Seja Bem-vindo, 2014!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seja Bem-vindo, 2014!"

Transcrição

1 Janeiro de Sobradinho-DF Janeiro de 2014 NOTAS & NOTÍCIAS Assembleia aprova orçamento para 2014 Página 04 Seja Bem-vindo, 2014! Famílias celebram o Ano Novo no Alto da Boa Vista PASSO A PASSO A Coordenação de Engenharia e Meio Ambiente dá dicas sobre Instalações Sanitárias residenciais Páginas 06 e 07 Em foco Sem terras desocupam área próxima ao CABV Página 08 INFRAESTRUTURA Acompanhe o dia-a-dia das obras no CABV Páginas 12, 13, 14 e 15 em foco COINFRA acompanha a aplicação dos recursos da Taxa Extra Página 16 Outro motivo de festa é o avanço das obras de infraestrutura no Alto da Boa Vista

2 2 - Janeiro de 2014 Ponto de Vista CABV Comemora 2014 Entramos em 2014! Para nós do CABV é um novo ano que começa com a certeza de que fizemos boas escolhas. Vencemos até aqui muitas batalhas, porém temos muito caminho pela frente, com novos desafios. Seguiremos com a esperança renovada. Juntos nós veremos a realização daquilo que tanto lutamos: a escritura dos nossos lotes, novas construções, a infraestrutura de que precisamos e muito mais qualidade de vida para as nossas famílias. E nós estaremos aqui, de mãos dadas, contando essa história que ajudamos a escrever. Em breve... Para isso, a participação de todos os condôminos nas José Araújo Síndico do CABV Foto: Rõmulo serpa Assembleias é fundamental. Ela fortalece nossas ações e democratiza o processo. É preciso, mais do que nunca, envolvimento! A experiência das obras de infraestrutura já executadas até aqui nos trouxe a segurança da estratégia adotada. Estamos no caminho certo. E é por isso que não estamos fatigados. Pelo contrário! Temos uma equipe solícita, envolvida e reestruturada que acredita, de fato, no Alto da Boa Vista. E antes de encerrarmos 2013, presenciamos a saída dos Sem terras que ocuparam, por quase 2 meses, uma área próxima ao CABV, desfrutamos das atividades do Lar Verde Lar que segue, há 5 anos, conscientizando e mobilizando condôminos e, enfim, celebramos juntos a chegada de 2014 numa festa animada e familiar. Temos muitos motivos para avançar. Temos muitos motivos para acreditar. Temos muitos motivos para comemorar, e temos, sobretudo, muitos desafios pela frente. Mas a família Cabvense está acostumada a conquistar, respeitando o meio ambiente e todas as formas de vida. Esse já é o nosso legado. Vamos em frente? O Ano da Sua Vida O ano de 2014 não é mais um ano que chega... Não! Ele é o ano decisivo. Afinal o novo ano será exatamente o que fizermos dele. Você é o autor e tem 365 novas chances de recomeçar, tentar, realizar. Este é o momento para se desafiar mais... Quem sabe se conhecer mais e, assim,até ser mais feliz! E gente feliz costuma fazer o outro feliz, inevitavelmente. Para 2014, toda a paz, todo o amor, muita saúde e alegria. Faça história em 2014! Transforme-o em um dos anos mais importantes da sua vida, simplesmente porque ele é o seu instante presente. É ele que você tem agora. Agarre-o! Não deixe para depois, não espere o próximo e, sobretudo, não se prenda ao que passou... Mais tarde, vai olhar para trás e descobrir que os melhores anos da sua vida foram aqueles que você decidiu que iam ser melhores. Um 2014 muito, muito melhor para todos nós! São os votos da Direção Geral do Condomínio Alto da Boa Vista. Texto de Jarana Kalline, adaptado EXPEDIENTE Jornalista Responsável: Quézia Queiroz Reg. Prof. nº 8049/DRT-DF Diagramação: André Filho - Fone/fax: (61) Diretoria Executiva: José Araújo Cardoso Ranulfo Guedes Saraiva Francisco de Assis Araújo Alberto dos Santos Lima Suplentes: Maria Conceição de Araújo Costa Odmar Guedes da Silva Conselho Consultivo: Carlos Queiroz de Medeiros Gualbércules dos Santos Paulo Cesar de Almeida Pires Rafael Urzedo Pinto Ivete Silva Couto Maria José Machado Conselho Fiscal: Severino Ferreira de Sousa Celso Monteiro da Silva Ornélio Guedes da Silva Arivaldo Pereira Sampaio Valmir Francisco

3 Janeiro de Fala Morador Família completa 1 ano morando no CABV Carivaldo João é condômino antigo. Mas o sonho de morar no Alto da Boa Vista realizou-se há pouco mais de 1 ano. Antes disso, teve endereço no Guará e em Sobradinho, mas foi o ar puro e o canto dos pássaros que conquistou a família definitivamente. Há 30 anos Carivaldo está muito bem casado - como ele mesmo define - com Dona Noeme. Pai de Lorene e Alexandre, filhos já adultos, fala com entusiasmo do papel que, no momento parece ser o preferido: o de avô. É que a filha Lorene também escolheu morar no Condomínio e isso tem proporcionado momentos especiais, em família: Ver meus netos correndo com liberdade, usufruindo dos espaços de lazer, com tranquilidade e segurança faz a gente gostar de morar aqui, ele afirma. Na hora de decidir aonde construir para, de fato, morar, a escolha pelo Alto da Boa Vista se deu, segundo Carivaldo, também, pelo fato de o Condomínio ser referência no Distrito Federal em ocupação organizada e ambientalmente correta, e pelo avançado processo de regularização. A família levou em conta, ainda, a boa localização e a boa vista, como o próprio nome já diz. O momento mais marcante que viveram até hoje, no CABV, não poderia ter sido outro: O dia da mudança. Com certeza foi aquele dia 12 de outubro de 2012 quando pisamos na nossa casa e sentimos a sensação de morar no que é Foto: Arquivo Pessoal Condômino Carivaldo e família nosso! Nós concluímos a construção... Nosso sonho... Foi o início de um novo tempo, uma virada nas nossas vidas, ele conta. O que pode melhorar no CABV? Eles têm a resposta na ponta da língua: A infraestrutura, em geral. Como toda a família Cabvense eles esperam aproveitar, em breve, os benefícios das obras de infraestrutura que estão em andamento no Condomínio. Com isso, a família torce para que o comércio interno seja implementado para atender as necessidades dos condôminos: Sentimos muita falta de um comércio estabelecido de forma legal para atender as nossas demandas do dia-a-dia, declara. Das boas surpresas reservadas para quem mora no Condomínio, Carivaldo ressalta o contato com a terra, a possibilidade de plantar e colher. A tranquilidade é outro ponto forte que ele atribui à segurança eficiente: Isso faz com que as famílias não vivam em sobressalto afirma o condômino. Vida equilibrada, com mais espaço e qualidade é o diferencial do CABV. Carivaldo aproveita para deixar um recado: Desejo que tenhamos um ano bem sucedido, com mais obras e mais benefícios para todos nós. E que estejamos todos em um mesmo pensamento, andando de mãos dadas, rumo a estas conquistas.

4 4 - Janeiro de 2014 Notas & Notícias Em Assembleia, Condôminos aprovam Orçamento para 2014 A proposta Orçamentária do Condomínio Alto da Boa Vista, para o exercício financeiro de 2014, foi aprovada pelos condôminos na 49ª Assembleia Geral Ordinária, reunida no dia 07 de dezembro de Antes disso, a proposta elaborada pela Diretoria Executiva foi submetida à apreciação do Conselho Consultivo em setembro e, finalmente, disponibilizada aos condôminos para emendas entre os meses de outubro e novembro. O objetivo é oportunizar a manifestação antecipada dos condôminos sobre os gastos do CABV. De acordo com o Sub Síndico do CABV, relator do orçamento 2014, Ranulfo Guedes, isso torna o processo participativo e é fundamental para consolidar a transparência na aplicação dos recursos do Condomínio. Este é um procedimento democrático de construção coletiva. Uma das marcas do condomínio há mais de 14 anos, fundamental para a estabilidade financeira do CABV, declarou Ranulfo. Ainda segundo o relator, os recursos oriundos da taxa ordinária cobrem despesas de custeio, tais como: Manutenção da rede de iluminação pública, manutenção da rede de abastecimento de água, serviço de segurança interna, despesas com pessoal, manutenção das áreas de lazer, manutenção de máquinas, veículos e equipamentos, manutenção das instalações administrativas, envio de correspondências aos condôminos, recolhimento de lixo, roçagem do Condomínio, entre outras. Foto: Arquivo CABV O Relator Ranulfo Guedes apresentando parecer sobre as emendas dos condôminos IMPORTANTE Saiba como você, condômino, pode acompanhar a aplicação dos recursos financeiros do seu Condomínio Uma vez aprovada a Proposta Orçamentária do CABV, para o ano de 2014, a aplicação dos recursos financeiros do Condomínio é fiscalizada pelo Conselho Fiscal, auditada por uma empresa independente de Auditoria, contratada pelo Conselho e, por fim, submetida à apreciação em Assembleia Geral. Você sabia que os condôminos podem acompanhar os demonstrativos financeiros do Condomínio, antes mesmo da prestação de contas anual aquela já prevista na Convenção do CABV? É simples. Para isso, os interessados solicitam o seu cadastro junto ao Núcleo Financeiro. E para quem já tem cadastrado no Condomínio basta entrar em contato - endereço eletrônico: solar.com.br - indicando o interesse em acompanhar mais de perto as contas do Alto da Boa Vista. A partir daí, mensalmente você receberá os respectivos demonstrativos financeiros, por . Vale ressaltar que este procedimento foi debatido no âmbito do Conselho Fiscal do CABV, na 67ª Assembleia Geral Extraordinária e ainda definido 43ª Assembleia Geral Ordinária. Ficou, então, definida a divulgação dos Demonstrativos Financeiros da Taxa Ordinária do Condomínio aos condôminos que manifestarem interesse em recebê-los, por . É possível acompanhar, também, de forma detalhada e completa a movimentação financeira, inclusive da taxa extraordinária. Basta solicitar vistas através de requerimento padrão, na recepção do CABV. Agora que você já sabe que o Orçamento é fruto de um processo democrático de construção coletiva e conhece os caminhos para acompanhar a aplicação dos recursos aprovados, participe!

5 Janeiro de Notas & Notícias Escrituras Temos noticiado, a cada edição, os avanços no processo para a emissão das escrituras. Em maio do ano passado, após uma série de mediações da Direção Geral do CABV com o governo do DF, o Decreto de Regularização do Condomínio foi revalidado. Nos 4 meses seguintes, o empreendedor, Fábio Fonseca, atualizou documentos e cumpriu as últimas exigências pendentes. E no dia 04/11/13 foi dado o passo mais importante da história do CABV: A Associação dos Moradores e Adquirentes do Condomínio Alto da Boa Vista (ASMAC-ABV), em nome dos condôminos e cumprindo o compromisso firmado pela Direção do CABV, deu entrada no Registro do Loteamento Alto da Boa Vista, junto ao Sétimo Cartório de Registro de Imóveis do DF em Sobradinho. Todas as exigências solicitadas pelo Cartório foram cumpridas, e o Edital de Registro do Condomínio foi publicado em Jornal de Grande Circulação e no Diário Oficial do GDF, no período de 10 a 13 de dezembro de Passado o prazo legal, houve impugnação ao Registro do Loteamento apenas por parte de 5 adquirentes de lotes na APM Mestre D Armas situados fora da área regularizada do CABV. Os impugnantes tem por objetivo a realocação de 9 lotes da Área de Proteção de Mananciais para a área regularizada. Os lotes são 6 residenciais e 3 comerciais. Segundo o assessor jurídico do CABV, Idamar Borges, apesar destas impugnações, podemos afirmar que o Alto da Boa Vista foi vitorioso, pois as fundamentações não possuem o condão de impedir o registro definitivo do loteamento a posteriori. As impugnações impedem, no momento, o Registro do Loteamento, mas os argumentos apresentados não são suficientes para impedir que o resultado final seja positivo, ou seja, apenas deve protelar o Registro. Não há como garantir um prazo específico, porém este tipo de procedimento é rápido. O artigo 19 da Lei de 19/12/79, que dispõe sobre Parcelamento do Solo Urbano, estabelece um rito sumário para casos de impugnação, explicou Dr. Idamar. Então, esperamos, em breve, noticiar a tão sonhada escritura individual dos lotes do Condomínio alto da Boa Vista. Até lá, acompanharemos cada passo, cada novo desafio e, consequentemente, nova conquista. Conselhos têm novos membros eleitos Novos condôminos foram eleitos para os Conselhos Consultivo e Fiscal nas Eleições do CABV, que ocorreram no dia 09/11/13, para o biênio 2014/2016. Os resultados foram: CONSELHO CONSULTIVO Foram eleitos os condôminos: ARIVALDO PEREIRA SAMPAIO e MARIA JOSÉ MACHADO. Os condôminos JADER BORGES GUIMA- RÃES e JOSÉ MONTE ARAGÃO ficaram para suplência. CONSELHO FISCAL - Foram eleitos os seguintes condôminos: ORNÉLIO GUEDES DA SILVA, CELSO MONTEIRO DA SILVA e IVETE SILVA COUTO ficando para suplência os condôminos: SIRLEI GE- RALDO DA COSTA e CARLOS ANTONIO VIANA. Todos os eleitos tomarão posse no dia 11 de janeiro de 2014 e cumprirão mandato a contar do dia da posse a 09 de janeiro de Diplomação dos novos membros eleitos Apuração dos votos das Eleições PRESTAÇÃO DE CONTAS Tesoureiro Alberto Lima apresentando o Relatório aos condôminos A 47º Assembleia Geral Ordinária do Condomínio Alto da Boa Vista, reunida em 27/07/2013, aprovou o Relatório de Prestação de Contas referente ao Exercício Financeiro de 2012, apresentado pelo tesoureiro, Alberto Lima. O documento detalhou toda a movimentação financeira, contábil e patrimonial do CABV. Aprestação de Contas anual é determinação da Convenção e do Regimento do Condomínio.

6 6 - Janeiro de 2014 Passo a Passo INSTALAÇÕES SANITÁRIAS RESIDENCIAIS Dando continuidade a nossa matéria do passo-a-passo, nesta edição vamos orientar sobre a importância do projeto sanitário ou projeto de esgoto no planejamento da futura residência. Para evitar retrabalho na elaboração do projeto sanitário é indicado que o projeto de arquitetura já tenha sido definido, para que sirva como base para desenvolvimento do mesmo, além disso, é essencial a compatibilização do projeto sanitário com o projeto estrutural, para evitar problemas futuros. De posse dessas informações é necessário que o profissional verifique as condições do terreno in loco e que o cliente transmita ao profissional os seus interesses e necessidades. É comum encontramos o terreno acidentado, no qual parte do lote seja mais baixo que o nível da rua, onde poderá ser necessário o aterro para que o sistema venha a funcionar de maneira eficiente. Componentes do Sistema de Esgoto: É importante que todas as áreas molhadas possuam um sistema de capitação de esgoto. Vale frisar que o sistema de capitação das águas da chuva é um sistema diferenciado do sistema de esgoto, ou seja, eles possuem ramais independentes e não se conectam. O lançamento indevido de águas de chuva na rede de esgotos pode causar diversos problemas para o próprio morador (pode causar extravasamento de esgotos no próprio lote), bem como para rede pública de esgotamento sanitário, que não é dimensionada para receber essa vazão adicional. Algumas peças são fundamentais para o bom funcionamento do sistema de esgoto, como o ralo sifonado, que evita a saída do odor da tubulação para o ambiente. Também os ralos e caixas sifonadas possuem um ramal de ventilação, comumente conhecida com suspiro ou coluna de ventilação. Este suspiro também é ligado às caixas de inspeção para a ventilação dos tubos de saída das bacias sanitárias. As tubulações de ventilação são de fundamental importância para evitar cheiros desagradáveis dentro da residência. Devem-se contemplar ralos secos e ralo sifonados nas áreas molhadas, inclusive terraços e varandas, caixa de sabão (CS) ou caixa separadora de espuma para área de serviço contemplando a saída da máquina de lavar roupas, caixas de gordura (CG) para áreas das cozinhas e churrasqueira e caixa de inspeção (C.I.) para saída das bacias sanitárias. Após a água servida passar pelas caixas de passagem, os dejetos são encaminhados para a fossa séptica e sumidouro ou valas de infiltração e futuramente, para a rede coletora. Outra questão fundamental é a manutenção e limpeza periódica dessas unidades, para que o sistema funcione adequadamente. Ralo seco Ralo sifonado Caixa sifonado Caixa Gordura Caixa Gordura Caixa de sabão

7 Filtro separador de espuma Caixa de inspeção em alvenaria deve ser removido periodicamente (o projeto da fossa define o período dessa remoção). A parte líquida do esgoto (água) é levada para o sumidouro para a infiltração no solo. Para a eficiência do sistema, a fossa deve ser lacrada, não podendo ter nenhum tipo de ventilação. O escoamento do gás produzido pela fossa será feito por um duto de ventilação ligado a última caixa de inspeção. Além disso, a fossa não pode receber a água da chuva, nem gorduras. O volume de água da chuva lava a fossa, levando todos os dejetos diretamente para o sumidouro, sem tratamento adequado e contaminando o solo. É importante que a tubulação de águas pluviais seja independe da tubulação de esgoto, e que não possuam nenhum tipo de ligação. São sistemas autônomos. As gorduras também atrapalham o funcionamento da fossa e devem ser removidas nas caixas de gorduras periodicamente. Se forem conduzidas para o solo, proporciona a sua impermeabilização (colmatação), fato que leva à necessidade de construção de novo sumidouro. Após o tratamento dos dejetos na fossa, o líquido resultante da ação das Janeiro de bactérias é destinado para o sumidouro ou para as valas de infiltração. O sumidouro é um poço, permeável na sua parte inferior e em parte da sua lateral, que permite a infiltração (penetração) do efluente da fossa no solo. Os sumidouros podem ser feitos com tijolos maciços de cerâmica, blocos de concreto ou manilhas pré-moldadas de concreto. Possui uma camada de brita no fundo e os tijolos devem ser assentados com argamassa nas juntas horizontais, não podendo haver preenchimento nas juntas verticais, além de contar com espaçamento entre estas juntas. Para sumidouros em manilha pré-moldada, as peças são encaixadas sem nenhum rejuntamento, para permitir o escoamento de efluentes, além de serem perfuradas. As valas de infiltração são dutos não estanques (usualmente tubos perfurados), envolvidos com pedras britadas, tendo na sua extensão uma baixa declividade. O condutor distribui o efluente ao longo da vala, propiciando sua infiltração. Para sua instalação, necessita-se de locais com boa disponibilidade de área e com remota possibilidade de contaminação do lençol freático, como o caso da quadra 206 do Condomínio. ITENS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO Caixa de inspeção em PVC Fossa Séptica: As fossas sépticas são unidades de tratamento de esgoto doméstico nas quais são feitas a separação entre as partes líquidas e sólidas que compõem o esgoto, além da transformação físico- -química da água servida vinda do sistema de esgoto residencial. A fossa é uma caixa de alvenaria ou concreto, impermeabilizada, com a entrada ligada a última caixa de inspeção e saída para o sumidouro. Ela retém a parte sólida do esgoto (matérias orgânicas e inorgânicas), onde é tratada por bactérias anaeróbicas. O produto final desta decomposição gera um lodo que fica armazenado no fundo da fossa e que Utilização dos parâmetros e dimensionamento previstos na NBR 8160/99 (sistemas prediais de esgoto sanitário - projeto e execução) e NBR 7229/93 (projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos). Na entrega do produto o profissional deverá fornecer junto com o projeto o documento de responsabilidade técnica (ART e RRT). Atentar para os desníveis e inclinações do terreno para a locação da fossa; Especificar no projeto os afastamentos mínimos obrigatórios Compatibilizar o projeto de paisagismo com o projeto sanitário, pois não poderão utilizar plantas com raízes muito profundas nas proximidades da fossa, que pode danificar suas alvenarias; Prever o ralo sifonado para as piscinas, hidromassagens, duchas, e ofurôs. Instalar a caixa de gordura também na bancada da churrasqueira; IMPORTANTE: Antes de iniciar a elaboração dos projetos entre em contato com a CODEMA, pelos fones / agendando uma reunião para receber orientações, tirar suas dúvidas com relação as normas do condomínio e receber os croquis dos projetos de fossa séptica e caixa de recarga de aquíferos.

8 8 - Janeiro de 2014 Em Foco Sem terras desocupam área próxima ao CABV Cerca de 400 famílias que ocupavam, com autorização da Superintendência Regional do INCRA no Distrito Federal e Entorno e da Superintendência do Patrimônio da União no Distrito Federal, uma área próxima ao CABV de 4,17 hectares - parte da Fazenda Sálvia, de Propriedade da União - foram remanejadas para assentamento provisório. Os ocupantes pertencem ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST, do Movimento Brasileiro dos Sem Terra - MBST, Movimento da Luta pela Terra - MLT e da Confederação Nacional dos Agricultores Familiares Rurais CONAFER. A ocupação, que começou no dia 29 de agosto, chegou ao fim no dia 25 de outubro de A Direção do CABV elaborou documento técnico descrevendo a situação adversa relacionada à instalação e continuidade do acampamento no local. O relatório foi apresentado em reuniões com os representantes nos órgãos do governo federal - Secretaria do Patrimônio da União - Superintendência do Patrimônio da União no Distrito Federal, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária INCRA, Superintendência Regional do INCRA no Distrito Federal e Entorno, e Secretaria de Governo do Distrito Federal. Desocupação dos Sem terras Barracos feitos de madeira indicavam padrão diferenciado de acampamento provisório Grande área ocupada pelos Sem terras A ocupação, que durou menos de 2 meses, aconteceu na mesma área anteriormente ocupada por outros trabalhadores sem terra ligados aos mesmos movimentos. Dessa vez, 220 famílias foram autorizadas a levantar acampamento na área, entretanto, 395 barracos foram construídos, indicando que esse era o número total de famílias no local. Saiba Mais Não é a primeira vez que essa área é ocupada por trabalhadores sem terra. Entre abril de 2005 e outubro de 2010 houve a 1ª ocupação e, na época, vários problemas foram identificados, como: Escoamento de esgotos a céu aberto; Proliferação de vetores de doenças decorrente da deficiência da coleta e disposição de resíduos sólidos; A presença de animais domésticos (cães, gatos), além de outros animais utilizados nas atividades rurais (cavalos, burros, etc.) que agravaram a situação da salubridade da área ocupada; Obstrução da BR-020 com manifestações; dentre outros. A nova ocupação proporcionava situações desastrosas para o meio ambiente, como por exemplo: Elevada densidade populacional mais de 330 hab/ha, enquanto que a ocupação do CABV é inferior a 50 hab/ha; Ocupação acelerada. Em menos de 60 dias a área de 4,17 ha foi ocupada por quase 400 famílias e a área regularizada do CABV de 252 ha, em mais de 20 anos de história, apresenta um total aproximado de 200 famílias; Produção elevada de lixo, estimada em Kg/dia; Ocupação da área com padrão diferenciado de acampamento provisório, que normalmente apresenta estruturas em barracas de lonas com custos menores de instalação e remoção; A presença de animais domésticos (cães, É importante destacar que as ações efetuadas pela direção do CABV, com apoio da Equipe Técnica, foram fundamentais para viabilizar a desocupação em tempo inferior ao inicialmente previsto, evitando a consolidação da ocupação. Isso porque a direção do CABV tem ciência de que quanto maior é o tempo de ocupação, mais difícil é o processo de desocupação. Situação degradante fruto da ocupação anterior que ocorreu entre 2005 e 2010 gatos, etc.), bem como de outros utilizados nas atividades rurais (cavalos, burros, etc.) agravam a situação da salubridade da área ocupada, quanto nas áreas contíguas (CABV). A proximidade da área à BR020, também proporciona elevados riscos de acidentes, tanto pela presença de animais, quanto de crianças; A falta de atividade profissional ainda poderia proporcionar utilização do tempo dos moradores do acampamento em visitas a áreas particulares próximas, podendo proporcionar conflitos com esses proprietários; dentre outros.

9 Janeiro de Matéria de Capa Réveillon é no CABV Famílias abrilhantaram a festa de réveillon do CABV O tradicional Réveillon do CABV reuniu centenas de famílias na última noite do ano de Adultos, crianças e idosos escolheram celebrar a chegada de 2014 no Alto da Boa Vista, numa festa animada e familiar. Até o fim da comemoração, quem esteve presente pôde se servir à vontade. Dentre as opções, mesas de caldos, frios e frutas. Sem chuva foi possível aproveitar a noite ao máximo. O clima agradável colaborou, também, para que os participantes se reunissem no Parque Infantil para acompanhar a queima de fogos. A animação ficou por conta da Capital Dj que colocou muita gente para dançar. Com efeitos de iluminação e fumaça, e, ainda, vídeo clips e telões, as famílias entraram no clima de diversão e alegria. De acordo com a Direção Geral do CABV, o evento não registrou nenhuma ocorrência, não houve problema na área dos estacionamentos e os serviços de segurança e portaria correram bem, sem imprevistos. Com isso, o Réveillon do Alto da Boa Vista já entrou para o calendário de eventos importantes e, se depender de quem já participou das edições anteriores, não sai mais. Que 2014 seja assim, do jeito que vivenciamos a celebração do CABV: com harmonia, comunhão e alegria! A chegada de 2014 é festejada com a queima de fogos

10 10 - Janeiro de 2014 Planos e Programas Atividades do Lar Verde Lar movimentam o Alto da Boa Vista O CABV já é reconhecido no DF por seu pioneirismo em promover boas práticas e ações de preservação ambiental. O Condomínio tem um Programa especificamente criado para conscientizar e mobilizar condôminos, além de ajudar a promover mais saúde e qualidade de vida aos moradores. Tudo isso é legado do Lar Verde Lar. O presidente do Programa, Rafael Urzedo, avaliou as atividades e eventos realizados em 2013: Faço um balanço positivo, em especial, porque houve mobilização e participação significativa dos condôminos e seus familiares. Podemos dizer que, com as atividades do Lar Verde Lar, nós contribuímos para que os moradores tenham mais saúde, qualidade de vida, proporcionamos lazer e incentivamos a prática regular de exercícios físicos, e as boas práticas ambientais no Alto da Boa Vista, considerou Rafael. Os eventos contribuíram, ainda, para estreitar a parceria do Condomínio com várias entidades e empresas, como: a Universidade de Brasília, o Núcleo de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, a Cooperativa Fundamental, Faculdade Projeção, Unimed Seguros, Clínica Matsumoto, Bike Mania, Academia de Ginástica Condôminos puderam observar astros por meio de telescópios Informação e atendimento aos participantes CJ Fitness, dentre outras. Então, leitor, acompanhe a seguir a cobertura de cada uma dessas atividades do Programa Lar Verde Lar CAMINHADA ECOLÓGICA Esta edição da tradicional Caminhada Ecológica, que aconteceu no dia 24 de agosto de 2013, veio com novidades. O evento, que já acontece há 5 anos, é aguardado pelos condôminos do Alto da Boa Vista e, dessa vez, contou com Lual, música ao vivo e até observação de astros celestes por meio de telescópios. Os participantes, que receberam uma camiseta alusiva ao tema, acompanharam o percurso que teve inicio no Espaço Multiuso, seguiu para as quadras 200, passou pela nascente adotada pelo Condomínio até a quadra 206, sempre orientados pelo Agente Ambiental Nataliano de Souza. Ao final da Caminhada Ecológica, o Professor Dr. Paulo Eduardo de Brito, da Alongamento é fundamental antes da caminhada Como sempre, o evento foi marcado por muitas palestras informativas Universidade de Brasília UnB conduziu os presentes à outra viagem, dessa vez, no tempo e no espaço com a palestra sobre Astronomia. Condôminos e familiares participam da V Edição da Caminhada Ecológica

11 Planos e Programas Mutirão de Limpeza e Combate a Dengue O mutirão de limpeza na área do Condomínio também é uma ação do Programa Lar Verde Lar e é realizada a cada semestre. A atividade consiste no recolhimento de objetos descartados que não são considerados lixo e acabariam se transformando em entulho. Durante os dias 25 a 29 de novembro de 2013, funcionários do CABV trabalharam e movimentaram maquinários e viaturas para recolher materiais recicláveis como, móveis, eletrodomésticos e pneus velhos, restos de pequenas obras em ruas e lotes do CABV. Complementando esta ação, o Núcleo de Vigilância Ambiental de Sobradinho visitou as residências dos condôminos, ação necessária para identificar e eliminar possíveis focos do Aedes aegypti. Os agentes revistaram garrafas, latas e copos vazios; pneus velhos ao relento; pratos de jarros de plantas e flores; caixas d água sem tampa e outros possíveis objetos onde o mosquito costuma se reproduzir. Dia de Qualidade de Vida, Saúde, Lazer e Passeio Ciclístico Crianças e adultos aproveitaram o Dia de Qualidade de Vida, Saúde e Lazer no Alto da Boa Vista. Os pequenos aproveitaram a pintura no rosto e os brinquedos: futebol de sabão, pingue-pongue, totó, pula-pula e cama elástica. Mas teve diversão e informação para gente grande também: avaliação do Índice de Massa Corpórea IMC, orientações sobre alimentação saudável, aferição de glicemia e pressão arterial, aulas de jump e yoga, com a condômina Márcia Pires. O evento, que aconteceu no dia 26 de outubro de 2013, também veio com novidades: Um passeio ciclístico que envolveu condôminos e familiares. Ao final do passeio, os participantes concorreram ao sorteio de 02 bicicletas. O Condomínio contou com a parceria da empresa Bike Mania para esta atividade. Os brindes doados pela empresa foram sorteados entre os participantes. O Dia contou com a parceria da Faculdade Projeção, Clínica Matsumoto e Aca As crianças aproveitando, no melhor estilo, o dia de sol a encerrar houve sorteio de prêmios 01 câmera fotográfica, 01 bola de futebol, 01 bola de vôlei, 01 aparelho digital de aferição de pressão arterial e 01 bicicleta ergométrica. Lar Verde Lar 2014 A 49ª Assembleia Geral Ordinária, reunida no dia 07 de dezembro de 2013, elegeu os novos componentes do Programa Lar Verde Lar que cumprirão o mandato de 11 de janeiro de 2014 a 10 de janeiro de 2015, são eles: Vicentina Luciana da Silva, Fernando Inácio Botão e Inácio Renato de Medeiros Filho. Foram eleitos como suplentes os condôminos Sandro Ferreira Moraes e Alexandra Barbosa Irineu. Para 2014 fique de olho no calendário de Atividades do Programa Lar Verde Lar e não perca a oportunidade de participar Janeiro de de ações que garantem mais saúde, boas práticas ambientais e qualidade de vida para você e sua família! SAIBA MAIS O Programa Lar verde Lar - que possui caráter permanente e tem como principais objetivos implementar projetos e atividades socioambientais; promover o desenvolvimento sustentável e proporcionar melhor qualidade de vida à Comunidade do Condomínio - foi instituído pela Resolução de Assembleia Geral nº 3, de 30 de outubro de 2005, aprovada na Vigésima Segunda Assembleia Geral Ordinária do Condomínio Alto da Boa Vista e consolidado pela Resolução de Assembleia Geral n.º 1, de 08/10/2011. A implantação do Programa Lar Verde Lar é exigência e condicionante da Licença de Instalação expedida pelo Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos IBRAM. Passeio ciclístico foi novidade aprovada no evento

12 12 - Janeiro de 2014 Infraestrutura Avançam as obras de infraestrutura Os anos de 2012 e 2013 comprovaram que foi correto o caminho escolhido pelo CABV. De acordo com a Equipe Técnica, a experiência das obras já executadas trouxe a segurança da estratégia adotada. Ao executar mais de 17 km de rede de água, fazer o Centro de Reservação de Água e a unidade de tratamento de água, implantar a fábrica de pré-moldados e executar as obras da primeira quadra do CABV foi possível avaliar o rumo seguido. A contratação de uma empresa especializada para elaborar os projetos de infraestrutura de forma integrada garantiu tanto a qualidade nos projetos e a aprovação dos mesmos nas concessionárias quanto proporcionou o detalhamento adequado nas intervenções, além de redução nos custos de implantação das obras. Escolher executar a maioria das obras de infraestrutura com mão de obra própria mostrou que é possível obter economia e atingir a eficiência e a qualidade desejada. Trazer para si o processo de compra oportunizou o devido controle tecnológico dos materiais e equipamentos empregados nas obras, e otimizou a utilização de recursos disponíveis. Estas são algumas das premissas validadas no andamento das obras da infraestrutura do CABV. Acompanhe, a seguir, o andamento das obras no seu Condomínio e entenda cada etapa deste processo. u As obras da Quadra 106 O Condomínio já conta com as primeiras ruas prontas, inclusive a parte da pavimentação. Os conjuntos 03 e 04 da quadra 106, que já possuíam rede de água no padrão CAESB, foram as primeiras ruas do CABV a receber a rede coletora de esgoto, a rede de águas pluviais, as tubulações da rede subterrânea de energia elétrica e de comunicação e dados. Mais à frente estas ruas receberão a rede de fibra ótica, tv a cabo, telefonia, elétrica e a iluminação pública a partir da tubulação subterrânea já executada. Os conjuntos 01 e 02 da quadra já estão com as redes subterrâneas de água, de drenagem e de esgotos concluídas, bem como as caixas de passagem da rede elétrica. A conclusão das obras de toda a Quadra 106 deve ocorrer neste mês de janeiro ou fevereiro de 2014, a depender do ritmo das chuvas. A conclusão das obras da Quadra 106 somente não ocorreu em dezembro de 2013 em função da greve da CEB, que durou aproximadamente 30 dias. Como a CEB exigia a presença da fiscalização para o fechamento das valas do sistema de distribuição de energia, não foi possível a conclusão dessa infraestrutura. Somente os demais sistemas que não dependiam da CEB foram concluídos. Após o fim da greve na CEB, as intensas chuvas de dezembro contribuíram para um ritmo menor na execução das obras. A Entrequadra 105/106 está com a execução dos sistemas de esgoto e a da drenagem bastante avançados. A conclusão dos diversos sistemas desta entrequadra está prevista para o mês de fevereiro de A pavimentação desta entrequadra será em asfalto e deverá estar pronta até o mês de abril. A drenagem da quadra 106 só entrará em funcionamento (ligação das bocas de lobo dos conjuntos executados) após a conclusão das obras dos reservatórios de qualidade e de amortecimento, que serão implantados na Quadra 104. Esses reservatórios recebem as águas pluviais das Quadras 105 e 106 além de parte da Quadra 207. Eles reduzem os impactos ambientais da implantação do CABV e atendendo às resoluções da ADASA. As obras desses reservatórios também serão iniciadas em janeiro de 2014 e serão realizadas de maneira direta pela equipe do CABV. A elaboração de todos os projetos de infraestrutura de forma integrada facilitou muito a execução de uma tarefa complexa que é a execução de obras de infraestrutura. É importante destacar que na execução das obras da Quadra 106 foi possível obter significativa economia com a execução de obras concomitantemente, aproveitando as mesmas valas abertas para a implantação de mais de uma infraestrutura. Como, por exemplo, a utilização da mesma vala

13 Janeiro de Obra de pavimentação executada para a implantação das redes coletoras de drenagem pluvial e de esgoto sanitário de um dos lados da via. No outro lado da via foi utilizada a mesma vala para a implantação das redes subterrâneas de distribuição de energia de alta e baixa tensão, iluminação pública e comunicação e dados, além de outra rede coletora de esgotos. Se as obras não fossem executadas de maneira concomitante, os custos de implantação de infraestrutura seriam substancialmente elevados. A execução de mais frentes de obras de maneira paralela também proporciona redução dos custos de implantação, pois possibilita um melhor aproveitamento dos equipamentos e da mão de obra utilizados. Essa economia poderá ser atingida com a disponibilidade de recursos financeiros em maior quantidade e deve proporcionar celeridade na execução das obras. u Projetos de Infraestrutura Todos os projetos executivos de infraestrutura básica do CABV (Abastecimento de Água, Esgotamento Sanitário, Drenagem Urbana, Pavimentação e Sinalização, Distribuição de Energia Elétrica de Alta e Baixa Tensão e Comunicação/Dados) já foram concluídos pela empresa contratada (SENHA Engenharia), com isso podemos executar todas as obras de infraestrutura do CABV. Destaca-se o esforço para conseguir a aprovação dos projetos junto às concessionárias (CEB, CAESB e NOVACAP). Para que isso fosse possível a Equipe do CABV teve de superar diversas dificuldades e criar novos caminhos, garantindo a qualidade dos projetos e valores apropriados para a execução das obras. A ADASA já forneceu ao CABV a outorga provisória do lançamento das águas pluviais no corpo receptor e está na fase final de análise para emissão da outorga definitiva, levando em conta os ajustes feitos nos projetos executivos de drenagem analisados pela NOVACAP. A outorga definitiva somente interfere nos pontos de lançamento no curso d água. Com os projetos executivos de engenharia concluídos foi possível elaborar o Parecer Técnico nº 60, que apresenta os custos de obras de infraestrutura e todo histórico ao longo do processo de regularização do condomínio até dezembro de Você pode acessar o Parecer Técnico nº 60 no site do condomínio. Nele há todo o planejamento possível das obras, incluindo estudo de sensibilidade - que apresenta as influências que os custos das obras de infraestrutura do CABV sofrem em decorrência dos prazos e das possíveis conjunturas econômicas que se apresentem. De acordo com o estudo, executar as obras em menor tempo proporciona menores custos de implantação e é, por isso, a melhor alternativa técnica. u Sistema de Abastecimento de Água Neste último semestre de 2013, o

14 14 - Janeiro de 2014 grande avanço no sistema de águas do Condomínio foi a conclusão das obras do Centro de Reservação que está sendo operado pelo CABV. Hoje, o Condomínio conta com uma Estação de Tratamento de Água (ETA) de referência, sendo o único no DF com uma ETA no padrão CAESB operado de maneira direta. Com capacidade para armazenar um milhão de litros de água, o Centro de Reservação garante segurança e estabilidade no fornecimento de água aos condôminos. Graças a ele é possível fazer manutenção dos poços tubulares profundos sem interrupção no atendimento aos usuários. Na primeira etapa de tratamento já está sendo utilizada a dosagem de cloro e paulatinamente será iniciada a aplicação de flúor e o controle de PH. Antecipando a ampliação da ocupação do Condomínio, a Direção do CABV trabalha no sentido de ampliar a oferta de água e, para isso, está sendo construído mais um poço, o P8. O novo Poço nasce com a outorga da ADASA em dia. Assim que esse poço entrar em operação, serão realizadas melhorias no funcionamento dos atuais poços P7 e P4, possibilitando a automação de suas operações e melhorando a qualidade da água captada. O CABV conta ainda com o poço P12 que, atualmente, supre toda a Quadra 100, incluindo a produção da fábrica de pré-moldados, a lavagem de máquinas e veículos do CABV e o abastecimento do caminhão pipa que atende as obras de infraestrutura e, no período da seca, ajuda a prevenir e combater incêndios nas imediações. u Obras emergenciais de Águas Pluviais Durante o período chuvoso surgem processos erosivos e de alagamentos que são combatidos com soluções pontuais e emergenciais para minimizar os impactos ambientais, enquanto não se tem o sistema definitivo de drenagem urbana. A crescente ocupação do Condomínio amplia essas ocorrências tanto na área interna ao CABV quanto na área externa (nos cursos d água próximos). A equipe Produção da Fábrica técnica do CABV vem observando toda a área e desenvolvendo ações preventivas e corretivas no sentido de minimizar quaisquer impactos ambientais. Como medidas paliativas estão sendo construídos desvios ao longo das vias, com o intuito de distribuir as águas pluviais incidentes no interior do CABV, evitando o acúmulo em pontos baixos. Além disso, é realizada a aplicação de cascalhos em locais onde surgem acúmulos de água (atoleiros), minimizando problemas para os moradores. Outra ação emergencial que vem sendo desenvolvida com regularidade é a correção de processos erosivos que surgem, com a construção de novas estruturas provisórias para melhor distribuir as águas pluviais incidentes no CABV. A construção das caixas de recarga em cada residência em construção, ou já ocupada, minimiza a ocorrência de novos processos erosivos e deve ser implantada por todos os condôminos do CABV. Orientações sobre a forma de execução dessa caixa pode ser obtida com a equipe técnica na CODEMA. u Quadra 100 e Fábrica de Pré-moldados de Concreto A quadra 100 faz parte do urbanismo do CABV e será ocupada pela área administrativa e operacional do condomínio, além de ser uma área destinada às atividades sociais, esportivas, culturais e de lazer dos condôminos. O ponto de combustível foi concluído e sua cobertura implantada, atendendo ao abastecimento da frota de máquinas e veículos do CABV. Essa obra proporciona redução nos custos com a aquisição de combustíveis e o seu armazenamento adequado, evitando problemas ambientais e multas. A fábrica de pré-moldados fica em área contígua e foi implantada para garantir qualidade na produção dos PEVERS, usados na pavimentação dos conjuntos, o que proporciona redução nos custos. A fábrica está operando e já apresenta resultados satisfatórios dentro do que foi previsto. Com uma produção média de 14 mil pavers por dia, o controle tecnológico está sendo realizado em lotes, atendendo as normas de qualidade, que são etiquetados e rastreados na sua colocação nos conjuntos. A fábrica ainda está produzindo outros materiais, como meio-fio, blocos de concreto vazados e maciços e tijolos em solo cimento, que estão sendo usados nas obras de infraestrutura. A fábrica se prepara para produzir no inicio do ano de 2014 as placas pré-moldadas de proteção aos bancos de dutos da CEB e tubulações em concreto com diâmetros de 400 a 600mm. A Fábrica de Pré-moldados do Alto da Boa Vista u Outras ações As outras intervenções que estão em curso se referem à implantação do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) onde houve a demolição de casas e retirada do asfalto que estavam em Área de Proteção de Manancial APM do Mestre D Armas concluídas. As ruas de terra também foram desativadas e es-

15 Janeiro de carificadas com trator e estão recebendo mudas de árvores nativas com um plantio inicial de mudas do Bioma Cerrado que são monitoradas no combate a pragas como a formiga. A portaria provisória tem sido executada nas folgas da mão de obra das obras de infraestrutura para baratear os custos - já que é provisória - e deve ser concluída no inicio do ano, com todas as suas cancelas e suportes entregues ao pessoal da segurança que irá operá-la. u Estruturação da CODEMA Somente foi possível garantir a qualidade necessária aos projetos e alcançar a economia na execução das obras de infraestrutura devido ao fato de o CABV ter contado com uma equipe de profissionais com capacidade técnica à altura do desafio que estava por vir. O CABV se estruturou para atender aos itens pontuados anteriormente e garantir a execução das obras de infraestrutura com eficiência e qualidade. A antiga GETEMA (Gerência Técnica de Engenharia e Meio Ambiente) deu lugar à CODEMA (Coordenação de Engenharia e Meio Ambiente), com competência legal para a execução de obras. A CO- DEMA conta com três divisões, sendo uma de obras de infraestrutura (DIOBI), outra de operação e manutenção das infraestruturas concluídas (DIOPE) e a terceira de Urbanismo (DIURBI) que é responsável pelo setor de análise prévia dos projetos dos condôminos através da DIURBI (Divisão de Urbanismo), em atendimento ao que apregoa a Norma de Ocupação e Construção (NOC) e o Regimento Interno do CABV. A CODEMA coordena todas as ações que envolvem a infraestrutura no aspecto de produção de obras, além das correspondentes à garantia da manutenção das licenças ambientais e outorgas que dão sustentação a legalização do Condomínio. A CODEMA foi registrada no CREA/ As obras de Infraestrutura que garantirão mais qualidade de vida aos condôminos DF (Conselho Regional de Engenharia e Meio Ambiente do Distrito Federal), sendo acompanhada mais de perto pelo órgão que regula suas atuações técnicas, atendendo a legislação e garantindo a qualidade das obras. A CODEMA ainda se responsabiliza pelo monitoramento do cumprimento do TAC Termo de Ajustamento de Conduta e da LI Licença de Instalação. Uma das exigências é a implementação do PAMA (Plano de Acompanhamento e Monitoramento Ambiental) que está sendo acompanhado por empresa terceirizada (GEOLOGICA) que, além de ser auxiliar na sustentabilidade ambiental das ações, atua na fiscalização ambiental das obras de infraestrutura e do PRAD (Plano de Recuperação de Áreas Degradadas). Gestões melhoradas nas obras de Infraestrutura foram implantadas pela CODEMA, garantindo todos os parâmetros legais e, em especial, na área de segurança do trabalho. A meta dos trabalhos desenvolvidos até aqui foi buscar a qualidade e garantir a redução de custos. Para isso, inicialmente foi preciso buscar, através do planejamento, as melhores alternativas técnicas de execução. A partir daí foram dimensionadas as equipes de trabalho, fez-se compras de materiais e equipamentos em volumes adequados para propiciar economias de escala nas aquisições. Outro desafio perseguido foi a montagem de sistema de qualidade, que no primeiro momento contou com a elaboração de Procedimentos Operacionais Padrão (POP) para cada serviço que a CODEMA executa nas obras de infraestrutura, apontando para uma desejada certificação ISO em médio prazo. Ensaios de controle tecnológico de solo e de produção dos pré-moldados proporciona qualidade tanto dos insumos adquiridos quanto dos materiais produzidos. Eles são ferramentas adotadas para se vencer o desafio trilhado das boas práticas de execução, utilizadas na garantia do alto padrão de execução que está se alcançando. O desafio se torna realidade com a apuração sistemática dos serviços executados em diários e com seu resumo mensal, concluindo em apuração dos custos das execuções a serem comparados com o planejamento do orçamento, fechando o desafio das boas praticas e técnicas de execução. A CODEMA e a Equipe Técnica do CABV encontram-se a disposição dos condôminos para dirimir dúvidas referentes aos projetos e à execução das obras de infraestrutura. Os interessados poderão agendar reunião de esclarecimentos junto à Recepção do CABV, ou através do telefone (61) Continue atento, pois a cada edição, acompanharemos o andamento das obras. Do projeto à execução. Do sonho à concretização. Samara Escritório Imobiliário Compra, vende e aluga seu imóvel Sinônimo de bom atendimento e confiabilidade. Temos o imóvel que você precisa para morar ou investir. O nosso maior interesse é a satisfação dos nossos clientes. Ligue Agora! Fazemos avaliação gratuita. Contato: /

16 16 - Janeiro de 2014 Em Foco COINFRA acompanha a aplicação dos recursos da Taxa Extra A Comissão de Infraestrutura - COINFRA - do Alto da Boa Vista, eleita e constituída para fiscalizar o processo de aplicação dos recursos da taxa extraordinária, acompanhou, por meio de análise da documentação gerada pelos processos que envolvem a execução da infraestrutura e, também, visitas em campo, o andamento das obras de infraestrutura no Condomínio. A COINFRA é formada por condôminos eleitos em Assembleia Geral, representantes da Diretoria Executiva, do Conselho Consultivo e do Conselho Fiscal. Segundo o Presidente da COINFRA, Antônio Farias, a Comissão cumpriu o seu papel ao participar das atividades relacionadas à aplicação dos recursos da taxa extra, analisar os contratos, e visitar os locais de obras e de aplicação dos recursos como, por exemplo, o centro de reservação, a quadra 206, a fábrica de pré- -moldados, e as obra de abertura das ruas nas quadras 200 e da portaria do CABV. A COINFRA decidiu em sua primeira reunião de trabalho, no dia 19 de janeiro de 2013, que além da análise documental deveria realizar visitação periódica às obras em andamento e isso foi feito durante todo o ano, registrado em ata e também em fotos. Assim sendo, a COIN- FRA avalia que a partir da aprovação dos A COINFRA visitando a Fábrica de Pré-moldados Membros da Comissão de Infraestrutura visitando as obras no CABV projetos por parte da CEB, as obras de infraestrutura, especialmente as da quadra 106, ganharam ritmo adequado até o início do período das chuvas, avaliou o Presidente da Comissão. Sobre o valor da taxa extra e suas possíveis mudanças, Farias acredita que os condôminos devem somar esforços na busca de uma solução que atenda, ao mesmo tempo, o sonho da infraestrutura e a realidade financeira de cada um. O que temos para os próximos 12 meses é a manutenção da taxa atual, que é, sem dúvida, muito importante para a continuidade das obras de infraestrutura em andamento e, a partir da aprovação em Assembleia de novos valores, teremos o necessário aumento na velocidade destas obras, afirmou. Antônio Farias deixa de lado, por um instante, o papel de Presidente da Comissão de Infraestrutura para falar como condômino e morador do Alto da Boa Vista: Aos condôminos como eu, hoje morador do CABV, desde os mais antigos aos mais recentes compradores de um lote, não desistam nunca de lutar e muito menos de sonhar. Vencemos até aqui muitas batalhas, porém temos muito caminho pela frente, com novos desafios. A participação de todos nas Assembleias, alguns até nas Comissões, é fundamental para a realização daquilo que tanto lutamos até aqui que é escriturar nossos lotes, construir nossas casas e viver com a tão sonhada qualidade de vida, declarou. Não gostaríamos que vendesse seu lote, mas se precisar fale conosco. (Tim) / / (Oi) / (Vivo) / / (Claro) / /

CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA. RODOVIA BR 020, km 12 Quadra 100, Bloco 1 SOBRADINHO - DF

CONDOMÍNIO ALTO DA BOA VISTA. RODOVIA BR 020, km 12 Quadra 100, Bloco 1 SOBRADINHO - DF 1 PROGRAMA LAR VERDE LAR RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 1. INTRODUÇÃO O Programa Lar verde Lar PLVL foi instituído pela Resolução de Assembleia Geral nº 3, de 30 de outubro de 2005, aprovada na Vigésima

Leia mais

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro

Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Manual de Construção: Fossa ECOLÓGICA E Sumidouro Introdução Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de esgotos, especialmente

Leia mais

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Orientações para preenchimento do Formulário de Inspeção/Vistoria e Subsídios para Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO

Leia mais

Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro.

Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro. Orientações para Instalação Domiliciar do Sistema de Fossa e Sumidouro. INTRODUÇÃO Este manual destina a fornecer informações sobre a construção e dimensionamento do sistema individual de tratamento de

Leia mais

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb Materiais necessários Separe todo o material que será utilizado para a limpeza do seu reservatório. Anotações Papai, precisamos separar o material de limpeza. Claro, filha! Caixa d Água SAIBA COMO LIMPAR

Leia mais

ESGOTO. Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL.

ESGOTO. Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL. ESGOTO Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL. ESGOTO DOMÉSTICO Definição: esgoto gerado nas residências

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA

INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DE FOSSA SÉPTICA E SUMIDOURO EM SUA CASA A participação da Comunidade é fundamental Na preservação do Meio Ambiente COMPANHIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL DO DISTRITO FEDERAL ASSESSORIA

Leia mais

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio

6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ÁREA DE ABASTECIMENTO E ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL 6As áreas de abastecimento representam uma possível fonte de poluição ao meio ambiente e seu manuseio e armazenagem também apresentam considerável grau

Leia mais

ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA, REALIZADA NO DIA 15 DE SETEMBRO DE

ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA, REALIZADA NO DIA 15 DE SETEMBRO DE ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS E ADQUIRENTES DE LOTES VILLAGE DA SERRA, REALIZADA NO DIA 15 DE SETEMBRO DE 2013. Aos quinze dias do mês de setembro do ano de 2013,

Leia mais

PROJETO HIDROSSANITÁRIO

PROJETO HIDROSSANITÁRIO PROJETO HIDROSSANITÁRIO Ampliação Comercial 1/10. PROJETO HIDROSSANITÁRIO CLIENTE : Rosangela Slomp Obra : Ampliação Comercial Endereço: Rua Dr. Mauricio Cardoso Hamburgo Velho Novo Hamburgo - RS Área

Leia mais

Esgotos Sanitários: Objetivos de Projeto

Esgotos Sanitários: Objetivos de Projeto OBJETIVO GERAL Esgotos Sanitários: Objetivos de Projeto A instalação de esgoto doméstico tem a finalidade de coletar e afastar da edificação todos os despejos provenientes do uso da água para fins higiênicos,

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS VERT RESIDENCIAL CLUBE LOTEAMENTO

INFORMAÇÕES GERAIS VERT RESIDENCIAL CLUBE LOTEAMENTO INFORMAÇÕES GERAIS VERT RESIDENCIAL CLUBE LOTEAMENTO LOCALIZAÇÃO: Os terrenos onde serão implantados os empreendimentos localizam-se na Estrada de Rodagem Venda das Pedras, RJ 114, Km 5 (Estrada Maricá/Itaboraí),

Leia mais

CGP. diâmetro interno = 0,30m; parte submersa do sépto = 0,20m; capacidade de retenção = 18 litros; diâmetro nominal da tubulação de saída DN 75.

CGP. diâmetro interno = 0,30m; parte submersa do sépto = 0,20m; capacidade de retenção = 18 litros; diâmetro nominal da tubulação de saída DN 75. Memorial de cálculo Projeto: Residência Renato Cortez Assunto: Saneamento ecológico a/c Renato Cortez 1. caixa de gordura De acordo com a NBR 8160, para a coleta de apenas uma cozinha, pode-ser uma caixa

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

LICENCIAMENTO MATADOUROS

LICENCIAMENTO MATADOUROS LICENÇA PRÉVIA (LP): LICENCIAMENTO MATADOUROS 1. Requerimento; 2. Publicações no diário oficial e jornal de grande circulação; 3. Comprovante de pagamento da taxa de licenciamento; 4. Cadastro do empreendimento

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Heber Xavier Ferreira Coordenador do COPLAN/ALTO VALE RESOLUÇÃO COPLAN Nº 001/2012 O Coordenador do COPLAN/ALTO VALE, no exercício de suas atribuições e, atendendo a deliberação ocorrida na reunião ordinária do dia 07/12/2011, resolve: Art. 1º Fica aprovado,

Leia mais

Manual Prático Saneamento Básico Residencial

Manual Prático Saneamento Básico Residencial Manual Prático Saneamento Básico Residencial 2 Presidente da República Presidente Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Cultura Gilberto Gil Moreira Presidente Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA SOLUÇÕES ALTERNATIVAS

ABASTECIMENTO DE ÁGUA SOLUÇÕES ALTERNATIVAS UFPR Ministério da Educação UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências da Saúde Departamento de Saude Comunitária ABASTECIMENTO DE ÁGUA Profª. Eliane Carneiro Gomes Departamento de Saúde Comunitária

Leia mais

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26

Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 Construção de Edifícios I Instalações Sanitárias 21-26 6. FOSSAS SEPTICAS As fossas sépticas são unidades de tratamento primário de esgotos domésticos que detêm os despejos por um período que permita a

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PROJETO DE LEI Nº 051/2012

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA PROJETO DE LEI Nº 051/2012 PROJETO DE LEI Nº 051/2012 Torna obrigatória a adoção de pavimentação ecológica nas áreas que menciona e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETA: Artigo 1º

Leia mais

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha

SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha SISTEMA ALTERNATIVO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Tanque séptico e Filtro Anaeróbio com fluxo ascendente EMEI Princesinha Carazinho, RS, 30 de junho de 2014. APRESENTAÇÃO OBRA: Tanque Séptico Escola Municipal

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO SUSTENTÁVEL POR NATUREZA

MANUAL DE INSTALAÇÃO SUSTENTÁVEL POR NATUREZA MANUAL DE INSTALAÇÃO SUSTENTÁVEL POR NATUREZA APRESENTAÇÃO SISTEMA ECOFOSSA A Ecofossa é um sistema biológico autônomo de tratamento de esgoto que não utiliza energia elétrica ou qualquer produto químico

Leia mais

Importante: Ler atentamente todo o manual para a instalação e uso correto deste produto.

Importante: Ler atentamente todo o manual para a instalação e uso correto deste produto. Guia de Instalação BIODIGESTOR ECOLIMP 600 L 1.300 L Importante: Ler atentamente todo o manual para a instalação e uso correto deste produto. guia_biodigestor_1397x2159_v02.indd 1 07/06/2010 10:58:54 1.

Leia mais

SHS0402 - Instalações Hidráulicas e Sanitárias

SHS0402 - Instalações Hidráulicas e Sanitárias SHS0402 - Instalações Hidráulicas e Sanitárias Fossas sépticas e disposição final dos efluentes Francisco Glaucio Cavalcante de Souza Doutorando em Engenharia Hidráulica e Saneamento Introdução O que fazer

Leia mais

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I

REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I REGULAMENTO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DA DISPOSIÇÃO DOS EFLUENTES SANITÁRIOS DO LOTEAMENTO NINHO VERDE I 1. O presente Regulamento objetiva estabelecer regras gerais de uso do sistema de abastecimento

Leia mais

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários;

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários; PROJETO DE: EMENDA À LEI ORGÂNICA LEI COMPLEMENTAR LEI ORDINÁRIA RESOLUÇÃO NORMATIVA DECRETO LEGISLATIVO ( X ) Nº /2013 AUTOR/SIGNATÁRIO: Ver. GILBERTO PAIXÃO EMENTA: Dispõe sobre os serviços e obras para

Leia mais

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROBLEMÁTICA POSSÍVEIS SOLUÇÕES ETAPAS OPORTUNIDADES - Ampliação do atendimento (75% de cobertura);

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE

TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE TERMO DE REFERENCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL RCA PARA LICENCIAMENTO DE ÁREAS DE LAZER DE MÉDIO PORTE Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO DE CONTROLE

Leia mais

Tanques Sépticos e Disposição de Efluentes de Tanques Sépticos

Tanques Sépticos e Disposição de Efluentes de Tanques Sépticos UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO DECIV DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL Tanques Sépticos e Disposição de Efluentes de Tanques Sépticos DISCIPLINA: SANEAMENTO PROF. CARLOS EDUARDO F MELLO e-mail: cefmello@gmail.com

Leia mais

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE PALMAS DIRETORIA DE CONTROLE AMBIENTAL GERÊNCIA DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFÊRENCIA PARA ELABORACÃO DE PROJETO AMBIENTAL DE DEDETIZADORAS, LIMPA FOSSA E EMPRESAS QUE PRESTA SERVIÇO DE LIMPEZA. Este Termo de Referência visa orientar na elaboração de PROJETO AMBIENTAL

Leia mais

Numa fossa séptica não ocorre a decomposição aeróbia e somente ocorre a decomposição anaeróbia devido a ausência quase total de oxigênio.

Numa fossa séptica não ocorre a decomposição aeróbia e somente ocorre a decomposição anaeróbia devido a ausência quase total de oxigênio. As fossas sépticas são unidades de tratamento primário de esgoto doméstico nas quais são feitas a separação e a transformação físico-química da matéria sólida contida no esgoto. É uma maneira simples e

Leia mais

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO

I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SOLICITAÇÃO DE LICENÇA PRÉVIA (LP) IMOBILIÁRIO ( ) Este documento Requerimento padrão do empreendedor ou representante legal; deve ser preenchido e assinado pelo requerente

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E/OU ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE EMPREENDIMENTOS ÍNDICE 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. PROCEDIMENTOS... 3 3. APRESENTAÇÃO DOS PROJETOS...

Leia mais

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC

CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC CONCESSÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO DE CURITIBANOS-SC PLANO DE OUTORGA ANEXO V CADERNO DE ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES E APARELHAMENTO Abril/2014 Sumário

Leia mais

E-07/204.019/05 FEEMA - FUNDAÇÃO ESTADUAL DE ENGENHARIA DO MEIO AMBIENTE

E-07/204.019/05 FEEMA - FUNDAÇÃO ESTADUAL DE ENGENHARIA DO MEIO AMBIENTE RAZÃO SOCIAL: HOSPITAL DE CLINICAS DE NITEROI LTDA UNIDADE: HOSPITAL ENDEREÇO: RUA LA SALLE, 12 BAIRRO: CENTRO MUNICÍPIO: NITEROI PROCESSO: E-07/204.019/05 1. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONDOMÍNIO VILLA JARDIM

MEMORIAL DESCRITIVO CONDOMÍNIO VILLA JARDIM MEMORIAL DESCRITIVO CONDOMÍNIO VILLA JARDIM O Empreendimento CONDOMÍNIO VILLA JARDIM está situado na continuação da Avenida estrutural projetada pelo município, no bairro Ribeirão do Lipa, no município

Leia mais

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTOS DE ITAPIRA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO PARA LOTEAMENTOS URBANOS 1 DO OBJETIVO A presente Norma estabelece os requisitos mínimos a serem obedecidos

Leia mais

JOSÉ AFONSO JACOMO DO COUTO

JOSÉ AFONSO JACOMO DO COUTO O Diretor-Presidente da COOPERLEG - Cooperativa Habitacional dos Servidores do Legislativo LTDA, no uso das atribuições que lhe conferem o Estatuto Social da Entidade, convoca todos os cooperados ADIMPLENTES

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II ESGOTO SANITÁRIO 1 Conjunto de tubulações, conexões e

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

Check list e Avaliação. Inspeção/Vistoria e Avaliação do Sistema

Check list e Avaliação. Inspeção/Vistoria e Avaliação do Sistema SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO Check list e Avaliação Inspeção/Vistoria e Avaliação do Sistema Belo Horizonte, Outubro de 2008 SISTEMA DE ESGOTO ESTÁTICO - Check list e Avaliação Dados do Imóvel: Endereço:

Leia mais

O USO DE TANQUES SÉPTICOS NA CIDADE DE ARAGUARI-MG.

O USO DE TANQUES SÉPTICOS NA CIDADE DE ARAGUARI-MG. ASSEMAE Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 1/7 O USO DE TANQUES SÉPTICOS NA CIDADE DE ARAGUARI-MG. Autor: Kleber Lúcio Borges Engenheiro civil (1997): UFU Universidade Federal de

Leia mais

Durante séculos, em diversos locais ao redor do planeta, as pessoas

Durante séculos, em diversos locais ao redor do planeta, as pessoas Manejo Sustentável da água Conteúdo deste documento: I. Introdução à captação e armazenamento de água da chuva II. Vantagens da utilização de água da chuva III. Considerações sobre a qualidade da água

Leia mais

I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade:

I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade: I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade: Data do Relatório: (dd:mm:aa) Entrevistador (a) N O. QUEST.: II. CARACTERÍTICAS DOS MORADORES DO DOMICÍLIO Nome do chefe da família: SEXO: 1. M 2.

Leia mais

1 Abastecimento de água potável

1 Abastecimento de água potável Objetivo Indicador Métrica Propostas Prazo Entraves Índice de atendimento urbano de água Planilha de Objetivos, Indicadores e GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: Que até 2020 Santa Maria esteja

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 002 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº 002 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. RESOLUÇÃO Nº 002 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010. Dispõe sobre as diretrizes técnicas e condições necessárias para aprovação de PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS pela OPERADORA DO S.A.A.E em empreendimentos localizados

Leia mais

Realize seu sonho venha para o paraíso

Realize seu sonho venha para o paraíso Arraial do Cabo Realize seu sonho venha para o paraíso Arraial do Cabo é o município conhecido como a "capital do mergulho". As praias de águas transparentes e areia muito branca tornam sua costa um dos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO OBRA: UNIDADE DE ACOLHIMENTO ADULTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ENDEREÇO: Rua Dinamarca, S/N Sobral - Ceará PROJETO: HIDRO-SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS

Leia mais

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02

1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 1. Canteiro de Obra Cajazeiras 02 A cidade de Cajazeiras, localizada no estado da Paraíba (PB), é um dos municípios no qual dispõe de boa estrutura para implantação de um dos três canteiros de obras que

Leia mais

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS

TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS TÍTULO: VISTORIAS TÉCNICAS DAS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAS SANITÁRIAS Autores: Rita de Cássia Junqueira: Cargo atual: Tecnóloga Sanitarista Formação: Tecnologia Sanitária Universidade de Campinas -

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

1 Abastecimento de água potável

1 Abastecimento de água potável Objetivo Indicador Métrica Propostas Prazo Entraves Índice de atendimento urbano de água Planilha de Objetivos, Indicadores e GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: Que até 2020 Santa Maria esteja

Leia mais

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE 01 NOSSOS SERVIÇOS Após 35 anos de experiência na área de edificações para o mercado imobiliário gaúcho, a BENCKEARQUITETURA, juntamente com a BENCKECONSTRUÇÕES,

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES -

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS - INDÚSTRIAS DE COSMÉTICOS E SANEANTES - 1. LEGISLAÇÃO SANITÁRIA ESPECÍFICA - Lei Federal 6.360/76 e Decreto Estadual (DE) 23.430 de 24/10/1974 (http://www.al.rs.gov.br/legis/);

Leia mais

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA

REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA REGIMENTO INTERNO LOTEAMENTO NOVA PALHOÇA Art. 1. O presente Regimento Interno é instituído com o objetivo de estabelecer normas, diretrizes e condicionantes atinentes à conservação e ordem interna do

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pelo CONDOMÍNIO RESIDENCIAL JARDINS COIMBRA. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio

Planilha de Supervisão do PAC no Canteiro de Obras da UHE Santo Antônio 1.0 Portaria 1.1 Limpeza da área 1.2 Destinação dos resíduos 1.3 Efluente 2.0 Paiol 2.1 Limpeza da área 2.2 Destinação dos resíduos 3.0 Aterro sanitário 3.1 Organização da área 3.2 Pátio de estoque Acúmulo

Leia mais

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I RESIDENCIAL SANTA MONICA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I CONTRATO N.º ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO DO RESIDENCIAL SANTA MÔNICA A INFRAESTRUTURA DE IMPLANTAÇÃO DO LOTEAMENTO RESIDENCIAL SANTA MONICA OBEDECERÁ

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES SANITÁRIAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE MATERIAIS E SERVIÇOS - SANITÁRIA - Arquivo 828-M-SAN.DOC Página 1 1. SERVIÇOS COMPLEMENTARES Serão executados

Leia mais

Relatório Anual de Atividades - 2013

Relatório Anual de Atividades - 2013 Florianópolis SC, 15 de Janeiro de 2014. Prezados associados do LCVL, Desde o início de nossa gestão (2013/2015) no LCVL, sabíamos das dificuldades que teríamos pela frente, principalmente em relação ao

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

Laudo Técnico Ambiental

Laudo Técnico Ambiental E-MAIL: tnm_1984@hotmail.com Laudo Técnico Ambiental Atendimento a Notificação Nº 104/2013 Laudo Anual para Atender as exigências da Lei nº 4.123 de 04 de maio de 2007. Ano de referência: 2012 Valinhos

Leia mais

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais:

O sistema ora descrito apresenta as seguintes unidades operacionais: A elevatória apresenta três conjuntos moto-bombas (Foto 3), dos quais dois operam em paralelo, ficando um de reserva, cada um associado a um motor elétrico de 150 cv de potência e recalcando uma vazão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA

ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA ORIENTAÇÕES PARA INÍCIO DE OBRA Associação Alphaville Salvador Residencial 1 PROCEDIMENTOS PARA INÍCIO DE OBRA 1. Entregar uma cópia do jogo de Plantas Aprovadas pela Prefeitura Municipal de Salvador e

Leia mais

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO

TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO Curso Técnico de Edificações Profª Engª Civil Alexandra Müller Barbosa EMENTA Estudos de procedimentos executivos: Estruturas portantes, Elementos vedantes, Coberturas, Impermeabilização,

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

OFICINAS MECÂNICAS E POSTOS DE LAVAGEM

OFICINAS MECÂNICAS E POSTOS DE LAVAGEM Informações para Solicitação de Licenciamento Ambiental de OFICINAS MECÂNICAS E POSTOS DE LAVAGEM no Âmbito do Município de Charqueadas (5.220,00 Oficina Mecânica / 3.421,00 Posto de Lavagem de Veículos)

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA 1 PROJETO Nº 013/2014 Solicitação: MEMORIAL DESCRITIVO Tipo da Obra: PINTURA MURETA, POSTES, BRINQUEDOS DO PARQUE INFANTIL E TROCA PISO SALAS DE AULA Reforma: local indicado em planta Local: EMEI CRIANÇA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO DE CÁLCULO HIDROSSANITÁRIO OBRA: CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social). PROPRIETÁRIO: Prefeitura Municipal de Sobral. ENDEREÇO: Rua Sem Denominação Oficial

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Este informativo foi elaborado visando a padronização para a Apresentação de Projetos junto ao da Associação, para que a análise e a aprovação de projetos transcorram de forma mais rápida e eficiente.

Leia mais

INFRAERO VT.06/557.92/04747/00 2 / 7

INFRAERO VT.06/557.92/04747/00 2 / 7 REV MODIFICAÇÃO DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Coordenador Contrato: CREA/UF: Autor do Projeto Resp. Técnico: CREA/UF: Co-Autor: CREA/UF: MARGARET SIEGLE 4522D/ES ELISSA M. M. FRINHANI 5548/D-ES NUMERO:

Leia mais

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Inaugurada há pouco mais de 3 anos, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) garante melhorias na qualidade da água do córrego Lucas, que

Leia mais

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO

Laudo de Vistoria Ambiental ÁREA DE ESTUDO Laudo de Vistoria Ambiental I Identificação da Propriedade: Associação Condomínio Parque Primavera CNPJ 60.549.656/0001-90 Rua Eurico Gaspar Dutra 255 - Carapicuíba CEP 06342-200 ÁREA DE ESTUDO II Característica

Leia mais

RESPOSTA TÉCNICA. Título. Fossa séptica. Resumo. Instrução para instalação de fossa séptica. Palavras-chave. Fossa séptica; esgoto; tratamento.

RESPOSTA TÉCNICA. Título. Fossa séptica. Resumo. Instrução para instalação de fossa séptica. Palavras-chave. Fossa séptica; esgoto; tratamento. RESPOSTA TÉCNICA Título Fossa séptica Resumo Instrução para instalação de fossa séptica. Palavras-chave Fossa séptica; esgoto; tratamento. Assunto Meio ambiente, reciclagem e tratamento de resíduos Demanda

Leia mais

Principais ações desenvolvidas pela empresa

Principais ações desenvolvidas pela empresa AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DESENVOLVIDAS PELA JCGONTIJO Principais ações desenvolvidas pela empresa 1. Re- uso de água 2. Adoção de tecnologias limpas em seus produtos 3. Financiamento de planos

Leia mais

Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09

Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09 Gerenciamento das Áreas Contaminadas no Estado do Paraná e Estratégias para o Atendimento da Resolução Conama 420/09 HISTÓRICO 70 década da água 80 década do ar 90 década dos resíduos sólidos Histórico

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

1 Abastecimento de água potável

1 Abastecimento de água potável Índice de atendimento urbano de água Planilha de Objetivos, Indicadores e GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: Que até 2020 Santa Maria esteja entre os melhores Municípios do Rio Grande do Sul,

Leia mais

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015

CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 CONCESSÃO DE VIABILIDADE TÉCNICA PARA NOVOS EMPREENDIMENTOS ENG.006.03.2015 OBJETIVO Estabelecer as regras e procedimentos para concessão de viabilidade técnica, aprovação de projetos e acompanhamento

Leia mais

NORMAS E RELATÓRIOS HIDRÁULICA

NORMAS E RELATÓRIOS HIDRÁULICA NORMAS E RELATÓRIOS HIDRÁULICA instalações s, drenagem, gás e segurança contra incêndio sumário REFERÊNCIAS PARA PROJETO 3 Normas 3 Legislação 4 Documentos de referência 5 OBRA NOVA 6 RELATÓRIO DE VISTORIA

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV AGE 30/6/2007 Eleição da Comissão de Recebimento das Áreas Comuns; Fixação do Pró-labore

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA SELEÇÃO DE TIPOS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS PARA PEQUENAS COMUNIDADES

DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA SELEÇÃO DE TIPOS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS PARA PEQUENAS COMUNIDADES DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA SELEÇÃO DE TIPOS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS PARA PEQUENAS COMUNIDADES Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Engenheiro Químico (UNICAMP, 1989); Engenheiro de Segurança do Trabalho

Leia mais

Apresentação da Metodologia da Conferência

Apresentação da Metodologia da Conferência Apresentação da Metodologia da Conferência Objetivos das Conferências? são espaços de diálogo entre o governo e a população Instrumentos de participação popular na construção e acompanhamento de políticas

Leia mais

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito.

Ecologicamente correto. Economicamente viável. Socialmente justo. Culturalmente aceito. Ecologicamente correto Economicamente viável Socialmente justo Culturalmente aceito. ENERGIA SEGURANÇA ETE FIBRA-ÓTICA DADOS TELEFONIA PAVIMENTAÇÃO VIAS PROJETADAS GÁS ETA SINALIZAÇÃO EQUIP. URBANOS ACESSIBILIDADE

Leia mais

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES

OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES OBJETIVOS DO EVENTO APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA II NIVELAMENTO DAS INFORMAÇÕES DIRIMIR DÚVIDAS COLHER SUGESTÕES MINHA CASA, MINHA VIDA Ampliação das oportunidades de acesso das famílias

Leia mais

Práticas Verdes Para Condomínios

Práticas Verdes Para Condomínios Guia de Práticas Verdes Para Condomínios A economia que faz bem para o seu bolso e para o meio ambiente Com o objetivo de incentivar e disseminar práticas sustentáveis em condomínios, o Secovi Rio criou

Leia mais

Como comprar o seu imóvel. Um jeito único de vender.

Como comprar o seu imóvel. Um jeito único de vender. Como comprar o seu imóvel Um jeito único de vender. NOSSA MISSÃO A Impacto Engenharia investe constantemente em um relacionamento mais estreito com seus clientes e assim oferece um jeito único de servir,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere.

DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR. Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. DIAGNÓSTICO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA EM SANTA TEREZINHA DE ITAIPU - PR Coleta Seletiva, nem tudo é lixo, pense, separe, recicle e coopere. Março de 2015 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA DE COLETA SELETIVA HISTÓRICO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS

MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS MEMORIAL DESCRITIVO ÁGUAS PLUVIAIS Considerando o índice pluvialmétrico histórico da Cidade do Salvador, de 1800 mm por ano. Tendo em mente a correspondência de 1 mm de chuva ser equivalente a 1 (um) litro

Leia mais

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS ORGANOGRAMA A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria de gestão (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática de gestão implementada? Desde 1999, a OC utiliza o Modelo de Excelência

Leia mais

PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA

PREFEITURA DE ITABUNA ESTADO DE BAHIA TABELA REFERÊNCIA DE PREÇOS 1. DIMENSIONAMENTO DE CUSTOS DE OBRAS E INSTALAÇÕES DA GARAGEM Par0a o dimensionamento dos custos de Obras e Instalações de Garagem foram adotados os seguintes parâmetros baseados

Leia mais

SAÚDE. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP:

SAÚDE. Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: SAÚDE 1. Identificação Empresa/Interessado: Endereço: Bairro: Município: CEP: CNPJ/CPF: Telefone: Fax: E-mail: Atividade: Localização do empreendimento (Endereço): Bairro: CEP: Contato: Cargo/Função: 2.Informações

Leia mais

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000

RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 RESOLUÇÃO No 273 DE 29 DE NOVEMBRO 2000 O Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA, no uso das competências que lhe foram conferidas pela Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

SAN.T.IN.NT 33. A.R.T.: Anotação de Responsabilidade Técnica do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura CREA;

SAN.T.IN.NT 33. A.R.T.: Anotação de Responsabilidade Técnica do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura CREA; 1 / 5 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. DEFINIÇÕES 4. PROCEDIMENTOS 5. REFERÊNCIAS 6. ANEXOS 1. FINALIDADE Esta Norma tem como finalidade disciplinar e padronizar os procedimentos para liberação

Leia mais

INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS PROJETO EXECUTIVO MEMORIAL TÉCNICO 13 de março de 2008 FNDE ProInfância INSTALAÇÕES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MEMORIAL TÉCNICO Memória Descritiva e Justificativa

Leia mais

Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS PREDIAIS

Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS PREDIAIS Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSSANITÁRIOS PREDIAIS Caxias do Sul 2015 2 LISTA DE TABELAS Tabela 1: Determinação do número de contribuintes...

Leia mais