Dessa forma os resultados não tardam a surgir, pois a inovação se faz com informação e conhecimento.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dessa forma os resultados não tardam a surgir, pois a inovação se faz com informação e conhecimento."

Transcrição

1

2 APRESENTAÇÃO O acompanhamento da gestão dos projetos da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária deu-se através de um conjunto integrado de programas, instruções e procedimentos disponibilizados aos Funcionários da Fundação e aos Professores Coordenadores de Projetos, que permite o acesso via Internet a todas as informações referentes as atividades em execução. A Gestão administrativo-financeira executou atividades de elaboração de projetos, contratos, licitações de bens e serviços, importações, contabilidade, prestação de contas, serviços de informática, atendimento a auditorias, possibilitando aos pesquisadores atuarem em sua área de competência,minimizando assim sua preocupação em cuidar de mandas administrativo-financeiras. Com a finalidade de ser um instrumento às atividades de pesquisa e extensão, a Fundação em seus 30 anos de atividades, orgulha-se de suas inúmeras realizações representadas pelo desenvolvimento e implementação de incontáveis projetos, pesquisas e ações realizadas nas mais diversas áreas do conhecimento. Os resultados não podem ser vistos como fruto de um exercício excepcional, mas como conseqüência de um árduo trabalho de toda uma equipe, bem como a participação e o apoio do Conselho Superior e especialmente dos pesquisadores, professores que atuam para o aperfeiçoamento da gestão e a capacitação para à inovação e incentivo ao empreendedorismo. Dessa forma os resultados não tardam a surgir, pois a inovação se faz com informação e conhecimento. Os recursos disponibilizados pelos Órgãos Federais, estaduais, Municipais, internacionais e de empresas privadas, foram imprescindíveis na execução dos projetos e estimuladores para apresentação de novas propostas para captação de recursos necessários para as atividades em andamento. O trabalho desenvolvido pela Fundação, avaliado pelos seus Conselheiros, o acompanhamento pela Administração da Universidade Federal de Santa Catarina, bem como a fiscalização realizada pelos Órgãos de Fomento à Pesquisa, que confiaram à Fundação a gestão administrativa e financeira dos recursos foi positivo e veio de encontro aos objetivos da UFSC e dos pesquisadores. Agradecemos o apoio da comunidade acadêmica, bem como o da Administração Superior da Universidade, que norteiam e fortalecem nosso trabalho. Estamos sempre abertos às críticas fundamentadas as quais renovarão os caminhos a serem tomados e assim, a FAPEU poderá melhor desempenhar o papel de apoio à Universidade no desenvolvimento da pesquisa e na transferência dos seus resultados à comunidade. Prof. Carlos Fernando Miguez Diretor Executivo 2

3 2. ATIVIDAES EXERCIDAS PELA FUNDAÇÃO No exercício de 2006, a Fundação intermediou, viabilizou e agilizou a cooperação entre a Universidade, a Comunidade Universitária e a Sociedade através dos seguintes serviços: 2.1 Elaboração de projetos Auxiliou os pesquisadores no enquadramento de novas propostas de projetos de pesquisa junto aos órgãos financiadores. Orientou na elaborou orçamentos, revisões, planilha de custos, pedidos de suplementação de recursos adicionais, minutas de contratos/convênios. Efetuou acompanhamento das analises das propostas junto aos órgãos de fomento à pesquisa. Formalizou o cadastramento de projeto no sistema de informações da Fundação para acompanhamento e execução. 2.2 Aquisição de materiais A Fundação efetuou aquisição nacional e internacional de materiais de consumo, equipamentos e produtos para laboratórios. Acompanhou todos os procedimentos desde a especificação dos materiais levantamento de preços, abertura de cartas- convite, licitações, efetivação das compras, entrega dos produtos, assim como as providencias para tombamento e transferência definitiva para a Universidade. 2.3 Fundo de Apoio à Pesquisa A Fundação apoiou o Fundo de Pesquisa da UFSC, por tratar-se de um programa destinado a incentivar professores cujas pesquisas não estejam ainda consolidadas e, conseqüentemente, não dispõem de recursos financeiros advindos dos órgãos de fomento à pesquisa. 2.4 Fundo de Apoio ao Ensino da Graduação Com a participação da Fundação o Fundo de Apoio ao Ensino da Graduação na UFSC incentivou projetos de ensino que visam a melhoria e implementação de laboratórios de ensino de graduação, implantação de novas tecnologias de ensino e otimização de meios e recursos humanos na área de ensino. 2.5 Apoio a eventos A Fundação patrocinou a participação de pesquisadores com apresentação de trabalhos em eventos nacionais e internacionais, apoiou diversos eventos com o fornecimento de folders, pastas, blocos, e canetas. 2.6 Recursos Humanos Efetuou a contratação e controle de freqüência de pessoal contratado para os projetos, elaborou as folhas de pagamentos, e recolhimentos dos respectivos encargos de encargos sociais. Efetuou o controle e pagamento de bolsistas e prestadores de serviços. 3

4 2.7 Execução Financeira A Fundação executou os registros financeiros e contábeis disponibilizando todos os procedimentos bancários desde a abertura de conta junto aos bancos à conclusão de cada projeto, proporcionando ao coordenador acesso direto via internet de toda a movimentação detalhada das receitas e despesas. Executou atividades de tesouraria, pagamentos a fornecedores e clientes e faturamento de serviços executados com emissão de boletos e de notas fiscais de serviços prestados pela Fundação. Efetuou prestação de contas dos recursos cumprindo as determinações e cronogramas de cada órgão financiador. 2.8 Prestação de Contas Efetuou prestação de contas e encaminhamento de Relatórios técnicos cumprindo as determinações e cronogramas de cada órgão financiador. 2.9 Contabilidade Elaborou balancetes mensais, balanços anuais e demonstrativos de resultados, efetuou os recolhimentos fiscais, acompanhou e orientou os usuários quanto as questões tributárias e fiscais e sobre a emissão de notas fiscais e faturamentos e atendimento as auditorias Orientação Jurídica Implantou o Setor Jurídico com o controle mais criterioso dos contratos e convênios firmados com entidades públicas e privadas, com o intuído de aprimorar e resguardar juridicamente a FAPEU de possíveis demandas judiciais. Implementação de sistema de contratos para as prestações de serviços que ultrapassem um valor mínimo pré-determinado visando um controle dos serviços contratados. A criação do Setor Jurídico visa também o apoio aos coordenadores dos projetos, com esclarecimento de dúvidas, orientação jurídica e a aplicação da legislação vigente na análise e elaboração de contratos e convênios., termos de compromisso e demais instrumentos legais, bem como a prática de atos estatutários e na análise de assuntos relevantes que possam implicar em obrigações para a Fundação. Orientou e esclareceu quanto a apreciação e elaboração de contratos/convênios, termos de compromisso e demais instrumentos legais, bem como a prática de atos estatutários e na análise de assuntos relevantes que possam implicar em obrigações para a Fundação Serviços de Informática É responsável pelo desenvolvimento de novas rotinas, administração e gerenciamento do banco de dados, serviços de help desk, instalação e configuração de hardware e software utilizados na rede da Fundação, gerenciamento do servidor de mensagens eletrônicas, monitoramento permanente dos softwares antivírus e de segurança, cadastramento dos usuários, administração de restrições de acesso aos grupos de trabalho de cada setor, gerenciamento das impressoras, backup diário do sistema integrado e manutenção geral do site da Fundação Apoio administrativo Acompanhou os processos de licitação, controle patrimonial dos bens adquiridos através dos projetos, contratação de obras, tramitação de documentos pertinentes a contratações e rescisões de contratos de pessoal, compra, doação, cessão e tombamento de bens, aquisição e administração dos veículos de projetos, controle da documentação relativa a emplacamento, licenciamento, seguro e demais obrigações referentes a esses veículos 4

5 que permanecem ao longo da vigência dos projetos a que estão vinculados. A readequação da recepção do Setor de Compras atendera melhor o aumento do volume de aquisições Organização de Cursos Prestou apoio na divulgação, inscrições, cobrança, emissão e registro de certificados, aos cursos de pósgraduação a nível de especialização nas mais diversas áreas, sempre atendendo a demanda da clientela interessada em obter maiores conhecimentos dentro de sua área de atuação. Também prestou apoio a cursos de curta duração, todos com parte teórico e prática, onde a clientela pode acompanhar seu desempenho durante sua participação nos cursos Estágios Viabilizou estágios para alunos que estudam na Universidade Federal de Santa Catarina, através de contratos com empresas, cuja área de estudo são compatíveis com a procura e oferta das empresas e organizações diversas Apoio à Universidade No exercício de 2006 a Fundação contribuiu destinando recursos para atividades e programas institucionais da Universidade Federal de Santa Catarina Consultorias Atendendo a demanda a Fundação prestou consultorias especializadas junto a empresas privadas, instituições públicas e governamentais. Esses trabalhos apresentam resultados com grande retorno para a empresa e a comunidade respectivamente, o que possibilita a aplicabilidade de estudos e resultados advindos da execução dos projetos de pesquisa. Os resultados desse trabalho têm conquistado clientes, facilitando a transferência de tecnologia para a solução dos mais variados problemas de diversas áreas, o que vêm contribuindo para a competitividade das empresas Áreas de atuação A Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária atua em todas as áreas do conhecimento, com destaque para: Projetos de pesquisa científica e tecnológica - com financiamento de entidades e agências de fomento, nacionais e internacionais; Projetos de P & D - em parcerias e participação conjunta entre a UFSC e Empresas, visando o desenvolvimento tecnológico; Projetos com incentivos fiscais - amparados por leis de incentivos à cultura, à produção audiovisual, à informática; Prestação de Serviços - Consultorias e assessorias técnicas e tecnológicas, planejamento e estudos, disponibilização e desenvolvimento de produtos; Cursos de Extensão - oferecidos pelo corpo docente da UFSC, abertos à comunidade ou programados exclusivamente para atender demandas específicas de entidades públicas e empresas privadas; Eventos - realização e suporte de simpósios, congressos, seminários e atividades culturais e comunitárias; 5

6 2.18 Levantamento de oportunidades Identificação de competências na UFSC para atender às demandas de produtos e serviços da comunidade Busca de informação e divulgação sobre as políticas governamentais e os programas públicos de atuação econômica, social, cultural, educacional, científica e tecnológica. Identificação de fontes e linhas de financiamento para projetos ofertadas por entidades públicas e privadas Assessoramento na Elaboração de Propostas de Projetos de Pesquisa e Extensão Assessoria na elaboração de propostas de projetos de pesquisa, prestações de serviços, editais de licitações e concorrências públicas, cursos, eventos e concursos, entre outras atividades. Elaboração de orçamentos das propostas, conforme rubricas e itens exigidos. Acompanhamento das negociações e análises das propostas, dando assessoria nas áreas jurídica, técnica, financeira e administrativa. Montagem da proposta, fornecimento de documentos e elaboração de convênios de cooperação técnica ou contratos, conforme solicitação da entidade contratante Gestão de Convênios e Contratos Gerenciamento dos convênios contratados, conforme os respectivos planos de aplicação de recursos e cronograma físico-financeiro. Análise de convênios e contratos visando o fornecimento de informações e cadastro dos projetos com as especificações de normas de cada entidade contratante pública e privada. 6

7 3. PRESTAÇÃO DE CONTAS RESUMO DA MOVIMENTAÇÃO DE PROJETOS E RECURSOS EM Captação de recursos Tipo Projetos Elaborados Projetos Aprovados Convênios/Contratos assinados Projetos em Execução Projetos encerrados Projetos gerenciados Procedência dos Recursos Tipo Órgãos Federais , , ,92 Órgãos Estaduais , , ,94 Órgãos Municipais , , ,74 Órgãos Internacionais , , ,89 Empresas Privadas , , ,19 TOTAIS , , ,68 Movimentação Financeira por tipo de Atividade Atividade Valor R$ 2005 Valor R$ 2006 Valor R$ 2007 Ensino , , ,25 Pesquisa , , ,60 Pós-Graduação , , ,80 Extensão , , ,03 Total Movimentado , , ,68 7

8 Valores Captados e Gerenciados por Centro ou Departamentos Administrativos/Órgãos Suplementares Centro Valor R$ Valor R$ Valor R$ CCA , ,81 CTC , ,84 CCS , ,52 CSE , ,78 CCJ , CFM , , ,51 CCB , , ,24 CCE , , ,52 CDS , , ,68 CED , , ,23 CFH , , ,01 Dep.Adm./Órg.Supl , , ,54 T O T A L , , ,68 Valores repassados à UFSC conforme resoluções Ano Valor R$ 2005 Valor R$ 2006 Valor R$ 2007 Centros , , ,76 Deptos , , ,44 Funex , , ,08 Fundo de bolsas , , ,09 Funeven , , ,52 Total arrecadado , , ,89 Bolsas Pagas Bolsas Qde Valor R$ Qtde Valor R$ Qde Valor R$ Bolsa de Pesquisa , , ,20 Bolsas RHAE , ,09 Bolsas de ensino DOUTORADO 0 0, , ,51 Bolsas de ensino 0 0, , ,78 ESPECIALIZAÇÃO Bolsas de ensino GRADUAÇÃO , ,47 Bolsas de ensino MESTRADO 0 0, , ,88 Bolsas monitoria , , ,00 Bolsas de estágio , , ,97 Bolsas de extensão , , ,72 TOTAL , , ,62 8

9 Recursos Humanos Envolvidos na Execução de Projetos Tipo Professores Alunos Profissionais Contratados TOTAL Compras Nacionais Tipo Qtde Valor R$ Qtde Valor R$ Qtde Valor R$ Reserva de hotel , , ,12 Compra de passagens , , ,78 Aquisição de materiais , , ,44 Contratação de Serviços , , ,19 Aquisição de Equipamentos , , ,03 TOTAL , , ,56 Compras Internacionais ( que oneram a cota do CNPq) Tipo Número de Valor US$ Número de Valor US$ Número de Valor UR$ Processos Processos Processos Reagentes Químicos 03 5, , Material para laboratório 03 10, , , Equipamentos , , , Software TOTAL , , ,

10 Compras Internacionais (que não oneram a cota do CNPq) Tipo Número Valor US$ Número Valor US$ Número Valor US$ De Processo De Processo de Processos Serviços/manuten.e Análise Consultoria , Direitos tradução Exportação para conserto de 02 9, , equipamento Anuidade 05 2, , Hospedagem/Hotel ,65 Publicações Artigos Científicos 10 5, , , Material laboratório 08 22, , Reagentes químicos 01 36, , , Doação 10 6, , Software 19 6, , , Assinatura de revista ,79 Congresso 43 19, , Livros , Passagem 29 14, , Inscrição em Congresso 04 1, , , Aquisição Artigo/Normas Tec ,00 Equipamentos/Mat.Perman , Acessórios p/equipamentos e material , , de laboratórios Aluguéis 03 4, , , TOTAL , , ,

11 4. PARCEIROS NACIONAIS FEDERAIS: Banco do Brasil Caixa Econômica Federal Departamento de Polícia Rodoviária Federal Eletrosul Fundação Cultural Palmares Cnpq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Finep/Fndct Funarte Fundação Nacional da Arte Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Incra - Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária Iphan Instituto do Patrimônio Histórico Nacional Mc Ministério das Cidades Mecenato - Incentivo a Projetos Culturais Ms - Ministério da Saúde Ministério da Saúde/Unodc Ministério de Desenvolvimento Agrário Petrobras Petróleo Brasileiro SA Seap/Bsb Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca Sepm Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres Ufsc Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal do Rio de Janeiro Tecnológico Estaduais: Agência Goiana de Desenvolvimento Rural e Fundiário Assembléia Legislativa Casan - Companhia Catarinense de Água e Saneamento Fapesc Fundação de Apoio a Pesquisa Ciência e Tecnologia do Estado de Santa Catarina Fapesc/Cnpq Instituto Cepa-Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de SC Secretaria da Cultura Esporte e Turismo Ses Secretaria Estadual de Saúde do Estado de Santa Catarina Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação Tribunal de Justiça de Santa Catarina Municipais: Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis Prefeitura Municipal de Carambei Prefeitura Municipal de Coronel Martins Prefeitura Municipal de Florianópolis Prefeitura Municipal de Lages Prefeitura Municipal de Palhoça Prefeitura Municipal de Santo Amaro da Imperatriz Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto 11

12 Privados: Whirlpool SA Baesa Bergetica Barra Grande as Reivax Industria e Comercio de Instrumentação Eleronica Acustica Amplivox Ltda Tibagi Sistemas Ambientais Cedro Engenharia Comércio e Mineração Ltda Instituto Euvaldo Lodi Nucleo Regional do Paraná Prática Rondio Alimentos SA Fundação da Universdade Federal do Paraná Tigre SA Tubos e Conexões Modo Battistella Reflorestamento SA Fundação Centro de Referência em Tecnologias Inovadoras Egaforth/Maqpol Centro Brasileiro de Análise e Planejamento Instituto Ambiental Ratones Schulz SA Usina Cerradinho Açúcar e ÁlcoolI SA Merck Sharp & Dohme Farmaceutica Ltda Alcides Antonio Miotto Georgia Berenhauser Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo Karsten SA Cysy Mineração Ltda Nr Consultoria e Treinamento Ltda Claudio Nasser de Carvalho Prosul Abrate Associação das Grandes Empresas de Transmissão Boirscheid as Engenharia e Meio Ambiente Serviço Social da Indústria/PR Mcs/Tekno Laminates and Composites Ltda Consórcio Ita Seara Alimentos Instituto Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão Sulconsult Consultora e Engenharia Ltda Leão Junior SA Fermentec Ltda Técnica em Fermentação Alcoólica SEBRAE Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas Santinho Empreendimentos Turísticos Instituto de Pesquisa e Documentação Etnográfica Serviço Social da Indústria/SCc Fundação Roberto Marinho Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Operadora Nacional do Sistema Elétrico Tractebel Energia SA Fischer Sucos Indústria e Comércio Ltda Ion Consulting Ltda Lactec Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento 12

13 Companhia de Gás de Santa Catarina Empresa Brasileira de Aeronáutica SA Fundação o Boticário de Proteção a Natureza Nycomed Pharma Ltda Fundação Universitária Iberoamericana Carbono Brasil Tecnologia e Serviços Ambientais Ltda Cia Excelsior De Seguros Fundação Terra Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte Sindicato Nacional da Industria de Componentes para Veículos Fundação Getúlio Vargas Aché Laboratórios Farbaceuticos SA Ernani Luiz Garcia Fundação de Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável de SC Instituto Papai Associação Internacional de Competências Empresariais Instituto Euvaldo Lodi Softway Contact Center Serviços de Teleatendimento SA Fiat Automóveis SA Engenharia e Segurança do Trabalho Souza Cruz Instituto Ayrton Senna Machadinho Energética SA Maesa Nicoluzzi Rações Ltda Parceiros Internacionais: Organização Pan-americana da Saúde Fundación General Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Incomate Word University Ministério da Saúde/Unesco Unesco Ilsi Research Foundation Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura Tmbt/Universidade de Wageningen United Nations Environment Programme Centre de Recherhes pour le Developpement International 13

Agradecemos o apoio da comunidade acadêmica, bem como o da Administração Superior da Universidade, que norteiam e fortalecem nosso trabalho.

Agradecemos o apoio da comunidade acadêmica, bem como o da Administração Superior da Universidade, que norteiam e fortalecem nosso trabalho. APRESENTAÇÃO No exercício de 2006, a Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária apoiou a execução de projetos de pesquisa e estimulou a elaboração de novas propostas para captação de recursos,

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

RELATÓRIO 2008 FAPEU - Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária

RELATÓRIO 2008 FAPEU - Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária RELATÓRIO 2008 FAPEU - Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária Fone: +55 (048) 3721-8685 // 3721-8745 Universidade Federal de Santa Catarina Fax: +55 (048) 3234.0581 http://www.fapeu.org.br

Leia mais

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Ubirajara Sampaio de Campos Subsecretário de Petróleo e Gás Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Santos Offshore 09 Abril 2014 Indústria

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019. Agosto-2014 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE TECNOLOGIA PDI 2015-2019 Agosto-2014 2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ - PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO

Leia mais

Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia AGESPI AGESPI 12. AGESPI A Assessoria na Gestão de Projetos e Convênios Institucionais AGESPI trabalha na perspectiva de obter linhas de financiamento através

Leia mais

Núcleo de Pesquisa e Estudos em Ciências Contábeis ESTATUTO

Núcleo de Pesquisa e Estudos em Ciências Contábeis ESTATUTO Núcleo de Pesquisa e Estudos em Ciências Contábeis ESTATUTO Art. 1º O Núcleo de Pesquisa e Estudos em Ciências Contábeis (NUPECON), vinculado a Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos, constitui-se

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas

FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas Diálogo sobre apoio à Inovação na Pequena Empresa São Paulo, 18 de dezembro de 2013 Agenda da reunião Apresentação 1. Palavra da

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO

REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO REGIMENTO INTERNO DE ATUAÇÃO DA DIRETORIA EXECUTIVA DA FUNDAÇÃO UNIPLAC DA NATUREZA, FINALIDADE E COMPOSIÇÃO Art. 1º A Diretoria Executiva, subordinada ao Presidente da Fundação, é responsável pelas atividades

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

PROJETO EXPORTAR BRASIL

PROJETO EXPORTAR BRASIL CNPJ: 10692.348/0001-40 PROJETO EXPORTAR BRASIL Apresentação da GS Educacional A GS Educacional faz parte de um grupo que trabalha há vários anos com cursos e serviços na área de comércio exterior e vem

Leia mais

Experiência da UFSC com Projetos Apoiados pela Lei 8248

Experiência da UFSC com Projetos Apoiados pela Lei 8248 Experiência da UFSC com Projetos Apoiados pela Lei 8248 Prof. Raul Sidnei Wazlawick Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação Uso Institucional de Recursos da Lei 8248 Cooperação

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011.

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 13/CUn, de 27 setembro de 2011. Dispõe sobre as normas que regulamentam as relações entre a Universidade Federal de Santa Catarina e as suas fundações de apoio. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU

Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU Instruções para Habilitação aos Auxílios e Apoios do PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA-UFU PROEX-PPG-EM-UFU Documento Básico de Orientações do Programa de Excelência Acadêmica PROEX PROGRAMA

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires do Reis Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas Endereço:

Leia mais

Acordos e Protocolos sem Repasse - Vigentes

Acordos e Protocolos sem Repasse - Vigentes Página 1 de 5 19/7/2015 Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN 20/7/2010 Desenvolver trabalhos e de ações de capacitação no âmbito científico, acadêmico e técnico de interesse comum às suas

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº.1478-R de 14 de Abril de 2005 Regulamenta a Lei Complementar nº290, de 23 de junho de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado em 25 de junho de 2004, que dispõe sobre a criação da Fundação

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Esfera Fiscal. Subfunção Administração Geral

Esfera Fiscal. Subfunção Administração Geral Governo do do Amazonas Secretaria de de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN Sistema de Planejamento, Orçamento e Gestão do do Amazonas SPLAM Pág. 3 de 2001 - da 25000 - Secretaria de de Infraestrutura

Leia mais

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE

Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE Governo do Estado do Ceará Secretaria do Planejamento e Gestão SEPLAG Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará - IPECE TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE ESPECIALISTA EM LICITAÇÕES PARA O

Leia mais

FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas

FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas Diálogos sobre apoio à Inovação Sorocaba, 9 de outubro de 2012 I Apresentação II Esclarecimentos das dúvidas dos participantes 1.

Leia mais

Farmácia Universitária

Farmácia Universitária Universidade Federal de Alfenas UNIFAL-MG Faculdade de Ciências Farmacêuticas Farmácia Universitária Regimento Interno Título I Da Farmácia Universitária Art. 1o A Farmácia Universitária da UNIFAL-MG,

Leia mais

RELATÓRIO DO ENCONTRO DE PESQUISADORES ENVOLVIDOS COM INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NA UFPEL

RELATÓRIO DO ENCONTRO DE PESQUISADORES ENVOLVIDOS COM INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NA UFPEL RELATÓRIO DO ENCONTRO DE PESQUISADORES ENVOLVIDOS COM INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NA UFPEL No dia 06 de fevereiro de 0, às h, reuniram-se, no Auditório do Prédio B da Epidemiologia, alguns pesquisadores

Leia mais

A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas

A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas A Experiência Brasileira na Adoção do IFRS para Pequenas e Médias Empresas Balneário Camboriú-SC 21 de julho de 2011 O padrão IFRS é adotado, atualmente, por cerca de 140 países(1) e por milhões de pequenas

Leia mais

Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Jornal: Cidade: Data: Página: Seção: www.jb.com.br Brasil 17/02/2014 WEB

Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Jornal: Cidade: Data: Página: Seção: www.jb.com.br Brasil 17/02/2014 WEB Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Gerência de Comunicação Jornal: Cidade: Data: Página: Seção: www.jb.com.br Brasil 17/02/2014 WEB 16/02 às 06h14 - Atualizada em 17/02 às 14h13 Uenf

Leia mais

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Nossa equipe atende empresas que investem em responsabilidade

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013.

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Aprovado pela Resolução nº 01/2013/CONSUP/IFTO, de 7 de março de 2013. PALMAS-TO MARÇO 2013 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 DA CATEGORIA... 2 FINALIDADE E OBJETIVOS...

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Regulamenta as normas para o relacionamento entre a Universidade Federal do Amapá e as Fundações de Apoio prevista na Lei n 8.958, de 20 de dezembro

Leia mais

8. Excelência no Ensino Superior

8. Excelência no Ensino Superior 8. Excelência no Ensino Superior PROGRAMA: 08 Órgão Responsável: Contextualização: Excelência no Ensino Superior Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI O Programa busca,

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO

SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO LEGISLAÇÃO: Lei Municipal nº 8.834 de 01/07/2002 e Decreto nº 529 de 09/08/2002. ATRIBUIÇÕES: 0700 - SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO 0710 - COORDENAÇÃO GERAL Compete

Leia mais

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100)

PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) PORTARIA N o 268, DE 30 DE JULHO DE 2013. (publicada no DOU de 31/07/2013, seção I, página 100) A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições que lhe confere o inciso

Leia mais

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS RESOLUÇÃO nº 009/CUn/2006, de 13 de junho de 2006. DISPÕE SOBRE A PROPOSIÇÃO, O ACOMPANHAMENTO E A AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PESQUISA NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração Anexo II a que se refere o artigo 2º da Lei nº xxxxx, de xx de xxxx de 2014 Quadro de Analistas da Administração Pública Municipal Atribuições Específicas DENOMINAÇÃO DO CARGO: DEFINIÇÃO: ABRANGÊNCIA:

Leia mais

EDITAL DE APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO- CULTURAIS NA UFSCAR PARA 2015.

EDITAL DE APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO- CULTURAIS NA UFSCAR PARA 2015. EDITAL DE APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO- CULTURAIS NA UFSCAR PARA 2015. JUSTIFICATIVA O estatuto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Capítulo 1, artigo 3º define como uma das

Leia mais

www.avantassessoria.com.br

www.avantassessoria.com.br www.avantassessoria.com.br Nossa Empresa A AVANT Assessoria Contábil e Tributária é uma empresa de contabilidade especializada em consultoria e assessoria de empresas e profissionais liberais, oferecendo

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Coordenação de Agroecologia / PROBIO II.

TERMO DE REFERÊNCIA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - Coordenação de Agroecologia / PROBIO II. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO PROJETO NACIONAL DE AÇÕES INTEGRADAS PUBLICO-PRIVADAS PARA BIODIVERSIDADE PROBIO II FUNDO NACIONAL PARA O MEIO AMBIENTE (Global Environmental Facility

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE UERN PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS - PROPLAN ROTINAS ADMINISTRATIVAS PROPLAN SETOR: Pró-Reitoria CARGO: Docente / TNS FUNÇÃO: Pró-Reitor

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

ASSOCIAÇÃO MATO-GROSSENSE DOS MUNICIPIOS

ASSOCIAÇÃO MATO-GROSSENSE DOS MUNICIPIOS ASSOCIAÇÃO MATO-GROSSENSE DOS SUPERINTENDENCIA Responsável pelos contatos políticos com os órgãos governamentais federal, estadual e municipal. Substitui o Presidente em suas atribuições internas a AMM.

Leia mais

EDITAL Nº 019/2015 Chamamento para Inscrição no Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil - Lei 13.019 Aspectos Jurídicos e Práticos

EDITAL Nº 019/2015 Chamamento para Inscrição no Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil - Lei 13.019 Aspectos Jurídicos e Práticos EDITAL Nº 019/2015 Chamamento para Inscrição no Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil - Lei 13.019 Aspectos Jurídicos e Práticos 1. OBJETIVO DO CURSO Capacitar os participantes acerca das

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1 o. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA 12.4 SISTEMA DE GESTÃO PROPOSTO 12.4.1 ASPECTOS GERAIS O Sistema de Gestão proposto para o PERH-PB inclui órgãos da Administração Estadual, Administração Federal, Sociedade Civil e Usuários de Água, entre

Leia mais

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol ológica Florianópolis polis,, 02 de abril de 2008. 1 CRONOLOGIA OS TRABALHOS: 1. Indicativos do quadro brasileiro de inovação;

Leia mais

HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica. Apresentação de Serviços Profissionais

HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica. Apresentação de Serviços Profissionais HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica Apresentação de Serviços Profissionais SOBRE A Hafra Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica tem atuação no mercado empresarial do Rio de Janeiro e

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

MARCELO LIMA DOS ANJOS

MARCELO LIMA DOS ANJOS MARCELO LIMA DOS ANJOS CRA DF nº 60603 Tel: (61) 9913-5433 marcelolimaa@gmail.com / marcelolima@unb.br FORMAÇÃO ACADÊMICA Doutorando em Negócios e Direito Internacional UNEATLANTICO / ES Mestre Ciências

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS Equipe Técnica o o o o Prefeito Municipal Luiz Goularte Alves Secretaria Municipal

Leia mais

Rio de Janeiro Avenida General Justo, 307 CEP: 20021-130 Rio de Janeiro PABX (21) 3804-9200 E-mail: cncrj@cnc.com.br

Rio de Janeiro Avenida General Justo, 307 CEP: 20021-130 Rio de Janeiro PABX (21) 3804-9200 E-mail: cncrj@cnc.com.br Rio de Janeiro 2011 2010 Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo Qualquer parte desta publicação pode ser reproduzida, desde que citada a fonte. Confederação Nacional do Comércio

Leia mais

Administração Comércio Exterior Contábeis Economia Secretariado

Administração Comércio Exterior Contábeis Economia Secretariado Administração Comércio Exterior Contábeis Economia Secretariado LABORATÓRIO-EMPRESA DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS O Conselho de Administração Coordenadores: Dr. Abdalla Added: Administração;

Leia mais

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO

RESUMO DOS PROGRAMAS POR TIPO Tipo: 1 - Finalístico Programa: 5140 - ESPAÇO ABERTO Objetivo: PROMOVER A INTEGRAÇÃO ENTRE O PODER PÚBLICO MUNICIPAL E OS MUNÍCIPES EM CONJUNTO COM OS DEMAIS ORGÃOS QUE COMPÕE A ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL.

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS Objetivos da apresentação Exposição dos principais detalhes do edital,

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

LEGISLAÇÃO E EXECUÇÃO DE

LEGISLAÇÃO E EXECUÇÃO DE LEGISLAÇÃO E EXECUÇÃO DE CONVÊNIOS SICONV E OBTV Carga Horária de 16 Horas 27 e 28 de Outubro Cuiabá - MT Apresentação: O curso enfoca as diversas etapas do SICONV Sistema de Gestão de Convênios e Contratos

Leia mais

Novo Sistema de Gestão do IFAM

Novo Sistema de Gestão do IFAM Novo Sistema de Gestão do IFAM Os módulos serão implantados atendendo aos critérios: Sistema/Módulo Entrega Prazo de Entrega Módulo Administrativo Integração SIAFI Módulo de Recursos Humanos Protocolo

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA POLÍTICA ESTADUAL DE APOIO AO COOPERATIVISMO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA POLÍTICA ESTADUAL DE APOIO AO COOPERATIVISMO LEI N. 1.598, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2004 Institui a Política Estadual de Apoio ao Cooperativismo. O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE seguinte Lei: FAÇO SABER que a Assembléia Legislativa do Estado do Acre decreta

Leia mais

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017

PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 PLANO DE AÇÃO-DIREÇÃO DO CAMPUS TERESINA ZONA SUL GESTÃO 2013-2017 O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e da moralidade, com que se pratica do

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

Curso Preparatório Para Exame de Certificação de Agentes Autônomos de Investimento e Empregados de Instituições Financeiras UFSC - CSE

Curso Preparatório Para Exame de Certificação de Agentes Autônomos de Investimento e Empregados de Instituições Financeiras UFSC - CSE Curso Preparatório Para Exame de Certificação de Agentes Autônomos de Investimento e Empregados de Instituições Financeiras PROMOÇÃO: APOIO: UFSC - CSE Florianópolis Outubro/2008 1. INTRODUÇÃO A Associação

Leia mais

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba 1 OBJETIVO 1.1 Realizar, em 2013, apoio financeiro para viabilizar a execução de serviços em inovação e tecnologia

Leia mais

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil

Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora Raiz da ICP-Brasil Programa 1109 Massificação da Certificação Digital ICP-Brasil Ações Orçamentárias Número de Ações 18 72640000 Produto: Sistema implantado Desenvolvimento e Implantação do Criptossistema da Autoridade Certificadora

Leia mais

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete:

Art. 2º Ao Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - compete: LEI Nº 12.911, de 22 de janeiro de 2004 Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - CONSEA-SC - e do Fundo Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional - FUNSEA-SC

Leia mais

Com André Luiz Freitas Leite

Com André Luiz Freitas Leite LEGISLAÇÃO E EXECUÇÃO DE Com André Luiz Freitas Leite 05 e 06 de Novembro de 2014 - Rio de Janeiro - RJ Apresentação: O curso enfoca as diversas etapas do SICONV Sistema de Gestão de Convênios e Contratos

Leia mais

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES

ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES ANEXO: OUTROS FATOS RELEVANTES Em atendimento à Decisão Normativa TCU no. 96 de 04/03/2009, especificamente quanto ao conteúdo expresso em seu Anexo II, letra A, item 16, cabe registrar as seguintes atividades:

Leia mais

Apresentações Técnicas. ciclo de seminários NOVOS MODELOS ORGANIZACIONAIS

Apresentações Técnicas. ciclo de seminários NOVOS MODELOS ORGANIZACIONAIS Apresentações Técnicas ciclo de seminários NOVOS MODELOS ORGANIZACIONAIS Seminário IV Novos Modelos Organizacionais de Ciência e Tecnologia Apresentações Técnicas São Paulo, 2007 APRESENTAÇÃO A área de

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO ANEXO VI PLANILHA DE PONTUAÇÃO RECONHECIMENTO DE SABERES

Leia mais

EDITAL N. 010/2014 - ECI/ZICOSUR

EDITAL N. 010/2014 - ECI/ZICOSUR 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ - UEM ESCRITÓRIO DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL - ECI COMISSÃO PERMANENTE DE INTERNACIONALIZAÇÃO - CPInter PROGRAMA DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EDITAL N. 010/2014 - ECI/ZICOSUR

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

2. Viabilizar a alocação de recursos humanos em número suficiente para o desenvolvimento das atividades previstas neste e nos demais programas;

2. Viabilizar a alocação de recursos humanos em número suficiente para o desenvolvimento das atividades previstas neste e nos demais programas; 4.12 PROGRAMA DE ADMINISTRAÇÃO Objetivo geral Organizar e adequar administrativamente a FEENA, de forma a garantir o seu funcionamento, permitindo a implantação do Plano de Manejo e promovendo a manutenção

Leia mais

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO QUADRO 1 Atividades a não serem realizadas por restrição

Leia mais

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014

REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 REGULAMENTO Prêmio IEL de Estágio 2014 Curitiba, Fevereiro de 2014 Sumário 1. O PRÊMIO... 3 2. OBJETIVOS... 4 3. CATEGORIAS DE PREMIAÇÃO... 5 4. ETAPAS DE AVALIAÇÃO... 5 5. PREMIAÇÃO... 5 6. PARTICIPAÇÃO/INSCRIÇÃO...

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. VRADM - Superintendência Administrativa. Patrimônio Mobiliário. Normas e Procedimentos

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. VRADM - Superintendência Administrativa. Patrimônio Mobiliário. Normas e Procedimentos Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro VRADM - Superintendência Administrativa Patrimônio Mobiliário Normas e Procedimentos Definições: A PUC não possui um órgão centralizado para o controle

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006

DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 DESENVOLVIMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS, GERAÇÃO DE EMPREGO E INCLUSÃO SOCIAL. XII Seminario del CILEA Bolívia 23 a 25/06/2006 Conteúdo 1. O Sistema SEBRAE; 2. Brasil Caracterização da MPE; 3. MPE

Leia mais

Apresentação Institucional IEL/SC

Apresentação Institucional IEL/SC Apresentação Institucional IEL/SC Natalino Uggioni Joaçaba, 12 de Maio de 2014 IEL NO BRASIL O Sistema Indústria Presente nos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal, o Sistema Indústria é composto

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, USO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS DO FUNDECITRUS

NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, USO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS DO FUNDECITRUS 1 NORMAS PARA SOLICITAÇÃO, USO E PRESTAÇÃO DE CONTAS DE RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS DO FUNDECITRUS Todas as normas devem ser lidas atentamente antes da submissão da proposta de pesquisa, bem como antes da realização

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA

NORMA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA CONTROLE DO PARQUE DE INFORMÁTICA Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 13 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. PADRONIZAÇÃO DOS RECURSOS DE T.I. 4 5. AQUISIÇÃO

Leia mais

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I RESOLUÇÃO N. 001/2007 ANEXO NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I 1. Conceituação As normas relativas à concessão de Bolsas de Formação, de Pesquisa

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, no

Leia mais

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial

Cooperação Técnica para Modernização dos Serviços Relativos à Propriedade Industrial Programa 0393 PROPRIEDADE INTELECTUAL Objetivo Garantir a propriedade intelectual e promover a disseminação de informações, visando estimular e diversificar a produção e o surgimento de novas tecnologias.

Leia mais

CHEFE DA SEÇÃO DE MANUTENÇÃO ESCOLAR compete acompanhar a tramitação de documentos e processos, observando o protocolo do mesmo; classificar, informar e conservar documentos; controle de matériais, providenciando

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011.

RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. RESOLUÇÃO UNIV N o 31 DE 27 DE JULHO DE 2011. Aprova o novo Regulamento da Agência de Inovação e Propriedade Intelectual da Universidade Estadual de Ponta Grossa, e revoga a Resolução UNIV n o 27, de 20

Leia mais

INTRODUÇÃO. Apresentação

INTRODUÇÃO. Apresentação ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO ATRICON 09/2014 DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO ATRICON 3207/2014: OS TRIBUNAIS DE CONTAS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL: CONTROLE DO TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS

Leia mais

Encontros Estaduais/Regionais_2015 Oficinas de trabalho Sustentabilidade orientações sobre projetos

Encontros Estaduais/Regionais_2015 Oficinas de trabalho Sustentabilidade orientações sobre projetos Encontros Estaduais/Regionais_2015 Oficinas de trabalho Sustentabilidade orientações sobre projetos Dicas para captação de recursos Anexo que consta do Manual de Procedimentos da Rede OSB Princípios da

Leia mais

Aplicação FUNCIONALIDADES

Aplicação FUNCIONALIDADES O sistema Advice é uma solução Corpdigital baseada na web que centraliza, de forma totalmente integrada, as atividades de um conselho de fiscalização profissional. A ferramenta apresenta módulos integrados

Leia mais

GR TREINAMENTO E EVENTOS DE NEGÓCIO. INSCRIÇÕES até 16/03/2015

GR TREINAMENTO E EVENTOS DE NEGÓCIO. INSCRIÇÕES até 16/03/2015 Palmas, 19, 20 de março de 2015 Prof. Izaias de Carvalho INSCRIÇÕES até 16/03/2015 ASPECTOS GERAIS O CONTROLE INTERNO, é obrigatório para as Administrações Públicas e, também necessária para as Entidades

Leia mais