Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos"

Transcrição

1 Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Índice Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Índice Pré-requisitos para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Restrições para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Informações sobre o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos SLAs IP do Cisco IOS Benefícios do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Como fazer a configuração do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configurando a Interface Primária para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configurando a Interface de Backup para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configurando o Monitoração de Redes com SLAs IP do Cisco IOS para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configurando a Política de Roteamento para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configurando a Rota Padrão da Interface Primária Usando o Roteamento Estático Configurando uma Rota Padrão Estática Flutuante na Interface Secundária Verificando o Estado do Objeto Rastreado para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Exemplos de Configurações para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplo de PPPoE Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplo de DHCP Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplos de Roteamento Estático Verificando o Estado do Objeto Rastreado: Exemplo Referências Adicionais Documentação Relacionada Padrões MIBs RFCs Assistência Técnica Referências a Comandos

2 ip dhcp client rota ip set ip next-hop dynamic dhcp show ip route track-table Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos apresenta a capacidade do software Cisco IOS em utilizar os pings do Protocolo de Mensagens de Controle da Internet (ICMP) para identificar o momento em que ocorre a desativação de um túnel de VPN do protocolo Point-to-Point over Ethernet (PPPoE) ou IP Security (IPSec), o que possibilita o início de uma conexão de backup por qualquer porta alternativa. O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos é compatível com as rotas estáticas pré-configuradas e com as configurações do Protocolo de Configuração de Host Dinâmico (DHCP). Versão 12.3(2)XE 12.3(8)T 12.3(14)T Modificação Este recurso foi introduzido. O suporte para este recurso foi integrado à versão 12.3(8)T do Cisco IOS. A interface de linha de comando (CLI) do Cisco IOS, utilizada para fazer a configuração do conjunto de recursos de monitoramento e gerenciamento de Acordos de Nível de Serviço (SLAs) de IP do Cisco IOS, foi modificada. 12.2(33)SRA Este recurso foi integrado ao Cisco IOS Versão 12.2(33)SRA. Histórico de Recursos para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Localizando Informações de Suporte para Plataformas e Imagens do Cisco IOS Software Use o Cisco Feature Navigator para localizar informações sobre suporte de plataforma e suporte de imagem do software Cisco IOS. Acesse o Cisco Feature Navigator em É necessário ter uma conta em Cisco.com. Se não possui uma conta ou esqueceu o nome de usuário ou a senha, clique em Cancelar na caixa de diálogo de login e siga as instruções exibidas. Índice Pré-requisitos para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Restrições para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Informações sobre o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Como fazer a configuração do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Exemplos de Configurações para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Referências Adicionais Referências a Comandos Pré-requisitos para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos O Dial-on-Demand Routing (DDR) deverá ser configurado se a conexão de backup estiver configurada em uma interface de discador. Para mais informações sobre configuração de DDR, consulte a parte "Configuração de Roteamento de Discagem sob Demanda" do Guia de Configuração de Tecnologias de Discagem do Cisco IOS. Restrições para Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Este recurso é suportado em todas as imagens do Cisco IOS Software para o Cisco 1700 Series Modular Access Routers, exceto na

3 imagem Base IP do Cisco IOS. Informações sobre o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Para fazer a configuração do recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos, é preciso compreender os seguintes conceitos: Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos SLAs IP do Cisco IOS Benefícios do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos inclui a capacidade de fazer backup com segurança das implantações de VPN do protocolo PPPoE ou IPSec, iniciando uma conexão de DDR por uma porta alternativa caso o circuito para o gateway primário esteja interrompido. O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos assegura o backup confiável no caso de eventos catastróficos diversos, como falha de circuito da Internet ou falha de dispositivo de mesmo nível. Um cenário típico é mostrado na Figura 1. Figura 1 Diagrama da Rede do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos O tráfego da LAN remota é redirecionado para o escritório principal pela interface primária do router remoto. Se a conexão com o escritório principal for perdida, o status do objeto rastreado será alterado de ativo para inativo. Quando o estado do objeto rastreado muda para inativo, a entrada da tabela de roteamento para a interface primária é removida e a rota estática flutuante pré-configurada é instalada na interface secundária. O tráfego então é redirecionado para o destino pré-configurado por meio da interface secundária. Se o DDR estiver configurado na interface secundária, o tráfego interessante o acionará. O circuito de backup pode ser configurado para usar a rede telefônica pública comutada (PSTN) ou a Internet. Quando o estado do objeto rastreado muda para de inativo para ativo, a entrada da tabela de roteamento para a interface primária é reinstalada e a rota estática flutuante para a interface secundária é removida. SLAs IP do Cisco IOS O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos utiliza os SLAs IP do Cisco IOS, um conjunto de recursos de monitoração de redes, para gerar pings ICMP a fim de monitorar o estado da conexão com o gateway primário. Os SLAs IP do Cisco IOS são configurados para executar ping em um destino, por exemplo, um endereço IP publicamente roteável ou um destino na rede corporativa. Os pings são roteados apenas pela interface primária. Um objeto de rastreio é criado para monitorar o status da configuração dos SLAs IP do Cisco IOS. O objeto de rastreio informa ao cliente, a rota estática, quando uma mudança de estado ocorre. A rota estática flutuante pré-configurada na interface secundária será instalada quando o estado mudar de ativo para inativo. HTTP GET, eco do Protocolo de Datagrama do Usuário (UDP) ou qualquer outro protocolo suportado pelos SLAs IP do Cisco IOS pode ser utilizado no lugar de pings ICMP. Benefícios do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos As implantações de VPN dos protocolos PPPoE e IPSec fornecem soluções de Internet, seguras e de baixo custo, que podem substituir os circuitos de discagem e Frame Relay tradicionais. O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos pode determinar o estado da conexão primária sem permitir um protocolo de roteamento dinâmico. O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos apresenta uma solução de backup confiável para as implantações de VPN dos protocolos PPPoE e IPSec, permitindo o uso dessas soluções em circuitos essenciais que não devem ser desativados sem o uso automático de um circuito de backup.

4 Como fazer a configuração do Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Esta seção contém as seguintes tarefas: Configurando a Interface Primária para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos (obrigatório) Configurando a Interface de Backup para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos (obrigatório) Configurando o Monitoração de Redes com SLAs IP do Cisco IOS para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos (obrigatório) Configurando a Política de Roteamento para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos (obrigatório) Configurando a Rota Padrão da Interface Primária Usando o Roteamento Estático (obrigatório) Configurando uma Rota Padrão Estática Flutuante na Interface Secundária (obrigatório) Verificando o Estado do Objeto Rastreado para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos (opcional) Configurando a Interface Primária para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Faça a configuração da conexão entre a interface primária e o gateway remoto. O status dessa conexão será monitorado pelo recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos. A interface primária pode ser configurada de três maneiras: para PPPoE, DHCP ou roteamento estático. Escolha um desses três tipos de configuração. Se não estiver seguro de qual método usar com sua configuração de rede, consulte seu provedor de serviços de Internet (ISP) ou o administrador da rede. Execute uma das seguintes tarefas para fazer a configuração da interface primária: Configurando a Interface Primária para PPPoE Configurando a Interface Primária para DHCP Configurando a Interface Primária para Roteamento Estático Configurando a Interface Primária para PPPoE Execute essa tarefa para fazer a configuração da interface primária, se estiver usando PPPoE. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. interface type number [name-tag] 4. description string 5. no ip address 6. pvc [name] vpi/vci [ces ilmi qsaal smds l2transport] 7. pppoe-client dial-pool-number number [dial-on-demand] ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio.

5 Router> enable Insira a senha, se solicitado. Etapa 2 configure terminal Router# configuração de terminal Etapa 3 interface type number [name-tag] Router(config)# interface ATM 0 Etapa 4 description string Router(config-if)# description primary-link Etapa 5 no ip address Router(config-if)# no ip address Etapa 6 pvc [name] vpi/vci [ces ilmi qsaal smds l2transport] Router(config-if)# pvc 0/33 Etapa 7 pppoe-client dial-pool-number number [dial-on-demand] Insere o modo de configuração global. Configura um tipo de interface e entra no modo de configuração de interface. Adiciona uma descrição a uma configuração de interface. Define o endereço IP primário ou secundário de uma interface. Cria ou atribui um nome a um circuito virtual permanente (PVC) ATM, especifica o tipo de encapsulamento em um PVC ATM e entra no modo de configuração de circuito virtual ATM. Configura um cliente PPPoE e especifica a funcionalidade DDR. Router(config-if-atm-vc)# pppoe-client dial-pool-number 1 Configurando a Interface Primária para DHCP Execute essa tarefa para fazer a configuração da interface primária, se estiver usando DHCP. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. interface type number [name-tag] 4. description string 5. ip dhcp client route track number 6. ip address dhcp ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Router> enable Etapa 2 configure terminal Router# configuração de terminal Etapa 3 interface type number [ name-tag] Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Configura um tipo de interface e entra no modo de configuração de interface.

6 Router(config)# interface FastEthernet 0/0 Etapa 4 description string Router(configif)# description primarylink Etapa 5 ip dhcp client route track number Router(config-if)# ip dhcp client route track 123 Etapa 6 ip address dhcp Adiciona uma descrição a uma configuração de interface. Configura o cliente DHCP para associar ao número de rastreio especificado todas as rotas adicionadas. route track number Associe um objeto de rastreio à rota estática instalada pelo DHCP. Os valores válidos de um argumento number variam de 1 a 500. Observação Faça a configuração do comando ip dhcp client antes de emitir o comando ip address dhcp em uma interface. O comando ip dhcp client é verificado apenas quando um endereço IP é obtido do DHCP. Se o comando ip dhcp client for emitido depois que um endereço IP tiver sido obtido do DHCP, ele só entrará em vigor na próxima vez que o router obtiver um endereço IP do DHCP. Obtém um endereço IP em uma interface Ethernet do DHCP. Router(config-if)# ip address dhcp Configurando a Interface Primária para Roteamento Estático Execute essa tarefa para fazer a configuração da interface primária, se estiver usando roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. interface type number [name-tag] 4. description string 5. ip address ip-address mask [secondary] ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Router> enable Etapa 2 configure terminal Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Router# configuração de terminal Etapa 3 interface type number [name-tag] Router(config)# interface FastEthernet 0/0 Etapa 4 description string Router(config-if)# description primarylink Etapa 5 ip address ip-address mask [ secondary] Configura um tipo de interface e entra no modo de configuração de interface. Adiciona uma descrição a uma configuração de interface. Define o endereço IP primário ou secundário de uma interface.

7 Router(config-if)# ip address Configurando a Interface de Backup para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Configuração de uma interface de backup para contato com o gateway remoto. Em caso de desativação da conexão entre a interface primária e o gateway remoto, a interface de backup será utilizada. Execute a seguinte tarefa para fazer a configuração da interface de backup. Esta tarefa se aplica às configurações de PPPoE, DHCP e roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. interface type number [name-tag] 4. description string 5. ip address ip-address mask [secondary] ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Router> enable Etapa 2 configure terminal Router# configure terminal Etapa 3 interface type number [name-tag] Router(config)# interface Dialer 0 Etapa 4 description string Router(config-if)# description backuplink Etapa 5 ip address ip-address mask [ secondary] Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Configura um tipo de interface e entra no modo de configuração de interface. Adiciona uma descrição a uma configuração de interface. Define o endereço IP primário ou secundário de uma interface. Router(config-if)# ip address Configurando o Monitoração de Redes com SLAs IP do Cisco IOS para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos O recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos utiliza uma configuração de SLAs IP do Cisco IOS para gerar pings ICMP a fim de monitorar o estado da conexão com o gateway primário. Desde a versão 12.3(14)T do Cisco IOS, a CLI utilizada para configurar os SLAs IP do Cisco IOS foi modificada. Execute uma das tarefas a seguir para fazer a configuração dos SLAs IP do Cisco IOS, dependendo de qual versão do software Cisco IOS estiver executando: Configurando SLAs IP do Cisco IOS para o Cisco IOS Versão 12.3(8)T, Cisco IOS Versão 12.3(11)T e Cisco IOS Versão 12.2(33)SRA Configurando SLAs IP do Cisco IOS para o Cisco IOS Versões 12.3(14)T, 12.4 e 12.4(2)T

8 Configurando SLAs IP do Cisco IOS para o Cisco IOS Versão 12.4(4)T e Posteriores Configurando SLAs IP do Cisco IOS para o Cisco IOS Versão 12.3(8)T, Cisco IOS Versão 12.3(11)T e Cisco IOS Versão 12.2(33)SRA Execute esta tarefa para criar uma configuração de SLAs IP e emitir ping para o endereço de destino. Esta tarefa se aplica às configurações de PPPoE, DHCP e roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. rtr [operation-number] 4. type echo protocol ipicmpecho {destination-ip-address destination-hostname} [source-ipaddr {ip-address hostname} 5. timeout milliseconds 6. frequency seconds 7. threshold milliseconds 8. exit 9. rtr schedule operation-number [life {forever seconds}] [start-time {hh:mm[:ss] [month day day month] pending now after hh:mm:ss}] [ageout seconds] 10. track object-number rtr rtr-operation {state reachability} ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Etapa 6 enable Router> enable configure terminal Comando ou Ação Router# configuração de terminal rtr [operation-number] Router(config)# rtr 1 type echo protocol ipicmpecho {destination-ip-address destination-hostname} [source-ipaddr {ip-address hostname} Router(config-rtr)# type echo protocol ipicmpecho timeout milliseconds Router(config-rtr)# timeout 1000 frequency seconds Router(config-rtr)# frequency 3 Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Inicia a configuração de uma operação de SLAs IP do Cisco IOS e entra no modo de configuração de RTR. Configura uma operação de prova de tempo de resposta de eco ponta a ponta para SLAs IP do Cisco IOS. Define o tempo de espera da operação de SLAs IP do Cisco IOS por uma resposta de seu pacote de requisições. Define se a taxa em que uma operação de SLAs IP do Cisco IOS especificada é enviada para a rede. Etapa 7 threshold milliseconds Define a elevação de limiar (histerese) que gera

9 Etapa 8 Etapa 9 Router(config-rtr)# threshold 2 exit Router(config-rtr)# exit rtr schedule operation-number [life {forever seconds}] [starttime {hh:mm[:ss] [month day day month] pending now after hh:mm:ss}] [ageout seconds] um evento de reação e armazena informações do histórico da operação de SLAs IP do Cisco IOS. Sai do modo de configuração de RTR. Configura uma operação de eco ICMP para SLAs IP do Cisco IOS. Router(config)# rtr schedule 1 life forever start-time now Etapa 10 track object-number rtr rtr-operation {state reachability} Router(config)# track 123 rtr 1 reachability Rastreia o estado de uma operação de SLAs IP do Cisco IOS e entra no modo de configuração de rastreamento. Configurando SLAs IP do Cisco IOS para o Cisco IOS Versões 12.3(14)T, 12.4 e 12.4(2)T Execute esta tarefa para criar uma configuração de SLAs IP e emitir ping para o endereço de destino. Esta tarefa se aplica às configurações de PPPoE, DHCP e roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. ip sla monitor [operation-number] 4. type echo protocol ipicmpecho {destination-ip-address destination-hostname} [source-ipaddr {ip-address hostname} source-interface interface-name] 5. timeout milliseconds 6. frequency seconds 7. threshold milliseconds 8. exit 9. ip sla monitor schedule operation-number [life {forever seconds}] [start-time {hh:mm[:ss] [month day day month] pending now after hh:mm:ss}] [ageout seconds] [recurring] 10. track object-number rtr rtr-operation {state reachability} ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 enable Router> enable configure terminal Comando ou Ação Router# configuração de terminal ip sla monitor [operation-number] Router(config)# ip sla monitor 1 Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Inicia a configuração de uma operação de SLAs IP do Cisco IOS e entra no modo de configuração de monitor de SLA IP.

10 Etapa 4 Etapa 5 Etapa 6 Etapa 7 Etapa 8 Etapa 9 type echo protocol ipicmpecho {destination-ip-address destination-hostname} [source-ipaddr {ip-address hostname} source-interface interface-name] Router(config-sla-monitor)# type echo protocol ipicmpecho timeout milliseconds Router(config-sla-monitor-echo)# timeout 1000 frequency seconds Router(config-sla-monitor-echo)# frequency 3 threshold milliseconds Router(config-sla-monitor-echo)# threshold 2 exit Router(config-sla-monitor-echo)# exit ip sla monitor schedule operation-number [life {forever seconds }] [start-time {hh:mm[:ss] [month day day month] pending now after hh:mm:ss}] [ageout seconds] [recurring] Router(config)# ip sla monitor schedule 1 life forever start-time now Etapa 10 track object-number rtr rtr-operation {state reachability} Router(config)# track 123 rtr 1 reachability Configura uma operação de tempo de resposta de eco de ICMP de ponta a ponta para SLAs IP do Cisco IOS. Define o tempo de espera da operação de SLAs IP do Cisco IOS por uma resposta de seu pacote de requisições. Define se a taxa em que uma operação de SLAs IP do Cisco IOS especificada é enviada para a rede. Define a elevação de limiar (histerese) que gera um evento de reação e armazena informações do histórico da operação de SLAs IP do Cisco IOS. Sai do modo de configuração de eco de ICMP para SLAs IP. Configura os parâmetros de agendamento de uma única operação de SLAs IP do Cisco IOS. Rastreia o estado de uma operação de SLAs IP do Cisco IOS e entra no modo de configuração de rastreamento. Configurando SLAs IP do Cisco IOS para o Cisco IOS Versão 12.4(4)T e Posteriores Execute esta tarefa para criar uma configuração de SLAs IP e emitir ping para o endereço de destino. Esta tarefa se aplica às configurações de PPPoE, DHCP e roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. ip sla [operation-number] 4. icmp-echo {destination-ip-address destination-hostname} [source-ip {ip-address hostname} source-interface interfacename] 5. timeout milliseconds 6. frequency seconds 7. threshold milliseconds 8. exit 9. ip sla schedule operation-number [life {forever seconds}] [start-time {hh:mm[:ss] [month day day month] pending now after hh:mm:ss}] [ageout seconds] [recurring]

11 10. track object-number rtr rtr-operation {state reachability} ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Etapa 6 Etapa 7 Etapa 8 enable Router> enable configure terminal Comando ou Ação Router# configuração de terminal ip sla [operation-number] Router(config)# ip sla monitor 1 icmp-echo {destination-ip-address destination-hostname} [source-ip {ip-address hostname} source-interface interface-name] Router(config-ip-sla)# type echo protocol ipicmpecho timeout milliseconds Router(config-ip-sla-echo)# timeout 1000 frequency seconds Router(config-ip-sla-echo)# frequency 3 threshold milliseconds Router(config-ip-sla-echo)# threshold 2 exit Router(config-ip-sla-echo)# exit Etapa 9 ip sla schedule operation-number [life {forever seconds}] [ start-time {hh:mm[:ss] [month day day month] pending now after hh:mm:ss}] [ageout seconds] [recurring] Router(config)# ip sla schedule 1 life forever start-time now Etapa 10 track object-number rtr rtr-operation {state reachability} Router(config)# track 123 rtr 1 reachability Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Inicia a configuração de uma operação de SLAs IP do Cisco IOS e entra no modo de configuração de monitor de SLA IP. Configura uma operação de tempo de resposta de eco de ICMP de ponta a ponta para SLAs IP do Cisco IOS. Define o tempo de espera da operação de SLAs IP do Cisco IOS por uma resposta de seu pacote de requisições. Define se a taxa em que uma operação de SLAs IP do Cisco IOS especificada é enviada para a rede. Define a elevação de limiar (histerese) que gera um evento de reação e armazena informações do histórico da operação de SLAs IP do Cisco IOS. Sai do modo de configuração de eco de ICMP para SLAs IP. Configura os parâmetros de agendamento de uma única operação de SLAs IP do Cisco IOS. Rastreia o estado de uma operação de SLAs IP do Cisco IOS e entra no modo de configuração de rastreamento. Configurando a Política de Roteamento para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Para rastrear o status da conexão primária com o gateway remoto, os pings ICMP dos SLAS IP do Cisco IOS devem ser roteados somente pela interface primária. Execute uma das tarefas a seguir para fazer a configuração de uma política de roteamento a qual assegure que os pings dos SLAs IP do Cisco IOS sejam roteados sempre fora da interface primária:

12 Configurando uma Política de Roteamento para PPPoE Configurando uma Política de Roteamento para DHCP Configurando uma Política de Roteamento para Roteamento Estático Configurando uma Política de Roteamento para PPPoE Execute essa tarefa para fazer a configuração de uma política de roteamento se a interface primária estiver configurada para PPPoE. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [timeout minutes]] {deny permit} icmp source source-wildcard destination destination-wildcard [icmp-type [icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [timerange time-range-name] [fragments] 4. route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] 5. match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] 6. set interface type number [... type number] 7. exit 8. ip local policy route-map map-tag ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Router> enable Etapa 2 configure terminal Router# configuração de terminal Etapa 3 access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [timeout minutes]] {deny permit} icmp source source-wildcard destination destination-wildcard [icmp-type [ icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [timerange time-range-name] [fragments] Router(config)# access-list 101 permit icmp any host echo Etapa 4 route-map map-tag [permit deny] [ sequence-number] Router(config)# route-map MY-LOCAL- POLICY permit 10 Etapa 5 match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] Router(config-route-map)# match ip address 101 Etapa 6 set interface type number [... type number] Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Define uma lista de acesso de IP estendida. Insere o modo de configuração de rota-mapa e define as condições para redistribuir rotas de um protocolo de roteamento para outro. Distribui quaisquer rotas que tiverem um endereço numérico da rede de destino permitido por uma lista de acesso estendida ou padrão ou realiza o roteamento de políticas em pacotes. Indica onde dar saída em pacotes que passam uma cláusula match de um mapa de rota para

13 Etapa 7 exit Router(config-route-map)# set interface null 0 roteamento de política. Observação A interface deve ser configurada para null 0 nesse cenário. Se o próximo salto não estiver definido porque a interface está desativada, o pacote será roteado para a interface nula e descartado. Caso contrário, o roteamento de políticas falhará e o pacote será roteado utilizando a placa Base de Informações de Roteamento (RIB). O roteamento do pacote com o uso da placa RIB não é desejável. Sai do modo de configuração de rota-mapa. Router(config-route-map)# exit Etapa 8 ip local policy route-map map-tag Router(config)# ip local policy route-map MY-LOCAL-POLICY Configurando uma Política de Roteamento para DHCP Identifica um mapa de rota a ser usado no roteamento de políticas local. Execute essa tarefa para fazer a configuração de uma política de roteamento se a interface primária estiver configurada para DHCP. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [timeout minutes]] {deny permit} icmp source source-wildcard destination destination-wildcard [icmp-type [icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [timerange time-range-name] [fragments] 4. route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] 5. match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] 6. set ip next-hop dynamic dhcp 7. exit 8. ip local policy route-map map-tag ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Router> enable Etapa 2 configure terminal Comando ou Ação Router# configuração de terminal Etapa 3 access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [ timeout minutes]] {deny permit} icmp source sourcewildcard destination destination-wildcard [icmp-type [ icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [time-range time-range-name] [ fragments] Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Define uma lista de acesso de IP estendida. Router(config)# access-list 101 permit icmp any host echo Etapa 4 route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] Insere o modo de configuração de

14 Router(config)# route-map MY-LOCAL-POLICY permit 10 Etapa 5 match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] Router(config-route-map)# match ip address 101 Etapa 6 set ip next-hop dynamic dhcp Etapa 7 exit Router(config-route-map)# set ip next-hop dynamic dhcp Router(config-route-map)# exit Etapa 8 ip local policy route-map map-tag Router(config)# ip local policy route-map MY-LOCAL- POLICY rota-mapa e define as condições para redistribuir rotas de um protocolo de roteamento para outro. Distribui quaisquer rotas que tiverem um endereço numérico da rede de destino permitido por uma lista de acesso estendida ou padrão ou realiza o roteamento de políticas em pacotes. Define o próximo salto para o gateway que foi recém-descoberto pelo cliente DHCP. Sai do modo de configuração de rota-mapa. Identifica um mapa de rota a ser usado no roteamento de políticas local. Configurando uma Política de Roteamento para Roteamento Estático Execute uma das tarefas a seguir se a interface primária estiver configurada para roteamento estático: Configurando uma Política de Roteamento para Roteamento Estático com um Gateway Primário Ponto a Ponto Configurando uma Política de Roteamento para Roteamento Estático com um Gateway Primário Multiponto Configurando uma Política de Roteamento para Roteamento Estático com um Gateway Primário Ponto a Ponto Execute essa tarefa para fazer a configuração de uma política de roteamento se a interface primária estiver configurada para roteamento estático e o gateway primário for ponto a ponto. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [timeout minutes]] {deny permit} icmp source source-wildcard destination destination-wildcard [icmp-type [icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [timerange time-range-name] [fragments] 4. route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] 5. match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] 6. set interface type number [... type number] 7. exit 8. ip local policy route-map map-tag ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Router> enable Etapa 2 configure terminal Comando ou Ação Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global.

15 Router# configuração de terminal Etapa 3 access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [ timeout minutes]] {deny permit} icmp source sourcewildcard destination destination-wildcard [icmp-type [ icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [time-range time-range-name] [ fragments] Router(config)# access-list 101 permit icmp any host echo Etapa 4 route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] Router(config)# route-map MY-LOCAL-POLICY permit 10 Etapa 5 match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] Router(config-route-map)# match ip address 101 Etapa 6 set interface type number [...type number] Etapa 7 exit Router(config-route-map)# set interface dialer 0 Null 0 Router(config-route-map)# exit Etapa 8 ip local policy route-map map-tag Router(config)# ip local policy route-map MY-LOCAL- POLICY Define uma lista de acesso de IP estendida. Insere o modo de configuração de rota-mapa e define as condições para redistribuir rotas de um protocolo de roteamento para outro. Distribui quaisquer rotas que tiverem um endereço numérico da rede de destino permitido por uma lista de acesso estendida ou padrão ou realiza o roteamento de políticas em pacotes. Indica onde dar saída em pacotes que passam uma cláusula match de um mapa de rota para roteamento de política. Sai do modo de configuração de rota-mapa. Identifica um mapa de rota a ser usado no roteamento de políticas local. Configurando uma Política de Roteamento para Roteamento Estático com um Gateway Primário Multiponto Execute essa tarefa para fazer a configuração de uma política de roteamento se a interface primária estiver configurada para roteamento estático e o gateway primário for multiponto. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [timeout minutes]] {deny permit} icmp source source-wildcard destination destination-wildcard [icmp-type [icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [timerange time-range-name] [fragments] 4. route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] 5. match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] 6. set ip next-hop ip-address [... ip-address] 7. set interface type number [... type number] 8. exit 9. ip local policy route-map map-tag ETAPAS DETALHADAS Comando ou Ação Propósito

16 Etapa 1 enable Router> enable Etapa 2 configure terminal Router# configuração de terminal Etapa 3 access-list access-list-number [dynamic dynamic-name [ timeout minutes]] {deny permit} icmp source sourcewildcard destination destination-wildcard [icmp-type [ icmp-code] icmp-message] [precedence precedence] [tos tos] [log log-input] [time-range time-range-name] [ fragments] Router(config)# access-list 101 permit icmp any host echo Etapa 4 route-map map-tag [permit deny] [sequence-number] Router(config)# route-map MY-LOCAL-POLICY permit 10 Etapa 5 match ip address {access-list-number access-list-name} [... access-list-number... access-list-name] Router(config-route-map)# match ip address 101 Etapa 6 set ip next-hop ip-address [... ip-address] Router(config-route-map)# set ip next-hop Etapa 7 set interface type number [... type number] Etapa 8 exit Router(config-route-map)# set interface null 0 Router(config-route-map)# exit Etapa 9 ip local policy route-map map-tag Router(config)# ip local policy route-map MY-LOCAL- POLICY Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Define uma lista de acesso de IP estendida. Insere o modo de configuração de rota-mapa e define as condições para redistribuir rotas de um protocolo de roteamento para outro. Distribui quaisquer rotas que tiverem um endereço numérico da rede de destino permitido por uma lista de acesso estendida ou padrão ou realiza o roteamento de políticas em pacotes. Indica onde dar saída em pacotes que passam uma cláusula match de um mapa de rota para roteamento de política. Indica onde dar saída em pacotes que passam uma cláusula match de um mapa de rota para roteamento de política. Sai do modo de configuração de rota-mapa. Identifica um mapa de rota a ser usado no roteamento de políticas local. Configurando a Rota Padrão da Interface Primária Usando o Roteamento Estático Execute essa tarefa para fazer a configuração da rota padrão estática apenas se estiver utilizando roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. ip route prefix mask {ip-address interface-type interface-number [ip-address]} [distance] [name] [permanent track number] [tag tag] ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado.

17 Router> enable Etapa 2 configure terminal Insere o modo de configuração global. Router# configuração de terminal Etapa 3 ip route prefix mask {ip-address interface-type interface-number [ip-address]} [distance] [name] [ permanent track number] [tag tag] Router(config)# ip route track 123 Estabelece rotas estáticas. track number Especifica que a rota estática será instalada apenas se o objeto de rastreio configurado estiver ativo. Configurando uma Rota Padrão Estática Flutuante na Interface Secundária Execute essa tarefa para fazer a configuração de uma rota padrão estática flutuante na interface secundária. Esta tarefa se aplica às configurações de PPPoE, DHCP e roteamento estático. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. configure terminal 3. ip route network-number network-mask {ip-address interface} [distance] [name name] ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Router> enable Etapa 2 configure terminal Comando ou Ação Router# configuração de terminal Etapa 3 ip route network-number network-mask {ip-address interface} [distance] [name name] Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Insere o modo de configuração global. Estabelece rotas estáticas e define o próximo salto. Router(config)# ip route Verificando o Estado do Objeto Rastreado para o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos Execute a tarefa a seguir para determinar se o estado do objeto rastreado é ativo ou inativo. RESUMO DAS ETAPAS 1. enable 2. show ip route track-table ETAPAS DETALHADAS Etapa 1 enable Comando ou Ação Router> enable Etapa 2 show ip route track-table Propósito Habilita o modo EXEC com privilégio. Insira a senha, se solicitado. Exibe informações sobre a tabela de rastreamento de rota IP. Router# show ip route track-table Exemplos de Configurações para o Backup de Roteamento Estático Confiável

18 Usando o Rastreamento de Objetos Esta seção fornece os seguintes exemplos de configurações: Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplo de PPPoE Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplo de DHCP Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplos de Roteamento Estático Verificando o Estado do Objeto Rastreado: Exemplo Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplo de PPPoE O exemplo a seguir configura o recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos, com o uso do PPPoE. A interface primária é uma interface ATM, enquanto a de backup é uma interface BRI. Esse exemplo se aplica ao Cisco IOS versões 12.3(8)T, 12.3(11)T e 12.2(33)SRA. interface ATM 0 description primary-link no ip address pvc 0/33 pppoe-client dial-pool-number 1! interface BRI 0 description backup-link ip address ! rtr 1 type echo protocol ipicmpecho timeout 1000 frequency 3 threshold 2 rtr schedule 1 life forever start-time now track 123 rtr 1 reachability access list 101 permit icmp any host echo route map MY-LOCAL-POLICY permit 10

19 match ip address 101 set interface null 0! ip local policy route-map MY-LOCAL-POLICY ip route Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplo de DHCP O exemplo a seguir configura o recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos, com o uso do DHCP. A interface primária é uma interface Ethernet, enquanto a de backup é uma interface serial. Este exemplo se aplica ao Cisco IOS versão 12.3(14)T e acima. interface ethernet 0/0 description primary-link ip dhcp client route track 123 ip address dhcp interface serial 0 description backup-link ip address ip sla monitor 1 type echo protocol ipicmpecho timeout 1000 frequency 3 threshold 2 ip sla monitor schedule 1 life forever start-time now track 123 rtr 1 reachability access list 101 permit icmp any host echo route map MY-LOCAL-POLICY permit 10

20 match ip address 101 set ip next-hop dynamic dhcp! ip local policy route-map MY-LOCAL-POLICY ip route Configurando o Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos: Exemplos de Roteamento Estático O exemplo a seguir configura o recurso de Backup de Roteamento Estático Confiável Usando o Rastreamento de Objetos, com o uso do roteamento estático para um gateway primário ponto a ponto. A interface primária é uma interface PPPoE Fast Ethernet, enquanto a de backup é uma interface de discador. Este exemplo se aplica ao Cisco IOS versão 12.3(14)T e acima. interface FastEthernet 0/0 description primary-link ip address interface Dialer 0 description backup-link ip address ip sla monitor 1 type echo protocol ipicmpecho timeout 1000 frequency 3 threshold 2 ip sla monitor schedule 1 life forever start-time now track 123 rtr 1 reachability access list 101 permit icmp any host echo route map MY-LOCAL-POLICY permit 10 match ip address 101

Handson Policy Based Routing

Handson Policy Based Routing Handson Policy Based Routing Esquema de Rede Esquema Endereçamento Nome Interface IP Máscara Descrição PBR Serial 0/0/0 10.0.0.1 /30 Protected Connection Serial 0/0/1 10.0.0.5 /30 Free Connection FastEthernet

Leia mais

Parte 2 Usando o CLI do Roteador

Parte 2 Usando o CLI do Roteador Parte 2 Usando o CLI do Roteador O acesso à CLI Comand Line Interface, é feita pelo usuário no roteador com um terminal ou remotamente. Quando acessamos um roteador, devemos efetuar login nele antes de

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 3 - Configurando um Roteador 1 Objetivos do Capítulo Dar nome a um roteador; Definir senhas; Examinar comandos show; Configurar uma interface

Leia mais

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco 2014/1 Roteiro de Aula Correção Exercícios Aula Anterior O que é o Roteador? Componentes

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT Dinâmico e Estático

Laboratório - Configuração de NAT Dinâmico e Estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático

Laboratório - Configuração de NAT dinâmico e estático Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão Objetivos Gateway G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/1 209.165.201.18 255.255.255.252 N/A ISP

Leia mais

Capítulo 9: Listas de Controle de Acesso

Capítulo 9: Listas de Controle de Acesso Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 9: Listas de Controle de Acesso Roteamento e switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers Presentation_ID 1

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 11 - Listas de Controle de Acesso (ACLs( ACLs) 1 Objetivos do Capítulo Descrever as diferenças entre ACLs estendidas; Explicar as regras de

Leia mais

Laboratório 2.3.1 Configurando o Processo de Roteamento OSPF

Laboratório 2.3.1 Configurando o Processo de Roteamento OSPF Laboratório 2.3.1 Configurando o Processo de Roteamento OSPF Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a área 0 OSPF. Configurar e verificar o roteamento OSPF (Open Shortest Path First) Fundamentos

Leia mais

Laboratório Configuração de um túnel ponto a ponto VPN GRE

Laboratório Configuração de um túnel ponto a ponto VPN GRE Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão OESTE G0/1 172.16.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 (DCE) 10.1.1.1 255.255.255.252 N/A Tunnel0 172.16.12.1

Leia mais

CST em Redes de Computadores

CST em Redes de Computadores CST em Redes de Computadores Dispositivos de Rede I Aula 03 Configuração Básica Cisco IOS Prof: Jéferson Mendonça de Limas O que é um Roteador? O roteador é composto de: CPU (Processador) RAM ROM Sistema

Leia mais

Laboratório 1.2.3 Revisão da Configuração Básica do Roteador com RIP

Laboratório 1.2.3 Revisão da Configuração Básica do Roteador com RIP Laboratório 1.2.3 Revisão da Configuração Básica do Roteador com RIP Objetivo Cabear e configurar as estações de trabalho e os roteadores Configurar um esquema de endereçamento IP usando redes classe B

Leia mais

Laboratório 11.2.2b Listas de acesso simples e estendidas

Laboratório 11.2.2b Listas de acesso simples e estendidas Laboratório 11.2.2b Listas de acesso simples e estendidas 262-294 CCNA 2: Roteadores e Roteamento, Conc. Básicos v 3.1 - Laboratório 11.2.2b Copyright 2003, Cisco Systems, Inc. Objetivo Situação Neste

Leia mais

Laboratório 2.3.4 Configurando a Autenticação OSPF

Laboratório 2.3.4 Configurando a Autenticação OSPF Laboratório 2.3.4 Configurando a Autenticação OSPF Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a área OSPF (Open Shortest Path First). Configurar e verificar o roteamento OSPF. Introduzir a

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Antes de começar a configurar o seu switch, você deve estabelecer suas conexões. Existem dois tipos de conexões: através da porta de console e através da porta Ethernet. A porta

Leia mais

Packet Tracer - Configurando ACLs Estendidas - Cenário 1

Packet Tracer - Configurando ACLs Estendidas - Cenário 1 Topologia Tabela de Endereçamento R1 Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway Padrão G0/0 172.22.34.65 255.255.255.224 N/A G0/1 172.22.34.97 255.255.255.240 N/A G0/2 172.22.34.1 255.255.255.192

Leia mais

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva

24/03/2015. Prof. Marcel Santos Silva Prof. Marcel Santos Silva Embora os roteadores possam ser usados para segmentar os dispositivos de LAN, seu principal uso é como dispositivos de WAN. Os roteadores têm interfaces de LAN e WAN. As tecnologias

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES Sumário 1. Fundamentos e Infraestrutura de Redes de Computadores... 5 1.1. Laboratório 01 IP... 6 1.2. Laboratório 02 IP... 8 1.3. Laboratório 03 DHCP... 10 1.4. Laboratório 04 NAT... 13 1.5. Laboratório

Leia mais

Laboratório 3.2.3 Verificando a Configuração Básica de EIGRP

Laboratório 3.2.3 Verificando a Configuração Básica de EIGRP Laboratório 3.2.3 Verificando a Configuração Básica de EIGRP Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a rede. Configurar e verificar o funcionamento do EIGRP (Enhanced Interior Gateway Routing

Leia mais

Semestre 4 do CCNA Prova final baseada em habilidades Treinamento do aluno Diretrizes para o instrutor Visão geral e administração da prova

Semestre 4 do CCNA Prova final baseada em habilidades Treinamento do aluno Diretrizes para o instrutor Visão geral e administração da prova Semestre 4 do CCNA Prova final baseada em habilidades Treinamento do aluno Diretrizes para o instrutor Visão geral e administração da prova Esta prova deve ser utilizada nas aulas regulares do CCNA ministradas

Leia mais

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia

Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA. III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Administração de Redes e Conectividade ao PoP-BA III WTR do PoP-BA Luiz Barreto luiz@pop-ba.rnp.br PoP-BA: Ponto de Presença da RNP na Bahia Sumário Fundamentos Arquitetura OSI e TCP/IP Virtual LAN: Dispositivos

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva

CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO. Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva CONFIGURAÇÃO DE ROTEADORES CISCO Prof. Dr. Kelvin Lopes Dias Msc. Eng. Diego dos Passos Silva ROTEADOR Roteador CISCO 2600: INTERFACES DE UM ROTEADOR - Interface p/ WAN - Interface p/ LAN - Interface p/

Leia mais

Laboratório 1.1.4a Configuração do NAT

Laboratório 1.1.4a Configuração do NAT Laboratório 1.1.4a Configuração do NAT Objetivo Configurar um roteador para que use tradução de endereços de rede (NAT) para converter endereços IP internos, normalmente privados, para endereços públicos

Leia mais

Laboratório 3.2.1 Configurando o Roteamento EIGRP

Laboratório 3.2.1 Configurando o Roteamento EIGRP Laboratório 3.2.1 Configurando o Roteamento EIGRP Objetivo Configurar um esquema de endereçamento IP para a rede. Configurar e verificar o funcionamento do EIGRP (Enhanced Interior Gateway Routing Protocol);

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº6

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº6 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº6 Configuração básica de um router Configuração do protocolo de routing RIP 1 Objectivo

Leia mais

Handson Cisco IOS VPN. (Guião CE1)

Handson Cisco IOS VPN. (Guião CE1) Handson Cisco IOS VPN (Guião CE1) Esquema de Rede Esquema Endereçamento Nome Interface IP Máscara Descrição CE1 Serial 0/0/0 191.18.24.2 255.255.255.252 Ligação Service Provider FastEthernet 0/0 192.168.1.1

Leia mais

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador

A camada de rede. A camada de rede. A camada de rede. 4.1 Introdução. 4.2 O que há dentro de um roteador Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo A camada de rede.1 Introdução.2 O que há dentro de um roteador.3 IP: Protocolo da Internet Endereçamento IPv. Roteamento.5 Roteamento na Internet (Algoritmos

Leia mais

Atividade PT 5.3.4: Configurando ACLs estendidas Diagrama de topologia

Atividade PT 5.3.4: Configurando ACLs estendidas Diagrama de topologia Diagrama de topologia All contents are Copyright 2007-2009 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. This document is Cisco Public Information. Página 1 de 8 Tabela de endereçamento Dispositivo Interface

Leia mais

Laboratório 1.1.4b Configuração do PAT

Laboratório 1.1.4b Configuração do PAT Laboratório 1.1.4b Configuração do PAT Objetivo Configurar um roteador para que use PAT (Port Address Translation, tradução de endereços de porta) para converter endereços IP internos, normalmente privados,

Leia mais

Protocolos em Redes de Dados 2000-2001 Ficha de Laboratório Número 4 BGP

Protocolos em Redes de Dados 2000-2001 Ficha de Laboratório Número 4 BGP Protocolos em Redes de Dados 2000-2001 Ficha de Laboratório Número 4 BGP Luís Pires e Luís Rodrigues 12 de Dezembro de 2000 Agradecimento Os encaminhadores utilizados neste trabalho foram amavelmente cedidos

Leia mais

Administração de Sistemas

Administração de Sistemas Administração de Sistemas Orlando Sousa Aula 6 Listas de controlo de acesso (ACLs) NAT Listas de controlo de acesso Permite filtrar tráfego (efectua testes aos pacotes de dados. Ex: nega ou permite em

Leia mais

Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch

Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch Laboratório - Configuração de um endereço de gerenciamento do switch Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway Padrão Objetivos S1 VLAN 1 192.168.1.2

Leia mais

O conteúdo Cisco Networking Academy é protegido e a publicação, distribuição ou compartilhamento deste exame é proibida.

O conteúdo Cisco Networking Academy é protegido e a publicação, distribuição ou compartilhamento deste exame é proibida. O conteúdo Cisco Networking Academy é protegido e a publicação, distribuição ou compartilhamento deste exame é proibida. 1 Quando protocolos sem conexão são implementados nas camadas mais inferiores do

Leia mais

Encaminhamento exterior BGP-4

Encaminhamento exterior BGP-4 Encaminhamento exterior BGP-4 (quarto trabalho laboratorial) FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Bancada de trabalho Topologia genérica (OSPF e BGP) Objectivo e descrição sumária Os

Leia mais

Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal

Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal Laboratório - Gerenciamento de arquivos de configuração de roteador com software de emulação de terminal Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway

Leia mais

Listas de Acesso (ACL).

Listas de Acesso (ACL). Raphael Guimarães Gonçalves raphagg@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br http://mesonpi.cat.cbpf.br/naj. Resumo Neste trabalho serão apresentadas as Listas de Acesso, que são uma ferramenta que existem

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. A camada de rede

Redes de computadores e a Internet. A camada de rede Redes de computadores e a Internet Capitulo Capítulo 4 A camada de rede A camada de rede Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de rede: Roteamento (seleção de caminho) Escalabilidade

Leia mais

Laboratório 11.2.3b Listas de acesso estendidas para DMZ simples

Laboratório 11.2.3b Listas de acesso estendidas para DMZ simples Laboratório 11.2.3b Listas de acesso estendidas para DMZ simples Objetivo Situação Neste laboratório, será explorado o uso de listas de acesso estendidas para criação de uma Zona Desmilitarizada (DMZ).

Leia mais

MULTIPLOS LINKS DE INTERNET, BALANCEAMENTO DE TRÁFEGO E GERENCIAMENTO DE FALHAS

MULTIPLOS LINKS DE INTERNET, BALANCEAMENTO DE TRÁFEGO E GERENCIAMENTO DE FALHAS MULTIPLOS LINKS DE INTERNET, BALANCEAMENTO DE TRÁFEGO E GERENCIAMENTO DE FALHAS O objetivo deste documento é descrever a criação de um roteador para acessar uma rede que use várias conexões de Internet,

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais

Laboratório - Identificação e Solução de Problemas de Configuração de VLAN

Laboratório - Identificação e Solução de Problemas de Configuração de VLAN Laboratório - Identificação e Solução de Problemas de Configuração de VLAN Topologia Tabela de Endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-rede Gateway padrão S1 VLAN 1 192.168.1.2 255.255.255.0

Leia mais

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco

Introdução Fourth level à Tecnologia Cisco Instituto Federal do Ceará IFCE Campus de Canindé Prof. DSc. Rodrigo Costa - rodrigo.costa@ifce.edu.br Introdução à Tecnologia Cisco Definições Básicas Mercado em Redes Componentes Básicos Funcionamento

Leia mais

Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não

Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não Este documento é propriedade exclusiva da Cisco Systems, Inc. É concedida permissão para cópia e impressão deste documento para distribuição não comercial e uso exclusivo pelos instrutores no curso CCNA

Leia mais

Consulte a exposição. Qual declaração descreve corretamente como R1 irá determinar o melhor caminho para R2?

Consulte a exposição. Qual declaração descreve corretamente como R1 irá determinar o melhor caminho para R2? 1. Que duas declarações descrevem corretamente os conceitos de distância administrativa e métrica? (Escolha duas.) a) Distância administrativa refere-se a confiabilidade de uma determinada rota. b) Um

Leia mais

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Professor Rene - UNIP 1 Introdução do capitulo Função do roteador Roteamento estático O roteador é um computador com uma finalidade

Leia mais

Laboratório 1.2.4 Convertendo RIP v1 para RIP v2

Laboratório 1.2.4 Convertendo RIP v1 para RIP v2 Laboratório 1.2.4 Convertendo RIP v1 para RIP v2 Objetivo Configurar RIP v1 nos roteadores. Converter para RIP v2 nos roteadores. Fundamentos / Preparação Instale uma rede semelhante à ilustrada no diagrama.

Leia mais

Configurando o roteador para roteador do IPsec com sobrecarga e Cisco Secure VPN Client NAT

Configurando o roteador para roteador do IPsec com sobrecarga e Cisco Secure VPN Client NAT Configurando o roteador para roteador do IPsec com sobrecarga e Cisco Secure VPN Client NAT Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações

Leia mais

Relató rió. Gestão de equipamento activo de rede

Relató rió. Gestão de equipamento activo de rede Relató rió INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Gestão de equipamento activo de rede Trabalho realizado por: Tiago Conceição Nº 11903 Tiago Maques Nº 11904 Paulo Martins

Leia mais

Configurando uma rede Frame Relay + EIGRP

Configurando uma rede Frame Relay + EIGRP Configurando uma rede Frame Relay + EIGRP Para configurarmos uma rede Frame Relay, é importante antes de tudo definir as redes para melhor nos orientarmos. Iremos trabalhar com 3 filiais, sendo: SP, RJ,

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - Roteamento www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Roteamento Roteamento é a técnica que define por meio de um conjunto de regras como os dados originados em

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br Camada de Redes (Continuação) 2 Camada de Rede 3 NAT: Network Address Translation restante da Internet 138.76.29.7 10.0.0.4 rede local (ex.: rede doméstica) 10.0.0/24

Leia mais

Laboratório 9.3.6 Configurando o roteamento Inter-VLAN

Laboratório 9.3.6 Configurando o roteamento Inter-VLAN Laboratório 9.3.6 Configurando o roteamento Inter-VLAN Objetivo Criar uma configuração básica de switch e verificá-la. Criar várias VLANs, nomeá-las e atribuir várias portas a elas. Criar uma configuração

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES

AGENTE PROFISSIONAL - ANALISTA DE REDES Página 1 CONHECIMENTO ESPECÍFICO 01. Suponha um usuário acessando a Internet por meio de um enlace de 256K bps. O tempo mínimo necessário para transferir um arquivo de 1M byte é da ordem de A) 4 segundos.

Leia mais

Laboratório 11.2.1a Configuração de listas de acesso padrão

Laboratório 11.2.1a Configuração de listas de acesso padrão Laboratório 11.2.1a Configuração de listas de acesso padrão Objetivo Configurar e aplicar uma ACL padrão, para permitir ou negar tráfego específico. Testar a ACL, para determinar se os resultados desejados

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais

Trabalho de VLANs e Redes IP

Trabalho de VLANs e Redes IP Trabalho de VLANs e Redes IP FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2008/09 José Ruela Bancada de trabalho Configuração inicial Inicialmente todos os computadores gnuxy devem estar configurados na mesma

Leia mais

Configurando o Balanceamento de Carga em Concentradores VPN 3000

Configurando o Balanceamento de Carga em Concentradores VPN 3000 Configurando o Balanceamento de Carga em Concentradores VPN 3000 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Principais definições Diagrama de Rede Endereços Restrições

Leia mais

Laboratório - Acesso a dispositivos de rede com SSH

Laboratório - Acesso a dispositivos de rede com SSH Topologia Tabela de endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de subrede Gateway padrão Objetivos R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 ND S1 VLAN 1 192.168.1.11 255.255.255.0 192.168.1.1 PC-A

Leia mais

Load Balance / Route Policy (para series Vigor 2860 / Vigor 2925)

Load Balance / Route Policy (para series Vigor 2860 / Vigor 2925) Load Balance / Route Policy (para series Vigor 2860 / Vigor 2925) Route Policy (também conhecido como PBR, policy-based routing) é um recurso que permite configurar estratégias de roteamento. Os pacotes

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores 1 Elmano R. Cavalcanti Redes de Computadores Camada de Rede elmano@gmail.com facisa-redes@googlegroups.com http://sites.google.com/site/elmano Esta apresentação contém slides fornecidos pela Editora Pearson

Leia mais

Módulo 8. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Módulo 8. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Módulo 8 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Roteamento IP (Internet Protocol) 2 Roteamento IP 3 Roteamento IP Tarefa executada pelo protocolo

Leia mais

Laboratório Coleta e análise de dados do NetFlow

Laboratório Coleta e análise de dados do NetFlow Topologia Tabela de Endereçamento Objetivos Dispositivo Interface Endereço IP Gateway padrão R1 G0/0 192.168.1.1/24 N/A S0/0/0 (DCE) 192.168.12.1/30 N/A R2 G0/0 192.168.2.1/24 N/A S0/0/0 192.168.12.2/30

Leia mais

Laboratório 8.2.4 Verificando Configurações de VLANs.

Laboratório 8.2.4 Verificando Configurações de VLANs. Laboratório 8.2.4 Verificando Configurações de VLANs. Objetivo Criar uma configuração básica de switch e verificá-la. Criar duas VLANs. Nomear as VLANs e atribuir várias portas a elas. Testar a funcionalidade,

Leia mais

Configuração de Rede

Configuração de Rede Configuração de Rede 1. Configuração de rede no Windows: A finalidade deste laboratório é descobrir quais são as configurações da rede da estação de trabalho e como elas são usadas. Serão observados a

Leia mais

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga

Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga Roteiro de Práticas de Roteamento IGP usando Quagga OSPF O objetivo desse roteiro é mostrar como o pacote Quagga pode ser utilizado para construir roteadores com suporte a protocolos de roteamento utilizando

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

PROTOCOLO PPP. Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2

PROTOCOLO PPP. Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2 PROTOCOLO PPP Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2 RESUMO Neste trabalho é apresentado o Protocolo PPP, Suas principais características e seu funcionamento. Suas variações também são enfocadas

Leia mais

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação

PROAPPS Security Data Sheet Professional Appliance / Apresentação O ProApps Security O ProApps Security é um componente da suíte de Professional Appliance focada na segurança de sua empresa ou rede. A solução pode atuar como gateway e como solução IDS/IPS no ambiente.

Leia mais

Suporte de NAT para conjuntos múltiplos utilizando mapas de rota

Suporte de NAT para conjuntos múltiplos utilizando mapas de rota Suporte de NAT para conjuntos múltiplos utilizando mapas de rota Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Abordagem de lista de acesso Método de

Leia mais

Autenticação modo Roteador. Após finalizar a configuração, seu computador obterá o IP e a página de configuração do ATA poderá ser acessada.

Autenticação modo Roteador. Após finalizar a configuração, seu computador obterá o IP e a página de configuração do ATA poderá ser acessada. 2. Conecte a porta WAN do GKM 2210 T ao seu acesso à internet (porta ethernet do modem). O LED WAN acenderá; 3. Conecte a porta LAN à placa de rede do PC. O LED LAN acenderá; 4. Conecte o(s) telefone(s)

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste exercício deve conseguir completar as seguintes

Leia mais

Protocolo OSPF UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br

Protocolo OSPF UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br UNIP rffelix70@yahoo.com.br Introdução Protocolo OSPF O protocolo OSPF é um protocolo de roteamento link-state (estado de enlace). A idéia por trás de roteamento link-state é simples e pode ser apresentada

Leia mais

Laboratório 5.5.1: Listas de controle de acesso básico

Laboratório 5.5.1: Listas de controle de acesso básico Diagrama de topologia Tabela de endereçamento Dispositivo Interface Endereço IP R1 R2 R3 Máscara de sub-rede Gateway padrão Fa0/0 192.168.10.1 255.255.255.0 N/A Fa0/1 192.168.11.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Listas de Controlo de Acesso (ACLs)

Listas de Controlo de Acesso (ACLs) ISEP - Administração de Sistemas 2007/2008 1/9 Listas de Controlo de Acesso (ACLs) Permitem filtrar tráfego (efectuam testes aos pacotes de dados. Ex: negam ou permitem em função do endereço ou tipo de

Leia mais

Protocolo de roteamento EIGRP. kraemer

Protocolo de roteamento EIGRP. kraemer Protocolo de roteamento EIGRP Cronograma Introdução Formato das mensagens Módulos independentes de protocolos Tipos de pacote Protocolo Hello Atualizações associadas Algoritmo DUAL Distância administrativa

Leia mais

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch)

Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Unisul Sistemas de Informação Redes de Computadores Capítulo 2: Introdução às redes comutadas (configuração switch) Roteamento e Switching Academia Local Cisco UNISUL Instrutora Ana Lúcia Rodrigues Wiggers

Leia mais

Roteiro para Prática 01 GNS e comandos da Cisco

Roteiro para Prática 01 GNS e comandos da Cisco Ponto de Presença da RNP na Bahia PoP-BA/RNP Universidade Federal da Bahia Departamento de Ciência da Computação Curso de Extensão em Administração de Redes Instrutor: Italo Valcy Roteiro para Prática

Leia mais

Este documento é propriedade intelectual 2013 do Núcleo de Educação a distância da NRsystem e distribuído sob os seguintes termos:

Este documento é propriedade intelectual 2013 do Núcleo de Educação a distância da NRsystem e distribuído sob os seguintes termos: NRSYSTEM SOLUÇÕES Fundamentos de Design de Interfaces para Internet Este documento é propriedade intelectual 2013 do Núcleo de Educação a distância da NRsystem e distribuído sob os seguintes termos: 1.

Leia mais

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 1.1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES...16 1.2 O PAPEL DO GERENTE DE REDES...18 1.3 VOCÊ: O MÉDICO DA REDE...20 1.4 REFERÊNCIAS...23 1.4.1 Livros...23

Leia mais

Estudos de caso do BGP

Estudos de caso do BGP Estudos de caso do BGP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Estudos de caso do BGP 1 Como funciona o BGP? ebgp e ibgp Ativar roteamento de BGP Forme vizinhos de BGP

Leia mais

Tutorial de como configurar o Roteador DIR-600 Wireless 150

Tutorial de como configurar o Roteador DIR-600 Wireless 150 Tutorial de como configurar o Roteador DIR-600 Wireless 150 Para começar a configurar sua rede sem fio, conecte o cabo de rede do seu computador ao roteador em uma porta LAN, e outro cabo do seu modem

Leia mais

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1

Segurança de Rede Prof. João Bosco M. Sobral 1 1 Sinopse do capítulo Problemas de segurança para o campus. Soluções de segurança. Protegendo os dispositivos físicos. Protegendo a interface administrativa. Protegendo a comunicação entre roteadores.

Leia mais

Diego Ragazzi http://www.ragazzid.com.br http://blog.ragazzid.com.br http://estudo.ragazzid.com.br

Diego Ragazzi http://www.ragazzid.com.br http://blog.ragazzid.com.br http://estudo.ragazzid.com.br Diego Ragazzi http://www.ragazzid.com.br http://blog.ragazzid.com.br http://estudo.ragazzid.com.br Exercício final CCNA-C1 Esse exercício irá tentar abordar o maior número possível de conteúdos que são

Leia mais

Redes IP. M. Sc. Isac Ferreira isac.colares@estacio.br. Telecomunicações e Redes de Computadores: Tecnologias Convergentes

Redes IP. M. Sc. Isac Ferreira isac.colares@estacio.br. Telecomunicações e Redes de Computadores: Tecnologias Convergentes Redes IP M. Sc. Isac Ferreira isac.colares@estacio.br Telecomunicações e Redes de Computadores: Tecnologias Convergentes Lista de Controle de Acesso (ACL) Uma ACL, no contexto dos produtos Cisco, é um

Leia mais

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS

CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento. Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS CCNA 2 Conceitos Básicos de Roteadores e Roteamento Capítulo 5 - Gerenciamento do Software Cisco IOS 1 Objetivos do Capítulo Descrever a seqüência e a importância da inicialização do IOS nos roteadores

Leia mais

cio Roteamento Linux

cio Roteamento Linux Exercício cio Roteamento Linux Edgard Jamhour Exercícios práticos para configuração de roteamento usando Linux Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.br

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede. net_connect série 3.0 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 3.0 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se somente para

Leia mais

Configurar o router de banda larga sem fios.

Configurar o router de banda larga sem fios. Configurar o router de banda larga sem fios. 1.1 Arrancar e iniciar sessão Active o seu browser e desactive o proxy ou adicione o endereço IP deste produto às excepções. Em seguida, introduza o endereço

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento

QUAL O PROCEDIMENTO PARA CONFIGURAR AS IMPRESSORAS DE REDE BROTHER EM UM SISTEMA DEC TCP / IP para VMS (UCX) Procedimento Procedimento Visão geral Antes de usar a máquina Brother em um ambiente de rede, você precisa instalar o software da Brother e também fazer as configurações de rede TCP/IP apropriadas na própria máquina.

Leia mais

Laboratório Configuração do SNMP

Laboratório Configuração do SNMP Topologia Tabela de Endereçamento Objetivos Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 192.168.2.1 255.255.255.252 N/A R2 S0/0/0 192.168.2.2

Leia mais

Configurações para utilização de IPv6.

Configurações para utilização de IPv6. Configurações para utilização de IPv6. Devido a escassez de endereços IPv4 muitos países começaram a utilizar o IPv6 para solucionar este problema. Entretanto, para continuar utilizando os recursos do

Leia mais

Redes de computadores e a Internet. Capitulo 4. Capítulo. A camada de rede

Redes de computadores e a Internet. Capitulo 4. Capítulo. A camada de rede Redes de computadores e a Internet 4 Capitulo 4 Capítulo A camada de rede A camada de rede Objetivos do capítulo: Entender os princípios dos serviços da camada de rede: Roteamento (seleção de caminho)

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Arquitetura do Protocolo da Internet. Aula 05 - Protocolos de Roteamento. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.

Arquitetura do Protocolo da Internet. Aula 05 - Protocolos de Roteamento. Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu. Arquitetura do Protocolo da Internet Aula 05 - Protocolos de Roteamento Prof. Esp. Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Revisão Roteamento; Gateway; Tabelas de Roteamento; Slide 2 de 82 Rotas?!

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de conectividade de rede net_connect série 2.9 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Snap Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: Objectivos Neste laboratório deve conseguir completar a seguintes

Leia mais