GOVERNO P ANTI-SALA ORMADO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GOVERNO P ANTI-SALA ORMADO"

Transcrição

1 »»]Bp»7QMveySt«<rúwWvar m«r»wír» fel»tof&«<fw rsrtrav RRSl V DESFECHR OFENSV DO CFÉ N URSS l NO CONTNENTE FRCNO PSSGEROS DO SNT MR SERM DESEMBRCDOS NO PRÁ À\ ±_ GOVERNO P NTSL ORMDO WÊÊW > m : <W â$k: %r,:. SNT RUMO fff R/ NO BELÉM! SÀO JOÀO, PORTO RCO, 27 Urente O cmandante d» frta nrte«mercan» d tlântc ncu aí estões para que s rebels prtuueses d transatlântc Mara sembarquem s passaers n prt brasler Belém d Para O lmrante Rbert L. Dennsn também cnsultu s Chefes Estadar cmbnand sbre»e ve arantr dret lvre passaem as patrótcs que pratas se apraram da nave, mas até mment nã recebeu nstruções d cmand nrteamercan e nem parte d cmandante ds rebels, Captã Henrque Galvã Entrementes, termnu a stróer que rume para Belém, ante a pssbl Wlsn da que plan dê resultad. (LE NS PGNS DOS E SES ELGOO PEDE QUE SUSPEND!f $ QENNEDY CÇD TSO NO X R Janer, SextaFera, 27 Janer 96 N. 3.25/ nnsutlntcn purtutuên \era (ru vera ter zarpad par SanU tntenlem»«l!í hura«. Jk San /.rp.u Transferda para as lü lrav a partda também nât rnrrr. Ontem pela manhã rc p. urm \autr. e. an mvtm leu, rancelar ac pa.waftenu para aquele põrtu paluta. Mas «rvanl.u lerr.s Qlallll.l «lhran a hrda a (ler asrnlr. r.rrl.v d. p.llra prluursa que urram nletra a sua trpula,.m. m planu, n atnmõvel d.» ;ml>axadur dr rurlncal. %Ç\6 t O GLVÃO ESPER DECSÃO D ONU M\ OHQUK. 27 lp ll. Henrque (lalvã en. m. ntem. ( Ma M uma mensafícm receb.,. nela Hád Crpnnt! merca KC, na qual r.hrmnu (tc estava uspranlu um telerama (as Naees tulas Km qne sc recnheça nu ;, píksç plítca, que é a nsrrels em estad le l.elucrânca. que levam ;. elet n mssã que lhes m ml un,, pel Ccneral ll,rl crescentu re.. rebels nã sã pratas. JK RECEBERÁ N PONTE n Sr. Jusceln Kubtschek... mu hje pr va aérea lara Paraua, a fun (le nr ueurr. em cmpanha r Presnte Stressner. a pnte sóbre r Paraná, qne lsura aquele pas a Brasl. ) n a slenda nurarà da pnte, Pre nt lu Repúblca receben. ttul Dutr llnn Causa da Unversda (n rama. qu lhe f nu.r..d peln Cnselh Supern; Unverstár daquele MORREU J. CSCT aleeeu. na madruada lje. cmpstr. Casca J anmadr dc várs carnnas carcas. Seu sapa cment s verfca, pr ncdênca, às vésperas s un ll. Mun... a me sempre u êle sua pt rs n cntrbuçã. POSSE DO SR. MRL PEXOTO nts.. 27 U O Mnstr dn Yaeã. lnran c maral Pext, vera. sumr s,. pst n Trbunal rle Cntas.mes d da esperand estar d.sn paltblzad pr casã la Psse (n Sr. Jant Qua (n.s, DMNU N NFLÇÃO RGENTN llems HKS. 27 lupl H! Pela lereera sema cnsecutva n rentna dmnur mntante dnher em rreulnçà. ;a cmpensar as urans emssões,,. dnher Db. ultm, que alcançaram um recr NOVO LÍDER DO PSD lsh.. 27 <lll F lrl. ad para a lrança t!f;l. em substtuçã a Sr. sé Mana lkmm, Depu d Paul Pnher Uharas. ndcaçã f.u relln pela mrada mnera vend ser nlnunda, bje, as l RUS D GUNBR ENTULHDS DE LM E LXO e _ s 2! m a?., JS&m Pau.Tt ». P..:e Ket.«l rt..s K.saK.s ; nd.. pednd.nv.n < «S» sa,. d., a..;, a. >a:.u V.ar.s t a:< r..» s.n.pe< v...anca ume r.:r.. n«su:....r,.,. n... nu. \,n.n,»> jvuu dc :..»>! [»!.;.«] :«: : a> «pta La vau r»nv and..í.e ua nun...na admraçã a». acae d ran ; f.c:c >eus südan X X X Parda Carca Paru na Cnsttunte: Falta Relatr ll.lm N lv.m.,+rrrrrrrr.. >tü&; W v\swm%,!»wm Cnn elm a dc nutru \ ars pntn». Ua tu.ulr. n.l.nntr n. /.una Nr tf, traram aluul. cnrtw s< \f. tutu. lnru(l\al nrntc aunrnlw a lall,, «f.ta na Z.V, cuja ppul.,,. a m c ç. r«v ltarsf (l.k Ms Pls». l. 3 Festval d Samba: Multdões a Flu Mas dn cn:: as.stra a.(u..t!(. V % Destle rr Kslas d Sun: ha, tradcnal pr,\n íí. dr UH c COC COL Pr ; prmera e na ZS. n /) > //c d n 29 cn aru tar mlhares r prvxn /». a ; >.s(!(,. (. flntn r UU<.tàn prtar nhf!,«9 hras nr f...;.n nrrf..pnl rn rnnr l rí!.. rnr.) pela Fln cã Prmera r ;rrmnnd 6 cdtfl a fírfít dn /t a ntm /Outras... n ne Cnrnnval nn pactua sftt r srcund enrnn) GU UV COMERCÃROS JÂNO: BQNOFMÍL, FÉRS DE TRNT DS, SLÁRO FMÍL E REFORM GRÁR» W/»«#r~/«w/~«X V P V. s V : rrr. > U Gcntra le.ad tl...a.,.nelr a p.< BTEU MULHER COM FCD NO CORÇÃO.,.n. rnlus,...», h...a K«d» f,nuf«d t t» rnt«ltt num r»rtpj» \n jnnlh «l. ut lrt r d»< t r a n r n t tramnl 4«lnhírtfrt prm %uc r trn< nun prnd» tr f > nnrjtlrt f.tn» qnr rflt» r t uxrrpatua r f r\n uru nn f»n a d t uwa»rp.r.«fl HM,, mt><> d urte.rn. lhl.» 4n d». spth r«hf «n r \ tbmndu.! trtunl (»d»rnn

2 jreyçcvír PGN 2 SextaFera, 27 Janer 96 ULTM HOR GOVÈRH PORTUGUÊS NTSLZR SE jsmsbw cntecments Últma Hra EXCEDENTES: DECSÃO ESPERD J\ Pas?2 excentes d Clé Mltar d R Jane r vêm reafrma sua cnfança n Mnstr da Guerra, cuja csã n cas das matnculas naquele estabelecment lhes verá ser favrável, cm esperam, ps a cntam cm a bavnta ds Generas Castel Branc e Pedr Gerald lmelda. Enquant ss, prcuradres 77 excentes d nternat d Clé Pedr v prcurar avstarse, hje, cm Mnstr da Educaca, a fm exprlhe a stuaçã em que st encntram aqueles canddats a matrcula n estabelecmen VER CRUZ: REVST GERL EM SNTOS SÃO PL.. 27 tll \ exempl d que crreu n R meddas especas precauçã unam tmadas pula» nutrdas em tm d ransallnlc prtuuês era Cru?., hje n prt Sant», tend sd revstads mas ds ml vlumes baaem, a ser transprtada pura brd. O bjetv du prvdênca l evllar a mtrduçau armas n paquete cm se verfcu n Síma Mara. Enquant ss 5 passaers, que se stnam a Uha e utrs prts, tveam ser aljads em dverss htés santsta, a espera BH: CNSTELLTN DERRPOU N PST Cnqüenta e tres passaers e ses trpulantes que vaja vam ntem n Cnstellatn da Panar, prefx PPPÜC, vveram mments pânc quand aparelh susu na psa mlhada d erprt ca Pampulha, a aterrssar as.3 hras. O aparelh vnha d R para Brasíla cm escala em Bel Hrntc.. O cmandante Camar, mnstrand ranr hablda, cnseuu fazer um caval pau, freand avã ante: que este se prjetasse sbre absm, na cnseuu, entretant vtar que saísse da psta. Na huve vtmas pessas, lend sembarque sd fet cm aluma dfculda. Vajavam n avã, entre utrs, Jrnalsta Samul Wa. ner, DlretrPresnte ULTM HOR; Sr. lves Susa, Embaxadr d Basl na França; Sr. Manuel Ferrera Gul. máràes, Presnte da Panar d Brasl; Sr. Nelsn lves, dretr da revsta Manchete, Fernand Maqalhàes, Drrl Gullhn e Míram Cardm Maalhães. Os passaer que se dram pára Bratll fcaram relds em Bel Hrznte. FB nstauru nquért para apurar as causas d acnte, TRBLHDORES: MEMORL JQ SO PULO, 27 (UHl F aprvada, pels drentes sndcas há puc reunds, a nva reduçã d memral a ser entreue, pròxlmamente, a Presnte Janl Quadr», frand cdd que serã anexads a dcument estud» prmenmads em trn questões tas cm Justça d Trabalh. casa própra. Prevdênca Scal, ntervençã n abastecment dc êners almentícs, extensã das le» scas as trabalhadres d camp e dnamzarã r Mnstér d Trahalh. Tda» e»sa» questões íram tratadas em recente» cn ress». SEGURO DE CDENTES: FLH D LE SO PULO, (UH) Uma das rans falhas da Le Orânca Prevdênca Scal é terrível lpe dad na nsttuçã d sequr scal cntra acntes d trabalh claru presnte da Feraçã ds Empreads Htelelrs d Estad Sã Paul, Sr. Jsé ntôn Rber, que acrescentu ter havd, n cas, um retrcess na leslaçã que vsa a benefcar trabalhadr. Os fets ds nsttu ts salentu crrem da admnstraçã, especlalmente ds hmens nela nvestds, send a sluçã, prtant, fácl. BOLSS: ESTUDNTES VÃO PERDER NO Cem ml estudantes, em td Pas. estã na mnênca perr an letv, em lace d ná paament, pel Mnsler da Educaçã, da seundu cla da. blsa» estu cmplementares, cncedda» pela Prtara númer fl. O dretr d Ensn.Secundár. Sr. Gldás mad, espera, dante dss, bter d Mnstér da Fazenda a lberaçã da verba CrS mlhões para aquele fm. Dsse, pr»ua ve?, s llel Meneale. presnte d Funr Nacnal Ensn Medu, que a verba exstente se stna a paament re cnc ml blsstas, apenas. BRGDERO FR LhM: DLEM MÃE DE CSSK) NO STF: GRTDÃO OS MNSTROS BRSÍL, 26 <UH Esteve hje n Suprem Trbunal Feral D Cfclda Vnare, mãe d menr Cass Murl, qual, na «cpera hava btd uma csã favrável, nessa Crte D Caclda tera d aracer as Mnstrs a csã que permtu a seu flh xar a cndçã refuad, pssbltandlhe prsseument ds estuds LCERD: NENHUM REVNDCÇÃO LONDRES sua rla pura 27 (UP) Deps te sembarcar s passaers num prt neutr, Santa Mara cntnmla em frcn, tlllndse, ce acrd cm ns últmas nfrmações nqul recebdas, pura nla, n Caplã Henrque Gnlví preten nsttur, cm ap dc tna n.çã afrcana slmptltlca : causa da llburltçft lusu, Cvcrn Prllluè nlsal/.r.sta. brd d nav lus, anda seund us mesmas nfrnuções, lud cne cm absluta nrmalda, cntand Culvân cm nrnumcnl prevamente pstad em pnts esmente esperad, em seu stn, pr var lres das psck.s prtuuesas, que cm até a vtra cntra a dtadura d Sr. Olvera Sala/ar..«j m\s\\ss\m\\sssm\ í; v... s r>r y >. <. w..(esprtv tratélcs e send nss êle estã prnts a lutar v Psçã Exata SO JOÃO DE PKTO Klr. a up um Me a» n hra» ntem, transatlântc prtuítués Sanl a Muna»e mantnha em lnha reta, a 7 ynuf e mnutu nrte e eau» e 27 este, cm stn a terrtór. frcan le míla, lend sl tal nfrmaçã pretada pel Cmandante Charles!;nnc\ P Levantar a Áfrca LSBO, 27 UP UH) Nã esta fra ctações a pssblda d Santa Mara rumar para as Repúblcas afrlcanas Ghana u Gune. Tamem as auferda s p r t u u c sas que s rebels, nfltrandse na Gune, venham a prvcar, al, una rebelã. O Mnstr da Mdrrth, lmrante Q»nranllha Mer d rça Das, claru que arlrcv Òdf f r H:ds r». cflssars para clccar as undas fcb smj cmen em?d«nuêda pesã expectatva. Em bln.sro 27! d.nta Mra navea dreta mente para nln e nn en rar n nôrl l.nblt, em nf.f d l.wnv;!, c! é f> nrnrnó í d.vel terrtór. le Últm, há alj/llls en r ~ fí; é4 sj (H uerra nertu< f>s armada Sccranct ; psta aluma quant a pedd let, l mea nte, pel lnran ; te llen Snlth a Captã Calvã, para que perntasse em aj ííun prt d cntnente sulamercan, nfrmand lunar e tamp, a fm pssblll. tar que sejam reclhds s mn pasaelrs que leva a brd Faltam Vvcrcs SÃO JOÃO DE PORTO R CO, 27 (FPUhl O lmrante llen Jr Smlth, Cmandante, da Zna Operações d Ca be, acaba envar uma men ; tcqem a Captã Henrque Galva, a brd d Mara, j expressand lhe sua nquetaçã sbre a seurança ds passaelrs, e ndaça que dspsções tmu para que sejam sembarca ds mas a p d pssível, aquela autrda reslveu en var esta mensaem, após receber uma utra 5 nrteame, rrans, ds 42 que se encn tram n transatlântc prtunué», e na qual anuncavam um prncp racnament cmda e apua n nav sequestrad Es text da mensaem envada pel lmrante Smth; Fu centfcad sua ntenca sembarcar s passaelrs em prt neutr quant antes, mas, cnfess que estu nquet quant a seurança ds mesms, e anss para qu sembarque tenha luar mas breve pcssvel Quas sã seus plans para sembarcar s dts passaers? Mensaem Ds EU SO JOÃO DO PUTO Kl lll 27 FT lll Kl» le\ t du nensatem envada pul Cmandante llen Smlth, d O Dstrt Naval d Carbe a Cup. Galvã: slctams que M drja ; qualquer pet.. muca d Sul. à sua es llí, para sembarcar pas >, ;els, c qu n<»s nt(nu temp c lcalzaçã. Tralare m» dc cncertar cnferênca a nrd d Mara, cm ns slcta anques Relatam Seqüestr NOV ORQUE, 27 (FP \JH re ráddfu... CBS recebeu, às 2 2 h as d ntem, uma mensaflen d transatlântc seques Md, envada nr 5 passare tes nrleamerlcans, que caram que tud va bem a br mas rue a árua e s al ments cmeçaram a ser ra clr.atís mensaem captada dza textualmente: a meda quntafera, s 42 passaers nrteamercans a brd d Mara, se enrntram nerfeltamente bem O tratament dlsensnd p e atual Cmandante c satlsfatòl, dadas as crcunstâncas NcS tems cnhecment ds tn d nav. E aquad servç medc brd. O nav sau Curaçau sábad a nte : LSBO, 27 (.PH) O G rnadr nqc.), Sr. Slva. claru crtem ue se tnmvam tós íí; mras pss;vc;s rura a ínsa e seuranca dsfa pssfsà prtuauêa da Árlca, vst que nav Vara, apresad pr Henrque G a v ã, parece a p r xmarsí? seu terrtór. Em ma entrevsta telefônca cm Tar Pular, Tavares acentuu qu pv nla recebeu, cm mar dfsòst, a claraçã d chefe rebel ce que se dra para lá Cercad Pr Mar e ar SO JOÃO DE CO, 27 FP POKTO Kl Declaru Cmandante Chefe (le Naval d. S altura, anda nã recebda re Charle» nnarõch,.o. O Ralney, da Base CuUZ JÁ PRTU COM POLÍC DE SLZR BORDO Cm 34 nvs passaers a brd, nartu, ntem, para Sans, Vra Cru que permaneceu n R pr temp mar qur prevst a pretext cnsertar avara ns aparelhs ar cndcnad mas, na verda, para esperar s plcas que a PDE (Plca Plítca da dtadura salaarlsta) cheassem a R para acmpanhar transatlântc. Ontem, s nvs passaers d Vera Cruz chearam a R, pr va aérea e, assm, transatlântc pô seur sua vaem. Os 34 passalrs sã tds eles funcnárs da Embaxada u plcas da PDE, já que a cmpanha armadra, temend que cm Vera Cruz se repta sucess d Mara, recusu venr passaaens, nclusve, para jrnalstas prfsnas que pretendam realzar a cbertura da vpem. seu embarque, s nvs passaers que carreavam pesadas malas, cntend um pequen arsenal, tmavam em suas attus, um ancdótc ar mstér. L JUZ D 23a. JUNT NTERPf CUSDORES: FRUDE ELETORL SO PULO, 27 UH O Secretár da Vaçá, Brar Fara Lma, vera respnr, ate mel da hje, a Gvernadr Carvalh Pnt se aceta u nâ a ndcaçã d seu nme para cncrrer, cm canddat d ltuacnlsm, a sucessã d Sr, dhemar Barrs. Cas nã acete, terá xar car, ss anda sem saber se será u nà cnvcad, pr sua vez, pel Presnte Jân Quadrs para clabrar n Gvern Feral. ms d brar drramlhe apel n sentd que nã se canddate ã Prefetura paulstana. FUHCONÁLSMO: ÀPÉO O GOVERNDOR O presnte d Centr Benefcente Perera Pass», Sr. lzír nne. pedu, em telecrama, ap d Gvernadr Carls Lacerda para a campanha que a entda vem prmvend em favr ds barnabés carcas que. embra sejam mas 8 m!, anda percehem vencments nferres a atual salármtnm, estabelecd em CrS 9.6,. P?, Sr nkne que n funcnalsm espera encntre Sr. Carls p Lacerda uma sluçã para prblema, crrnd, sse md. njustça que sfrem aqueles servdres d nnv Estad da Guanabara. MNS GERS D 3 N GUNBR BRSÍL, 26 UH Mnas Geras verá entrar na y barra d Estad da Guanabara as hras d próxm da 3, vend, na pnta d ttactara, lançar tres helcópters, em hmenaem a esquadra que estará em fla para recebel stt prrama, cntud, prá sfrer mdfcações pr parte d EstadMar da rmada, que vd a fat estarem p em Brasíla, naquele da, s almrantes, prá termnar a cmand d prtaavões que permaneça ds das em Cab CRME DE TERESPLÍS: PRNCPS SUSPETOS O d«leead Plca Teresóps, Sr Wlsn Ferec, efetuu, já. cerca 4 tenções relacnadas cm assassí m da alemã Gsele Neuhf, tend uvd, a mesm temp, mas pessas. O crme cntnua, entretant, envlt em mstér, prsseund as dlêncas cm bjetv dc eluc dál. Os prncpas suspet», para as autrdas, sã jar dnetr Luís Gumarães Rabath e excznher d Cunlr. Club da cda serrana, um ndvídu nacnalda fran cêsa, que se acha saparecd. Ouvd, n Hsptal Pe trópls, jardner neu a autra d trucdament dc lbuquerque. t Juz (ra te da 2. Junl; talha judcára tan dvuland trau eletral uln Mendnça Mrera, presn puradra, ncu, ntem, bacntra tdas as pessa» que esntícas sbre crrêncas na sua Junla De nc, mastrad nterpelu Vertadr ntôn Das Lpes, pr entrevsta cncedda a Jrnal d Brasl e s jrnalsta» M. Pau Flh e Luz lbert Baha, respectvamente. DretrPresnte e RedatrChefe d Crret da Manhã nuncu, anda, a que mu prcessar repórter d Jrnal r Brasl,.lse Gnçalves Fntes, bem cm Deputad Hu lams Flh Ouvd pela rupurlaü,..juz Mendnça Mrera dsse que a campanha cntra ele é njusta, ps a frau, se huve, na crreu na T Junta puradra, mas n Trbunal Keünal Eletral, cm a abertura duas das 53 nna», pel Secretar daquele Trbunal, Sr. Ev Santr. sseveru que Sr. Santr, após sncumbrse daquela tarefa, anuncu que a vlaçã certas urna» nã cncda cm a rcs Lrada ns mapas, apuraçã fcal. Tdava, nterpelad sóbre assunt pel Presnte d TlK. a pedd d Juz Mendnça Mrera, dcclaru que se dclenra ns nuls d prcess. u Prult preensv: Estu Jurad Mrte O lead Denzar Crrêa Pnher asseuru, ntem, a reprtaem UH, que a vda Prult esta pr um f, acrescentand que, ns ultms das, a luta pel dmín ds pnts d ó bch aumentu seramente. Tan MULHER SSSSND COM UM FCD NO CORÇÃO O lír d Gvern na ssembléa Cnsttunte. Sr. maral Net, claru que Sr. Carls Lacerda nenhuma revndca cã tem a fazer a Presnte Jân Quadr», s que nc nhum utr vernadr seja benefcad cm psts que ve nham a xar a Guanabara cm stuaçã nferrda Cn sra Sr. maral Net sttuída fundament a ntca re que Chefe d Execulh carca /ra a Sã Paul cm bjetv revndcar Mnstér da Fazenda para Sr. Ce mente Maran. para que cntara cm ap d seu clea da Baha. Sss««ís«SS«l«S«ssí Cm prfunda facada n peít, Luza Gnçalves da Slva (sltera, 35 ans, Rua raprama, 255, Jacarepauáí, f aatda, cerca das 22,3 hras ntem, na esquna da Rua Marquês Jacarepauá cm Cvs Bevllaua, em Jacarepauá. nda cm vda, f a vítma encntrada, mnuts após crmes, pr Walter Cascard, resnte n númer 259 da pr. mera das ruas ctadas, que a uvr s rts scrr da mulher, acrreu a lcal. () cmsan Madalena, d 27 DP, cheu, em puc, a cnclusã que a mulher fra assassnada pel amásn, quem estava separada há três das. O mnu ntem Tã pr fazer, na nte r Edtra ULTM HOR S/ «lttr ct Rí, 62 T»l«fn 3438 R dt Jantr» DrUrPrcsdcnU SMUEL WNEB Dretr VcePresdnte;, Y. Bcayuva Cunha DretrSuperntennte: Nrval Lma Dr PrTesure r Nathanael d. z.ved UUftUlrnftfl RÍ R< Sl.r d R.íl. 67 T.l.ln. 43 DrelrRtspnsavel. PauJ Slvera Publcda Ru Senadr Danta snd Trlffn 52Tl7f Urms Hr Dttrt Ftnl (Flra.sla), Quadra f casa 4f. cnjunts da Cana Ecüòm<n Tel. 25W, 24, 2l«l>5 Ultma Hra Mna: Rua Carljs. 4B. TH. 252 Bel Hrunte Ullm» Hra E. d R: R. Vse R. Branc. 33, Tll.2764< Nteró U&MUlmfUl S. PallO v.nd. da Lm.»4 T.l.ln. J«5l DreLMeraJ; Js/nar Mrera Ultma Hra Sant: Kua Vascncels Tavares. 4 Telefne 2 7R74 Ultma Hra Campru: Rua Utnamm Cmlant..Ü38 Tel. 7M Ultma Hra Paraná: Vl da Pátra, 4<3, Tel. 47C», 47D76 Curtba UfMtattca P. lere r«. d. s.t.mbr,,?:. _ t.l sbm EDTOR FLN 5 DuctrPre»rJente: SMUEL WNER Dretres Ntu Remert e Jrte M.randj Jrdã Pret d exemplar CrS 5. acusad, Jre Raps, é traventr d j d bch, send também cnhecd pel vul S dr Zuca. Lulza hava, após a separaçã, prcurad a casa uma amj?a. resnte na Estrada r Querenue. 24. n fcara hsp dada. Zuca. tentand a recnclaçà, fra na nte quartafeí últma, an seu encntr e vend frustrad seu ntent na presença dversas pessas da caa. ameaçara dar fm a. < da ra excmpanhera que t r meraransc me, as autrdas d 27. slctaram cncurs da lecaca Seurança Pessal, que está n encalç f cntraventr hmcda. Marcads Pela Desraça D. Carllnda Slva Maced, mãe da mulher assassnada, tem seu stn marcad pela sraça. Três seus flhs encntraram a mrte em rrlos crmnsas. E, pr trste cín. cdénca, tds frram assassnads n més janer. O prmer, Ezequel Maced, f mrt, a trs, em 95, pr um cn uarda muncpal que atrn cr. Dp j cncret Depel vul Jã Guarda Ses ans «pós, sua flha, Matll. era, tambóm, assassnada pe amante, Epamnndís Peretra Teles. Certera facada n craçã rubulhe a vda. O crmns, rd pel remrs, n da seunte a crme, sucdu»e, esturand s mls cm um tr. ra, quatr ans após, anda n més fatídc pa ra D. Carlnda, também cm uma facada n pet, Luza sua utra flha, e assassnada pel amanl?. t assm, que nvs hmcíds sa auardads. frma a autrda que Prult, também cnhecd cm Bca Our, está jurad mrte pr uma turma cntraventres e blchers ra já. Quera Ser Pres puru repórter que. ntem, acmpanhad seu advad.már Fuered que lambem e patrn ernadnlu), Tlôca re Our cmpareceu à Deleaca Vlânca e Capturas, dzend que quera ser pres: Dutr, mnha vda.urre per. Em cana, eu.ne snt arantd. Cm nada anda cnstava dc ntra éle na Deleaca re Vlânca. Prult ná l pres. s autrdas mandaamn para csa. E. apreen sv, He d.ô d Bch entru n seu autmóvel, snparecend em sentra. Prult também cnhecd cm Bca Our é Re d J Bch. Sempre f temd na Zna Nrte. Ms ara está apreensv, ps sabe que prá ser assas. snad a qualquer mment. Está escndd em sua casa Cpacabana, prted pr várs hmens armads. COLÔMB USENTE DO MERCDO DE CFÉ le l feverer a llóm ba estará lr; d mercad café, para facltar a cmerca lznçãn ds prdut suaves d Méxc e Salvadc r. mesm acntecend cm a í ua ema a, tend sd assunt brtd na Cnvençã Bca Raln. c mudu rum mut ced, n dmn. Tds s passael rs fram nfrmads d que pt dc stn á nã sera nnls Mlanl seurança d ds estava arantda Scuv d., fera, pela manha, nave \ c< embarcu s ntes numa lhr das ntllhas, nã nllf cada cmda a acua eslac racnadas, mas sã frnecda em quantda anda r.rávc Os passaers acetaram bm a stuaçã mensaem vava nme 5 passaers nrteamercans Nã Sã Pratas NOV OíQUE, 27 llp lll sscaçã Prtu ueses Demcrata» emtu mu cmuncad para refutar a p e a pratara atrbuída as captures, d mnsatlànuc Hantn Mn.!. frma que epsód é un at plítc (lr..r cntra (nvern re Sa a/ar, e manfesta a esperança d que nenhum país nterfra n assunt exclusvamente lustan, ps cntrár mprtará numa ajuda, anda que nvluntára, au reme que p une Prtual ha 3 ans. r>cl dn Delad SÃO PULO, 27 (UH) O General Humbert Delad pedlu, cm clea, a Preslnte ds Estads Unds, Sr. Jhn Kennedy, se» cancelada a vlânca em trn d Mara, tend em vsta que tal prvdênca stról neccssãrl sered ds mvlments d nav. O apartament d General vem send uardad, durante td temp, pela Plca. Camnh d Recfe OKTO ESPNH, 27 UP._ eu. _ Cmandante d enlralrpere nrtenmercan Rberl.. Wlsn manlesl a pnã que Sanla.Mara ruma, n mment, para Recfe. vões ds EU fram, dante dss, transferds para llelem. Psçã d tamarat Enquant ss, tamarat, que nra a presença a brd d brc prtuuês ds estudantes braslers, estara tenclnand pedr a General Oclnad rue se mantenha afãstad atvdas plítca», ennunnt estver r e sldnd n Brnçll. O Mnstr Hrác Láfer, ntem chead, nes perndamente, Brasíla, ná qus cnfrmar u smentr tal próslt, dzend, apenas, aue est. send estudada a psblda da vnda d Mara para nss Pas. N R, Captã Quera O Captã Fernand Quera, chefe d Levante da Mallada em 956, cheu, ntem, a Re prcente ca Eurpa, prme tend dar, n próxm d uma entrevsta cletva prensa sbre a nda na Espanha Séra Maalàes Opna HÍS.. 27 lll u S Sér Maalhães, Vccresnte ra Câmara ds Deputads, dsse hje á reprtaem U que classfcava a attur Captã Galvã. lnand nrmenle ransal lántc San a Mara, cm mas uma nnslraeã dn falta cndções nternas para Sr. Olvera Salazar manter reme dlatral em Prtual. Se ná há cndções nternas, acrescentu, nã vej cm dtadr prtuuês prá encntrar reeeptvra n exterr para tmar meddas represála cntra s revlucnárs. Frsu, anda, que sesper Galvã e seus cmpanhers se<jücstrarem Sanla Mara em at mar, revela estad esplrt e a dspsçã d pv lus em travar a luta csva pe a lbertaçã da dtadura salazarsta. GGNTE DS DECSÕES RESSURGU NO URUGU MONTEVDÉU, 26 (De Gerald Escbar e Demócrt Be. zrra, exclusv para UH entleza da Panar d Brasl) _ N ambente fcstns, quand s jadres exultavam pel. cnqusta d títul, sentase a vlta d verdar FUmnnn ante das csões. Lármas fnam esprt luta dn prfssnas brss, vbrantes cm a memrável façanha. Macr, Jrdan, Santana, abraçavamse e chraram, numa alerla cntalante, em que as lármas traduzam a emçã c cntentament que s dmnavam. TRNQÜLDDE Calm, srrnd, atennd a tuus da mprensa braslera < uruuaa, Slch. teru rubrner fala\ d tud, respnda a tud, luas m prvava cmentar l anulad (ernulanenlel pe árbtr. Cumprmentu Mu V fland para éle cm ar ürvténra e anfleclncnt. Ehtlvu a lad re <nrh.s. Eram ds, ds quatr laltss. Vr.se para Marr, relerndse a Carlnhs, que cntnuava cabeça ba Xl c d.she: Vencems hje, prque tvems eelrmer. UatOU nas cstas Calnhs. TÁTC PR BOL DE BF Cmentams recu d lme d Flamen e cnbldcrams que era ntutv. Era a fesa pela vtra que valera ttul. Slch cncrdu cm parte, e explcu mas: O Flamen recuu prpstadament. Tnha que se fenr ds métds apavrads d adversár. nda nà exste uma tátca própra pura as fesa, nas blas atas, lyadas aftamente. O tme d Cerr pareceu dmnar td seund temp, mas f a chave d sesper. s b as eram atradas sóbre a área e na hava muls trava.as n mel camp. Da frmarse um bl fensv para ev. tar a sesperada reaçã,dversara. Tant assm que, mesm parecend dmnar, Cerr nã u muts chuls a l. O Flamen chutu rllfs. REÇÃO DO CORONEL Causaram m mpressã. le?cutm baxs qu O.represnte d Cerr, nuulln. d pel captã d tme. lann. tentu aplcar, l an vestár d Flamen, anmund que Dra, suspens hava Jad. Cnsrava Manelznh cm se tsse Dda. Quera ver Dda. e pedu d. eunenls d mea rubrnern. O Crnel Henrque Mura, numa attu enérca e vu lenta, mut acertada, revlluse. e dsse: Os senhres estã send nlcars cm Klamcn. Kstl duvdand nssa lnesllrare. Ná permt qm Dra mstre dcument anum. ss é revltante c acnts. Deps, Maelzl l a presença r juz, enquant u ca plã d lme, Dalma. autr d lpe bax, lcu (ene punnd, quand árbtr alrmu que aquele era Ma.nelznh que entrara em can.. p c nã Dda. MÉRC VOLTOU VENCER MNZLES Clômba. 27 UP H.lanch, venceu ntem, a nte, \% mcm. pr a?. c manteve seu títul clmban. ( quadr arentn abru nuls re j, cm um pnt Sra. aus 5 v marcu utr a«s 7, Cal t d mérca e Nl, seund marcad pr Cl, na etapa fnal. LH f) merca, d Huraeun, Buen re nvct em camp a cntaem as 2 m Quarentnha empat /ans bteve 3. pm pnt d Huracan h RGENTNOS PRETENDEM BRSLEROS BUENOS RES, 27 (UP UH) Várs clubes arentns pretenm a cntrataçs jadres braslers que sstacaram nesta captal. ssm, Sa Lrem lmar quer mea Dn, d Sa Paul, mas Bca Júnr, que ja cn tratu Maurnh d Flumnense, va mandar Fela a Sã Paul para tentar a aqusçã d mesm jadr, nd a R busc.u Orland, d Vasc. O Club npendlentc seja cnqustar B,v talha, pnter dret d Crntans e llanla va ncar 9 tes para bter mea Jaqum, lambem crlntlan. l d m Na reunã nturna ntem à nte n Hpódrm Gávea fram realzads t parcs, que tveram s seunte resultads: M. ( Ml l eln,.. rllllln nne,. lanl l.r 7... lunl: r.s (7 MU r.mu. f. lar!. tl Vrn 2.. Temp :!).). SK(.l M PRKO. Dldnhu,. Klrardu Z. Mnrt,.. lalcn Vencedr Cll 2,. Dupla,. Placês: c) 3MM ( Tmp: St. f.lt(.. l l:..mslr.m,. Maa!. TltántM, J. (untnnlha Vencedr ),. Dupla 3,. Mars: (), r ( Temp: u;. (lurto lm(l.(l Slcn,.. Marchant Helsvcrl,. ms ) 2,. Dupla CH ::>, r (,. N TO Crna. K. rr.las (» lll.ofl. Dupla,: (:; :!.( e () (l!l 2,. lll 5,., lcn,. card Vencedr ( 5,, Pne» Temp: (. «\,..?.. Tuupt \enred.s. rm Temp: K;. SKXTO PRKO lará... Sants :;. CurM, S. Kcrreíra t. (nrdu,.. Tltncu Vencedr (7 «7.. Dupla tlt.oo. las: 7) 32.. (2 2. (t.t.m. TemjK: 77. MTM KKt) tflfl.. ( annla llllfnl lll.. Mala.,. Xelr... lams Vencedr (ã) lk.llll. Dupla llll, racrs: (a) 22.(. fl Temp: 7. OTVO MU (lual.sca, (. lmeda 2. Fmetln,.. Sant.s Vencedra Cl 2.(. Dupl (.. lars: Cl) K. r l. Temp:!)«.,<ss\\s\m\\s«\\s»>\\\»>s úuaawhara pós as Chuvas: Lama e Lx flas Ruas aua, ppulaçã carca sfreu, ntem, nv drama, causad pelas enchentes em várs lradurs públcs. luns mnutes apenas chuva cpsa e as ruas fcaram alaadas, ntranstáves, ferecend um panrama prmente, e aíé vernhs, em face das perações lmpeza anunca das pel vernadr. Pr utr lad, cm medda urente para cmbaler as enchentes, Departament d«lmpeza Urbana clcu aluns perárs n servç sbstruçã ests e aleras pluvôs ssm é que, vstand s barrs da Zna Nrte (s rnals tínds), nssa reprtaem pô ver as ruas atnndas pelas enchentes, em cada uma das quas apenas um hmem se achava empenhad em sentupr rals, ests, etc, num trabalh pens e abslutamente nútl Nana rua re Vla sabel servram re let, s a prmeras hras ra manha dc ntem, a un caudal dt anuas lanae ntas. que lu ::ava a nvadr as resdêncas. Uma das mas atndas l a tua l. Zlmra. n um únc trabalhadr d PLU csí.. empnhd, até as últmas hras ra tar, em remver u entulh frmad Y>lhas e lx acumulads durante várs meses n ner ds hu«evs. Os m. adres, pr sua ve/. ná tveram scans durante td da. prcurand fenrcr nas resdêncas ra nva.sâ das anuas e da lama PRDDE ESTDUL PROU N CONSTTUNTE: FLT RELTOR O prjet d putad Valmar Vana, estabelecend a parda vencments entre s servdres d Estad da Gua. nabara e d Servç Públc Cvl da Unã, cntnua percrrend a Gran Cmssã da ssembléa, passand mã em mã sem que apareça um putad dspst a relatál. O drama d pret à prcura um relatr, enquant dverte mutas pessas, está xand tm pânc putad Te. mstcles Cavalcant, presnte da Gran Cmssã. O prblema nã encntra sluçã leal, em face das dúvdas susctadas cm a aprvaçã d t Cnsttuctnal, que avcu para a ssembléa Cnsttunte plens pres leslatvs. Cm acnteceu n cas ds íunc na H íeve feras, a cncessã da medda partr d Pr Kxecutv hantc, prem, rs plens pres ra (nt tunte. putad Valmar Vana apre sentu prjet, ja que t Cn.st tucnal se antecpara em recnhecer cmpetênca a ssembléa para tmar a ncatva e dscutr a parda. De mc, sr, Temíslcles Cavalcant, presnte da (ran Cmssã, nsuru se cntra prjet, mas vend nss ameaça as plens pres e a própra ne U cá d t Cnsttucnal prc«j rente da ssembléa putad.p (,c lh cnvenceu d cntrár Desse m. d, prjet f encamnhad a Cms á Especal, lend sr. Temutcles snad para relatál sr Frta uar, que tm cseuu me recnhecer a lealda d prjet e vlveu a (an Cmssã para que elea se pr nunce quant a cnst lu cnal da. ssm refrnla.se sr. Temstcle.s Cavalcant cm prblema mas ser: encntrar um relatr K. enquant ss, as medulas prtela trtas vã se suceud O sr. Valmar Vana reclama O sr. Temísteles prmete Mas a stuaçã cn tnua estacnara. Entrementes, pessmsta, sr. Jre Gerald, presnte d Clube Muncpal. dsse a UH que va envar relatór a Gvernadr Carls Lacerda, expnd prblema, mstrand, nclusve, que ha servdres que percebem salár nferr a salár mínm, Outras rua. prncpalmente a que eam stuadas em enes as clnas e mrrs, fcamm transfrmadas em rs. Também s lrds e as rssas quantdas re lerra e barr scdas ds mrrs, empletaram quadr, transtrmand Vla sabel numa Sapucaa. Na Rua Lepld Bulhões, uma das prnclas vas acess a subúrb Bnsucess, as áuas subram a mas metr. Smente s veículs mas alts cnseuram atravessar mar áqua barrenta que al frmu. s cranças dc uma favela das prxmdas aprvetaram para clcar barqunhs pap?l e tmar banhs mar, cm rave rsc para a própra saú. O mesm pums cnstatr, anda, em Catumb, R Cmprld, tapalpe, taplru, Estad, Praça da Banra e Sã Crlstvá. Em Catumb e Sã Crs tvã, prncpalmente, vamse rans áreas ntranstáves, en quant s mradres lcas tnham que se precaver para frnr s móves e utensíls suas resdêncas, ameaçadas dc nutlzarse cm as áuas. mas na va durar mut» m verá vltar nas punahras, seund ns nfmarac ps s últms das quentes y.<> lem ser cnsrads apenas t m uma amslra, uma vez q verã fat anda n;n» (,; u a lü. CtUml a queda lenpcau ra prprcnada pela ma a fra que causu as chna dc nntetn e csa breve. Dep ~ l nnelrs tenra a >ub vend atnr acerca eaus s temperaturas elevulars próxms das verã,m enlrecurtndas pr fles aua! cers, que se sucerã ale enlrada d utn. Bletm Meterlóc E sequnte bletm meterlc dstrbuíd, ntem, H Mnltér da rcultura: tem p nstável cm chuvas n P rd. Temperatura em cl Vents d quadrante Sul. nrads. Temperatura n..u crrda: 26 8 (Banu); mnlmv 2.6 (Santa Teresa). Tendênca d temp para he: chuvs. Verã Va Chear Knl rementes mantfesandse sóbre as últmas chuvas que se abateram sóbre a cda, Servç Meterla nftn mu, ntem, rpe pr anda l para r K. prque, apò. altruns das tte calr ntens, a, chuvas checaram re repente. MSSÕES PSSM EMBXDS Fram elevadas à cale na re Embaxadas» Ms ses dplmátcas d llnsl l la, em Teerã e Bra sla esecl\ ancute.

3 Zy.. /jítsm tmwmfímmmm, tmmmmmmsm ULTM HOR SextaFera, 27 Janer 96 PGN 3 Crse Áua üevlta Pv da Zna COLUN SÉQUTO DOf SNT MR ds mane nbrtrs d 7. DD manbram tal lrma que Bnança n Ota» ams OS s nas ruas seus ha áua cm abundânca, esta a acusaçã d zenas dc mradrees na Rua pjuca, na Pe Pr ulu lad rena nha, na tar dc ntem, dante da reprtaem UH, as fun nlrmu u Sr n>. aldu clnárlj d 7. Dstrt rc Áuas (Rua ndré Pnt, 33) encar Sr. Glauc Juandn l.tt na a bnança n 8. l\) secund n». nlc. assessr ( ene.he.rcheíe l.lrc utras ctas, (l/ ele: rmmmímm arte ESSE RO FLTO l SrÊís kwlmw \ reads dc manpular s restrs que se acham lcalzads Nss slrt, que abrane» subúrbs dc Peda, Qunesquna cada rua.. lm., t.ascadu a. Maduren Osvald Cruz, Enenher l.eal. Ca Entre muts utrs, uvms as reclam.ces ds seuntes valeante, Thnaz Celh e Jacarepaíua. esta frnecend asua PCLM Cpltâ Henrque Galvò, m mensaem drda, mradres: D. méla Perera dc Suza e seu esps, ntôn cm rríílandad absluta, p sms abastecds pr manan R brd d Mara, as qverns td mund, Martns Suza, estabelecds cm uma venda n numeru 35; cas lca?, crn,» Camcm. H (Jran. Pau da Fme.. Cdõ é Sapurõa Prque cnhecment da sua cndçã dc belqcr.nte e dret D. rmnda Gnçalves e seu mard, ntôn Gnçalve numetr.nta ans calr cnmru amar nssa, reservas. pat mu f Onaru; alem tberà das La «es e (;uandu S r j nbarcar rm prt neutr s passaners que barc trans r 68); Sr. Henrque da Slva Lpes, que res ha emnêncas ta nda que certas jurídcas pr ccdénpr na lcalda ln. 36; Sr. Sebastã ntôn da Slva, sua es DLU é um Núcle Elelcrêl memas que sempre pnam em lavr Salazar a,.., D. Caclda Bad da Slva, e s flhs, Gabrel, Glmar, pr tamar, Ubrajara e Rsalva ín. 52.funds); D. méla Rcha c t tud u dc nada) tant se esfrcem para cncetuar est d brav revlucnár cm at seu mard, Sr. Nelsn Matts Rcha (n. 52); D. Ruth d NMcment raúj; rmand Jsé Vaz e Jã Lurenç da Slva pratara, a pl j públca das nações lvres cmpreen que drama d (trabalhadres da bra que está send cnstru.da n n JJíl, Lrança! Sandra aeaça maral r: \j r U rr, O [ < na! ruas a cda subp msquts! prblema d t/ ds mr tu rs m õ a terr na terá ced uma rlura fntva prque uma cms.a dretres d OLJ. Superntendênca Transprtes e assessres d Gvernadr cheu a cnclusã que na cmpra 7 Mara reflete apenas um epsód nn lnqa c hstórca Jsé Rdrues da Csta (n. 32); c Cels Pnt n. UU luta plítca em que se empenha pv prtuuês para rcr uma dtadura sanunára. Nada, ps, relfrnecem pratara, Fram unanmes cm afrmar suas suspetas quant em que a Cmssã Cnsttucnal termna a f O mment pr tratres TD 4, 3 pranchas «3 ml, ca/als mecâncs e mas, dac ds ds manbrers, s quas frsaram r Nc, seus trabalh. < eladraca d antepr,. mn4 fas»; n aluuel 7<fí camnhões cleta esta a saída para a cná se da lmpeja urbana carca. «nlcs, at lfltlmamente plítc, pratcad pr prtuquèses, a \ áua cm reularda, medante prpnas, que v..nam <r> d? Cartrf Macj, l.dcr maral Nc. prcura crnar a Ma brd dc um nav prtuuês c vsand exclusvamente ntcesse públc prtuuês. s esquadras ds países cnvcads a m _ queles que se recusam a efetuar paament aa t. ra man«, «> assequrar sua psçã na mesma lrança, a r l taxa leal u ameaçam nuncar a cbrança d bulc.> Cntud, se e verdar fat ue esquema ja aprí? vad pel Sr, Carls Laceraa prá asseurar lucrs tabul : d as mas (ustas scnfanças em trn da d.. qual ta va ser vern lustan para nterceptar e apresar Mara, estas, sm, estaram pratcand um at mprensa, tem sua áua crtada u sensvelmente dmnuída psçã d a ( n d Sr Crls Lacerda dc pratara cm csseramns N. padtc í menr duvda n s? da própra Mara ss para rup que transacna cm atuuel camnhões e 2 tmar s, dsvaradament, cdssem atenr as apels d strycrs, Reclamar Nã danta ss pr»um. t umerss seus eprsentantes camnhões aluads a 2. cruers, pr unda, dáramcntv e para a cm,,. cmpras tía ntóra Supertnten qu a stuí % dtadr. Pm s fraatas e submarns, atómp Reveluns Sr, p, da Slva Lpes, ma. ant ça d S rr Mel, n cman drs hstes vernstas, d, nc.» Transprtes ja f stacada a verba dc l? mlhões cs u cnvencnas, navqand sb pavlhões nrteamercan, mradr da Kua pjuca >r l.lü, c lambem que se mstras» íu r ad..l atual qvernvtdr d mment em que man, cnsanad pela le San Taq Dantas, fr lès, hlandês u cananse, sequr a trlha aberta ns mares mas revltad, dssens ( ja eleu a pensar em reunr utrs dat d cnr para s tratres e cavals mecâncs também na e mens ver dar fat ue lx cntnuara acumular nas rua\ pp Mara: serã apenas crte, a esclta dc hnra mradres, e, tds junts, plcarms uma ba surra ns ds.edund a qu. rn Cnsttunte % da cda. que acmpanhará até prt neutr esclhd pr Galvã manbrers snests Dsse.. nã cncretzu que s plan barc que se transfrmu n símbl cmvente da revluçã ( m rece que cm represála, ala, fsse crtad, pr um u ds l(l \lls\ le «l que >, a lurlul. erpnfeanl n cnvém a avern n tert da t cnsaqre as mdfcações que % PROBLEM DE PESSOL mcrátca prtuuesa. d. ua para a Rua pjuca. Jrsu ícs, abastecment fales fr; Sr népca d encenherchefe d Henrque Lpes lllle se (a ( mssã ( n < ucfía. Ccnsttuçã, Ontem, Sr. ma S f /füfu; h (W rera que, a se acha a Penha. Sr. Pnh l.anllerl, n< 7. DD. sb cuja OS Serre d( íívcrn. jursd para cmadca ; uma que lutara para aue seam alte! X O < nbler.a ná,. ccüp repn>.;» ral Nt antecpu a mprensa d. ma, n.a na qu e?j üax.. K e.ssa palavra vnda brd d Mara cresce assnaturas tds s mradres para reslveu arrementar as lelamenl rada vull e mpõese a autrda d Captã Henrque Galvã. an (lvernadr Carls Lacerda fun nwar um abaxassnad plta qual len d.ua rwnentr al». e d ncps, mandat d qvernadr, re.róe r. cm racs, dspstvs sbre Mu prm tllítuí n fjel.a re l:\ fn 2 Nã sms pratas e sm patrtas e adversárs tôda e sluçã qual ( para que s encntr uma prblema. l/.ada m (mr frma dc (nvern ttaltár, reafrma cmandante reylucnár. Manbrers pnt d :; r qu< í\l mã numer ds puads a t ssemblea Leqsatva. d>e aces (, lud rle pcs a re etcs Nã Têm Culpa cm» a querer se anda fra necessár arrnncr a rrara máscara alvelada pr Salazar para cn Centfcad das acusações as manbrers, em partcular, e artcula.,, d, reler,d Se rela pr fe.re O fal a tds s funcnárs, em eral, d 7. DD. claruns rs <íí nd d vernadr. ck s.t macstert muncpal apenas pelas aunas das esclas pu < pacaba. u (juatn, l\eras fundr e ludbrar a pnã nternacnal. K pe smente que mund lhe recnheça a cndçã belírànca Sr. Jaqum da Slva, um ds assessres d enenhe.rchele daquele Dstrt Áuas. cndd atras da ( n a s COM, fe ( pa a nana cpacda Mm.í Oe tra Sr. mara! Nel. Npss bücas, cara vceqvernadr trvdreattu cabível perfetamente em lace se tratar mvment pltc revlucnár (pe se senvlve ntr ds estrts lm Os manbrers na tem a menr parcela culpa na m cnsrae alem utrs artes mens mprantçs ClfJíl. j turcrat c <,nt,a Ce lx f:ste falta dc áua casnal nunca superr a quatr u cnc lads r cass n Dcp les da sberana prtuuesa. das, e nã 5 a 2, cm dsseram s mradres na Rua p nn.lr,.. Mecn da espreta ds sfrcs d Sr.erve par que utr jucá Tampuc cabe aluma culpa as mas funcnárs Na m Nne, en #mar?l Net permance atenta a fabrcams a áua ela ns c frnecda pr varas represas nmara ds cass, a t em lír (. pre trm receh:d suces;vc blhete í ra n ru un transfrna: D lutada Ç.andra Cavalcant, que p.,;,u:a. Mara sa a sua rla tranqül c rulhs elusve Rberã das Laes e Guandu. Na QUE e cert que está escrevend uma pána emcnante na áua falta em vrtu da escassez pressã, ps a cada rua cara, quc ra nhs d Gvernadr Carls Lacerda e que, assm, va ererc r.ruí da p hstóra da lbertaçã Prtuqal. O pv brasler sldarzase cm Captã Henrque Galvã c seus cmbatentes. O que acusar s manbrers, ps eles apenas se lmtam a cumprr é stnada uma quta fxa. Cnsr uma tremenda njustça nã. ; t?nd, ja, manej da lxera.s, t Ú Últma Tentatva snfca r que, nessa cnjuntura, sldarzase cm pró rns, recebdas d enenherchefe u qualquer seus auxllares drets. «,»arr,«t tula lr, send cert qu», na p Cm ultma tentatva para salwar a lrança, Sr. maral ral Net. aquela representante da CBOS ELETORS & SUJER hetese fac«ss d Sr. ma prtuquês, prmd pr um qvèrn dc trans que, pr pv las, tas acusações nã me surpreenm, ps l»_«_q_s_; felzmente, cmeçu a rlar pel spenhar. cert md, acstumads a uvlas crda rebenta sempre Net p.ssu a senvlver ntensa atvda, para que plena lír da Mara. me pe.s cans eletí cnsttuntes que UDN será frçsamente nv O prblema d lxe esta ualmente.nculü «c dm «r/ecoc r lad mls rac f f cò semelhante s apa vern Carls Lacerda tn, «SSSSSÍSÍsSMS à Gvernstas.Cntra Prjet bre Vaas Nas Esclas _ CB dc fcar caracterzad snteresse d Gvern /» pela s. te cnqüenta ml cranças em da esclar _ claru, ntem, da trbuna, Sr Saldanha Celh, lr d PTB, quand f rejetad, pels membrs da Mara, requerlment da sua autra, cnvcand sessã nturna para aprvaçã d prjet que altera rdíz dc flqa das prfessras e que assm cra cnqüenta ml nvas vaas nas esclas prmaras fcas da Guanabara CONSTTUNTE VERSUS VETO? ESCOLS n maral Nel. lr dn tvernn. cndcnu a aprraçã dn prjet, que benefra cnqüenta ml esclares, à aprvaçã, pela Opsçã, d prnjul que rcfula a trantaea ds vels apsts pel (lvernadr. nclusve ds vels as prjets runds da Câmara ds Vereadres. Pr na recnhecer a valdam d t Cnsttucnal n, que autrza a aprecaçã daqueles vets, mas que anda esla send aprecad pel Suprem Trbunal, a Opsçã se recusa a aprecar, ale que aquele órã máxm ra Justca se prnunce, qualquer matéra leuslaçà rdnúra. cresce que c prpóst dn Opsçã apresentar uma emenda a t Cnsttucnal, qurum fcand re aprvaç. u rejeçã ds vets em mara absluta, st v. U vts, a cntrar ( qu (hspúc t: ds terçs ds putads, \ fm evtar que a bancada vernsta aleasse que» Opsçã vem bstrund n craçã das cnqüenta v; las, lír r PTB requereu uma sessã extrardnára, ex clusvamentc para vtar aquele prjet. Mas a Mara vernsla rejetu pr 5 vts cntra requerment d Sr, Saldanha Celh. Pr sua MZ. a Opsçã se retru (l recnt, a fm dc nã vtar prjet dc resluçã n. X que recula a tramtaçã dns vets. Surd mpasse, fram levantadas váras ;::: tes dc rm, nas quas Sr. Gn /aca da (lama mstru, pr dversas vezes, as cntradções d Sr. Lp Celh, cm Presnle da Casa. a manpular Rement ntern. nsstnd em mnstrar s prpósts da Opsçã dc aprvar a craçã das 5( ml vaas nas esclas, s Srs. Saldanha Celh e C.u.r/.aa da Gama retraram as emendas apresentadas questões dc talhe.., md a apressar a tramtaçã d prjet, mas, mesm assm, a bancada!» vernsla prsseuu bstruud. EXPLCÇÃO Mutas lran as versões que crreram n plenár a fun explcar mpasse surd. mbs s líres nãu raan explcações que satsízessem. O Sr. maral \e alea que. se vtad prjet das es las em reunã cnvcada pela Mnra, êxt ra captalzad pela Opsçã. Opsçã sustenta que a Mara anula nã estudu prjct e que está fazend nvéstyachs a r>p em admtr as prfessras recémlrmadas nas esclas nrmas d Estad, cnfrme termnaçã dn substtutv La l.essa Hasls, da pr que feteamente cra bstruções, nm ss prejudcand as Prfessas e as cnqüenta ml cranças que auardam mal rcua nas esclas fcas d Esl.r da ( nana baa. N pequen expente, auns radre.. trataram r prblema da falta plcament ns subúrbs. FVELS O prblema das favelas fê sua aparçã ntem na dscussã d anteprjet cnsttucnal, prvcand a craçã da Secretara ssstênca Scal cm a fnalda atenr crdalmentc as favelads. s áreas cupadas pr favelad se r«scupadas medante prcess reqular cm a utlzaçã dc 2% da veba rçada e 3 da arrecadaçã trbutára vend encutv cm essa dtaçã cnstrur resdêncas par& s favelads. Durante a dscussã ntuse cmplet alheament d relatr. Deputad lmar Baleer, que apresentu uma sere emendas supletvas, n fenu a tese. nclusve, que s favelads mram em cndções melhres d que s da cda s ntervenções d putad unsta causa ram malestar alé em seus cleas bancada que vtaram cntra. Um art mprtante crad f que manda Banc d Estad fn.ncar a cmpra casas própras para s trabalhadres que alnham salármínm. CONSTTUÇÃO: PROVDO NTEPROJETO Cmssã Cnsttuçã encerru, anteprjet cnsttucnal, aprvand tla> dspsções transtóras. prjet ra Cnsttuçã verá ser pucs da.s. e quarenta e H hras encamnhad a plenár ra ssembléa mas u mens, recebera emendas d pe mssã Cnsttucnal, que examnara utra vez, a plenár para a vtaçã dscussã da matéra c nscrçã na Orm ( lha O cará, ser dscut.. em plc.ar valescs, captul mpress, nl r ds d mprsh Duranle ses l.as lan. vltand. s mndas d» tus rms sltucnal..a prr.da. prjet Cnnsltuçá. l após s feslcj crna s Opsçã, secund claraçã, já puhlu pr t d sr. llanr Crbser, apesentará emendas atrave.. d,, lrr. para vtaçã em blc (a bancada, vsand cm ss (..! rapz á tramtaçã r prjet nn plenár. O Sr. maral Nel. lr d lívérn. (leelarun. ten. emar esperand a pbleaçá d prjet para, em reunã na bancada cm C.vernadr c a bancada feral dla HN ca rea, elabrar as emendas que serã apresentad em pe n.., pela Mara. L S<r\!> ÜN5 UDVO HX VEJ PELOS NÚNCOS S DEST EDÇÃO MELHORES OFERTS GUNBR radáves surpresas auardam.sr. Carls Lacerda apus seu reress rc Sa Paul, n que se refere a craçã vva d Palác. Pel mens e que espera Sr. Edsn Rber, as servçs eras d Gvernadr, a nstalar, ntem, sessur rrn nvern d Guanabara, váras alas cm aves n jard plers cm as respectvas araras. Entre s espécmes raas c.saram a lazer cmpanha a crv Vcente, furam que pa Uupela ymnmslax sernus rupcla mexcanus. racula canarus rllers, tnps maculusus. a rel sa, sernus canarus e ramphcclus dsahs, que tr laua, canár hamburués. jap r mat. manu d amazna nd cm múds, sa mas cnhecds p..r al da serra, ra canár bela c le sanu u al dc campna. TELEFONES Em respsla a um fc d Sndcat rns Médcs, slctand prrda telefônca para seus assca, ds, Sr. Rafael lmeda Maalhães, chefe re Gabnete d Sr. Carls Lacerda, justfcu na atendment d pedd a aleand que stuaçã ds telefnes c tal rm que vern d Estad na p cncer prrdas nem as medc.. Mas adante, Sr. Rafael lmeda Maaalhàcacnselha que s médcs >,. drjam a Cmpanha Telefòuca Braslera, nscrevendsc na fla c auardand as pr \ lee.a que n vern d L tad a tmu. pedd prrda d.sndcat ds Módcs, assm cm a respsta d Sr. Rafael lmeda Maalhães, lembram a celeuma q prblema rs telefnes causu n nc d vern d Sr. Carls Lacerda, seuda crets re ntervençã ele. e faz lembrar ambem que n cmssã dc nter Sernus D OM) raras e Canarus Para a Cmpanha d Sltár Vcente vençã va apresentar, n da 25 últm, um relatór prelmnar sôbrc as atvda da CTB ftssc relatór, cnl d. anda nã cheu a Guanabara. MGLHÃES PNTO Sr. Maalhães Pnt verna dr elet dc Mnas, esteve, ntem, n Palác, mas nã cnseuu falar cm Sr. Carls Lacerda, que mnuts antes hava se retrad para um en rntr. rn Sã Paul cm Sr..ànn Qua.lm t r Me alhães Pnt f atendd pel Sr. Rafael lmeda Ma.. hães. reveland, em seuda, a reprtaem, que hava d a Guanabara spedrse d Sr. Carls Lacerda, vst que hras ps reressara a Bel Hrznte. LE DE GRGEM Sbre pedds rc lcença r. Banc Predal ( Estad d R e da Venerável Orm Tercera Sã Francsc, para cn trucá edfíc sem nara GRLEROS DLPDM PTRMÔNO D GB çu ra que n Sr. Carls.aparece ta precupad Lrcla extrpar a rlaem (tuauabra, Vcread W ls ene asss nuncu, na sessã le ntem, nvs cass explraçã (le letras perler.cees a sstad. lém da fazenda Brasa. adqurda pela anta Prefetura, para a cnstruçã un leprsár. mas que até hje cntnua send lteada pr partculares, radr fcalzu as atvdas líctas rns cnhecds rlers anl. Dt, Uul Perera,m. Kdr Lma e veln Xascne. que esla.. esplaud s terrens ra chamara Vla Santa KuíÍMa. em Santa ( ru/. «s quas furam tlnads.% pr seus ants prpretárs \ entã PDF. Km aparte, Sr. Cesã n (le Mel dsse nã acredtar que flvernadr íb pssa cmhaler s falss llea cuns n. Kstau r. Cuana hara. prque mar parr nh (ls rlers, pa ac Deulad..ms. rnhs. Mlécm Slva per ltunte. sna qr.ta la atla a.nms T traca. KQÜÉRTO Sr. Jurand Mranda cn Plenárílâ [CÂMR careceu a necessda.r n Cvernadt mandar sarquvar tanhém prcess referente a (lesadament d Estád d Ken. na.aua Kdr reas, paa cs. larecer a ver (lara psçã ( Emcnher ntôn.avla. atual Secret.n Vaçan. apntad (.rn \.>pun>avel pl ac dtntr. SNT MR MMWBB mamm&mm&bbmvêmmmvbmwawmwma&skwmm PR ROSNTOS: Àj 9.3 hrs. e a 7 3 hrs. SNTOSRO: s 7.3 hrs. t at 5.35 hrs SERVÇOS ÉREOS CRUZERO DO SUL ens. vernadr exaru ce paehs prmrs nau s cm que e pequena, relaçã a rnalda dns u. ra. fund, eure cm ms empreads cr, prnc ser nec pamcn quand se clca em fesa da le para nreenr a na.;> n...< Nau me lcenças Senã, vejam.. lemh r mj ha nteresse em faze. d cen s,.,, rmn ter tr da cda um pateru dc. arranhacéus fne cm «77 )7 me K mas dante: r.quantn repr n pv que quem ná Km cm na.n l,.ra petfnca nã < clabelecc Sc nar a le cau. terren c pequen para a j p OU cn..; T. cen mens rcü expente rund d tama Em utrs spach, sbre :aàa recmendável, em se trarat, ntase uma ur essvta Gvernadr pars um Mnstr tand uma respsta dc um O cndções cntrbur para a Estad: R nã esta em ntr turístc em Ls nqees. belea d calçament um c Ls neles a tursm d R n Qual a cntrbuçã das Relações Exterres ue 5 assunt frmese a Mnstér na nteressa a Guanabara UDtNC He. Gvernadr cncera audênca publca n. Escla Presnte EPDEMS RsevelT, em Realenq Rnda Das Secretaras!> d nfrmaçã Sa.. m..<> Vs 4.» %\ í,x W\ >y. \ %X <rx ape a amns.raca c.cee uma espéce ae carta branca as dretres dstrts lmpe.a urana Tal e case pr e.empc, c 7 Dstrt ue atcne a rr td.ca. í Tve. en.reue a ca eletral Oe nme Ba alna. d cnsttunte Samy Jre. pcsa chear nva.,a velmenre ps retr DLU alem das \7 hras a seu pst servç em furca cndcac mesma ca e.enral, na exe mm,m cume met das tarefas estabelecdas, O resultad e ue e«a T;uca se encntra tmaa pr ncntáves mnturs fcênca centralzaçã ds pessal, eletralsrn a excessva servçs p Santa sub c mrr vara vert pr umas vee Tem mesme pccfm ca mecan.ca evntemente m : cempra aluns cavals mecâncs uanlc a st basta exem Teresa n s camnnes sa Drad a fata um subpst ct chás u pl alucue nersssm cã a anustante prcblena centr«haca c Eadc DLU e 3 sudpsts recurss mcerns vaa dures stua as e metíc r.è amplaçã : rnras cm a nar: le um pe clnrt nm ab.»(í. nças cnlacs; pv sbr a epd qu íprn d (s ra! ar.s pe Cmbra, chefe daqu se c TROLLEY BUS Mas ínus trleynus nc.ar.cransprte da Zr.a Su Fram nantentem ca tála para. crprads as res prme cmpletand uma frta R c letvs que vã suhsl tur lns da Perr Carrl Jardm B. tánce..s carrs estã ars na estaçán da rua V.Cu:.. rs da Pa na. CONVfNO \ Seel u írnu ntem cm n fampanha \afta! cuçá nn plan ate da mlésta. Campanha n.s para aumentar n nu lzads n Estad u r ts c aparelhes dc RaX narvm nt>>.tn F.d. : Vendas Ba KlV man u ss etsluvvcs N vmzv!m Prestações CR$ 8.5. PREÇO FXO RRE3USTÁVEL S pccm estvt cnnte Smente narmcnts ftctamem pnnds flms Garqe v!(l( H.arf, >n.f.váí snal Ú H mas pr ôc superadas ter e alumas vees pím mcsmn ww= Subr jw p e cencm / av aum.as prur ds camnhões seu st«na aprnís n s erv pr apenas 5 pss dc ncpaínente n, tratament a lc cup n cats dftel «cesse numere servdres urbana e melhr remune acac Que neva ds favres d etetralsmc. cam.nhc.es que c vern va tr que fará e acrescentar mas lxe a Kt B. vpcn d ca O j. acca Ot lqu e cm p p ual da hmexa eve a nterferênca Nã e cm c aluuel j c le cm eles u tera da cda PR O SR. FLEX RBERO O DESCLBRO E PROFESSOR t fe OUEM E nc\ rp tdc d. sbrnfe S C.l< Lít.rrf r Nã huve numer pna a Câmara lberar sóhte um v.. sldareda, prpst pel Sr. Frerc Trta, as rebels d Mara. O reresentante pessedsta. a lrmular seu e(ueruent, MtMttuuu qu aprmmannl dn paquete pn.tuucs na (.sllu at prata, a e s n un mm nunt blã clra a dtadura «ala/arsta. Prrssc dc Fstd PCn entre CO rana.cao Pr,,!» tambrm nc BOTFUX cnh» a v s t r d,?.n rfarr fe Ftlc c3 LPJ Prfess. Ca Farldcl Crl< te Clcn P«dr d. jrs, p, v.p,n n,c HC ç,,ndc,t, P C.O cs»m lel L! r.. n, n c hvr n > s nem a r.rpc í; d ra > a vm»em >< rsdn. % t d m >nd.cí elet O m.,cl.,.»n ms cda...,. c se B.te. nvesr.vr se alns, ve es v.»» c m n.t, tjr,7n «cn.t, «rn.bu.r.. C > C., %. tuncnsras. nm a, dcs.., ncr cv «rle.!...» se d.vlnv crems secr> dr nss? Pa», a > O Dru. cnff pr» êcelfec t:.d c C» acn a vífrpntp í» ven pscr DetTrcnt d> Rpnc d DR rc latmpfe t cr fer a s.tbe.e Cm nnntlft >c n. ex.aec.a dc ap.c a pvem,! L a....».. t f r\ ~ H (H tnfracc S. D c p l a d Lnc CclHc ec T P» O S m l f, trula ta» )Cí c dr>r tç,c pn OOv.,. assentada.(. n DR rn trca dc ífu

4 RljytlWjWjafOSJll 7 íssfs? ÍW»»«HlJ ís4vlsh!»s(«<tsvsr<;... lpppvpvfmpppbwvbmmv y,».j.?shv Hs J _n,t «.»».» $/ U j PGN 4 jxlctferct, 27 Janer 23 ULTM HOR JQ: Mnstér Prá Ser Cnhecd Hje ««SMíMS COLUN LMNO FONSO: REVOLUÇÃO CUBN ESTÁ CONSOLDD BRSÍL, 24 (UH) Pss, he, r nesta Cnsa, ps sse encntr dc quase 2 das, quc, efetvamente, sc a revluçã cubana?n d ape ppular, c uma revluçã asac.ente cnsldada, esse f pment pessl d lmn fns, transfrmad em Deputad L\ L dscus, na sessã vespertna da Câmara, s MfflT he.. recente vt... Republca d Carbe, mêêmmmwo e au. nvcu vvs bates e um fnal HJtl.MlMy repetds aplauss. H mf Gran parte da raçã f stnada, pe Um\m l Sr. fns, s serçã fats e canas bserv.... em la Habana. E dsse: se é ndspensável que. nternamente, se levantem frras para rrubar vern Fe Castr, entã ssseçurm as fnas mperaüstas em td mund: ss nã crrera. Os apartes sucessvs, recebds pel radr, versaram quase sempre «bre talhes d< vda c da revluçã cubana. O Sr Pedr Vdal prcuru levar bate para terren tía lberda crença, e Sr. fns respnulhe a qu verda e que pv ra tlce, em Cuba, aceta a revluçã cubana e a tma cm realmente vltada para s nancads e maqcamente pel vern Batsta. TMBORDEGU QUER ESCLRECER \ tand a abrdar art dc Marques Rabel, d qual cnstam frntas acusações ; sua pessa, cm envlvd num cas advcaca admnstraüva para lberaçã verbas da Re Ferrvára Fe ral. Sr. Már Tambr! le.u cupu. trbuna da Cnmara para frmula um pedd à Mesa. n sentd que nteresses d pv. Quant à lberda mprensa, Sr. Bcayuva Cunha, em cntraaparte,..frmu que a Sceda nteramercana tssc cnsttuída, medat, mprensa, hava cnsttuíd uma Cmssã Parlamentar uma cmssã sndcânca nquért stnada a apura ara apurar ate que pnt a cau ttal ds fats. chamada mprensa lvre De passaem anda vlsan Cuba estava cmprmetda d a revelaçã ttal ds fats essa cm Batsta, e cmssã Sr. Tnmbru dvdu apuru acrescentand Sr. sua acusaçã cm Sr. Jusá Bcayuva frma nludvel, que aqueles jrnas aue da tétle. dzend quc c Lm Bulhões, dretr jurídc esse hje estã fechíds em Cuba, dr.d. sc abra atrás ds jrnlstas para acusar Deputa e prvcam, em Mam, a an. tcf» c n t r fr eylucrnara, rs dc terem ad ncrretamente. eram tds nteramente f MTÉRS PROVDS Smente na sessã extrardnára matutna a Câmara apr vu alquns prets cnstantes da rm d da. s prpsçòes aprvadas m respet à craçã da Unversda d Esprt Sant, fxaçã um tet para as tarfas enera elétrca em Frtalca e, fnalmente, ranlacã d quadr da Secretara d Trbunal Justça d Dstrt Fera!. Guand se vtava, na sessã matutna, trand estatele eend uma nna lvre rmércl na Baca d Prata, a bancada d PTB bstruu, pednd verfcaçã. DEBTE NO SENDO SÓBRE GOVERNO DE JK BRSÍL. 26 UH Brala. Furnas, Três Manas. Orós. a ndustra autmblístca c utras realzações dc.jk ná exstram, nn pnã d Senadr Mem Sá. que prferu mrad dscurs, hje. nu Senad, nes and «e f a pnv vern atual, c crtcand, em partcular, s setres fnancer e educacnal. O radr f vvamente apartead. sucendse, nessa tarefa. para cntestl. s Senadres Vtrn Frere. Pedr Ludvc e Gaspar Vels e. em seu scrr, Sr. fns rns. O representante maranhense claru que. a partr d da., fenrá JK tda vez que tr atacad..a senadr an acentuu a ppularda cm que xa vern Sr. Jus..Hn Kubtschek fal (ua.se nédt na vda plítca braslera. Cntraramente a stuaçã daquele. presntes ru», an termn seu.s mandats, dfclmente cnseuram qualquer.tr. mesm vereadr, Sr. Jusceln. ntr re aluns meses, será Senadr mas vtad, na hstra plítca Gás. Destacu Sr. Gaspar Vels que. dversamente d anuncad pel Sr. Mem Sa, as estradas rasadas pr JK nã sá prduts tanque TV; exstem e sã palmlhadas. daramente, pr mlhões braslers. ÚLTMOS BRSÍL. 26 UH O Presnte Kubtschek seura d:ret d«bel Hrznte (n mas uma vc s$rá hmenaaead pel pv mner), para a F d quaçu, rc próxm da 28, a fm nauurar a Pnte nternadnal sóbre R Paraná JK nã rá a ssunçã, permínecend aenas uma hra em trrrír parflqua, quand DORMU N DS cnferencará fressner cm Gen N mesm d, a nte, Presnte Kubltr.chek reres sara è Brasíla, vend per manecer na catal da Re & publca durante td da 29, S quand recepcnara s jr %, nallstés, sedndse ds prfssnas da mprensa crencads junt a seu nbnete CM PRESDENCL BRSÍL. 2ü lh O Gabnete Mltar da Presn. ca da Repúblca esta realzand nvestações para scbr! fne f ntru. que. recentemente, drmu na cama reser vada a Chefe r Gvern, n Palác r Planalt. cama j tem clchã pluma. e fca n tercer andar da se d J vern, junt a abnete trabalh JK que tud ndca, drmnhc aprvetu um cchl á da Guarda r Palác e drruse a abnete d Presn te, n nâ encntru nenhum funcnár feta, nã vaclu em trar urna ba snec; \ end a cama NOTS BREVES mm> O Deputad Clél Lems tpsdpernambuc encntra se hsptalzad n Hsptal Dstrtal dç Brasíla, vtma dc X um acnte autmblístc próxm a aerprt. O Mnstr d Trabalh nfrmu he acredtar que fds s aervlárls dspensads na últma reve retrnem a traba lh ns próxms das. O Senadr Jeífersn qular re clamu rápd andament d prjet sua autra, ra na Câmara, anstand tds s trabalhadres qrevtstas. O Sr. Vcente Perrer Lma apresentu em caráter rrevá vel mssã das funções Dretr d Departament rcultura da PDF. O Sr. Valdr Buhd nfrmu que, a pnte d Etret será nauurada da 29. Reressu a SP Brar Laur Oran Menescíl, cmandante da 4«Zna érea. Os Srs. Rbert Clquln, Rbert Chaverne e C. Curvlsler, da Unfrance d Brasl fram he à Bras la. Rcressu a R Sr. dlph Becker, pre.lnte» d BC. O Sr. Raul Barbsa, a par r Brasíla cm stn a R nfrmu que xu cm Mnstr da Fa Jj zenda teu pedd exneraçã d Banc d Nrste. Presnte JK assnu cret cnfernd a Orm Nac O. d Cruzer nal d Sul, n Grau Cavaler á Srta. Llla \ % n» Dubls. Em cret assnad na pasta da ernáut } íjí c» Presnte da Repúblca «neru, pr necessda j servç, Crnel vadr Zanr Barrs Pnt, Cmam X í dante da Base érea Santa Cruz. Mcdadè Traba ( hsta estará reunda, hje, as 9,3 hras, em assembléa X 4 9«ral na se d PTB renal. «O Presnte d Republca assnu cret na pasta d Exterr prmvend s s dplmatas ntôn Crrêa d La, Paschal Carls Man, Gerald Carvalh Sls, Pedr dc Susa Ferrera Gnçalves Braa, rmand Salad Mascarenhas, maurl Banhs Prt Olvera, Maree Fntura e Raul Rfcx Lete Rber. Também na pasta d Exterr Presnté da Repúblca assnu cret exfíel6 prmvend Os dplmatas, Dnatell Grec, ntôn Francsc eved da Slvera e Maud Plly Góes.? O Presnte JK aprvu hje Estatut da Unversda Feral Gát. Em cret assnad hje, Presnte da Repúblca dctermlneu aus, s mnhs prã slctar uma quta adcnal tr em rã para atenr ãs exêncas d mercad cnsumdr. O Prcuradr Geral da Repúblca mandu! prtclar, hje, na secretara d STF, pedd arífã, ncnsttucnalda apresentad pel Gvernadr Carvalh Pnt, a respet da craçã cars cr Le Es tadul. ##» #»»#### «kmmm s O PULO, 27 UH) O Presnte Jân Quadrs dsse, ntem, f a um rup vernadres unlstas cm quem alnçu que, talve hje, dè a públc a relaçã fnal seu mnstér Vcês fquem alertas dsse prque, pssvelmente,, amanha, eu tenha tds s nmes meus auxlares nfrmaçã f pcstada pels próprs prceres udanlítas, ã salda. O almç se realzu na resdênca d Deputad unsta breu Sdré estavam presentes s Gvernadres Cld Sampa (Pernambuc), Lus Cavalcante (laas) Pedr Gndlm (Par.ba) c Csls La carda (Guanab.ra), alem d vlctvernadr laas, Tt n Vlela, e d l da bancada unsta Jã rtpln. Secund nfrmaram s vernadres, durante almç cada Un fcj uma expsçã da sltacà ds respectvs Estads, nã ter.d se falad em nmes O Sr. cã rpln f clar a Nlnnuen fa>ar as jrnalstas: peruntu a Sr. Jân Quadrs cm, quand e n fará seu mnstér. Nnuém peruntu quem seram s mnstrs u quas s crtérs esclha O Sr. Carls Lacerda que na véspera antecpara n edt fenr rl scu jrnal a ntcnc s nteresses da Gu lbara cnfrmu que nnuém usu faer qualquer ndaaçã #s...,/ S JKMRL PSO: CRSE BRSÍL, 2( LH Ds mtvs fundnmevas c \:\ na base dn crsu psse dsta que permanece ate, nme hje, nrlsrad a sucessva; reunões que s ntem clcmn em verdar plantã t chefes d PSD. Sã eles: D presdênca d parld, quc Sr. ma ral Pext seja cnsrvar cntra, tendênca suhstul pel Sr. Jusce ln Kubtschfk: a nítda dvsã ntre j, que ferram u \ acetam n clabraçã c m X Sr. Jân Quadr e s. ue permnnecem Hes a X Presnte ra Republca.» O prblema dn lrança» e a» ncmpatbldas qu { surc m ameaçand a un $ rnre da bancada pessedsta { sequer a Presnte elet F clar vernadr da Guana lara, faland as rnallsf«s: Jân tem dret esclher lvremente seu mnstér. Mltn, rns c Denys O Sr. Maaalhãas Pnte, qu seuu, ntem, ru H parn Bl Hrznte acmpanhad U Sr. Jsé ppnrcld, lvn prpóst dc cnvencer Sr. Mltn Camps d nnllnr cnvte que lh ler n Presnte. Jân Quadrs, para cupar Mnstér da Ldueavã. rml Outras ntcas cnhecdas n d mnstér: Hu Marechal Odyllu Denys Ja respnu allrmatvanu nt a cnvte pnra permanecer n pasta dn Guerra; BO Sr. fns rns já estn cnvdand nxlllnres para sua ;stá n Mnstér d Exterr: f elrmul; H Q DNTS O Sr. ets Hrta prcuru Mnstr Fnlcl pnra cnhe cr n funclnnmc re seu mnstér; Cnfrmad: Qlntnnlha Rber nn Casa Cvl,.lunc Ma aalhàrs FUh pnrn subchefe dn Cnsa Cvl e Jsé ppare cd Olvera pnrn secretár partcular. MCHUS nm ser baudura dí Jkm J.à Dantas, dretr d Dár dc Ntcas, dsse ntem» ULTM HOP. que pv OSr. brasler tem dret dc esperar d Sr. Jân Quadrs que nacnalsm sea a banra cu vern, cnfrm prmetd cm sua camanha eletral, bem cm que ele reall a nvac ttal nssa plítca exterr c a cnsldaçã ds tmpreendmentes d bsse que clcarã nss Pas na cndçã ran ptênca. Fxand sua psçã ante nv vern, claru quc nã fra cnvdad para nterar mnstér, nâ tend sd seu ap a canddat vtrs cndcnad a qualquer retrbuçã. Quant às m ssòcs n exterr que f ncumbd pel Pre sdnte elet, acentuu tratarse ncumbênca» abslutamente p»«al e reservadas. Nã se ustlflcara, dsse adante, um scntentamnte pel que nã fra prmetd: ná verda que xará dc cmparecer a psse d nv Presnte. O.s meus laçs slda rudadl plíca em canddat.lán Quadrs e anzndc pes. sa cm cdndã ná sfreram nem d leve menr estremec ment, que nã mprta, para \ hnrn nós dns. que n ren tnçã meu jrnal tenha.sfr! d u venha a sfrer a mas leve restrçã n seu dret e na sua, lhcracle crtca. Nssa pscã é re absluta sençã ap quelas ncatvas quc meteeerrm nss endss c re crtca serena e cnstrutva a td e qualquer svrtunment que,quca na Câmara rvam daque prrramn vr a sfrer. s O Sr. Jã lmtas claru as psções. O Sr. maral X cnfar que futur vern te Pext reneu à ndcaçã < nha u vn ter ns seuules característcas: d nme r Deputad.lé Mara lkmlm p a a l Ç Nf nrnrá s partds rança, exa amente numa \ plítcs nem s lres ds dverss írups scas: mnncbra pnra evta a s s crj dhrament ras artcula s lenvnrí a nssa pltlcn exterr, sb seu cmand ções que mprtaram n S seu sacrfíc d pst re? Preservara a Pctrbrás; presnte r Dretór Na! cnal Pessrsn. X Crará cndções parn a ar +, rançada r pns n sentd dc trnarse una ca mundal.»rd Plítca nternacnal pté Ná me atrbu cndções dsse Sr. Jã Dantas pra mprmr esta u aquela rentaçã a presnte elet, em matéra d plítca nternacnal. F3 pr mas ntór ue Sr. Jân Quadrs,?rças á exper éncln nue acumulu cm sucefsl vas vlstens a exterr, c cm vs ta tfm sua frmaçã cs fadsta, tm uma vsã e uma pnã própras ds prblemas n ternacnals. Suas déas fram exaustvamente enuncadas «quase sempre tã abslutamente afns cm aquelas que sempre sustentams. Á mnha da a nrfe da Áfrca, cm, rest, a qurlquer utr pas d mund, n tve cnlct cm lírerf rlítlcs, retultnr.m cnvtes rmlnds dlrenmenle a mm. Quant ã vflem a nrt da Áfrca, Sr. Jínl Quadrs a nrava, até mment em que f nfrmad la pr mm. Nes ta altura, u td seu ap, ps era seu sc bter uma BRLHNTE ENCERRMENTO DO. FÓRUM PORTUÁRO UM MEMORL SERÁ ENVDO O NOVO GOVERNO M»»»!» Flarante da mesa: Drr. Lus Fernand Secc, Paul Ferraz, (lllert Caned. Cm. ry Gnçalves Gmes c Sylv Prt. SK na últma tôrçnfera, eneeruse. ntem, NCNDO Fórum Prtuár, prmvd pel Sndcat Nacnal r.as Em prí.sns Naveaçã Marítmn e da sscaçã Braslera rmlnstações Prtuáras. Etn lóras as reunões, funcnu atlvn mente rn presnte hnrn n Km/. Ollbert Caned dr> Mnüalhães. dretr d Depnrtamenl Nacnal re Prts, ts e Canas que. além prcstçar Fórum Prtuár cnm sua presença, tnu pnrte ns dbates, fand a plenár pfchrecments e nfrmncoes que mnstram n «eu nlerosse em prmver mar unã entre armadres e admlnlslraçõe prtuârlns. rl seu emncnh, Mnstr da Vaçã revtíu t Tlaa n. 4 5, que vra crar sérs prblemas traba lhstaa entre s prts e s armadres. Na reunã re antentem, f Faltas batd e varas, tra balh apresentad pel Centr \av(.r.án Transatlântca dc Sants c Sndcat rs rma dures. f:sse lema spertu prlntía r~ bates rs quas partcparam tds s presentes, fcalr.and mau trat r.as caras, s furts, a precareda da? embalaens, resnparelhnmentn d prts e também ds navs, prncpalmente n que se refere n prduts perecíves. K staelda, lá. a nmeaçã re uma cmssã, puta lazer utn mem rln) cm as resnllçoes ds prblemns r.balds a lm tle ser apresentad a nv Gvern. Farã parte ssa cmssã mem brs d SN.RM e da B., j mpressã dreta ds acnteclments, através um bserva dr sua cnfança. Cnsra Sr. Jã Dantas quc tal precupncs, pr s só se ra ndc que JSnl preten renvar nssa plítca exterr Estu cert acrescentu que Sr. Jân Quadrs refrmulará em aran escala nssa plítca externa, na medda em que cnslna far>r prevalecer as suas pnões em metera nter nacnal sbre s precncets ds elements que craram a seu servç neste setr. Petróle Cm drelr rte um lrnnl ln tllclnlmcnte fensr dn tese d mnpól etalnl pnrn n ex lrncá d petróle, dsse Sr. Jã rantns. fnalmente: ( Sr..lán Quadrs, s níc sua carrera plítca. tem mnntd sun pnã ap à Pctrbrás. Sun recente campanha f tóra cln cnrnclerb.ndn! pr reafrmações ssa sun p nã. Tems, pr ss, plena en fança em que tnl sluçã se.n mantda em su vern. ínwfllbrcwfów) v f ÍÊÈÊÊ Mrê $Êf SÊmp wííh r MÊÈÊk. W? MmkamW f SS flhílé»» Z ~!í/lm\&jêmt «JKl. >: : WMSBmmmWÊ Ur. Jã Jrha Carvalh Flh, d Part ele lccjc. ru plen bate. Or Mem Xaver da.slvera lend d cnvdad pnra ptrtcpír d; mcmtí >t. Mranda Ca valh EXPLORÇÃO PORTUÁR rs e cmplexs prblemas que eslá exnd máxm cm penh r Gvern c das entla s prvadas para que, s já, seja prevenda a bnlbíudln e nté claps ds nsss servçs prtrs e transprte sóbre áua. NVESTMENTO NOS PORTOS N. run üe ntem, f ;()í sentad pela sscaçã Bras lra dmnstrações Prtu.. ras, trabalh Henps Explracã Cmercal ds Prts Oranzads, ld pel seu presnte Sr. Kern.ul Secc. F uma brlhante expsçã a branííend prblema prtuár brasler s Vscn re í.rtlu. que acnselhu n Dm Jã V a abertura ds prts r líra l ã naveaçã mndnl. nte ns us das, quand enfrentams se sej/ur. Dr..laal.v Sells Crrêa relatu lema Expra çã dc Servçs Prtuárs em Flnçãn la Plítca re nvéstment. f: prfund estud téc nc tue m.tn n cnncnnénca da rdva cm a va marítm e cnclu que atualmente, embra se trne mpratcável en tar em nvs nvestments pavárs em prts, sln na sll lua que se va elmnar as npcc nvas cncessões a empresas partculares. E cnclu pr uma revlaf d redme cncessã prtuára pa a nssetfu rar cndções ecnômcas v lnanceras a s cnteessmrls tpnrllculnres e verns esta (luats que p.sbllcm a ralencá das tarfas cm nves cmpettvs cm utrf mes dc trnnsptc. ps s bate. pel plenár, n presnte ra mesa Dr. Paul! < ru/. presnte r SM! M, nfrmu que tdas as resluções r Prum Prtuár seram encamnhadas a ds í órãs técncs d nv Ovêrn Kn lambem prpst e apr var pels presentes á realzaçã, ntr t meses, d Frum Prtuár em bjetv bater as prvncas suerdas e a serem executada pelas futuras autrdas. raceud a presença lã prestsas fltíí tpe cncrreram para plen êxt e brlhantsm das reunões, Dr. Paul Ferra» en cerru fórum Prtuár. \\ JORNS muproblems OPERÇÃO DULCNÉ ran avenua d Captã tlalvn e s seus Hclunla parece slnl, tant quant a revluçã Fl Cuslru a quebrar tabus nrma» ntabeleeldas. Fazer da captura um lansl lama pulu pan dn pnra a rruhntln úu um, e dtadura ctn sembarque Fl em Mncndn: umn lucun, uma qulxtnrn, que pr ss mesm se chnmu Opu rneã llul nen Nenhum empnd revluçã r sécul % \.\ ensnara tamanh absurd. Mus es que esse absurd, essa 5 lucun prtuuesa acen as manações, nqueta dtadr clca saln/arsn. n banc ds réus perante a pnã mm! & dal.. explsã E quem sabe ue resultará? Talvez seja rastlh d que mund Salazar Juntarse a Mcndrcs. a Slnfmnt ltl e utrs dtadres psts dn mas recente snfrn. (Ssse hmem l2 ans cnseuu crar n mund uma atmsfera semelhante àquela que. ns temps áures r ru. mantlsmn, quand a lherdnre nnda era umn déa nva nn mund, atraa pela tyrn á lula e á mrte nas plaas ra Gréca. Vams entlu em espírt pels mares afra, velh Onlvfln! Estás fazend, em sentd cntrár, a rta lrsa Clmb e Cabral, mas tens mesm sanue ds herós mr. tas ds scbrments. banra.a lberda que sfa. daste n mastr d.mara é a nssa banra. Va, rmã, rmãn.. que c a í b: slrla lc luí<> dc umtc;n. w., mnb da vtra DVSÃO DE TREFS Melancólc. dante sse epsód qne empla num rn a mesqunhara cm que se prtam s ams da caduca ra tadtrn snlnzarsta entre ns. Já se fala mens em at re p. ralara: alás, entra essa qualfcaçã, justça seja feta, Crre n dn Manhã Kstad Sá nttl rnm pnões.sensatas. Entretant, bservase uma certa dvsã tarefas: en quant ns mares s duhtryurs du Salazar e clabradr vã á caça r Mara, n Brasl, certs setres ra n prensa braslera se encarnçam na caenda a General Delad. Seund se preen das clarações re ambs, lpe beceu á senha uma Junta Nacnal npennte re Lbertaçã, que ve estnr sedada aqu n Brasl, ps é presdd pel Sr. Delad. Tud lm lrnnmdn aqu e em Caracas, n se encntrava Galvã. u Sr. Delad dsse a un jrnal que éle e Galvã trca ram durante meses mensaens cfradas. O Gcnernl Del ad e rnfcssarlnnete Presnte da Junta e já annn cu que reressará a Prtual, num praz ds nu semanas escreve O Glb. Mas c dal? Reresse h General, e mlhões ce brasle rs lhe sejarã s melhres êxts. UM DSCURSO MPORTNTE ft lamentável que em sua plítca externa Brasl am., cntnu pres a mts s mas superads. nclusve quc benefca salazarsm n plan nternacnal. necessda umn revsã nssn pltlcn esta saltand as lhs. O Jrnal r Brasl, ntem, encareceu a snfcaçã um dscurs d Deputad Bcnyuvu Cunha sbre as nssas relações cm.s e Estads Unds. Dscurs mult mprtante, dz jrnal, acrescenta: Tem sentd uma rajada ar fresc num quart che d mnams lanlnsmns. O Sr. Bcnyuvn que e um ds putads mas expressvs dn nva e rncá que cmeça a afrmarse na plítca braslera, tem n audáca (c n PTB lal csa é. mesm, audacsa cudar dn revsã nrteamercana sem apelar para s slans, s ressentments e s luares cmuns. Dss precsams, efetvamente, para dar jet n lam; ral. E vva Galvã! NDÚSTR UTOMOBLÍSTC: MENOS NVESTMENTOS EM 6 Seund s últms levantaments d Banc d Brasl, cresceu bastante MUNDO vlume das mprtações nn frme lnvestmnts u fnancaments, n pen DOS d janer a utubr 96, em rc laçã a mesm praz m 959. Enquant NEGÓCOS n an passad ttal ds nvestmentalcançu a, apenas, US$ ml CF. 959 f USS 26.HB ml CF. í em Na dscrmnaçã tdas as mprtações, n perd em questã, seund a frm dc paqamnt, bservase seunte Ú quadr: nvestments acrd cm cret 42.82, USJ S5.242 ml; fnancaments a entdas prvadas US$ ml, a entdas fcas, USS ml; a ndústra autmbllítca, US$ ml; perações em cruers, US$ ml; mprtações sem cbertura cambal, US$.457; mas lm prtncões, US$ ml. O mvment lbal nvestments na ndústra autmbllstlca ndcu, entre aner e utubr 96, em rela Cã a lr:unl períd n «n anterr, uma reduçã USS ml. Entretant, fat, cntraramente a que p parecer á prmera vsta, nã snfca a estaqnaçã sse setr P ndustral. Na verda, (at 4 que f ultrapassada a fase nlclnl dc craçã rans undas fabrs, ssa ndústra, send natural, ara, que s nvestments se establzem em um nvel mas b.lx. Entretant, nã ve ser scnsrad $ efet ncatv trazd ã ndústra pela fase transçã pltlcn, a qual já se faza sentr r prncíps 96. Seund as autrdas cambas d Banc d Brasl Ú d Grup Executv da ndústra utmblístca, uma ver Ú realzada a mudança Gvern c cm a ndústra tratrm U em rtm crescente, s nvestments verã elevarse utra (,! NO BRSL E NO MUNDO NOVOS SLOS Vnte três armazéns para esteaen cereas, além cnc arna/.énsnereals, benefcand tuze GstntlH c llslrll elernl. fram cnstruíds peln Mtnlsterl dn rcultura. nauuraçã que pen smente tía nstal.na alum equpament, será realzara em breve lr que nstu 7Í mlhões. ( ml cruzers, tem m capacda ttal estcaem 7 ml tneladas d cereas. EXPORTÇO DE SeD nfrmam as autrdas br slera;. na GrãBretanha que se cnstata ba acetaçã, tant í naquele pas quant na França, para s prduts brasler! dc seda. s cxprtnçòcs têm crescd cnsravelmente. CUSTO D; VD ( cust lula Um Janer, acrd cm s lnd d P.t.K. sfreu uma elevaçã t 2.! íl. em 9. VL PR R. G. DO SUL O Banc Nacnal dí D senvlvment Ecnômc está pr cnclur a analse técnca d pedd aval para a cnstruçã da Usna dc leretc n Ú R Gran d Sul, apresentad pel avérn daquele Esad : CONTHKNDO DE CRNE De acrd em Ntu a da ndústra, clahanl carne para ntr das frn terns r Estad dn (luanabarn, assume prprções rada, mares. Km pel mens cnc lcas dferentes, ramnlue prcentes d Estad re Mnas (letas. t re Janer e Sã Paul, les a reunu, clanstnamente, prdut, sem be % cerse as mas rudmentares precets hene e nun rlaílatltft snearã a mpst vendas e cnsnações r;«í > tmase que a evasã rbuurln. apenas neste mpst, «tns í a mas lu mlhões cluíers anuas. r CONFDENCL Na próxma seundafera será apresentada a JustU. uma açã ppular cntra crd dc Rbré pel Sr. Ub ratan Pnt d. Csta, ant assessr técnc Cmssã nquért Parlamentar que analsu crd entre Brasl e a Blíva. O m/ment tem cm base a nleaç» % ser tratad um dt lesv a patrmôn nacnal, sen and., cntrat d, realzad, benefc unlateral na p parte que se refere a ledut e radut.

5 , y+fvewwv y.frjtyryrf..»../;,p;.j=ss>»5í» j, yflm HOR SexaFera. 27 Janer 38 Ofensva d Q. PÁGN Cfé: Mssões a Mscu e Áfrca...».,s...v«..s...s...,.«r.v.... v.uv... m»....x».nw.tv...at tt léfatã.mrn«ttíl sww «8SS»X38JS«S8S» lsttwws»»»ae fm ncrementar a, relações cmerca,, d Brasl cm Leste eurpeu e cm pmwawmm,.as nções afrcana,, lumarat, va envar a sua seunda d. «atã ecnômca a,., r,..,,, wn,nrtrnrnp< ern rntran n Presa»srle Mscu, n próxm da 5 feverer (salv m.truçe. Jân Quadrs), e a prmera a Áfrca, anda ésle an. T..,rs, Fntpndmentc frmad em Mscu,» Superand nível prevst n Term ft,na das OU n. R h. um clube fr.qu.nt.,,.,. </OS MUfO em 959, Brasl cmpru 2 ml tneladas tr a Uma Svétca, em vez d> w,,,eltud, m.mbr.s d. 5 ml prevstas naquele ajuste, enquant s svétcs na chearam a u lzar a sua. nssa mas alta e selecnada tcedad. Dlu Prmções n Unnaral défct quta ttal rle café, que apresenta um aprxmadamente 7 ml tneladas em que é clube mas fechad d Brasl crrecrre, m tremend n Palác da lvrada, na QUOrtfra, quand Presnte d Repúblc se ds Preparatvs prduts manufaturads «cm l.d e quantdas d, rcr, Mas st nà exclu que um ds sócs u freqüentadras, ume vt u utra, faça qual r jnr s prmções n tmrat. Tads s Senadres, s r te < jc s cmerc>.. f nss Pas cm a Unã Svétca sô trssm, e.amlnara s ps.blld prndlhes mtérl prm. Ou nhs bvn, equ.n e vn e,n P quer bbaq.m Na querend estabelecer t Mnstrs, Gvernadres assessres JK tnhm dustr.as crrelatas, sbretud mralmente precatva», p ádats c apens umn prmçã f let trnqülmenrentadas pr uma cmsã msl (CEBRUS) cmssã bras Hes d Álrlca para frr cncr lã e carne. Tend em vst a, cmparações clarar que há, n Brasl, um utr ms j Pscal Carls Mn, que c ra embaxadr. Pr a rena a Brasl, n mercad mun pect f clube mut mas fechad d que esse elerll d clé nte e cnhecd nas clunas scas: a c d lnc, serã estudadas as : q, nã faltram canddats, a pets Dra Vas lern já encerru led, s pr?pnratvs para a vaem, 5 te ha»lemt nssa Marnha t he, n harlsms pa pssbldas lhe venrms V tc lmar Pen Marnh. Levu melhr dplmata p.:... _..,.». fertlzantes ((umccí,, S que jó es... Crrea d L, que c, também, ara, nv embaxfeverer, ps haver acenad cm sua cnênere svétca a tr.n e scal das nvas Rcpúbl O levantament da vda f d sbre a questã d prtaavlfeet pel fat pl tms prduznd em ran cscal, trnjrmndse em caf ra sera levada a sér pelas nssas meu queer bservar «que lattu a brnca l, jxnd vay Cnsulad Prls (prá n rá Sra. Í Vscnccls). Pr s duas vas dc Mnstr dc a. Csdl e lcal para as cnversações, Plítc c tamaral, para ren as f realzad pela Dvsã bradres dr; seu,envjlvmen í f menr a lut, fnalmente, fram prmvds Ge altas autrdas vernamentas cntece (q ym nva)j nq rmércío que lberaetes tmadas em clube calafe. Carvalh Sls (canddat d Gvernadr Carvalh Pn N próxm encntr, a leaçõ braslera verá baterse calmnte, a ncumbênca dc ex tacã da mssã. Esta lera, m mund,a tad em eral, pr faltt cntat cm a lres plítcs ans) c Pedr Bra (enr Fe realda d mund exterr, st d»cls6s dt.. l,.,,.,,,.,,l. n. > \ r\n r f rllrrntnt ílírlr. uallerl Ouand JK acabu s,lnr s crets, xcl para que a URSS nã só utlze mnar a c trutura ecnômc as k dlretsrla trajem cnseqütncles um tent l Munen. >c u.. Fclrmcntc ra Chanceler Hróc,,..»B.. Láfer: sô _. as..,.;_ últ é nteralmente a sua quta café cm a exceda, a lm d,? perl sbretud a ranzaçã d vendse a d uma seunda nações afrcanas, lend em vs ra envada anda este an, pre ã prejudcas a mund da ralé que é a psante Uma das característcas da nssa Ma rmçócs que faç neste qünqüên, a que cmentu p ms mtr equlíbr n cmerc entre s ds! trabalh, que a.nda becera a em 962, quand seund se es nelssta fjr Macnacs, que estava pr pert: assnará muts ree rnha é seu enservarlsm? s Presnte, partr dc janer dc 66 Eram uma pses. e servdã. Vstará plan pera. será apada pelas nvas unvers nter p evlur nssa Ma ; Uçõcs café, can açúcar, Mssões dplmátcas brasleras rnha cntnuara naveand na mnarqua ta hras d madruad, quand Chanceler Hrc Làfcr Rter brracha, mlh, fum, etc. Qua na lrc. C ns lnha castas Outr snal d seu c, Otwld Pend, Chefe d Gabnete Cvl, chearam e % reacnarsm: rup da nste nbrtxa p......_. rs... l Nacnal para entrear s Decrets, que vem ter fcnsa nauuu. p«.w v.,.,.3».. a,. J(, lítca em Nvembr n encntru Dár j Dtblcads n Ofcal, que he estó crculand mar ampar e cbertura? Na Marnha, que á clcu w d a w.(w.>.jw dspsçã ds,... plítcs teru 4...m». NMGO Í Tamandaré as, velz Talve pucs bra fnal HSTÓR D \ LBERDDE J.\ Bdtôra Cvlzaçã J Braslera va lançar em! 95, cm vnte ml exem nlnres ncas em unu! dc frmat, nv lvr,lc Vram Crrea pura a lls! venlu nttulad! ra ra Lberda n Ura J s», O lvr surá lustrat d a quatr cres e va! nauurar uma nva mí dalda nas relações enj re edtr, autr c lustra dr: senhsta Eurjèn! Hlrscl será cnstlrad cí autr ta bra, dvdnd, j cm Vrat, s drets au > lras, Cm esse lvr,! edtr Ên Slvera preter J dc cncrrer a. Pré J m ra Prmera Benal d j Lvr, a se realzar em! Sâ Paul, em setembr! rle M. \n+r++4 fc»»a»er». Numa rda rle ams, flvernadr.luray Mauallães fmentava que lamentu perr a clabrarã rle lma Maleelr, e trcu a sua p psçã dc Secretár rns K nanças da Baha, pr uma ca tra na ssembléa Cnst í lunte da tluanabnra. Dsse Juracy Maalhães que lmar c un hmem nteír, maj mut exlííenlc, nã rar.. mut ásper. Cm am, í?. nã ha melhr acresceu mus. P um Gvernad! f c(»n nm é lerrível. Dante ssa afrmaçã rle Juracy. Carls Lacerda que trate tle pôr as barl d mu lh e evtar s telefnemas áspers que clã para lmar. 6 Du cntrár, encntrará n Leslatv carca um elt ment capa tle clcar vern n vd luar MUSEU Gvernadr Lacerda acabu cncrdand que s : lunclnár c Estad permaneçam á dspsçã dn Presdèntuncnat í wt t»nww K_ «.. >>»,,,_,.,.. _... f;, <_ ll_._. m.. m n..l.r.m ts rt Ml. ca da Reúblca pr mas ds meses, pnra servrem n Mu ttu da Republca, Neste pra, mrtal Jesué Mntell es pra cnsentu cm futur Mnstr da Educaçã e Cul lura a aprev.cã d quadr d pessal d Museu, nprveltnn d aluns ds funcnárs requstads e própr pessal d Estad FOTOS :fzem HSTÓR Três lchauas na lha d Bananal: Embaxadr Sette cr.mara, tuchuua mesm e General Nelsn Me. Recc brtf lrultamcnte s vstantes, cacque da lha btu fn c ectr rfc ala. psand cmpcnctradamente para t bjetva NÃO CONVDDOS ) Ne.a altura ds acnlecntuts, t mas fácl sabr quem nã f cnvdad pa, Mnstér tle Jân Quaís. Um num d Senadr fns rns pr exemp lnu telefn para parlamentar carca, para nprnenlál pela sua fultra nmeaçã parn Mltlstél tln Exterr, De Brasíla, fns rns auratleceu s cumprments, mas, nltmn que nlé aquele mnul nã hava recebd qualruer cnvte d.lán. sseluran fntes lhads a lul.r Presnte, entretant, que rns.á está cnvdal, Luís Vana Flh retr lu ten, ra üaha e Cllll vursíu ;mt.s, clsht. mes que rns: nã re ebera qualquer cnvte para se ltular da Hducaçã. r línquant ss crram nntí t,as que Uernartles Flh sera substtut Clóvls Sal.arl. já que.lán esla ra nclnad a cntemplar P! cm um Mnstér. ljar Kenall também nfrma que l cnvdad e n mes nm cas eslá lmrante lú Mera, para Mnstér ta ndústra c Cmérc. Pe l vst, u s fu trs r.lns trs sã mult re tjfvnds, u mult dlscrcl t mesm, esltlnteelelt...; E OUTRS HQRSj % SeBdr Benedt Valadares preten elreqar, n crrer 96, a edtr Jsé Olymp, s rnas «u nv rmance, que já se acha em fase revsã fnal.» nle Vams Janar, que servu prpa anda para a canddatura Jã Gulart à VcePres dênca da Repúblca f transfrmad pr seu autr Vams Muel Gustav num samba carnavalesc: sam h»r, ja ravad cm sucess pr César lencar Prefet srael Pnher anda nã sabe n va res dr: ele própr quer fcar em Brasíla; sua espsa quer mrar em Bel Hrnte; s flhs (slters) querem re rnar a R O assunt será reslvd ns próxms das. 2 Rsaly Rnll afrma que lq após fechament < Expsçã nternacnal ndústra e Cmérc, re rnará a clé, cm E cmenta: prfessra prmara % s cranças n. me cnvdam dãrnmenle para jantar. (ra,.., Os pessedstas carcas cnsram certa» reeleçã Glbert Marnh para Senad Feral, m 962. E, uma veí reelet, senadr «r; sera ran canddat d PSD a Gvern da Gíanabara, em 964 Everard Gulhn esl ranzand uma cara vana s jrnalstas carcas para r a Pará, a fm ass r a psse d nv vernadr O Deputad Francsc Jula esta abslutamente cert que Gvernadr <d Sampa se enfraquece eletralmente da a da e que terá. r w w jü. j u t; l t ã«><»v> »»»..» puquíssmas pssbldas fazer seu Pernambuc. O Presnte Jân Quadrs terá uma v»9«n Suprem Trbunal Feral l n nc seu vern: em ma cará na cmpulsóra Mnstr Nelsn f Hunra Dívsõ rfa Eurpa, a c Àlrlc (DEM, d Dcerrlatcnt Ecnômc c Cmercal d tamarr, preparu rtr da leqçu ecnômc braslera a Cntnente Ner. sua m«?a cnstrá d c,,td ds ps.bldas dc estabelecer um nícrcâmb cmercal cm as nvas nações afrcanas, vnndlhes CENSUR PROBU FER ZUL! ênca Nacnal tl.trh ntem uma nta d Servru Censura dc Dversões Publcas, r DESP. prbnd a en exbçã, td terrtór nacnal. da pclctlla ln_a meta em Fera zul, prduzda pela Th Flmes nvrlca dn Sul l.wl. (empresa janèa.. lem a Censura (pe flme prcua stensvamente a lula d classes e atenta cntra s nteresses da sceda braslera. Estranheza causu s l qu um óraftn âmbt esla cm lual crete prbçã td terrtór nacnal. Cm atentatóra á mral, f prbda lambem a musca Dutr 6 (jnn Va, C Pedr Fernans Jã flatsla Lma. NTÉRNÀCONÀÍ.; TELEGRnMS.? : > évfís 7ü \ íífw va fíajdanal fm 7. fw \7 \ Cmpanha TbMm. Braslera XFORM: Lações nlcrrlnas da (da l R.Janer para Barra d Praí, Vassuras e Nva Frbr partr sábad, da.5 janer, as lações da cda d K Janer para BRR DO PRÍ, VSSOURS e NOV FRBURGO, serã btdas dscandse cód H7. que será utlzad em sbsttuçã a cód MM. < lmpa!ha sllra an t«mnrl«s d srvd («lefó«ru «dad» l K»!{<.jn.r«. vlabrarm nn d\ hu»v:» d n»v.ou!»» para BRK WO M /fm,. U VSSO. KS «NOV MT \ FKK.O. «Éra«l«MM««mh te b»n vttnd f/a/eêkvhkwtwkwwawkwtwbt seja máxm em ím > tf JM ;..: Prcurand servr melhr esprte... «:(_ VLT!e\ 4/wum stbb athal. wwèrw w\wm\\\\\ wwbm HL alblll wlbmbk albal abaalbm [HS H BaH R ahal ttm. 7 í MtJ \. Palelespe. s....39, Calçaespne eax.5, Calçaespne em fma abardme.2, Calcaespne em cambraa.35, Camsaesprte. m/mana. Vanas cres mrnas, s 44, Shns cm suna, vanas cres e padrões. B5, Shrts cm suna, xadrez. 225, V t Dfl CQSfl! b. sea.oj3 e cmps Oupa pa à aca.e.e bam RETRTO SEM RETOQUE DLC Hnr ste rs sabam au a nssa Marnha psfcu um crp páraquedslas. í> tmj.a.s dt clube fecladsslm O cunjt S) r rup «àr «marlnes trenad; pel K.v,r ct pela ernáutca. E lóc que tenha a.marnha seu crp tle fuzlers navas, marque páraquerlfta <pjam prla própra cndçã. uma atrbuçã dn KH t «l nnuém ;>jtb tltdar f lrasll «tínatan da O e «abarts íp turança nelí fxadn nau permtem, pr txempln. Uf um helcópter, pr urus tllfcrenun mes dt cmuncaçã, an na msma área rl< avõc«ps br rn ( llópterns cnnrars pela Marnha, e sem rstrn nn rleparamenl cmpetente, seupamente mvarlem n /na lançament r pnrqut d tr.ma. durante a realzaçã ne xprcc» E adn daquele que uc lazer advertêncas. Dutrna rle Cperrç, que e np;ans:na para as Frças rmara, é cumprda nínrsamenle pel Rxérct e pela FB. enquant que a Marnha la nà n.ma cnhecment, e pr nã tmar cnhecment as sua. dabruras freqüentemente rra/.em prblemas as Frça» Terra e r Mas ma pnt culmnante rlr,s csões d ferhad f ndscutvelmente a cmpra d pr laavões numa épca em que um dmsaur., rlése. rle hí mtltr, f subt:tur pels.sub manncs que ãu cmprvadamente a arma» efcentes na lase atual dn mund. F.ntre va ras rvefv ssa preferênca pr um dlnsauf r está a exbções festvas ns prt» Í parada Submarn anda n fund ras a«u«e prtaavões em rma. Prprcna um <hw % c prjavut vu unu. [lupuwut. mas cmplet c mas cratv. Sabems t e~.jb a> cvjt praa, canp, t. udes. N Lu e ss e Mc p P ajuse, O Mas Fechad ds qu«n presente, s navs superfíce estã lqudads cm arma uerra mas., n ras da aqusçã d prtaavões, para avadres nava.s. há utrs mtvs que na s preparar lrasl para batalha navas,.» betslhes d reacnarsm e TRTSE estst, sté êfra, ttm sd janhss pla nssa Marnha Brlste p«r»css avlec naval? O que exlst é aerprt naval e psta ftuante N exste avlaç naval, p«la mesma rax que n exste marnha ferrestre nem marnhe aérea cntece também que ne atualda, es avões já n tm mas aquela lmtaçã autnma que t» que preul das suas característcas p» rend em pstas restrta» cm a psta flutuante u navaeródrm Ma puc temp atra»» prtaavões se justfcavam, mas. hje, pm s avõe» partr òe qualquer pnte da terra e atnr qualquer pnt ela terra u mar em qualquer hra e cndções. st se quserms falar»m avã cm arma d passad, uma veí que fram nventads s fuetes Daí acharms que as relvlndcaçes da Marnha, ntrduzdas sb ar jument da necessda avadres navas para prtaavões é mas uma batalha d reacnarsm d que um arument fesa das cstas brasleras Na sera mas acertad que a nssa Marnha cudasse cm mas carnh e betvdad«d setr transprt marítm e cnstruçã na»al, cm faz a ernáutca cm s seus ntáves servçs d Crrea éree Nacnal? Pr que a nssa feehadísslma Marnha em vez adqurr um dspends prtaavões, nã aten a nssa Marnha Mercante cm fa a FB em relaçã a vaçã Cvl? Mes a Marnha, pr ser elteellfssma, prefere slarse em seu ren, nrar a, necessdas bjetvas cnjuntura braslera, prefere cntnuar nelssta num» épca em que até a própra nlaterra ja funcna cm utr» sstemas.»» resum ds hstóra, que ),.,pr PR fet em prmer uaar era a nssa Mannua xar t íecharse em s mesma e pr em execuçã a Dutrna Cperaçã narsamente cumprda pel Exerct, pela fb, em sekund. recnhecer que a fesa das nssas cstas é mas efcente se fe.ta cm avões sran ra açã d que cm un. d; vjaur recnstruíd, em tercer, medtar cm urnef «6brc a pereentnem d nss resment para as Frças rmadas n r.a há nenhum rendment em face d uma tremenda dspersã cm E»«t» supérflus, em quart, cntrbur para se crar ser rs Defesa, dand an EMF c a Chefe ds Dete«? pdêres re execuçã, em qunt cnvencere rle que lmrante Nelsn era nfles e a mrreu ha mu.ts ans. e que as netef.,das cncretas d Brasl exmem. ara. utr tp clabraçã part d> nsss brass marnhers RESPONSBLDDE DO GOVERNO NO BSTECMENTO DE TRGO STUÇÃO D NDÚSTR MOGER \, mment em que abaecln tr passa pr m; s Uma suas fae» cru» ca.s. precsamente quanr! «e nstala na Kepubllca nv Gvern, a ndústra nratera df Estads d Sá Paul. Guanabara. Mna Geral, ft dc Janer e E«pr:m SaT.n. Pr su.. entda» tle elas«e. sente«e n. er elarecer a pnã ptblcn sbre relcam.;. aspects rln prblema P Decret n 47 4fll dt 2 tembrn 95S. que rerulamentu a malert re«t; camse meddas, rle enráler mrnllzadr. que vsavam cerflcamtnt das atvda um ds setres mas dscutds da ecnma nacnal \s autrdrs feras a tu.m nmuet a execuçã da plítca rln tr, nà e nrecuparam. entretant, etn mrnar efetvu >«salutares prncíps cenr.r.d nqut» errt Keservandse para apreítntar. etn usaüu prtuna, uma aná!r ma prfunda tlt a à marem ta le. ns f.nu,:<ms\ as l«enç««leas, em relaçã as qua; e cnhecda a pslçân ds Sndcat» «nnal. r, nâu «r pe ns prnurancnln?., aut ndas. rnmn eas publcações feta., sbre r>«quas estr sent preprrad um Lvr Branc a er enr,.utas nvs lnntcs d Pa. a«entdas swnalana juluam unprescnrvel mencnar aluns lats para cnhecment ra pnã públca e m<la exame ta aut rdnd» O Cnselh d nttutra e a se«stna Técnca d Servç tle F.xpanán d Tr»t>. nr cas crads pel reerrl cret, e aue pram fscalzar ats. nã d ram rnnstlturs ate bje mas um an crrd a> sar tdas ns entdas sndcas terem mdl cad n vd temp, s seu representantes Cm setr tln tre e:a «b cr.ntrõle tr tal d Estad, mesm d<< ret estabeleceu que, enquant Gvern nà rntrerase res mlhões tneladas tle tne. nenhum mnnh> que entrements st nst..las, nn Pns recebe na qualquer quta sse cereal O que nspru <>«a nrma leal f n cr tér vmle. pel qual a quantdas tle tr. sã d.rbtdas pel Cnérn à ndustra prrclnalueue a tapaculale rle rn nsem ssm, mar númer partcpantes t r.t. redundara em preju/ para nhs ja exentes, prejuíz que sera r.v> «das tmpna cm também d rnmmd. l>.umen te máqun: parada ec\,, n,u da lannha e. cn.sequer.le. preç d T.dv... apesar tle nà r..tnda ;.qe a quantda trè< mlllfns mnel.vlr vs mnhs sursram e utr fram» tads. qur ve aravar < bnprveltnmet d parque maelr exstene Tara que se tenha umn dí da tuatà.(.! alua hasta cmparar 9SS cm M» quta tle tr anual par. td r> Pf«2 4HÍ ( tnelarlr..parda re maem ta maqunas reslslrndas Sases ar» t tabeamente t» tm» tc nartn.l tnelada t» 8 3 raspa mandca neaa Cr >!3Pm saln mínm l>»»» dn Pau quta trf anua 44w tneladacapacda mssem das maqunas restradas 8 2 KH tneladas \ erllcase. assm. que. rm n» an ape»»r te tds s prtest enramnha ás sulrdnrle. huve urr aumeun dr maquna nútes rrrrcser.tan urr mllhè, treent» t «etent» ml nvecent» e «etent» e telt tnelada capacda macem Uuem e respnsável pr ss Ouem respn pel dlspênd nútl precsa» dvsas que fram aplcadas na aqusnr a maquna quand a exsta matpreetlandu 4 sv 6,í quatr m íhhtl qunhents e uarent» e nre ml, sescent t cnqüenta e flua tneadas (W Ce pacra e maem em apuraçã ndumn Quart «n abastecmeu, e cnhecda a psçã ras entdas, nâ s pels prmnnamens ar. Senhr Presnte da Repúblca, as Senhres Gvernadres ds Estads, a Penhres Mtnlstrs da MfTrulturn da ra :enda e ra KeaçK Extrre». cm pels manfests publcads sp n Gvern frnecer tr cm re.ua rrla. cm reculardatle ser» fer abastecment \a e ss tdava que lem crrd O que se \ enf ra f um permanenr tu mult n abastecment cm rar mments re abundânca e uune permanente e«cas«e. respnahldatle «bre as dfculdas d abastecment nà p ser atrbura» nduetn» masera e sm a Gvern qur f tem r. cntrle ntera! déss, setr n Pas,ne«rr dss, a precupaçã cnm abastecment levu a ndustra maera s«as /, tvvppnnftmcas. sb a é e cm a hmlacàn d Mnstér da rcultura c an med. nn paament ams as ma «,.,«> d St.. a receber transferenca rredts dr tr, tend és«e Mnstér assurnd n cmpr.ms. re sua entrsa em PW, rm caráter preferenca K spet r encar fnancer qu u maelrns lram brads a suprtar r d rmtmss frma! das amrdas tne trrepnnte a ea transferênca na f entreue em sur, mar parte nutr a.sper merece especal atençã, em face d prblema ecnômc que envlve. t pr,ç vente tln farnha tr f flvdn em feverer tle lomfl Fm sua fxarã a ((PP se baseu ns elements cmpnentes dn cust ntrr s quas se stacam P da m«ténaprlma mj<>hra e transprte psterrmente àquela data. verlcus a mraçà td. ts cmpnentes d cust r prdut,.m crrênca d encarecment das utldas e ds auments termnads pel própr Gvírn sbre mt.tenapnm» mshrk e transprtes cnfrme mn» trncr abax» n lnl ma Om tvr tnelada tr nacnal Cr» 6TM Cust» atuas t r$.8 3ô:;.:: tlnfcac a nllcult pr, rnnt dn» mnh» Cr$ 4 fn % («Kl Cr S..5 J Hje, Flamen, que cní quetu, cm habtual bravu S. ttul dc prmer cm \ pc d Trne Octnal, ta : lend brlhar m, um veí n aneír nme d Brnl, % \ t / WrS mbm \ U 7 \ Wk# r t flj r Z l? Z\ CW rts m «r>t7?z7m P ulrldas rrr:;:»»;:;rzcz Cnxem ressaltar que, n P«ssad a. m Em 2f janer 96 respnsa e,. clnand a lndú; SNDCTO D NDUSTR DO TRGO, NO ESTDO DE SO PULO SNDCTO D NDUSTR OO TRGO, DO RO OE JNERO.

6 jjsfsmsw rv! >;:;w:c ppwwnmww ís3s«3eís5íísssw : j! J PÁGN 6 SextaFera. 27 Janer 96 ULTM HOR Prntdã em nla Para Receber a Bala Nav jbbjb» MMDm mm w SHNGTON, 27 (FPUH s últmas nfrmações da Marnha nrteamercana stuam transatlântc MCMLLNDE GULLE LONDRES 27 O Prmer Mnstr Harld MacMllan dsse ntem aue talvez se cupe das prvas atômcas trance sas n Saara quand cnferer.car cm Presnte da França, Charles De Gaulle, neste fmscmana E Faland na Câmara ds Cmuns, MacMllan, dsse: pssível que esta questã sja parte nssas cnversações Prem acredte que esta frma cnversações cuja unca pecularda e que vem ser cnfncas e vem aba car ran numer temas cm tal esprt se frustra, a se antes u aes las eu tvesse que cntestar peruntas em talhe na Câmara ds Cmuns UPH TERMGcM DE EMERGÊNC MMl 2 l m a\ u a actn Rens 72, da rlnes cm 7 pc as a brd, te/ aterrarem dc emerênca n acrprtn nternacnal lcal, ntem sem qualquer dfculda O aparêlh lcu a p.sla cm as das d lad dret t trem aterrare, para que as t ad esquerd fssem pupadas lâ que tnham u pneus furads O ran quadrmtr. p ltad pel Captã Mel Car aterru as 2.4( da tar, hra lca e ps percrrer a lm:;! psta paru senmares prl.lema. ( aparelh estee vand em crcule du rante laru temp paa dmnur u cmbustível a brd É maquna paa vôs clc percurs méd TREMOR DE TERR LM 27 Um tremr terra reular ntensda sacudu Lma ntem, prvcand cert «ílarma entre a ppulaça s prmeras nfrmações sa que nã ha vma nem dns (UP) DELEGÇÃO SNDCL MOSCll. 27 P \ ênca ntcas Ta.ss anuncu m uma leaçã sndcal svétca, chefada pr Mrzamahuul Msakhanuv. secretar d Cnselh Central ;! Sndcats ra nã Svétca, partu ntem para Havana. cn\clada rclç Cnferaçã cs Trabalhadr» clc Olha RELÇÕES DPLOMÁTCS LONDRES, 27 (UP! GrãBretanha c a Republca Árabe Unda restabeleceram ntem ttalmente suas relaçts dplmátcas nterrmpdas após a cupaçã d Canal dc Suez anunccram que trcarã embaxadres. DEX LONDRES LOMRKS. 27 lpth ( Mn lrn rle Kcnm entn, \lvar snaray. ps term a una vsla dc d. das a esa Captal, durante a qual mant ve prvetsas versações cm funcnárs, banquers e empresár brtamru cs. Mments antes je ~euur para a tála. lsaray clan aerprt: mul satsfet em as cnversações estu que mantve em Lndres durante s últms ds das. PRMER REUNÃO DO GBNETE W SHTNCTON. 27 l n n abnete ds Ktad. mdn.s realzu, ntem, sua prmera t sã. rum Presnte. Sr. Jhn F. Kennedy, centr da ampla mesa c salã sessões da Casa Branca Kennedy exrtu secretárs Estad a dzer francamente tud que pensavam. Manfestu que esperava que nessas reunões cln abnete, que c realzarã semanalmente, serã dscutds re frma clara c franca prblemas mprtantes. PELÍCUL PREMD ROM. 2 c mprensa prêm da Estranera para a melhr película talana cln ann 96( Rc f utrad a e Seus rmãs, dt Lucctn Vscnt. Kap. Pntecrv fcu em seund luar cabend terrer Era pst ce Nte em Rma, Rsselln. Outr prêms: melhr atr. lbert Srd, melhr atrz. nna Mana Ferrem Cmpuseram jun sse prêm treze jrnalsta ca mprensa estranera acre dtads na tála. FP. RÁ Ã ONU MOSCOU. 27 Observadres dplmátcs acredtam que Nkta hrushev ra a Nva rque para assstr a lberações da ssembleagfrjl ra Nações fda.. em març, cnm cam nh pssvelmente abert para uma entrevsta rm Presnte Kennedy. Esse.,t.:\ adres acredtam que Krushev elmnu prncpal bstácul para uma cnferênca cm Kennedy. quand cvern «svétc ps em berdare a ds avadres nrteamercans dn aparelh RB7. (UP. RENÚNC DE SPÁK PRS. 27 pntes dplmátcas cntal fdnas nfrmaram, ntem, que talvez renunce em breve Secretárda Oranzaçã d Tratad dn tlântc Nrte NTO, í; Pau Henr Spaak. e seja sucedd pel Mnstr d Exterr da Nruea. Halvard Lante. Outrs nmes mencnads cm pssíves sucessres Spaak sã: representante da lllan da na NÜ. Drk L. Stkker. e ex.mmslr ssunts Ex p tenres d Canada. Lester Pearsn. Cnsta $ 2. qne Spaak já apresentu sua renunca a car que sempenha s ma 957. tp.. SMSÍSS +++>+++++ Mara a 6 ml Trlnldad Seund se dss em San Juan d Prt Rc, lhas a leste Frtalea (Brasl), e a. mlhas a leste nav ná velcda que senvlv atualmente, antes uma semana, prá chear a nla (sul d Glf Gune), a prx ma d a me nt Prntdã em nqla CDDE DO CBO, V FPUH) S transatlântc rebel Mara chear a prt Luanda (nla), íerá recebd cm armas ã mã claru Dr. Slva Davaras, Secretar d Gvern Geral dc nla cm uma cmuncaçã telefónca cm jrnal Tmes O Dr. Davaras acrescentu que Exerct, a Marnha c a vaçã s encntram em estad Cap Estams dc alerta, prem que ss nã snfca que estejam dspsts a dsparar preparads para qualquer eventualda, dsse, prém, esperams nstruções talhadas dc Lsba. Subese, pr utra parte, que se s passaers sembarcarem cm Luanda, prã ser aclhds n prt Espera lcancdl nterrmente, n.s stróeres lavra.. utra pessa, nlês nla tem uma Oucn..t PRTO RCO. 27 TU nrteamercans Rbert.. felu ;, que acredta ve frntera cnm n perturbad O Mara está send sud nte e da pr avões da d Prt C.alváu ; Wlsn amnt, e zarparam ter sd t própr Galvf. fun s nacnalstas afras 2. hra brasl ; acetara una uma cntrenca.. temp que se pnha fm l d cans vem pednd s há.marnha amercana e pel subnarnn atômc Wnll. seuçn d transatlântc, uma E a respsta dada a Kraus mnaçã prtuuesa al. E pr lera nara cntnuar a per Sea qual es per.í alcançál amanha. ve; reabastecds embustvel. f renca cm representantes Humbert sejam recebds cm f: Sm. cetams uma cn. vável que Galvã e eneral n me d.tlântc. Outrs submarns cnverem sóhre Ps cntratrpelrs nrte J nrteamercans, u qualquer nutr pas. excet Espanha mens da ppulaçã branca entusasm pr un setr pel Mana. amercans ele esclta se fzeram a mar apressadamente pac Prtual. C;v Prvável! ra rencar a busca dn transatlânte Mara. Os en lnha urm pedr a nav j Kraus cmuncu, entã, que nla. SÃO JOÃO, 27 tupuh p Leal O PrmerMnstr Rbert prtuçuês, tratrpers.. Wll, que reressasse. LONDRES, 27 tuplull Um ntôn Olvera Salazar, jã Pama Nã.su e zarparam ãs fare Ca respsta f jurscn.sult brtânc dsse se Cs em açã para enfrentar 5. 2., hra dc Brasla e.aleórca..mnha [ trpulaçã acredtar que eneral llmj a ameaça. O Gvern frmu puc ps faza mesm a nã è nm punhad pratas. um anel prtetr navs Hllesay. bert Delad seja ] fraata brtânca st, ap; rentenenle. f dl prclamarpur se uerra em trn cas clônas. credtase que chefe um Ma Galvãc. Durante duas hras e vern pr j Salazar efetua freqüentes reúnes cm seu Gabnete para nrte d R maznas. O Ca sbre ra esteja umas mlhas a mea Krrus vu em círculs vsr prtuuês, para lrar Sanla Mara prteçã leal para ns hmens cnsrar a stuaçã. Rbert pssessã prtuuesa a lí»! se cn elaru que em sua plã d.. Wlsn d» SN. N. Prt Rc, 27 que estã n Mara. UP Ul pnã O captã rc! Dsse que hava le precentes, sra mas prvável bjetv Mara ruma a Recfe. bel d Mara se dra ntem, reslutamente, ru! ds Estads Unds. Ns cass. cuja unem f a uerra cvl Galvã para um sembarque e Pernambuc, nqla, n nã há frcas fensvas a ln da ard.t avões da Frca érea ds Ks fnçã cm vern prtuncs e cananses nearamse ( mesm temp quatr dus m á frca e a uma pssível. aprecads, s trbunas brta csta sul, e n um sembaraue pra causar rvan lads Unds utlzads para dar apesar drs pedds da r ; a cncer a extradçã ds hnmens tds. rumentaram j em parar d Mamacl nrteamercana ; cpe te 4 5 natvs já nflamads pels d Cn. acntecments Racnads s lments SÃO JOÃO, PRTO RCO, 27 (UPUH) Uma nensaçcm radfônca recebda d transatlántc prtuuês Ma ra fê saber que fram racnads s alments e a aqua n nav, embra s 62 pssaqers estejam perfetamente bem. Cuela Ds EU..WSHNGTON. 27 lpll s autrdas dns Estads Unds pretenm r.ã se mseur n cas d transatlântc lux prtuuês Mara, «prsad pr. rup revlucnár, a mens que cerram per as vdas ds passaj.ers nrteamercans que estã a brd Pensase que Gvérn brtânc tem um crtér anál sbre cas. Cntnua Perseuçã PORTO.SPM \. 27 UP LH vões nrteamercans ca hase ce.»» pul avstaram ntem, a nvda. transa Sante nntc. M.vr em un lua d.álíc. stuad n.s U7 n araus ce lattu Nrte e 4.27 crau le lnctu Oeste. umas 7Í mlhas a suste clc Trndad e ã!) núllas a Nrte r Brasl. ra fram transferds ntem, j para uma base em Belém, Brasl. Sã cmpanhará LONDRES, 27 (UPUH O Mnstér da ernáutca da GrãBretanha anuncu que a Real Frça érea ná reallarà vôs especas para acmpanhar a marcha d transatlântc prtuçjués Mara. RthesaY Desstu LONDRES. 27 FPUHl Rthesay fraata brtânca xu perseur Mara vd ã ran (lstãca cpe n separa dn transatlãntcu prtuuês..anuncu, esla nte, un prtavz d lmrantad. Cnfrma: Cnferênca (l plt cpe prmer eslabclccet cntat cm Mar. aprxmuse d barc até var a uma aluíra 4 me Us. nnd>. cm a ajuda bnóculs, pódc ler nme ela embarcaçã. Uns 5 ds 6 passaers se nstalaram na ppa d Mara, atand s braçs a manera tlc saudaçã. Está tud bem a brd? f Tud sua prmera perunta. Sanla va bem a brd cln Mara. Tn a resp sta d radnperaclr em nlês mul bm. Nn fund. Kraus pda escutar a pa sembarcasse seus «2 pas cm èxtn que eram belran saersrcféns em um prt sul les que lutavam pr urm amercan. vões meterló seu vern. jurscnsult fa cs ela rmada, equpads cra lu em uma entrevsta á mrrlar. mantém sua vlânca pr..sa e pedu que nãn se men sbre transatlântc, enquant : cnnasse seu nme. stróeres, também nrteamercans. cnvereem sbre êle, Prt ten e ela Áfrca. Slzar Cnferênca LSBO. 27.Tl nl < mnstr da Marnln, Sr (quntanlha ele Mendnça D./. vstu, ntem, á ta lc prmermnstr. Olvera Saa /a para bater a questã cln Mara. Sua entrevsta cm chefe d fvèrn prtumes seuuu um da nter cnsultas cm sus prnc:pa t labradres. Nã sc líu t cnhecer nfrmaçã aluma cncernente à reunã. O mnstr da Marnha cntnua mantend slênc. LONDRES, 27 lupl U N cas d captã Henrque Galvã levar transatlântc Mara à nla prtuuésa, prá crar uma stuaçã ptencalmente per L..sa. Crrera rsc un cnflt dret cm as fõrcas armadas prtuuesas cm, Cu também causara ataçã cm un terrtór n 4.5((. natvs vvem junls cm 5. eurpeus. Kennedy Receberá Hje s Ds vadres Lbertads SHNGTON, 27 (FP) O Presnte Kennedy rá hje à base, Neu nfrmações W aérea ndrews, pert sta captal, para receber pessalmente s ds captães, Jhn R. Mclcne e Frrmr Olmstead, cuj Embaxadr ds Estads Unds MOSCOU, 2 (FPUll n RB47. avã l rrubad pr caca.; svémcs nas áuas d mar nesta captal. Sr..lewclyn dc Barens, a julh d an passad Thmpsn, neuse a dar mcnr talhe sóhre a.s cndções dar essa ntíca, Sr. Plerre Salner, da Casa Branca, elaru que s ds avadres úncs sebrev ventes ds 6 que plítcas pels quas fram pstes em lberda s ds RB47, trpulavam vam ter chead a esta cental ntem. Na plts sua entrevsta a mprensa, Kennedy nfrmara que a partda ds ds plts Mscu hava sd atrasada pr causa uma avara n avã que s transprtara. s espsas ds ds plts que fram traldas Kansas para esta captal num avã mltar, cheqarã à base ndrews nas prmeras hras da manha, quand se esera que chçuem também s ds plts nrteamercans. s duas senhras estã acmpa. nharas pr um médc, ps a espsa d Captã Olmstead se encntra n 8. més estaçã. O prtavz da Casa Branca precsu que nem s plts nem suas espsas farã clarações à mprensa, mas que cheada ds mltares será televsnada.» S + S+ SSSÍ PONTO DE VfêT MCONl! f FZER? CETEMOS, pr hpótese que natureza tenha sd td madrasta para cm 3:asl, Bratl também em... relaçã... p e trle. Também, ps na ha rns esperanças que ná tenha sd n ccncerncnte a carví mneral, pr exempl. E da? Será que a Naçã ve merulber em prant, pedr reme tutela à vanuarda cntal, prpr que s aentes executres tal reme sejam s hmens ds cnsórcs pefrlers nternacnòs, cm seu crp basler fensres, prmtres, cnsultres, subdretres? Essa sera, pr cert, a attu cmum as prtavzes da vanuarda: qualquer prcblcma e pretext para a nternacnalzaçã d Brasl. Nada às nvestar que nteressa a nss Pas; há sempre pressupst que nteresse nacnal brasler se cnfun erm nteresse da vanuarda. smples dscussã das teses ntrrn.cnlzantes cnsttu mpertnênca, pel mens; se é que nã nunca csa pr déas cmunstas persas! N cas d petróle, va se trnsnd dfícl precnzar a nternacnalzc,. ja que a natureza se scuru ns dtar rances jazdss, fáces ntfcar. nternacnalzar que, entã? O rsc da pesqusa? Mas, Brasl ja en!renta. Os lucrs ds setres rentablda sequra? Ê esse alv a atnr; mas, nà é fácl vncjr a tese que Brasl ve sstr bter lucrs ndustras, em prvet da vanuarda. resta verfcar vdamente se ÍJ. NMure/a ENTRETNTO, f. mesm,..vara em Brasl, em matéra ele petróle. Quem sabe s(_. nae, f lcl. Se aeetássem certs téennssa natu cs nacnas cm nterpretadres autêntcs d reza na lera sd perfurad pç n. lf. d D N PM n Lbat. O ntérprete la. n cas. chamuse Oscar Crr, que nã era eól; era apenas pertnaz e se recusava, nstntvamente. a acetar a palavra ele quem expunha déas traruzclas. selecnadas, em vez elabrar déas sem prercncets e cm ap ns fats bservads. Graças a temsa Oscar Crr, e ele utrs, senbru se amm óle mneral na Baha Quant anda prá ser scbert na Velha Prvínca Quem sabe em certeza certa. Eram apenas 5 mlhões barrs recuperáves em 5í. a se avalarem ben em que a l.nã ncrpru captal ela Percbrá: sá 7( mlhões hje, seund claraçã el pre snte da empresa estatal. Pr que ná vrã a ser um blhã. um blhã < met, ntr ds próxms cnc u z ans, só na Baha? Enquant se ntfcavam esses 7 mlhões rle barrs recuperave». a Naçã spenda, em ld País, cena CS.» 35 mlhões, send meta em cruzers. Mesm na hpótese que nada represente c esfrç envdad fra ela Baha na féz mau neóc. plcu lss 2, e mas cruzers equvalentes a utrs lss.25 para ntfcar um barrl recuperavel n subsl: spenu bem mens meta daqul que s EE. UC vèm astand n últms ans. para esse fm. n seu terrtór. D pntvsta fnancer e apesar els peares e que pesares!. a Baha respn pels nvestments fets em td Pas na pesqusa petróle. PSS questã ná p ser encarada manera assm suma X ra, prém, cm se ela crrespnsse smente a um neóc. O petróle tem utras mplcações, n Brasl, afra as natureza puramente ecnómcfnancelra. E, em ran parte, f pr ss que a Naçã ptu pel rsc da pesqusa, cdnd arcar j cm as cnseqüêncas ds fracasss, quer resul tantes madrasta, ela quer crrentes dc má estã. ; u, al mesm, sabtaqem. Cnquant s respnsáves pela estã má pretendam fur a realda admssível, uma ela mens dadvsa d que a antevsta, a Naçã ve cmpenetrar se que ptu pel J. SORES PERER Exclusv UH melhr, reduznd cefcente ncerteza cm que se cnduz em relaçã a petróle. Sc as frças plítcas respnsáves pela nsttuçã d mnpól estatal da pesausa tvessem acet, err, 953, as prpstas aplcaçã recurss entã apresentadas pels rans cnsórcs petrlers nternad nas, a crse plítca d petróle sera hje anda mas rave, sem qualquer dúvda. lad d neóc nada sprezível que vms realzand, btvems um ran benefc, nâ mensurável em terms mnetárs: da revelaçã expermental da pssblda ccnu7írrtcs prblema nacnal d petróle pr nssa cnta e rkc. Pssblda apenas, cnvém antar; ps há mut que fazer para cnseur máxm rendment d esfrç já realzad e d anda pr realzar. Numa antevsã sumára d que precsa ser fet, em face das crcunstancas, pms cmeçar pr fazer sbressar a necesska urente... crar juíz. Crar juíz para nã malbartar recurss, aprvetand tdas as chances que se apre sentarem para asseurar suprment nacnal rvads d petróle cm menr dspènd pssível, quer meda nacnal, quer dvsas. ss subenten prramaçã raclnal da atvda n setr d petróle, sb a é d Pr Publc, e r.:, alheament vernamental, cm suerem s prtavzes da vanuarda. HKN! KN. prsseument da pesqusa n a técnca S ndcar: e ná só a técnca tradcnal, mas lambem a ue resultar ela nvas cnqustas d espírt human nesse ram d cnhecment, Subenten ; lavra bem rentada nas jazdas \\ scberta. e pr scbrr, para a máxma recuperaeâ ela r. ervas. Subenten a utlzaçã el xst bctmns d sul d País, preferênca sb a frma assa, quer para substtur óle cmbustível, quer para ser empread na prduçã aç Subenten a revsã d.s esquemas prv,fnenl da> refnaras exstentes, u a cnstrur, para pr> dtcá máxma rvads nbres. Subenten a cncentraçã da. mprtações le brut e rvads, aumentand pr rle baranha d País, nas uas relações cm exterr; r transprte marítm sb a banra nacnal, ns máxm vlumes pssíves. Enquant nã se scbre óle mneral fra da Baha u f avanç tecnlóc nã reduz a pendênca atual d frasíl em relaçã a petróle, Pa prá manter establzad, pr artf períd, seu atual r.spend dvsas cm a aqusçã prduts eneréles n exterr. Prá, até, redu7.l cnsràvemenle dspènd d medas estranera; esrasa.s, nessa aqusçã, sem prejuíz d atendment das necessdas nacnas. só será pssível, prem, se a atuaçã d Pr Publc SSO fr rentada racnalmente e cnduzda frma vqrsa. Na é csa que se espere d lvre j ds nteresses, em que s esprts mas temss nsstem em cncentrar tdas as esperanças... s nssas esperanças tem que estar vltadas, sempre, para a capacda nacnal real7aça, sem mensprez pelas pssbldas cperaçã externa, s que ns seja cnvenente. Quem cndcna prevamente qualquer realzaçã a ajuda externa revelase spreparad para enfrentar s prble mas nacnas. O Brasl nã se hã cnstrur cm dações vndas d exterr, mas cm trabalh ds braslers, nclusve para a aqusçã externa daqul que lhes seja ndspensável e na pssam prduzr. RB47 nrteamercans d.mã qus. tampuc, fazer cn ent, trs sóhre a snfcaçã sse at. Em entre» slã à mprensa, s embaxadr revelu que s plutes d RB47. Captã Olmslead e seu adjunt McKne, fram entreues á Embaxada d.s Estads Unds. Chearam acmpanhads pr um funcnár da mssã dplmátea nrteamercana e pr l.ís médcs, lambem amerleans. Tm vrt. d qu fcu assentad cm as autrdas svétcas, s plts fram levads n aerprt cvl Chrenetye. Mments ps em ha rea ram mun aparelh ela cmpanha hlandêsa cm stn a K..M. msterdã. Estavam acmpanhads pel add d ar nrteame rcan em.mscu. Crnel Nlsen. e pel médc da embaxada. Captã Martn. Os luares fram reservads n últm m ment pel Embaxadr Thmpsn, ja que hava sd nfrmad (a lbertaçã ds plts n da! anterr. ncnte Mas um ncnte técnc nâ permtu a claqem d apare \ h c s avadres fram brads a vltar nara a Embaxada nrteamercana, n permaneceram pr váras hras, tend smente abandnad a captal svétca n fm da tar., Jacques Sabah Tursm NFORM Hrárs avões para Brasíla. 6.) u CH.3 Oe,» u? 3 3..; , ,3» :: Dr D. O Ue Dlór OrV Ol. Olrnl 2 :< 24» «Ofjí V Sb D c. Dló. Dlór. Dlarl UH 3 5 S< Ol. Onn S D PPFNSE? PNR (7) CfUZEPOlJ pr«s ODE 4 VPG 5 PrJP (7) ODE (4) NB Ml V5P 3 V4ÍO 7.ach 7 VP (í PEl 5 VSP 3 ODE 4 VlhG lf Cen7rPO 5 PN! 7 PEl S VP. 7 PF 7) VPG 8 Passaens aéreas u rdváras crescentu que. a que parece. s hmens qu se apraram r Mara, d pn.santa t vsta leal, sejam prvar que sã belerantes às rns d Delad, para assm fur à punçã. Para lrar ss, Delad tera prvar que c leal um vern. Em Mscu MOSCOU, 27 PPrl Emtrads plítcs espanhós e prtuuèses partcparam, ntem h nte em Mscu, um cmc para apar a Seunda Cnfere n ca da mérca Latna a favr da ansta para s press e emrads plítcs da pennsula bérca que cmeçara cm Mntevdéu. Faland em nme ds prtuueses. Mararta Tnrres claru que a dsséa d Mara será nm fatr mprtante na luta cntra rej me Sala/ar. Pr sua vez Lus Balauer. representante ds j emrads espanhós, falu da nda perseuções que ca na Rspanha sbre s adversa j rs d reme Franc. Mensaem a Kennedy WSHNGTON. 27 (UPUD Uma ranzaçã nmnada cmssã para a fesa da l : herda em Prtual dru ; urna mensaem a Presnte j l Kennedy slctandlhe que rn.! tre as undas navas que bus cam nav prtuuês Mara. mensaem eslava frmada pr E. rnerrer, em nme da cmssã.»r#j###.. Nva Mensaem Galvã,«. NOV ORQUE, 27 (FPUH) O Captã Hnrlque G vã anuncu em uma nva mensaem pel rád que \ sembarcara s 65 passaers que sc encntram a b rl d barc, num prt neutr, l que seja pssível. mensaem estava drda a Clumbla Bradcast System (CBS), em respsta ás peruntas que lhe havl sd drdas pel rád. O Captã Galvã, acrescentu tnha que a ntençã j lbertar seu país c restaurar a dnda urna H mcracla representatva. Nã ns renrems nunca, ácr. centu Galvã, c nã ns xarems prenr pr nenhum esquadra. s relações entre s passaers c as frças cup«çã sb meu cmand claru Galvã crdas. Desembarcarems s passaers tã rapdamente seja D S svel, num prt neutr que arantsse sua seurança, assm» cm a nssa e a d nav, cnsrad cm parcela lbe \ trtda dc nssa pátra. s t Patrótc j Explcand as raòes que levaram a aprar sc! transatlântc prtuuês, Captã Galvã claru qu sc tratava um at patrótc nsurreçã da psçã ) dtadura que prme s pbres prtuueses, prvads dc t ds s drets cvs elementares c que vvem numa crunl mséra ecnômca. Nós ns batems cm a psçã dç. J mcrátca sb a é d chefe d Estad prtuuês. General Humbert Delad, únc chefe Estad letm! elet pr vtaçà ppular majrtára que recnhecems cntnuu Captã Galvã na sua mensaem a CBS. \ Fnalmente, anuncu que tds s passaers sc encn. \ travam cm excelentes cndções físcas e mras. + Prmers Cntats SN JUN, PORTO RCO, 27 (UPUH O tenente Danel L. Krauss que estabeleceu pr mer cntat dret cm, estava jupt a peradr duran. tc a Peruntelhs palestra. sbre s transatlântc prtuuês passaers dsse. Mar, claru, ler à mpressâ que s sublcvads cntra Krauss. E Galvã dsse que pr«. tenda sembarcáls mas d». renme Lsba querem sembarcar s passaers sem pressa pssvel. Embra,, tvesse dt especfcamente pc,. entrar em prt alum, ceb que que pretenda f.jèl c alt mar. Krauss, nue cn, quer rllr, n mar. KrnusE ndcu que s rebels nã reslveram anda nada sbre sembarque ds 6 passaers. Para pr faer transbrd n mar se necessta, chefe s l, utra nave. Os re ] belf reteraram que s passa estt ers bem c a salv e que nã crrem rsc alum. Narrand su palestra cm râdlpcradr d Mara, Krauss dsse que pel nlês dp. feltus que uva n lund, l. nha á mpressã que Clva um bmbarr pr Neptune cnseuu, ap vô, estabelecer cntõl < nav pel rád. Dc. He avã aterru n surrrv, n plt palestru pr. fne cm San Juan. Dsse que estabeleceu r pn. mera cmuncaçã cm n Sa>. t, Mara a umas 7 mlhas c nav. WM /a»c y. W»m rj ffr.lmmjí r a \a >? $ >. T?b líléfc ;?{ % ém máêf: tepjwp : V UÊmSmmh \ W~ v ap lylrv X mbammwmwêmwês f HBBllw/! MERCNOS PRESOS EM CUB HVN, Tt Sõn estes ns ses nrtramercans p nads recentemente em Cube, /uuml tentavam dcscmlu cnm prpóst rr sr. unrem a uma supsta (rça cm revlucnara ntí prvínca le Pnar lí. < rt úa + >> + > Desaparec d vã lfar merean: 23 assaers Terranva, 27 (UPUll Um avã TOBY, mltar ce transprte ds Estads Unds, tp em 33 passaers e 5 trpulantes C8, a brd, está saparecd, secund se anuncu. credtase que avã tenha nc em áuas cln tlântc, e. pert Terranva. O C8 c nma versã mltar d aparelh c DC6. mercal Um avã rle palrulhamenl ancastcr. d; Real Frça érea d Canadá, cm base en Tr bay, e un avã 5D, ela armada nrteame rcana, fnam envads à zna n um a\ naval els Estads Unds cmuncu ler v uma explsã. Essa zna fca a sul Kc O aparelh saparecd vera chcar. yentna as 5h 7m da manhã ntem. Sua tna cmuncaçã prduzu.se a uma hra madruada. Ds navs d servç dc uar custas e elements ca líeal Plca Mnt; também sc encntram nn prxmdas da na n < tera caíd M lít <> Centr Crnaçã Salvament sc (jue as cndções d temp na reã favráves para as buscas V++# # ## ### > mwêm mwêl Wt WMy y tí.:: ««:,. \S M lítvff lív mas rápd cntra VyL jm Snrsal une que cntem nvfp antácds. Um les dá e> alív medat cpe V. seja. ~ n...r O cu tr rlna seu bemestar Efervescente, crsta pel lemp que V. precsa! m e refrescante, Snrsal c a dsecerta para V. fcar Sa?kma bm dc md mas rápd e aradável

7 . t...» s+m~as ra;5t SlíprçjSBÇfP!.Tfffwns» ítopsrpríuu! ÜLTM HOR SexlaFera, 27 Janer 96 PGN 7 Cmercárs a JK: SalánFamíla....,.,, km»,....,.,...,., w,,n ba> / «. >/.( t:» r>í»r fuíarlt â ue «sslssl COÜN àlh> PORTUÁROS CONTR CLSSFCÇÃO &&. \y sa m, Ck cnqrt,. O.,«.lrfamll«n. mêm bas..m humana ve ser cncedda pr equda, já que treue í Pr< se pssível «Jsaítfíím cnqus» uu.«,...,p., j nu. cncdld «. servdr.» públc» ds u lem lém í C (írs ue f cncedd a» servdr»» publc» cv» tds h uas perante a Le tem dss, a <.na mesm da sua psse u, mas tardar, n da nnrmn P! /lnr\. mltares CrS 5OO pr d.pend.nt.) e». nva ttuçã 84 asseura paament d salár ds feverer SSFMBLF nüulflulun (HOJE) S Hr~ z»z,sns ssrjtãt \UJL/ próm;adjn,te dí V.nt..m,».Bund pl.n rea. presnte d Sndcat ds C, HO nnnl < Sndcat d» Cmercárl lll VUf n.tltul» Prevdênca S UU UMr L%raX%rrém Q HRES servdres d prl d R LUT NTG Hrár únc rlkd R ás M nner reunrsea cm a»semhl»a ~ flral, l ná ds Prtuárs d Brasl, lend em &l. ÍUnCln 7 hras hje, à rua Senadr Pmpeu, <» u j, ís ment (l cmen, vsta a cmplexda e pecularda das fun» nara uma tmada psçã relatva a tes exercdas n cas. snu uma cmlssd n Plan Classfcaçã cumprmenl nteral da.nnuadr.ment servdres para elabrar um estud sbre»y n prtuárs carca», cntrme ntcams semana nelêsa, alualmen enquadrament d pessal daquela aular { burlada pr numersas flrqu. Uma vez cncluíd, estud f entre m,)(..jcn ntem, prtstrm cntr crtér lentu a elabraçã da mnuta d DSP un l (mssã Classfcaçã dfl dmnstra,l ut «nauadru, nh pr cnsrál»...,, njusta,. es cã d Prt, que nã levu em cnsraçã, sençã d mpst ten me OS, dspst»» recrrer ate _... a _ praltaç. d _....; ;,. $ llmtnndse a envál, anexad a seu própr EJ bílh,,);, pura as classes nsula cs ná sejam crrdas as referja, nustç»» am malte d ue cnc vetrabalh, a aprecaçã da Cmssã Class j mdas cujs rnads nã sefcaçâ d DSP. 7us atual alarlmnm; Revlta rs, stuads pel assessr d Revltad», s prtuár, c LEOPOLDN: «l» ««W efetvaçã e cumprment J rlcas cmeçaram a artcular QÍtrs n nível B, quand, e que cru s assunuma reve. O mvment nâ mssã da í. enquadra,,, H balcnstas, vd, nclusã d ««tf ru b ecldu acva a ncua. >, % Sr. Rubens Texera, repra.en KUlndastelrs, que. K. ra alteraçã da Cnsldaçã C.._._ j_.... _.... nuuadr..;luadr, sb n prtests % U ur..%vrt«vr;.:t.w«í prlc.t. W das l.es,, Trbab adamssã ml»ta ncumbda «. ds prtuárs, ae nvel às reas necessdas landa NORMLZDO tudar enquadrament d U, lran redmxads pels,,s. (,h lrabnlhadres, _.., a~ D;,,.. _.u a. sessr d DSP para s níves f «5!r.? n«?n... él >» cm acess apenas ate aa esmbelecer que a parle fxa fenr as pretcn.e. d. cm Z panhclr. nfustlçads q?j lrahalladre!,. per TRÁFEGO í eelem salérlmnlm salár e» Decsã Hje ejmtssôes seja nferr, Pr a Emenda Embr. a reve ds ferrvárs da Lepdna tvesse m nenhum hpótese, a atual» Mas assessr d DSP, na Na manhã ntem, reu fcaárlmlnlm (e, d s as prmeras hís da madruada ntem, lerra as esperanças ds serv lh Delberatv da Unã ds prmera reunã, lançu pr nlus«a Dretra e Cnte % Estad da Guanabara, dres da autarqua, a apresentar uma mnuta enqua muram cnhecment d rela Prtuárs d Brasl, que t f sençã d mpst predal e re transmssã para s trânst a ln tda a estrada s vltu a se nrmll )mereárth, dramenl cnsrada nferr á elabrada pela cmssã e cdram cnvcar a as»emtór d Sr. Rubens Texera, lr «tar, pr dfculdas P rcsulamenlaçá t dc cmuncaçã cm nterr, da PH.. que s prtuárs bléa B»ral da classe para he, l ncra d dret nldamcnte cm as cda havam repudad quand assunt será subme íí reve; s njustças mas «rlanles, seíund Sr. Rubens prtuárs que, SPS s cen td a exame mlhares cnstruçã restaurantes resta ub3 c Recre, pratcamente Hladas p5 chuvas., Texera, sã cmetdas cn cdrã sbre < camnh a ppulares nc lensda mrs mar \ ra s trabalhadres prlu seur. % eárca perara, prncpalmcn Paament te n antfí terren d Tesuavenda Passs);,\ ;llllllllll.h,á da Ücle r.nacnal femna leal pstu, na m.nlâ nlem, na lesur.ra d Lepdna. a mpr OPERÁROS DO ÇÚCR E partcpaçã efetva e medaa ds empreads ns H lânca 5 mlhões cruters, que f medatamente RRUMDORES DO PORTO ts das empresas; remetda para as cdas Í {T prrraçã permanente da Le d lnqulnat; Slícac c Camps, para paarwnl ds salár zem 2 t,,,, Nu manhã hje, se ) MEÇM 6REVE PR D, ftrj apsentadra a 25 ane para jndu a RT, serã psta,. ns restantes!!) mlhões,» Nacnal ds Tbalhdres n Cmérc rm pssbltarã pasament Fercõ cnadr cnvcu, ntem à tar, s representantes d ds s árs atrasads ds Sndc( f rrumdres «je.t Cpltl e ds Estads, cdn } d prmver zer hra d da. feverer paralsaçã cnfrm cmprmss eslahe \ trabalh, em snl prtest cntr a flta reulamenta cc.d para cessaçã da «revê _» ex á trem pníadr (n en? cã d Le n pldna, que seuu para Ca l Ess cnvcaçã se u l após a reunã n Mnstér Cr c Camps, clnuará sua ( vajem amanhã, até Vtóra, enquant utr cmb par tra da (uanabara cm nu J mcrár paru paament d J; acs.l Mnas Geras, r, J Outras Revndcações» s Cnsante ns revelu Sr Wflndn Esquerd, d Sndca, s ds Ferrvárs, sã nume nstér d Trabalh e d cn t Scal cdu remeter :. rs anda, as revndcações! flt exstente entre s ptl p rces: a ttular da pasta.,í a Lepdna terá que tsv.hta ds enpreadres em Brasíla. \ e ds trabalhadres, prpôs «llenr nesses próxms das. s cnsttuçã uma cmssã ÇÚCR Enquant s paaments em l especal, a ser nterada pr lm sbem a 2 mlhões ds membrs da Cmssã lcr Também n Departament j truers, utrs mlhões» nanenle Dret Scal, un Nacnal d Trabalh vlta Rua Dr Wensechenk. da das Deleacas d Trabalh ram a se reunr, ntem, eu. s uc Penha Crcular, era barr.....,.,l..,llw l,«,..»..u terã que ser dspendds pa J Marítm, um ds empreadn saldar s seuntes débts: } res e um ds arrumadres. Os representantes da ndustra 2 leads (ls trabalhadres c s <à q Gvernadr Lacerda esteve a p prmeteu pavmentála. [lá.,,... letads.sndcas, entretan d açúcar, para dscutr as Paq.mení a, apsenta.,., flas cmeçu a preparaçã d s. alrmand ter emprms revndcações reajusta meu Ml.,,,,,. faz quatr das a bras ds; 2 Lqudaçã d bj, s( (Ul ()Vêrn c d mnstr l salaral na base 45 pr estã nterrmpdas l para cm as cmpanhas J d Trabalh n sentd dar cent, n mnm dc t eníjeherclefe d teu; 3) Paament as > sluçãa èsseprbllema antes ml e 5 e máxm lã ml Dstrt (le Obras. respnsável. janer, nã aceta cruzers. pr aqueles servçs, estara sb ameaça suspensã, que lhe armapns abastecments e J Caxa psentadra, bem { cm d dca t d as cntrbuções s antes, cnseur cbertura d. Cas nã haa.luça paa vr \ íprt.bem cntadas ds salárs ds tra», as.... revndcações,... apresentada», seund prnuncament ds d( UH vu esteve esl(.vp na ctada rua n ball.dres. \ O na atendment ssas» d Trblh l, n Cmssã Permanente dc Dret Scal, estveram reunds cm Prcurdr rnald Susseknd (s nad para slucnar prblema da reulamentaçã da Le 2 96, que dspõe sbre servç dc cara c scar d cmer c armaenadr) presnte da Feraçã Nacnal ds Tr. balhadres n Cmérc rmndr, Sevcrn Nn Schnapp, e s representantes d Sndcat ds rumadres d R Janer, Ernest Gdtrcd Lnhares e Jã Santana O Prcuradr rnald Sus ram n sueslã. Dante dèss. sekuul ace ds pareceres mpasse, presnte da C da Cnsultra Jurídca d M mssã Permanente Dre la an servç mulher cmercara. ratfcaçã bratóra Natal para tds s crr.crcárs U3. salár>; rr [cras : das para tds laa s trabalhadres; B jrnra pstmrtem nnzaçã para a fa m la d trabalha nrucn.l a temp relrma arára. Paralzadas as Obras da Rua Df, Wenschenk ndustra refnaçã alea que, trabalhand cm pr M,n; jmpsta pel vernadr reclhment a sn \ dut tabelad, nã prá prnuncarse sbre assunt sem, sb acusações há vans das Sndcats s trabalhadres prmverã uma reve prts >,,, ;, tar e encntru s qua t, a.» dr feverer, ns Estads d R e Sã Paul. tr perárs braçs cruza ds. Dsseram eles que na es Em vrtuc da ausênca ds representantes d e da trabalhand prque ha quelc pr, mut bem le S ar a classe a utra reve. Os \ COFP; na,eunã ntem, f marcada uma nva reunã dretres da Re e da Le J para hje a tar, tend dretr eral d DNT, Sr Nev. pldn. já estã centes dss \ tn Lma. encarecd, as Srs. Gmes Maranhã e Gulherme advertu Sr. Wanr e \ Rman, a presença elements crencads ds ds r querd as para examnarem prblema d preç d açúcar re» a \ fnad. f Sr. Paul Maraa, ssessr d Presnte Jn Quadrs, manteve, quartter últma, dcmada palestra telefônca cm Mn.tr lr Salles Celh sbre s prncp prblemas d Mnstér d Trabalh e m prvdêncas mas urentes que verã ser tmad, n. prmers das d mes dc teverer. craçã d Mnstér da Prevdênca Scl l abrdad, estand cert remess da mensaaem presncal a Cnress Nacnal prpnd a medda l ns prmers das d nv Gvern Drente, du budcatu du> Cumercar lara entrea Gvernadr Ca ls La cetda m audênca especal que a l slc td, um ln memral pednd a cn ce..r numerss vantaens para s traba lhadres unabarns. Entre s benefícs pe cad furam: sençã d, mpsts du tram (.s e predal para trabalhadres e un enérc prtest cntra a pretendda marçòu taxa dáua planejad pel:, assessre» du Gvernadr. teve prtunda atenr a quase tds s p barnbé, revndcações ds especalmente pr casã d últm paament ds benefícs d Plan dc Classfcaçã e da Le Parda. T tm slenda prramada para as 9 h ras dr he, na se d su Sndcat, será empssada a Dretra d Sndcat ds Ban cárs d Ra Janer, que drrá s l ns da entda durante bên 96/ 962. Tds s membrs da anta dretra, exce çã apenas d Tesurer e d Dretr d Pa nmón, fram recnduzds a seus respect v, carqus, cntnuand, prtant, na presdcn ta. Sr lus Palhan Pura a slenda í que realza na nte hue lram cn. da \ ds tds lres sndcas carcas, parla mentres c autrdas vernamentas. Os drentes sndcas d Estad d Gunbara lançarã um manfest as trablhadres carcas, ntr ds próxms das, txand a psçã d mvment sndcl em tce d nv vern d Sr. Jân Quadrs. O dcument, aue jã cnta cm dcxsnas assna Curas, cnsttuí uma reafrmaçã d pensament ds trabalhadres, express ns seus cndaves sndcas, ntadmente n que se relacna cm a lut pel dret areve, melhra das cndções vda c trabalh, lberd e ulnm.ndcas, extensã da leq.lacõ trba hta eam, d:fea d mnpól estatal d Dtrlc c plítc exterr npennte SU GRNOE OPORTUNDDE curs m: eletrônca 5c vcê lem nás u centífc (u equvalente) nã escre! prvete as últmas vaas da E.T.C. E. e preparese para ser, n futur, um brlhante Técnc cm acess lácl à Enenhara Eletrônca! Venha aqra tmar nfrmações na prmera Escla Técnca Eletrônca, d Estad da Guanabara! LTOS SLÁROS PRTR D SEGUND SERE ESCOL TÉCNC DE CÊNCS ELETRÔNCS Secretara: Rua Sacaclura Cabral, 8 3. andar tel tavam d 6Jj r, das man da materal neeesâr Us mradres da lcalda claramente a mnstraram sua cepçã pr nã ter l.acer! da eumprd a prmessa que fez durante a campanha elet ra! & rea. presnte d Sndcat ds Cmercárs, ex «,,.... plcand que ;; está prnt memral ra ca? par» que cmercara carca pleteand na s a cncessã daquela vantaem bem cm numerss utrs le justa, ra/.avel e ncflcís O pedd ds trabalhadres vera ser en Pnts Essencas cm apenas mensas passe bem as s (ã VSTE Campre aqu sua Casa!. _s»>>!>»>».. v:, La. saa J n PR CLUBE DE RRUM vcê :e tc t as recan. para as féras e um.ns apartament! C~ ç<s ba, restaurante, passes e mut nas! T cnfrte e r mrnssm... e mas bel recant ca Laa raa! V E/ Quaftc!>ar!aTen.O ct e mc «ctr %m cnjunts ü3 cnstf...: mcna e (. c.cal. cm a a. qua:: barefj sxa J R Ml r _J V:,.ít; a,.tn»». Js.,m N memral ds cmercárs carca» vár» u trs pnts serã «brdads, tds eles vsand a melhra m«dat» das cndções vda d» traba lhadres nacnal Pletearã, sse md, d Prt «nte Jân Quadr», medata» prvdênca» para: f # O a ;? >rta 3a /a, pa;a e eípr:es ;pr;r e ;; T C u C,? tua se. ce maa,. «s lítaeríe 5e:ac.. 3 lad,:. = O O# TUDO STO V. DQURE COM PENS DE ENTRD E 3. MENSLDDES DE 3. Mjs um etpree. :í;. fcl Funcnárs d Mnstér d Trabalh c d futur Mnstér da ndústra c Cmerct, a prpóst uma nt aqu publcad, envqrmns ln abaxassnad hptecand restrta sldareda a D. Talta Rdraucs, tul dretra da Dvsã dc Pessal d MTC, lcntand, anda, s relevantes»ervcs pres d. pr qucla servdra á testa da DP, n BPSPC ULTM HOR está nscrt sb númer 8 n cnvên entre a sscaçã Braslera Prpayanda e Servç Prteçã a Crédt. s.;,se ~)C r.aàr~>entc. Da. e í nec c. VENDS EXCLUSVS: ranzaçã mblára elyzeu «.lved v V Á ORGNZÇÃO MOBLÁR ELYZEU OE LMED» R. Branc:.3! B c ars 3 C ; < P. C «l~~~ í h UMED SO BOVENTU Junt à reja Santana «V Sla, 2 quarts, banher, cznha, f quart, a banher empreada, área cm tanque e quntal. m. PGMENTO EM PRESTÇÕES DE. MESES., Preç t.5., sem jurs e sem reajustament Vendas exclusvas c. es e?.;e kjtójf Em XTERÓ um plan maravlhs dr paamnt.. ( ma lcalzaçã prvleada.. vvív m. >mtf v 5 &&>!<& e c pfand ss a R, steca cm secessan sstsj cnfrt.. 3. L «.ífltes»u %: : P BCHR. H:», l Brnc S. tbrctja Sala 23. les. S24S926 a 22tMO, K Mtrt: v. mral Pext 37. Sala 74. Tel 257 kk r WÈm wr%êk US í9, =,!?, ívfl lmík% jfm {Jenc/d3S em fas undas! NcjdClU UK r/(/( /trrra.» << rfpfírrr

8 ffükítn...».. lwl«sv: KlE PGN %>J. JMBa«bKM&MSMMalMMÍ8aCaaOT... BHãM SextaFera, 27 Janer 96 mír9 ts afe. BMSícs«c«?v«> ;««HEtxraací;.rte;22an ULTM HOR ama mtíam rtfflebmaaamnb mmmammmsbbbs «flffeffhmffp? >: Rmance PêÜtííl ç»àààúê Desastre Ds plcas mas expermentads cstumam dzer; a chuva e a melhr Plca. nte antentem, prem, apesar da chuva ncessante, f uma das mas atadas stes ultms temps. Cass e mas cass se suceram, atarantand dlente Cmssár Cutnh e seus auxlares drets plantã. Os cass eram, em sua mara, sebs, cm sa cnhecds, na íra plcal, ncntes aparênca rave, mas que, na realda, termnam, eralmente, sem restr, n Lvr Ocrrêncas. madruada cmeçu, para s plantnstas d 3«DP. cm um sastre que, a prmem vsta, pareca ser rans e raves prprções. Um ônbus e um ltaçã, puc ps da meante, se chcaram, vlenramente, n cruzament Barata RberSquera Camps, O repórter, na prta da leaca, uvu estrnd da clsã. Puc ps d chque, cheava a lcal uma vatura da Radpatruíha e f nela que s ferds, em numer sete, fram transprtads para Pst ssstênca d Ld. Os mtrstas ambs s cletvs havam fud l após acnte. Subese mas tar, que as vtmas na sfreram ferments naturea rave. s mas nfelzes tveram um mplata u cstelas fraturadas. a uma da madruada, plcal servç n Pst da ssstênca Cpacabana, nfrmava Cmssár Cutnh sbre s nmes e estad saú ds sete acntads. lapa mr Puc mas tar. d,«rapa/es e três mr;as eram cnclur,ds a preença r Cmssár Cutnh. O repórter mun re,,p fet pr um nuarda nturn, respnsável pea apresentaçã Esta mça apntu para uma las, a ma: bnta das re» me prcuru para se quexar ter sd aredda a bfetã pnr mn d rapa/es. Eu eslava em meu pst re servç, n Barr Pext e fu ale luar n ela me dsse estar aressr. Queram dar cas pr encerrad a mesm. ma» cm a mca. durante a dscussã, dsse em u«aíla que seu aressr pra se cmplcar na Plca, cas ela cntasse ue saba a seu respet, reslv trazer tds a sua presença. f Cmssár nterru a aredda Quena aber que acntecera e a mca explcu: Ns sms namrads e dscutms. Dscussa namrads,, senhr cmpreen, na. Eu dsse que éle nã era hmem. Se tsse que me sse um tapa. Luznh me u um lapa V, pedu, cm larmas Eu merec lapa que ce rnr u e na quer que sfra pr mnha «aua,.hk peç seu para ns xar r embra, Cmssár. O Cmssár Cutnh \H,r> ) da. mandus a Lberda. Tapa amr aí.aba em carnh. í Sant Baxu nda na hava termnad cas d ta pa amr. turma rnda f requstada para auxlar uma turma da DCD que esta ra em apurs, na venda tlântca, próxm a venda Prad Júnr. Os Detectves Eufra s e Pext, num carr praça ;a vatura d 3 DP cntnua mprestável e a nva. prmetda, fcu na prmessa, fram encntrar Delead Stcler, ttular da DCD, as vltas, cm uma mulher, em exaltaçã nervsa. cust, era ctda pes plcas da Cstume. O tnturer em servç d Delead Stc ler na cmprtava mas nnuém. E f n mesm carr aluuel que a mulher f cndunda a Deleaca Cpacabana. Na Deleaca, um entendd apuru que a mulher estava atuada. Hava recebd, puc antes seu cabcl prtetr. Entru na De leaca em cntrses, a dzer palavras íncfraves. Deps verdar shw, vl tu a pa, raças a ntervençã ds entendds ds mstérs Umbanda. Suas rea çes fram, send dmnadas e, puc ps, mnstrand ntera surpresa pr estar em uma Deleaca Plca, peda sculpas, as mas humls pelas cenas e ests que, pr ventura tvera. F mandada em pa, para casa, lvrt eus sants prtetres. Repórter redd nle anda na termnara m reprte suru, l após. quexandse uma aressã sfrda na venda Prad Júnr. pr va da aresã era seu paletó rasad, fl ame, nr puc ps era cnduzd a presença d Detectve lban, auxlar d Cmssár Na hava testemunhas da aresã e, a autuar auem, s ds teram ser autuads pr bra na rua. Huve, prém cnclaçã e escrvã na precsu funcnar. Uma Deleaca Plca p c ve reslver certs cass NTÔNO MR!2tt3SC3 a«e enrlada num cbertr, a jvem Mlza Vera d Nascment sltera, 8 ans) atruse a NU rua na madruada ntem, d apartament 33 d Tróa, edfr. a Rua Sa Ferrera 33. Mlarsamente lesa, Míla f cnduzda para DP, juntamente cm sua clena Zela Ranqel sltera, 24 ans e crretr n Mle rras, mradr naquele apartament e acusad haver espancad as duas jvens, após vlêncas sexuas pratcadas pr seu cúmplce Rene Jean Gumarães Basts. HSTÓR \!/a r Zeha. re envenenada, a K r mtcnr, thaham rum dmestca para n Crne m Madaena da Csa, resnte a Una (íeneral lher da Csa 9. apt 24, n Leme Ontm. as dua\ens tram a um bale precarnavalc n C l Flamen. \ vltarem para casa. pararam num bar da venda Pnncca sabel para un lanche. n rapa/, eleantemente trajad e dzendse.luz re Dre em Brasla, aeleuse a elas. apò> patíar a spesa, cnvdua, a rem ate a seu apartament. ae;a d que precwí.a \a<r para a Captal e quena xál entreue a duas empreadas. MEÇ E CURR O hurll da queda rr Mlza e ds rts dr Zelu n apartament SOS dn Tróa atraíram a atcnçfín dr vunhs e d prter, r as duas jvens, juntamente cm espancarr. natlc rras, fram cnduzdas para?. Dstrt Plcal Na leaca (tl). natlc aleu que seu apartament íòra arrmhad c nvadd sem sua autrzaçõ, mas us lus vtmas dcsníentrann, clarand qur lené Jean utlzara uma chute. rana Cnfantes, Mlza e Zela acetaram cnvte. chearem a apartament, entretant, juz que mas tar subese chamar René Jean Guma rã es Basts» ser flh um almrante refrmad tru a máscara: fechu a prta a chave e rtu para as duas jvens: Vcê aí (apntand para Mlza), vã trand a rupa. E nà rtem senã eu mat as duas. pavrada, Mlza cumpru a rm e, dante ds lhs da cmpanhera, teve dc submeterse a tds curradr. s caprchs d CHEG O OUTRO Mal líenc acabara <\v dar vasà a seus nstnts, rntruu n apartament crretr le ttuls nat le rãs slter..ío ans. cm escrtór a líua Méxc 4, sala.3c Rapdamente, fals juz w..tuse e sau d apartament, enquant natlc nvesta cntra a.s duas jvens a scs e pntapés, Enquant /da peda scrr em alts brads. Md/a anda snuda enrlaa se num cbertr e, aland a janela, atrava.se a palc ntern d R EGNDO á aressã que.t freueses Bar pratcavam cntra seu sóc n e Charutara Sã Dmnqs (Travessa d Clé 27), cmercante prtuuês Manuel da Slva Perera (casad, 25 ans; sacu uma psla Muser calbre 7,65 e matu um ds aressres, perár Vãlter da Cnceçã (slter, 24 ans), cm um tr n craçã. Os cmpanhers da vtma cercaram estabelecment e ncaram sua predaçã cm paus c tjls Smente cm a ntervençã da uarnçã da RP6 trnuse pssível a remçã d assassn pau 22. DP n f autuad em flarante t reclhd a xadrez NÃO QUERM PGR llííífep#8»«walter e sele cmpanher sentaramse numa das msad bar e Cram cmend e \x bend a valer certa altura, cm rece dn haver cnusa ra hra d paament. mn Martns, sóc re Manuel, apresentulhes a cnta. O trejíueses prtestaram, ncam d e frte altercarãu. Lm rs cmpnentes d ru l p sau d ha e da rua. )cun uma pedra ntôn sau,n a censu ar apedrejad! r ta nt basl h para que s u rs títnbem a:en f esta heluel e,mecasem e>pan«al. TRO MORTaL Dante d cnflt em ue seu sc le ava sva :. r.r m, Manuel f a aveta da caxa rebtradt a e a retru uma Mauser. pstla Deu prmer tr para alt. Ouvnd dspar, rmã dc ntôn, que também trabalha n bar, ve crrend ds funds da casa e «tentu ar rebatar a arma Manuel n exat mment em que éle flaqrava seund tr. O dspar svad f atnr mrtalmente Walter da Cnceçã. Vend perár edfíc, felzmente escapand sem ferments d salt re sete metrs altura. TODOS NO DSTRTO O barulh da queda «s rts Zéla atraíram a atençã d prter d Tróa Waldr lves Marnh e um uardanturn, que slctaram cmparecmenl da Radpatrulha. Os três persnaens fram, entã, cnduzds para 2, Dstrt, n as jvens cntaram sua hstóra. natle feusc, afrmand que apartament é seu e que René Jean arrmbara a prta para entrar. Mlza e Zela, cntud, refutaram suas clarações, afrmand que fals juz estava dt psst uma chave. s sndcâncas realzadas pela plca revelaram que crretr já f prcessad e cnnad cm macnher, send element péssms antecentes. Tud ndca que se trate um nvertd sexual, que, surpreennd seu am cm as duas jvens, tenha pratcad espancament pr vnança. Mlza f envada a exame crp lt n nsttut Médc Leal, enquant René está send prcurad para respnr ás acusações que lh«sã fefas. car banhad em sanue, «eus cmpanhers cercaram bar e cmeçaram a predãl cm paus, pedras e tjls, tend nm ds prjetes causad um prfun ferment n supercl dret d crmns. UTUDO E PRESO Cm a cheara ra Plíca, s leprerarres furam e prtuuês f autuad e prés n 22. DP, após ser melcar n Hsptal Getúl Var Cas. Na leaca, crmns que se casu há apenas llí das nsstu cm Cmssárn n,bs para Uc sse narantas á sua espsa. D. l ene Rdrues Perera, reces que s cmpanhers dc Uater venham a tmar represalas cntra ela. rebater as acusações fetas pel empresár Paul lmeda, artsta rjalma, da Rád Mayrnk Veíqa, esteve cm PR nssa redaçã acmpanhad das cantras Sôna Mara (Marcha d Tpete), Shrley Trres (Seu Manel) e Selma Csta (Pudm Cana) lém ladrã dsse rjalma Paul lmeda mstru tambm ser cínc, em seu pment na Deleaca Furts e Rubs. Tds s meus cmpanhers sabem que vv meu trabalh e que éle, sm, é varsta cnsumad. Quant as ameaças que éle féz, estu prnt a tpar qualquer parada. M, lll,», rcfl mm.. redaçã nçõ dr rr UH. UH, n cantra ran Sôna Snna Mara /.. a r mn u<: cleas ra Mayrnk Vea e.hram r.hrtn u» mu nfrm,l K, TMU rlru a <ur lhe. f rntlta peln jrnalsta r empresár Paul dr lnrtla «4»fÊwmm, p?# ra %, ;\ # / / Manuel da Slva Perera, n cnert n e crmns, /ucu d rrt eu td > >. na.lcacu d Dl, após ter sd mr dcad n Hsptal Getul Varas. Cara Cntra Empresár Varsta: lambem Venda Crencas Falsas TUBOS DE MGEM! PRZO SEM FDOR mmtmmwmummwmabsomt Paul re lmeda cntratu rjalma e utrs artstas da Mayrnk Vea para um shw na cda re Caeapava, prmelend paar CrS 25 ml n re trn n l,. qu cheand, pau cm cheques que, levads a banc, fram recusads pr falta funds ntmad a cmparecer a De leaca re Kubs c Furts, empresár, embra recnhe. cnda estelnat, acusu., artsta ser explra,lr re mulheres e alcadr mrnres. lém ludrbrar artstas, Paul lmeda scbru utra fnte renda ven carteras jrnalstas cantra Sôna Mara Rsa mstru a cartelr que lhe f vendda pel empresár e que a qualfca cm repórter da revsta Seleções TV. Fnalzand suas clarações a reprtaem le lll njal ma dfse que ve a nssa re rlaçãn na para xar qup um rrespnsável maculasse seu nme lmp Trabalh numa emssra acrescentu artsta n sfrut das melhre, am /ím\v p tenh tdas as prtníla. para mccm. Nã vu admtr que um varsta mm prmeta mnha carrera. Plíca Pe juda jun svendar a stlvatu,,, hmcíd da venda Suburbana ste ptétc apel é drqd a ppu. taçã carca pela Deleaca Hmc, d (explcla Técncal. Quem suber al esclarecedr brt a vem 22 ans presumíves, cn cntrada mrta dmn últm num tn ren bald próxm a edfíc.735 da venda Suburbana, em Jcarèính, lv\r fne, pr favr para e chamem t Delead Dóqenes Sarment Barrs u Detectve Edsn Sacrament jvem cuj assassn u assassn, acaba rrtar, vrtualmente a P,ca f encntrada cm rst frmad pn, cerca 4 estcadas. Permanece alna sem ntfcaçã, n» mru, d nsttut Médc Leal. Canbal Madurera fld Gumarães 7 ans, Hua,,,, 22, u entrara ntem á larre n llsp, tal Carmela Dutra sem um pedaç r na rz. Cm rst banhad en sanue, terrr, cntu as enfermers uma hsu ra fantástca e quase nédta: Cmeram pedaç rn meu,,, O pa aqu lá mas besta r que seltln dôr. Cnta a hstóra. Bem. eu vnha espchand «s perna pela venda Edard límer cm Mam, rera. De repente, esbarre num cara f, nem cnversu: catrapufe!.mnha facha da peu f e eu estatele n chã. U, tuque lh para cma e v um neuj, que Deus me lvre. Ná lvru. O nea, cau em cma mm bca. Seus na> tantes veram em che sbre meu na rz. Deps neã sapareceu. Passe a mã pela fachada. Sanue encntre, mas cadê pedaç d narz? fat está restrad n 25. DP. ssalts Cntnuam Cntnuam assalts na cda plcada: ntem fram s vendres pra clstas da Cmpanha Flórda Carrs que, ã u d da, tveram entrear as ladrões 28 ml cruzers Os assaltad (Carls lbert Falcã Cyer níbal l ves da Slva) saam um bar stua à Rua Heráclít da Graça, em Lns Va cncels, quand tveram as cstas espeta das pr revólveres pasta exram s ladrões Carls nbal presam suas vdas r nã tveram utra alternatva Entrear..,,. a pasta cbrança da cmpanha :arrs cntend, 28 ml cruzers. Mas í assaltantes queram mas. Levaram tam bém s relns e as canetastnter d, vendres. Em seuda tmaram rum d Mrr da Cacherlnha Cm luc, s rapazes saíram à cata um plca Mas só encntraram uma Rádpatrulln a lll) quase as prtas d 23. DP, mu,a quadras dlstanta da Rua Heráclít da Graça. Falsas Ntas Fscas Paul Rdrues dp Olvera 2] m., em cmpanha um am, tentu.p tem um lpe, mas sause mut mal.! s e autuad n 7. H. m cnseue cn preenr qual r t seu ran crme. lpe pequen, mas bax, na, prle.. Precsava materas re cnstruçã, nu n arranjar as ntas fscas. Blu en. seunte: Vu fazer s mnhas própras nsfscas. E fêz. Kunu. em seuda, para a fnus Ferraens Planalt Lmtada l!ua Fre Cn neca, J77. Macac velh n assunt, üe rente scnfu tcu para 7. LU Mnut; ps a Radpatrulha encstu am Pnul Rdrues se prnu mas e:, mesm f em cana, ctad. Hsptal Desprted O Hsptal Carmela Dutra nã tsla s tuad em zna mut mansa. Lá para aquf las bandas Rcha Mranda, msturamu tabernas, bêbads perss e trabalhadra hnests, médcs «enfermers.. DV, a pedd ds funcnárs d HCD, vnha mantend um plcament mst n lcal,» verda, ma que serva mut para as emerêncas freqüentes. N nc da semana, pessal d HCD sentu f a ta ds três uardas muncpas. Drramse, pr fc, a Chefe d Dstrt Vqlan ca. Ontem vel» respsta lacônca d. DV Chefa dt Plca rnu qu s uardas fscalassem vendres ambulantet na praça prncpal dc Madurera. Pr nterméd Cda Nua. > funcnárs d hsptal sprted» zem um apel a Crnel Lul Barrs, Che fe Plíca: Devlva s nsss uardas, pr vrl Blc só Cm Permssã nfrma a Chefa Plca que enh blc carnavalesc prá sflar ruas ra cda, a pretext re ensa. a preva autrzaçã da cmpetente d aca dstrtal. Os pedds aulr/a ds flões vem cnter tnerár qu blc preten percrre e ser ass,,el pr uma pessa que se respnsablza l a cnduta ds que entrarem n c nl: dverte anda a Chefa re Plc qualquer tentatva em cntrár sen, nrí cm enera. Cudad flões! Mrt Heró que Gest heróc e sucda d blscater Drm dc Olvera, um jvem 23 ans. Passava ntem pela manhã junt a R da Prata, em Nva quacu, quand uvu pr ts scrr, lancnantes. Vnham d.«áuas barrentas e assustadras. Saba camnhava para a mrte, mas atruse r que a chuva fez crescer, ra as au trdas buscam seu crp. O d men n afad, Paul César Cunha (6 ans, lh Otarl Marcan) que qrltas Pnr scrr f encntrad as marens d r, em Belfrd Rx. LUSTRDORES PEDREROS Prccsmje, Rua Ster ds Res. 62, prcurar Sr. Dmns. vt

9 . spp?!f!<í«3r y &»<y»s.<!>m.j/j!wf.mllm» CUB: REVOLUÇÃO ENTRE VD E BBLOTEC RCONL V. RO SRNCO SM >EfttL (G) MORTE (V) TODO MUNDO (MENOS NÓS) ESPEROU UM NVSÃO, DE TRBUCO N MÃO JORNL DE NTÔNO MR Os Pratas e a brdand Sana Mara, t Mar dns Carabus, Captã Galvã alnu ff,,,. bjetvs. O prmer, precupar mund pela prenuncaçã, afnal, dc uma revravlta na pltca prtuuesa. Outr, at/tlar Prtual terra,,cm a exstãnca tt: um Prtual bateu, n há 7 nnrltttêses sucdas, mas. mesm assm 7D prtuueses lvres. pesar dc tud. e pssível que Salazar ressta e cntnue und D autrtarsm erente dc sru pas, ate da em que tet.ltar s lhs. Quem cnhece Prtual e prvu um puc mas estreta men le cm pv prlutuês, cncrdará cnsc cm quc prlutués dc hje. é hmem mens pllí:ud d mund. Vve em um país dc pedrtts e as/alts bem lavads e terras plan Utdas em cada palm. O vnh é jart e nã faltam pexes c marscs, para quem quera cmer razavelmente. O qul dc carapaus custa ses escuds e dc sardrls. sele. Cm ds escuds trrutse,n ltr dc nnh. Deps d mês das chuvas. tdas as pares das casas sã re O Dfícl E mul enraçad» pcupaçã Quadrs em Está d Jân nã ser vst. mut empenhad em crar um tp : hmem quc nã sta ser vst. M Brasl, nfelzmente, ate as pessas melhr nfrmadas acredtam nessas farsas. Uma ntca d anversar On Jân, dza : tem, Jân f vst, apenas, pela mulher, a çenr. sl quer flha e dzer nue nem Chanceler Jã Dantas lhe btu s lhs. fste fals empenh mssã, esta me pareceut, ve ser examnad na lóca d j pôquer. Se Jân nã quer se vst, é lem j. Está prque nã blefand, N fnal das cntas, Sr. Quadrs é um prvncan, mal nfrmad, que acredta n teatr cm abafu dual em Sá Paul. Cm Presnte, tra que representar melhr. O rest d Brasl é mas dfícl dc enanar. Sá Paul, até hje, f Estad mas enanad ta Unã. [[ lmç quatr pessas ranles e duas cranças (4 e 5 ans), n. Cantna Srrent: três ml cruzerns. O almç cnstu ses pra ns, quatr clpes e alumas (dants, três) arrafas refrerantes. Nn Sadas, cm músca, pnd mse Barã Sclller e utras pessuas lustres, esse repast tera custad mas u mens mesm preç, Qunhents cruzers pr pessa. se bem que a vda esteja pela lra da mrte, nã é preç cantna. Q N jantar d Bem Cpauabana p tmarsc aua clc cc, )n elaclnha. lém d alet, ns prats clc camarã sã lcss. Revluçã caadas e as janelas repntadas dc azul. Quand um hmem mas esclarecd fala a utr, mens, sbre ju. pressã e atras, mens esclarecd baxa s lhs e dz nvaravclmente st: d. st aqu va mal, mas. p mudar para pr. K seue camnh Faltu sempre à revluçã prtuuesa um lr verdar. O nss Delad, cm llü tprecsamente, cm nvembr dc 957, epca das elet.õcs ds putads, teve lud para strnar Salazar. Faltulhe. prem, prncpal: a termnaçã ds lres. Nã tenham dúvda. que quera Delad mut mas vr mrar n Brasl d quc fazer u revluçã Já Galvã, façasclhe justça. (: mas hmem, mus alsta e mas uerrer. E pssível que s seus 7 pratas sejam encstads a uma pare c trespassads a bala. Mas, já fé; que ea precs cmecu uma revluçã prtuuesa que, ate ara, só hava sd cnversada. Lvr En sra cad r rn realmente enraçad nà precsa se ld. Ha. que» llur f) peue nas mãs e cmeçará a rr, c\emp esta a. Presnte.luscelnn. prvadamente. un hnmem ser n que pecu n Hmem a Quadrad, cau na aralhada. Se tvéssems fazer umn recmendaçã a letr, na escreveríams lea Peue n, lln.u a Quadrad. Hmem a Quadrad.. c. sm Nn fl..en Klachar. autr d lvr cun pes <,le O mrrer le rr. e Presnte Jusceln Kubtschek,, mn au Quadrad parle para a sua 2 Kdçãn ísã Mrra Pela Bca e Recmendams duas fejadas, a m a n l ã. em Cpacabana: Churrascara c Leme e l Bun Gsta. r Na cda, vcê p almçar lcsa n ente. n Bucsky. Tratase ce um menu tradcnal, n R. casa é famsa também pelas suas sbremesas O Gvern e. especalmente, a Saú Públca, precsam dar uma passada pelas barracas Sã Cnrad. Sã feas, sujas, servdas pr hmens suads e aclhem um públc (n fm da tar) que tem auarnte ds pés à cabeça. jszmsb STMOS numa uer ecnômca e, qua se, numa uerra que a na é s ecnómca dsse, cm»u» v maca, cmandante Era revlucnár d«cuba, Dr. Ernest Guevara Serna, cnhecd ppularmente cm El Ché Era justamente aue d perd mblzaçã eral d pas, ás vésperas das 48 hras cnsradas csvas para anuncada nvasã da pequea lha das Carabas: fns da prmer semana janer e cmeç da seunda. Pdase sentr faclmente a tensã que dmnava esprt tds nvasã acabu resumndse n que f a famsa batalha braslera tararé: ná huve. Redundu em alumas raédas, pequens dramas e aluns lances cômcs. O sal d eral pra ser cnslad neatv, ná fsse fa t dc haver epsód serv d para talvanar espr t tds especalmente da mcda, que peu c da ns fuzs e nas metralh»d ras. TRGÉDS JOSt GULHERME MENDES íenvad apcctal dc ULTM HOR Cuba ; VELHOS E. ~ S JOVENS Murcha para a drfeu da nvasã,ju rd, ÜUSÍJndfJ uma vtma lumas armas dspararam, ;u nc le Havana traéda mar, entretant, crreu aerprt al. Partd S» mrle C <l,s PUS mmbrn c cuba Oswald Carrera Sanhe, fausta Ppular (cmunsta cubana Setund me nfrmaram, s m chtava le ene lc an ans uma vacm a nterr d pa. Pedn nssar; plt entretant parec terc cnsanad nc tlecamp» e, a verfcar equvc, cm raz. trnu a arrematar apare h. par;, canha cer a nva peraçã dc scda lm ds Kups quc cntrlavam n bateras mu vlta d camp pus, vend aquele pequen ava,, que mea scer c acabava trnand a subr, na leve duv abru f, rruband aparelh c casnand a mr e quc am ntr d mesm. _ Nada ensna tant a um pv dsse, anda. Ché Gue vara em sua entrevsta televsnnda cm um da lu la armada em fesa suarealzações cnqusta re pela suas asprações scas. lula armada, afnal, nã vel: u. pel mens, nã ve tda. Ue qualquer md. r> que mas mpressnava, aqueles das. em Havana, era ver blzça ttal da juventl cubana menns 4 mus e mennas puc mas dsas: ld mund fuzl nn metralhadra rm punh. pnr da parle N«sauões ds htés re!u\n alctn» ds mas luxus. d mund mlcan c Hmlcanas mntavam uarda. r nte, dand una nta Sffla mesm tem cursa e perturbadra s vens sl penmas re rand beleza na Os rcam star daquele nal t pssível herna da Revlucã Cubana mesm temp, perturbavam vsvelmente n ml e pucs cnvdad? (n mund nter ue. cm mstas <;V Ü lhavn d hrac e entusasm ebel ntr dn pet, ram trazds d vlta J císps tr h mun, m,ó chapu na cabeça, vc/ em afflqu.nr a aente era surprecn dd pr um bjet sóld batend nas pernas u nas cstas era metralhadra chera album mlcan nu mlcína rjue, d n catll. mantnha um lh n s que anda exstem utr n pssível nvau cntrarevlucnárn «Nunca ve ter havd lauta HJyrdcm numa buale. cm,, rn Trpcana. naqueles d. Rm lns cmerca tam bém, ds das rctavam mblzads; especal. MOCDDE lúrcas pe sfle um tant reblad das Jvem mltaruadas. E cm e sabd, a rub.v na é mulher d reblad fa ms.!>,, lud n entant, pcr turba a nã apenas arrebalads vstante prncpal mente a vda qutdana r Che pas. F. anda Ouevara quem. a mfma nutrevva ve a públc cnff çar Pf< ns mercenárs r rnl rarevlucnárs kn anta cantand uma vtóra nue í! nuncar tems t rl a nssa cenle em pé uerra, crntfna mlhar rlc hmens estã cm pé d uerra, anu. Entã, há utn técnc, dcams um técnc etrlern. nue fca ern sua rr fnara, e «eus mnanhcrs af lh dzem: nuc é qu s» passa cm vcô Será nue um celh, ue nfl nrr br 2ar, nã nejn nn fu/l.. va para <\m cmnanbn E t<q hmem ma< mn>tpn t naquele luear Há setre em nue lmn d f e; rrla d furs fsfrrc. ma= rlfíce anda d. r,,, a uerra cnra nt ltpc,,fl nnrn manter a nrduc«n TROPCN Na buale ma um.., Trpcana r mente. tda?. Numa las, ra mada npenm c n alem ds ners dançand re ve venm ártcs elétrcs e dv a bnla mca me cntu s ses hras fechams a«prtas cada uma fa? ru turn vca. Há empre um rrn alerta, aqu ntr Td mund andava embala d. em Havana aqueles das Td mund mens un punha d dc braslers tranqüls p nd em me àquela a tllharla tda cn» sc estves sms pr exempl pachrra da Praça Sete em Rcl Hrznte Huve só um da em qu m smpátc e calm cle. ba leume a pra d quart, r v que eslava assustad N. tajda ht dsse, ps, n fund temp td rmad Sm armad abrnd s eaveta e mstrand um revólver. mça cntu anda nue e t<uva e nâ saba n cta a nv s Nal V.nem há alcuns das nán ca a nem se ntca5 d mnha famíla BRSLEROS tambem eu cmeçava a trar apreensv: va trabuc mas. d mas n íatlh. e nã va acntecer csa a numa Qualque mement pensava um d., jvens se afba, apra d va ver que é }usamrtte quand psttu pansand bem na frente d can tra leve um u da nad sabalu. atna patríc, a escarrapah.nl, nn ma pltrna mane que eu estava, lá em bax, n re? taurane, quand nle que uma cubana lnda estava vn tada numa mesa pert u? mm. cm wstdn levantad ale cá em cma F.a uma mhcana. ssas qu» uam ah ern ve/ rf calca cmprdas, uma bel/a re mulmr. Cmece a reparacntnuu quc ela tn» «.na va mut Pense c., u pe r Pc repente, pntrnu n r» taurante um mlcan cm uma metralhadra bax r braç e uma quantda ennrme pente d bala na cmtura e a redr d pet ser. tusc a lad da dna btu a metralhadra em cma da perna cm êle? cstumam suler. só ue a b<>a da hu ha r tava apntard juamentr rí mnha dreçã F. y. í f que eu leve n su< mar da mnha v.da m; lhr. que eu estava pensand que rnc e«t \ es«.e dand uma bla danada bruçu em ma dn hmem e cmeçu a fn y,\r ua quer cna,.! t (tre hat fh..nvf spn tand na n mn m ( tvrnem amhem lna\ eu m.nha rt ecât. e ten! rv>n pnha K a> pu unfl fnrt_ nada r cnnec :. d/er MNH: Cnclu Para sõ n va a... Rev/uçõ Cubana. :;. y&m: m.. TRBUCO N s r!.. >! SF MÁO Sceda & djacêncas PROMOÇÕES NO TMRT: CHEG O FM GON r Ettã parabém a Senhra Lucy Blch, Senhr Vctr Buças e s utrí membrs fundadres d Club urísme. Na se st a déa fazer um bale n dmn arnaval na Una Brc, sera ba prque alem da nc >nenca ó ser lnqe sempre exste pera aluém s far che, rem, c bale ma ncatva, dqna um lendar turístc cncepçã d clube e mut ba; na mha pnã veram acenas esclher ara a presdênca uem cm mar capacda trabalh e aluma nteenca F transferd,, re ntem r.a p,.» n\á > s!!; a ua!r r.< Cpacabana m;. jmecar h.te r.ua < \ v serã transferc,a> pa: lpom Esa tnand vult este Ds ba le Vassurnha!. ue se realza ânuamente enernambuc. te revstas es aneras aue nrma mente \ precupavam cm c car aval carca, a pretenm fluar tambem esta festa Cavanas d P partrã rum Pecf. C Senhr e Senhra Gre Carvalh represem Jnte T:me.íe n Hra4; tac cnvdand para > Hueu que ferecem d:a?, ere r en. h rne na ar a retr r T;rn.:fe r: ma una. se..hr Frank V : ra n r, Mu seu c«r\ e M r Bly Pse em telerama cnfrma sua cheada a P, n pr/ me da 8 tíe feverer Este clunsta ut embarca ú.t para Puntj tí Eff vltada apenas para assstr as acntecments carnavalescs cídaríe «.!! P t>(.r.ta Va>j,, f.r Stíus Ra. e a Ser.rra Re Mar.c Tar. r. v rííae? mae d hm nadad r O Senhr e Senhra Hrcutan Thmas Lpes reumram r.a níe QUír,n íer um, rup ara (antar em seu apèrtamen d Lebln, aqumas senheas sceram Pe rps para e acntectmenc «ÊF m»» Ê m! r. PeMrf K ureter íín:ar urr evt une que :<>r\hth na P a.a Flamen 2 fjh < (ale [jn r.r} 6 f.. a ald nr,:a,f Sf«, r?. Nnçuem sabe ejíplca ac cert pr <j«ara, cty ntf verã í nes ce rcafe passaram a se» m men»adssma nc Cun»rv ub. Nada espea ac ce acenas s sócs esue ccdícp em m,» s % è t tía CCíM ê pae Encrtrase nc C a Mar auésa Vapara c a letra Tereza nau<c aue vec üfnfc sua ítlha pra uma mpraa ae um me; em mpanha ae sua mae ser ; c s < ar Ma a pa Ed :.V í \ í \ tr tp (y COPCBN 7967» n a <runa n>u > Em peí,odos uma a as resdêncas mas mcvrnen Haas tm srt ê da Senhra a Bancrr aue recebe jnstantfmfntf paa èc anares íe M.T.a. d. O Srnh Jan. Oujc na sua uírna uca pe Vcente recebe nc ra seu anversarte enrme b ue é: assa c<«s as at pe r s e uma r» pr» ma ac jpònfrtc Deputad bfl S n se encnr«hpeaoc ura av s,v f í.n <e rm P.r. e C S~n NfC Seftb aue pc esnu ac P z vm rc :í Eupj c f.rr ac mc è se prfn»a pad va e b í : n d C n d : 3 C~ es cí /s 5 M,; Rr«P» rs C SDa SH rrn Qu>í, C retnre m,mc dtvtd Q p,\ rt.>? Sv. íc ef t.rr\t nc e E upa r EsD»raas ísmpfm í C Cí du, mf.ntrs da s r eat.;ua que altas, esr,vfam p qu, em u rs ao r DOSvun mu O amas nc P Sc ees Duír t«pmc Celh e P Le, Pnt & Vírula..,;, nr,.. ra s.., «r...,,lkj...,... J,!. paa a, J» r.a... e.,., V, í,..,,, { a a,.,< f a,.,...;,.. :,.. vv a......,..., : ;,,;., K,, ;. ; Jananac na n c e ce t.,..,. quartaíetraem ubcnj. n Durmet d mcus Mvc» e > a a>a Esela KubtsceK an «?vrw> Bn nd dancan cancanac», HMMMMM fe mens meu pa subesse que estava fcand rldl cul. Para seus ams mas cheads estava se tman d mtv rss. Era uma ana para mnha mae.cntnuar a vstál, traéda íc transfrmava em farsa tdas as vezes que meu pa faa uma suas fre quentes vaens fra. Mss Slcvensn u Mr. J. Sylvstcr, seu secretar, fecebam a ncumbênca reservar várs quarts n htel, Bralmente n sul da França. Deps dn rnava que fs!c lellas as baaens e que fcasse prnt seu carr Rlls yce. Enquant ss, hava especulações em casa sbre quas mulheres que levara cns. Naturalmente, raes hava sempre urentes neócs Mílí quas meu pa lnha empreen essa» vaens Mas u,s, em casa. nunca s tnls.,,(, cntrar,,. a da.s mas nvas amtas pa, que me d.s.tcrta vv: Mr..nvd (.rtc traba ant n,, sul (j,.raha! Wu.ndu chcíams leve dc cn ratar res secretíras a mal. la tála c ;,,,,,, s,.u,u; t,, [ cava acesa quase da a hm.. pbre nrenle/ha na Vl dd.). sbre s prp ls d,.,,,.,, (,.,n,,,,., n, a su,, smnla Maten lnena SUL D FRNÇ Kl.l vll cnl,,, cm um cla pedras senpreesas quc eslava V suas ps shld.dcs lnanceras ler Kuntt lhe n hava uht d,, c.la lespndcu. verme lha, que l.lvl leum lhe ha va cmprad cm San Rem Nau se quant custaram «tn. pa essas aventuras M e\, ter sd uma frtuna Fra ns salárs seus au xlarcs em Churt. hava uma ln. lta pactes murads, que eram mandads ndus s meses paa suas am J J Rehard, Cn Llyd j \ Gere Dwyfr J J >/ anu sere ar Tlte J Cpyrht \ fjj Pcple enca Keys s ne H.clstda J ULTM OK. \, em da a Kurp Cut u,an,u.nl,a dc d.nhe. nu HWtv d banc, dc % f lbras Km aluns cass e lava evntemente parand t preç d slenc Km u rs (v paaments eram le Ultmas prvas sua afeçã. mudança vda meu pa ern acura ttal Raramenle a á Câmara ds Cmuns. \á presda, na verda Tra. hnlhsl.s e Cnservadres se unram numa sere alan ças para frmar dverss verns e fcu hem clar que < pda se realzad sem fl anda ds Lberas K a um òtfn dc caras pn l cas nuvcas n qual CONTNURM OS SEUS MORES MS VGOROSOS DO QUE NUNC meu pa e tera mentd» vnta, aul M. éle cã estava mas nteressad l xu as tramas e s plan < un crup ndvídus qu. jamas teram almejad qu, quer pst lrança meu pa estvesse n fc Huve Hntfr l.av. lenen: capa; mas nunca um atént c lír Ramsay MaePnald cm a cabeça um leã alma um celh R.ldvv, Caçadr e Chamherlan n pa/cuadr K cm estavam a< rísa napjeles temps Bancarrta nacnal r lfenprícn em massfl Mí ha da lme» (N>r r uta nrmamenva CRSES MRGS U.. a n cas,a n m pa cm.r.., í a lra/ul a rm Mas < prr vda pessal út tves a, eshvj lambem em srm Breve cheara a estaçe das crses amaras Um da fram scbertas laums udí. ntmas ae mu lher «m sua cama, em Churt e mnha mae sube Meu pa hava dad a famíla sua fantasa uma lm ta evnte quf. fltc na pdu pas spercebd Mnha mae ve medatamente Cncc.eth Ela se encntu cm meu psí e lhe dje qf aqr en dante n,»» cunstrav ma% u e%s«meu pa esbraveju Tentu xar enenr que tda hstra nã passava uma brun atra que s pda ser para n Rupa» bav a sua cama Qu déa Var s»rta td ns r %<»r an\ Ma a? na cvw ce, Mml. ma. b a d p, ntc mas F.;» apanh he p» evu tenea err Rrr tud parf Cr p d c a r> [actnle. e; Bebeu hjr! nte «n.a q.:,m Nu ma m. b.ã ulsqu ; rrt dament..a.. r,, jd( p. 3 V..s unv.a nart. mã< SEPaRaCaO,,:t» ra rar < ( na»... sm neu.. ;, mar T su» :.! Cl Of a n trve Mean e Gwlyn s mau. cven fcaram tad, a w d CS efets ttas da separaçã d> meus Das arn strçar pr crnptet tamttta Tve pena meu mas eu saba Que suas dtfcuaa» eram puramente têmpralas e aue tu assata N# verd«at ceand eu encntre, t\jé\ semana rí que s advqad» t>vessem rpd«q«dc c nst.umpntc»= eac»c mnh m««. estava,n e bncan cme se nada huvesse acntecd Naquela epca nac cmpreenr a su attía recuperaçã Crec que cnhece a <íac aqra C ec aue meu pa> estava cnslad ele tat esse «ssun te cheqad a seu pnt culmnante nalmente t end araessadp c prcess d«se caracac nte Kavla nenhum lace casament que prensse Cnt.nucu rsr«antc seus ems cm a>s v.pcut wunca

10 r WWm >: f. 35>«Srí ur í.a c; PGN 2 SextaFera, 27 Janer 96 ULTM HOR (2. Carn) ND UM VÊZ COM EMOÇÃO qmm_... FCH TÉCNC Oncc Mre wth Feeln. Dreçã Stanley Dnen. Elenc: Kay Kendall. Yul BrYnner. EU, 96. Tela cmum. Tecnclr. Censura lvre na ssas cmédas que ram smente em trn rns brfías un casal, nda tna Vez.. ê uma spedra nã mut dna da adravel cmedante que f Ka\ Kendall. talvez a únca atr/ realmente lela la nã ser pela lá mut falecda Oarle l.m hard n usar ssa beleza para fazer rr. e que também aha ser sexy cm esprt. hstóra, pse dzer que se lmta quase exelusvarnente a duels re famla nem tã famíla, a quc se apura mas ta. le c um tenperamental maestr, e ela a larpsta ra rquestra, mas. anda que vvam num mund ímscal. a harmna nã rena nele. ntase ns us uma acentuara tendênca para strur harpas, vlns, etc. em cabeças alheas Entretant, cm as savenças r heró e ra herna cnsttuem na realda únc tema r flme. a sua repetçã e prlnament até fnal trnamse exaustvs. N papel d maestr, ascnante Yul Brynner a quem s carecas r mund nter veram ser rats pr êle ler cnseud transfrmar carênca cabel em!ãmn, laz una espéce cacatura re s mesm, dand plpna expansã à sua canastree vstsa, e nf se sa mal lm hmem cm capacda para mpressnar mulheres d lf as fíf. Mr Brvnner sstematcamente arada as damas e exaspera s cavalhers X mas. flme é brlhantemente clrd, s nterures as tlettes Mss Kendall sã luxuss p pôst requntad; a dreçã, anda que lhe falte leve/a e rmrente e atmmas das seqêneas. sbretud na prmera parte r flme, fazem rr Mas tur ss na exclu fat re ser uma pena que uma cméda fôle lã reduzr cm nda Uma Vez.. seta aus a públc ssa ran cmedante que f Kay Kendall. ORBEC, CNEROND BCC & Escla U. lp ém tat Cnema á ORBEC loranaca Braslera Empreendments Cne matsràflcs), cmpanha fundada recentemente pr um rup hmens cnema frmads pr Enrque Bac (pres,nte Eduard Gumarães, Lu Sevenan Rber Junr, Carls Hu Chrstensen e ntôn uust Cavalher Lma, ja va rcalar seu prmer flme. ssm e que sb a dreca Carls Hu Chrstensen será rdada, após Camava, a película, Êsse R que eu am basead em várs, cnts Machad sss. Orlenes Lessa e níbal Machad. O elenc anda está send esclhd, mas dretr Chrstensen nfrma que d cast partcparã várs artlstas nã só d cnema cm d teatr e da televsã. E mas: nfrma a dreçã da nva empresa que a ORBEC vera prduzr uma méda quatr pelculas anuas.. anuncams ntem, a mut temp. Na últma sessã COMO sscaçã Braslera re r ra f. seundafera, será Crnstas Cnematráfcs va apresentad, em caráter espec.l. para cnvdads, um fl prmver uma Semana re exbcã flmes na base da sua me em préestréa talvez seleçã ds melhres re nédt Jhn Furr. Sarent Rutled u talvez né 96 Semana ra BCC sera realzada nu nv cnema dt re Petr drm. Cn Passandú rua Senadr Malerett mbról, send Veruer dc quntafera, dstrbuíds, antes ra exbçã, e feverer a quartafera. 8. s dplmas rr tds s veneedres nas dversas cate Semana fu prramara da seunte manera: da 2. quntaferras flmes estraners e nacmas da seleçã anual O ncmpreenrds: da.: Quand vam as 96 da BCC cesnhas: da 4 Hrshma, meu amr, da 5 On cmeca nfern R Brav.: da Dallas para da substtuçã d ttul da 6 Cda ameaçara; da 7 bsm apenas, da versã cnematrafca d re um snh bestsellcr.l Secec Bane: da 8 Wrt Wllams, da Dallas. Hmens em fúra O flme f um cas nblesse blle entre a MGM e prdu classfcad cm mar vta. cãn. clòrc vra, xará tr Samuel Gldwyn. O ttul sr apresentad pr estar em f mudad sem questã, em prramaçã nrmal em um ferêncla a um pedd pessa Gldwyn, tend em rs cnemas ra cda. Km casn quase dêntc se encntra De crápula a heró vsta a semelhança cm Stel a Dallas da nvela d» Edna Generrre Dela Rvere. flme Ferber;, um ds mafres sucesss d fams prdutr que teve excelente vtaçã mas que sau re cartaz rs Susan Hayward, Dean Martn crcuts cmercas nã faz e Ralph Meeker sã s prncpas ntérpretes da, que tem Danel Mann na drecã. t PSSO EM FLSO bnlnha e smpátca Pa cale udrrí é a prncpal fara mnna d llme Pa s cm fals [al dr Nut..(ue próxm lanramen a partr r seundara. da Franca Flmes película e drda pel veteran Mau rtcf Ctnch e narra drama,. uma jvem sajustada e ans CNEM LNÇMENTOS O VÚVO LEGRE Na. cnal. Cmedamuscal. Car navalesc. Prduçã Herbet Rchers. Cm Zé Trnda, írs Bruzz. N Metr Passe (meda, 2,, 6. 8,, e n Metr Tjuca, Flórda, zteca, Rcamar, Ral, Pax, Nacnal, R Branc, mperatr, Brasíla, Palác Hlenõpls, Reênca, Guarac, Sã Pedr, Mel Penha Crcular), Santa Cecíla. 7,». t. 8,. Lvre. Smente us pr tes. TEMUNH ( Nht t Re memberl Recnsttulcá d naufrá d Tltanc. Drama nlês. Cm Kennetn Mre. N Passandú, Rjt, Santa lce. Hrárs: 2; 4.3; 7; 9.3. mp. ans. EU, PECDOR (Y Pecadr) Basead na autbrafa d excantr e exatr Jsé Mjlea, hje franclscan Fre Jsé Guadalupe. Cm Pedr Gerald, Lbertad Lamarque, Pedr rmendarlz. N ópera (Bt.) cm exclusvda. De 2 em dante. Lvre. da prtara n 24. TRVÉS 2 re janer r. 96. Mntr da Educaçã e Cultura. Senhr Clvs Salad, nmeu a Cmssã Oranzadra da Fscnla Nacnal re Cnema. sh a presdênca d Senhr Pedr Cuvéa Flh, dretr r nsttut Nacu nal dn Cnema Educatv, Sã membrs da Cmssã s Senhres ntôn uust Cavalher Lma. Humbert Maur. Jsé Gerald Sant Perera, Plín Susseknd Rcha, Flav Tambelln e lex Vanv Cmssã, que se nstalará amanhã, sábad, às hrns da manhã, n Oabnete fe. Mnstr. n Palác da Educaçã ( Cultura, será assessrada pr tm representantp da secã r\r reantcã H Dfpprlament re dmnstraçã d ME O neóc açra é saber >e esta Cmssã resstra a mu dança re Gvern presnle Já n Quadrs e nvu Mnstr dn Educaçã e Cultura u tera duraçã dp semanas, apenas GOLS CONTR OS BR. BROS (Glath and the barturans) Recnsttu, çã hstórca. Steve Ree ves. Che lns. N Sa Lus (Catete), cm exclusívda.., 6, 8,. mp. até 8 ans. JUVENTUDE SEM M NH Drama, Nacnal. Charles Flrentn, racema Vtóra, Celme Slva. N lmpér, panema, Tjuca. 2; 3.4; 5.2; 7; 8.4;.2. mp. até 8 ans. PXÕES DESENFREDS ffrm +he Terrace) Drama. Paul Newman, J a n n e Wdward, Myrna Ly. Palac, Presnte, Ran, Mramar. Clseu, Madrd. ; 3.45; 5.2; 7; 8.4 e.2. mp. ate 8 ans. VROU BGUNÇ Nacnal. Carnavalesc. Realí raçã Watsn Maced. Cm Nada Mara, Tr raktn. N Plaza la partr das hrajj, e a partr 2 da tar, n Jussara, s tóra, Olnda, Mascte. Pe. nha, Marabá, írs. Rams. Lvre. RNCOROSO (The Strane One! Drama. Ben Gaxarra. N prrama d Cnema rte. N lvrada, cm exclusvda. 4.3; 7; 9.3. mp. «té 8 ans. OUTROS CNEMS Centr PR CBR COM v ODEON _.R, nrrents Zna Sul Bld Mph j hn WYTn ><. em duntp mp,.«yè lt H M H MM.O far ans. men dr Knda í Carmen. la re ENLTDOS n PROPÓSTO ta prpalada quema carteras d Sndcat ds Radalstas, cm snal pr (est pela nã nterferênca daquele órã classe na questã que s artstas tevê mvem cntra s enlatads, radatr llemílc Fres, presnte da entda, telefnu para escrtór Huaá, pel aparelh còrrsa: Hn querd meu craçã (presnte sndcat fala assm, para fazer relações públcas), nssa entda vem lutand, já há alum temp, para reslver a questã da nvasã flmes na tevê. Os dns emssras, prém, nã querem cncrdar jet nenhum. Elabre, querd Hu, reulamentaçã especal part esses flmes. dreçã da TVR nã acetu. Mas cntnu nsstnd e nós, s empresads, vams vencer a questã. Dsse mas: N da e na hra marcads para a anuncada quema carteras, únc que cmpareceu a lt) cal fu eu. Nnuém mas. nfrmams: Chveu. K Hemlc: nda mas ss: eu me mlhe td! (r lad ys Nssa uruuaa Gladys telefnu também para espel crtr Huaá, aparelh azul:,v>;. x& t?. : / /. P»! f a!jj HãF yí. F.L7. mu da parda TUP TEOU FOCO MNDOU (E PELOS RES) NO EXTERNTO PEDRO í...! mar ÇW.T parte dc nssas mu!m Rn KTS T H wtunn sens será ravada cm rquestra semente Caravana cannavn querems dzer: ; caravana tle Hum hrt Texera, que vajar para a Eurpa (taulf lvs c suas pastlhas, Carmen Da r, Orquestra dr Qun as) ravu na Odcn. ll _>(l Jta Caspary é autr da BaNte crônca Pnra Vcê, da Rad Tup. E banca Descnhec Ouvnte d: td mund sabe quem èle é, mas própr ná quer que se da.. Carls Fras sempre leu a crônca. ra, estí féras. Seu substtut é Clld Flh. prpóst, m até que Fras, quand termnarem suas féras, nã mas vltará à PRG3, ps preten dcarse. exclusvamente, à televsã. ssm, utr da, Caspary escreveu crônca, nttulada BaNte Para Vcê, Extrnat Pedr, Que Peu F. Clld f para mcrfne e leu externat mesm, cm estava escrt. ELES & ELS HUG M querd! (M querd, mdésta à parte, sms nós). ô! respnms. Vlte, ntem, a Nht and Day. E já estu ensaand próxm shw Carls Machad Vve la Femme! O públc, penhrad, arace, Gladys. E ela araceu também. Elza Cntratada para uma lerapracla em Curtba. Elza Sares va anhar 3 ml cruzers pr mês. Classfcuse, assm, a recradra re Sp cas Vcô Checass. mut acma da parda... Suplement Um Francs Pwer Huaá st é: um espã nssa equpe cnseuu saber, ns bastdres da fábrca dscs On, que essa etqueta lançará, em feverer, pela prmera vez n Brasl, suplement r a v ações esterefóncas. Cnstará dc 6 múscas, send a meta braslera. E cm a Odcn nã tem, em seu elenc, t bns cantres nacnas que merecam essa dstnçã,. Fu rfrmacjc que há um prjet, que sera autra dc Sandra Cavalrárt, que vsa a sentar sel as cmpanhas teatras. O prjet tera ap tds s partds e sera, prtdnt, aprvad srm dfculda. sentar, n cas, snfca reverter dnher d sel as empresárs, ps estes, evntemente, nã ba varam preç das entradas. d;. em part, é ht>n. ps srnfra um auxl paru as ernrésas. Na se bem a ue sel ;( refere, prvávelmnte sõ an que dz respet a Estad da (Yj.uabara. pur mtvs óbvs Vas mprtant é que ( um manera errada ajudar teatr Estu d acrd que Estad cnreda sençã sl as empresár.. m, em trca aluma csa. sentáls, sem mas nem mr s. sfrn! fca darlhes mas dnher mas uma subvençã, em úl Uma análse sem rpe pv seja benefcad E mnha pnã, cm a da mara ds crítcs tea r dpsta cda, que s auxls d Estad 9 teatr vem mplcar em bríuações rulturas para as empreas. <)\\{ vem perr sen caráter meramente assstencal. Os empresár, em trca d auxl, veram cmprm terse a la/r cert tp Suce, prém, cm se sabe, que f nternat que peu f. Várs uvntes telefnaram, medatamente, para a emssra, prtestand. Clld fcu ndnad. Entru na sala Caspary, as rts. O crnsta também peru a pacênca. Levantuse e se esqueceu dc sua funçã relações públcas. Partu para ataque. Clld fcu na fesa. E se nã fsse a nvençã da turma d xadss, ncênd d externat a resultar em duel. Prca nda a prpóst d Tal Jta Caspary haver atad f, a Externat Pedr. cnsta qtte. dante cs prtests ds uvntes, Ohvald Czz. dretrartístc ra Tup. chamu ncen dár a seu abnete: Sr.lta. tds s jrnas ntcaram que f nternat que peu f. e nã externat. cm senhr ntcu. Qtte f quu huve. Eu explc, chefe. nram dzend, pr aí. que a Tup nã tem uvntes. Tr que nternat pr externatn. re prpóst. Explcu melhr: r \ $?W: m Ü m W m P f f. % S _h % : í m ym 4 á %. :M: Jfll M \ a JÉ jf CLÁDYS Tud ss vltu a Nht emd Day. CONSTTUNTE E O SELO teatr, qualda sem dstnçã lnhas u luas a alcance da blsa d p.n. E tjue falta a BOC & TETRO NFNTL O Bca De Ov, tle Nelsn Rdrues, esla n:.n,l..nc.ss blhetera n Mutlad re sss. falecda sscaçã Braslera rlc Crítcs Teatras entreu seus preuns UlfS959. Entru pr Crcu. npenntes ds Crítcs Teatras Reatrn Banra t.. Nvs Rums U TBC eta sajrcnd uma cas suas perduas crses. O empresár Franc Zumpar le vnte tlas nâ aparece n teàlr. Juslamente n an em que TBC preparavase para nmn prramurâ ran qualda. Eperase,/te c cnse seja vencda cm sempre, nrublema é dnher. O rup etn. Ppular Cullura, que se prpõe la.:.r teatr jxltcuppular, u esla cm a ua dretra tr mda para elabrar nm rement ntern cus estatuts. Há nmes cnhecds cm tnr.u? farex Claud Mell e Sma, Muel Bres, Das Omes Carls F.stc.f Um elenc que p cntar cm nterpretes cm Luz Lnhares e Oduvuldt Vana Flh já lem um jxnlteatr brasler, restrt a tuna claque nem sequer representatva da classe méda. Um teatr smplesmente unrad pel rss da ppulaçã. N t. cda pel mens res mlhões e qunhents ml habtantes, n máxm cem ml assstem a um espetácul sucess. credt que prjet te. nha sd um auxl sncer f»l#jl SPETÁCULOS V(!tl\..\n;Í5ll:s.> lerrtd (OpllKn lcll <... f?rf fírat. Tnv ( urts. 2; 3; í: l 3. Lvre PTlf.S mulhrrr. ( drahk». Crêstturrftl Murtne (.r.,. flanrllr l.rrnu. Kltner FMlrrp. Menla rm dante. mp. at< íh ans. RKX \mr. rlan df Uns ( S mm cr Plare) í rhflrnt Eratl, s,nra,, 2;.3; :; n.:;t. mp..l am.. CPTÓLO Ssíõrs pas»n temp rtskm rttans Trtr. d, sej. Mrhlra Haertl.!) l da manhã pm dante. Fmp. at< H ans. SO losf: Mnrrr.Klf; ; rada nsl.ut.l.rk Palance Ue n dante. mp até ans. KVO. fn.llr. h drsa dn amr lr.re. meda; 3. h:. mp l< K anuv POM \H KmbKcala luróen, t t»rla ern rnnfll r N.s arras <l murte. partr d U da manhã. ( HJ.M \l, Peln.anunáría.HM mr pra lrê>. M/ana Krryrf. lll l tln nã vltaram Nacnal. MRKCCO cutccfll ru 2fí julh e tandlrr» ra ( ra d fl ab tnlal \crs.,, rspnnllllll (a nvela í.armrn, <!< Mermêe. nm Sarla Mnte. 2.. H, X. lll. mp. al lll ans. POLTEM fcl taram na HOl \k,( Juventuflr sem amanhã raeema Vllóra. Charles Flrentn lut.vunk Santlan. lan Ladd. PK. mr para rrs. Stzana Freyre. LEJ ON Terá ds Faraós fland r Un. Ph.r.hs). Jark Hawkn,.nan rnllns. Uc 2 em dante. mp ntí ans..sk Melrpl, d p ( af M d (.PC KN llnllur t.harlln llln»s lí Yítl r 2 Kl. Preens rperav Ll r.. RT P.M ( \ V \ \ drr lda Marnll, Ma. tr} un. r 5JM e 2..ín. Pre çu e«.pera. mp até X an!. CRlSO «pnl raf da. mulherett f emme Falhtes) Mylf ne mncrt, Pascale Petll. De 2 ern dante. COPCBN nda um. ver. rm emçã Onp Murr, Ull Fprlncl Kav Krndall. Val Brjnnpr.!,, S.». O., rre tvtr _ as.» mulhrrr.. f \drablen Oéalure! Marlnr (.rl llanrllr DarrírT Ou m cullcre lr 2 em d u. mp ale H an Zna Nrre «CROC nda uma vn, cnm emçã (Once Mre, Wlh rclnc). Kaj Krudnll, Vull llrynnrr. 2, 4, S, R, (..vrr. \MfK lras smbras (Hll n Fsc llay) lan l.artd. Kdward <:. lllnsn. D em dante. mp. até H ans, lítp.cll Tl.ll C K. síc rnulher. ( rrablrs Créature). >artín«carl,!>» nrllr Darrlrux. 2., l. «, ln. mp. até K ans. P.UMNP.NSK Klhs da crneta RSTtnO l»k. S Matar nu mrrer e Serenata n. Méxen DDOt K l.llto Vendda Cm Da nny í arrel. sm ( FONSO dan alma nelvajçrnn MRCNÃ lrê«vend líl Subúrbs c Zna Rural Cm huve muts prfests, cnseu prvar que a Tup tem uvntes. Czz fcu mut cnlcnr>; te e ahraçu Caspary. (laud lhe sncers ncênd parabéns pel n externat,.. ícadü Dnah Slvera Ouerí está afastada da Rád Mnstér da Educaçã, em z féras. // Herra, Henry James, em adaptaçã Das Gmes, será a peça transmtda pela Nacnal, às Teatr 22,, pel em Casa. Dreçã Flran Fassal. Manuel Barcels verá ser dretreral da TVN.tcnal. ndcaçã justa, ps a êle a PRE8 está vend sua televsã, cuj níc d atvdas está marcad para 2 setembr vndur, quand a emssra cmpletará 25 ans. / O Freds suspenu scu shw, prmer das 23 hras, que era apresentad cm as jambetes e s passstas. // Veemente smentd d Sra. Ta d Mel, na TVR, quartafera (BqLar Shw! a clarações fetas, na semana passada, pel escandals Sr. Lma Barret, nas quas envlva peta. dna senhra, sem precsar dzél, fnu bem cneasta Lma Barret E, amanhã, nvas nfrmações Huaá, sóbre eles, elas e utrs também.. OS DVULGDORES Huaá slcta a tds s dvuladres dc emssras dc rád e TV, buates, teatrs, cnemas, fábrcas dscs etc. que manm suas nvas para esta seçã, enreçadas a Huaá Seçã Eles e Elas Redaçã ULTM HOR Rua Ster ds Res, 62. dn Cnsttunte. Mas 6 una sncerda ncva, em últma nstânca. Resulta apenas em mas um ncentv p. perpetuaeã d estad cmérc pur e smples a que etã redt/d teatr n R Janer. credt, entretant, que anda haja temp para uma recnsraçã pr pane ds putads. rejwrlrla atem amadres Huve almç em hmenaem a Edmund Mnv?, que xava car dretr d Servç Nacnal Teatr, da lll Glauc Sá Brt encenu Chapetuha F. C. Oduvald Vana Flh, n Guayra, em Curtba. SBT pra encarrearse da dvulaçã das pecas ds nvs autres braslers, publíc(tnd~s cm edções baratas e envajdas pura nlerr. O crítc Gustav Dra prpõe um mar cntrle sóbre teatr nítnll n R. Janer. Há re:mus urups avadres se sustentand a base teatr para cranças ue. em sun mara, e teatr ntma /wlltnle e ncv ts crtncas. O que acntecera cm O Tablad, ara que Mara Clara Machad eslá alastada le. prvável ue rup vá.v mbúrbs, as dverss teatrs tlu prefetura, apresentand texts para cranças. S ss m bastara para darlhe uma feçã e uma ulldada nvas. nur blrta lha pa ra (t m r pa.aí ytt.r.r a maldlefu da mntanha ftl Mntntafn). Spnrer Trary, t., (,, K. lll. lt anns. tllllh Prnpéa l.e ruxnl \ \/ (ln ra mrte On Sarl». últm rta rr eal d pa«n. K.lt O mund pfrdlln MONTE CSTELO mr pnra trêm Ml nnt vent nau sabe lr «LEOPOLDN l n. estrunha em meu stn «MELO lllns) Vnana ds pratas M\l.\ Ksss mulhere».martne Carl. PRTODOK Essas ns. M artne Carl. nllc NS fsso Demelríu, çladadr ntt\/. DE PN m pra três ( \( \M» lalm. l..n freadas + Mtnl \rnr par.» r Mt KM lle mntanha n (la Ml lt T Mnhnrr lante SNT HE N Sllr CÇR dr Pmpéa rnp. (r Os lt tlms lll. PRÍSO Os Últm» da» Pmpéa MOÇ BONT (Paln Ml uel) tahettc \.\ a íerra lll K Ml l (Banca sn> majesta, atenturern MR MU ( n, ar, patm ) Meu amõre n K SN X CR 7 Sa ( ru/ Prncpe V atente e t.nete da tempesta MR Cl.R Que uwnlpccra cm O Tablad. TETRO, H ropcbn fs7l»8) _ Kt su espetácul Js6 Vasrtfcl twnstco (424452) Cnm a pulsa atrás da re l í trn.ma Mnlee;r, ítal tss e Slrnn ürln. MKS. (22722) Kns n Hanfrra Tônla Carrrr t Pau tran.: M ( ( (22RlBt) He Mm em ravestt Revsta. Mmt Mrr, Splna, l unslel Leandr..KDK. (27K72) Tõdu elas sâ barbadas Cle..OO CKTNO ( 3427C) Carnaval na lha rt Snl Lu FneRO, Cstnha. + tlv M. (22272) Vef nau empllhl fl tevsla. DK K.S 27322) (ítla st dverte Laura Stare/.. llll \!K lll.) ma a ma.r. três le t lalrr Ma«nur l l n Sêra m> rdsu n (na :!:,), 7 k eada, pet amr rr rces rll Majrr, lías ncd K KCONl. K c M f llr. dc Orn l,. Nelsn Rdrues Cm Mltn Mras, tea trz Vera. BOTES FREDS Ml. ler Mm. Espetácul camav(lec. NGMTNODY t Samba Carnaval e Cal l( eduça Cnrls Machad. E Estuvuf Tup anel sulutllund t. ds s seus prramas pr t.. lat.uls qu a ente tem,n med star aluma c. s. É só elar um prrama e na semana seunte sá, para dar luar a utr flme. Quar. tafera, prém, tvems uma surpresa aradável: cntnua _ ser apresentad prrama Glvan Chaves. Mesm cm Jararacfl cantand blers cnversa smples e rlsnha d» Glvnn, e aluns númers muscals, prrama é ttalmente aslsfvel c mult mns dvertd d que a atual prra. maçã dt Tup. Vtape l j; tn uslam.s nu canal querems alertar subu u peík dn Vlcletape. ulun auusand h.u stu ccur., N sábad, num hrár as,, lulamenle mprópr para cr ancas, repetram lte d l llahí c. na (uatalera, mesm Va da Valsa da uu ra semana. ssm _ dumu. mnha ente. Dexem a repetlçã apenas para s enlatads, a lm (pe prvquem í. mas rápd pssível uma m [ lxcarã neral. Censura Receb amável carta... cendn Lete cm pnr. ções bastante raáves. Já um cnsl terse um chefe 6 Censura que aten pessal mente ás crítcas. O teatr cmeçará mas ced, e acetams mesm s mtvs das cenas mas frtes. O que scendn nã fca è ns prramas nfants e, prncpalmente n enlatads. Ouem está faend a censura ds mesms? Sã eles próprs pura as nssas cranças? st é mas mptanfe para Chefe Censura ps saneament neste sctr está se trnand cada ver mas urente. mm&s&êvêm? CHÁCRNH SELECON belard Chncrnla, qur., rn.. luc para anha dnher fé/ sett prrama d ctn na base musqunhav Para carnaval Teve u, dad frsar que estava, baseand rm suas últmas a (lanças pr ravadras.,,,.,. dscs e bales. F. mel.. as prváves ctnpsn.. sucess para próxn.. períd da lucura enera zada Teve anula cudad fazer a apla da mús, trabalhada. Psse que ara quc era a épca exala pam cattu.r Excelente O S. Oswald Pend durante td temp d nu r. n JK f um ds hmens mas ctads, crtcads, chatead» e elads. Km Prfrtn n Bran. e, prtuse admrável mn. te, fêz claraçã públca, seus bens. clcu td s pnts ns. num sassm. br e ntável. Melhru mutn nível das peruntas e lu un ds melhres prrama (la sére Pret n Branc Mesm a explcaçã dada an. lerrmenle pr Sarentelll sbre prrama anterr, lm bastante esclarecedra. se uma cmpcã Kvplct que t da, antes d carnaval, nã h,\,., mns necessda, ps a a rquestras á eram bradaa acmpanhar s flões n,, qul que êlcs estvessem can land. ss sera mut bm N entant, na acntece f quc se bserva 6 justamente n llrán. Os qu estã puln t Sl l)]t;;(ln.s ; fnttr t\ tmcntr t\uv as rq(»str;ípntías p scedas qut jrn cadam drets aulras tem pn!!ram;n K a carta\l nã sa bm. Sa dríd lún seuda, npresentu sna selet;ã: lactm á mu u ; nterpretada pr Rbert v. d. cm seunte títul t crível. Fantástc, Kxlratfln> r. Se ss fór cantad pnnláneamenle pel flã. n> paarems um dce para quem pedr Prmessa feta Cha. nha ê testemunha, NUMERDS Jl Csa cursa em prra mas que ltm rnam na base d telefne. Cau mcmm nn st ppular a mnrclunh. cantada pr Carequnha l ncn tres nu qualr u pr da, a emssras qm hansmtem músca d rarní va meem lá elássc ll bm menn nã fnz pp na. cama Csas. Cl K fland Das í n r crdsta alua dscs. Ven que nã é brnrarn. Knbra pareça,.lá ultrapassu a ns Slva. Explca, nnuém p. v, :$ 94_nL mwêêr ç mmêk&mtáx && WÊBP MtmÊBl WÊMf.... Fm?ÊjcÂm!: t B9_t\tTffz V_\,. /f t S íssmwk, Www mm erequnh Pp lll~ sucs. fr Prrannha tp estã leve c U n Dsc. Pu.(tnha msturada cm musca nrmalmente ben esclhda. na hra dn a mur v p sef OllVÍd M med cnestã. Tup CT. nela Mana. ml» mente esquecda d bl tanben. cnv eul.t ms. tem repertór hrrm esta cum chance (r har neste carnaval Tem m> squuba smpátca, q mas m menus ss.< lua. querem me ruba paz.. P esturar pc

11 l.jp PM MJ.»»«r..» fktf ULTM HOR (2. Carn) MUNDO FFMNNOmP L J :; Quem v andar nn l enr quand um casal se drrte í psla danças, hmem m a mulher?, Num autmóvel em que vaje um rasa n banc dc trás. fe que lad ve sempre se sentar n mulher? Respstas p Quem passa prmer pela ptula e a mulher. Dentr d restaurante quem tnra a flanlra é n hmem, éle se thjuc n mesa e ajuda a cm $ 8 $ Cham a Sua tençã NE KENNEDY QUS SER RNH DO CRCO... Jacquelne Kennedy, a nva Prmera Dama ds E_ad<_ Unds, passu a fazer parte da lna alera espsas Presntes que sucedct.m a Marta Washntn, espsa d prmer Presnte nrteamercan (789797). Entre as últmas Prmeras Damas, quatr anda está vvas: três d Partd Demcrata e uma d Partd Republcan. Cnqucnta e sete ans separam a mas dsa, Edte Wlsn, da mas jvem, Jacquelne Kennedy. ültlj MUllílí Pun n lílf fl preeus fuf el. scfln feln cm f «>!«> tí M/l l,..ee repreee numa m uulra tj, ns 2,), CrS 22. e nlé mesm CrS 24.) que.hllllll...ts lllklns, /ll, tle C..l.n quand t sen pr,t llo.oo. nnt nu Mercad tlu Prdutr cm nus Mer,,,. S! ras Nacnas. Pnrn a questã th rõc quantlf lmnmenl) é em crup ccnlvs. Ja nã pcc> reclamem rs ltações Ú ú Wdrw Wlsn, Prestlelf mcrata, vernu t dã apenas e par ancnl ( CrS 8.5 em nula re cruzers. Uma mu ú t ns Estads Unds entre reclamar qualquer csa um ltarã 93 e 92, send elet..,lns rcaflts e ate ameaças e nnemn a fen. h \a> reclamem %, t.tle p.(.. nn snfla que também eslã atl f,! Vlz(s Su: cs«),,sa,,. nercafls mune se pnp na sttae qtn qne lanen estã a,,,,ntlt est mal hábt. Qualquer quanta em quebradns res em Washntn. arredndada,! na lrn d paknment ísempre para mas). em nm apartament pr eles \ m tl/er fue atna emtas sau tm mãxm 5 centavs. adqurda em 924. Kdll prque presenlear váras vezes pur semana ns meren s cm Wlsn tem 88 ans. sa n fcnlavs..lá pensaram n númer tle pessas que lá xa mut raramente dc casa «s lr.mente estes 5 centavs? Reclamem sm, que a nbreu j, manfestu seu únc cn é tlnr rflc cert. Vams daqu apntar as pucs s (ÜSej para s últms lã crcarlts (úü nsstem neste mal hábt ans: assstr á psse fe mas jvem Presnte panhera a senlarse. K èle, mcrata, Jhn Kennedy Seu Prbíema smente êle quem se drpe Em rm fe da. F.lea nãn apenas n mâlre dl,. Hsevell vem a seur: tel mas a tds s empreta u.m 7,,ÜS,. cntnua em Etqueta «,.,:,, l,. nlvdalc vd 2 Devese jeah... atvda na r(,nn vcê aue u amna senpn cm crcunstnncns cm estas. pr trás t autmóvel mm P Púl,lca l:.. l; [JUUVl llll] ra j. Num restaurante, pela frente, mas mut vúva Frankln Delan quem entra na frente, hmem n puca tente.ab dss p aplí Rsevelt, Presnte m., mulher? Quem se rtmsalemente drc estu ve crata n períd , á mesa? prmer Qn fala rfrand. % n qual f elet três vezes. Eleanr vaju mut: málre,.,,, t trlel? 2 Qtanfl se sal um hm nusens. Se nã há qual esteve duas vezes na URSS,multe f lad da rua. para quer prblema para se chear e na Chna. Escreve dára [. r à calçada vese cm até á psla tle danças, va mente arts para jrnas, bn educaçã mulher na frente, Mas quan _ prncp pas.nr pela frente u pr trás r c:t camnh a,!!. apert etc, hmem rev (l, vecul? na frente abrnd camnh para a cmpanhera.. mulher ve r sentada {. d lad dret e hmem du MULHER D SEMN latu esquerd. mulher en ra prmer sentandse a tl ;J retn e hmem bem educa t na tenta passar pelas suas pernas, mas entrar pela u ra pua. quand carr fór estret. Na sentu, é facl ma a crculaçã um hmem p perfetamente entrar. passand pela cmpanhera já > sentada. dalsa Nery. aue mantendse cerente cm un pnt f, lsta c num bel est sldareda pun cm p hre. reslveu entrear mentalmente uma parr mu,,.,,,., rt.rm/rc _e,.rnm/,/, anhar Crs M mmjm. f para hcar upenas cm Crs sn.utt.tw. dand a dferença. /««lamente para uma bra carda Cm c Seu Sn? lem cnfança na nela e e cn paz re nsprar cnfança nas \ letra talvez nau saba, nutras pessas cm quem cn t a psçã cm que se drme revela seu caráter. vve % Outra csa é mprtante pa ra seu bm sn: clchã. ncsa Exstem várs lp rl rhã le mlas, mas vce en Se vcê drme encuvada, rnlrarí fáclmenle um pruru mu as pernas enclhdas, pu t tle ba lençl sbre a cabeça, qualda e farã sem dúvda uma ba aqusl snfca que é una pessa nth sa, qu sta sentrse çã. n clchã re qualda prleda e resuardada a ( fet tre centenas peque psçã representa uma re nas mulas flexíves, enrladas cm espral e sladas pr ca «.«d. psçã nrmal da m;flu tle mar cchar re rrança nu ventre matern nlítlãf Rsle f njunl fere Se drme lad, cm um cc ap que necessta n fns hracs sh travesser, e c,.u crp e nfúrl p % prque sente ran sej cnduz a sn nsprar smpata e amr Cas qu. p transferr paru um apartanen tjalr.ta t pequen fr < brcad. a S vícô drme >ó d reduzr munem e as dmen % è prque e alsta (exclus, mves, lembrese vanenle vvend para mun que. qm nl a una vcê p (n nterr e ts seus snhs Se drme só dc ventre, e prjr prcura flfr as em bales da vda cldana, a n v. enfrentálns cm mar flrrsíln, fecha lhs para nãn ver,< realdas duras da vda. ulcnfantcs se drme latl tlaennl lente a crhs. c prque rã usar nm smples estrad clchã te mlas, substtuu f n mas tar pr uma rama cnmplela Mas. embra vcê psa fazer. em crnd pre ju/. cnccsõc rmal uma cam puc dspendsa j nã vera fatrr mesm ntant a enlebã Chand ele ma qualda éte pernule lllll nrufmet dnr. fe esellf,.n l)nfl;r G9RRESPNDÊNÍ fala n rád e na TV. faz cnferêncas e luta pela lbertaçã ds press plucs. Falu mutas vezes, na ONU, e partcpa atvamente na dreçã d Partd Demcrata. Hess Truman. que tem 75 ans. c. cnsrada uma mulher exeepenalmc n e hnesta: na dsse uma men Ura em tda a sua vda. Quand seu mard, llarry Truman, xu a presdév ca. cm líã:.. Bcss também larqu a vda públca Suas p úncas satsfações sa: ) ln, s am uns e s ds p nels, que resm cm s pas. Mararel Truman a pansta e Clfln Danels, cm Nva rque. Mam r.una ;\ nuíle e Fnalmente, vem my. cm 64 ans. Deps qu seu mard Eesenhwer f xu pr, da 2 úll m. ela se transfrmu em uma smples dnnacasa, csa que a lca. Ser.. pc cnsre a Casa P.ran resdênca ca cm uma prvsóra dsse Mam my. rccentemenle. Ra se. trnu célebre pel amr que dca a ke e pel ta lent cm que prepaça uma í? trta tle maçã... Banque.lackc Kenedj lem ble?,\ ans. Quand nasceu, ela nã era bnta, escreve. Las revsta Hme Jur nal. s tls ans já mn pny. # lava un pequen s res ans. á era cns mca rada a mas lnda. eleante r encantadra ra sua cdale. E eleta a mas lnda partcpante uma festa que sua mãe, n Sra Bmvcr. ranzu, cm apf) dn mard, que é ban. fr. Kssa f a prmera casã em que um crnsta. escreveu sbre.lacquelne s l an, apaxnu se pr um cavalnh. Nn pensnat uma escla par Ueular fe.rmnln lem Cnneclcl..lacquelne abu seu prmer caval, a quem u n nme francês llanslsr. dc s 7 ans..lackc cubecetl uma jvem c_na. que a mpressnu mut. eana leu a mau da mcnha e falulhe sua be..lacquelne vltu para vassar casa c cmeçu a fu un seus pas e tle tds s parentes. Para ela mesma Vu ser prevu: a ranha tle um crc. Vu casar em mas crajs trapezsla que exstr... rla Casn Branca snh Jatd e realzuse: casuse cm um Presnte prs c vve na Casa Branca, n len r dc aluns das, va ler uma vda snhs, servda pur 2 empreads, (.um Presnte. K me CRT: Envlhe as mnhas meddas paru que a VtKTOOtS Dl «cnhra seja juz Há temps escreveu mstrand quem 7 rr,d» Pf usar bqun e bermuda, mas nunca falu apenas. a últma ma duas peças Meu mard na acha mral, mas dz \ ue eu nà lenh cp e. cada ve que entrams numa palavra fun fa sa br.. Prpus cnt. arranjar um juz e a senhra a esclhda cm a aprvaçã ds ds lads. qu esla ; cnfrt para Lar»S meddas: bust 89, cntura 62, quadt s 94, allua me r e 63. Prdut d lt.spus Km prncp as suas medula sau balas a lesp,,luln,(. d, s, r um ju/. lru.a ele ca.l í_ leuu uratle. Nau se. pr exempl se tem cntura alta lrml u l,,..,;.se cm umrluras nu eslun,_. se ten al,,u h..v,, lut l tílu : manera llneo.e í sua apfu lrlu um mam duas pn. Maul natcs elellhes quem s.he alula me an lc.rt a MT JUZ heta hr.a SÍ.,:JW ;«;;_ FBRC DE PmHOS EUTROTCíMCOS S... ) c. Mt d. 3 n prd»j<n_ arfp» \t> qvandaá ]2!_S n3 tl> va receber HX) ml dólares pr an. Mas recebera mas 5 ml cm asts representaçã e mas 4 ml para spesas eras. O Vresnte t sua famíla têm assstênca médca ratuta. Encerrads ts quatr ans presdênca, éle va reter 25 ml dólares anuas. pel rest sua vda. mas um escrtór e um secreta r. pas pel Estad. Em cas sua mrte, a vúva receberá ml dólares anuas. Jhn Kennedy e sua espò l sa lém á dspsçã: 8 eleantes lmusnes. cm m turstas: 2 ates, um 2 metrs e ml r 9 metrs; um avã Ben 77, um Supercnstellatn e 4 helcóplers. Marnha Guerra e a vaçã têm Presnte cm cmandante, razã pe a qual este p utlzar tud que lhes pertence. spesa é paa pl Estad Na Casa Branca, Jacke e Jhn Kennedy têm: uma blteca qee é renvada a taela an; cnema partcular; pscna áua quente; camps fe lfe, têns e futeb: e aparelhs TN. cmum e clrd. Fr u : [Sexta Fera, 27 Janer 25 = PGN 3 ~>_4 ífuh $ \ZL~ K < yytyy (.,r<\ \?\ L w T_íT / r< >Jí,. Sl Mry f yyy f\ // _;v \/ y/ucarnaval fertas LUTZ FERRNDO r»snmm... tr lad. em Ctctn (Man.!,l), têm a sua dspsçã uma casa para scans. Presnte ds Estads Unds ná recebe nada pr parte f Estad pel fat le ser casad e dc ter flhs. Os rmãs t PrmerMandatár também na recebem nada, a cntrár lf que suce na mnar a_ Flme Oekpan fllemà asas Flme., Flmes 5 Flmes Bnóculs D.F. Vascncels. Tp Galeu B B 6.Y 6.M Óculs prtetres cm lentes d> (.6r marca Ttalex Óculs talans, arma,ã fn st, lentes cr , , 3.3, , qua, n tds s parente d re recebem dnher «d pv... ExclusvdaEspetacular ferta JCQUELNE KENNEDY Prmera dama nrteamercana. cm /f\!; ~ alemã, alavanca par armar bturadr autmátcamente, bjetva ran lumnsda :3.5 ílme 35mm extremamente leve 5.45, Gráts: um fm Deltpa. 36 pe Máquna ftráfcabeka 6,\í) bjetva azul, bastante lumnsa, vsr lateral para 8 pses 99, Gráts: ds flms DekparT pses praz pe Credt Luferc, em 5 meses, sem jur? «sem spesas u em 7 e.e meses LÜTZ FERRNDO OTCE NSTRUMENTL CENTÍFCOS Lar dc Sã Francsc, Esq. ndradas R.d Ouvdr, 88R. Gnçalves Das, 4 Pça. Flnan, 3D v. Cpacabana. 575 v. Cpacabana, 462 na e prec lsq car rn h MS; jr tfjlâí J BãLàf E EXCLUSVO DOS NOVOS REFRGERDORES / / J v /... /?. / V v./ fvc» Vn \ v_. l sv rt.. > dmra E S Md mra PU5ÒÜL ffüãovffíf PS!_«_«SÍSSS_SSÍ_J Para Quem Fca em Casa KPÓKfBl PLVRS CRUZDS N. 23 j n r,: h7 y~ O j,, :... r 3 m l! Lm lá P ; hr %tr] [ «P ] \?r r : HORZONTS s Mn O. fe PM 4r z;: u : yu m..rt..,. / <,r_,:eua m pre,ou urr. Jmí<> n.ul anrtnt. í \2 <jít:í#(/h<;a ptí.< _ C d.dh»!í <» r é,!e n!... l. rmadlha parc üp_.r,«_.( ;>.., (,.te., lj, U.>. í rvuucl e. arl.,,»»»..:: T v n r CRUZDNK.!..l. \ls.,r_ % <\. r.a,j... a,..._..mu,, s.,!..ran _!.:. Ú a. ra f. Mu.t.. :,_ :/.: rav.,, t.v,;! > Gua _.._.»..r Ot..,, s t.r c_,::, _. _! $. r en,..., d f.l.k «í Mu n :.,àúh a..._ ra [ %» \r _ :, ;«.:.>!\. r d, pre, l r>, r,. j,.,,,,;,: :,_.,. :. íyyyy \ nr; \;s.., runu ppular df KS7 Á pareí..t partt tra >:r_ ta emíjartaçtfs u O. berpan. e que para lhes dar d eca, üy.a presenle a _.< a. Bí Htanfa pe j».,._ VERTCS: REPORTGEM HOROSCÓPC.:.,: f!,f:íl : a a u r : Respstas d n.c nterr : PR SaEaDO 28 dc Jner 96 NFLUÊNCS,n «. \> S. a.., tt!;p Ha: \ N. PfcRüuMü & Í PLNETÁRS KtSPÜSTS

12 ~:.W>K %}:,:?mmrwk:~& ~thr,:,. SaBR_(K<» J»»» w«< PGN 4 KKnwffã J 7err> Mre r Batsta Paula CONFE! SextaFera, 27 Janer 9G ULTM HOR (2. Carn) ECONOVÍÍC E PEL PZ, NO MÉXCO BRSL, 26 luh) Centenas hmem públcs, lres lndlçaí e estudants, lançaram uma prclamaçã, nsprada pula E VV CVLR! s.tuaca da merca Latna, cnvcand uma Cnferênca Ecn mlca e Pl Paz, a realzarse n períd du 5 a 8 marc pr la das, m \ss. hlea.eeslnlva ra Guanabara u le xjm n Mex cm betlv estud.u ns cndções dc..rn,.,> Vldr larmera lrtelprtcs nue naturalmente lambem teve an.a n Ks. r. andu xand em psçã cntnental c a campanha pela pa. senvlvment humlhante a vl la Cavalara, em a rpetc. m plenár s. seus prncpas snatárs, entre utrs, s Srs. Laare uma rase e strna qualquer dscípul Osór:. Crn;)s d Mxc, Dmnn» Vllasc e Bncavuv. Cunha d Cm na Ca\..a. Brasl, Ernest Mre, d Pc. lfred Palács, da rentna; luns.severa cartas, nu Us. aler.amí»! eaeutn.s e.slvaan. n se d. elasse. ma; eaada dsa para r enta cnsrara snra Laranjera. Mas a Ca ala a. cu.,/ a auà é jjj Salvadr lln. d Cn le, e nümeras utras persnaldas dc ltlll O K M _.» n pr\. plet, quand países latnamercans. cavalran vutar n prfessr rjn 3 prclam.ç., dnjda as pvs latnamercans: na lurra a nssa mens prcess tranaír k da lllerd. d prress p,/ essa estréa lrlha anula mas. c mae.n a:ta hje s pvs, em ecnômc ds benefícs la ltn m arma nubre. tant assm que Captã Oalvã, p tuu,.. dver..s parles d nund Cu u sslt,,,. Sama v.mara em plen cean pl.r a llhcda e exerc repetçã.lacarenratun marlma, e fcal Ue Cava flu ds dretus ncraleus, lc.un; asprafã hís pnuma rp,ellmm)er a f ),.nna. ncentva \<s \v cdrm sbre»h seus lara a npendênca e senvlv próprs lusluü, nã pd b \.;,;. camleruu munra Salazar. numa replca mnm t,,. n,,m(..;,,,,,;,., as.xerclada plenamenle. nas cnduc < ra mputam ns Nalclr Laanje... nsru,ue a Cavalara lambem sau la?er allm.,,< (e educaçã c cullu le cdc spd e bem le t ate n a,,, J)lu nsss pnm»s..\s suna rívul.cõs ma.n sml das rtípndí. ue mnlpa da human Várs cru..ures n.ul:,. ubníanns e urs navs n ;). ucrra amercans..nvse snads paa.ruma % sc lm una publca que lmta Mana ale lem na havam equer lcal/ad..... p da (.( jp Uemunalr cum.> \trn,< l. shuruna, vatmy a llc das, vla dre, <,, ;,, le uvla reveluse bm ((. Cm dc Captã mk.,ns fl,,,,.,,, d, acabu ta/enl só?m) uma revluçã c abap rcs.us anc. manente ma nlcn en.e : l.. nbu a emancparã urnu a...na ;s >\prssnü cul í; uma pa/ pe manente land s,nalcerces d re..t S./.r a c u lõrca mar, mment ttras futua, dsva vutt(h,s Nã e para sc d:.r um va a Cavala em que u mens p.r struv. da anua» ndcrnas per cu:..s em lasls nllarus, s a nsss pnvs entre m c d % lurl, nula > re DESTQUES r.st rln mund. 4. flres.. hnr :,uat.. ds merara! tt» pusklvf lásml cnferênca estará Ce l lmeda sura csclhl chefe du la f,.\ \...,;. l.alna na vve abla buete mltar Jau :. a recusa d General Or h ds s mvments, rat Hu.;, ac quadr, mu a cm nme d cmandante d Clem a n,u.,al.:.. zacões c setres la vda públca laud C.scl. avauu Mltar vlta a apan c.m mas prvável substtut d vvend na dn mtírca l.ala. para sc (lsnanc. e na cutrem.. prblemus que ex p querem cntnua Cnca! Nelsn v. ú í ms.: O Cnfl M,, drel d Trans (ccdu lsc lc, l.c uam ( a admlr, em sluções m laa.s e efcar mtrstas «Vlações e ônbus, numa ralale < cn. la. as s.ccs.es e eunírhur para a.saeular plmar us mnsas ue mur. <=» pedóm $ a, dn cs.ha et,lran a pa/ mndal, sem. u a qual leles sã s dus ex..us.v.s dn n.as Na se a.. lep;> \,.,,,,,..,,.,,,,!(,í d cnstn até hje pel es tprque as empresas a prsas aluam u. d ST.,, ds M Depa.amcn.,c ess.cs. He qualquer mamra a me, p. «s. )m().n m.,...,,s. merece apla s. e.specab.cnl. quand duel, f Tram t nl(u,,,.,,,.,.,,.,, ta,. umu respnsablda mesu, dspst a..r em,,.!al,..,.drcs msa a, a P» l,l,ndlc(lt.>,,,,,.,. vda e pstcrcãvel que sejams cmeatesn/adas Mu. mrc esta scsa cl.m.ar. ns l parlllar partlhar cm s tds c qt qu ns tnces,. nh. pm ruas e respnsaves pela malca ds acntes trae 4 Cnte cm n m uudpat. ap rec.ssl Mn.te da (ue ã f malasa para ascensrstas r.alau n mesm nel ds,r m. que les l/eauí nm cr.su íí \ entfs c ln. esnec.al./aca uhmeeramsc 5 exame? e pssuem umn ar tera \ ma,.na le lem dc lã a 2 ans servç Nem s lhes valeu uma nsta melhra Enquant «ascens,sas d Senad e Câmara aanham uatr ves,,. vencmen ts seus cleas da Guerra E fm. O Brar Rev nald Carvalh Flh rhefe d EM da ernáutca, sau bastante frtalecd ns entendments vsand uma suluc hamv.sa para Mna» Geras_. Seu bjetv lm amd. clcar plts da F.\n ns avões d navaerdrm. General Pext Keller escreveu antentem, n O Jrnal un excelente arü sbre a cntrbuçã que Ex, EsHdsu. seren, Ge f. eral Keller Kener (( nt hstra sm a p > ra,. > n..» arls. Cntnua em evnca nme d General Pundê para a. presdênca da Petrbrás Tratase enenher renme n Exérct chefe mltar ra atva, dretr d rsenal üler ra e baan, cm ex.e.sr Jân Quadrs. t MSCELÀNE ã x% «le c:.:( :(;.es E seuua ;.,. ds mel! ach;;.:n Ge.fl,J Cthlfl HmU J c cmpep.ve; E :nne. r.»... cunr > fnal pe...a Í.. «rfcb M í v Mnl ra F. da. vae exlírlr t se..\;fc c..< tent mandad De..e Pur. O í n rtsavla,... rcar:,õ sl Xí (.,.,,, Ml.: ru s Outra p utrnarld (e lxl.s,,u,a ÍMura enr,tntar:.ar a lu. ale a vm... ; p, ( ;e n pf»e nu S é CONStBTO OE RÁDOS VTRNSSTORUDOS.. OrlCN,ESPECtl wíh Cntt», 4 O Q (D O S >erv:ç».f. \l,:.:!. u;.;. u.r....v.,.le (a UU,. %,,v>vc$.]:.au \ ra nu Cmua O Mí cm J ú. s apels qe ra,.m w d l.. paa JK nssnaelns pr í nscs r esps.s e,, «!... fl txrr: pednd a permben? ca tlcses n.r.:. lt.r... na r..rla lcu nnd W PrcsUente E. fm, d. um u(eu. d Para. mae J quatr lb... ev». r,. f m.lda Ma u Marechal s Der.vs v (.,..:. m.... prblema O crr.r.cl,., > e l nm Mau :3( U...,.. c, r.,,.. f.n. í.f! Clf.u M:...r esta % pennd p : Ul. Gflll.d VU OtT. (r llu.t. COleccnv O Mer!,a l)r.., Oenera mantííne d e. Casre B a > : n hur tt vdc em aeu l..«. f5 cí.duuü. Náu len....,.,. :.,. T\ ue u M.,reha na. Dc:.. c ::h:.< :, :(. rs! rt.tl:. pruc.lar. Oe.. S,,... \. Füh dt..f:.f nfn em fl \ % nera! D LTM KH V.: cr.mar.t. rlr;,,,s! BB 5. C,.l,el lr.e.cá p.e «ernu cm mun em Barra Mal 4 sac,,e Mí.í u. L.,! e cu.cluu recene Sé mè.e.,,.a fsf t;,se re.,m r.l cmplet, pr 5 flwlu.l.eue m. er, r, k (le l..n.> smp ua rr.l mslanle 5 Felcdas.a...:. c,,n.,,sãu r,, (p.e lhe lesejanu. Emb...,.. Le.ã n C..la lauu sbre Cub» num., numa lníe J í ruu. (. EME n cnvte Brayner. Oeneral Lma» { { J,,j,,,, flnn..a r.. Tr EíllR % S j Enc.t..n.jfc h d na lesldcu ll d Dr Edle } s Fueueõü. (a F) x,.. p.blubnee pn,. s uara nu Dretra lus.e } p J...me.r da dllerença Cs H J pensões e a p naçã ds C nclumus snests e ds ram /Tf. j s dres dc pape t< n. dref d, dller das vellwl.haí» U» De vez < m Tenente R.adph Mdhãe da \l«rr.la.kl a B p..t «e nfrmar d andament tle pt C.m,.r e Senad cs.c nda rerefcm EflC t e «rektífc.u T,.nnnns Un..ur cmpanher. O nvuaa nfn n. DepuladO Éje., M l: í prürneev.n» ar.teutem..le...,.. s... cab j rar cm (. Deplad au Vana.a aprvaçã (l pr le ( e.b.da as cnc r.s nara r s:,r.:w:s elabrad p«jk l s.rer.t Pavn Mel...s Generas lamentaram r.» s terem sd cn.daíls para : rnferera r Kmbar».dnr Le 2% í tã ra C nha nn EME. O..sunt nterea. tds um J md jend. K L SSÍsNSSSJSJjVJjjssjs HSTÓRS O HSTÓR RESULTDO DO SORTEO OE JNERO DE G E mas 6 prêms nversões das centenas ds acma srteads PROLRS ; MTàl/ >U «tf Dt MllhttKc v» d lal n.jfanprrans. vems a>bunr, crnada men t, perante nsss pvs c perante mund. CMENTO PRONT ENTREG ÍÀ X7 SbreljaTel stena Sexual VT.f revlucnu fl Me» ce.nrítund t ssbllda du rbta\rçá(j dr fnfrcn» ddas e d v\ tt sexual < namn m.ts p a atnncí da classe n.f n, para n tôrmula d TON> Kl.PN cnpmmds» &tnuda f restnuracán das uní;ões entas Na drmunas u pel rpemvsp faxa..sta 4 Tmea R Tel P lnn Pecam lteratura crí.ts._. ESTEJ EM D COM SEUS PGMENTOS... í uma»»t u«f..... llllll ln... llllln llnl nl.....h Oll... llllllll «llll.!\j,«. le h.s ml casm dh«r s..l.l.lt». hsl...r.w (le ;<.ns nu httue, m lu nlrjjlu» prprlrru lm» tttj, <.rnlht.t, Mnn.< lu,..l.s Mr>.. lr lr,.tr... ;, Créltt. le ran.nut.l.s.. n rtk.l un.uhs llm em ntun., lu «n tu» M rslufs l mt.tlul.nlfs. t ulc M>n.t)lte lr s...r.ll.. lll. llllllla sua h... pura...r..... nn l.. ãu h<cu dn errlu Tls. \,U.S..r... llll. l.l». t jmhwmwrmmmfukmtlvlw> mwmèèsê! u«. CURSO TÉCNCO TÊXTL K E. T s r u í a t a OPORTUNDDE V M..V llm \ M S Ul.M \ lr.\. nntda pel SK N nlnrft ntrlcls n pnr n (r l.» lf reaetnln, pura n Cl HS TÉCNCO MT. n sp unrura tm SJ<í E cs tn unu..v.. prtundn., SUN.l... uns vm. (ttchnutüf r num au.ur.s thuvíd(te par» tn çrhs tumtt snlclu r pms ra ctrrer nduttr.l C) í.urs t mtfrhucnc urutun hs uru mh cncluntes «ca n, Kmj Supaun t n\l t; tcu tnru clrcut» mu,:;:;.m mancfr nfm um lerul enhu u altuòru na prft mu hculu > ucclertlu dtbcn vlvuncnu tnduslr du ns:.u prndu Tm textd líurante a técnc têxtl num sôh ra psu,;t dts manru cm pssthdrdnf. df salár cm pcnshcl ljn após n trrtn tu> dn ur.n He vrè ehlü nrs quant íí carpru n nlrn ç.r ruhtt fóhrp ealn prtun fn e taça ns pruuh das unu vsltn.mlll. EC.N C M V llm C K.VT. nltmções pel.s n.h. 3:üfl3 U2:m (lín, h.s a ds H hs Veja Pels núncs Desta Edçã as Melhres Ofertas Mm.mrv;tnmmm»mfmmmmmm+wmmmmvmsM.smn CERTE SEMPRE pl í s. n;. llenlca em f r MER \ QUE LHE ENSN COMO USL hf!\ \ //»T ; Servçs expsçã e vend.s» Qutanda. 62 Tel.: 4J2228,L. E ljljjj HrfflPl 333 fll El P ÍPV!SFÍWrrtnl. Expente: 9. ús 8, hs WmmmSBSmmmm S pta n R le Janer BÊ lm;m;l;s M./x.»» m~ rv..n Êm tídlíyt B r.snn«tf r.mvntt::,s,a K> lü S 6 MULHERES DE HENRQUE V jph l >C >.»\ rstfh Henrque admra nradamtnlc retrat na Cleves. que pntr Hlbem acabu mandu da lemanha. Os pequens lhs d re brlham cnvulsnads Mas e uma bela mulher! Êle se vxlasa Os tra;r» d nul da nva Henrque pntads pr Hlben, parecem d(«es e terns, cm uma tuea cm s Clevses csluman uar trmas seu crp estã dssmuladas pr um larí vestd, mas a manaçã Henrque funcna. f:le cmpleta evcand as frmas enersas das rnócas d Hhn Sua cabelera lura... Henrque tma a décm, fcle te c a pedr a má da prnçe»a na Clèvet, Ue utr lad. Crumwe. (ue ps su dversus nms entre s calólcus,»<:ja que re ae case em uma luterana. mnslr, hablmente, mstra a Hennque as vantaens da alança rm ;, lemanha Êle s pensa n nteresse. na, que se abrrece Sm... n scu velh palác dsse ík Stt Hl[Mt mm uj/j Lujy tmsíd.f..j LU..UJ u.;.. PESUMO Henrque V casuse em 59 cm Catarna raâ, vúva s<ju rmã prmênt rtur pós 8 ans unã, èle a repuda, pel amr uma dama hnra: na Eleyn Excmunad pel papa, Henrque VU rmpe cm a reja da qual éle se faz chefe, e fa prnuncar pr suas exéquas a anulaçã seu casament Espsa e cra na Bleyn, ranha da nlaterra Três ans ps, na e cnnada a mrte pr traçã a fe cnjua Henrque puc ttmp ps casase cm a jvem Jane Scymur Ot d.as após t?r dad a re um príncpe, Jane mrre O re manda prcurar uma nva espsa. rar Henrque.nha nte e da cm a bela prncesa Cada»!«J da ele lha ratrat fet pr Hlben Os traçs pntads pel msttre, n manaçã d«henrque tmam frma t vda Ele parece ver tanque aflur nas bchechas da pntura mpacênca Henrque, ter este crp msters ta qran e bela alemã, cm mds qçnerss, cresce da a da. Enfm, em 77 zembr, um mensaer cheqa apressadamenle: a prncesa sembarcara em Duvres.. Senhr,. r J CENSUR LVRE H\ í V nh yw ).as.;v,m;!/: ftlwl tv\a«7mbmmrm\mt Mm HH Para vel. nal rrpmbsa...s,vl.. re lm... (re.w.l. Ma ele jler r,.!,ela Preparell llll lllrn! :, (l h( e,, Tam.u, v va ate Rur hesfer. nnúf a pnnreht rm huü rnrn dan, df hnra».,jv j #; ] r verã d.vu!t,r.u Utmr(ue lra f r.» :.te quemad f.e tn urdr». tu un, fvcn Talve pr t\ u mprenda /ll, m u prn r fclh F > la t n.h hln r n retrat/ l!tíu. r ÍUtv nm nu hur r mmu ;du ( le nãu. ;,, le. l rjnl? /, l... hflc/. <\r \K r.l Hclf lfuf ( lll.n t R.f l)ft(t le w íí,/. urunctr l>fd., <\>... f...n;. df hrt... dr U... f r Cf rn rr M f; rtm< ;c... rr nn r u ulhh vè< f um t nr.m apart., lu r. ;.rl,.., tun p» :ttnc! m < nm a [..r < rttf < t nn> nt:t dres dn rlrtt nã sa, ru realdn, hp un.t l»rt; < uru rr lm,.jhns # «Ímíl:<!nn<lu». r.. pele fnruchcla pr p«q.em vtw: llcnquf >rtt a rmv tua cnta d f! «nt» Ma#j ht unu ta\:t Uma t«v«l éua alamã. prnrenü estí f»l/, a pbre rítada rum ften una palavra df nclê.s Prevna ínjw»ll rjue quíf vc ntted.tt.ntfttt mt tu«rt vé v. mnstr, flp st trna fl» uma rler;v ndpsfrtvel: Ve t h csfíant! E!.t: mulher hrnv E nã rper espu.» Crmwell!<ar s mbrs Na v rd.td», ( sah hrrível Ma : quunt llü dt (leve e tntu vfí r r re jut> seu cubuuent rm utua prtftnt», ttdqut rá nnl!rm ruttra s f / prsa v. Senhr, mtmtí f ttóltf s (?lf»e Ma ;t KfíKnava. na e n,a he\.\ nun;, E pb v vs nüjrus th vlt vnara certauet. Êle fará alr.» frrrwht»» <a!; um.nt;»nt» t U a ftn. d» nu» r> rnpnttfl. <»m ela! Será ma f! pt repudala p na ter tda a hele/.u que, rm rnrp rertauente npettts scu rmã trará nun rava r stf n t m («rlfl Krancn. rerrr.efíé mm um tm maus amen, setdn rle su: puluvras \M\M\ llrjr m»«pela alemã ma dr C.le\e. Senhr lmssnmm \r\w Ír cm eu t... ma SEU PECDO Entraram naquele café que fca frnt da B, Vc.. fí mellnl. Sentamse (Rcard esclhera um mesa dc cntl e, enquant rç ná vem, Marlene dl que mra em M. rcchal Hermes. Éle fu um alere espant: Marechal Hermes? Lnrjc pra chuchul Suspr; Mas u mens. Tnha B ans, era mrena, jetsa, d crp e rsl. % Rcard, hmm madur, cm s»us 39, rsalh, lnanava; Vã pensar que sms pa c flha V arçá. Rlcar?í % d nclnase: jí Vcê tma que? D: Ú tranjada. Na, nã. Olha aqu: srvete. De abata Kl, tem? Ele peda, a acas: Mneral. Mas me vê sem as. Sem í ás, sm. E, entã, cm uma dçura mut vva n lhar, Marf lne fala um puc» mesma. Trabalhava num nsttut. s dmns, la, cm um rup, tmar banh na Barra da T jucá. Rcard baxa» vz: íp Seu crp resste a ma? R: Talve. O arçã ra è laranada r < mneral. Sal. Ma ene lar um nr snh: Eu quera ter um bquín. E éle, cm um nascente sej; Te du um. Quer? Cmpr um pra t. Cmpra? batata? Vcê c um amr. O ROMNCE.selus! assm: qu h nn admrad sa P ra. N mment, éle nau tnl lnda que nzer. Dspôsse a p.perr (le z n qunze n ls..mas KNtu lu tr Jul Ú lu perceber nn cua unn trsteza dce, fervr una p nlmn prestes a ahnndarsc. P lnrlene u cnnlecn Vsla há várs meses. Va entra e sar d escrtór, E, curta ve/, ad. tmara café, em pé, a termnar a pr P ncra cnversa, éle pedu: Telefna amanhã para me dar bn tar. Telefna? N da seunte, cnc e Ú neu. qunze para as ses, hná le telefne. Kra ela falava dn nsttut, n raalluva jí K, n me da cnversa, a le lfnsla entra na lnha: Meu lem, tem mut servç. Nâ p mrar Vuns peln nun vr/ Das al/. lchtl K!ulu umn tclefunm dc nllur. Oluz >(. vu/ nfantl: llílnl fclu prípr rífnl c (uu ustv nuas ddc (n que hmem str vll, sm querer, parn ndlusenlc K /n n llume!..s..!: p uaxí senheed apre puluu pnres, Mm eu ns.. rs rull v prnt. tcnln prmeteu: (Hl. Lu. nu meu rhu Um. mu um la. elrb.dsta. Ven perlunub, pc.lns null. K eu v (u n /e suftuntt: vu en n nuulns um ln. Numa üspóce acnte èlt» )nl. a.s duas mãs encma :ln menu Trnw a nlny.. ene apanha a ból.sa Tenh que r. CJnu n Ju ROMNCE Nus das tvunls. éle. /ta a mesm, dc m/ em (Um(, a prfíunta: Scr. que eu estu arranjand.a na r me cvar. Marlene nha pa, mãe a mãe va m uma reacnára, em n seu ód a lqu. Cm s anu s, sabafava: Kslnu cn un cas (jemal. níllll su. Una enua l lu ans.. Mra em Ma rcchal Hermes. ()s Hnís fazam um u&eín dal ndnad: Marechal Hermes? Klc cnluavu: Marechal Hermes.. u tra csa, que vcês nã sabem. fasa é lulva. Sahem tuc ela (píer da vda? ) snh Marlene suspra pnra llcná d: Vu? sa menna. l[m bquín! Ks qu é assm euta, scula! Vcês nn acha %, Chat. ntes slar, p íí én. vacla e, fnalmente, la que. bqm e um lnllc l. Muel nelv Duas, res vzes pr m u... am tmar srvete, lar.u. Pss le fazer una per tmtn ada, nu Vernellnh. \.. Faz? Mm 5 (las. tuard. am Tma craem: da mn lhe seurara a n... Vcê é casad? Respn. nha escrúpuls, es a verda Í E? tnha escrúpuls! Ccava. tespnle. sem um mnu cabeça: fnal mu.. P hestaçã: su velh, aá! He mas. Vúv. íí nas, casad. Nu da en q... Marlene f lcsa ela scbrr que su easal ()l raças, raças! uaynn b! b Quant au bquín, tnha qm CNSMO nventa uma sculpa tds das: Mentra. Era casad, sm. l cara nau apareceu P nl. mulher, ds flhs. Hus mas. Sumu. s vezes, eu pen.s ps, eclrnnse lra m: será que dsraed. umn lercafera. Rcard vu, mrreu? t)u esta pres. dlle s, una menna lm Puc a puc, u cnlrnl.t.a. uma pânca ra.n dsa adqura, ns lhs da ldn. Hava, nela, nus seus pepeua, uma dnnsa nu mds, m cada srrs, em ua lersa, (lclnrea. té qmdn lhar, uma punònea que um da, Hclrd, n Vern. a embele/va. mpressnad lllu. apanha a mã Ma íí quase cmvd), éle repe ene. pr cma da mesa: ta: Vcê e crasa. n na Quer dzer que vcê (píer Vcê tera craem r a um un hcnj? luar assm, assm, c.mííu. íí l.. explcu K um lhar Respnu e cm tal aba fx Bínhn que a mãe, em dm casa. nã admta: \ nu Mas lha. % ívamàc, se suber, sbe pss \ llar tar. PECDO Ní manhã seunte, n escrtór, éle dza: V<t ac apartament e eu, anda, na um bejnh. nda na f Será bejada. que estu cmetend uma canalhce? l cru em ás resna: Em matéra sex, td mund c canalha! Passu. Marlene f ptualssma. Quand ela apareceu, n apartament, m Csme Velh, Rcard crspase. Vu a la tã abandnada, nfesa, que nã saba que fazer. Mara nt peruntu: Nã me beja: Ele se c: Prmer, escuta. Eu s casad, enten? Tenh muflhsl Fa uma csa: va embra, lher, va. ntes que eu m«arrependa. Pel amr dc Deus, va! MarleMe põe a blsa em cma da mesa. Dz. mut dce áj mut frme Eu saba, sempre sube. Mas na nteressa. Quer tn amr. Só teu amr. Essa ternura apavru. Ela psse na pnta ds pes.!> um bej lhe sem fm. Deps, Rcard a carreu n cl cm uma nva llme. r ~ ROC DE t llje. ás J hras, nu ant Pa sen..c, aur; Teatr Nacj nal le Cméda, representara.. 5 BOC DE lu. a traéda carca Nelsn lu \ í\ drues. Tnlas ns ntes, às ~\ hras, cm vesperas, p J tas c (lnn: às Ü hr. W m um. l \ n: _ cm p.,;.. rm lobts, RpUMí.tanteH nlnl. u mfníu nu..lurn c.vnlk.s. t,; u.un..,,,. rmrr rlt.t lu lalerla» nslrr, a Pllç ll.rü.. Hnul.l.ll.b O llarurnl t..» n dretres íí rntxnft, nm.st,, uc umn bet n pel vluf l:. H.slllr N H. dc..nr n;. Munscl.r,,,f,e (..slelluc p ll servd um cquetel ts prunnute Na rl um nspe d wl nldrle. rjunnt falav» Sr ntôn hu OnnedveH llc preslrlnte d. (alrrl. Sllvestrr BPSPC ULTM HOR esta ncrt sb numer 8 n cnvên entre sscaçã Braslera àc Prpaanda e Servç dc Prteçã n Credt

13 » mw wímf,rffmkms ULTM HOr. (2. Carn) SextaFera. 27 Janer 96 PGN 5 M±; mmmmmèmmmtmê Clubes e Csas,,» <]a Zna Sul nau acrdtam (uu Sr. Carls lm ««tla lcuenlah. a ZN ps, mesm cntnua anupr pela Srln Hcn.se Nbrentt tle ssunçã. Pr tpe entã. mpríal reservu mesa para a festa luí ma» n al: rèus v cslt a T.uca Clube, Embaxadr ts Balads m trasl. Sr. Jhn Mtre Cabnt, casã m qu lhe J, fctrrrn um cquetel.,.qnuan s ensas t teatr le amadres t Mel,,,l,e sb a dreçã r lves e Hetr ferrera YlMS (< Flh (,, Vsla esta redaçã, em cmpanha d Sr. flare Marta sva Lurs Mutues, canddata a ttul Ranha Carnaval. llelstrns u recebment d cnvte para Grl naval (ls Marsc» he n Pratpè. Kscla tle Man n acu racems a smpátc tenant.,«aet da Srta. ltla He Sarl cm Sr. Drval lón Vetlrantn. cermôna reltílna será realzada manha. as 7.3 hras, na reja Sã Sebastã ds Caurhnlns abraç sta cluna. mmmjjmmdmíuêê Chamase Berence Mens tlt Mers anda nã cm plctu 5 ans. Mrena, lhs castanhs telas e âõ quls charme. tle B. M. M. estuda n (..e. Mtrjíllan, n Mõcr, hnt Paul llbrt th Pamps, flh pratna equítaçü fú ds smpátcs freuesa t fams (Juaran. Sííllprt. mu lnd, jjía, n..ls UM/. Camps, acaba tle nressar (cm hrllhan,, M Clé Mltar. vôl. Nssa fcalzada nada, )tvtfá fazer sucess a bem, ja tend recebd prpsta para dsputar n campe Nlu ds lrrnres (Manata.» Futebl tlc Salâ: amanhã. Drncnlas, Vamprs, Bruxas c nat carca pr várs (ls luras furas hrrplantes nu salã. clubes ta ZN. Se e cmpr, metda? Perüunlem. # Walter l Kdrlues ta Slvera Bete JNTR DOS X m), várs snhs númer l um Destaca, entre lauts, j. cerca tlc t nu.se.. esta cluna vem realzand já êste: cnhece s Estads Unfams.lanlur ds lll. Na bem mntada Churrascara t? dus. Trce pel Flamen, rea rua Barã dc Msmltal reunms presntes, dretres e j qüenla Mckcve e acha fcns tle prest ds clubes carcas. Mas uma reunã ) nue Frank Suatra e maeslá rnyranada para esta nte quand hmenaearems naíftrns X xtm. xun. Pr utr lad, a n: uns erra; Sra. J sa llurtm tem um hhhy s sítnts ams: casal Oswtld (Hmml P (Vea Mues Srtas. Jeanelte Mesquta Mul Mraes, Elza clecnar caxas tlt fósfrs rcr Texera, l.urdus Mues e Su/au Otampa Pe e láps prpaanda. Ucrucra: Sr. ln Rber Valle. ne Mens Mers é flha d casal l.as e Paul Valena V»»»»»»? <»»»?»»»»»?«{ (le Mers Retcêncas ftqt.l rums rnve a rn, l,,r. da Sra, Paul Valentja Je Mers. smpátca. Us, mamãe l» charnusa Rercce, recepcnará un rup d amds cm um Jantar. lmtn e ntrca Sandra Slan Machad (le Prltas tlesfland mls parsenses. la tle Our cm nlavòfh venddas cm uma. tecfílpnca dc 24 hnran. ffít.mns da reaü/aãn dc mn l.ulf carnavalesc na se \ latetá laf fluh. nfrmarms amanhã. eljante llárhara Lma t Castr Seu un merulh em lcal natla.! nslluvl t hateu cm a r.. rí.bcnhí na area llerfles n vsta (lc uma dupla (ns mas sm p,,, sa. Wlney Cecíla Rrnc c S. Mram Lmre.rn Cards hnta Jnnr Orlndnu Mens tle Mert.r :., hmcneatl cm, ;,r..n:a;. Vce HMtlete.lãt Oulart, lír (m ralalhulres hraslurs, rfelta uma lmunaem sl lulma l apus ca na al. pr falar na u.ut. Cl Vl..Íhs Kuòn. tl lar le nu a. Pnt (ultv. Kel Pnher e Huhens Ma (el leverá partcpar (n prnxnu Jantar ds. Perfl mpla pesqusa Mea nas Prsseuem, n Curs Ya/., Sandra enn C avalcantl,.. tua Marques dc Valnca, uma das ) Mas Klcantes da as tarlestaneatcs: as sáha Zna Nrte t W5U> passara ds lacã tucana carnaval nlre ns Plarjá tm n passar seu fm msa vstu a cda at (lente: Taenu Meval, mera ds Índs. Clunsta Jean Pucltnr e.sua hnla nvnha casa Hleante tda vda a nã ncd verá acntecer em mens charmsa lce lves n.rc passeand a Prva Pasts tõ/ um sucessã em Saens Pena. O alã e pr> ssr jujtsu (cama (laf.lã lbert llarrel verá vstar Paquetá na pró \lua semana, em cmpanha da lta espflsa Clara Júla e d lntã ttlcv Barret. E pr hje ó s s CSMENTO Patpetá. lcnh e réus papas (casal fjeneral Justnn lves Basts Mearam hhpela ts, lte Kraata. mrena e hnla Sandra Mara Machad lctas cntnua exbnd s seus mdls parsenses. Samlrnln c s um estur (le menna. X Mutas das eleantes da /\ Kcürant (lasímnt veram passa carnaval ta Sta. Teresa Mara da \ ra (l R. Teresnpls Pal.u_ tm Sr. Paul De déc ta Slva. cerlnôun relsa, prramada s lha pequenna encantada,, quetá sã s luares erems, prerle > t da mara. nn paa a tar amanha, mennas ( qulate Vera será realzada nu Matrz Lúca Castr Pnln, Rerence Paquetá. Mas tar, Mens tle Mers, Dree Vahanle, Mabel Ferrera, Lennnr papas ta smpátca nvnha recepcnarã un rup ams em um e Sares. Mara Mell c nutras. queteldaucanle. ahratu Canarnlus da equpe tle Luzes da Cda. ta 4\#rf v, \ Hlv;! : a Jsr t/. DO.S JW.,,,vr> nenulad Natalc Tenàrc (u ale t/n/ tpttt, em cmpanha da lnu Sma Hn.t, su. Clube dc teyutus Vasc da Cama tft ZlMEll. OS RtVOLTOSOS DO Expsçã nternacnal estã em pé d \ uerra. lumas das mennas._.,_ _.»».~.«..«~ «? «, nã se cnfrmam cnm a adnssã utras mennas. M ;;,. tv: nã fram hlutd.s a rrs exume admssã. SNT PMTrfCT km Mas O l nem ncmprt! r tll l(l t»> MNH lar l»» par;, l./r, h,. r..;.,. xa natla lar» MNH H. tl.. í»íh,< recebeu fsles spnclns: TEHÇÃO! nss servç prvad dc rásctta acaba dc captar ; nfrmaçã sensacnal, qu lhe rams em abslut Prmer uvd! tençã! cabams saber <e s rellss d Sanla Mara atraram um hmem a mar! TENÇÃO! OUTR VEZ, MUT TENÇÃO! Cnfrmams, ara a ntca que, la pucs nstantes, adams para td mund: amtnads d bel Vl Mara, ara transfrmad em bel n»v_, d», atraram um hmem ás fras, st é. ás feras d mat, lec vem se s leões matnhs. tnlurers c tubarões. tnst, que a vtma batese sesperadamente, prcurand Jlvarse, clamand pr scrr. númeras embarcações tds s tps dvets., «lnaldas (nlesas, francesas, hlansas, prtuuesas rlamercanas), atennd as pedds dc S.O.S., estan nav«and a td vapr u a ld l,»m dreçã d nav, tua dreçã, a mesm temp, m scnhecer cmpleta «ente. stuaçã esta leramente cnfusa, ps nav tasma d claramente etn cmuncads mut clars, qut u va mut bem a brd, drndse barc um Prt seur. tençã! bençã tençã! mm,....nt,,,,!.,,,;,,!,,,,, Crrespndênca M. M. Lebln: Nã pens cm vcê. enlace ds stns, ds vnhs, re duas craturas, prncpa num lhar. O nllnr e tud u (pase tud. mulher cmeça a ser nfel cm lhar E, n entant, vcê dá a flerte a mprtânca tle uma brncatltra nantara e sem tns,. qüéneas. Se nau lhássems tant, traríams mens.. Mara Dlnarth panema: O tpe su namrad laz, neste mment lzram e farã s amrss tds s temps. O sadsm também faz parle t amr; quem.nr. sta le fazer sfrer c <«sl rar. K lamentável, Mara Dnarth, ms é a pura verda. MR TRRM UM HOMEM O MR! Pms nfrmar as nns «,,s rádauntes, em ndtttvül pnnuma ítlvü, m n hnfn tt lm lançad a thr póls a.saers rnlel s d Mara rlam. sr ntôn dc One.ra íala 7... prtuue sevacnírl e slter tle : nçn Esta nlllt qtaltlfltl. nntt mn,rlantc, ps,. êle saparecer atffrn td n mund va resprar p» ná xa rüsccn dénca LSBO ESTÁ CÉFL! blasfêmas cntra 5,ta Mara e Ver. Ctu LSBO lurleltssunt O prmer mnstr Olvera Sm, azar! está passand pr uma er.se te nervs, vcferand e pednd, a mesm temp, s scrrs esprtuas a caral Cerejera P.l ) lovê.no,.so,mas urele andal O eurtleal Cerejera, ateu (lend a un lamatln ureute, ataha entrar n ualneta t chefe t vern trutallar, Sr. Olvera Jue Nãjr San O peds príncpe la lureja. íeramente pretn upatlssun. cncrt tc a stuaçã era tensa, mas restas a re urs da raçã Ks laleleceuse. entã seunte dal Kef. nn Mas rezar a ptn Mara,a tente cmuncaçã e nã me aten Entã, apefueae a Cru, à Vera Cru Ná me tale em cruzes..,... quer tpe pça. Quer ampar ra pl. r. rt.. peva \\\n na E ll _KJ_».»;.m_Í«í Um bate entre expermentads hmens neócs e ecnmítas, em mesa rednd, revela TUDO SOBRE CÂMBO Cmplet estud mercad vassa s sereds uma ndústra em crescment TUDO SOBRE NDUSf íl OE PLÁSTCOS en He «rh hím Dmn cnsumdres ndca TUDO QUE PEHSM OS FDMHTES %ê(my%z «&& & &fâ téa!m Prfund estud sóbre s mercads munds centa TO SOBRE MERCDO EXT EROR DO &amt BRSL», anda:.... J. Renne uma vda sucesss, perár a ndustral nv Um clma sec.mercad nr refrera hstóra da campanha que cru um nteresse nev aumentand as vendas aparelhs ar cndcnad. Mutas utras seções permanentes sóbre marketn, pesqusas, merchar.dsn, embalaens, prpaanda, prmçã ne vendas, relações públcas, dstrbuçã vendas, cnsttuem uma revsta nva e necessára, repleta assunts alt nteresse para s hmens que MNUS precsam venr ma.5. ndústra & mercads Fm tdas as bancas Cr$, tmmmmfmmmmtrmfpfff vpemêl Üw MmmWSmmmmmrlBSÊR$Ê frk BRSÍL #_r_ l flll» Ün t ; «l wm%wmmé KRUSHEV MNDOU REMÉDO PR CEGO BRSLERO Text e ft NTÔNO CRLOS Dí CRVLHO dr mprtânca áo_ Or. SEM nds que fazem d Prmer Mnstr vtetc um mn.tr ít entranhts, ma ktm, tam bem, se xar nfluencar pr qualquer tp df prp_._.na.) partldtrí e _..._.., k >.,. n e_.pt rt humantár d S Nk.a Krushfcv. um mst tr» balhdr carca Lus Fl ueretíc Gnçalves rtnte em _ _... Campe «t. d pau cma crônca e sentnd da a da, dmnur a lu: ds lhs, escreveu uma carta a td Prtrner pütrr. russ, pednd a uda a c ene a que man u a s espaçs sras s prmers satéltes artfcas aa Terra quera um reméd que lhe truxesse as lhs a ps l.bldadt perceber nv a beleza das cres, a lu d s! Pr ncrível que pareç, sue carta fez funcnar a c/nplca ca burcraca sv.etcc r dc Kremln f envada a cama dc Cêncas Oe URSS, ndt O lhe ve a resptta rímed fcríte, envens sete dólares para pa < mtnt d transpr te. N».c enreç e ScUZCh mtrrt Smlenskaí, Mscu Crcul Ver,. K\ l [ <Uà!Ín fe rtí n_ lt. h Guarílna c ta bul.» a cn,,, brartr r» nn. frm ( nrncrr thptveí/mfh em a \ h í.» pret f rn,. < KptlU, m tnul \ err.met/»! tldar íl,,, mperljf) dt ver <L_r_nef.l Pr. u. prmem. n.,!..,«d. «K n :/( : c;\ er bem tad.!,.,, t;tut m:n!. qu.m nntcí rltnc..»l, fj..he. fflae _.. pflt!l d.ub plul.reu( l.l.ll. t.«. [b\.. cnr..íu t f(.ufrí en an ap,»er dt, ptt, er.íuu..t, prte,r. ;í t te reaízav pequerm bcta.t ya» tand,n remet.» 3 lü. dnh.r<, <... c._,.; nl,ar Le a llí.ü nça pru:sfu,í u; n... rfr.í h.r <\tv f.c.r (ua..c qut cmp mente c.en Esperança N dn» d«r.c ae 95 num Cant Oe rr.,. è ípom Lus Dr.a Perlí leu u pequen tefqrdmé que abra para cee a eperancí ce ve nvpmente Seu texl trà c e Mcu 9 ulnte: Or nè\ tvestía ãc fcal dc Gcvt, nfrmu n.m u centcta E rdurv dc Ksan. scbu uma rps efca para TrafêTen.c tí! claucrra que e una f nerr dr>c_ç c _H H ku t. f m «B r Hh w fl wt. r ÍWÍÜ.ÍÍ, BELÉM y\ v, w WmÊÈÈÊ, $Êm\wLlwM % /_í F mí &<fffflêèêflêêm»w. r _,99lEàMr > 9fm\wttff _, / Vm j s>r >» 4 3 T m Ê M T/. fonç! \.Ví.íu nnu íedun lne O rpfed rnal dcuru que fbte mu cmecem a prduçã em malta da c< 9 a íflsn themíd<»! Prph.. apb um per.d C experènca r. quü use d4 mesma salvu d v df: várs pacentes O telerama f recrlad t, í,un temp ps. Lus esce va ac Sr Nkta Krusnev uma carta smnles pednd c enve d rtmídc lfóna: Prblema _.t:.., t. O..!>,,,.,,.,! Ul O V \ <\.. hô l ;. r,.., ílr,l. B,.,. e...!.j,r.....;,f; fj.t nfmrtaí;/! a,. >,,,, :.t...nr. (a,,,,,, h > (!,..n,. r,. n.«.,., s tss, L.M....!;,,..,., arla«:.!,,.. r f... F,<>. :, PT na >r5 r,í > >.,,,«,.,..,. df un f. «. ;,.!;, r.. H, K!.ü s:l, }.,,,,,,». td.. M : >«? da r.h.t ü :,,,.. ;,,t«m»n»el u nu h f)>!8 nu lt nt,m..lé m,a.,,,,.,, a!sn. / r..<,. «; rtfar pír8 f» r,e,f.,,,,,,.., r..: «n n S(, Or. _.!.. rta.,,,.,; :;, l.l,. tl/.e.r,,,(.rf; c. ncfr. n p,,t. _.. m (,,. íh.lí! c,;,..,, r entrfnr c : d«c,.nf r \,r r f O.,,.,,,rl í.. Fcha n cama m,,,..,.,. rtf.s.,.,,,.. ;.,<,,, l,~ :,. cl,,.,.,, rr..., :.<r r ««. n,... a ;.. u,«ar..,. P: Crt a Grmtk F tsrtv,,. hr.a., K..:.: te da H<; >, n :, «O» «w H ». :...!,..n,a pas,.,..,.. T\ T l Ml rtttn t t v., í \,r HtOl,,, «rnem!ks.,. ap,::, uru:_.«t. < SO LUS rr. :«e», Uí mme. Kt,,t < l Ü5 NS 3 CPTS DO EXTREMO NORTE E NO PLNO PLOTO DE BRSÍL nda há puc, llt aénnns frmavam nssa ram/acã nacnal Srtv ; 2 seu numer. Vcc pte estetnler suas t an>a. es bancaras a: es c Banc Nacnal tlt Mnas Geras, a Manaus, a Btlcru, a Sã,, Lus d Ma: ar,! ã a Plan Plt Btasla N nv Osln Ke.eta! : víams, s e a me. a hra, através nssa aênca pnena d.\..,,f, Ban.etante jta lar.,, lambem n naçãn d Plan Plt, em tene mu Supemetcad da Nva. vcê seja rapz, efcênca, precsã em suas ttansacões banca as cn Brasl, utlze s sevçs d Banc Nacnal e Mnas Geas que. cm aencas len a cnfança ce mas 4( clentes runs pôs: a mas JO blhões cru/eu > teptesetand,,a e. ulaçã n pas BNCO NCONL DE M NS GERS S.. éncw. Manaus Rua Gulherme Mrera. 79 KM Te! 2 õ 3.uctn dr Be/cm Rua Sant ntôn GTtl H3 ênca Sã Lm Rua Jaqum Ta vta MH Tel _4. jjrnna rn Pan Pw Supe: f Quadta lte 7 St. l.:a?.4 44Tel _ J_24 e....j B asa r. a m, fa r,l,,l r a, M,.,.:, la.e ;, )!( ír,. UO t!3 <, t...t.>«r.a. : p m h, ntad n»,» \.,.,. p,. n..f í.,,...,. : J\»»C &, /Qffy...:f W.v..>.._.. («v«ãjjjwy

14 vfrfmw Ww?wm?. w 7 v? ;f. v.j.r v;#r. p>..p amrsw&jvsfv J PGN 6 = FOÁJ& Q TOVQ H Uma Vernha Vendres relqs cntrabanads (u melhr d 4» lend rbadsl vltaram, na terçafera, a aprear J í muamba n pnt que lhes f reservad pela Plc.a, st» ;, e numa calçada da venda R Branc, junt a um ta, \ pume númer 33 e n, pr snal, ha meses vem ven s nd essa mercadra, cm a tranqülda ds que sen» 5 tem as cstas quentes «,«.» Cm das vees anterres, na terçafera (as. h >. ras), rtavam pra quem qusesse uvr; % j Relós adqurds n Prt Sants! F anun â Dár cad n Ofcal!.. { r. E, cm das veles anterres, s muambers esquece. râm acrescenta: 5 Nec arantd pela Plca! >>. Crnel Chefe, para nfrmar quant sua turma,,. Mta levand pra bancar a ceunha teleuada Pr (alar em ulca. nlanlan/nls. vcadnh.s da ma mãe. cntnuam fumand ntr dns ltações, apesar d av { í s. É prbd fumar neste cletv Demas passaers? que levem bafradas n rst, cnuulmd. nclusve, fuma» ç«que sa pela narnas ds cntraventres. cm tend J que lmpar a cnza que lhes ca n casac e na calva. $ # Tud prque vern anda nã se cnvenceu sta f csa smples caa cnm s que tã acntsamente sres» J petam a le, mprtunand s utr> Ntese: este rda % tr fuma carr atrás d utr. Ns cletvs, prem. X nã Está. prtant, á vnta para tratar d assunt, : nda pr falar em Plca: a Rua d Ouvdr, a Gn. çalves Das e a venda R Branc cntnuam cm as cal > é: <y çadas repletas mends, pernas espa ramadas e esfen % nd a mã as que passam. mara ds mends esta Á acmpanhada cranças Uma vernha De se jurar que í a turma da Deleaca Mendcânca e sóca d nec. J Crnel Chefe Plca: ba tar! > ; Sr Juz Menres sta terra menres sem $ \ Jvz; ba nte! sa l SextaFera, 27 Janer 96 ULTM HOR (2. Carn) O TRENDOR FMOSO DEX TURFE CROC FERNNDO PERER SCNEDER e jóque ntò n Rcard se transferrã pura lurfe banrante. O ppular trenadr levará 2 anmas ra Gávea e recebera em Cda Jardm um cntrat cm Haras Faxna. HYPER ÚLTMS NOTÍCS B CMPNH DO CRQUE RGENTNO KTl l. anhadr d Dcrby Stlnercan será embarcad para Lma n partcpará una prva mprtant d lurfe peruan. Vltará a nss País para crrer s GG, M. San Paul e Brasl. sass«/fa«>##«h EQUPE DE UH CMPEÃ DE PLPTES EM S. PULO Nsss cmpanhers Wlsn d Nascment (chefe da \ equpe) c Francsc Senatre fram ns campeões d cn \ curs dc palptes d Gran Prêm Derby Sul merca í n, nsttuíd pela sscaçã Turf banrante.!. ++.,. \ \?mmmê?tm.w%p &$WÊ$$$rWÊm \ BEQUNHO SHOW OSWLDO E DERM VERDDERO NO GRNDE PRÊMO RNH Deps da vtra dc rtura l, sem duvd, Hypér que pescç d Jcelyn. N flarante dc Js Nascment, vems atecn shw prnrc nu qard banantc verdar craque d Haras Vale da Bóa Esperanç seund pnter cm seu plt lbequnh) nspad e numa tar fcl. Partu para n fnal tt bax) scar pequín vantaem sòbrc entre s prmers, n passaem ncal pel vencedr fcand Falcrn. O publc banrante aplaudu mradamente rn crredr nacnal e a seu netc, Bcqunh, que leve uma fcl c acertada dreçã nessa mprtante prva que t Grn Oswald Prêm rnhat Céu Glra! O cale (llr d Cmérc Galera ds Empreads n Cmerc va mudar n me para Glra da Ratazan ve. prque n danad d dn da espelunca hnra a classe ú ds pesríccabra. dretmh ; mau k n cafeznh, n alnher, custa 4 cruzers: <K\ fme. meu Dns d céu. \4 í l, O lap+esp, ps que assumu sua presdènca Senhr..j V ZJjf~f\ Lua Fretas. nnf s«amí5) hnra seja fe V» ta: melhru fjv mut. ssm, H cm r arssmas exceções, as partes sã atenddas, nessa autarqua, pr funcnárs empenhads em slucnar, da mensr manera, s prblemas Crrespndênca que surem. Sbe, X$ prtant, céu presnte d lapfesp,» D X FERRER cm a smpata tds ns. Quera perdar n atra J p s. E cntnue dspnd pnd J; s dé.ste seu jrnal > ú nfern ESQlTM ; Santa \ Na s c m X Teresa. E una e.tup ;:...;.., J f %, í,,;.;?; >:... ; 5:..,, >..!,.;, :..::,. ;;?? nã haver dvrc. blea Cnsttuute, trabalha um % K ná venham cun; êsse ar ú M jument que lhe Vaaram vssssl? ;mmmêêê. uarda vclánra n.o6 p., na Franca e na l. ha. pases mu: maleducadn que tóles que Brau e\sc nem éle s. Cm í dvrc. írsserã. Mele CXDERE. pé em tds \ amus Z. prvncar. Otr pra v quants ;>. éle se Reelamacõe UP,.l!!(l. dracm para pedr uma pequena nfrmaçã, stand, j J % ramal tu. da \2 as 8 h», s ras R. assm, dns que servem a cneetuada crpraçã, Desce, Cl am d nr.js. euardnha truculent, às prfundas d ínterm, mandn que nem cat apaxnad. Sus! Mas uma lurfe banrante prpr eer Carnn Pllern pernd sõmenl cunu as carrersas uma lesta slumbrante. para tlas, que labeleeet nvn recr, e Mradres da rua \naá tk>r l,r ; p,rnll;t l: c para mar crredr nacnal d presente, Ksas d Dparlamenl em Vaz l.b. quase esquna s dnuentes da entda banrante, mment parabéns que ê Faruell. Ka exbçã em 4 s;l~ d Mnsenhr Fel.x. estã fa arqubancadas ltadas c mvment Buens res balara para c encál cm n Em alençan a nula aqu nd a sua sapucaaznha ahnuu a lta KM mlhões, ms. mas apla prvável anhadr da mprtanle carrera publcada, Departamenl lutam resnhs cmda c va,r (l «. Premn Derls Sul dc Cda Jardm. V. fe/ cm verdar.;. «;,n,m Lmpeza Crbana mandu a nul que na presta al. Tud e da mercan prva anterr que f (l ampea dmnand cm raa faclda s ro (ar. num terren bald juntn a 7 da rua Padre Teh nham lx nas ca,,, prque lxers smente apa Vínl T am l»» sça cm cr maç, este avs: Prbd cmer capa,..d,!e lcmlnra d cr.qnc vas H que cmandavam a pr fa ps uma las. k da cervejnha am que recentemente fnalzu em te partda que nã vera ter sd valda.» jar lx aqu \ mesm RTLHO?a. Nas resdêncas nã apa da a tar, lansa d mesm partamentznh mana nn seu Slvera, chefeteznh ê rne l.eusam l dc uma nham c já dsseram: e rm calma mpressnante. T ubcu pque, barbante fram a e laçaram n n cheand a recdstrt lmpeza urban td lx sua carrc n barr. Sujs dc lher seu cnduzd, na l k un, nha al! Eh, eh. eh!... lah. que havera «nulavà da L < Cervejnha ma cenrjnha ama cntnua fazend mlaures. Tma. \% nclusve, tardnha e fscas d Dep, Cncessões > par calmenle ces, st e. vend uma ksas e nau vend utra, que as tubare nà cmem sejam ntada.. s N dmn, da 5, pr exempl, ltações n, d J < srm 43.! :í74 e r>2f fazam vaens s ã especas X para Recre d Banrantes e Barra > X pr cnta própra, cbrand preçs alucnante l as j s 9 hras n pnt em Cascadura. m euardnha. % lca, rsnh felz, na va nada dss, nem a f enrme passaers auardand um carr para a c da. 4 ss. pr snal, c mu cmum, a dmn, quand % cenenas ltações xam servr suas lnhas para X fazer vaenznhas especas, nclusve para venda ter?, X rens.. Salve a cervejnha ama RfMWSs».. ÓTM OPORTUNDDE POUCS VGS Prcurar Sr. Raul na v. Erasm Braa, andar % rcne Leusam mru su velh classe nhnd uma prv r: tg.c ema r! d vróvc. Truxe rtur sempre fulmnand pr fra c na ret fnal atrpelu s rvas. larada. Mas cm rapz sentu que. mesm naquela stuaçã cm que se encntrava Sestá, cmpletamente \ rad pa a as cntas, a partda era válda e acnu prnt flh Santa Rsa. Saba que tnha sb a sua dreçã um autentc (raque e qe pra <«>n<er n prva sem exr masad, ncalmente, d bnt alasã. Crreu ld percurs pr fra. dand uma enrme \antaen as rvas. s pucs, Leusa m f clcand rtur em carrera e. a faltarem 4 metrs para vencedr, lançu cm um bólcle dnnand cm rara faclda um a um para vencer uma carrera espetacular. mstrand ue é n uvu lalau d Hnc purtenl. /:mmmm Wr.: ::: &íí??.,.;:.::>;::.,>;.::. Mí»»? %& s yfwj, f sfíví jbwsssk» mm. <:R v,«4».íír ásfsa& LRGD PÉSSM HO V GRNDE PRÊMO f l?>.,t;s<f ~fy!í:.íãsf» V,.»,. DERBY SULMERCNO! starter Nõ f felz banrante a rnar a larada d scm parc, Grn Prêm Drrby Sulmcrcn, xand s ds estraners pratcamente íra d carrera. Leusam, nr>qs <J prv, claru a envad UH que realmente pensu uc sera anulada prtn p\ Sestá estava cmpletamente vrad em sentd cntrar. Nesta fí vems pela ndcc a seta jóque E. Perdm dc cstas para s rvas. Mesm cm a esvantem da partd rtur mstru su superrda n turrna. ps, crrd percurs td pr fra nda p vencer cm pur alpe. ur; setíurí para Lma, Pc j. n partcpará un cláss c lefl, c cm seuda vltará para > Urasl, n será cnven en lenente preparad para partcpa r d Cran Premu.Sã Paul, nn pn dj.mm» fe ma pr cm, e (\ ps rumará para a ífuardará (ávea, n mês le amst, cuja par cpaca n Gran Prêm Urasl erla. BMBD LÁPS.De EfBKRTO) V K ms %, m.,. x?. / \ ff. ::, m í Canddatas a nva turma, preenchend as seuntes cndções: a) ser braslera; b) ser sltera; c) ter ba aparênca; d) pssur cnhecments nvel nasal; e) da 8 a 25 ans; prã apresentarse à venda Pasteur n. 429, das :3 as 7 hras, na Dvsã nstruçã. Servçs éres Cruzer d Sul S.. WmmW Mtâ4?mMk m<:,.m:,m. M < tmm MSS COMPCT EM CDDE JRDM: MOVMENTO CM DE MLHÕES Neste flarante s nsss letres prã perfetamente avalar que f ran publc que cmpareceu na tar d quartafçra em Cda Jardm. Tds queram cnhecer flh dc Sant Rsa que vnh Buens res crencad pela cxccfr«tc e»b:ca frente as rrnmads craques Crls tlas e Farwcll na dsput H Gran Prêm PeMcrn. Valeu nbca d rtur c a dreçã manífca dada pel veteran rnu Leusam. SEM ENTRDSEM JUROS Junt Eítacà Psse c cnstruçã medatas. Terrens cm Ruas calçadas, áua e luz. Tratar dretamente das 8 s 8 hras, c as dmns, nclusve, na Estrada MRECHL LENCSTRO, 4 5 (Frente a estaçã). anúnc dó dret a cmpradr a uma planta prletára para a cnstruçã sua csa. f $ rw Jrr,» í?,. Mrtt RTURO vlt repesaem, pôs a espet eu lar vtra, sequr pels seus afrtunads prpretárs tend n seu drs mestre Leu srrnd. v w< \ V Sl \ l/. /. ;st : ;;>\,t ( H,H>n lc ;;t,,.,, enxuta ;n. rpnnn), aparece um :; jh,.,m m ccl.l csa, l/ d r< turma,. r. l (lcl clu.l. cst.v spa d.a l ma pura sld umó rl/ n /.c. (Vlu c um. um. dc rmancear nm uma ca! ssa < lh»mn anda aparece um para atrapa

15 q ULTM HOR (2. Carn) SextaFera. 27 Janer 96 = PGN 7...v.v.>, S«ÍSÍS«!& a ap % «$ Estaçã De Prmera a Unds da Tjuca: Dez Esclas Samba n Desfle d Da 29! m.mbêl mwmm! mmmxm?mlw «\ llwffw& mí&mwmwmm wj»wm W%wkWÈ. W/SmÊmmm U /?s:ür Jí.ãVv m. ~L lw. m\...l.;àmmm mmsfrw. Va # /M ds s preparatvs pratcamente en L cerrads, ara e esperar apenas pel dmn, para que pv carca pssa assstr V Desfle Esclas dc sensacnal Samh.» anual prmçã (e hje já uma tradçã carca) ULTM HOR e dcarnaval COCCOL. Tud cmeçará ãs 2 hras d dmn, da 29, n estád d Fluntnent FlBall Club, nas Laranjeras. próxm Mas Pí.» K.flPC RtEtfBsSaL fl O. cnal, também a taça nversár ULTM HOR, que será stnada a vencedr d Desfle. lem taças e trféus, há n prêms (rans) para um cncurs le cmercas, stnads ás Esclas que jnle fltrem mrhr cmercal para prdut dc um ds patrcnadres, COCCO L Rcfrescs S.. s Esclas sflarã cantand samba que quser, mas em frente as nle nscrt, e ps entã xarã cnc membrs d júr apresentarã está as 9 hras s prtões d Flu estarã tranqueads a ran públc, fm facltar acess a estád ds mlhares fãs d d cantand um samba d seu repertór. V samba pur das Esclas. Cmssã Orqanadra d Desfle Estaçã O Desfle será ncad pela Prmera, dc Esclas Samba preparu tud para que amsa Escla Samba da Manue es assstentes tenham cerca cnc hras, e campeã várs Carnavas e um ds nnterruptas samba. À medda que uma Desfles ULTM HOR e COCCOL, e Escla va termnand sflar, ulra entrará na psta, a fm que samba ná pare Unds da Tuca. Prem, entre Pr nunca e que nã haja atras n senvl será encerrad cm a apresentaçã Estaçã Unds mera e da Tjuca, nada mens vment d Desfle. t rans Esclas farã evluções para O Flumnense FtBall Club, que entlmente ceu as suas nstalações paa ran ran públc que estará cncentrad nas manífcas nstalações d estád d Flumnense Desfle tque pr mtvs técncs na p ser realzad n seu redut tradcnal, a Praca Sle, cm Vla sabel), preparu lcal da Os prtões acess para publc estã lcalzads na fachada d estád, que dá para sensacnal parada d samba cm um carnh especal. lem clcar estád a ds Rua Pnher Machad. s Esclas penetrar pel prtã mas lar d lad d Palác psçã ds rqcnzadres d Desfle, tan V Guanabara e, após fazerem tda a psta d eslad em evluções, sarã pel prtã lar dad melhr d seu esfrç para brlh t dretres cm prestmss auxlares tèm d lad das scas e que dá também para a mar da espetacular ntada d samba. Rua Pnher Machad. Des ara pv carca está cnvdad para assstr samba que a ZN va fazer s Esclas dutnrã várs trféus, nclusve trféu máxm, tradcnal scer à ZS. Os prtões d Flu estã fran Tambrm Our. E este an, em caráter excepcueads tds.. SOMQBMSEümQ Brasla Nã e ttul d límba vtncedr em Manuera (Samba Rua). Seus autr«: Jsé Brer e Mltn. [.ll lu blc. Salvaclu Sa. nvdad.h. cran ensa hje. l.nred lu hlcu exaltaçã an l. (er Judcár, O Lenhadrfts va hastear hje, em sua se, a banra d Carnaval Carca. «N Museu ds Teatrs (n R.aner Sala ssum encntransc em expsçã es prjets ds cncrrentes ; ca açã d Teatr Muncpal parn ns bales Carnaval d(v r an. levercr Bale d Clseu, que terá pr tema Os Últms Das Pmpea. Para e vver e pular s últm das é bratór traje da épca. Em l.a Dulce Vüa. s Crnes Cmandam e ttul sueestv para bale pruramad parn próxm da, na btate l,a Klemc. Das 5 às hras. Prmçã Dayse Ma. e Teresnha Tapajós. Mun pn MUNCPL blheteras d Teatr rpa estarã abertas a r seundafera prvl hras) paa a venda O Blc Etperanca d Catete aumentand suas bateras para carnaval ste an. manhã, bale n Qutanclnla Debax Dáua te va cmeçar a» 2. hras e te. mnar (pand sl aparece. Sc na tperccer. va cntnuar ate a lada cher. Brasíla Na ttul d samba vencedr cm Manuera (Samba Rua) Seus autres: Jsé Brer e Mltn Km lbuquerque ( curadr esclhd pel St.m dard. Tema da rnamentaçã: O Cuc Cheu. mmf\ «r y% MÈ mmm fe & ú mm NÚC: BLE Ê HOJE Será hje. tar, Uale das Máscaras pmvd pr Nlca Mranda, em Leal secretíssm. Os úllus nur n» prã ser adqurds pel telef Ur l.llll. (lu Salvadr.R blc Sá cnv dand para tjrand. ensa dc amanha Enred d blc: exaltaçã an Pr Judcár du tíuanabar N Museu ds Teatrs d R Janer (Salã ssrl encntramse em expsçã s prcts ds cncrrentes a craçã d Teatr Munc. pa para s bales Camava dêsle an Cent e cnquentí ambretstas vã cndur as Ranha d Carnaval, na festa pr ; canddatas a tljl d Quase tud prnt para manha, na male Palle Bale da Espra. Da na ramada pel Ksms C. C, Bale das Enxutas. Hca. Duas rquestra.. O Sr. para dmn próxm Quem prmve é mdé Mrnque Na base r telefne Patnc Gílan nfrma: c ;: Será amanhã, na Casa da m df hábt, ftórafs nã lha da Mara, rt.724). prã entrar. m ul. ( m serpentna e manhã, cnfete Na Rua Senadr na (..asa ra lha (n Furtad Mara, rrl carnaval. CRLOS GOMES V Cm serpentna c cnfu. Rta V. vltar mesm Bale Senadr lurtatl. Glra, n dmn car VRR COLSEU! naval, N própr Htel Gl Será n próxm da 9 ra. Será n próxm da 9 dc CNDDTS K RRNCD FNL: RNH BS SES! (un n encerrament ras senções na próxma seun «fera, ra 3, eslar. cum a a prmera etapa d fasptad ttul ranzad Ma sscaçã dns Cruns Carnavalescs paa a ld da tanha d Carnaval j 96. Cresce, prtant, ftrn re ran expectatva. nteresse pela fase duna ((ra sse tradcnal certa.» que atnra na nte rc s,> feverer seu pnt «lnnante. cum a esclha. r um júr, da nna sbera,,j l carnaval earca Hec Crdã da Bla P ta Tere a Mhna ( Mée \ era (m/ Cpn lu» Pu tas. rn Orfcá Prtual. Lurs Mue? Vtóra Té (lbe; Carla Frere e na.lana. EST É feverer bale d Cl O seu. que lera pr lema f ts Das Pmpea Pa ra se vver e pular lllt últms das Pmpea v bratór u traje da épca, craçã scra d chlen Jean l.a.nna. BGS DO SMB EM REUNÃO \n se da sscaçã das Esclas Sanha d Brasl s presntes ds revs. Blcs, l.uchs e Kselas estveram reunds na nte ntem, juntamente em dretr d Departament dc Tursm. Sr. \ nr Ucas l>a cnversa, sur ju a seunte dca que. se.nnd huver temp, prá sr cncrelzart, a ma esle Palác anu craçã un ch. Samba palác líssc cmeçara a fun lunar anula neste carnaval sera cnstruíd n centr da eda Permanentemente. tera atrações Funcnara ru lantc td.um Cmu mas uma atraçã turístca N en cntr re pus enrerrament das cumprnd as cm «rcões, teteas d tn. reulament d as candd.l.s serã llmetclas, ds testes cl y..vfc. x m±.» tf» S. PBí Vv.\. HV rr { ntõrtts. quand nã pór WÊ Hít #àt%v# É5 ~f Prva se pssuem realmen esprte W,;» Â r/wh carnavalesc dte rs mr, nas prã aracpar fle fnal «estã fealnete nser mas dsctlrln certame rtlavalese da rda. as se mwãmw fffffff ; ;nles canddatas: tut U ra Unl. Ver. (Grup a Bquerã d Pa».ucuar fanntt (Km Líuam;; j]. ada,,, Sssê: l.a «ra Pcrrts da Caverna. ala twí«««««~««««wmjjrrrrj Mren.Turunas ce ULTM h lernu; EM HOR Janete l.a U CRNVL,! Chhc rl s KenanM: \ Tld c e.,;esp.,le, para esta....» ZnTJ? rrts..letl Santa (C l L,,cs r,evtes drvr rr cnada pnr,, MOStS rlh!, da Cama.;.lane < sns redncá, ULTM HOR. > rf,> Uny \ c (, lama,,a tec Banu..,,,,frjjJ <~ ~~se~~~~~~~~ «««««4 fj REFORÇM HPÓTESE: PR VSCO E MRTM PR ntem, cmç CM Ch le n Ura O Flumnense ná está cert se cntnuara a cntar cm cm cncurs Zezé Mrera ps mat, embra seus drentes esteam certs que, enquant perdurar cmprmss d técnc cm clube, aquele se recusara a manter entendments bjetvs cm utras aremações Tm nufr lad crculu n lclajen junt a /.< (nhwcn tem a ntca dc que Vnscn pr» tr uln un cra manradf um «mssár a t> déíte fat mas mantém s,.( cte, para fzer nvas sn tranqüls, cerr». que trenadr manterá a palavra empenhada ate fnal d «eu cntrat Trc Psções Ksta ntcas vêm frtalecer d,ras cheada r.centencnt. d Prata, quand ne aventava a.asc hpótese d da Clama cn tratar Zezé Mrera e du Flu rrrnense, para preencher a a eu na chamar Martm Franes Na parece prvável, entretant. que us acntecments.» precptem, havend ra/e» d. tnta.) para ss. a hübvr Pcabéü tem rntratn um n Vasc ale fnal d R ;. t > Pu u í :> 7.<t tem cntrat cm, Flumrwne at ma FLMENGO EM CRB: MNH OU DOMNCO men nda cm»ssa punçã, GerR dsfp qm. s médcs trar n clube apenas relaçã ;t Fctnand pm cncm assu cads, c nã cm funcnár F própr presnte quem smentu qualquer nteresse d Vasc da (lama p Dda. e vce versa. Dsse. Gere Fernans, que nncla nã surcu nenhuma prpsta fcal d Vasc, nem tampuc éle está nteressal em necar extrardnár atacante campeã d mund Desmentu, também, que tvesse havd aluma snaeem para as vendas Jrdnn c Gersn Flamen jará cm Córdba, feverer, p.» ; nternacnal, em f canclüd rn.ttm Prt Féras te D 2 Tã l us jadr uem fj K flr.jhí < cm lere che [lberads, entrand em :/. d féra ate da 2l lvverer, quand serã rp.me.d t trenament., vsand n Tr net K Sã Paul Knquanl ss lre snte (.ere Fernans ja u rns a \ eepre.nt OCTOGONL DEU E TERÁ BS EM BUENOS RES, U (FPUH) pesar d fracass técnc d Trne Octana! nternacnal n qual tmaram parte clubed Brasl, qentna e Uruua, s dtrnentes ds tres pases cn sram um rxhc fnancer as arrecadações btdas Pr est, mtv já estã estudand as pssbldas realzar um nv trne, que se senrlara paralelamente as campenats t, cas stes três pases. cmpetçã tera luar, smultânea mente, em Buens res, Sã Paul, R Janer Mntevdéu, e, pssvelmente cm turn c return lem ds cntunts que partcparam d certame reeémfndad, seram cnvdads Pe tarl c Flumnense, além um utr cnjunt arentn mprensa Crtcu Certame Lm futebl medícre e quadrs rreulares, tal e sald (e xu trne nternacnal rc futebl verã, que se dsputu smultaneamente n Brasl, Uruua e rentna, cm a partcpaçã ce t equpes déses pases. npretsa matutna, a analsar senrlar d certame, expressa que trne f tle ncerteza s cmeç e st»e ve an tatu que nem em! % f LOURDES í v üwsl fe; K» jf í HU s res, nem em Mntevu, nau su p avalar a capacda dn» lme» carcas e pullstas, até a quarta jada. P pnr termnar a tabela que quatr clubes braslers vam enfrentarse entre s antes ce vajar para Uruua e rentna tud stu se lunlu» cntrle d Cerr, que na apresentu nenhum cnjunt e pueus valre» ndvduas, stacandse Dalma. Nacnal c Sa Paul acabaram nn» últms luares e vasc ca (ana. que mstru melhr juí e clcaçã. apresentu a prmera sur presa d certame, umcnd Flamen e trandlhe a cndçã (le nwct Mesm se umtr.rtd cnt real canddat au ttul máxm, flamen teu uma equpe alts e baxs send fladamés alar para cntratar d um médc peln praz das. trrepndínlr»uspd sã aplcada as mécj.c nu Clnle faltand anda cnfr ma u da. ps seu» drente» querem jõe amanhã, á nle enquant s chlen» preferem jar dmnt. De qualquer f ma. rteresfe d; rjeleaçá est preust para da u 2 nu a rnquta ru ttul campeã d Trne Oetnal, ; <; bc.l aríenl n. frmu d <.an. que!d> n j(jítdrí dn Fümene sâ neec»sánu pura a próxma temprada MÉRC N BLNÇ: GRDM OU MGLHÃES Kard Maalhães > Caln an d.s nme dns quas < s.eren esclhera aquele qu.rctra sua» equpes te fute b nn Trne RSã Pauc LUCRO 962 amplamente rrutad pel Bca.lun.rs Macr e (er sn lram sua duas fura, re mar d«taque ( Crntans fu rn s d era d em a atraçã d, trnem e na aat>uu mal rl,rn Tem un.a fesa fraca enm a mara d clubes brase lers, ma psu um bm sst ma fensv, rm mstru cn ra c Bca Jun ur Crntans: Turblhà (> crntans atuan. ntr um autêntc turblhã, cn, um cntnu rndz.u rc funções partnd dn V 24 e que permte cm a ajuda dc un excelente prepar físc, uma clabraçã ttal entre (leíe,»a t alaqu Os rentns (> jrnal Naçã afrma ue d Bca Júnr». esc>t melhr c.je Rver Hate ate sua qu. da frente a Sa raul, pnr ãxl N que se refere a técnca, tr nem na pas>r medícre (> brasler se mstraram basan le velzes, ma. d que > aren tnh e jõeft tvrt ntr d; arca. usad pnr aeun «euchamu pr ma a danter: atençt fnalza u jrna:. hv dplmad pelí \;í KMa d Educ ( ( lar p drcu a equpe h a.! eprlf <; Bra n tj.», tatu \jí adu..u. Frasancj versa <! ret ta esta,tat? u au bslutamente cert! «íjjsj D LMTE uma hra aralhadas, % S83;t>JSj \\Y / vé. \Y» / \» nn tapa/..n. d. CH [mpres > Ma alhã» e se tralí j }»7 UTí!7a K ardn msc K t,re< uuad n OL. rsareí ( m G radm.una sem ;. n a > u a nd fuman dn ( ndí ad Pe nsu.nub q\.. B p e r f >epn mt Ma Ks Fe Kar r; ctn resren duv W ffbí. Ça fe ÍTk mm, J&\ a f.. %.4,. Ys. W, á:# tr m..>» x...mrí <S: tds s sabaces ld. c/ :; TVROCNL 3 tend cm apresentadr prncpal J. SLVESTRE fraend a públ c carca s sensacnas cartazes a v banrante RENTO CORTE REL premad cm 6 paulsta NR BELO espetacular revela:».:.:...e lembrese: da é sábad \ /Cl das 2,4 às 2,4 \ m CNL 3 SLS apresentaçã cmercal MR HELEN melhr cômc NÉDTO NO RO! humrístca um ferecment fams escrete d CNL 3 Walter D\la Ema Dv!a Vaareza Mac>r Franc Jre Lred SKa Flh Jayme Flh Mara d Car Castr Flh e muts utrs! eb mm%mmmmmmmmmwe Ult FLU 24 HORS 5 DE ESPORTE HOJE FLUMNENSE x mu CPUZ % O Trne Ou dranular q>«se dsputa cm Petffe, %rè en cerrad he, cm s ò» Flumnense x San» Cru2 Nautr. y Esprte, ês»e na. pre lmnar. Cas Flumnense % vença c Santa Cruz, e Es perte empdtfc, nà prelmnar, 4 Flumnense se sarara cam pfâ d Trne. E também cm h vtra d Esprte na prelmnar, Trnee Ouadran uar fera ser cdd cm utra partda, faltand anda : ttcerlàr a data. Esta send tent?d um jóc para dmn, á anda em Pecfe, cntra c San ta CU que vra a ter cera fe revanche. ter Enuant ss, na terçafera, Flumnensr vera jar em Salvadr, atuand ps rm Mheus e talvez, em tabuna. % l;::; MERC PODE ROTERO MUDR S Ávar Bríaarv.». vkp ( r» í\h.b tu f me «h,.: ::<at: par;. ate r aelf. m,fl um cmuf, fj.,íjrar) amenf! lómhtt. ncda rr sf. resü txcursa. d cnfrmar U a prsramar ( > fjfrprã ptrís Hp>.,< :... rnudancí d fam ra $ mtm/.: í.:n. lorr ftt. <, ;;( )«á.nzn n;t.nn,. ru. rjfldt m, (;u!(!üí;n,,r; BNGU : HOJE EM j RCJU C Banu ara he em f &âcau cntra Serpe, danf, d pr ssecu ment a sua tem prada pele Nrste. Dmln qc c Bdnçu esara dtuang amda em racatu cntra C 4, tnuba O quadre E><nuense para h;je sed c seunte. Ubtrajarf nar.áv Darcv Fa % ra e Nltn Elcc e lnmc; Y Ccrea Zf Mar a Btanchtn, Valter e Vermenc \ CMPO GRNDE PODERÁ ENTRR z.ad d s rts ::,, «st mna. rl, f r, % > >,a.. m mer d a mu r.n [t levr tquerrnrl n,;nr ntrrpr Mr ne! Fc< adn Pr; )(n! ú f r u V) í, senr Hmr d?. n. va. Bt, SO PULO NSSTU SOBRE ZOZMO E JEL G Sac Pauc vltu a nss ttr unc a, drentes d Ban pu na tentatva cntratar ; Zrmc r Je: ten c vtced e snte Manue: Ramuna se cmuncad cm MaurC Buscac acertand s aetalhes ;» a», respectva. ransferena C Dsnr a Sanu f>ccl cd c ca «r casac dc reress a díleactc üc Sác Pauc quònd entàc c nec prá ser :, cncet;acc P enquant, á cenfemç ns armu c P cl pre».entf dc Ban. c ne. $ pece esta smente ns entenf dmentes pre:mnare< Sab se uf c Sác Pauc nâ«p ue atmerlí s 5 mlhões, % ena)c c Banau faí pe «rre m.lhes aleç. n.rc Zcm custa $ rr.!h<< Pr cuc lad c S. í Míunnc Buscacc ns acan. % teu ames ue s venr Jel Í. DO, mut S!we enuant Znmc e? se necac ate m{.m p 4 mlhões d ;. NGELW NO FlüMNEKS: dr «l«. d f e ru»., me w»rlu > rrník e enre ;pt a!p,:!>e lana Fcnmaar ea» ms térca SO CRSTÓVÃO EM JUZ DE K)R C Sa Crstóvã e? tnttc acertar um amsts p»,,, òmnc em Ju d Fra, crtf jt c Tu.p<n»mbas Enauante stc c dqer»te Nelsn «lmeda va trata he. da rrncvacac ds cntrat» ò«jame Nelsn Mers e Ru». %c f também da trca Hetr Ou rc ds atacante» d Vnst Ontem c dretr alv cr.vrrt.u cm s drkjente«dc Vasce»cetandc tanbem um tpe am»ss pê?a ps dr Carnaval err pa»men» t>a».e clere Humbert NOVOS JOGOS pr OLRfv \..»,,fe,. n rn!..» <. R,,. n. da f f,,...cta h,, a atuann.,»., m ne í K,r. en Perclíw <tn.ra? h»rle,.,.<.m»e. setu.r... na..,... n l.a «W ur a l a sf» tnad!>,s. ;,, > < arp( run, v \ l nn,,». < dta 4. C. Ma.ha. : a Va...,,.... n«. d» n e»... ;,:,.,.,.nt., a el««xswbb«

16 _.v..r4=í:;... s.5ím :sr$ ~ W S;,,.,r r.wsw ; wmw.f? spww!?. ; FLMENGO DE VOLT OS BRÇOS DO POVO D OU 2 DE FEVERERO BOLS S CRTOLS, FLMENGO V DVDR PRÊMO DO O JOGDOR BRSLERO, QUE MÃO SE LVR DOS DNDOS DOS CRTOLS Meus chapas. Banhar ntr el Estád Centenár ér Mntevdéu uma partda csva, enlra un tme brpa cm é Cerr, na e mle na... u mas! Ps Flamen f e\ na se laçu eleus a zer n plarar. cm, ps d.lc. reclheu s ltrs que atraram tôbr s seus jadres nn camp, para venr n narrafer da esquna... Sabem cm e para melhrar bch, r tud Drãu vcês, eterns scntentes: nà f vantaem nenhuma, prque ambente em Mntevdéu era mas rubrner pssível. Jadres eheand fra ele hra. Shrh dand a brnca, rstóbul tarand a mã na cara da freueza rental chefe da leaçã querend panar prêms pel credár... Mas ss nau quer dzer nada. meu cars. Nau quer dzer nada! e ue ressalta, na vtóra el Flamen, e a capacda que jadr brasler sta eraçã tem para superarse nas hras crtca: ns mments csã. ltm pr qua <te natural que ( (rna um und cudad, Falcà, nã ê mu.jrn faz prvlead entre tds s hmens calças curtas sapats travads e chamads númers ku cstas O Sá Pau. pr exempl, l a Bmbnera. peruntu quant era partda, juz dsse qne era dc cnc e.le meteu 5 \ n tme d Fela Reparem nas canv panhas ele mts e d<» Bta fc: Pele só (az l drbland ses mímcs pa cma e Garrncha está dand tants drbes que a sua perttnha á esa sentrtand. Vejam mérca, que aenra se u a fe vc ele clecnar quadranj_ula.es. K lhem utra vez para exaerad d Famentu, nue fõ. mma ve; que \merea fèz em duas. quer r.er. papem un Octna. que e um Quadranular dupl. >em rlannh O jneadr hrasler è assm bm bla. bm bca e> bm ele dscplna, quand cmand e efcente E mesm na hra ela ffca e recupera para vencer. Cncluse. entá. que paa Hrasl anhar a Cpa dn Mund pela secunda ve/. bastara uma csnha nada chamar ntrepd Captã Galvà num cant, cnversar cm e>le. juntar NüC MRND: t ce. cr. trar na cluna e Flamenrjr, úf trçar, nn Octna /n< prarâ e nspraçã! s cartlas td, clcáls n Mara e zarpar para â lnha d nfnt.. Frque, esta prvad, quem atrapalha mesm é earlla PR OS ML NFORMDOS VVÁ NS ( Kl EM 2 DE NOVEMBRO HE 934. TEM. PORTNTO. 2e, NOS, FETOS H TRÊS tf % a. & rm&f &$%, í > Wí %? FLMENGO X lç f REL OS COEGUWS O Dl \ Sã Fml. \rr» >., ( Bca lm lluf nm \rr. (5x t >... a ( RO nãn fcn llrr ja t «uhkttutn Hf Frla O fnrrrt.rm fmr. mus m nes sprts Tdrfnrma <lr Gfrtv Dcu C alma n t lamrníc Deu csa nc nhuma Df uma m :! f qur. mçada, prxar dr tud. jnc» n tnn da bla quand qurr. Prtant, pntasaqaumn ru ttul r nrnnse qíentr n Mtn n ntcas Y\í\ Venceu F f. nmprãtl ll. <.cl._.nnal Nnrurn sr unra a crínlada nrstr carnaval! ORV n KKs.SH Hnwnín cnecu : t ( mpeã Dn Detn nal O Hlntrn >n qurr ver r n l.arrrd nha. a a«falcâ. t.le nà(» d/ qur adra r«prte? K wrra qur êle > a apertar a m._n d a ruhrtnrerada. Du.rnródn! ekrhn M\Me t lamcnc«\nda s Vr Nenhuma K r p a \.lr! rarrre. (jtr n Ha <.ta rípcran l.. n nh fazer a ua prptta para cmp r a r u n a p a rt ;m c n t«n. Mrr da Vuva O rrv..m.rn Hje Km Manyalf..ltara (.ntra Hr.r.n \ m r t nr manera estudar (_c.ra.a é acmpanhar as rmr õe«d Mlhes, fe jntxm em cada cda rjr >lsf _R O \p.naum jrnalsta mandu d/rr que ha\ a um ca > dr ndscplna na leaçã d Flament /e : u vcê tem med d \ trín Vera nu nã tf»lr d (. ratdn Encbar. u nã le ( lmffa que jrnal d Vtrnn r prbd atacar clube nu t a/cr lu n, \tc mas. \ nef <ha qne n Kscbar \a perr uma h..a dssa». Zr..?.! l.llll RlM.DO lll Stl.V F.rala xadr Kspanhl nda í.rc Km Bruxajs (.eraldnh, Rrnl e mes. m uma ptênca, nã e > Cf enten ftcraldnh?. MDRD?... É d flamene é br: dante campeã d Oct K n a nternacnal ele verã apesar lórlas PONTO nssas apreensões e pa ptes pessmstas. Cnfessams huml mente e cm prazer Vsta nss erre mas futebl ds rlukc arentn e LBRT LURÍNCE uruua anrja mas ba x. mas rum, arnda d í; rpe era lc aereel prn«flamen pr.rlc darse ar, lux trunfa, embra jand duas vezes em Buens res e duas em Mntevdéu cntra representantes ds mas ; qualfcad d ccer platn Entense que s rjrentes arentn, espantads em a fraqueza ds seus quadrs mar renne e tradçã. se lancem n esfrç recrutamente que teds sabem. s Ú.,».. duas ultmas....._, rrtas J.h,.,,.. d > Bca r> Junrs.. em casa. ante % Crntans pnr.. :). e ante Sã Paul pr 5 a. sã elqüentes. E Hver Plate na esta melhr ps. apesar tda as vantaens que sfrutavam s quadrs prtenhs, termnu Ortnal empatad cm Bca. nn tercer luar, ambs estand cm ses pnts perdds, ds atras d campeã Flamen _ pp.. rns. quas ds para Vasc c um atras d vceeampeã. mst Cerr Mntevdéu. d fatr camp fézse sentr cntud, ps em balanç cn unt, ns f jejs dsputads em Buens res e m Mntevdéu, quatr quadrs braslers cnqustaram vtóras e 2 ; empates, mas sfreram também 7 elerrtas. á_ E Crntans. Vasc e Sã Paul fcaram respectvamente ns 5. 6 e 7 luarí;s fnas, rm 7 B e 9 pnts perdds, superand smente Nacnal d. Mntevdéu pp.,. ra qussm De atualmente, sem duvda í qualquer nrel. s rubrner estã parabên. sncers. perfrmance d quadr Flelas Slch s faltad ele Jadr e nela. f manífea. quant mas quan d se sabe ambente ele ncerteza e perturbaçã que mpera na Gávea e na se d Mrr da Vúva Palmas, prtant, para tds s valrss e valentes cmpnentes d plante d mas querd, e para seu téc nc que sube leváls para uma vtra que vem enn S querer anda mas patrmôn lóras d futebl d «Brasl. E achams que esse trunf merecera, alem ssas sal vas palmas entusástca uma recmpensa, um prêm mas pstv. Prque. sem qualquer ntençã nv maar Vasc, cuja frmaçã está passand pr uma erse téc ; nca evnte pr que nà cdr pr Flamen a \ Real Madrd n próxm da 8 dc feverer O ran j amsts ra revestrse utr brlh snfcaçã técnca. O trunfadr d Trne nternacnal reunnd t entre s melhres quadrs da mérca d Sul cntra l pentacampea da Eurpa: sera um bnt cartaz 5(W«ttaf? TÍTULO ENTRE SEUS CMPEÕES De LUZ VLÊRO MENEL e N/O MONTERO prêm três pr cent da renda bruta d Trne O Octna a que Flamen tem dret, pela cnqusta d ttul campeã, será nteramente dvdd entre tds aqueles que part e par.m da campanha. nfrmaçã f prestada pel presnte Gsre Fcrnans, aue acrescentu: Embra anda na tenhams cdd quant será bch pela sensacnal vtóra sbre Cerr, pss asseurar que nenhum jadr receberá um prêm nferr. CrS 3 ml. Efern racment Jamas esqueç r esla campanha que estes rapa /s fzeram prssemm Presnte r ;t» Fnans De fat e ele drtn Me ltl pertenca a nanen_. ps atuu em uh\;\> as partdas cm ran esprt luta. enfrentand dfculdas e mas dfculda; cm ns cass das cntn.ses s ntí cas que se craram m. trn d Flamene. nue. a que tud mdca\ a. esta\ ; atra, essand.sena crse, na ram para perturbar s craques em sua campanha brlhante, nem tampuc n mment csv, Nã estu cntrarad pelas ndas que surram, prque >e perfetamente que nestas casões ha tudu Quer frsar, prem, que sanue, sur v as lármas úe nsss jeadr; ts levaram a ttul ele campe eln Trne Oelr>í_ennl Vasc judu: Módc \ã huve qualuue. ammal da cm a leaçã, qualquer crse cntnuu Gere Fernans Cnverse rm u técnc Fletas Slch e cm Cel. lenrne Mura hras antes d j csv e. seund me nfrmaram, n ambente era excelente, cm s jadres tds dspst; a tud pl trunf Ná htlre qualquer ataçã prque tme estava su melc. Quand a lefíaçã embarcu. Fletas Slch já saba que nã príams cntar cm nss médc e levu nstruções n sentd cntratar um, cas Vasc da Cama nã pusse auxlarns. le Pealea, lee nc vascan. prem, pô slucnnr prblema. Daqu aprvet para aracer a Pr Dóncs Gumarães, d \ a.se. pn clabru cddamente para epe levantássems trne, cm sua assstênca permanente. uraç a Yasc e a seu médc, que tambrm rereberí d Flamene um prêm pela cnqusta r Octna Jã Slva ncentvu nda cm relaçã a Vasc da (lama prsseuu eree Fernans. além d auxl nestmável seu médc, tds s cmpnentes sua leaçã ns cumularam entlezas. esdocalment Jã Slva, que sempre prcurava uma palavra ncen tv as nsss jadres. prncpalmente ns mmenls dfíces p que passams, prncpalmente às vésperas da csã O Vasc ela (lama pm estar cert dc senpre que fr necessár nes he rclrburemes s rans e nesquecíves servds que ns lram prestads durante Trne Octna O Flamenj_ f campeã, mas Va n ela Gama cperu em quarenta pr cent para a cnqusta el ttul, estand tambem parabéns. Pass Decsv: Reabltaçã: Esta vtóra ante as mares expressões d futebl sulamercan cncluu Presnte Gere Fernans l ran pass dad pel Flamen en busca uma recuperarã ttal e cnsaradra. «í.a_k 47_l Ef!B5J # tmmmmmwmmmmmmmmmmmmmmmmmbmrwmmmmmmmmmbmwatzmbmxblf. UJUMsmsmf àwêeèm, fes. fwg& tmt mmmmmww.srwmmmmw t7ptwblllf S«l)f> V yj Jralf jl.9lms_n9 v HD9 H P ; >P9m mt\ mm mmm, «íébb sl_s:ás í awrsbl..(swrmb MPÇ ~ ~ H B. mm ~ B _HP Êm mmmw< ss «l P \&sêí\3sêêmbm\w tmmmmm UmmmmmWL. WWWa» Wl.. É mímmmtêêmwk JJBSáBBÍíw/ m WlS«_8?SlB_H_Í_M_l.tSÊmmS.PímBS t&te ;; ym \\W&8m ÊmmmW TWÊmmÊ Wl nr/r. apôs hter n ttul rr eampeôn,h, Trne Octna. uwarn rm Càrdhn, nn Chle, reressand nn R ce Janer, n da J. u 2 re Jcvc rrtrn, para receber a cnsaraçã d pv. ORCO SÓ ESTRÉ CONTR F anuncada, ntem, a presença Lrc, mas re :cnte refrç cnqustad pl Vasc, n amsts dc dmn róxm, em Sã Január, cntra Taubate, Ntíca que s lrentes cruzmaltns nã cnfrmaram, nfrmand, a lesm temp, que excraque da Prtuuesa santsta smente REL t será lançad cntra Real Madrd, na próxma quartafera já mas ambentad e fcand cm r.n atraçã. equpe que enfrentará Taubate vera ser, pr t,. t a mesma que cmeçu match d últm dmn cntn Dnam dt Bucareste. PDRE CMPOS GÓES EUFÓRCO COMO TÍTULO DE CMPEÃO \ m:,f V w %. Y Pudrr <;r,r< nnu /ur,._ Judas Thau a/du a cnr/ustar Trne Octna O padrer rn trm raa a clube mas /urnr. r Brasl, vara: Paare s espera mutas anaa EC: VSCO Tda a trcda neutra está apreensva para mau! ra próxma qut.rtafe.a quand a erjupe d Vasc, em ma frma técnca, nu mnrcnl, fenrá prest d futebl. r.r (ntra n mar máquna futebl» a publctámundal Kcal Madrd.Mas Er qu ;,;,ba dc reressar re Mntevdéu, emhra cnessard que n qua clrn amea nr s,. encntru fat. afrma ue n Vasc será Vasc n da 8. d,.na recend s nu», prtan d rece um rave elas tre Exempls F. (t [(». ura méd aran d equpe Buen res t Vtntevj u mstra s ípls que a/em aumentar sua nsperanestrnds çaj num ucess Fm crse pe. redl mas atíuda ue a atual, \ en fns Flament.., Bla (v n nmcrr turn, rea í/and excelent exbções N retuí n trnams a tnunfar sbre Flamen, adver >ãn que.ltams a rrtar, n Maracanã, em partda d Oetínal. Nã sms um lme casã mas é met?;vel que adversár também nftue n rendment da u ra equpe, d nue pen das crcunstâncas, O Oue juda Ke cntnua. Quem rnlrce bem fu trbl brasler sabp que. as vezes, pessmsm #> um v Flamen Flamen lóras e. De ÈNO MONTERO Entre s que mas trceram para a vtóra d Flamen n Trne Octna, fura nme d Padre Camps Góes, vár da reja Sá Judas Tau, padrer d Flamen. Explcu: F cm ran alera que receb > vtóra fnal d Flamen, em Mntevdéu, alcançand assm ttul campeã d Trne Octna. Éle é clube que repr» senta a méda ds rans sprtstas braslers e, cm a «stupenda vtóra neste trne, aleru a td Brasl. Partcularmente a Sã Judas Tau, a quem s menns d tme faem sempre suas prmessas. Eu mesm fz a mnha, antes e durante sen.acna j cm Cerr, c pss arantrlhes que Flamen f ajudad pel lrs sant mlars. Rezu e Trceu Durante ld trans < Tr el l crn Cerr, fque rezand e trcend pela vtóra, epr acabu ns srrnd. Jamas esquec, nas preces:.sã Judas Thau. e também nenhum trcedr el Flamen se esqueceu. Esln felz duas vezes!.sm epe a leaçã retrnar a. vams celebrar mssa em cmemraçã a manífc lu u alcançad em Mnlevprsseuu Padre Góes. Mar Emçã Sua Vda Padre Geíes cntu nn acmpanhu transcrrer d j: Já eslava bastante felz cm \ d, mas quand Gereu seund l, sí ms nã se epe nu acnteceu! Sent una emçã tremenda! SERÁ VSCO COMTR REL MORfD necap nesl unaeel l ntmsmn exarerael. a ntrân. prejudca, pel excess respnsablda que se transm te a jadr, hje un, pr n n cnhecedr eb, futebl eus nstérs. Entend, JOGOS PNMERCNOS p. que se fzerem d líeal Madrd n favrt, tant nullr para ns. Pl mens jarems tranqüls, certs qu trcedr saberá acena a rrta cm prdut ela superrda casnal um íca que crre é que Sa Paul sstra ser a se ds V Js Panmercans que serã realzúds em 963. Seund clarações d Majr Padlha, faltam mes para aparelhar Sa Paul cm as nstalações para receber s cnvdads e s mes para transprtar s atletas e técncs para s lcüs trenament e psterrmente para aj cmpetções: Sabems que temp urye e que para cnseur tud ss em apenas ds ans tra que ser fet um trabalh cm mut nd e estcsm, n entretant, sabems também que Brasl na prá falhar nesta empre tada, ps quand nss pas entru na eleçã para ser se strs Js, nsss drentes sabam que ranzar uma festa esprtva d qulate um Panmercan u d» uma Olmpíada nã sera brncara. Estavam acstumads a ver as dfculdas pr que passaram utrs países para ranza as e qu«a custa mut sacrfíc e dcaçã ds pvs e que f pssível chear a fnal. ssm acnteceu cm a rentna em 95; Me/c em 955 e Estad. Und em 959. La cm lá, uvuse falar na palavra sstênca, prem, a, dfculdas fram aparentemente cntrnadas e s Jns fram realzads. ra é a vez d Brasl. se será em MU..Ml H ). S.V clube respetad n mund nler, cm na neara aplauss a Vasc, n cas um runl na adversda que se apnta, mas que. para mm e meus cmpanhers, na exste. Sa Paul. Um nv presnte está para ser empssad, e cm ele sure a esperança das melhres. Das melhres para uma Naça culta ve abraner tdas as atvdas d Pas. Se melhrar é senvlver as Fnam ças, a ndústra, a Educaçã, a rpecuára, a Srura, Cmérc e etc, melhrar tambem é prprcnar vda sa, prpaanda, dlvulaçá e dfusã através um bem prramad sstema senvlvment esprtv. Sa Paul será a se ds Js. Sã Paul, é Brasl e cm tal, Sa Paul ve ser êudad pr tds s mes pssíves manars para que pssams receber s frasters que em númer muts vrã a Brasl para dsputar e presencar nã s senr Ur d prrama esprtv ds Js, cm também para cnhecer dc frma turístca, recats sta ran e neável Nlaca ntr da mérca d Sul Majr Padlha, sabems bem que aturdt e lambem a tds s membrs d Cmtê Olmpc Brasler, mas, sabems também que írds ns crarems vernha se tverms que respnr as nsss rmãs panatnerca. ns que xems patrcnar s Js Panamercans 963 pr falt. ap, cmpreensà. er,prtvda, educaçã e falta patrtsm ns mesms braslers. Sa Paul será se ds V Js Panam rcans em 963 Se que Deus hã ele me perdar. mas f durante j d Klamcníí cm Cerr que sent a mar emçã mnha vela! Fe pena nã pr estar presente às manfestaçôes alera que surram após a partda, n Estád Cen cnárl. prém fare questã abraçar, um pr um. tds s campeões d Octna. tã l reressem à nssa Pátra. Fa Será Campeã seur, Padre Góes alu sua satsfaçã cm a quadr ele Flamen, achand que n próxm Campenat Carca títul campeã será alcançad. Deps sta vtóra em Mntevdéu, flamen está embalad. Daqu, bem pert Deus. vu trcer, cm sempre faç. para nv e retumbante sucess, mas ara, em nssas terras, pert nssa ente, para que s crações braslers se encham paz e alera. D st, jfl m.rwrm., m ;m» prepe a cnqusta n ua f mut bnta pn n a emçã nestas hras >per<. a expectatva e p cmn até nalar um Send a. n su craçã estver pert n_. alma, estará tud bem. n h nã f èste cas dn d Flamen c tu\.rce!. que fcu n Brasl p n craçã fcu uqu eupa a alma. representada em rada jadr, eslava em Mn! elu. Mas n fnal. Deus,,. ceu e San Judas Tlunl cnseuu amparar llamn para qu ca vtóra f n. fsse nssa. lera mam».se pra esperar, a na > : quand pur cntar nu. presença ele teels d Klau. >. ntr meu mnu» tal templ, que e ta cnstruíd e será una.» > luça na arqutetura nrvd eclesástca. Cm a «ud. d ld.s. na só s d Klatre e cm a raça dc Heus N Senhr Jesus Crst, n e e a nssa lr] crescend radatvamcn. chearem, junts, a taxn» NRFr ÂX& 2B RJ. (O» ff? t Mr & # m r& a í_r :.,< 7Â SLDNH f QÜEM QUER POSTR? ~ mms Pss na ler percebd bem. Mas parece que la spece temr em relaçã a Vasc da Gama ser aru ár el Heal Madrd. ch que ss acntece mens prque Vasc < ; travessand uma fae ma, mas sm prque n \\ > prxmand e andaram dzend pr a que Real Ma lã e nada. E aprá, cm a partda va se n a ;< nesm. as barbas estã send pstas mlh. Sc Vasc nn e capaz enfrentar Real h n nem será? De qualquer manera e em qualquer épca, \a n lama representa que há ele melhr n Brasl. (íaar te que Vasc, assm cm está. sem trar nem p, v as z melhres eqüns d mund. Sc nã acredtam : entem z Lmes que sejam melhres que n Vasc ssm, na vej pr que temer uma ma aprcsenl.ua asc lem uma ba fesa, e seu ataque lem falhas le quem necessta uma ótma fensva e lem. apenas ba K sl se adapta bem a estl leal. que tem n ataque seu pnt (rte. Também nãn tenh duvda que n«..» Jadres ms se apfcsentarãn ele frma dferente. Ps que te pa um a equpe Vasc e, talvez, epr príams rhan; c téd, ante uma rtna ntermnável ele lets. Mas num. lartela ssa mprtânca a usa muda mut e nm.s f as aparecem em camp. Reafrm, prtant, esse pul lrvla. Pelerla amar uma equpe ual a Vasc, para etlreta.adrel Melhr na teme O l va ser dfícl. Se me rem vanutm m qualque ds ds lll Mlllllllll nllll lll MU l llll l (

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes

Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes Cnstruíd dretamente a partr ds póls e zers da funçã de transferênca de malha aberta H(. Os póls de malha fechada sã sluçã da equaçã + H( = 0, u: arg( H( ) = ± 80 (k+), k = 0,,,... H( = Para cada pnt s

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011. Gabinete d Deputad FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de març de 2011. Quand ingressei cm Requeriment slicitand a presença de Vssas Senhrias na Cmissã, estava assustad, cm, aliás, tda a ppulaçã, cm

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Lezk @â.rnczta &fcunicipal aa cytiq.tel&tdia

Lezk @â.rnczta &fcunicipal aa cytiq.tel&tdia 1.- 1 Lezk @â.rnczta &fcunicipal aa cytiq.tel&tdia LEI N C PROJETO DE LEI Assunt 'çlt[otç.. Úç 7.44C.di.» 1i.n 4 /,Qn Autr:. LA... Parecer (es) de,vl /7! Autr da emenda cebenrnenr Sancinad? F Sim LI nã

Leia mais

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I

1 3Centrs e PP esq is II DD C n MM n Astr l i Astri C h i n Re. C h e H n g K n g F i n l n i I n i F rn 0 4 C n I n n si Al e m n h E st s U n i s I 1 3Mr P e re s, R e s e r h D i re t r I D C B rs i l Br 0 0metr Cis e Bn L rg n Brsil, 2005-201 0 R e s l t s P ri m e i r T ri m e s t re e 2 0 0 7 Prer r Prer r Met e Bn Lrg em 2 0 1 0 n Brs i l : 10

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 Bletim da Vila Nca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 DIA 9, PALESTRA SOBRE SEGURANÇA Dia 9 de dezembr de 2008 às 20:00 hras, na Creche Barnesa de Limeira, R Antôni de Gebara, 75, Cap

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado ATENÇÃO: Escreva a resluçã COM- PLETA de cada questã n espaç reservad para a mesma. Nã basta escrever apenas resultad final: é necessári mstrar s cálculs racicíni utilizad. Questã Caminhand sempre cm a

Leia mais

(vul jo-" Joã quitn"}

(vul jo- Joã quitn} PEírruXRi í^í. 1210 RQBKHT C...CJ030 FSP.RAZ 30 A-LVUAL (vul j-" Jã quitn"} /wutuai- - Ubert Cards ^errari d Amaral "}J y P. 1219 VQlg "Jaquim" P. U99 - c.l '^-2-Ci P. ií99 - nf.68-e2 de líi.2,69 d Gm.^aça.-

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

Supply Chain Game. EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autor: Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Supply Chain Game EXERCÍCIOS PRÁTICOS DE LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS Autr: Prf. Dr. Daniel Bertli Gnçalves Exercíci Prátic 1 Simuland uma Cadeia e planejand seus estques Lcal: em sala de aula Material

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7

======================== Œ œ»» Œ C7 ˆ_ ««G 7 1) É tã bnit n tr (ntrd) cminh cm Jesus (Miss d Temp mum cm crinçs) & 2 4 m œ É tã b ni t n_ tr me s s gr d, & œ t h brn c, ve ce s. & _ Mis s vi c me çr n ns s_i gre j; _u & j im c ris ti cm e gri, v

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO VIAGEM DOS SONHOS COM CEAV JR

REGULAMENTO DA PROMOÇÃO VIAGEM DOS SONHOS COM CEAV JR REGULAMENTO DA PROMOÇÃO VIAGEM DOS SONHOS COM CEAV JR Este srtei nã se enquadra nas dispsições da Lei 5.768/71 e suas respectivas regulamentações e, prtant, nã está sujeita as seus terms, inclusive n que

Leia mais

Questão 2. Questão 1. Resposta. Resposta

Questão 2. Questão 1. Resposta. Resposta Instruções: Indique claramente as respstas ds itens de cada questã, frnecend as unidades, cas existam Apresente de frma clara e rdenada s passs utilizads na resluçã das questões Expressões incmpreensíveis,

Leia mais

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL

Regulamento Biblioteca FACULDADE IPEL REGULAMENTO BIBLIOTECA FACULDADE IPEL Regulament Bibliteca FACULDADE IPEL Pus Alegre/MG 2014 REGULAMENTO DA BIBLIOTECA ESTE REGULAMENTO TEM POR OBJETIVO ESTABELECER NORMAS REFERENTES AO FUNCIONAMENTO DA

Leia mais

1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL REGULAMENTO OFICIAL

1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL REGULAMENTO OFICIAL 1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL A 1 Crrida Nturna Unimed Cascavel é uma nva prpsta de lazer, diversã, prmçã da saúde e da qualidade de vida ds mradres de Cascavel e Regiã. O event é cmpst pr crrida,

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

Capítulo. Lentes esféricas delgadas. Resoluções dos exercícios propostos

Capítulo. Lentes esféricas delgadas. Resoluções dos exercícios propostos Caítul 4 s undaments da ísca Exercícs rsts Undade E Caítul 4 Lentes esércas delgadas Lentes esércas delgadas esluções ds exercícs rsts P.33 trajet esquematzad basea-se n at de ar ser mens rerngente que

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais

Direitos e Obrigações no âmbito dos Acidentes Profissionais e Doenças Profissionais Cmunicaçã Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais Direits e Obrigações n âmbit ds Acidentes Prfissinais e Denças Prfissinais (Lei nº 98/2009 de 4 de Setembr) 1- QUEM

Leia mais

Questão 13. Questão 14. alternativa C

Questão 13. Questão 14. alternativa C Questã 13 O suc de laranja cncentrad da marca M cntém 20 mg de vitamina C pr 50 ml de suc cncentrad. Para ser cnsumid, deve ser diluíd cm água até que seu vlume seja 4 vezes mair que inicial. Pr utr lad,

Leia mais

! $&% '% "' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 / " ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',!

! $&% '% ' ' '# ' %, #! - ' # ' ' * '. % % ' , '%'# /%, 0! .!1! 2 /  ') # ' + 7*' # +!!! ''+,!'#.8.!&&%, 1 92 '. # ' '!4'',! "#$%% $&% '% "' ' '# '"''%(&%') '*'+&%'# ),'#+# ' %, # - ' # ' "%'''' ' * '. % % ', '%'# ''''') /%, 0.1 2 / " ') 33*&,% *"'",% '4'5&%64'' # ' + 7*' # + "*''''' 12''&% '''&")#'35 ''+,'#.8.&&%, 1 92 '. #

Leia mais

a 2âmatct fltanicipa[ ác &Iiquelârtia

a 2âmatct fltanicipa[ ác &Iiquelârtia a 2âmatct fltanicipa[ ác &Iiquelârtia LEI N g,2j / 93 PROJETO DE LEI Assunt '- E t Par r (e$)... -... (s) Cmissã (ões) - -. -...p-------------------------------------------------------------------da de...a...l4aác0t0...

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br.

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br. REGULAMENTO 1. Sbre Event 1. A Gramad Adventure Running é uma prva de revezament junt à natureza que será realizada n dia 09/05/2015 (Sábad) em Gramad, n Estad d Ri Grande d Sul, cm participaçã de ambs

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Sã Paul 2013 1 1 INTRODUÇÃO Este Manual tem a finalidade de servir à nrmalizaçã da elabraçã de Trabalhs de Cnclusã de Curs TCC pr mei de artigs científics,

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

SEMINARIO PARA ODESENVOLVIMENTO DE TOMADA DE DECISÃO. o o < UJ. o I- o... o (/) > z. o:::... o::: o::: ... o::: ... ::> :I: (/) (/) UJ

SEMINARIO PARA ODESENVOLVIMENTO DE TOMADA DE DECISÃO. o o < UJ. o I- o... o (/) > z. o:::... o::: o::: ... o::: ... ::> :I: (/) (/) UJ :::... UJ ::: (.!) UJ...J < I- ::: CL SEMINARIO PARA ODESENVOLVIMENTO DE EXECUTIVOS: TOMADA DE DECISÃO z :I: UJ... < :::... ::> ::: U - UJ I- :::... > UJ I- UJ Z > UJ UJ ~ Z... >...J I- > z Z

Leia mais

3. Osciladores não senoidais e geradores de pulso

3. Osciladores não senoidais e geradores de pulso 3. Oscladres nã sendas e geradres de puls Sã crcuts que utlzam elements nã lneares e elements reats (C, L) para btençã de snas alternads a partr de fntes de tensã DC. 3.. Cncets geras A grande mara ds

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619

CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 CONTROLE AVES DE VENDA EXPOSIÇÃO 2014 CRIADOR TELEFONE GAIOLA ANEL SEXO NOMENCLATURA VALOR OBS ORLANDO NASCIMENTO- 21 98825-5609/96739-8619 1 IB-105-40-13 FM CN OP AM MF IN 100,00 BANCO: 2 BB-3992-44-11

Leia mais

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO

PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO PROJETO 23ª MOSTRA ESTUDANTIL TECNOLÓGICA Dias 28 e 29 DE OUTUBRO DE 2015 CURSO: SEGURANÇA DO TRABALHO Objetivs: SEGURANÇA DO TRABALHO Desenvlver cmpetências para eliminar u minimizar s riscs de acidentes

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DO PONTAL UNIVERIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE CIÊNCIA INTEGRADA DO PONTAL Físca Expermental IV Lentes Cmpstas Objetv Determnar as stâncas cas e lentes e um sstema e lentes cmpstas. Intruçã utas vezes

Leia mais

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de

Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Ministério da Cultura Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional Departamento de Planejamento e Administração Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação!" !" $%& '( ) %) * +, - +./0/1/+10,++$.(2

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

Semana 3: Distribuição em Serviços

Semana 3: Distribuição em Serviços 1 Semana 3: Distribuiçã em Serviçs 1. Distribuiçã O prcess de distribuiçã da ferta da empresa insere-se n cntext d cmpst de marketing cm a funçã respnsável pr trnar prdut acessível a cnsumidr. Em serviçs

Leia mais

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional

Dados Gerais. Código / Nome do Curso. 196 / Escola de Gestores- Curso de Especialização em Gestão Escolar. Gestão Educacional Códig / Nme d Curs Status Códig - Área Subárea Especialida Dads Gerais 196 / Escla Gestres- Curs Especializaçã em Gestã Esclar Ativ 49 / Educaçã Gestã Educacinal Gestã Esclar Nivel d Curs Especializaçã

Leia mais

F G. m 2. Figura 32- Lei da gravitação Universal de Newton e Lei de Coulomb.

F G. m 2. Figura 32- Lei da gravitação Universal de Newton e Lei de Coulomb. apítul 3-Ptencal eletc PÍTULO 3 POTEIL ELÉTRIO Intduçã Sabems ue é pssível ntduz cncet de enega ptencal gavtacnal pue a fça gavtacnal é cnsevatva Le de Gavtaçã Unvesal de ewtn e a Le de ulmb sã mut paecdas

Leia mais

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos 3 Fundaments d Cmprtament ds Hidrcarbnets Fluids 3.1. Reservatóris de Petróle O petróle é uma mistura de hidrcarbnets, que pde ser encntrada ns estads: sólid, líquid, u ass, dependend das cndições de pressã

Leia mais

Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duração 62:34

Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duração 62:34 The Glbal Leadership Summit Ntas d Facilitadr Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duraçã 62:34 Resum da Sessã Lições de liderança e estratégias que geram resultads tangíveis em nssas

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Secretaria de Políticas para as Mulheres

Secretaria de Políticas para as Mulheres Ir para cnteúd. Ir para a navegaçã acess a infrmaçã Acessibilidade A A A Busca Fale cm Gvern busca avançada Presidenta Vice-Presidente Legislaçã Blg d Planalt Palácis Secretaria de Plíticas para as Mulheres

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Alterações na aplicação do Critério Brasil, válidas a partir de 01/01/2013

Alterações na aplicação do Critério Brasil, válidas a partir de 01/01/2013 Alterações na aplicaçã d Critéri Brasil, válidas a partir de 01/01/2013 A dinâmica da ecnmia brasileira, cm variações imprtantes ns níveis de renda e na psse de bens ns dmicílis, representa um desafi imprtante

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

Regulamento da Feira de Ciência

Regulamento da Feira de Ciência Regulament da Feira de Ciência A Feira A Feira de Ciência é um é um prject rganizad pel Núcle de Física d Institut Superir Técnic (NFIST). Esta actividade cnsiste em desenvlver um prject científic pr um

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO / gtv. ESTADO DA PARAÍBA # PODER JUDCÁRO 5 8 Agravo de nstrumento n" 2004.008919-2 Relator: Des. Luz Slvo Ramalho Júnor Agravante: Antôno D'Avla Lns Flho e Espólo de Luz Antôno da Slvera D'Avla Lns. Advogado:

Leia mais

PRONTUÁRIO RS 3530 MARCELO MACHADO PB CAMPOS LARANJA

PRONTUÁRIO RS 3530 MARCELO MACHADO PB CAMPOS LARANJA PRNTUÁRI RS 3530 MARCEL MACHAD PB CAMPS LARANJA ^ I/VRANJA _ Marcel Eachad de Camps Laranja P-3530 P.8245 - Rec.Jrnal " la-ts" de 28.8.76. P.864-8 - EB. s/na de 11.11.77 d DI/CDI.- P-3530 - Telex n 3095

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

Informações Importantes 2015

Informações Importantes 2015 Infrmações Imprtantes 2015 CURSOS EXTRACURRICULARES N intuit de prprcinar uma frmaçã cmpleta para alun, Clégi Vértice ferece curss extracurriculares, que acntecem lg após as aulas regulares, tant n períd

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

O que é sucessão de responsabilidades?

O que é sucessão de responsabilidades? GLOSSÁRIO DO EMPREENDEDOR O que é capital inicial? É capital de gir necessári para iniciar as atividades de seu negóci e "rdar" as perações até cmeçar a gerar receita suficiente para equilibrar este capital.

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

DESESPERADOS APELOS DE ÚLTIMA A ROGAM CLEMÊNCIA OU PRAZO (10 DIAS) PARA EXECUÇÃO. Explodiria a Bomba Atômica Chinesa. k 'IÉÉ

DESESPERADOS APELOS DE ÚLTIMA A ROGAM CLEMÊNCIA OU PRAZO (10 DIAS) PARA EXECUÇÃO. Explodiria a Bomba Atômica Chinesa. k 'IÉÉ # 1 ^^^^V!!^^^ ^PWWffl^^ RIO, 18, (Crre, da Sucursal) Um ncdente entre gen. Nelsn de Mel e um ds agentes d FBI respnsáves pela segurança de Esenhwer fera dad á ; -:.3..--..-.~;m,IMW,B B.M, n, W«m -ug«wbaa««««amar«m«wlw

Leia mais

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%.

Processos de desumidificação visam manter a Umidade Relativa do Ar em níveis abaixo de 50%. 1. TEORIA Para prcesss específics de utilizaçã, é necessári manter cndições de temperatura e umidade relativa d ar em cndições específicas para prduçã e u trabalh. Prcesss de desumidificaçã visam manter

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014

REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 1 REGULAMENTO DA OLIMPÍADA JURÍDICA 2014 PARTICIPANTES A Olimpíada Jurídica 2014 é uma cmpetiçã direcinada a aluns que estejam regularmente matriculads ns curss de graduaçã de Direit de Instituições de

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Por onde começamos a crescer, a expandir?

Por onde começamos a crescer, a expandir? EXPANSÃO e CRESCIMENTO Parte 1 1 Pr nde cmeçams a crescer, a expandir? O prdut final d nss cresciment deve ser a Expansã d Rein de Deus. Ist significa realizar as bras de Crist, prclamar a salvaçã e libertaçã

Leia mais

Informática II INFORMÁTICA II

Informática II INFORMÁTICA II Jrge Alexandre jureir@di.estv.ipv.pt - gab. 30 Artur Susa ajas@di.estv.ipv.pt - gab. 27 1 INFORMÁTICA II Plan Parte I - Cmplementar cnheciment d Excel cm ferramenta de análise bases de dads tabelas dinâmicas

Leia mais

Q UA N TO ELA REALMENTE C U S TA PA RA A SUA EMPRESA?

Q UA N TO ELA REALMENTE C U S TA PA RA A SUA EMPRESA? Q UA N TO ELA REALMENTE C U S TA PA RA A SUA EMPRESA? I n d ú s t ri a, amiga do meio ambiente O uso dos mananciais hídri cos é de impo rtância e s t rat é g i ca para a Indústri a. Além de essencial à

Leia mais

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO O cadastrament, previst ns editais de Vestibular da UFCG, é um mecanism para garantir a timizaçã das chamadas ds candidats para a matrícula. Esse é um mecanism imprtantíssim

Leia mais

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO

Tabela de Vinculação de pagamento Manteve o mesmo nome DDM SIAFI-TABELA-VINCULA-PAGAMENTO Segue abaixo dados das DDMs que mudaram para o PCASP, tanto as que mudaram de nome como as que mantiveram o mesmo nome. Para estas, os campos que serão excluídos (em 2015) estão em vermelho e os campos

Leia mais

o que se entende por lente.

o que se entende por lente. 1062.0041 As lentes esféricas e suas principais características. 1. Habilidades e cmpetências. 3. Mntagem. B ::; A términ desta atividade alun deverá ter Cas necessári cnsulte a instruçã ]992.021. cmpetência

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

Oficina de Capacitação em Comunicação

Oficina de Capacitação em Comunicação Oficina de Capacitaçã em Cmunicaçã APRESENTAÇÕES: DICAS E INSTRUMENTOS Marcele Basts de Sá Cnsultra de Cmunicaçã mbasts.sa@gmail.cm Prjet Semeand Águas n Paraguaçu INTERESSE DO PÚBLICO Ouvir uma ba história

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais