Final. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação. e da Comunicação pelas Famílias. Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Final. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação. e da Comunicação pelas Famílias. Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais"

Transcrição

1 Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Sociedade da Informação e do Conhecimento DES/SIC Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias IUTICF 20 Documento Metodológico Final Março de 20

2 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Índice Introdução 3 I. Caracterização Geral 4.Código / Versão / Data 4 2. Código SIGINE 4 3. Designação da Operação Estatística 4 4. Actividade Estatística 4 5. Objectivos 4 6. Descrição 5 7. Entidade Responsável 6 8. Relacionamento com o Eurostat 6 9. Financiamento 6 0. Enquadramento Legal 6. Obrigatoriedade de Resposta 6 2. Tipo de Operação Estatística 6 3. Tipo de Fonte de Informação Utilizada 6 4. Periodicidade de realização da operação 7 5. Âmbito Geográfico da Operação 7 6. Utilizadores da Informação 7 7. Data de início 8 8. Produtos 9 II. Caracterização Metodológica 9 9. População Base de Amostragem 9 2. Unidade Amostral Unidades de Observação Desenho da Amostra Desenho do Questionário Recolha de Dados Tratamento dos Dados Tratamento de Não Respostas Estimação e Obtenção de Resultados Séries Temporais Confidencialidade dos dados 9 3. Avaliação da Qualidade Estatística Recomendações Nacionais e Internacionais 2 III. Conceitos 22 IV. Classificações 36 V. Variáveis Variáveis de Observação Variáveis Derivadas Informação a disponibilizar 45 VI. Suporte de Recolha Questionário Ficheiro 48 VII. Abreviaturas e Acrónimos 49 VIII. Bibliografia 50 2

3 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Introdução O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias em 20 (IUTICF) insere-se no âmbito do desenvolvimento de operações estatísticas que visam contribuir para a criação de um sistema estatístico consistente e harmonizado relativo à Sociedade da Informação. Este sistema tem em vista a observação regular do acesso e da utilização de tecnologias da informação e da comunicação nos diversos sectores institucionais, tais como: a Administração Pública, as Empresas, os Hospitais ou as Famílias. O presente inquérito tem por objectivo a cobertura estatística deste tipo de informação no sector das famílias. A recolha de informação desta área iniciou-se em 200, integrada num módulo do IE (Inquérito ao Emprego). Em 2002 foi seguido idêntico procedimento. A partir de 2003, a recolha desta informação tornou-se independente do IE, funcionando desde então, como uma operação estatística autónoma. Esta operação estatística enquadra-se no actual sistema de produção estatística internacional, nomeadamente no sistema estatístico da União Europeia. Neste âmbito foi criado o Grupo de Trabalho do Eurostat sobre o desenvolvimento de Estatísticas para a Sociedade da Informação, do qual o Instituto Nacional de Estatística, I.P. (INE) é parte integrante. É apresentada uma nova versão do documento metodológico referente a esta operação estatística para o ano de 20, pelos seguintes motivos: Alteração do suporte de recolha de informação (reformulação de algumas questões, introdução de novas e eliminação de outras); Exclusão dos módulos: Módulo B4 Segurança na Utilização da Internet e Módulo C Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelos Indivíduos dos 0 aos 5 anos (a observação desta faixa etária é realizada de dois em dois anos); Adopção da nova classificação de profissões (CPP 200); Alteração do método de selecção dos indivíduos considerados elegíveis para a condição de respondente (alteração na aplicação do método de Kish). 3

4 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico I. Caracterização Geral. Código / Versão / Data Código da operação estatística: 269 Versão: 5.0 Data: Março de Código SIGINE SI Designação da operação estatística Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 4. Actividade Estatística 8 - Área de actividade: Sociedade da Informação 8 - Família de actividades: Estatísticas da Sociedade da Informação Actividade estatística: Inquérito à Utilização das TIC nas Famílias 5. Objectivos O objectivo do Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias (IUTICF) 20 é a produção de informação acerca: do acesso às TIC por parte dos agregados domésticos privados principais; da utilização de computador, Internet, comércio electrónico, telemóvel e multibanco pelos indivíduos; e do nível de competências informáticas detidas pelos indivíduos. 4

5 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico O questionário está organizado da seguinte forma: - Módulo A: Acesso do Agregado Doméstico às Tecnologias da Informação e da Comunicação - Módulo B: Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelos Indivíduos dos 6 aos 74 anos B Computador B2 Internet B3 Utilização da Internet para interagir com Organismos ou Serviços Públicos B4 Comércio electrónico através da Internet B5 Competências relativas à utilização de computador e de Internet B6 Utilização de outras tecnologias 6. Descrição Trata-se de um inquérito realizado anualmente, que segue as recomendações metodológicas do Eurostat definidas no Regulamento (CE) n.º 808/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho. Enquadra-se no âmbito do desenvolvimento das Estatísticas da Sociedade da Informação. Inquérito amostral, cuja amostra é seleccionada a partir da Amostra-Mãe de 200, que constitui a base de amostragem para os inquéritos que o INE realiza junto das famílias. É um inquérito dirigido à população residente com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos. São duas as unidades estatísticas de observação: o agregado doméstico privado principal e o indivíduo. O inquérito abrange todo o território nacional Continente, Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. A amostra é dimensionada e estratificada por NUTS II de forma a produzir estimativas representativas para Portugal, para o Continente e para as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. Não obstante, para outros níveis de desagregação (não necessariamente geográficos), a representatividade é avaliada em função dos erros amostrais associados. São aplicados dois métodos de recolha: entrevista directa assistida por computador (CAPI) e entrevista telefónica assistida por computador (CATI). Em cada alojamento da amostra, a entrevista será dirigida a um único indivíduo com idade entre os 6 e os 74 anos seleccionado no agregado doméstico privado principal. Não se admitem entrevistas PROXY. 5

6 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 7. Entidade Responsável DES/SIC Departamento de Estatísticas Sociais e Demográficas/ Serviço de Estatísticas da Sociedade de Informação e Conhecimento Técnico Responsável: Carla Afonso Telefone Fax: Relacionamento com o Eurostat Heidi Seybert Direction F: Social and Information Society Statistics Unit F6: Information Society and Tourism Statistics Tel.: Fax: Financiamento A operação estatística de 20 é financiada parcialmente (25,25%) pela Comissão Europeia, de acordo com o estipulado no contrato n.º do Eurostat. A parte restante dos custos da operação é financiada pelo INE. 0. Enquadramento Legal Esta operação estatística segue as orientações definidas no Regulamento (CE) n.º 82/200 de 7 de Setembro de 200, que implementa o regulamento 808/2004 de 2 de Abril de 2004, do Parlamento Europeu e do Conselho, relativo às Estatísticas Comunitárias na área da Sociedade da Informação.. Obrigatoriedade de Resposta SEN Sim Eurostat Sim 2. Tipo de Operação Estatística Inquérito Amostral Directa 3. Tipo de Fonte de Informação Utilizada 6

7 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Anual 4. Periodicidade de realização da operação País 5. Âmbito Geográfico da Operação 6. Utilizadores da Informação 6.. Internos (ao SEN) INE/DES Instituto Nacional de Estatística, IP/ Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais INE/DCN Instituto Nacional de Estatística, IP/ Departamento de Contas Nacionais DREM Direcção Regional de Estatística da Madeira SREA Serviço Regional de Estatística dos Açores 6.2. Nacionais ANACOM Autoridade Nacional de Comunicações UMIC Agência para a Sociedade do Conhecimento, I.P. OberCom Observatório da Comunicação Pessoas singulares: Investigadores, professores, estudantes e público em geral 6.3. Comunitários e Internacionais União Europeia: Eurostat Serviço de Estatísticas das Comunidades Europeias Organizações Internacionais: OCDE Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico Relativamente às necessidades de informação conhecidas, o INE/DES faz uso da totalidade de informação disponível; a informação sobre tipos de ligação à Internet em casa e horas de utilização da Internet é utilizada pelo INE/DCN. O Eurostat tem acesso a um plano de apuramentos e uma base de microdados anonimizada, previamente determinados. O Serviço Regional de Estatística dos Açores e a Direcção Regional de Estatística da Madeira fazem uso da totalidade de informação disponível, quando respeitante à respectiva Região Autónoma. 7

8 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Os investigadores e a UMIC têm acesso a bases de dados anonimizadas. Os resultados apresentados em Destaque e a informação constante no Portal de Estatísticas Oficiais podem ser acedidos pela Comunicação Social e pelo público em geral. A ANACOM e o OberCom utilizam informação disponível no Portal das Estatísticas Oficiais. O INE/DES dá ainda resposta a pedidos específicos de informação não publicada (quadros a pedido) de utilizadores em geral. Os apuramentos específicos de informação, que não constem do Plano de Apuramentos da operação estatística, solicitados, designadamente por pessoas singulares, sociedades não financeiras e entidades comunitárias e internacionais, devem ser dirigidos ao INE, Serviço de Difusão Apoio ao Cliente. 7. Data de Início Desde o ano de 200 que o INE apura e recolhe dados desta área estatística, inicialmente através de um módulo associado ao Inquérito ao Emprego (em 200 e 2002), e a partir de 2003 com um inquérito autónomo. 8

9 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 8. Produtos Prevê-se que a informação seja disponibilizada, quer ao Eurostat, quer aos utilizadores internos (ao SEN) e nacionais, no mês de Outubro do ano n. Os produtos a disponibilizar constam da tabela seguinte: Produtos a Disponibilizar Designação Tipo de Periodicidade de Nível Tipo de produto disponibilização geográfico disponibilização Utilizadores - Portugal Utilizadores nacionais: UMIC; Ficheiro de - NUTS II para Não sujeito a Investigadores Microdados Anual alguns tarifação Utilizadores comunitários e (anonimizados) indicadores internacionais: Eurostat - Portugal Inquérito à Utilização de Ficheiro de Dados Extrapolados Anual - NUTS II para alguns indicadores Não sujeito a tarifação Utilizadores comunitários e internacionais: Eurostat Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias Destaque Quadros Pré- Definidos Anual - Portugal - NUTS II para alguns indicadores Não sujeito a tarifação Utilizadores internos: INE Utilizadores nacionais: ANACOM; UMIC; OberCom; Pessoas singulares Utilizadores comunitários e internacionais: Eurostat; OCDE Quadros a pedido Não periódico - Portugal - NUTS II para alguns indicadores Sujeito a tarifação Utilizadores nacionais Utilizadores comunitários e internacionais II. Caracterização Metodológica 9. População - Universo: População residente em território nacional com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos. - Universo de Referência: População residente em território nacional com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos, residente em alojamentos familiares (clássicos e não clássicos) de residência principal. 20. Base de Amostragem Amostra-Mãe de 200 9

10 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 2. Unidade Amostral Alojamentos familiares de residência principal. 22. Unidades de Observação Agregados domésticos privados principais e indivíduos com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos. 23. Desenho da Amostra - Características da Amostra: Tipo de amostragem: Probabilística Tipo de dados: Transversais e Longitudinais (amostra rotativa) - Metodologia para dimensionamento e selecção da amostra: a amostra do IUTICF é seleccionada a partir da Amostra-Mãe de 200 (AM-200), que constitui a base de amostragem para os inquéritos que o INE realiza junto das famílias. A amostra foi seleccionada introduzindo uma nova etapa no processo de selecção escolhendo aleatoriamente 539 áreas de entre as 408 que constituem a base da AM-200. Na etapa seguinte seleccionaram-se em cada uma das áreas da etapa anterior o número de alojamentos familiares de residência principal. Com vista à redução dos custos de deslocação, os alojamentos foram escolhidos sequencialmente (em bloco) de acordo com uma ordenação pré-estabelecida em cada área e que na prática corresponde a uma proximidade geográfica dos alojamentos. Para o cálculo das probabilidades de selecção dos alojamentos foi necessário ter em conta dois aspectos: º) a probabilidade de selecção das áreas do IUTICF e 2º) a probabilidade de selecção dos alojamentos dentro das áreas escolhidas. Assim, a probabilidade de selecção de cada alojamento (k) calcula-se da seguinte forma: onde, π i j h π j h s h r h π = π = π k i j h j h rh - Probabilidade de selecção do alojamento i na área j na região h; - Probabilidade de selecção da área j da AM-200 na região h; - Número de áreas da AM-200 na região h; s - Número de áreas seleccionadas para o IUTICF na região h; A j h - Total de alojamentos de residência principal na área j na região h; a j h - Número de alojamentos (de residência principal) seleccionados na área j na região h; h a A j h j h 0

11 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Como em cada alojamento se selecciona apenas um agregado (o principal no caso de existir mais do que um) e dentro deste apenas um indivíduo com idade entre os 6 e os 74 anos, as respectivas probabilidades de selecção são dadas por: Agregados Dado que a proporção de agregados por alojamento é aproximadamente igual a, assume-se que a probabilidade de selecção de um agregado (l) é igual à probabilidade de selecção do respectivo alojamento. Indivíduos π l = π k A probabilidade de selecção de um indivíduo (m) é função da probabilidade de selecção do respectivo agregado e respectiva tabela de Kish a aplicar em 20; π m = π π l Kish São utilizados dois métodos de recolha CAPI e CATI. A definição das subamostras para 20 ainda não é conhecida, aguardando-se informação do DRI. Em 200 as subamostras foram definidas da seguinte forma: I. Para CATI, serão seleccionadas as unidades de alojamento: que foram inquiridas no ano anterior por CATI, cujo resultado da entrevista tenha sido entrevista conseguida, temporariamente ausente ou recusa; dos núcleos de recolha de Lisboa, Porto e Madeira, que foram inquiridas no ano anterior por CAPI, com entrevista conseguida e que disponham de contacto telefónico; II. Para CAPI serão seleccionadas as restantes unidades de alojamento. - Dimensão global da amostra, desagregação por estratos e distribuição temporal: A amostra foi dimensionada e estratificada (por NUTS II) de forma a produzir estimativas representativas para Portugal, para o Continente e para as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira. Não obstante, para outros níveis de desagregação (não necessariamente geográficos), a representatividade é avaliada em função dos erros amostrais associados.

12 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico A dimensão global (calculada em 2009) é de 2460 alojamentos divididos em quatro subamostras com uma dinâmica de rotação de ¼ anual, o que significa que nenhum agregado ou indivíduo permanecerá na amostra mais do que quatro anos. A amostra de 20 será constituída pelos alojamentos dentro do âmbito que transitam da amostra de 200 e pelos alojamentos da nova rotação. A dimensão global foi ainda repartida pelas regiões proporcionalmente à raiz quadrada da dimensão da população dos 6 aos 74 anos de forma a atenuar as diferenças entre regiões maiores e mais pequenas. O quadro seguinte mostra as dimensões regionais: Dimensão da amostra por NUTS II Região U.A. Norte 2706 Centro 263 Lisboa 2352 Alentejo 200 Algarve 903 Açores 600 Madeira 536 Total Software utilizado: SAS. 24. Desenho do Questionário - Metodologia seguida para o desenho do questionário: adopção crítica do modelo de questionário fornecido pelo Eurostat, com as devidas adaptações à realidade nacional e com alterações consideradas essenciais para a manutenção da sua coerência analítica. Em 20 foi retirado o módulo dirigido aos indivíduos dos 0 aos 5 anos. Este módulo tem periodicidade bienal e será novamente introduzido em Tempo médio para preenchimento do questionário: 5 minutos para uma entrevista curta (situações em que o indivíduo utilizou Internet Antes de 200 ); e 30 minutos para uma entrevista longa (situações em que o indivíduo utilizou Internet Entre Janeiro e Março de 20 ou Em 200 ). A estes tempos deve ser acrescido o tempo previsto para a caracterização do agregado (5 minutos para as unidades de alojamento pertencentes a velhas rotações que 2

13 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico entraram na amostra de anos anteriores; e 0 minutos para as unidades a inquirir pela primeira vez novas rotações). - Testes efectuados ao questionário: o questionário segue o regulamento Comunitário para esta área estatística, não tendo sido efectuados quaisquer testes. 25. Recolha de Dados - Período de Referência dos dados: conforme indicado pelo Eurostat, e no sentido de garantir a harmonização internacional para os dados que constituem, alguns deles, indicadores de benchmarking na área da Sociedade da Informação, o período de referência é, para as questões relativas ao acesso e utilização de tecnologias da informação e da comunicação, e salvo indicação em contrário, o.º trimestre do ano n. Para as variáveis socio-demográficas, o período de referência é 3 de Março do ano n. - Período de recolha: meses de Abril e Maio do ano n. - Contacto inicial: será enviada uma carta de apresentação do projecto a cada um dos alojamentos seleccionados para o efeito. Método de recolha: em 20 estão previstos dois métodos de recolha: entrevista directa assistida por computador (CAPI) e entrevista telefónica assistida por computador (CATI). No método CATI serão efectuadas entrevistas a unidades de alojamento inquiridas no ano anterior pelo método CATI (desde que tenham telefone funcional e o resultado da entrevista tenha sido entrevista conseguida, temporariamente ausente ou recusa). Nos núcleos de recolha de Lisboa, Porto e Madeira serão também efectuadas entrevistas por CATI nas unidades de alojamento inquiridas pelo método CAPI no ano anterior com entrevista conseguida, que disponham de contacto telefónico. São considerados elegíveis para entrevista os agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo entre os 6 e os 74 anos, que habitem o alojamento no momento da entrevista e tenham habitado a 3 de Março do ano n. Nesses agregados, são considerados elegíveis os indivíduos com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos, que habitem o alojamento no momento da entrevista e tenham habitado a 3 de Março do ano n. Nos alojamentos com mais do que um agregado, não existe qualquer processo automático de selecção do agregado a entrevistar. A selecção deverá ser feita da seguinte forma: Em alojamentos inquiridos pela primeira vez no ano n, será seleccionado para entrevista o agregado doméstico privado principal; 3

14 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Em alojamentos inquiridos no ano anterior com entrevista conseguida, será seleccionado para entrevista o agregado doméstico privado que respondeu ao inquérito no ano anterior; Se o agregado doméstico privado que respondeu ao inquérito no ano anterior já não habita o alojamento, será seleccionado para entrevista o agregado doméstico privado principal. Os indivíduos a entrevistar serão seleccionados mediante a aplicação do método de Kish. Neste método, a cada alojamento é previamente atribuída (aquando da disponibilização da amostra) uma tabela, que em função da dimensão do agregado indica qual o número de ordem do indivíduo a seleccionar. Para tal, os indivíduos elegíveis são ordenados, em primeiro lugar segundo o sexo e posteriormente segundo a idade. Nas operações de 2009 e 200, verificou-se que alguns escalões, nomeadamente o dos 6 aos 24 (sub-representado) e o dos 65 aos 74 anos (sobre-representado) apresentaram um maior diferencial em termos percentuais face à distribuição da população. Para atenuar esta situação, em 20 será implementada uma nova grelha constituída por 2 tabelas (em vez das 8 anteriores). Esta alteração seguiu a metodologia definida no documento Respondent selection within the household A modification of the Kish grid a qual sugere uma alteração nas tabelas de Kish de acordo com a estrutura actual da população. Considerando os dados de 200 do IUTICF e do º trimestre de 200 do IE relativos à estrutura da população por sexo, escalão etário e dimensão dos agregados, chegou-se à seguinte grelha constituída por 2 tabelas: Identificação da Tabela Proporção da tabela na amostra Nº de indivíduos no alojamento Seleccionar o indivíduo com a ordem: A /2 B /2 2 2 C / D / E / F / G / H / I / J / K / L / Renata Nemeth 4

15 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico - Insistências/Tratamento de recusas: devem ser asseguradas as insistências (presenciais e telefónicas) necessárias, com o objectivo de obter o máximo de entrevistas conseguidas durante o período de recolha; as recusas são comunicadas pelos entrevistadores aos supervisores locais, que fazem, sempre que possível, um posterior contacto. - Critério utilizado para fecho do inquérito e avaliação do sucesso do processo de insistências: o inquérito fecha de acordo com calendário pré-definido no SIGINE. Nessa altura o trabalho de recolha tem de estar terminado em todas as unidades de alojamento seleccionadas para a amostra e, consequentemente em todas as áreas seleccionadas. Para o controlo do trabalho de recolha, nomeadamente da taxa de resposta do inquérito, existe um programa informático de gestão das entrevistas que permite uma avaliação regular do trabalho de campo já efectuado e do que ainda falta realizar. - Possibilidade ou não de inquiridos PROXY: não se admitem entrevistas PROXY nesta operação estatística. - Utilização de incentivos: não está prevista a utilização de incentivos. - Formação: a formação desenvolve-se a vários níveis, sendo numa primeira fase ministrada pelo coordenador nacional do projecto (DES/SIC) aos responsáveis pela coordenação regional e aos coordenadores do SREA e da DREM. Numa segunda fase é ministrada a formação a supervisores e entrevistadores pelos respectivos Núcleos de Recolha, SREA e DREM. A formação tem, habitualmente, a duração de um dia, no qual se faz a apresentação do inquérito, dos seus objectivos e base conceptual que lhe está associada complementada com suporte escrito (Manual do Entrevistador) e visual (apresentação gráfica em PowerPoint) bem como a apresentação e utilização da aplicação informática que suporta a recolha de dados. - Captura de dados Entrada de dados: digitação Codificação: automática (para a generalidade das variáveis) e manual (para a codificação da variável profissão, feita a posteriori). Software utilizado: recolha dos dados efectuada em suporte informático através da aplicação GPIE-REG desenvolvida em VISUAL BASIC 6.0 com recurso a SGBD SQL*Server. A aplicação informática é desenvolvida pelo DMSI, sendo os primeiros testes efectuados, de forma articulada, pelos responsáveis técnicos do projecto DES/SIC e DRI/PR. A gestão das entrevistas no método de recolha CATI será realizada através da plataforma SICC (Sistema Integrado de Centro de Contactos). 5

16 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 26. Tratamento dos Dados O acesso à base de dados é efectuado através do GPIE (disponível durante a recolha, após a primeira exportação de dados). No caso do IUTICF a análise dos dados é realizada, numa primeira fase, em ACCESS (análise por exemplo da situação do alojamento, do resultado do contacto/entrevista e verificação dos percursos do questionário através de contagens). Numa segunda fase são efectuados testes de controlo de qualidade, tratamento e análise dos dados com recurso ao SPSS. Finalmente, são calculados os coeficientes de variação associados aos dados para avaliação da qualidade aquando da disponibilização da informação. 27. Tratamento de não respostas É aplicado um método de tratamento de não respostas semelhante ao do Inquérito ao Emprego (IE), que consiste na multiplicação do ponderador inicial de cada unidade (inverso da probabilidade de selecção) por um factor de correcção para as não respostas. Software utilizado: SAS 28. Estimação e obtenção de resultados O cálculo das estimativas tem como base a aplicação, a cada unidade estatística da amostra (agregado ou indivíduo), de um ponderador que resulta do produto dos seguintes factores: Um ponderador inicial, baseado no estimador de Horvitz-Thompson, dado pelo inverso da probabilidade de selecção de cada unidade; Um factor de correcção para as não respostas para compensar o efeito provocado por estas na dimensão da amostra; Um factor que calibra (ou ajusta) a amostra, para efectivos ou totais conhecidos sobre a população utilizando fontes externas ao inquérito, através de um método denominado calibragem ou ajustamento por margens. Agregados º Passo: cálculo do ponderador inicial do agregado O ponderador inicial (ou design weight) de um agregado l é dado pelo inverso da sua probabilidade de selecção π l : w l = 6 π l

17 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 2º Passo: correcção para a não resposta ao nível do agregado O objectivo desta correcção é reduzir o enviesamento provocado pelos agregados que foram contactados mas cuja entrevista não foi conseguida. As razões para esta rejeição podem dever-se a recusas, agregados temporariamente ausentes, impossibilidade de responder por motivos de saúde ou por outro tipo de incapacidades. O ideal nesta etapa seria conhecer a probabilidade de resposta de cada um dos agregados respondentes e ajustar o respectivo ponderador pelo inverso desta probabilidade. Uma vez que este valor é desconhecido torna-se necessário estimá-lo. Uma das várias hipóteses consiste em dividir os agregados em classes e assumir que dentro de cada classe a probabilidade de resposta é constante. As classes podem ser definidas ao nível das características das áreas (região a que pertencem, tipologia urbano/rural, tipologia socio-económica, etc.) e/ou ao nível das características dos agregados (regime de ocupação do alojamento, tipo de alojamento, tipo e dimensão do agregado, etc.). Assim, optou-se por considerar classes definidas ao nível da região NUTS II. A probabilidade de resposta dos agregados em cada região é estimada de uma forma empírica pelo quociente entre o número de agregados com entrevista conseguida e a estimativa do número total de agregados (dada pelo Inquérito ao Emprego). onde, pˆ l w l - Soma dos ponderadores iniciais dos agregados com entrevista conseguida na região h; Xˆ r = wl Xˆ h - Número total de agregados na região h a que pertence o agregado l (estimativa dada pelo IE). O ponderador corrigido do agregado vem dado por: w * l = wl pˆ l Este ponderador corresponde ao peso final do agregado uma vez que a calibragem por NUTS II já está garantida. 7

18 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Indivíduos º Passo: cálculo do ponderador inicial do indivíduo O ponderador inicial (ou design weight) de um indivíduo m é dado pelo inverso da sua probabilidade de selecção π m : w m = π m 2º Passo: correcção para a não resposta ao nível do indivíduo Da mesma forma tomaram-se classes definidas ao nível da região NUTS II. A probabilidade de resposta dos indivíduos em cada região é estimada através do quociente da soma dos pesos dos indivíduos com entrevista conseguida e a estimativa independente da população. pˆ m onde, w m - Soma dos ponderadores iniciais dos indivíduos com entrevista conseguida na região h; Yˆ h - Número total de indivíduos na região h (estimativa independente da população). = w Yˆ h m O ponderador corrigido do indivíduo vem dado por: w * m = w m pˆ m 3º Passo: cálculo do ponderador final dos indivíduos através do método de calibragem Este método tem como objectivo aumentar a precisão das estimativas utilizando informação externa ao inquérito (variáveis auxiliares) e consiste em escolher uma função que minimiza as distâncias entre os ponderadores iniciais e os ponderadores finais ajustados (equivale a dizer que o quociente entre os ponderadores finais e os iniciais deve ser aproximadamente igual a ). Assim, garante-se que as variáveis auxiliares, extrapoladas com os ponderadores ajustados, sejam iguais aos totais populacionais conhecidos. Para a solução prática deste problema, utiliza-se uma macro em SAS denominada Caljack desenvolvida pelo Statistics Canada. 8

19 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico A macro dispõe de várias funções distância tendo-se escolhido a do método logit (também utilizada noutros inquéritos), que tem como vantagem a garantia de que os pesos finais são sempre positivos e que o quociente com os ponderadores iniciais é limitado inferior e superiormente. Para a calibragem utilizam-se como margens as estimativas independentes da população por região NUTS II, sexo e escalões etários. Os ponderadores obtidos após o procedimento de calibragem correspondem aos ponderadores finais dos indivíduos. Software utilizado: SAS 29. Séries temporais Período de tempo em que se verificou quebra de série: a partir de Descrição das alterações que provocaram quebra de série: revisão do conceito de comércio electrónico, no qual passou a constar a menção relativa à exclusão de não automático. Período de tempo em que se verificou quebra de série: a partir de Descrição das alterações que provocaram quebra de série: alteração da delimitação temporal da variável de observação Data de frequência de curso/acção de formação e consequente classificação associada (V0070). 30. Confidencialidade dos dados Regras do segredo estatístico habitualmente aplicadas ao nível dos microdados com informação acerca dos indivíduos, sendo aplicado o software µ Argus e retirado todo o tipo de informação susceptível de identificar o indivíduo ou o alojamento a que pertence, nomeadamente: área da Amostra-Mãe, N.º de ordem do alojamento na área da Amostra-Mãe, N.º de identificação do agregado, N.º de identificação do indivíduo, nome e contactos. Ao nível dos macrodados, a disponibilização da informação está dependente dos coeficientes de variação associados aos dados, os quais, em função de valores previamente convencionados (25%) permitem ou não a disponibilização dos dados. 3. Avaliação da Qualidade Estatística Precisão - Erros não devidos à amostragem: não aplicável - Erros de amostragem: coeficiente de variação 9

20 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico A precisão associada a um estimador é definida pela proximidade entre o valor obtido para uma característica de uma população (após a recolha, tratamento, imputação e estimação) e o seu valor real (desconhecido), podendo esta ser medida em termos absolutos ou em termos relativos. A variância ou o desvio padrão são medidas do erro absoluto e são sempre calculados na mesma unidade das observações. O coeficiente de variação (cv) de um estimador é medido em termos relativos e é dado pelo quociente entre o desvio padrão do estimador e o valor do parâmetro a estimar. Genericamente, o cv (em %) vem dado por: vâr ( ˆ) θ cv ( ˆ) θ = 00%. ˆ θ Ao calcular-se o coeficiente de variação de um estimador pode construir-se um intervalo de valores que apresenta uma certa confiança, medida em termos de probabilidade (normalmente de 95%), de conter o valor real. A complexidade do esquema de amostragem associada ao tipo de estimadores (que se podem classificar em lineares ou não lineares), impede na maior parte das vezes a aplicação de fórmulas específicas para o cálculo das variâncias. Por esta razão existem métodos que permitem obter valores aproximados. O Caljack possibilita o cálculo de variâncias para estimadores de totais (estimadores lineares); estimadores de quocientes de totais e ainda diferenças de quocientes (estimadores não lineares) recorrendo ao método Jackknife. Existe outra aplicação no INE, desenvolvida em R, que também permite calcular estimativas de totais e respectivos erros. Este método consiste em dividir aleatoriamente a amostra em g grupos de igual dimensão, denominados réplicas e constituir subamostras retirando à amostra completa cada um dos grupos. A partir de cada subamostra calcula-se a estimativa da característica em relação à qual se pretende calcular o erro de amostragem. Uma vez calculadas todas as estimativas com cada uma das subamostras, assim como a estimativa dada pela amostra completa, o estimador da variância vem dado por: ( g ) vâr( ˆ) θ = g g α = ( ˆ θ α ˆ) θ 2 20

21 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico onde θˆ é um estimador de θ e θˆ α o estimador de θ quando se retira da amostra completa a réplica α. Calculados os coeficientes de variação institui-se que: i) cv abaixo dos 0% estimativa fiável: divulgação de resultados sem restrições; ii) cv acima ou igual a 0% e abaixo dos 25% estimativa aceitável: divulgação de resultados com restrições; iii) cv acima ou igual a 25% estimativa não fiável: resultados não divulgados. iv) De acordo com os critérios de precisão definidos pelo Eurostat, encontrou-se um dimensionamento ideal da amostra de unidades de alojamento, para acomodar o dimensionamento para agregados com acesso à Internet em casa considerando um erro relativo de 5%. Software utilizado para o cálculo dos cv: R. Coerência O controlo de qualidade da informação será feito, num primeiro momento, através de um conjunto de processos de validação na fase do registo dos dados e, num segundo momento, através da crítica da coerência global da informação. 32. Recomendações Nacionais e Internacionais Este questionário segue as recomendações metodológicas do Eurostat. 2

22 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico III. Conceitos São os seguintes os conceitos presentes no IUTIC Famílias: Código: 234 Designação: ACÇÃO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Definição: Qualquer actividade de formação organizada, realizada com o fim de proporcionar a aquisição ou o aprofundamento de saberes e competências profissionais ou relacionais requeridas para o exercício de uma ou mais actividades profissionais. Pode assumir, entre outras, a forma de curso, seminário, conferência e palestra. Código: 24 Designação: ADSL Definição: Tecnologia de transmissão assimétrica de banda larga que usa os pares de cobre da cablagem telefónica existente para comunicação de dados a taxas elevadas e acesso a serviços multimédia. Um circuito ADSL providencia três canais de informação: um canal downstream (sentido Internet para o PC) de alto débito (,5 a 8Mbit/s), um canal duplex de alto débito médio de upstream (sentido PC para a Internet) (6 a 640Kbit/s) e um canal para o serviço telefónico. Código: 59 Designação: AGREGADO DOMÉSTICO PRIVADO Definição: Conjunto de pessoas que residem no mesmo alojamento e cujas despesas fundamentais ou básicas (alimentação, alojamento) são suportadas conjuntamente, independentemente da existência ou não de laços de parentesco; ou a pessoa que ocupa integralmente um alojamento ou que, partilhando-o com outros, não satisfaz a condição anterior. Notas: Os hóspedes com pensão alimentar, os casais residindo com os pais e os filhos/hóspedes, bem como outras pessoas, são incluídos no agregado doméstico privado, desde que as despesas fundamentais ou básicas (alimentação, alojamento) sejam, habitualmente, suportadas por um orçamento comum. São ainda considerados como pertencentes ao agregado doméstico privado o(a)s empregados domésticos que coabitem no alojamento. Código: 482 Designação: ALOJAMENTO Definição: Local distinto e independente que, pelo modo como foi construído, reconstruído, ampliado, transformado ou está a ser utilizado, se destina a habitação com a condição de não estar a ser utilizado totalmente para outros fins no momento de referência: por distinto entende-se que é cercado por paredes de tipo clássico ou de outro tipo, é coberto e permite que uma pessoa ou um grupo de pessoas possa dormir, preparar refeições ou abrigar-se das intempéries separado de outros membros da colectividade; por independente entende-se que os seus ocupantes não têm que atravessar outros alojamentos para entrar ou sair do alojamento onde habitam. Código: 485 Designação: ALOJAMENTO FAMILIAR Definição: Alojamento que, normalmente, se destina a alojar apenas uma família e não é totalmente utilizado para outros fins no momento de referência. Notas: o alojamento familiar pode ser clássico e não clássico. 22

23 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 486 Designação: ALOJAMENTO FAMILIAR CLÁSSICO Definição: Alojamento familiar constituído por uma divisão ou conjunto de divisões e seus anexos num edifício de carácter permanente ou numa parte estruturalmente distinta do edifício, devendo ter uma entrada independente que dê acesso directo ou através de um jardim ou terreno a uma via ou a uma passagem comum no interior do edifício (escada, corredor ou galeria, entre outros). Notas: as divisões isoladas, manifestamente construídas, ampliadas ou transformadas para fazer parte do alojamento familiar clássico são consideradas como parte integrante do mesmo. Código: 4488 Designação: ALOJAMENTO FAMILIAR DE RESIDÊNCIA SECUNDÁRIA Definição: Alojamento familiar ocupado que é apenas utilizado periodicamente e no qual ninguém tem residência habitual. Código: 488 Designação: ALOJAMENTO FAMILIAR NÃO CLÁSSICO Definição: Alojamento que não satisfaz inteiramente as condições do alojamento familiar clássico pelo tipo e precariedade da construção, porque é móvel, improvisado e não foi construído para habitação, mas funciona como residência habitual de pelo menos uma família no momento de referência. Notas: incluem-se a barraca, o alojamento móvel, a casa rudimentar de madeira e o alojamento improvisado, entre outros não destinados à habitação. Código: 489 Designação: ALOJAMENTO FAMILIAR OCUPADO COM USO SAZONAL Definição: Ver ALOJAMENTO FAMILIAR DE RESIDÊNCIA SECUNDÁRIA Código: 49 Designação: ALOJAMENTO FAMILIAR VAGO Definição: Alojamento familiar desocupado e que está disponível para venda, arrendamento, demolição ou outra situação no momento de referência. Código: 3849 Designação: APRENDIZAGEM FORMAL Definição: Educação ou formação ministradas em instituições de educação ou formação, em que a aprendizagem é organizada, avaliada e certificada sob a responsabilidade de profissionais qualificados. Constitui uma sucessão hierárquica de educação ou formação, na qual a conclusão de um dado nível permite a progressão para níveis superiores. Código: 209 Designação: ÁREA AMOSTRA MÃE Definição: Área geográfica constituída por uma ou mais secções estatísticas contíguas, regra geral pertencentes à mesma freguesia e nunca ultrapassando os limites do concelho a que pertencem. Notas: Possui um mínimo de 240 unidades de alojamento de residência habitual. Código: 3854 Designação: AUTO APRENDIZAGEM Definição: Aprendizagem da iniciativa e conduzida pelo próprio aprendente sem intervenção directa de um professor / formador / monitor ou outro mediador. Pode utilizar meios audiovisuais, cursos por correspondência, ensino assistido por computador, centros de recursos de aprendizagem ou outros. 23

24 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 228 Designação: BANDA ESTREITA Definição: Serviços ou ligações com largura de banda limitada, característica de determinados sistemas de telecomunicações, que apenas possibilitam a transmissão de pequenas quantidades de informação (serviço de telefone, fax, dados de baixa velocidade, entre outros). Contrasta com banda larga que permite transmitir uma quantidade considerável de informação. Código: 389 Designação: BANDA LARGA Definição: Ligação que permite veicular, a grande velocidade, quantidades consideráveis de informação, como por exemplo, imagens televisivas. Os tipos de ligação que fornecem ligação em banda larga são: XDSL (ADSL, SDSL, etc.), cabo, UMTS ou outras como satélite. Código: 73 Designação: BIBLIOTECA PÚBLICA Definição: Biblioteca dirigida ao público em geral, que presta serviço a uma comunidade Local ou Regional podendo incluir serviços de extensão, nomeadamente a hospitais, prisões, minorias étnicas ou outros grupos sociais com dificuldades de acesso ou de integração. Código: 4933 Designação: BLOG Definição: O mesmo que Weblog. Designa um diário mantido na Internet através de sistemas de publicação fáceis de utilizar. Os Weblogs popularizaram-se nos últimos anos, criando sites pessoais que se tornaram verdadeiras referências de opinião e informação na Internet. Código: 4724 Designação: BROWSER Definição Programa-cliente para a consulta de vários recursos multimédia na Internet. Termo, sobretudo utilizado, para designar um programa que permite consultar recursos na Web. Notas: Browsers existentes: Netscape, Microsoft Internet Explorer, Cyberdog, Mosaic o primeiro browser gráfico, e outros, sendo o mais conhecido e utilizador o Internet Explorer. Código: 737 Designação: CAIXA MULTIBANCO Definição: Caixa Automático pertencente à rede Multibanco. Código: 6968 Designação: CARTÃO DE CRÉDITO Definição: Cartão de pagamento diferido, que serve de meio de pagamento e de financiamento sem que o seu titular tenha de dispor imediatamente de fundos, podendo usufruir de crédito gratuito por períodos que podem ir até 50 dias. Até à data de pagamento o titular do cartão pode decidir qual a forma de pagamento da dívida e, se não liquidar na totalidade, o montante remanescente permanece em dívida por mais um período, sendo o extracto seguinte acrescido dos juros correspondentes a esse período. Código: 2787 Designação: CARTÕES DE DÉBITO Definição: São cartões de débito qualquer instrumento de pagamento, para uso electrónico que possibilite ao seu detentor a utilização de uma conta depósito junto de uma instituição de crédito que emite o cartão quer para efeitos de levantamento de numerário em máquinas automáticas, quer para aquisição de bens ou serviços em estabelecimentos comerciais. Só podem emitir este tipo de instrumento as instituições financeiras autorizadas a receber depósitos. 24

25 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 60 Designação: CASADO Definição: (Vide Casado Com Registo e Casado Sem Registo). Código: 6 Designação: CASADO COM REGISTO Definição: Situação de estado civil (legal) de toda a pessoa que tenha contraído casamento. Código: 63 Designação: CASADO "DE FACTO" Definição: (Vide Casado Sem Registo). Código: 62 Designação: CASADO SEM REGISTO Definição: Situação de toda a pessoa que, independentemente do seu estado civil (legal), viva em situação idêntica à de casado, não a tendo legalizada. Código: 590 Designação: CHAT Definição: Sistema para troca interactiva de mensagens de texto em tempo real (de forma sincrónica). Código: 6232 Designação: CIBERCAFÉ Definição: Café ou bar onde os clientes têm à disposição computadores com ligação à Internet, mediante pagamento. Código: 347 Designação: COMÉRCIO ELECTRÓNICO Definição: Operação comercial/financeira conduzida através de redes baseadas no protocolo IP (Internet Protocol) ou de outras redes electrónicas mediadas por computador. Os bens e serviços são encomendados através dessas redes, mas o pagamento e a entrega podem ser feitos online ou offline. Encomendas recebidas através de telefone, fax ou (não automático), não são consideradas comércio electrónico. Notas: se o sistema de utilizado consistir na transmissão de uma mensagem automática, isto é, de computador para computador, sem intervenção humana, então considera-se comércio electrónico. Código: 6922 Designação: COMPACT DISC Definição: Disco de leitura óptica destinado a armazenar informação em formato digital, que pode ser lida por um mecanismo óptico, tal como um laser. Código: 6239 Designação: COMPRESSÃO DE FICHEIROS Definição: Redução do tamanho de um ficheiro com o objectivo de diminuir o espaço de armazenamento ou a duração da transmissão. 25

26 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 329 Designação: COMPUTADOR PESSOAL Definição: Sistema «monoposto» de uso pessoal, com capacidades de processamento e comunicação próprias: Desktop e Tower - orientados para correr aplicações de uso geral; Workstations - orientados para o processamento de aplicações especializadas e com exigências de processamento e gráficas significativas; Portáteis - orientados para correr aplicações de uso geral, caracterizados por terem dimensões e peso reduzidos e disporem de alimentação eléctrica autónoma; Terminais - unidades de entrada/saída sem capacidade de processamento própria, pelas quais um utilizador comunica com o computador. Código: 3352 Designação: COMPUTADOR PORTÁTIL Definição: Computadores orientados para correr aplicações de uso geral, caracterizados por terem dimensão e peso reduzidos e disporem de alimentação electrónica própria. Código: 5493 Designação: COMUNICAÇÕES WIRELESS Definição: Termo utilizado para descrever comunicações em que a transmissão do sinal entre utilizadores (ex. telemóveis, LANs sem fios, PDAs, computadores portáteis, pagers) é feita através de ondas de rádio (e não através de ligações físicas como fios e cabos). Código: 4472 Designação: COMUNIDADES VIRTUAIS Definição: Unificação de utilizadores de redes com interesses comuns em grupos temáticos, cujo objectivo é trabalhar no ciberespaço. Código: 456 Designação: CONDIÇÃO PERANTE O TRABALHO Definição: Situação do indivíduo perante a actividade económica no período de referência podendo ser considerado activo ou inactivo. Código: 475 Designação: CONSULTA PÚBLICA ONLINE Definição: Processo organizado por entidades públicas, de âmbito internacional, comunitário, nacional, regional ou local, mediante o qual cidadãos, empresas, organizações não-governamentais e outros agentes da sociedade civil são convidados a emitir, por via electrónica, opiniões, sugestões e outros contributos, com vista a participar na tomada de decisões relativas a assuntos de interesse público. Código: 332 Designação: CORREIO ELECTRÓNICO Definição: Sistema que permite o envio de mensagens por computadores inseridos em redes de comunicação ou por outro tipo de equipamento de comunicações. O correio electrónico é uma versão informatizada dos serviços de correspondência interna ou dos serviços postais. As mensagens poderão incluir voz, gráficos, imagens e outras informações. 26

27 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 3865 Designação: CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Definição: Oferta integrada de educação e formação, com dupla certificação escolar e profissional, destinada a adultos, maiores de 8 anos, que não possuam a escolaridade básica de 9 anos, sem qualificação profissional, empregados ou desempregados, inscritos nos Centros de Emprego do IEFP, ou indicados por outras entidades, como empresas, ministérios, sindicatos e outros. Conferem certificação escolar equivalente ao.º, 2.º ou 3.º ciclos do ensino básico e certificação profissional de nível ou 2. Código: 76 Designação: CURSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL Definição: Programa estruturado de formação que visa proporcionar a aquisição de conhecimentos, capacidades práticas, atitudes e formas de comportamento necessários para o exercício de uma profissão ou grupo de profissões, com objectivos, metodologia, duração e conteúdos programáticos bem definidos. Código: 343 Designação: DIGITAL SUBSCRIBER LINE Definição: Família de tecnologias DSL: ADSL, IDSL HDSL, SDSL, RADSL, VDSL, DSL-Lite. As tecnologias DSL são utilizadas para aumentar a largura de banda disponível em redes telefónicas de cobre. Código: 59 Designação: DOWNLOAD Definição : Copia de informação (normalmente um ficheiro completo) de uma fonte central para um dispositivo periférico. Termo muitas vezes utilizado para descrever o processo de cópia de um ficheiro de um serviço online para o computador de cada um. Downloading pode, também, englobar o processo de copiar um ficheiro do servidor de uma rede para um computador ligado a essa mesma rede. Código: 47 Designação: e-learning Definição: Aprendizagem que compreende o uso de conteúdos educativos offline e online. No modo offline os conteúdos de aprendizagem podem estar disponíveis em CD-ROM, disquete, cassetes de vídeo e áudio ou outros materiais similares. No modo online os conteúdos são disponibilizados através do sistema informático interno de uma organização ou através da Internet. Código: 6032 Designação: EDUCAÇÃO FORMAL Definição: Ver "APRENDIZAGEM FORMAL" Código: 3877 Designação: ENSINO BÁSICO Definição: Nível de ensino que se inicia cerca da idade de seis anos, com a duração de nove anos, cujo programa visa assegurar uma preparação geral comum a todos os indivíduos, permitindo o prosseguimento posterior de estudos ou a inserção na vida activa. Compreende três ciclos sequenciais, sendo o.º de quatro anos, o 2.º de dois anos e o 3.º de três anos. É universal, obrigatório e gratuito. 27

28 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 3885 Designação: ENSINO SECUNDÁRIO Definição: Nível de ensino que corresponde a um ciclo de três anos (0.º,.º e 2.º anos de escolaridade), que se segue ao ensino básico e que visa aprofundar a formação do aluno para o prosseguimento de estudos ou para o ingresso no mundo do trabalho. Está organizado em cursos predominantemente orientados para o prosseguimento de estudos e cursos predominantemente orientados para a vida activa. Código: 3889 Designação: ENSINO SUPERIOR Definição: Nível de ensino que compreende os ensinos universitário e politécnico, aos quais têm acesso indivíduos habilitados com um curso secundário ou equivalente e indivíduos maiores de 23 anos que, não possuindo a referida habilitação, revelem qualificação para a sua frequência através de prestação de provas. Código: 773 Designação: ESPAÇO INTERNET Definição: Local de acesso público gratuito onde se disponibiliza regularmente a utilização de computadores e da Internet com apoio por pessoal próprio (monitores). Código: 74 Designação: ESTADO CIVIL Definição: Situação jurídica da pessoa composta pelo conjunto das qualidades definidoras do seu estado pessoal face às relações familiares, que constam obrigatoriamente do registo civil. Compreende as seguintes situações: a) Solteiro; b) Casado; c) Viúvo; d) Divorciado. Código: 380 Designação: ESTADO CIVIL DE FACTO Definição: Situação real em que a pessoa vive em termos de relacionamento conjugal. Código: 2276 Designação: FIBRA ÓPTICA Definição: Cabo fabricado em fibra de vidro, através do qual se transmitem sinais sob forma de impulsos de luz. Trata-se de um suporte de banda larga que pode facilmente fornecer capacidade para transmissão de elevadas quantidades de informação, a grandes distância com reduzida distorção. Código: 5378 Designação: FICHEIRO Definição: Conjunto de registos ou dados considerado como uma unidade pelo utilizador ao qual é atribuído um nome. Código: 5379 Designação: FOLHA DE CÁLCULO Definição: Programa que faz a visualização de um quadro de elementos organizado em linhas e colunas, no qual a mudança de um elemento pode provocar novos cálculos em função de relações entre elementos definidas pelo utilizador. Código: 403 Designação: FORMULÁRIO PARA DOWNLOAD Definição: Formulário administrativo necessário à prestação de serviços aos cidadãos, às empresas e a outras entidades, disponível em formato digital para download. 28

29 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 406 Designação: FORMULÁRIO PARA PREENCHIMENTO ONLINE Definição: Formulário administrativo necessário à prestação de serviços aos cidadãos, às empresas e a outras entidades, cujo preenchimento está disponível online. Código: 5028 Designação: GENERAL PACKET RADIO SERVICE Definição: Evolução do sistema GSM, baseada em comutação de pacotes, que possibilita a transmissão a velocidades até 5 Kbps. Código: 4846 Designação: GLOBAL SYSTEM FOR MOBILE COMMUNICATIONS (GSM ) Definição: Tecnologia standard utilizada pelos operadores móveis na Europa e também em outros países. Com excepção de alguns países da América, em particular os EUA e o Brasil, o GSM foi largamente adoptado pelo que permite a existência de uma rede de roaming mundial com cerca de 60 países. Código: 3985 Designação: HARDWARE Definição: Conjunto dos elementos físicos de um computador que engloba o dispositivo principal e os periféricos (como o teclado, o visor, e a impressora), por oposição aos sistemas operativos e às aplicações denominados software. Código: 772 Designação: HIGH-SPEED DOWNLINK PACKET ACCESS Definição: Tecnologia de telecomunicações sem fios, também designada de 3.5G, que representa uma actualização dentro da tecnologia UMTS e permite a transmissão de dados até 0Mbps numa largura de banda de 5MHz. Código: 6240 Designação: HOTSPOT Definição: Nó de uma rede local sem fios (WLAN), de acesso público e geralmente pago, que disponibiliza acesso à Internet. Estas zonas de acesso podem ser encontradas em locais públicos como aeroportos, hotéis, lojas e cafés. Código: 334 Designação: INTERNET Definição: Ligação ao conjunto de redes informáticas mundiais interligadas pelo protocolo TCP/IP - Transmission Control Protocol/Internet Protocol, onde se localizam servidores de informação e serviços (FTP, WWW, , etc.). Código: 624 Designação: INTERNET BANKING Definição: Serviço concebido para ajudar o utilizador a gerir facilmente as suas contas bancárias. Utiliza as tecnologias da Internet e permite ao utilizador ter acesso a informação sobre as suas contas, transferir dinheiro entre contas, efectuar pagamentos e desempenhar outras tarefas numa base de auto-serviço. Código: 6242 Designação: LEITOR PORTÁTIL DE AÚDIO DIGITAL Definição: Aparelho portátil que armazena e reproduz arquivos de som no formato digital e permite que as músicas sejam ouvidas em qualquer lugar, sem necessidade de um computador. 29

30 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 408 Designação: LIGAÇÃO ANALÓGICA Definição: Ligação à Internet através de uma linha telefónica analógica. Código: 3986 Designação: LIGAÇÃO POR CABO Definição: Ligação de banda larga utilizando a cablagem das redes de televisão por cabo. É possível no mesmo cabo suportar televisão, Internet e telefone. Código: 3987 Designação: LIGAÇÃO POR SATÉLITE Definição: Ligação de banda larga via satélite. Existem dois tipos: o uni-direccional que permite apenas a recepção de dados, obrigando o cliente a ter outro serviço de Internet; o acesso via satélite bidireccional que permite a recepção e o envio de dados. Código: 5384 Designação: LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO Definição: linguagem artificial adequada à expressão de programas. Código: 3353 Designação: MINI-COMPUTADOR Definição: Computador com alimentação electrónica própria, que se caracteriza pelo reduzido tamanho - pode ser transportado numa mão; inclui as agendas electrónicas. Código: 4605 Designação: MODEM Definição: Equipamento que basicamente efectua a modulação e a desmodulação de sinais digitais. Na modulação modifica o sinal a enviar, por forma a poder ser transmitido no meio desejado. Na desmodulação reconstitui o sinal recebido, de modo a poder ser perceptível para o utilizador. É muito utilizado em particular na conversão dos sinais digitais dos computadores em sinais analógicos e vice-versa, por forma a poderem ser enviados e recebidos dados (por exemplo em ligações à Internet) através das linhas telefónicas analógicas. Código: 6244 Designação: MOTOR DE BUSCA Definição: Programa que permite ao utilizador fazer pesquisas de informação na Internet por palavras-chave. Código: 6245 Designação: MP3 Definição: Uma tecnologia padronizada e um formato para compressão de ficheiros áudio em ficheiros de tamanho reduzido (cerca de /2 do tamanho do ficheiro original) preservando o nível de qualidade original quando reproduzidos. Código: 6246 Designação: MULTIBANCO Definição: Marca da rede integrada de Caixas Automáticos e de Terminais de Pagamento que disponibiliza mais de 60 serviços, desde o levantamento de dinheiro a pagamentos de serviços, carregamentos de telemóvel, transferências, consultas, compras, entre outras. Notas: para ter acesso a estes serviços basta possuir um cartão bancário, com vertente MB, de um banco que opere em Portugal, seja aderente do sistema e partilhe a infra-estrutura da rede. 30

31 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 98 Designação: NACIONALIDADE Definição: Cidadania legal da pessoa no momento de observação; são consideradas as nacionalidades constantes no bilhete de identidade, no passaporte, no título de residência ou no certificado de nacionalidade apresentado. As pessoas que, no momento de observação, tenham pendente um processo para obtenção da nacionalidade, devem ser considerados com a nacionalidade que detinham anteriormente. Código: 6924 Designação: NEWSGROUPS Definição: Centros de troca de informações e discussão na Internet. Código: 3896 Designação: NÍVEL DE ESCOLARIDADE Definição: Nível ou grau de ensino mais elevado que o indivíduo concluiu ou para o qual obteve equivalência, e em relação ao qual tem direito ao respectivo certificado ou diploma. Código: 3974 Designação: ONLINE Definição: Expressão inglesa que significa estar "em linha", i.e., estar alguém ligado a um servidor, através de uma rede de distribuição, o que lhe permite interagir com o mesmo em qualquer momento. A informação introduzida é processada de imediato. Código: 2044 Designação: ORGANISMO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Definição: Serviço não personalizado da Administração Pública que constitua uma unidade orgânica e funcional. Código: 3990 Designação: PAGAMENTO ONLINE Definição: Expressão utilizada para designar as actividades de pagamento desenvolvidas em rede, isto é, na Internet, através do fornecimento do número do cartão de crédito para o preenchimento de um formulário. Código: 5390 Designação: PASTA Definição: Área de memória, lógica ou virtual, que se utiliza para a organização de documentos ou do correio electrónico. Código: 6247 Designação: PEER - TO - PEER Definição: ) Rede de computadores que não tem clientes e servidores fixos, mas um conjunto de nós "equivalentes" que funcionam ou como clientes ou como servidores dos outros nós da rede; 2) Tecnologia de troca de ficheiros entre cibernautas, permitindo a dois computadores ligados à Internet comunicar directamente um com o outro, sem passar por um servidor central que distribua os dados. Notas: O modelo posto-a-posto opõe-se ao modelo cliente-servidor 3

32 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 4747 Designação: PERSONAL DIGITAL ASSISTANT Definição: Termo genérico utilizado para designar dispositivos portáteis (ex: computador de bolso) que combinam as funcionalidades de um computador com as de comunicação (incorporando por exemplo telefone, fax, ligação em rede e acesso à Internet). Código: 2394 Designação: PROFISSÃO Definição: Ofício ou modalidade de trabalho, remunerado ou não, a que corresponde um determinado título ou designação profissional, constituído por um conjunto de tarefas que concorrem para a mesma finalidade e que pressupõem conhecimentos semelhantes. Código: 2402 Designação: PROFISSÃO PRINCIPAL Definição: Profissão que o indivíduo ocupou mais tempo no período de referência. Código: 5392 Designação: PROGRAMA INFORMÁTICO Definição: ) Unidade sintáctica conforme com as regras de uma determinada linguagem de programação, composta de declarações e instruções necessárias para executar uma função ou uma tarefa, ou resolver um problema; 2) (em linguagens de programação), reunião lógica de um ou mais módulos Código: 3983 Designação: PROTOCOLO FTP Definição: Protocolo de comunicação para transferência de ficheiros entre dois computadores, o servidor e o cliente. Código: 4337 Designação: PROXY Definição: Pessoa que responde no lugar do respondente efectivo. Código: 339 Designação: REDE DIGITAL COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS Definição: Conjunto de infra-estruturas de telecomunicações que, sendo parte integrante da rede básica de telecomunicações, quando essencialmente destinadas à prestação de serviço fixo de telefone, permitem a oferta de ligações digitais entre dois pontos terminais, os quais suportam uma gama variada de serviços de telecomunicações, em conformidade com as recomendações pertinentes da União Internacional das Telecomunicações (UIT). Código: 7328 Designação: REDE SOCIAL Definição: Conjunto de sites que privilegia a formação de comunidades virtuais com interesses comuns. Código: 23 Designação: REPRESENTANTE DO AGREGADO DOMÉSTICO PRIVADO Definição: Elemento do agregado doméstico privado, com 5 ou mais anos de idade, que seja considerado como tal pelos restantes membros, devendo sempre ser residente no alojamento. 32

33 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 3642 Designação: RESIDÊNCIA PRINCIPAL/HABITUAL Definição: Alojamento que constitui a residência de pelo menos um agregado familiar durante a maior parte do ano, ou para onde um agregado tenha transferido a totalidade ou maior parte dos seus haveres. Código: 3975 Designação: SATÉLITE Definição: Corpo que gira, descrevendo uma órbita, em torno de outro, devido fundamentalmente à força de atracção (gravidade) exercida por este último. Em telecomunicações trata-se de uma estação emissora ou retransmissora de radiocomunicações, que gira em torno da Terra. Um satélite emite ou retransmite um sinal para a(s) estação(ões) terrestre(s) de destino. Os satélites podem ser utilizados para transmitir sinais televisivos, telefónicos, e/ou de dados. Código: 77 Designação: SISTEMA OPERATIVO Definição: Software de base de um computador destinado a controlar a execução de programas e a comunicação entre dispositivos e programas, assegurando as operações de entrada-saída, a atribuição de recursos aos diferentes processos, o acesso às bibliotecas de programas e aos ficheiros, assim como a compatibilidade dos trabalhos. Código: 3354 Designação: SITE NA INTERNET DAS AUTORIDADES/SERVIÇOS PÚBLICOS Definição: Nós na rede com endereço único, no caso, endereço das autoridades ou serviços públicos, tais como: Governo Central, Administração Pública Local e Regional, Polícia, Segurança Social, etc., a que os utilizadores podem recorrer para obtenção de informação. Código: 3993 Designação: SOFTWARE Definição: Conjunto de meios não materiais (em oposição a hardware) que servem para o tratamento automático da informação e permitem o «diálogo» entre o homem e o computador. Código: 4 Designação: SOFTWARE ANTIVÍRUS Definição: Um programa informático desenhado para detectar e dar resposta a programas mal intencionados como os vírus informáticos. A resposta pode consistir no bloqueio do acesso aos ficheiros infectados, na remoção dos ficheiros ou sistemas infectados ou na informação ao utilizador da detecção de um programa infectado. Código: 6920 Designação: TECNOLOGIA RSS Definição: Formato padronizado baseado na linguagem xml, utilizado para distribuir conteúdos na Internet sujeitos a actualizações constantes como blogs, websites de notícias e podcasts. Notas: Por intermédio de um agregador de rss (um programa que recolhe e organiza arquivos de rss), os utilizadores são alertados sobre as últimas actualizações em websites que publicam notícias neste formato, podendo aceder, a partir de uma só página, a um conjunto de informação presente nos websites em que previamente assinou este serviço, sem ter de navegar de website em website. 33

34 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 342 Designação: TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Definição: Ramo da ciência da computação e da sua utilização prática que tenta classificar, conservar e disseminar a informação. É uma aplicação de sistemas de informação e de conhecimentos em especial aplicados nos negócios e na aprendizagem. São os aparelhos de hardware e de software que formam a estrutura electrónica de apoio à lógica da informação. Código: 728 Designação: TECNOLOGIAS DE IDENTIFICAÇÃO POR RADIOFREQUÊNCIA Definição: Método de identificação automática para armazenar e recuperar dados usando remotamente identificadores ou etiquetas electrónicas. Notas: entende-se por etiqueta electrónica: um dispositivo que pode ser aplicado ou incorporado em pessoas, animais, produtos ou objectos e que transmite os dados através de ondas de rádio Código: 3355 Designação: TELEMÓVEL COM LIGAÇÃO À INTERNET Definição: Telemóvel com acesso ao World Wide Web (Internet), por exemplo via WAP (Wireless Application Protocol), ou seja através de protocolos de aplicações que usam comunicações sem fio. Código: 7247 Designação: UNIÃO DE FACTO Definição: Situação de duas pessoas que, independentemente do sexo, vivem em situação análoga à dos cônjuges, sem que sejam legalmente casadas uma com a outra. Código: 5029 Designação: UNIVERSAL MOBILE TELECOMMUNICATIONS SYSTEM Definição: Tecnologia de telecomunicações sem fios da 3ª geração. Suporta velocidades de transmissão de informação até 2 Mbps, podendo ainda transmitir voz, texto e vídeo. A UMTS é uma tecnologia de banda larga baseada na comutação de pacotes. Código: 6250 Designação: UNIVERSAL SERIAL BUS Definição: Interface universal de hardware que permite ligar (e desligar) dispositivos periféricos (ex: impressora, teclado, rato, pen drive, etc.) sem necessidade de reiniciar o computador. Notas: USB o dispositivo é reconhecido automaticamente pelo sistema operativo, o que permite o seu uso imediato. Código: 4745 Designação: VÍRUS Definição: Programa mal intencionado que pode replicar-se a ele próprio e que se esconde numa aplicação ou noutros componentes de sistemas executáveis. Notas: Um vírus causa muitas vezes danos ou distúrbios e pode ser activado por um dado acontecimento, tal como a ocorrência de uma data predeterminada. 34

35 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Código: 6926 Designação: WEBCAM Definição: Dispositivo de hardware de entrada de sinal (input), cuja função é a captação de imagem e vídeo, e a sua transferência de modo quase instantâneo para o computador. Notas: estes dispositivos podem ser usados para realizar videoconferência ou transmitir ininterruptamente determinados eventos. As webcams são muito utilizadas para fins comerciais, promoções turísticas, informação sobre trânsito nas estradas, segurança, visualização de eventos remotos, entre outros, tendo a sua popularização sido mais recentemente fomentada por vários serviços de conversação instantânea via Internet, como o MSN Messenger, o Yahoo Messenger ou o AIM (AOL Instant Messenger). Código: 3995 Designação: WEBSITE Definição: É uma página (web page) ou um conjunto de páginas programadas que são executadas através de um Browser (Internet Explorer, Netscape, etc.). A cada web page é atribuído um endereço www (ex., conhecido como URL (Uniform Resource Locator). Código: 770 Designação: WIKI Definição: Sítio Web orientado para fornecer e partilhar conhecimento num determinado domínio e cujo conteúdo é construído por colaboração de qualquer pessoa que queira incluir informação, alterar ou comentar os contributos de outros. Código: 5728 Designação: WIRELESS FIDELITY Definição: Conjunto de tecnologias de comunicação rádio suportadas nos protocolos 802.x. A tecnologia Wi-Fi pode ser usada para criar uma rede doméstica ou empresarial sem fios, permitindo também o acesso à rede em pontos de acesso público Wi-Fi, designados de Hotspots. Código: 3994 Designação: WORLD WIDE WEB Definição: Consiste em software cliente/servidor. A WWW utiliza o HTTP para trocar documentos e imagens. É através da WWW que se acede a grande parte da informação disponível na comunidade da Internet. 35

36 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico IV. Classificações Classificações utilizadas no questionário: - V0204 CPP 200, Classificação Portuguesa de Profissões, V00034 NUTS, Nomenclatura de Unidades Territoriais para Fins Estatísticos, Versão V00083 Código Postal - V0080 Tipologia Sim/Não - V00293 Lista de abreviaturas do tipo de via - V00294 Lista de abreviatura dos títulos - V00295 Lista de abreviaturas dos tipos de edifício - V00296 Lista de abreviaturas dos caracterizadores de alojamento - V00470 Geografia à data dos Censos de 200 (2/03/200) - V0986 Estado Civil, Censos 20 (observação) - V00628 Composição do Agregado Doméstico Privado (IUTIC-Famílias) - V00683 Tipologia sim/não (não sabe) variante - V00785 Níveis de educação variante 2 - V0725 Escalões de rendimento líquido médio mensal do agregado (IUTIC, ) - V074 Lista de países (IE) variante - V0936 Situação do Alojamento, V0937 Resultado do contacto/entrevista, 2009 (indivíduo) - V023 Resultado do contacto telefónico (bloco comum) - V0232 Condição perante o trabalho (IUTIC - famílias 2) - V0233 Escalões de número de compras (2) - V0237 Centros de Recolha do INE 36

37 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Classificações utilizadas para difusão: - V00225 Zonas Densamente Povoadas, Medianamente Povoadas e Pouco Povoadas (Eurostat) - V00320 NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) - V00408 NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) - V0063 Níveis de educação variante 5 - V00945 Escalões de valor das compras - V00946 Escalões de número de compras - V00947 Condição perante o trabalho (Sociedade da Informação) - V00948 Escalões de idade (6-24; 65-74) variante 7 - V0070 Frequência de participação num curso/acção de formação - V055 Tipos de operações realizadas em caixas multibanco - V0502 Tecnologias da informação e da comunicação - V0503 Tipos de ligação à Internet (famílias) - V0504 Meios de acesso à Internet - V0505 Motivos para não ter ligação à Internet em casa - V0506 Locais de utilização de computador - V0507 Locais de utilização de Internet - V0508 Actividades realizadas na Internet (3 meses) - V0509 Modos de pagamento utilizados em comércio electrónico - V050 Tipos de produtos encomendados através da Internet - V05 Motivos para utilizar comércio electrónico - V052 Motivos para não utilizar comércio electrónico - V053 Actividades realizadas no computador - V054 Actividades realizadas na Internet - V055 Modos de obtenção de competências para utilização de computador e Internet - V0968 Motivos para não ter ligação à Internet através de banda larga em casa - V0969 Modos de pagamento utilizados em comércio electrónico (2 meses) - V02339 Frequência de utilização de meios informáticos variante 2 - V02340 Locais de utilização de meios informáticos - V0234 Actividades realizadas no computador (sem recorrer à Internet) - V02342 Actividades realizadas na Internet (4) - V02343 Actividades realizadas no telemóvel - V02344 Modos de obtenção de competências para utilização de computador e Internet (2) 37

38 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Classificações utilizadas no questionário e para difusão: - V00305 Sexo - V0068 Frequência de utilização de meios informáticos - V0069 Escalões de horas de utilização da Internet 38

39 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico V. Variáveis 33. Variáveis de observação: Designação Unidade de Medida Unidade Estatística observada Classificação Associada Designação Nível Utilizado Identificação do entrevistador - Entrevistador - - Identificação do supervisor - Supervisor - - Identificação do centro de recolha - Entrevistador V0237 Centros de Recolha do INE Identificação da distribuição temporal da amostra - Amostra - - Identificação do alojamento área amostra mãe - Alojamento - - Identificação do alojamento número de ordem do alojamento na área amostra mãe - Alojamento - - Identificação do alojamento - Rotação do alojamento - Alojamento - - Identificação do alojamento - Distrito/Município/Freguesia - Alojamento V Geografia à data dos Censos de 200 (2/03/200) Identificação do alojamento - Secção - Alojamento V Geografia à data dos Censos de 200 (2/03/200) Identificação do alojamento - Subsecção - Alojamento V Geografia à data dos Censos de 200 (2/03/200) Identificação do alojamento - Edifício - Alojamento - - Identificação do alojamento - Alojamento - Alojamento - - Localização do alojamento Tipo de via - Alojamento V00293 Lista de abreviaturas do tipo de via Localização do alojamento Rua - Alojamento - - Localização do alojamento Tipo de edifício - Alojamento V00295 Lista de abreviaturas dos tipos de edifício Localização do alojamento Número de porta - Alojamento - - Localização do alojamento Andar ou piso - Alojamento - - Localização do alojamento Lado - Alojamento - - Localização do alojamento Lugar - Alojamento - - Localização do alojamento Localidade - Alojamento - - Localização do alojamento Código Postal - Alojamento V00083 Código Postal Identificação do representante do alojamento Nome - Indivíduo - - Identificação do representante do alojamento - Telefone - Indivíduo - - Identificação do representante do alojamento - Indivíduo - - Resultado da chamada (CATI) - Entrevista V023 Resultado do contacto telefónico (bloco comum) Situação do alojamento - Alojamento V0936 Situação do Alojamento, 2009 Resultado da entrevista (alojamento) - Alojamento V0937 Resultado do contacto/entrevist a, 2009 (indivíduo) Caracterização do contacto/entrevista - Duração total da entrevista em Minuto Entrevista - - minutos Caracterização do contacto/entrevista - Data da entrevista - Entrevista

40 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Designação Caracterização do contacto/entrevista - Número total de visitas efectuadas à Unidade de Alojamento Caracterização do agregado Indivíduos no agregado no ano anterior (informação de 20 pré carregada) Unidade de Medida Unidade Estatística observada Classificação Associada Designação Nível Utilizado Número Entrevista - - Número Agregado doméstico privado - - Caracterização do agregado Número de ordem do indivíduo Número Indivíduo - - Caracterização do agregado Nome e apelido do indivíduo - Indivíduo - - Caracterização do agregado Sexo do indivíduo - Indivíduo V00305 Sexo Caracterização do agregado Data de nascimento do indivíduo - Indivíduo - - Caracterização do agregado Idade do indivíduo Anos Indivíduo - - Caracterização do agregado Indivíduo habita actualmente - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do agregado Indivíduo habitava a 3 de Março - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do agregado Indivíduo elegível - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do agregado N.º de ordem para selecção Número Indivíduo - - Caracterização do agregado Indivíduo seleccionado - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do agregado - Escalão de rendimento - Agregado doméstico V0725 privado Escalões de rendimento líquido médio mensal do agregado (IUTIC, ) Caracterização do indivíduo Número de identificação do indivíduo Número Indivíduo - - Caracterização do indivíduo Resultado do contacto/entrevista - Indivíduo V0937 Resultado do contacto/entrevist a, 2009 (indivíduo) Caracterização do indivíduo Nasceu em Portugal? - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do indivíduo Em que país nasceu? - Indivíduo V074 Lista de países (IE) - variante Caracterização do indivíduo Tem nacionalidade portuguesa? - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do indivíduo Qual a sua nacionalidade? - Indivíduo V074 Lista de países (IE) - variante Caracterização do indivíduo Estado civil legal - Indivíduo V0986 Estado civil, Censos 20 (observação) Caracterização do indivíduo Vive com um companheiro em união de - Indivíduo V0080 facto? Tipologia Sim/Não Caracterização do indivíduo Condição perante o trabalho (autoclassificação) - Indivíduo V0232 Condição perante o trabalho (IUTIC - famílias 2) Caracterização do indivíduo trabalhador-estudante? - Indivíduo V Tipologia Sim/Não Caracterização do indivíduo Profissão - Indivíduo V0204 CPP 4 dígitos 200 Caracterização do indivíduo Nível de escolaridade mais elevado completo - Indivíduo V00785 Níveis de educação variante 2 40

41 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Designação Unidade de Medida Unidade Estatística observada Disponibilidade de computador em casa - Agregado doméstico privado Disponibilidade de consola de jogos em casa - Agregado doméstico privado Disponibilidade de acesso à Internet em casa - Agregado doméstico privado Tipos de ligação à Internet em casa - Agregado doméstico privado Razões para não dispor de ligação à Internet em casa - Agregado doméstico privado Utilização de computador - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Classificação Associada Designação Nível Utilizado V Tipologia Sim/Não V Tipologia Sim/Não V00683 Tipologia sim/não (não sabe) - variante V00683 Tipologia sim/não (não sabe) - variante V0080 Tipologia Sim/Não Última vez que utilizou computador - Indivíduo Frequência de utilização de computador - Indivíduo 6-74 V0068 Frequência de utilização de meios informáticos Locais de utilização de computador - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Utilização de Internet - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Última vez que utilizou Internet - Indivíduo Frequência de utilização de Internet - Indivíduo 6-74 V0068 Frequência de utilização de meios informáticos Horas por semana dispendidas a navegar na Internet - Indivíduo 6-74 V0069 Escalões de horas de utilização da Internet Locais de utilização de Internet - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Acesso à Internet em Espaços Internet - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Utilização de meios móveis de acesso à Internet - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Actividades para as quais é utilizada a Internet - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Utilização da Internet para actividades relacionadas com a ligação a - Indivíduo 6-74 V0080 organismos/serviços públicos Tipologia Sim/Não Utilização da Internet para preencher e enviar online formulários para - Indivíduo 6-74 V0080 impostos Tipologia Sim/Não Razões para não ter preenchido e enviado online formulários para - Indivíduo 6-74 V0080 Organismos ou Serviços Públicos nos últimos 2 meses Tipologia Sim/Não Utilização de comércio electrónico - Indivíduo 6-74 V0080 Tipologia Sim/Não Última vez que utilizou comércio electrónico para uso pessoal - Indivíduo Tipos de produtos comprados/encomendados através de Internet - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não 4

42 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Designação Produtos comprados/encomendados através da Internet recebidos ou actualizados on-line Origem geográfica dos fornecedores a quem comprou/encomendou através da Internet Número de compras/encomendas realizadas através de comércio electrónico Unidade de Medida Unidade Estatística observada - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não - Indivíduo 6-74 V0233 Escalões de número de compras (2) Modos de pagamento utilizado no comércio electrónico - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Razões para não ter comprado/encomendado bens ou serviços para uso pessoal através de Internet nos últimos 2 meses - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Efectuar apostas ou jogar na lotaria através da Internet - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Frequência de cursos/acções de formação em computadores/informática - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Última vez que frequentou cursos/acções de formação em computadores/informática Classificação Associada Designação Nível Utilizado - Indivíduo Razões para não ter frequentado cursos/acções de formação em - Indivíduo 6-74 V computadores/informática Tipologia Sim/Não Actividades relacionadas com utilização de computador - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Actividades relacionadas com utilização de Internet - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Forma de obtenção de competências relativas à utilização de - Indivíduo 6-74 V computador e Internet Tipologia Sim/Não Avaliação da adequação das actuais competências em informática - Indivíduo Utilização de telemóvel - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Utilização do telemóvel para efectuar pagamentos de bens ou serviços - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Utilização de caixas Multibanco - Indivíduo Operações realizadas em caixas Multibanco - Indivíduo 6-74 V Tipologia Sim/Não Utilização de sistemas baseados na tecnologia de identificação por - Indivíduo 6-74 V Radiofrequência via verde Tipologia Sim/Não Utilização de sistemas baseados na tecnologia de identificação por - Indivíduo 6-74 V Radiofrequência caixas de pagamento (self-service) Tipologia Sim/Não 42

43 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 34. Variáveis derivadas: Designação Tipo de agregado doméstico privado Unidade de Medida Unidade Estatística observada - Agregado doméstico privado Fórmula de Cálculo Ver tabela abaixo fórmula de cálculo da variável tipo de agregado doméstico privado Idade Anos Indivíduo Data de referência (3 de Tipo de localidade - Agregado doméstico privado Março 20) data de nascimento do indivíduo Variável calculada pelo DMSI/ME Tipo de localidade - Indivíduo Variável calculada pelo DMSI/ME Classificação Associada Designação Nível Utilizado V00628 I Composição do Agregado Doméstico Privado (IUTIC- Famílias) - - V00225 Zonas Densamente Povoadas, Medianamente Povoadas e Pouco Povoadas (Eurostat) V00225 Zonas Densamente Povoadas, Medianamente Povoadas e Pouco Povoadas (Eurostat) I I 43

44 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico VARIÁVEL TIPO DE AGREGADO: FÓRMULA DE CÁLCULO Tipo de agregado doméstico privado: - Um adulto sem crianças dependentes - Dois adultos sem crianças dependentes - Três ou mais adultos sem crianças dependentes - Um adulto com crianças dependentes - Dois adultos com crianças dependentes - Três ou mais adultos com crianças dependentes Variáveis que entram na construção da tipologia: - Dimensão do agregado doméstico privado - Idade CRIANÇAS DEPENDENTES todos os indivíduos que têm menos de 6 anos. ADULTOS todos os indivíduos que têm 6 e mais anos de idade. Se dimensão do agregado =, sendo o indivíduo adulto Então Tipo de agregado = um adulto sem crianças dependentes Se dimensão do agregado = 2, sendo os dois indivíduos adultos Então Tipo de agregado = dois adultos sem crianças dependentes Se dimensão do agregado 3, sendo todos os indivíduos adultos Então Tipo de agregado = três ou mais adultos sem crianças dependentes Se dimensão do agregado >, sendo que apenas um dos indivíduos é adulto Então Tipo de agregado = um adulto com crianças dependentes Se dimensão do agregado > 2, sendo que apenas dois dos indivíduos são adultos Então Tipo de agregado = dois adultos com crianças dependentes Se dimensão do agregado 4, sendo que pelos menos três dos indivíduos são adultos Então Tipo de agregado = três ou mais adultos com crianças dependentes 44

45 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico 35. Informação a disponibilizar Prevê-se a disponibilização/actualização dos seguintes indicadores em 20: Designação de Divulgação Código BDD Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com tecnologias de informação e comunicação em casa (%) por Tipo de tecnologia (informação e comunicação); Anual 882 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Tipo de ligação (Internet); Anual 883 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e sem ligação à Internet em casa (%) por Razão de não dispor de ligação à Internet; Anual 885 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de utilização do computador; Anual 886 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de utilização da Internet; Anual 887 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Tipo de actividades efectuadas na Internet; Anual 888 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) por Tipo de produtos encomendados através de comércio electrónico; Anual 89 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que não utilizaram comércio electrónico no ano anterior ou que nunca utilizaram (%) por Razão de não utilização de comércio electrónico; Anual 893 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que efectuaram actividades relacionadas com computador (%) por Tipo de actividades efectuadas no computador; Anual 894 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que efectuaram actividades relacionadas com Internet (%) por Tipo de actividades efectuadas na Internet; Anual 896 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que adquiriram competências para utilização de computador ou Internet (%) por Modo de obtenção de competências (actividades no computador/ Internet); Anual 897 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 2970 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual 297 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Grupo etário; Anual 2972 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual 2973 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Condição perante o trabalho; Anual 2974 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 2969 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Tipo de operação realizada em caixas multibanco; Anual 2975 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) por Modo de pagamento utilizado (comércio electrónico); Anual 2976 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Tipologia de localidade; Anual 2507 Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) por Tipologia de localidade; Anual 2508 Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 2509 Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual 250 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 25 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 252 Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram a Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual

46 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Designação de Divulgação Código BDD Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram a Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 254 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 258 Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual 259 Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 2520 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 255 Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual 256 Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 257 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual 2506 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com computador em casa (Exclui computador de bolso - %) por Local de residência (NUTS ); Anual 030 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 03 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 032 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 07 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 022 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%); Anual 029 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual 08 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Grupo etário; Anual 09 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual 020 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Condição perante o trabalho; Anual 02 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual 023 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Grupo etário; Anual 024 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual 025 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Condição perante o trabalho; Anual 026 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Frequência de utilização de meios informáticos; Anual 890 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Frequência de utilização de meios informáticos; Anual 895 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Escalão de horas de utilização de meios informáticos; Anual 94 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que frequentaram cursos de formação relacionados com computadores, informática (%) por Último curso/acção de formação; Anual 950 Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano por 000 habitantes (N.º); Anual 4823 Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram internet nos primeiros 3 meses do ano por 000 habitantes (N.º); Anual 4822 Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com computador em casa (Inclui computador de bolso - %) por Local de residência (NUTS ); Anual

47 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico Designação de Divulgação Código BDD Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Condição perante o trabalho; Anual 4827 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Grupo etário; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual 4825 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Condição perante o trabalho; Anual 4805 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Grupo etário; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Local de residência (NUTS ); Anual 4828 Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Sexo; Anual 4829 Em ficheiro anexo encontra-se a definição de todos os indicadores disponibilizados no Portal das Estatísticas Oficiais, independentemente de serem alvo de actualização em 20: Ver, Anexo I 47

48 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico VI. Suporte de recolha 36. Questionário Entidade/Unidade que responde ao questionário: Agregado doméstico privado e indivíduo Questionário: Instrumentos de Notação nº s 0009 e 000 Instruções de Preenchimento do Questionário: Manual do Entrevistador. Ver, Anexo II 37. Ficheiro Não aplicável 48

49 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico VII. Abreviaturas e Acrónimos Abreviaturas Acrónimos Designação AM-200 Amostra-Mãe 200 ANACOM CAPI CATI CE CPP CV DES/SIC DCN DMSI DREM DRI/PR Eurostat GPIE IE INE IUTICF OberCom OCDE NUTS SAS SEN SGBD SIGINE SPSS SQL SREA TIC UA UMIC Autoridade Nacional de Comunicações Entrevista Presencial Assistida por Computador Computer Assisted Telephone Interview Conselho Europeu Classificação Portuguesa de Profissões Coeficiente de Variação Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais/Serviço de Estatísticas da Sociedade de Informação e Conhecimento Departamento de Contas Nacionais Departamento de Metodologia e Sistemas de Informação Direcção Regional de Estatística da Madeira Departamento de Recolha de Informação/Serviço de Processos de Recolha Serviço de Estatística das Comunidades Europeias Gestão de Processos de Inquéritos por Entrevista Inquérito ao Emprego Instituto Nacional de Estatística, I.P. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias Observatório da Comunicação Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico Nomenclatura das Unidades Territoriais para fins Estatísticos Statistics Analysis System Sistema Estatístico Nacional Sistema de Gestão de Bases de Dados Sistema de Informação de Gestão do INE Statistical Package for Social Sciences Structured Query Language Serviço Regional de Estatística dos Açores Tecnologias da Informação e da Comunicação Unidade de Alojamento Agência para a Sociedade do Conhecimento, IP 49

50 DES/SIC IUTICF 20 Doc. Metodológico VIII. Bibliografia - Manual do Entrevistador para a operação IUTICF 20, elaborado pelo DES/SIC. 50

51 ANEXO I

52 indic_iutic_fam 35. Informação a disponibilizar Indicador Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com computador em casa (Exclui computador de bolso - %) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Número de compras/encomendas; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual código Dimensões de análise Variável medida Classificação/ versão associada data início data início código designação designação vigência código designação nível vigência Período de referência dos dados Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com computador em casa (Exclui computador de bolso - %) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Número de compras/encomendas Escalões de número de compras Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Page

53 indic_iutic_fam Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Grupo etário; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Sexo Sexo (difusão-hm) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Grupo etário Escalões de idades (6-2 24; 65-74) - variante Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Condição perante o trabalho; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Grupo etário; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Nível de escolaridade mais elevado completo Período de referência dos dados 0063 Níveis de educação - 2 variante Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Condição perante o trabalho Condição perante o trabalho (sociedade informação) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Grupo etário Escalões de idades (6-2 24; 65-74) - variante Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Condição perante o trabalho; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Nível de escolaridade mais elevado completo Período de referência dos dados 0063 Níveis de educação - 2 variante Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Condição perante o trabalho Condição perante o trabalho (sociedade informação) 2 Page 2

54 indic_iutic_fam Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Escalão do valor das encomendas realizadas; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Escalão do valor das encomendas realizadas Escalões de valor das compras Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Frequência de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Frequência de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Escalão de horas de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram autenticação online nos primeiros 3 meses do ano (%); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que frequentaram cursos de formação relacionados com computadores, informática (%) por Último curso/acção de formação; Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre e 74 anos que instalaram ou actualizaram antivírus ou firewall nos primeiros 3 meses do ano (%); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que instalaram ou actualizaram antivírus ou firewall nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram autenticação online nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que frequentaram cursos de formação relacionados com computadores, informática (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Frequência de utilização de meios informáticos 0068 Frequência de utilização de meios informáticos Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Frequência de utilização de meios informáticos 0068 Frequência de utilização de meios informáticos Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Escalão de horas de utilização de meios informáticos Período de referência dos dados 0069 Escalões de horas de utilização da Internet Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Último curso/acção de formação Período de referência dos dados 0070 Frequência de participação num curso/acção de formação Page 3

55 indic_iutic_fam com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Tipologia de localidade; Anual Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) por Tipologia de localidade; Anual Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (N.º) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (N.º) Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipologia de localidade Zonas densamente povoadas, medianamente povoadas e pouco povoadas Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipologia de localidade Zonas densamente povoadas, medianamente povoadas e pouco povoadas Período de referência dos dados Local de residência (NUTS - 200) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS - 200) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS - 200) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Page 4

56 indic_iutic_fam meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Local de residência Proporção (NUTS - 200); de agregados Anual domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com tecnologias de informação e comunicação em casa (%) por Tipo de tecnologia (informação e comunicação); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Tipo de ligação (Internet); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) por Meio de acesso (Internet); Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e sem ligação à Internet em casa (%) por Razão de não dispor de ligação à Internet; Anual nos primeiros 3 meses do ano (N.º) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (N.º) Agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (N.º) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa através de banda larga (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com tecnologias de informação e comunicação em casa (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com ligação à Internet em casa (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e sem ligação à Internet em casa (%) Local de residência (NUTS - 200) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS - 200) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS - 200) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS - 200) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de tecnologia (informação e comunicação) Período de referência dos dados 0502 Tecnologias da informação e da comunicação Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de ligação (Internet) 0503 Tipos de ligação à Internet (famílias) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Meio de acesso (Internet) 0504 Meios de acesso à Internet Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Razão de não dispor de ligação à Internet 0505 Motivos para não ter ligação à Internet em casa Page 5

57 indic_iutic_fam Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de utilização do computador; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de utilização da Internet; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Tipo de actividades efectuadas na Internet; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Local de utilização do computador Período de referência dos dados 0506 Locais de utilização de computador Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Local de utilização da Internet Período de referência dos dados 0507 Locais de utilização de Internet Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de actividades efectuadas na Internet 0508 Actividades realizadas na Internet (3 meses) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Modo de pagamento utilizado (comércio electrónico); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que não utilizaram comércio electrónico no ano anterior ou que nunca utilizaram (%) por Razão de não utilização de comércio electrónico; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que efectuaram actividades relacionadas com computador (%) por Tipo de actividades efectuadas no computador; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que efectuaram actividades relacionadas com Internet (%) por Tipo de actividades efectuadas na Internet; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que não utilizaram comércio electrónico no ano anterior ou que nunca utilizaram (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que efectuaram actividades relacionadas com computador (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que efectuaram actividades relacionadas com Internet (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Modo de pagamento utilizado (comércio electrónico) Período de referência dos dados 0509 Modos de pagamento utilizados em comércio electrónico Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Razão de não utilização de comércio electrónico 052 Motivos para não utilizar comércio electrónico Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de actividades efectuadas no computador 053 Actividades realizadas no computador Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de actividades efectuadas na Internet 054 Actividades realizadas na Internet 2 Page 6

58 indic_iutic_fam Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que adquiriram competências para utilização de computador ou Internet (%) por Modo de obtenção de competências (actividades no computador/ Internet); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que adquiriram competências para utilização de computador ou Internet (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Modo de obtenção de competências (actividades no computador/ Internet) 055 Modos de obtenção de competências para utilização de computador e Internet Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Grupo etário; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Grupo etário Escalões de idades (6-2 24; 65-74) - variante Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Condição perante o trabalho; Anual Proporção de indivíduos com idade entre e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e sem ligação à Internet em casa através de banda larga (%) por Razão de não dispor de banda larga; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e sem ligação à Internet em casa através de banda larga (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Nível de escolaridade mais elevado completo Período de referência dos dados 0063 Níveis de educação - 2 variante Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Condição perante o trabalho Período de referência dos dados Condição perante o trabalho (sociedade informação) Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Razão de não dispor de banda larga Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) 0968 Motivos para não ter ligação à Internet através de banda larga em casa NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) 2 3 Page 7

59 indic_iutic_fam Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Tipo de operação realizada em caixas multibanco; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual Proporção de agregados domésticos 8272 privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com computador em casa (Inclui computador de bolso - %) por Local de residência (NUTS Proporção ); de indivíduos Anual com idade entre e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) por Tipo de produtos encomendados através de comércio electrónico; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de agregados domésticos privados com pelo menos um indivíduo com idade entre 6 e 74 anos e com computador em casa (Inclui computador de bolso - %) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de operação realizada em caixas multibanco 055 Tipos de operações realizadas em caixas multibanco Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de produtos encomendados através de comércio electrónico 050 Tipos de produtos encomendados através da Internet Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) por Razão de utilização de comércio electrónico; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) por Modo de pagamento utilizado (comércio electrónico); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram comércio electrónico nos primeiros 3 meses do ano ou no ano anterior (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Razão de utilização de comércio electrónico Período de referência dos dados 05 Motivos para utilizar comércio electrónico Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Modo de pagamento utilizado (comércio electrónico) 0969 Modos de pagamento utilizados em comércio electrónico (2 meses) Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram a Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS ); Anual Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram a Internet para realizar serviços avançados nos primeiros Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram a Internet para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (N.º) Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram a Internet para realizar serviços avançados Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Período de referência dos dados NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Page 8

60 indic_iutic_fam serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (N.º) por Local de residência (NUTS - 200); Anual Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram internet nos primeiros 3 meses do ano por 000 habitantes (N.º); Anual Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano por 000 habitantes (N.º); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Grupo etário; Anual para realizar serviços avançados nos primeiros 3 meses do ano (N.º) Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram internet nos primeiros 3 meses do ano por 000 habitantes (N.º) Indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano por 000 habitantes (N.º) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) Local de residência (NUTS - 200) NUTS 200 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Nível de escolaridade mais elevado completo Período de referência dos dados 0063 Níveis de educação - 2 variante Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Grupo etário Escalões de idades (6-2 24; 65-74) - variante Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) por Condição perante o trabalho; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam caixas multibanco (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Condição perante o trabalho Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) Condição perante o trabalho (sociedade informação) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Page 9

61 indic_iutic_fam Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Nível de escolaridade mais elevado completo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Grupo etário; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Nível de escolaridade mais elevado completo Período de referência dos dados 0063 Níveis de educação - 2 variante Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Grupo etário Escalões de idades (6-2 24; 65-74) - variante Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) por Condição perante o trabalho; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 6 e 74 anos que utilizam telemóvel (%) Proporção de indivíduos com idade entre e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Frequência de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Condição perante o trabalho Condição perante o trabalho (sociedade informação) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Frequência de utilização de meios informáticos Frequência de utilização de meios informáticos - variante Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Local de utilização de meios informáticos Locais de utilização de meios informáticos Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) por Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram computador nos Período de referência dos dados Page 0

62 indic_iutic_fam nos primeiros 3 meses do ano (%) por Actividades realizadas no computador (sem recorrer à internet); Anual utilizaram computador nos primeiros 3 meses do ano (%) Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Actividades realizadas no computador (sem recorrer à internet) 0234 Actividades realizadas no computador (sem recorrer à Internet) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Frequência de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Local de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Frequência de utilização de meios informáticos Frequência de utilização de meios informáticos - variante Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Local de utilização de meios informáticos Locais de utilização de meios informáticos Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Escalão de horas de utilização de meios informáticos; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) por Tipo de actividades efectuadas na Internet; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizaram Internet nos primeiros 3 meses do ano (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Escalão de horas de utilização de meios informáticos 0069 Escalões de horas de utilização da Internet Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de actividades efectuadas na Internet Actividades realizadas na Internet (4) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizam telemóvel (%) por Sexo; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizam telemóvel (%) Período de referência dos dados Page

63 indic_iutic_fam por Sexo; Anual utilizam telemóvel (%) Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Sexo Sexo (difusão-hm) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizam telemóvel (%) por Local de residência (NUTS ); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizam telemóvel (%) Período de referência dos dados Local de residência (NUTS ) NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizam telemóvel (%) por Tipo de actividades realizadas no telemóvel; Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que utilizam telemóvel (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Tipo de actividades realizadas no telemóvel Actividades realizadas no telemóvel Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que adquiriram competências para a utilização de computador ou Internet (%) por Modo de obtenção de competências (actividades no computador/ internet); Anual Proporção de indivíduos com idade entre 0 e 5 anos que adquiriram competências para a utilização de computador ou Internet (%) Período de referência dos dados Local de residência NUTS 2002 completa (lista cumulativa - PT, NUTS I, II, III, CC, FR) Modo de obtenção de competências (actividades no computador/ internet) Modos de obtenção de competências para utilização de computador e Internet (2) Page 2

64 ANEXO II

65 Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 20 Manual do Entrevistador Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Serviço de Estatística da Sociedade de Informação e Conhecimento Versão 2.0 Março de 20

66 ÍNDICE Caracterização do inquérito Objectivos Âmbito do inquérito Unidades de observação Período de inquirição Período de referência Método de recolha Selecção dos indivíduos a entrevistar Aplicação informática de recolha Estrutura do questionário Notas Explicativas.ª PARTE Alojamento ª PARTE Identificação dos Indivíduos do Agregado Doméstico Privado ª PARTE Caracterização do(s) Indivíduo(s) Seleccionados ª PARTE Módulo A: Acesso do Agregado Doméstico às Tecnologias da Informação e da Comunicação ª PARTE Módulo B: Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelos Indivíduos dos 6 aos 74 anos ª PARTE Módulo D: Rendimento do Agregado Doméstico Privado Anexos Questionário FAQ s Conceitos

67 CARACTERIZAÇÃO DO INQUÉRITO Objectivos O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 20 (IUTICF) insere-se no âmbito do desenvolvimento de operações estatísticas que visam contribuir para a criação de um sistema estatístico consistente e harmonizado relativo à Sociedade da Informação. Este sistema tem em vista a observação regular do acesso e da utilização de tecnologias da informação e da comunicação nos diversos sectores institucionais, tais como: a Administração Pública, as Empresas, os Hospitais ou as Famílias. O presente inquérito tem por objectivo a cobertura estatística deste tipo de informação no sector das famílias. O seu desenvolvimento, à semelhança do que vem sucedendo desde 2003, consistirá na concepção de um inquérito exclusivo para o efeito, com metodologia e amostra próprias, a ser aplicado durante os meses de Abril e Maio. Esta operação estatística enquadra-se no actual sistema de produção estatística internacional, nomeadamente no sistema estatístico da União Europeia, seguindo as orientações definidas no Regulamento (CE) n.º 808/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 2 de Abril de 2004, relativo às Estatísticas Comunitárias sobre a Sociedade da Informação. Neste âmbito foi criado o Grupo de Trabalho do Eurostat sobre o desenvolvimento de Estatísticas para a Sociedade da Informação, do qual o Instituto Nacional de Estatística (INE) é parte integrante. O objectivo do IUTICF 20 é a produção de informação acerca: do acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) por parte dos agregados domésticos privados principais; da utilização de computador, Internet, comércio electrónico, telemóvel, multibanco e tecnologias de identificação por radiofrequência pelos indivíduos; e do nível de competências informáticas detidas pelos indivíduos. Em 20, não será recolhida informação junto dos indivíduos com idade compreendida entre os 0 e os 5 anos, tendo sido definido que a recolha de informação sobre este grupo etário passará a efectuar-se cada dois anos. Âmbito do inquérito O inquérito é dirigido ao agregado doméstico privado principal e a indivíduos com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos, a residir em território nacional em alojamentos familiares (clássicos e não clássicos) de residência principal. São elegíveis para entrevista os agregados com pelo menos um indivíduo entre os 6 e os 74 anos que habite o alojamento no momento da entrevista e tenha habitado a 3 de Março de 20; e indivíduos residentes nesses agregados com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos de idade. 3

68 O inquérito abrange todo o território nacional Continente e Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, pretendendo obter-se resultados representativos ao nível de NUTS II para as principais características previstas no inquérito. Unidades de observação Agregado doméstico privado com pelo menos um indivíduo entre 6 e 74 anos e um indivíduo residente nesse agregado com idade compreendida entre os 6 e os 74 anos. Período de inquirição Abril e Maio de 20. Período de referência O período de referência para as variáveis socio-demográficas é 3 de Março de 20; para as questões do Módulo A (acesso do agregado às TIC) é o momento da entrevista e para as questões dos Módulos B e C (utilização das TIC pelos indivíduos) são utilizados essencialmente dois períodos de referência: o primeiro trimestre do ano (Janeiro, Fevereiro e Março) e os últimos 2 meses. Método de recolha Em 20 estão previstos dois métodos de recolha: entrevista presencial com computador (CAPI) e entrevista telefónica com computador (CATI). No modo CATI serão efectuadas entrevistas a unidades de alojamento já inquiridas pelo menos uma vez presencialmente. Selecção dos indivíduos a entrevistar Será seleccionado apenas um indivíduo por unidade de alojamento, com idade entre 6 e 74 anos. A selecção será efectuada pela aplicação informática, tendo por base os princípios do método de Kish. A selecção será efectuada apenas em unidades de alojamento com agregados elegíveis, isto é, que tenham pelo menos um indivíduo com idade entre os 6 e os 74 anos, que habite o alojamento no momento da entrevista e tenha habitado a 3 de Março de 20. Não se admitem entrevistas proxy. Em caso algum a informação sobre o indivíduo seleccionado poderá ser prestada por outro membro do agregado que esteja presente e o faça em nome do primeiro. Do mesmo modo, o indivíduo seleccionado pela aplicação não poderá, em caso algum, ser substituído por outro indivíduo, mesmo que elegível, que pertença ao agregado. 4

69 Aplicação informática de recolha De forma a facilitar o trabalho do entrevistador, a aplicação informática de recolha dispõe das seguintes funcionalidades: Em certas questões são indicados protocolos, ou seja, procedimentos de actuação e esclarecimentos importantes a fornecer ao respondente caso este apresente dúvidas; os protocolos estão colocados no ecrã imediatamente por baixo do texto da questão e estão identificados com cor amarela. O acesso ao manual do entrevistador, durante a entrevista, poderá ser efectuado através da tecla F, onde estão disponibilizadas as notas explicativas associadas à questão específica em que a entrevista se encontra; ou através do menu Documentação, onde está acessível todo o manual. No menu Documentação, além do manual do entrevistador, estão inseridos outros documentos, tais como: modelo de circular enviada para o alojamento a informar da realização do inquérito; FAQ s, isto é, um documento com resposta a um conjunto de questões que se prevê poderem ser colocadas pelos entrevistados; principais conceitos utilizados no inquérito, por ordem alfabética. No Menu Aplicações INE do SPIS dentro da Pasta Informação/Comunicação existe um vídeo que explica os procedimentos a seguir para a importação/exportação da informação. Os entrevistadores, para descarregar este vídeo, deverão executar o SPIS_Imp_Exp.exe que se encontra em MIA\setupInquéritos\Instala\Informação,ComunicaçãoeVídeo\SPIS_Importaçã o_exportação_informação. A exportação dos dados vai passar a ser feita via upload, ou seja a informação entra directamente no servido do INE e não na caixa inquéritos ou nos mails dos Supervisores. O novo processo de Exportação (exclusivamente efectuado com as PLACAS 3G) é agora muito rápido e directo: PC do entrevistador Disco T GPIE_Reg. 5

70 Estrutura do questionário O IUTICF 20 é constituído por cerca de 4 perguntas relacionadas com o acesso e utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação e encontra-se organizado em seis partes:.ª Parte Alojamento 2.ª Parte Identificação dos Indivíduos do Agregado Doméstico Privado 3.ª Parte Caracterização do Indivíduo Seleccionado 4.ª Parte Módulo A: Acesso do Agregado Doméstico às Tecnologias da Informação e da Comunicação 5.ª Parte Módulo B: Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelos Indivíduos dos 6 aos 74 anos B Computador B2 Internet B3 Utilização da Internet para interagir com Organismos da Administração Pública ou Serviços Públicos B4 Comércio electrónico através da Internet B5 Competências relativas à utilização de computador e de Internet B6 Utilização de outras tecnologias 6.ª Parte Módulo D: Rendimento do Agregado Doméstico Privado Tipos de Questões No questionário surgem vários tipos de questões: questões fechadas de resposta múltipla, questões fechadas de resposta única e questões abertas. Nas questões fechadas de resposta múltipla podem ser escolhidas todas as opções de resposta que se apliquem, sendo dada na aplicação a seguinte indicação: Ler uma opção de cada vez e aguardar pela resposta do entrevistado. Neste tipo de questões, todas as opções de resposta devem ser lidas. A leitura da pergunta e da primeira opção de resposta deve ser efectuada sem pausa entre elas, devendo aguardar-se a resposta do entrevistado, para confirmar se a opção se aplica ou não, e só depois se procederá à leitura da opção de resposta seguinte. 6

71 Dentro deste grupo de questões existem duas formas de registar informação: - Questões onde apenas se terá que registar as opções que se aplicam, ou seja, as opções às quais o entrevistado responde afirmativamente. - Questões em que para todas as opções de resposta tem de ser registada uma resposta Sim ou Não. Nas questões fechadas de resposta única apenas poderá ser escolhida uma opção entre as que são apresentadas. Nestas questões, quando existe a indicação vou ler-lhe as opções de resposta, a pergunta e as opções de resposta devem ser lidas em conjunto, antes de obter a resposta do entrevistado. Esta indicação, que é lida após a questão, tem como objectivo informar o entrevistado que terá de adequar a sua resposta às opções que lhe irão ser apresentadas. Quando não existe esta indicação, as opções de resposta previstas não devem ser lidas. Esta situação aplica-se por exemplo em questões em que as opções de resposta são Sim ou Não. As questões abertas obrigam a que a resposta do entrevistado seja registada, em espaço próprio, tal como é fornecida. Opção de Resposta Não Sabe A opção não sabe (acessível na aplicação informática através da tecla F9) está presente em questões em que, pela sua natureza, se prevê poderem apresentar dificuldade na selecção da opção que mais se adequa ao entrevistado. É o caso das questões em que o indivíduo seleccionado responde pelo agregado (nomeadamente sobre o acesso à Internet em casa) e questões em que é necessário indicar um escalão de valores (como por exemplo o número de encomendas realizadas na Internet). A existência desta opção de resposta nunca deverá ser transmitida ao entrevistado. 7

72 NOTAS EXPLICATIVAS.ª Parte Alojamento BLOCO COMUM Objectivo: Este módulo, comum a todos os inquéritos às famílias, tem como objectivo recolher/actualizar o nome e contactos do representante do alojamento, os dados da morada do alojamento de acordo com a normalização dos endereços postais, as variáveis situação do alojamento, resultado da entrevista e caracterização do contacto/entrevista. Representante do Alojamento Âmbito: O Representante do Alojamento deve ter 5 ou mais anos de idade e deverá ser o indivíduo ao qual é dirigido a circular ou outra forma de contacto por parte do INE. A cada alojamento corresponde um, e apenas um, Representante; se numa entrevista seguinte, o indivíduo anteriormente considerado como Representante do Alojamento, saiu ou faleceu, deverá identificar-se um novo Representante. O que fazer: Os campos de identificação do representante (acedidos a partir da tecla F7) incluem, para além do nome próprio e apelidos, um ou dois telefones de contacto e o endereço de correio electrónico. Os telefones de contacto são de extrema importância, uma vez que se pretende que as entrevistas seguintes sejam efectuadas pelo telefone; assim, nos casos em que não é possível a recolha desta informação, deverá assinalar-se o respectivo motivo (Não tem telefone ou Recusa dar telefone). No caso de o não ser disponibilizado, deverá também registar-se o motivo (Não tem endereço de , Recusa dar ou Não sabe ). Localização do Alojamento O que fazer: Os campos de registo que constituem a morada do alojamento deverão ser recolhidos/confirmados no momento da entrevista e não por verificação das placas de identificação dos nomes das ruas e leitura nas portas dos edifícios. O que fazer: Sempre que o campo da designação de via está pré-preenchido (ou é preenchido), terá que ser indicado um Tipo de via de acordo com as abreviaturas da lista definida (ex: R, Av, Lgo). Sempre que o campo do número de porta está pré-preenchido (ou é preenchido), terá que ser indicado um Tipo de edifício de acordo com as abreviaturas da lista definida (ex. BL, EDF, LT, No, TR ou VV). 8

73 O Lugar corresponde ao bairro ou local e deverá ser preenchido, caso exista, se diferente da Designação Postal. A Localidade apenas deverá ser preenchida se diferente de Lugar e DesignaçãoPostal. O código postal é de preenchimento obrigatório a 7 dígitos (o que assegura o preenchimento automático da Designação Postal) e deverá ser seleccionado, de entre, os códigos postais possíveis na respectiva freguesia (combo box). O CPT 3 (auxiliar) pode, por desconhecimento ou dúvida, não ser preenchido e deverá ser seleccionada a opção Não sabe através da tecla F9. Toda a informação referida deverá fazer parte da morada ou seja os campos preenchidos são campos da morada/endereço postal. Situação do Alojamento Âmbito: O IUTIC Famílias é dirigido aos indivíduos que residem em alojamentos familiares que constituem Residência principal/habitual. No entanto, no caso de não se tratar de um alojamento principal/habitual, cabe também ao entrevistador classificar devidamente esse alojamento. Assim, a situação do alojamento prevê as seguintes categorias de resposta:. Residência principal/habitual Alojamento familiar que constitui a residência principal e habitual de, pelo menos, uma família. Devem ser incluídos nesta classificação os alojamentos familiares não ocupados no momento da entrevista, devido à ausência da família por motivo de obras. 2. Residência secundária/uso sazonal Alojamento familiar que só é utilizado periodicamente para fins-de-semana, férias, temporadas e onde ninguém tem a sua residência principal. Devem ser incluídos nesta classificação os alojamentos ocupados por estudantes ou trabalhadores que não consideram essa a sua residência principal. 3. Alojamento familiar não ocupado Alojamento familiar que, tendo um proprietário, está desocupado podendo ou não estar disponível para venda ou arrendamento. Devem ser incluídas nesta classificação os seguintes alojamentos: alojamentos cujo(s) residente(s) foram viver (com carácter permanente) para um lar ou para casa dos filhos; alojamentos cujo(s) residente(s) faleceram e estão desocupados, em situação de partilhas; 9

74 Em caso algum se deve seleccionar este código apenas por verificar que o alojamento está à venda (placa de publicidade colocada) pois, em muitos casos, a família pode ainda estar a residir. 5. Alojamento inexistente demolido Alojamento situado em edifício totalmente demolido ou para demolição. Os alojamentos que se encontram em ruínas sem condições de habitabilidade devem ser classificados neste código. 6. Alojamento inexistente por erro dos Censos (apenas na recolha CAPI) Alojamento mal classificado nos Censos como alojamento familiar de residência principal e que não existe no edifício (tal como por exemplo um sótão ou uma cave). 7. Alojamento inexistente associado Alojamento associado a outro alojamento, ou seja, que resultou de uma junção de dois alojamentos contíguos passando a ser apenas um. 0. Alojamento ocupado para outros fins Alojamento que, no momento de observação, se encontra ocupado para outros fins que não o residencial, como um escritório ou um consultório.. Alojamento inlocalizável (apenas recolha CAPI) Alojamento que pertence a um edifício que não foi possível localizar. 2. Alojamento Inacessível Alojamento que não foi possível contactar, porque o acesso se encontra intransitável ou porque está localizado num condomínio privado no qual, apesar das tentativas, não foi possível entrar. A selecção desta opção implica uma descrição clara da situação encontrada e deve ser objecto de uma informação complementar, para se perceber as dificuldades sentidas. Auxiliar: A variável situação do alojamento pode ser acedida através da tecla F4. Aviso de Contacto Sempre que faça uma visita à UA e não consiga estabelecer contacto, o entrevistador, depois de preencher os espaços em branco, deverá deixar na caixa do correio do representante da UA um Aviso de Contacto. A informação a colocar nos espaços em branco particularizam a UA, o inquérito e o dia e hora previsível para o próximo contacto e contacto do entrevistador e supervisor (apenas Continente). O entrevistador deverá colocar na listagem de campo o dia e hora em que prevê realizar o próximo contacto. 0

75 Resultado da Entrevista Âmbito: Para os alojamentos classificados como Residência principal/habitual é recolhida a variável Resultado da entrevista, que permite saber se a entrevista foi conseguida ou, no caso de não o ter sido, identifica as situações que deram origem a esse resultado. Assim, o resultado da entrevista prevê as seguintes categorias de resposta:. Entrevista conseguida A entrevista foi realizada de acordo com as especificações do inquérito (este resultado é imputado em função do preenchimento do questionário). Para as entrevistas não conseguidas: 2. Ausente O alojamento é uma residência familiar principal, mas após várias tentativas, não foi possível entrar em contacto com nenhum elemento do alojamento e realizar a entrevista. 3. Recusa O alojamento é uma residência familiar principal, mas não foi possível realizar a entrevista, porque todos os indivíduos que residem no alojamento, se recusaram a responder. Esta situação deve ser sempre reportada ao supervisor.

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2014

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2014 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 14 Mais de metade dos utilizadores da internet fazem-no em mobilidade De acordo

Leia mais

Hospitais 2004. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO

Hospitais 2004. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO Hospitais 2004 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO PROJECTO... 3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008 Sociedade da Informação e do Conhecimento 04 de Novembro 2008 Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2008 Banda larga presente em 86% dos agregados domésticos

Leia mais

INQUÉRITO ao COMÉRCIO ELECTRÓNICO

INQUÉRITO ao COMÉRCIO ELECTRÓNICO INQUÉRITO ao COMÉRCIO ELECTRÓNICO Documento Metodológico Preliminar 19-08-09 1 1. Introdução No âmbito da participação do Instituto Nacional de Estatística (INE), no Grupo de Trabalho do Eurostat sobre

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Departamento de Estatísticas Sociais Serviço de Estatísticas da Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 03 de Dezembro de 2007 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 77% DOS AGREGADOS DOMÉSTICOS COM LIGAÇÃO À INTERNET

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010 05 DEE NOVVEEMBBRRO DEE 2010 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2010 Metade dos agregados domésticos em Portugal

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 06 de novembro de 2012 60% das pessoas dos 16 aos 74 anos utilizam Internet

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2013 38% DAS PESSOAS COM IDADE ENTRE 16 E 74 ANOS CONTACTAM COM ORGANISMOS

Leia mais

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CENTRAL E REGIONAL GLOSSÁRIO

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CENTRAL E REGIONAL GLOSSÁRIO INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CENTRAL E REGIONAL GLOSSÁRIO ADMINISTRAÇÃO CENTRAL (SUBSETOR INSTITUCIONAL) O subsetor da administração central

Leia mais

Operação Estatística: Inquérito à Permanência de Colonos nas Colónias de Férias

Operação Estatística: Inquérito à Permanência de Colonos nas Colónias de Férias INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Departamento de Estatísticas Económicas Serviço de Estatísticas do Comércio, Turismo e Transportes Operação Estatística: Inquérito à Permanência de Colonos nas Colónias

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias BANDA LARGA

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias BANDA LARGA 03 DE DEZZEMBRO 2007 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2007 77% DOS AGREGADOS DOMÉSTICOS COM LIGAÇÃO À INTERNET

Leia mais

97% dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel

97% dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel 97% dos indivíduos com idade entre os 10 e os 15 anos utilizam computador, 93% acedem à Internet e 85% utilizam telemóvel De acordo com o Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da pelas

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas dos Gabinetes de Consulta Jurídica Código: 485 Versão: 1.0 Abril de 2010 1 INTRODUÇÃO A operação estatística relativa aos Gabinetes de Consulta

Leia mais

Utilização da Internet cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas

Utilização da Internet cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas Utilização da cresce quase 20 por cento nos últimos dois anos nas famílias portuguesas Mais de metade das famílias portuguesas ainda não dispõe de computador mas o parque informático dos agregados familiares

Leia mais

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO Código: 426 Versão: 1.1 Agosto 2009 INTRODUÇÃO O Inquérito aos Parques de Campismo existe desde 1983 e tem como objectivo caracterizar os parques de campismo no que diz

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Principais Resultados

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Principais Resultados Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004 Principais Resultados NOTA METODOLÓGICA (SÍNTESE) O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas das Custas Pagas nos Tribunais. Código: 483 Versão: 1.0 Setembro de 2010 INTRODUÇÃO A Direcção-Geral da Política de Justiça, antigo Gabinete de

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003. Principais Resultados

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003. Principais Resultados Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 Principais Resultados NOTA METODOLÓGICA (SÍNTESE) O Inquérito à Utilização de Tecnologias de Informação e Comunicação

Leia mais

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2014

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2014 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2014 6 de novembro de 2014 66% das empresas ligam-se à internet através de banda larga móvel O

Leia mais

Câmaras Municipais. Inquérito à Utilização dastecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO

Câmaras Municipais. Inquérito à Utilização dastecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO Câmaras Municipais Inquérito à Utilização dastecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO Índice 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO PROJECTO... 3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...

Leia mais

Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO

Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO Empresas Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO 1. Introdução No âmbito da participação do Instituto Nacional de Estatística (INE), no Grupo de

Leia mais

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2006

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2006 22 de Dezembro de 2006 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2006 MAIS DE 6 EM CADA 10 EMPRESAS ACEDEM À INTERNET ATRAVÉS DE BANDA LARGA

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Tribunais das Comunidades Europeias

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Tribunais das Comunidades Europeias DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas dos Tribunais das Comunidades Europeias Código: 484 Versão: 1.0 Abril de 2010 1 INTRODUÇÃO A operação estatística relativa aos processos dos Tribunais

Leia mais

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2007

Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2007 04 de Dezembro 2007 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2007 MAIS DE 7 EM CADA 10 EMPRESAS COM DEZ E MAIS PESSOAS AO SERVIÇO ACEDEM

Leia mais

Sociedade de informação Inquérito à Utilização das Tecnologias de Informação e da Comunicação nos Hospitais 2014

Sociedade de informação Inquérito à Utilização das Tecnologias de Informação e da Comunicação nos Hospitais 2014 16 de dezembro de 2014 Sociedade de informação Inquérito à Utilização das Tecnologias de Informação e da Comunicação nos Hospitais 2014 Proporção de hospitais com processos clínicos eletrónicos quase duplicou

Leia mais

Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003

Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 Instrumento de Notação Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei n.º 6/89, de 15 de Abril), de resposta

Leia mais

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO População Portuguesa Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2002 DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO INQUÉRITO...3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...3

Leia mais

SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2003

SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2003 9 de Janeiro de 4 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E DO CONHECIMENTO Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 3 Em Junho de 3, 38,3% dos agregados domésticos portugueses

Leia mais

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO

População Portuguesa. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO População Portuguesa Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2003 DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO INQUÉRITO...3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...3

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DOCUMENTO METODOLÓGICO Inquérito ao Sistema Educativo Regional Código: 47 Versão: 1.0 INTRODUÇÃO A necessidade de formular Políticas

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2006

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2006 Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação NOTA TÉCNICA O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias foi realizado pelo Instituto

Leia mais

Glossário de Internet

Glossário de Internet Acesso por cabo Tipo de acesso à Internet que apresenta uma largura de banda muito superior à da linha analógica. A ligação é feita com recurso a um modem (de cabo), que se liga à ficha de sinal de TV

Leia mais

2010 Unidade: % Total 98,7 94,9 88,1

2010 Unidade: % Total 98,7 94,9 88,1 03 de Novembro 2010 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nos Hospitais 2010 96% dos Hospitais que utilizam a Internet dispõem de

Leia mais

Administração Pública 2005

Administração Pública 2005 Administração Pública 2005 Documento Metodológico DEZEMBRO DE 2005 Índice Introdução... 4 I - Caracterização Geral... 4 1. Código / Versão...4 2. Código do SIGINE...4 3. Designação da operação estatística...4

Leia mais

Informar para saber...saber para desenvolver.

Informar para saber...saber para desenvolver. INQUÉRITO AO EMPREGO 4º Trimestre de 2011 Serviço Regional de Estatística dos Açores Informar para saber......saber para desenvolver. INQUÉRITO AO EMPREGO 4º TRIMESTRE DE 2011 NOTA INTRODUTÓRIA A presente

Leia mais

INQUÉRITO MENSAL AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA

INQUÉRITO MENSAL AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA Região Autónoma dos Açores Vice-Presidência do Governo SERVIÇO REGIONAL DE ESTATÍSTICA DOS AÇORES INQUÉRITO MENSAL AO ABASTECIMENTO DE ÁGUA - Documento Metodológico SREA Maio-2008 INTRODUÇÃO O Inquérito

Leia mais

Dados de Inquéritos sobre a Utilização de TIC na Administração Pública em 2011-12/01/2012

Dados de Inquéritos sobre a Utilização de TIC na Administração Pública em 2011-12/01/2012 Dados de Inquéritos sobre a Utilização de TIC na Administração Pública em 2011-12/01/2012 Todos os Organismos da Administração Pública Central e Regional e as Câmaras Municipais dispõem de ligações à Internet.

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação As políticas nacionais para a Sociedade do Conhecimento: literacia/competências digitais e inclusão social Graça Simões Agência para a Sociedade do Conhecimento UMIC Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro

Leia mais

Documento Metodológico. Versão 1.1. Fevereiro 2012

Documento Metodológico. Versão 1.1. Fevereiro 2012 Documento Metodológico Versão 1.1 Fevereiro 2012 Designação da operação estatística: Habita 2012 Habitação e Habitabilidade [módulo integrado no Inquérito às Condições de Vida e Rendimento (ICOR) 2012]

Leia mais

Documento Metodológico. CONCILIAÇÃO DA VIDA PROFISSIONAL COM A VIDA FAMILIAR Módulo ad hoc 2010 do Inquérito ao Emprego

Documento Metodológico. CONCILIAÇÃO DA VIDA PROFISSIONAL COM A VIDA FAMILIAR Módulo ad hoc 2010 do Inquérito ao Emprego DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS E SOCIAIS SERVIÇO DE ESTATÍSTICAS DO MERCADO DE TRABALHO Documento Metodológico Versão: 1.1 Cod : 382 CONCILIAÇÃO DA VIDA PROFISSIONAL COM A VIDA FAMILIAR Módulo

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Título Estatísticas da Educação 2008/2009 - Adultos

FICHA TÉCNICA. Título Estatísticas da Educação 2008/2009 - Adultos FICHA TÉCNICA Título Estatísticas da Educação 2008/2009 - Adultos Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística e Planeamento

Leia mais

91% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço utilizam Internet de banda larga

91% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço utilizam Internet de banda larga 06 de novembro de 2012 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2012 91% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço utilizam Internet

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Operação estatística: Nados - vivos Código: 105 Versão: 1.0 Agosto de 2005 DOCUMENTO METODOLÓGICO NADOS VIVOS INTRODUÇÃO A operação estatística Nados vivos constitui uma das componentes

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Instrumento de Notação

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Instrumento de Notação Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004 Instrumento de Notação Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei n.º 6/89, de 15 de Abril), de resposta

Leia mais

6.3 Tecnologias de Acesso

6.3 Tecnologias de Acesso Capítulo 6.3 6.3 Tecnologias de Acesso 1 Acesso a redes alargadas Acesso por modem da banda de voz (através da Rede Fixa de Telecomunicações) Acesso RDIS (Rede Digital com Integração de Serviços) Acesso

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Sociedade da Informação e do Conhecimento Documento Metodológico

Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Sociedade da Informação e do Conhecimento Documento Metodológico Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Sociedade da Informação e do Conhecimento Documento Metodológico IUTICEH - Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação nos

Leia mais

Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2005 DOCUMENTO METODOLÓGICO

Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2005 DOCUMENTO METODOLÓGICO Empresas Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação 2005 DOCUMENTO METODOLÓGICO INDICE INTRODUÇÃO 3 I. CARACTERIZAÇÃO GERAL 4 1. Código / Versão 4 2. Código SIGINE 4 3. Designação

Leia mais

Empresas - Sector J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2004

Empresas - Sector J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2004 Empresas - Sector J Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados Inquérito à utilização das TIC nas Empresas do Sector J - BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência:

Leia mais

IUTICE - Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2009

IUTICE - Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2009 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Departamento de Estatísticas Demográficas e Sociais Sociedade da Informação e do Conhecimento IUTICE - Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio Introdução à Internet Nos dias de hoje a Internet encontra-se massificada, e disponível nos quatro cantos do mundo devido às suas

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Movimento Mensal de Inquéritos e Autos ( Mod 222) Código: 491 Versão: 1.0 Introdução A obtenção de informação desta natureza prende-se com o facto de a mesma permitir o apoio às

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

INQUÉRITO À PERMANÊNCIA DE HÓSPEDES NOS ALOJAMENTOS PARTICULARES

INQUÉRITO À PERMANÊNCIA DE HÓSPEDES NOS ALOJAMENTOS PARTICULARES R e g i ã o A u t ó n o m a d o s A ç o r e s V i c e - P r e s i d ê n c i a d o G o v e r n o S E R V I Ç O R E G I O N A L D E E S T A T Í S T I C A D O S A Ç O R E S INQUÉRITO À PERMANÊNCIA DE HÓSPEDES

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação 3

ÍNDICE. Apresentação 3 ÍNDICE Apresentação 3 Principais Resultados Estatísticos I. Comunicações Electrónicas 5 II. A População e as TIC 6 III. Governo Electrónico 7 IV. Educação e Formação em TIC 9 V. As TIC nos Hospitais 11

Leia mais

Empresas- Secção J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO

Empresas- Secção J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO Empresas- Secção J Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO Documento Metodológico INDICE Número de página INTRODUÇÃO 3 I. CARACTERIZAÇÃO GERAL 1. Código

Leia mais

Micro Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2005

Micro Empresas. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2005 Micro Empresas Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2005 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência: Universo das empresas em Portugal com menos de 10 trabalhadores

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

Empresas Secção J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Instrumento de Notação 2005

Empresas Secção J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Instrumento de Notação 2005 Empresas Secção J Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Instrumento de Notação 2005 Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei n.º 6/89, de 15 de Abril)

Leia mais

IUTICE - Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas

IUTICE - Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO DO SISTEMA ESTATÍSTICO NACIONAL (LEI Nº 22/2008 DE 13 DE MAIO) DE RESPOSTA OBRIGATÓRIA, REGISTADO NO INE SOB O Nº 9901 VÁLIDO ATÉ 2009/12/31 IUTICE - Inquérito à Utilização de Tecnologias

Leia mais

Regime do Canal Parlamento e do Portal da Assembleia da República

Regime do Canal Parlamento e do Portal da Assembleia da República Regime do Canal Parlamento e do Portal da Assembleia da República Resolução da Assembleia da República n.º 37/2007, de 20 de agosto com as alterações introduzidas pela Resolução da Assembleia da República

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Advogados e Estagiários inscritos

DOCUMENTO METODOLÓGICO. Operação Estatística Estatísticas dos Advogados e Estagiários inscritos DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas dos Advogados e Estagiários inscritos Código: 472 Versão: 1.0 Abril de 2010 INTRODUÇÃO A recolha de informação estatística relativa aos advogados

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Actos Praticados pela Identificação Civil (Mod 302 - Mapa Anual ) Código: 507 Versão: 1.0 Setembro de 2008 Introdução O instrumento de notação que a seguir se apresenta, destinou-se

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2006 INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2006 INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2006 INSTRUMENTO DE NOTAÇÃO Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei n.º 6/89, de 15 de Abril), de resposta

Leia mais

Empresas- Secção J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2005

Empresas- Secção J. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação. Resultados 2005 Empresas- Secção J Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação Resultados 2005 BREVE NOTA METODOLÓGICA Universo de referência: Universo das empresas da secção J em Portugal com

Leia mais

Grande conjunto de informação que existe em todo o Mundo alojada em centenas de milhares de computadores chamados servidores Web.

Grande conjunto de informação que existe em todo o Mundo alojada em centenas de milhares de computadores chamados servidores Web. 1. Complete a tabela. Designação Descrição Rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços de telecomunicação.

Leia mais

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL ENTREVISTADOR

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL ENTREVISTADOR DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS E SOCIAIS SERVIÇO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL DO ENTREVISTADOR Março 2008 2

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Contrato de Compra e Venda de Prédios (Mod 298 ) Código: 557 Versão: 1.0 1 Introdução Aquando do início do projecto Sistema de Informação da Estatística dos Registos e Notariado,

Leia mais

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas - Secção J

Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas - Secção J INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Departamento de Estatísticas Sociais Serviço de Estatísticas da Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen. Concebido para a Vodafone

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen. Concebido para a Vodafone Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen Concebido para a Vodafone 1 Bem-vindo ao mundo das comunicações móveis 1 2 3 4 5 6 8 9 9 10 13 2 Bem-vindo Configuração da sua Connect Pen Iniciar o software

Leia mais

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador

MATRÍCULA ELECTRÓNICA. Manual do Utilizador MATRÍCULA ELECTRÓNICA Manual do Utilizador ÍNDICE 1 PREÂMBULO... 2 2 UTILIZAÇÃO PELOS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO... 3 2.1 Matrícula Electrónica - Acesso através do Portal das Escolas... 3 2.2 Registo de

Leia mais

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego Mobilidade dos Trabalhadores ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O presente estudo baseia-se nas informações que integram a base do Sistema de Informação Longitudinal de Empresas, Estabelecimentos e Trabalhadores

Leia mais

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO

IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO IN STITU TO N A C IO N A L D E ESTA TISTIC A CABO VERDE DOCUMENTO METODOLÓGICO ESTATÍSTICAS DO TURISMO 1999 I. ÁREA ESTATÍSTICA / LINHAS GERAIS DA ACTIVIDADE ESTATÍSTICA NACIONAL 1998-2001 O Conselho Nacional

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

Comunicação sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador

Comunicação sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador Comunicação sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. Bluetooth

Leia mais

Um sistema de observação de qualidade: as TIC nas empresas

Um sistema de observação de qualidade: as TIC nas empresas FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO SEMINÁRIO QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Um sistema de observação de qualidade: as TIC nas empresas Nuno Rodrigues Observatório da Sociedade

Leia mais

AS TIC NA AP INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA REGIONAL 2004

AS TIC NA AP INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA REGIONAL 2004 Inquérito Estatístico registado sob o n.º 2027, válido até 31 de Dezembro de 2004 AS TIC NA AP INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA REGIONAL 2004

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Departamento de Estatísticas Económicas Serviço de Estatísticas da Indústria, Construção e Outros Serviços Documento Metodológico Operação estatística: Inquérito aos Trabalhos

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO 4/101 ENQUADRAMENTO GERAL

SUMÁRIO EXECUTIVO 4/101 ENQUADRAMENTO GERAL I SUMÁRIO EXECUTIVO I.I ENQUADRAMENTO GERAL O ICP-Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) realizou, pela segunda vez, um estudo de aferição da qualidade, na perspectiva do utilizador, dos serviços

Leia mais

Documento Metodológico

Documento Metodológico Documento Metodológico Designação da operação estatística: Inquérito aos Alunos com Necessidades Especiais de Educação Sigla da operação estatística: Inq. NEE Código da operação estatística: 418 Código

Leia mais

MANUAL DO REGISTO CENTRAL DE AUXÍLIOS DE MINIMIS

MANUAL DO REGISTO CENTRAL DE AUXÍLIOS DE MINIMIS Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional, IP outubro 2008 Registo do Controlo de MINIMIS Registo Central de auxílios de minimis Índice 1. As comunicações regulares 5 2. Alterações às comunicações

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO DOCUMENTO METODOLÓGICO Operação Estatística Estatísticas do pessoal ao serviço nos Tribunais Código: 471 Versão: 1.0 Abril de 2010 1 INTRODUÇÃO A operação estatística Pessoal ao serviço nos Tribunais tem

Leia mais

Sem fios (somente em alguns modelos)

Sem fios (somente em alguns modelos) Sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registadas da Microsoft Corporation nos EUA. Bluetooth

Leia mais

ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: Resolução do Conselho sobre a aplicação do Plano de Acção e-europa 2005

ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: Resolução do Conselho sobre a aplicação do Plano de Acção e-europa 2005 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 28 de Janeiro de 2003 (OR. en) 5197/03 TELECOM 2 SOC 7 EDUC 4 SAN 6 JAI 8 ACTOS LEGISLATIVOS E OUTROS INSTRUMENTOS Assunto: Resolução do Conselho sobre a aplicação

Leia mais

Dia Internacional da Erradicação da Pobreza

Dia Internacional da Erradicação da Pobreza Rendimento e Condições de Vida 2013 16 de outubro de 2014 Dia Internacional da Erradicação da Pobreza Por ocasião da comemoração do Dia Internacional da Erradicação da Pobreza (17 de outubro), o INE apresenta

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO 4.ª EDIÇÃO DO PEPAL INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE CANDIDATURA E INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE SELECÇÃO 1 Índice 1. DESTINATÁRIOS DO PEPAL...3 2. CANDIDATURAS DOS ESTAGIÁRIOS...4 2.1.

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

Conceitos Sistema da informação e comunicação N.º de Aulas

Conceitos Sistema da informação e comunicação N.º de Aulas PLANIFICAÇÃO AGRUPAMENTO ANUAL - DE TECNOLOGIAS ANO ESCOLAS LECTIVO DR. VIEIRA DE CARVALHO 9º ANO 2008/2009 DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Tecnologias 1º Período Conceitos Sistema da informação e comunicação

Leia mais

Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores. Beja, Outubro de 2009 ESEB

Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores. Beja, Outubro de 2009 ESEB Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores Organização I Parte Informação sobre o Ponto de Acesso do INE no Instituto Politécnico de Beja II Parte Pesquisa de informação estatística Como

Leia mais

Senha f. Sinónimo de palavra-chave. ; v.t. Palavra-chave, Username

Senha f. Sinónimo de palavra-chave. ; v.t. Palavra-chave, Username scp m. Abreviatura de soc.culture.portuguese, o grupo de news distribuído internacionalmente, dedicado a Portugal e à cultura portuguesa, no sentido lato. ; v.t. Usenet, News SDH m. Sigla de Synchronous

Leia mais

Sistema de Certificação de Competências TIC

Sistema de Certificação de Competências TIC Sistema de Certificação de Competências TIC Portal das Escolas Manual de Utilizador INDICE 1 Introdução... 5 1.1 Sistema de formação e certificação de competências TIC...6 1.1.1 Processo de certificação

Leia mais

Território e Demografia

Território e Demografia Indicadores Sociais Moita Península de Setúbal Território e Demografia Concelho: Moita Território Superfície: 55,26 Km 2 Freguesias: 4 Distância Sede Concelho/Sede Distrito: Demografia População Residente:

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTRUÇÕES DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTRUÇÕES DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA DE S. TOMÉ E PRÍNCIPE CLASSIFICAÇÃO DAS CONSTRUÇÕES DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ( CC-STP ) 2003 1 Catalogação recomendada: INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Classificação das

Leia mais