Conhecendo o Aluno com Deficiência Física

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conhecendo o Aluno com Deficiência Física"

Transcrição

1 I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM DEFICIÊNCIA FÍSICA] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno com deficiência física da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui características sociais e educacionais próprias. Conhecer suas necessidades para oferecermos estratégias pedagógicas adequadas é o nosso objetivo. Para tanto, precisamos refletir sobre as características da pessoa com deficiência física que está em classe especial em nosso município e em nossa região (Coordenadoria Regional de Educação CRE). Nome completo do aluno _ Idade Data de Nascimento Sexo Feminino Masculino Nome completo da Escola _ CRE 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª 9ª 10ª 11ª Turno da Escola Classe Especial Manhã Tarde Outro: CE/ Especifique: Caracterização do aluno com Deficiência Física Paralisia Cerebral Mielomeningocele (Espinha Bífida) Distrofia Muscular Lesão Medular Amputação. Especifique: Nanismo Outra: Conforme Decreto nº de 1999 da legislação brasileira, Art.4: - Deficiência Física alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções. 1. Indicar o uso da comunicação: Possui comunicação intencional. Ainda não possui comunicação intencional. Não observado. 2. Códigos comunicativos usados pelo aluno: Fala. Fala algumas palavras de maneira compreensível. Emite sons. Gesticula. Exemplifique: Chora. 1

2 Faz expressões faciais. Pisca. Sinaliza o sim com a cabeça. Sinaliza o não com a cabeça. Utiliza prancha de comunicação. 3. Caso utilize a prancha: Tipo: Pranchas Pedagógicas relacionas às atividades escolares cotidianas e dos conteúdos pedagógicos. Pranchas Sociais relacionadas ao vocabulário de cunho social. Simbologia utilizada na prancha: Palavras Figuras Desenhos letras números fotografias Símbolos do PCS Número de símbolos: Outros símbolos Número de páginas: Utiliza comunicador. Qual? Ainda não consigo perceber as formas de comunicação usadas por meu aluno. 4. Compreensão do aluno em situações do cotidiano: Atende quando é chamado pelo nome. Reage diante de situações engraçadas. Demonstra interesse nas brincadeiras/atividades realizadas próximas a ele. Demonstra prazer em ficar próximo dos amigos. Demonstra insatisfação quando está incomodado. Tenta se comunicar. 5. Postura frente à comunicação: Demonstra interesse em se comunicar. Não demonstra interesse. 2

3 Tenta iniciar ou inicia o ato comunicativo. Reage à intervenção do interlocutor. Como? Realiza escolhas. Persiste na comunicação quando não é compreendido. Sinaliza quando não compreende o interlocutor. Como? 6. Outros problemas associados: Visuais. Especifique Auditivos. Especifique: Motor. Especifique: Cognitivos. 7. Compreensão simbólica: Lê textos. Lê frases. Lê palavras. Identifica objetos. Identifica fotografias. Identifica desenhos e figuras. Identifica símbolos. Tipo: Identifica letras. Identifica números. 8. Modos de seleção (como realiza escolhas): Expressa o sim através de Expressa o não através de Olha para o que deseja. 3

4 Leva sua mão até a opção desejada respeitando a quantidade máxima de opções. Aponta para o que deseja. Indique a parte do corpo usada para apontar: O parceiro de comunicação aponta as opções (por sistema de varredura) e o aluno sinaliza. O parceiro de comunicação faz perguntas e o aluno responde sim e não (sistema de varredura). O parceiro de comunicação faz perguntas e o aluno responde sim e não. 9. Em relação ao tipo de escrita utilizada pelo aluno: Escreve Com autonomia. Com o plano inclinado. Com órteses de apoio à escrita. Qual? Não escreve, mas faz movimentos de ligar ou marcar. Sem apoio de órtese Com apoio de órteses. Não escreve. 10. Outros recursos de escrita utilizados pelo aluno: Computador Em casa. Na escola. Com adaptação. Qual? Sem adaptação. Máquina elétrica Em casa. Na escola. Outros: 11. Em relação a leitura e escrita, o aluno(a): Está alfabetizado. Está em processo de alfabetização. 4

5 12. Em relação ao processo de construção da escrita, o aluno (a): Faz pareamento do nome a partir de um modelo. Diferencia desenho de letra. Diferencia número de letra. Usa letras aleatórias para escrever palavras. Ex: PDERO PARA MENINO Compreende a escrita como representação da fala, mas pensa que a letra representa uma sílaba ou grupo de sílabas, sem valor sonoro. Ex: MAB PARA MENINO Compreende a escrita como representação da fala, mas pensa que a letra representa uma sílaba ou grupo de sílabas, com valor sonoro. Ex: MIO PARA MENINO Ex: CDA PARA CADEIRA Escreve palavras simples, utilizando todas ou quase todas as letras necessárias. Escreve frases e/ou pequenos textos. Ex: MNIMO PARA MENINO Ex: CADERA PARA CADEIRA 13. Em relação ao processo de leitura, o aluno (a): Reconhece o nome sem apoio de foto ou objeto. Reconhece o nome com apoio de foto ou objeto. Reconhece rótulos e embalagens de produtos conhecidos. Reconhece as letras do alfabeto: vogais consoantes. Lê palavras simples sem apoio visual. Lê palavras simples indicando a resposta em um conjunto de três figuras. Lê frases. Lê frases indicando a resposta em figuras que representem três cenas. Lê textos simples (letras em maiúsculas). Lê textos simples (letras em maiúsculas e minúsculas). Lê e compreende (interpreta) textos simples. Lê compreende (interpreta) textos adequados à série. 5

6 14. Em relação ao conhecimento matemático, o aluno (a): Identifica números. Reconhece a função do número (hora, preço, telefones). Reconhece numeral. Até quanto? Relaciona numeral à quantidade. Até quanto? Faz contagem sem apoio de material concreto. Realiza adição simples. Com unidades Com dezenas Com centenas Realiza subtração simples. Com unidades Com dezenas Com centenas Soluciona situações-problema que envolvem adição simples. Soluciona situações-problema que envolvem subtração simples. Anexe duas produções em Língua Portuguesa escrita e/ou duas produções de desenho realizadas pelo aluno surdo. Comente se necessário Assinatura do Professor: Data: Assinatura do Coordenador Pedagógico: Assinatura do Diretor: 6

Conhecendo o Aluno com Deficiência Múltipla

Conhecendo o Aluno com Deficiência Múltipla I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM DEFICIÊNCIA MÚLTIPLA] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno com deficiência múltipla da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui

Leia mais

CENTRO MUNICIPAL DE APOIO AO DEFICIENTE CEMAD DEFICIÊNCIA MENTAL

CENTRO MUNICIPAL DE APOIO AO DEFICIENTE CEMAD DEFICIÊNCIA MENTAL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA. CENTRO MUNICIPAL DE APOIO AO DEFICIENTE CEMAD FICHA DE ACOMPANHAMENTO DO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DIRETORA: PROFESSORA: ALUNO (A): Nº TURMA:

Leia mais

Acesso de Pessoas com Deficiência ao Ensino Superior

Acesso de Pessoas com Deficiência ao Ensino Superior Acesso de Pessoas com Deficiência ao Ensino Superior Lei 13146 Estatuto da Pessoa com Deficiência (PcD) Estabelece a prioridade, o atendimento e os direitos. Os artigos 27 e 28 garantem o direito à educação.

Leia mais

PROJETO DE LEI N o 2.348, DE 2015 (Apenso: PL nº 2.325/2015)

PROJETO DE LEI N o 2.348, DE 2015 (Apenso: PL nº 2.325/2015) PROJETO DE LEI N o 2.348, DE 2015 (Apenso: PL nº 2.325/2015) Concede isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da contribuição

Leia mais

PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) NOME DO LIVRO: O MENINO QUE APRENDEU A VER

PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) NOME DO LIVRO: O MENINO QUE APRENDEU A VER PLANEJAMENTO (LIVRO INFANTIL) Professor (a): JANETE FASSINI ALVES NOME DO LIVRO: O MENINO QUE APRENDEU A VER AUTOR: RUTH ROCHA Competências Objetivo Geral Objetivos específicos Estratégias em Língua Portuguesa

Leia mais

Processo Seletivo 2016. Conteúdo Programático - 1º ano do Ensino Fundamental

Processo Seletivo 2016. Conteúdo Programático - 1º ano do Ensino Fundamental Conteúdo Programático - 1º ano do Ensino Fundamental Avaliação do Desenvolvimento e Desempenho da Criança nos aspectos cognitivo, afetivo, socialização e psicomotor, através de atividades compatíveis com

Leia mais

MATRÍCULAS HORÁRIO. CURSOS MÉDIO INTEGRADO 09 a 10/01/ :00 às 12:00 e 13:00 às 17:00

MATRÍCULAS HORÁRIO. CURSOS MÉDIO INTEGRADO 09 a 10/01/ :00 às 12:00 e 13:00 às 17:00 CALENDÁRIO DE MATRÍCULA TURMAS INGRESSANTES CURSOS TÉCNICOS REGULARES 1º SEM. 2017 CAMPUS SERRA TALHADA LOCAL DE MATRÍCULA: SECRETARIA DE CONTROLE ACADÊMICO MATRÍCULAS HORÁRIO CURSOS MÉDIO INTEGRADO 09

Leia mais

1º período. Conhecer os algarismos que compõem o SND (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Diferenciar algarismos e números. e vice-versa.

1º período. Conhecer os algarismos que compõem o SND (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Diferenciar algarismos e números. e vice-versa. 1º período Os números naturais: Sistema de Numeração Decimal. (SND) Um pouco de história: sistema de numeração dos romanos. Os números naturais Sistema de Numeração Decimal (SND). Unidades e dezenas. Unidades,

Leia mais

CONVÊNIO ICMS 135, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2012

CONVÊNIO ICMS 135, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2012 CONVÊNIO ICMS 135, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2012 Publicado no DOU de 20.12.12, pelo Despacho 276/12. Ratificação no DOU de 08.01.13, pelo Ato Declaratório 01/13. Altera o Convênio ICMS 38/12, que concede isenção

Leia mais

Identificar e saber utilizar os diferentes tipos de linguagem; Saber as diferentes funções da linguagem e o seu contexto;

Identificar e saber utilizar os diferentes tipos de linguagem; Saber as diferentes funções da linguagem e o seu contexto; LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO MÓDULO 3 A LINGUAGEM Objectivos específicos Explicar o conceito de linguagem; Identificar e saber utilizar os diferentes tipos de linguagem; Distinguir linguagem oral de linguagem

Leia mais

Conteúdos da prova de bolsa 2016

Conteúdos da prova de bolsa 2016 Conteúdos da prova de bolsa 2016 LÍNGUA PORTUGUESA Alunos que ingressarão no 1º ano em 2016 - Alfabeto (maiúsculo e minúsculo) - Escrita do nome completo - Diversos portadores de texto (panfletos, ingressos,

Leia mais

1 - RETIFICAÇÃO QUANTO A LEGENDA DAS VAGAS OFERECIDAS ANEXO I

1 - RETIFICAÇÃO QUANTO A LEGENDA DAS VAGAS OFERECIDAS ANEXO I PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO DE ESTUDANTES NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTES NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD PARA O INGRESSO EM 2016.2 Edital nº. 45, de 07 Novembro de 2016. 1 - RETIFICAÇÃO

Leia mais

SARESP 2013 RESULTADOS GERAIS DAS REDES MUNICIPAIS

SARESP 2013 RESULTADOS GERAIS DAS REDES MUNICIPAIS SARESP 2013 RESULTADOS GERAIS DAS REDES MUNICIPAIS SARESP 2013 Participação dos Alunos das Redes Municipais Ano/Série Nº de Alunos % de Participação 2º EF 179.705 90,1 3º EF 181.160 90,2 Nº Escolas Nº

Leia mais

INSCRIÇÕES COMPLEMENTARES ITAQUAQUECETUBA T1, T2 e T3

INSCRIÇÕES COMPLEMENTARES ITAQUAQUECETUBA T1, T2 e T3 Página 1 de 5 INSCRIÇÕES COMPLEMENTARES ITAQUAQUECETUBA T1, T2 e T3 EDITAL Nº 01/2012 A Secretaria da Habitação do Estado de São Paulo - SH e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado

Leia mais

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil

GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS. Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil GUIA DE ARGUMENTOS DE VENDAS Caracterização do Município Doenças Crônicas Equipe Parque Oswaldo Cruz Daniel Soranz Medico de Família e Comunidade Equipe Parque Oswaldo Cruz Caracterização do Município

Leia mais

Hotel Summerville Beach Resort Porto de Galinhas - Ipojuca PE 16 de maio de 2011

Hotel Summerville Beach Resort Porto de Galinhas - Ipojuca PE 16 de maio de 2011 Hotel Summerville Beach Resort Porto de Galinhas - Ipojuca PE 16 de maio de 2011 PAUTA DO ENCONTRO Data: 16 de maio de 2011 (segunda-feira) 9 às 13 horas 1 - Apresentação dos (as) participantes do Encontro.

Leia mais

ORIENTAÇÕES CURRICULARES PERÍODO INICIAL - LÍNGUA PORTUGUESA

ORIENTAÇÕES CURRICULARES PERÍODO INICIAL - LÍNGUA PORTUGUESA ORIENTAÇÕES CURRICULARES PERÍODO INICIAL - LÍNGUA PORTUGUESA OBJETIVOS CONTEÚDOS HABILIDADES Apropriação da língua escrita como meio de expressão, interação e comunicação. Uso social da escrita Relação

Leia mais

DO ESTADO DE PERNAMBUCO ANEXO II FICHA DE INSCRIÇÃO

DO ESTADO DE PERNAMBUCO ANEXO II FICHA DE INSCRIÇÃO 1. DADOS PESSOAIS ANEXO II FICHA DE INSCRIÇÃO NOME DO CANDIDATO Nº DO DOC. DE IDENTIDADE ÓRGÃO EXP. UF SEXO F M Nº DO CPF/CIC DO CANDIDATO - ENDEREÇO (RUA, AVENIDA, PRAÇA) NÚMERO APTO BAIRRO CIDADE UF

Leia mais

A Brink Mobil Tecnologia Educacional atua no cenário educativo há mais de trinta anos, sempre comprometida com o desenvolvimento da educação no país.

A Brink Mobil Tecnologia Educacional atua no cenário educativo há mais de trinta anos, sempre comprometida com o desenvolvimento da educação no país. Projeto Pedagógico A Brink Mobil Tecnologia Educacional atua no cenário educativo há mais de trinta anos, sempre comprometida com o desenvolvimento da educação no país. Destaca-se no âmbito da tecnologia,

Leia mais

Vida Nova I com 400 aptos; Vida Nova II - com 400 aptos, Vida Nova III com 400 aptos e Vida Nova IV com 400 aptos

Vida Nova I com 400 aptos; Vida Nova II - com 400 aptos, Vida Nova III com 400 aptos e Vida Nova IV com 400 aptos PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA-FAIXA 1 INSCRIÇÕES MORADIAS POPULARES DE INTERESSE SOCIAL A EMDHAP Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba, em parceria com a Prefeitura Municipal

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1, CAMPUS RIO VERDE ANEXO I REQUERIMENTO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS

PROCESSO SELETIVO 2017/1, CAMPUS RIO VERDE ANEXO I REQUERIMENTO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS PROCESSO SELETIVO 2017/1, CAMPUS RIO VERDE ANEXO I REQUERIMENTO DE CONDIÇÕES ESPECIAIS O candidato deverá enviar exclusivamente via SEDEX, o original deste requerimento devidamente preenchido, juntamente

Leia mais

CARTILHA TRANSPORTE PÚBLICO EM ITAPEVI PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

CARTILHA TRANSPORTE PÚBLICO EM ITAPEVI PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO 4ª Promotoria de Justiça de Itapevi CARTILHA TRANSPORTE PÚBLICO EM ITAPEVI PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Rua Bélgica, 405 - Jardim Santa Rita - CEP. 06690-280 Telefone:

Leia mais

ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Nº DE INSCRIÇÃO Município de concorrência 1. Nome do Candidato

ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Nº DE INSCRIÇÃO Município de concorrência 1. Nome do Candidato ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Nº DE INSCRIÇÃO Município de concorrência 1. Nome do Candidato 2. Número doc. de Identidade 3. Órgão Expedidor 4. UF 5. Nascimento 6. Sexo 7. CPF 1. Masculino 2. Feminino

Leia mais

CALENDÁRIO DE MATRÍCULA DE TURMAS INGRESSANTES - SiSU

CALENDÁRIO DE MATRÍCULA DE TURMAS INGRESSANTES - SiSU CALENDÁRIO DE MATRÍCULA DE TURMAS INGRESSANTES - SiSU 1º e 2 SEMESTRE DE 2017 CAMPUS PETROLINA MATRÍCULAS SITUAÇÃO DATA HORÁRIO CURSOS SUPERIOR CHAMADA ÚNICA 03/02, 06/02 e 07/02/2017 14:00 às 20:00 DIVULGAÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULÍNIA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS REFERENCIAL DE LINGUAGEM A B C D E ESCRITA NÍVEL DA PALAVRA DESCRIÇÃO DOS SABERES OBJETIVOS

Leia mais

Sistema de Numeração Decimal

Sistema de Numeração Decimal Sistema de Numeração Decimal Leitura deleite: O valor de cada um Os números no dia-a-dia Para refletir... Como trabalhamos o Sistema de Numeração Decimal na escola? Já perceberam que os Livros didáticos

Leia mais

A classificação do teste deve respeitar integralmente os critérios gerais e os critérios específicos a seguir apresentados.

A classificação do teste deve respeitar integralmente os critérios gerais e os critérios específicos a seguir apresentados. Teste Intermédio de Língua Portuguesa Teste Intermédio Língua Portuguesa 2.º Ano de Escolaridade Duração do Teste: 45 min (Caderno 1) + 30 min (pausa) + 45 min (Caderno 2) 03.06.2011 Decreto-Lei n.º 6/2001,

Leia mais

SEGUNDO REMANEJAMENTO CAMPUS SALGUEIRO MODALIDADES: MÉDIO INTEGRADO E SUBSEQUENTE

SEGUNDO REMANEJAMENTO CAMPUS SALGUEIRO MODALIDADES: MÉDIO INTEGRADO E SUBSEQUENTE SEGUNDO REMANEJAMENTO CAMPUS SALGUEIRO MODALIDADES: MÉDIO INTEGRADO E SUBSEQUENTE O DIRETOR GERAL DO CAMPUS SALGUEIRO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO, divulga

Leia mais

The social inclusion of the physically handicapped

The social inclusion of the physically handicapped A inclusão social dos portadores de deficiência física 45 4 A inclusão social dos portadores de deficiência física The social inclusion of the physically handicapped JOSÉ RIBEIRO DE CAMPOS Professor da

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014. Graduação de Nível Superior Completo em Enfermagem com registro no CRF

RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2014. Graduação de Nível Superior Completo em Enfermagem com registro no CRF RETIFICAÇÃO DO EDITAL DO CONCURSO PÚBLICO Nº 0/24 Enfermeiro Intervencionista (Cadastro de Reserva) Graduação de Nível Superior Completo em Enfermagem com registro no CRF R$ 2.142,78 Enfermeiro Intervencionista

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP 022/2012 CT PRCI n 99.324/2012 e Ticket n 278.712

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO. PARECER COREN-SP 022/2012 CT PRCI n 99.324/2012 e Ticket n 278.712 PARECER COREN-SP 022/2012 CT PRCI n 99.324/2012 e Ticket n 278.712 Assunto: Esclarecimento sobre a necessidade de cuidador de Portador de Necessidades Especiais (PNE) ser profissional de enfermagem. 1.

Leia mais

CHEQUE MORADIA FEV

CHEQUE MORADIA FEV CHEQUE MORADIA FEV - 2016 CHEQUE MORADIA É o instrumento de operacionalização do Programa CHEQUE MORADIA (Nossa Casa), que permite o aproveitamento do crédito outorgado do ICMS ao fornecedor de mercadoria

Leia mais

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS

PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PCN - PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS 01. O que são os Parâmetros Curriculares Nacionais? (A) Um documento com leis educacionais. (B) Um livro didático para ser aplicado em sala. (C) Um referencial para

Leia mais

Programa de Matemática 2º ano

Programa de Matemática 2º ano Programa de Matemática 2º ano Introdução: A Matemática é uma das ciências mais antigas e é igualmente das mais antigas disciplinas escolares, tendo sempre ocupado, ao longo dos tempos, um lugar de relevo

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS

PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS PLANO DE ENSINO DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 1º BIMESTRE 1-Conjuntos numéricos, regularidades numéricas e/ou geométricas ( conjuntos numéricos; seqüências numéricas e/ou geométricas; termo geral

Leia mais

DECRETO N , DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999

DECRETO N , DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999 DECRETO N. 3.298, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1999 Regulamenta a Lei n.º 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas

Leia mais

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova:

O presente documento dá a conhecer os seguintes aspetos relativos à prova: 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de simulação de exame nacional do ensino secundário da disciplina de Matemática A, a realizar no 2º período. O presente documento

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO PAOLA RATOLA DE AZEVEDO. Plano de aula

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO PAOLA RATOLA DE AZEVEDO. Plano de aula UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO PAOLA RATOLA DE AZEVEDO Plano de aula Setembro 2012 PAOLA RATOLA DE AZEVEDO Plano de aula Plano de aula apresentado à Faculdade de Educação da Universidade

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FRANCÊS - PROVA ESCRITA e ORAL 2016 Prova 16 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012 de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa

Leia mais

DECRETO Nº de 14 de abril de 2016.

DECRETO Nº de 14 de abril de 2016. DECRETO Nº 33369 de 14 de abril de 2016. Regulamenta a Lei Municipal nº 7.455, de 7 de Janeiro de 2016, que dispõe sobre a instituição do BILHETE ÚNICO ESPECIAL, que concede isenção no pagamento da tarifa

Leia mais

O trabalho do psicopedagogo domiciliar para a reabilitação cognitiva e neuroaprendizagem de pessoas com deficiências severas

O trabalho do psicopedagogo domiciliar para a reabilitação cognitiva e neuroaprendizagem de pessoas com deficiências severas O trabalho do psicopedagogo domiciliar para a reabilitação cognitiva e neuroaprendizagem de pessoas com deficiências severas Thaianny Cristine Salles da Silva Psicopedagoga, Neuropsicopedagoga, Especialista

Leia mais

(Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) O Congresso Nacional decreta:

(Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2005 (Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) Altera a Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das

Leia mais

2º ANO A - ENSINO FUNDAMENTAL

2º ANO A - ENSINO FUNDAMENTAL 2º ANO A - ENSINO FUNDAMENTAL 10/03 Inglês Unidades 1 e 2 (Páginas 4 a 22) Unidade 1 - Eu e todas as crianças (Páginas 10 a 28) 14/03 História Unidade 1 - Brinquedos e brincadeiras (Páginas 10 a 21) 17/03

Leia mais

VIVA ALEMANHA/SP. Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE DESENHO

VIVA ALEMANHA/SP. Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE DESENHO 1 VIVA ALEMANHA/SP Realização da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo CONCURSO DE DESENHO Mitos e Lendas de Origem Germânica JUSTIFICATIVA O Concurso de Desenho Mitos e Lendas de Origem Germânica

Leia mais

Conhecendo o Aluno com Deficiência Intelectual

Conhecendo o Aluno com Deficiência Intelectual I - [FICHA DE AVALIAÇÃO SOBRE O ALUNO COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL] Usar letra de forma É importante considerarmos que o aluno com deficiência intelectual da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro possui

Leia mais

Símbolo Acessível em Libras

Símbolo Acessível em Libras Símbolo Acessível em Libras O símbolo Acessível em Libras foi criado pelo Centro de Comunicação (Cedecom) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), órgão responsável pela produção e divulgação de

Leia mais

:: NOVA ESCOLA ON-LINE ::

:: NOVA ESCOLA ON-LINE :: Page 1 of 5 Planos de aula Educação Infantil Conhecimento de Mundo Linguagem Verbal Escrita e Linguagem Escrita Plano de trabalho Nomes próprios Introdução Por que trabalhar com os nomes próprios? As crianças

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 1ª Etapa 2013. Ano: 9 Turma: 91/92

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 1ª Etapa 2013. Ano: 9 Turma: 91/92 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2013 Disciplina: ARTE Professor (a): JANAINA Ano: 9 Turma: 91/92 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação. Faça

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 Altera as Leis nº 8.989, de 24 de fevereiro de 1995, nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, nº 10.048, de 8 de novembro de 2000, e nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000,

Leia mais

Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. Rosabela Agostinho Borges

Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual e Tecnológica. Rosabela Agostinho Borges Estudo sobre a integração de ferramentas digitais no currículo da disciplina de Educação Visual e Tecnológica Comiqs Manual e Guia de exploração do Comiqs para utilização em contexto de Educação Visual

Leia mais

A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos

A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos Organizadoras: Francisca Izabel Pereira Maciel Mônica Correia Baptista Sara Mourão Monteiro Estrutura da exposição 1. O contexto

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Manual do Usuário

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Manual do Usuário 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Retificação N 01/2017 CALENDÁRIO DE MATRÍCULA DE TURMAS INGRESSANTES - SiSU

Retificação N 01/2017 CALENDÁRIO DE MATRÍCULA DE TURMAS INGRESSANTES - SiSU Retificação N 01/2017 CALENDÁRIO DE MATRÍCULA DE TURMAS INGRESSANTES - SiSU 1º e 2 SEMESTRE DE 2017 CAMPUS PETROLINA LOCAL DE MATRÍCULA: SECRETARIA DE CONTROLE ACADÊMICO MATRÍCULAS SITUAÇÃO DATA HORÁRIO

Leia mais

ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. 2. Número doc. de Identidade 3. Órgão Expedidor 4. UF

ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. 2. Número doc. de Identidade 3. Órgão Expedidor 4. UF ANEXO II FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO 1. Nome do Candidato 2. Número doc. de Identidade 3. Órgão Expedidor 4. UF 5. Nascimento 6. Sexo 7. CPF 1.Masculino 2.Feminino 8. Endereço Permanente (rua/avenida, nº)

Leia mais

INSERÇÃO DO NUTRICIONISTA EM UMA UNIDADE DE REABILITAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL 1

INSERÇÃO DO NUTRICIONISTA EM UMA UNIDADE DE REABILITAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL 1 INSERÇÃO DO NUTRICIONISTA EM UMA UNIDADE DE REABILITAÇÃO FÍSICA DO RIO GRANDE DO SUL 1 Tamires Desconzi 2, Vanessa Schmidt 3, Daiana Dessüy Vieira 4, Márcio Junior Strassburger 5. 1 Sistematização da Assistência

Leia mais

Boas situações de Aprendizagens. Atividades. Livro Didático. Currículo oficial de São Paulo

Boas situações de Aprendizagens. Atividades. Livro Didático. Currículo oficial de São Paulo Atividades Boas situações de Aprendizagens Livro Didático Currículo oficial de São Paulo LÓGICA NUMA CONCEPÇÃO QUE SE APOIA EXCLUSIVAMENTE EM CONTEÚDOS E ATIVIDADES Enfoque fragmentado, centrado na transmissão

Leia mais

Cuidado Integral à Saúde de todos os Trabalhadores: desafio do profissional de saúde. 23/03/2013 Dra. Marcia Bandini

Cuidado Integral à Saúde de todos os Trabalhadores: desafio do profissional de saúde. 23/03/2013 Dra. Marcia Bandini Cuidado Integral à Saúde de todos os Trabalhadores: desafio do profissional de saúde 23/03/2013 Dra. Marcia Bandini 1 Questões Centrais Quem é e o que faz o(a) médico(a) do trabalho? Embasamento teórico

Leia mais

Conjuntos mecânicos II

Conjuntos mecânicos II A UU L AL A Conjuntos mecânicos II Nesta aula trataremos de outro assunto também relacionado a conjuntos mecânicos: o desenho de conjunto. Introdução Desenho de conjunto Desenho de conjunto é o desenho

Leia mais

ADIÇÃO, SUBTRAÇÃO E SIGNIFICADOS

ADIÇÃO, SUBTRAÇÃO E SIGNIFICADOS ADIÇÃO, SUBTRAÇÃO E SIGNIFICADOS CÉLIA MARIA CAROLINO PIRES Introdução: Fazendo uma breve retrospectiva O ensino das chamadas quatro operações sempre teve grande destaque no trabalho desenvolvido nas séries

Leia mais

DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA - PROFESSORA: RAFAELLE GUIMARÃES CONTEÚDOS:

DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA - PROFESSORA: RAFAELLE GUIMARÃES CONTEÚDOS: DICAS DE ESTUDO DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA - PROFESSORA: RAFAELLE GUIMARÃES 1) FAÇA seu dever de casa com qualidade e em sala de aula, PARTICIPE da correção, aproveitando para tirar dúvidas. 2) MANTENHA

Leia mais

Oficina: Jogar para gostar e aprender matemática. Profa. Dra. Adriana M. Corder Molinari dri.molinari@uol.com.br

Oficina: Jogar para gostar e aprender matemática. Profa. Dra. Adriana M. Corder Molinari dri.molinari@uol.com.br Oficina: Jogar para gostar e aprender matemática Profa. Dra. Adriana M. Corder Molinari dri.molinari@uol.com.br 1 Implicações do Jogo Quatro Cores: Para jogar bem, é preciso economia de cores e consideração

Leia mais

AVALIAÇÃO SEMESTRAL DO ALUNO Pré-Escola.

AVALIAÇÃO SEMESTRAL DO ALUNO Pré-Escola. Departamento Pedagógico Seção de Educação Infantil AVALIAÇÃO SEMESTRAL DO ALUNO Pré-Escola. A avaliação só nos propiciará condições para obtenção de uma melhor qualidade de vida se tiver assentada sobre

Leia mais

LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO. Professora Leatrice Ferraz leaferraz@gmail.com

LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO. Professora Leatrice Ferraz leaferraz@gmail.com LINGUAGEM E COMUNICAÇÃO Professora Leatrice Ferraz leaferraz@gmail.com A COMUNICAÇÃO HUMANA A COMUNICAÇÃO HUMANA COMUNICAR vem do latim communicare, que significa participar, fazer, saber, tornar comum.

Leia mais

Algoritmos e Programação : Conceitos e estruturas básicas. Hudson Victoria Diniz

Algoritmos e Programação : Conceitos e estruturas básicas. Hudson Victoria Diniz Algoritmos e Programação : Conceitos e estruturas básicas Hudson Victoria Diniz Relembrando... Um algoritmo é formalmente uma seqüência finita de passos que levam a execução de uma tarefa. Podemos pensar

Leia mais

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa

Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Bloco de Recuperação Paralela DISCIPLINA: Língua Portuguesa Nome: Ano: 1º Ano 2º Etapa 2014 Colégio Nossa Senhora da Piedade Área do Conhecimento: Códigos e Linguagens

Leia mais

Disciplina: Matemática Período: 1º. Equipe - 3 ano - turmas: 31, 32 e 33.

Disciplina: Matemática Período: 1º. Equipe - 3 ano - turmas: 31, 32 e 33. Número natural; Números e medidas; Contando de 10 em 10; Cem unidades ou uma centena; Centenas, dezenas e unidades; Antecessor e sucessor de um número natural; Comparando números naturais; Identificar

Leia mais

A redação no Enem 2013. Guia do Participante

A redação no Enem 2013. Guia do Participante A redação no Enem 2013 Guia do Participante Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação A redação no Enem 2013 Guia do participante 1. Objetivos: Desenvolver um material com orientações sobre a redação

Leia mais

20103328 Lesão nervosa periférica afetando um nervo com alterações sensitivas e/ou motoras SIM PR

20103328 Lesão nervosa periférica afetando um nervo com alterações sensitivas e/ou motoras SIM PR PR VM PRF TA L - LEGENDA Consta no ROL / Consta na TUSS / valores tabela antiga com correções Não consta no ROL / Consta na TUSS / valores tabela antiga com correções Consta no ROL / Consta na TUSS / valores

Leia mais

Índice. 1. Avaliar o Ensino e a Aprendizagem do Aluno...3. 2. Metodologia do Ensino de Português...4

Índice. 1. Avaliar o Ensino e a Aprendizagem do Aluno...3. 2. Metodologia do Ensino de Português...4 GRUPO 5.4 MÓDULO 6 Índice 1. Avaliar o Ensino e a Aprendizagem do Aluno...3 1.1. Avaliação normativa... 3 1.2. Avaliação qualitativa... 3 1.3. O papel do erro no processo educativo e na avaliação... 3

Leia mais

VIVA ALEMANHA/SP. CONCURSO DE DESENHO Mitos e lendas de origem germânica. Realização da Secretaria de Estado da Educação do Governo de São Paulo

VIVA ALEMANHA/SP. CONCURSO DE DESENHO Mitos e lendas de origem germânica. Realização da Secretaria de Estado da Educação do Governo de São Paulo 1 VIVA ALEMANHA/SP CONCURSO DE DESENHO Mitos e lendas de origem germânica Realização da Secretaria de Estado da Educação do Governo de São Paulo JUSTIFICATIVA O Concurso de Desenho Mitos e Lendas de Origem

Leia mais

2. Vagas disponíveis: 2.1. Foram disponibilizadas vagas nas seguintes disciplinas eletivas (2/2013), conforme quadro abaixo:

2. Vagas disponíveis: 2.1. Foram disponibilizadas vagas nas seguintes disciplinas eletivas (2/2013), conforme quadro abaixo: EDITAL 12/2013 PROCESSO SELETIVO PARA SELECAO DE ALUNOS ESPECIAIS NO PROGRAMA DE POS-GRADUACAO INTERDISCIPLINAR EM DESENVOLVIMENTO COMUNITARIO PPGDC - NIVEL MESTRADO SEMESTRE 2/2013 A Comissão de Seleção

Leia mais

Conteúdos: Língua, Linguagens e códigos Linguagem verbal e não verbal

Conteúdos: Língua, Linguagens e códigos Linguagem verbal e não verbal Conteúdos: Língua, Linguagens e códigos Linguagem verbal e não verbal Habilidades: Reconhecer a leitura de textos verbais e não verbais como possibilidade de acesso a diferentes informações Valorizar a

Leia mais

A realidade do SAB para as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. O acesso à Educação

A realidade do SAB para as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. O acesso à Educação 33 A realidade do SAB para as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. Quase 5 milhões de crianças e adolescentes, com idade entre 7 e 14 anos (18,8% da população da região) vivem no Semi-árido. No Brasil,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES MÓDULO DE CADASTRAMENTO DE ATLETAS 1º PASSO DOWNLOAD DO MÓDULO DE CADASTRAMENTO

MANUAL DE ORIENTAÇÕES MÓDULO DE CADASTRAMENTO DE ATLETAS 1º PASSO DOWNLOAD DO MÓDULO DE CADASTRAMENTO 1º PASSO DOWNLOAD DO MÓDULO DE CADASTRAMENTO 1. Entrar no Site Oficial dos Jogos Escolares do Paraná, na aba INSCRIÇÕES / INFORMAÇÕES INSCRIÇÕES ATLETAS. 2. Clicar em para fazer o download. Ao clicar aparecerá

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE MATEMÁTICA 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE MATEMÁTICA 5.º ANO DE MATEMÁTICA 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio dos Números e Operações, o aluno deve ser capaz de conhecer e aplicar propriedades dos divisores e efetuar operações com números racionais

Leia mais

O INTÉRPRETE EDUCACIONAL E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS EM SALA DE AULA REGULAR NO ENSINO DE UM ALUNO SURDO

O INTÉRPRETE EDUCACIONAL E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS EM SALA DE AULA REGULAR NO ENSINO DE UM ALUNO SURDO O INTÉRPRETE EDUCACIONAL E AS ESTRATÉGIAS UTILIZADAS EM SALA DE AULA REGULAR NO ENSINO DE UM ALUNO SURDO Marialba Mauro Alcantara 1 Escola Estadual Ernesto Monte Luis Mateus da Silva Souza 2 Universidade

Leia mais

1. A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS EDUCACIONAIS.

1. A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS EDUCACIONAIS. Formulação de Objetivos Educacionais 1. A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS EDUCACIONAIS. A prática educativa atua no desenvolvimento individual e social dos indivíduos, proporcionando-lhes os meios de apropriação

Leia mais

Sistemas Numéricos. Tiago Alves de Oliveira

Sistemas Numéricos. Tiago Alves de Oliveira Sistemas Numéricos Tiago Alves de Oliveira Sumário Sistemas Numéricos Binário Octal Hexadecimal Operações aritméticas binária e hexadecimal Operações lógicas binárias e decimais Representação Interna de

Leia mais

BLOCO: ESPAÇO E FORMA

BLOCO: ESPAÇO E FORMA 2ª Matemática 4º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade BLOCO: ESPAÇO E FORMA C1. Compreender os conceitos relacionados às características, classificações e propriedades das figuras geométricas,

Leia mais

Brincando com operações de adição e subtração; unidade, dezena e centena; horas; números pares e ímpares e sequência numérica

Brincando com operações de adição e subtração; unidade, dezena e centena; horas; números pares e ímpares e sequência numérica PPGECE Brincando com operações de adição e subtração; unidade, dezena e centena; horas; números pares e ímpares e sequência numérica Contextualização Maria Madalena Dullius Adriana Belmonte Bergmann Fernanda

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL E OS DIFERENTES TIPOS DE NECESSIDADES ESPECIAIS

EDUCAÇÃO ESPECIAL E OS DIFERENTES TIPOS DE NECESSIDADES ESPECIAIS EDUCAÇÃO ESPECIAL E OS DIFERENTES TIPOS DE NECESSIDADES ESPECIAIS Aluno: Matrícula: Curso: Unidade de Estudo: Data Prova: / / EDUCAÇÃO ESPECIAL E OS DIFERENTES TIPOS DE NECESSIDADES ESPECIAIS AVP MÉDIA

Leia mais

1. Escreva um programa em Pascal que leia três valores inteiros e mostre-os em ordem crescente. Utilize seleção encadeada.

1. Escreva um programa em Pascal que leia três valores inteiros e mostre-os em ordem crescente. Utilize seleção encadeada. Universidade Estadual Vale do Acaraú Curso: Engenharia Civil Disciplina: Programação de Computadores Prof. Hudson Costa Instruções: as equipes de cinco componentes (ou elementos) deverão fazer apenas 30

Leia mais

A prova é constituída por duas partes, prova escrita e prova oral, a ter lugar em datas distintas.

A prova é constituída por duas partes, prova escrita e prova oral, a ter lugar em datas distintas. 2015/2016 ANO DE ESCOLARIDADE: 9º ANO DURAÇÃO DA PROVA ESCRITA: 90 minutos TOLERÂNCIA: 00 minutos DURAÇÃO DA PROVA ORAL: ± 15 MINUTOS INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 3.º CICLO - 1.ª e 2.ª

Leia mais

Universidade do Algarve Faculdade de Ciência e Tecnologia Engenharia de Programação

Universidade do Algarve Faculdade de Ciência e Tecnologia Engenharia de Programação Universidade do Algarve Faculdade de Ciência e Tecnologia Engenharia de Programação Docente: Engª. Paula Ventura Discentes: Marta Santos nº13828 IG Vera Rocha nº13594 IG Um modelo de processo é uma representação

Leia mais

Ficheiros binários 1. Ficheiros binários

Ficheiros binários 1. Ficheiros binários Ficheiros binários 1 Ficheiros binários 1. Considere que dispõe de ficheiros binários cujo conteúdo é constituído por uma ou mais estruturas como a indicada a seguir struct registo { }; int ref; float

Leia mais

Unidade 1 Números e sistemas de numeração

Unidade 1 Números e sistemas de numeração Sugestões de atividades Unidade 1 Números e sistemas de numeração 6 MATEMÁTICA 1 Matemática 1. Para escrever um número, utilizamos símbolos: os algarismos. Escreva o maior e o menor número natural possível

Leia mais

QUESTIONÁRIO SATISFAÇÃO

QUESTIONÁRIO SATISFAÇÃO PESQUISA DE SATISFAÇÃO DE CLIENTES DE SERVIÇOS TELEFÔNICOS QUESTIONÁRIO SATISFAÇÃO Serviço Móvel Pessoal Pós - Pago (Nº do Questioná) ANEXO I A Pós - Pago SATISFAÇÃO EM RELAÇÃO AO SERVIÇO MÓVEL PESSOAL

Leia mais

Alfabetização matemática e direitos de aprendizagem no 1º ciclo. Luciana Tenuta lutenuta@gmail.com

Alfabetização matemática e direitos de aprendizagem no 1º ciclo. Luciana Tenuta lutenuta@gmail.com Alfabetização matemática e direitos de aprendizagem no 1º ciclo Luciana Tenuta lutenuta@gmail.com Direitos de Aprendizagem O artigo 32 da LDB estabelece que é necessário garantir o desenvolvimento da capacidade

Leia mais

Calendário de Verificação da Aprendizagem II Unidade 1º Ano Fundamental A/B/C/D

Calendário de Verificação da Aprendizagem II Unidade 1º Ano Fundamental A/B/C/D 1º Ano Fundamental A/B/C/D Dias Data 1º ano QUINTA 09/06 / HISTORIA SEXTA 10/06 INGLES SEGUNDA 13/06 MATEMATICA TERÇA 14/06 LINGUA PORTUGUESA QUARTA 15/06 CIENCIAS QUINTA 16/06 / EDUCAÇÃO ARTISITICA LÍNGUA

Leia mais

PLANEJAMENTO 2016. Disciplina: Matemática Série: 6º Ano Ensino: Fundamental Prof.: Rafael

PLANEJAMENTO 2016. Disciplina: Matemática Série: 6º Ano Ensino: Fundamental Prof.: Rafael Disciplina: Matemática Série: 6º Ano Ensino: Fundamental Prof.: Rafael 1ª UNIDADE II ) Compreensão de fenômenos Contagem 1. Números pra quê? 2. Sistemas de numeração 3. O conjunto dos números naturais

Leia mais

LISTA DE COMPETÊNCIAS 3 ANOS

LISTA DE COMPETÊNCIAS 3 ANOS LISTA DE COMPETÊNCIAS 3 ANOS 3 Anos Nome do Aluno: Data de Nascimento: / / Momentos de Avaliação A Educadora de Infância O Encarregado de Educação 1º Período / / 2º Período / / 3º Período / / Código de

Leia mais

Expectativas de aprendizagem Organização e participação A B

Expectativas de aprendizagem Organização e participação A B PROFESSOR: Eloise J. Guazzelli 4 º ANO A DISCIPLINA: Artes Plásticas Epectativas de aprendizagem 4º bi Relativiza as leituras de obras percebendo subjetividades. Identifica contetos culturais e sociais

Leia mais

Matemática A COTAÇÕES GRUPO I GRUPO II. Teste Intermédio. Versão 2. Duração do Teste: 90 minutos 29.11.2013. 12.º Ano de Escolaridade. 5...

Matemática A COTAÇÕES GRUPO I GRUPO II. Teste Intermédio. Versão 2. Duração do Teste: 90 minutos 29.11.2013. 12.º Ano de Escolaridade. 5... Teste Intermédio Matemática A Versão 2 Duração do Teste: 90 minutos 29..203 2.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março????????????? COTAÇÕES GRUPO I.... 0 pontos 2.... 0 pontos 3....

Leia mais

CARTILHA DA INCLUSÃO. Dos Diretos das Pessoas com Deficiência

CARTILHA DA INCLUSÃO. Dos Diretos das Pessoas com Deficiência CARTILHA DA INCLUSÃO Dos Diretos das Pessoas com Deficiência CARO LEITOR, ESTA CARTILHA TRATA DAS IDÉIAS E DIREITOS RELATIVOS À INCLUSÃO. MAS AFINAL O QUE É INCLUSÃO SOCIAL? É A INSERÇÃO DE PESSOAS COM

Leia mais

Cadastro de Profissional Escolar em Sala de Aula Censo Escolar 2016

Cadastro de Profissional Escolar em Sala de Aula Censo Escolar 2016 Cadastro de Profissional Escolar em Sala de Aula Censo Escolar 2016 SISTEMA DE CADASTRO DE ALUNOS DEINF - Departamento de Informação e Monitoramento CIMA - Coordenadoria de Informação, Monitoramento e

Leia mais

INGLÊS PROVA ESCRITA. 1. Introdução. 2. Objeto de avaliação. A) Competências COLÉGIO LICEAL DE SANTA MARIA DE LAMAS

INGLÊS PROVA ESCRITA. 1. Introdução. 2. Objeto de avaliação. A) Competências COLÉGIO LICEAL DE SANTA MARIA DE LAMAS Informação - Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico de COLÉGIO LICEAL DE SANTA MARIA DE LAMAS Prova de Exame de Equivalência à Frequência do Ensino Básico de: Prova 21 1ª Fase 2013 9º Ano

Leia mais

Informação sobre a Prova de Exame de Equivalência à Frequência

Informação sobre a Prova de Exame de Equivalência à Frequência Informação sobre a Prova de Exame de Equivalência à Frequência Prova de Francês LEII 3º Ciclo do Ensino Básico Duração da Prova: 90 minutos (escrita); 15 minutos (oral) 1.Objeto de avaliação A prova a

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Informação-Prova de Equivalência à Frequência

Agrupamento de Escolas de Porto de Mós Informação-Prova de Equivalência à Frequência Prova de Equivalência à Frequência de Inglês (Escrita + Oral) Prova Código 06-2016 2º Ciclo do Ensino Básico - 6ºano de escolaridade 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE TRANSGÊNICOS DEZEMBRO 2002 OPP 573 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL - Levantar junto a população da área em estudo opiniões sobre os transgênicos. -

Leia mais

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 1 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Disciplina: Língua Espanhola carga horária: 90 horas

PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 1 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Disciplina: Língua Espanhola carga horária: 90 horas MINISTERIO DA DEFESA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXERCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL PLANO DE SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS ESPANHOL 1 Área: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Leia mais