.com

Gerencia de Projeto. Andreza Leite andreza.lba@gmail.com Gerencia de Projeto Andreza Leite andreza.lba@gmail.com Vamos continuar a gestão de projeto Agenda Estrutura Organizacional Equipe de projeto Gerente Gerenciamento de múltiplos projetos e PMO Estrutura

Leia mais

Qual é o estoque mínimo que irá garantir o nível de serviço ao cliente desejado pela empresa?

Qual é o estoque mínimo que irá garantir o nível de serviço ao cliente desejado pela empresa? O estoque de segurança remete a erros de previsão de demanda; Falta de confiança nas entregas devido a atrasos no ressuprimento de materiais; Rendimento da produção abaixo do esperado. Qual é o estoque

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Análise Ambiental(externo) Planejamento(Plano de MKT e estratégias) O QUE QUEREMOS? _ COMO CONSEGUIREMOS? Planejamento Estratégico PLANO DE MARKETING PLANO ESTRATÉGICO PLANO DE

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS GESTÃO

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS GESTÃO GESTÃO DE ESTOQUES (Parte 1) Os estoques são recursos ociosos que possuem valor econômico, os quais representam um investimento destinado a incrementar as atividades de produção e servir aos clientes.

Leia mais

Escritório de Processos. Palestrante: Marcelo Breyer Amorim Gerente do Centro de Serviços Compartilhados

Escritório de Processos. Palestrante: Marcelo Breyer Amorim Gerente do Centro de Serviços Compartilhados Escritório de Processos Palestrante: Marcelo Breyer Amorim Gerente do Centro de Serviços Compartilhados Agenda 1 O que é o Sistema FIRJAN 2 Fatores para implantação 3 4 Histórico de Processos Missão e

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira I Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2012 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO

BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO BUSCA DE FIDELIZACÃO DOS CLIENTES ATRAVES DA QUALIDADE NO ATENDIMENTO Taynná BECKER 1 Priscila GUIDINI 2 RESUMO: O artigo apresenta a importância da fidelização de clientes para as empresas, e como a qualidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC. Aluno: REGINALDO VEZARO ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO E EXTERNO

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC. Aluno: REGINALDO VEZARO ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO E EXTERNO UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Aluno: REGINALDO VEZARO ANÁLISE DO AMBIENTE INTERNO E EXTERNO CAÇADOR 2007 INTRODUÇÃO Se a principal preocupação da administração estratégica está na tentativa de projetar

Leia mais

FUNDAMENTOS DA LOGÍSTICA:

FUNDAMENTOS DA LOGÍSTICA: FUNDAMENTOS DA LOGÍSTICA: CONCEITO DE LOGÍSTICA MISSÃO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA INTERNACIONAL POLÍTICAS ECONÔMICAS INTERNACIONAL FERRAMENTAS CHAVES DA LOGÍSTICA FERRAMENTAS DE SUPORTE GERENCIAMENTO LOGÍSTICO

Leia mais

BLOCO K Jan-2016. EFD ICMS/IPI Bloco K

BLOCO K Jan-2016. EFD ICMS/IPI Bloco K EFD ICMS/IPI Bloco K BLOCO K Jan-2016 Governança e Conformidade Legal Oportunidade para Melhorias de Produtividade Exige Integração de Processos e Áreas Funcionais Processos Integrados (ERP) é Fundamental

Leia mais

Metodologias de alinhamento PETI. Prof. Marlon Marcon

Metodologias de alinhamento PETI. Prof. Marlon Marcon Metodologias de alinhamento PETI Prof. Marlon Marcon Introdução O Alinhamento Estratégico tem por objetivo: alinhar os recursos organizacionais com as ameaças e as oportunidades do ambiente; Obter melhoria

Leia mais

Agenda. O que é Testar? Por que testar? Quando testar? Processo de teste Níveis de teste Tipos de teste Classificação dos testes.

Agenda. O que é Testar? Por que testar? Quando testar? Processo de teste Níveis de teste Tipos de teste Classificação dos testes. Agenda O que é Testar? Conceitos Por que testar? Quando testar? Custo do defeito Processo de teste Níveis de teste Tipos de teste Classificação dos testes Entendendo o que é TESTAR Testar é analisar um

Leia mais

As atividades que conciliam

As atividades que conciliam INÍCIO 2º BIM 9º AULA 18/OUT/2011 PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO A NATUREZA DO FORNECIMENTO E DA DEMANDA DEBATE EM GRUPO - QUESTIONÁRIO PLANEJAMENTO E CONTROLE VISA GERENCIAR AS ATIVIDADES DA OPERAÇÃO

Leia mais

Visão, Missão, Estratégia e Valores

Visão, Missão, Estratégia e Valores Visão, Missão, Estratégia e Valores A Nossa Visão Ser a empresa líder mundial em revestimentos, continuando a proporcionar soluções de alta qualidade, inovadoras e sustentáveis, nas quais os clientes confiam

Leia mais

Área de CONSTRUÇÃO CIVIL RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS S E N A I C I M A T E C REALIZAÇÃO

Área de CONSTRUÇÃO CIVIL RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS S E N A I C I M A T E C REALIZAÇÃO Palestra - NBR 15575 Desempenho das Edificações RESULTADOS ADEQUAÇÃO DE PROCESSOS NORMA DE DESEMPENHO GRUPO MINAS GERAIS REALIZAÇÃO APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO A Construtora Lage foi fundada em

Leia mais

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS:

FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: FUNÇÃO DESENVOLVER PESSOAS: Treinamento É o conjunto de métodos usados para transmitir aos funcionários novos e antigos as habilidades necessárias para o desempenho do trabalho. Referências: CHIAVENATO

Leia mais

Os Projetos Estratégicos das Forças Armadas: contribuição ao desenvolvimento nacional.

Os Projetos Estratégicos das Forças Armadas: contribuição ao desenvolvimento nacional. DEPARTAMENTO DA INDÚSTRIA DE DEFESA COMDEFESA FIESP Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Os Projetos Estratégicos das Forças Armadas: contribuição ao desenvolvimento nacional. Sergio Vaquelli

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Administração por Objetivo. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Administração por Objetivo. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Administração por Objetivo Professor: Roberto César Administração por Objetivos A partir da década de 1950, a Teoria Neoclássica deslocou a atenção antes fixada nas chamadas

Leia mais

Concurso da Prefeitura da São Paulo Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação

Concurso da Prefeitura da São Paulo Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação Contatos: E-mail: profanadeinformatica@yahoo.com.br Blog: http://profanadeinformatica.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/anapinf Concurso da Prefeitura da São Paulo Curso Gestão de Processos,

Leia mais

Gestão de Processos: Ciclo PDCA. Profa. Reane Franco Goulart

Gestão de Processos: Ciclo PDCA. Profa. Reane Franco Goulart Gestão de Processos: Ciclo PDCA Profa. Reane Franco Goulart O que é PDCA? É uma ferramenta da qualidade utilizada no controle do processo para a solução de problemas. É também chamado de Roda de Deming

Leia mais

ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO Matéria-Prima mais importante não tem existência física; Fonte de Valor Agregado - não existe garantia da sua permanência

ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO Matéria-Prima mais importante não tem existência física; Fonte de Valor Agregado - não existe garantia da sua permanência CENTRO UNIVERSITÁRIO ÁLVARES PENTEADO FECAP O Recurso Humano como Fator Crítico para o Sucesso Organizacional: Gestão do Conhecimento em Ação Isabel Macarenco FECAP Maria de Lurdes Zamora Damião FECAP

Leia mais

Métricas de Software

Métricas de Software Métricas de Software Plácido Antônio de Souza Neto 1 1 Gerência Educacional de Tecnologia da Informação Centro Federal de Educação Tecnologia do Rio Grande do Norte 2006.1 - Planejamento e Gerência de

Leia mais

Comunicação e Marketing Digital

Comunicação e Marketing Digital Comunicação e Marketing Digital ESPM - Campus Vila Olímpia Rua Gomes de Carvalho, 1195 Vila Olímpia São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1) Segunda a sexta 9h às

Leia mais

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento do Escopo do Projeto (PMBoK 5ª ed.) De acordo com o PMBok 5ª ed., o escopo é a soma dos produtos, serviços e resultados a serem fornecidos na forma de projeto. Sendo ele referindo-se a: Escopo

Leia mais

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio

SIG. USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio SIG USANDO A TECNOLOGIA COMO SUPORTE Tecnologias de Apoio Os Sistemas de Informações e os Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) podem ser manuais e eletrônicos. I parte SIGs eletrônicos Tecnologias

Leia mais

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Camila Araújo, sócia de Gestão de Riscos Empresariais e responsável do Centro de Governança Corporativa da Deloitte A pauta da ética e da transparência nunca

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências

Gestão de Pessoas e Avaliação por competências Gestão de Pessoas e Avaliação por competências quer a empresa que não existe! Funcionário quer o profissional que não existe! Empresa A visão evolutiva da área de Gestão de Pessoas... 1930 Surgem departamentos

Leia mais

O QUE SÃO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL EM ESTATÍSTICA PARTE I

O QUE SÃO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL EM ESTATÍSTICA PARTE I O QUE SÃO E QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS MEDIDAS DE TENDÊNCIA CENTRAL EM ESTATÍSTICA PARTE I O que são medidas de tendência central? Média Aritmética Simples Média Aritmética Ponderada Media Geométrica e Harmônica

Leia mais

Técnicas de Negociação. Seminários em Gestão de Novos Empreendimentos

Técnicas de Negociação. Seminários em Gestão de Novos Empreendimentos www.robsonrodrigues.com.br Seminários em Gestão de Novos Empreendimentos Centro Universitário de Jaraguá do Sul - UNERJ Administração Habilitação em Marketing 8a. Fase Semestre 2009/1 Prof. Adm. Marco

Leia mais

PLANEJAMENTO E CONTROLE INTEGRADOS DA PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO E CONTROLE INTEGRADOS DA PRODUÇÃO Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Mapeamento de Fluxo de Valor na Cadeia Produtiva PLANEJAMENTO E CONTROLE INTEGRADOS

Leia mais