FISIOTERAPIA E CÂNCER

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FISIOTERAPIA E CÂNCER"

Transcrição

1 FISIOTERAPIA E CÂNCER Marcia Colliri Camargo Angela Gonçalves Marx (Capítulo do livro TEMAS EM PSICO-ONCOLOGIA, vários autores, vários organizadores. São Paulo: Summus, 2008). A cirurgia é, normalmente, o tratamento mais freqüente e eficaz contra o câncer. Retirar totalmente o tumor do corpo sugere a solução imediata e definitiva para o problema. A preocupação do cirurgião é remover o tumor e também parte do tecido que o envolve, para prevenir recidivas locais e possíveis metástases. Independentemente da extensão da cirurgia, as recidivas também podem ocorrer nos linfonodos (gânglios linfáticos) próximos à área ou em outros órgãos distantes (metástases à distância). Por essa razão, além do tumor primário, o cirurgião quase sempre retira um ( linfonodo sentinela) ou mais linfonodos próximos. A análise desses linfonodos removidos ajuda o oncologista a avaliar o quadro real da doença e a estabelecer a estratégia do tratamento : Quimioterapia ou não? Radioterapia com quimioterapia ou sem? Não é difícil concluir que a cirurgia pode ser mais ampla ou mais conservadora em função do tamanho, do tipo e do local do tumor. Em todas as situações ocorre um trauma cirúrgico sobre pele, tecido subcutâneo, músculos, nervos e vasos sangüíneos e linfáticos. Essas estruturas ficam alteradas e se inflamam, acarretando sintomas como dor, edema e dificuldade aos movimentos. Apesar de naturais, provisórios e esperados, estes sintomas são desagradáveis e podem deixar o paciente deprimido, ansioso e com medo, além de retardar o ritmo do tratamento e da recuperação. Se o paciente não for orientado e auxiliado adequadamente nesta fase pós operatória, a dor e o edema persistem, podendo se agravar, e os movimentos podem ficar restritos definitivamente. Nesse caso, não só fica prejudicado o andamento do tratamento oncológico (radioterapia), como também aumenta a possibilidade de complicações como retrações, aderências, cicatrizes hipertróficas e linfedema ( inchaço crônico ). É de suma importância que se introduza algum tipo de intervenção que possa não só diminuir a dor, o edema e a dificuldade de movimentos iniciais como também prevenir as complicações físicas. Cabe à Fisioterapia este papel. Mas deve ser uma Fisioterapia especializada em Oncologia, que difere da tradicional pois emprega outros recursos e tem outros objetivos de tratamento : Diminuir a dor Melhorar a função respiratória Recuperar os movimentos e a funcionalidade da região operada Reeducar a circulação linfática Contribuir para uma cicatrização adequada Prevenir e/ou tratar complicações físicas como retrações, aderências, limitação articular e linfedema (inchaço crônico) Diminuir a ansiedade Auxiliar na reabilitação psicológica, social e profissional dos pacientes

2 Portanto, o paciente que iniciar um programa fisioterapêutico já nos primeiros dias após a cirurgia terá recuperação de movimentos e remissão da dor mais rápidas, podendo dar continuidade ao tratamento de radioterapia sem atraso e ficará menos vulnerável a complicações respiratórias, circulatórias e de cicatrização. PROGRAMA DE INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA Inicialmente, divide-se a atuação da Fisioterapia em fases: fase imediata, quando se inicia do primeiro ao décimo dia após a cirurgia; fase tardia, quando começa após esse período. O ideal é o início imediato, que proporciona o alívio da dor e a recuperação dos movimentos mais rapidamente, além de contribuir para o prosseguimento do tratamento oncológico (início da radioterapia e quimioterapia) e para a diminuição de complicações pós operatórias. A Fisioterapia atua na área respiratória, na área motora, na área dermatológica e na área circulatória. Para isso, utiliza recursos como : Exercícios respiratórios Relaxamento Exercícios ativos auxiliados pelo fisioterapeuta Massagem muscular Drenagem linfática manual Cuidados com a pele Orientações de automassagem TENS ( Estimulação Elétrica Transcutânea) FASE IMEDIATA Dor e recuperação de movimentos A primeira preocupação do fisioterapeuta é recuperar os movimentos. Os músculos, já muito contraídos e tensos desde antes da cirurgia pelo estresse do diagnóstico, pela expectativa da cirurgia e do tratamento pós operatório ficam ainda mais tensos pela dor da cirurgia e pelo medo de movimentar e de abrir os pontos da operação. A dor, com este aumento de tensão muscular, também aumenta. Para o paciente, parece impossível realizar qualquer movimento. No entanto, para superar esse problema é preciso quebrar o ciclo vicioso : medo tensão dor. O primeiro passo é intervir na musculatura para deixá-la mais relaxada. É aqui que se iniciam os exercícios que devem ser orientados pelo fisioterapeuta, e aplicados de maneira lenta e gradualmente progressiva, respeitando os limites da dor e o processo de cicatrização. Todos os pacientes submetidos a cirurgia de câncer devem iniciar com exercícios respiratórios. Os exercícios respiratórios, além de aumentar a capacidade pulmonar, acalmam, diminuem a ansiedade e a dor e ajudam no relaxamento muscular. Com isso, preparam os músculos e o paciente para a realização dos outros exercícios. Devem ser realizados de maneira lenta e profunda, procurando expandir o máximo possível o tórax e o abdome : podem ser praticados várias vezes ao dia, sempre com no máximo 5 repetições.

3 Para a diminuição da dor e da tensão muscular, também existem outros meios que o fisioterapeuta pode utilizar : toques suaves e movimentos de massagem nas regiões contraturadas ( tensas) e a aplicação de TENS (Estimulação Elétrica Transcutânea). Esta aplicação utiliza um aparelho que emite pulsações elétricas que relaxam e produzem analgesia. Após os exercícios respiratórios e o relaxamento, o paciente deve iniciar os exercícios que vão recuperar os movimentos, também diminuir a dor e levá-lo a retomar suas atividades normais mais rapidamente. É extremamente importante nesta fase que o paciente saiba que os exercícios serão adequados, suaves, lentos, realizados na medida do possível para ele naquele momento e que, por isso tudo, não há o menor risco de prejuízo da cirurgia, de abrir os pontos, de sair o dreno, etc. Ele deve adquirir confiança no fisioterapeuta e em si mesmo. O fisioterapeuta especializado aplica técnicas que podem facilitar os movimentos : uma delas é começar a exercitar articulações mais distantes da região operada, para já melhorar a circulação, relaxar os músculos e prepará-los para a realização dos movimentos mais difíceis e dolorosos. Por exemplo, numa paciente recém operada da mama esquerda : os movimentos do braço esquerdo (principalmente do ombro) são difíceis e provocam dor. Os exercícios são iniciados então pelos movimentos do pescoço, do braço direito, do cotovelo e mão direitos. No final, com a musculatura mais preparada e a paciente mais confiante, realizam-se os movimentos do ombro esquerdo, sempre de maneira suave e respeitando-se o limite de dor. Na fase do pós operatório imediato, a cicatrização ainda está se processando e os movimentos não devem esticar muito a pele da cicatriz cirúrgica, para não retardar o processo ou mesmo provocar complicações locais. É por essa razão que o paciente deve estar com a supervisão e orientação do fisioterapeuta, que sabe bem quais são os limites. Ainda neste capítulo, serão descritos exercícios básicos e específicos para pacientes operados de câncer de mama, de cabeça e pescoço e da pélvis ( uro-ginecológico ). Drenagem linfática manual e Automassagem A retirada dos linfonodos ( ou gânglios linfáticos) nas cirurgias oncológicas, além de diminuir a defesa, altera a circulação da linfa no local. A linfa é um líquido incolor, transparente, que circula em vasos linfáticos, é filtrada pelos linfonodos e posteriormente devolvida ao sangue próximo ao coração. Com a remoção dos linfonodos, a passagem da linfa fica mais difícil, lenta e ela pode começar a se acumular : a região vai se tornando mais inchada e pode se instalar o linfedema. Felizmente, o corpo humano tem outras vias de passagem do líquido. Essas vias - ou vasos linfáticos - ficam inativas em situações normais, mas podem ser ativadas quando houver necessidade. Para ativar ou estimular estes vasos é preciso utilizar uma massagem especial: é a drenagem linfática manual. As manobras desta massagem sempre são suaves, lentas, devem seguir uma direção específica em cada caso particular e devem também ser realizadas por um fisioterapeuta habilitado. Porém, o paciente pode e deve ajudar muito praticando diariamente a automassagem : um resumo simplificado e fácil das principais manobras de drenagem linfática manual, que é orientado pelo fisioterapeuta. A automassagem, assim como a drenagem linfática manual, é diferente para cada pessoa e depende da cirurgia realizada, das condições da pele e da cicatrização do

4 paciente. Nas páginas seguintes daremos alguns exemplos da automassagem num caso de mama, numa cirurgia pélvica e num caso de cabeça e pescoço. A realização da automassagem diariamente é um importantíssimo recurso para a prevenção do linfedema, assim como os exercícios e os cuidados. Quando o linfedema se instala e torna-se crônico, a automassagem também é realizada várias vezes ao dia, associada a outros recursos. Cuidados Muitas vezes, nas cirurgias de câncer ocorre a retirada de um grupo de linfonodos próximos ao local do tumor. Embora necessária para auxiliar o médico a estabelecer a conduta terapêutica posterior, essa remoção traz algumas conseqüências, que devem ser conhecidas pelo paciente. Os linfonodos fazem parte da defesa imunológica. A sua remoção significa uma diminuição da defesa da região correspondente. Essa área, pela diminuição da defesa, fica mais sujeita a inflamações e infecções. O paciente deve sempre estar ciente disto e colaborar tomando certos cuidados : evitar qualquer tipo de lesão cortes, queimaduras, micoses, assaduras, picadas de insetos, contusões, alergias - na região vulnerável do corpo. Se algum tipo de lesão ocorrer, o risco de uma infecção ( como erisipela ou linfangite ) aumenta. Os sinais de uma erisipela ou de uma linfangite podem surgir até 48 horas após a lesão : manchas ou vergões vermelhos, dor, inchaço e calor na área corporal ou até mesmo febre. Mediante essas manifestações, o paciente deve logo procurar o médico, que normalmente receita antibióticos por 7 a 10 dias. Durante o período medicamentoso a Fisioterapia fica suspensa, até terminar o processo infeccioso. Com a medicação, normalmente a infecção cessa e os sinais desaparecem. No entanto, a infecção pode deixar uma seqüela indesejável : o inchaço crônico da zona afetada, denominado linfedema. O linfedema é uma doença crônica, que não tem cura, mas tem tratamento e pode ser controlada. O linfedema mais comum em Oncologia é o de membro superior, nas mulheres operadas da mama, e o de membro inferior, nos pacientes que sofreram cirurgias pélvicas (em útero, ovários, vulva, ou ainda pênis e próstata). Embora com menor freqüência, também pode ocorrer o linfedema de face, cabeça e pescoço nas cirurgias com retiradas de linfonodos nessas regiões. O tratamento do linfedema será abordado mais à frente, mas obviamente, por ser uma patologia crônica e de terapêutica prolongada, o ideal é preveni-la. E um dos principais aspectos da prevenção é a adoção de cuidados específicos que diminuem as possibilidades de infecção. FASE TARDIA Como já foi dito, o ideal é o início precoce da Fisioterapia. Quando, já desde o 1º PO, iniciamos os exercícios, a automassagem e são orientados os cuidados, a reabilitação do paciente é mais rápida, menos dolorosa e se consegue minimizar complicações. No entanto, algumas vezes o paciente só inicia o programa de Fisioterapia posteriormente. Isso pode ocorrer por várias causas : O estado clínico inicial do paciente

5 Inexistência de Fisioterapia especializada Falta de encaminhamento médico Atraso ou recusa do tratamento por parte do paciente. É obvio que é possível começar o tratamento em qualquer momento. Porém, os resultados podem ser diferentes. Mesmo que o paciente já tenha se submetido à cirurgia há meses ou anos, as orientações de cuidados e automassagem serão importantes : se o paciente não tiver tido complicações, elas ajudarão a prevenir, e se o paciente estiver com linfedema ou outra complicação, auxiliarão no tratamento. Quanto aos exercícios, serão imprescindíveis se houver limitação de movimentos, contratura muscular, retração muscular, retração cicatricial, aderência, dor ou alteração de postura. Aliás, todas estas situações podem ocorrer exatamente pelo fato de o paciente não ter feito Fisioterapia antes. Certa vez, atendemos uma paciente encaminhada pelo médico para tratamento de linfedema no braço. Submetida a mastectomia havia 2 anos, nunca tinha feito Fisioterapia e apresentava dor no ombro, pescoço e braço. Do ponto de vista oncológico estava muito bem e a saúde geral estava ótima. Psicologicamente, estava abalada pelo incômodo da dor, por não ter disposição para fazer nada e porque todo mundo perguntava o motivo de seu braço estar inchado. Ao exame físico, observamos uma postura ruim, com os ombros para frente, um pouco corcunda e os músculos dos ombros e do pescoço muito tensos. Conseguia realizar os movimentos dos braços mas, do lado da cirurgia, o braço não se elevava totalmente (como o do outro lado) e a dor aumentava. A paciente foi então orientada a realizar uma série de exercícios e a automassagem em casa, três vezes ao dia. Recebeu também todas as explicações sobre os cuidados e sobre o linfedema, que felizmente estava no início e era discreto. Após três sessões, ao final de dez dias, estava bem melhor, sem dor, com movimentos mais amplos, com uma postura melhor e com maior disposição. O linfedema havia diminuído. O tratamento prosseguiu com drenagem linfática manual realizada pelo fisioterapeuta no ambulatório, e com as recomendações de exercícios e automassagem em casa. Em um mês, a paciente estava recuperada e recebeu alta da Fisioterapia. Este exemplo mostra uma situação freqüente, em que a paciente sofre desnecessariamente com dores e limitação de movimentos, além de passar por um grande risco de adquirir um linfedema crônico tudo isso pode se evitado com a Fisioterapia pós-operatória imediata. Cuidados para pacientes operadas de mama Alimentação e excesso de peso A alimentação tem um papel primordial na nossa vida. Principalmente no período pós-operatório, em que há uma natural e esperada debilidade ou fraqueza, ocasionada pela anestesia, pela relativa perda de sangue e pelo estresse emocional, a boa alimentação é necessária para o bem estar, para uma recuperação mais rápida e uma melhor resposta aos eventuais tratamentos que se seguem à cirurgia ( radioterapia e/ou quimioterapia). No entanto, devem ser evitadas as comidas gordurosas, as frituras, carnes gordas, embutidos ou alimentos com gordura saturada, bem como o excesso de doces e massas. A paciente não deve engordar demais, pois a obesidade é um dos fatores de

6 predisposição e piora do linfedema. Deve, então manter hábitos alimentares sadios e quando necessário consultar uma nutricionista para a orientação de uma dieta adequada. Atividades manuais Para as mulheres que gostam de trabalhos manuais, alguns cuidados são imprescindíveis. Atividades como costurar, bordar, tricotar, pintar, etc. são realizadas com movimentos repetitivos e, por isso, é aconselhável que se realizem pausas constantes na atividade para descanso dos músculos. É também importante o uso de dedal nas atividades com agulha, para evitar picar os dedos. Atividades domésticas É impossível impedir uma dona de casa de se cortar ou se queimar durante as atividades do lar. No entanto, é importante observar : - O uso de luva de borracha quando for utilizado algum material de limpeza ( detergente, água sanitária, sabão, desinfetante, etc.), para evitar irritações, alergias e ressecamento da pele; - O uso de luva térmica ao manipular forno e fogão, para evitar queimaduras; - O uso de luvas próprias para jardinagem ao mexer com plantas, para evitar pequenos cortes ou lesões - A utilização de colheres ou garfos de cabo longo ao mexer as panelas no fogão, para diminuir o risco de queimaduras - evitar movimentos repetitivos e fortes como varrer o quintal, ou lavar e esfregar a calçada - evitar pesos excessivos, aos quais a paciente não esteja acostumada, pois podem gerar uma lesão em tendões ou músculos e favorecer o aparecimento do linfedema. Atividades profissionais As pacientes devem retomar suas atividades profissionais assim que tiverem sua amplitude de movimentos restabelecida e a força muscular normal. Não há restrições quanto às atividades profissionais. Apenas devem ser seguidos os cuidados gerais aqui descritos ; por exemplo, aquelas que são empregadas domésticas, lavadeiras, faxineiras ou cozinheiras devem utilizar luvas de borracha para evitar contato da pele com produtos de limpeza ; as digitadoras, caixas ou profissionais que façam movimentos repetitivos devem seguir as orientações de pausas periódicas e exercícios de alongamento específicos. Cuidados médicos Consideramos aqui os procedimentos adotados em hospitais, laboratórios, farmácias, consultórios, etc. Devem ser evitados, no braço do lado da cirurgia : - aplicação de injeções e vacinas - coleta de sangue - acupuntura - medição da pressão

7 - aplicação de calor ( compressas ou bolsa de água quente, banhos de luz, etc.) Higiene e cuidados pessoais A pele de todo o braço e do local da cirurgia deve sempre estar bem cuidada e hidratada com creme neutro. Ela é o principal condutor da circulação linfática e sua saúde e manutenção são imprescindíveis para a prevenção do linfedema. Qualquer tipo de lesão ou alergia deve ser imediatamente lavada com água e sabão e desinfetada. - unhas devem se cortadas com cuidado e podem ser esmaltadas. No entanto, deve-se evitar a remoção da cutícula com alicate, que normalmente ocasiona pequenos cortes ou lesões e possibilita a entrada de bactérias que podem gerar uma infecção e talvez desencadear o linfedema. A cutícula pode simplesmente ser empurrada após amolecida com creme, diminuindo-se assim o risco de infecção. - desodorantes podem ser utilizados os desodorantes neutros, sem perfume, e líquidos. Os desodorantes perfumados contem álcool e este resseca a pele ; os desodorantes em creme bloqueiam o funcionamento adequado das glândulas sudoríparas. Ambos podem favorecer irritações de pele ou lesões dermatológicas. - banhos recomenda-se não molhar o curativo, mas assim que o corte estiver cicatrizado, os banhos ou duchas são permitidos, evitando-se o uso de água muito quente e de sabonetes ou outros produtos que provoquem alergia. Após o banho, é importante secar bem e em seguida hidratar a pele da região operada, da axila, do braço e entre os dedos, para não ocorrer assaduras ou micoses. - depilação a depilação da axila do lado operado só pode ser feita cortando-se os pêlos com uma tesoura pequena ou usando-se depiladores elétricos que aparem os pêlos e não os puxem como pinças. A depilação com cera, cremes ou líquidos depilatórios, com lâmina ou com pinça pode cortar ou irritar a pele da axila e causar o linfedema. Sol Piscina - Mar Não há restrições quanto aos banhos de mar ou de piscina após a cicatrização completa da cirurgia. São benéficos os efeitos relaxantes da água para a musculatura e a natação é recomendável assim que a paciente estiver com os movimentos recuperados. As piscinas aquecidas costumam ter uma temperatura que não é prejudicial á circulação linfática. Tomar sol é importante para a saúde, mas devem ser evitadas as exposições prolongadas em horários mais quentes do dia, principalmente no verão : das 10 às 16 horas. É recomendável o uso de protetores ou bloqueadores solares, desde que não provoquem alergias. Esportes Dependendo do esporte, hobby ou lazer, a paciente pode iniciar a prática desportiva quando : - a cicatrização estiver completa - não existir nenhum tipo de secreção no local da cirurgia - a amplitude de movimentos estiver totalmente restabelecida

8 - não tiver nenhuma dor ou complicação - o médico e o fisioterapeuta liberarem Não há uma contra-indicação absoluta em relação aos esportes. Os esportes individuais como natação, corrida, ciclismo, caminhadas e hidroginástica não apresentam riscos. No entanto, esportes de contato físico mais direto ( volley, basquete ou futebol) oferecem maior possibilidade de lesões e os cuidados devem ser redobrados. Em outros esportes individuais como o tênis, o remo, boliche, etc. é fundamental um preparo físico prévio : condicionamento muscular e alongamento. Não importa o esporte, recomenda-se que seu início seja lento e gradativo para prevenir lesões ortopédicas, que a paciente utilize equipamentos adequados à prática de cada esporte e que vista roupas confortáveis que favoreçam a transpiração normal. A principal preocupação em relação aos esportes é no que se refere a lesões musculares e tendinosas, pois estas favorecem o aparecimento do linfedema. Por este motivo, sempre que surgir inchaço ou alguma dor diferente ou persistente durante ou após a prática desportiva, a paciente deve procurar o médico ou o fisioterapeuta. Vestuário Deve ser evitado o uso de mangas e soutiens apertados, que possam dificultar a circulação local. Da mesma forma, recomenda-se não usar anéis, alianças, pulseiras ou relógios no braço do lado operado : esses acessórios podem ocasionar assaduras ou alergias que, por sua vez, podem desencadear o linfedema. Próteses externas Nas mulheres que fizeram a retirada da mama é essencial o uso de prótese externa e de soutien adequado, tão logo a cicatrização e as condições locais da pele o permitam. Se não houver qualquer complicação ou ocorrência, os pontos são retirados após 15 a 20 dias após a cirurgia e a prótese já deve ser usada. O objetivo é suprir a falta da mama, compensando o volume e o peso retirado. Psicologicamente, sua importância é enorme : a paciente se sente melhor, mais confiante e não tem necessidade de ficar escondendo a ausência da mama ( ficando em má postura e com os músculos tensos). Do ponto de vista ortopédico, o uso da prótese, além de favorecer uma melhor postura, permite um equilíbrio estático da coluna, evitando tensões e contraturas musculares no pescoço, ombro e braço. Quanto à circulação, sabe-se que as lesões musculares, como as contraturas, impedem a livre circulação do sangue e da linfa, acumulando líquidos na região e favorecendo o linfedema. Existem vários tipos de próteses e soutiens, encontrados em casas especializadas. Cuidados para pacientes operados de cabeça e pescoço Os pacientes que se submeteram a cirurgia na região da cabeça ou do pescoço( boca, língua, mandíbula, lábios, laringe, nariz, etc.) e que tenham retirado linfonodos do pescoço e/ou abaixo da mandíbula, tem uma defesa menor nessas regiões. Portanto, devem evitar lesões de pele, alergias, cortes, queimaduras ou contusões. Alguns cuidados se assemelham aos descritos acima, para as pacientes operadas de mama : são os relacionados à alimentação, aos banhos de mar, piscina e sol, e à prática de

9 esportes. Desaconselham-se os banhos muito quentes e as saunas, que podem favorecer o inchaço da face e do pescoço. Alguns cuidados específicos são recomendados : Barbear Os pacientes do sexo masculino devem se barbear apenas com barbeador elétrico, que não oferece o risco de cortar ou irritar a pele do rosto e pescoço : deve-se evitar fazer a barba com lâminas ou navalhas. É muito importante a hidratação da pele com cremes neutros que não causem alergias. Boca e dentes Os dentes, a gengiva e toda a boca internamente devem estar saudáveis e sempre ser adequadamente limpos várias vezes ao dia, com escovação, uso de fio dental e de produtos de higiene bucal recomendados pelo dentista ou pelo médico. Devem ser evitadas as alterações da mucosa bucal e da gengiva provocadas por determinados alimentos ou pelo uso de próteses. Cuidados para pacientes submetidos a cirurgias pélvicas (com retirada de linfonodos inguinais e/ou pélvicos) Os pacientes que removeram linfonodos da virilha ou do abdome, terão uma defesa menor na perna, nádega e abdome do lado da cirurgia, ou, se a retirada de linfonodos foi dos dois lados, toda a região do corpo abaixo da cintura (incluindo as duas pernas) ficará mais sujeita a inflamações e infecções. Então, valem os mesmos cuidados descritos acima, em relação a : esportes, banhos de mar, piscina e sol, sauna e banhos quentes, alimentação e excesso de peso. Entretanto, para diminuir a possibilidade de infecções e conseqüente linfedema em membros inferiores, é necessário enfatizar : Higiene e cuidados pessoais - banhos - ao tomar banho, o paciente deve lavar e enxaguar muito bem entre os dedos dos pés, para que não fique nenhum resíduo de sabonete. Da mesma forma, após o banho, é fundamental secar bem com a toalha e talvez até com secador essa mesma região, para que não fique úmida : a umidade favorece o aparecimento de assaduras e micoses. - hidratação a pele das pernas, pés e dedos dos pés deve estar saudável, sem descamações, ressecamento ou rachaduras. Para isso, é muito importante uma boa hidratação com creme neutro, principalmente após o banho. - depilação para as pacientes mulheres que querem depilar as pernas, a recomendação é a mesma dada às pacientes de mama quanto á depilação da axila : evitar lâminas, cera, líquidos e cremes depilatórios. O ideal é depilar com um depilador elétrico semelhante aos barbeadores masculinos. - pedicuro as unhas devem ser cortadas de forma reta nos cantos, para se evitar a unha encravada. Não é recomendável a retirada da cutícula com alicate, que pode ferir e causar uma inflamação indesejável : a cutícula pode ser apenas empurrada com cuidado e as unhas podem ser esmaltadas sem problemas. No

10 entanto, ao menor sinal de micose nas unhas ou entre os dedos, é necessário procurar um dermatologista para um tratamento. Vestuário e calçados Os pacientes que retiraram linfonodos abdominais ou inguinais devem utilizar roupas e meias confortáveis, que não apertem muito e não dificultem a circulação nas pernas, virilhas e abdome. As roupas íntimas e as meias devem ser preferencialmente de algodão, para não provocarem alergias, assaduras e para absorverem melhor a transpiração. Também os calçados devem ser macios e confortáveis, de modo que não machuquem os pés e não favoreçam o aparecimento de calos ou deformidades como joanete, por exemplo. Automassagem para pacientes que sofreram linfadenectomia Recomenda-se que todos os pacientes que tiveram linfonodos retirados de qualquer região do corpo, principalmente dos grupamentos linfonodais mais superficiais (axila, inguinal e cervical), realizem a automassagem. Ela visa estimular a absorção e o fluxo linfáticos de outras regiões do corpo, conforme vários relatos da literatura. Essa massagem é realizada nas regiões de grupamentos linfonodais não manipulados pela cirurgia, que estejam íntegros. O grande objetivo é ativar caminhos alternativos, as vias derivativas, presentes no membro superior (por meio das vias supraclavicular e subescapular posterior) e no membro inferior (por meio da via suprapúbica), e também estimular as inúmeras anastomoses linfolinfáticas presentes em abundância por todo o corpo. Os movimentos são circulares e devem ser realizados por pelo menos cinco minutos, várias vezes ao dia. Cada região operada requer uma orientação diferente para o paciente. Por isso, é importante ressaltar que, em qualquer situação, é necessário procurar a orientação do fisioterapeuta especializado, que é o profissional mais indicado para acompanhar o tratamento, informar sobre cuidados especiais com a pele e a cicatriz, e ensinar os movimentos de automassagem específicos a cada caso. LINFEDEMA O linfedema é uma doença crônica, que se caracteriza por um inchaço em determinada região do corpo. Esse inchaço se manifesta pelo acúmulo de líquido nos tecidos, que ocorre em conseqüência de uma dificuldade na circulação linfática. Os pacientes cujas cirurgias retiraram linfonodos são mais propensos a ter esse distúrbio, pela alteração definitiva sofrida na circulação linfática. Entretanto, as cirurgias oncológicas não são as únicas responsáveis pelo aparecimento do linfedema. Outros fatores podem contribuir para esse quadro: obesidade radioterapia lesões cutâneas cicatrização complicada infecções pós-cirúrgicas

11 seroma fístulas linfáticas linfocele. Freqüentemente, a infecção de pele (erisipela), que pode ocorrer após algum ferimento, queimadura ou alergia nos pacientes submetidos à retirada de linfonodos, é o fator que desencadeia essa patologia. Com a infecção, a quantidade de líquido no local aumenta muito e a circulação linfática não é capaz de remover o excesso de linfa, que então se acumula. Por ser crônico, o linfedema não tem cura total. No entanto, tem tratamento, capaz de reduzir o inchaço em cerca de 70%, segundo vários autores. É necessário o controle constante; caso contrário, o linfedema pode recidivar e, novamente o fisioterapeuta deve intervir, voltando à primeira fase do tratamento. Tratamento O linfedema é uma patologia complexa e exige um tratamento complexo. Quando inicial e ainda discreto, é possível revertê-lo com drenagem linfática manual, automassagem e exercícios intensivos durante um período variável de 15 a 30 dias. No entanto, se o edema já tiver atingido grau moderado a grave, com aumento significativo de volume e com certo grau de endurecimento do membro, é necessário um tratamento mais longo dividido em duas fases : - 1ª fase : tem como objetivo reduzir ao máximo o volume do edema. Pode durar desde 3 semanas até 3 meses, dependendo do grau de gravidade do linfedema. As sessões devem ser diárias ou em dias alternados. Em cada terapia, o fisioterapeuta realiza a drenagem linfática manual e enfaixa o membro acometido com faixas inelásticas, de modo que todos os movimentos possam ser realizados. O paciente permanece com as ataduras no membro até a sessão seguinte, devendo em casa realizar exercícios e automassagem. Dessa forma, o edema reduz gradualmente, até estacionar ou até o membro ficar com as medidas normais como as do lado são. Ao chegar nesse ponto, o tratamento segue para a segunda fase. - 2ª fase : tem o objetivo de manter a melhora conseguida na 1ª fase e por isso recebe o nome de fase de manutenção. Nessa fase, não há mais necessidade de enfaixamento nem de sessões de fisioterapia com tanta freqüência. Mas o paciente precisa usar uma braçadeira ou uma meia elástica continuamente, só podendo retirar no horário do banho. Além disso, deve realizar a automassagem e exercícios diariamente, lembrando sempre da necessidade dos cuidados com a pele para evitar inflamações ou infecções ( que fariam o linfedema piorar novamente). Mensalmente, é recomendável que o paciente faça uma reavaliação com o fisioterapeuta que, além de realizar a drenagem linfática manual, dá novas orientações se necessário. Pelo fato do linfedema ser crônico, essa fase do tratamento deve sempre ser seguida. Caso contrário, o linfedema pode aumentar outra vez e o tratamento precisa reiniciar pela 1ª fase. É importante ressaltar que, ao menor sinal de inchaço do membro, o paciente deve logo procurar o tratamento de Fisioterapia que, quanto mais cedo se iniciar, melhores serão os resultados obtidos. Os pacientes que permanecem com linfedema sem tratamento ficam mais sujeitos a freqüentes infecções (como a erisipela, por exemplo), pelo fato da linfa (líquido da limpeza, de proteção) não estar circulando adequadamente no local. E, a cada processo infeccioso, as condições dos vasos

12 linfáticos e da circulação se agravam, aumentando ainda mais o edema naquele membro. Evidentemente, o tratamento do linfedema é desagradável pela necessidade de enfaixamento e uso contínuo de contenção elástica e por exigir rigoroso controle durante toda a vida. Portanto, vale lembrar, o ideal é a prevenção : cuidados com a pele, automassagem e exercícios adequados desde os primeiros dias após a cirurgia são meios extremamente eficazes para diminuir os riscos da instalação do linfedema. O objetivo deste capítulo foi dar uma noção geral da intervenção fisioterapêutica no paciente com câncer ou naquele que se submete ou já se submeteu a tratamento oncológico.

ORIENTAÇÃO E REABILITAÇÃO CARTILHA DE EXERCÍCIOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA PACIENTES EM PÓS-OPERATORIO DE CÂNCER DE MAMA

ORIENTAÇÃO E REABILITAÇÃO CARTILHA DE EXERCÍCIOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA PACIENTES EM PÓS-OPERATORIO DE CÂNCER DE MAMA ORIENTAÇÃO E REABILITAÇÃO CARTILHA DE EXERCÍCIOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA PACIENTES EM PÓS-OPERATORIO DE CÂNCER DE MAMA Seguindo todas essas dicas, você terá uma vida melhor. Vai previnir o linfedema e complicações,

Leia mais

Reabilitação Pós câncer de mama Assistência às mulheres mastectomizadas

Reabilitação Pós câncer de mama Assistência às mulheres mastectomizadas Reabilitação Pós câncer de mama Assistência às mulheres mastectomizadas Profª Drª Fabiana Flores Sperandio O que é câncer de mama? É uma doença que surge quando células da mama sofrem uma mutação e se

Leia mais

Lin dema? VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA ENTENDA AS OPÇÕES TERAPÊUTICAS

Lin dema? VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA ENTENDA AS OPÇÕES TERAPÊUTICAS Lin dema? VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA ENTENDA AS OPÇÕES TERAPÊUTICAS É plenamente possível que as mulheres aprendam a gerenciar o linfedema e possam manter uma vida normal com esta sequela do tratamento do câncer

Leia mais

MASTOLOGIA ORIENTAÇÕES FISIOTERÁPICAS: Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES

MASTOLOGIA ORIENTAÇÕES FISIOTERÁPICAS: Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES O R I E N T A Ç Õ E S AOS PACIENTES MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES Essas orientações são essencialmente para pacientes

Leia mais

O que é o linfedema? O que é o sistema linfático?

O que é o linfedema? O que é o sistema linfático? linfedema 2 O que é o linfedema? O linfedema é um efeito secundário que pode decorrer do tratamento do cancro da mama, ou da própria doença. Caracteriza-se por um inchaço anormal do braço e da mão, mas

Leia mais

Serviço de Medicina Física e Reabilitação INSTITUTO PORTUGUÊS DE ONCOLOGIA DE FRANCISCO GENTIL GUIA DA MULHER SUBMETIDA A CIRURGIA DA MAMA

Serviço de Medicina Física e Reabilitação INSTITUTO PORTUGUÊS DE ONCOLOGIA DE FRANCISCO GENTIL GUIA DA MULHER SUBMETIDA A CIRURGIA DA MAMA Serviço de Medicina Física e Reabilitação INSTITUTO PORTUGUÊS DE ONCOLOGIA DE FRANCISCO GENTIL GUIA DA MULHER SUBMETIDA A CIRURGIA DA MAMA AUTORES: FT. GONÇALO SOARES FT. STELA FRAZÃO LISBOA, NOVEMBRO

Leia mais

Perigo: as brotoejas podem coçar, causando incômodo ao bebê e, por serem uma irritação, tornam-se foco de infecções.

Perigo: as brotoejas podem coçar, causando incômodo ao bebê e, por serem uma irritação, tornam-se foco de infecções. Trate os problemas de pele mais comuns em bebês Pais devem ficam atentos a descamações, manchas e brotoejas Se existe uma característica comum a todos os bebês saudáveis, só pode ser a pele macia e sedosa,

Leia mais

Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo

Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo INTRODUÇÃO Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo Bursite do olécrano é a inflamação de uma pequena bolsa com líquido na ponta do cotovelo. Essa inflamação pode causar muitos problemas no cotovelo.

Leia mais

O que são varizes? IX Semana Estadual de Saúde Vascular

O que são varizes? IX Semana Estadual de Saúde Vascular O que são varizes? Varizes são veias que se tornaram dilatadas e tortuosas ao longo das pernas. Algumas varizes são calibrosas e evidentes na pele. Outras, de menor calibre, chamadas de microvarizes ou

Leia mais

LER/DORT. www.cpsol.com.br

LER/DORT. www.cpsol.com.br LER/DORT Prevenção através s da ergonomia DEFINIÇÃO LER: Lesões por Esforços Repetitivos; DORT: Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho; São doenças provocadas pelo uso inadequado e excessivo

Leia mais

Doenças Vasculares. Flebite ou Tromboflebite. Conceito:

Doenças Vasculares. Flebite ou Tromboflebite. Conceito: Doenças Vasculares Tromboflebiteé uma afecção na qual se forma um coágulo numa veia, em conseqüência de flebite ou devido à obstrução parcial da veia. Flebiteé a inflamação das paredes de uma veia. Causas:

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA

Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Guia do Paciente DAPAGLIFLOZINA Índice Tratando seu diabetes tipo 2 com DAPAGLIFLOZINA 3 Como funciona? 4 Como devo utilizar? 5 Quais são os principais efeitos colaterais do tratamento com DAPAGLIFLOZINA?

Leia mais

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes?

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Com a queda da produção de insulina, hormônio importante para o funcionamento do organismo, resultando no aumento da quantidade de açúcar. Áreas afetadas pelo

Leia mais

Como Se Recuperar Após uma Cirurgia de Extração de Siso

Como Se Recuperar Após uma Cirurgia de Extração de Siso Como Se Recuperar Após uma Cirurgia de Extração de Siso O dente do siso começa a surgir na maioria das pessoas entre os 17 e 24 anos. Porém, em alguns, o siso não nasce completamente e causa dor, inchaços

Leia mais

Dra Tatiana Caloi Cirurgiã Plástica CREMESP 91347 TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO

Dra Tatiana Caloi Cirurgiã Plástica CREMESP 91347 TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO . TERMO DE CONSENTIMENTO INFORMADO 1- EU,, portador (a) do CPF nº, por determinação explícita de minha vontade, reconheço DRA TATIANA MARTINS CALOI, médica inscrita no CREMESP sob o nº 91347, como profissional

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

FACULDADE IPIRANGA TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA ANDREZA DUTRA GOMES DA SILVA LILIANA DE OLIVEIRA MARINHO

FACULDADE IPIRANGA TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA ANDREZA DUTRA GOMES DA SILVA LILIANA DE OLIVEIRA MARINHO FACULDADE IPIRANGA TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA ANDREZA DUTRA GOMES DA SILVA LILIANA DE OLIVEIRA MARINHO A IMPORTÂNCIA DOS TRATAMENTOS ESTÉTICOS NO PRÉ E PÓS- OPERATÓRIO DE CIRURGIA DO CONTORNO CORPORAL

Leia mais

CARTA DE INFORMAÇÕES

CARTA DE INFORMAÇÕES Caro(a) paciente, CARTA DE INFORMAÇÕES É objetivo tanto do paciente e de familiares como também de seu cirurgião plástico que tudo dê certo com a cirurgia. Para que o paciente não se depare com surpresas,

Leia mais

REAÇÕES AGUDAS NO TRATAMENTO DE RADIOTERAPIA

REAÇÕES AGUDAS NO TRATAMENTO DE RADIOTERAPIA REAÇÕES AGUDAS NO TRATAMENTO DE RADIOTERAPIA Enfª Flavia Prestes Radioterapia Hospital Moinhos de Vento II SIMPÓSIO DE RADIOTERAPIA E FÍSICA MÉDICA Radioterapia no HMV Fundada em setembro de 2005. Nº de

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

FISIOTERAPEUTAS! Cura. Diagnóstico Funcional. Bem Estar. Tratamento. Reabilitação. Prevenção O SEU MUNICÍPIO TEM MUITO A GANHAR COM A CONTRATAÇÃO DE

FISIOTERAPEUTAS! Cura. Diagnóstico Funcional. Bem Estar. Tratamento. Reabilitação. Prevenção O SEU MUNICÍPIO TEM MUITO A GANHAR COM A CONTRATAÇÃO DE O SEU MUNICÍPIO TEM MUITO A GANHAR COM A CONTRATAÇÃO DE FISIOTERAPEUTAS! Tudo o que o gestor deve saber sobre fisioterapia e como implantá-la em seu município. Cura Diagnóstico Funcional Bem Estar Qualidade

Leia mais

O quanto você se conhece? O quanto você se cuida? Encontre aqui informações úteis e descomplicadas.

O quanto você se conhece? O quanto você se cuida? Encontre aqui informações úteis e descomplicadas. O quanto você se conhece? O quanto você se cuida? Encontre aqui informações úteis e descomplicadas. O bem-estar da mulher começa com autoconhecimento, que se conduz em equilíbrio e se traduz em saúde.

Leia mais

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento,

O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, O diabetes ocorre em qualquer idade e se caracteriza por um excesso de açúcar no sangue (hiperglicemia). Os principais sintomas são emagrecimento, fome e sede constantes, vontade de urinar diversas vezes,

Leia mais

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM

FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO. Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM FIBROMIALGIA EXERCÍCIO FÍSICO: ESSENCIAL AO TRATAMENTO Maj. Carlos Eugenio Parolini médico do NAIS do 37 BPM A FIBROMIALGIA consiste numa síndrome - conjunto de sinais e sintomas - com manifestações de

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas.

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Cartilha Doenças e Complicações de Verão Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Devido às condições climáticas, diversas são as doenças

Leia mais

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções:

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: CUIDADOS COM A PELE A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: Regular a temperatura do nosso corpo; Perceber os estímulos dolorosos e agradáveis; Impedir a entrada

Leia mais

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP)

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) INTRODUÇÃO O ligamento cruzado posterior (LCP) é um dos ligamentos menos lesados do joelho. A compreensão dessa lesão e o desenvolvimento de novos tratamentos

Leia mais

GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA

GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA GUIA DO PACIENTE DE RADIOTERAPIA GUIA DO PACIENTE Você está iniciando o seu tratamento e acompanhamento conosco. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas, elaboramos este guia com as informações sobre

Leia mais

Curso de Manicure. MANICURE Profissional especializada no tratamento das mãos e dos pés. (masculino manicuro)

Curso de Manicure. MANICURE Profissional especializada no tratamento das mãos e dos pés. (masculino manicuro) Curso de Manicure Catarina de Paula Descobrir como é bom chegar quando se tem paciência. E para se chegar, onde quer que seja, aprendi que não é preciso dominar a força, mas a razão. É preciso, antes de

Leia mais

Reabilitação após o câncer

Reabilitação após o câncer assistência Fisioterapia ajuda a prevenir e superar as sequelas decorrentes do tratamento oncológico Reabilitação após o câncer Durante muito tempo, o único foco do tratamento do câncer era a sobrevivência

Leia mais

Micoses. Cuidados e Tratamentos

Micoses. Cuidados e Tratamentos Micoses Cuidados e Tratamentos Micoses Superfi ciais As micoses superficiais da pele são infecções causadas por fungos que atingem a pele, unhas e cabelos. Os fungos estão em toda parte podendo ser encontrados

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações Primeiros Socorros Objetivos Salvar a vida humana Minimizar a dor Evitar complicações Abordagem na vítima Verificar Sinais Vitais Verificar se há sangramento, fraturas e etc. Informar-se,se possível o

Leia mais

05 Queimaduras em cozinhas

05 Queimaduras em cozinhas 05 Queimaduras em cozinhas As queimaduras mais comuns são as provocadas por líquidos e a maioria das vítimas são as crianças. O álcool líquido está envolvido em grande parte dos acidentes que provocam

Leia mais

Artrodese do cotovelo

Artrodese do cotovelo Artrodese do cotovelo Introdução A Artrite do cotovelo pode ter diversas causas e existem diversas maneiras de tratar a dor. Esses tratamentos podem ter sucesso pelo menos durante um tempo. Mas eventualmente,

Leia mais

Pré e pós operatório imediato Seguimento

Pré e pós operatório imediato Seguimento III Workshop de Fisioterapia no Câncer de Mama Sessão 2 - Fisioterapia no Câncer de Mama: Quais as evidências e as recomendações atuais no pré e no pós-operatório imediato e tardio? Pré e pós operatório

Leia mais

Sintomas da LER- DORT

Sintomas da LER- DORT LER-DORT A LER e DORT são as siglas para Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho. Os termos LER/DORT são usados para determinar as afecções que podem lesar

Leia mais

Conteúdo do curso de pedras quentes na Bergqvist Massagem e Treinamento

Conteúdo do curso de pedras quentes na Bergqvist Massagem e Treinamento Conteúdo do curso de pedras quentes na Bergqvist Massagem e Treinamento O que são pedras quentes? A massagem com pedras quentes é muito utilizada em terapias naturais ou complementares, como em consultórios

Leia mais

Dez causas de dor nos pés Por Vitor Almeida Ribeiro de Miranda Médico Ortopedista Membro da Associação Brasileira de Cirurgia do Pé

Dez causas de dor nos pés Por Vitor Almeida Ribeiro de Miranda Médico Ortopedista Membro da Associação Brasileira de Cirurgia do Pé Dez causas de dor nos pés Por Vitor Almeida Ribeiro de Miranda Médico Ortopedista Membro da Associação Brasileira de Cirurgia do Pé Grande parte dos problemas nos pés são causados por calçados mau adaptados.

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

FISIOTERAPIA QUESTÕES DISCURSIVAS

FISIOTERAPIA QUESTÕES DISCURSIVAS ENADE-2007- PADRÃO DE RESPOSTA FISIOTERAPIA QUESTÕES DISCURSIVAS QUESTÃO 37 a) O início da resposta inflamatória é determinado por uma vasoconstrição originada de um reflexo nervoso que lentamente vai

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA

POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA O nosso corpo é uma máquina fantástica, que não foi feita para ficar parada. Se você estiver realmente decidido a ter uma atitude positiva em relação a sua saúde e ao seu

Leia mais

A cera quente de mel é o método mais rápido e prático para a depilação feminina. Ela remove até 99% dos pelos.

A cera quente de mel é o método mais rápido e prático para a depilação feminina. Ela remove até 99% dos pelos. Cera Quente de Mel A cera quente de mel é o método mais rápido e prático para a depilação feminina. Ela remove até 99% dos pelos. O ideal é que eles estejam pelo menos 1 cm para for a da pele. Assim, a

Leia mais

Nº CASOS NOVOS OBTIDOS TAXA INCID.*

Nº CASOS NOVOS OBTIDOS TAXA INCID.* HANSENÍASE O Ministério da Saúde tem o compromisso de eliminação da hanseníase como problema de saúde pública até 2015, ou seja, alcançar menos de 1 caso por 10.000 habitantes. Pode-se dizer que as desigualdades

Leia mais

Introdução. O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e. humano.

Introdução. O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e. humano. Introdução O conforto e a Segurança abrangem aspectos físicos, psicossociais e espirituais e constituem necessidades básicas do ser humano. Movimentação do paciente Para que o paciente se sinta confortável

Leia mais

Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna

Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna 10 Capítulo 3 Úlceras Tróficas de Perna As úlceras tróficas de perna constituem uma doença mutilante comum, que surge geralmente a partir de um pequeno trauma ou de uma infecção secundária em regiões da

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

TESTEMUNHOS DE TERAPEUTAS

TESTEMUNHOS DE TERAPEUTAS TESTEMUNHOS DE TERAPEUTAS Anualmente são formados em Portugal Terapeutas Bowen ISBT que vão exercendo a sua prática de norte a sul do país! Recolhemos alguns testemunhos, querendo saber o que representa

Leia mais

PREVENÇÃO DA INFECÇÃO CIRÚRGICA

PREVENÇÃO DA INFECÇÃO CIRÚRGICA HOSPITAL DE SANTA MARIA COMISSÃO DE CONTROLO DA INFECÇÃO HOSPITALAR Piso 6, Tel. 5401/1627 Norma n.º 4 (Actualização em Março de 2006) PREVENÇÃO DA INFECÇÃO CIRÚRGICA De acordo com o Inquérito de Prevalência

Leia mais

2. Contra indicações relativas: Pacientes hemodinamicamente instáveis e cirurgias urológicas.

2. Contra indicações relativas: Pacientes hemodinamicamente instáveis e cirurgias urológicas. Revisão: 10/07/2013 PÁG: 1 CONCEITO Prática de higiene destinada a identificar pacientes em risco de desenvolver infecção da genitália, do trato urinário ou do trato reprodutivo e assegurar conforto físico.

Leia mais

Produtos Naturais SHINSEI, o melhor para Você em sua Essência

Produtos Naturais SHINSEI, o melhor para Você em sua Essência Produtos Naturais SHINSEI, o melhor para Você Essência A EMPRESA A Phytos Essence traz para você a tecnologia e a qualidade dos produtos SHINSEI para o bem estar e cuidado diário do corpo. Com estrutura

Leia mais

QUEIMADURAS. Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com

QUEIMADURAS. Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com QUEIMADURAS Profª Sabrina Cunha da Fonseca E-mail: sabrina.cfonseca@hotmail.com Problemática da queimadura no Brasil São lesões frequentes em acidentes de trabalho. Considera-se a quarta causa de óbitos

Leia mais

Lymphedema: a possible late effect of some cancer treatments - Portuguese. Para pacientes com cancro que podem estar em risco de desenvolver linfedema

Lymphedema: a possible late effect of some cancer treatments - Portuguese. Para pacientes com cancro que podem estar em risco de desenvolver linfedema Linfedema: Um possível efeito tardio de alguns tratamentos oncológicos Lymphedema: a possible late effect of some cancer treatments - Portuguese UHN Para pacientes com cancro que podem estar em risco de

Leia mais

TRATAMENTOS ESTÉTICOS Professora: Debora Siqueira

TRATAMENTOS ESTÉTICOS Professora: Debora Siqueira MASSAGEM MODELADORA Indicadas para modelar o corpo e reduzir medidas; além de ser importante no combate contra a celulite; TRATAMENTOS ESTÉTICOS Professora: Debora Siqueira MASSAGEM MODELADORA Esta técnica,

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184

MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 MANUAL DE INSTRUÇÕES DEPILADOR ELÉTRICO AT-3184 POR FAVOR, LEIA ESTE MANUAL ATENTAMENTE ANTES DE UTILIZAR O PRODUTO Você acabou de adquirir um produto ETERNY, da mais alta qualidade. Agradecemos a sua

Leia mais

HIGIENE BUCAL PARA BEBÊS

HIGIENE BUCAL PARA BEBÊS HIGIENE BUCAL PARA BEBÊS Deve-se pensar em higiene bucal do bebê desde o momento em que se introduz alguma coisa que não esteja esterilizada em sua boca, como por exemplo o bico do peito. A higiene, enquanto

Leia mais

A cera quente de mel é o método mais rápido e prático para a depilação feminina. Ela remove até 99% dos pelos.

A cera quente de mel é o método mais rápido e prático para a depilação feminina. Ela remove até 99% dos pelos. Cera Quente de Mel A cera quente de mel é o método mais rápido e prático para a depilação feminina. Ela remove até 99% dos pelos. O ideal é que eles estejam pelo menos 1 cm para for a da pele. Assim, a

Leia mais

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos 1 Organização das Aulas Uma aula de Educação Física é composta por três partes sequenciais, cada uma com objetivos específicos. 1.1 Parte Inicial A parte inicial

Leia mais

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP INTRODUÇÃO Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP Desde que os cirurgiões ortopédicos começaram a utilizar câmeras de vídeo, chamadas artroscópios, para visualizar, diagnosticar e tratar problemas dentro da

Leia mais

INSTRUÇÕES CIRURGICAS

INSTRUÇÕES CIRURGICAS INSTRUÇÕES CIRURGICAS Estas orientações são feitas para que você entenda melhor o que irá ocorrer antes e depois de sua cirurgia. Leia com atenção, e siga corretamente as instruções que se aplicam ao seu

Leia mais

saúde Sedentarismo Os riscos do Saiba as causas e consequências de ficar parado e mexa-se!

saúde Sedentarismo Os riscos do Saiba as causas e consequências de ficar parado e mexa-se! saúde Sinal Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Ano I - Nº 4 - Dezembro 2014 Os riscos do Sedentarismo Saiba as causas e consequências de ficar parado e mexa-se! O sedentarismo é resultado

Leia mais

Orientações de Biossegurança aos Profissionais de Beleza. Apresentação

Orientações de Biossegurança aos Profissionais de Beleza. Apresentação Sumário Apresentação Prevenção contra doenças Estabelecimentos regularizados Como elaborar o Manual de Rotinas e Procedimentos Higienização do Ambiente Produtos e Equipamentos Esterilização Serviços Cabelereiros

Leia mais

Cuidados após cirurgia de mama com esvaziamento axilar. Orientações aos pacientes

Cuidados após cirurgia de mama com esvaziamento axilar. Orientações aos pacientes Cuidados após cirurgia de mama com esvaziamento axilar Orientações aos pacientes 2011 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Todos os direitos reservados. A reprodução,

Leia mais

Reabilitação e Prevenção de Sequelas na Criança Queimada

Reabilitação e Prevenção de Sequelas na Criança Queimada Reabilitação e Prevenção de Sequelas na Criança Queimada Isabel Seixo, Dina Nunes, Alexandra Castro Serviço de Medicina Física e de Reabilitação Hospital Dona Estefânia Novembro 2011 Queimadura Agressão

Leia mais

MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO

MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO MASTOPLASTIA ESTÉTICA DE AUMENTO A mama é considerada um dos grandes símbolos da feminilidade, pois além de ser uma das partes mais sensuais do corpo feminino, também está fortemente ligada a maternidade.

Leia mais

EXERCÍCIO FÍSICO: ESTRATÉGIA PRIORITÁRIA NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DA QUALIDADE DE VIDA.

EXERCÍCIO FÍSICO: ESTRATÉGIA PRIORITÁRIA NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DA QUALIDADE DE VIDA. 1 EXERCÍCIO FÍSICO: ESTRATÉGIA PRIORITÁRIA NA PROMOÇÃO DA SAÚDE E DA QUALIDADE DE VIDA. Tales de Carvalho, MD, PhD. tales@cardiol.br Médico Especialista em Cardiologia e Medicina do Esporte; Doutor em

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PARA O TRABALHO EM SAÚDE PET / SVS MS NOVEMBRO AZUL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PARA O TRABALHO EM SAÚDE PET / SVS MS NOVEMBRO AZUL Universidade Federal do Acre Centro de Ciências da Saúde e do Desporto PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PARA O TRABALHO EM SAÚDE PET / SVS MS PROF. DR. CRESO MACHADO LOPES Tutor NOVEMBRO AZUL CAMPANHA DE

Leia mais

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama Cancro da Mama O Cancro da Mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células do tecido mamário. Um tumor maligno consiste num grupo de células alteradas (neoplásicas) que pode invadir os tecidos vizinhos

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

Núcleo de Ensino em saúde www.sogab.com.br Escola de Massoterapia APOSTILA DE POMPAGEM. Pompagem

Núcleo de Ensino em saúde www.sogab.com.br Escola de Massoterapia APOSTILA DE POMPAGEM. Pompagem Pompagem Dentre as várias técnicas da terapia manual, a Pompagem é uma das mais simples de ser aplicada e traz benefícios aos pacientes quase de imediato. Foi desenvolvida por um osteopata Norte-Americano

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

Clindoxyl Control peróxido de benzoíla

Clindoxyl Control peróxido de benzoíla Clindoxyl Control peróxido de benzoíla APRESENTAÇÕES Gel 50 mg/g (5%) ou 100 mg/g (10%) em bisnaga de 45g USO EXTERNO VIA TÓPICA USO ADULTO E PACIENTES ACIMA DE 12 ANOS COMPOSIÇÃO Clindoxyl Control 5%

Leia mais

Centro de Reeducação Respiratória e Postural S/C Ltda Josleide Baldim Hlatchuk Fisioterapeuta CREFITTO 12.408F

Centro de Reeducação Respiratória e Postural S/C Ltda Josleide Baldim Hlatchuk Fisioterapeuta CREFITTO 12.408F RPG 1. DEFINIÇÃO A Reeducação Postural Global é um método fisioterápico de correção e tratamento da dor, que trabalha sobre as cadeias de tensão muscular utilizando posturas de alongamento excêntrico ativo

Leia mais

Febre Reumática Sociedade Brasileira de Reumatologia

Febre Reumática Sociedade Brasileira de Reumatologia Febre Reumática CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://www.guildford.gov.uk/play EDITORAÇÃO: Rian Narcizo Mariano PRODUÇÃO: www.letracapital.com.br Copyright SBR-, 2011 O conteúdo desta

Leia mais

RESUMO. Palavras- chave: Fisioterapia. Câncer de Mama. Câncer de Mama Avaliação. INTRODUÇÃO

RESUMO. Palavras- chave: Fisioterapia. Câncer de Mama. Câncer de Mama Avaliação. INTRODUÇÃO AVALIAÇÃO DE MEMBRO SUPERIOR EM MULHERES MASTECTOMIZADAS Mara Vania Guidastre - m_risaguist@hotmail.com Marcela Da Silva Mussio - marcela_mussio@hotmail.com Ana Cláudia De Souza Costa - anaclaudia@unisalesiano.edu.br

Leia mais

Treino de Alongamento

Treino de Alongamento Treino de Alongamento Ft. Priscila Zanon Candido Avaliação Antes de iniciar qualquer tipo de exercício, considera-se importante que o indivíduo seja submetido a uma avaliação física e médica (Matsudo &

Leia mais

CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS

CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS ORIENTAÇÃO AOS PEDAGOGOS Todas as informações constantes nesta cartilha devem ser levadas ao conhecimento de todos os alunos,

Leia mais

O COMPLEXO DO OMBRO TENDINITE DE OMBRO. Dra. Nathália C. F. Guazeli

O COMPLEXO DO OMBRO TENDINITE DE OMBRO. Dra. Nathália C. F. Guazeli 3 Março/2013 TENDINITE DE OMBRO Dra. Nathália C. F. Guazeli GALERIA CREFITO 3 / 78.186 F O COMPLEXO DO OMBRO Para entender o que é Tendinite de Ombro, vale a pena conhecer um pouquinho como ele é composto,

Leia mais

Continuação. 7. Componentes da massagem. 8. Movimentos. 8.1 Deslizamento 8.2 Digitopressão 8.3 Amassamento

Continuação. 7. Componentes da massagem. 8. Movimentos. 8.1 Deslizamento 8.2 Digitopressão 8.3 Amassamento Quick massagem 1. Introdução 2. Vantagens da Quick Massage 2.1 Qualquer local de trabalho 2.2 Baixo custo 2.3 Independência de horário 2.4 Resultado imediato 2.5 Tratamento rápido 2.6 Não precisa tirar

Leia mais

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo Higiene do bebê O curativo do umbigo Organizo meu futuro porque o presente já passou. O curativo do umbigo deve ser feito todos os dias, depois do banho, até que o cordão do umbigo seque e caia. Isso leva

Leia mais

TIPOS DE TRATAMENTOS ONCOLÓGICOS CIRURGIA QUIMIOTERAPIA SISTÊMICA

TIPOS DE TRATAMENTOS ONCOLÓGICOS CIRURGIA QUIMIOTERAPIA SISTÊMICA TIPOS DE TRATAMENTOS ONCOLÓGICOS Prof a Dra. Nise H. Yamaguchi Prof a Dra Enf a Lucia Marta Giunta da Silva Profª. Dra. Enf a Maria Tereza C. Laganá A abordagem moderna do tratamento oncológico busca mobilizar

Leia mais

"Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos, manias e grande potencial.

Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos, manias e grande potencial. Lesão Medular Dra. Beatriz G. Castiglia Especialista em Medicina Física e Reabilitação "Após a lesão medular, é preciso compreender a nova linguagem do corpo, para descobrir que é a mesma pessoa, com desejos,

Leia mais

DOENÇAS DA PRÓSTATA. Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS

DOENÇAS DA PRÓSTATA. Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS DOENÇAS DA PRÓSTATA Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS O QUE É A PRÓSTATA? A próstata é uma glândula que tem o tamanho de uma noz, e se localiza abaixo da bexiga, envolvendo a uretra masculina.

Leia mais

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Orientação para pacientes com Doença do Refluxo Gastroesofágico. O Que é Doença do Refluxo? Nas pessoas normais, o conteúdo do estômago (comida ou acido clorídrico)

Leia mais

Risco infecção. Coisas que podem ajudar a prevenir infecções: Baixo número de glóbulos brancos no sangue (leucopenia)

Risco infecção. Coisas que podem ajudar a prevenir infecções: Baixo número de glóbulos brancos no sangue (leucopenia) INFECÇÃO 2 Risco infecção Baixo número de glóbulos brancos no sangue (leucopenia) Ter um número baixo de leucócitos (glóbulos brancos) no sangue diminui a capacidade do corpo combater contra infecções.

Leia mais

Fratura da Porção Distal do Úmero

Fratura da Porção Distal do Úmero Fratura da Porção Distal do Úmero Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo O cotovelo é composto de 3 ossos diferentes que podem quebrar-se diversas maneiras diferentes, e constituem

Leia mais

CUIDADOS COM A SAÚDE DA BOCA

CUIDADOS COM A SAÚDE DA BOCA CUIDADOS COM A SAÚDE DA BOCA CD Elaine C. Camargo Especialista em Odontologia Preventiva e Social, Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais e em Administração Hospitalar. Mestranda em Imaginologia

Leia mais

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO

O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE PÉ DIABÉTICO PROBLEMAS CAUSADOS PELO DIABETES MELLITUS CORAÇÃO: Doença arterial coronariana e risco de infarto do miocárdio RINS: Nefropatia CÉREBRO: Acidente vascular cerebral

Leia mais

A PRÁTICA DA MASSAGEM TERAPÊUTICA SOB A ÓTICA DA PSICOLOGIA CORPORAL

A PRÁTICA DA MASSAGEM TERAPÊUTICA SOB A ÓTICA DA PSICOLOGIA CORPORAL 1 A PRÁTICA DA MASSAGEM TERAPÊUTICA SOB A ÓTICA DA PSICOLOGIA CORPORAL Liane Veronese RESUMO O tema visa demonstrar a diferença de visão que um profissional da saúde massoterapeuta/fisioterapeuta tem do

Leia mais

Relatório Especial de Milagre Para A Acne

Relatório Especial de Milagre Para A Acne www.milagreparaaacne.com 1 A Acne: Chega de Mentiras Relatório Especial de Milagre Para A Acne www.milagreparaaacne.com 2 Existem pessoas que, durante toda sua vida, nunca sofrem de acne, enquanto outras

Leia mais

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013

HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013 HIGIENIZAÇÃO HOSPITALAR 2013 O Hospital realiza uma combinação complexa de atividades especializadas, onde o serviço de Higienização e Limpeza ocupam um lugar de grande importância. Ao se entrar em um

Leia mais

Pegadas de Neil Armstrong na superfície lunar. Créditos: NASA.

Pegadas de Neil Armstrong na superfície lunar. Créditos: NASA. Em 20 de julho comemoramos o aniversário de 45 anos da viagem do homem à Lua. Neil Armstrong é o dono de uma das pegadas mais famosas que a humanidade conhece. Como você tem cuidado de quem o ajuda com

Leia mais

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Prevenir é o melhor remédio para uma boa saúde, evitando-se as doenças e suas complicações. Problemas respiratórios, por exemplo, podem se tornar

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

Primeiros Socorros Volume I

Primeiros Socorros Volume I Manual Primeiros Socorros Volume I um Manual de Junho de 2008 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode

Leia mais

Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados

Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados SUMÁRIO Prezado cuidador....................... 03 Algumas Sugestões Sobre Higiene Bucal e Corporal........ 04 Banho.......................................

Leia mais