Plano Diretor de Tecnologia da Informação. 2013/2014-1ª Edição

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano Diretor de Tecnologia da Informação. 2013/2014-1ª Edição"

Transcrição

1 Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2013/2014-1ª Edição Aprovado em 29 de Outubro de 2013

2 Ministério da Previdência Social - MPS Garibaldi Alves Filho Superintendência Nacional de Previdência Complementar - PREVIC José Maria Rabelo Diretoria de Administração - DIRAD José Maria Meneses Coordenação Geral de Tecnologia da Informação - CGTI Eduardo Bittencourt Fernandes Superintendência Nacional de Previdência Complementar Sede: SBN trecho 02 - Bloco N Edifício CNC III CEP: Brasília DF Escritórios regionais Escritório de Fiscalização da PREVIC em Minas Gerais (ERMG) Endereço: Rua Padre Eustáquio, andar salas 501/502 Bairro Padre Eustáquio / CEP: Belo Horizonte/MG Coordenador: James Taylor Faria Chaves Telefone: (31) / Escritório de Fiscalização da PREVIC em Pernambuco (ERPE) Endereço: Av. Jornalista Mário Melo, andar Santo Amaro / CEP: Recife/PE Coordenador: Otávio Lima Reis Telefone: (81) Página 2 de 195

3 Escritório de Fiscalização da PREVIC no Rio de Janeiro (ERRJ) Endereço: Rua México, andar Centro / CEP: Rio de Janeiro/RJ Coordenador: Eduardo Menezes Meireles Telefone: (21) Escritório de Fiscalização da PREVIC no Rio Grande do Sul (ERRS) Endereço: Rua Jerônimo Coelho, andar sala 1804, Centro / CEP: Porto Alegre/RS Coordenador: Roger Odillo Klafke Telefone: (51) Escritório de Fiscalização da PREVIC em São Paulo (ERSP) Endereço: Rua 24 de Maio, 250, 12 andar CEP: São Paulo/SP Coordenador: Peterson Gonçalves Telefone: (11) Página 3 de 195

4 Equipe de elaboração do PDTI Designação da equipe aprovada na Quarta Reunião Extraordinária do Comitê Executivo de Tecnologia da Informação da PREVIC Nome Designação Área Roberto Mendes Altavilla Luttner Titular Gabinete Trajano Passos Ferraz Moreira Titular Diretoria de Administração DIRAD Silvan Lucas de Sousa Junior Titular Diretoria de Análise Técnica DITEC Margarida Maria Silva Rodrigues Titular Patrícia Lustosa Ventura Ribeiro Titular Diretoria de Assuntos Atuarias, Contábeis e Econômicos DIACE Coordenação Geral de Tecnologia da Informação CGTI/DIRAD Paulo César Andrade Almeida Titular Diretoria de Fiscalização DIFIS Rodrigo Bezerra Martins Titular Procuradoria Amable Alejandro Traviesa Zaragoza Neto Suplente Gabinete Luiz Cristiano Rocha Leite Suplente DIRAD Giovanna Andreia Luna Farias Suplente DITEC Marcus Vinícius Azevedo Suplente DIACE Karina Ericson Araújo Sotero Suplente CGTI/DIRAD José Carlos Sampaio Chedeak Suplente DIFIS Página 4 de 195

5 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor(es) 16/9/ Aprovação da primeira versão do PDTI Grupo de Trabalho PDTI Comitê Executivo 9/10/ Revisão versão do PDTI de Tecnologia da Informação. 29/10/ Aprovação do PDTI DICOL Previc Página 5 de 195

6 Apresentação O Plano Diretor de Tecnologia da Informação da PREVIC (PDTI) reflete o amadurecimento do nível de governança da autarquia, fruto da atuação efetiva do Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CEXTI, e do empenho dos servidores desta Instituição que participaram da elaboração desta importante ferramenta para o alcance da missão institucional. Este plano foi construído em harmonia com o Planejamento Estratégico da Previdência Social e com o Plano Estratégico da PREVIC e compreende todas as ações de TI indispensáveis para o desenvolvimento dos objetivos estratégicos desta Autarquia. Este documento registra, de forma resumida, a metodologia aplicada na elaboração do PDTI; o Inventário de Necessidades; os planos de Metas e Ações, de Investimentos e de Custeio, de Gestão de Riscos; Projeção Orçamentária de TI, dentre outros elementos táticos e estratégicos relacionados à Tecnologia da Informação. O período de vigência deste PDTI contempla o biênio , com a abrangência na Sede e escritórios regionais. Finalmente, espera-se que este documento cumpra seu papel como instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e serviços de Tecnologia da informação no âmbito da PREVIC. Página 6 de 195

7 Sumário 1. Introdução Importância da Tecnologia da Informação para a Sociedade A Organização da TI no Setor Público A implantação do Modelo de Governança A formação do PDTI na PREVIC Motivação Metodologia Aplicada A fase de Preparação A fase de Diagnóstico A fase de Planejamento Considerações Documentos de Referência Princípios e Diretrizes Organização da TI Contextualização da CGTI Panorama atual da CGTI Atribuições da CGTI Atribuições da Coordenação de Desenvolvimento Tecnológico Contexto atual Resultados do PDTI anterior Avaliação da Execução do PDTI Página 7 de 195

8 6.2. Avaliação do Alcance de Metas Fatores que dificultaram a execução ou o alcance das metas Referencial Estratégico de TI Missão Visão Objetivo Estratégico da TI Análise de SWOT Forças e fraquezas Oportunidades e Ameaças Alinhamento com a Estratégia da Organização O Plano Estratégico da PREVIC Direcionadores Estratégicos da PREVIC Missão Visão Valores Objetivos Estratégicos da PREVIC Resultados para a Sociedade Objetivos Estratégicos da PREVIC Processos internos Objetivos Estratégicos da PREVIC Aprendizado e crescimento Mapa Estratégico da Previdência Social PETI/MP EGTI/SISP/MP Objetivos deste documento Página 8 de 195

9 9. Inventário de Necessidades Necessidades Identificadas Diagnóstico dos equipamentos de informática Relação de Estações de Trabalho em Brasília e nos Escritórios Regionais Relação de computadores portáteis Relação de projetores Diagnóstico de sistemas Sistemas em manutenção Sistemas em sustentação e produção Diagnóstico dos serviços Contrato de Atendimento e Suporte Técnico Contrato de prestação de serviço de TI Contrato de Telefonia Fixa Contrato de Impressão e Digitalização Manutenção da Central Telefônica Art.53 da Lei Nº , de 23 de Dezembro de Plano de Metas, Ações e Priorização Critérios de Priorização Detalhamento do Plano de Metas e Ações Plano de Gestão de Pessoas Mapeamento de Competências Ações de contingência Página 9 de 195

10 12. Planejamento da Execução Plano de Gestão de Riscos Análise dos riscos inerentes às necessidades estratégicas elencadas no PDTI Análise dos riscos operacionais e de controle da PREVIC - Vide Anexo II Projeção Orçamentária de TI Políticas de aquisição, substituição e descarte de equipamentos de TI Diretrizes de aquisição e substituição de equipamentos Diretrizes de descarte de Equipamentos Sustentabilidade Ambiental Processo de Monitoramento e Avaliação da Execução do PDTI Processo de Revisão do PDTI Fatores Críticos para a Implementação do PDTI Página 10 de 195

11 Lista de Tabelas Tabela 1- Documentos de Referência Tabela 2 - Princípios e Diretrizes Tabela 3 Avaliação da Execução do PDTI Tabela 4 - Avaliação do alcance de metas do PDTI Tabela 5 - Analise SWOT - Forças e fraquezas Tabela 6 - Analise SWOT - Oportunidades e Ameaças Tabela 7 - Objetivos Estratégicos Resultados Tabela 8 - Objetivos Estratégicos Processos internos Tabela 9 - Objetivos Estratégicos Aprendizado e crescimento Tabela 10 - Objetivos Estratégicos Aprendizado e crescimento Tabela 11 - Objetivos do PETI Tabela 12 - Objetivos Estratégicos do EGTI Tabela 13 Necessidades Identificadas Tabela 14 Relação de estações de trabalho na sede da PREVIC Tabela 15 Relação de estações de trabalho nos Escritórios Regionais Tabela 16 Relação de computadores portáteis da PREVIC Tabela 17 Relação de projetores da PREVIC Tabela 18 Relação dos sistemas em manutenção na PREVIC Tabela 19 Relação dos sistemas em sustentação e produção na PREVIC Tabela 20 Quantidade de atendimentos de suporte técnico em Tabela 21 - Atendimentos de suporte técnico em 2012 por Diretoria Página 11 de 195

12 Tabela 22 Número de folhas impressas nas instalações da PREVIC Tabela 23 Legenda dos Critérios de Priorização Tabela 24 Detalhamento do Plano de Metas e Ações Tabela 25 Competências em TI necessárias para alcance das metas do PDTI. 92 Tabela 26 Quantidade, locação e competência ideais de servidores da CGTI.. 95 Tabela 27 Planejamento da Execução Tabela 28 Análise de Riscos de cada ação de TI Lista de Figuras Figura 1 - Fases e produtos da Metodologia de Elaboração do PDTI Figura 2- Organograma da CGTI/DIRAD Figura 3 - Análise de execução do PDTI Figura 4 - Análise do alcance de metas do PDTI Figura 5 - Análise das principais dificuldade de execução do PDTI Figura 6- Mapa Estratégico da PREVIC Figura 7 - Objetivos estratégicos do EGTI/SISP/MP Figura 8 Gráfico de alocação necessária de servidores Figura 9 - Processo de Monitoramento e Avaliação da Execução do PDTI Figura 10 - Processo de Revisão e Atualização do PDTI Página 12 de 195

13 Página 13 de 195

14 Termos e abreviações ATI Analista em Tecnologia da Informação CEXTI Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CGU Controladoria Geral da União EGTI Estratégia Geral de Tecnologia da Informação e-mag Modelo de Acessibilidade do Governo Eletrônico e-ping Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico ENAP Escola Nacional de Administração Pública IN Instrução Normativa MPS Ministério da Previdência Social MP - Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PEI Planejamento Estratégico Institucional PPA Plano Plurianual PREVIC Superintendência Nacional de Previdência Complementar SISP Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação do MP SLTI Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do MP SWOT Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats TCU Tribunal de Contas da União TI Tecnologia da Informação Página 14 de 195

15 1. Introdução 1.1. Importância da Tecnologia da Informação para a Sociedade Ao longo dos anos, a informática tornou-se um instrumento fundamental para o cotidiano das pessoas e, da mesma maneira, para o funcionamento das empresas públicas e privadas. A então denominada Sociedade da Informação estava diante de um novo paradigma que mereceria a atenção do Governo Eletrônico: a Inclusão Digital - ações específicas para difundir e popularizar o uso da microinformática e das redes de computadores, a exemplo da Internet. A inserção da Tecnologia da Informação - TI ao cotidiano das atividades das organizações associada ao alto grau de dependência gerou a necessidade de estabelecer processos formais de gestão da TI, visto que ela se tornou um mecanismo essencial e impulsionador dos objetivos estratégicos das instituições A Organização da TI no Setor Público O Governo Federal optou pela criação do Sistema de Administração de Recursos de Informática e Informação SISP, composto pelas áreas técnicas de informática dos órgãos da Administração Pública Direta e Indireta, coordenados pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação SLTI/MP. Segundo o Decreto nº de 11 de outubro de 2011: Art. 1º Ficam organizados sob a forma de sistema, com a denominação de Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - SISP, o planejamento, a coordenação, a organização, a operação, o controle e a supervisão dos recursos de tecnologia da informação dos órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, em articulação com os demais sistemas utilizados direta ou indiretamente na gestão da informação pública federal. Art. 2º O SISP tem por finalidade: Página 15 de 195

16 I - assegurar ao Governo federal suporte de informação adequado, dinâmico, confiável e eficaz; II - facilitar aos interessados a obtenção das informações disponíveis, resguardados os aspectos de disponibilidade, integridade, confidencialidade e autenticidade, bem como restrições administrativas e limitações legais; III - promover a integração e a articulação entre programas de governo, projetos e atividades, visando à definição de políticas, diretrizes e normas relativas à gestão dos recursos de tecnologia da informação; IV - estimular o uso racional dos recursos de tecnologia da informação, no âmbito do Poder Executivo federal, visando à melhoria da qualidade e da produtividade do ciclo da informação; V - estimular o desenvolvimento, a padronização, a integração, a interoperabilidade, a normalização dos serviços de produção e disseminação de informações, de forma desconcentrada e descentralizada; VI propor adaptações institucionais necessárias ao aperfeiçoamento dos mecanismos de gestão dos recursos de tecnologia da informação; VII - estimular e promover a formação, o desenvolvimento e o treinamento dos servidores que atuam na área de tecnologia da informação; e VIII - definir a política estratégica de gestão de tecnologia da informação do Poder Executivo federal. 1º Consideram-se recursos de tecnologia da informação o conjunto formado pelos bens e serviços de tecnologia da informação que constituem a infraestrutura tecnológica de suporte automatizado ao ciclo da informação, que envolve as atividades de produção, coleta, tratamento, armazenamento, transmissão, recepção, comunicação e disseminação. Página 16 de 195

17 2º As questões relativas à gestão de segurança da informação são disciplinadas conforme as disposições do Decreto nº 3.505, de 13 de junho de O SISP tem a função de estabelecer diretrizes para a condução da TI nos órgãos da Administração Pública, bem como de estabelecer normas específicas para a execução de atividades e serviços A implantação do Modelo de Governança A SLTI do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, apoiada nas diversas jurisprudências exaradas pelo egrégio Tribunal de Contas da União, publicou instruções normativas, decretos e documentos de suporte ao planejamento das atividades de Tecnologia da Informação (TI) dos órgãos que a compõem. Deste arcabouço normativo destaca-se a Instrução Normativa nº 04 de 12 de novembro de 2010 (DOU 16/11/2010), que estabelece o processo de contratação de serviços de TIC e aponta para a necessidade de alinhamento estratégico institucional da TI para a consecução das suas metas. Por meio da Portaria SLTI nº 11 de 28 de dezembro de 2008, o órgão central do SISP estabeleceu um conjunto de atividades que deveriam ser executadas pelos demais integrantes do Sistema com a finalidade de implantar o modelo de governança em TIC do Governo Federal. O modelo de governança em TI determinou a criação de "instrumentos de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades de informação de um órgão ou entidade para um determinado período" como premissa para qualquer contratação ou aquisição na área de TI. A este instrumento deu-se o nome de Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) A formação do PDTI na PREVIC Página 17 de 195

18 O PDTI representa um instrumento indispensável para a gestão dos recursos de TI. Por isso, na área pública, em que os recursos, de uma forma geral, são mais limitados do que área privada, os órgãos de controle de governo, em especial o Tribunal de Contas da União (TCU), há muito vêm enfatizando a necessidade de que, antes de executarem seus gastos relacionados à TI, os órgãos públicos devem elaborar um PDTI que contemple todas as ações e as associem às metas de suas áreas de negócio. Essa recomendação tornou-se obrigatória em face da publicação da Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010, pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MP), órgão central do Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática (SISP). Para garantir que o PDTI seja executado de forma eficiente, a referida IN também recomenda a implantação de uma estrutura de governança em Tecnologia da Informação (TI) com a criação de comitês de TI. Este comitê foi criado, no âmbito da PREVIC, pela Portaria MPS/PREVIC/DITEC nº 941, de 9 de dezembro de 2010, revogada pela Portaria MPS/PREVIC/DC nº 344, de 21 de junho de 2013, publicada no DOU em 24 de junho de O Comitê Executivo de TI da PREVIC (CEXTI) é presidido pelo Diretor de Administração (DIRAD), sendo composto por representantes de todas as Diretorias da PREVIC, da Procuradoria Federal Especializada junto a PREVIC (PFE), da Auditoria Interna e pelo Coordenador Geral de Tecnologia da Informação (CGTI). Entre as atribuições do CEXTI, conforme Portaria nº 344/2013, podem-se citar: I -propor sobre: a) diretrizes, objetivos e estratégias em TI, considerando as políticas e orientações da Administração Pública Federal, o Planejamento Estratégico e as necessidades tecnológicas da PREVIC; b) planejamentos em TI; e Página 18 de 195

19 c) planos de investimentos para a área de TI. II - avaliar a implementação das ações planejadas e monitorar os resultados, comparando-os com as metas institucionais; 1.5. Motivação A elaboração deste PDTI visa aprimorar a maturidade da Governança de Tecnologia da Informação, com vistas a assegurar que as ações de TI agreguem valor às ações estratégicas da PREVIC. Nesse sentido, este processo de elaboração é motivado pelos seguintes fatores: a) A Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010, instrumento legal de indução da Governança de TI na Administração Pública Federal; b) O Plano Estratégico da PREVIC , o Mapa Estratégico da Previdência Social, o PETI da Previdência social e a EGTI do SISP como instrumentos norteadores das ações da instituição; c) O papel de integração e de diagnóstico do PDTI PREVIC ; d) A proposta de fortalecimento das áreas de TI e de entrega de valor às áreas finalísticas de negócio e o apoio ao cumprimento das metas governamentais, por parte da Estratégia Geral de Tecnologia da Informação do SISP; e) A recomendação do Tribunal de Contas da União acerca do aprimoramento dos controles gerais da área de Tecnologia da Informação; f) As recomendações acerca do PDTI da PREVIC, apresentadas nos Relatórios de Auditoria Anual de Contas em 2012 e 2013, emitido pela Controladoria Geral da União. Com a aprovação do PDTI , a PREVIC tem uma importante ferramenta para orientar as ações de TI para o biênio, alinhadas às orientações estratégicas da alta gestão da entidade. Página 19 de 195

20 2. Metodologia Aplicada A elaboração do PDTI da PREVIC pautou-se no modelo proposto pelo Guia de Elaboração de PDTI do SISP, publicado em 18 de maio de 2012, pela SLTI/MP, e nas orientações constantes do Acórdão TCU n 111/2010 Plenário, quanto à observância das práticas contidas no Cobit 4.1, processo PO1 Planejamento Estratégico de TI. A metodologia de construção do Plano Diretor de Tecnologia consistiu em três fases: Preparação, Diagnóstico e Planejamento, conforme figura abaixo: Preparação Diagnóstico Planejamento Plano de Trabalho Relatório de Resultados do PDTI anterior Inventário de necessidades PDTI Plano de Metas Figura 1 - Fases e produtos da Metodologia de Elaboração do PDTI 2.1. A fase de Preparação A fase de Preparação reuniu os aspectos decisórios de caráter superior e aprovação de documentos e atividades diretamente voltadas à elaboração do Plano de Trabalho, o qual orientou a condução da elaboração do PDTI. Suas principais atividades foram: definição da abrangência e período do PDTI; definição da equipe de elaboração do PDTI; descrição da metodologia de elaboração do PDTI; identificação e reunião dos documentos de referência; identificação das Estratégias da Organização; identificação dos princípios e diretrizes; elaboração do plano de trabalho do PDTI (PT-PDTI); aprovação do plano de trabalho do PDTI pelo CEXTI. Página 20 de 195

21 2.2. A fase de Diagnóstico A fase de Diagnóstico objetivou a compreensão da situação atual da TI na PREVIC, por meio da análise das ações previstas no PDTI anterior e da identificação de novas necessidades. Suas principais atividades foram: avaliação dos resultados do Planejamento de TI anterior; análise dos Resultados do Planejamento de TI anterior; análise do Referencial Estratégico da área de TI; análise da Organização da TI; realização da análise SWOT da TI; identificação das Necessidades de Informação; identificação das Necessidades de Serviços de TI; identificação das Necessidades de Infraestrutura de TI; identificação das Necessidades de Contratação de TI; identificação das Necessidades de Pessoal de TI; consolidação do Inventário de necessidades; alinhamento das Necessidades de TI às Estratégias da Organização; aprovação do Inventário de Necessidades A fase de Planejamento A fase de Planejamento permitiu o estabelecimento dos planos e das ações adequadas para o alcance dos objetivos esperados, contemplando a priorização das necessidades e definição de metas e ações, abrangendo aspectos de pessoal, orçamentários e riscos. Suas principais atividades foram: atualização dos critérios de priorização; priorização das necessidades inventariadas; definição das metas e ações; planejamento da execução das ações; planejamento das ações de pessoal; planejamento de Investimentos e Custeio; consolidação da Projeção Orçamentária da TI; aprovação dos Planos Específicos; atualização dos critérios de aceitação de riscos; planejamento do gerenciamento de riscos; consolidação da Minuta do PDTI; aprovação da Minuta do PDTI 2.4. Considerações A equipe de elaboração do PDTI foi composta por colaboradores e servidores indicados pelos titulares do CEXTI, que representam as diretorias da PREVIC. Página 21 de 195

22 A equipe foi responsável por realizar todas as atividades relacionadas à elaboração do PDTI, em conformidade com o Guia de Elaboração de PDTI, da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Os servidores foram responsáveis por avaliar os resultados do PDTI anterior e identificar as necessidades de TI no âmbito de suas áreas de negócio. O processo de elaboração foi disponibilizado através de uma pasta compartilhada na infraestrutura de redes para o acompanhamento e também por para o Grupo de Trabalho de Elaboração do PDTI. Todos os documentos produzidos pela equipe, assim como s, memorandos, listas de presença e atas de reuniões estão reunidos no processo nº / (Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI). A elaboração do PDTI incluiu também a realização de sessões de videoconferência com as unidades regionais e reuniões na sede em Brasília. Página 22 de 195

23 3. Documentos de Referência A elaboração do PDTI segue as diretrizes, padrões, normas e orientações de políticas da PREVIC, como também as políticas governamentais de conhecimento público. A tabela abaixo apresenta os documentos de referência que serviram como material de apoio e consulta na elaboração do Plano. Documento Plano Estratégico da PREVIC Ciclo 2011 a Lei n , de 23 de dezembro de Portaria MPS nº 554/12, de 22 de novembro de Portaria MPS nº 553, de 22 de novembro de Portaria PREVIC nº 344, de 21 de junho de Portaria PREVIC nº 178, de 11 de abril de Portaria PREVIC nº 603, de 18 de outubro de Portaria PREVIC nº 204, de 18 de abril de 2013 Instrução Normativa SLTI/MP nº 01/2010. Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010. Descrição Define as diretrizes e ações da PREVIC a serem realizadas no período de 2013 a Cria a Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC Estabelece Diretrizes para Tecnologia da Informação no âmbito do MPS e de suas entidades vinculadas e dá outras providências. Institui o Comitê Estratégico de TI no âmbito do MPS e de suas entidades vinculadas e dá outras providências. Cria o Comitê Executivo de Tecnologia da Informação CEXTI. Cria o Comitê de Segurança da Informação e Comunicações CSIC. Aprova o Regimento Interno do CSIC Aprova a Política de Segurança da Informação e Comunicação POSIC. Dispõe sobre os critérios de sustentabilidade ambiental na aquisição de bens, contratação de serviços ou obras pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. Dispõe sobre o processo de contratação de serviços de Tecnologia da Informação pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional. Página 23 de 195

24 Instrução Normativa GSI/PR nº 01/2008. Guia de Elaboração de PDTI do SISP Versão 1.0. ABNT. NBR ISO/IEC 27001: parte 1 Decreto Lei nº 200, de 25 de fevereiro de Decreto Lei nº 2.271, de 07 de julho de Acórdão nº 1.521, de 21 de outubro de Acórdão nº 2.094, de 05 de janeiro de Estratégia Geral de Tecnologia da Informação do SISP (EGTI) Ciclo Interoperabilidade de Sistemas com a APF (E-PING). Norma NBR 38500:2009 Disciplina a gestão de segurança da informação e comunicações na Administração Pública Federal, direta e indireta, e dá outras providências. Documento da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação/MP que dispõe sobre os padrões, orientações, diretrizes e modelos para elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Norma ABNT que especifica requisitos para um Sistema de Gestão de Segurança da Informação Dispõe sobre a organização da Administração Federal, estabelece diretrizes para a Reforma Administrativa, e dá outras providências; Dispõe sobre a contratação de serviços pela Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, e dá outras providências. Dispõe sobre indícios de irregularidades em processo de inexigibilidade de licitação para fornecimento de produtos e serviços de informática; Dispõe sobre avaliação da legalidade e oportunidade das contratações e aquisições de bens e serviços de informática. Planejamento deficiente do setor de informática. Direcionamento de licitações. Fuga ao processo licitatório. Aquisição de serviços de consultoria sem o procedimento licitatório. Desobediência à lei de licitações quanto ao tipo de licitação. Locação de equipamento a custos superiores aos de aquisição. Terceirização de Serviços sem divisão do objeto. A EGTI estabelece a direção da Tecnologia da Informação (TI), definindo o plano estratégico que visa promover a melhoria contínua da gestão e governança de TI, assim como a sustentação da infraestrutura, além de subsidiar os órgãos do SISP na elaboração dos Planejamentos de Tecnologia da Informação. Documento do E-PING - Governo Federal. Diretrizes de aquisição e substituição de equipamentos. Tabela 1- Documentos de Referência Página 24 de 195

25 4. Princípios e Diretrizes Para a realização das estratégias e definição das prioridades estabelecidas para o PDTI é fundamental o alinhamento com os direcionamentos inerentes às áreas de TI da Administração Pública Federal. A seguir, são apresentados os princípios e diretrizes que norteiam a elaboração e a execução do Plano Diretor de Tecnologia da Informação. Id Princípios e Diretrizes Origem PD1 Toda necessidade de serviços deve visar ao atendimento à missão institucional da PREVIC, alinhada ao Plano Estratégico da autarquia. PD2 Toda ação de Tecnologia da Informação deverá ser avaliada por meio de indicadores e metas claras e objetivas que indiquem o alcance dos resultados pretendidos. PD3 As necessidades de TI deverão ser objetivas, claras e mensuráveis. PD4 Toda ação de TI deve observar as diretrizes da Política de Segurança da Informação e suas normas complementares. PD5 As contratações de bens e serviços de Tecnologia da Informação deverão ser precedidas de planejamento, seguindo o previsto no Plano Diretor de Tecnologia da Informação - PDTI. PD6 Sistemas de informação seguros e integrados com alta disponibilidade. PD7 Conformidade com as Instruções Normativas e Leis da Administração Pública Federal APF. Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010; Cobit 4.1 PO1.2 Alinhamento entre TI e Negócio. Decreto nº 2.271/1997; Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010. Acórdão TCU 1.233/2012. Decreto 3.505/2000; Acórdão TCU 111/2011. Instrução Normativa SLTI/MP nº 04/2010; Acórdão TCU 1.603/2008- Plenário; Acórdão TCU 1.558/2003- Plenário. Instrução Normativa GSI/PR nº 01/2008; Documento de Planejamento Estratégico Institucional da PREVIC; Relatório de Auditoria nº Constatação: Recomendações: 001 e 002. Acórdão TCU 1.603/2008-Plenário; Decreto Lei Nº 2.271, de 07 de julho de 1997; Documento de Planejamento da PREVIC. Página 25 de 195

26 PD8 Sustentabilidade Ambiental de TI. PD9 Planejamento, aquisição e gestão de contratos de TI à luz dos dispositivos legais vigentes. PD10 Transferência de conhecimento em todas as contratações de serviços de TI. PD11 Política de aquisição e substituição de equipamentos. PD12 Em todos os processos de licitações envolvendo desenvolvimento e manutenção de sistemas, seja utilizado como critério de mensuração e esforço, preferencialmente, a análise por ponto de função. PD13 Que a Entidade inclua no "check-list" utilizado para fins de pagamento das faturas dos contratos de TI, item referente à inclusão, no processo ou em diretório eletrônico específico, devidamente identificado no processo, das demandas junto à empresa contratada e anexos de contagem de pontos de função e de sua validação para as demandas de desenvolvimento de sistemas. Igualmente, que a Entidade inclua no citado "check-list" item referente à anexação de comprovação do quantitativo de registros existentes em cada sistema corporativo em sustentação pela contratada. Tabela 2 - Princípios e Diretrizes Portaria SLTI/MP nº 1, de 19 de janeiro de 2010; Portaria SLTI/MP nº 2, de 16 de março de 2010; Relatório de Auditoria nº Constatação: 031. Recomendação: 002. Relatório de Auditoria nº Constatação: 036 Recomendação: 001; Instrução Normativa nº 04/2010/SLTI/MP; Instrução Normativa nº 02/2008/SLTI/MP. Relatório de Auditoria nº Constatação: Recomendação: 001. Instruções Normativas nº 04/2010/SLTI/MP e nº 01/2010/SLTI/MP, e os princípios delineados pela Lei 8.666/1993 e pelo Decreto /1990; Relatório de Auditoria nº Constatação: Recomendação: 001. Relatório de Auditoria CGU nº Constatação: Recomendação: 002. Relatório de Auditoria CGU nº Constatação: Recomendação: 01 Página 26 de 195

27 5. Organização da TI 5.1. Contextualização da CGTI Sucessora da Secretaria de Previdência Complementar (SPC) do Ministério da Previdência Social - MPS, a Superintendência Nacional de Previdência Complementar - PREVIC foi criada em 23 de dezembro de 2009 por força da Lei nº , sendo, portanto, uma instituição recém-criada. Seu quadro de pessoal iniciou-se por servidores pertencentes à antiga SPC e por detentores de cargos em comissão. No que tange à área de Tecnologia da Informação e Comunicações - CGTI, durante os dois primeiros anos de existência, atuou apenas com servidores detentores de cargos em comissão e seu quadro funcional só aumentou substancialmente a partir do primeiro concurso público da PREVIC, realizado em 2011, com a chegada dos novos servidores a partir de fevereiro de Por ser recente, a CGTI iniciou, em 2010, um trabalho de montagem da nova Coordenação, que envolve desde partes normativas até a montagem física e estrutural Panorama atual da CGTI Conforme descrito na Portaria MPS nº 183, de 26 de abril de DOU de 27/04/2010, que dispõe acerca do Regimento Interno desta PREVIC, a Coordenação Geral de Tecnologia da Informação, vinculada à Diretoria de Administração DIRAD, estruturase da maneira apresentada abaixo: Página 27 de 195

28 Diretoria de Administração DIRAD Coordenação Geral de Recursos Humanos Coordenação Geral de Patrimônio e Logística Coordenação Geral de Orçamento, Finanças e Contabilidade Coordenação Geral de Tecnologia da Informação (DAS 101.4) Coordenação de Desenvolvimento Tecnológico (DAS 101.2) 5.3. Atribuições da CGTI Figura 2- Organograma da CGTI/DIRAD São atribuições da CGTI, conforme Regimento Interno da PREVIC: I - propor, planejar, coordenar, orientar, executar e avaliar o desenvolvimento de planos e programas referentes às ações de tecnologia da informação e comunicações, em articulação com as demais áreas interessadas da PREVIC, quando o caso assim o requerer; II - propor, planejar, coordenar, orientar, executar e avaliar a alocação de recursos, aquisições de hardware e software e contratação de prestação de serviços especializados em tecnologia da informação e comunicações; III - planejar, coordenar, orientar e avaliar a coleta, o armazenamento, o tratamento e o gerenciamento de dados e informações das entidades fechadas de previdência complementar e dos seus planos de benefícios, disponibilizando-os aos órgãos das demais diretorias, em conformidade com as respectivas competências; IV - planejar, coordenar e executar o desenvolvimento e implantação de sistemas informatizados, desenvolvidos internamente ou por meio de contratação de terceiros; V - planejar, coordenar, orientar e avaliar a administração da infraestrutura de tecnologia da informação e comunicações zelando pela disponibilidade, integridade e segurança do armazenamento e tráfego dos dados; Página 28 de 195

29 VI - acompanhar, em articulação com a Coordenação-Geral de Patrimônio e Logística, o controle dos equipamentos de tecnologia da informação e comunicações; VII - propor, em articulação com a Coordenação-Geral de Recursos Humanos, atividades de capacitação de pessoal em sua área de atuação; VIII - planejar, coordenar e executar os serviços de atendimento a usuários e de suporte às redes de comunicação de dados e bancos de dados; IX - gerenciar em conjunto com as áreas interessadas os contratos e convênios relativos à tecnologia da informação e comunicações; X - propor, em articulação com a Coordenação-Geral de Orçamento, Finanças e Contabilidade, a elaboração da proposta orçamentária dos recursos de tecnologia da informação e comunicações; e XI - elaborar e acompanhar o plano de aquisições de bens e contratação de serviços de tecnologia da informação e comunicações Atribuições da Coordenação de Desenvolvimento Tecnológico São as atribuições da Coordenação de Desenvolvimento Tecnológico - CDT, conforme Regimento Interno da PREVIC: I - planejar, executar e acompanhar o desenvolvimento de projetos e serviços de tecnologia da informação e comunicações; II - planejar, executar e acompanhar a alocação de recursos, aquisições de hardware e software e contratação de prestação de serviços especializados em tecnologia da informação e comunicações; III - planejar, executar e acompanhar a coleta, o armazenamento, o tratamento e o gerenciamento de dados e informações das entidades fechadas de previdência complementar e dos seus planos de benefícios; Página 29 de 195

30 IV - planejar, executar e acompanhar o desenvolvimento e implantação de sistemas informatizados: V - administrar a infraestrutura de tecnologia da informação e comunicações; VI - acompanhar o controle dos equipamentos de tecnologia da informação e comunicações; VII - planejar, executar e acompanhar os serviços de atendimento a usuários e de suporte às redes de comunicação de dados e bancos de dados; VIII - planejar, executar e acompanhar o gerenciamento conjunto com as áreas interessadas dos contratos e dos convênios relativos à tecnologia da informação e comunicações Contexto atual A CGTI, hoje, não possui formalmente todas as áreas necessárias para o desempenho de todas as suas competências e atribuições e essenciais para um bom modelo de Governança em TI da entidade. Ainda é dependente de muitos sistemas e serviços realizados pela empresa pública DATAPREV - Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social, porém vem conseguindo gradualmente reduzir sua dependência com a ampliação do quadro funcional e da sua estrutura tecnológica. Página 30 de 195

31 6. Resultados do PDTI anterior A avaliação da execução do PDTI foi realizada no período de 03/04/2013 a 06/09/2013 e envolveu os membros do grupo de trabalho do PDTI e de representantes do CEXTI na sede da PREVIC. Esta avaliação abrangeu todas as necessidades registradas no texto original do plano aprovadas pela DICOL durante a vigência do PDTI. Os quadros a seguir apresentam as necessidades elencadas no PDTI Avaliação da Execução do PDTI Para a avaliação, segue a lista de necessidades elencadas no PDTI e a sua situação. Necessidade Prover sistema de Business Intelligence - BI Evoluir e implantar sistemas informatizados de gestão e controle de documentos e processos Prover sistema de suporte à atividade de fiscalização Prover módulos evolutivos do sistema informatizado de controle financeiro da PREVIC Prover sistema de cadastro e capacitação de pessoal Prover sistemas de suporte à atividade de Auditoria Prover sistema informatizado de gestão de contratos Prover sistemas de Patrimônio e Almoxarifado Prover sistema de CRM Prover software de métodos quantitativos (estatística aplicada atuarial) Prover licenças de software de apoio a escritório Prover soluções para o desenvolvimento e manutenção de sistemas informatizados no âmbito CGTI/DIRAD/PREVIC Situação Em execução Em execução Em execução Executada Não executada Não executada Não executada Executada Desconsiderada Em execução Executada Executada Página 31 de 195

32 Prover soluções para a infraestrutura e comunicações no âmbito do Datacenter da CGTI / DIRAD / PREVIC Reestruturar a organização da CGTI/DIRAD/PREVIC Manter e atualizar o parque computacional, multimídia e de comunicações no âmbito da PREVIC Implantar o núcleo de estruturação de processos Provimento de evolução dos sistemas corporativos da PREVIC Conclusão das etapas 2 (dados da CETIP) e 3 (dados da BMFBovespa) do projeto Custodiante Prover solução de ponto eletrônico na sede da PREVIC Tabela 3 Avaliação da Execução do PDTI Executada Em execução Executada Executada Em execução Não executada Não executada A análise evidenciou que 37% das necessidades registradas no PDTI foram executadas (Figura 3), sendo que 26% das necessidades não foram executadas, 5% foram desconsideradas e 32% encontram-se em fase de execução. Não executada 26% EXECUÇÃO DO PDTI Desconsiderada 5% Em execução 32% Executada 37% Figura 3 - Análise de execução do PDTI Página 32 de 195

33 6.2. Avaliação do Alcance de Metas Segue a lista de necessidades elencadas no PDTI e avaliação quanto ao alcance das metas. Necessidade Prover sistema de s Intelligence - BI Evoluir e implantar sistemas informatizados de gestão e controle de documentos e processos Prover sistema de suporte à atividade de fiscalização Prover módulos evolutivos do sistema informatizado de controle financeiro da PREVIC Prover sistema de cadastro e capacitação de pessoal Prover sistemas de suporte à atividade de Auditoria Prover sistema informatizado de gestão de contratos Prover sistemas de Patrimônio e Almoxarifado Prover sistema de CRM Prover software de métodos quantitativos (estatística aplicada atuarial) Prover licenças de software de apoio a escritório Prover soluções para o desenvolvimento e manutenção de sistemas informatizados no âmbito CGTI/DIRAD/PREVIC Prover soluções para a infraestrutura e comunicações no âmbito do Datacenter da CGTI / DIRAD / PREVIC Reestruturar a estrutura organizacional da CGTI/DIRAD/PREVIC Manter e atualizar o parque computacional, multimídia e de comunicações no âmbito da PREVIC Implantar o núcleo de estruturação de processos Provimento de evolução dos sistemas corporativos da PREVIC Conclusão das etapas 2 (dados da CETIP) e 3 (dados da do projeto Custodiante Alcance de metas Alcançadas parcialmente Alcançadas parcialmente Alcançadas parcialmente Alcançadas totalmente Não alcançadas Não alcançadas Não alcançadas Alcançadas totalmente Não definidas para TI Não alcançadas Alcançadas totalmente Alcançadas parcialmente Alcançadas parcialmente Não definidas para TI Alcançadas totalmente Não definidas para TI Alcançadas parcialmente Não alcançadas Página 33 de 195

34 Prover solução de ponto eletrônico na sede da PREVIC Não alcançadas Tabela 4 - Avaliação do alcance de metas do PDTI A avaliação do alcance das metas (Figura 4) evidenciou-se que 32% das necessidades não foram alcançadas, sendo que 37% foram alcançadas parcialmente e 21% das metas foram alcançadas totalmente. Deste total 10% das metas não foram definidas para a TI ou tiveram a necessidade de replanejamento por outras áreas. ALCANCE DAS METAS DO PDTI Não definidas para TI 10% Alcançadas parcialmente 37% Não alcançadas 32% Alcançadas totalmente 21% Figura 4 - Análise do alcance de metas do PDTI Fatores que dificultaram a execução ou o alcance das metas A avaliação do plano anterior permitiu a identificação dos principais fatores que dificultaram a execução ou o alcance das metas, conforme gráfico a seguir. Página 34 de 195

35 PRINCIPAIS DIFICULDADES DE EXECUÇÃO PDTI Mudança de Prioridade 16% Ausência de Recursos Financeiros 10% Ausência de Recursos Humanos 74% Figura 5 - Análise das principais dificuldade de execução do PDTI A avaliação abordou as principais causas que dificultaram a execução das necessidades elencadas no PDTI A Figura 5 evidencia que o fator preponderante está relacionado à ausência de recursos humanos para o planejamento, execução e acompanhamento das ações. O índice de execução do PDTI reflete a necessidade de sistematização do acompanhamento da sua implementação, que permitirá eventuais correções e adaptações durante a vigência do plano. Em virtude de grande parte dos recursos destinados a TI terem sido aplicados com a sustentação dos sistemas de gestão corporativa, a análise da implementação do PDTI evidenciou a necessidade do aprimoramento do planejamento das ações considerando a escassez de recursos disponíveis para as demais iniciativas. Página 35 de 195

36 Esta análise reforça a importância do aumento de investimentos direcionados para a área de TI, já que houve a necessidade, em 2012, de se incorporar um crédito suplementar de mais de R$ 8 milhões oriundos do INSS para a execução e manutenção dos contratos de TI, além de existir alguns serviços de infraestrutura e redes ainda mantidos pelo MPS. Para diminuir os gastos com recursos destinados a sustentação dos sistemas de gestão corporativa, está previsto no PDTI , o investimento em infraestrutura própria para aumento de autonomia da entidade na gestão e sustentação de seus principais sistemas. Página 36 de 195

37 7. Referencial Estratégico de TI 7.1. Missão Prover infraestrutura e soluções de Tecnologia da Informação, a fim de garantir a integridade, confiabilidade, eficácia e eficiência dos sistemas de informação da PREVIC Visão Tornar-se um centro de excelência em TI para apoio à supervisão e fiscalização do(s) sistema(s) de previdência complementar fechada brasileiro, por meio do alinhamento estratégico dos serviços às melhores práticas de TI e pelo compromisso no cumprimento de sua missão Objetivo Estratégico da TI Prover sistemas e infraestrutura de TI seguros e integrados, com excelência e qualidade Análise de SWOT A análise SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças) é um método para se fazer uma análise do ambiente interno e externo, sendo usado como base para gestão e planejamento estratégico de uma organização. Trata-se de um método que possibilita verificar e avaliar os fatores intervenientes para um posicionamento estratégico da Unidade de TI no ambiente em questão. Tem como objetivos principais efetuar uma síntese das análises internas e externas, identificar elementos chave para a gestão, o que implica estabelecer prioridades de atuação e preparar opções estratégicas: análise de riscos e identificação de problemas a serem resolvidos. Dessa forma, a Equipe de Elaboração do PDTI realizou o trabalho de identificação das forças e das fraquezas dos processos internos de competência da Página 37 de 195

38 CGTI/DIRAD/PREVIC, seguido da identificação das oportunidades decorrentes de fatores favoráveis verificados no ambiente onde a Unidade de TI opera, bem como as ameaças decorrentes de fatores desfavoráveis e mudanças sazonais ou permanentes do ambiente externo. O resultado dos estudos realizados permitiu entender melhor o ambiente organizacional da TI e auxiliou na busca de formas de se evoluir a gestão, corrigindo as fraquezas e ameaças encontradas e alavancando as forças e oportunidades identificadas Forças e fraquezas Forças Apoio da alta gestão; Concurso público próprio; Conhecimento do negócio; Parcerias consolidadas (INSS, MPS, etc.); Existência de Comitê Executivo de TI; Existência de Comitê de Segurança da Informação; Existência de uma Política de Segurança da Informação e Comunicação; Metodologia de desenvolvimento de sistemas definida; Melhoria da qualidade dos contratos de TI. Fraquezas Dependências externas (MPS, INSS, DATAPREV); Ausência de ferramentas de apoio estratégico; Sistemas com a arquitetura da informação inadequada; Sistemas legado sem visão corporativa; Existência de sistemas sem documentação; Deficiência no mapeamento dos processos corporativos; Deficiência da infraestrutura de rede das unidades descentralizadas; Deficiência de integração entre os sistemas de informação. Tabela 5 - Analise SWOT - Forças e fraquezas Oportunidades e Ameaças Oportunidades Facilidade de implantação de políticas de TI em virtude da estruturação recente da área de TI; Ameaças Dependências externas (MPS, INSS, DATAPREV); Alto custo dos contratos de TI; Página 38 de 195

39 Normas, Padrões e Diretrizes disponibilizadas pela SLTI/MP; Amadurecimento do software Público Brasileiro; Disponibilidade de novas soluções de TI no mercado; Possibilidade de parcerias para aperfeiçoamento de soluções de TI e compartilhamento de dados; Recomendações de aprimoramento da TI por parte dos Órgãos de Controle; Disponibilização por parte do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão de servidores da carreira de Analista de Tecnologia da Informação para prestarem serviços junto a CGTI/DIRAD/PREVIC. Políticas externas que possam impactar nas decisões estratégicas e operacionais internas; Corte orçamentário; Mudanças políticas ou na legislação capazes de interromper ou descontinuar demandas em execução; Alto índice de saída de servidores concursados; Tentativas de ataques e invasões aos sistemas, banco de dados e site da PREVIC. Tabela 6 - Analise SWOT - Oportunidades e Ameaças Página 39 de 195

40 8. Alinhamento com a Estratégia da Organização 8.1. O Plano Estratégico da PREVIC A PREVIC vem estruturando-se com o objetivo de ampliar o acesso facultativo e a cobertura da previdência complementar e, ao mesmo tempo, aumentar a segurança dos contratos previdenciários e a proteção dos benefícios dos participantes. Neste contexto, há uma preocupação crescente com a correta análise dos ambientes externo e interno, tendo como foco aprimorar ou incorporar no processo de estruturação da autarquia ferramentas eficientes de supervisão. Além disso, estamos buscando o alinhamento com as melhores práticas internacionais, de forma a absorvê-las no nosso sistema. O Planejamento Estratégico é uma importante ferramenta para a tomada de decisão, fornecendo os subsídios necessários aos gestores para agirem com iniciativas, tomando por base, ainda, a análise do ambiente, quer seja interno ou externo, nas constantes mudanças. Para que a estratégia delineada no planejamento possa ser implementada, é primordial o alinhamento de todos os planos, recursos e unidades. O modelo de planejamento seguido pela PREVIC está baseado em um sistema alicerçado em uma gestão estratégica, a partir dos direcionadores estratégicos da missão, visão e valores, dos objetivos estratégicos e da análise do alcance das metas estabelecidas, que leva em conta o modelo de excelência na Gestão Pública, visando ao aprimoramento dos processos da organização. A estrutura do Plano Estratégico da PREVIC encontra-se sintetizada no Mapa Estratégico, listado a seguir: Página 40 de 195

41 Figura 6- Mapa Estratégico da PREVIC 8.2. Direcionadores Estratégicos da PREVIC Missão A PREVIC, a partir da avaliação de suas atividades, conjuntamente com seus gestores, institui sua Missão, a qual justifica sua existência: Atuar na supervisão dos fundos de pensão de forma ágil, eficiente e transparente, com o objetivo de assegurar higidez e confiabilidade ao sistema de previdência complementar fechado brasileiro Visão Para complementar a Missão, a PREVIC perseguirá neste e nos próximos anos, a declaração de como quer estar posicionada no futuro: Ser reconhecida como uma Instituição de excelência na supervisão das entidades fechadas de previdência complementar. Página 41 de 195

Plano Diretor de Tecnologia da Informação. 2013/2015-2ª Edição

Plano Diretor de Tecnologia da Informação. 2013/2015-2ª Edição Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2013/2015-2ª Edição Aprovado em 29 de Outubro de 2013 Revisado e prorrogado em 03 de dezembro de 2014 Ministério da Previdência Social - MPS Garibaldi Alves Filho

Leia mais

"Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social"

Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social "Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social" 1 Gestão por processos 2 Previdência Social: em números e histórico Estrutura: Administração Direta, 2 Autarquias e 1 Empresa

Leia mais

Modelo de Referência 2011-2012

Modelo de Referência 2011-2012 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação - SLTI Modelo de Referência 2011-2012 Plano Diretor de Tecnologia de Informação Ministério do Planejamento,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA COMISSÃO DE ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TI Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto

Governança de TI no Governo. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Governança de TI no Governo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Paulo Roberto Pinto Agenda Agenda Contexto SISP IN SLTI 04/2008 EGTI Planejamento

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação (PETI) Secretaria de Tecnologia da Informação Florianópolis, março de 2010. Apresentação A informatização crescente vem impactando diretamente

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI)

Planejamento Estratégico da Tecnologia da Informação (PETI) 00 dd/mm/aaaa 1/15 ORIGEM Instituto Federal da Bahia Comitê de Tecnologia da Informação ABRANGÊNCIA Este da Informação abrange todo o IFBA. SUMÁRIO 1. Escopo 2. Documentos de referência 3. Metodologia

Leia mais

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundação Municipal de Tecnologia da Informação e Comunicação de Canoas Diretoria Executiva PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 2012 2015 Controle de Revisão Ver. Natureza Data Elaborador Revisor

Leia mais

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança

ANEXO I. Colegiado Gestor e de Governança ANEXO I CENTRO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS DO CAU Política de Governança e de Gestão da Tecnologia da Informação do Centro de Serviço Compartilhado do Conselho de Arquitetura e Urbanismo Colegiado Gestor

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS ao cidadão

CARTA DE SERVIÇOS ao cidadão CARTA DE SERVIÇOS ao cidadão 1. A Carta de Serviços ao Cidadão A Carta de Serviços ao Cidadão da Previc foi elaborada com o objetivo de informar o cidadão dos serviços prestados pela autarquia, da forma

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 Agenda Contexto SISP Planejamento de TI PDTI 2 SISP Sistema de Administração dos Recursos de Informação e Informática Decreto nº 1.048, de 21 de janeiro

Leia mais

PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Plano de Ação Integrado do Ministério da Previdência Social, para o exercício 2015. O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso das atribuições

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PERÍODO 2012 A 2016 MANAUS/AM VERSÃO 1.0 1 Equipe de Elaboração João Luiz Cavalcante Ferreira Representante da Carlos Tiago Garantizado Representante

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação

Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Atuação da Auditoria Interna na Avaliação da Gestão de Tecnologia da Informação Emerson de Melo Brasília Novembro/2011 Principais Modelos de Referência para Auditoria de TI Como focar no negócio da Instituição

Leia mais

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA Nº 7.596, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta as atribuições e responsabilidades da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicações do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014

SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA EMPRESA BRASIL DE COMUNICAÇÃO AUDITORIA INTERNA SUMÁRIO EXECUTIVO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 017/2014 Tema: EXAME DAS ATIVIDADES DE TI SOB A RESPONSABILIDADE DA SUCOM. Tipo de Auditoria:

Leia mais

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. PORTARIA Nº 076 DE 21 DE JANEIRO DE 2014. Dispõe sobre aprovação da Política de Segurança da Informação do IFMG. O REITOR DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS, no uso

Leia mais

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011

Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública. André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 Governança de TI: O desafio atual da Administração Pública André Luiz Furtado Pacheco, CISA SECOP 2011 Porto de Galinhas, setembro de 2011 André Luiz Furtado Pacheco, CISA Graduado em Processamento de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 1/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1/CONSUP/IFRO, DE 5 DE MARÇO DE 2015.

Leia mais

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração

Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Marta Suplicy Ministra da Cultura Ana Cristina Wanzeler Secretária-Executiva Marcelo Narvaes Fiadeiro Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administração Paulo Cesar Kluge Coordenador-Geral de Tecnologia

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Política de Segurança da informação e Comunicação

Política de Segurança da informação e Comunicação Política de Segurança da informação e Comunicação 2015-2017 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autores 28/04/2015 1.0 Elementos textuais preliminares Jhordano e Joilson 05/05/2015 2.0 Elementos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015

A Estratégia do Conselho da Justiça Federal 2015/2020 CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 A Estratégia do Conselho da Justiça Federal CJF-POR-2015/00359, de 26 de agosto de 2015 SUEST/SEG 2015 A estratégia do CJF 3 APRESENTAÇÃO O Plano Estratégico do Conselho da Justiça Federal - CJF resume

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos

Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos Conselho Nacional de Arquivos Câmara Técnica de Documentos Eletrônicos Orientação Técnica n.º 1 Abril / 2011 Orientações para contratação de SIGAD e serviços correlatos Este documento tem por objetivo

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. O Planejamento e a Gestão Estratégica do INSS

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. O Planejamento e a Gestão Estratégica do INSS INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL O Planejamento e a Gestão Estratégica do INSS OUTUBRO/2009 REVISTA ISTO É DINHEIRO REVISTA RECONHECE EXCELÊNCIA DO INSS Estado com foco no cliente Como o INSS, que já

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Institui o Programa de Fortalecimento Institucional da ANAC. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das competências

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019. Versão 0 1.0

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019. Versão 0 1.0 PETI Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019 Versão 0 1.0 Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação 2016-2019 Presidente Luiz Otávio Pimentel Vice-Presidente Mauro Sodré

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEMGESP Nº 004/2013 01, de 12.06.13 Dispõe sobre os procedimentos de gestão da Tecnologia da Informação. O Prefeito Municipal e o Secretário Municipal de Gestão e Planejamento, no exercício

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança

Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança Uso de TIC nas IFES Planejamento e Governança IV Encontro do Forplad Daniel Moreira Guilhon, CISA Novembro/2012 1 O que pretendemos? Conceituar os aspectos relacionados à boa governança para assegurar

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015

Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015 Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ciclo 2013-2015 Rio de Janeiro Fevereiro de 2014 Ministério de Minas e Energia (Esta página foi intencionalmente deixada em branco para o adequado alinhamento

Leia mais

Relatório de Gestão DGTI

Relatório de Gestão DGTI Relatório de Gestão DGTI 1.Contextualização Histórico Administrativa Com o projeto de expansão do Governo Federal que criou os Institutos Federais em todo o Brasil, o antigo Centro Federal de Educação

Leia mais

Anexo 7 Demandas oriundas das recomendações da Estratégia Geral de Tecnologia da Informação. Indicadores. Descrição 2011 2012

Anexo 7 Demandas oriundas das recomendações da Estratégia Geral de Tecnologia da Informação. Indicadores. Descrição 2011 2012 Plano Diretor Tecnologia da Informação 2012-2013 146 Anexo 7 Demandas oriundas das recomendações da Estratégia Geral Tecnologia da Informação Objetivos Objetivo 1 - Aprimorar a Gestão Pessoas TI (Cobit

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment

A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment A IN/SLTI nº 04/2008 e Avaliação dos Resultados Análise de Pontos de Função Âmbito do SISP The IN SLTI 04/2008 and Results Assessment Cláudio Muniz Machado Cavalcanti claudio.cavalcanti@planejamento.gov.br

Leia mais

Segurança da informação

Segurança da informação Segurança da informação Roberta Ribeiro de Queiroz Martins, CISA Dezembro de 2007 Agenda Abordagens em auditoria de tecnologia da informação Auditoria de segurança da informação Critérios de auditoria

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia

Plano Diretor de Tecnologia Governo Federal Ministério da Cultura Fundação Cultural Palmares Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação 2013 2015 Brasília DF 2013 Presidenta da República Dilma Vana Rousseff Ministério

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2014-2017

PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2014-2017 ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ Auditoria Administrativa de Controle Interno PLANO DE AUDITORIA DE LONGO PRAZO (PALP) 2014-2017 Equipe Gestora: Antonia Tatiana Ribeiro

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Estratégia Geral de Tecnologia da Informação

Estratégia Geral de Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Estratégia Geral de Tecnologia da Informação EGTI 2011-2012 Presidente da República Luiz Inácio Lula da

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR

Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR Comparação entre a Instrução Normativa SLTI/MP n 4 e o Guia de Aquisição do MPS.BR Rejane Maria da Costa Figueiredo UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA CAMPUS FGA *Fonte: Material: Edméia Andrade e Claudio Cruz Agenda

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Revisão 1-2012 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão

Leia mais

Figura 01: Mapa Estratégico da Previdência Social.

Figura 01: Mapa Estratégico da Previdência Social. PRÁTICA 1) TÍTULO Implementação do Gerenciamento de Riscos na Previdência Social: da estratégia ao desempenho institucional. 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Previdência Social em

Leia mais

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO MARANHÃO PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PDTI - MPMA 2015-2016 VERSÃO 1.0 SÃO LUÍS - MA, 2014 Procuradora-Geral de Justiça Regina Lúcia de Almeida Rocha Procuradora de Justiça Diretor-Geral

Leia mais

Oficina 1 Análise sobre os PDTI s e alinhamento com Governança de TI (GRG e ATHIVA)

Oficina 1 Análise sobre os PDTI s e alinhamento com Governança de TI (GRG e ATHIVA) Projeto 1: Elaboração dos Planos Diretores de TI da Administração Pública de Pernambuco Projeto 2: Elaboração do Plano de Governo em TI Oficina 1 Análise sobre os PDTI s e alinhamento com Governança de

Leia mais

Implantação do modelo integrado de consultoria para aumentar a maturidade de governança de tecnologia da informação do Estado brasileiro

Implantação do modelo integrado de consultoria para aumentar a maturidade de governança de tecnologia da informação do Estado brasileiro Implantação do modelo integrado de consultoria para aumentar a maturidade de governança de tecnologia da informação do Estado brasileiro Vinicius Eloy dos Reis Tiago Chaves Oliveira Introdução O Brasil

Leia mais

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, Dispõe sobre a Política de Segurança da Informação no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª. Região. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 11ª. REGIÃO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação

PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 1 PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2011-2015 Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Controle de Revisão Rev. Natureza da Revisão Data Elaborador Revisor 001 Versão inicial 18/07/11

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DEZEMBRO/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cgti@listas.ifbaiano.edu.br Site: http://www.ifbaiano.edu.br

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 06/06/2014 18:22:39 Endereço IP: 189.9.1.20 1. Liderança da alta administração 1.1. Com relação

Leia mais

ANEXO X REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE

ANEXO X REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE (Portaria GM-MP nº 220, de 25 de junho de 2014 ) ANEXO X REGIMENTO INTERNO DA SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO CAPÍTULO I CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º À Secretaria de Logística e Tecnologia

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação da CAPES

Plano Diretor de Tecnologia da Informação da CAPES Plano Diretor de Tecnologia da Informação da CAPES P 2013/2014 1ª Revisão Versão: 2.0 Classificação: Doc. Público Data da Versão: 30/06/2014 Esta página foi deixada em branco propositalmente. Nota de Atualização

Leia mais

Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI. Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br

Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI. Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br Seminário online IBGP: Análise de ambiente e Elaboração de PDTI Diana L. N. dos Santos, MSc., PMP diana@x25.com.br Agenda Definição e Benefícios Normativos IN04, Resoluções CNJ e CNMP Acórdãos TCU Panorama

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Plano Diretor de Tecnologia da Informação 2015 2016 I Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

ANTAQ Secretaria de Tecnologia da Informação. Plano de Trabalho. Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação

ANTAQ Secretaria de Tecnologia da Informação. Plano de Trabalho. Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação ANTAQ Secretaria de Tecnologia da Informação Plano de Trabalho Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação Histórico de Versões Data Versão Descrição Autor 14/07/2011 1.0 Criação do documento

Leia mais

-- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009

-- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação -- Modelo de Referência de Plano Diretor de Tecnologia da Informação -- 2008-2009 --- Brasília, outubro

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica...

..: FormSus :.. http://formsus.datasus.gov.br/site/popup_unidade_detalhe.php?id_aplica... 1 de 1 19/4/212 17:17 EGTI 211/212 - Autodiagnostico 21 Imprimir Identificação 1. Qual a identificação do órgão? AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS 2. Qual o âmbito de preenchimento do formulário?

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação

Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação Ministério da Educação Universidade Federal de Pelotas Tecnologia da Informação Relatório de Gestão 2011/2012 Centro de Gerenciamento de Informações e Concursos - CGIC Introdução A principal finalidade

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software

Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Processo de software: do alinhamento estratégico até a sustentação do software Renata Assunção Farias Introdução Em 2007, após pesquisa com órgãos da Administração Pública Federal (APF), o TCU atestou

Leia mais

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTADOS FINAIS DO ENCONTRO NACIONAL - ÁREA MEIO - ESTRATÉGIA NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO SISTEMATIZAÇÃO DOS RESULTADOS Atendendo a solicitação do CNMP, o presente documento organiza os resultados

Leia mais

GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS NEGÓCIOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Número da Norma Complementar Revisão Emissão Folha ICMBio Instituto Chico Mendes De Conservação da Biodiversidade Diretoria de Planejamento, Administração e Logística ORIGEM GESTÃO DE CONTINUIDADE DOS

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TI

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TI PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TI PETI MPMA 2015 2016 Procuradora Geral de Justiça VERSÃO 1.0 SÃO LUIS MA, 2014 Regina Lúcia de Almeida Rocha Procuradora de Justiça Diretor Geral Luís Gonzaga Martins Coelho

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES - PoSIC

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÕES - PoSIC MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 795, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso de suas atribuições

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação

Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação PDTIC UFMA 2012-2014 2012 2014 Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação Aprovado pela Resolução CONSAD nº 132/2013 São Luís/MA 2012 PDTIC UFMA 2012-2014 Fundação Universidade Maranhão Avenida

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO CAU Exercício 2013

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO CAU Exercício 2013 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO CAU Exercício 2013 Aprovado na 11ª Reunião Plenária. Brasília/DF, 04 de outubro de 2012. CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL CAU/BR SCN Quadra 01, BL. E, Ed. Central

Leia mais

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação

Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação Auditoria Interna na Área de Tecnologia da Informação André Luiz Furtado Pacheco, CISA 4º Workshop de Auditoria de TI da Caixa Brasília, agosto de 2011 Agenda Introdução Exemplos de Deliberações pelo TCU

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº. 199 DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013 A PRESIDENTE EM EXERCÍCIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA, no uso de suas atribuições legais e CONSIDERANDO que as entidades da Administração Pública Federal indireta

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

PREFEITURA DE RIO BRANCO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO - RBPREV. Programa de Capacitações Exercicio de 2015

PREFEITURA DE RIO BRANCO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO - RBPREV. Programa de Capacitações Exercicio de 2015 Prefeitura Municipal de Rio Branco RBPREV Programa de Capacitações Exercicio de 2015 Equipe do RBPREV Raquel de Araújo Nogueira Diretora-Presidente Maria Gecilda Araújo Ribeiro Diretora de Previdência

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

Relato sobre a elaboração do PDTIC da UFMA

Relato sobre a elaboração do PDTIC da UFMA Relato sobre a elaboração do PDTIC da UFMA Nélio Alves Guilhon Tereza Cristina Brito Moreira Lima HISTÓRICO TI DA UFMA 1976: Resolução 423/76 ( 26/04/1976 ) Cria o Centro de Processamento de Dados (CPD)

Leia mais