Transição de sucesso em terceirização

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transição de sucesso em terceirização"

Transcrição

1 Transição de sucesso em terceirização Por Morten Kamp Andersen (Aspector) & Peter Ankerstjerne (ISS A/S) Este artigo mostra como a transição de emprego impacta a produtividade, satisfação no trabalho e satisfação do cliente, e como um plano de gestão de transição robusto pode aliviar algumas das consequências negativas que esta transição pode causar. A transição de emprego é um grande e pessoal evento para os funcionários envolvidos, e o processo deve ser gerido de forma eficaz, profissional e, acima de tudo, com profundo respeito para os indivíduos envolvidos. ISS Papel Branco Julho 2010

2 Índice Sumario Executivo Introdução Os efeitos psicológicos da transição de emprego Melhores praticas em gestão de transição em terceirização Conclusão Referencias

3 Sumário Executivo Este artigo mostra como a transição de emprego impacta a produtividade, satisfação no trabalho e a satisfação do cliente, e como um robusto plano de gestão de transição pode aliviar algumas consequências negativas que esta transição pode causar. Uma transição de emprego é um grande e pessoal evento para os funcionários envolvidos, e o processo deve ser gerido, efetivamente, profissionalmente e acima de tudo, com pessoas habilidosas. Na transição de emprego os funcionários vão embora durante quatro fases psicológicas que afetam o modo que eles se sentem e como eles abordam a situação da terceirização. Eles vão embora em fases e velocidades diferentes. Alguns vão encontrar-se rapidamente abraçando a nova situação de trabalho e ver a estrada à frente como um desafio positivo. Outros poderão estar presos a um estado depressivo e reativo e ver as novas condições como uma ameaça. Todas as partes interessadas (cliente, funcionários e provedor de serviços) vão se beneficiar de um processo de transição de classe mundial. Boa gestão de transição poderá ajudar os funcionários a passar com segurança e rapidamente pelas quatro fases, considerando que uma gestão pobre ou inexistente irá fazer o oposto. Um processo de transição de sucesso pode levar a produtividade e a satisfação com o trabalho a um nível mais elevado do que antes do processo de terceirização. Nossa pesquisa, que inclui entrevistas com funcionários recentemente terceirizados, conclui que existem 10 atividades de boas práticas que qualquer plano de transição robusto deve incluir. Em face disso, estes 10 passos são fáceis de implementar, mas eles exigem um forte compromisso tanto do cliente e do provedor de serviços quanto um conjunto de boas habilidades na gestão de transição. As 10 boas praticas na transição de atividades são classificadas em quatro categorias: planejamento do projeto, comunicação, psicologia (ou gestão de pessoas) e modelo de trabalho.

4 Introdução O trabalho é uma importante parte de nossa identidade como seres humanos. Mudanças importantes em nossas condições de trabalho são, portanto, uma mudança para a nossa auto compreensão. O trabalho é também um lugar onde nós estamos para cumprir algumas de nossas necessidades mais fundamentais, tais como as necessidades de renda, socialização, reconhecimento e mais. Não deve, portanto, ser uma surpresa que qualquer mudança em nosso trabalho, ou meramente a sugestão de uma mudança, irá nos impactar de forma significativa. Terceirização é freqüentemente associada com as mudanças em vários aspectos do trabalho. Primeiramente, é comum o prestador de serviços recrutar os funcionários do cliente. Isso significa que muitos trabalhadores experimentam uma alteração da entidade patronal, o que em si é uma mudança significativa. Uma segunda mudança pode estar nas condições de trabalho em si. Os exemplos podem incluir salários e benefícios, que podem ser alterados, um aumento no escopo de trabalho, ou ainda novas formas de trabalho. O processo de transferência de funcionários de uma empresa para outra durante a terceirização é muitas vezes referida como um processo de transição. Um processo de transição, em última análise, tem três objetivos. O primeiro é o de assegurar uma suave transferência de responsabilidade, para que o cliente não experimente qualquer interrupção no serviço. A segunda é lidar com o lado humano da transição de tal forma que os empregados são tratados de forma justa e com respeito. A terceira é projetar os trabalhos para otimizar a eficiência de trabalho. A pesquisa mostra que a maioria das transições não cumprem todos os três objetivos simultaneamente. Projetos de mudança afetam importantes emoções psicológicas de forma negativa. Incluindo a ansiedade, a frustração, a resistência, a motivação, sensação de bem-estar, e a lealdade para com a organização. Pesquisas em gestão de transição mostram que os resultados são semelhantes em situações de transição de emprego. Os muitos benefícios de uma transição bem sucedida são benefícios tangíveis e financeiros ambos para o cliente, bem como para o prestador de serviço. A pesquisa sugere maior satisfação no trabalho, menor rotatividade de funcionários e menor absenteísmo como os benefícios mais significativos, mas os estudos de caso também apontam para um melhor serviço ao cliente como um potencial benefício. Baseando-se na experiência e conhecimento da psicologia de transição e as melhores práticas dos provedores de serviços e clientes, podemos entender e lidar com as reações naturais (e, muitas vezes previsíveis) dos funcionários. Este artigo vai responder a duas questões fundamentais. Em primeiro lugar, quais as reações que podemos esperar dos funcionários durante a terceirização? Em segundo lugar, quais passos a gestão de transição pode garantir para um processo de terceirização bem sucedido?

5 Os efeitos psicológicos de uma transição de emprego Para entender as reações dos funcionários durante a transição de emprego e, assim, planejar um programa bem-sucedido de gestão de transição, precisamos entender os efeitos psicológicos de tal mudança. Há duas coisas importantes para saber sobre a gestão de transição: Durante as transições as pessoas passam por quatro fases que afetam a forma como eles se sentem e como abordam a situação de terceirização. Eles passam pelas fases em velocidades diferentes. Alguns vão encontrar-se rapidamente incorporando a nova situação e ver a estrada à frente como um desafio positivo. Outros poderão estar presos a um estado depressivo e reativo e ver as novas condições como uma ameaça. As reações são 90% sobre o processo e 10% sobre a mudança em si. Na sua essência a gestão de transição está em como gerenciar bem uma mudança. A pesquisa mostra que raramente é a terceirização em si que é o problema quando as coisas dão errado. Embora muitos funcionários têm uma associação negativa com a terceirização, quando confrontados, no entanto, isso raramente fica no caminho do processo. Os problemas são mais frequentemente relacionados com a forma como o processo é tratado. Isto é pouco para liderança e gestão de transição tanto do cliente como do fornecedor de serviços. Existem algumas armadilhas comuns ao longo do caminho em relação à realização das quatro fases. É o trabalho da equipe ou gerente de transição em estar ciente destas armadilhas para que o mais rápido e habilidosamente a equipe de transição ou gerente possa navegar totalmente pelas fases, e ao fazer isso evitando as armadilhas, melhor transição global será. Figura 1: As fases de transição Energia focada para fora Choque Incluir Foco no passado Foco no futuro Resistência Transformação Energia focada para dentro Fonte: Aspector

6 Fase 1: Choque e descrença Quando um funcionário é confrontado com a notícia de que seu empregador quer terceirizar, a primeira reação é geralmente o choque, muitas vezes seguido por um sentimento de descrença. O quão grande é o choque depende de uma série de variáveis, tais como se a notícia era ou poderia ter sido prevista. Se a empresa já tem muitas outras divisões terceirizadas ou se seus resultados financeiros são baixos, os funcionários poderão antecipar a decisão em terceirizar. Outras variáveis que afetam o nível de choque são: a percepção das consequências da terceirização, atitude para com o prestador de serviços, o mercado de trabalho em geral na área local, como a notícia é divulgada, a ameaça do trabalho percebida, e muitos mais. A longa lista de variáveis também explica por que os funcionários exibem uma gama de reações a esta notícia inicial. Alguns estão profundamente chocados, visivelmente abalados com a notícia, e incapaz de trabalhar o resto do dia ou da semana, enquanto outros continuam trabalhando como se nada tivesse acontecido. Geralmente os gestores tendem a subestimar o nível de choque que os funcionários experimentam. Fase 2: Resistência e frustração Uma vez que o choque inicial desaparece, o funcionário irá avaliar a situação e fazer a pergunta: "Como isso me afeta?". A maioria dos funcionários irá apresentar algum nível de resistência com o processo de terceirização. Isso não é porque eles são maus funcionários ou porque eles vão estar em uma situação pior do que antes. É porque esta é uma reação humana. Nós, seres humanos preferimos o status quo (situação atual), mesmo que o futuro prometido é melhor do que onde nos encontramos agora. Nós tendemos a ficar com o que sabemos. Uma reação comum dos gestores é a utilização de argumentos racionais para tentar convencer os funcionários de que as coisas serão melhores. Mas isso só funciona até certo ponto. O gerente também deve lidar com o lado emocional, porque a verdadeira questão aqui é que as pessoas estão com medo. Este medo vai levar a resistência à mudança, que pode assumir muitas formas diferentes. O mais visível é resistência ativa e aberta, onde os funcionários podem protestar ruidosamente em reuniões ou confrontar diretamente seu gerente ou representantes do fornecedor de serviços.

7 No entanto, o gerente de transição deve estar ciente de que há muitas outras formas mais sutis de resistência. Exemplos incluem sabotagem, formação de coalizões, isolamento, ter pouca disposição, não aparecendo em reuniões, deliberadamente fazendo um mau trabalho, falando mal da terceirização com o cliente, etc. Isso também pode ser um momento em que alguns funcionários se sentem deprimidos e sozinhos, e possivelmente irá ficar mais dias em licença médica. Tabela 1: Formas da resistência à mudança Aberto Escondido Consciente Protesto Desacordo aberto Resistência tranquila Sabotar Coalizões Inconsciente Isolamento Pouca energia Retirada psicológica Mentalmente incapaz de mudar Fase 3: Transformação Em algum momento o funcionário irá experimentar uma transformação em prol da mudança, que envolve uma mudança de perspectiva de olhar para o passado querendo permanecer cômodo, para olhar para o futuro e suas possibilidades. Esta é, principalmente, uma transformação cognitiva e interna onde o funcionário descobre que "isso não poderá ser uma coisa tão ruim, afinal." O gerente pode apoiar o funcionário de várias maneiras durante esta fase. Neste ponto, o funcionário está mais aberto a ouvir algumas das possibilidades que a mudança pode trazer. O gerente pode enfatizar as vantagens gerais da terceirização como se tornar parte de uma empresa onde as principais competências são as mesmas que as suas, melhores oportunidades em treinamento, melhor uso das suas habilidades, desenvolvimento pessoal dentro da nova organização, etc. Este também pode ser o melhor momento para realizar uma reunião individual para discutir o projeto do novo trabalho, bem como ouvir a quaisquer questões ou sugestões que o funcionário possa ter em relação ao futuro. Fase 4: Abraçar e tentar Finalmente, o funcionário vai abraçar a nova situação com energia renovada e desejo. Ele ou ela não vão mais estar mentalmente presos ao passado, mas sim ver o presente e o futuro como realista e desejável. Na prática, isso significa que o funcionário não deseja mais que a terceirização nunca tenha tido lugar ou esperança de que a decisão será revertida.

8 O papel do gerente durante esta fase deve ser sutil. Este não é um bom momento para um gerenciamento minucioso e de montagem de iniciativas, mas em vez disso, é importante que o funcionário use sua energia para experimentar coisas novas e ver que com isso o novo ambiente está trazendo novas oportunidades. Se a frágil esperança de um futuro melhor é brutalmente quebrada por um desnecessário gerenciamento minucioso, é provável que o funcionário regrida uma ou duas fases. A ligação entre as fases de transição e de produtividade O processo de transição terá impacto sobre a produtividade, satisfação no trabalho e satisfação do cliente. Todas as três variáveis dependem de como os funcionários se sentem sobre o seu trabalho, e algum nível de perturbação é inevitável. A conexão entre as quatro fases de transição e a produtividade é ilustrado na figura abaixo. A fase de choque trará alguma mudança inicial volátil da produtividade até os funcionários se familiarizarem com os fatos. Durante a fase de resistência, a produtividade será largamente afetada; o quanto vai depender do nível de resistência em geral e dos grupos de empregados que exibem a resistência. O ponto mais baixo ocorre pouco antes da transformação, e uma vez que os funcionários abracem a nova situação, a produtividade e a satisfação com o trabalho irão aumentar dramaticamente. Nota-se que um processo de transição bem sucedido pode levar a produtividade e satisfação no trabalho a um nível mais elevado do que antes do processo de terceirização. Figura 2: Transição de fases e o impacto sobre a produtividade Produtividade/ satisfação no emprego Choque Incluir Resistência Transformação Tempo Fonte: Aspector

9 Melhores práticas na gestão de transição em terceirização Nós identificamos 10 elementos de melhores práticas que darão uma contribuição significativa para uma transição bem sucedida. Os 10 elementos de melhores práticas vão funcionar em todas as indústrias e países, mas precisa ser ajustada para o contexto individual. Nossos elementos de melhores práticas são baseados em quatro fontes: entrevistas com um número de funcionários da ISS que estiveram recentemente em um processo de transição; estudos de caso existentes; pesquisas existentes e nossa própria experiência. As pessoas entrevistadas eram de quatro países diferentes (Dinamarca, Finlândia, Singapura e Austrália). Eles representaram uma ampla gama de diferentes faixas etárias e funções de trabalho os operacionais no segmento de gestão de facility e foram escolhidos aleatoriamente dentro de contratos também escolhidos aleatoriamente em países pré-especificados. As entrevistas, que duraram em média 1 hora e 12 minutos, foram todas conduzidas com pessoas que já foram transferidas para a ISS. Curiosamente, apesar do fato de que os entrevistados falavam línguas diferentes, tinham experimentado diferentes transições, trabalharam em diferentes tipos de organização e tiveram trabalhos diferentes, as entrevistas mostraram um número extraordinariamente elevado de semelhanças. Isto sugere que muitas das reações à terceirização tendem para alguns traços humanos básicos. Os 10 elementos de melhores práticas, que estão listados sem ordem particular, são as seguintes: 1. Siga um processo de transição robusto e claro O processo de transição deve ser planejado com bastante antecedência das iniciativas de implantação. A fase de transição em si - ou seja, quando os funcionários são notificados e transferidos de um empregador para outro - normalmente começa cerca de três meses antes da implantação oficial. Antes da transição dos funcionários, o cliente terá trabalhado através de uma fase de planejamento. Michael Corbett (2004) sugere que o cronograma para preparar os funcionários para a mudança, ajudando-os através do processo, começa cerca de 12 meses antes da implantação oficial e vai até cerca de 12 meses depois. Isto é ilustrado na figura abaixo. Figura 3: Processo de transição -12 meses -6 meses -3 meses 0 3 meses 6 meses 12 meses Clientes Preparar a organização para a mudança Preparar as pessoas para a mudança Transição de colaboradores Funcionários integrados em nova empresa Provedor Crescimento e desenvolvimento dos colaboradores Fase 1: Planejamento Fase 2: Transição Fase 3: Integração * Pagamento, benéficos, politica * Comunicação * Direito dos colaboradores * Planejamento de transição * Plano de separação Fonte: Corbett, 2004 * Anúncio * Decisão dos colaboradores * Tempo * Suporte * Involvimento * Associação * Integração * Evolução * Treinamento

10 Todo o processo consiste em várias fases com muitos projetos. Pesquisas mostram que, se isso não for cuidadosamente planejado com antecedência, através de um processo de transição robusto e testado, como o descrito acima, elementos críticos não receberão a devida atenção ou serão completamente esquecidos. Nossas entrevistas identificaram vários exemplos onde o cliente - especialmente o departamento de RH - perdeu todo o interesse nos funcionários terceirizados vários meses antes da implantação oficial. Isso deixou os funcionários em desordem, sem saber a que organização pertenciam e se sentindo indesejados. Um ponto importante é que uma transição bem-sucedida é o esforço combinado e bem sucedido tanto para o cliente quanto para o prestador de serviços, e que somente através de um esforço planejado, alinhado e combinado é que a transição é bem sucedida. 2. A primeira reunião é muito importante A importância da primeira reunião não pode e não deve ser subestimada. Esta é a reunião onde os funcionários são informados de que seus empregos serão terceirizados. Como mencionado acima, todos os funcionários são inicialmente propensos à experiência de choque e um sentimento de descrença. A primeira reunião é decisiva para o nível de choque que os funcionários irão sentir, e de fato a forma como o processo de transição será bem-sucedido no futuro. Em muitos casos, esta reunião ocorre antes que um fornecedor seja selecionado, e, consequentemente, é tratada pelo próprio cliente. Em outros casos a reunião é realizada depois que o fornecedor foi selecionado. Em um exemplo, o cliente decidiu deixar os seus funcionários saberem da terceirização por meio de uma carta, mas nem todo mundo que deveria recebeu a carta, e o prestador de serviços acabou sendo o único a quebrar a notícia. Sem surpresas, esta situação não foi bem recebida pelos funcionários. Independentemente de a primeira reunião ser realizada antes de um fornecedor ser selecionado ou não, algumas coisas são importantes em relação à primeira reunião. Em primeiro lugar, o CEO ou outro representante da alta direção do cliente deve estar presente e explicar as razões para a decisão de terceirização. Este tipo de informação não deve vir da gerência. Um segundo ponto diz respeito ao conteúdo da reunião. Na primeira reunião, os funcionários só estão preocupados com as coisas que são importantes para eles e seu trabalho. Para eles, isso é uma coisa muito pessoal. Eles terão, portanto, questões, tais como: O que isso significa para mim? Especificamente, eles muitas vezes querem respostas para perguntas como: Será que vou perder meu emprego? Vou ter uma redução da remuneração? Será que vou perder algum dos meus benefícios? Será que vou ter que fazer um tipo diferente de trabalho? Vou ter que viajar mais para o meu local de trabalho? A primeira reunião deve abordar estas questões.

11 A reunião deve ser dedicada a anunciar a iniciativa, respondendo muitas das perguntas acima quanto possível, e explicar o processo à frente em termos simples. Os detalhes devem ser deixados para uma reunião de acompanhamento que pode ser realizada alguns dias depois. Uma apresentação em profundidade do prestador de serviços, caso este tenha sido selecionado, também deve ser deixado para mais tarde. 3. Comunicar, comunicar, comunicar Costuma-se dizer que há três coisas que são importantes em uma transição bem sucedida: comunicação, comunicação e comunicação. Nossas entrevistas sugerem que isso é verdade. A comunicação foi destaque em todas as nossas entrevistas ou como o elemento principal de sucesso ou o elemento que causou mais tristeza e chateação. Três regras devem ser seguidas em relação à comunicação, deve ser honesta, abundante e significativa (Corbett, 2004). Comunicação honesta sobre o processo e suas prováveis implicações, como a redução de pessoal, mudanças no conteúdo do trabalho e alterações na remuneração e benefícios é essencial. Alguns gestores não podem ser honestos com seus funcionários, porque eles ainda não sabem o que vai acontecer. Se for esse o caso, os gestores devem comunicar isso aos seus funcionários, porque senão eles vão assumir que seus gerentes estão retendo informações. Da mesma forma, dar uma falsa segurança não é uma boa ideia. A comunicação deve ser abundante. Se o espaço de comunicação não é preenchido com a comunicação deliberada, otimista e honesta por parte da equipe de liderança e gestão, em seguida, ela será preenchida por boatos, fofocas e especulações de um grupo de funcionários descontentes. As pessoas precisam encontrar um significado em seu trabalho, e eles vão acreditar em qualquer explicação - mesmo que seja um tanto improvável e negativa. Os rumores podem impactar todos os níveis da organização, causando medo e apreensão e levando a baixos níveis de produtividade e satisfação no trabalho. Outras funções que poderiam ser terceirizadas vão começar a se perguntar se eles serão os próximos, e os boatos tenderão a persistir nesses departamentos, se a comunicação não for dirigida a eles. A equipe de transição deve considerar um conjunto de canais de comunicação: cartas, s, reuniões, cartazes, boletins informativos da empresa, etc.

12 Finalmente, a comunicação deve ser significativa e de situação relevante. Sempre que a liderança e gestão de equipes comunicar algo, deve ser seguido por um "e aqui está o que vamos fazer sobre isso". Durante a fase inicial, os funcionários só estão interessados em comunicação que diz respeito à sua situação pessoal específica. Questões relacionadas ao seu departamento e da empresa serão mais significativos para eles apenas mais tarde. Isto, muitas vezes, causa surpresa para os gestores de que as pessoas não ouvem o que está sendo comunicado ou ouvem coisas diferentes. Entrevistamos pessoas que participaram da mesma reunião, mas tinham ouvido e experimentado coisas diferentes. Um deles disse que nada foi dito, e que a falta de informação e capacidade de responder à perguntas perturbou-o, enquanto outro sentiu que o nível de informação foi adequado e correto. Isso aconteceu porque um pôde ver imediatamente que a mudança teve muito pouco impacto sobre o emprego, enquanto o outro ainda estava à procura de uma resposta clara às questões fundamentais. Entender o que as pessoas estão preocupadas torna possível entender se eles ouviram a mensagem ou não. A comunicação que vem do cliente e do prestador de serviços deve estar alinhada. É importante gerenciar a comunicação entre as duas partes, porque as diferenças serão interpretadas com desconfiança e raiva. A responsabilidade pela comunicação muda gradualmente para o novo empregador após a reunião inicial, quando o fornecedor já fora anunciado, mas os funcionários irão prestar muita atenção à informação sutil do cliente até muito tempo depois da implantação oficial. 4. O aspecto das questões sociais O processo de terceirização tem consequências além do trabalho real para a maioria dos funcionários. Muitas pessoas que examinamos em nossas pesquisas e nos estudos de caso têm apontado os relacionamentos sociais e os benefícios como preocupações importantes durante o processo de transição. Estas preocupações estão relacionadas quer com a perda de acesso às configurações sociais da empresa ou a mudanças em suas relações com os antigos colegas. Muitas organizações oferecem benefícios que também servem como oportunidades para a rede social. Exemplos incluem um ginásio, clube de artes, clube de viagens, etc. Outras oportunidades para a rede social dentro da organização do cliente incluem a cantina, áreas de fumantes e, mais importante, a festa de Natal (Confraternizações). Uma vez que o serviço foi terceirizado, é comum que os funcionários terceirizados que já não têm acesso a essas oportunidades e relacionamentos, enquanto muitos países têm leis trabalhistas que garantem uma compensação monetária por qualquer perda de tais benefícios, a perda das redes sociais pode ser significativa e difícil de substituir.

13 Outro aspecto diz respeito à atitude com os funcionários terceirizados. A pesquisa mostrou que uma vez que os funcionários terceirizados se tornam uma função de apoio externo, colegas anteriores mudam sua atitude em relação a eles. Há muitas razões para esta mudança: mudança de filiação sindical, redução dos níveis de serviço como parte de savings, uniformes novos, e a diferente imagem da empresa. Os empregados terceirizados dizem que os funcionários do cliente começam a culpar seu departamento (terceirizado) para as coisas que anteriormente eram atribuídos à equipe de liderança do cliente. A equipe de transição deve analisar como os aspectos sociais podem ser melhor tratados antes da transição. Pode ser que os funcionários terceirizados podem ter permitido o acesso aos ginásios e clubes após a implantação. A equipe de transição também pode realizar um workshop onde os funcionários terceirizados recebem ajuda pelas mudanças esperadas em relações sociais importantes. 5. Identificar as pessoas chave e concentrar esforços sobre eles É importante para reter e manter a maioria dos funcionários felizes durante o processo de transição. Alguns, no entanto, são cruciais para o sucesso de todo o projeto. Como parte da fase de planejamento, a equipe de transição deve, portanto, identificar as pessoas chave e concentrar esforços especiais em garantir que eles fiquem felizes com o processo. Existem três tipos de pessoas chave de importante identificação: 1. Pessoas com conhecimento importante 2. As pessoas com poder formal 3. As pessoas com poder informal O número de pessoas chave que devem ser identificadas varia dependendo do tipo de contrato e da situação. Um numero em regra geral muitas vezes determinado na pesquisa é de 20%, mas em local específico em contexto de grande conhecimento, o número pode ultrapassar 50%. Em algumas situações a terceirização da prestação de serviços é baseada no domínio do conhecimento do cliente. Isto é particularmente verdadeiro para o local e serviços baseados em, mais ainda, serviços que são altamente técnicos. Nestas situações, o sucesso de todo o contrato pode depender da retenção de algumas pessoas chave.

14 As pessoas chave devem ser identificadas antes da fase de transição real começar. No entanto, é comum que algumas das pessoas chave com poder informal e/ou influência social relevante só podem ser identificadas após o anúncio estar feito. Em uma de nossas entrevistas, o gerente de transição deu-nos um exemplo onde uma pessoa com influência social foi identificada embora observando que muitos colegas falaram com ele sobre seus sentimentos em relação ao processo de terceirização e que ele foi capaz de tranquilizá-los. Neste caso, a pessoa com poder informal teve uma influência positiva sobre o processo, mas em muitos casos, as pessoas com poder informal pode exercer uma influência negativa. 6. Aumento do escopo de trabalho deve ser manuseado com cuidado especial O prestador do serviço, às vezes, tentar negociar a expansão de algumas atribuições de trabalho para que os empregados terceirizados assumam mais tarefas ou trabalhem em equipes. Isto é feito a fim de aumentar a flexibilidade e reduzir os custos. A pesquisa mostra que a polivalência é geralmente uma forma eficaz de criar empregos em terceirização, uma vez que melhora a flexibilidade e qualidade do trabalho, bem como aumenta a satisfação com o trabalho através de uma melhor utilização das competências, melhor formação e maior status para o trabalho. Em outras palavras, tem o potencial de ser benefício para o prestador de serviços, bem como para o empregado. A pesquisa mostra que a polivalência é geralmente uma forma eficaz de criar empregos em terceirização, uma vez que melhora a flexibilidade e qualidade do trabalho, bem como aumenta a satisfação com o trabalho através de uma melhor utilização das competências, melhor formação e maior status para o trabalho. Em outras palavras, tem o potencial de ser benefício para o prestador de serviços, bem como para o empregado. Todas as pessoas entrevistadas foram convidadas a assumir novas tarefas, como parte do processo de terceirização, que, na maior parte significou que eles tinham que executar trabalhos que nunca tinham feito antes. Todos eles disseram que estavam satisfeitos com esta nova função no trabalho agora, mas alguns disseram que o processo tinha sido difícil. Isso apoia a pesquisa sobre polivalência, o que mostra que ela pode melhorar significativamente a produtividade e satisfação no trabalho, se bem tratada, mas, se não for bem tratada, vai realmente levar a baixa produtividade e rotatividade dos funcionários. A equipe de transição deve considerar antes da fase de transição que empregos serão ampliados e, posteriormente, criar um processo para implementar isso. Pesquisas mostram que um alto grau de envolvimento dos trabalhadores neste processo se correlaciona com uma alta taxa de sucesso.

15 7. Reduzir o gap cultural entre os funcionários e o prestador de serviços A divisão de gestão de Facility da empresa é suscetível a ter uma cultura significativamente diferente da organização do cliente. Enquanto o departamento terceirizado não pode espelhar toda a cultura do cliente, a evidência sugere que a sobreposição é significativa. Tem sido documentado ao longo dos anos que um relacionamento de sucesso entre o cliente e os provedores de serviços dependem de quão similar são suas culturas. Se o gap cultural é muito grande, o prestador de serviços não se encaixa no ambiente do cliente e o cliente não pode trabalhar com este provedor de serviços. De fato, as pesquisas nos EUA sugerem que mais de 50% das empresas acreditam que a adaptação cultural é um critério fundamental na seleção de fornecedores. O efeito sobre os trabalhadores durante a transição entre duas empresas não tem recebido muita atenção em pesquisas e levantamentos. No entanto, algumas evidências sugerem que um "choque cultural" pode afetar muito a execução do contrato de terceirização. O prestador de serviços deve, portanto, avaliar a cultura do(s) departamento(s) terceirizado(s) e realizar uma avaliação de risco cultural. Pode ser que o período de transição deva ser prolongado se o gap cultural for amplo, e encurtado se for estreito.

16 8. Vencer a resistência logo que observada A resistência à mudança ocorre em todas as transições, quanto e de que forma é diferente de caso para caso. Um processo robusto e bem estruturado, certamente, limitará a resistência, mas não será totalmente removida. Uma coisa, no entanto, fica evidente em todas as transições; gestores subestimam o nível e a intensidade da resistência. A principal razão para isso é a falta de conhecimento das diferentes formas como destacado acima. Os gerentes simplesmente desconhecem a resistência, porque pensam que a menos que ela seja visível deva ser abertamente confrontada, ela não está presente. Este é um erro comum. A formação de uma linha de gerentes para gestão da resistência é importante. Os gerentes devem ser treinados para conhecer os níveis e as formas de resistência, e também para lidar com conflitos e resistência. A maioria dos problemas pode, se descoberto cedo, ser facilmente tratado através de uma comunicação honesta e adequada, a maioria dos quais tem de ser feito individualmente. 9. Uma equipe dedicada de transição é uma solução ideal A equipe de transição deve ser criada o mais cedo possível no processo. O objetivo da equipe é garantir que o lado humano do contrato seja tratado de uma maneira profissional e adequada. É importante que essa equipe esteja envolvida o mais cedo possível. A equipe de transição é responsável por projetar um plano de transição (como o descrito no item 1 acima, mas, obviamente, com muito mais detalhe). Durante o processo de transição toda a equipe irá coordenar com RH, finanças, departamento de comunicação interna, aquisição e outros departamentos relevantes dentro da organização do cliente e do prestador de serviços. Quem deve ser incluído em tal equipe? Nós encorajamos as pessoas do lado do provedor de serviço a ser incluído o mais cedo possível. Eles provavelmente têm experiência e até mesmo uma equipe de transição central dedicada que sabe como trazer essas questões para uma fase de negociação do contrato. Eles também têm as ferramentas de transição apropriadas para avaliação, assim como um plano de transição aplicado e testado que pode ser usado. Em muitos casos, isso pode não ser possível, pois o contrato pode estar em concurso e grande parte da comunicação já terá ocorrido e os contratos, SLA, KPI's, etc; já terá sido elaborado. Em alguns casos, o contrato é concedido mesmo pouco tempo antes da data de implantação. No entanto, quanto mais cedo uma equipe de transição possa ser estabelecida com representantes de ambas as empresas, maior a probabilidade de uma transição bem sucedida.

17 10. Gerar vitórias em curto prazo e celebrá-las O processo de transição inteiro pode levar muito tempo. O ideal é que não demore mais do que três a seis meses, mas em alguns casos pode demorar mais de um ano. Durante este período os funcionários, muitas vezes, perdem de vista o objetivo do projeto de terceirização, sentem a perda de direção, e se perguntam se as coisas estão indo bem. Definir metas de curto prazo e, assim, ter várias vitórias em curto prazo, tem provado para ajudar a aliviar esses problemas. John Kotter (1996) destaca as regras de muitas vitórias em curto prazo. Elas fornecem evidência do progresso, constroem o momento, removem resistência, premiam juntos os agentes de mudança e as equipes vencedoras. Uma boa vitória de curto prazo tem pelo menos três características: 1. É visível, isto é, um grande número de pessoas pode ver se o resultado é real e tem sido alcançado; 2. É inequívoca; 3. Ele está claramente relacionada com o esforço de mudança. Colocando isso em contexto de uma situação de terceirização, o plano do projeto da equipe de transição deve incluir uma meta global para o projeto, bem como várias vitórias à curto prazo. Estes poderiam estar relacionados com o momento em que todos os contratos individuais forem negociados, o primeiro dia de trabalho com as novas regras de trabalho, etc. A celebração não tem que ser grande ou extravagante. Nossos entrevistados destacaram coisas como uma noite de boliche com a equipe e um jantar no restaurante local como boas celebrações.

18 Conclusão A transição de emprego é um grande evento para os funcionários envolvidos. É provável que seja um dos eventos mais significativos para os muitos anos em seu trabalho. Por isso, é importante que o processo seja gerenciado de forma eficaz, profissional e, acima de tudo, com pessoas de grandes habilidades. Os funcionários vão embora em quatro fases durante as transições de trabalho que afetam a forma como eles se sentem e como eles abordam a situação de terceirização. E eles vão embora em fases e velocidades diferentes. Alguns vão encontrar-se rapidamente a situação abraçando novo trabalho e enxergar a estrada à frente como um desafio positivo. Outros serão presos a um estado depressivo e reativo e vão assumir as novas condições como uma ameaça. A primeira fase é de "choque e descrença", quando os funcionários não podem acreditar nas notícias e ficam chocados. Gestores em geral, tendem a subestimar o nível de choque que os funcionários experimentam e suas consequências. "Resistência e frustração" é a fase em que os funcionários avaliam como isso irá afetá-los e resistem se o esforço é considerado grande demais ou o efeito muito negativo. Durante a fase de 'transformação', os funcionários vão olhar para o futuro e concluir que "isso não é tão ruim assim". Finalmente, os funcionários vão "abraçar" a situação do novo trabalho com otimismo e energia renovados. Como o processo de transição é gerenciado tem grande impacto na produtividade, satisfação no trabalho e satisfação do cliente. Em outras palavras, é para o benefício de todas as partes interessadas (clientes, funcionários e prestadores de serviços) que um processo de gestão de transição de classe mundial é colocado no lugar. A boa gestão de transição vai ajudar os funcionários a passar com segurança e rapidez, através das quatro fases, ao passo que a má gestão ou gestão inexistente fará o oposto. A ligação entre as quatro fases de transição e a produtividade é clara: a fase de choque trará alguma mudança inicial volátil para a produtividade até os funcionários se familiarizar com os fatos. Durante a fase de resistência, a produtividade será se veramente impactada negativamente. Um processo de transição bem sucedido pode levar a produtividade e satisfação no trabalho a um nível mais elevado do que antes do processo de terceirização quando a fase de transformação tem inicio. Nossa pesquisa, que inclui entrevistas com funcionários terceirizados recentemente, conclui que há 10 atividades de boas práticas que qualquer plano de transição robusto deve incluir e qualquer gestor de transição deve estar ciente. Em face disso, estes 10 passos são fáceis de implementar, mas exigem compromisso do cliente e do prestador do serviço, bem como um conjunto de boas habilidades na gestão de transição. As 10 melhores prática na transição de atividades são classificadas em quatro categorias: planejamento de projetos, comunicação, psicologia (ou gestão de pessoas), e projeto de trabalho. Todas as atividades são importantes e nenhuma deve ser deixada de fora. No entanto, a coisa mais importante a lembrar é que as pessoas não se importam em mudar, mas eles não gostam de ser mudada de forma errada.

19 Referências Andersen, M. & Ankerstjerne, P. (2010). HR issues to be considered when outsourcing services. ISS White Paper Charara, J. (2004). The Impact of Outsourcing on Employees: A Guide to Organisations (Lulu) (available in paperback via Corbett, M. F. (2004). Outsourcing Revolution : Why It Makes Sense and How to Do It Right. Dearborn Trade, USA Duening, T. N. & Click, R. L. (2005). Essentials of Business Process Outsourcing. John Wiley & Sons Fedor, D.B.; Caldwell, S. & Herold, D.M. (2006). The effects of organisational changes on employee commitment: A multilevel investigation. Personnel Psychology, 59, 1-29 Fisher, S.L., Wasserman, M.E., Wolf, P.P. & Wears K.H. (2008). Human resource issues in outsourcing: Integrating research and practice. Human Resource Management, vol. 47, no. 3, pp Foster, J. (2000). Motivation in the Workplace I: Chmiel, N (Ed). Introduction to Work and Organizational Psychology. Cornwall, Blackwell Publishing Hiatt, J. M. (2006). ADKAR A model for change in business, government and our community. Prosci Research, USA Kessler, I., Coyle-Shapiro, J. & Purcell, J. (1999). Outsourcing and the employee perspective. Human Resource Management Journal, 9, pp Kotter, J. P. (1996). Leading Change. Harvard Business School Press McKinsey Quarterly. (2006). Organizing for successful change management: A McKinsey Global Survey.

20 Perfil das empresas Aspector A/S A Aspector é uma empresa de consultoria em RH. Nós oferecemos serviços dentro da estratégia, cultura organizacional, gestão de mudanças e análise de impacto de valor em RH. Nosso objetivo é permitir que os nossos clientes atinjam seus objetivos estratégicos de uma forma sustentável e rentável, alinhando as atividades de RH com a sua estratégia de negócios. Aspector é localizada em Aarhus, na Dinamarca, e ajuda clientes em todo o mundo. Nós combinamos as disciplinas objetivas de estratégia e finanças com as áreas sensíveis da psicologia e relações humanas. Esta combinação oferece a melhor plataforma para gestão de RH eficaz. Acreditamos que todas as organizações têm funcionários únicos em situações únicas, e nossa metodologia, abordagem e ferramentas são sempre adaptadas a cada contexto específico. Para mais informações sobre a Aspector, visite Perfil das empresas ISS A/S O Grupo ISS é uma das principais empresas de Facility Services do mundo, fornecendo soluções integradas de serviços com base nas principais áreas de negócios de limpeza, alimentação, propriedade, segurança e serviços de apoio. O Grupo ISS gerou uma receita de mais de EUR 9 bilhões em e emprega mais de pessoas em mais de 50 países na Europa, Ásia, América do Norte, América Latina e região do Pacífico. Todos os dias, os funcionários da ISS criam valor, trabalhando como integrantes de nossos clientes. Uma parte fundamental da estratégia de RH da ISS é desenvolver funcionários capacitado para todas as funções. O espírito de equipe e a auto-gestão são incentivadas, bem como a participação voluntária em treinamento adicional e fluxos de trabalho multidisciplinares. Além de desenvolver seus funcionários, a ISS garante a conformidade com os regulamentos de Saúde, Segurança e Meio Ambiente. Demonstramos nosso compromisso social e ético através do Código de Conduta da ISS, e através da nossa adesão à UN Global Compact, e honrando os princípios estabelecidos no acordo do Union International Network (UNI). Para mais informações sobre o Grupo ISS, visite

Trabalhando com a mudança no gerenciamento em serviços de terceirização Por Morten Kamp Andersen (Aspector) & Peter Ankerstjerne (ISS)

Trabalhando com a mudança no gerenciamento em serviços de terceirização Por Morten Kamp Andersen (Aspector) & Peter Ankerstjerne (ISS) Trabalhando com a mudança no gerenciamento em serviços de terceirização Por Morten Kamp Andersen (Aspector) & Peter Ankerstjerne (ISS) A Terceirização de serviços cria muitas mudanças. Para os empregados

Leia mais

Trabalhando com a mudança no gerenciamento em serviços de terceirização

Trabalhando com a mudança no gerenciamento em serviços de terceirização Trabalhando com a mudança no gerenciamento em serviços de terceirização Por Morten Kamp Andersen (Aspector) & Peter Ankerstjerne (ISS) A Terceirização de serviços cria muitas mudanças. Para os empregados

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

PESSOAS RESILIENTES: suas características e seu funcionamento

PESSOAS RESILIENTES: suas características e seu funcionamento CONNER, Daryl. Gerenciando na velocidade da mudança: como gerentes resilientes são bem sucedidos e prosperam onde os outros fracassam. Rio de Janeiro: Infobook, 1995. PESSOAS RESILIENTES: suas características

Leia mais

Gestão da Mudança nas Organizações. Leila Oliva

Gestão da Mudança nas Organizações. Leila Oliva Gestão da Mudança nas Organizações Leila Oliva O roteiro Conduzir a mudança e o papel da liderança: Os papeis que vivemos; Jornada emocional da mudança. Conduzir a mudança organizacional: Os 8 passos do

Leia mais

Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos. White Paper

Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos. White Paper Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos White Paper TenStep 2007 Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos Não há nenhuma duvida

Leia mais

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Modelo operacional Qual é o modelo organizacional do PDS? Trabalhamos bastante para chegar ao modelo organizacional certo para o PDS. E aplicamos

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br

GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO. Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br GERENCIAMENTO DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Guia de Estudo Vamos utilizar para a nossa disciplina de Modelagem de Processos com BPM o guia

Leia mais

Quando as mudanças realmente acontecem - hora da verdade

Quando as mudanças realmente acontecem - hora da verdade Quando as mudanças realmente acontecem - hora da verdade Pergunte a um gestor de qualquer nível hierárquico qual foi o instante em que efetivamente ele conseguiu obter a adesão de sua equipe aos processos

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Lidando com a Mudança

Lidando com a Mudança Lidando com a Mudança... e o que sentem os colaboradores? Uma das maiores dificuldades nos processos de mudança é conseguir que os funcionários abracem a causa. É bom que se saiba logo de cara que alguns

Leia mais

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de T.I Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Information Technology Infrastructure Library ITIL ITIL é um acrônimo de Information Technology Infraestruture Library. Criado em

Leia mais

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky

O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean. Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky O papel da gerência em um ambiente de manufatura lean Gary Convis, Presidente, Toyota Motor Manufacturing de Kentucky Tradução: Diogo Kosaka Gostaria de compartilhar minha experiência pessoal como engenheiro

Leia mais

Terceirização de RH e o líder financeiro SUMÁRIO EXECUTIVO. Você e o RH estão falando a mesma língua? EM ASSOCIAÇÃO COM

Terceirização de RH e o líder financeiro SUMÁRIO EXECUTIVO. Você e o RH estão falando a mesma língua? EM ASSOCIAÇÃO COM SUMÁRIO EXECUTIVO Você e o RH estão falando a mesma língua? EM ASSOCIAÇÃO COM Os serviços de terceirização de RH economizam tempo e dinheiro para as empresas. Investimentos em engajamento dos funcionários

Leia mais

Como entendemos a Gestão por Processos?

Como entendemos a Gestão por Processos? RIO DE JANEIRO SÃO PAULO BRASÍLIA BELO HORIZONTE Como entendemos a Gestão por Processos? Mobilizando pessoas para promover melhorias e inovações a partir de processos André Macieira & Leandro Jesus Alguns

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos

Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Aula Nº 9 Gerenciamento de Recursos Humanos em projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam tratar da identificação bem como do estabelecimento de uma estrutura organizacional apropriada ao

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER LIDERANÇA O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER Roselinde Torres foco na pessoa 6 Por Roselinde Torres O que é preciso para ser um grande líder hoje? Muitos de nós temos a imagem de um líder como um

Leia mais

Maximizando o Ciclo de Vida do Lean

Maximizando o Ciclo de Vida do Lean Maximizando o Ciclo de Vida do Lean Nos últimos anos, muitas empresas tiveram contato com o Lean e se impressionaram com os ganhos que poderiam obter. Tratava-se de uma nova abordagem de negócios, e que

Leia mais

https://www.bigby.com/systems/selectport/samplereports/inboundsales1.htm

https://www.bigby.com/systems/selectport/samplereports/inboundsales1.htm Página 1 de 9 CCin v2 r i cpb cpb_att n SELECT para Centrais de Atendimento a Clientes - Recebimento de Vendas (v2) Copyright 1995-2005, 2006 Bigby, Havis & Associates, Inc. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO

Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Terceirização de RH e o líder empresarial SUMÁRIO EXECUTIVO Você dispõe da base necessária para desenvolver a confiança dos funcionários? EM ASSOCIAÇÃO COM Empresas com funcionários envolvidos superam

Leia mais

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo 2013 Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo Ana Fonseca, Bárbara Nazaré e Maria Cristina Canavarro Pontos de interesse especiais: Porque

Leia mais

Fazendo a mudança dar certo

Fazendo a mudança dar certo Fazendo a mudança dar certo A importância das pessoas 12 de março de 2015 Carlos Siqueira e Daniela Segre Apresentações Carlos Siqueira Hay Group Brasil Diretor Daniela Segre Hay Group Brasil Gerente 2

Leia mais

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com

MBA em Gestão de Tecnologia da Informação. Governança de TI - Aula 2. Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Governança de TI - Aula 2 Lincoln Herbert Teixeira lincolnherbert@gmail.com Projetos Altos investimentos em TI - importante que tenhamos processos eficazes para

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

Governança Corporativa e o Escritório de Projetos

Governança Corporativa e o Escritório de Projetos Governança Corporativa e o Escritório de Projetos OBJETIVOS Conhecer a Governança Corporativa Entender os tipos de estruturas organizacionais Compreender o modelo de Escritório de Projetos O que é Governança

Leia mais

Uma nova forma de gestão

Uma nova forma de gestão Uma nova forma de gestão por Michael Ballé ARTIGO Desvio da missão, silos e uma força de trabalho desengajada são alguns dos efeitos negativos da gestão tradicional. Michael Ballé oferece uma alternativa

Leia mais

Por que utilizar o modelo ITIL

Por que utilizar o modelo ITIL Por que utilizar o modelo ITIL... O que não é definido não pode ser controlado... O que não é controlado não pode ser medido... O que não é medido não pode ser melhorado Empregado para definir, controlar,

Leia mais

Implementação e avaliação

Implementação e avaliação Seção 3 Implementação e avaliação ESTUDO BÍBLICO Respondendo às mudanças No início de Neemias 4, vemos que algumas pessoas se opuseram ao projeto. Qual foi a resposta de Neemias? (versículo 9) Como Neemias

Leia mais

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao.

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao. QUEM É A HUAWEI A Huawei atua no Brasil, desde 1999, através de parcerias estabelecidas com as principais operadoras de telefonia móvel e fixa no país e é líder no mercado de banda larga fixa e móvel.

Leia mais

Connections with Leading Thinkers

Connections with Leading Thinkers Instituto de Alta Performance Connections with Leading Thinkers O executivo Rafael Navarro discute a inovação do ponto de vista de uma grande empresa brasileira altamente inovadora. Rafael Navarro é o

Leia mais

A importância da gestão da mudança para a gestão estratégica

A importância da gestão da mudança para a gestão estratégica A importância da gestão da mudança para a gestão estratégica Armando Kokitsu (M.Sc.) TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO Assessoria de Gestão Estratégica Consultor e coach certificado em gestão da mudança (Esta

Leia mais

EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV

EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV EMBRATEL ENTREVISTA: Pietro Delai IDC Brasil DATA CENTER VIRTUAL - DCV DATA CENTER VIRTUAL - DCV Em entrevista, Pietro Delai, Gerente de Pesquisa e Consultoria da IDC Brasil relata os principais avanços

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

PONTO DE VISTA SEM TÍTULO, JAZIEL DA SILVA LINS. PAPEL RECICLADO S/ EUCATEX. por Marcelo de Andrade Pinheiro FGV-EAESP

PONTO DE VISTA SEM TÍTULO, JAZIEL DA SILVA LINS. PAPEL RECICLADO S/ EUCATEX. por Marcelo de Andrade Pinheiro FGV-EAESP PONTO DE VISTA Extraindo o melhor de recursos humanos SEM TÍTULO, JAZIEL DA SILVA LINS. PAPEL RECICLADO S/ EUCATEX. O imperativo categórico de uma organização é o resultado. A mesma exigência de desempenho

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA A IMPORTÂNCIA DA MUDANÇA DE CULTURA DAS PESSOAS COMO UM DOS FATORES DE SUCESSO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Elisa Maçãs IDÉIAS & SOLUÇÕES Educacionais e Culturais Ltda www.ideiasesolucoes.com 1

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/08/2009. Humanos aprimorados versus humanos comuns

Redação do Site Inovação Tecnológica - 28/08/2009. Humanos aprimorados versus humanos comuns VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA CONVIVER COM OS HUMANOS APRIMORADOS? http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=voce-esta-preparado-conviver-humanosaprimorados&id=010850090828 Redação do

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

O GERENTE DE PROJETOS

O GERENTE DE PROJETOS O GERENTE DE PROJETOS INTRODUÇÃO Autor: Danubio Borba, PMP Vamos discutir a importância das pessoas envolvidas em um projeto. São elas, e não os procedimentos ou técnicas, as peças fundamentais para se

Leia mais

Por que ouvir a sua voz é tão importante?

Por que ouvir a sua voz é tão importante? RESULTADOS Por que ouvir a sua voz é tão importante? Visão Tokio Marine Ser escolhida pelos Corretores e Assessorias como a melhor Seguradora pela transparência, simplicidade e excelência em oferecer soluções,

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Alta performance: a base para os nossos clientes, a base para o seu futuro.

Alta performance: a base para os nossos clientes, a base para o seu futuro. Alta performance: a base para os nossos clientes, a base para o seu futuro. www.accenture.com.br/carreiras www.facebook.com/accenturecarreiras www.twitter.com/accenture_vagas Quem somos A Accenture é uma

Leia mais

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1

Governança de TI. ITIL v.2&3. parte 1 Governança de TI ITIL v.2&3 parte 1 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR ITIL 1 1 ITIL Gerenciamento de Serviços 2 2 Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de Serviços 3 3 Gerenciamento de Serviços

Leia mais

Processos Técnicos - Aulas 4 e 5

Processos Técnicos - Aulas 4 e 5 Processos Técnicos - Aulas 4 e 5 Trabalho / PEM Tema: Frameworks Públicos Grupo: equipe do TCC Entrega: versão digital, 1ª semana de Abril (de 31/03 a 04/04), no e-mail do professor (rodrigues.yuri@yahoo.com.br)

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Organização do Projeto Os projetos e o gerenciamento

Leia mais

Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho. Joe Murli

Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho. Joe Murli Trabalho padrão do líder: uma das chaves para sustentar os ganhos de desempenho Joe Murli O trabalho padrão do líder, incluindo o comportamento de liderança lean, é um elemento integral de um sistema de

Leia mais

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS

APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS APRENDA COMO GERENCIAR SEUS SERVIÇOS Treinamento ISO 20000 Foundation Presencial ou EAD O Gerenciamento de Serviços de TI tem como foco o fornecimento eficiente e eficaz de serviços que assegura a satisfação

Leia mais

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1 Página 1 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL As pessoas que supervisionam as atividades das outras e que são responsáveis pelo alcance dos objetivos nessas organizações são os administradores. Eles tomam decisões,

Leia mais

Introdução à participação infantil

Introdução à participação infantil Seção 1 Introdução à participação 1.1 Uma visão bíblica da criança Em muitas culturas, as crianças são subestimadas. No entanto, Deus valoriza as crianças tanto quanto os adultos. Todos os seres humanos

Leia mais

O GERENTE MINUTO. Como Tomar Decisões Rápidas. (Resumo do Livro dos autores: Kenneth Blancharo & Spencer Jonhson Editora Record)

O GERENTE MINUTO. Como Tomar Decisões Rápidas. (Resumo do Livro dos autores: Kenneth Blancharo & Spencer Jonhson Editora Record) O GERENTE MINUTO Como Tomar Decisões Rápidas (Resumo do Livro dos autores: Kenneth Blancharo & Spencer Jonhson Editora Record) Este livro relata a história de um jovem que andava a procura de um Gerente

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS*

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* * Release elaborado pela BM&FBOVESPA baseado nos dados informados pelo Banco Mundial para o 2º Workshop de Divulgação

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial Conexão Gerencial é um programa modular de Desenvolvimento Gerencial cujos principais objetivos são: Promover um choque de cultura e competência gerencial e tornar mais efetivo o papel dos Gestores. Alinhar

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt*

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Quando falamos de captação de recursos para uma organização, podemos estar falando em captação de dinheiro, de materiais, de produtos,

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento

Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Quatro Níveis de Avaliação de Treinamento Resenha por Eliana Dutra KIRKPATRICK, Donald L., Evaluating Training Programs - THE FOUR LEVELS. Berrett-Koehler Publishers, Inc. 1994. De acordo com Donald Kirkpatrick,

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

O papel do CRM no sucesso comercial

O papel do CRM no sucesso comercial O papel do CRM no sucesso comercial Escrito por Gustavo Paulillo Você sabia que o relacionamento com clientes pode ajudar sua empresa a ter mais sucesso nas vendas? Ter uma equipe de vendas eficaz é o

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO OBJETIVOS Definir com maior precisão o que é marketing; Demonstrar as diferenças existentes entre marketing externo, marketing interno e marketing de treinamento;

Leia mais

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução 1 Introdução Objetivo Este módulo ajudará os gerentes a identificarem as necessidades de informação, a definirem prioridades, e a determinarem que módulos do PAG APS serão mais úteis para eles. A planilha

Leia mais

Implantação de ERP com sucesso

Implantação de ERP com sucesso Implantação de ERP com sucesso Implantação de ERP com sucesso, atualmente ainda é como um jogo de xadrez, você pode estar pensando que está ganhando na implantação, mas de repente: Check Mate. Algumas

Leia mais

GESTÃO PÉ NO CHÃO. Resultados da pesquisa online realizada com mais de 100 escritórios de advocacia

GESTÃO PÉ NO CHÃO. Resultados da pesquisa online realizada com mais de 100 escritórios de advocacia GESTÃO PÉ NO CHÃO Resultados da pesquisa online realizada com mais de 100 escritórios de advocacia Consultoria especializada no desenvolvimento integral de escritórios de advocacia Nos últimos meses publicamos

Leia mais

O COACHING ESTRATÉGICO A Abordagem para uma Nova Cultura Organizacional. Luiz Cláudio Binato Belo Horizonte, 12 de Maio de 2011

O COACHING ESTRATÉGICO A Abordagem para uma Nova Cultura Organizacional. Luiz Cláudio Binato Belo Horizonte, 12 de Maio de 2011 O COACHING ESTRATÉGICO A Abordagem para uma Nova Cultura Organizacional Luiz Cláudio Binato Belo Horizonte, 12 de Maio de 2011 Organização Realização O QUE É COACHING? É um PROCESSO no qual um profissional

Leia mais

Intranets e Capital Intelectual

Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual Intranets e Capital Intelectual As mídias sociais ultrapassaram os limites da vida privada. Os profissionais são 2.0 antes, durante e depois do expediente. É possível estabelecer

Leia mais

Fundamentos do Comportamento de Grupo

Fundamentos do Comportamento de Grupo Fundamentos do Comportamento de Grupo 1: Motivação no trabalho e suas influências sobre o desempenho: Definir e classificar os grupos; Analisar as dinâmicas presentes nos grupos; Refletir sobre a influência

Leia mais

TOBY MENDEL (Consultor Internacional da Unesco): [pronunciamento em outro idioma] INTÉRPRETE: Deixa eu começar agradecendo para os apresentadores.

TOBY MENDEL (Consultor Internacional da Unesco): [pronunciamento em outro idioma] INTÉRPRETE: Deixa eu começar agradecendo para os apresentadores. TOBY MENDEL (Consultor Internacional da Unesco): [pronunciamento em outro idioma] INTÉRPRETE: Deixa eu começar agradecendo para os apresentadores. Aqui, a gente tem uma apresentação muito importante, e

Leia mais

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS

INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS INOVAÇÃO NA ADVOCACIA A ESTRATÉGIA DO OCEANO AZUL NOS ESCRITÓRIOS JURÍDICOS Ari Lima Um empreendimento comercial tem duas e só duas funções básicas: marketing e inovação. O resto são custos. Peter Drucker

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

Cultura Estrutura Ambiente Processos Tarefas Tecnologia Comportamentos Produtos ou serviços

Cultura Estrutura Ambiente Processos Tarefas Tecnologia Comportamentos Produtos ou serviços Cultura Estrutura Ambiente Processos Tarefas Tecnologia Comportamentos Produtos ou serviços Estrutura Pessoas Atividades Organizacio nais Tecnologia Dividir equipe de vendas Estrutura Pessoas Contratar

Leia mais

Identificação do projeto

Identificação do projeto Seção 1 Identificação do projeto ESTUDO BÍBLICO Respondendo a uma necessidade Leia Neemias 1 Neemias era um judeu exilado em uma terra alheia. Alguns dos judeus haviam regressado para Judá depois que os

Leia mais

A comunicação empresarial e a gestão da mudança

A comunicação empresarial e a gestão da mudança Renato Dias Baptista Índice 1 As mudanças organizacionais 1 1.1 Comunicação e mudança organizacional............. 2 2 Considerações Finais 4 3 Referências Bibliográficas 4 1 As mudanças organizacionais

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos

BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos BPO para Empresas de Energia e Concessionárias de Serviços Públicos Terceirização de Processos Empresariais da Capgemini Um componente da área de Serviços Públicos da Capgemini As concessionárias de serviços

Leia mais

Motivar pessoas para o foco da organização

Motivar pessoas para o foco da organização PORTWAY Motivar pessoas para o foco da organização Série 4 pilares da liderança Volume 3 4 pilares da liderança Motivar pessoas para o foco da organização E m Julho de 2014, fui procurado por algumas diretoras

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

A cor da qualidade: Como a Crayola usa dados para fornecer o giz de cera perfeito

A cor da qualidade: Como a Crayola usa dados para fornecer o giz de cera perfeito Especial - Lean Seis Sigma A cor da qualidade: Como a Crayola usa dados para fornecer o giz de cera perfeito Aqui temos uma caixa novinha com 64 gizes de cera. Escolha sua tonalidade favorita e depois

Leia mais

Manual de administração

Manual de administração Manual de administração Como fazer outsourcing dos sistemas de informação Índice Introdução Passo 1 - Definir o enquadramento Passo 2 - Analisar os recursos e serviços internos Passo 3 - Analisar os recursos

Leia mais