Novos modelos de negócio e reconfiguração da cadeia de valor como fatores estratégicos para aumento da competitividade. São Paulo, 19 de outubro 2006

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Novos modelos de negócio e reconfiguração da cadeia de valor como fatores estratégicos para aumento da competitividade. São Paulo, 19 de outubro 2006"

Transcrição

1 Novos modelos de negócio e reconfiguração da cadeia de valor como fatores estratégicos para aumento da competitividade São Paulo, 19 de outubro 2006 (11)

2 A indústria financeira está sendo afetada por um grupo de forças que moldará seu futuro Gerenciamento de Risco Pressão dos mercados de capitais e órgãos reguladores gerará necessidade de iniciativas de medição e monitoramento de risco Globalização e Consolidação A indústria bancária será afetada por forças globais que acelerarão seu processo de consolidação Demografia Mudanças no perfil demográfico aumentará as oportunidades da indústria financeira, principalmente nos segmentos de baixa renda Reconfiguração da Cadeia de Valor Concorrência na indústria financeira está aumentando, fazendo com que inovação e redução de custo exijam novos modelos de negócio Indústria Financeira Modelos de Negócio Líderes de mercado terão que implementar modelos de negócio inovadores para manter sua vantagem competitiva Novos Entrantes A indústria financeira enfrentará a concorrência de players não tradicionais 2

3 Globalização e Consolidação A consolidação da indústria deve aumentar nos próximos anos A indústria financeira é menos consolidada globalmente quando comparada a outros setores da economia Qual a chance de um player global dominar o mercado de serviços financeiros? 3

4 A formação de blocos geo-econômicos se acentuará nos próximos anos, afetando o comércio entre países Nafta 1988 Acordo EUA - Canadá 1994 Criação do Nafta 1998 Eliminação de todas as tarifas (EUA/Canadá) 2008 Eliminação de todas as tarifas (EUA/México) Mercosul 1991 Tratado de Assunção 1994 Protocolo de Ouro Preto 1995 União Aduaneira 1996 Acordo comércio Chile 1997 Acordo comércio Bolívia 1999 Acordo com a UE 200? Adesão de Chile, Bolívia, Peru e Colômbia 1951 Assoc. Aço e Carvão 1957 Tratado de Roma 1992 Tratado de Maastricht União Européia 2001 Introdução do Euro 2004 Adesão de 10 países 2007 Adesão de 2 países Integração das Américas 1994 Cúpula das Américas 2002 Início das negociações 2005 Conclusão negociações comércio e investimentos 200? Implementação do acordo de livre comércio Associação dos países do Sudeste Asiático (ASEAN) 1967 Formação da Asean 1977 Tratado de Tarifas Preferenciais 1984 Adesão de 1 país Adesão de 4 países 1997 Visão ASEAN 2020 para uma maior integração econômica Fonte: análise A.T. Kearney 4

5 A formação de blocos econômicos tende a uniformizar as políticas monetárias e, consequentemente, os juros Taxa de juros nominal Países selecionados da UE (%) Espanha Portugal Convergência das políticas monetárias dos países do Euro 10 Bélgica Itália 5 Alemanha A convergência da taxa de juros pressiona a rentabilidade da indústria bancária Fonte: IMF, BIS; análise A.T. Kearney 5

6 A indústria financeira seguirá o caminho de outras indústrias e tenderá a se consolidar e globalizar CR3 1) 45% 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% e Ferrovias Abertura Escala Foco Equilíbrio/Aliança Defense Electr. Mineração Cigarro Destilados Produtores de Alumínio Gás natural Shipbuilding Óleo & gás integrados Bebidas não-alcoólicas Fab.Caminhões & Trailers Eletroeletrônicos Confectionary Semicondutores Pneu e Borracha Produtores de Aço integrados Alimentos Varejo alimentar Bancos de Investimento Papel Restaurantes & Fast Food Montadoras Fornecedores automotivos Cervejarias Químicos diversos Farmacêuticas Cias Aéreas Utilities Telecom Seguradoras Bancos de Varejo 0% Anos Nota: Fonte: 1) CR3: Market share das três maiores empresas análise A.T. Kearney 6

7 Negócios bancários que atendem clientes institucionais já têm observado consolidação em nível global Clientes institucionais Mercado De capitais Asset Management Resseguros Custódia Bancos para PME Private banking Clientes Individuais Banco de Varejo Consolidação doméstica Consolidação global 7

8 Rentabilidade e concentração de mercado estão fortemente correlacionados em mercados maduros ROE vs. Participação de mercado dos 5 maiores bancos por país 2005 ROE médio dos 5 maiores players 30% 20% Brasil Reino Unido Espanha 10% Áustria Itália França Alemanha 0% México Portugal Suíca Bélgica Holanda Escandinavos 20% 40% 60% 80% 100% Participação de mercado dos 5 maiores players Fonte: Bankscope; CNVB; Bacen; Austin Asis; análise A.T. Kearney 8

9 Perfil Demográfico Mudanças no perfil demográfico apresentarão novas oportunidades para a indústria financeira em mercados emergentes Como aproveitar essa janela de oportunidade em termos de demografia e segmentos de renda? 9

10 Natalidade decrescente aumentará a proporção das faixas de idade de adultos trabalhadores, com maior renda e despesas Homens Brasil 2000 Mulheres Brasil viverá um boom nas faixas de adultos trabalhadores antes do início do declínio demográfico População (em milhões) Brasil 2025 Homens Mulheres Boom de trabalhadores População (em milhões) Faixa de trabalhadores Fonte: U.S. Census Bureau; International Data Base; análise A.T. Kearney À medida que o segmento adulto cresce relativamente aos segmentos jovens e idosos, menos recursos públicos serão necessários para dar suporte a esses segmentos dependentes 10

11 Novos entrantes em Serviços Financeiros A indústria financeira começa a experimentar aumento da concorrência de players não tradicionais Quais serão as regras ao final desse jogo? 11

12 No mundo todo novos competidores não tradicionais estão entrando na indústria financeira Novos competidores na indústria de serviços financeiros - Europa Carrefour, Leclerc, Gruppo Lombardini, IKEA, Marks & Spencer, Metro, Safeway, Tesco, Sainsbury, El corte Ingles Exemplo British Airways, Lufthansa, Deustche Bahn Transportes Varejistas Varejo financeiro Seguradoras AXA, Gruppo Generali, Legal & General, Prudential, Skandia, Standard Life, Scottish Widows, Wasa Venture capital (Apax, Vertex, Capital Z), eletrônicos (Intel), Investment banks (Morgan Stanley), Virgin, GE Capital, Group Arnault, Royal Dutch Shell Outros Montadoras VW, BMW, DaimlerChrysler, Renault Fonte: CSFI Center for the Study of Financial Innovation 12

13 Uma série de fatores estimula a entrada de novos competidores no segmento de serviços financeiros Benefício Aumento de vendas Criação de novos tipos de receita Fidelidade ao produto core Descrição Oferecer crédito para financiar vendas ao consumidor Lançar produtos complementares à oferta atual Ampliar competências (canais, tecnologia) para vender novos produtos Explorar o conceito de oferta agregada (serviços incluídos ou experiências one stop shop) Aumentar a retenção de clientes no sistema Capitalizar em vendas por impulso Duração média de contratos de serviços financeiros Crédito imobiliário Conta corrente Cartão de crédito Seguro de automóvel Financ, automóvel Crédito pessoal Outros financiamentos Anos Possibilidade de estabelecer um relacionamento longo com o cliente 13

14 Modelos de negócio Líderes de mercado terão que implementar modelos de negócio inovadores para manter sua vantagem competitiva Qual será o modelo dominante? Escala, participação de mercado global (MSI), nível de serviço quais são os fatores decisivos para o sucesso? 14

15 A evolução do cenário competitivo está abrindo espaço para novos modelos de negócio Modelos de Negócio Futuros Mega conglomerados Asset Management global Corporate Investment Banking global Private Banking global Banco de varejo Futuro Players de nicho Clientes Produtos Banco de relacionamento Segmentos específicos Empréstimos especializados Asset Management Afluente Corporativo SME Private banking Source: A.T. Kearney Analysis Especialistas da cadeia de valor Serviços ao cliente Processamento de pagamentos Serviços técnicos, analíticos e comerciais 15

16 Unidades de negócio estratégicas são parte importante do modelo de mega conglomerados Alpha Holdings Exemplo Corporate & Investment Bank Asset Management Private Banking Corporate Banking Corporate Institutions Investment Banking Equity Dívida e FX Corporate Finance Europa Am. Norte Ásia Am. Lat. País 1 País 2 Componentes das SBUs Modelo de negócio Concorrência Clientes Perfil de RH Estilo de gerenciamento 16

17 A participação de mercado relativa vs. o líder é um dos fatores críticos de sucesso para Unidades de Negócio Estratégicas Market share relativo 2005 Banco beta 11% 25% 19% Asset management CIB Varejo EUA Negócio Global Negócio Doméstico Nota: Fonte: 1) Turnover data, exceto Asset Management = assets under management análise A.T. Kearney 17

18 MSI possui clara relação direta com criação de valor Análise de correlação MSI Price to Book (Junho 06) 3,0 UBS 2,5 P/B 2,0 1,5 Société Générale ABN Amro BNP-Paribas Deutsche Bank HSBC Credit Suisse Royal Bank of Scotland Barclays R 2 = 0,6 1) 1,0 Commerzbank Crédit Agricole Nota: Fonte: 1) Sem Crédit Agricole modelo A.T. Kearney 0,5 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 MSI 18

19 Reconfiguração da Cadeia de Valor A concorrência na indústria financeira está aumentando, fazendo com que inovação e redução de custo exijam novos modelos de negócio Como aproveitar a curva de escala e reduzir custos além das formas tradicionais? 19

20 O modelo financeiro tradicional apresenta poucas oportunidades para economias de escala Distribuição Canais Operações & TI Contas correntes Pagamentos & cartões Poupança e Depósitos Crédito ao consumo Crédito Imobiliário Asset Management Seguros Suporte Finanças, RH, Controles, Risco 20

21 Instituições financeiras inovadoras têm desenvolvido modelos que alavancam novos benefícios de escala De complexidade e fragmentação... para: Simplicidade e Consolidação Empresa A Empresa B Empresa C Marca A Gestão de canais e clientes Marca B Gestão de canais e clientes Marca C Gestão de canais e clientes Marketing estratégico & desenvolvimento de produtos Claims Management TI Serviços Administrativos e procurement 21

22 Players globais têm desenvolvido modelos de distribuição sob o guarda chuva de fortes marcas, aproveitando sinergias operacionais e de TI Varejo Financial Bank Private Banking Commercial Média baixa Média alta Segmento de massa Alta renda Pequenas e Médias Empresas Operações TI Suporte 22

23 A maturidade do mercado de outsourcing tem reestruturado a cadeia, fazendo surgir novas alternativas de modelos operacionais In-source Business Process Management (BPM) Alianças/ Joint ventures Shared utility Banco Banco Banco Banco Fornecedor de Serviços Banco Alliance Banco Fornecedor de Serviços Banco Banco No- Banco Utility Banco Banco No- Banco 100% banco 100% terceiro Parceria Propriedade compartilhada Infra-estrutura para transações de outros bancos em adição ao volume próprio Ex. Citibank (cartões) Terceiro multi-cliente gerencia processos gestão via Acordos de Nível de Serviço Ex. Bank of Scotland (cartões) Aliança para gestão conjunta do processamento dos parceiros Ex. State Street (trusts/securities), Chase/FDC (cartões) Acordo com terceiro para processamento conjunto Infraestrutura comum (única), padronizada para economias de escala significativas Ex. Kredietbank/EDS (pagamentos), Barclays/ Lloyds/Unisys (cheques) Source: Gartner Group, Forrester Research, The Standish Group, A.T. Kearney analysis 23

24 O amadurecimento do mercado de outsourcing para a serviços financeiros torna produtividade e nível de serviço fatores críticos de sucesso Amadurecimento do mercado de outsourcing Satisfação do cliente Fase 2 Maturidade Excelência operacional Melhorias nos níveis de serviço Fase 1 Crescimento Redução De custo Otimização da produtividade Acordos de níveis de serviço Melhores práticas e TI de vanguarda Fonte: an;álise A.T. Kearney 24

25 Os clientes de outsourcing e off-shoring se caracterizam pela busca de valor e/ou pela melhoria do nível de serviço Comportamentos típicos de clientes do outsourcing e off-shoring Outsourcing e off-shoring simultâneo (clientes Sourcing Global ) Operação off-shore e in-house seguida de outsourcing (clientes Mr. Customer ) In-house Operação Serviços de TI & BPO local Operação própria local Localização geográfica On-shore/near-shore Off-shore 1 Serviço de IT & BPO off-shore Operação própria offshore Outsourced In-house Operação Serviços de TI & BPO local Operação própria local 1 Serviço de IT & BPO offshore Operação própria offshore Localização geográfica On-shore/near-shore Off-shore 2 Outsourced Caracterização do cliente Mais arrojados em mudanças e transformação Mais propensos ao risco Objetivo é a captura imediata de valor através da terceirização mesmo que uma fatia maior dos ganhos seja compartilhada com o terceiro Foco em redução de custo Menos arrojado em mudanças e transformações Maior aversão ao risco Realizam melhorias internas antes de terceirizarem para obterem melhores ganhos Foco em aumento de receita 25

26 A demanda por TI offshore terá um agressivo crescimento, capturando participação do mercado tradicional de outsourcing Evolução do mercado global de serviços de TI (US$ Bi) CAGR 1) Gastos totais com serviços de TI (in-house e outsourced) Gastos totais com serviço de TI outsourced % 6% Gastos com serviços de TI outsourced e off-shore % Nota: Fonte: 1) Compounded annual growth rate = taxa anual de crescimento composta Gartner; análise A.T. Kearney 26

27 Exemplos de utilities companies são observados em nível mundial Casos de modelos operacionais no mundo Amex (BPO) SVPCo 22 Banks (Cheques) Fin-Force Kredietbank (Pagamentos) ipsl Barclays/Lloyds (Cheques) Arcordia JP Morgan (Derivativos) etb Deutsche (Pagamentos) Standard Chartered (Trading) Exemplos e-global Banamex/ Bancomer (Cartões) Royal & Sunalliance (Call Center) Westpac Westpac-CBA (Cheques e hipotecas) Prosix Grupo Uno (Cartões) Visanet (Cartões) Banco Real (TI) GE Capital (Pagamentos, Hipotecas) HSBC (Serviços ao Cliente) Santander Brasil (Cartões e serviços) Citibank (Trading) Shared Utility Centro de processamento in-house IT/BPO Outsourcing Fonte: Análise A.T. Kearney 27

28 O modelo de governança em particular é crítico para uma implementação bem-sucedida Princípios de governança em utility companies Opções incluem: acordos de preço favoráveis, contratos de fornecimento para a utility, contribuições de ativos/pessoal/caixa Investimento Direitos e obrigações dos sócios Sócios fundadores terão direitos e obrigações voltados a garantir consistência para o sucesso da utility company A equipe de gestão com poder de operar a companhia maximizando os interesses da mesma Estrutura organizacional, políticas de RH e cultura são distintas das sócias Gestão Operação e organização Governança da utility Board de governança Clientes Fundadores possuem representantes no board A utility terá de procurar ativamente sua base de clientes, não dependendo somente dos sócios fundadores Sócios desenvolverão formas de trabalharem em time. Eles serão ao mesmo tempo professores e alunos Integração Fornecedores Liberdade na compra de produtos e serviços de quem seja mais interessante para ela, incluindo de competidores Fonte: Collaborative Advantage, Harvard Business Review 28

29 Gerenciamento de Risco Diversas pressões do mercado de capital e das entidades reguladoras estão mudando os procedimentos de governança e de gerenciamento Como tornar o gerenciamento de risco uma vantagem competitiva vis-à-vis apenas uma resposta à demanda regulatória? 29

30 No mercado financeiro, o gerenciamento de risco pode ser classificado em quatro tipos Definição do Risco % Risco de Crédito Risco de crédito direto Risco de concentração Risco de mitigação Risco de garantias Risco de avaliação Risco Operacional Gerenciamento de Risco Risco de Negócios Risco de controle da operação Risco do projeto Risco transacional Risco sistêmico Risco de desastres Risco do fornecedor Risco de Mercado Risco do preço do commodity Risco do preço do ativo Risco da taxa de juros Foreign exchange risk Liquidity risk Portfolio risk Risco de imagem Risco da reputação Riscos regulatórios e legais Riscos políticos Riscos de meio ambiente Risco de liabilitites de terceiros Fonte: Análise A.T. Kearney 40% do custo de capital tem origem no risco de crédito 30

31 A ampliação e aprofundamento do mercado de capitais permite ter maior capacidade para mitigar riscos Clientes Credores Agências reguladoras Agências de rating Risco versus capital Risco versus retorno Acionistas Market Valuation Nível Corporativo Unidade de Negócios Estratégia Corporativa (M&A) Gerenciamento de Capital e alocação Comportamento/ gerenciamento de negócios (definição de grupo-alvos, planejamento, mediação do desempenho) Produtos/Consumidor Precificação Medição do risco... Níveis Principais direcionadores de valor 31

32 A obtenção de excelência através da gestão efetiva de risco está suportada em sete dimensões Framework de gestão de riscos Política de mitigação e controle Incidentes Análise de tendências Ações corretivas Auto-avaliação Indicadores-chave de risco Perda esperada e extrema Dados internos e externos Cenários 2 Indicadores e mensuração 7 3 Processos de monitoramento 1 Estratégia e Cultura de Risco 4 Organização e modelo de governança 5 Papeis e responsabilidades (gestão de risco, unidades de negócio, auditoria interna e funções de suporte) Interfaces requeridas Apetite/aversão ao risco Nível de risco sustentável Priorização dos esforços Alocação do capital econômico Definição de políticas de provisionamento, mitigação e transferência de risco Treinamento/comunicação Incentivos Melhores práticas Recrutamento de perfis específicos Fonte: Análise da A.T. Kearney Cultura e competência 6 Ferramentas Sistemas de informação Fluxo de informação Regras de negócio Desenho dos relatórios Ferramentas Auto-avaliação do risco Mapeamento de processos Modelagem do risco MIS Datamart 32

33 Em síntese... 33

34 O mercado de serviços financeiros apresenta oportunidades e grandes desafios para a reconfiguração da cadeia de valor Formação de novas janelas de oportunidade no mercado devido a sofisticação da demanda do consumidor, inclusive a do segmento de baixa renda Forte e crescente tendência de consolidação Participantes não tradicionais emergem na arena competitiva com papéis mais relevantes as regras do jogo serão margem e acesso ao consumidor Necessidade do desenvolvimento de novos modelos de negócio que operem de forma rentável no mercado local e no global os conglomerados se mostram como modelos de maior potencial no longo prazo O gerenciamento do risco é uma elemento chave para ser competitivo tanto em nível local quanto global 34

35 Novos modelos e reconfiguração da cadeia de valor como fatores estratégicos para aumento da competitividade Obrigado! São Paulo, 19 de outubro 2006 (11)

Índice. TIC Aqui tem Software e Serviço TIC

Índice. TIC Aqui tem Software e Serviço TIC 1 Índice TIC 2 TIC Aqui tem Software e Serviço IMAGEM I ) Importância do TIC II) Evolução / Inovação como competição III) Cenário Mundial de IT BPO Services IV) Cenário de TIC no Brasil V) Posicionamento

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do

Leia mais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais

BLOCOS ECONÔMICOS. O Comércio multilateral e os blocos regionais BLOCOS ECONÔMICOS O Comércio multilateral e os blocos regionais A formação de Blocos Econômicos se tornou essencial para o fortalecimento e expansão econômica no mundo globalizado. Quais os principais

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais

Apresentação Corporativa. Bradesco BBI - Dezembro de 2011

Apresentação Corporativa. Bradesco BBI - Dezembro de 2011 Apresentação Corporativa Bradesco BBI - Dezembro de 2011 Contax Visão Geral Contax - Core Business Estratégia e Tendências de Mercado Resultados Financeiros Contax Visão Geral CONTAX OVERVIEW Companhia

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Mercado de Crédito Consignado. Agosto 2014

Mercado de Crédito Consignado. Agosto 2014 Mercado de Crédito Consignado Agosto 2014 EMPRÉSTIMO CONSIGNADO EM FOLHA DE PAGAMENTO O empréstimo consignado é o melhor produto financeiro de crédito do país e seu desenvolvimento só foi possível por

Leia mais

Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011. Antonio Gil Presidente

Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011. Antonio Gil Presidente Desafios para a Expansão das Exportações de TI ENAEX 2011 Antonio Gil Presidente São Paulo, Agosto 2011 Sobre a BRASSCOM VISÃO Posicionar o Brasil como um dos cinco maiores centros de TI do mundo. MISSÃO

Leia mais

Powering your business. Monica Herrero CEO Stefanini Brasil

Powering your business. Monica Herrero CEO Stefanini Brasil Powering your business Monica Herrero CEO Stefanini Brasil O Grupo Stefanini e Receitas 2010 1987 Fundação 1996 ISO 9001 Expansão Argentina 2004 a 2008 Expansão: Reino Unido, Canadá e Índia Crescimento

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012 Expomoney São Paulo Setembro de 2012 Contax Visão Geral Contact Center Brasil Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais serviços: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade

Leia mais

O futuro dos meios de pagamento

O futuro dos meios de pagamento O futuro dos meios de pagamento Ilnort Rueda Saldivar Partner 18.8.2014 A situação no Brasil... A.T. Kearney xx/00000/unique Identifier 2 Brasil possui uma matriz de meios de pagamentos madura e bem diversificada...

Leia mais

Análise de Risco de Bancos. Palestra Ocepar

Análise de Risco de Bancos. Palestra Ocepar Análise de Risco de Bancos Palestra Ocepar Abril/2009 Programação Análise recente do setor bancário Concentração Bancária Spread Bancário Crise Internacional Modelo de Análise de Bancos Perspectivas 2

Leia mais

Seminário Ação 2020 Painel 1 Redefinindo o Valor da Sustentabilidade para os Negócios. Agosto 2014 Gustavo Pimentel gpimentel@sitawi.

Seminário Ação 2020 Painel 1 Redefinindo o Valor da Sustentabilidade para os Negócios. Agosto 2014 Gustavo Pimentel gpimentel@sitawi. Seminário Ação 2020 Painel 1 Redefinindo o Valor da Sustentabilidade para os Negócios Agosto 2014 Gustavo Pimentel gpimentel@sitawi.net Sobre a SITAWI FINANÇAS DO BEM = Finanças Sustentáveis Assessoria

Leia mais

Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005

Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005 Como competir com produtos inovadores no Brasil até 2010? Patrice Zagamé Presidente Novartis Brasil 18 de agosto, 2005 O que é um produto inovador? Dois caminhos para oferecer melhores medicamentos aos

Leia mais

Geografia 03 Tabata Sato

Geografia 03 Tabata Sato Geografia 03 Tabata Sato IDH Varia de 0 a 1, quanto mais se aproxima de 1 maior o IDH de um país. Blocos Econômicos Economia Globalizada Processo de Regionalização Tendência à formação de blocos econômicos

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference

EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference EFICIÊNCIA E EFICÁCIA. E COM OS DIFERENCIAIS INOVAÇÃO E QUALIDADE. ISSO É EVERIS BPO. attitude makes the difference Consulting, IT & Outsourcing Professional Services everis BPO. Nossa razão de ser: Direcionamos

Leia mais

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor

Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Transformação dos negócios de distribuição e os desafios do setor Geraldo Guimarães Jr Diretor para Indústria de Utilities SAP para Utilities Liderança Global no Setor Maior Provedor de Soluções e Aplicações

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

SCOR GLOBAL LIFE FENAPREVI II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MARKETING & VENDAS VIDA E PREVIDÊNCIA

SCOR GLOBAL LIFE FENAPREVI II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MARKETING & VENDAS VIDA E PREVIDÊNCIA SCOR GLOBAL LIFE FENAPREVI II SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MARKETING & VENDAS VIDA E PREVIDÊNCIA Julho 2009 Impacto da Crise Mundial - Seguro de Vida Industria de Seguros de Vida não foi tão afetada quanto

Leia mais

Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007

Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007 Apresentação ao Senado Telefônica Antônio Carlos Valente 23 de maio de 2007 Agenda I. Panorama do Setor II. Convergência e Consolidações 2 O mercado de telecomunicações no mundo alcançou 1,3bi de linhas

Leia mais

O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo

O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo O Brasil Plural é um Grupo Financeiro fundado em 2009 que possui escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Nova York. Nossos sócios possuem um amplo histórico de sucesso no mercado de capitais brasileiro

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

SEMINÁRIO Exportar para o México

SEMINÁRIO Exportar para o México SEMINÁRIO Exportar para o México Gonçalo Gaspar Diretor Direção Internacional de Negócio da CGD Porto, 26 de Setembro de 2012 1 Índice México: relacionamento comercial com Portugal Grupo CGD: Presença

Leia mais

Portal Trade- O apoio às suas Exportações

Portal Trade- O apoio às suas Exportações International Desk -Direcção de Negócio Internacional- Portal Trade- O apoio às suas Exportações Casa de Espanha 6 de Março de 2014 Santander, um grupo financeiro líder Best Bank in the World 2012 2008

Leia mais

Dinâmica Competitiva na Indústria de Cartões de Pagamento no Brasil

Dinâmica Competitiva na Indústria de Cartões de Pagamento no Brasil Dinâmica Competitiva na Indústria de Cartões de Pagamento no Brasil Juan Pérez Ferrés 4 de dezembro de 2009 2º SEMINÁRIO DE DIREITO CONCORRENCIAL DO BANCO DO BRASIL A Concorrência no Mercado de Cartões

Leia mais

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Institucional Tokio Marine Seguradora Tokio Marine no Mundo Grupo Tokio Marine é o um dos líderes entre os grupos seguradores globais. Fundada em1879 Ativos:US$98bilhões

Leia mais

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira e da Empregabilidade 26 DE MARÇO DE 2009 Fábio Colletti Barbosa Presidente ÍNDICE 1. A Crise Financeira Mundial 2. O Brasil, a Crise

Leia mais

Nossa atuação. Absoluta Confidencialidade e Descrição

Nossa atuação. Absoluta Confidencialidade e Descrição Apresentação 2015 Nós somos uma empresa de Investimentos, desde 1989, serviços e produtos para a área financeira e um Banco de Negócios. Originalmente, nossas atividades estavam concentradas em produtos

Leia mais

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009

Liderança Feminina. Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Liderança Feminina Que tipo de clima as altas executivas geram em suas equipes? Setembro/2009 Sobre o Hay Group Hay Group é uma consultoria global em gestão que trabalha com líderes para transformar estratégias

Leia mais

A gestão de risco, no topo da agenda

A gestão de risco, no topo da agenda A gestão de risco, no topo da agenda 4 KPMG Business Magazine Ambiente de incertezas e estagnação econômica traz novos desafios em GRC O gerenciamento de riscos permanece no topo da agenda corporativa

Leia mais

Antonio Vieira Monteiro Chefe do País, Portugal

Antonio Vieira Monteiro Chefe do País, Portugal Antonio Vieira Monteiro Chefe do País, Portugal O Banco Santander Totta, S.A. ("Santander Totta") e o Banco Santander, S.A. ( Santander ) advertem que esta apresentação contém declarações sobre o futuro.

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. ( BSI ) STANDARD BANK INTERNATIONAL HOLDINGS S.A. ( SIH ) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. ( BSI ) STANDARD BANK INTERNATIONAL HOLDINGS S.A. ( SIH ) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO BANCO STANDARD DE INVESTIMENTOS S.A. ( BSI ) STANDARD BANK INTERNATIONAL HOLDINGS S.A. ( SIH ) ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO ÚLTIMA VERSÃO Abril 2013 APROVAÇÃO Conselho de Administração

Leia mais

Sessão Especial de Asset Allocation. Vital Menezes

Sessão Especial de Asset Allocation. Vital Menezes Sessão Especial de Asset Allocation Vital Menezes Introdução ao Investimento no Exterior Os 3 Pilares do Investimento no Exterior Por que investir no exterior? 1 COMPOSIÇÃO DO BENCHMARK 2 CORRELAÇÃO E

Leia mais

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala

Blocos Econômicos. MERCOSUL e ALCA. Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos MERCOSUL e ALCA Charles Achcar Chelala Blocos Econômicos Tendência recente, com origens na década de 50, com a CEE Comunidade Econômica Européia Em 2007 fez 50 anos Objetivos Fortalecer

Leia mais

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Nossa base de acionistas assegura liquidez América do Norte Canadá Estados Unidos México Europa Luxemburgo

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros 1 Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros Tomás Awad Analista senior da Itaú Corretora Muito se pergunta sobre como ficariam os bancos num cenário macroeconômico

Leia mais

Tendências Recentes da Consolidação Bancária no Mundo e no Brasil

Tendências Recentes da Consolidação Bancária no Mundo e no Brasil Tendências Recentes da Consolidação Bancária no Mundo e no Brasil Luiz Fernando de Paula Professor da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro E-mail: lfpaula@alternex.com.br

Leia mais

Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC

Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC Perspectivas do Mercado de Crédito Cenário econômico Cenário econômico Contexto Macro-econômico e Regulamentação Redução de spreads Incremento

Leia mais

MBA IBMEC SÃO PAULO DISCIPLINAS AVULSAS FEVEREIRO 2007 MBA IBMEC SÃO PAULO. Disciplinas Avulsas Maio 2007

MBA IBMEC SÃO PAULO DISCIPLINAS AVULSAS FEVEREIRO 2007 MBA IBMEC SÃO PAULO. Disciplinas Avulsas Maio 2007 MBA IBMEC SÃO PAULO Disciplinas Avulsas Maio 2007 Disciplinas do MBA Finanças Negociação Estratégica A área de finanças lida com um constante conflito: recursos que serão transferidos de um investidor

Leia mais

Apresentação Corporativa. Março de 2012

Apresentação Corporativa. Março de 2012 Apresentação Corporativa Março de 2012 Contax Visão Geral Contax - Produtos e Serviços Contax - Core Business Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia,

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas Ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor: VAREJO COMERCIAL E DE SERVIÇOS

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS 2009 Introdução Resumo Executivo Apesar das turbulências que marcaram o ano de 2008, com grandes variações nos indicadores econômicos internacionais,

Leia mais

Gestão de Processos de Negócio. Case WEG - Processos de Negócio para a Gestão de Valor WEG BPM

Gestão de Processos de Negócio. Case WEG - Processos de Negócio para a Gestão de Valor WEG BPM Gestão de Processos de Negócio Case WEG - Processos de Negócio para a Gestão de Valor WEG BPM Dezembro de 2012 A Solução Global com Máquinas Elétricas e Automação para Indústria e Sistemas de Energia Apresentação

Leia mais

Locamerica 20 anos. Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013

Locamerica 20 anos. Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013 Locamerica 20 anos Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento Uma história de sucesso, crescimento e rentabilidade 2012

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

O papel do CFO na estratégia corporativa

O papel do CFO na estratégia corporativa O papel do CFO na estratégia corporativa Paola Sardi Madueño, Diretora de Estratégia da Monitor Deloitte Dezembro 2014 Tendências globais (1/2) Embora com pesos diferentes, existem algumas tendências globais

Leia mais

Fusões e Aquisições. Coletiva de Imprensa 2011 15/02/2012. Classificação da Informação: Pública

Fusões e Aquisições. Coletiva de Imprensa 2011 15/02/2012. Classificação da Informação: Pública Fusões e Aquisições Coletiva de Imprensa 2011 15/02/2012 Principais Características da Metodologia de Fusões e Aquisições 2 Fusões e Aquisições Metodologia A partir de 2010, os critérios da metodologia

Leia mais

BR Week 2012. Soluções para a melhoria do atendimento ao cliente no varejo Case Leroy Merlin / Sonda IT

BR Week 2012. Soluções para a melhoria do atendimento ao cliente no varejo Case Leroy Merlin / Sonda IT 1 BR Week 2012 Soluções para a melhoria do atendimento ao cliente no varejo Case Leroy Merlin / Sonda IT Agenda 3 Sonda IT VISÃO EXECUTIVA Um parceiro regional México Panama Costa Rica Colômbia Fundada

Leia mais

DISSEMINAÇÃO ATUARIAL: PERSPECTIVAS PARA A PROFISSÃO ADRIANA OKADA

DISSEMINAÇÃO ATUARIAL: PERSPECTIVAS PARA A PROFISSÃO ADRIANA OKADA DISSEMINAÇÃO ATUARIAL: PERSPECTIVAS PARA A PROFISSÃO ADRIANA OKADA Novos Cenários Crises Recentes: Desaquecimento Econômico e Baixo Retorno Financeiro Mudanças Econômicas Maior Concorrência Novos Cenários

Leia mais

sobre as transações no setor de saúde

sobre as transações no setor de saúde 10 Minutos sobre as transações no setor de saúde Valor global de fusões e aquisições cresce e reverte tendência Destaques O valor total das transações no setor de saúde aumentou 4% em relação à segunda

Leia mais

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise do valor nas agências de viagem no Brasil Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise do valor nas agências de viagem no Brasil Resumo Este trabalho é o resumo

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

APIMEC. 23 de outubro de 2008

APIMEC. 23 de outubro de 2008 APIMEC 23 de outubro de 2008 1 Importante As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e informações

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014 Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. Objetivos A Pesquisa FEBRABAN

Leia mais

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro

Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo Financeiro Atuamos junto a estes três grupos de empresas, ajudando-os a atender da melhor maneira às necessidades do consumidor 2 Atendemos às necessidades

Leia mais

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1 LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 Visão Brasil As cinco principais tendências em atração de talentos que você precisa saber 2013 LinkedIn Corporation. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Fortalecendo a reputação por meio da performance sustentável. Paulo Marinho Itaú Unibanco Comunicação Corporativa

Fortalecendo a reputação por meio da performance sustentável. Paulo Marinho Itaú Unibanco Comunicação Corporativa Fortalecendo a reputação por meio da performance sustentável Paulo Marinho Itaú Unibanco Comunicação Corporativa Você tem uma boa reputação? Você tem uma boa reputação? E sua empresa? Para um banco tão

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais

Cooperativismo de Crédito no mundo

Cooperativismo de Crédito no mundo Cooperativismo de Crédito no mundo Dr. Matthias Arzbach DGRV São Paulo marzbach@dgrv.org Brasília DF 17 Junho 2008 A experiência da Europa Bancos Cooperativos na Europa -Parceiros financeiros para a economia

Leia mais

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar

Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de aperfeiçoamento do setor Hermes Management Consulting T: +54 11 4393 2019 www.hermesmc.com.ar Análise dos custos nas agências de viagem e formas de

Leia mais

Recapitalizar as Pequenas e Médias Empresas Portuguesas

Recapitalizar as Pequenas e Médias Empresas Portuguesas Recapitalizar as Pequenas e Médias Empresas Portuguesas Apresentação na 1ª Reunião do Fórum CMVM/PME para o Mercado de Capitais Carlos Tavares 27 Março 2012 1 Redução dos desequilíbrios externos da Economia

Leia mais

O EBITDA no 4T13 foi de 9,6 M, o que corresponde a uma margem EBITDA de 7 %

O EBITDA no 4T13 foi de 9,6 M, o que corresponde a uma margem EBITDA de 7 % DESTAQUES página 3 O total de Proveitos Operacionais foi de 592,9 M, a registar uma subida de 15 % quando comparado com o ano anterior, a refletir um crescimento significativo no volume de negócio das

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

APIMEC CIELO 2013. 11 de Julho de 2013

APIMEC CIELO 2013. 11 de Julho de 2013 APIMEC CIELO 2013 11 de Julho de 2013 AVISO LEGAL A Companhia faz declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições de nossa

Leia mais

3º ENCONTRO ANUAL DA AACE

3º ENCONTRO ANUAL DA AACE 3º ENCONTRO ANUAL DA AACE 1 Empresas de Construção: Seleção de Projetos, Gestão e Controles para Atingir as Metas de Desempenho Patricia Atallah Gestão e Planejamento Estratégico são Cruciais para uma

Leia mais

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 1 1 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 23 de Maio AGENDA HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 07h00 Café da Manhã Restaurante Principal 08h45 Abertura Brasoftware Salão Tangará 10h00 Business Suite Salão Nobre 13h00

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5B. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009.

Data: GEOGRAFIA TUTORIAL 5B. Aluno (a): Equipe de Geografia IMAGENS BASE. Fonte: IBGE, 2009. Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 5B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA IMAGENS BASE Fonte: IBGE, 2009. Colégio A. LIESSIN Scholem Aleichem - 1 - NANDA/MAIO/2014-488 TEXTO BASE Os blocos

Leia mais

Desnacionalização: Reserva e Abertura do Mercado aos Bancos Estrangeiros

Desnacionalização: Reserva e Abertura do Mercado aos Bancos Estrangeiros Desnacionalização: Reserva e Abertura do Mercado aos Bancos Estrangeiros Fernando Nogueira da Costa Professor do IE-UNICAMP http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ desnacionalização bancária No final

Leia mais

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS)

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) África do Sul: Taxa predominante cobrada pelos bancos de contas garantidas prime. Alemanha: Taxa sobre crédito de conta-corrente de

Leia mais

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira CORRESPONDENTES Uma Inovação Brasileira JUNHO - 2007 Brasil Desafio das dimensões continentais ÁREA Brasil Desafio das dimensões continentais DENSIDADE DEMOGRÁFICA Brasil Desafio das dimensões continentais

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS. Introdução

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS. Introdução - 1 - RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS Introdução A Administração acredita que a gestão efetiva de riscos é vital para o sucesso da Instituição e conseqüentemente mantém um ambiente de gerenciamento de riscos

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Porto Alegre 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$

Leia mais

Perspectivas sobre consolidação de mercados Estratégia de investimentos e o movimento de fusões e aquisições. Pesquisa 2015

Perspectivas sobre consolidação de mercados Estratégia de investimentos e o movimento de fusões e aquisições. Pesquisa 2015 Perspectivas sobre consolidação de mercados Estratégia de investimentos e o movimento de fusões e aquisições Pesquisa 2015 Índice Momento de superar desafios e criar oportunidades... 3 Alternativas para

Leia mais

PDG Realty aumenta para 50% sua participação na CHL

PDG Realty aumenta para 50% sua participação na CHL PDG Realty aumenta para 50% sua participação na CHL Relações com Investidores: Michel Wurman Diretor de Relações com Investidores João Mallet Gerente de Relações com Investidores Telefone: (21) 3804 3800

Leia mais

Pesquisa Clínica Intercâmbio de Conhecimento e Fator Gerador de Riquezas. Dr. Mário Bochembuzio Merck Sharp Dohme

Pesquisa Clínica Intercâmbio de Conhecimento e Fator Gerador de Riquezas. Dr. Mário Bochembuzio Merck Sharp Dohme Pesquisa Clínica Intercâmbio de Conhecimento e Fator Gerador de Riquezas Dr. Mário Bochembuzio Merck Sharp Dohme Agenda Cadeia de valor e inovação em saúde Desafios e oportunidades Investimentos em P &

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis

Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis Um estudo de caso da Fair Finance Guide International 5 de novembro

Leia mais

Parte I - Estratégias de Logística e Operações Globais, 35

Parte I - Estratégias de Logística e Operações Globais, 35 Sumário Í Sobre os autores, 15 Prefácio, 19 Agradecimentos, 25 Introdução às operações e logística globais, 27 Parte I - Estratégias de Logística e Operações Globais, 35 1 LOGÍSTICA E OPERAÇÕES GLOBAIS:

Leia mais

Vantagens competitivas das parcerias estratégicas entre empresas brasileiras e as subsidiárias das empresas globais Eduard de Lange

Vantagens competitivas das parcerias estratégicas entre empresas brasileiras e as subsidiárias das empresas globais Eduard de Lange Vantagens competitivas das parcerias estratégicas entre empresas brasileiras e as subsidiárias das empresas globais Eduard de Lange 15 de Fevereiro 2006 1 A TIVIT nasce da fusão entre a modernidade e o

Leia mais

Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões

Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões Comunicado à Imprensa Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões - O portfólio apresentou um retorno total de 9% aos acionistas no período de 10 anos - Os investimentos realizados após

Leia mais

O consumo mundial de papel e papelcartão (P&PC) deve atingir em 2007 cerca de 380 milhões de toneladas. Consumo Global de P&PC CONSUMO GLOBAL DE P&PC

O consumo mundial de papel e papelcartão (P&PC) deve atingir em 2007 cerca de 380 milhões de toneladas. Consumo Global de P&PC CONSUMO GLOBAL DE P&PC 32 o Fórum Anave Tendências do Mercado de Papel Suzano - Apresentação Institucional Antonio Maciel Neto Outubro de 2007 Reunião com Magistral mar/07 0 O mercado de papel hoje O consumo mundial de papel

Leia mais

Bancos Públicos e Desenvolvimento

Bancos Públicos e Desenvolvimento Bancos Públicos e Desenvolvimento Ministro Guido Mantega junho 2009 Seminário Valor Econômico e CEF 1 IMPORTÂNCIA DOS BANCOS PÚBLICOS Crise financeira demostrou a bancos públicos. importância dos Economias

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12. Apresentação Corporativa. Outubro de 2012

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12. Apresentação Corporativa. Outubro de 2012 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 3T12 Apresentação Corporativa Outubro de 2012 Contax Visão Geral Contax - Produtos e Serviços Contax - Core Business Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais

Leia mais

MARKETING INTERNACIONAL

MARKETING INTERNACIONAL MARKETING INTERNACIONAL Produtos Ecologicamente Corretos Introdução: Mercado Global O Mercado Global está cada dia mais atraente ás empresas como um todo. A dinâmica do comércio e as novas práticas decorrentes

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Perfil corporativo Amadeus IT Group S.A. 75 mil agências "Your technology partner" Segmentos de clientes atendidos Provedores de viagens: Companhias

Perfil corporativo Amadeus IT Group S.A. 75 mil agências Your technology partner Segmentos de clientes atendidos Provedores de viagens: Companhias Perfil corporativo Amadeus IT Group S.A. A Amadeus é a principal parceira de tecnologia para o mercado global de viagens e turismo. Provê soluções de TI, distribuição e conteúdo que auxiliam seus clientes

Leia mais

Reunião Pública. Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas

Reunião Pública. Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas Reunião Pública Gilsomar Maia Diretor de Finanças Corporativas Receita Bruta (R$ Milhões) e Margem EBITDA (%) ¹ Visão Geral da Companhia - Trajetória História Fundação Fortalecimento DNA Liderança 1.557

Leia mais

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com

GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com GESTÃO DE T.I. José Luís Padovan jlpadovan@gmail.com Conceito Com base nas definições podemos concluir que: Governança de de TI TI busca o compartilhamento de de decisões de de TI TI com os os demais dirigentes

Leia mais

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS

1. COMISSÃO EXECUTIVA DE RECURSOS HUMANOS Governança Corporativa se faz com Estruturas O Itaú se orgulha de ser um banco essencialmente colegiado. A Diretoria atua de forma integrada e as decisões são tomadas em conjunto, buscando sempre o consenso

Leia mais

MACRO OBJETIVOS DO PROGRAMA

MACRO OBJETIVOS DO PROGRAMA Programa Estratégico de SOFTWARE E SERVIÇOS de TI 1. PANORAMA DO MERCADO 2. COMPARATIVOS INTERNACIONAIS 3. VISÃO DA POLÍTICA 4. PRINCIPAIS MEDIDAS E PROGRAMAS MACRO OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER

Leia mais