Brasília, 18 de Novembro de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Brasília, 18 de Novembro de 2013"

Transcrição

1 Plano Diretor de TI O Ministério Público Federal por meio da implementação da Gestão Estratégica, estabeleceu o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) para os anos de , sendo o Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) o desdobramento efetivo para Brasília, 18 de Novembro de 2013

2 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 2 de 128

3 Versão Data da última modificação Controle de versões Principais alterações V2 26/12/2012 Versão para revisão. V3 09/01/2013 Revisão textual de todo o documento. V4 15/01/2013 Mudanças na formatação do documento. V5 18/01/2013 Reorganização do capítulo 7. V5_STI 21/01/2013 Reformatação completa do documento. V5_STI 05/02/2013 Versão para envio aos coordenadores de informática. V6_STI 20/02/2013 Inclusão das alterações encaminhadas pelos coordenadores. V6_STI 22/02/2013 Revisão. V7_STI 31/05/2013 Inclusão das alterações encaminhadas pelos procuradores-chefes e aplicação dos critérios de consolidação definidos pelo EP e ratificados pelo GTTI. V8_STI 06/08/2013 Inclusão das alterações conforme regras estabelecidas na Ata da 3ª Reunião Ordinária do Grupo Técnico de TI - GTTI (27 e 28/05/2013). Inclusão das alterações conforme reunião entre a STIC/SG e representantes das Câmaras e PFDC (05/08/2013). V9_STI 08/11/2013 Atualização do inventário como anexo II e definição do relatório de acompanhamento do PDTI. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 3 de 128

4 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 4 de 128

5 Procurador Geral da República Dr. Rodrigo Janot Monteiro de Barros Secretário-Geral Dr. Lauro Pinto Cardoso Neto Secretário-Geral Adjunto Dr. Danilo Pinheiro Dias Secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação Wagner Silva de Araujo Secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação Adjunto Mauro Cesar Sobrinho Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação e Comunicação Gustavo Fonseca Goncalves de Almeida Marciano de Oliveira Meneses Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 5 de 128

6 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 6 de 128

7 O Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF para o biênio 2013/2014 foi referendado pelo Subcomitê Estratégico de Tecnologia da Informação em sua quarta reunião ordinária realizada na Procuradoria Geral da República na data de 07 de agosto de Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 7 de 128

8 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 8 de 128

9 1. Apresentação O principal propósito do presente relatório é registrar as principais iniciativas para alcançar os objetivos de curto prazo definidos no Planejamento Estratégico Institucional PETI. Os principais direcionadores para este documento são a interpretação sobre o Diagnóstico da Área de Tecnologia da Informação do MPF, as informações sobre os levantamentos das atividades 1, 2, 3 e 6 definidas no edital da Concorrência Pública nº 002/2011, informações sobre o inventário dos projetos atuais, o Planejamento Estratégico de TI - PETI, o Planejamento Estratégico Institucional PEI e os Painéis de Contribuição e Mapas Temáticos oriundos do desdobramento do PEI para diferentes órgãos do MPF. O Projeto de Desdobramento do Planejamento Estratégico Nacional e a implementação da Gestão Estratégica, bem como a confecção do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) e do Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) alinaham-se com o Planejamento Estratégico Institucional (PEI) do MPF. O objetivo deste documento é apresentar o planejamento traçado para o biênio 2013/2104 e é descrito no corpo deste documento. Maiores informações a aplicação do planejamento estratégico na Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) estão disponíveis e divulgados na intranet da Procuradoria Geral da República, na seguinte URL: Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 9 de 128

10 2. Contextualização A elaboração de um Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e de um Plano Diretor de Tecnologia da Informação foi motivada a partir da necessidade de identificar os principais problemas encontrados na área de TI do Ministério Público Federal, e de definir o papel da área na execução da estratégia definida pelo Planejamento Estratégico Institucional. Conforme o Edital - Concorrência nº 002/2011: Sobre o desdobramento da estratégia para o âmbito específico da tecnologia da informação, vale trazer a lume o texto retirado do Manual de Contratação de Soluções de Tecnologia da Informação publicado em novembro de 2010 pelo Ministério do Planejamento Orçamento e Gestão do Governo Federal, pp.10: A maioria das ações previstas no Planejamento Estratégico de um Órgão estão associadas a ativos de Tecnologia da informação. Logo, os ativos de TI constituem funções estratégicas dos Órgãos da Administração Pública Federal. Assim sendo, torna-se cada vez mais impraticável pensar a estratégia institucional do Órgão sem que esta esteja intrinsecamente alinhada com a TI. Logo, todas as aquisições relacionadas aos ativos de TI dos Órgãos devem ser realizadas em conformidade com o Planejamento Estratégico deste. Neste contexto, é evidente a necessidade de um Planejamento de TI que se incorpore ao Planejamento Estratégico Institucional.. A justificativa para a ausência de um planejamento estratégico para a área de TI do MPF, por não haver algo semelhante no plano institucional, não mais existe. De outro lado, as referências presentes na legislação à necessidade de planejamento, outrora carentes de detalhamento e consistência, vêm sistematicamente sendo ratificadas em acórdãos do Tribunal de Contas da União. Não só o 1.603/2008, mas tantos outros, específicos para a área de TI, têm elevado os modelos de governança de TI, da condição de conjunto de boas práticas, a mecanismos indispensáveis a uma gestão responsável e eficiente de recursos públicos. Um diagnóstico da área de TI foi realizado no início do trabalho das etapas 7 e 8 definidas no Edital e teve como objetivo principal levantar a situação atual da área de TI do MPF por meio de entrevistas, pesquisa de percepção e dinâmicas. Este diagnóstico abrange o estudo e levantamento das expectativas sobre a TI do Ministério Público Federal, sob a ótica da alta administração do MPF, dos clientes externos à área de tecnologia da informação do MPF, e da própria equipe de tecnologia da informação do MPF. A pesquisa de percepção de TI teve como objetivo principal identificar a opinião individual do grupo ao qual os respondentes pertencem, de forma que se obtenha a percepção e a expectativa sobre a área de tecnologia da informação de cada um dos grupos, bem como o grau de alinhamento/desalinhamento entre eles. Com base nas informações levantadas, observa-se a ausência de uma política nacional de TI e a ausência de uma conscientização por parte dos servidores em promover uma forma de atuação centralizada, portanto uma TI Nacional. Atualmente, a ausência desta política única promove uma forma de atuação descentralizada e em desalinhamento com os objetivos da instituição, fazendo com que as unidades realizem funções similares sem uma padronização. No relacionamento entre a área de TI e seus clientes, faltam instrumentos que permitam maior agilidade no atendimento e transparência das ações de TI. Verificou-se a existência de um catálogo de serviços que tem o objetivo de apresentar o conjunto de serviços de TI prestados aos clientes finais e às coordenadorias de informática das procuradorias regionais da República e das procuradorias da República nos estados, porém não há a devida divulgação deste instrumento. Outro aspecto identificado foi a ausência de conhecimento dos clientes externos e membros da alta administração sobre as ações da TI. Isto ocorre devido à ausência de um plano de comunicação formal para toda a instituição cujo benefício está em aproximar a área de TI de seus clientes, tornando-os mais participativos. Os pontos de atenção em aspectos operacionais foram a ausência de um padrão de metodologias, processos e arquitetura de TI para toda a instituição. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 10 de 128

11 De acordo com as informações levantadas, a instituição possui material humano de qualidade, porém há falta de uma gestão de pessoas que promova a retenção destes talentos e que valorize os servidores de TI. Outro fator que vai além do controle da área de TI é o gerenciamento financeiro, onde nota-se pouca visibilidade por parte dos três públicos participantes da pesquisa de percepção de TI (servidores de TI, clientes externos e alta administração) dos custos dos serviços prestados. Por fim, o Ministério Público Federal por meio da implementação da Gestão Estratégica, bem como a confecção dos instrumentos de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) e do Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI), visa definir os padrões necessários para minimizar os problemas encontrados. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 11 de 128

12 3. Referencial Normativo A importância da elaboração de um Plano Diretor de TI vem sendo percebida pelos órgãos da Administração Pública Federal. O Tribunal de Contas da União, por meio de seus Acórdãos, enfatiza a necessidade deste plano contemplar todas as ações atreladas às metas de suas áreas de atuação, antes de executarem seus gastos. Abaixo segue uma breve descrição a respeito de alguns desses Acórdãos. Acórdão 1.521/ TCU - Plenário: Inconcebível que se inicie processo de informatização sem se proceder ao levantamento prévio de necessidades, que seja realizado em harmonia com o planejamento estratégico da instituição e seu plano diretor de informática. Conforme descrito no Acórdão... o processo de informatização deve ser sempre precedido por um cuidadoso projeto que defina as necessidades de recursos de informática de acordo com o planejamento estratégico da instituição. Isto significa que as demandas de software a curto e médio prazo devem ser claramente definidas pelo administrador antes de lançar-se ao processo de aquisição destes bens. Acórdão 2094/2004 TCU - Plenário: Segundo o Acórdão "... as fiscalizações efetuadas demonstram que boa parte das entidades públicas federais não possui um Plano Diretor de Informática ou outro documento de planejamento que fundamente as aquisições de bens e serviços nesta área... os riscos a que estão submetidas essas entidades em adquirir esses bens e serviços sem um planejamento mínimo. Adverte que essa falta de planejamento impede que sejam alcançados e cumpridos os princípios da eficiência, eficácia e economicidade dos gastos públicos." Responsável por avaliar a legalidade e oportunidade de contratações e aquisições de bens e serviços de informática, garantindo que todas as aquisições estejam de acordo com o planejamento estratégico institucional e, quando houver, com o plano diretor de tecnologia de informação. Acórdão 2.023/2005 TCU - Plenário: Publicação com o objetivo de explicitar a ausência de Planejamento Estratégico nos órgãos da administração pública federal, bem como o excessivo grau de terceirização. Segundo o item do Acórdão defina, em conjunto com as demais Secretarias do Ministério, um Plano Estratégico para a área de Tecnologia da Informação - TI, que propicie a alocação dos recursos conforme as necessidades e prioridades do negócio, conforme prevê ao item PO 1.1 do Cobit, e que observe a determinação contida no item do Acórdão TCU n / Plenário TCU... Acórdão 1.603/2008 TCU - Plenário: Levantamento que teve como objetivo principal obter informações sobre a situação da governança de TI na Administração Pública Federal. No resultado do levantamento destaca-se a ausência de planejamento estratégico institucional, deficiência na estrutura de pessoal, o tratamento inadequado à confidencialidade, integridade e disponibilidade das informações. Acórdão 2.308/2010 TCU - Plenário: Relatório de avaliação da Governança de TI visando manter atualizados os dados obtidos no primeiro levantamento, ocorrido em 2008 que resultou no Acórdão n /2004 TCU Plenário. Foram constatadas precariedades e oportunidades de melhoria que originaram algumas determinações, recomendações e comunicações presentes no Acórdão. Essas recomendações tornaram-se obrigatórias para os órgãos integrantes do Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - SISP, a partir da publicação da Instrução Normativa SLTI/MPOG nº 04/2008, e mais tarde, pela sua atualização, a Instrução Normativa SLTI/MPOG nº 04/2010, pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Embora o Ministério Público Federal não faça parte do SISP, a IN 04/2010 SLTI/MPOG deve ser considerada como recomendação de boas práticas na realização de investimentos de tecnologia da informação. A IN 04/2010 SLTI/MPOG dispõe sobre o processo de contratação de serviços de Tecnologia da Informação pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. Determina que toda contratação deverá ser precedida de minucioso planejamento e estar alinhada ao Planejamento Estratégico da organização. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 12 de 128

13 Identifica em seu Art. 2, inciso XXII o Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI como Instrumento de Planejamento de TI a ser utilizado no âmbito da APF. Ainda segundo a IN 04/2010, um PDTI é um instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade para um determinado período. Nesse contexto, o MPF identificou a importância de realizar um PDTI que possibilite a realização da gestão efetiva de recursos, garantindo a melhor utilização possível dos investimentos e que viabilize a tomada de decisão, possibilitando a TI agir de forma proativa frente aos constantes desafios e mudanças. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 13 de 128

14 Pontos Positivos Forças Motivação dos dirigentes de TI com o planejamento estratégico da área Esforços da STI de unificação da TI do MPF(TI Nacional) Alta qualificação e comprometimento do corpo técnico Recursos financeiros satisfatórios Boa infraestrutura tecnológica Bom ambiente de trabalho, favorável à colaboração Construção do catálogo de serviços nacional Experiência positiva de documentação e formalização do Sistema Único Oportunidades Vontade política da alta administração Reconhecimento do MPF perante a sociedade Pontos de Atenção Fraquezas Baixa integração e comunicação entre as equipes de TI Ausência de cultura de documentação e compartilhamento de conhecimento Ausência de políticas e padrões de TI mais abrangentes Ausência de uma definição clara das atribuições dos cargos de TI Ausência de um plano de capacitação dos profissionais Baixo aproveitamento dos talentos Dependência de fornecedores Aquisições descentralizadas Ameaças Baixa atratividade da carreira Desmotivação dos profissionais no caso de descontinuidade da unificação da TI do MPF(TI Nacional) Perda do apoio da alta administração ao PEI/PETI/PDTI Restrição orçamentária Manutenção do excesso de autonomia administrativa Comprometimento da imagem institucional Mudanças legislativas Ausência de processos institucionais definidos Ausência de um processo de priorização de abrangência nacional 0,00 governamentais e beneficiários diretos das ações da órgãos civil, sociedade a com interlocução a Aprimorar de relevância na defesa da cidadania. temas em PFDC da preventiva atuação a Promover da PFDC e PRDCs. gabinetes dos estrutura a Aprimorar atuação extrajudicial. da PFDC visando a temas nos servidores PFDC. exclusivos de PRDCs. ofícios de criação a Fomentar direitos do cidadão. e servidores que atuam na defesa dos membros os entre práticas Incentivar a divulgação interna e compartilhamento das boas Promover a capacitação de membros e coletivos. extrajudiciais para os conflitos soluções Buscar humanos dos quais o Brasil é signatário. direitos de tratados dos cumprimento pelo Zelar Aprendizado & Crescimento Processos Internos Sociedade 11 ao cidadão. 9 e eficiente célere atendimento o Garantir MAPA TEMÁTICO DA PFDC Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão Visão: Até 2020, ser reconhecido, nacional e internacionalmente, pela excelência na promoção da Justiça, da cidadania e públicas que garantam a dignidade humana. políticas das implementação da acompanhamento o Priorizar Cidadão Promover a imagem da PFDC em âmbito nacional e internacional na promoção e defesa dos direitos humanos coordenação pela PFDC. de mecanismos Aprimorar Escritório de Projetos Relacionamento Centro 1 Desenvolvimento de Soluções Requisições Centro 2 Cliente Incidentes Centro n Central de Serviços Desenvolvimento Local Operação CSC Infraestrutura Infraestrutura Infraestrutura e suporte Local Escritório de Governança Grupo Perspectiva Ação Passos Prazo Recursos Resultado Responsável Grupo IV Grupo IV Grupo IV Cidadão Sociedade Sociedade Passo 1: Identificar a área Passo 1: 180 dias. temática e parceiros. Fomentar a Passo 2: Celebrar Passo 2: 180 dias celebração de convênios e termos de e contínuo. convênios e termos cooperação. de cooperação Passo 3: Monitoramento e técnica. Estimular a participação dos avaliação da eficácia da cooperação, a partir dos ora vigentes. Passo 3: etapa contínua enquanto vigente. Recursos próprios. PRDC s e PDC s Passo 1: Sensibilização Recursos em comitês, grupos sobre temas de relevância Passo 1: Um ano. humanos de trabalhos e por meio de oficinas. próprios. observador em conselhos estratégicos. Estimular a participação dos PRDC s e PDC s em seminários, palestras etc. Passo 1: Sensibilização Recursos sobre temas de relevância Passo 1: Um ano. humanos através de oficinas. próprios. Fortalecer e potencializar a atuação preventiva. Obtenção de informações dos variados segmentos sociais PFDC PRDC s PDC s. para atuação na PFDC, área da cidadania. PRDC s e Intervenção na PDC s. construção das decisões sobre políticas públicas sociais. Fortalecer a interlocução com outros órgãos de defesa da cidadania e expandir a visbilidade do MPF PFDC. PFDC, PRDC s e PDC s. 4. Metodologia O Edital da Concorrência Pública nº 002/2011 prevê para a etapa 8 (PDTI) oito principais atividades definidas conforme figura 1 abaixo. Figura 1 - Atividades definidas para a etapa 8 As atividades 1, 2 e 3 serviram de insumo para as Necessidades de Tecnologia da Informação (atividade 4) e para a Análise de Defasagem (atividade 5). A avaliação dos pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças ao negócio, além da análise da situação atual da maturidade da Gestão de TI, permitiram a identificação das necessidades atuais de TI e a formalização dos objetivos e requisitos da área, que estão detalhados no documento Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação do Ministério Público Federal - PETI. A etapa 7 Confecção do PETI contou com 4 grande atividades (1 Seminário de Sensibilização e 3 oficinas de trabalho), realizadas com a participação dos coordenadores e chefes de divisão da Secretaria de Tecnologia da Informação e de um representante da área de informática de cada uma das unidades gestoras do Ministério Público Federal (procuradorias regionais da República e procuradorias da República nos estados), e um diagnóstico da área de TI (através da pesquisa de percepção de TI, Matriz SWOT e entrevistas). Os principais produtos obtidos em cada uma das atividades da etapa 7 e os resultados dos Painéis de Contribuição e dos Mapas Temáticos realizados nas outras etapas do projeto foram os principais insumos para elaboração das iniciativas do Plano Diretor de TI. SWOT 1. E 5, T P S P Diagnóstico Mapa Estratégico de TI Gestão da Unidade Gestão COE Gestão Nacional Modelo Futuro Cliente Iniciativas e Plano Seminário de Sensibilização Pesquisa e Diagnóstico 1ª Oficina 2ª Oficina 3ª Oficina no combate ao crime e à corrupção. Missão: Promover a realização da justiça, a bem da sociedade e em defesa do Estado democrático de direito. Valores: Autonomia institucional, compromisso, transparência, ética, independência funcional, unidade, iniciativa e efetividade. Planos de Ação dos Mapas Temáticos e dos Painéis de Contribuição PDTI Figura 2 - Principais produtos do PETI para o PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 14 de 128

15 Potencializadores Benefício Institucionais Estratégicos Planejamento Estratégico da TI - PETI Seminário de Sensibilização Pesquisa e Diagnóstico de Percepção Mapa Estratégico Modelo Futuro de Atuação da TI Plano de Ação Plano Diretor de TI - PDTI Arquitetura de Dados e Informações Arquitetura Tecnológica Perfil dos Recursos Humanos Necessidades TI Análise da Defasagem Tecnológica Catálogo de Serviços TI Documento do PDTI do MPF Metodologia de Avaliação da Execução do PDTI Figura 3 - Etapas do PETI e PDTI As iniciativas de implantação do PETI foram elaboradas a partir do modelo de atuação futuro e dos objetivos estratégicos (advindos do Mapa Estratégico de Tecnologia da Informação do MPF). As iniciativas foram priorizadas de acordo com o benefício decorrente e o esforço de implementação, e classificadas na estrutura de roadmap. Mapa Estratégico de TI Modelo Futuro Cliente Incidentes Gestão Nacional Escritório de Projetos Desenvolvimento de Soluções Central de Serviços Operação CSC Infraestrutura Infraestrutura Escritório de Governança Gestão COE Centro 1 Centro 2 Centro n Cliente Gestão da Unidade Relacionamento Requisições Desenvolvimento Local Infraestrutura e suporte Local Iniciativas Roadmap Curto Médio Longo P1 Sistema de P6 Processo P10 MPF P11 e-mpf RH Eletrônico P7 Portal Digital Único P4 Sistema de P9 Wiki do Ouvidoria P8 Portal da MPF P2 Sistema Transparência Único P5 Sistema de F Centros de Informações Gerenciais Excelência P3 Gestão da Informação K Segurança J Suporte da Informação Local I Arquitetura H Comunicação e Inovação Longo Médio B Desenvolvimento G Relacionamento C Central de de Soluções Serviços D Centro de Serviços A Escritório Compartilhados de Projetos E Escritório L Acompanhamento M Gestão de de Governança PETI/PDTI Pessoas Racionalizadores Esforço Estruturantes Curto Figura 4 - Processo de criação das iniciativas do PETI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 15 de 128

16 As iniciativas de implantação do PDTI descrevem os principais etapas a serem implementadas e seguidas para atingir os resultados esperados na implementação do PDTI em um horizonte de 2 anos (curto prazo) Arquitetura de Dados e Informações Arquitetura Tecnológica Perfil de Recursos Humanos 4 Necessidades de Tecnologia da Informação 5 Análise de Defasagem 6 Catálogo de Serviços 7 Elaboração do PDTI Manutenção do PDTI Figura 5 Etapas do PDTI Análise de Defasagem Nesta etapa é feito uma análise acerca do ambiente de TI do MPF. Esta análise leva em consideração os seguintes itens: o Arquitetura de dados e informações Necessidades oriundas do levantamento da arquitetura de dados e informações do MPF. Este levantamento foi elaborado através de um mecanismo que permitiu documentar, apresentar e atualizar as informações elegíveis a compor o modelo de dados corporativo do MPF. o Arquitetura tecnológica Necessidades oriundas do levantamento da arquitetura tecnológica do MPF. Este levantamento também contou com a definição do mecanismo de armazenamento e de atualização permanente das informações. o Perfil de Recursos Humanos Necessidades oriundas do levantamento do perfil de recursos humanos do MPF. Esta atividade contempla também a proposta de alocação dos perfis de recursos humanos dentro do modelo de atuação proposto para o MPF. o Planejamento Estratégico de TI Iniciativas geradas à partir do Planejamento Estratégico de TI (PETI) definidas como curto prazo, ou seja, em uma linha temporal de dois anos. o Ações planejadas ou em andamento Necessidades identificadas a partir do levantamento de ações em andamento na instituição, e análise dos mesmos quanto ao status e duração. Elaborar Plano Diretor de TI (PDTI) Plano Diretor de TI do período contendo os seguintes itens: o Plano de ação Iniciativas identificadas na etapa de análise de defasagem. Avaliação do PDTI Definição da metodologia de avaliação e execução do Plano Diretor de TI o Manutenção do PDTI - informação da rotina de manutenção do PDTI. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 16 de 128

17 5. Situação Atual da TI do MPF 5.1. Estrutura Organizacional A época do planejamento deste documento a STI possuía o seu organograma definido da seguinte forma: Secretário de Tecnologia da Informação Secretário-Adjunto Coordenadoria de Sistemas Processuais Coordenadoria de Suporte Técnico Coordenadoria de Sistemas Gerenciais Administrativos Divisão de Desenvolvimento Divisão de Sustentação Divisão de Liberação Divisão de Entrega Divisão de Produção e Operação Divisão de Prospecção Tecnológica Divisão de Redes e Sistemas Operacionais Divisão de Banco de Dados Divisão de Gestão de Pessoas e Saúde Divisão de Sistemas da Administração Superior Divisão de Sistemas Administrativos e Gerenciais Divisão de Atendimento ao Usuário Divisão de Segurança da Informação Divisão de Telefonia Figura 6 - Organograma atual da STI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 17 de 128

18 A área de TI do MPF é composta por um órgão central, a Secretaria de Tecnologia da Informação (STI), situada na PGR, e as Coordenadorias de Informática, situadas em todas as unidades gestoras do MPF. A figura 4 representa a complexidade da estrutura de TI do MPF. Procuradoria Regional da República 1ª Região Coordenadoria de Informática Procuradoria Regional da República 2ª Região Coordenadoria de Informática Procuradoria Regional da República 3ª Região Coordenadoria de Informática Procuradoria Regional da República 4ª Região Coordenadoria de Informática Procuradoria Regional da República 5ª Região Coordenadoria de Informática Procuradorias da República 1º Grupo Coordenadoria de Informática Procuradorias da República 2º Grupo Coordenadoria de Informática Procuradorias da República Grupos 3, 4 e 5 Coordenadoria de Informática Divisão de Informática Seção de Suporte e Atendimento ao Usuário Núcleo de Suporte e Atendimento ao Usuário Seção de Suporte Seção de Suporte e Atendimento Núcleo de Redes Seção de Desenvolvimento de Sistemas Seção de Desenvolvimento de Sistemas Núcleo de Suporte e Atendimento ao Usuário Seção de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas Núcleo de Redes e Infraestruturas Seção de Desenvolvimento de Sistemas Setor de Desenvolvimento de Sistemas Núcleo de Atendimento Seção de Suporte Seção de Suporte e Atendimento ao Usuário Núcleo de Desenvolvimento de Sistemas Setor Núcleo de Desenvolvimento de Sistemas Seção de Redes Núcleo de Dados e Sistemas Seção de Atendimento ao Usuário Núcleo de Redes Figura 7 Organograma das coordenadorias de informática em unidades gestoras Em consequência das ações previstas neste PDTI, a estrutura apresentada anteriormente deixou de existir no dia 01 maio de Como resultado passou a denominar-se Secretaria de Tecnologia da informação e Comunicação STIC. São previstas mudanças para as estruturas da área de para as unidades. Porém, apesar de prevista e definida ainda não se materializou por completo. A nova estrutura da STIC, em vigor na publicação deste documento, é apresentada na figura abaixo., Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 18 de 128

19 O diagnóstico da Área de TI compreendeu o estudo e levantamento das informações das expectativas sobre a TI do Ministério Público Federal, sob a ótica da alta administração do MPF, dos clientes externos à área de tecnologia da informação do MPF e da própria equipe de tecnologia da informação do MPF. Este diagnóstico teve como objetivo principal levantar a situação atual da área de TI do MPF por meio de entrevistas, pesquisa de percepção e dinâmica. Estas informações foram utilizadas na definição do modelo de atuação da TI do MPF Diagnóstico O diagnóstico da Área de TI compreendeu o estudo e levantamento das informações das expectativas sobre a TI do Ministério Público Federal, sob a ótica da alta administração do MPF, dos clientes externos à área de tecnologia da informação do MPF e da própria equipe de tecnologia da informação do MPF. Este diagnóstico teve como objetivo principal levantar a situação atual da área de TI do MPF por meio de entrevistas, pesquisa de percepção e dinâmica. Estas informações foram utilizadas na definição do modelo de atuação da TI do MPF. A pesquisa de percepção da TI foi elaborada a partir de metodologia da PwC que estrutura a área de TI nas seguintes funções e temas de análise: 1. Estratégia da área de tecnologia da informação. 2. Relacionamento com o cliente da TI (áreas de negócio). 3. Transformação, evolução do negócio suportado pela TI. 4. Operação dos Serviços com o desempenho e o nível de atendimento adequados. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 19 de 128

20 5. Gestão da TI através de planejamentos e controles eficientes. As questões do tema Estratégia de TI, abordam processos relacionados à inovação tecnológica e continuidade do negócio. Neste tema, a maioria dos respondentes discordou da existência de um Planejamento Estratégico de TI e de um Plano Diretor de TI. Ambos os instrumentos são objeto do Desdobramento do Planejamento Estratégico Institucional do qual este diagnóstico faz parte. Os principais resultados obtidos nesse tema encontram-se na figura abaixo Resultados do tema Estratégia. 1 Estratégia Não há um Planejamento Estratégico de TI formal com visão de longo prazo Não há um Plano Diretor de TI Não há um Plano de Recuperação de Desastres Estratégia de TI Continuidade do Negócio Arquitetura de TI Inovação Tecnológica Discordo Totalmente 26 Estratégia 25 Discordo Parcialmente Concordo Parcialmente 7 17 Concordo Totalmente Equipe de TI Clientes Externos Valores em % Figura 8 - Resultados do tema Estratégia As questões do tema Relacionamento entre a área de TI e seus Clientes abordam o alinhamento da TI com o negócio, processos de relacionamento como gestão de demandas e comunicação, estruturação de catálogo de serviços e acordo de nível de serviço. Os principais resultados obtidos nesse tema encontram-se na figura abaixo (Resultados do tema Relacionamento). 2 Relacionamento Ausência de um Catálogo de Serviços Ausência de um Plano de Comunicação formal Falta de envolvimento no processo de priorização de demandas Relacionamento Gestão de Demandas Comunicação de TI Alinhamento de TI com o Negócio Catálogo de Serviços 10 - Discordo Totalmente Discordo Parcialmente Concordo Parcialmente Concordo Totalmente Equipe de TI Clientes Externos Valores em % Figura 9 - Resultados do tema Relacionamento Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 20 de 128

21 A Transformação da TI está relacionada à capacidade de evolução do negócio suportado pela TI. Tem como objetivo estabelecer a prestação de serviço de forma unificada e colaborativa por meio da implantação do processo de desenvolvimento de soluções, gestão da entrega de projetos e programas com base na metodologia vigente, um modelo padrão de arquitetura de soluções e um modelo de informações institucional incluindo dicionários de dados, classificação da informação, níveis de acesso, identificação, entre outros. Fazem parte deste tema também processos de suporte ao serviço como gestão de mudanças, gestão de liberação e gestão da configuração. Os principais resultados obtidos nesse tema encontram-se na figura abaixo - Resultados do tema Transformação. 3 Transformação Arquitetura de Soluções Gestão de Projetos Ausência de uma metodologia padronizada para a gestão de projetos de TI nas unidades. Há falta de um processo de criação e acompanhamento de projetos de TI na maioria das unidades. Ausência de um estudo de viabilidade para a evolução de serviços existentes nas unidades. Os dados não estão modelados e documentados. Ausência da figura do Administrador de Banco de Dados (DBA). Ausência da figura do Administrador de Dados (ADA). Desenvolviment o de Soluções Gestão de Liberação Gestão de Configuração Homologação de Soluções Gestão de Mudança Gestão da Informação Discordo Totalmente Transformação Discordo Parcialmente Concordo Parcialmente 7 12 Concordo Totalmente Equipe de TI Clientes Externos Valores em % Figura 10 - Resultados do tema Transformação Fazem parte do tema Operação da TI, os processos de gestão e operação da infraestrutura, com a gestão eficiente da capacidade e disponibilidade dos serviços, a gestão dos incidentes e problemas assim como o suporte ao usuário. Abrange também a função Central de Serviços e o correto permissionamento dos usuários para cada tipo de perfil com o gerenciamento de identidades e acessos. Os principais resultados obtidos nesse tema encontram-se na figura abaixo Resultados do tema Operação. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 21 de 128

22 4 Operação Ausência de um processo de gestão de incidentes e problemas Ausência de um controle formal das rotinas operacionais nas unidades. Ausência de uma central de serviços única, responsável por registrar incidentes e requisições de serviços. Gestão e Operação da Infraestrutura Gestão de Incidentes e Problemas Central de Serviços Operação Gestão de Identidade Gestão da Capacidade Manutenção de Soluções Gestão da Disponibilidade Discordo Totalmente Discordo Parcialmente Equipe de TI Valores em % Concordo Parcialmente Clientes Externos Concordo Totalmente Figura 11 - Resultados do tema Operação O tema Gestão abrange processos que permitem o planejamento e controles eficientes da TI. Dentre eles estão o processo de governança de TI, a definição de políticas e normas, a gestão financeira e de pessoas. Fazem parte também deste tema a segurança da informação e os processos de gestão de qualidade, riscos e conformidade. Acerca dos sistemas do MPF, a Equipe de TI em sua maioria discordou de que estes forneçam informações gerenciais para a tomada de decisão. Os principais resultados obtidos dessa percepção encontram-se na figura abaixo Resultados do tema Gestão. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 22 de 128

23 5 Gestão Ausência de definição das políticas de TI nas Unidades. Baixa visibilidade dos custos dos serviços prestados pela TI nas Unidades. Ausência de uma avaliação de competências dos profissionais Há falta de uma política de gestão de treinamentos da equipe de TI. Ausência de meios de acompanhamento dos indicadores de desempenho da TI. Ausência de uma avaliação formal dos serviços prestados pela TI. Governança de TI Gestão Gestão Financeira Políticas e Normas de TI Segurança da Informação Gestão de Ativos Gestão de Pessoas Gestão da Qualidade Discordo Totalmente Discordo Parcialmente Equipe de TI Concordo Parcialmente Clientes Externos Concordo Totalmente Valores em % Figura 12 - Resultados do tema Gestão Os aspectos operacionais foram avaliados de maneira positiva, e os pontos críticos encontrados recaem sobre a ausência de padrão de metodologias, processos e arquitetura de TI para toda a Instituição. Especificamente, nota-se uma grande expectativa acerca do sistema Único, que tem como objetivo integrar, padronizar e consolidar as informações processuais e administrativas da Instituição. Fatores que vão além da atuação da área de TI, e tem o envolvimento de outras áreas do MPF também devem ser consideradas como pontos de atenção. De acordo com as informações levantadas, a Instituição possui material humano de qualidade, porém há ausência de uma gestão de pessoas que promova a retenção destes talentos e que valorize os servidores de TI. O Ministério Público Federal por meio da implementação da Gestão Estratégica, bem como a confecção dos instrumentos de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação (PETI) e do Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI), visa atender os aspectos críticos identificados: Priorizar as iniciativas de TI e alinhá-las aos objetivos estratégicos da Instituição. Permitir a TI ter um posicionamento claro em relação aos Clientes Internos e Externos. Alinhar a arquitetura de TI às necessidades da Instituição. Definir políticas, normas e procedimentos de TI comuns às Unidades do MPF, proporcionando maior padronização e garantindo o alinhamento das ações de TI aos objetivos estratégicos do MPF. Definir um modelo que determine regras claras para a atuação dos servidores de TI no âmbito do Ministério Público Federal. Este modelo deverá proporcionar maior integração entre as Unidades, priorizando ações nacionais alinhadas com os objetivos estratégicos da Instituição. Todos os resultados encontrados na pesquisa de percepção de TI e suas conclusões estão descritas em maiores detalhes no relatório do Diagnóstico da Área de TI Arquitetura atual de dados e informações Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 23 de 128

24 Abordagem para inventário A arquitetura de dados descreve a estrutura de dados utilizada por uma organização e/ou seus aplicativos e contempla descrições de dados - tanto armazenados quanto em movimento, descrições de meios de armazenamento, grupos de dados, itens de dados e modelos de dados de soluções de TI. Essencial à concepção da situação futura, a Arquitetura de Dados descreve como os dados são processados, armazenados e utilizados em um determinado sistema (sentido amplo). Ela fornece os critérios para as operações de processamento de dados, possibilitando que sejam projetados e também controlados os fluxos de dados no sistema. Para o levantamento das informações corporativas, foi utilizada uma planilha de levantamento e de documentação das informações do MPF. A partir deste levantamento, obteve-se um resultado que proporciona uma visão abrangente das informações corporativas e suas inter-relações, além de identificar duplicidade de informações e problemas de falta de integridade e de consistência. A planilha de levantamento e de documentação de informações foi estruturada da seguinte forma: 1 2 En t ida des Descr içã o Chave única de identificação Iden t ifica dor Responsabilidade da Informação 01. Gestão de Pessoas Formatação / regra de preenchimento Dono da informação (Secretaria) A limentação A utomatiza (Divis ão) do/manual A ssist ência e prom oçã o de sa ú de A utomatiza Edição Cons ulta A lim en ta çã o Con su lta Ediçã o do/manual Sistemas Figura 13 - Estrutura da planilha 1- Entidades - Entidade elegível a compor o modelo de dados corporativo. 2- Descrição - Descrição do que representa a entidade no contexto do MPF. 3- Chave única de identificação - Chave única de identificação de cada entidade. 4- Formatação / regra de preenchimento - Regra de sintaxe utilizada para nomeação das entidades. 5- Dono da informação (Secretaria) Secretaria responsável pela informação. 6- Alimentação (Divisão) - Divisão responsável pela alimentação inicial da informação. 7- Automatizado/Manual - modo como a informação é inserida. 8- Edição - Divisão responsável pela edição da informação. 9- Consulta Áreas com permissão de consulta à informação. 10- Macro-processo Macro processo de negócio que de alguma forma manipula a informação. 11- Processo Processo de negócio que de alguma forma manipula a informação. 12- Alimentação - Deverá marcar com um X se o processo faz alimentação da informação. 13- Consulta - Deverá marcar com um X se o processo faz consulta à informação. 14- Edição Deverá marcar com um X se o processo faz edição da informação. 15- Sistemas - Nome dos sistemas que acessam à informação. Entidades As entidades elegíveis a compor o modelo de dados corporativo foram levantadas junto à STI. A relação destas entidades está listada na tabela abaixo: Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 24 de 128

25 Entidades ESTAGIARIO - Cadastro ESTAGIARIO - Pagamento MEMBRO - Cadastro MEMBRO - Benefícios MEMBRO - Capacitação MEMBRO - Pagamento MEMBRO - Saúde (afastamento) SERVIDOR - Cadastro SERVIDOR - Benefícios SERVIDOR - Capacitação SERVIDOR - Pagamento SERVIDOR - Saúde (afastamento) TERCEIRIZADO MENOR APRENDIZ - Cadastro MENOR APRENDIZ - Capacitação MENOR APRENDIZ - Pagamento COLABORADOR EVENTUAL - Cadastro COLABORADOR EVENTUAL - Pagamento COLABORADOR EVENTUAL - Benefícios INSTITUICAO EXTERNA FORNECEDOR Entidades Descrição Pessoa física com vínculo de estágio - Informações cadastrais. Pessoa física com vínculo de estágio - Informação relacionada ao recebimento da bolsa auxílio. Pessoa física com vínculo de membro - Informações cadastrais. Pessoa física com vínculo de membro - Informações de todos os benefícios que não estão vinculados ao pagamento. Ex: Diárias, Ajudas de Custo entre outros. Pessoa física com vínculo de membro - Informações relacionadas a cursos e treinamentos. Pessoa física com vínculo de membro - Informações relacionadas ao recebimento dos proventos. Pessoa física com vínculo de membro - Informações referentes à assistência médica. Pessoa física com vínculo de servidor. Podendo ser concursado, contratado ou requisitado - Informações cadastrais. Pessoa física com vínculo de servidor. Podendo ser concursado, contratado ou requisitado - Informações de todos os benefícios que não estão vinculados ao pagamento. Ex: Diárias, Ajudas de Custo entre outros. Pessoa física com vínculo de servidor. Podendo ser concursado, contratado ou requisitado - Informações relacionadas a cursos e treinamentos. Pessoa física com vínculo de servidor. Podendo ser concursado, contratado ou requisitado - Informações relacionadas ao recebimento dos proventos. Pessoa física com vínculo de servidor. Podendo ser concursado, contratado ou requisitado - Informações referentes à assistência médica. Pessoa física sem vínculo empregatício com o MPF, que presta serviço através de uma empresa contratada (pessoa jurídica) Pessoa física com vínculo de aprendiz - Informações cadastrais. Pessoa física com vínculo de aprendiz - Informações relacionadas a cursos e treinamentos. Pessoa física com vínculo de aprendiz - Informações relacionadas ao recebimento da bolsa auxílio. Pessoa física com vínculo provisório com o MPF para uma finalidade específica - Informações cadastrais. Pessoa física com vínculo provisório com o MPF para uma finalidade específica - Informações de todos os benefícios que não estão vinculados ao pagamento. Pessoa física com vínculo provisório com o MPF para uma finalidade específica - Informações relacionadas ao recebimento dos proventos. Ex: Diárias, Ajudas de Custo entre outros. Associação, instituição, órgão púbico ou entidades da sociedade civil com existência jurídica, que se relacionam com o MPF Pessoa jurídica que estabelece um contrato de fornecimento de produtos e/ou prestação de serviços. Descrição UNIDADE ORGANICA Formais - Unidades Unidades administrativas formais pertencentes ao MPF. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 25 de 128

26 UNIDADE ORGANICA Informais - Unidades Unidades administrativas informais pertencentes ao MPF. DOCUMENTO - PROCESSOS ADMINISTRATIVOS DOCUMENTO - PROCESSOS JUDICIAIS/IPL DOCUMENTO - PROCESSOS EXTRA JUDICIAIS DOCUMENTO - DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS MANIFESTAÇÃO CONTRATOS LICITAÇÃO ESTRUTURA REMUNERATÓRIA PATRIMÔNIO SEDE FINANÇAS ORÇAMENTO RAMOS MPU PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO - Planejaento Estratégico Institucional PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO - Painéis de Contribuição e Mapas Temáticos PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO - Planejamento Estratégico de TI PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO - PETI - Plano Diretor de TI LEGISLAÇÃO - Infraconstitucional LEGISLAÇÃO - Constitucional LEGISLAÇÃO - Normativos Internos Documentos administrativos criados pelo MPF e que permanecem na instituição até serem finalizados. Sem interação com instituições externas. Seu ciclo de tramitação envolve algumas atividades formais. (Ex: Processos de licitações) São documentos judiciais ou inquéritos policiais que tem origem externa ao MPF. São documentos administrativos que têm finalidade investigatória. Documentos administrativos que tramitam pelo MPF e que podem ter interação com Entidades externas. (Ex: Memorando, oficios, envelopes) Pronunciamento com força legal de um membro com relação a determinado tema, que pode ou não estar agregado a um processo. Instrumento dado à Administração pública para dirigir-se e atuar perante seus administrados sempre que necessite adquirir bens ou serviços dos particulares. Procedimento administrativo para contratação de serviços ou aquisição de produtos. Representa a estrutura salarial do MPF, ou seja, a política de cargos, funções e salários que a instituição utiliza para assegurar que será pago para cada servidor os valores acordados. Representa todos os bens patrimoniais do MPF. São as estruturas físicas onde existem unidades do MPF instaladas. Compreende a execução do orçamento do MPF. Compreende a elaboração da programação orçamentária do MPF. Entidades que junto ao MPF constituem o Ministério Público da União. Informações que traduzem as principais diretrizes estratégicas em objetivos, indicadores e metas - Esforços que as unidades buscarão desenvolver para o alcance dos objetivos estratégicos. Informações que traduzem a contribuição das diversas áreas do MPF para o alcance dos objetivos estratégicos. Informações que traduzem as principais diretrizes estratégicas em objetivos, indicadores e metas - Informações referentes ao planejamento estratégico da área de TI. Informações referentes ao Plano Diretor de TI - Plano de ações de curto prazo para alcançar os objetivos planejados. Informações referentes às leis, assim como suas decisões e interpretações - Leis que estão hierarquicamente abaixo da Constituição Federal. Informações referentes aos dispositivos constitucionais. Informações referentes às normas internas do MPF. LEGISLAÇÃO - Internacional Tabela 1 - Entidades elegíveis a compor o modelo corporativo Informações referentes ao normativo internacional, assim como suas decisões e interpretações. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 26 de 128

27 Mecanismo de documentação e atualização de informações A relação de entidades listadas acima e suas informações, estão armazenadas eletronicamente no documento " MPF - PDTI - Levantamento de Dados v2.ods". Para uma gestão mais eficiente, recomenda-se a utilização de uma ferramenta, onde os dados possam ser divulgados, controlados e atualizados de acordo com as alterações e necessidades. O processo para atualização das informações deve respeitar o fluxo de gestão de mudanças, ou seja, caso exista uma nova entidade, esta deve passar pelo processo formal de documentação e aprovação para posteriormente ser registrada na ferramenta oficial de gestão das informações Arquitetura tecnológica atual Abordagem para inventário O MPF utiliza o sistema ASI Web, que é responsável pelo registro dos ativos da instituição, e as informações contidas neste sistema foram utilizadas como ponto de partida para o levantamento da arquitetura tecnológica. Deste sistema foi extraído o detalhamento das seguintes categorias de itens: Equipamentos de tecnologia da informação. Softwares proprietários, livres e de governo. Sistemas de informação/aplicativos desenvolvidos e adquiridos. Infraestrutura de tecnologia da informação. Canais de comunicação. Contratos de bens e serviços de tecnologia da informação. O resultado do levantamento da arquitetura de tecnologia da informação deve atentar para: Armazenamento. Mecanismo de atualização permanente. Inventário Atual O inventário levou em consideração os seguintes tipos de equipamento distribuídos nas Unidades do Ministério Público Federal: Access Point Rack Aparelho duplicador Roteador Biblioteca Scanner Canais de comunicação Servidor Contratos Software Desktop e Notebook Storage Hardwares de Videoconferência Switch Impressora Switch fibre channel Monitor de Vídeo Wireless Switch No-break Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 27 de 128

28 Após levantamento junto às Unidades, verificou-se o seguinte resultado: Item Total Access Point 250 Aparelho duplicador 5 Biblioteca 31 Contratos 1 39 Desktop e Notebook Hardwares_V ideoconferência 29 Impressora 5327 Monitor de Video No-break 91 4 Rack 420 Roteador 1 65 Scanner Serv idor 696 Software 113 Storage 86 Switch Switch fibre channel 85 Wireless Switch 4 Figura 14 Total de equipamentos identificados no inventário Unidade Access Point Aparelho duplicador Biblioteca Contratos Desktop e Notebook HardwaresVideoco nferência Impressora Switch Monitor de Video No-break Rack Roteador Scanner Servidor Software Storage Switch fibre channel PGR PRR 1ª Região PRR 2ª Região PRR 3ª Região PRR 4ª Região PRR 5ª Região PR/AC PR/AL PR/AM PR/BA PR/CE PR/DF PR/ES PR/GO PR/MA PR/MG PR/MS PR/PA PR/PB PR/PE PR/PR PR/PI PR/RJ PR/RN PR/RS PR/RR PR/SC PR/SE PR/SP PR/TO Wireless Switch Figura 15 Inventário por Unidade do MPF Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 28 de 128

29 Figura 16 Inventário de Desktop e Notebooks Canais de Comunicação CLIENTE VELOCIDADE CLIENTE VELOCIDADE CLIENTE VELOCIDADE PGR - ANEXO I - SEDE II 8MB PRM / CAXIAS 2MB PRM / PAULO AFONSO 2MB PGR - ANEXO II - SEDE I (SGON) 4MB PRM / CAXIAS DO SUL 4MB PRM / PELOTAS 2MB PGR - ANEXO III - SEDE III - SAS (ASSPA) 8MB PRM / CHAPECO 2MB PRM / PETROLINA-JUAZEIRO 2MB PGR / SAFS 48MB PRM / COLATINA 2MB PRM / PETRÓPOLIS 4MB PR/AC-RIO BRANCO 4MB PRM / CONCÓRDIA 2MB PRM / PICOS 2MB PR/AL-MACEIÓ 4MB PRM / CORUMBÁ 2MB PRM / PIRACICABA 2MB PR/AM-MANAUS 4MB PRM / CRICIUMA 2MB PRM / PONTA GROSSA 2MB PR/AP-MACAPÁ 4MB PRM / CRUZ ALTA 2MB PRM / PONTA PORÃ 2MB PR/BA-SALVADOR 8MB PRM / DOURADOS 2MB PRM / POUSO ALEGRE 2MB PR/BA-SALVADOR 8MB PRM / ERECHIM 2MB PRM / PRESIDENTE PRUDENTE 2MB PR/CE FORTALEZA 8MB PRM / EUNÁPOLIS 2MB PRM / RESENDE 2MB PR/DF-BRASÍLIA 16MB PRM / FEIRA DE SANTANA 2MB PRM / RIBEIRÃO PRETO 4MB PR/ES-VITÓRIA 4MB PRM / FOZ DO IGUAÇU 4MB PRM / RIO DO SUL 2MB PR/GO-GOIÂNIA 8MB PRM / FRANCA 2MB PRM / RIO GRANDE 2MB PR/MA-SÃO LUIS 4MB PRM / FRANCISCO BELTRÃO 2MB PRM / RIO VERDE 2MB PR/MG-BELO HORIZONTE 8MB PRM / GARANHUNS 2MB PRM / SANT. DO LIVRAMENTO 2MB PR/MS-CAMPO GRANDE 4MB PRM / GOV. VALADARES 2MB PRM / SANTA CRUZ DO SUL 2MB PR/MT-CUIABÁ 4MB PRM / GUAÍRA 1MB PRM / SANTA MARIA 2MB PR/PA-BELÉM 4MB PRM / GUANAMBI 2MB PRM / SANTA ROSA 2MB PR/PB-JOÃO PESSOA 4MB PRM / GUARAPUAVA 2MB PRM / SANTAREM 2MB PR/PE-RECIFE 8MB PRM / GUARATINGUETÁ 2MB PRM / SANTO ÂNGELO 2MB PR/PI-TERESINA 4MB PRM / GUARULHOS 4MB PRM / SANTOS 4MB PR/PR-CURITIBA 16MB PRM / ILHEUS 2MB PRM / SÃO BERNARDO DO CAMPO 4MB PR/RJ-RIO DE JANEIRO 32MB PRM / IMPERATRIZ 2MB PRM / SÃO CARLOS 2MB PR/RN-NATAL 4MB PRM / IPATINGA 2MB PRM / SÃO JOÃO DA BOA VISTA 2MB PR/RO-PORTO VELHO 4MB PRM / ITAJAI 2MB PRM / SÃO JOÃO DEL REI 2MB PR/RR-BOA VISTA 4MB PRM / ITAPERUNA 2MB PRM / SÃO JOÃO DO MERITI 4MB PR/RS-PORTO ALEGRE 16MB PRM / JACAREZINHO 2MB PRM / SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 4MB PR/SC - FLORIANÓPOLIS 8MB PRM / JALES 2MB PRM / SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 4MB PR/SC - FLORIANÓPOLIS 8MB PRM / JARAGUÁ DO SUL 2MB PRM / SÃO MATEUS 2MB PR/SE-ARACAJU 8MB PRM / JAÚ 2MB PRM / SÃO MIGUEL D'OESTE 2MB PR/SP-SÃO PAULO 48MB PRM / JEQUIÉ 2MB PRM / SÃO PEDRO D'ALDEIA 2MB PR/TO-PALMAS 4MB PRM / JI-PARANÁ 2MB PRM / SERRA TALHADA 2MB PRM / ALTAMIRA 2MB PRM / JOAÇABA 2MB PRM / SETE LAGOAS 2MB PRM / ANÁPOLIS 2MB PRM / JOINVILLE 4MB PRM / SOBRAL 2MB PRM / ANGRA DOS REIS 2MB PRM / JUAZEIRO DO NORTE 2MB PRM / SOROCABA 2MB PRM / APUCARANA 2MB PRM / JUIZ DE FORA 2MB PRM / SOUZA 2MB PRM / ARAÇATUBA 2MB PRM / LAGES 2MB PRM / TABATINGA 2MB PRM / ARAPIRACA 2MB PRM / LAJEADO 2MB PRM / TAUBATÉ 2MB PRM / ARARAQUARA 2MB PRM / LIMOEIRO DO NORTE 2MB PRM / TEÓFILO OTONI 1MB PRM / ASSIS 2MB PRM / LONDRINA 4MB PRM / TERESÓPOLIS 2MB PRM / BAGE 2MB PRM / LUZIÂNIA 1MB PRM / TRÊS LAGOAS 2MB PRM / BARRA DO GARÇAS - MT 1MB PRM / MACAÉ 2MB PRM / TUBARÃO 2MB PRM / BARREIRAS 2MB PRM / MAFRA 2MB PRM / TUPÃ 2MB PRM / BAURU 4MB PRM / MANHUAÇU 1MB PRM / UBERABA 2MB PRM / BENTO GONCALVES 2MB PRM / MARABÁ 2MB PRM / UBERLÂNDIA 2MB PRM / BLUMENAU 4MB PRM / MARÍLIA 2MB PRM / UMUARAMA 2MB PRM / BRAGANÇA PAULISTA 2MB PRM / MARINGÁ 4MB PRM / UNIÃO DA VITÓRIA 2MB PRM / CAÇADOR 2MB PRM / MONTES CLAROS 2MB PRM / URUGUAIANA 2MB PRM / CÁCERES 2MB PRM / MOSSORÓ 2MB PRM / VARGINHA 2MB PRM / CACHOEIRA DO SUL 2MB PRM / NITEROI 4MB PRM / VITÓRIA DA CONQUISTA 2MB PRM / CACHOEIRO ITAPEMIRIM 2MB PRM / NOVA FRIBURGO 2MB PRM / VOLTA REDONDA 4MB PRM / CAICÓ 2MB PRM / NOVO HAMBURGO 4MB PRM /DIVINÓPOLIS 2MB PRM / CAMPINA GRANDE 2MB PRM / OURINHOS 2MB PRM/ SINOP 2MB PRM / CAMPINAS 4MB PRM / PARANAGUÁ 2MB PRM-PARAGOMINAS-PA 1MB PRM / CAMPO FORMOSO 2MB PRM / PARANAVAÍ 2MB PRM-REDENÇÃO-PA 1MB PRM / CAMPO MOURÃO 2MB PRM / PASSO FUNDO 4MB PRR 1ª-BRASÍLIA 16MB PRM / CAMPOS DOS GOYTACAZES 4MB PRM / PASSOS 2MB PRR 2ª-RIO DE JANEIRO 16MB PRM / CANOAS 2MB PRM / PATO BRANCO 2MB PRR 3ª-SÃO PAULO 16MB PRM / CARUARU 2MB PRM / PATOS 1MB PRR 4ª-PORTO ALEGRE 16MB PRM / CASCAVEL 2MB PRM / PATOS DE MINAS 2MB PRR 5ª-RECIFE 8MB Figura 17 - Rede nacional do MPU Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 29 de 128

30 Figura 18 - Unidades que possuem link de contingência Link Destino Velocidade Frame Relay Acessos ao INFOSEG, DATAPREV, SERPRO SIAFI Gerencial, e DPF 1Mb Enlaces de rede sem fio Acessos TSE (PGE) 54Mb Enlaces de rede sem fio Acesso Assessoria de Articulação Parlamentar da Câmara dos Deputados - ASSART 54Mb Unidades Participantes Figura 19 Links Extranet O inventário de equipamentos foi uma atividade que envolveu todas as Unidades do MPF, porém até o fechamento deste documento, as informações das seguintes unidades não foram recebidas: PR/AP PR/DF PR/MT PR/RO Mecanismo de documentação e atualização de informações Neste levantamento foram identificados os principais itens de configuração que compõe os serviços de TI prestados pelo MPF. Com o objetivo de armazenar estas informações e promover uma atualização permanente, faz-se necessário uma estratégia eficaz de gerenciamento de configuração. De acordo com as melhores práticas do gerenciamento da infraestrutura de TI (ITIL), o gerenciamento de configuração tem como objetivo manter informações atualizadas acerca dos itens de configuração da instituição e serviços prestados. O levantamento destas informações proporciona à instituição informações atualizadas Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 30 de 128

31 para o gerenciamento eficiente de incidentes e problemas e rastreabilidade quanto às alterações na infraestrutura e controle de versões. O armazenamento destas informações deverá ser feito em um banco de dados de gerenciamento de configurações (configuration management data base- CMDB) que consiste em um banco de dados que contém um registro de todos os itens de configurações associados à infraestrutura. A implantação de um CMDB proporciona um ponto de entrada único de informação tanto para provedores de dados quanto para consumidores. Gerenciamento de incidentes Gerenciamento de ativos Gerenciamento de problemas Gerenciamento dos níveis de serviço Equipamentos de TI Softwares Sistemas CMDB Infraestrutura Canais de comunicação Contratos Gerenciamento de incidentes Gerenciamento de mudanças Gerenciamento de impacto nos serviços Figura 20 - Banco de dados de gerenciamento de configurações (CMDB) A fim de manter um CMDB atualizado, é importante que ao serem feitas mudanças na infraestrutura, os itens de configuração associados também sejam registrados no CMDB. Isso permite à instituição ter melhor controle sobre a infraestrutura de TI, incluindo a monitoração e controle de licenças de software. A implantação do processo de gerenciamento de configuração no MPF está previsto no planejamento de ações de TI para o ano de 2014, e consiste em uma iniciativa racionalizadora, vinculada à criação do Centro de Serviços Compartilhados. A implantação do processo de gerenciamento de configurações contempla as seguintes etapas: 1. Planejamento Figura 21 - Processo de gerenciamento de configurações Planejamento e definição do escopo, objetivos, políticas, procedimentos, contexto técnico e organizacional para o gerenciamento da configuração. Definir a estratégia, políticas e objetivos da gestão de configuração. Analisar as informações disponíveis e definir recursos, papéis e responsabilidades, ferramentas necessárias. Definir o local onde serão armazenadas as informações. Definir como serão as outras fases do processo Definir escopo do CMDB (hardware, software, documentos, acordos de nível de serviço, serviços, áreas). Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 31 de 128

32 2. Identificação Seleção e identificação das estruturas de configuração para todos os itens de configuração da infraestrutura, seus proprietários, seus inter-relacionamentos e documentação de configuração. Incluem a alocação de identificadores para os itens de configuração, suas versões e documentação. Selecionar os itens de configuração que serão controlados no CMDB. Garantir que os itens de configuração estejam unicamente identificados para isto deve-se utilizar a mesma identificação gerada a partir das informações coletadas no sistema ASI Web. Definir o nível de detalhamento do CMDB. Identificar os relacionamentos entre os itens de configuração. Determinar a profundidade de informação de cada item de configuração (hierarquia). Criar convenção de nomes dos itens de configuração. Definir os atributos dos itens de configuração (status, localização, número de série, etc.). Popular o CMDB. 3. Controle Garantia de que somente os itens de configuração autorizados e identificados serão aceitos e registrados desde o recebimento até o descarte. Controlar itens de configuração e acesso ao CMDB (físico e lógico). Garantir a representação correta dos itens de configuração no CMDB. 4. Registro e Histórico do Status Relatório de todos os dados atuais e históricos relacionados a cada item de configuração durante todo o ciclo de vida. Permite que mudanças nos itens de configuração e seus registros sejam rastreados (exemplo: desenvolvimento, teste, produção, retirado) Armazenar dados atuais e do passado. Definir códigos de status dos itens de configuração (status). Gerenciar o ciclo de vida dos itens de configuração (planejado, recebido em estoque, testado, implementado, operacional, em manutenção e desativado). Criar e avaliar os modelos de referência (baseline), ou seja, o ponto específico do tempo de um item de configuração, que permite ser retomado em uma data posterior. 5. Verificação e Auditoria Qualidade da configuração é controlada por meio de uma série de revisões e auditorias que verificam a existência física dos itens de configuração e se estão registrados corretamente. Verificar e auditar informações no CMDB para garantir que somente itens de configuração autorizados estejam registrados. 6. Relatórios e Indicadores Avaliar a eficiência e efetividade do processo de gerenciamento de configuração através de relatórios e indicadores. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 32 de 128

33 5.5. Perfil dos recursos humanos de TI Abordagem para inventário Para apoiar as estratégias organizacionais mais efetivamente, a área de TI deve determinar os recursos humanos, orientados pelos objetivos estratégicos da instituição. Visando melhorar o aproveitamento dos recursos humanos da área de TI do MPF, foi realizado o levantamento do perfil dos recursos humanos de TI envolvendo todos os servidores ocupantes de cargos de tecnologia da informação ou lotados em setores de tecnologia da informação. As informações que compõem o levantamento foram retiradas do sistema de RH do MPF (GPS Hórus), que contém informações básicas dos servidores como nome, matrícula, , entre outras. Também foi enviado para cada um dos servidores um questionário com perguntas referentes aos seus conhecimentos técnicos e de idiomas, certificações, funções exercidas anteriormente e funções exercidas atualmente. Essa abordagem teve como objetivo mapear o conhecimento e as habilidades dos servidores de TI que participaram da pesquisa. O colaborador ideal é aquele que se encontra na interseção dessas duas competências, ou seja, possui tanto habilidades como conhecimento (conforme Figura 11 abaixo) para agregar o máximo de valor para a instituição. Os colaboradores que se encontram fora dessa faixa merecem atenção para que sejam treinados e possam, com tempo, serem encaixados nessa faixa junto aos outros colaboradores. Conhecimento Colaborador Habilidade Figura 22 - Abordagem do Levantamento de RH Com relação à dimensão Conhecimento, foram utilizadas questões referentes a idiomas, certificados, graduação, pós graduação, cursos e treinamentos relevantes e conhecimento técnico. As questões relacionadas às Habilidades dos servidores tinham o objetivo de captar todas as experiências na área de TI que o respondente possui. De modo geral, tentou-se analisar as funções desempenhadas antes de entrar no MPF e as atividades exercidas atualmente no MPF. O resultado deste levantamento possibilitou a elaboração de um relatório analítico do perfil dos recursos humanos de TI do MPF. Com base nesse relatório foram propostos para cada servidor que participou do levantamento, possíveis cenários de alocação dentro do novo Modelo de Atuação da TI do MPF Mecanismo de documentação e atualização A cada 12 meses a gestão de pessoas da TI deve rever seus indicadores e suas ações/iniciativas alinhadas ao planejamento estratégico da TI. Esta atualização deve ocorrer no máximo a cada 12 meses, ou sempre que existir alterações no planejamento estratégico. A cada 24 meses é necessário reavaliar os processos e principais ações críticas levando em consideração principalmente as questões de conhecimento e habilidade. Este é um procedimento que deve ocorrer Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 33 de 128

34 tempestivamente. Sendo assim, cabe à área de gestão de pessoas estabelecer o processo e as informações que deverão ser atualizadas. Além disso, é importante rever as atribuições da gestão de pessoas também de forma tempestiva. Sempre considerando que o modelo de gestão de pessoas deve estar alinhado ao que foi definido no planejamento estratégico de TI Resultados O levantamento de RH ocorreu através de uma pesquisa individual sobre os conhecimentos e habilidades de cada servidor. O resultado dessa pesquisa foi um montante de 495 respostas de um total de 690 servidores. Para os servidores que não responderam a pesquisa, será feito um questionário individual para que seja respondido e referendando pelo coordenador local da unidade. Os principais resultados obtidos desse levantamento foram possíveis cenários para alocação na nova estrutura funcional da TI do MPF, banco de talentos para projetos e porcentagem da alocação de funcionários em TI (identificando possíveis desvios funções). Observa-se que 37% dos servidores de TI possuem até 5 anos de trabalho no MPF e 63% dos funcionários estão a mais de 5 anos no MPF. Funcionários que ficam mais de 5 anos na instituição significam servidores estáveis em suas funções e com baixa probabilidade de saída para outras instituições. Um plano de ação deve existir para manter talentos e motivar a permanência com oportunidades em projetos e treinamentos de servidores com menos de 5 anos no MPF. Funcionários com menos de 5 anos de MPF 37% Funcionários com mais de 5 anos de MPF 63% Figura 23 - Tempo de casa Dentre os 357 técnicos que responderam ao questionário, 157 possuem pós-graduação (especialização, MBA, mestrado e doutorado). Isto significa que existem técnicos com grau de conhecimento maior não somente em matérias de Tecnologia da Informação, mas em outras áreas de conhecimento que podem agregar valor à área de TI se forem alocados em atividades ou projetos que necessitem maior conhecimento de outros assuntos. Técnicos com pósgraduação 44% Técnicos sem pósgraduação 56% Figura 24 Nível de instrução Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 34 de 128

35 Dentro dos 495 respondentes, existem 138 funcionários que não atuam em tarefas atribuídas ao cargo, representando um total significante de 28% (conforme figura abaixo). 72% 28% Não atua em tarefas atribuídas ao cargo Atua em tarefas atribuídas ao cargo Figura 25 - Servidores de TI atuando ou não em tarefas atribuídas ao cargo Cenários propositivos de alocação: Levando em consideração o conhecimento e as habilidades de cada um dos funcionários que responderam ao questionário foram calculados possíveis cenários de alocação na nova estrutura da TI. Os cenários de alocação foram identificados conforme as respostas de cada um dos servidores de TI. Para cada uma das questões atribuiu-se nota de valor 1 para o cálculo das notas. Dessa forma, foram utilizadas essas pontuações por questão para calcular as porcentagens de respostas em cada área para cada um dos servidores. Os temas como certificação e conhecimento técnico foram abordados exaustivamente com o máximo de opções existentes atualmente no mercado de TI. Dessa forma, um resultado com valor próximo a 70 pode ser considerado uma nota alta (relativa a uma nota com valor de 100). As questões foram selecionadas de acordo com a pesquisa aplicada (as questões aplicadas para cada um dos cenários de alocação e o questionário completo aplicado encontram-se anexo a este documento). Escritório de Projetos Baixo índice de conhecimento e assuntos relacionados à escritório de projetos Baixa participação em funções relacionadas a escritório de projetos Escritório de Projetos Notas entre 60 e 30 Notas entre 20 e 0 Para o escritório de projetos, as notas das respostas não passaram do valor de 60. Apenas um montante de 4% do total de respondentes está numa faixa de notas entre 60 e 30. 4% 96% Figura 26 - Notas para o escritório e projetos Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 35 de 128

36 Escritório de Governança Baixo índice de conhecimento e assuntos relacionados à escritório de governança Baixa participação em funções relacionadas a escritório de governança Escritório de Governança Notas entre 50 e 17 Notas entre 16 e 0 3% Para o escritório de governança, apenas 3% do total de funcionários respondentes possuem notas entre 50 e % Figura 27 - Notas para o escritório de governança Segurança da Informação Baixo índice de conhecimento e assuntos relacionados à segurança da informação Área de Segurança da Informação Notas entre 50 e 30 Notas entre 30 e 0 Para as questões voltadas à área de segurança da informação, o percentual das notas entre 50 e 30 foi de 5% do total de respondentes, o restante ficou com notas abaixo de % 5% Figura 28 - Notas da área de segurança da informação CSC/Suporte Local/Central de Serviços Alto conhecimento neste assunto entre os servidores de TI CSC / Suporte Local / Central de Serviços Notas entre 50 e 30 Notas entre 29 e 0 Nas atribuições necessárias ao Central de Serviços Compartilhados, Suporte Local e Central de Serviços, observa-se um percentual maior de pessoas com conhecimentos e habilidades voltados a essas áreas. 91% 9% Figura 29 - Notas do CSC/Suporte Local/Central de Serviços Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 36 de 128

37 Relacionamento 6% dos respondentes com notas superiores a 30 atuam ou já atuaram ou como analista de negócio ou como consultor de processos de negócio Área de Relacionamento Notas entre 100 e 30 Notas entre 29 e 0 Observa-se um maior número de respondentes com notas próximas à 100, ou seja, existem respondentes com as habilidades necessárias para a área de relacionamento. 6% 94% Figura 30 - Notas da área de relacionamento Desenvolvimento de Sistemas Mesmo com notas abaixo de 40, 86% dos respondentes possuem pelo menos 1 conhecimento no tema de desenvolvimento de sistemas Desenvolvimento de Sistemas Notas entre 40 e 20 Notas entre 19 e 0 Observa-se que as notas resultantes foram mais baixas que 50. Uma das principais explicativas para este tipo de acontecimento é o fato de existirem muitos itens de conhecimento tornando esta uma área muito ampla de opções de mercado. 84% 16% Figura 31 - Notas de desenvolvimento de sistemas De forma geral, observa-se que a maior parte dos servidores de TI possui conhecimento em diversas áreas de alocação, entretanto observa-se a necessidade de treinamentos específicos para os servidores de TI nos principais temas aqui mencionados como gerenciamento de projeto, tópicos, boas práticas e frameworks em segurança da informação, banco de dados, redes de sistemas, suporte, operações, tópicos e frameworks de governança da informação, processos de negócio, metodologias e ferramentas de desenvolvimento de software Catálogo de serviços de TI Abordagem para inventário Serviço de tecnologia da informação é o resultado da união de pessoas, processos e produtos, agrupados para entregar valor aos clientes e auxiliar no desempenho de suas funções. O catálogo de serviços de TI do MPF é um documento de comunicação com informação sobre todos os serviços de TI em produção na TI Nacional, incluindo aqueles disponíveis para implantação. O Catálogo de serviços de TI do MPF está dividido nas seguintes categorias: 1. Correio Eletrônico e Comunicação manutenção do serviço de correio eletrônico, criação de caixa postal e suporte a serviços de comunicação. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 37 de 128

38 2. Rede Nacional do Ministério Público da União - uso e manutenção dos recursos da rede nacional do Ministério Público da União. 3. Sistemas de Informação em produção - relação dos sistemas de informação disponíveis para os usuários do Ministério Público Federal. 4. Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas de Informação - solicitação de acesso a sistemas de informação em produção, de desenvolvimento de novos sistemas ou de manutenção em sistemas existentes. 5. Segurança da Informação - emissão de certificados digitais, configuração de acesso remoto seguro e demais serviços relacionados à proteção da informação. 6. Suporte de Serviços - manutenção da infraestrutura de suporte aos serviços disponíveis nas redes locais do Ministério Público Federal. 7. Suporte Operacional - solução de dúvidas e comunicação de problemas relacionados ao uso de equipamentos, sistemas e softwares aplicativos disponíveis para os usuários das redes locais do Ministério Público Federal. 8. Suporte Técnico-administrativo - serviços de gestão de contratos; elaboração de projetos básicos, termos de referência e relatórios técnicos; gestão do orçamento de tecnologia da informação do Ministério Público Federal e outras atividades de natureza técnico-administrativa; 9. Treinamentos - cursos oferecidos aos usuários finais da Procuradoria Geral da República e aos usuários técnicos das unidades do Ministério Público Federal Mecanismo de documentação e atualização de informações As atividades para a elaboração e manutenção do Catálogo de Serviços de TI são: 1. Definição dos Serviços Envolvimento da TI Envolvimento da área de Negócios O que fazemos? O que podemos obter da TI? 2. Gerenciamento dos Níveis de Serviço Envolvimento da TI Envolvimento da área de Negócios Como os serviços serão medidos? Quais são os requerimentos do serviço? 3. Operacionalização do Modelo de Serviço Envolvimento da TI Envolvimento da área de Negócios Como trabalhamos? Como obtemos serviços? Figura 32 - Atividades de elaboração e manutenção do Catálogo de Serviços de TI 1. Definição dos Serviços - Serviços de TI são identificados e acordados. 2. Gerenciamento dos Níveis de Serviço - Processos de entrega de serviços e medidas de sucesso são desenvolvidas e os proprietários definidos. 3. Operacionalização do Modelo de Serviço - Mecanismo de aquisição de serviços com Acordos de nível de serviço simplificados, padronizados e automatizados Catálogo de Serviços impresso O Catálogo de Serviços de TI do MPF, no formato impresso, têm os seguintes campos: Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 38 de 128

39 Figura 33 - Modelo impresso do Catálogo de Serviços de TI Descrição do Serviço - Informações sobre o serviço, suas características e aplicabilidade Escopo do Serviço - Explica o que é contemplado e o que não é contemplado pelo serviço Forma de Solicitação - Informações sobre o mecanismo de solicitação do serviço Responsabilidades do cliente - Informações sobre as responsabilidades do usuário na utilização do serviço Normas Aplicáveis - Informações sobre as regulamentações aplicáveis para a utilização do serviço Contratos - Informações sobre se o serviço é prestado com o apoio de contratos ou convênios Acordo de Nível de Serviço - Informações sobre o tempo de entrega, disponibilidade e desempenho do serviço, divididos em quatro critérios: o o o o o Horário de atendimento - descrição do horário que o serviço pode ser solicitado em condições normais Tempo de atendimento - tempo máximo de atendimento à solicitação do serviço Prazo de conclusão - após registro indica o tempo máximo de atendimento à solicitação do serviço Disponibilidade - metas de disponibilidade dentro do horário de serviço acordado Serviços por Unidades e respectivas formas de solicitação indica quais Unidades do MPF prestam o serviço e a respectiva forma de solicitação deste serviço em cada Unidade. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 39 de 128

40 Catálogo de Serviços eletrônico As informações a serem publicadas no catálogo de serviços eletrônico constam no documento em anexo Catalogo_de_Serviços_PwC_MPF Análise de Defasagem Este capítulo traz os principais pontos analisados após os resultados das atividades 1, 2, 3 e 6 descritas acima. Os pontos de atenção apresentados nos itens abaixo estão subdivididos pelas atividades e serviram como insumo para criação das iniciativas de projetos, que tem como principal objetivo reduzir os riscos atuais da TI do MPF, bem como alavancar a maturidade dos processos e atividades Atividade 1 A área de TI do MPF possui uma estrutura descentralizada, onde as informações corporativas estão distribuídas em diferentes esquemas relacionais de bancos de dados, manipuladas por um ou mais sistemas de informação. Dentre os principais problemas encontrados na instituição destacam-se: Há uma massa de dados cada vez maior na instituição que muitas vezes não representa a realidade, e falta controle acerca destas informações. Há falta da figura do Administrador de Dados para o MPF. Falta de um repositório de tabelas acessíveis ao MPF como um todo. Há falta de reuniões com discussão com as áreas envolvidas no início de novos projetos Atividade 2 Após o levantamento da arquitetura tecnológica junto às unidades do MPF, identificaram-se defasagens listadas abaixo: Falta de um padrão de arquitetura de software e hardware Depois de realizado o inventário nas unidades, verificou-se a falta de uma arquitetura de software e hardware padrão nas unidades do MPF. Este fato contribui para a existência de silos de informação ou falta de interação entre as unidades de TI. Uma TI Nacional padronizada, promove a discussão acerca de problemas conhecidos e consequentemente melhora o conhecimento dos servidores de TI acerca da estrutura de hardware e software do MPF. Ausência do processo de gerenciamento de configuração A ausência de um processo de gerenciamento de configuração tem como consequência para o MPF: Ausência de um modelo lógico de infraestrutura, o que acarreta em versões diferentes do mesmo software em diferentes unidades do MPF. Impossibilidade de determinar o que aconteceu com um programa, ou parte dele. Impossibilidade de determinar quem, porque e quando foram efetuadas modificações. Maior dificuldade na resolução de incidentes e problemas devido à falta de informações acerca da infraestrutura. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 40 de 128

41 Atividade 3 O inventario de RH identificou necessidades atuais que resultaram em iniciativas para o Plano Diretor de TI. Os principais pontos de atenção identificados, e que elencaram as iniciativas, nesta atividade foram: Necessidade de maior entendimento das necessidades do negócio para propor soluções Melhor comunicação com os usuários, treinamento e capacitação dos servidores Criação e atualização de um banco de talentos e coordenação de recursos humanos de TI para alocação dos servidores em projetos Atividade 6 A falta de um catálogo de serviços no MPF permitiu identificar a falta de informação dos usuários acerca das atividades executadas pela TI Nacional. Estas informações são necessárias para comunicar como a TI pode ajudar os clientes internos e os usuários na execução de suas atividades, além de ratificar a TI Nacional como essencial para a Instituição. Por tratar-se de uma estrutura descentralizada de TI, verificou-se também a desinformação dos usuários acerca dos serviços prestados por outras unidades. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 41 de 128

42 6. Planejamento Estratégico de TI 6.1. Mapa Estratégico da TI O Mapa Estratégico de TI foi elaborado por meio de uma relação direta com o PEI - Planejamento Estratégico Institucional, o principal direcionador do trabalho. O Mapa Estratégico de TI foi construído por meio de oficina específica e aprimorado por sucessivas avaliações de profissionais especializados e alta administração da área de TI, mantendo, no entanto a essência dos objetivos estratégicos e seus princípios elencados pelos profissionais da instituição. Figura 34 - Mapa Estratégico de TI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 42 de 128

43 Gestão da Unidade Gestão COE Gestão Nacional 6.2. Modelo de Atuação Para atender às necessidades da instituição de forma eficiente, faz-se necessário um modelo de atuação integrado nacionalmente e que promova agilidade na prestação de serviço e alinhamento às necessidades da instituição. Um novo modelo de atuação foi proposto no PETI conforme as figuras abaixo. Cliente Incidentes Operação Escritório de Projetos Desenvolvimento de Soluções Central de Serviços CSC Infraestrutura Infraestrutura Escritório de Governança Centro 1 Centro 2 Centro n Cliente Relacionamento Desenvolvimento Local Infraestrutura e suporte Local Requisições Figura 35 - Modelo Conceitual de Relacionamento da TI STI Escritório de Governança Escritório de Projetos Central de Serviços Desenvolvimento Nacional CSC PGR / PRR / PR CI s CI s CI s Relacionamento Desenvolvimento Local Suporte e Infra Local Centros de Excelência Centros de Excelência Centros de Excelência TI Central Unidade Centros de Excelência Centro de Serviços Compartilhados Figura 36 Estrutura funcional da TI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 43 de 128

44 O novo modelo proposto no Planejamento Estratégico de TI PETI apresenta um modelo de gestão organizado por meio de 3 dimensões principais: Gestão Nacional O modelo em desenvolvimento proporcionará para toda a instituição, políticas nacionais para desempenho uniforme dos profissionais da TI, gestão segura e democrática de projetos que agreguem valor no âmbito nacional, central de serviços unificada que propicie a gestão do atendimento, processo contínuo de saneamento de problemas e um centro de serviços compartilhado CSC que consolide a infraestrutura tecnológica de toda a instituição no menor número possível de localidades, propiciando redução de custos e continuidade da operação nos casos de contingências. Centros de Excelência Estrutura com especialização em diferentes segmentos da TI, propiciando a sinergia dos profissionais da área e agilidade no desenvolvimento de soluções inovadoras relacionadas às competências de cada área. Unidades Modelo que preserve a autonomia de atuação das unidades por meio de coordenadores de TI, mas em consonância com as políticas estabelecidas pela Gestão Nacional. O modelo de atendimento será dimensionado de acordo com a característica das unidades Roadmap de implementação do PETI Os projetos/ iniciativas do PETI foram classificados na estrutura de roadmap de acordo com as seguintes características: Estruturantes: Projetos que permitem à organização estabelecer mecanismos de melhoria contínua em sua gestão. Potencializadores: Projetos que potencializam a área de TI e organizam as ações para atender às demandas e agregar valor ao negócio. Racionalizadores: Projetos ou iniciativas que de alguma forma atuam como racionalizadores para a área de TI. A racionalização esta diretamente ligada à otimização dos recursos para realizar uma determinada atividade. Institucionais: Projetos com abrangência institucional, ou seja, aqueles que têm impacto direto a todas as áreas do MPF. Tanto a análise de precedências quanto a priorização das iniciativas baseada em benefícios e esforço foram consideradas pela PwC em conjunto com a equipe técnica da STI para proposição do plano de ação. O resultado dessa avaliação consolidou um mapa definido em curto, médio e longo prazo de implementação. As iniciativas de curto prazo são as priorizadas para a implementação em 2 anos, a de médio prazo em 6 anos e a de longo prazo em 8 anos. O resultado dessa priorização está representado na figura abaixo. Dessa forma, as iniciativas de curto prazo são os projetos que deverão ser realizados no universo temporal de 2 anos e que são tratados neste documento. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 44 de 128

45 Institucionais Estratégicos Potencializadores Benefício P10 MPF Digital P2 Sistema Único P9 Wiki do MPF Curto Médio Longo G Relacionamento P6 Processo Eletrônico P4 Sistema de Ouvidoria P8 Portal da Transparência H Comunicação Racionalizadores P5 Sistema de Informações Gerenciais J Suporte Local D Centro de Serviços Compartilhados M Gestão de Pessoas P7 Portal Único P1 Sistema de RH F Centros de Excelência B Desenvolvimento de Soluções Esforço P11 e-mpf E Escritório de Governança P3 Gestão da Informação A Escritório de Projetos Estruturantes K Segurança da Informação I Arquitetura e Inovação C Central de Serviços L Acompanhamento PETI/PDTI Figura 37 - Roadmap de implementação das iniciativas do PETI (curto prazo) Longo Médio Curto Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 45 de 128

46 TI para a TI TI para o MPF 7. Iniciativas de TI 7.1. Necessidades de TI As iniciativas foram desdobradas ou agrupadas considerando o que o projeto deverá fazer para que a TI consiga alcançar os benefícios esperados com a iniciativa. TI Para o MPF Ações ou iniciativas da TI que tem impacto direto ou indiretamente nas áreas fim, meio ou sociedade. Plano diretor de TI TI por TI Foco em atividades estruturantes para gestão e melhoria na qualidade dos serviços prestados pela TI do MPF. Figura 38 - Beneficiários das ações das iniciativas Para construção e organização das iniciativas foram utilizadas as 6 principais fontes de informação sobre as necessidades de TI, conforme mostra a figura abaixo: Planejamento Estratégico Institucional. Mapas Temáticos das CCRs, função eleitoral e corregedoria. Painéis de Contribuição das Secretarias e Assessorias, PRs e PRRs. Planejamento Estratégico de TI PETI. Ações planejadas ou em andamento na PGR (STI) e nos estados (CIs). Inventários de TI (dados e informações, tecnologias, recursos humanos e serviços). PEI Mapas Temáticos Painéis de Contribuição PDTI Inventários de TI Projetos Atuais PETI Figura 39 - Fontes de informação para iniciativas do PDTI. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 46 de 128

47 Cada uma das iniciativas do PDTI está categorizada, priorizada e distribuída nas dimensões acima. Tanto a análise de precedências quanto a priorização das iniciativas baseada em benefícios e esforço foram consideradas pela PwC em conjunto com a equipe técnica da STI para proposição do plano de ação. O resultado dessa avaliação consolidou um mapa definido em curto, médio e longo prazo de implementação. As iniciativas de curto prazo são as priorizadas para a implementação em 2 anos, a de médio prazo em 6 anos e a de longo prazo em 8 anos. O resultado dessa priorização gerou a lista de iniciativas que estão agrupadas nas dimensões abaixo. Dessa forma, as iniciativas de curto prazo são os projetos que deverão ser realizados no universo temporal de 2 anos e que são tratados neste documento Categorização das iniciativas TI para o MPF PEI 7 Mapas Temáticos 6 PDTI Painéis de Contribuição 8 TI para a TI Inventários de TI 5 79 Ações planejadas ou em andamento 17 PETI 36 Figura 40 - Distribuição das iniciativas nas dimensões Os projetos e ações voltadas ao negócio foram organizados em 35 iniciativas que serão executadas ao longo dos anos de 2013 e 2014 (algumas estendendo-se para após esta data). Área meio do MPF Área fim do MPF Sociedade Eficiência Operacional Comunicação e Conhecimento Inovação 3 1 # Quantidade de iniciativas por categoria Figura 41 - Classificação das iniciativas Beneficiário VS Resultado Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 47 de 128

48 Nota: iniciativas propostas em painéis de contribuição e mapas temáticos, em geral, são de natureza operacional e voltadas a pequenas melhorias sistêmicas, ou já estão endereçadas pelas iniciativas estratégicas originadas pelo PEI. Os projetos e ações voltadas à estruturação da TI foram organizados em 44 iniciativas que serão executadas ao longo dos anos de 2013 e TI Nacional TI da Unidade Governança de TI 36 4 Arquitetura de TI 3 Segurança 1 # Quantidade de iniciativas por categoria 7.3. Plano de Ação Figura 42 - Classificação das iniciativas - beneficiário vs dimensão Critérios de priorização e categorização das iniciativas Para distribuição e priorização das iniciativas nos 2 anos do Plano diretor, foram utilizados os seguintes critérios: Complexidade Grau de complexidade para implementação da iniciativa frente a estrutura e recursos atuais do MPF. Beneficio Estimativa de beneficio alcançado com a implementação da iniciativa. Iniciativa Existente Se já existe atualmente alguma ação relacionada à iniciativa que facilite a sua impplementação. Figura 43 - Critérios de priorização das iniciativas Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 48 de 128

49 Plano de implementação das iniciativas Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 49 de 128

50 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 50 de 128

51 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 51 de 128

52 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 52 de 128

53 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 53 de 128

54 TI para a TI TI para o MPF Figura 44 - Plano de implementação das iniciativas Iniciativas derivadas do PEI As iniciativas listadas abaixo foram elaboradas a partir dos projetos estratégicos da TI do MPF que de alguma forma já estavam planejados ou já estão em andamento. Os projetos e iniciativas listadas abaixo são resultado de uma analise de prioridade e benefício, que teve como principal objetivo analisar todos os projetos do PEI (Planejamento Estratégico Institucional), e identificar os projetos estratégicos que necessitam ser implementados até o final do período do PDTI (2014). PEI Mapas Temáticos Painéis de Contribuição PDTI Inventários de TI Projetos Atuais PETI Figura 45 - Iniciativas derivadas do PEI Iniciativas derivadas do PEI E1 Sistema Único O Único é um sistema para agilizar e unificar o trâmite de documentos judiciais e administrativos visando proporcionar uma visão consolidada para a alta administração, de forma a proporcionar meios de responder a questões estratégicas e a melhoria qualitativa da gestão do MPF. E1.1 Sistema Único Ações complementares Unidade Ação planejada ou em andamento Descrição PGR Análise da implantação das tabelas do CNMP no Sistema Único. Verificação da compatibilidade das tabelas de taxonomia do CNMP com as do Sistema Único. PGR Aperfeiçoamento do sistema de consulta do Único - GCONS (PNTI). Criação de nova versão do sistema GCONS, em atendimento aos requisitos de melhorias. PGR Aptus Administrativo. Pesquisa textual na base de documentos administrativos do Sistema Único. PGR Aptus Light. Versão para Internet do sistema de pesquisa Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 54 de 128

55 E1.1 Sistema Único Ações complementares textual Aptus. Unidade Ação planejada ou em andamento Descrição PGR Auxílio na implantação do sistema GCONS clientes: AGU e CNMP. Apoio aos órgãos para implantação do sistema GCONS em suas instalações. PR/BA Distribuição de autos judiciais - Portaria PGR 501/2011. Alterar, testar e implantar a rotina de distribuição de autos judiciais do Único para atender os requisitos da portaria PGR 501/2011. PR/GO Implantação do processo eletrônico. Implantação do processo eletrônico para o Sistema Único. PR/MT Distribuição automática. Implementar a rotina de distribuição automática, conforme determinação do colégio de procuradores. PR/PA Digitalização, indexação e autenticação na entrada de documentos nas PRMs de Altamira, Marabá e Santarém. PR/PB Carga automática dos dados da Justiça Federal. PR/PE Aplicação Importação de Dados da Justiça Federal em Pernambuco. Padronização dos processos de digitalização, indexação e inclusão de documentos no Sistema Único nas procuradorias da República municipais em conformidade com os procedimentos adotados na PR/PA. Implementação de solução para realizar a carga automática dos dados dos 2 sistemas da JF (Creta e Tebas) no Sistema Único. A solução poderá ser utilizada em todas as unidades da 5ª Região, a depender de acordo de cooperação técnica firmado entre as partes, possivelmente através da PRR5. Testar e implantar solução de importação de dados do Sistema Único. Reduzir o volume de digitação de informações no sistema Único quando da entrada de um auto judicial. PR/PE Guia eletrônica Único. Pesquisar e implementar solução que permita o recebimento eletrônico de guias de movimentação do Sistema Único. PR/PE PR/PE Rotina de distribuição judicial afastamento e suspensão de membros. TI NACIONAL - GCONS: Gerador de Consultas do Sistema ÚNICO Fase 2. PR/PE TI NACIONAL - Servidor SOLR Único - documentos administrativos. PR/PE TI NACIONAL - Servidor SORL Único - performance (etiqueta e concentrador). PR/PE PR/PR TI NACIONAL Único: manifestação e providência em lote. Integração dos sistemas Único/Minuano/E- Proc. Adequação da rotina de distribuição de autos judiciais à reestruturação do controle de afastamentos de membros e suspensão de distribuição do Sistema Único. Desenvolver aplicação GCONS utilizando software homologado pela STI, implementando a segurança no acesso as informações (semelhante a do Único); alterar a forma de atualização dos objetos do GCONS para incremental. Preparação, instalação, testes e implantação de servidor SOLR para documentos administrativos a ser utilizado no formulário de Correlatos do Sistema Único. Estudo, preparação, testes e implantação de solução SOLR para melhorar o desempenho de pesquisas nos campos de etiqueta e concentrador do Sistema Único. Desenvolvimento no Sistema Único, de formulário para cadastramento de manifestação e providências em lote. A integração objetiva fazer uma pré-carga de dados no Sistema Único facilitando o trabalho dos operadores do Sistema Único. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 55 de 128

56 E1.1 Sistema Único Ações complementares Unidade Ação planejada ou em andamento Descrição PR/PR Manutenção da distribuição automática de autos judiciais. Embora já implantada as regras de distribuição bem como os procuradores participantes mudam em períodos menores que 1 trimestre, assim a Seção de Desenvolvimento de Sistemas tem este PR/RJ PR/RJ PR/RJ Auditoria nas regras de distribuição do Sistema Único. Implantação de distribuição automática de processos judiciais nas PRMs. Implementação do Processo Eletrônico no Sistema Único (em parceria com a STI/PGR). trabalho junto ao Único. Auditoria nas regras de distribuição do Sistema Único. Previsão Março/2013. Configuração e implantação da rotina de distribuição de autos judiciais no Sistema Único nas PRMs. Implantado em Fevereiro/2013. Implantado e sofrendo ajustes. PR/RJ Importação de Processos da Justiça Federal. Importação Automática de Processos da JF para o Sistema Único. Implantado em PR/RN Correções de erros no banco de dados do Sistema Único. Resolver inconsistências nos dados do Sistema Único, por meio de atendimento aos chamados do GLPI. PR/RN Alarme de Documentos Pendentes. Sistema de alarme de documentos pendentes de recebimento a mais de 30 dias no Sistema Único, com envio de alerta ao chefe do setor. PR/RR Distribuição automática de autos judiciais. Alterar, testar e implantar a rotina de distribuição de autos judiciais do Único para atender os requisitos da portaria PGR 501/2011. PR/RR Migração do serviço de suporte negocial do Único. Migração do serviço de suporte negocial do Único para a Coordenadoria Jurídica de forma a melhor atender os usuários do sistema. PR/SC Integração dos sistemas E-Proc x Único. Integração do processo eletrônico do TRF4 com o Sistema Processual do MPF (Único), nos estados de SC, PR e RS, através do webservice (Minuano) desenvolvido pela PR/RS e TRF4 e do desenvolvimento de transações pela PGR, PR/SC, PR/RS e PR/PR. PR/SC Sistema Único suporte. Atendimento e suporte de 1º nível aos chamados do Sistema Único. PR/SE PR/SP PRR1 Ajustes na distribuição automática de autos judiciais Carga dos processos da justiça federal no Único. Desenvolvimento da rotina de distribuição automática dos processos judiciais da PRR1. Ajustar a rotina, de maneira que seja possível configurar peso para determinado ofício dentro de um grupo. Desenvolver relatórios de distribuição automática judicial. Carga, no Único, dos autos vindos da Justiça Federal. Eliminará a redigitação de dados de ações e IPLs através de carga de dados diretamente da base de dados da JF. Adaptação da rotina de distribuição automática do Sistema Único para se adequar às regras definidas pela Portaria PRR1 Nº 119, de 19/11/2012. PRR1 Rotinas de migração do SCP para o Único. Desenvolvimento de rotinas em PL/SQL para migrar todos os dados de processos judiciais do SCP para o Único, adaptando-as às modificações feitas na base de dados do Único. PRR2 Distribuição automática Sistema Único. Implementar/implantar no Sistema Único a distribuição automática de autos judiciais, conforme regras de distribuição da unidade. PRR2 Importação de dados TRE-RJ Sistema Único. Implementar/implantar a importação dos dados, via webservices, dos dados dos processos do TRE- RJ no Sistema Único. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 56 de 128

57 E1.1 Sistema Único Ações complementares Unidade Ação planejada ou em andamento Descrição PRR2 Importação de dados TRF2 Sistema Único. Implementar/implantar a importação dos dados, via webservices, dos dados dos processos, das pautas e resultados de julgamento do TRF2 no Sistema Único. PRR2 Importação dos processos eletrônicos do TRF2 para o Sistema Único. Implementar/implantar a importação dos dados e peças dos processos eletrônicos, via webservices, do TRF2 para o Sistema Único. PRR2 Migração dos dados do SCP para o Sistema Implementar, utilizar e testar rotinas de migração Único. de dados do SCP para o Sistema Único PRR3 Único implantação. Implantar módulo judicial do Sistema Único. PRR3 Único migração. Migrar dados dos sistemas legados para o módulo judicial do Sistema Único PRR3 Único novas funcionalidades. Colaborar no desenvolvimento de novas funcionalidades do módulo judicial do Sistema Único para as regionais. PRR3 Único treinamento. Treinar usuários no módulo judicial do Sistema Único. PRR4 Único requisitos regionais. Desenvolvimento de requisitos necessários para implantação do Sistema Único nas regionais cotejo em lote. PRR5 Convênio com o TRF-5ª Região para carga automática dos dados da justiça federal. Firmar acordo de cooperação técnica com o TRF, a fim de possibilitar realização da ação promovida pela PR/PB que é a implementação de solução para realizar a carga automática dos dados dos 3 sistemas da JF (Creta, PJE e Convencional) no Sistema Único. PRR5 Sistema Único. Desenvolvimento da funcionalidade para registro PRR5 Sistema Único - implantação do Sistema Único- módulo judicial na PRR 5ª região. de informações pertinentes a autos sigilosos. Concluir as rotinas de migração de dados do sistema de controle processual da PRR5ª Região e do Sistema de Controle Processual Eleitoral e de Distribuição de Autos Judiciais. E2 Sistema de Ouvidoria Sistema destinado a auxiliar à implantação de política de atendimento ao cidadão nas unidades do MPF. A primeira etapa do sistema já está em produção, mas deverá evoluir para atender aos seguintes órgãos do MPF: PFDC, Corregedoria, SADP e Ouvidoria, passando a denominar-se Portal do Cidadão. E3 Processo Eletrônico Implementação do processo eletrônico nas unidades do MPF, bem como a tramitação desses processos entre a Instituição e os órgãos do Poder Judiciário. E4 Portal da Transparência Projeto destinado a aperfeiçoar o Portal da Transparência do MPF, disponibilizando dados de ordem administrativa e de atuação institucional de seus membros. E5 Wiki do MPF Projeto voltado à implantação da tecnologia Wiki no MPF, que busca organizar, gerenciar e compartilhar o conhecimento acerca das atribuições, atividades e rotinas. E5.1 Wiki do MPF Ações complementares Unidade Ação planejada ou em andamento Descrição PR-SC Instalação de ferramenta Wiki Instalação e adaptações de ferramenta Wiki para os usuários da PR/SC e PRMs. E6 MPF Digital Viabilizar a preservação da informação jurídica e administrativa, por meio de um repositório institucional, onde estarão contemplados documentos originários do MPF e de demais instituições. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 57 de 128

58 E7 Sistemas de Informações Gerenciais Fornecer informações gerenciais para diversas áreas do MPF, com vistas a subsidiar a tomada de decisão e facilitar o andamento de atividades de gestão. Tabela 2 - Iniciativas derivadas do PEI Iniciativas derivadas dos Mapas Temáticos Os mapas temáticos foram o desdobramento da estratégia no âmbito das 6 CCRs e PFDC. Os órgãos formularam mapas temáticos com seus objetivos estratégicos. O planejamento foi composto pelos mapas temáticos, portfólio detalhado de ações, indicadores de desempenho dos objetivos estratégicos e avaliação e distribuição das ações ao longo do tempo até Através dos mapas temáticos foram identificadas iniciativas que exigem envolvimento ou ações especificas da STI. Dessa forma, foram avaliadas essas iniciativas e transformadas em novas iniciativas para o Planejamento Estratégico de Tecnologia da informação. TI para o MPF Mapas Temáticos PEI PDTI Painéis de Contribuição TI para a TI Inventários de TI PETI Projetos Atuais Figura 46 - Iniciativas derivadas dos mapas temáticos O gráfico abaixo ilustra o processo de análise dos mapas temáticos, que resultou nos seguintes números: Mapas Temáticos Novas Iniciativas Estratégicas Ações relacionadas a TI Total de Projetos Analisados Figura 47 - Análise dos mapas temáticos Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 58 de 128

59 21 demandas de projetos oriundas dos Mapas Temáticos foram analisadas. Durante a análise, foi identificado que 19 demandas tinham envolvimento da STI. As 19 ações foram agrupadas em 5 temas e incluídas no plano de implementação do PDTI conforme demonstra tabela abaixo: Iniciativas derivadas dos Mapas Temáticos M1 Unidade 1ªCCR M2 Unidade 1ªCCR 2ªCCR 2ªCCR 3ªCCR 3ªCCR 4ªCCR 5ªCCR 5ªCCR 5ªCCR M3 Unidade 1ªCCR 1ªCCR 4ªCCR 5ªCCR CCRs e PFDC 1ª CCR 2ª CCR 3ª CCR 4ª CCR 5ª CCR 6ª CCR PFDC Manutenção / Atualização do parque tecnológico Arquitetura Iniciativa temática Modernizar a gestão da informação da 1ª CCR na área de TIC Desenvolvimento de ações para comunicação institucional Iniciativa temática Propor mapeamento acerca do fluxo de informação entre a 1ª CCR e os demais setores e unidades Comunicar a vítima e o representante (particular) da solução conferida ao procedimento extrajudicial ou inquérito policial quando do oferecimento da denúncia e do pedido de arquivamento. Publicar na internet o andamento dos procedimentos extrajudiciais e inquéritos policiais, bem como dos processos judiciais nas procuradorias. Administrar informações gerenciais e técnicas para apoio da atuação de membros e servidores. Divulgação nas novas mídias sociais: Facebook, Twitter e novas mídias em geral. Assegurar ao cidadão o acesso, através da internet, às fases do procedimento administrativo (PA, IC, PI). Disponibilizar, nas páginas da PGR e das diversas Procuradorias, vídeos tutoriais, ensinando o cidadão a acessar sites de transparência pública. Criar um cadastro nacional e divulgar anualmente, na página da 5ª CCR e na mídia em geral, o montante total de valores bloqueados em decisões judiciais oriundas de ações de improbidade propostas pelo MPF (sugestão de nome: Bloqueômetro do MPF ). Divulgar as principais ações promovidas pelo MPF na tutela da probidade e patrimônio público e resultados por meio delas obtidos (ex. mapa da improbidade). Apoio da TI às atividades institucionais - Eficiência Operacional Iniciativa temática Aperfeiçoar a estatísticas, acerca da atuação custos legis nas unidades dompf; sobretudo para identificar em nível nacional demandas relevantes e/ou recorrentes que possam ensejar adoção de medidas institucionais cabíveis no âmbito da Tutela Coletiva. Sistematizar as informações referentes à temática da 1ª CCR, para fácil acesso pela sociedade. Solicitar a criação de mecanismos no Sistema Único que possibilitem a extração de relatórios qualitativos e quantitativos sobre a atuação da 4CCR. Aprimorar grupos de , no âmbito estadual ou regional, coordenados pelos representantes da Câmara. BI Escopo comum: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. BI Escopo temático: Extração de dados para estudo das informações institucionais resultando na elaboração de informação para suporte à tomada de decisões gerenciais. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 59 de 128

60 TI para a TI TI para o MPF M4 Unidade Corregedoria Corregedoria M5 Unidade Corregedoria Corregedoria Corregedoria Recursos Humanos - Eficiência Operacional Iniciativa temática Aprimoramento da base de dados da atuação funcional dos membros para fins de promoção. Aprimoramento da base de dados pessoais dos membros e servidores dos MPF (lotação, celular e funcional). Atualização das ferramentas do usuário final Iniciativa temática Verificar as deficiências de informações ainda existentes nos relatórios do Único e solicitar à STI que faça as adaptações necessárias no sistema. Elaboração de um formulário eletrônico padrão para Correições. Auxiliar na melhoria do sistema Único. Tabela 3 - Iniciativas derivadas dos mapas temáticos Iniciativas derivadas dos Painéis de contribuição Os Painéis de Contribuição foram ferramentas de desdobramento do planejamento estratégico no âmbito das PRs e PRRs, assessorias especializadas do PGR e Secretarias Nacionais. Foram criados 54 painéis de contribuição em todo país em diversas etapas do projeto. Os painéis consistem nos objetivos de contribuição das unidades, iniciativas, indicadores de desempenho das iniciativas, metas estabelecidas até 2020, fatores críticos e responsáveis pelo sucesso das iniciativas. Através dos painéis de contribuição foram identificadas iniciativas que exigem envolvimento ou ações especificas da STI. Dessa forma, foram avaliadas essas iniciativas e transformadas em novas iniciativas para o Planejamento Diretor de Tecnologia da informação. PEI Mapas Temáticos Painéis de Contribuição PDTI Inventários de TI Projetos Atuais PETI Figura 48 - Iniciativas derivadas dos painéis de contribuição O gráfico abaixo ilustra o processo de análise dos painéis de contribuição, que resultou nos seguintes números: Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 60 de 128

61 Painéis de Contribuição Novas Iniciativas Estratégicas Ações com envolvimento da TI Total de demandas dos Paineis Figura 49 - Análise dos painéis de contribuição 64 demandas de projetos oriundas dos painéis de contribuição foram analisadas. Durante a análise, foi identificado que 40 demandas tinham envolvimento da STI.As 40 ações foram agrupadas em 8 temas e incluídas no plano de implementação do PDTI conforme demonstra tabela abaixo: Iniciativas derivadas dos Painéis de Contribuição C1 Unidade PR/SE C2 Unidade Plan-Assiste Plan-Assiste SEJUD SEJUD SEJUD ASCJI PR/ES PR/RJ PR/RO Apoio da TI às atividades administrativas Iniciativa de contribuição Criação de um hotsite para a obra da nova sede. Apoio da TI às atividades institucionais - Eficiência Operacional Iniciativa de contribuição Automatizar rotinas de trabalho. Implementar projeto de sistema de custos, com efetiva participação das unidades central e regionais na alimentação das informações necessárias à operacionalização do sistema. Implementação do serviço de acompanhamento de processos de interesse institucional perante o STJ e STF. Criação e implementação do projeto e-mpf, para instauração e tramitação de autos extrajudiciais. Criação e implementação do projeto MPF-Digital. Gerar relatórios de atividades da ASCJI e de acompanhamento de processos jurídicos internacionais que tramitam por diversas instituições nacionais e estrangeiras. Ampliar a rede de banco de dados de interesse disponibilizados para o MPF com as outras instituições. Criar um fórum virtual entre gestores da PR/RJ. Implantar sistema de atendimento centralizado (GLPI). Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 61 de 128

62 C2 Unidade PR/PB PRR5 ASSART SEJUD SEJUD SEJUD C3 Unidade Plan-Assiste PR/MT PR/RN PR/RO C4 Unidade SEJUD C5 Unidade SECOM SECOM PR/SP C6 Unidade PR/PE Apoio da TI às atividades institucionais - Eficiência Operacional Iniciativa de contribuição Desenvolver consultas no GCONS para efetivo controle dos prazos e diligências nos inquéritos policiais. Implementar o portal eletrônico de acompanhamento das APOs. Criação de um novo sistema Agenda ASSART que seja integrado com os sites do Senado Federal e Câmara dos Deputados, de forma a agilizar a alimentação do sistema e melhorar o acompanhamento das proposições que restringem ou garantem as atribuições do Ministério Público, bem como aquelas que interessem a cada área do MPF. Implantar a ferramenta de modelagem de processos e documentação BIZAGI. Implantar um software de Business Intelligence BI da atuação do MPF. Implantar o Sistema Único na Procuradoria Geral da República e nas procuradorias regionais da República. Apoio da TI às atividades institucionais - Comunicação e Conhecimento Iniciativa de contribuição Implementar ferramenta de pesquisa junto aos usuários. Divulgar os andamentos dos autos judiciais (inquéritos não judicializados) e extrajudiciais na internet. Enviar mensagens para o cidadão sobre o andamento das representações protocolizadas. Criar e implementar o intercâmbio de informações relevantes com as demais unidades da região norte, de forma a uniformizar e otimizar a atuação do MPF na região. Atualização das ferramentas do usuário final Iniciativa de contribuição Buscar a efetiva implementação das funcionalidades e requisitos negociais definidos para o sistema. Desenvolvimento de ações para comunicação institucional Iniciativa de contribuição Uniformizar padrões de comunicação de sites institucionais. Padronizar a intranet. Divulgar as atribuições do MPF por meio da promoção ou participação em campanhas interinstitucionais. Mobilidade Inovação Iniciativa de contribuição Adquirir dispositivos móveis para registro de movimentações, para diminuir a utilização de papéis, especialmente na impressão de guias e outros documentos. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 62 de 128

63 C7 Unidade Plan-Assiste SGP PR/PB SGP SGP SGP SGP SGP SSI-Saúde SSI-Saúde C8 Unidade SGP SGP PR/PB PR/RS PR/SC PR/SP PR/SP PRR4 Recursos Humanos - Eficiência Operacional Iniciativa de contribuição Implementar auxílio para medicamento de alto custo. Aprimorar as ferramentas e a metodologia do Levantamento das Necessidades de Treinamento LNT, alinhando-o ao Planejamento Estratégico. Desenvolver sistema de banco de perfil da PR/PB. Implementar o banco de talentos de membros e servidores. Ampliar a utilização do Plano de Desempenho Individual para os servidores. Criar de tabela única de rubricas e identificador de vínculo/atividade com vistas à uniformização de procedimentos relacionados ao pagamento de pessoal do MPU. Implantar um sistema informatizado de gestão de pessoas unificado para os quatro ramos proporcionando uma atuação institucional estratégica, efetiva e transparente. Mapear o fluxo de processos das unidades da SGP. Desenvolvimento ou aquisição de prontuário eletrônico para fins de exames periódicos. Implantação do Sistema de Gerenciamento de Atestados Médicos SIGA, em todas as PRMs. Recursos Humanos - Comunicação e Conhecimento Iniciativa de contribuição Capacitar os membros e servidores do MPF, com foco na área de atuação e no desenvolvimento. Efetuar anualmente a pesquisa de clima organizacional no âmbito do MPF. Capacitação Sistema Único. Criar ferramenta para o público interno com o objetivo de trocar conhecimento e consolidar as principais dúvidas/sugestões/reclamações de todos os setores da PR/RS e PRMs. Realizar entrevistas temáticas online, via Assessoria de Comunicação, disponibilizada na intranet, com posterior discussão em chat. Capacitar membros e servidores no uso do Wiki MPF e intranet. Divulgar os setores e suas respectivas atribuições. PETI e PDTI da TI - PRR4. Tabela 4 - Iniciativas derivadas dos painéis de contribuição Iniciativas derivadas do PETI As iniciativas derivadas do PETI listadas abaixo são as oriundas da estruturação do modelo de atuação proposto, dos resultados da matriz SWOT, do diagnóstico e do mapa estratégico de TI. Conforme descrito nos capítulos acima, as iniciativas que foram classificadas como curto prazo no planejamento estratégico do MPF foram subdivididas em novas iniciativas que servirão como base para estruturação do modelo. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 63 de 128

64 Estratégicos Instituci onais Benefício Potencializadores P10 MPF Digital P2 Sistema Ún ico P9 Wiki do MPF Curto Médio Longo G Relacionamento P4 Sistema de Ouvidoria P6 Processo Eletrônico P8 Portal da Transparência H Comunicação Racionaliza dores P5 Sistema de Informaç ões Gerenciais D Centro de Serv iços Compartilhados J Suporte L ocal M Gestão de Pessoas P7 Portal Único P1 Sistema de RH B Desenvolvimento de Soluç ões Esforço F Centros de Excelência P11 e - MPF E Escritório de Governança P3 Gestão da Informação A Escritório de Projet os Estruturantes K Segurança da Informação I Arquitetura e Inovação C Central de Serv iços L Acompanhamento PETI/PDTI Longo Médio Curto TI para o MPF Mapas Temáticos PEI PDTI Painéis de Contribuição TI para a TI Inventários de TI PETI Projetos Atuais Figura 50 - Iniciativas derivadas do PETI A figura abaixo ilustra o processo de composição das iniciativas, que apresenta uma visão quantitativa do total inicial até o numero final de projetos estratégicos que foram considerados para o PDTI. Composição das iniciativas do PDTI Projetos Estratégicos Curto prazo Médio prazo Longo prazo Total de Iniciativas Figura 51 - Fontes de informação para iniciativas do PDTI Iniciativas oriundas dos Projetos do PETI T1.1 Estruturar um Escritório de Projetos Estruturação da área responsável por concentrar todas as demandas de novos serviços/sistemas ou mudanças nos serviços/sistema atuais, priorização da execução dessas solicitações, gerenciamento da execução dessas solicitações e reporte do andamento ao Secretário de TI. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 64 de 128

65 Iniciativas oriundas dos Projetos do PETI T1.2 Padronizar o processo de gestão de demandas Implementação do processo de gestão de demandas com o objetivo de controlar as demandas originadas pelas áreas de negócio e usuários, definindo sua priorização, consolidação e escalonamento. O processo deverá compreender a análise do ambiente, definição do ciclo e classificação das demandas, definição dos papéis e responsabilidades e definição das métricas e relatórios gerenciais. T1.3 Revisão do processo de gerenciamento de projetos Revisar e aprimorar o processo de gerenciamento de projetos de TI iniciado a partir da estruturação do escritório de projetos (Iniciativa T1.1). T2.1 Estruturar as áreas de desenvolvimento de soluções nacionais e locais Implementação das áreas de desenvolvimento de soluções nacionais e locais, como objetivo de aumentar a sinergia e a qualidade dos produtos entregues pela TI e reduzir os custos decorrentes de retrabalho. T2.2 Implantar o processo de desenvolvimento de soluções nacionais Implantação do processo de desenvolvimento de soluções nacionais de acordo com o estabelecido na iniciativa de estruturar as áreas de desenvolvimento de soluções nacionais e locais(iniciativa T2.1.). T2.3 Implantar o processo de desenvolvimento de soluções locais Implantação do processo de desenvolvimento de soluções locais de acordo com o estabelecido na iniciativa de estruturar as áreas de desenvolvimento de soluções nacionais e locais(iniciativa T2.1.). T2.4 Estruturar uma função de gestão da informação e seus processos Estruturação da função responsável por organizar a coleta, processamento, armazenamento e distribuição das informações com o objetivo de disseminar as informações para as equipes de desenvolvimento de soluções, garantindo que o conhecimento vital para o negócio estará resguardado. T2.5 Estruturar o processo de homologação de soluções nacionais e locais Implementação de um processo de homologação de soluções nacionais e locais de forma a padronizar os trabalhos, ampliar a organização e controlar a execução dos testes de aceite funcional. T2.6 Estruturar o processo de manutenção de soluções nacionais e locais Implantação de um processo de manutenção das soluções nacionais e locais, incluindo novas funcionalidades ou correção de erros e/ou incidentes. T2.7 Revisitar estratégia de sourcing da TI Reavaliar o nível de maturidade da área de TI do MPF para terceirização de serviços. T3.1 Criar uma central de serviços de TI Criação de uma central de serviços de TI responsável por ser o ponto único de contato dos usuários para solicitação de serviços, registro de incidentes e esclarecimento de dúvidas. T3.3 Gerir incidentes e problemas Implementação do processo de acompanhamento das interrupções não programadas ou redução de qualidade dos serviços de TI, com objetivo principal de retornar à operação normal no menor tempo possível, identificar as causas dos incidentes e evitar a recorrência de incidentes de mesma natureza. T4.1 Estruturar um Centro de Serviços Compartilhados Criação de uma área responsável por prestar serviços de infraestrutura de TI para as unidades do MPF. T4.2 Gerenciar a operação nacional Iniciar as operações do Centro de Serviços Compartilhados. T4.3 Gerir a operação local Definir os parâmetros e iniciar a operação das áreas de infraestrutura locais. T4.4 Definir modelo de arquitetura de infraestrutura e monitoramento Definição do modelo padrão de arquitetura de infraestrutura e de monitoramento dos serviços prestados pelo Centro de Serviços Compartilhados e pelas áreas de infraestrutura locais. T4.5 Implementar o processo de gerenciamento de Disponibilidade Implementação do processo de gerenciamento de disponibilidade com o objetivo de garantir que os serviços estejam disponíveis em conformidade com os acordos de níveis de serviço vigentes. T4.6 Implementar o processo de gerenciamento de Capacidade Implementação do processo de gerenciamento de capacidade, com o objetivo de assegurar que a capacidade de TI do MPF atenda as necessidades atuais e futuras da instituição. T4.7 Implementar o processo de gerenciamento de Liberação Implementação do processo de gerenciamento de liberação, com o objetivo de promover maior controle e segurança na implantação de novos serviços ou componentes de serviços no ambiente de produção. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 65 de 128

66 Iniciativas oriundas dos Projetos do PETI T4.8 Implementar o processo de gerenciamento de Configuração Implementação do processo de gerenciamento de configuração, identificando todos os itens de configuração necessários para entregar os serviços de TI e como estes itens se relacionam. T4.9 Implementar o processo de gerenciamento de Mudança Implementação do processo de gerenciamento de mudança, com o objetivo de reduzir o impacto negativo no ambiente operacional decorrentes de mudanças nos serviços e em seus elementos. T5.1 Criar o escritório de Governança de TI Criar o escritório de governança de TI no âmbito do MPF, com foco em garantir o alinhamento estratégico com a instituição e promover a cultura do controle, da responsabilização e da transparência dos processos de TI. T5.2 Revisar níveis de serviço e atualizar catálogo Revisar o catálogo de serviços e definir acordo de nível de serviços para todos os serviços. T5.3 Revisar as políticas de TI Revisão das políticas de TI formalizadas no âmbito do MPF e identificação dos temas que exigem a formalização de novas políticas. T5.4 Gerenciar o ciclo de vida dos ativos de TI Implementação do gerenciamento de todo o ciclo de vida do parque de ativos de TI, desde a solicitação, aquisição, recebimento do equipamento, instalação, movimentações e descarte. T5.5 Estruturar o processo de gestão financeira de TI Implementação de um processo de revisão do modelo de custeio atual da TI com o objetivo de prestar contas de todas as despesas com serviços de TI e atribuir os custos aos serviços prestados para os clientes do MPF. T5.6 Revisar e implementar o gerenciamento de identidades Revisão do processo de autenticação e autorização de acesso e implementação de melhorias que compreendam todo o ciclo de permanência do usuário no MPF. T5.7 Implementar o gerenciamento da qualidade Implementação de processo para monitorar a qualidade dos serviços de TI em operação e da entrega de novos serviços. T5.8 Implantar o escritório de gerenciamento de fornecedores de TI Implantação do processo de gerenciamento de fornecedores de TI para pesquisar, homologar, selecionar, contratar e gerenciar o relacionamento com fornecedores. T5.9 Estrutura aquisições e distribuições Estruturar processo de coordenação e padronização das atividades relacionadas à aquisição e contratação de bens e serviços de TI. T5.10 Gestão de conhecimento - iniciativa piloto Fomentar o uso do Wiki do MPF pelas área de TI da Instituição. T6.1 Estruturar área de relacionamento com as unidades Implementação da área de relacionamento com as áreas de TI das unidades gestoras do MPF, com a responsabilidade de estreitar o relacionamento da TI com os clientes, entender as necessidades do negócio e propor soluções. T7.1 Criar estrutura de comunicação Implementação de uma estrutura para divulgação das ações de TI para as equipes técnicas e para os clientes. T8.1 Implementar os indicadores de acompanhamento do PETI e PDTI Cadastrar e iniciar o acompanhamento dos indicadores do PETI e do PDTI no Sistema Channel. T9.1 Criar estrutura de gestão de pessoas Estruturar uma área de gestão dos profissionais da área de TI do MPF. Tabela 5 - Iniciativas derivadas do PETI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 66 de 128

67 Iniciativas derivadas das ações planejadas ou em andamento TI para o MPF Mapas Temáticos PEI PDTI Painéis de Contribuição TI para a TI Inventários de TI PETI Projetos Atuais Figura 52 - Iniciativas derivadas das ações planejadas ou em andamento Visando identificar as necessidades relacionadas a TI foi necessário examinar o portfólio de projetos atuais do MPF. Essa análise teve por objetivo verificar se os projetos previstos ou em andamento estão alinhados aos objetivos estratégicos, ao novo modelo de atuação da TI do MPF e se já estão representados nas iniciativas estratégicas de TI, apresentadas no PETI. Foram extraídos de todas as unidades do MPF os projetos que estão previstos ou estão andamento atualmente. A partir desta lista foram aplicados alguns critérios para avaliar quais projetos poderiam ser considerados estratégicos e por consequência, quais seriam elegíveis a compor as iniciativas estratégicas de TI. Um ponto importante da análise está relacionado à data de conclusão do projeto. Os projetos com data de conclusão superior ao ano de 2012 entraram no escopo desta análise, já que o presente documento será um norteador das iniciativas de TI a partir de Dos 1091 projetos que atendem a esse requisito, 235 ainda não foram iniciados e 179 já estão em andamento. As ações foram analisadas conforme mostra a figura abaixo: 1ª Análise 2ª Análise 3ª Análise Previstos Em andamento (término após 2012) Em Encerrados andamento (término até 2012) Total de ações analisadas Foram consideradas as ações em andamento com término após Todas as ações previstas foram consideradas. Ações Serviços Finalizados Total de ações analisadas 2 ações foram identificados como já concluídas. 10 ações foram consideradas serviços. Novas iniciativas estratégicas Atividades das Contemplado Total de ações iniciativas nas iniciativas analisadas estratégicas estratégicas 291 ações serviram de insumos para a criação de 17 iniciativas estratégicas. Figura 53 - Análise das ações planejadas ou em andamento Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 67 de 128

68 TI para a TI TI para o MPF Conforme ilustra a cima, dez projetos foram classificados como serviço e dois projetos já estavam finalizados. Dessa forma, foram desconsiderados da análise. Os 402 projetos, foram reagrupados e organizados conforme montra o gráfico da 3ª analise da figura acima, dos 402, 40 já estavam contemplados pelas iniciativas estratégicas e 71 foram considerados como atividades e distribuídos nas iniciativas estratégicas, conforme ilustra a figura abaixo: Figura 54 - Processo de análise dos projetos alinhados as iniciativas As ações restantes foram encaminhadas aos coordenadores de informática das unidades gestoras e aos coordenadores da STI, para que fossem revisadas e complementadas. O conjunto total das ações resultantes compõe o inventário do PDTI. Cada ação foi tradada como projeto e registrada no sistema institucional de gestão de projetos Channel, sendo inventariadas por relatórios de acompanhamento trimestrais publicados pela Assessoria de Projetos da STIC. O anexo do inventário consta no Anexo II deste documento Iniciativas derivadas dos inventários de TI Como resultado das atividades de inventário, 1,2, 3 e 6, identificamos alguns pontos de atenção conforme descrito no capitulo 5.8 Análise de defasagem, destes pontos, resultaram as iniciativas descritas nas tabelas abaixo, que em muitos casos já estavam contempladas por iniciativas do PETI ou das demais dimensões avaliadas. PEI Mapas Temáticos Painéis de Contribuição PDTI Inventários de TI Projetos Atuais PETI Figura 55 - Iniciativas derivadas dos inventários de TI Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 68 de 128

69 Atividade 1 Arquitetura de dados e informações Após realizarmos a análise de defasagem oriunda do resultado da atividade 1, identificamos a necessidade de aprimorar a abrangência da iniciativa de criação da Área de desenvolvimento de soluções nacionais e local conforme demonstra o esquema abaixo: A necessidade de criação das iniciativas de gestão de informações e arquitetura de soluções foram identificadas já no desenvolvimento inicial do PDTI e melhor detalhadas durante a execução do inventário da atividade 1. Iniciativas derivadas da atividade 1 I1 Evolução dos resultados obtidos com a atividade 1 de elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Tabela 6 - Iniciativas derivadas da atividade 1 Atividade 2 Arquitetura Tecnológica O resultado do levantamento da arquitetura tecnológica do MPF serviu como base para implementação das iniciativas identificadas no desenvolvimento inicial do PDTI. Service Desk Central de serviços de TI Gestão de incidentes e problemas Gestão do ciclo de vida dos ativos de TI Revisão do modelo de custeio e gestão financeira Gerenciamento de qualidade Gerenciamento de fornecedores Gestão de conhecimento Gestão da operação nacional Centro de serviços compartilhados Gestão da operação local Gerenciamento de disponibilidade Gerenciamento de configuração Gerenciamento de mudanças Figura 56 - Resultados do levantamento da arquitetura tecnológica Iniciativas derivadas da atividade 2 I2 Evolução dos resultados obtidos com a atividade 2 de elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Atividade 3 Perfil dos Recursos Humanos Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 69 de 128

70 Como resultados da analise da atividade 3, tivemos os seguintes resultados : A iniciativa de gestão de treinamentos e capacitação identificada no desenvolvimento inicial do PDTI foram melhor detalhadas após o resultado do inventário. Iniciativas derivadas da atividade 3 I3 Evolução dos resultados obtidos com a atividade 3 de elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Tabela 7 - Iniciativas derivadas da atividade 3 Atividade 6 Catálogo de Serviços A estruturação do novo Catálogo de Serviços de TI facilitará a implementação e servirá como subsídio para a estruturação e acompanhamento das iniciativas relacionadas. Iniciativas derivadas da atividade 6 I4 Evolução dos resultados obtidos com a atividade 6 de elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Tabela 8 - Iniciativas derivadas da atividade Relação de iniciativas por unidade gestora As iniciativas classificadas por unidade gestora são publicadas no relatório de acompanhamento pela Assessoria de Projetos da Secretaria de Tecnologia da informação e disponíveis na intranet da PGR no URL: https://wiki.mpf.gov.br/index.php5/stic:ep. Tendo o inventário sido listado no Anexo II deste documento. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 70 de 128

71 8. Avaliação do PDTI 8.1. Metodologia de avaliação e execução do PDTI Dentre as atribuições do Escritório de Governança, está a iniciativa intitulada de Implementação dos indicadores de acompanhamento do PETI e PDTI. Esta iniciativa consiste na implementação da metodologia para acompanhamento das iniciativas derivadas do Planejamento Estratégico de TI e do Plano Diretor de TI do MPF. Cada iniciativa do Plano estratégico de TI contém indicadores, cujo objetivo é facilitar o planejamento e o controle do desempenho, além de viabilizar uma análise comparativa. Portanto, a execução do Plano Diretor de TI será avaliada a partir do acompanhamento e avaliação dos indicadores presentes em cada iniciativa. Estes indicadores deverão medir o progresso de implantação de cada iniciativa, sob a responsabilidade do Escritório de Governança Manutenção do PDTI O Plano Diretor de TI tem duração de dois anos. Para que este instrumento esteja sempre atualizado com os objetivos estratégicos da instituição, deverá ser revisado com frequência anual. Para garantir a manutenção e revisão anual do Plano Diretor de TI, deverão ser promovidas reuniões entre os membros do Subcomitê Estratégico de TI (SETI). Nestas reuniões, deverão ser avaliadas as atividades realizadas durante o período anterior, ajustes de desvios ocorridos, priorização de novas demandas, bem como, principalmente, zelar pela estruturação e continuidade do processo de governança de TI ora iniciado. As ações propostas para implementação de cada iniciativa serão encaminhadas pela Secretaria de Tecnologia da Informação ao SETI para validação e priorização. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 71 de 128

72 9. Conclusão As unidades de tecnologia da informação da Administração Pública Federal têm sido cada vez mais cobradas quanto à adoção de melhores práticas em sua gestão. Isto contribui com maior eficiência e qualidade na entrega dos serviços possibilita à instituição atingir seus objetivos estratégicos e contribui para a preservação dos investimentos que serão realizados em tecnologia nos próximos anos. Sobre o trabalho executado, as iniciativas listadas neste documento foram obtidas a partir de uma análise de defasagem do ambiente de TI, necessidades geradas a partir do Planejamento Estratégico Institucional e de TI, além das necessidades advindas dos planos de ação gerados a partir dos mapas temáticos e painéis de contribuição. Este PDTI tem como objetivo implantar na instituição uma forma de trabalho com base em um novo modelo de atuação proposto no Planejamento Estratégico de TI do MPF. Esta forma de trabalho proporcionará um aumento na qualidade dos serviços e principalmente maior agilidade e racionalização no fluxo de trabalho da área de TI. Isto trará benefícios ainda em curto prazo para a instituição, porém há a necessidade de apoio dos membros e servidores, que são os principais elementos deste instrumento de governança. Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 72 de 128

73 10. Anexo I Detalhamento das fichas das iniciativas Critérios para as estimativas das fichas de iniciativas: Nas páginas seguintes estão relacionadas as fichas das iniciativas derivadas do Planejamento Estratégico Institucional(En), do Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação(Tn) e dos inventários de tecnologia da informação(in). O conteúdo das fichas não é exaustivo, e sim ilustrativo, das principais atividades, benefícios, riscos e recursos alocados para as iniciativas. Quando não foi possível estimar com mais precisão os recursos necessários, os seguintes parâmetros foram utilizados: Equipe 1 a 2 pessoas alocadas 2 a5 pessoas alocadas 6 ou mais pessoas alocadas Custo Custo estimado em até R$ 200 mil Custo estimado de R$ 201 mil até R$ 500 mil Custo estimado acima de R$ 500 mil Prazo Até 2 meses Acima de 2 e menor que 6 meses Acima de 6 meses Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 73 de 128

74 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 74 de 128

75 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 75 de 128

76 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 76 de 128

77 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 77 de 128

78 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 78 de 128

79 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 79 de 128

80 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 80 de 128

81 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 81 de 128

82 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 82 de 128

83 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 83 de 128

84 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 84 de 128

85 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 85 de 128

86 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 86 de 128

87 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 87 de 128

88 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 88 de 128

89 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 89 de 128

90 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 90 de 128

91 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 91 de 128

92 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 92 de 128

93 Plano Diretor de Tecnologia da Informação do MPF - STIC/SG Página 93 de 128

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012/2020 Ministério Público Federal Rodrigo Janot Monteiro de Barros Procurador-Geral da República Ela Wiecko Volkmer de

Leia mais

P l a n o D i r e t o r de Tecnologia da Informação

P l a n o D i r e t o r de Tecnologia da Informação Ministério Público Federal Secretaria Geral Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação P l a n o D i r e t o r de Tecnologia da Informação 2013 2014 Desdobramento da estratégia de tecnologia

Leia mais

Ministério Público Federal. Secretaria de Tecnologia da Informação

Ministério Público Federal. Secretaria de Tecnologia da Informação Ministério Público Federal Outubro de 2012 Secretaria de Tecnologia da Informação Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2012-2020 Sumário Executivo Ao Sr. Márcio Medeiros, Ministério Público

Leia mais

PORTARIA SG/MPF N.º 143, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014

PORTARIA SG/MPF N.º 143, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014 PORTARIA SG/MPF N.º 143, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2014 Aprova o Plano Diretor de Tecnologia da Informação do Ministério Público Federal para o biênio 2013/2014. O Secretário-Geral do Ministério Público Federal,

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA Técnico Bancário Novo AC Cruzeiro do Sul 1618 CR* Técnico Bancário Novo AC Rio Branco 6648 CR * Técnico Bancário Novo AC Sena Madureira 1065 CR* Técnico Bancário Novo AL Maceió 22524 CR * Técnico Bancário

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1 AC Rio Branco Cerest Estadual (68) 3223-4266 cerest.saude@ac.gov.br AL Maceió Cerest Estadual (82) 3315-2759 (82) 3315-3920 cerest@saude.al.gov.br AL Maceió Cerest Regional (82) 3315-5260 cerest@sms.maceio.al.gov.br

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Duração: Janeiro à Dezembro 2013

FICHA TÉCNICA. Duração: Janeiro à Dezembro 2013 FICHA TÉCNICA Duração: Janeiro à Dezembro 2013 Mecânica: os distribuidores serão divididos em 4 grupos levando em consideração faturamento total da distribuidora (PV + GV) 1 2 Belo Horizonte, Brasília,

Leia mais

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Brasília, 11 de junho de 2014. SISTEMÁTICA ATUAL Desde 01/01/2010, o INSS direciona os benefícios para o vencedor do Lote, desde que

Leia mais

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Governança de TI no Governo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Agenda Agenda Contexto SISP IN SLTI 04/2008 EGTI Planejamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO AUDITORIA INTERNA SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 Tema: EXAME DAS ATIVIDADES DE TI SOB A RESPONSABILIDADE DA SUCOM. Tipo de Auditoria:

Leia mais

Modelo de Referência 2011-2012

Modelo de Referência 2011-2012 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI Modelo de Referência 2011-2012 Plano Diretor de Tecnologia de Informação Ministério do Planejamento,

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros > Lia Hasenclever (IE/UFRJ) 10º Encontro da ReINC 08 e 09 de novembro de 2007 Grupo

Leia mais

Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00

Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00 Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00 Araxá Araguaína R$ 20,00 Araxá Barcelos R$ 25,00 Araxá

Leia mais

Anexo III PABXs das Unidades

Anexo III PABXs das Unidades MPF Procuradoria: 1ª REGIÃO DISTRITO FEDERAL 03 Ericsson Quant de Troncos: 2xE1 : MD 110 Quant de : 511 296 215 Sim ( x ) Não ( ) Gasto com DDD Média Procuradoria: 2ª REGIÃO / RIO DE JANEIRO 00 Philips

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

Relatório de Gestão DGTI

Relatório de Gestão DGTI Relatório de Gestão DGTI 1.Contextualização Histórico Administrativa Com o projeto de expansão do Governo Federal que criou os Institutos Federais em todo o Brasil, o antigo Centro Federal de Educação

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE PREÇOS LOTE 1 REDE WAN EM TODAS AS UNIDADES E INTERNET

ANEXO III PLANILHA DE PREÇOS LOTE 1 REDE WAN EM TODAS AS UNIDADES E INTERNET ANEXO III PLANILHA DE PREÇOS LOTE 1 REDE WAN EM TODAS AS UNIDADES E INTERNET ANEXO III - A UNIDADES DO CJF Localidade UF Site Instalação Endereço CJF DF CJF 32 Mbps 64 Mbps 128 Mbps 250 Mbps TOTAL TOTAL

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA EDITAL Nº 5 /2013 27º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR DA REPÚBLICA ABERTURA DE INSCRIÇÕES

PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA EDITAL Nº 5 /2013 27º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR DA REPÚBLICA ABERTURA DE INSCRIÇÕES PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA EDITAL Nº 5 /2013 27º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR DA REPÚBLICA ABERTURA DE INSCRIÇÕES O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, com base no art. 127,

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Portaria nº 358, de 02 de Junho de 1998. O Procurador-Geral da República, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 127 da Constituição Federal,

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ANALISTA DO SEGURO SOCIAL COM FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº 9 DE 27 DE MAIO DE 2013

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ANALISTA DO SEGURO SOCIAL COM FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº 9 DE 27 DE MAIO DE 2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ANALISTA DO SEGURO SOCIAL COM FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº 9 DE 27 DE MAIO DE 2013 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS,

Leia mais

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 Agenda Contexto SISP Planejamento de TI PDTI 2 SISP Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática Decreto nº 1.048, de 21 de janeiro

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Serviços da TI Nacional aplicados à Modernização dos Gabinetes. STIC - Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação

Serviços da TI Nacional aplicados à Modernização dos Gabinetes. STIC - Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Serviços da TI Nacional aplicados à Modernização dos Gabinetes STIC - Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Agenda Desafios Como superá-los? Governança Instrumentos de Atuação Nacional Serviços

Leia mais

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança IV Encontro do Forplad Daniel Moreira Guilhon, CISA Novembro/2012 1 O que pretendemos? Conceituar os aspectos relacionados à boa governança para assegurar

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*)

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) Institui o Concurso de Remoção de 2009, destinado a ocupantes do cargo de Auditor-Fiscal

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social As inscrições para o concurso público do Instituto Nacional do Seguro Social INSS estarão abertas no período de 12 de agosto a 13 de setembro. São 300 vagas para o cargo de Analista do Seguro Social, sendo

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 Redefine os limites financeiros destinados ao custeio da Nefrologia (TRS), dos Estados, Distrito Federal e Municípios. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA EDITAL PGR/MPF Nº 27/2014 28º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR DA REPÚBLICA

PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA EDITAL PGR/MPF Nº 27/2014 28º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR DA REPÚBLICA PGR-00262305/2014 PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA EDITAL PGR/MPF Nº 27/2014 28º CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE PROCURADOR DA REPÚBLICA ABERTURA DE INSCRIÇÕES O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA,

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI

Dados de Identificação. Dirigente máximo da instituição. Nome/Sigla da instituição pública. Nome do dirigente máximo. Nome/Cargo do dirigente de TI Dados de Identificação Dirigente máximo da instituição Nome/Sigla da instituição pública Nome do dirigente máximo Nome/Cargo do dirigente de TI Endereço do setor de TI 1 Apresentação O Tribunal de Contas

Leia mais

Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta

Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta 1. A remoção sem permuta é o deslocamento do servidor sem contrapartida para o órgão que possui os claros de

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto

José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto José Geraldo Loureiro Rodrigues Orientador: João Souza Neto Análise dos três níveis: Governança Corporativa Governança de TI Gerenciamento da Área de TI ORGANIZAÇÃO Governança Corporativa Governança

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel

Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel Planejamento Estratégico de TI (2013-2015) - UFPel 1 Missão Prover soluções de TI, com qualidade, à comunidade da UFPel. 2 Visão Ser referência em governança de TI para a comunidade da UFPel até 2015.

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

Projeto de Modernização da Gestão Administrativa do MPF

Projeto de Modernização da Gestão Administrativa do MPF Projeto de Modernização da Gestão Administrativa do MPF 2011 Resultados das dinâmicas aplicadas no IV Seminário de Planejamento Estratégico e Inventário de Projetos Caderno do Participante Ministério Público

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti

Contratação de Serviços de TI. Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti Contratação de Serviços de TI Ministro-Substituto Augusto Sherman Cavalcanti O antigo modelo de contratação de serviços de TI 2 O Modelo antigo de contratação de serviços de TI Consiste na reunião de todos

Leia mais

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação André Luiz Furtado Pacheco, CISA 4º Workshop de Auditoria de TI da Caixa Brasília, agosto de 2011 Agenda Introdução Exemplos de Deliberações pelo TCU

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais. Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais. Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Entrega de Valor de TI...

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA

A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA A EXPERIÊNCIA DO TRT DA 10ª REGIÃO NA IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO ESTRATÉGICA Fabiana Alves de Souza dos Santos Diretora de Gestão Estratégica do TRT 10 1/29 O TRT da 10ª Região Criado em 1982 32 Varas do Trabalho

Leia mais

MARIA CAETANA CINTRA SANTOS SUBPROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA COORDENADORA DO SETI

MARIA CAETANA CINTRA SANTOS SUBPROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA COORDENADORA DO SETI MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA-GERAL SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ESTRATÉGICA E GOVERNANÇA SUBCOMITÊ ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - SETI EDITAL Ficam os senhores membros do Subcomitê Estratégico

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

O PDTI como ferramenta de Gestão da TI

O PDTI como ferramenta de Gestão da TI O PDTI como ferramenta de Gestão da TI Fernando Pires Barbosa, Gustavo Chiapinotto, Sérgio João Limberger, Marcelo Lopes Kroth, Fernando Bordin da Rocha, Giana Lucca Kroth, Lucia Madruga, Henrique Pereira,

Leia mais

Ângela F. Brodbeck. Ana Maria Rizzo Silva

Ângela F. Brodbeck. Ana Maria Rizzo Silva Alinhamento Estratégico entre TI e Negócio Alinhamento entre Ações Estratégicas, Processos e iniciativas de Tecnologia de Informação Novembro, 2013 Ângela F. Brodbeck Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2013-2014 Sumário: 1 INTRODUÇÃO... 3 2 BIÊNIO 2013-2014: ATIVIDADES DE MONITORAMENTO E ACOMPANHAMENTO.... 3 2.1 Apoio ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo...

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

Levantamento de Governança de TI 2014

Levantamento de Governança de TI 2014 Levantamento de Governança de TI 2014 Resultado individual: INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA Segmento: Executivo - Sisp Tipo: Instituição de Ensino A classificação deste documento é de responsabilidade da

Leia mais

Segurança da informação

Segurança da informação Segurança da informação Roberta Ribeiro de Queiroz Martins, CISA Dezembro de 2007 Agenda Abordagens em auditoria de tecnologia da informação Auditoria de segurança da informação Critérios de auditoria

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

1 APRESENTAÇÃO. Página 3 de 16

1 APRESENTAÇÃO. Página 3 de 16 Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 4 3 PÚBLICO-ALVO DA GESTÃO ESTRATÉGICA... 4 4 INFORMAÇÕES SOBRE O MODELO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DO TCE/RN... 5 4.1 DIRECIONADORES ESTRATÉGICOS... 5 4.2 OBJETIVOS

Leia mais

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02

Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 1 de 30 16/11/2015 15:16 Diagnóstico da Governança - Práticas de Gestão Recomendadas v02 Prezado(a) Como o OBJETIVO de apurar o nível de maturidade em governança da Justiça Federal, foi desenvolvido instrumento

Leia mais

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Renata Assunção Farias Introdução Em 2007, após pesquisa com órgãos da Administração Pública Federal (APF), o TCU atestou

Leia mais

PORTARIA PGR Nº 198 DE 15 DE ABRIL DE 2011. Regulamenta o Programa de Treinamento, Desenvolvimento e Educação do Ministério Público da União.

PORTARIA PGR Nº 198 DE 15 DE ABRIL DE 2011. Regulamenta o Programa de Treinamento, Desenvolvimento e Educação do Ministério Público da União. PORTARIA PGR Nº 198 DE 15 DE ABRIL DE 2011 Regulamenta o Programa de Treinamento, Desenvolvimento e Educação do Ministério Público da União. O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, no uso de suas atribuições,

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2016

Questionário de Governança de TI 2016 Questionário de Governança de TI 2016 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

INDICADORES ESTRATÉGICOS EVOLUÇÃO E STATUS. Indicadores com monitoramento implementado e com resultado satisfatório de acordo com a meta.

INDICADORES ESTRATÉGICOS EVOLUÇÃO E STATUS. Indicadores com monitoramento implementado e com resultado satisfatório de acordo com a meta. Implantação do Planejamento Estratégico AMGE 100% até 2016 O Projeto Desdobramento do Planejamento Estratégico Institucional foi instituído por meio da Portaria PGR nº 725/2011 e finalizado em dezembro

Leia mais

-- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009

-- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação -- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009 --- Brasília, outubro

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

AURINA SANTANA Reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia

AURINA SANTANA Reitora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia 00 dd/mm/aaaa 1/19 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação CAMPO DE APLICAÇÃO Este Plano Diretor de Tecnologia da Informação se aplica no âmbito do IFBA. SUMÁRIO 01. Introdução

Leia mais