Introdução a Ecologia consumidores decompositores nível trófico ecossistema relações tróficas componentes abióticos e bióticos Ecossistema

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução a Ecologia consumidores decompositores nível trófico ecossistema relações tróficas componentes abióticos e bióticos Ecossistema"

Transcrição

1 Introdução a Ecologia A ecologia é uma ciência multidisciplinar, que envolve biologia vegetal e animal, taxonomia, fisiologia, genética, comportamento, meteorologia, pedologia, geologia, sociologia, antropologia, física, química, matemática e eletrônica; não tendo um início bem delineado. Encontra seus primeiros antecedentes na história natural dos gregos, particularmente em um discípulo de Aristóteles, Teofrasto, que foi o primeiro a descrever as relações dos organismos entre si e com o meio.o termo ecologia foi criado em 1869 por Ernest Haeckel (biólogo alemão) e deriva dos termos gregos oikos(casa) e logos(estudo). A ecologia moderna, passou a se concentrar no conceito de ecossistema, uma unidade funcional composta de organismos integrados e interdependentes através das relações tróficas e o ambiente físico em que se encontram, envolvendo assim os componentes abióticos e bióticos. de tempo como resultado da atividade respiratória dos organismos vivos (Vallentyne,1962). Os consumidores são heterótrofos, utilizam direta ou indiretamente a matéria orgânica fixada pelos autótrofos. Os decompositores, fungos e bactérias, são os organismos responsáveis pela reciclagem da matéria, retornando os elementos da matéria orgânica de volta ao ambiente. Na maioria dos casos, a energia de um ecossistema origina-se da energia solar, entrando no compartimento biológico através da fixação fotossintética pelos produtores, sendo transferida de um nível trófico a outro por meio das relações tróficas entre os organismos da comunidade. A figura a seguir (fig. 1) resume as relações entre os componentes biológicos do ecossistema: Figura1 Ecossistema O termo ecossistema foi proposto em 1935 pelo ecologista britânico A. G. Tansley, mas naturalmente o conceito é bem mais antigo.outros termos que já foram usados para expressar o ponto de vista holístico, mas que não são necessariamente sinônimos de ecossistema, incluem holocoen (Friederichs,1930), biossistema (Thienemann,1939) Os ecossistemas apresentam interelações estruturadas entre solo, água e nutrientes,de um lado (componente abiótico - biótopo), e entre produtores, consumidores e decompositores do outro (componente biótico - biocenose).os ecossistemas funcionam graças à manutenção do fluxo de energia e do ciclo de materiais, desdobrado numa série de processos e relações energéticas, chamada cadeia alimentar, que agrupa os membros de uma comunidade natural. Cadeias Alimentares A transferência de energia alimentar,desde a fonte nos autótrofos, através de uma série de organismos que consomem e são consumidos, chama-se cadeia alimentar ou cadeia trófica. As cadeias alimentares são constituídas por três elementos: produtores, consumidores e decompositores. Os produtores são os organismos autótrofos da comunidade,na imensa maioria fotossintetizantes.a cada ano são produzidas na Terra aproximadamente 100 bilhões de toneladas de matéria orgânica pelos organismos produtores das comunidades. Uma quantidade aproximadamente igual é oxidada, voltando a constituir C0 2 e H 2 O, durante o mesmo intervalo O nível trófico que cada organismo ocupa ao longo de uma cadeia alimentar corresponde ao nível alimentar ou nível energético na cadeia. Assim os produtores ocupam o 1º nível trófico; os herbívoros, aqueles que se alimentam dos autótrofos fotossintetizantes, ocupam o 2º nível trófico; os carnívoros, que se alimentam dos herbívoros,ocupam o 3º nível trófico e assim sucessivamente. As cadeias alimentares, em geral, não apresentam mais de cinco níveis tróficos, uma vez que a cada transferência de energia de um nível trófico a outro a quantidade de energia diminuí em razão do consumo energético nas atividades vitais. Em cada transferência, uma proporção em torno de 90% da energia potencial perde-se sob a forma de calor. Portanto, quanto menor a cadeia alimentar, ou quanto mais próximo o organismo do início da cadeia, maior a quantidade de energia disponível. O comportamento da energia nos ecossistemas pode ser chamado convenientemente de fluxo de energia, porque, as transformações energéticas são de sentido único, uma vez que a energia perdida na forma de calor a cada nível trófico não

2 pode ser reciclada, e assim a quantidade de energia diminui de um nível trófico a outro. As cadeias alimentares não são seqüências isoladas; estão interligadas. O padrão de interconexões denomina-se teia ou rede alimentar (fig.2). Figura 2.P = produtor C1 = consumidor primário C2 = consumidor primário C3 = consumidor primário SC1 = consumidor secundário SC2 = consumidor secundário TC = consumidor secundário e terciário Definição de alguns termos usados em Ecologia: Habitat: local em que vive determinada espécie. Nicho ecológico: o conjunto das relações e atividades próprias de uma espécie, ou seja, o modo de vida único e particular que cada espécie explora no habitat. Biótopo: Meio físico, representado pelos componentes físicos e químicos do ambiente. Biocenose: o mesmo que comunidade ou conjunto de espécies diferentes e que se interrelacionam em um determinado meio físico. Exercícios Propostos: 1. (UFPB) No manguezal, pode-se encontrar uma cadeia alimentar formada pelos seguintes organismos: Dentro desta cadeia, a craca é considerada como: a-) produtor b-) decompositor c-) consumidor primário d-) consumidor secundário e-) consumidor terciário A partir do cartaz, um professor que levou seus alunos à uma excursão comenta que, sem energia, não há vida. Utiliza os elementos ilustrados (I, II, III e IV) para informar que a energia é a) introduzida na comunidade biótica por I, sendo transferida, sob a forma química, aos demais seres vivos. b) obtida do ambiente físico e passa de ser vivo a ser vivo, retornando integralmente ao ecossistema, pela ação de III. c) originada em II, sendo fixada, sob a forma química, diretamente por IV. d) utilizada por III, a partir de compostos orgânicos, quando ele realiza a fotossíntese. 3.(UFPE- 2002) Os seres vivos não são entidades isoladas. Eles interagem em seu ambiente com outros seres vivos e com componentes físicos e químicos. São afetados pelas condições desse ambiente. Com relação ao ecossistema marinho, assinale a alternativa correta. a) O Zooplâncton e o Fitoplâncton representam os organismos produtores (autotróficos) nas cadeias alimentares marinhas. b) Os consumidores secundários e terciários, nos mares, são representados principalmente por peixes. c) No ambiente marinho, não existem decompositores. d) As diatomáceas são os principais representantes do Zooplâncton. e) Todos os seres do Zooplâncton marinho são macroscópicos. 4.(FUVEST-2001) A tabela a seguir mostra medidas, em massa seca por metro quadrado (g/m 2 ), dos componentes de diversos níveis tróficos em um dado ecossistema. 2.(UFRN-2001/Modificada por Prof. Panthera) Observe o cartaz afixado na entrada de uma Reserva de Mata Atlântica:

3 a) Por que se usa a massa seca por unidade de área (g/m 2 ), e não a massa fresca, para comparar os organismos encontrados nos diversos níveis tróficos? É na massa seca (matéria orgânica) que se encontra a energia armazenada na forma química. b) Explique por que a massa seca diminui progressivamente em cada nível trófico. A cada nível trófico parte da energia contida na matéria orgânica é consumida nas atividades vitais. c) Nesse ecossistema, identifique os níveis tróficos ocupados por cobras, gafanhotos, musgos e sapos. Musgos- produtores Gafanhotos cons. primário sapos- cons.secundário cobras- cons. terciário 5.(UFSM) Assinale a alternativa correta em relação ao fluxo de energia em um ecossistema. a) A energia disponível para o nível trófico posterior será sempre menor do que aquela recebida pelo nível trófico anterior. b) A energia disponível será tanto menor quanto mais curta for a cadeia trófica. d) A energia disponível será tanto maior quanto mais longa for a cadeia trófica. e) A energia que flui entre os componentes da cadeia trófica permanece sempre constante. Pirâmides Ecológicas A estrutura de uma cadeia alimentar pode ser representada graficamente através de pirâmides ecológicas, onde o primeiro nível, o dos produtores constitui a base e cada um dos níveis sucessivos forma cada um dos patamares, até o último nível representado pelo ápice. As pirâmides ecológicas podem ser de três tipos gerais: 1. Pirâmide de números: representa o número de organismos individuais em cada nível trófico. 2. Pirâmide de biomassa: baseada no peso seco total, no valor calórico ou em outra medida de quantidade total de material vivo em cada nível trófico. 3. Pirâmide de energia: mostra o fluxo energético e/ou a produtividade em níveis tróficos sucessivos. As pirâmides de números e biomassa podem ser invertidas (ou parcialmente), ou seja, a base pode ser menor que uma ou mais camadas superiores, se os organismos produtores individuais forem maiores, em média, que os consumidores individuais. Por outro lado, a pirâmide de energia deve ter sempre uma forma piramidal reta, não invertida, ou seja, com base larga e ápice estreito, em razão do fluxo de energia. Dos três tipos de pirâmides ecológicas, a pirâmide de energia é a que proporciona, de longe, a melhor imagem geral da natureza funcional de uma cadeia alimentar. Exercícios Propostos: 1.(FUVEST) O diagrama a seguir é uma pirâmide de energia. a) O que representa a largura de cada nível do diagrama? A quantidade de energia presente em cada nível trófico. b) Por que a largura de um nível não pode ser maior que a do nível abaixo dele? A cada nível trófico 90% da energia é consumida nas atividades vitais, sendo assim, a quantidade de energia diminui de um nível trófico para outro. 2. Considere a seguinte cadeia alimentar: ÁRVORE PULGÕES PROTOZOÁRIOS Construa a pirâmide de números que melhor representa esta cadeia alimentar.

4 3. Considere a pirâmide de números a seguir, e assinale a alternativa da tabela, que corresponde à pirâmide representada. 2.(UFRJ) As figuras A e B representam esquematicamente a entrada de energia em dois ecossistemas. A energia que entra é igual nos dois ecossistemas e se divide de forma desigual; nas figuras, a espessura das setas é proporcional à quantidade de energia. Um dos ecossistemas é um ecossistema agrícola, formado por milho e arroz, o outro é uma floresta tropical primária. O conceito de Produtividade Define-se a produtividade primária de um sistema ecológico, de uma comunidade ou de qualquer parte deles, como a taxa na qual a energia radiante é convertida, pela atividade fotossintética de organismos produtores, em substâncias orgânicas. A produtividade primária bruta é taxa global de fotossíntese, incluindo a matéria orgânica usada na respiração durante o período de medição. A produtividade primária líquida é a taxa de matéria orgânica armazenada nos tecidos vegetais, ou seja, o excedente de energia não utilizada na atividade respiratória. PPL = PPB R (respiração) Exercícios Propostos 1.(UFPR) "À transferência de energia, desde os produtores até os decompositores, através de uma série de organismos que consomem e são consumidos, dá-se o nome de cadeia alimentar ou trófica. Assim, as plantas verdes ocupam o primeiro nível trófico, os herbívoros o segundo nível e os carnívoros os níveis superiores." Baseado nesta afirmativa, justifique por que os vegetais são qualificados como produtores. Os vegetais são considerados produtores pois são responsáveis pela conversão da energia luminosa em energia química (matéria orgânica) através do processo fotossintético. Indentifique o ecossistema agrícola. Justifique sua resposta. A ecossistema agrícola B floresta tropical primária Nos ecossistemas agrícolas as espécies foram selecionadas para fixarem o máximo de matéria orgânica (energia), com o menor gasto energético (respiração), para que o saldo de matéria orgânica (energia) possa ser transferido como alimento pra os consumidores (humanos). CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Os elementos químicos, inclusive todos os elementos essenciais do protoplasma, tendem a circular na biosfera em vias características, do ambiente aos organismos e destes, novamente, ao ambiente.estas vias mais ou menos circulares se chamam ciclos biogeoquímicos. O movimento desses elementos e compostos inorgânicos que são essenciais para a vida pode ser adequadamente denominado ciclagem de nutrientes. Cada ciclo também pode ser convenientemente dividido em dois compartimentos: o reservatório, componente maior, de movimentos lentos, geralmente não biológico, e o lábil ou de ciclagem, uma parcela menor porém mais ativa que se permuta mais rapidamente, entre os organismos e o seu ambiente imediato.do ponto de vista da biosfera como um todo, os ciclos biogeoquímicos se classificam em dois grupos básicos: os tipos gasosos, nos quais o reservatório está situado na atmosfera ou na hidrosfera, e os tipos sedimentares, nos quais o reservatório localiza-se na crosta terrestre.

5 CICLO DA ÁGUA O ciclo da água(fig.3) pode ser considerado sob dois aspectos: o pequeno ciclo, ou ciclo curto, e o grande ciclo, ou ciclo longo. No ciclo curto, a água muda de estado físico, passando da condição líquida em que se encontra nos oceanos, rios, lagos e embebida no solo, para o estado de vapor pela ação do calor ambiental e da ventilação, dando origem as nuvens. No ciclo longo, a água passa pelo compartimento biológico dos ecossistema, sendo absorvida pelos seres vivos e devolvida posteriormente ao ambiente. 1- Evapotranspiração 2- Evaporação 3- Transpiração Figura 3 CICLO DO CARBONO No ciclo do carbono ( fig 4), o reservatório atmosférico é muito pequeno (0.03%), comparado com o carbono dos oceanos e dos combustíveis fósseis e de outros depósitos da crosta terrestre. Acredita-se que, até o início da idade industrial, os fluxos entre a atmosfera, continentes e oceanos estavam equilibrados. Durante o século XX, porém, o conteúdo de CO 2 tem-se elevado na atmosfera, por causa de novas entradas antropogênicas, como por exemplo, a queima de combustíveis fósseis, os desmatamentos e as queimadas. pelos organismos autotróficos clorofilados. O carbono fixado na estrutura da matéria orgânica é transferido de um nível trófico a outro através da nutrição e devolvido aos reservatórios gasosos por meio da respiração, da decomposição e da combustão. CICLO DO NITROGÊNIO O elemento nitrogênio tem grande importância para os seres vivos, pois está presente na constituição das proteínas (grupo amina dos aminoácidos) e dos ácidos nucléicos (bases nitrogenadas). O maior reservatório de nitrogênio é a atmosfera, onde esse elemento químico se encontra na forma gasosa (N 2 ), representando cerca de 78% do volume atmosférico. De maneira geral os seres vivos não conseguem utilizar diretamente o nitrogênio atmosférico, dependendo de microorganismos fixadores, como algumas bactérias, cianobactérias, e alguns fungos, cuja maioria vive no solo, e que são capazes de utilizar diretamente o nitrogênio gasoso, fixando-o em suas molécula orgânicas.quando esses microorganismos morrem e se decompõem, liberam nitrogênio em forma de amônia(nh 3 ) para o solo. O nitrogênio na forma de amônia(nh 3 ) presente no solo, resultante da decomposição de matéria orgânica vegetal, animal e de microorganismos, é convertido por bactérias quimiossintetizantes, inicialmente à condição de nitrito(no - 2 )(Nitrosomonas) e posteriormente á condição de nitrato(no - 3 ) (Nitrobacter). Esse processo de formação de nitrato no solo é denominado de nitrificação, sendo o nitrato a forma que melhor as plantas podem aproveitar a partir do substrato em que se encontram. Através da nutrição, o nitrogênio é transferido de um nível trófico à outro, sendo que nos níveis dos consumidores, as proteínas e os ácidos nucléicos ao serem degradados resultam em resíduos nitrogenados (amônia, uréia e ácido úrico), que são eliminados por meio da excreção e que podem passar novamente por nitrificação. Parte dos compostos nitrogenados presentes no solo segue pela via da nitrificação, enquanto outra parte, por ação de bactérias denitrificantes é convertida em nitrogênio gasoso que retorna a atmosfera. Figura 4 A entrada do carbono no compartimento biológico dos ecossistemas, a partir dos reservatórios gasosos, ocorre através do processo de fotossíntese, realizado

6 origem aos ventos, provoca a evaporação da água dos rios, lagos e mares. O vapor da água, ao se resfriar, condensa em minúsculas gotinhas, que se agrupam formando as nuvens, neblinas ou névoas úmidas. As nuvens podem ser levadas pelos ventos de uma região para outra. Com a condensação e, em seguida, a chuva, a água volta à superfície da Terra, caindo sobre o solo, rios, lagos e mares. Parte dessa água evapora retornando à atmosfera, outra parte escoa superficialmente ou infiltra-se no solo, indo alimentar rios e lagos. Esse processo é chamado de ciclo da água. Considere, então, as seguintes afirmativas: Ciclo do Nitrogênio (Figura 5) CICLO DO OXIGÊNIO O principal reservatório de oxigênio é a atmosfera, onde esse elemento se encontra na forma de gás oxigênio (O 2 ), representando 21% dos gases atmosféricos. O oxigênio atmosférico (O 2 ) é liberado para o ambiente pelo processo de fotossíntese, a partir de um fenômeno conhecido por fotólise da água (etapa clara da fotossíntese). Utilizado na respiração aeróbica por plantas e animais, o oxigênio combina-se com o hidrogênio proveniente da degradação de moléculas orgânicas formando água metabólica; em parte eliminada para o ambiente através da transpiração, da excreção e das fezes e em parte utilizada em processos metabólicos. I O 2 atmosférico II CO 2 atmosférico Ciclo do oxigênio (Figura 6) I O 2 atmosférico II CO 2 atmosférico Exercícios Propostos 1. (ENEM) O sol participa do ciclo da água, pois além de aquecer a superfície da Terra dando I. A evaporação é maior nos continentes, uma vez que o aquecimento ali é maior do que nos oceanos. II. A vegetação participa do ciclo hidrológico por meio da transpiração. III. O ciclo hidrológico condiciona processos que ocorrem na litosfera, na atmosfera e na biosfera. IV. A energia gravitacional movimenta a água dentro do seu ciclo. V. O ciclo hidrológico é passível de sofrer interferência humana, podendo apresentar desequilíbrios. a) Somente a afirmativa III está correta. b) Somente as afirmativas III e IV estão corretas. c) Somente as afirmativas I, II e V estão corretas. d) Somente as afirmativas II, III, IV e V estão corretas. e) Todas as afirmativas estão corretas. 2. (UFPB-2002) Na natureza, a água encontra-se em três estados físicos: sólido, líquido e gasoso, representando cerca de 70% da superfície da Terra. Ela participa do ciclo biogeoquímico, passando dos seres vivos para o ambiente e voltando novamente aos seres vivos.este processo, incluindo mudanças no estado físico, faz parte do chamado ciclo da água. Apesar da abundância e do processo de ciclagem da água na Terra, o desabastecimento pode ocorrer nos próximos meses, caso o apagão se torne realidade, pois a falta de energia dificultaria o bombeamento regular da água até as torneiras. a-) Explique dois fatores que afetam a disponibilidade de água no planeta. Assoreamento dos rios e açudes e desmatamento (diminuição da evapotranspiração) b-) Relacione o modelo energético brasileiro com a atual crise, conhecida como apagão e o ciclo da água. O modelo de geração de energia no Brasil é o hidro-elétrico, sendo que a diminuição dos volumes de água nas barragens de geração de

7 energia devido a alterações no ciclo hidrológico compromete o sistema elétrico do país. 3. (UFES) Na figura adiante, está representado o Ciclo do Nitrogênio. Indique, justificando: a) os fluxos que incluem os processos de fotossíntese, respiração aeróbica e fermentação, realizados pelos seres vivos atuais. B e D fotossíntese C e A respiração e fermentação b) o fluxo que é diretamente afetado pelas usinas termo-elétricas a carvão mineral. F 5. (UFSC-2000) O esquema a seguir representa, de forma simplificada, os ciclos do carbono e do oxigênio. a) Qual o composto nitrogenado formado pelos organismos representados pelo número 1 e como ele é utilizado pelas plantas? Amônia o nitrogênio presente neste composto é utilizado na síntese de aminoácidos (componentes das proteínas) e bases nitrogenadas (componentes dos ácidos nucléicos) b) Descreva as seguintes etapas desse ciclo: I - fixação; II - nitrificação; III - desnitrificação. I fixação por bactérias e cianobactérias II conversão de amônia à condição de nitritos e nitratos por bactérias nitrificantes. III na desnitrificação, bactérias desnitrificantes retornam o nitrogênio para a condição de nitrogênio gasoso atmosférico. c) Descreva o papel das leguminosas nesse ciclo. As leguminosas apresentam associadas em suas raízes bactérias fixadoras de nitrogênio à condição de nitratos. 4. (FUVEST-2002) No esquema a seguir, os retângulos representam os quatro maiores reservatórios do elemento carbono em nosso planeta e as setas indicam o fluxo do carbono entre esses reservatórios. Assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S). 01. I e II representam, respectivamente, o O 2 e o CO A necessidade de O 2 para a respiração explica o aparecimento dos animais antes dos vegetais na Terra. 04. Praticamente, todo o oxigênio livre da atmosfera e da hidrosfera tem origem biológica, no processo de fotossíntese. 08. O oxigênio se encontra no meio abiótico como integrante do ar atmosférico, ou no meio biótico, como constituinte das moléculas orgânicas dos seres vivos. 16. Alguns fatores, como excessivas combustões sobre a superfície da terra, têm determinado o aumento gradativo de taxa de CO 2 na atmosfera. 32. A manutenção das taxas de oxigênio e gás carbônico, no ambiente, depende de dois processos opostos: a fotossíntese e a respiração. 6. (UFRRJ-99) Sabe-se que o nitrogênio é vital na produção de proteínas. Embora o ar atmosférico seja constituído de 78% de nitrogênio, este gás não pode ser usado por plantas e animais diretamente na forma gasosa. (Baseado em Trabalka, J. K. & Reichle, D. E. (eds) "The Changing Carbon Cycle: a global analysis"; Springer, Nova York, 1986). a) De que forma o nitrogênio pode ser absorvido e quais os organismos que contribuem para a sua transformação? - Principalmente na forma de nitratos - Bactérias

8 b) Por que uma das culturas utilizadas de forma intercalada é uma leguminosa? Explique a importância da rotação de culturas. As leguminosas apresentam associadas em suas raízes bactérias fixadoras de nitrogênio à condição de nitratos. Assim enriquecem o solo com este composto, tornando-o mais fértil. Fatores Ecológicos A presença e o sucesso de um organismo ou de um grupo de organismos dependem de um complexo de condições que podem ser adequadamente denominados de fatores ecológicos. Os fatores ecológicos influenciam direta ou indiretamente os seres vivos, sendo divididos em abióticos e bióticos. Exemplos de fatores abióticos: água, temperatura, ph, salinidade, elementos minerais disponíveis no solo ou na água, oxigênio dissolvido na água, iluminação, radiação ionizante. Exemplos de fatores bióticos: disponibilidade de alimento, coações ou fatores biológicos Todos esses fatores podem, isoladamente ou em conjunto, ser limitantes no sentido prejudicial, uma vez que se aproximando ou excedendo o limite de tolerância do organismo ou da população podem limitar o potencial biótico. Potencial biótico: capacidade que uma população ou organismo apresenta de crescimento quando as condições ambientais são ideais. As variações dos fatores ecológicos (abióticos e bióticos), por outro lado, podem atuar no sentido benéfico, a medida que regulam o crescimento das populações, impondo limites a este crescimento e impedindo a saturação do ambiente. As variações quantitativas de uma população dependem das taxas de natalidade(n), mortalidade(m), imigração(i) e emigração(e) que ocorrem na população ao longo do tempo. Uma população cresce quando: N + I > M + E Uma população decresce quando: M + E > N + I Fatores biológicos ou coações: consiste nas interações entre populações de duas espécies diferentes. Tais interações podem ser positivas(+), negativas(-) ou neutras(0). Interações negativas tendem a predominar em comunidades pioneiras ou em condições perturbadas.na evolução e desenvolvimento de ecossistemas, as interações negativas tendem a ser minimizadas em favor de simbiose positiva, que melhora a sobrevivência das espécies interativas. São exemplos de coações: 1. Caranguejo-eremita e anêmona-do-mar (protocooperação) 2. Rêmora que aproveita restos alimentares do tubarão, hienas que aproveitam restos alimentares dos leões(comensalismo). 3. Algas e fungos que formam os liquens, bactérias do gênero Rhizobium e raízes de plantas leguminosas, micorrizas(mutualismo). 4. Fungos que liberam antibióticos contra bactérias, algas pirrofíceas, do gênero Goniaulax, que liberam toxinas na água levando à morte peixes e crustáceos(marés vermelhas)(amensalismo) 5. Gavião que devora outros pássaros e roedores(predatismo). 6. Lombrigas que parasitam o intestino humano(parasitismo). A = potencial biótico B = conjunto dos fatores limitantes do ambiente C = crescimento populacional real Outros tipos de interações são as colônias e as sociedades, em que organismos pertencentes a uma mesma espécie vivem associados de maneira harmônica. Nas colônias os indivíduos se encontram unidos fisicamente e em intima divisão de trabalho, como por exemplo os corais. Nas sociedades os indivíduos apresentam divisão de trabalho, no entanto, não estão

9 unidos fisicamente, como por exemplo as abelhas, os cupins, as formigas. aurelia (gráfico B), quando estas espécies foram cultivadas no mesmo frasco. Exercícios propostos: 1. (UEL) Um professor recomendou a um aluno que fizesse uma observação cuidadosa em seu aquário considerando a água nele contida, o ar que estava sendo injetado, a luminosidade, a temperatura, o limo verde, as plantas aquáticas, os peixes, eventuais larvas e não se esquecesse dos organismos invisíveis a olho nu. Nessa recomendação, o professor fez menções a componentes abióticos e bióticos do ecossistema aquário, em número de, respectivamente: a) 4 e 5 b) 5 e 4 c) 6 e 3 d) 7 e 2 e) 8 e 1 2. (UFSCAR-2001) O gráfico apresenta dados relacionados à captura de lagartos e de pequenos mamíferos, de hábitos diurnos, nas dunas de uma restinga, em região tropical do Brasil, ao longo do dia Analisando os gráficos, responda: a) o que se pode dizer dos nichos ecológicos explorados pelas espécies de Paramecium constantes dos gráficos A e B? Ocupam nichos ecológicos distintos Gráfico A Ocupam o mesmo nicho ecológico Gráfico B (competição interespecífica) b) como se explicam os resultados das curvas de crescimento das espécies Paramecium caudatum e Paramecium bursaria (gráfico A), quando cultivadas no mesmo frasco? Ambas crescem segundo o potencial biótico de cada uma das espécies, uma vez que entre elas não há competição.. Responda. Qual das curvas, I ou II, representa a captura de lagartos? Justifique sua resposta I lagartos (pecilotérmicos) II mamíferos (homeotérmicos) 3. (UFRN-2001) Originário da Europa, o pardal se espalhou por todo o mundo, graças a sua grande capacidade de adaptação ao ambiente urbano. A importação dessa espécie para o Brasil trouxe conseqüências negativas para o meio ambiente, pois o rápido crescimento da população de pardais prejudicou a agricultura e contribuiu para a redução do número de aves nativas, como o tico-tico. Forneça duas explicações plausíveis para o fato de ter ocorrido o crescimento acelerado do número de pardais e, em conseqüência disso, a redução do número de tico-ticos. Ausência de predadores para os pardais e competição interespecífica destes com os ticoticos. 4. (UFSCAR-2000) Os gráficos mostram os resultados das curvas de crescimento das espécies Paramecium caudatum e Paramecium bursaria (gráfico A) e das espécies Paramecium caudatum e Paramecium 5. (ENEM-2001) Um produtor de larvas aquáticas para alimentação de peixes ornamentais usou veneno para combater parasitas, mas suspendeu o uso do produto quando os custos se revelaram antieconômicos. O gráfico registra a evolução das populações de larvas e parasitas. O aspecto BIOLÓGICO, ressaltado a partir da leitura do gráfico, que pode ser considerado o melhor argumento para que o produtor não retome o uso do veneno é: a) A densidade populacional das larvas e dos parasitas não é afetada pelo uso do veneno. b) A população de larvas não consegue se estabilizar durante o uso do veneno. c) As populações mudam o tipo de interação estabelecida ao longo do tempo.

10 d) As populações associadas mantêm um comportamento estável durante todo o período. e) Os efeitos das interações negativas diminuem ao longo do tempo, estabilizando as populações. 6. (UFRRJ-2001) O gráfico acima mostra o número de indivíduos de duas espécies que viviam juntas e foram separadas no momento indicado pela seta. Diante do ocorrido, que tipo de relação ecológica existe entre as espécies A e B? Justifique sua resposta. Protocooperação as duas espécies tiveram diminuídas as suas populações quando separadas, uma vez que neste tipo de interação as espécies são favorecidas em seus desenvolvimentos quando associadas. Sucessões Ecológicas O desenvolvimento do ecossitema ou, como é chamado mais freqüentemente, a sucessão ecológica envolve mudanças na estrutura de espécies e processos da comunidade ao longo do tempo. Quando não é interrompida por forças externas, a sucessão é bastante direcional e, portanto, previsível. Ela resulta da modificação do ambiente físico pela comunidade e de interações de competição e coexistência a nível de população, isto é, a sucessão é controlada pela comunidade, muito embora o ambiente físico determine o padrão e a velocidade de mudança, muitas vezes limitando também a extensão do desenvolvimento. Quando um novo território é aberto ou se torna disponível para a colonização, como por exemplo, depois de um fluxo de lava vulcânica, ou num campo agrícola abandonado ou numa represa nova, em geral se estabelece um processo de sucessão ecológica. No processo de sucessão ecológica, inicialmente a produtividade bruta (PPB) da comunidade é maior que a respiração(r) e prossegue em direção a uma condição mais equilibrada PPB = R. O estágio inicial de sucessão em uma comunidade é denominado estágio pioneiro, sendo constituído por organismos euriécios (organismos com grande capacidade de adaptação as mais diferentes condições ambientais). A sequência inteira de comunidades que se substituem umas às outras numa dada área chama-se estágios serais ou seres. O sistema estabilizado terminal é o clímax, o qual persiste, teoricamente até ser afetado por grandes perturbações. A sucessão em um substrato previamente desocupado, como por exemplo, um campo de lava vulcânica, é denominada uma sucessão primária, enquanto que aquela que começa num local anteriormente ocupado por uma comunidade, como por exemplo, uma floresta derrubada ou um campo agrícola abandonado, é denominada uma sucessão secundária. A medida que se sucedem os estágios do processo de desenvolvimento do ecossistema, aumentam a diversidade biológica, a biomassa, a velocidade de ciclagem de nutrientes, a duração e a complexidade dos ciclos vitais. Exercícios Propostos: 1. (UFUBERLÂNDIA-2001) Assinale a alternativa correta. a) A sucessão num ecossistema pode ser descrita como uma modificação em direção a uma grande diversidade e, conseqüentemente, a um número de nichos ecológicos muito maior. b) A sucessão secundária é aquela que leva a comunidade ao estágio de estabilidade bem alta (epístase), capaz de pronta resposta a modificações físicas, estágio de comunidade clímax. c) Acredita-se que a baixa estabilidade das comunidades clímax seja devida, basicamente, à sua grande diversidade de espécies. Muitas interações diferentes causam mudanças constantes na comunidade. d) No estágio inicial, do povoamento de uma área, ou seja, na sucessão primária, diminui a reciclagem de nutrientes e da biomassa total, pois muitas gramíneas são substituídas por árvores. 2. (UFLAVRAS-2000)O desenho ilustra o processo de sucessão em comunidades bióticas. Os componentes PB, PL e R representam: PB = Produtividade bruta PL = Produtividade líquida R = Respiração Se um agricultor diminuir o gasto energético das plantas, introduzindo adubos, água, mecanização agrícola, etc., o que acontecerá com R, PL e PB? A PL irá aumentar pois o consumo de energia na respiração irá diminuir.

11 3. (UFRJ-2002) No processo de sucessão ecológica, considerando os vegetais de um dado ecossistema, a relação produtividade primária/biomassa (P/B) se modifica ao longo do tempo. A produtividade primária, que é basicamente a incorporação de carbono orgânico através da fotossíntese, varia pouco durante o processo de sucessão. Comparando um ecossistema em início de sucessão ecológica com um ecossistema em fase avançada de sucessão, qual terá a menor relação P/B? Justifique sua resposta. 4. (UFRN-2002) As figuras a seguir representam a seqüência de eventos associados a uma queimada. Analisando a seqüência de eventos acima, responda às questões. a) Em que figuras estão INTENSIFICADOS o consumo e a produção de oxigênio e de gás carbônico? Por que isso ocorre? b) Considerando que, na figura 2, todos os microrganismos do solo foram extintos, explique de que forma o ciclo do nitrogênio fica prejudicado. c) Comparando as figuras 3 e 4, explique em qual delas se encontra a maior diversidade de animais. Poluição Existe, na natureza, um equilíbrio biológico entre todos os seres vivos. Assim, a poluição pode ser entendida como qualquer alteração no equilíbrio ecológico existente, a partir, principalmente de substâncias tóxicas introduzidas pelo homem no ambiente ou mesmo aquelas que ocorrem de maneira natural, completamente independentes de qualquer atividade humana. Os agentes poluentes são os mais variados possíveis e afetam a água, o ar, o solo, etc. POLUIÇÃO DO AR Os principais poluentes atmosféricos são: CO (monóxido de carbono), CO 2 (dióxido de carbono), SO 2 (dióxido de enxofre), NO 2 (dióxido de nitrogênio), o CFC. O CO 2 tem origem principalmente na combustão de petróleo e carvão mineral. Ele se liga de maneira irreversível à hemoglobina, ocupando o lugar do oxigênio. Em altas concentrações, prejudica a oxigenação do organismo, causando diminuição nos reflexos e da acuidade visual.pessoas com problemas cardíacos e circulatórios são as mais prejudicadas. O CO 2 representa cerca de 0,03% dos gases da atmosfera terrestre, no entanto tal percentagem vem aumentando significativamente desde meados do séc. XIX, devido a queima de combustíveis fósseis e dos desmatamentos feitos com queimadas. O EFEITO ESTUFA é um fenômeno natural que, em condições normais, mantém a Terra aquecida, e habitável. Ele é provocado por gases, especialmente o CO 2, cujo efeito é comparável ao vidro de uma estufa, que deixa entrar os raios de sol, mas impede que parte da radiação térmica (radiação infravermelha) seja irradiada de volta ao espaço. Uma maior concentração de CO 2 na atmosfera terrestre, levaria a uma maior retenção de raios infravermelhos e conseqüentemente a elevação da temperatura terrestre (entre 2 a 4 C nos próximos 30 anos). As conseqüências previstas são catastróficas, pois existe o risco de as calotas polares derreterem e ocasionarem um aumento do nível dos oceanos, provocando drásticas alterações climáticas. O SO 2 é produzido pela queima de combustíveis fósseis, provocando problemas no sistema respiratório, como bronquites e enfisema pulmonar. No ar, o SO 2 pode ser transformado em SO 3, que é muito mais irritante para as vias respiratórias. Em altas concentrações, os óxidos de enxofre levam os vegetais a perderem as folhas. Os óxidos de enxofre, na atmosfera, podem reagir com o vapor d água, produzindo ácido sulfúrico, que se precipita na forma de chuva ou de neve (CHUVA ÁCIDA). Essa chuva ou neve contendo ácidos provoca erosão de prédios e monumentos, além da destruição de florestas e, conseqüentemente, da fauna. O NO 2 é também produzido pela queima de combustíveis fósseis, e pode penetrar profundamente no sistema respiratório e dar origem a substâncias mutagênicas e carcinogênicas. Assim como o SO 2, o NO 2 ao reagir com o vapor d água atmosférico forma ácido (àcido nítrico e se precipita na forma de chuva ou neve (CHUVA ÁCIDA). O CFC ( clorofluorcarbono) é um dos componentes dos gases empregados pela indústria desde 1930 nos sistemas de refrigeração de geladeiras e aparelhos de ar condicionado, em aerossóis como propelentes e na

12 indústria de plásticos injetados. Por serem muito leves os CFCs vão para as camadas altas da atmosfera, onde destroem o ozônio (O 3 ) ou mesmo impedem a sua formação. Nas camadas altas da atmosfera, entre 12 e 50 Km de altitude, existe elevada concentração de ozônio. Esse gás envolve e protege o planeta da radiação ultravioleta, agindo como um verdadeiro filtro solar. Nos últimos 15 anos, os cientistas notaram o aparecimento de dois grandes buracos, isto é, regiões sem ozônio na atmosfera ( Pólo Sul e Pólo Norte), e creditam tal situação ao CFCs liberados na atmosfera pela indústria. A maior incidência de radiação ultravioleta na superfície da Terra, devido a DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO (FIG. 7), têm como conseqüência o aumento da mortalidade de algas do plâncton marinho, e o aumento de casos de câncer de pele. Figura 7 Em certas épocas do ano, principalmente no inverno, pode ocorrer um fenômeno atmosférico denominado INVERSÃO TÉRMICA, causado pela interposição de uma camada de ar quente entre camadas de ar frio em certa altitude. Em regiões com elevada concentração de poluentes atmosféricos, a camada de ar quente impede a dispersão dos poluentes, que ficam aprisionados junto à superfície, provocando aumento de casos de irritação das mucosas e problemas respiratórios. POLUIÇÃO DA ÁGUA E DO SOLO A poluição das águas constitui um dos mais sérios problemas ecológicos da atualidade. Uma forma comum de poluição das águas é o lançamento de dejetos humanos nos rios, lagos e mares. Sendo constituídos de resíduos orgânicos, principalmente matéria fecal, os esgotos domésticos provocam a contaminação microbiana da água e a eutrofização. Eutrofização : é o aumento da quantidade de nutrientes em meio aquático. Esse fenômeno pode ser provocado pelo lançamento de esgotos, resíduos industriais, fertilizantes agrícolas (fosfatos e nitratos) e pela erosão. Com o aumento de nutrientes na água, ocorre o desenvolvimento descontrolado de algas, em detrimento de outras espécies. Esse fenômeno conhecido como FLORAÇÃO DAS ÁGUAS, torna imprestável para o uso águas de reservatórios de águas potáveis, lagos e lagoas. Por apresentarem ciclo biológico relativamente rápido, as algas ao morrerem, aumentam a quantidade de matéria orgânica no meio, que passa a ser decomposta por bactérias aeróbicas, que consomem o O 2 da água, levando a morte dos organismos aeróbicos. Ocorre então uma rápida proliferação de bactérias anaeróbicas, que na decomposição da matéria orgânica liberam substâncias malcheirosas. A poluição por resíduos não biodegradáveis, como detergentes, petróleo, agrotóxicos, também denominados de compostos recalcitrantes ou biologicamente resistentes, provoca o acúmulo de substâncias tóxicas na água e no solo que geram sérios riscos aos seres vivos. Os agrotóxicos, como o DDT; e metais pesados, como chumbo, zinco, mercúrio, são mutagênicos e carcinogênicos, sendo cumulativos ao longo das cadeias alimentares, aumentando a sua concentração de um nível trófico para outro. Problemas de proporções preocupantes tem ocorrido com mercúrio utilizado por garimpeiros para a separação de ouro em garimpos de rios da Amazônia e da região Centro- Oeste do Brasil. Uma alternativa ao uso de agrotóxicos na agricultura é a utilização de controle biológico de pragas. O LIXO URBANO No lixo de uma cidade estão presentes, fundamentalmente, restos de comida e objetos feitos de plástico, vidro, metal e papel. Composição média do lixo da cidade de São Paulo: 60% restos de comida, 14% papel e papelão, 12% plásticos, 4% metais, 2% vidros, 8% outros materiais( trapos, couros, terra, pedras, etc.) Há basicamente três maneiras de descartar o lixo de uma cidade: lixão, aterro sanitário e incineração. O lixão é o método mais barato, no entanto é aquele que provoca maior dano ao ambiente, uma vez que permite o aparecimento de ratos, baratas, moscas nas regiões próximas a ele, mau cheiro devido a decomposição da matéria orgânica, contaminação do solo e do lençol freático por microorganismos que se infiltram com o chorume (líquido produzido no processo de decomposição).

13 Um método mais sensato de destino final de resíduos urbanos é a reciclagem, que consiste no reaproveitamento do plástico, do metal do vidro e do papel que vão para o lixo e a compostagem, que consiste na transformação dos restos alimentares em adubos orgânicos. Exercícios Propostos 1. (FUVEST 2002) Um importante poluente atmosférico das grandes cidades, emitido principalmente por automóveis, tem a propriedade de se combinar com a hemoglobina do sangue, inutilizando-a para o transporte de gás oxigênio. Esse poluente é o a) dióxido de carbono. b) dióxido de enxofre. c) metano. d) monóxido de carbono. e) ozônio. 2. (UFES- 2001)Sobre o tema abordado pelo chargista foram feitas as seguintes proposições: 3. (UFPE-2001) O acúmulo de CO 2 na atmosfera constitui um dos fatores que provoca o conhecido "efeito estufa". Com relação a esse efeito é INCORRETO afirmar que: a) Além do gás carbônico, o metano e o óxido nitroso também contribuem para o efeito estufa. b) A queima de combustíveis fósseis tem provocado aumento da taxa de gás carbônico do ar. c) Fruto da atividade humana, a adubação com nitratos tem como ação nociva principal a liberação de CO 2 para a atmosfera. d) A concentração de gás metano na atmosfera vem crescendo e, entre outros fatores, isto é devido à maior produção de lixo. e) Parte da radiação solar que atinge a superfície terrestre é reirradiada sob a forma de radiação infravermelha e esta é refletida por certos gases atmosféricos. 4. (MACKENZIE-2002) O acúmulo de nutrientes na água desencadeia o fenômeno chamado EUTROFIZAÇÃO, que causa desequilíbrios ecológicos e mata numerosos organismos por meio de uma série de acontecimentos, abaixo citados. 1 - Proliferação de bactérias aeróbicas. 2 - Decomposição anaeróbica e produção de gases tóxicos. 3 - Queda na taxa de oxigênio. 4 - Proliferação e morte de algas. 5 - Morte dos seres aeróbicos. I - A camada de ozônio (O 3 ) age como um verdadeiro "filtro solar", protegendo a superfície do planeta da radiação ultravioleta emitida pelo sol. II - A destruição da camada de ozônio é conseqüência da liberação de gazes do tipo CFCs (clorofluorcarbonos) para a atmosfera, o que facilita a passagem da radiação infravermelha. III - A alta incidência de radiação ultravioleta, através dos "buracos" na camada de ozônio, leva ao aumento dos casos de câncer de pele, cegueira em pessoas e animais, além de prejuízos ao sistema imunológico. IV - Em certas épocas do ano (setembro e outubro), o "buraco" na camada de ozônio localizado no continente Antártico aumenta, o que resulta na morte de enormes quantidades de seres fotossintetizantes da comunidade planctônica, comprometendo toda a vida animal da região. Dessas proposições, somente são CORRETAS a) I e III. b) II e IV. c) I, III e IV. d) I, II e III. e) II, III e IV. A seqüência correta desses acontecimentos é: a) 4, 1, 3, 5 e 2 b) 1, 3, 4, 2 e 5 c) 2, 1, 3, 4 e 5 d) 4, 5, 3, 2 e 1 e) 2, 1, 5, 3 e 4 5. (ENEM-2001) Uma região industrial lança ao ar gases como o dióxido de enxofre e óxidos de nitrogênio, causadores da chuva ácida. A figura mostra a dispersão desses gases poluentes. Considerando o ciclo da água e a dispersão dos gases, analise as seguintes possibilidades:

14 I. As águas de escoamento superficial e de precipitação que atingem o manancial poderiam causar aumento de acidez da água do manancial e provocar a morte de peixes. II. A precipitação na região rural poderia causar aumento de acidez do solo e exigir procedimentos corretivos, como a calagem. III. A precipitação na região rural, embora ácida, não afetaria o ecossistema, pois a transpiração dos vegetais neutralizaria o excesso de ácido. Dessas possibilidades, a) pode ocorrer apenas a I. b) pode ocorrer apenas a II. c) podem ocorrer tanto a I quanto a II. d) podem ocorrer tanto a I quanto a III. e) podem ocorrer tanto a II quanto a III. 6. (UFPB-2001) Neste ano, o buraco na camada de ozônio, que aparece periodicamente sobre a Antártica, está maior, atingindo 28,5 milhões de quilômetros quadrados. Localizada ao sul do Chile, a cidade de Punta Arenas está situada sob a área de abrangência do buraco na camada de ozônio. Por esta razão, seus habitantes foram alertados a não sair de casa quando o sol estiver a pino, devendo usar mangas compridas, óculos escuros e chapéu. (Adaptado de VEJA Buraco não, buracão de 18/10/2000). a-) Qual a importância da camada de ozônio para o planeta? b-) Qual a causa da destruição da camada de ozônio? c-) Cite uma razão para a recomendação feita à população de Punta Arenas. 7. (UFPB-2002) Os ecossitemas, tanto naturais quanto aqueles criados pelo homem, sofrem constantes modificações, apresentando flutuações nas densidades populacionais que podem afetar a estrutura e o funcionamento desses sistemas. Estas flutuações tendem a se tornar menos intensas em comunidades mais maduras, proporcionando maior estabilidade ambiental. A manutenção dessa estabilidade está diretamente relacionada com a sua diversidade, tanto biológica, física ou química quanto com a capacidade de assimilação dos impactos naturais ou antrópicos. a-) Explique dois tipos de interferências humanas que estão afetando a estabilidade ambiental. b-) Qual a importância da biodiversidade para a manutenção da estabilidade, do ponto de vista do fluxo de energia.

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia

Biologia LIVRO 3 Unidade 3 Avaliação capítulos 12, 13, 14, 15 e 16 Ecologia 1. Durante uma aula de campo, a professora informou que naquela área existiam diversas espécies de formigas, seres que estabelecem uma relação intraespecífica harmônica conhecida como sociedade. Informou

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS O fluxo de energia em um ecossistema é unidirecional e necessita de uma constante renovação de energia, que é garantida pelo Sol. Com a matéria inorgânica que participa dos ecossistemas

Leia mais

ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) - AR

ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) - AR ECOLOGIA IMPACTOS ANTRÓPICOS (AR E ÁGUA) é uma das áreas da biologia que mais cai no ENEM, sendo que, dentro da ecologia, impactos ambientais são pontos bem cobrados. Nessa aula, iremos estudar alguns

Leia mais

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem

A Ecologia e sua Importância. Componentes Estruturais. Estudo das Relações dos Seres Vivos entre si e com o meio onde vivem Link para acessar o conteúdo, calendário, notas, etc. www.e-conhecimento.com.br Ensino Médio Primeiros Anos Ecologia oikos casa ; logos - estudo A Ecologia e sua Importância Estudo das Relações dos Seres

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP)

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) PROBLEMAS AMBIENTAIS Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) Liga-se com a hemoglobina impedindo o O2 de ser conduzido INVERSÃO TÉRMICA *Inversão térmica é um fenômeno

Leia mais

Matéria e Energia no Ecossistema

Matéria e Energia no Ecossistema Matéria e Energia no Ecossistema Qualquer unidade que inclua a totalidade dos organismos (comunidade) de uma área determinada, interagindo com o ambiente físico, formando uma corrente de energia que conduza

Leia mais

CONTROLE DA POLUIÇÃO AMBIENTAL

CONTROLE DA POLUIÇÃO AMBIENTAL CONTROLE DA POLUIÇÃO AMBIENTAL Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim Qual a diferença entre poluição e contaminação? Poluição é qualquer fator que altera o aspecto do sistema original; seja água, ar,

Leia mais

Matéria: Biologia Assunto: Problemas Ambientais Prof. Enrico Blota

Matéria: Biologia Assunto: Problemas Ambientais Prof. Enrico Blota Matéria: Biologia Assunto: Problemas Ambientais Prof. Enrico Blota Biologia Ecologia Problemas ambientais Em ecologia, POLUIR é contaminar um ecossistema ou parte dele com fatores prejudiciais ao equilíbrio

Leia mais

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS As moléculas orgânicas fundamentais que formam a biomassa dos seres vivos são basicamente os átomos de hidrogênio, carbono, nitrogênio e oxigênio. Os organismos usam os compostos

Leia mais

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida

Ecologia. 1) Níveis de organização da vida Introdução A ciência que estuda como os seres vivos se relacionam entre si e com o ambiente em que vivem e quais as conseqüências dessas relações é a Ecologia (oikos = casa e, por extensão, ambiente; logos

Leia mais

Os Ciclos Biogeoquímicos. Estágio- Docência: Camila Macêdo Medeiros

Os Ciclos Biogeoquímicos. Estágio- Docência: Camila Macêdo Medeiros Os Ciclos Biogeoquímicos Estágio- Docência: Camila Macêdo Medeiros (Odum, 1971). Ciclos Biogeoquímicos Bio Porque os organismos vivos interagem no processo de síntese orgânica e decomposição dos elementos.

Leia mais

5ª série / 6º ano 1º bimestre

5ª série / 6º ano 1º bimestre 5ª série / 6º ano 1º bimestre Água e o planeta Terra Hidrosfera Distribuição e importância Hidrosfera é o conjunto de toda a água da Terra. Ela cobre 2/3 da superfície terrestre e forma oceanos, mares,

Leia mais

Unidade I: Fundamentos

Unidade I: Fundamentos Curso: Ciências do Ambiente Unidade I: Fundamentos Profª Manuella Villar Amado A crise ambiental Miller (1985) A Terra pode ser comparada a uma astronave deslocando-se a 100.000 km/h pelo espaço sideral

Leia mais

Biologia Fascículo 10 André Eterovic

Biologia Fascículo 10 André Eterovic Biologia Fascículo 10 André Eterovic Índice Ecologia Conceitos Ecológicos...1 Cadeias Alimentares...2 Relações Simbióticas...4 Exercícios...6 Gabarito...8 Ecologia Conceitos Ecológicos Ecologia: definição

Leia mais

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO I Ocorre de maneira natural; Atividade humana; Década de 1970 preocupação com a biodiversidade e poluição; Esforço global... Substituir civilização

Leia mais

Cadeia alimentar 3º ano

Cadeia alimentar 3º ano Cadeia alimentar 3º ano O equilíbrio ecológico depende diretamente da interação, das trocas e das relações que os seres vivos estabelecem entre si e com o ambiente. Os seres respiram, vivem sobre o solo

Leia mais

Problemas Ambientais Urbanos

Problemas Ambientais Urbanos Problemas Ambientais Urbanos INVERSÃO TÉRMICA É comum nos invernos, principalmente no final da madrugada e início da manhã; O ar frio, mais denso, é responsável por impedir a dispersão de poluentes (CO,

Leia mais

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula

Poluição do ar. Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador. Deu no jornal. Nossa aula A UU L AL A Poluição do ar Segundo o pesquisador Paulo Saldiva, coordenador do laboratório de poluição atmosférica experimental da Faculdade de Medicina da USP, a relação entre o nível de poluição e a

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS NATURAIS, HUMANAS E SOCIAIS (ICNHS) Prof. Evaldo Martins Pires Doutor em Entomologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS NATURAIS, HUMANAS E SOCIAIS (ICNHS) Prof. Evaldo Martins Pires Doutor em Entomologia ECOLOGIA GERAL Aula 04 Aula de hoje: CICLAGEM DE NUTRIENTES E CICLOS BIOGEOQUÍMICOS O ciclo ou a rota dos nutrientes no ecossistema está diretamente relacionado ao processo de reciclagem ou reaproveitamento

Leia mais

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS

5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS 5ª SÉRIE/6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL UM MUNDO MELHOR PARA TODOS Auno(a) N 0 6º Ano Turma: Data: / / 2013 Disciplina: Ciências UNIDADE I Professora Martha Pitanga ATIVIDADE 01 CIÊNCIAS REVISÃO GERAL De

Leia mais

Maxillaria silvana Campacci

Maxillaria silvana Campacci Ecologia Aula 1 Habitat É o lugar que reúne as melhores condições de vida para uma espécie. Temperatura, quantidade de água, intensidade da luz solar e tipo de solo determinam se o habitat é adequado ao

Leia mais

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan

Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Introdução à Ecologia Prof. Fernando Belan Ecologia (oikos = casa; logos = ciência) Estuda as relações entre os seres vivos, e o ambiente em que vivem; Multidisciplinar A Ecologia é complexa, e envolve:

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Elementos essenciais a vida: Zn, Mo e o Co. - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe;

Elementos essenciais a vida: Zn, Mo e o Co. - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe; Elementos essenciais a vida: - Água; - Macronutrientes: C, H, O, N e o P mais importantes, mas também S, Cl, K, Na, Ca, Mg e Fe; - Micronutrientes principais: Al, Bo, Cr, Zn, Mo e o Co. Bio organismos

Leia mais

Ecologia Geral CICLOS BIOGEOQUÍMICOS

Ecologia Geral CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Ecologia Geral CICLOS BIOGEOQUÍMICOS 98-99% dos organismos são constituído por: -Sódio (Na) -Potássio (K) -Magnésio (Mg) -Cloro (Cl) -Carbono (C) -Hidrogênio (H -Nitrogênio (N) -Oxigênio (O) 1-2% restante:

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE

EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE EXERCÍCIOS ON LINE 6 ANO - 1 TRIMESTRE 1- Leia o texto e responda as questões Todos os animais, independentemente do seu estilo de vida, servem como fonte de alimento para outros seres vivos. Eles estão

Leia mais

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR

SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 3ª TURMA(S):

Leia mais

HUMANIDADE E AMBIENTE. Profª Janaina Q. B. Matsuo

HUMANIDADE E AMBIENTE. Profª Janaina Q. B. Matsuo HUMANIDADE E AMBIENTE Profª Janaina Q. B. Matsuo POLUIÇÃO AMBIENTAL POLUIÇÃO: É a presença concentrada de poluentes (substâncias ou agentes físicos no ambiente), em geral produzidos pelas atividades humanas.

Leia mais

Aula 24 Poluição. Poluição do ar. Os principais poluentes do ar são: compostos sulfurosos, nitrogenados e monóxido de carbono.

Aula 24 Poluição. Poluição do ar. Os principais poluentes do ar são: compostos sulfurosos, nitrogenados e monóxido de carbono. Aula 24 Poluição A poluição é a alteração do equilíbrio ecológico devido à presença de resíduos em quantidade que o ambiente tem de absorver provocando danos ao seu funcionamento. Os resíduos podem ser

Leia mais

De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo?

De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo? De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo? 07/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não

Leia mais

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO DISCIPLINA: BIOLOGIA PROFª. CRISTINA DE SOUZA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Ciclo Biogeoquímico 1. É a troca cíclica de elementos químicos que ocorre entre os seres vivos e o ambiente. 2. Todos os elementos

Leia mais

Ciclos Biogeoquímicos

Ciclos Biogeoquímicos Os organismos retiram constantemente da natureza os elementos químicos de que necessitam, mas esses elementos sempre retornam ao ambiente. O processo contínuo de retirada e de devolução de elementos químicos

Leia mais

O clima está diferente. O que muda na nossa vida?

O clima está diferente. O que muda na nossa vida? O clima está diferente. O que muda na nossa vida? 06/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada. 2 SUMÁRIO

Leia mais

O CRESCIMENTO DAS POPULAÇÕES

O CRESCIMENTO DAS POPULAÇÕES O CRESCIMENTO DAS POPULAÇÕES Prof. André Maia Um aspecto fundamental para avaliarmos uma população é o conhecimento de sua densidade. Definimos densidade populacional como a relação entre o número de indivíduos

Leia mais

DATA: 17/11/2015. 2. (ENEM) Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava:

DATA: 17/11/2015. 2. (ENEM) Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava: EXERCÍCIOS REVISÃO QUÍMICA AMBIENTAL (EFEITO ESTUFA, DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZÔNIO E CHUVA ÁCIDA) e EQUILÍBRIO QUÍMICO DATA: 17/11/2015 PROF. ANA 1. Na década de 70, alguns cientistas descobriram quais

Leia mais

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS

ECOLOGIA GERAL FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS ECOLOGIA GERAL Aula 05 Aula de hoje: FLUXO DE ENERGIA E MATÉRIA ATRAVÉS DE ECOSSISTEMAS Sabemos que todos os organismos necessitam de energia para se manterem vivos, crescerem, se reproduzirem e, no caso

Leia mais

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui:

1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: COLÉGIO JOÃO PAULO I ENSINO MÉDIO 2009 ECOLOGIA PROF. XANDI 1. O conjunto de indivíduos de uma mesma espécie que vive numa mesma área geográfica constitui: a) população b) comunidade c) ecossistema d)

Leia mais

Matéria e energia nos ecossistemas

Matéria e energia nos ecossistemas Aula de hoje Matéria e energia nos ecossistemas Matéria e energia nos ecossistemas A forma e funcionamento dos organismos vivos evoluiu parcialmente il em respostas às condições prevalecentes no mundo

Leia mais

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem

Ciências Naturais. Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem Ciências Naturais 8º ano Fluxo de Energia nos Ecossistemas teste de verificação da aprendizagem 1 O que representa a imagem seguinte? A. Uma sucessão ecológica. B. Uma teia aliemntar. C. Uma pirâmide ecológica.

Leia mais

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos

2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos 2ª Série Biologia Prof o Sérgio Santos Aluno(a):...Turma:... 1º) Um indivíduo ao ser picado por uma cobra coral, foi levado ao hospital onde lhe aplicaram: a. Antígenos específico para a citada cobra.

Leia mais

Texto Base: Aula 27. Ecossistemas. Autor: Ana Lúcia Brandimarte. Fonte: Brandimarte e Santos, 2014a

Texto Base: Aula 27. Ecossistemas. Autor: Ana Lúcia Brandimarte. Fonte: Brandimarte e Santos, 2014a Texto Base: Aula 27 Ecossistemas Autor: Ana Lúcia Brandimarte Ecossistema Fonte: http://people.wku.edu/ O termo ecossistema foi cunhado por Sir Arthur George Tansley, um ecólogo vegetal inglês, em 1935.

Leia mais

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água.

ÁGUA. Água conhecida como elemento vital. primitivas. evoluídas. História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. ÁGUA Água conhecida como elemento vital Comunidades primitivas evoluídas Água Sobrevivência História da humanidade relação simples e intrínseca: Homem/Água. Civilizações mais primitivas comunidades nômades

Leia mais

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável

E C O L O G I A. Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que a tornam habitável E C O L O G I A Deriva do grego oikos, com sentido de casa e logos com sentido de estudo Portanto, trata-se do estudo do ambiente da casa Incluindo todos os organismos e todos os processos funcionais que

Leia mais

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente.

Ecologia: definição. OIKOS Casa LOGOS Estudo. Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Profª Kamylla Ecologia: definição OIKOS Casa LOGOS Estudo Ciência que estuda as relações entre os seres vivos e desses com o ambiente. Componentes do Ecossistema Substâncias Abióticas; Componentes Bióticos:

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Conteúdo: O efeito estufa. Habilidade: Demonstrar uma postura crítica diante do uso do petróleo. REVISÃO Reações de aldeídos e cetonas. A redução de um composto

Leia mais

Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges

Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges ECOSSISTEMAS MÓDULO 1 Professora: Andréa Rodrigues Monitora: Marina Borges ESPÉCIES EXISTENTES NA TERRA Espécies conhecidas 1.412.000 Outros animais 281.000 Insetos 751.000 Fungos 69.000 Procariontes 4.800

Leia mais

FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA

FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA FLUXO DE ENERGIA E CICLOS DE MATÉRIA Todos os organismos necessitam de energia para realizar as suas funções vitais. A energia necessária para a vida na Terra provém praticamente toda do sol. Contudo,

Leia mais

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42

QUÍMICA QUESTÃO 41 QUESTÃO 42 Processo Seletivo/UNIFAL- janeiro 2008-1ª Prova Comum TIPO 1 QUÍMICA QUESTÃO 41 Diferentes modelos foram propostos ao longo da história para explicar o mundo invisível da matéria. A respeito desses modelos

Leia mais

Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas

Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO DRAFT Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.br

Leia mais

COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015

COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015 COLÉGIO SÃO JOSÉ 3º ANO- ENSINO MÉDIO BIOLOGIA PROFESSORA VANESCA 2015 ECOLOGIA Introdução, Cadeias alimentares, Matéria e Energia no Ecossistema. O termo ECOLOGIA foi empregado pela 1ª vez por E. Haeckel,

Leia mais

Sequência de Aulas - Ciclos Biogeoquímicos

Sequência de Aulas - Ciclos Biogeoquímicos Sequência de Aulas - Ciclos Biogeoquímicos 1. Nível de Ensino: Ensino Médio 2. Conteúdo Estruturante: Biogeoquímica 2.1 Conteúdo Básico: Matéria, Composição dos elementos químicos. 2.2 Conteúdo Específico:

Leia mais

Conteúdo: Aula: 12 assíncrona. Ciclo da água e dos nutrientes. Ciclo do nitrogênio, carbono e oxigênio. CONTEÚDO E HABILIDADES

Conteúdo: Aula: 12 assíncrona. Ciclo da água e dos nutrientes. Ciclo do nitrogênio, carbono e oxigênio. CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula: 12 assíncrona Conteúdo: Ciclo da água e dos nutrientes. Ciclo do nitrogênio, carbono e oxigênio. 2 CONTEÚDO E

Leia mais

Grandes Problemas Ambientais

Grandes Problemas Ambientais Grandes Problemas Ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A Antárctica; A desflorestação; A Amazónia; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos

Leia mais

Prof º.: Laurisley M. de Araújo UNIPAC

Prof º.: Laurisley M. de Araújo UNIPAC CICLOS BIOGEOQUÍMICOS Biogeoquímico é o resultado dos conjuntos de agentes biológicos (microorganismos), constituição da litosfera (rocha) e degradação química. A Biogeoquímica é a ciência que estuda a

Leia mais

A Biosfera e seus Ecossistemas

A Biosfera e seus Ecossistemas A Biosfera e seus Ecossistemas UNIDADE I ECOLOGIA CAPÍTULO 2 Aula 01 Níveis de organização Hábitat e nicho ecológico Componentes do ecossistema Cadeia e teia alimentar 1. INTRODUÇÃO À ECOLOGIA X Ecologia

Leia mais

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS

BIOLOGIA ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS BIOLOGIA Prof. Fred ECOLOGIA - CONCEITOS ECOLÓGICOS Ecologia: definição e importância Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e entre estes e o ambiente em que vivem. Envolve aspectos do

Leia mais

Exercício de Biologia - 3ª série

Exercício de Biologia - 3ª série Exercício de Biologia - 3ª série 1- A poluição atmosférica de Cubatão continua provocando efeitos negativos na vegetação da Serra do Mar, mesmo após a instalação de filtros nas indústrias na década de

Leia mais

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br

Professor: Cláudio Custódio. www.espacogeografia.com.br Professor: Cláudio Custódio www.espacogeografia.com.br Estocolmo 1972 -Desenvolvimento zero X Desenvolvimento a qualquer custo. - Desenvolvimento sustentável - Crise do petróleo Rio 1992 - Agenda 21 -

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÉ-VESTIBULAR RUMO À UNIVERSIDADE CAMPUS JOÃO MONLEVADE QUÍMICA AMBIENTAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÉ-VESTIBULAR RUMO À UNIVERSIDADE CAMPUS JOÃO MONLEVADE QUÍMICA AMBIENTAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PRÉ-VESTIBULAR RUMO À UNIVERSIDADE CAMPUS JOÃO MONLEVADE QUÍMICA AMBIENTAL ORIENTADORA: PROF.ª DRA. KARLA VIEIRA P R OF. LUCAS SIQUEIRA O QUE É Parte da química que estuda

Leia mais

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos -- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos São Paulo tem déficit de água Região Metropolitana de São Paulo População: aprox. 20 milhões Consumo médio de água: 73 mil litros por segundo

Leia mais

Causas e mitigação de impactos ecológicos

Causas e mitigação de impactos ecológicos Texto Base: Aula 28 Causas e mitigação de impactos ecológicos Autor: Ana Lúcia Brandimarte A espécie humana está sujeita à ação de fatores limitantes como qualquer outra espécie, mas o que a diferencia

Leia mais

6 O PRODUTO. ATIVIDADE 01: Perfil

6 O PRODUTO. ATIVIDADE 01: Perfil 54 6 O PRODUTO ATIVIDADE 01: Perfil Descrição da atividade Olá, como vai? Seja bem-vindo (a) a nossa primeira atividade! Nesta atividade, você terá a oportunidade de conhecer colegas e professores utilizando

Leia mais

Ø As actividades humanas dependem da água para a agricultura, indústria, produção de energia, saúde, desporto e entretenimento.

Ø As actividades humanas dependem da água para a agricultura, indústria, produção de energia, saúde, desporto e entretenimento. Ø As actividades humanas dependem da água para a agricultura, indústria, produção de energia, saúde, desporto e entretenimento. Ä A água é indispensável ao Homem, a sua falta ou o seu excesso, pode ser-lhe

Leia mais

ECOLOGIA. BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2. Conceitos Básicos. Estuda as formas de organização superiores à do organismo 14/02/2014.

ECOLOGIA. BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2. Conceitos Básicos. Estuda as formas de organização superiores à do organismo 14/02/2014. BIOSFERA E SEUS ECOSSISTEMAS Cap.2 Conceitos Básicos ECOLOGIA Estuda as formas de organização superiores à do organismo Protoplasma Níveis de Organização dos Seres Vivos Célula Tecido Órgão Aparelho Sistema

Leia mais

Noções de Cidadania. Profª Karin

Noções de Cidadania. Profª Karin Noções de Cidadania Profª Karin Meio Ambiente e Saúde Ecologia: estudo seres vivos, ambiente, solo, água, ar, animais e vegetais. Equilíbrio entre o homem e meio ambiente. Avaliar as atitudes e consequências

Leia mais

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um:

Quiz 6 a Série. 1. Um cientista estudou o conteúdo do estômago de um animal e descobriu que nele só havia plantas. Este animal deve ser um: Quiz 6 a Série Professora: Alexsandra Ribeiro Instruções: Olá queridos alunos e alunas! O quiz é mais uma ferramenta que nos possibilita saber se realmente você está entendendo o conteúdo abordado em sala

Leia mais

Gestão Ambiental 19/3/2012. MÓDULO Gerenciamento e Controle de Poluição da Água. Tema: DISPONIBILIDADE HÍDRICA: as Águas do Planeta

Gestão Ambiental 19/3/2012. MÓDULO Gerenciamento e Controle de Poluição da Água. Tema: DISPONIBILIDADE HÍDRICA: as Águas do Planeta Gestão Ambiental Profª Denise A. F. Neves MÓDULO Gerenciamento e Controle de Poluição da Água Tema: DISPONIBILIDADE HÍDRICA: as Águas do Planeta Objetivos: Entender a distribuição da água no Planeta. Reconhecer

Leia mais

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Exercícios (ENEM 2006) Com base em projeções realizadas por especialistas, teve, para o fim do século

Leia mais

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local;

A Vida no Solo. A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; A Vida no Solo A Vida no Solo A vegetação de um local é determinada pelo solo e o clima presentes naquele local; O solo é constituído por alguns componentes: os minerais, o húmus, o ar, a água e os seres

Leia mais

Cartilha informativa

Cartilha informativa Cartilha informativa CONSTRUINDO A CIDADANIA A necessidade de estabelecer a relação entre cidadania e meio ambiente está expressa no direito do indivíduo ter um meio ambiente saudável e no dever que cada

Leia mais

O zono. B uraco do ozono

O zono. B uraco do ozono O zono O ozono (O 3 ) é um gás cuja molécula é formada por três átomos de oxigénio; existente na atmosfera numa percentagem mínima (tem efeitos prejudiciais para os seres vivos quando se encontra junto

Leia mais

CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE ENSINO E INSTRUÇÃO CENTRO DE ASSISTÊNCIA AO ENSINO COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II

CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE ENSINO E INSTRUÇÃO CENTRO DE ASSISTÊNCIA AO ENSINO COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II CORPO DE BOMBEIRO MILITAR DO DISTRITO FEDERAL DIRETORIA DE ENSINO E INSTRUÇÃO CENTRO DE ASSISTÊNCIA AO ENSINO COLÉGIO MILITAR DOM PEDRO II Questão 01 - O esquema a seguir representa, de forma simplificada,

Leia mais

Publicado no Força do Oeste - pg 02 21/12/2006. Fatos da grande evolução da vida no planeta

Publicado no Força do Oeste - pg 02 21/12/2006. Fatos da grande evolução da vida no planeta Publicado no Força do Oeste - pg 02 21/12/2006 Fatos da grande evolução da vida no planeta O planeta terra surgiu a bilhões de anos atrás e, desde então, vem passando por alterações significativas, modificando

Leia mais

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO

ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO BANDEIRANTES (PR) Av. Com. Luiz Meneghel, 992 - fone/fax (043) 542-4566 e.mail - saaeban@ffalm.br - CGCMF 75624478/0001-91 ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO Elaborado por:

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 6 CIÊNCIAS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou às Unidades 3 e 4 do livro do Aluno. Avaliação Ciências NOME: TURMA: escola: PROfessOR:

Leia mais

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS

ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS BIOLOGIA ECOLOGIA I - CONCEITOS GERAIS Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente onde vivem. É uma ciência que estuda os seres vivos acima do nível do organismo individual, estuda,

Leia mais

Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão

Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão Ecologia Geral (ECG33AM) Curso de Graduação em Engenharia Ambiental UTFPR Francisco Beltrão Antes de continuarmos... ainda algumas orientações! Orientações gerais (muito importantes) 1) O prazo máximo

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Ciências

PROVA BIMESTRAL Ciências 6 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Ciências Escola: Nome: Turma: n o : 1. Os animais apresentam diferentes formas de locomoção, alimentação e revestimento do corpo, características estas que os organizam

Leia mais

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 12 CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLO DO NITROGÊNIO. Algumas etapas do ciclo:

ORIENTAÇÕES RESUMO TEÓRICO. BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 12 CICLOS BIOGEOQUÍMICOS CICLO DO NITROGÊNIO. Algumas etapas do ciclo: BIOLOGIA 3 Prof.: Vinícius (Minguado) LISTA 12 CICLOS BIOGEOQUÍMICOS ORIENTAÇÕES A lista 12 traz questões que abordam os mais importantes ciclos de elemento e substâncias, assunto bastante cobrado pelos

Leia mais

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES

RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES RELAÇÕES HARMÔNICAS (interações positivas) COLÔNIAS INTRA - ESPECÍFICAS SOCIEDADES SOCIEDADES Diferem das colônias basicamente pela independência física exibida por seus integrantes. Também caracterizam-se

Leia mais

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas Capítulo 07 Distribuição dos Ecossistemas A terra possui regiões que apresentam características próprias, onde cada uma desenvolve sua flora e fauna típica, sejam elas aquáticas ou terrestres, vindo a

Leia mais

A) Ação global. B) Ação Antrópica. C) Ação ambiental. D) Ação tectônic

A) Ação global. B) Ação Antrópica. C) Ação ambiental. D) Ação tectônic Disciplina: Geografia Roteiro de Recuperação Ano / Série: 6º Professor (a): Gabriel Data: / / 2013 Matéria da recuperação. Superficie da Terra. Litosfera, solo e relevo 1- Analise a imagem. www.trabanca.com-acesso:

Leia mais

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3

GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Módulo 09 GABARITO DE BIOLOGIA FRENTE 3 Quando ocorre o fechamento dos estômatos a condução de seiva bruta fica prejudicado bem como a entrada de gás carbônico para o processo fotossintético. 02. C O deslocamento

Leia mais

Nome: Nº Ano: 3º Turma: Disciplina: Biologia Professor:Wanessa Data: / /

Nome: Nº Ano: 3º Turma: Disciplina: Biologia Professor:Wanessa Data: / / Nome: Nº Ano: 3º Turma: Disciplina: Biologia Professor:Wanessa Data: / / 01) Os vaga-lumes machos e fêmeas emitem sinais luminosos para se atraírem para o acasalamento. O macho reconhece a fêmea de sua

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS 6 ano 1 volume CONTEÚDOS OBJETIVOS 1.Astronomia: estudando o céu Estrelas e constelações Sistema Solar e exploração do Universo - Movimentos da - Terra e da Lua Reconhecer

Leia mais

META Apresentar a matéria em movimento, os grandes ciclos biogeoquímicos e o ciclo da água e seus principais elementos perturbadores.

META Apresentar a matéria em movimento, os grandes ciclos biogeoquímicos e o ciclo da água e seus principais elementos perturbadores. OS CICLOS BIOGEOQUÍMICOS: MOVIMENTOS DA MATÉRIA META Apresentar a matéria em movimento, os grandes ciclos biogeoquímicos e o ciclo da água e seus principais elementos perturbadores. OBJETIVOS Ao fi nal

Leia mais

CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR

CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR CAPÍTULO 02 A TEIA ALIMENTAR Cadeia alimentar: é uma seqüência de seres vivos relacionando-se dentro de um ecossistema, onde um ser serve de alimento para outro ser. Exemplo: Capim capivara onça bactéria

Leia mais

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica

BIOVESTIBA.NET BIOLOGIA VIRTUAL Profº Fernando Teixeira UFRGS. ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica UFRGS ECOLOGIA Conceitos e Sucessão Ecológica 1. (Ufrgs 2014) Considere as seguintes afirmações sobre conceitos utilizados em ecologia. I. Nicho ecológico é a posição biológica ou funcional que um ecossistema

Leia mais

Exercícios de Problemas Ambientais

Exercícios de Problemas Ambientais Exercícios de Problemas Ambientais Material de apoio do Extensivo 1. Observe a imagem, que apresenta uma situação de intensa poluição do ar que danifica veículos, edifícios, monumentos, vegetação e acarreta

Leia mais

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos

Biomas Brasileiros I. Floresta Amazônica Caatinga Cerrado. Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Biomas Brasileiros I Floresta Amazônica Caatinga Cerrado Mata Atlântica Pantanal Campos Sulinos ou Pampas Gaúchos Floresta Amazônica Localizada na região norte e parte das regiões centro-oeste e nordeste;

Leia mais

Fenômenos e mudanças climáticos

Fenômenos e mudanças climáticos Fenômenos e mudanças climáticos A maioria dos fenômenos climáticos acontecem na TROPOSFERA. Camada inferior da atmosfera que vai do nível do mar até cerca de 10 a 15 quilômetros de altitude. Nuvens, poluição,

Leia mais

Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar

Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar em prejuízo à saúde, à segurança e ao bem estar das populações, causar danos

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Ufpr 2015) Uma boa notícia para o meio ambiente. Um relatório da ONU divulgado nesta semana mostrou que a camada de ozônio está dando os primeiros sinais de recuperação após anos de destruição. http://oglobo.globo.com/sociedade/ciencia/camada-de-ozonio-da-sinais-de-recuperacaosegundo-documento-da-onu-13900960

Leia mais

1. A água. 1.1. A água e as atividades humanas

1. A água. 1.1. A água e as atividades humanas 1. A água 1.1. A água e as atividades humanas O homem utiliza a água para os mais determinados fins (Figura 1): consumo doméstico higiene pessoal e da casa, preparar os alimentos; agricultura; indústria;

Leia mais

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa.

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O que é o Aquecimento Global? O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O efeito estufa é um fenômeno natural e consiste na retenção de calor irradiado pela

Leia mais

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros

NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS. Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros NECESSIDADE BÁSICAS DOS SERES VIVOS Estágio docência: Camila Macêdo Medeiros Necessidades básicas O planeta oferece meios que satisfaçam as necessidades básicas dos seres vivos. Necessidades básicas dos

Leia mais

Ciclo hidrológico. Distribuição da água na Terra. Tipo Ocorrência Volumes (km 3 ) Água doce superficial. Rios. Lagos Umidade do solo.

Ciclo hidrológico. Distribuição da água na Terra. Tipo Ocorrência Volumes (km 3 ) Água doce superficial. Rios. Lagos Umidade do solo. Ciclo hidrológico Quase toda a água do planeta está concentrada nos oceanos. Apenas uma pequena fração (menos de 3%) está em terra e a maior parte desta está sob a forma de gelo e neve ou abaixo da superfície

Leia mais

Níveis de Organização

Níveis de Organização Níveis de Organização Indivíduo Átomos Moléculas Células Tecidos Órgãos Sistemas capazes de se cruzarem entre si, originando indivíduos férteis. Ex: Cachorro População: grupo de indivíduos da mesma espécie

Leia mais

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.:

Que tipo de relação há entre o peixe-palhaço e a anêmona? Justifique sua resposta. R.: PROFESSOR: EQUIPE DE CIÊNCIAS BANCO DE QUESTÕES - CIÊNCIAS - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= 01- Nas figuras abaixo

Leia mais

RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS

RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS 1 RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES ( ) I Unidade ( ) II Unidade ( x ) III Unidade FÍSICA E GEOGRAFIA Curso: Ensino Fundamental Ano: 1.º Turma: ABCDEFG Data: / / 11 009 Física Profs. 1. Resolução I

Leia mais