SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL"

Transcrição

1 SISTEMA DE GESTÃO PATRIMONIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS RESPONSÁVEL(EIS) PELA PRÁTICA: Nome: NELSON BARBOSA JR. Telefone: Nome: LUIS FERNANDO FAINA Telefone: Nome: FÁBIO LEMES DA CUNHA Telefone: Nome: RAULCEZAR ALVES Telefone: Nome: JOSE LUIS KORCKIEVICZ Telefone: Nome: PAULO ROBERTO PERES Telefone: Nome: JOSÉ INIVALDO RIBEIRO Telefone: Cargo: DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS e mail: Cargo: DIRETOR DO CENTRO TECNOL. DA INFORM. e mail: Cargo: ANALISTA DE TI e mail: Cargo: ANALISTA DE TI e mail: Cargo: GERENTE DA DIVISÃO DE MANUTENÇÃO e mail: Cargo: GERENTE DA DIVISÃO DE PATRIMONIO e mail: Cargo: GERENTE DA DIV. DE RECEP. DE EQUIPAM. e mail: Parceiro(s): CTI/UFU Centro de Tecnologia da Informação Data de início da implementação: Desenvolvimento: 30/11/2009 Piloto: 05/04/2010 Implementação Completa: 01/07/2010 Categoria e área de atuação da prática: ( X ) Recursos Logísticos ( X ) Patrimônio (normas e procedimentos para inventários de Bens Públicos, Bens Imóveis, Bens Móveis, Bens Fungíveis e Materiais Consumíveis, Bens Divisíveis, Bens Singulares e Coletivos, Bens de Natureza Industrial Contagem x Registro)

2 Resumo dos objetivos: Desenvolver um Sistema de Controle Patrimonial Integral que permita o acompanhamento de todo o ciclo do bem patrimonial na instituição desde sua recepção, armazenamento, tombamento, fechamentos contábeis, inventário, depreciação (em estudo), transferências de lotação, transferências de responsabilidade, pedidos de manutenção e laudo de baixa. Descrição da situação anterior à prática (perdas, desperdícios, ineficácias, obstáculos ou dificuldades que a prática veio minimizar ou eliminar): Até o ano de 2005 a Universidade Federal de Uberlândia utilizou um Mainframe IBM que rodava um sistema de registro patrimonial desenvolvido em linguagem COBOL. Apesar de ser um sistema limitado às operações de tombamento e fechamentos contábeis, ele por algum tempo foi referência para algumas instituições que nos visitavam para troca de experiências. Com a desativação deste equipamento em 2006, surgiu a necessidade de desenvolvimento de um novo sistema em caráter provisório, uma vez que a UFU estava implantando o sistema SIE (Sistema de Informação Educacional), que havia sido adquirido recentemente da Universidade de Santa Maria e que possuía um módulo de controle patrimonial que deveria ser implantado. Foi então criado pelo CTI (Centro de Tecnologia da Informação) o SIPAT (Sistema de Patrimônio) que passou a atender provisoriamente as atividades da Divisão de Patrimônio.

3 Com a implantação do SIE foram feitas avaliações do módulo de controle patrimonial e verificou se uma série de dificuldades em sua implantação, a saber: migração da base de dados que não era plenamente atendida no novo sistema; dificuldade de trabalho com o conceito de multi empresa que possibilitaria o controle patrimonial integrado da UFU e suas fundações de apoio; falta de autonomia nas adequações que se faziam necessárias; alto custo de manutenção; e elevado custo de suporte mensal. Em 2009 a UFU decidiu não mais implantar este módulo e avançar na consolidação de uma solução interna que vinha atendendo até então de forma satisfatória. Percebeu se que os grandes gargalos do sistema não estavam em suas funcionalidades, mas sim em suas duas principais interfaces, ou seja, os formulários de PSM (Pedido de Solicitação de Manutenção) e o TBP (Transferência de Bem Patrimonial).

4 As principais dificuldades então enfrentadas eram: Falta de documentação de movimentação de bens, ou seja, o bem era retirado com a respectiva solicitação de serviço e o usuário somente receberia a sua via do formulário assinada pelo setor competente posteriormente, ocasionando o extravio ou a não devolução do documento, deixando o usuário com a carga patrimonial, mas sem um documento capaz de comprovar a retirada do bem; Operação manual de pedidos e processamentos de formulários, exigindo um número elevado de servidores para realizar a tarefa; Falta de logística estruturada para atender de forma eficaz as entregas de bens e coletas de equipamentos para manutenção e bens para baixa; Impossibilidade de conferência se o equipamento enviado para manutenção ou baixa correspondia com a placa de patrimônio e se a carga patrimonial estava registrada adequadamente em nome do solicitante; Morosidade do processo de manutenção de equipamentos, prejudicando tanto atividades de ensino como de pesquisa; Falta de transparência e segurança durante o processo de manutenção, uma vez que o usuário não tinha como acompanhar o andamento das várias etapas envolvidas na manutenção; Deficiência no acompanhamento dos contratos de manutenção e garantias de serviços externos realizados. No caso do TBP as vias do formulário acompanhavam o fluxo do equipamento do cedente até o receptor e posteriormente para a DIPAT, ficando o cedente sem possibilidade de acompanhamento do fluxo, sem saber se o receptor havia assinado o documento e sem a confirmação da transferência da carga patrimonial; As baixas patrimoniais em função de leilão dependiam de lançamento no sistema de cada item do leilão (foram identificados casos de bens que foram para leilão e que, posteriormente, não foram baixados no sistema por falha humana, permanecendo a responsabilidade da carga patrimonial sobre o usuário); Lançamentos errados em função de um preenchimento manual não legível ou equivocado;

5 Falta de segurança administrativa quanto à localização real dos bens e suas respectivas cargas de responsabilidade, conforme exigido pelos órgãos de controle; O processo de transferência de bens demandava um longo tempo de processamento e uma grande área de armazenamento de documentos; Indisponibilidade de uma relação de bens patrimoniais da instituição para consulta dos usuários. Assim, era necessário o envio de um MI para a DIPAT solicitando o referido relatório. Feito o diagnóstico das dificuldades que enfrentávamos no controle patrimonial, iniciamos em 2009 negociações junto ao CTI para começar o desenvolvimento deste projeto. No final de 2009 deu se início ao desenvolvimento destes sistemas complementares no intuito de possibilitar um controle patrimonial capaz de acompanhar todo o ciclo do bem na instituição desde sua recepção, armazenamento, tombamento, fechamentos contábeis, inventário, depreciação (em estudo), transferências de lotação, transferências de responsabilidade, pedidos de manutenção e laudo de baixa, partindo de uma base de dados única fornecida pelo SIPAT. Foram desenvolvidos então dois novos sistemas que substituiriam os formulários de papel PSM e TBP (usados à época) pelos módulos e respectivamente. Descrição principais etapas de implementação (o que foi feito, por quem, como e em quanto tempo) O primeiro sistema a ser criado foi o SME Sistema de Manutenção em Equipamentos, responsável por auxiliar o gerenciamento de manutenções dos equipamentos da Universidade, que estão distribuídos pelos seus vários setores. Tal sistema possui três módulos básicos: O primeiro se refere a cadastros gerais (usuários, permissões, unidades orçamentárias, locais de coleta/entrega, etc.). O segundo módulo faz o controle dos pedidos de manutenção (abertura, atendimento, laudo de baixa, etc.). O ultimo é responsável pelo Almoxarifado de peças usadas nas manutenções.

6

7 O desenvolvimento do SME Sistema de Manutenção em Equipamentos foi feito por 2 Analistas de Sistemas do próprio CTI (Centro de Tecnologia da Informação), e seu cronograma macro se acha apresentado abaixo: Análise de Requisitos: levantamento dos requisitos básicos do sistema. Projeto: estudo e definição dos seguintes parâmetros: Linguagem : PHP. Framework : Symfony Plataforma de desnvolvimento : NetBeans 6.8 com plugin Symfony embutido Banco de Dados : Postgresql Implementação: codificação dos módulos definidos durante a Análise de Requisitos. Documentação: criação dos manuais e video aulas para os usuários do sistema. Testes: realização de testes gerais e alguns testes alfa nas dependências do CTI (Centro de Tecnologia da Informação) junto aos principais usuários. Implantação: publicação versão final do sistema no domínio e estruturação da base de dados do SIPAT (Sistema Patrimonial). O segundo sistema complementar do patrimônio é o STP Sistema de Transferência Patrimonial, que facilita a transferência de bens entre os diversos setores da Instituição. Este possui dois módulos básicos: O primeiro se refere a cadastros gerais (usuários, permissões, unidades orçamentárias, etc.). O segundo módulo faz o controle dos pedidos de transferência de bens (abertura, aceite, autorização da Divisão de Patrimônio, etc.).

8

9 Semelhantemente aos pedidos de manutenção anteriormente mencionados, as transferências eram feitas em formulários de papel que não garantiam a confiabilidade do processo. Com o sistema atual, os diretores/usuários podem abrir um pedido, requisitar bens de outros departamentos. Em seguida, o diretor cedente aceita ou não a transferência. Caso ele aceite, o diretor solicitante deve confirmar a transferência. E, para finalizar, os atendentes da divisão de patrimônio recolhem o termo de responsabilidade (conforme recomendação do TCU) e encerram a transferência. O desenvolvimento do STP (Sistema de Transferência Patrimonial) também foi feito por 2 Analistas de Sistemas do próprio CTI (Centro de Tecnologia da Informação) cujo cronograma macro é encontrado abaixo: Análise de Requisitos : levantamento dos requisitos básicos do sistema. Projeto : estudo e definição dos seguintes parâmetros: o Linguagem : PHP. o Framework : Symfony o Plataforma de desnvolvimento : NetBeans 6.8 com plugin Symfony embutido o Banco de Dados : Postgresql Implementação : codificação dos módulos definidos durante a Análise de Requisitos. Documentação : criação das video aulas para os usuários do sistema. Testes : realização de testes gerais e alguns testes alfa nas dependências do CTI (Centro de Tecnologia da Informação) junto aos principais usuários.

10 Implantação : publicação versão final do sistema no domínio e estruturação da base de dados do SIPAT (Sistema Patrimonial). Obstáculos encontrados e soluções adotadas A primeira dificuldade foi a falta de uma equipe técnica para realização do projeto. Isto foi solucionado com a contratação de um servidor Analista de TI para sob a coordenação de Analista de TI UFU, auxiliar no desenvolvimento. Iniciado o projeto, o grande desafio foi a falta de um mapeamento de processo estruturado que direcionasse as ações de desenvolvimento, que solucionado com o mapeamento dos processos de gestão patrimonial e manutenção de equipamentos e a identificação de pontos críticos nos processos, com proposição de melhorias seguindo orientações dos órgãos de controle. No intuito de minimizar os impactos naturais de implantação de um novo sistema, optouse por realizar um piloto envolvendo cinco unidades: DIRAM Diretoria de Administração de Materiais; CTI Centro de Tecnologia da Informação; ICBIM Instituto de Ciências Biomédicas; FEQUI Faculdade de Engenharia Química e FACIP Faculdade Integrada do Pontal, que contribuíram demasiadamente com as sugestões de melhorias apresentadas e identificação de deficiências no sistema, ocasionando uma implantação com o mínimo de resistência e desgaste possível. No momento de implantação no restante da UFU o desafio era a atualização do organograma que determinava quem era responsável por qual área e qual centro de custo era responsável pelos débitos gerados nos processos de manutenção. Teve se cuidado com este passo porque uma importante funcionalidade do SME (Sistema de Manutenção de Equipamentos) é a de não permitir que um usuário não pertencente ao centro de custo ao qual o bem está vinculado possa fazer um pedido de manutenção, exigindo do mesmo a atualização de sua lotação utilizando o STP (Sistema de Transferência Patrimonial), funcionando como ferramenta de localização de bens não encontrados em inventários anteriores, frutos de movimentação não registrada.

11 Métodos ou instrumentos de monitoração de resultados (indicadores de desempenho etc.): Integração do sistema de gestão patrimonial com o servidor de s permitindo a emissão de no inicio e término de toda transação para os usuários envolvidos; Relatórios de cunho gerencial específicos por classe de usuários; Tanto no SME como no STP disponibilizam uma caixa postal que permite a visualização das solicitações e seu ciclo de vida. Controle das execuções de contratos de manutenção e garantias de prestações de serviços. Recursos (financeiros, materiais, competências) utilizados para implantação da prática: Foram utilizadas horas de dois Analistas de TI para desenvolver o sistema proposto. Instalação de computadores em quatro pontos da Divisão de Manutenção que passaram a receber e despachar seus serviços a partir do novo sistema. Principais resultados alcançados (quantitativos e qualitativos) situação atual, mudanças efetivamente ocorridas: Resultados Gerais: Disponibilização de uma Interface amigável e intuitiva para o usuário, disponível na plataforma web, acessível a partir de navegador web que pode ser acessado em qualquer lugar que possua internet. Redução no tempo e custo de treinamento através de vídeo aulas autoexplicativas, acessadas dentro do próprio sistema. Geração de um LOG de status no qual o usuário sabe a todo o momento em que estágio sua solicitação se encontra, evitando o desgaste de ligações entre usuários e atendentes.

12 Emissão automática de mensagens eletrônicas (e mail) para os diretores, nas aberturas e encerramentos de suas solicitações. Disponibilização de uma ferramenta de busca, para encontrar solicitações antigas. Gestão integrada de logística com emissões termos de coleta e entrega dos bens. Disponibilização de manuais de funcionamento do sistema. Redução do número de servidores diretamente envolvidos nos processos de tramitação de solicitações de manutenção e transferência patrimonial, possibilitando o direcionamento de suas atividades para processos que se encontravam com déficit de pessoal. Os Sistemas estão instalados nos servidores do CTI (Centro de Tecnologia da Informação), onde são feitos back ups diários, garantindo a integridade dos dados. Resultados Específicos (SIPAT Sistema de Patrimônio): Registro do organograma da instituição em Centro de Custos. Possibilidade de criação de vários Locais em cada centro de custo para a alocação de bens patrimoniais de forma mais organizada e definição de Responsável e co responsável por local. Tombamento do bem individualmente ou em lote. Geração do termo de responsabilidade para entrega. Gestão dos bens da instituição e de suas fundações de apoio de forma integrada. Fechamentos contábeis mensais e anuais do imobilizado por órgão. Resultados Específicos (SME Sistema de Manutenção de Equipamentos): Controla o volume peças do almoxarifado usadas nas manutenções. Gerenciamento dos custos com manutenção por Unidades Orçamentárias. Realização de atendimentos on line entre atendentes e usuários. Gestão de contratos terceirizados. Controle de garantias de serviços realizados por terceiros. Aumento da demanda de solicitações de 263 pedidos/mês para 750 pedidos/mês. Redução do tempo médio de atendimento de manutenção de 31 dias para 21 dias.

13 Resultados Específicos (STP Sistema de Transferência Patrimonial): Controle de fluxo da transferência de bens. Geração de termos de responsabilidade dos bens. Consulta de bens através do código de barra. Autonomia na emissão de relatório de bens patrimoniais da unidade em Excel ou PDF. Geração de transferências de vários bens em uma mesma solicitação, anteriormente era necessário um formulário de TBP para cada bem. Geração de recolhimentos de bens em desuso que estavam em boas condições, mas não são mais utilizados pela unidade. Este material é posteriormente aproveitado em outra unidade da instituição. Possibilidade de geração de termos de responsabilidade internos vinculado ao CPF do servidor que utiliza o bem. No momento da emissão de Laudo de Baixa no SME o sistema atualiza automaticamente a base de dados do SIPAT do referido bem. Redução no volume e fluxo de documentos em papel para processamento e armazenamento. Em função da possibilidade de processamento de transferências em lote foi identificada uma redução de 662 solicitações/mês para 515 solicitações/mês. Concluindo, é importante relatar a impressão da comunidade universitária com o uso dos sistemas aqui relatados. O primeiro aspecto tem a ver com a simplicidade dos sistemas, dispensando longos treinamentos para familiarização com os novos procedimentos a serem aprendidos e praticados. Neste sentido, destaca se a clareza das vídeo aulas às quais se pode recorrer sempre que necessário para sanar eventuais dúvidas. Em segundo lugar, vem a questão da agilidade que os sistemas foram capazes de imprimir aos processos que os motivaram, especialmente ao se comparar com o que se dispunha anteriormente. Deve se lembrar que a tramitação de formulários em papel através de protocolos usados pelas instituições públicas é bastante lenta. Em seguida, vem a confiabilidade, ao se dispensar o uso de formulários em papel passíveis de serem

14 extraviados ou mesmo perdidos, acarretando dificuldades e atrasando os processos administrativos. Finalmente, aparece com destaque a transparência de todas as operações efetuadas, ficando registrado para fins administrativos e, também, para acompanhamento dos usuários, todos os passos que foram dados, quem foram os responsáveis, e as datas em que os diversos atores tiveram participação, desde a abertura do processo até sua finalização. Assim, pode se considerar que os sistemas tiveram excelente receptividade junto à comunidade universitária, recompensando a administração superior por poder atender ás expectativas de conferir maior eficiência às atividades administrativas. Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Administração de Materiais Av. Amazonas, 2210 bloco 2Z Campus Umuarama Uberlândia MG

Experiências da UFU no Controle Patrimonial e Gestão de Materiais

Experiências da UFU no Controle Patrimonial e Gestão de Materiais Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Planejamento e Administração Diretoria de Administração de Materiais FORPLAD Fórum de Pró-Reitores de Planejamento e Administração 08 a 10 de setembro

Leia mais

Mensagem Inventário N 01-14/04/2014

Mensagem Inventário N 01-14/04/2014 Mensagem Inventário N 01-14/04/2014 Tendo em vista que ainda não ocorreu a migração do atual sistema SAPweb para um novo sistema e que o inventário deve ser iniciado no dia 11/abril/2014, a Comissão de

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006

INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006 INSTRUÇÃO Nº 019 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2006 Orienta os órgãos da Administração Direta do Poder Executivo Estadual sobre os procedimentos a serem aplicados no controle patrimonial de bens móveis, em conformidade

Leia mais

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Divisão de Patrimônio DIPM/GRM/PRAD Manual do Sistema de Patrimônio Versão On-Line Núcleo de Informática Universidade Federal de Mato Grosso do Sul P á g i n a 2 Manual do Sistema de Patrimônio Núcleo

Leia mais

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES

Apresentação PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução ão: Com a necessidade de manter os bens o maior tempo possível em uso, torna-se importante um acompanhamento eficiente de sua

Leia mais

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino

1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino 1. DESCRIÇÃO DO SIE Sistema de Informações para o Ensino O SIE é um sistema aplicativo integrado, projetado segundo uma arquitetura multicamadas, cuja concepção funcional privilegiou as exigências da Legislação

Leia mais

Projeto: Sistema de Gestão S.G.

Projeto: Sistema de Gestão S.G. Projeto: Sistema de Gestão S.G. Universidade Federal de Uberlândia 1/11 Histórico de revisão Versão 1.0 Data Ve rsão Descrição Autores 012 09/07/2 1.0 Descrição do Projeto de desenvolvimento do Sistema

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP

MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP MANUAL DO USUÁRIO MODULO ALMOXARIFADO SUAP Pouso Alegre MG 2013 SUMÁRIO 1. Introdução.... 6 2. Efetuar Entrada de Material.... 8 2.1. Entrada de Material por Compra.... 8 2.1.1. Cadastro de Empenho...

Leia mais

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Kayo Delgado Medeiros de Almeida¹, Elon Gomes Vieira 2, Carlos Vitor de Alencar Carvalho 3, Magno Fonseca Borges 4, José

Leia mais

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires do Reis Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas Endereço:

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

Projeto de modelagem de sistema para transferência de bens patrimoniais

Projeto de modelagem de sistema para transferência de bens patrimoniais Projeto de modelagem de sistema para transferência de bens patrimoniais Eduardo Ceretta Dalla Favera 1 Fábio Weber Albiero 1 Gustavo Rissetti 1 Rodrigo Exterckötter Tjäder 1 Vinícius Vielmo Cogo 1 1 Acadêmico

Leia mais

Informativo da Divisão de Patrimônio - DIPAT

Informativo da Divisão de Patrimônio - DIPAT Informativo da Divisão de Patrimônio - DIPAT 001/2014 15/07/2014 1 - Alterações no Módulo Patrimônio - GURI Vimos informar a todos os usuários do Módulo Patrimônio do GURI, que nesta semana será concluído

Leia mais

Declaração de Escopo

Declaração de Escopo 1/9 Elaborado por: Adriano Marra, Bruno Mota, Bruno Leite, Janaina Versão: 1.4 Lima, Joao Augusto, Paulo Takagi, Ricardo Reis. Aprovado por: Porfírio Carlos Roberto Junior 24/08/2010 Time da Equipe de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014 Salvador, Bahia Sexta-Feira 21 de novembro de 2014 Ano XCIX N o 21.577 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 019/2014 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, sobre a realização

Leia mais

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE

INTRODUÇÃO REQUISITOS TECNOLÓGICOS E DE AMBIENTE INTRODUÇÃO Na intenção de realizar um novo sistema financeiro para a gestão de recursos de convênios celebrados pela Academia Brasileira de Ciências, o setor de informática juntamente com o setor financeiro

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Departamento de Administração Gabinete do Vice-Reitor

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Departamento de Administração Gabinete do Vice-Reitor UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Departamento de Administração Gabinete do Vice-Reitor Tendo em vista a necessidade de modernização dos sistemas corporativos e as dificuldades de implementar manutenções preventivas,

Leia mais

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família

Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família Desde o dia 01 de dezembro, o novo sistema de Gestão do Programa Bolsa Família (SIGPBF) do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) está disponível para os

Leia mais

Cód. Doc. TAB-RHU-003

Cód. Doc. TAB-RHU-003 1 de 27 ÁREA: SUPERINTENDÊNCIA CARGO: Diretor Superintendente Garantir o correto funcionamento dos sistemas de informação utilizados pela empresa; Aprovar projetos de melhorias nos equipamentos e sistemas

Leia mais

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO

DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO SISGED - SISTEMA DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DOCUMENTO DE REGRAS DE NEGÓCIO VERSÃO 1.0 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 04/2011 1.0 Primeira versão. Priscila Drielle Sumário

Leia mais

Ser referência de excelência nas soluções de consultoria e desenvolvimento de sistemas de informação, superando as expectativas dos clientes.

Ser referência de excelência nas soluções de consultoria e desenvolvimento de sistemas de informação, superando as expectativas dos clientes. DOMPER CONSULTORIA E SISTEMAS LTDA Rua Dr. Flores, 273 Sala 30-1 andar Ed. Frozzi CEP: 95.200-000 - Vacaria RS Fone (54) 3232-6119 / (54) 3232-8484 / (54) 3232-1471 CNPJ: 08.020.035/0001-02 IE: 154/0101158

Leia mais

ESTOQUE. Manual Estoque Atualizado em 29/06/2007 Pág. 1

ESTOQUE. Manual Estoque Atualizado em 29/06/2007 Pág. 1 MANUAL ESTOQUE Pág. 1 INTRODUÇÃO AO MÓDULO ESTOQUE Sua empresa seja de pequeno, médio, ou grande porte, precisa de um sistema que contemple as principais rotinas de controle de estoque. É para contornar

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack

Declaração do Escopo do Projeto. SysTrack Declaração do Escopo do Projeto SysTrack Nome do Projeto: SysTrack Versão do Documento: 1.0 Elaborado por: André Ricardo, André Luiz, Daniel Augusto, Diogo Henrique, João Ricardo e Roberto Depollo. Revisado

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato

ÍNDICE. Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato ÍNDICE Apresentação do produto Impacto no negócios Telas do sistemamódulos do sistema Mobilize Stock Mobilize Store A Handcom Contato Apresentação do produto O Mobilize é uma solução mobile modular para

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK. Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP

SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK. Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP Antonio Carlos da Cunha Migliano UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP RESUMO Este

Leia mais

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes

INVENTÁRIO ANUAL. Exercício 2011. Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes INVENTÁRIO ANUAL Exercício 2011 Orientações e Procedimentos para Comissões Inventariantes Elaboração: Fernando de Souza Guimarães : 3409-4674 / 3409-4675 : dimat@dsg.ufmg.br Belo Horizonte, 2011 SUMÁRIO

Leia mais

CADASTRO DO PCMSO INTERNO 1. OBJETIVO. Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO

CADASTRO DO PCMSO INTERNO 1. OBJETIVO. Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO 1/8 1. OBJETIVO Padronizar o processo de confecção do PCMSO Interno. 2. DEFINIÇÃO E CONCEITO PCMSO Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional; PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; PCMAT

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup.

INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16. Instrução Normativa: 14.16/08-01. Revisão nº 0102. Data da Revisão: 22/10/2012. Resolução Sup. INSTRUÇÃO NORMATIVA INS 14.16 Telemarketing Ativo Origem: Diretoria Superintendência Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Mato Grosso Instrução Normativa: 14.16/08-01 Revisão nº 0102

Leia mais

e- SIC Manual do SIC

e- SIC Manual do SIC e- SIC Manual do SIC Sumário Introdução.. 3 O e-sic.. 4 Primeiro acesso.. 5 Perfis de usuário.. 6 Cadastro de usuário no e-sic.. 7 Alteração de dados de usuários.. 9 Atualização de dados do SIC.. 11 Registro

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes

Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Incidentes Os usuários do negócio ou os usuários finais solicitam os serviços de Tecnologia da Informação para melhorar a eficiência dos seus próprios processos de negócio, de forma que

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015

EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015 Londrina, 07 de outubro de 2015. EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015 OBJETO: Art.1º. Constitui objeto desta licitação a aquisição de 01 (uma) Plataforma de Solução

Leia mais

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL

AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL AMTEC FATURAMENTO ELETRÔNICO IMAS MANUAL GOIÂNIA MAIO/2011 Direito de Cópia 2011 pela Gerência do Departamento de Desenvolvimento de Sistemas da AMTEC. 2011 1ª Edição Este documento ou parte dele não pode

Leia mais

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software

Help Encerramento do Exercício E&L Produções de Software Help Encerramento do Exercício Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Contents 5 Table of Contents Foreword

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte.

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. MANUAL DE SUPORTE Controle de Suporte Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. SUMÁRIO Considerações Iniciais... 3 Acesso... 4 Controle de Suporte... 5 1. Solicitação de Atendimento...

Leia mais

Help Contabilização Rápida E&L Produções de Software

Help Contabilização Rápida E&L Produções de Software Help Contabilização Rápida Note: To change the product logo for your ow n print manual or PDF, click "Tools > Manual Designer" and modify the print manual template. Contents 5 Table of Contents Foreword

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Jeferson Boesing 1 ; Tiago Heineck 2 ; Angela Maria Crotti da Rosa 3 ; Leila Lisiane Rossi 4 INTRODUÇÃO Alunos

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Declaração de Escopo. Projeto PDTI Informações Gerenciais

Declaração de Escopo. Projeto PDTI Informações Gerenciais Declaração de Escopo Projeto PDTI Informações Gerenciais Maio/2008 PRESIDÊNCIA Belo Horizonte, MG 3 3 Revisão 2 após replanejamento do projeto Fátima Freiria 05/05/2008 2 2 Revisão 1 após contratação Consist

Leia mais

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML...

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML... 1 Sumário 1 Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 3 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014

SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014 SERPREL INFORMÁTICA. Ápice Contábil - Fechamento de Balanço/2014 SUMÁRIO MANUAL DE ENCERRAMENTO DO EXERCICIO 1 Introdução 1 1.1 Recomendações 1 2. Procedimentos de Encerramento de Exercício 1 2.1.01 Lançamento

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012

SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012 SIPAC- SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS MÓDULO DE PROTOCOLO MANUAL DE OPERAÇÃO Versão 1.0 Dezembro/2012 Caro Gestor, Este manual de operação tem por objetivo instruí-lo sobre

Leia mais

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição

Leia mais

Manual de Utilização Site Peper

Manual de Utilização Site Peper Manual de Utilização Site Peper - Corretor - Introdução Com o objetivo de otimizar a produção e o controle operacional ligados ao PEPER Proteção Escolar Permanente, a Patente Seguros e o Colégio 24 Horas,

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUES Volume 5

GESTÃO DE ESTOQUES Volume 5 GESTÃO DE ESTOQUES Volume 5 INVENTÁRIO 1 GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Antonio Augusto Junho Anastasia Governador do Estado de Minas Gerais Renata Maria Paes de Vilhena Secretária de Estado de Planejamento

Leia mais

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Subcomissão de Patrimônio - GEFIM REITORIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO COMPATRIM/GEFIM SISTEMA PATRIMÔNIO WEB Manual do usuário v.1.1 Sumário Introdução... 4 Fluxo das Principais

Leia mais

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte

Cláudia Araújo Coordenadora Diego Macêdo Programador Marcelo Rodrigues Suporte BCON Sistema de Controle de Vendas e Estoque Declaração de escopo Versão 1.0 Histórico de Revisão Elaborado por: Filipe de Almeida do Amaral Versão 1.0 Aprovado por: Marcelo Persegona 22/03/2011 Time da

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1 MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento Toledo PR Página 1 INDICE 1. O QUE É O SORE...3 2. COMO ACESSAR O SORE... 4 2.1. Obtendo um Usuário e Senha... 4 2.2. Acessando o SORE pelo

Leia mais

Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CESSÃO DE DIREITOS - PF CCO CESSÃO DE DIREITOS CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE

Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CESSÃO DE DIREITOS - PF CCO CESSÃO DE DIREITOS CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE Banco Volkswagen Manual do Sistema CCO CESSÃO DE DIREITOS - PF CCO CESSÃO DE DIREITOS CENTRAL DE CRÉDITO ON-LINE Histórico do Documento Tipo de Norma: Manual Operacional Número: 19 Departamento Responsável:

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC.

Definir os procedimentos para gestão dos bens e materiais do TJAC. Código: MAP-DILOG-004 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Bens e Materiais Aprovado por: Diretoria de Logística 1 OBJETIVO Definir os procedimentos para gestão dos bens e

Leia mais

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA

EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA EMISSÃO DE CERTIFICADOS ELETRÔNICOS NOS EVENTOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS VIDEIRA Autores : Jeferson BOESING; Tiago HEINECK; Angela Maria Crotti da ROSA; Leila Lisiane ROSSI Identificação

Leia mais

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Elaborado por SIGA-EPT Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Versão Dezembro - 2009 Sumário 1 Introdução 5 1.1 Entrando no sistema e repassando as opções................... 5 1.2 Administração......................................

Leia mais

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo

Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo Request For Proposal (RFP) Desenvolvimento de um Web Site para a Varella Vídeo OBJETIVO O objetivo deste documento elaborado pela Varella Vídeo é fornecer as informações necessárias para que empresas cuja

Leia mais

Contact Center CPqD. Operação. Manual do Cliente. Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011

Contact Center CPqD. Operação. Manual do Cliente. Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011 Contact Center CPqD Operação Manual do Cliente Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011 Contact Center CPqD Operação Manual do Cliente Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0

Leia mais

Relação das Novidades Implementadas na Versão 2.9 do Sistema SankhyaW - Setembro/2011

Relação das Novidades Implementadas na Versão 2.9 do Sistema SankhyaW - Setembro/2011 Relação das Novidades Implementadas na Versão 2.9 do Sistema SankhyaW - Setembro/2011 Suporte à integração com Imobilizado nos Portais Agora as centrais estão integradas com o Imobilizado, logo é possível

Leia mais

Inventário 2014 Manual de Procedimentos

Inventário 2014 Manual de Procedimentos Inventário 2014 Manual de Procedimentos O Inventário anual de bens móveis Conforme está previsto na legislação vigente (Instrução Normativa 205/88), é obrigatório aos gestores das Unidades responsáveis

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N

TERMO DE REFERÊNCIA LOTE ITEM UN DESCRIÇÃO QUANTIDADE ENVIO DE MENSAGENS SHORT MESSAGE. no N TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ENVIO DE MENSAGENS SMS SHORT MESSAGE SERVICE PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Responsável: Superintendência Central de Governança Eletrônica Objeto LOTE ITEM

Leia mais

Calendário de Matrícula 1º Semestre de 2015. Calendário para Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e do Plano de Estudos

Calendário de Matrícula 1º Semestre de 2015. Calendário para Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e do Plano de Estudos Calendário de Matrícula 1º Semestre de 2015 Calendário para Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e do Plano de Estudos 2 e 3/1 Direito e Nutrição. 5/1 - Ciência da Computação, Sistemas

Leia mais

04/05/2010. Segundo a Rede de Pesquisa e Inovação em Tecnologias Digitais (RENAPI)

04/05/2010. Segundo a Rede de Pesquisa e Inovação em Tecnologias Digitais (RENAPI) Agenda MINISTERIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCACÃO PROFISSIONAL ETECNOLÓGICA IFBAIANO Sistema Integrado de Gestão Acadêmica Administrativo SIGA-ADM ADM Módulo de Protocolo TREINAMENTO (Geral) O Sistema

Leia mais

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES

UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO E ATIVIDADES COMPLEMENTARES DEPARTAMENTO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Emerson Barros de Meneses

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP

RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP RELATÓRIO DE ATIVIDADES SEMAP 2010 Paulo Cesar Roza da Luz Porto Alegre, dezembro de 2010 ÍNDICE - Introdução... 03 - Atividades realizadas... 04 1) Manutenção... 04 2) Almoxarifado... 06 3) Patrimônio...

Leia mais

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot

Proposta Loja Virtual. Schmitt Tricot Proposta Loja Virtual Schmitt Tricot Apresentação: Atualmente atuo no mercado de sites e lojas virtuais desde 2010, desenvolvendo novas ideias, trabalhando com agilidade, para sempre atender a todas as

Leia mais

Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S

Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S Módulos do Sistema CarOnline365 Orçamentos Ordens de Serviço

Leia mais

MÓDULO 5 Movimentações

MÓDULO 5 Movimentações MÓDULO 5 Movimentações Bem-vindo(a) ao quinto módulo do curso. Agora que você já conhece as entradas no HÓRUS, aprenderá como são feitas as movimentações. As movimentações do HÓRUS são: Requisição ao Almoxarifado:

Leia mais

AUDITORIA DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA PRESTADOS PELA RADDAR ONLINE À AFFEGO NO PERÍODO 2005/2006

AUDITORIA DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA PRESTADOS PELA RADDAR ONLINE À AFFEGO NO PERÍODO 2005/2006 AUDITORIA DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA PRESTADOS PELA RADDAR ONLINE À AFFEGO NO PERÍODO 2005/2006 Autor: George Alexandre P. de Andrade (Analista de Sistemas, Bacharel em Engenharia Elétrica)

Leia mais

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo NTI Núcleo de Tecnologia e Informação Fundação Unirg 1. Introdução A utilização da informática surgiu como uma ferramenta

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Inclusão e Envio de Proposta. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS Portal dos Convênios - SICONV Inclusão e Envio de Proposta Manual

Leia mais

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo

Prefeitura de Belo Horizonte. Sistema de Controle de Protocolo Prefeitura de Belo Horizonte Sistema de Controle de Protocolo Relatório apresentado para concorrer ao 2º Prêmio Inovar BH conforme Edital SMARH nº 001/2014 Belo Horizonte Julho de 2014 Resumo Sendo grande

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia UFU. Reitor Alfredo Julio Fernandes Neto reitoria@ufu.br. Vice-Reitor Darizon Alves de Andrade reitoria@ufu.

Universidade Federal de Uberlândia UFU. Reitor Alfredo Julio Fernandes Neto reitoria@ufu.br. Vice-Reitor Darizon Alves de Andrade reitoria@ufu. AÇÕES AÇÕES Universidade Federal de Uberlândia UFU Reitor Alfredo Julio Fernandes Neto reitoria@ufu.br Vice-Reitor Darizon Alves de Andrade reitoria@ufu.br Pró-Reitor de Extensão, Cultura e Assuntos Estudantis

Leia mais

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário

Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas SESAU Coordenadoria Setorial de Gestão a Informática - CSGI Sistema de HelpDesk da SESAU Guia do Usuário Maceió 06/02/2012 Técnico Responsável: Bruno Cavalcante

Leia mais

Experiência: MEDIDAS SANEADORAS NA GESTÃO DO ESTOQUE. ITAIPU Binacional Superintendência de Materiais

Experiência: MEDIDAS SANEADORAS NA GESTÃO DO ESTOQUE. ITAIPU Binacional Superintendência de Materiais Experiência: MEDIDAS SANEADORAS NA GESTÃO DO ESTOQUE ITAIPU Binacional Superintendência de Materiais Responsável: Moacyr Ribeiro da Silva Jr. Gerente do Departamento de Gestão de Estoques Endereço: Av.

Leia mais

GSAN. Sistema de Gestão Comercial para empresas de saneamento. Versão Atual do GSAN. Módulos

GSAN. Sistema de Gestão Comercial para empresas de saneamento. Versão Atual do GSAN. Módulos GSAN Sistema de Gestão Comercial para empresas de saneamento Versão Atual do GSAN A PROCENGE é líder nacional no fornecimento de softwares de gestão para companhias de Água e Saneamento, com base na sua

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Sistema on-line Sistema on-line O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de

Leia mais

Consulta e Acompanhamento de Propostas

Consulta e Acompanhamento de Propostas Consulta e Acompanhamento de Propostas 03 Consulta e Acompanhamento de propostas Posição de Propostas Análise da Proposta 07 10 17 Proposta Rejeitada 02 Consulta e Acompanhamento de Propostas No momento

Leia mais

SCAN- SISTEMA DE CONTIGÊNCIA NACIONAL

SCAN- SISTEMA DE CONTIGÊNCIA NACIONAL SCAN- SISTEMA DE CONTIGÊNCIA NACIONAL Emissão de notas fiscais eletrônica pelo sistema SCAN- Sistema de Contingência Nacional O SCAN é a modalidade de contingência eletrônica que permite que o emissor

Leia mais

Adicionais. Grupo Acert - 1

Adicionais. Grupo Acert - 1 MÓDULOS Adicionais Grupo Acert - 1 ÍNDICE 1 - ESTOQUE 1.1- Balanço de Estoque 03 2 - FATURAMENTO/FINANCEIRO 2.1- Pagamento Eletrônico (Fornecedores) 2.2- Plug-in Cheque Custódia 06 07 3 - FISCAL e CONTÁBIL

Leia mais

Utility Systems - Gestão 2.0 para gráficas, bureaus e acabamento

Utility Systems - Gestão 2.0 para gráficas, bureaus e acabamento Utility Systems - Gestão 2.0 para gráficas, bureaus e acabamento www.utility.com.br VISÃO GERAL O Utility é um aplicativo web, multiplataforma, que possui cinco módulos independentes capazes de oferecer

Leia mais

MANUAL DE USUÁRIO DO SISPATR

MANUAL DE USUÁRIO DO SISPATR MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS DIRETORIA DE CONTABILIDADE (Repartição de Contabilidade da Guerra/1860) MANUAL DE USUÁRIO DO SISPATR SISTEMA GERENCIAL DE ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Sumário. Antecedentes legais. Atividades relevantes. O que é o SIGAP. Estrutura simplificada do SIGAP. Principais benefícios

Sumário. Antecedentes legais. Atividades relevantes. O que é o SIGAP. Estrutura simplificada do SIGAP. Principais benefícios Sumário Antecedentes legais Atividades relevantes O que é o SIGAP Relevância do SIGAP para o acompanhamento de projetos Estrutura simplificada do SIGAP Principais benefícios Atividades em desenvolvimento

Leia mais

Consignação Manual do Correspondente Consignação

Consignação Manual do Correspondente Consignação Manual do Correspondente Consignação Banestes S.A. - Banco do Estado do Espírito Santo GCONS - Gerência de Consignação SUMÁRIO 1. Conceito...3 2. Apresentação...3 3. Informações Gerais...3 3.1. Condições

Leia mais

Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full

Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full Portal RH WEB Versão 3.6.6 - Full = z A principal característica do portal RH é permitir a descentralização das informações dos colaboradores, possibilitando que o gestor de área se transforme também num

Leia mais

SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE

SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE SAD SISTEMA DE ATENDIMENTO DATAMACE OBJETIVO O SAD foi desenvolvido para aprimorar e permitir o rastreamento dos registros de contatos realizados entre a Datamace e seus clientes. Permite administrar a

Leia mais

Software. Gerenciamento de Manutenção

Software. Gerenciamento de Manutenção Software Gerenciamento de Manutenção Importância de um Software de Manutenção Atualmente o departamento de manutenção das empresas, como todos outros departamentos, necessita prestar contas de sua atuação

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE JURUENA ESTADO DE MATO GROSSO

CÂMARA MUNICIPAL DE JURUENA ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE JURUENA ESTADO DE MATO GROSSO ANEXO I CRONOGRAMA DE AÇÕES E IMPLEMENTAÇÕES DOS PROCEDIMENTOS EXIGIDOS PELAS PORTARIAS Nº. 406/828, DA SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL - STN ITEM PRODUTO

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Macaé, Outubro de 2010 SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Página 1 de 38 Controle de Revisões Data Comentário Responsável 01/10/2010 Revisão e correção de texto Marcos Lemos 01/10/2010 Correção

Leia mais

Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores

Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Segurança e Escalabilidade em WebLab no Domínio de Redes de Computadores Autor: Daniel Vieira de Souza 1, Orientador: Luís Fernando Faina 1 1 Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Universidade

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32

NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA. Controle Judicial. Manual de Instruções. Versão 8.32 NEWCOLLECTOR SISTEMA DE COBRANÇA Controle Judicial Manual de Instruções Versão 8.32 1 Sumário 1 CONTROLE DE COBRANÇA JUDICIAL... 4 1.1 ARQUIVO... 4 1.1.1 Processos...4 1.1.1.1 Réus Principais do Processo...13

Leia mais

Soluções em TI para Web

Soluções em TI para Web Integração do Moodle com SIGA-EUC Lino Vaz Moniz lino@badiu.net linovazmoniz@gmail.com Outubro de 2010 1 Sumário 1- Objetivo...3 3- Justificativa...3 4 Funcionalidades do Modulo...4 5- Cronograma...6 6-

Leia mais

Apresentação. Módulos integrantes

Apresentação. Módulos integrantes Apresentação O Sistema de Informações Gerenciais de Acompanhamento de Projetos (SIGAP) tem por objetivo organizar informações referentes ao acompanhamento da execução de projetos de cooperação técnica

Leia mais