É admitida, pois não há qualquer impedimento legal para tanto.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "É admitida, pois não há qualquer impedimento legal para tanto."

Transcrição

1 Reconvenção da Reconvenção É admitida, pois não há qualquer impedimento legal para tanto. EX: Ação de cobrança Contestação alegando compensação Reconvenção pleiteando a diferença Na reconvenção, há contestação dizendo que não há diferença Nova reconvenção aduzindo a nulidade do contrato. Procedimento na Reconvenção 1. anotação no distribuidor (art. 253, único, CPC) 2. intimação do reconvindo na pessoa de seu procurador para apresentar resposta 3. Prazo para contestação = 15 dias (observar os prazos especiais 188 e 191, CPC) 4. Instrução conjunta com a demanda original, com julgamento em uma única sentença 5. Demandas com relativa independência (art. 317, CPC) 5. REVELIA 5.1. Introdução Conceito: É a ausência de resposta do réu. Revel é aquele que, citado, permanece inerte, que não se contrapõe ao pedido formulado pelo autor. A resposta do réu é condição essencial para que se forme a dialética do processo, demonstrando os fatos controvertidos da demanda. O juiz ouvirá a versão dos fatos apresentada por ambas as partes e, confrontandoas com as provas trazidas para o processo, decidirá reconhecendo a verdade dos fatos e declarando o direito surgido dessa contenda Efeitos da revelia Não se confunde a revelia com os efeitos que ela produz Revelia ausência de resposta do réu / inércia do réu Efeitos Art. 302, 319, 322, CPC Efeitos Os dois primeiros são intimamente relacionados Art. 319, CPC presunção de veracidade dos fatos alegados pelo autor. Art. 302, CPC determina que o réu deverá manifestar-se precisamente sobre os fatos narrados na petição inicial (ônus da impugnação especificada dos fatos) Art. 322, CPC os prazos correm contra o revel que não tenha patrono independente de intimação, a partir da publicação do ato decisório Presunção de Veracidade 1

2 A falta completa de resposta do réu, faz presumir verdadeiros os fatos narrados na inicial. O ônus da impugnação especificada dos fatos, faz presumir verdadeiros os fatos não impugnados. Não há presunção de veracidade quanto ao direito invocado na fundamentação Exclusões legais de presunção de veracidade Art. 302 e 320 do CPC Hipóteses do artigo 320 do CPC a) Havendo pluralidade de réus, algum deles contestar a ação O efeito apenas ocorrerá se estivermos diante de litisconsórcio unitário, porque o juiz terá de julgar de maneira uniforme para todos os réus. Não seria, portanto, possível reconhecer a revelia: EX: Ação do Ministério Público para anulação de contrato simulado entre A e B. Trata-se de caso de litisconsórcio unitário. No litisconsórcio simples é natural e possível a aplicar os efeitos da revelia, porém, se um dos réus contestar fatos que são comuns a todos, também não se poderá aplicar a revelia. b) Quando os litígios versarem sobre direitos indisponíveis Não é tarefa fácil identificar esses direitos indisponíveis Podemos identificar alguns deles que dizem respeito ao estado e capacidade das pessoas. Exemplos: Ações de investigação de paternidade; Anulação de casamento; Interdição; Divórcio. c) A petição inicial não estiver acompanhada do instrumento que a lei considere indispensável Trata-se de repetição do artigo 302, II do CPC Art. 366 do CPC. Instrumento público. É a conhecida forma ad solemnitatem. Há ainda outras disposições no artigo 302 do CPC Podemos identificar, em resumo, disposições semelhantes entre os artigos 302 e 320 do CPC Porém, consoante o inciso III do art. 302, não se aplicará os efeitos da revelia aos fatos não impugnados se eles estiverem em contradição com a defesa considerada em seu conjunto. 2

3 Em resumo, caso haja a negação de todos os fatos e algum deles permaneça subentendido o réu não sofrerá os efeitos da confissão sobre esse último, pois em confronto com a defesa, é possível depreender que o réu também o impugnou. Há quem não se aplicam os efeitos da revelia? Art. 302, parágrafo único, CPC Advogado dativo; Curador especial; Ministério Público. ** O artigo 302 permite que esses participantes do processo contestem por negativa geral Desnecessidade de intimação do revel Art. 322 do CPC Art Contra o revel que não tenha patrono nos autos, correrão os prazos independentemente de intimação, a partir da publicação de cada ato decisório. Parágrafo único O revel poderá intervir no processo em qualquer fase, recebendo-o no estado em que se encontrar. PROCEDIMENTO ORDINÁRIO (FASE ORDINATÓRIA) 1. INTRODUÇÃO Após terminado o prazo de resposta, a lei determina que o escrivão faça a conclusão ao juiz, que determinará em dez dias as providências preliminares que sejam necessárias. É a oportunidade em que o juiz verificará a regularidade do processo e poderá determinar alguma das seguintes providências Determinar que o autor se manifeste (réplica) se houver algum elemento novo no processo que tenha vindo por ocasião da contestação; Sanar eventuais irregularidades, saneando o processo ou extinguindo-o sem julgamento do mérito; Decidir sobre a necessidade ou não de produção de provas. 2. PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES Primeiramente o juiz verifica se o réu apresentou contestação Se apresentou, o juiz decidirá pela aplicação dos artigos 326 e 327, CPC, intimando o autor ou não para oferecer réplica Se não apresentou, o juiz determina a especificação de provas art. 324, CPC Se o réu não apresentou contestação, o juiz deve verificar, também, se ocorreram os efeitos da revelia. Se ocorreram os efeitos, o juiz poderá julgar antecipadamente a lide (330, II, CPC) Do contrário, determinará que o autor especifique as provas (324, CPC) 3

4 Em qualquer hipótese, deverá o juiz se há defeitos no processo. Se os defeitos forem sanáveis, determinará que sejam corrigidos em prazo razoável; Se insanáveis, julgará extinto o processo. Se não houver necessidade de produção de provas, proceder-se-á ao julgamento antecipado da lide 330, I, CPC. 3. RÉPLICA É corolário do princípio constitucional do contraditório. Se diante da matéria apresentada pelo réu na impugnação, surgir a necessidade de fazer valer o contraditório, deverá o juiz determinar que o autor se manifeste no prazo de 10 dias. O prazo poderá ser especial se houver alguma parte que tenha essa prerrogativa processual EX: Art. 191, CPC Art. 5º, 5º Lei 1.060/50 Sempre será necessária a réplica se o réu argüir algumas das matérias de objeção do artigo 301, CPC. A matéria da réplica deve restringir-se aos fatos novos apresentados pelo réu em sua contestação, ficando vedado ao autor argüir fatos novos de sua parte na réplica. O momento correto para o autor alegar todos os fatos que dão guarida a seu direito é na inicial, não podendo completá-los na réplica. 4. ESPECIFICAÇÃO DE PROVAS Art. 324, CPC Nesta oportunidade, o autor (e depois dele o réu) poderá especificar as provas que pretende produzir, com a finalidade de provar os fatos por ele alegados e afastar as matérias alegadas pelo réu na contestação. O réu, por sua vez, poderá especificar as provas que entender cabíveis, buscando provar seu direito e também afastar a pretensão do autor. O juiz decidirá sobre as provas especificadas, determinando a realização das úteis e indeferindo diligências inúteis ao deslinde da causa. O prazo para especificação de provas é de 5 dias. Todas as provas necessitam ser justificadas para que o juiz possa analisar seu cabimento. Caso a parte não especifique as provas no prazo fixado, haverá a preclusão, tornando impossível que apresente em outro momento. 4

5 Art. 130, CPC estabelece que o juiz poderá determinar a realização de provas de ofício. 5. REGULARIZAÇÃO Art. 327, CPC (parte final) Só será aplicável se a irregularidade for sanável. Caso contrário, ou seja, se insanáveis, levarão à extinção do processo sem resolução do mérito. 6. JULGAMENTO CONFORME O ESTADO DO PROCESSO Após verificar sobre as irregularidade processuais, bem como a possibilidade de sua regularização, deverá o juiz decidir se o processo já pode ser julgado em seu mérito, sem necessidade de abrir-se a fase instrutória. Terá o juiz três possibilidades: a) Constatar que há vícios insuperáveis que impedem o julgamento do pedido, levando à extinção sem resolução do mérito; b) Verificar que já é possível, desde logo, conhecer diretamente do pedido, sem necessidade de produção de provas. Neste caso, haverá o julgamento antecipado da lide; c) Concluir que ainda não é possível julgar o mérito, pois ainda faltam provas, e determinar a abertura da fase instrutória, caso em que designará audiência preliminar. 7. JULGAMENTO ANTECIPADO DO MÉRITO Ocorre quando o juiz, após a fase de regularização, encontra todos os elementos necessários nos autos para que possa proferir julgamento de mérito, prescindindo da realização de outras provas. Sobre as hipóteses em que esta situação pode ocorrer, teremos o artigo 330, do CPC, com três hipóteses distintas: a) Quando a questão de mérito for unicamente de direito. A prova serve para demonstrar fatos e não o direito. b) Quando a questão for de direito e de fato e não houver necessidade de produzir provas em audiência. Em se tratando de matérias concomitantes de fato e de direito, a prova dos fatos puder se dar por documentos, caso em que não será necessária audiência. c) Quando ocorrer a revelia. É necessário que o juiz analise se os efeitos da revelia podem ocorrer no caso em discussão e, se possíveis e presentes os requisitos legais, julgará antecipadamente o mérito. Para que o juiz possa proferir julgamento antecipado, deve ele estar atento aos requisitos legais. Caso não estejam presentes e mesmo assim se profira julgamento, 5

6 haverá cerceamento de defesa, tornando a sentença proferida nula por violação aos princípios constitucionais do processo. 8. AUDIÊNCIA PRELIMINAR Encontra previsão no artigo 331 do CPC. Se foi designada, deixa claro que o juiz não verificou o preenchimento dos requisitos legais para o julgamento antecipado do mérito. Porém, é claro que o julgamento antecipado não está totalmente descartado, uma vez que o juiz pode ter deixado alguma questão para ser decidida na própria audiência. A audiência deve ser designada para prazo não superior a 30 (trinta) dias do despacho que a determinou. Porém, se não for respeitado esse prazo, não haverá qualquer prejuízo para o processo. Trata-se de mais um prazo de natureza imprópria. Na audiência preliminar, deverá o magistrado conduzi-la para: a) Tentar conciliar as partes: Não obstante deva o juiz tentar conciliar as partes neste momento, tal possibilidade sempre permanece dentro do processo, podendo o juiz, em qualquer momento, tentar solucionar o conflito pela conciliação. b) Sanear o processo: Não obtida a conciliação, o juiz terá de decidir as questões processuais ainda pendentes de solução. Em não havendo qualquer questão processual a ser decidida, o juiz determinará o prosseguimento do processo, fixando os pontos controvertidos. Essa tarefa de fixação dos pontos controvertidos é extremamente importante, haja vista que é sobre trais pontos que se produzirão futuras provas, pois é sobre esses pontos que a prova será necessária. Os pontos que forem incontroversos não necessitam ser provados, pois alegados por uma das partes e confessados pela outra. Qualquer prova sobre tais fatos redundaria em atraso na prestação jurisdicional. Finda a audiência, as partes sairão intimadas das decisões nela proferidas Desnecessidade da audiência preliminar. Pela redação original do artigo 331 do CPC (Lei 8.952/94) a audiência preliminar era sempre necessária. Contudo, pela alteração promovida pela Lei nº /02, a audiência preliminar passou a ser dispensável em casos em que não poderia mesmo produzir qualquer efeito. Assim, atualmente, se o litígio versar sobre direitos patrimoniais de natureza privada, será designada audiência. Caso contrário, não se realizará. A audiência também pode ser dispensada se as circunstâncias da causa evidenciarem ser improvável sua obtenção (331, 3º CPC). A decisão do juiz pela dispensa da audiência deve ser fundamentada, pois trata-se de decisão interlocutória. 6

7 PROCEDIMENTO ORDINÁRIO (FASE INSTRUTÓRIA) 1. Teoria Geral da Prova 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i PLANO DE AULA i INSTITUIÇÃO DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM CURSO: DIREITO PROFESSOR: Especialista Rafael da Silva Menezes NÍVEL DE ENSINO: SUPERIOR PERÍODO: 5º TURNO: DIURNO/NOTURNO DATA:

Leia mais

Art. 267. Extingue-se o processo, sem resolução de mérito:(redação dada pela Lei nº 11.232, de 2005) V -quando o juiz acolher a alegação de

Art. 267. Extingue-se o processo, sem resolução de mérito:(redação dada pela Lei nº 11.232, de 2005) V -quando o juiz acolher a alegação de 1. (OAB 136) De acordo com o Código de Processo Civil (CPC), extingue-se o processo sem resolução de mérito quando A) o juiz reconhece a prescrição ou a decadência. B) as partes transigem. C) o autor renuncia

Leia mais

DO PROCESSO E PROCEDIMENTO

DO PROCESSO E PROCEDIMENTO DO PROCESSO E PROCEDIMENTO PROCESSO Para solucionar os litígios, o Estado põe à disposição das partes três espécies de tutela jurisdicional: a cognição, a execução e a cautela. O que as distingue são os

Leia mais

Audiência de Instrução e Julgamento. Prof. Rafael Menezes

Audiência de Instrução e Julgamento. Prof. Rafael Menezes Audiência de Instrução e Julgamento Prof. Rafael Menezes Contexto (ato complexo e misto) Ao final da fase ordinatória (art. 331,?2) o juiz, se for o caso designará dia para realização da Audiência de Instrução

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i PLANO DE AULA i INSTITUIÇÃO DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM CURSO: DIREITO PROFESSOR: Especialista Rafael da Silva Menezes NÍVEL DE ENSINO: SUPERIOR PERÍODO: 7º TURNO: DIURNO/NOTURNO DATA:

Leia mais

PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES E JULGAMENTO CONFORME O ESTADO DO PROCESSO

PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES E JULGAMENTO CONFORME O ESTADO DO PROCESSO PROVIDÊNCIAS PRELIMINARES E JULGAMENTO CONFORME O ESTADO DO PROCESSO PROCESSO CIVIL Fred. Didier (aulas e livro) FASE DE SANEAMENTO - Após o FIM DO PRAZO DE RESPOSTA do réu (apresentada ou não), tem início

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i PLANO DE AULA i INSTITUIÇÃO DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM CURSO: DIREITO PROFESSOR: Especialista Rafael da Silva Menezes NÍVEL DE ENSINO: SUPERIOR PERÍODO: 7º TURNO: DIURNO/NOTURNO DATA:

Leia mais

SANEAMENTO E INSTRUÇÃO NO CPC/15

SANEAMENTO E INSTRUÇÃO NO CPC/15 SANEAMENTO E INSTRUÇÃO NO CPC/15 Professora: ARLETE INES AURELLI mestre e doutora em Direito Processual Civil pela PUC/SP professora de direito processual civil nos cursos de graduação e pósgraduação scricto

Leia mais

A contestação na prova da 2ª fase da OAB (Direito do Trabalho)

A contestação na prova da 2ª fase da OAB (Direito do Trabalho) 1 A contestação na prova da 2ª fase da OAB (Direito do Trabalho) Carlos Augusto Marcondes de Oliveira Monteiro * Mais uma segunda fase se aproxima. Conforme mencionei no artigo anterior, 3 são as principais

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARTE I PROCEDIMENTO ORDINÁRIO

PROCEDIMENTOS PARTE I PROCEDIMENTO ORDINÁRIO PROCEDIMENTOS PARTE I PROCEDIMENTO ORDINÁRIO PROCEDIMENTOS PROCESSO instrumento utilizado para resolução dos conflitos de interesses, formado por um conjunto de atos, exige a conjugação de dois fatores:

Leia mais

Aula III Processo Civil II. Revelia.

Aula III Processo Civil II. Revelia. Aula III Processo Civil II. Revelia. A parte citada no processo civil é dada a faculdade de responder. Note-se a expressão utilizada faculdade. A tese apresentada pelo autor na petição inicial pode ser

Leia mais

2. AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO

2. AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO 2. AÇÃO DE 2.1 O direito de pagar - É um dever ou um direito? - A mora do credor exclui a do devedor? 2.2 A liberação natural e a liberação forçada do devedor - Liberação natural: pagamento por acordo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 23.478 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 84-36.2016.6.00.0000 CLASSE 26 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL

RESOLUÇÃO Nº 23.478 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 84-36.2016.6.00.0000 CLASSE 26 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL RESOLUÇÃO Nº 23.478 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 84-36.2016.6.00.0000 CLASSE 26 BRASÍLIA DISTRITO FEDERAL Relator: Ministro Dias Toffoli Interessado: Tribunal Superior Eleitoral Estabelece diretrizes gerais

Leia mais

Juizados Especiais Cíveis

Juizados Especiais Cíveis Juizados Especiais Cíveis Juiz de Direito/RS 1) O que é Juizado Especial Cível? É uma justiça mais célere, informal, totalmente gratuita, destinada a julgar as causas de menor complexidade. São aquelas

Leia mais

Cabe contra decisões dos juízos de primeira instância e também dos de segunda instância.

Cabe contra decisões dos juízos de primeira instância e também dos de segunda instância. 2. AGRAVO 2.1. Conceito É o recurso cabível contra decisões interlocutórias, isto é, aquelas que têm conteúdo decisório, porém não implicam em qualquer situação prevista nos artigos 267 ou 269 do CPC.

Leia mais

Ação de Exigir Contas

Ação de Exigir Contas Ação de Exigir Contas Previsão legal e Observações! No NCPC está disciplinado nos arts. 550/553! Possuía previsão no CPC/73 estava disciplinado no art. 914/919.! Obs. No CPC73 o nome de tal ação era de

Leia mais

Capítulo 1 Processo...1. Capítulo 2 Procedimento Comum Ordinário e Sumário...7. 2.2. Procedimento comum sumário...8

Capítulo 1 Processo...1. Capítulo 2 Procedimento Comum Ordinário e Sumário...7. 2.2. Procedimento comum sumário...8 S u m á r i o Capítulo 1 Processo...1 1.1. Processo: conceito...1 1.2. Espécies de processo...2 1.3. Distinção entre processo e procedimento...3 1.4. Procedimentos existentes...3 1.5. Indisponibilidade

Leia mais

LEGALE FORMAÇÃO DO ADVOGADO ATÉ 2 ANOS DE OAB

LEGALE FORMAÇÃO DO ADVOGADO ATÉ 2 ANOS DE OAB LEGALE FORMAÇÃO DO ADVOGADO ATÉ 2 ANOS DE OAB Defesa Trabalhista Professor: Rogério Martir Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais, Advogado militante e especializado em Direito Empresarial e Direito

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL CAUTELAR. Classificação: Nominadas art.813 ss, do CPC. Inominadas art. 796 até art. 912, do CPC.

DIREITO PROCESSUAL CIVIL CAUTELAR. Classificação: Nominadas art.813 ss, do CPC. Inominadas art. 796 até art. 912, do CPC. CAUTELAR Cautelar Classificação: Nominadas art.813 ss, do CPC. Inominadas art. 796 até art. 912, do CPC. Preparatórias/Antecedentes - Incidentes ajuizadas no curso na ação principal. Satisfativas. Não

Leia mais

Comentários à Prova de Direito Processual Civil Aplicada pela OAB/FGV VI Exame de Ordem Unificado Prova Tipo 1 Branco 05/02/2012

Comentários à Prova de Direito Processual Civil Aplicada pela OAB/FGV VI Exame de Ordem Unificado Prova Tipo 1 Branco 05/02/2012 Comentários à Prova de Direito Processual Civil Aplicada pela OAB/FGV VI Exame de Ordem Unificado Prova Tipo 1 Branco 05/02/2012 COMENTÁRIOS DO AUTOR EM VERMELHO 40 Os atos processuais não dependem de

Leia mais

Mestre Anderson Nogueira Oliveira Prática Jurídica I PETIÇÃO INICIAL

Mestre Anderson Nogueira Oliveira Prática Jurídica I PETIÇÃO INICIAL PETIÇÃO INICIAL 1. ENDEREÇAMENTO a) Fundamentação I Art. 42 a 53 do Novo CPC II Art. 108 e 109 da Constituição Federal de 1988 2. EXEMPLOS DE ENDEREÇAMENTOS VARA CÍVEL ESTADUAL Excelentíssimo Senhor Doutor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO. PLANO DE AULA i PLANO DE AULA i INSTITUIÇÃO DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM CURSO: DIREITO PROFESSOR: Especialista Rafael da Silva Menezes NÍVEL DE ENSINO: SUPERIOR PERÍODO: 6º TURNO: DIURNO/NOTURNO DATA:

Leia mais

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL

PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL PRÁTICA PROCESSUAL CIVIL Programa (60 horas) I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II ACESSO AO DIREITO 2.1 Modalidades de acesso

Leia mais

PROVIMENTO CGJ Nº 09 / 2015

PROVIMENTO CGJ Nº 09 / 2015 PROVIMENTO CGJ Nº 09 / 2015 Dispõe sobre a atualização da Consolidação Normativa da Corregedoria Geral da Justiça - Parte Judicial, ante a vigência do novo Código de Processo Civil (Lei nº 13.105/2015).

Leia mais

Teoria Geral da Execução

Teoria Geral da Execução Direito Processual Civil FREDERICO OLIVEIRA fjsdeoliveira@gmail.com twitter: @fredoliveira197 Skype: frederico.oliveira42 Teoria Geral da Execução 1 REALIDADE PROCESSO Certificação Efetivação REALIDADE

Leia mais

TEORIA DA EXCEÇÃO, RESPOSTA DO RÉU E REVELIA (NCPC)

TEORIA DA EXCEÇÃO, RESPOSTA DO RÉU E REVELIA (NCPC) TEORIA DA EXCEÇÃO, RESPOSTA DO RÉU E REVELIA (NCPC) PROCESSO CIVIL Curso de Direito Processual Civil de Fredie Didier (2016) TEORIA DA EXCEÇÃO - Exceção está para o réu assim como ação está para o autor.

Leia mais

RECURSO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. EMBARGOS - AÇÃO (Embargos à Execução ou Embargos de Terceiros)

RECURSO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. EMBARGOS - AÇÃO (Embargos à Execução ou Embargos de Terceiros) RECURSO DE EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EMBARGOS - AÇÃO (Embargos à Execução ou Embargos de Terceiros) - RECURSO (Embargos Infringentes, Embargos de Declaração ou Embargos de Divergência). No atual sistema recursal

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO CAPÍTULO I TEORIA GERAL DO PROCESSO

APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO CAPÍTULO I TEORIA GERAL DO PROCESSO Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO... 13 CAPÍTULO I TEORIA GERAL DO PROCESSO... 15 1. Jurisdição... 15 1.1. Generalidades e conceito... 15 1.2. Características... 16 1.3. Divisão... 17 2. Princípios de processo

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Fase Ordinatória. Professor Rafael Menezes

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Fase Ordinatória. Professor Rafael Menezes DIREITO PROCESSUAL CIVIL Fase Ordinatória Professor Rafael Menezes Fase Ordinatória Providências Preliminares Julgamento Confome o Estado do Processo Audiência Preliminar / Saneamento do Feito Providências

Leia mais

FGV.OAB 2010/2 DIREITO PROCESSUAL CIVIL

FGV.OAB 2010/2 DIREITO PROCESSUAL CIVIL FGV.OAB 2010/2 DIREITO PROCESSUAL CIVIL 1. A capacidade é um dos pressupostos processuais. Caso o juiz verifique que uma das partes é incapaz ou há irregularidade em sua representação, deverá suspender

Leia mais

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº DATA DISCIPLINA Processo Civil PROFESSOR Ival Heckert MONITOR Bruna Oliveira AULA Aula 06 Contatos: Facebook: Professor Ival Heckert @prof_ival (twitter e instagram)

Leia mais

Decisão Judicial no NCPC

Decisão Judicial no NCPC I SEMINÁRIO GERAL DE FORMAÇÃO CONTINUADA Estação Ciência Cabo Branco Maio de 2015 Decisão Judicial no NCPC Paulo Henrique Tavares da Silva PARTE 1: MONTAGEM DO SISTEMA DECISIONAL PRINCÍPIO DA CONCREÇÃO

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Primeira Câmara Cível

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Primeira Câmara Cível Agravo de Instrumento: 0007803-44.2014.8.19.0000 Agravante: JOAQUIM FERNANDO DE MATTOS FONSECA Advogado: Dr. Renato Salles Areas Agravada: EMDA ADMINISTRAÇÃO DE BENS LTDA Advogado: Ronaldo Maciel Figueiredo

Leia mais

CIMAESP. Câmara Intercontinental de Mediação e Arbitragem de São Paulo CÓDIGO DE ÉTICA

CIMAESP. Câmara Intercontinental de Mediação e Arbitragem de São Paulo CÓDIGO DE ÉTICA CIMAESP Câmara Intercontinental de Mediação e Arbitragem de São Paulo CÓDIGO DE ÉTICA TÍTULO I INTRODUÇÃO Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º. A CIMAESP Câmara Intercontinental de Mediação e Arbitragem

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Parágrafo único. O novo currículo é o 0003-LS, cujas ementas e objetivos das disciplinas também constam do anexo.

R E S O L U Ç Ã O. Parágrafo único. O novo currículo é o 0003-LS, cujas ementas e objetivos das disciplinas também constam do anexo. RESOLUÇÃO CONSEPE 12/2015 ALTERA MATRIZ CURRICULAR E APROVA O PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PÓS- GRADUAÇÃO LATO SENSU EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. O Presidente do Conselho

Leia mais

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO ORDINÁRIA VARA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER COMARCA DE RIO BRANCO

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO ORDINÁRIA VARA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER COMARCA DE RIO BRANCO RELATÓRIO DA CORREIÇÃO ORDINÁRIA VARA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR CONTRA A MULHER COMARCA DE RIO BRANCO Abril de 2015 Apresentação A Correição Ordinária, prevista no art. 40, 2º, da Lei Estadual

Leia mais

RESOLUÇÃO TCE/MA Nº 214, DE 30 DE ABRIL DE 2014.

RESOLUÇÃO TCE/MA Nº 214, DE 30 DE ABRIL DE 2014. RESOLUÇÃO TCE/MA Nº 214, DE 30 DE ABRIL DE 2014. Dispõe sobre os procedimentos de acompanhamento, controle e registro das decisões que resultem em sanção a ser aplicada pelo Tribunal de Contas do Estado

Leia mais

PROFESSOR AO VIVO. Revisão Prof. Darlan Barroso. Estudo Dirigido Execução

PROFESSOR AO VIVO. Revisão Prof. Darlan Barroso. Estudo Dirigido Execução PROFESSOR AO VIVO Revisão Prof. Darlan Barroso Estudo Dirigido Execução Ação de conhecimento ou execução? Documento é título executivo? Qual o tipo de título? Qual a obrigação? Documento é título executivo?

Leia mais

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica

PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica ORDEM DOS ADVOGADOS CNA Comissão Nacional de Avaliação PROVA DE AFERIÇÃO (RNE) Teórica GRELHA DE CORRECÇÃO Prática Processual Civil e Organização Judiciária (8 Valores) 18 de Julho de 2011 1.Defina e indique

Leia mais

RELATÓRIO DE AÇÕES TRABALHISTAS AJUIZADAS PELO SINDADOS/MG CONTRA A PRODEMGE

RELATÓRIO DE AÇÕES TRABALHISTAS AJUIZADAS PELO SINDADOS/MG CONTRA A PRODEMGE RELATÓRIO DE AÇÕES TRABALHISTAS AJUIZADAS PELO SINDADOS/MG CONTRA A PRODEMGE Processo nº 0000809-32.2011.5.03.0022 Distribuído em 05/05/2011, refere-se ao pleito das quantias devidas em razão da Participação

Leia mais

PROCESSO CIVIL DRA. JAQUELINE MIELKE SILVA TUTELA CAUTELAR

PROCESSO CIVIL DRA. JAQUELINE MIELKE SILVA TUTELA CAUTELAR 1 PROC. CIVIL PONTO 1: TUTELA DE CAUTELAR PONTO 2: a) CLASSIFICAÇÕES (NOMINADAS E INOMINADAS) PONTO 3: b) ESPÉCIES E DESDOBRAMENTOS TUTELA CAUTELAR CLASSIFICAÇÕES: _ CAUTELARES NOMINADAS: ART. 813 1 CPC

Leia mais

DICAS FINAIS DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PARA A PROVA DO TRT/BA (01/12/2013) PROF. BRUNO KLIPPEL. Meu canal no Youtube com vídeos de revisão:

DICAS FINAIS DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PARA A PROVA DO TRT/BA (01/12/2013) PROF. BRUNO KLIPPEL. Meu canal no Youtube com vídeos de revisão: DICAS FINAIS DE DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PARA A PROVA DO TRT/BA (01/12/2013) PROF. BRUNO KLIPPEL Meu canal no Youtube com vídeos de revisão: https://www.youtube.com/user/brunoagklippel Conheça os

Leia mais

Aula 03. 1. Princípio do juiz natural >art. 5º, XXXVII, CRFB/88. É corolário lógico do princípio do devido processo legal.

Aula 03. 1. Princípio do juiz natural >art. 5º, XXXVII, CRFB/88. É corolário lógico do princípio do devido processo legal. Turma e Ano: Direito Processual Civil - NCPC (2016) Matéria / Aula: Princípios da Jurisdição. Espécies de Jurisdição. Jurisdição Contenciosa e Jurisdição Voluntaria/ 03 Professor: Edward Carlyle Monitora:

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DO PROCESSO DO TRABALHO 1) PRINCÍPIO DO DEVIDO PROCESSO LEGAL 2) PRINCÍPIO DA IMPACIALIDADE DO JUIZ

1. PRINCÍPIOS DO PROCESSO DO TRABALHO 1) PRINCÍPIO DO DEVIDO PROCESSO LEGAL 2) PRINCÍPIO DA IMPACIALIDADE DO JUIZ 1 1. PRINCÍPIOS DO 1) PRINCÍPIO DO DEVIDO PROCESSO LEGAL A justa composição da lide só pode ser alcançada quando a tutela jurisdicional for prestada dentro dos moldes delimitados pelas normas processuais.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 1a Turma PODER JUDICIÁRIO FEDERAL INÉPCIA DA INICIAL. Para o direito formal positivo, é inepta a petição inicial que falta pedido ou causa de pedir (C.P.C., artigo 295, parágrafo único, inciso

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça SENTENÇA ESTRANGEIRA CONTESTADA Nº 887 - EX (2005/0034903-8) REQUERENTE : BOUVERY INTERNATIONAL S/A ADVOGADO : LUIZ NORTON NUNES E OUTRO REQUERIDO : IRMÃOS PEREIRA - COMERCIAL E EXPORTADORA LTDA ADVOGADO

Leia mais

Demócrito Reinaldo Filho Juiz de Direito (32 a. Vara Cível do Recife) 1. Breves explicações sobre o tema

Demócrito Reinaldo Filho Juiz de Direito (32 a. Vara Cível do Recife) 1. Breves explicações sobre o tema INEXISTÊNCIA DO DIREITO AO PRAZO EM DOBRO AO LITISCONSORTE QUE INGRESSA POSTERIORMENTE NO PROCESSO Interpretação do art. 191 do Código de Processo Civil Demócrito Reinaldo Filho Juiz de Direito (32 a.

Leia mais

SEÇÃO II Do Recurso Ordinário em Mandado de Segurança

SEÇÃO II Do Recurso Ordinário em Mandado de Segurança Art. 242. Dirigida ao Presidente, será a petição distribuída, quando possível, a um relator que não haja participado do julgamento objeto da revisão. 1º O relator poderá determinar que se apensem os autos

Leia mais

REVELIA (ART. 319 A 322)

REVELIA (ART. 319 A 322) REVELIA (ART. 319 A 322) Ocorre quando o réu, regularmente citado, deixa de responder à demanda. O CPC regulou esse instituto, considerando revel o réu que deixa de oferecer contestação após regularmente

Leia mais

NCPC Comparado com o CPC

NCPC Comparado com o CPC NCPC Comparado com o CPC NCPC comparado ao CPC Fonte: AjudaJuridica.com O NCPC entrou em vigor agora no dia 18/03/2016, então precisamos nos atualizar urgente. Segue abaixo um quadro resumo compacto para

Leia mais

DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Artigos 125 a 129 do Código de Processo Civil)

DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Artigos 125 a 129 do Código de Processo Civil) DENUNCIAÇÃO DA LIDE (Artigos 125 a 129 do Código de Processo Civil) A denunciação da lide chama o denunciado que mantém vínculo de direito com o denunciante, a fim de responder a garantia do negócio jurídico,

Leia mais

RELATÓRIO. 3. Sem contrarrazões. 4. É o relatório.

RELATÓRIO. 3. Sem contrarrazões. 4. É o relatório. PROCESSO Nº: 0806625-97.2014.4.05.8100 - APELAÇÃO RELATÓRIO 1. Trata-se de apelação interposto pela Caixa Econômica Federal - CEF, contra sentença do Juízo da 8ª Vara Federal Seção Judiciária do Ceará,

Leia mais

PROCEDIMENTO SUMÁRIO PROCESSO CIVIL Daniel Amorim Assumpção + Dizer o Direito

PROCEDIMENTO SUMÁRIO PROCESSO CIVIL Daniel Amorim Assumpção + Dizer o Direito PROCEDIMENTO SUMÁRIO PROCESSO CIVIL Daniel Amorim Assumpção + Dizer o Direito INTRODUÇÃO - Os procedimentos são divididos em COMUM (ORDINÁRIO E SUMÁRIO) e PROCEDIMENTOS ESPECIAIS. Não sendo o caso de procedimento

Leia mais

Processos Urgentes Procedimentos Cautelares

Processos Urgentes Procedimentos Cautelares PRÁTICAS PROCESSUAIS ADMINISTRATIVAS Processos Urgentes Coimbra, 28.10.2010 José Pereira de Sousa - Advogado 1 Os Processos Urgentes e os cumprem o Princípio da Tutela Jurisdicional Efectiva, princípio

Leia mais

Decisões: são atos que têm por conteúdo um julgamento acerca de qualquer questão ou do próprio mérito da causa.

Decisões: são atos que têm por conteúdo um julgamento acerca de qualquer questão ou do próprio mérito da causa. AULA VIII - SENTENÇAS Para melhor compreensão do tema, faça uma leitura sobre atos processuais (presença de vontade das partes) e fatos processuais (ausência de vontade das partes). Os atos praticados

Leia mais

PROCESSO CIVIL. II - os fundamentos, em que o juiz analisará as questões de fato e de direito;

PROCESSO CIVIL. II - os fundamentos, em que o juiz analisará as questões de fato e de direito; PROCESSO CIVIL 10 A Sentença e a Coisa Julgada A Sentença Noções Gerais Conceito: A sentença é o ato final do processo, pelo qual o juiz dá cumprimento à obrigação jurisdicional do Estado. A sentença definitiva

Leia mais

: RENATA COSTA BOMFIM E OUTRO(A/S)

: RENATA COSTA BOMFIM E OUTRO(A/S) RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 702.642 SÃO PAULO RELATOR : MIN. DIAS TOFFOLI RECTE.(S) :ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DOS HOSPITAIS SOROCABANA ADV.(A/S) :JOSÉ MARCELO BRAGA NASCIMENTO E OUTRO(A/S) RECDO.(A/S)

Leia mais

NOVO CPC: A HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ESTRANGEIRA DE DIVÓRCIO CONSENSUAL

NOVO CPC: A HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ESTRANGEIRA DE DIVÓRCIO CONSENSUAL NOVO CPC: A HOMOLOGAÇÃO DE SENTENÇA ESTRANGEIRA DE DIVÓRCIO CONSENSUAL Gracielle Veloso Advogada. Consultora Notarial, Registral e Imobiliária A eficácia da sentença estrangeira no Brasil depende de prévia

Leia mais

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO DE INVESTIGAÇÃO DE PATERNIDADE. EXAME DE DNA NEGATIVO FEITO EM LABORATÓRIO PARTICULAR. PEDIDO DE NOVO EXAME PERICIAL OFICIAL. CABIMENTO ANTE A RELEVÂNCIA DA MATÉRIA. Tratando-se

Leia mais

Peça 1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA... REGIÃO

Peça 1 EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA... REGIÃO Observação: os espaços entre os tópicos das peças têm a única função de facilitar a visualização. Ressalte-se que não aconselhamos pular linhas no exame. Peça 1 Certa empresa é condenada, por decisão de

Leia mais

Extensão dos efeitos de decisão judicial transitada em julgado a quem não foi parte na relação processual

Extensão dos efeitos de decisão judicial transitada em julgado a quem não foi parte na relação processual Extensão dos efeitos de decisão judicial transitada em julgado a quem não foi parte na relação processual Parecer n o 14/00-CRTS Ementa: 1.Extensão dos efeitos de decisão judicial transitada em julgado

Leia mais

DO LITISCONSÓRCIO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DO LITISCONSÓRCIO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DO LITISCONSÓRCIO Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO CABIMENTO ARTIGO 46 DO CPC COMUNHÃO DE DIREITOS E OBRIGAÇÕES DIREITOS E OBRIGAÇÕES ORIUNDOS DE UMA MESMA SITUAÇÃO DE FATO OU DE DIREITO CONEXÃO ENTRE

Leia mais

Consideremos os seguintes exemplos de hipóteses cuja veracidade interessa avaliar:

Consideremos os seguintes exemplos de hipóteses cuja veracidade interessa avaliar: Consideremos os seguintes exemplos de hipóteses cuja veracidade interessa avaliar: o tempo médio de efeito de dois analgésicos não é o mesmo; a popularidade de determinado partido político aumentou; uma

Leia mais

A QUESTÃO DA INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI NO RECURSO ESPECIAL

A QUESTÃO DA INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI NO RECURSO ESPECIAL A QUESTÃO DA INCONSTITUCIONALIDADE DA LEI NO RECURSO ESPECIAL HUGO DE BRITO MACHADO Advogado, Professor Titular de Direito Tributário da Universidade Federal do Ceará e Desembargador Federal do Tribunal

Leia mais

DECRETO Nº 34204 DE 1 DE AGOSTO DE 2011 (DOM 02/08/2011)

DECRETO Nº 34204 DE 1 DE AGOSTO DE 2011 (DOM 02/08/2011) DECRETO Nº 34204 DE 1 DE AGOSTO DE 2011 (DOM 02/08/2011) Institui, no âmbito da Procuradoria da Dívida Ativa, o PROGRAMA DÍVIDA ATIVA ITINERANTE, mediante a facilitação de acesso aos incentivos do Programa

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Comentários sobre a matéria de provas (Arts. 332 a 443 do CPC) Leonardo Antunes O artigo 332 do CPC descreve que todos os meios legais, moralmente legítimos, mesmo que não previsto

Leia mais

AULA 8 31/03/11 O RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL

AULA 8 31/03/11 O RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL AULA 8 31/03/11 O RECURSO ORDINÁRIO CONSTITUCIONAL 1 O CONCEITO Alcunha-se de ordinário todo e qualquer recurso que se processa nas vias ordinárias, que são, senão, aquelas que excetuam o Supremo Tribunal

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE SÃO PAULO FORO CENTRAL - FAZENDA PÚBLICA/ACIDENTES 6ª VARA DE FAZENDA PÚBLICA SENTENÇA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO COMARCA DE SÃO PAULO FORO CENTRAL - FAZENDA PÚBLICA/ACIDENTES 6ª VARA DE FAZENDA PÚBLICA SENTENÇA fls. 1 SENTENÇA C O N C L U S Ã 0 Em 24 de novembro de 2010, faço este autos conclusos à Mma. Juíza de Direito, Dra. CYNTHIA THOMÉ. Processo nº: Requerente: Requerido: Juiz(ª) de Direito Dr.(ª): Cynthia

Leia mais

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AULA 10 PROFª KILMA GALINDO

CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AULA 10 PROFª KILMA GALINDO CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE AULA 10 PROFª KILMA GALINDO VÍCIO DE INCONSTITUCIONALIDADE VÍCIO FORMAL Lei ou ato normativo com vício em seu processo de formação (processo legislativo ou competência);

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 3.743, DE 2008 Acrescenta parágrafo único ao art. 201 da Lei n.º 5.869, de 11 de janeiro de 1973, que institui o Código de Processo

Leia mais

Teoria Geral do Processo

Teoria Geral do Processo Teoria Geral do Ação, Exceção e 2011 O presente roteiro destina-se a apontar sucintamente o conteúdo da ação e exceção previstas no ordenamento jurídico brasileiro. Utilizado como material de apoio e acompanhamento

Leia mais

B) CARTAS: A menção aos artigos 221, 222 e 238 (atual CPC) será retirada do teor dos modelos institucionais, conforme exemplos abaixo:

B) CARTAS: A menção aos artigos 221, 222 e 238 (atual CPC) será retirada do teor dos modelos institucionais, conforme exemplos abaixo: I) CATEGORIAS: (5), (1), PRECATÓRIAS (46): 1) ATOS PROCESSUAIS DO TEMPO E LUGAR DOS ATOS PROCESSUAIS: De: Art. 172, 2º CPC/1973 Para: Art. 212, 2º NCPC/2015 A) E PRECATÓRIAS: A menção aos benefícios do

Leia mais

Aspectos Gerais do Novo Código de Processo Civil

Aspectos Gerais do Novo Código de Processo Civil Aspectos Gerais do Novo Código de Processo Civil Prof. Nayron Toledo Advogado, Procurador do Município de Goiânia, Pós-graduado em Direito Civil e Processual Civil pela UCAM, Membro da Comissão de Direito

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador GEOVANI BORGES I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador GEOVANI BORGES I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em caráter terminativo, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 512, de 2007, do Senador Paulo Paim, que acrescenta parágrafo ao art. 764 da Consolidação

Leia mais

Direito Processual Civil III

Direito Processual Civil III Direito Processual Civil III»Aula 19 Providências preliminares: Providências Preliminares Ação Declaratória Incidental X Providências Preliminares 1 Conceito - art. 323 do CPC - providências preliminares

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1 SENTENÇA Processo Digital nº: 1003792-48.2014.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Inclusão Indevida em Cadastro de Inadimplentes Requerente: CARMEN LÚCIA DA SILVA CRUZ Requerido:

Leia mais

ÍNDICE GERAL. Índice Sistemático... Lei 13.105, de 16 de março de 2015 Código de Processo Civil... 1. Bibliografia... 1809

ÍNDICE GERAL. Índice Sistemático... Lei 13.105, de 16 de março de 2015 Código de Processo Civil... 1. Bibliografia... 1809 ÍNDICE GERAL Índice Sistemático... VII Lei 13.105, de 16 de março de 2015 Código de Processo Civil... 1 Bibliografia... 1809 Índice Alfabético-Remissivo do Código de Processo Civil (Lei 13.105/2015)...

Leia mais

PROVA OBJETIVA DIREITO CONSTITUCIONAL

PROVA OBJETIVA DIREITO CONSTITUCIONAL 1 PROVA OBJETIVA DIREITO CONSTITUCIONAL QUESTÃO 01. Assinale a alternativa incorreta (art. 5º): (A) é livre a manifestação do pensamento, vedado o anonimato; (B) ninguém poderá ser compelido a associar-se

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO PLANO DE AULA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM FACULDADE DE DIREITO FD DEPARTAMENTO DE DIREITO APLICADO PLANO DE AULA PLANO DE AULA INSTITUIÇÃO DE ENSINO: UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS UFAM CURSO: DIREITO PROFESSOR: Especialista Rafael da Silva Menezes NÍVEL DE ENSINO: SUPERIOR PERÍODO: 6º TURNO: DIURNO/NOTURNO DATA:

Leia mais

O NOVO CPC E O DIREITO CIVIL: DESAFIOS INICIAIS

O NOVO CPC E O DIREITO CIVIL: DESAFIOS INICIAIS O NOVO CPC E O DIREITO CIVIL: DESAFIOS INICIAIS ANDRÉ BORGES DE CARVALHO BARROS Doutorando em Direito Civil Comparado pela PUC/SP. Doutorando em Função Social do Direito pela Fadisp/SP. Mestre em Direito

Leia mais

não vislumbrou necessidade de intervenção no feito.

não vislumbrou necessidade de intervenção no feito. PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Jorge Fernando Gonçalves da Fonte Av. Presidente Antonio Carlos, 251 10o andar - Gab.17 Castelo RIO DE JANEIRO

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PROCESSUAL PENAL 1 DIREITO PROCESSUAL PENAL PONTO 1: Processo e procedimento PONTO 2: Natureza do processo PONTO 3: Objeto da relação processual PONTO 4: Sujeitos da relação processual PONTO 5: Sistemas processuais PONTO

Leia mais

AULA 04. OBRIGAÇÕES DE FAZER e OBRIGAÇÕES DE NÃO FAZER.

AULA 04. OBRIGAÇÕES DE FAZER e OBRIGAÇÕES DE NÃO FAZER. AULA 04 OBRIGAÇÕES DE FAZER e OBRIGAÇÕES DE NÃO FAZER. 1. DAS OBRIGAÇÕES DE FAZER 1.1. DEFINIÇÃO A obrigação de fazer (obligatio faciendi) abrange o serviço humano em geral, seja material ou imaterial,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000222885 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0021361-58.2009.8.26.0196, da Comarca de Franca,

Leia mais

AUSÊNCIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: CARÊNCIA

AUSÊNCIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: CARÊNCIA 1 AUSÊNCIA DAS CONDIÇÕES DA AÇÃO: CARÊNCIA Cinthia Sayuri OTA 1 Larissa Pereira STADELLA 2 Gilmara Pesquero Fernandes Mohr FUNES 3 RESUMO: O presente trabalho vem demonstrar a necessidade da existência

Leia mais

AULA ) PROCEDIMENTO COMUM (art. 270 e seguintes do CPC a 318 e

AULA ) PROCEDIMENTO COMUM (art. 270 e seguintes do CPC a 318 e Turma e Ano: Master A (2015) 08/06/2015 Matéria / Aula: Direito Processual Civil / Aula 18 Professor: Edward Carlyle Silva Monitor: Alexandre Paiol AULA 18 CONTEÚDO DA AULA: Procedimento, contestação 10)

Leia mais

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO

EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO Um grande contribuinte da intempestividade processual na atualidade é o denominado embargos de declaração, uma vez que, ao longo dos anos, vêm sendo utilizado de maneira inescrupulosa

Leia mais

Prática Jurídica Trabalhista - Professor: José Ivanildo Simões RECURSO ORDINÁRIO / CONTRARRAZÕES / RECURSO ORDINÁRIO ADESIVO

Prática Jurídica Trabalhista - Professor: José Ivanildo Simões RECURSO ORDINÁRIO / CONTRARRAZÕES / RECURSO ORDINÁRIO ADESIVO FACULDADE DE DIREITO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO Renata Valera - 4º BN - 4º bimestre Prática Jurídica Trabalhista - Professor: José Ivanildo Simões RECURSO ORDINÁRIO / CONTRARRAZÕES / RECURSO ORDINÁRIO ADESIVO

Leia mais

Aula 9 de Processo do Trabalho I. Segundo a redação do artigo 840 da Consolidação das Leis do Trabalho a petição inicial poderá ser escrita ou verbal.

Aula 9 de Processo do Trabalho I. Segundo a redação do artigo 840 da Consolidação das Leis do Trabalho a petição inicial poderá ser escrita ou verbal. Aula 9 de Processo do Trabalho I Petição Inicial. Segundo a redação do artigo 840 da Consolidação das Leis do Trabalho a petição inicial poderá ser escrita ou verbal. No 2º do referido artigo, está a maneira

Leia mais

Direito Processual Civil. Teoria Geral do Processo

Direito Processual Civil. Teoria Geral do Processo Direito Processual Civil Teoria Geral do Processo INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO PROCESSUAL CIVIL Noções gerais Regras de conduta Conflito de interesses Direito material e Direito processual Denominação

Leia mais

Pratica Civil I 7º Semestre AULA 08. Contestação com pedido contraposto. Pedido contraposto.

Pratica Civil I 7º Semestre AULA 08. Contestação com pedido contraposto. Pedido contraposto. AULA 08 Contestação com pedido contraposto Pedido contraposto. Definição: No procedimento sumário e nas ações que tramitam sob a égide da lei 9099/95, o réu, para contra atacar o autor, se vale da elaboração

Leia mais

A PROBLEMÁTICA DO REENVIO PREJUDICIAL ART. 267º DO TFUE

A PROBLEMÁTICA DO REENVIO PREJUDICIAL ART. 267º DO TFUE A PROBLEMÁTICA DO REENVIO PREJUDICIAL ART. 267º DO TFUE DIREITO COMUNITÁRIO E COMPETÊNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Direito Comunitário primário e Direito Comunitário derivado O princípio do primado (ou primazia)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Acórdão 5a Turma JUSTA CAUSA. A Recorrente, ao contestar a reclamação trabalhista proposta pela Recorrida, alegou que a dispensa da empregada deu-se por justa causa, por desídia, nada aduzindo a parte,

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO PORTARIA NORMATIVA Nº 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2016 Estabelece o Calendário 2016 de abertura do protocolo de ingresso de processos regulatórios no sistema e-mec.

Leia mais

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de

V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de SE AGRAVO DE PETIÇÃO, provenientes da V I S T O S, relatados e discutidos estes autos de MM. 01ª VARA DO TRABALHO DE PARANAGUÁ - PR, sendo Agravante CEJEN ENGENHARIA LTDA. e Agravado DIRCEU MARINHO PINHEIRO.

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO ENTRE O NOVO CÓDIGO CIVIL, O CÓDIGO CIVIL DE 1916 E O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE QUANTO A ADOÇÃO.

QUADRO COMPARATIVO ENTRE O NOVO CÓDIGO CIVIL, O CÓDIGO CIVIL DE 1916 E O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE QUANTO A ADOÇÃO. 1 QUADRO COMPARATIVO ENTRE O NOVO CÓDIGO CIVIL, O CÓDIGO CIVIL DE E O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE QUANTO A ADOÇÃO. Artigo 1618 Só a pessoa maior de 18 (dezoito) anos pode adotar. Artigo 368 -

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL E EM RECURSO EXTRAORDINÁRIO E EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA OFICINA DO NOVO CPC AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL E EM RECURSO EXTRAORDINÁRIO E EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA OFICINA DO NOVO CPC AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL E EM RECURSO EXTRAORDINÁRIO E EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA A palavra agravo significa prejuízo; dano sofrido; ofensa que se faz a alguém; afronta. O termo agravo

Leia mais

Eficácia da norma processual no tempo Incidência da LICC (vacatio legis 45 dias); Sucessão de lei no tempo: Unidade processual segundo o qual, apesar

Eficácia da norma processual no tempo Incidência da LICC (vacatio legis 45 dias); Sucessão de lei no tempo: Unidade processual segundo o qual, apesar Eficácia da norma processual no tempo Incidência da LICC (vacatio legis 45 dias); Sucessão de lei no tempo: Unidade processual segundo o qual, apesar de se desdobrar em uma série de atos diversos, o processo

Leia mais

Aula 98. Revelia (Parte II): Lembre-se que qualquer procedimento é composto por: demanda citação resposta instrução decisão final (sentença).

Aula 98. Revelia (Parte II): Lembre-se que qualquer procedimento é composto por: demanda citação resposta instrução decisão final (sentença). Turma e Ano: Direito Processual Civil - NCPC (2016) Matéria / Aula: Art. 345 - Revelia sem o efeito material / 98 Professor: Edward Carlyle Monitora: Laryssa Marques Aula 98 Revelia (Parte II): Lembre-se

Leia mais

ACÓRDÃO. 42k +h. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho

ACÓRDÃO. 42k +h. ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho 42k +h 1,.14,1 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gab. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO 0110 APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2008.006.247-2/001 - Campina Grande RELATOR: Des. Genésio

Leia mais