FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 14 A DEMOCRACIA GREGA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 14 A DEMOCRACIA GREGA"

Transcrição

1 FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 14 A DEMOCRACIA GREGA

2 Como pode cair no enem (ENEM) Mirem-se no exemplo Daquelas mulheres de Atenas Vivem pros seus maridos Orgulho e raça de Atenas. (BUARQUE, C.; BOAL, A. Mulheres de Atenas. In: Meus caros Amigos, Disponível em: Acesso em: 4 dez [fragmento].) Os versos da composição remetem à condição das mulheres na Grécia antiga, caracterizada, naquela época, em razão de: a) sua função pedagógica, exercida junto às crianças atenienses. b) sua importância na consolidação da democracia, pelo casamento. c) seu rebaixamento de status social frente aos homens. d) seu afastamento das funções domésticas em períodos de guerra. e) sua igualdade política em relação aos homens.

3 Fixação 1) Nas suas palavras, o que significa democracia?

4 Fixação 2) Além da democracia, Aristóteles refere-se a outros tipos de governo possíveis. Explique cada um deles.

5 Fixação 3) Para Aristóteles, a monarquia seria um regime político melhor que a democracia. Defenda a posição de Aristóteles sobre o assunto com um argumento à sua escolha.

6 Fixação 4) Por que a capacidade de argumentar é importante na democracia?

7 Fixação 5) Comente duas formas de participação na sociedade civil à sua escolha.

8 Fixação 6) Em Atenas, quem podia ser considerado cidadão pleno?

9 Fixação 7) Segundo os critérios modernos, a constituição demo-crática de Atenas pode ser considerada realmente de-mocrática? Por quê?

10 Fixação 8) A Constituição dos dias atuais é a que se segue. Os homens que são filhos de pai e mãe cidadãos têm direito à cidadania completa e são inscritos na lista de seus concidadãos nos demos quando completam dezoito anos de idade. Depois de registrados, os membros do demo votam, sob juramento, primeiro: quais deles consideram ter, de fato, atingido a idade legal e os que não a atingiram retornam ao status de criança; segundo: quais os homens que são livres e nascidos como a lei prescreve. Se decidem que um homem não é livre, ele pode apelar para o tribunal, enquanto os concidadãos do demo elegem cinco de seu grupo como acusadores; se for decidido que o julgado não tem direito de ser registrado como cidadão, a cidade o vende como escravo, mas se ele vencer a causa os representantes do demo são obrigados a registrá-lo. (ARISTÓTELES. A Constituição de Atenas) O texto de Aristóteles representa a definição do cidadão em Atenas no século IV a.c. Uma diferença entre o conceito antigo e o moderno de cidadania refere-se: a) à profissão dos indivíduos; b) à ideologia dos indivíduos; c) às posses dos indivíduos; d) ao gênero dos indivíduos; e) à raça dos indivíduos.

11 Proposto 1) Qual a diferença entre a democracia direta e a de-mocracia indireta?

12 Proposto 2) Quais vantagens e desvantagens você vê na democracia direta?

13 Proposto 3) Quais vantagens e desvantagens você vê na demo-cracia indireta?

14 Proposto 4) Qual o sentido de as vagas na Bulé, que era o órgão central da política ateniense, serem ocupadas por sorteio?

15 Proposto 5) Você acha que esse tipo de procedimento político é vantajoso ou desvantajoso? Justifique sua resposta.

16 Proposto 6) (ENEM) Durante a realeza, e nos primeiros anos re-publicanos, as leis eram transmitidas oralmente de uma geração para outra. A ausência de uma legislação escrita permitia aos patrícios manipular a justiça conforme seus interesses. Em 451 a.c., porém, os plebeus conseguiram eleger uma comissão de dez pessoas os decênviros para escrever as leis. Dois deles viajaram a Atenas, na Grécia, para estudar a Legislação de Sólon. (COULANGES, F. A cidade antiga. São Paulo: Martins Fontes, 2000) A superação da tradição jurídica oral no mundo antigo, descrita no texto, esteve relacionada à: a) adoção do sufrágio universal masculino. b) extensão da cidadania aos homens livres. c) afirmação de instituições democráticas. d) implantação de direitos sociais. e) tripartição dos poderes políticos.

17 Proposto 7) (ENEM) No contexto da pólis grega, as leis comuns nasciam de uma convenção entre cidadãos, definida pelo confronto de suas opiniões em um verdadeiro espaço público, a ágora, confronto esse que concedia a essas convenções a qualidade de instituições públicas. (MAGDALENO, F. S. A territorialidade da representação política: vínculos territoriais de compromisso dos deputados fluminenses. São Paulo: Annablume, 2010.) No texto, está relatado um exemplo de exercício da cidadania associado ao seguinte modelo de prática democrática: a) Direta b) Sindical c) Socialista d) Corporativista e) Representativa

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO 1. Como conceituar os direitos humanos? 2. O que se entende por dignidade da pessoa humana? Existe alguma previsão legal acerca dela? 3. Qual a diferença entre os Direitos Humanos

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

A sociedade humana é histórica muda conforme o padrão de desenvolvimento da produção, dos valores e normas sociais.

A sociedade humana é histórica muda conforme o padrão de desenvolvimento da produção, dos valores e normas sociais. A MULHER NO MERCADO DE Illustration of a woman working at the central bureau of the Theatrophone in Paris. TRABALHO A sociedade humana é histórica muda conforme o padrão de desenvolvimento da produção,

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N 4.330, DE 2004.

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N 4.330, DE 2004. COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA SUBSTITUTIVO AO PROJETO DE LEI N 4.330, DE 2004. Dispõe sobre o contrato de prestação de serviços terceirizados e as relações de trabalho dele decorrentes.

Leia mais

A Construção da Democracia (Esquema Introdutório)

A Construção da Democracia (Esquema Introdutório) Ano Lectivo 2010/2011 ÁREA DE INTEGRAÇÃO Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 12º Ano Apresentação nº 1 A Construção da Democracia (Esquema Introdutório) Pedro

Leia mais

4. Conversando um pouco mais sobre o conselho escolar

4. Conversando um pouco mais sobre o conselho escolar 4. Conversando um pouco mais sobre o conselho escolar João Ferreira de Oliveira UFG Karine Nunes de Moraes UFG Luiz Fernandes Dourado UFG É fundamental que o conselho escolar, no processo de sua construção

Leia mais

Antiguidade Clássica

Antiguidade Clássica Antiguidade Clássica A civilização greco-romana serviu de modelo para o desenvolvimento da sociedade européia e ocidental, por isso o adjetivo clássico, dado pelos europeus nos séculos XIV e XV. A Grécia

Leia mais

Oficineira Ludimilla Barbosa Formada em Direito pela Univ. Católica Dom Bosco (MS). Atua de forma autônoma em Bonito e em Campo Grande.

Oficineira Ludimilla Barbosa Formada em Direito pela Univ. Católica Dom Bosco (MS). Atua de forma autônoma em Bonito e em Campo Grande. OS TRÊS PODERES Oficineira Ludimilla Barbosa Formada em Direito pela Univ. Católica Dom Bosco (MS). Atua de forma autônoma em Bonito e em Campo Grande. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 11º ANO

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 11º ANO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO HISTÓRIA A 11º ANO Ano Lectivo - 013/014 (sujeita a reajustamentos) 1º PERÍODO MÓDULO 4 A EUROPA NOS SÉCULOS XVII E XVIII SOCIEDADE, PODER E DINÂMICAS COLONIAIS MÓDULO 5 - O

Leia mais

CIDADANIA, INCLUSÃO SOCIAL E ACESSO À JUSTIÇA

CIDADANIA, INCLUSÃO SOCIAL E ACESSO À JUSTIÇA CIDADANIA, INCLUSÃO SOCIAL E ACESSO À JUSTIÇA ENSAIOS CIDADANIA, INCLUSÃO SOCIAL E ACESSO À JUSTIÇA Anna Paula Bagetti Zeifert O conceito de cidadania, ao longo dos tempos, tem assumido formas variadas,

Leia mais

Acesso a Informação e Transparência: caminhos para o desenvolvimento Guilherme Canela UNESCO

Acesso a Informação e Transparência: caminhos para o desenvolvimento Guilherme Canela UNESCO Acesso a Informação e Transparência: caminhos para o desenvolvimento Guilherme Canela UNESCO Conheça a UNESCO A UNESCO é a agência especializada das Nações Unidas para Educação, Ciências, Cultura e Comunicação

Leia mais

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS PALAVRAS MNE DGAE

TRATADO DE LISBOA EM POUCAS PALAVRAS MNE DGAE EM POUCAS PALAVRAS OS PRIMEIROS PASSOS DATA/LOCAL DE ASSINATURA E ENTRADA EM VIGOR PRINCIPAIS MENSAGENS QUIZ 10 PERGUNTAS E RESPOSTAS OS PRIMEIROS PASSOS No século XX, depois das Guerras Mundiais (a 2ª

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO DE MOURO EXERCÍCIOS DE LÓGICA - INSTRUÇÕES GERAIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE RIO DE MOURO EXERCÍCIOS DE LÓGICA - INSTRUÇÕES GERAIS EXERCÍCIOS DE LÓGICA - INSTRUÇÕES GERAIS Caro aluno, Vai encontrar aqui um conjunto de exercícios de lógica cujo objetivo é facilitar-lhe o estudo autónomo. Estes exercícios irão estar disponíveis num

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS BARREIRO Teste sumativo de História A 0º Ano Turma D Professor: Renato Albuquerque Duração da prova: 90 minutos. Tolerância: 0 minutos 4 páginas 4.outubro.20 Este teste

Leia mais

ESTADO DEMOCRÁTICO Desde 25 de Abril de 1974

ESTADO DEMOCRÁTICO Desde 25 de Abril de 1974 O Sistema Político Português ESTADO DEMOCRÁTICO Desde 25 de Abril de 1974 1. A CONSTITUIÇÃO PORTUGUESA Aprovada em 2 de Abril de 1976 em sessão plenária dos Deputados da Assembleia Constituinte Alterações:

Leia mais

O PAPEL DO CONGRESSO NACIONAL NAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS

O PAPEL DO CONGRESSO NACIONAL NAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS O PAPEL DO CONGRESSO NACIONAL NAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS Adriane de Medeiros 1 Daniel Skrsypcsak² Otília Maria Dill Wohlfart³ 1 INTRODUÇÃO A sociedade brasileira busca respostas consistentes para o desafio

Leia mais

Manifesto pela TV Pública independente e democrática

Manifesto pela TV Pública independente e democrática Manifesto pela TV Pública independente e democrática Nós, representantes das emissoras Públicas, Educativas, Culturais, Universitárias, Legislativas e Comunitárias, ativistas da sociedade civil e militantes

Leia mais

As Normas Internacionais do Trabalho e a Igualdade de Gênero

As Normas Internacionais do Trabalho e a Igualdade de Gênero As Normas Internacionais do Trabalho e a Igualdade de Gênero Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil São Paulo, 30 de julho de 2013 ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO -OIT Fundada em 1919

Leia mais

Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS

Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS Ação do Saúde da Família para o Fortalecimento do Controle Social e da Participação Comunitária no SUS Enfermeiro Acadêmico de Direito Justificativa: Saúde como responsabilidade do Estado - Participação

Leia mais

O DIREITO DE ACESSO AOS DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS

O DIREITO DE ACESSO AOS DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS SEMINÁRIO TEMÁTICO O DIREITO DE ACESSO AOS DOCUMENTOS ADMINISTRATIVOS 1 JUSTIFICAÇÃO: I. O vocábulo transparência está na moda. É fácil validar esta afirmação basta comprar um jornal generalista (em qualquer

Leia mais

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado 1 JEAN-JACQUES ROUSSEAU: A VONTADE GERAL. Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado Rousseau e a democracia direta 2 Assim como os demais pensadores políticos

Leia mais

Reforma Política, Eleitoral e o Financiamento Político Prof. Dr. Ricardo W. Caldas Departamento Ciência Política Universidade de Brasília (UnB)

Reforma Política, Eleitoral e o Financiamento Político Prof. Dr. Ricardo W. Caldas Departamento Ciência Política Universidade de Brasília (UnB) Reforma Política, Eleitoral e o Financiamento Político Prof. Dr. Ricardo W. Caldas Departamento Ciência Política Universidade de Brasília (UnB) 1 Introdução Objetivos: Discutir os objetivos de uma Reforma

Leia mais

História Primeiro ano do ensino médio Escola José de Anchieta Gregos

História Primeiro ano do ensino médio Escola José de Anchieta Gregos História Primeiro ano do ensino médio Escola José de Anchieta Gregos Reno Schmidt junho 2015 schmidt.reno@gmail.com renoschmidt.wordpress.com Onde estamos? Povos da China e da Índia - China: dinastias;

Leia mais

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO A busca por oportunidades iguais de trabalho e renda entre homens e mulheres é o foco de discussão entre grupos feministas em todos os países. A discriminação no campo de

Leia mais

O CONTROLE SOCIAL NA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO: O DESAFIO DA ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NA PERSPECTIVA DA TEORIA CRÍTICA.

O CONTROLE SOCIAL NA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO: O DESAFIO DA ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NA PERSPECTIVA DA TEORIA CRÍTICA. 1 O CONTROLE SOCIAL NA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO: O DESAFIO DA ATUAÇÃO DO ASSISTENTE SOCIAL NA PERSPECTIVA DA TEORIA CRÍTICA. Almira Almeida Cavalcante Email: almiracavalcante@hotmail.com Francisca das Chagas

Leia mais

Um olhar sobre o tema

Um olhar sobre o tema Um olhar sobre o tema As transformações recentes na área política, económica, cultural e educacional têm repercussões em todos os domínios da vida social dos portugueses, afetando o comportamento de homens

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS.

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS. CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS Maio/2010 1º Dia PROGRAMAÇÃO 08h00 às 09h00 - Credenciamento 09h00 às 09h30 Abertura Boas vindas! 09h30 às 10h15 Exposição dialogada: Retrospectiva Luta por Direitos

Leia mais

TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL

TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL TRANSPARÊNCIA E CONTROLE SOCIAL Julival Silva Rocha Auditor do TCEPA ESPÍRITO Rui Barbosa (O Justo e a Justiça Política) Julgamento de Jesus Cristo; O Direito daquela época já não se contentava com a mera

Leia mais

PARECER Nº, DE 2016. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2016. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2016 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, à Proposta de Emenda à Constituição nº 18, de 2009, do Senador Paulo Paim e outros, que altera o 8º do art. 201 da Constituição Federal,

Leia mais

DD. PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

DD. PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR MINISTRO DIAS TOFFOLI DD. PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL Apuração de Eleição 157804 O PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA PSDB, por seus representantes, infra-assinados,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR

EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR EDITAL DE SELEÇÃO DE VOLUNTÁRIOS PARA DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NO NÚCLEO DE PROJETOS COMUNITÁRIOS DA PUCPR O Núcleo de Projetos comunitários (NPC) da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR),

Leia mais

Instruções. Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça imediatamente ao Fiscal que o substitua.

Instruções. Se o Caderno estiver incompleto ou contiver imperfeição gráfica que prejudique a leitura, peça imediatamente ao Fiscal que o substitua. 1 2 Instruções Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

I- INDICADORES II- AÇÕES

I- INDICADORES II- AÇÕES PARTICIPAÇÃO DOS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO Coordenação de Igualdade Racial Diretoria de Estudos e Políticas Sociais I- INDICADORES II- AÇÕES I- INDICADORES -> RETRATO DAS DESIGUALDADES DE GÊNERO E

Leia mais

Unidade IV ECONOMIA E NEGÓCIOS. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade IV ECONOMIA E NEGÓCIOS. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade IV ECONOMIA E NEGÓCIOS Prof. Maurício Felippe Manzalli Antecedentes da globalização Década de 1970 Período de crises e ajustes: Crise da inflação Ajustes monetários e produtivos Economia política

Leia mais

DIREITOS HUMANOS E INTEGRAÇAO REGIONAL

DIREITOS HUMANOS E INTEGRAÇAO REGIONAL DIREITOS HUMANOS E INTEGRAÇAO REGIONAL A reunião dos países do Mercosul e associados em torno da promoção e defesa dos direitos humanos tem contribuído para o fortalecimento da integração regional, sobretudo

Leia mais

FILOSOFIA POLÍTICA: O PROBLEMA DA JUSTIFICAÇÃO E DA ORIGEM DO ESTADO.

FILOSOFIA POLÍTICA: O PROBLEMA DA JUSTIFICAÇÃO E DA ORIGEM DO ESTADO. FILOSOFIA POLÍTICA: O PROBLEMA DA JUSTIFICAÇÃO E DA ORIGEM DO ESTADO. A justificação contratualista de John Locke -A proposta de Locke, em seu Segundo tratado sobre o Governo civil (1690), é mais influente

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. 4º Bimestre

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. 4º Bimestre 1º ano A atividade filosófica -A filosofia como felicidade e um bem. - Atitude Ingênua, Atitude Crítica e Atitude Filosófica. -A dúvida e o diálogo. Pensamento, consciência e Filosofia. -A consciência

Leia mais

Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE.

Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE. Olhe os autistas nos olhos DIREITOS DE CIDADANIA, DEVER DA FAMÍLIA, DO ESTADO E DA SOCIEDADE. A LEI BRASILEIRA DE PROTEÇÃO AOS AUTISTAS Fruto da luta das famílias pelos direitos dos seus filhos com autismo,

Leia mais

Caderno de Aprendizagem

Caderno de Aprendizagem Caderno de Aprendizagem Módulo I Unidade 7 Nome tutor data de entrega / / Governo Federal Ministério da Educação Secretaria de Educação a Distância Professor(a) Cursista, Após uma quinzena de estudos e

Leia mais

Seminário Intersetorial Empresas e Povos Indígenas. São Paulo 13 de março

Seminário Intersetorial Empresas e Povos Indígenas. São Paulo 13 de março Seminário Intersetorial Empresas e Povos Indígenas São Paulo 13 de março Quadro retrospectivo de uma relação conturbada Conquista do território: Escravização ou catequização Expulsão ou extermínio Consolidação

Leia mais

CONVOCATÓRIA DE CANDIDATURAS PARA O GRUPO ASSESSOR DA SOCIEDADE CIVIL (BRASIL)

CONVOCATÓRIA DE CANDIDATURAS PARA O GRUPO ASSESSOR DA SOCIEDADE CIVIL (BRASIL) CONVOCATÓRIA DE CANDIDATURAS PARA O GRUPO ASSESSOR DA SOCIEDADE CIVIL (BRASIL) A ONU Mulheres Brasil convida organizações e redes da sociedade civil brasileira a apresentar candidaturas para o Grupo Assessor

Leia mais

CIVILIZAÇÃO ROMANA - LISTA DE EXERCÍCIOS

CIVILIZAÇÃO ROMANA - LISTA DE EXERCÍCIOS 1. (Unicamp 2014) O termo bárbaro teve diferentes significados ao longo da história. Sobre os usos desse conceito, podemos afirmar que: a) Bárbaro foi uma denominação comum a muitas civilizações para qualificar

Leia mais

COMITÊ DE BACIA DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DA BAÍA DA ILHA GRANDE CBH-BIG

COMITÊ DE BACIA DA REGIÃO HIDROGRÁFICA DA BAÍA DA ILHA GRANDE CBH-BIG Anexo I EDITAL Convocação do Processo Eleitoral para composição das vagas restantes no Plenário do Comitê de Bacia da Região Hidrográfica da Baía da Ilha Grande Biênio 2012-2014 CBH-BIG O Comitê de Bacias

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM DE BOTICAS. Preâmbulo. O Orçamento Participativo Jovem vem introduzir mais um meio

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM DE BOTICAS. Preâmbulo. O Orçamento Participativo Jovem vem introduzir mais um meio NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO JOVEM DE BOTICAS Preâmbulo O Orçamento Participativo Jovem vem introduzir mais um meio de atuação, para além dos existentes, junto da população juvenil

Leia mais

Após anos 70: aumento significativo de recursos para restauração. Não se observa um aumento proporcional de

Após anos 70: aumento significativo de recursos para restauração. Não se observa um aumento proporcional de Aspectos sociais em projetos de restauração de áreas degradadas Maria Castellano CTR Campinas Gestão de recursos naturais Os recursos naturais são passíveis de serem utilizados por muitos indivíduos; É

Leia mais

Projeto Oficina de Parentalidade

Projeto Oficina de Parentalidade 3ª MOSTRA DE BOAS PRÁTICAS DO PODER JUDICIÁRIO CATARINENSE Projeto Oficina de Parentalidade Equipe: Juíza Hildemar Meneguzzi de Carvalho e servidora Simone Regina Medeiros PROJETO OFICINA DE PARENTALIDADE

Leia mais

FÁBULA PRODUÇ Ã O T EXT UAL 1ª SERIE E.M. Tradições: grega, latina, francesa e brasileira. A forma de tratamento

FÁBULA PRODUÇ Ã O T EXT UAL 1ª SERIE E.M. Tradições: grega, latina, francesa e brasileira. A forma de tratamento FÁBULA PROF. EDSON SANTOS PRODUÇ Ã O T EXT UAL 1ª SERIE E.M Tradições: grega, latina, francesa e brasileira. A forma de tratamento Elementos da narrativa: o tempo e o espaço Releitura de valores A FÁBULA

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 02/05/2016 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Referências... 4 4 Diretrizes... 4 5 Responsabilidades... 6 6 Disposições Gerais...

Leia mais

AÇÃO COORDENADA REGISTRO DE NASCIMENTO É CIDADANIA

AÇÃO COORDENADA REGISTRO DE NASCIMENTO É CIDADANIA AÇÃO COORDENADA REGISTRO DE NASCIMENTO É CIDADANIA NOME DO PROJETO: AÇÃO COORDENADA REGISTRO DE NASCIMENTO É CIDADANIA ÓRGÃOS ENVOLVIDOS: Procuradoria Geral de Justiça e Promotorias de Justiça de 1ª Entrância.

Leia mais

O Contencioso administrativo e seu Papel no Estado Democrático de Direito

O Contencioso administrativo e seu Papel no Estado Democrático de Direito MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO ADMINISTRATIVO DE RECURSOS FISCAIS O Contencioso administrativo e seu Papel no Estado Democrático de Direito OTACÍLIO DANTAS CARTAXO FIESP 25 de novembro de 2013 Foco da

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Espírito Santo Comissão de Advogados Públicos 1º DIAGNÓSTICO DA ADVOCACIA PÚBLICA MUNICIPAL NO ESPÍRITO SANTO

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Espírito Santo Comissão de Advogados Públicos 1º DIAGNÓSTICO DA ADVOCACIA PÚBLICA MUNICIPAL NO ESPÍRITO SANTO 1º DIAGNÓSTICO DA ADVOCACIA PÚBLICA MUNICIPAL NO ESPÍRITO SANTO CONSIDERANDO que a Ordem dos Advogados do Brasil tem recebido inúmeras denúncias sobre irregularidades na estruturação das Procuradorias

Leia mais

b) um representante, sindicalizado, da entidade sindical dos contabilistas sediada na jurisdição do Conselho Regional de Contabilidade respectiva.

b) um representante, sindicalizado, da entidade sindical dos contabilistas sediada na jurisdição do Conselho Regional de Contabilidade respectiva. DECRETO-LEI N.º 1040, DE 21 DE OUTUBRO DE 1969 Dispõe sobre os Conselhos Federal e Regionais de Contabilidade, regula a eleição de seus membros, e dá outras providências. Os Ministros da Marinha de Guerra,

Leia mais

Atividade Colaborativa. Aula-tema 3: As Liberdades Públicas A Declaração de 1789

Atividade Colaborativa. Aula-tema 3: As Liberdades Públicas A Declaração de 1789 Atividade Colaborativa Aula-tema 3: As Liberdades Públicas A Declaração de 1789 TAREFA 3 Passo 01: Leia os textos abaixo. Texto 1: Espécies de Regimes Democráticos: Democracia Direta, Semidireta e Indireta

Leia mais

NACIONALIDADE. Inicialmente, para compreender a matéria é precisa-se de alguns conceitos:

NACIONALIDADE. Inicialmente, para compreender a matéria é precisa-se de alguns conceitos: NACIONALIDADE Segundo Paulo e Alexandrino, nacionalidade é o vínculo jurídico-político de direito público interno que faz da pessoa um dos elementos componentes da dimensão do Estado (p. 246: 2010). Inicialmente,

Leia mais

I Seminário Estadual sobre Segurança Escolar: Consolidando uma Cultura de Paz e Direitos Humanos na Escola

I Seminário Estadual sobre Segurança Escolar: Consolidando uma Cultura de Paz e Direitos Humanos na Escola I Seminário Estadual sobre Segurança Escolar: Consolidando uma Cultura de Paz e Direitos Humanos na Escola Ana Coelho Vieira Selva Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho. Mahatma Gandhi A

Leia mais

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA A:

DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA A: DIREITO DA UNIÃO EUROPEIA 2015/2016 TURMA A: PROFESSOR DOUTOR EDUARDO PAZ FERREIRA PROFESSOR DOUTOR RENATO GONÇALVES PROFESSOR DOUTOR NUNO CUNHA RODRIGUES PROFESSOR DOUTOR MIGUEL SOUSA FERRO PROFESSOR

Leia mais

DOMICÍLIO = "É o local no qual a pessoa estabelece a sua residência com ânimo definitivo" RESIDÊNCIA = "Local no qual a pessoa habita.

DOMICÍLIO = É o local no qual a pessoa estabelece a sua residência com ânimo definitivo RESIDÊNCIA = Local no qual a pessoa habita. UNIDADE 6 - DOMICÍLIO CONCEITOS: DOMICÍLIO = "É o local no qual a pessoa estabelece a sua residência com ânimo definitivo" RESIDÊNCIA = "Local no qual a pessoa habita." Não se confundem domicílio e residência.

Leia mais

Audiência Pública CDH do Senado Federal iniciativa do Senador Paulo Paim Brasília, 5 de outubro de 2015

Audiência Pública CDH do Senado Federal iniciativa do Senador Paulo Paim Brasília, 5 de outubro de 2015 Audiência Pública CDH do Senado Federal iniciativa do Senador Paulo Paim Brasília, 5 de outubro de 2015 O negociado sobre o legislado, que rasga a CLT e arrasa o sistema de proteção dos direitos trabalhistas:

Leia mais

Etnocentrismo, relativismo cultural e multiculturalismo

Etnocentrismo, relativismo cultural e multiculturalismo Etnocentrismo, relativismo cultural e multiculturalismo Por Prof. Rita MacCord http://maccord-rita-prof.blogspot.com.br/2012/11/sociologiaetnocentrismo-relativismo.html em 04 de junho de 2013 MULTICULTURALISMO

Leia mais

SUMÁRIO NOTA À 4ª EDIÇÃO... 11 NOTA DOS ORGANIZADORES... 13 DIREITO INTERNACIONAL DO TRABALHO...

SUMÁRIO NOTA À 4ª EDIÇÃO... 11 NOTA DOS ORGANIZADORES... 13 DIREITO INTERNACIONAL DO TRABALHO... SUMÁRIO NOTA À 4ª EDIÇÃO... 11 NOTA DOS ORGANIZADORES... 13 DIREITO INTERNACIONAL DO TRABALHO... 15 Constituição da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e seu Anexo (Declaração de Filadélfia)...

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADA FEDERAL ALICE PORTUGAL - PCdoB/BA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADA FEDERAL ALICE PORTUGAL - PCdoB/BA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 3.660, DE 2000 Dispõe sobre a obrigatoriedade de publicação, no Diário Oficial e na Internet, da Declaração de Bens e Valores dos detentores

Leia mais

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização,

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização, LIDERANÇA E PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DAS IPSS Cuidamos do Futuro do Envelhecimento em Portugal GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os

Leia mais

A realidade do SAB para as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. O acesso à Educação

A realidade do SAB para as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. O acesso à Educação 33 A realidade do SAB para as crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. Quase 5 milhões de crianças e adolescentes, com idade entre 7 e 14 anos (18,8% da população da região) vivem no Semi-árido. No Brasil,

Leia mais

Gestão de Pessoas. Remuneração Variável. Allan Souza // Belchior Borges Felipe Mangabeira // Júlio Bordin

Gestão de Pessoas. Remuneração Variável. Allan Souza // Belchior Borges Felipe Mangabeira // Júlio Bordin Gestão de Pessoas Remuneração Variável Allan Souza // Belchior Borges Felipe Mangabeira // Júlio Bordin Salário O salário é a retribuição em dinheiro ou equivalente paga pelo empregador ao empregado em

Leia mais

DESAFIOS PARA GARANTIR O TRABALHO DECENTE PARA OS/AS JOVENS, COM ESPECIAL ATENÇÃO ÀS QUESTÕES DE GÊNERO E RAÇA

DESAFIOS PARA GARANTIR O TRABALHO DECENTE PARA OS/AS JOVENS, COM ESPECIAL ATENÇÃO ÀS QUESTÕES DE GÊNERO E RAÇA DESAFIOS PARA GARANTIR O TRABALHO DECENTE PARA OS/AS JOVENS, COM ESPECIAL ATENÇÃO ÀS QUESTÕES DE GÊNERO E RAÇA FORUM NACIONAL TRABALHO DECENTE PARA OS JOVENS: FORTALECENDO A AGENDA NACIONAL DE TRABALHO

Leia mais

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772)

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772) O Iluminismo Movimento cultural e filosófico que se desenvolveu na Europa, no século XVIII (Século das Luzes), e que se caracterizou pela afirmação do valor da Razão e do conhecimento para atingir o progresso;

Leia mais

Foto: Harald Schistek

Foto: Harald Schistek Foto: Harald Schistek 43 A adolescência é uma fase especial de afirmação da autonomia do indivíduo, vital para o exercício da cidadania e de seus múltiplos direitos. Caracteriza-se por uma etapa do desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO DOS DELEGADOS SINDICAIS

REGULAMENTO DOS DELEGADOS SINDICAIS REGULAMENTO DOS DELEGADOS SINDICAIS DIRECÇÃO DEZEMBRO DE 2009 REGULAMENTO DOS DELEGADOS SINDICAIS Secção I Direitos, deveres, área de representação e reuniões Artigo 1.º Delegados Sindicais 1 Os delegados

Leia mais

: MIN. MARCO AURÉLIO GRANDE DO SUL RIO GRANDE DO SUL CONCURSOS NOTARIAL E REGISTRAL DECISÃO

: MIN. MARCO AURÉLIO GRANDE DO SUL RIO GRANDE DO SUL CONCURSOS NOTARIAL E REGISTRAL DECISÃO RECLAMAÇÃO 15.838 RIO GRANDE DO SUL RELATOR RECLTE.(S) : MIN. MARCO AURÉLIO :MIGUEL OLIVEIRA FIGUEIRÓ :CARLOTA BERTOLI NASCIMENTO :PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO SUL :CORREGEDOR-GERAL

Leia mais

DECRETO Nº 30.348 DE 1 DE JANEIRO DE 2009

DECRETO Nº 30.348 DE 1 DE JANEIRO DE 2009 DECRETO Nº 30.348 DE 1 DE JANEIRO DE 2009 Estabelece novos procedimentos para o cumprimento do Código de Ética da Administração Municipal. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

Rta! (sobre ética, liberdade e verdade) César Benjamin para Caros Amigos

Rta! (sobre ética, liberdade e verdade) César Benjamin para Caros Amigos Rta! (sobre ética, liberdade e verdade) César Benjamin para Caros Amigos A diversidade de comportamento dos seres humanos sempre foi um enigma. Todos os outros seres, existentes na natureza, apresentam

Leia mais

Aprimoramento. Prof. Osvaldo

Aprimoramento. Prof. Osvaldo Aprimoramento 1 Prof. Osvaldo 01. (UFPR) Estabeleça duas diferenças entre o conceito de democracia vigente em Atenas no período antigo e o conceito de democracia vigente no Brasil atual. O conceito de

Leia mais

Relatório Anual de Transparência Ano de 2015

Relatório Anual de Transparência Ano de 2015 Relatório Anual de Transparência Ano de 2015 2 Índice 1. Introdução... 3 2. Estrutura jurídica e da Propriedade... 3 3. Estrutura de governação... 4 4. Sistema interno de controlo de qualidade... 4 5.

Leia mais

mais MULHERES na política 1 Maioria dos brasileiros apoia reforma política para garantir maior participação das mulheres IBOPE Mídia e Direitos

mais MULHERES na política 1 Maioria dos brasileiros apoia reforma política para garantir maior participação das mulheres IBOPE Mídia e Direitos mais MULHERES na política 1 IBOPE Mídia e Direitos Maioria dos brasileiros apoia reforma política para garantir maior participação das mulheres mais MULHERES na política 3 Realização Ibope / Instituto

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 70, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 70, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 70, DE 2015 Altera a redação dos arts. 32 e 36 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para inserir novas disciplinas obrigatórias

Leia mais

Os direitos das pessoas com deficiência. Atuação da Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais na desefa dos direitos das pessoas com deficiência.

Os direitos das pessoas com deficiência. Atuação da Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais na desefa dos direitos das pessoas com deficiência. Os direitos das pessoas com deficiência Atuação da Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais na desefa dos direitos das pessoas com deficiência. Apresentação Diz a Constituição da República, em seu

Leia mais

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 7 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS... 9 PREFÁCIO...17 APRESENTAÇÃO...21 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...23

SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 7 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS... 9 PREFÁCIO...17 APRESENTAÇÃO...21 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...23 SUMÁRIO AGRADECIMENTOS... 7 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS... 9 PREFÁCIO...17 APRESENTAÇÃO...21 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...23 CAPÍTULO 2 O DIREITO: CONCEITO E FUNÇÕES. OS PRINCIPAIS SISTEMAS JURÍDICOS DA

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC

REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC REGULAMENTO INTERNO VOLEIBOL ATC DAS FINALIDADES I- O presente regulamento disciplina todas as atividades desenvolvidas pelo Departamento de Vôlei do clube. DA COMPOSIÇÃO II- O Clube disponibiliza equipes

Leia mais

Enem e Saeb: jornais destacam o baixo desempenho e elaboram rankings de melhores escolas Qui, 15 de Fevereiro de 2007 21:00

Enem e Saeb: jornais destacam o baixo desempenho e elaboram rankings de melhores escolas Qui, 15 de Fevereiro de 2007 21:00 A divulgação dos resultados do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os principais exames de avaliação dos estudantes da educação básica, recebeu

Leia mais

A S S E M B L E I A D A R E P Ú B L I C A. O Presidente. Intervenção de Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República na

A S S E M B L E I A D A R E P Ú B L I C A. O Presidente. Intervenção de Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República na Intervenção de Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República na Sessão Solene de Abertura do Ano Judicial Supremo Tribunal de Justiça 1 de setembro de 2016 Confiança. A confiança é o segredo do

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE REALIZAÇÃO DA 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES

INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE REALIZAÇÃO DA 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES INFORMAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE REALIZAÇÃO DA 4ª CONFERÊNCIA NACIONAL DAS CIDADES Foi dado início ao processo de realização da 4ª Conferência Nacional das Cidades. Esta Conferência é um importante espaço

Leia mais

Escola de Formação Política Miguel Arraes

Escola de Formação Política Miguel Arraes Escola de Formação Política Miguel Arraes Curso de Atualização e Capacitação Sobre Formulação e Gestão de Políticas Públicas Módulo I Políticas Públicas e Direitos Humanos Aula 2 Políticas Públicas e Direitos

Leia mais

Prêmio Viva Leitura. Categoria Escola Pública. Projeto: Leitura como fonte de conhecimento e prazer

Prêmio Viva Leitura. Categoria Escola Pública. Projeto: Leitura como fonte de conhecimento e prazer COLÉGIO ESTADUAL DO CAMPO DE LAGOA ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PR 281 KM 20 - LAGOA FONE: 41-3674-1053 e-mail : colegioestadualdelagoa@gmail.com Prêmio Viva Leitura Categoria Escola Pública Projeto: Leitura

Leia mais

NOVOS DEBATES SOBRE A BASE NACIONAL COMUM: Desafios, perspectiva, expectativas. Suely Melo de Castro Menezes

NOVOS DEBATES SOBRE A BASE NACIONAL COMUM: Desafios, perspectiva, expectativas. Suely Melo de Castro Menezes NOVOS DEBATES SOBRE A BASE NACIONAL COMUM: Desafios, perspectiva, expectativas. Suely Melo de Castro Menezes Construção da Política Nacional Curricular MOMENTO ATUAL O MEC, em articulação com os entes

Leia mais

EXERCÍCIO CIDADÃO E OS DESAFIOS ENFRENTADOS PELA COMUNIDADE DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM ILHÉUS-BAHIA

EXERCÍCIO CIDADÃO E OS DESAFIOS ENFRENTADOS PELA COMUNIDADE DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM ILHÉUS-BAHIA EXERCÍCIO CIDADÃO E OS DESAFIOS ENFRENTADOS PELA COMUNIDADE DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA VITÓRIA EM ILHÉUS-BAHIA ISA FABÍOLA ALMEIDA SANTOS 1 JOCELMA SILVA NERES 2 LUIS CARLOS DO NASCIMENTO 3 UNIVERSIDADE

Leia mais

Estou oferecendo um curso completo de AFO em Exercícios no Ponto. Serão quase 500 questões, todas atualizadas, a maioria de 2014/2015/2016.

Estou oferecendo um curso completo de AFO em Exercícios no Ponto. Serão quase 500 questões, todas atualizadas, a maioria de 2014/2015/2016. Questões de concursos públicos 2015/2016 Tipos de orçamento Prezado estudante, concursando! Desejo-lhe inspiração para a conquista de seus sonhos e o pleno alcance de suas metas. Procure ânimo e muita

Leia mais

Estudos das Relações Étnico-raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana e Indígena. Organização da Disciplina Aula.

Estudos das Relações Étnico-raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana e Indígena. Organização da Disciplina Aula. Estudos das Relações Étnico-raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana e Indígena Aula 2 Prof. Me. Sergio Luis do Nascimento Organização da Disciplina Aula Compreender o conceito

Leia mais

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 10 EQUILÍBRIO DE CORPOS EXTENSOS

FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 10 EQUILÍBRIO DE CORPOS EXTENSOS FÍSICA - 1 o ANO MÓDULO 10 EQUILÍBRIO DE CORPOS EXTENSOS F d M 0 F = Fd O + - A C α B Q F at T N α P B P Q F at T T sen α N A T cos α α B P B PQ Como pode cair no enem? Desde muito cedo, bem antes do início

Leia mais

Art. 4º. As Atividades de Ensino incluem, entre outras, as seguintes modalidades:

Art. 4º. As Atividades de Ensino incluem, entre outras, as seguintes modalidades: Regulamento para os critérios de aproveitamento e as equivalências da carga horária nas Atividades Complementares de Graduação no Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública Art. 1º. O presente regulamento

Leia mais

COM O GRITO DO IPIRANGA, ENCERROU-SE O PERÍODO COLONIAL, INICIANDO O BRASIL IMPÉRIO

COM O GRITO DO IPIRANGA, ENCERROU-SE O PERÍODO COLONIAL, INICIANDO O BRASIL IMPÉRIO COM O GRITO DO IPIRANGA, ENCERROU-SE O PERÍODO COLONIAL, INICIANDO O BRASIL IMPÉRIO A EUROPA E BRASIL NO SÉCULO XIX (Resumo apostila 04 ) Tempo e Espaço, são duas coisas importantes para você se localizar

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É OBRIGATÓRIA!

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É OBRIGATÓRIA! CONTRIBUIÇÃO SINDICAL CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É OBRIGATÓRIA! CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É BRIGATÓRIA A Contribuição Sindical, prevista no art. 578 da CLT e capítulos seguintes, tem caráter obrigatório, sendo

Leia mais

PERCURSO DA ESCOLA INCLUSIVA

PERCURSO DA ESCOLA INCLUSIVA PERCURSO DA ESCOLA INCLUSIVA Formadora: Patrícia Almeida SÉCULO XX Evolução de atitudes e práticas face à diferença: 1. Início do século: Período dos esquecidos e escondidos. 2. Anos 50 e 60: Período de

Leia mais

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss profa. Karine Pereira Goss Muitas vezes utiliza-se esses termos como sinônimos. Mas há diferenças entre eles, embora se relacionem estreitamente. MORAL é um conjunto de normas que regulam o comportamento

Leia mais

Dispõe sobre o módulo e a movimentação dos integrantes do Quadro de Apoio Escolar QAE e do Quadro da Secretaria da Educação QSE

Dispõe sobre o módulo e a movimentação dos integrantes do Quadro de Apoio Escolar QAE e do Quadro da Secretaria da Educação QSE terça-feira, 3 de maio de 2016 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 126 (80) 31- Resolução SE 29, de 2-5-2016 Dispõe sobre o módulo e a movimentação dos integrantes do Quadro de Apoio Escolar

Leia mais

Karla Hora y Miriam Nobre

Karla Hora y Miriam Nobre Estudio regional sobre registros nacionales de agricultura familiar en perspectiva de género en el marco de la Reunión Especializada de Agricultura Familiar del MERCOSUR (REAF/MERCOSUR) Karla Hora y Miriam

Leia mais

vamos cuidar do planeta

vamos cuidar do planeta REGULAMENTO Conferência Internacional Infanto-Juvenil - Vamos cuidar do Planeta Brasília, 5 a 10 de junho de 2010 A Conferência Internacional Infanto-Juvenil Vamos cuidar do Planeta (Confint) é uma ação

Leia mais

NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância. Parte 1 Código / Área Temática

NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância. Parte 1 Código / Área Temática NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação

Leia mais

Fundamentos da Educação Infantil

Fundamentos da Educação Infantil FAAC Faculdade Afonso Cláudio Pólo Tijuca Rio de Janeiro Pós-graduação em Educação Fundamentos da Educação Infantil Rosane Tesch rosanetesch@gmail.com Educação Infantil: Fundamentos e Métodos Zilma Ramos

Leia mais

Radiografia das Sociedades Limitadas

Radiografia das Sociedades Limitadas Radiografia das Sociedades Limitadas Ary Oswaldo Mattos Filho 1 Maurício Chavenco 2 Paulo Hubert 3 Renato Vilela 4 Victor B. Holloway Ribeiro 5 1 Professor Sênior da FGV Direito SP ary.mattos@fgv.br 2

Leia mais