COMPARAÇÃO DE MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE EM SISTEMA EMBARCADO: UM ESTUDO DE CASO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPARAÇÃO DE MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE EM SISTEMA EMBARCADO: UM ESTUDO DE CASO"

Transcrição

1 COMPARAÇÃO DE MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE EM SISTEMA EMBARCADO: UM ESTUDO DE CASO Rênia Aparecida de Souza Gomes Marlon José do Carmo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Rua José Peres, Centro, Leopoldina, MG, Brasil Resumo. A prosposta deste trabalho é avaliar o desempenho de um sistema de controle. Para avaliar o desempenho de determinado pode-se utilizar de métodos estatístiticos denominados de índices não itrusivos. Este trabalho, apresenta técnicas de modelagem por identificação de sistema de controle através da análise da curva de reação. Para efetuar o controle desses sistemas foi utiizado o controlador PID na sua forma digital e alguns métodos de sintonia de seus parâmetros são apresentados. Experimentações foram feitas utilizando o Arduino e o software Matlab. A utilização de índices não intrusivos permitiu a avaliação de desempenho dos métodos utilizados, de forma a chegar ao método de sintonia mais adequado para a planta utilizada. Palavras-chave: Identificação, Controlador PID, Índices de desempenho, Arduino, Matlab. 1. INTRODUÇÃO Há na atualidade há uma preocupação, na indústria, em obter uma qualidade cada vez melhor do produto final gastando-se menos energia. Assim, de forma crescente, também é o monitoramento de desempenho das malhas de controle industriais, visando que estas operem de forma satisfatória, ou seja, dentro da margem de desempenho esperado, conseguindo o melhor resultado possível de uma determinada malha, o que impacta diretamente na qualidade final do produto (Carmo, 2006). Alternativa factível para o controle e em com cada vez mais utilização na indústria são os microcontroladores. Estes podem estar separadamente construídos em circuitos eletrônicos discretos em encontrados em equipamentos que possuem em seu firmware o controlador PID (Proporcional + integral + derivativo) (Ogata, 2003), bem como auto sintonia (autotuning), e, sobretudo, rotinas para diagnóstico de desempenho das malhas de controle (Carmo, 2006). Apesar do grande avanço na teoria de controle, o controlador PID continua sendo largamente utilizado em malhas de controle industriais dados sua robustez e facilidade de implementação. Åström (Åström & Hängglund, 1995) que é umdos controladores mais utilizados na indústria possuem como estratégia algoritmos PID. Existem vários métodos de sintonia para controladores PID utilizados com grande aceitação em processos industriais. Dentre estes, os mais utilizados são baseados na resposta ao degrau: Ziegler e Nichols (Ziegler & Nichols, 1942), Cohen-Coon (Cohen & Coon, 1953). Embora novos procedimentos tenham sido desenvolvidos e venham ampliando sua aceitação, os métodos tradicionais ainda constituem marcos referencial. Estas técnicas se baseiam em modelos identificados para o processo controlado, que podem ser de primeira ordem a dois, três ou quatro parâmetros, podendo também encontrar-se modelos de ordem superior. Os métodos mais clássicos paraa obtenção do modelo dinâmico de um sistema são a resposta ao degrau e o método do ganho crítico, que conduzem, neste caso, a um modelo de primeira

2 ordem com três parâmetros a saber: o ganho estático do processo, o tempo morto e a constante de tempo do processo. Contudo, independente do método de identificação do modelo, bem como ode sintonia utilizado, persiste o questionamento sobre a robustez do sistema bem comoo os efeitos nocivos que a ação de controle pode ter sobre os elementos atuadores e o desempenho do sistema como um todo. Sob uma ótica ideal, espera-se que o comportamento do sistema seja ótimo, considerando-se determinadoscritérios de desempenho, independente das técnicas utilizadas. Neste contexto, esse trabalho visa medir e a avaliar o desempenho de uma malha de controle modelada por identificação, através de índices não intrusivos modelagemm por identificação e índices não intrusivos serão abordados em uma seção subsequente. 2. MODELAGEM DO PROCESSO 2.1 Introdução Todo sistema existente, independentementee de sua origem, é gerido por equações matemáticas que tem a capacidade de representar a dinâmica deste sistema em resposta a uma determinada entrada. Para as malhas de controle é similar, ou seja, para haver a possibilidade de controlar uma malha é necessário conhecer o modelo que gere um determinado sistema. Contextualmente, na modelagemm matemática surgem dois tipos, a modelagem fenomenológica e modelagemm por identificação (Aguirre, 2007) ). 2.2 Modelagem Fenomenológica A modelagem fenomenológica é quando se analisa a dinâmica do sistema físico, e faz um equacionamento dos fenômenos envolvidos através de equações diferenciais. A modelagem fenomenológica, embora represente o sistema fielmente, pode se tornar extremamente complicada. Ao tentar obter o equacionamentoo de uma malha industrial, de acordo com o fato de ser complicado equacionar todos os componentes da malha de controle avaliadaa integralmente, chegando a uma única equação que gere o sistema. (Coelho & Coelho, 2004). Figura 1 - Planta do projetoo a ser modelado Observando-see a planta da Figura 1 e fazendo-see todas as modelagens necessárias, teremos: (1) Tendo a equação (1) definida, substituem-se os valores de,, e de acordo com as especificações da planta e a proposta do trabalho.

3 Para = = 220µF, = 33 KΩ e = 150 KΩ, tem-se: (2) 2.3 Modelagem por Identificação A modelagem por identificação é quando se é fundamentada em técnicas que procuram descrever as relações de causa e efeito entre as variáveis de entrada e saída, tendo as técnicas utilizadas e os modelos resultantes distintos das associadas à modelagem fenomenológica. Essa modelagem é justificada quando o sistema analisado é muito complexo fazendo com que a modelagem fenomenológica seja muito complicada, e quando é possível dimensionar dados da evolução temporal das variáveis relevantes do sistema. A técnica de modelagem por identificação discutida neste tópico será a técnica de identificação por curva de reação Técnica de Identificação por Curva de Reação Quando se tem o intuito de conhecer a dinâmica do processo, ou seja, descobrir sua função de transferência para que a sintonia do controlador seja realizada, serão discutidas neste tópico técnicas de modelagem por identificação através da curva de reação (CR), que são técnicas em sua essência gráficas (Alfaro, 2001) Forma Geral do Método de Dois Pontos Existem vários métodos que utilizam o procedimento de dois pontos de Smith, diferenciando apenas os instantes tomados para se obterem os parâmetros e τ. Assim podem ser estabelecidas equações gerais para o método de dois pontos, a fim de identificar um modelo de primeira ordem mais tempo morto do processo (Alfaro, 2001). As equações são dadas por: (3) (4) As equações acima foram obtidas através da Figura 2. Figura 2 - Esboço de uma CR para a forma geral do método de dois pontos

4 Os métodos que se encaixam neste contexto são: Alfaro (Alfaro, 1998), Bröida (Bouamama, 1998) ), Chen e Yang (Chen & Yang, 2000), Ho (Ho et al., 1995), Vitecková et al (Vitecková et al., 2000). As constantes a, b, c, d e as porcentagens p1 e p2 para tais métodos são demonstrados na Tabela 1. Tabelaa 1 - Constantes dos métodos de dois pontos. 3. CONTROLE PID E ÍNDICES DE DESEMPENHO 3.1 Controlador PID utilizado O controlador finitas (Isermann, amostragem. PID a ser 1981), de utilizado neste trabalho é um controlador digital a diferenças acordo com as equações (5) a (8), onde Ta é o tempo de (5) Onde: (6) (7) (8) 3.2 Índices de Desempenho Baseado na média e variância Média do sinal de saídaa do sistema Este índice permite avaliar comoo os sinais de saída variam em relação ao valor de referência da malha. Por outroo lado, quanto maior for o valor da média do sinal de saída em relação ao valor da referência, menor a rastreabilidade que o sistema apresentaa para a referência, podendoo ainda a malha possuir características oscilatórias (Carmo, 2006). Pode-se definir a média da saída como: (9) Ou a relação percentural ao valor de referência:

5 (10) Onde sp (set-point) é o valor da referência Variância do sinal de saída do sistema Se em um sistema de controle, na ocorrência de distúrbios e mudança na referência, for efetuado uma análise dos indicadores para N amostras, intuitivamente pode-se dizer que a média destas amostras tenderá ao valor ajustado na referência. Sabe-se, entretanto, que nem sempre a estabilidade relativa de um sistema de controle permite, em muitos casos, que se tenha este comportamento em relação à média de determinados sinais de uma malha (Carmo, 2006). Uma boa medida para se analisar o quanto uma determinada variável dispersou em relação à média é a variância, que permite, adicionalmente, o cálculo de todos os valores observados, e o quanto a medida se distanciou da média. Por definição, a variância é expressa por: (11) Considerando-se N amostras, tem-se: (12) 4. METODOLOGIA E ANÁLISE DOS RESULTADOS DE EXPERIMENTAÇÕES 4.1 Arduino O Arduino Uno é uma placa eletrônica projetada tendo como base o microprocessador ATmega328. Ele é composto por quatorze pinos de entrada e saído digital, dos quais, seis podem ser utilizados como saídas PWM (identificadas com um sinal de til - ~ - ), seis saídas analógicas, um oscilador de cristal de 16 MHz, um controlador USB, uma tomada de alimentação, um conector ICSP, e um botão de reset. Para que o Arduino Uno possa ser utilizado é necessário que o conecte a um computador com um cabo USB ou ligá-lo a um adaptador AC para DC ou bateria (Evans, 2011). O Arduino é constituído por, pelo menos, uma porta serial (nomeada como UART ou USART) e em seu ambiente de desenvolvimento integrado existem bibliotecas previamente acopladas para se trabalhar com dados recebidos via serial. A comunicação da porta serial é feita por meio dos pinos digitais 0 (RX) e 1 (TX), e via USB, com o computador. Por esse motivo, não é possível utilizar as funções do Arduino juntamente com os pinos 0 e 1 para entrada ou saída digital. 4.2 Metodologia de comunicação entre Arduino e o software Matlab Os dados de curva de reação serão capturados no Arduino e transferidos para o Matlab a fim de se projetar controladores. Após o projeto, será analisado o comportamento controladorplanta pelo Matlab. O Matlab será utilizado, nesta etapa, para se plotar as curvas da malha

6 controlada bem como obter medidas de desempenho de média e variância, visando uma posterior análise quantitativaa de quais métodos de controle se mostraram mais com características servo. 4.3 Descrição do Circuito Experimental Na Figura 3 será apresentado o circuito experimental utilizado neste trabalho. As setas contidas na figura proporcionais as seguintes indicações: Seta 1: Placa Arduino; Seta 2: Entrada USB, onde realiza-se a conexão da placa Arduino com o computador; Seta 3: Placa protoboard; Seta 4: Pinos de alimentação. Foi utilizado o pino GND; Seta 5: Pinos de saída digital/pwm. Foi utilizado o pino 5, entradaa PWM; Seta 6: Pinos de entrada analógica. Foi utilizado o pino A0; Figura 3 Circuito Experimental 4.4 Resultado das Experimentações Descrição da modelagem por curva de reação feita pelo Arduino Para melhor exemplificar a dinâmica do código fonte basta olhar o fluxograma da Figura 4. Figura 4 Fluxograma exemplificador do código fonte Esse código foi rodadoo no Arduino, onde foi gerado um vetor com os valores da saída em função do tempo. Estes pontos foram captados pela porta serial do Arduino e enviados no Matlab, para que assim, pudesse ser gerada a curva de reação e pudesse chegar aos modelos especificados pela Tabela Cálculo do modelo dos métodos de dois pontos Na Tabela 3, encontram-se os cálculos dos modelos dos métodos de dois pontos para cada método de identificação descrito.

7 Tabela 3 Modelo dos métodos de dois pontos Aplicação dos Métodos de Sintonia no Arduino Para melhor exemplificar a dinâmica do código fonte basta olhar o fluxograma da Figura 6. Figura 6 Fluxograma exemplificador do código fonte Onde: 1 - Faz-se a declaração dos parâmetros aproximados da planta a ser controladaa por um método de identificação; 2 - Fazem-se os cálculos dos parâmetros de sintonia com um dos métodos de sintonia citados anteriormente; 3 - Fazem-se os cálculos dos parâmetros do controlador PID digital; 4 - Faz-se o cálculo da ação de controle PID digital. Esses códigos foram rodados no Arduino, e o procedimentoo foi o mesmo utilizado para a obtenção da curva de reação sem controlador. Ou seja, no Arduino foram medidos os pontos pela porta serial, posteriormente, estes pontos foram captados e enviados para o Matlab, para que assim, pudessem ser plotados os sinais com o controle PID Aplicação dos Métodos de Sintonia no Arduino Nos programas foram inseridos diversos dados, entre eles: o tempo de amostragem e os parâmetros aproximados da planta a ser controlada pelo método de identificação específico (Alfaro, Bröida, Chen e Yang, Ho et al, Smith ou Vitecková et al). Tambémm foram calculados alguns parâmetros, como os dos métodos de sintonia específicos (Ziegler-Nichols, Cohen- Coon, Takahashi ou Chien, Hrones e Reswick 0% e 20%)

8 Tabela 4 - Parâmetros do controlador PID dos vários métodos de sintonia 5 Resultados das Experimentações Primeiramente, utilizou-se o modelo de Smith para sintonizar o controladorr PID de acordo com os métodos apresentados na Tabelaa 4. Por motivo de simplificação são apresentadas nas Figuras 7 e 8 alguns resultados para o método de Alfaro e Bröida, respectivamente. Contudo, o comportamento pouco se diferenciou-se de forma qualitativa (gráficos), contudoo os índices de desempenho foram avaliados, conforme a próxima seção. Figura 8 - Curvas de controle da planta para os diversos métodos de sintonia e de identificação de Alfaro. Figura 9 - Curvas de controle da planta para os diversos métodos de sintonia e de identificação de Bröida

9 5.4.6 Cálculo das Médias e das Variâncias de cada um dos Métodos de Identificação Na seção anterior pôde-se realizar uma análise qualitativa dos resultados por meio de análise gráfica. Aqui, propõe-se uma análise quantitativa dos métodos de sintonia utilizados. Para tal utilizar-se-á os índices não intrusivos média e variância. Tabela 4 - Indices de desempenho para os métodos de Alfaro e Bröida Tabela 5 - Indices de desempenho para os métodos de Chen e Yang e Ho et al. Tabela 6 - Indices de desempenho para os métodos de Smith e Vitecková et al. 6. Conclusões Apresentou-se neste trabalho a aplicação a análise de uma malha de controle simples, mas embarcada em sistema microprocessado. O estudo de caso se deu para um controlador PID digital e vários métodos de sintonia foram aplicados. ìndices de desempenho não intrusivos, baseados em estatísticaa porribilitaram realizar uma análise dos diversos métodos de sintonia no tocante a média e variância de saída, possibilitando assim a determinação de características oscilatórias no controle da planta proposta. REFERÊNCIAS Aström, K. J. & Hängglund, T., (2000). Benchmark systems for PID control. In: IFAC Digital Control: Past, Present and Future, Spain, p Aström, K. J. & Hängglund, T., (1995). PID controllers: Theory, Design and Tuning. 2nd. ed.north Carolina: Instrument Society of America. Aguirre, L. A; (2007) Introdução à Identificação de Sistemas: Técnicas Lineares e Não-Lineares Aplicadas a Sistemas Reais. 3ª Edição. Editora UFMG. Alfaro, M. V; (2001) Identificación de Procesos Sobreamortiguados Utilizando Técnicas de Lazo Abierto, Costa Rica.

10 Bouamama, B.O; (1998) La régulationautomatique, Ecole Universitaire D Ingénieurs de Lille (ECUDIL), França. Carmo, M. J. & Gomes, F. J., (2006). Diagnóstico de controladores pid e performance de malhas industriais em ambiente multifuncional integrado. In: CLCA XII Latin American Congress on Automatic Control. Chen, C. L., (1989). A simple method for on-line identification and controller tuning. AIChEJournal, v. 35, n. 12, p Cohen, G. H. & Coon, G. A., (1953). Theoretical considerations of retarded control. ASME Transactions, Vol. 75, p Ho, W. K. & Hang, C. C. & Cao, L. S., (1995). Tuning pid controllers based on gain and phasemargin specifications. Automatica (UK), v. 31, n. 3, p Isermann, R., (1981). Digital control systems. Springer-Verlag. Vitecková, M.; Viecek, A.; Smitny L; (2000) Simple PI and PID Controllers tuning for monotone self regulation plant, IFAC Workshop on Digital Control: Past, Present and Future of PID Control, Terrasa, Espanha. Ziegler, J. B. & Nichols, N. B. Optimum settings for automatic controls. ASME Transactions, v. 64, p COMPARISON OF METHODS FOR IDENTIFICATION AND CONTROL IN EMBEDDED SYSTEM: A CASE STUDY Abstract. To the proposal of this work is to evaluate the performance of a control system. To evaluate the performance of a particular one can use estatistics not itrusives. This paper presents modeling techniques for identification of the control system through the analysis of the reaction curve. To make the control of these systems was utiizado the PID controller in digital form and some methods of tuning its parameters are presented. Trials were made using the Arduino and Matlab software. The use of non-intrusive coefficients, the performance evaluation of the methods used in order to reach the most suitable for the plant used tuning method. Keywords: Identification, PID Controller, performance indices, Arduino, Matlab.

SIMULAÇÃO DE CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS REFERENCIAIS PELA WEB: UMA FERRAMENTA FOSS

SIMULAÇÃO DE CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS REFERENCIAIS PELA WEB: UMA FERRAMENTA FOSS SIMULAÇÃO DE CONTROLE DE PROCESSOS INDUSTRIAIS REFERENCIAIS PELA WEB: UMA FERRAMENTA FOSS Rafael G. Martins rafael@rafaelmartins.eng.br Bruno R. Carneiro brunorc@live.com Thales C. Lanza thaleslanza@gmail.com

Leia mais

2. MODELAGEM POR IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS COM ATRASO DE TRANSPORTE

2. MODELAGEM POR IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS COM ATRASO DE TRANSPORTE Utilização de estatística como índices não intrusivos na avaliação do comportamento das malhas de controle: um estudo de caso para sistemas com atraso de transporte Marlon J. do Carmo, Ângelo R. Oliveira,

Leia mais

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações.

Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. Na primeira aula, conhecemos um pouco sobre o projeto Arduino, sua família de placas, os Shields e diversos exemplos de aplicações. A partir de agora, iremos conhecer o hardware do Arduino e suas caracteristicas

Leia mais

PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM PARA SISTEMAS DE CONTROLE DE PROCESSOS: IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS UTILIZANDO UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL

PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM PARA SISTEMAS DE CONTROLE DE PROCESSOS: IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS UTILIZANDO UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL PRÁTICAS DE APRENDIZAGEM PARA SISTEMAS DE CONTROLE DE PROCESSOS: IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMAS UTILIZANDO UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL Lyvia Regina Biagi Silva 1 lybiagi@hotmail.com Wagner Endo 1 wendo@utfpr.edu.br

Leia mais

Me todos de Ajuste de Controladores

Me todos de Ajuste de Controladores Me todos de Ajuste de Controladores Recapitulando aulas passadas Vimos algumas indicações para a escolha do tipo de controlador feedback dependendo da malha de controle que está sendo projetada. Vimos

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO POR ESPAÇOS DE ESTADOS DE UM MÓDULO SERVO-MECANISMO DIDÁTICO

IDENTIFICAÇÃO POR ESPAÇOS DE ESTADOS DE UM MÓDULO SERVO-MECANISMO DIDÁTICO IDENTIFICAÇÃO POR ESPAÇOS DE ESTADOS DE UM MÓDULO SERVO-MECANISMO DIDÁTICO Vlademir Aparecido Freire Junior vlad_freire@hotmail.com Alessandro do Nascimento Vargas avargas@utfpr.edu.br Cristiano Marcos

Leia mais

5 Sistema Experimental

5 Sistema Experimental 5 Sistema Experimental Este capitulo apresenta o sistema experimental utilizado e é composto das seguintes seções: - 5.1 Robô ER1: Descreve o robô utilizado. É dividida nas seguintes subseções: - 5.1.1

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA Curso de Eletrotécnica

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA Curso de Eletrotécnica UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA Curso de Eletrotécnica Apostila de Automação Industrial Elaborada pelo Professor M.Eng. Rodrigo Cardozo Fuentes Prof. Rodrigo

Leia mais

TG-01-2012-EL. e-mail 1 : diego190103@gmail.com; e-mail 2 : ffpuccia@uol.com.br; e-mail 3 : peleggi@ig.com.br;

TG-01-2012-EL. e-mail 1 : diego190103@gmail.com; e-mail 2 : ffpuccia@uol.com.br; e-mail 3 : peleggi@ig.com.br; Controle de ângulos de azimute e de elevação num sistema Aeroestabilizador Diego Amorim 1 ; Filipe Puccia 2 & Regis Peleggi 3. Orientador: Alexandre Brincalepe Campo. TG-01-2012-EL 1, 2,3 Graduandos do

Leia mais

Aula 8 Controladores do tipo Proporcional, Integral e Diferencial

Aula 8 Controladores do tipo Proporcional, Integral e Diferencial Aula 8 Controladores do tipo Proporcional, Integral e Diferencial Introdução Estrutura do Controlador PID Efeito da Ação Proporcional Efeito da Ação Integral Efeito da Ação Derivativa Sintonia de Controladores

Leia mais

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO

PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO PROTÓTIPO DE ATENDIMENTO DOMICILIAR AUTOMATIZADO: HOME CARE DE BAIXO CUSTO Wilker Luiz Machado Barros¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil wilkermachado1@hotmail.com,

Leia mais

ARDUINO UNO Guia do Usuário

ARDUINO UNO Guia do Usuário ARDUINO UNO Guia do Usuário Heco Mecatrônica Ltda. e-mail: vendas@hecomecatronica.com.br Visite nosso site: www.hecomecatronica.com.br Loja Virtual: shop.hecomecatronica.com.br Guia do Usuário - Página

Leia mais

Sintonia de Controladores PID utilizando Algoritmos Genéticos

Sintonia de Controladores PID utilizando Algoritmos Genéticos Sintonia de Controladores PID utilizando Algoritmos Genéticos J. Franco M. Amaral, M. A. C. Pacheco, R. Tanscheit DEE-PUC-Rio, CP 38063, 22452-970 Rio de Janeiro, RJ e-mail: [jfranco, marco, ricardo]@ele.puc-rio.br

Leia mais

CONTROLE DIGITAL DE MALHA DE NÍVEL DE UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL

CONTROLE DIGITAL DE MALHA DE NÍVEL DE UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL CONTROLE DIGITAL DE MALHA DE NÍVEL DE UMA PLANTA DIDÁTICA INDUSTRIAL Paulo Afonso Ferreira Junior paulo_junior90@hotmail.com Vlademir Aparecido Freire Junior vlad_freire@hotmail.com Bruno Augusto Angélico

Leia mais

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

EXERCÍCIOS RESOLVIDOS ENG JR ELETRON 2005 29 O gráfico mostrado na figura acima ilustra o diagrama do Lugar das Raízes de um sistema de 3ª ordem, com três pólos, nenhum zero finito e com realimentação de saída. Com base nas

Leia mais

Sistemas Embarcados. Controladores PI, PD e PID

Sistemas Embarcados. Controladores PI, PD e PID Sistemas Embarcados Controladores PI, PD e PID Controladores PI, PD e PID O que são os controladores PI, PD e PID? Aplicações dos controladores Implementação analógica dos controladores Implementação digital

Leia mais

Relatório técnico final

Relatório técnico final Estufa Relatório técnico final Integrantes: Cleiton J. Marcon Jefferson A. A. Parisotto Professor Orientador: Guilherme Nogueira 4º Bimestre Visto: Sumário Sumário... 2 Índice das Figuras... 3 Índice das

Leia mais

Projeto de sistemas de controle

Projeto de sistemas de controle Projeto de sistemas de controle Os controladores clássicos encontrados na literatura podem ser classificados como: Controladores de duas posições (ou on-off). Controladores proporcionais. Controladores

Leia mais

Controle de Conversores Estáticos Retroação de estados: Projeto por alocação de pólos. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org

Controle de Conversores Estáticos Retroação de estados: Projeto por alocação de pólos. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org Controle de Conversores Estáticos Retroação de estados: Projeto por alocação de pólos cassiano@ieee.org 1 Projeto por alocação de pólos Na abordagem convencional, usando por exemplo o método do lugar das

Leia mais

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável.

Palavras-chave: turbina eólica, gerador eólico, energia sustentável. Implementação do modelo de uma turbina eólica baseado no controle de torque do motor cc utilizando ambiente matlab/simulink via arduino Vítor Trannin Vinholi Moreira (UTFPR) E-mail: vitor_tvm@hotmail.com

Leia mais

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino

Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Alarme Automotivo com mensagem para móvel utilizando Arduino Maycon Cirilo dos Santos¹, Wyllian Fressatti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil mayconsi2012@gmail.com, wyllian@unipar.br

Leia mais

Caracterização temporal de circuitos: análise de transientes e regime permanente. Condições iniciais e finais e resolução de exercícios.

Caracterização temporal de circuitos: análise de transientes e regime permanente. Condições iniciais e finais e resolução de exercícios. Conteúdo programático: Elementos armazenadores de energia: capacitores e indutores. Revisão de características técnicas e relações V x I. Caracterização de regime permanente. Caracterização temporal de

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PROCET DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA. Disciplina de Controle II Prof. MC. Leonardo Gonsioroski da Silva

UNIVERSIDADE GAMA FILHO PROCET DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA. Disciplina de Controle II Prof. MC. Leonardo Gonsioroski da Silva UNIVERSIDADE GAMA FILHO PROCET DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Disciplina de Controle II Prof. MC. Leonardo Gonsioroski da Silva Controlador Proporcional Controlador PI A Relação entre a saída e o

Leia mais

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com.

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com. Ponte levadiça digital... Projeto semestral primeira fase de 2003 Engenharia de Computação 4 período Em breve aqui novos projetos... Página inicial Pré-projeto Projeto FOTOS e Vídeos Funcionamento Esboços

Leia mais

RELATÓRIO FINAL: PROJETO DESAFIO CONTROLE DE POSIÇÃO DE UMA VÁLVULA

RELATÓRIO FINAL: PROJETO DESAFIO CONTROLE DE POSIÇÃO DE UMA VÁLVULA RELATÓRIO FINAL: PROJETO DESAFIO CONTROLE DE POSIÇÃO DE UMA VÁLVULA Laboratório de Controle e Automação 1 ( LECI 1 ) Professor: Reinaldo Martinez Palhares Integrantes: Henrique Goseling Araújo, Hugo Montalvão

Leia mais

Aplicação de técnicas de sintonia fuzzy em uma coluna de destilação piloto

Aplicação de técnicas de sintonia fuzzy em uma coluna de destilação piloto Aplicação de técnicas de sintonia fuzzy em uma coluna de destilação piloto Adelson Siqueira Carvalho Ronald Coutinho da Silva Dênis Barbosa do Nascimento NPO - CEFET-Campos NPO - CEFET-Campos NPO - CEFET-Campos

Leia mais

PATROL - SISTEMA NA INTERNET PARA APOIO AO ENSINO DE CONTROLE

PATROL - SISTEMA NA INTERNET PARA APOIO AO ENSINO DE CONTROLE PATROL - SISTEMA NA INTERNET PARA APOIO AO ENSINO DE CONTROLE Fabio Lattario Fonseca 1, Sergio Barbosa Villas-Boas 2 UFRJ - DEL (Departamento de Engehiaria Eletrônica e Computação) 1 fabiolf@coppe.ufrj.br

Leia mais

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL

REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL REAL LACOS: CONTROLE DIGITAL EM TEMPO REAL Andreya Prestes da Silva 1, Rejane de Barros Araújo 1, Rosana Paula Soares Oliveira 1 e Luiz Affonso Guedes 1 Universidade Federal do ParáB 1 Laboratório de Controle

Leia mais

Estudos Iniciais do Sistema didático para análise de sinais no domínio da frequência DSA-PC: tipos de janelas temporais.

Estudos Iniciais do Sistema didático para análise de sinais no domínio da frequência DSA-PC: tipos de janelas temporais. Estudos Iniciais do Sistema didático para análise de sinais no domínio da frequência DSA-PC: tipos de janelas temporais. Patricia Alves Machado Telecomunicações, Instituto Federal de Santa Catarina machadopatriciaa@gmail.com

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM TOOLBOX DE CONTROLE PREDITIVO DO TIPO CONTROLE PREDITIVO POR MATRIZ DINÂMICA (DMC) NO SCILAB

ELABORAÇÃO DE UM TOOLBOX DE CONTROLE PREDITIVO DO TIPO CONTROLE PREDITIVO POR MATRIZ DINÂMICA (DMC) NO SCILAB ELABORAÇÃO DE UM TOOLBOX DE CONTROLE PREDITIVO DO TIPO CONTROLE PREDITIVO POR MATRIZ DINÂMICA (DMC) NO SCILAB Mardoqueu de Oliveira Neto mardoqueu6@hotmail.com Gustavo Maia de Almeida gmaia@ifes.edu.br

Leia mais

6 Conclusões e Trabalhos futuros 6.1. Conclusões

6 Conclusões e Trabalhos futuros 6.1. Conclusões 6 Conclusões e Trabalhos futuros 6.1. Conclusões Neste trabalho estudou-se o comportamento do sistema que foi denominado pendulo planar com a adição de uma roda de reação na haste do pendulo composta de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM DISPOSITIVO COMPUTACIONAL APLICADO AO PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMA EM SISTEMAS INDUSTRIAIS. Resumo

DESENVOLVIMENTO DE UM DISPOSITIVO COMPUTACIONAL APLICADO AO PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMA EM SISTEMAS INDUSTRIAIS. Resumo DESENVOLVIMENTO DE UM DISPOSITIVO COMPUTACIONAL APLICADO AO PROCESSO DE IDENTIFICAÇÃO DE SISTEMA EM SISTEMAS INDUSTRIAIS Polieny de Faria Albernaz polieny.faria@gmail.com Universidade Federal de Uberlândia

Leia mais

Análise de desempenho de processadores ATmega328 utilizando Benchmark Linpack Marcos S. Morgenstern, Lori R. F. Machado Filho, Edson L.

Análise de desempenho de processadores ATmega328 utilizando Benchmark Linpack Marcos S. Morgenstern, Lori R. F. Machado Filho, Edson L. Análise de desempenho de processadores ATmega328 utilizando Benchmark Linpack Marcos S. Morgenstern, Lori R. F. Machado Filho, Edson L. Padoin Universidade Regional do Noroeste do Estado Do Rio Grande

Leia mais

Arquitetura do Microcontrolador Atmega 328

Arquitetura do Microcontrolador Atmega 328 Governo do Estado de Pernambuco Secretaria de Educação Secretaria Executiva de Educação Profissional Escola Técnica Estadual Professor Agamemnon Magalhães ETEPAM Arquitetura do Microcontrolador Atmega

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO DE CONTROLE DE NÍVEL UTILIZANDO O KIT ARDUINO UNO

DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO DE CONTROLE DE NÍVEL UTILIZANDO O KIT ARDUINO UNO DESENVOLVIMENTO DE UM MÓDULO DE CONTROLE DE NÍVEL UTILIZANDO O KIT ARDUINO UNO Carla M. M. dos Santos, Bruno L. G. Costa, Rodrigo A. Silva, Paulo R. Scalassara Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Leia mais

MÉTODO DE IDENTIFICAÇÃO POR MÍNIMOS QUADRADOS EM UMA PLANTA DIDÁTICA DE NÍVEL FOUNDATION FIELDBUS: UM ESTUDO DE CASO EXPERIMENTAL NA GRADUAÇÃO

MÉTODO DE IDENTIFICAÇÃO POR MÍNIMOS QUADRADOS EM UMA PLANTA DIDÁTICA DE NÍVEL FOUNDATION FIELDBUS: UM ESTUDO DE CASO EXPERIMENTAL NA GRADUAÇÃO MÉODO DE IDENIFICAÇÃO POR MÍNIMOS QUADRADOS EM UMA PLANA DIDÁICA DE NÍVEL FOUNDAION FIELDBUS: UM ESUDO DE CASO EXPERIMENAL NA GRADUAÇÃO Amanda Knaipp Badaró amandakb@gmail.com Marlon José do Carmo marloncarmo@ieee.org

Leia mais

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA

O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Quim. Nova, Vol. 38, No. 3, S1-S6, 2015 O USO DE UM SENSOR DE LUZ LINEAR COMO RECURSO DIDÁTICO PARA DEMONSTRAR PRINCÍPIOS DE DIFRAÇÃO E ESPECTROSCOPIA Fernando Arruda Mendes de Oliveira a,b, Eduardo Ribeiro

Leia mais

APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO

APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO APLICAÇÃO PARA ANÁLISE GRÁFICA DE EXERCÍCIO FÍSICO A PARTIR DA PLATAFORMA ARDUINO Alessandro A. M de Oliveira 1 ; Alexandre de Oliveira Zamberlan 1 ; Péricles Pinheiro Feltrin 2 ; Rafael Ogayar Gomes 3

Leia mais

PROJETO TEÓRICO E EXPERIMENTAL DE CONTROLADORES APLICADOS EM UM SISTEMA ELETROMECÂNICO DE POSIÇÃO

PROJETO TEÓRICO E EXPERIMENTAL DE CONTROLADORES APLICADOS EM UM SISTEMA ELETROMECÂNICO DE POSIÇÃO PROJETO TEÓRICO E EXPERIMENTAL DE CONTROLADORES APLICADOS EM UM SISTEMA ELETROMECÂNICO DE POSIÇÃO José Bezerra de Menezes Pós-Graduação em Eng. Mecânica - CT - UFPB - Campus I - CEP:5859-9 - João Pessoa

Leia mais

Ajuste dos Parâmetros de um Controlador PI em uma Coluna de Destilação Binária

Ajuste dos Parâmetros de um Controlador PI em uma Coluna de Destilação Binária Ajuste dos Parâmetros de um Controlador PI em uma Coluna de Destilação Binária Marina Roberto Martins 1*, Fernando Palú 1 (1) Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Curso de Engenharia Química. e-mail:

Leia mais

O USO DE PLATAFORMAS OPEN SOURCE PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA (RFID)

O USO DE PLATAFORMAS OPEN SOURCE PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA (RFID) O USO DE PLATAFORMAS OPEN SOURCE PARA O ENSINO DA TECNOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA (RFID) Katielle Dantas Oliveira 1 katielledantas@gmail.com Maurício Barros de Almeida Neto 1 mauricio.ifce.br@gmail.com

Leia mais

MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA

MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA MODELAGEM COM EQUAÇÕES DIFERENCIAIS DE PRIMEIRA ORDEM E APLICAÇÕES À ECONOMIA PAULO, João Pedro Antunes de Universidade Estadual de Goiás UnU de Iporá jpadepaula@hotmail.com RESUMO Esta pesquisa foi feita

Leia mais

CONTROLE DE NÍVEL UTILIZANDO ALGORITMO PID IMPLEMENTADO NO CLP

CONTROLE DE NÍVEL UTILIZANDO ALGORITMO PID IMPLEMENTADO NO CLP CONTROLE DE NÍVEL UTILIZANDO ALGORITMO PID IMPLEMENTADO NO CLP Felipe Martins Guimarães felipem.guimaraes@hotmail.com Instituto Nacional de Telecomunicações Inatel Nataniele Thaís do Nascimento na.niele@tai.inatel.br

Leia mais

Controle de Velocidade de uma Correia Transportadora utilizando Controlador PI

Controle de Velocidade de uma Correia Transportadora utilizando Controlador PI Controle de Velocidade de uma Correia Transportadora utiliando Controlador PI Samuel V. Dias, Laurinda L. N. dos Reis 2, José C. T. Campos 2 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará

Leia mais

Aplicação do Modelo Linear de Vorpérian ao Conversor tipo Buck Ewaldo L. M. Mehl

Aplicação do Modelo Linear de Vorpérian ao Conversor tipo Buck Ewaldo L. M. Mehl Aplicação do Modelo Linear de Vorpérian ao Conversor tipo Buck Ewaldo L. M. Mehl 1. Apresentação Com o uso do conceito do Interruptor PWM apresentado por Vorpérian [1,2], torna-se extremamente simples

Leia mais

MICROMASTER MM4. Usando o Controle de Malha Fechada (PID) Edição 08.2002. IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline

MICROMASTER MM4. Usando o Controle de Malha Fechada (PID) Edição 08.2002. IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline s MICROMASTER MM4 Usando o Controle de Malha Fechada (PID) Edição 08.2002 IND 1 Drives technology Suporte Técnico Drives Hotline USANDO O CONTROLE DE MALHA FECHADA NO MM4 O que é controle de malha fechada

Leia mais

Universidade Gama Filho Campus Piedade Departamento de Engenharia de Controle e Automação

Universidade Gama Filho Campus Piedade Departamento de Engenharia de Controle e Automação Universidade Gama Filho Campus Piedade Departamento de Engenharia de Controle e Automação Laboratório da Disciplina CTA-147 Controle I Análise da Resposta Transitória (Este laboratório foi uma adaptação

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controladores

Fundamentos de Automação. Controladores Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controladores

Leia mais

SISTEMAS DE CONTROLO. Objectivos Pedagógicos

SISTEMAS DE CONTROLO. Objectivos Pedagógicos SISTEMAS DE CONTROLO Responsável: Prof. Doutor João Miguel Gago Pontes de Brito Lima Atendimento (Gab. 2.63): Terça e Quarta das 11:00 à 13:00 Objectivos Pedagógicos Pretende-se com esta disciplina fornecer

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Departamento de Engenharia AUTOMAÇÃO CODICRED 44637-04 PROGRAMA DE DISCIPLINA 01 SÍNTESE DISCIPLINA: CURSO (S): Engenharia

Leia mais

KIT DIDÁTICO COM PID DIGITAL DE BAIXO CUSTO

KIT DIDÁTICO COM PID DIGITAL DE BAIXO CUSTO KIT DIDÁTICO COM ID DIGITAL DE BAIXO CUTO ílvia G.. Cervantes 1 ; Kleber R. Felizardo 2 ; Francisco de Assis cannavino Junior 3 Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Engenharia Elétrica UEL

Leia mais

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS

CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE CORRENTES ELEVADAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO ELETRÔNICA PROFESSOR: LUCIANO FONTES CAVALCANTI CIRCUITO PARA MEDIÇÃO DE

Leia mais

Co-simulação gráfica. André Pereira Gerente de Marketing Técnico. ni.com

Co-simulação gráfica. André Pereira Gerente de Marketing Técnico. ni.com Co-simulação gráfica André Pereira Gerente de Marketing Técnico A revolução da energia digital Meça(Entenda o problema) Adquira Analise Apresente Implemente Prototipe Melhore(Crie soluções) Projete 2 NI

Leia mais

ESTUDO SOBRE CONTROLE DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS

ESTUDO SOBRE CONTROLE DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS ESTUDO SOBRE CONTROLE DE MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS Autores : Marina PADILHA, Tiago DEQUIGIOVANI. Identificação autores: Engenharia de Controle e Automação - Bolsista Interno; Orientador IFC - Campus

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CAMPUS DE SOBRAL INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR (Currículo 2006.2) Agosto de 2010 Hodiernamente não mais se concebe que a formação do futuro profissional

Leia mais

Resposta Transitória de Circuitos com Elementos Armazenadores de Energia

Resposta Transitória de Circuitos com Elementos Armazenadores de Energia ENG 1403 Circuitos Elétricos e Eletrônicos Resposta Transitória de Circuitos com Elementos Armazenadores de Energia Guilherme P. Temporão 1. Introdução Nas últimas duas aulas, vimos como circuitos com

Leia mais

GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232

GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 Carlos Renato Borges dos Santos Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG Departamento de Engenharia Elétrica Campus Formiga MG carlos.renato@ifmg.edu.br

Leia mais

Capítulo 3. Avaliação de Desempenho. 3.1 Definição de Desempenho

Capítulo 3. Avaliação de Desempenho. 3.1 Definição de Desempenho 20 Capítulo 3 Avaliação de Desempenho Este capítulo aborda como medir, informar e documentar aspectos relativos ao desempenho de um computador. Além disso, descreve os principais fatores que influenciam

Leia mais

Ajuste dos parâmetros de um controlador proporcional, integral e derivativo através de algoritmos genéticos

Ajuste dos parâmetros de um controlador proporcional, integral e derivativo através de algoritmos genéticos Ajuste dos parâmetros de um controlador proporcional, integral e derivativo através de algoritmos genéticos ADJUSTMENT OF CONTROLLER PID S PARAMETERS OF GENETIC ALGORITHMS Luiz Eduardo N. do P. Nunes Victor

Leia mais

O AMPLIFICADOR LOCK-IN

O AMPLIFICADOR LOCK-IN O AMPLIFICADOR LOCK-IN AUTORES: MARCELO PORTES DE ALBUQUERQUE LEONARDO CORREIA RESENDE JORGE LUÍS GONZALEZ RAFAEL ASTUTO AROUCHE NUNES MAURÍCIO BOCHNER FEVEREIRO 2008 SUMÁRIO RESUMO... 3 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

Introdução e Motivação

Introdução e Motivação Introdução e Motivação 1 Análise de sistemas enfoque: sistemas dinâmicos; escopo: sistemas lineares; objetivo: representar, por meio de modelos matemáticos, fenômenos observados e sistemas de interesse;

Leia mais

Sistemas supervisórios

Sistemas supervisórios Sistemas supervisórios O software supervisório utiliza a representação de objetos estáticos e animados para representar todo o processo de uma planta, assim como uma interface IHM. Ela opera em dois modos:

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE CIRCUITOS CONVERSORES DIGITAL-ANALÓGICOS PARA CONTROLE DE POLARIZAÇÃO Aluno: Joaquim Masset Lacombe Dias Garcia Aluna: Ana Sofia Viotti Daker Aranha Orientador: Guilherme Penello Temporão

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA Gilva Altair Rossi 1 ; José Maria Galvez 2 ; Douglas Iceri Lasmar 3 Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Engenharia

Leia mais

Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem

Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem Título: Controle de um sistema Bola- Barra com realimentação através de imagem Autores: Caio Felipe Favaretto, Henrique Corrêa Ramiro, Rômulo de Oliveira Souza e Marcelo Barboza Silva Professor orientador:

Leia mais

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox 1- Scilab e a placa Lab_Uino A placa Lab_Uino, é uma plataforma aberta para aprendizagem de sistemas microprocessados. Com a utilização de um firmware especifico a placa Lab_Uino é reconhecido pelo sistema

Leia mais

CONTROLE PI-NEURAL APLICADO A UM SISTEMA DE VAZÃO

CONTROLE PI-NEURAL APLICADO A UM SISTEMA DE VAZÃO CONTROLE PI-NEURAL APLICADO A UM SISTEMA DE VAZÃO LUCAS H. S. DE ANDRADE 1, CRISTIANO M. AGULHARI 1, ALESSANDRO GOEDTEL 2 1. Laboratório de Controle e Automação de Sistemas, Universidade Tecnológica Federal

Leia mais

Métodos de Sintonização de Controladores PID

Métodos de Sintonização de Controladores PID 3ª Aula de Controlo Inteligente Controlo PI iscreto Métodos de Sintonização de Controladores PI Os controladores PI são muito utilizados em aplicações industrias. A função de transferência que define o

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO E ESTRUTURAS PID APLICADAS A UM SISTEMA DE IÇAMENTO DE CARGAS

MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO E ESTRUTURAS PID APLICADAS A UM SISTEMA DE IÇAMENTO DE CARGAS MÉTODOS DE IDENTIFICAÇÃO E ESTRUTURAS PID APLICADAS A UM SISTEMA DE IÇAMENTO DE CARGAS Daniel Felipe Guimarães dos Reis daniel.fgreis@gmail.com Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Rua Dom

Leia mais

Emails: paulo.pras@hotmail.com, anderson_vargas@uol.com.br, luiz_fernandoh@hotmail.com, phcoelho@uerj.br

Emails: paulo.pras@hotmail.com, anderson_vargas@uol.com.br, luiz_fernandoh@hotmail.com, phcoelho@uerj.br CONTROLE DE NÍVEL EM TANQUES ACOPLADOS USANDO SISTEMAS INTELIGENTES Paulo R. A. da Silva, Anderson V. de Souza, Luiz F. Henriques, Pedro H. G. Coelho Departamento de Engenharia Eletrônica e Telecomunicações,

Leia mais

2 REFERENCIAL TEÓRICO

2 REFERENCIAL TEÓRICO SINTONIA DE UM CONTROLADOR PID EM UM SISTEMA DE CONTROLE DE VAZÃO Vinícius Pereira Pires Aluno da Faculdade de Engenharia Curso de Engenharia Química Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Leia mais

Controle II. Estudo e sintonia de controladores industriais

Controle II. Estudo e sintonia de controladores industriais Controle II Estudo e sintonia de controladores industriais Introdução A introdução de controladores visa modificar o comportamento de um dado sistema, o objetivo é, normalmente, fazer com que a resposta

Leia mais

FOUNDATION FIELDBUS NA INDÚSTRIA DE PROCESSO

FOUNDATION FIELDBUS NA INDÚSTRIA DE PROCESSO o PROTOCOLO FOUNDATION FIELDBUS NA INDÚSTRIA DE PROCESSO Sup. Eng. de Aplicação de Sistemas da YokogawaAmérica do Sul Neste trabalho discorre-se sobre a rede foundation fieldbus, situando-a dentro do universo

Leia mais

Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI

Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI Projeto e implementação de um sistema de controle em malha fechada para transmissão hidrostática usando o sistema Field Point da NI "A implementação do sistema SCADA usando Field Point e interface LabVIEW,

Leia mais

ÍNDICES NÃO INTRUSIVOS UTILIZADOS NO ENSINO DE CONTROLE COM TÉCNICAS DE IDENTIFICAÇÃO EM MALHA ABERTA

ÍNDICES NÃO INTRUSIVOS UTILIZADOS NO ENSINO DE CONTROLE COM TÉCNICAS DE IDENTIFICAÇÃO EM MALHA ABERTA ÍNDICES NÃO INTRUSIVOS UTILIZADOS NO ENSINO DE CONTROLE COM TÉCNICAS DE IDENTIFICAÇÃO EM MALHA ABERTA Nathalie M. Panoeiro nathalie.panoeiro@member.isa.org Kamila P. Rocha kamila.rocha@member.isa.org Lindolpho

Leia mais

definido por um documento de padronização. A Fig. 1 representa a organização dos Grupos de Processos juntamente com os documentos exigidos.

definido por um documento de padronização. A Fig. 1 representa a organização dos Grupos de Processos juntamente com os documentos exigidos. A GESTÃO DE PROJETOS EXISTENTE NA NORMA DO-178B Matheus da Silva Souza, matheusdasilvasouza@gmail.com Prof. Dr. Luiz Alberto Vieira Dias, vdias@ita.br Instituto Tecnológico de Aeronáutica Praça Marechal

Leia mais

TUTORIAL Arduino Nano

TUTORIAL Arduino Nano Conceito: O é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador Atmel AVR com circuitos de entrada/saída embutido que podem ser facilmente

Leia mais

Sistemas de Controle I (Servomecanismo) Carlos Alexandre Mello. Carlos Alexandre Mello cabm@cin.ufpe.br 1

Sistemas de Controle I (Servomecanismo) Carlos Alexandre Mello. Carlos Alexandre Mello cabm@cin.ufpe.br 1 Sistemas de Controle I (Servomecanismo) Carlos Alexandre Mello 1 O que são sistemas de controle Um sistema de controle é um conjunto de componentes organizados de forma a conseguir a resposta desejada

Leia mais

Dispositivo que de alguma maneira descreve o comportamento do sistema

Dispositivo que de alguma maneira descreve o comportamento do sistema Sistema: Conceito primitivo (intuitivo) Tentativas de definição: Agregação ou montagem de coisas, combinadas pelo homem ou pela natureza de modo a formar um todo unificado. Grupo de itens interdependente

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

CONTROLE PID PARA VAZÃO, UMA AULA DIDÁTICA USANDO SIMULAÇÃO NA UFERSA

CONTROLE PID PARA VAZÃO, UMA AULA DIDÁTICA USANDO SIMULAÇÃO NA UFERSA CONTROLE PID PARA VAZÃO, UMA AULA DIDÁTICA USANDO SIMULAÇÃO NA UFERSA Alexandre Henrique Soares de Oliveira ahso_eu@hotmail.com Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Bacharelado em Ciência

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE PARA ELETRÔNICA EMBARCADA EM EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS 1. Vítor Henrique Amarante Soares 2.

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE PARA ELETRÔNICA EMBARCADA EM EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS 1. Vítor Henrique Amarante Soares 2. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE CONTROLE PARA ELETRÔNICA EMBARCADA EM EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS 1 Vítor Henrique Amarante Soares 2. 1 Projeto de Pesquisa realizado no curso de Engenharia Elétrica da Unijuí

Leia mais

Microcontrolador Modelix 3.6

Microcontrolador Modelix 3.6 Curso de Robótica 1 Curso de Robótica Introdução à robótica O desenvolvimento da robótica surgiu da necessidade de se aperfeiçoar processos de fabricação, no sentido de melhorar a qualidade dos produtos.

Leia mais

CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE

CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE CASO DE USO PARA ANÁLISE DE DOMINIO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE LEITE Andrea C. A. Borim 1 Antônio M. Saraiva 2 José M. Fernandes 3 Carlos A. R. Pinto 4 RESUMO A busca pelo aumento da

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MOTORES ELÉTRICOS EMPREGADOS EM VEÍCULOS EM ESCALA, COM MEDIDA DE DIRETA DE TORQUE E CARGA VARIÁVEL

DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MOTORES ELÉTRICOS EMPREGADOS EM VEÍCULOS EM ESCALA, COM MEDIDA DE DIRETA DE TORQUE E CARGA VARIÁVEL DESENVOLVIMENTO DE UM DINAMÔMETRO PARA MOTORES ELÉTRICOS EMPREGADOS EM VEÍCULOS EM ESCALA, COM MEDIDA DE DIRETA DE TORQUE E CARGA VARIÁVEL Aluno: Vivian Suzano Orientador: Mauro Speranza Neto 1. Introdução

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO 0 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO PROJETO INTEGRADO: COBERTURA AUTOMATIZADA COM DETECTOR DE CHUVA CURITIBA 2010 1 TAISA DAIANA DA COSTA PROJETO

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) MODELO DE INDICADORES PARA A BIBLIOTECA FCA/UNICAMP Modalidade da apresentação:

Leia mais

Estudo do sistema de IHM para automação de sistema de renovação de água dos chillers em processo de abate de aves.

Estudo do sistema de IHM para automação de sistema de renovação de água dos chillers em processo de abate de aves. Estudo do sistema de IHM para automação de sistema de renovação de água dos chillers em processo de abate de aves. TIAGO NELSON ESTECECHEN tiago_cascavel@hotmail.com UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVAS E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVAS E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVAS E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO 1.1 - INTRODUÇÃO Com o aumento da demanda de serviços de tecnologia e também buscando atender às necessidades atuais do progresso

Leia mais

Controle de Vazão utilizando PID desenvolvido em linguagem gráfica LabVIEW e Transmissor Virtual

Controle de Vazão utilizando PID desenvolvido em linguagem gráfica LabVIEW e Transmissor Virtual Controle de Vazão utilizando PID desenvolvido em linguagem gráfica LabVIEW e Transmissor Virtual Leonardo de Carvalho Vidal leonardo.carvalho.vidal@hotmail.com AEDB, UBM, UNIFEI Tiago Martins de Oliveira

Leia mais

11/07/2012. Professor Leonardo Gonsioroski FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA.

11/07/2012. Professor Leonardo Gonsioroski FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA. FUNDAÇÃO EDSON QUEIROZ UNIVERSIDADE DE FORTALEZA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Aulas anteriores Tipos de Sinais (degrau, rampa, exponencial, contínuos, discretos) Transformadas de Fourier e suas

Leia mais

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega

Características técnicas Baseado no ATMega da empresa AVR, fabricante de micro-controladores em plena ascensão e concorrente do PIC Pode usar ATMega ARDUINO O que é Arduino Arduino foi criado na Itália por Máximo Banzi com o objetivo de fomentar a computação física, cujo conceito é aumentar as formas de interação física entre nós e os computadores.

Leia mais

PROTOCOLO OPC SOMADO A SISTEMAS DE CONTROLES INDUSTRIAS DESENVOLVIDOS COM JAVA E SCILAB

PROTOCOLO OPC SOMADO A SISTEMAS DE CONTROLES INDUSTRIAS DESENVOLVIDOS COM JAVA E SCILAB PROTOCOLO OPC SOMADO A SISTEMAS DE CONTROLES INDUSTRIAS DESENVOLVIDOS COM JAVA E SCILAB BARROSO D. S. 1, QUINTINO J. A. 1, GOMES F. J. 2. 1. Faculdade de Engenharia, Universidade Federal de Juiz de Fora,

Leia mais

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Edward Luis de Araújo edward@pontal.ufu.br Evaneide Alves Carneiro eva@pontal.ufu.br Germano Abud de Rezende germano@pontal.ufu.br

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOVA FUNÇÃO DE TRANSFERÊNCIA E ADAPTAÇÃO DE UM KIT SERVOMECANISMO, UTILIZANDO-SE O SOFTWARE MATLAB.

IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOVA FUNÇÃO DE TRANSFERÊNCIA E ADAPTAÇÃO DE UM KIT SERVOMECANISMO, UTILIZANDO-SE O SOFTWARE MATLAB. IDENIFICAÇÃO DE UMA NOVA FUNÇÃO DE RANSFERÊNCIA E ADAPAÇÃO DE UM KI SERVOMECANISMO, UILIZANDO-SE O SOFWARE MALAB. Marlon José do Carmo marlon@leopoldina.cefetmg.br Luis Claudio Gambôa Lopes gamboa@leopoldina.cefetmg.br

Leia mais

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I.

RESOLVE: Art. 1 o Aprovar o Projeto Político Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, modalidade Bacharelado, do Centro de Tecnologia, no Campus I. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 23/2008 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Engenharia Elétrica, do Centro

Leia mais

Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485

Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485 Manual Técnico Arduino Supervisório MODBUS & Conversor RS485 2015 Todos os direitos reservados Página 1 de 27 Sumário Manual Técnico...1 Introdução...3 Arduino Supervisório MODBUS...3 Conversor RS485...3

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Eletrônica

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Eletrônica UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Eletrônica MANUAL DO SISTEMA PILOTO TORNEIRA ELÉTRICA Profa. Carmela Maria Polito Braga, DELT Roberto Dias Aquino, Bolsista

Leia mais

5. Diagramas de blocos

5. Diagramas de blocos 5. Diagramas de blocos Um sistema de controlo pode ser constituído por vários componentes. O diagrama de blocos é uma representação por meio de símbolos das funções desempenhadas por cada componente e

Leia mais