Avanços em Modelos e Ferramentas para Gestão de Tecnologia da Informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Avanços em Modelos e Ferramentas para Gestão de Tecnologia da Informação"

Transcrição

1 PROGRAMA NACIONAL DE COOPERAÇÃO ACADÊMICA-PROCAD NOVAS FRONTEIRAS EDITAL PROCAD NF 21/29 Avanços em Modeos e Feamentas paa Gestão de Tecnoogia da Infomação 1. Identificação das Equipes do Pojeto IES Poponente: Univesidade Fedea do Paá - UFPA Pogama de Pós-Gaduação: em Ciência da Computação PPGCC Coodenado da Equipe: Antônio Joge Gomes Abeém Cuícuo Lattes do coodenado: IES Associada: Univesidade Fedea do Rio Gande do Su - UFRGS Pogama de Pós-Gaduação: em Ciência da Computação PPGCC Coodenado da Equipe: Luciano Paschoa Gaspay Cuícuo Lattes do coodenado: 2. Justificativa O tema poposto po este pojeto, Avanços em Modeos e Feamentas paa Gestão de Tecnoogia da Infomação, tem econhecida impotância tanto do ponto de vista tecnoógico quanto do ponto de vista científico. Tata-se de um tema que se peocupa em defini pocedimentos automatizados paa defini, impanta e avaia estatégicas, poíticas e técnicas oganizacionais que afetam os ativos de uma oganização centada em Tecnoogia da Infomação ativos estes de natueza divesificada, vaiando ente componentes de softwae e/ou de hadwae. É impotante obseva que emboa a Tecnoogia da Infomação (TI) seja usada em todos os amos do conhecimento humano na atuaidade, sua gestão ocoe de maneia infoma, o que acaeta pejuízos significativo Po exempo, escohas adequadas na gestão dos ativos oganizacionais infuenciam de foma substancia na podutividade e economia das empesas que consomem e fonecem podutos e seviços de TI. Do ponto de vista tecnoógico, a pesquisa no tema de gestão de tecnoogia da infomação possui ata demanda das empesas que povêem e consomem seviços de Tecnoogia da Infomação em vitude da gande quantidade e vaiedade de infomações que pecisam se manipuadas no pocesso de tomada de decisão geencia. Do ponto de vista científico, se tata de um tema novo, que fequentemente

2 exige uma abodagem mutidiscipina dento da Computação paa eduzi a compexidade do contexto. Assim, a constução e avaiação de modeos e feamentas que auxiiem a gestão de TI necessita ida com pobemas eacionados com aspectos divesos como as metas oganizacionais, infaestutua computaciona, pessoa especiaizado, pocessos de negócio, e tecnoogia de softwae. Outos eementos impotantes paa se destaca como justificativa paa este pojeto são eacionados a segui: A ciação do PPGCC-UFPA em 25 (níve mestado) o qua é o único pogama da áea ocaizado na egião da Amazônia oienta; O fote incemento que a áea de Tecnoogia da Infomação acançou nos útimos anos no estado do Paá, sintetizado a segui, sempe envovendo pofessoes do PPGCC-UFPA: 1) a ciação da ede metopoitana de Beém Metobe, e a impantação do pogama NavegaPaá (http://www.navegapaa.pa.gov.b/ ) que inteiga atavés de fiba ótica de ata veocidade a capita aos municípios do inteio da Amazônia consideado o maio pogama de incusão digita atuamente em execução no país; 2) A futua impantação em 21 do Cento Paaense de Computação de Ato Desempenho com infaestutua pedia, computaciona e capacitação de ecusos humanos totaizando um vao de R$ 4,5 mihões de investimentos (FINEP e Goveno do Estado do Paá); 3) a impantação do Laboatóio de Tecnoogia de Softwae, especiaizado na cetificação em quaidade de softwae, no Paque de Ciência e Tecnoogia Guamá (http://www.pctguama.pa.gov.b); 4) a impantação da Rede Paaense de Pesquisa em Tecnoogia da Infomação e Comunicação financiada pea FAPESPA, onde novamente o PPGCC-UFPA exece pape de ideança na composição de instituições de ensino supeio e empesas do estado. Potanto, a econhecida necessidade de aumento da matuidade em TI no estado é caamente encaada como uma questão estatégica paa o desenvovimento egiona; O impotante níve de matuidade acançado peo Cento de Tecnoogia da Infomação (CTIC) da UFPA, esponsáve pea geência e eaização dos seviços de TI da UFPA, evidenciado po se tona o pimeio cento de TI de univesidade púbica do país a acança a cetificação no níve G do modeo MPS.BR (modeo de quaidade do pocesso de softwae);

3 O históico de coopeação pegessa ente os pogamas: a) 3 pofessoes da UFPA envovidos no pojeto fizeam sua pós-gaduação na UFRGS; b) A UFRGS e UFPA ofeeceam ente 2 e 22 um mestado inteinstituciona em Computação (tuma única); c) Os pofessoes Lisando Ganvie (UFRGS) e Antonio Joge G. Abeém (UFPA) atuaam na coodenação conjunta do Simpósio Basieio de Redes de Computadoes e Sistemas Distibuídos (SBRC) em Beém no ano de 27; O ato estágio de matuidade do PGCC-UFRGS econhecido como níve 6 na útima avaiação da CAPES. Apenas 3 pogamas no país possuem este níve, em um tota de 51 pogamas ecomendados; A econhecida competência dos gupos da UFRGS envovidos neste pojeto nos temas a segui: gestão de infaestutua de TI, engenhaia de softwae, e métodos fomais na especificação de softwae. A econhecida competência dos gupos da UFPA envovidos neste pojeto nos temas a segui: gestão do pocesso de softwae, aquitetua de softwae, e gestão de edes de computadoe Como único exempo a se apesentado aqui (em função das estições de espaço), cita-se o pêmio Dogiva Bandão Junio de Quaidade e Podutividade de Softwae (2o uga naciona) concedido peo MCT ao gupo de Engenhaia de Softwae da UFPA em Contexto Regiona Tecnoogias da infomação e comunicação (TIC) estão cada vez mais se tonando a peça chave das estatégias de competitividade no mundo, dada a sua caacteística de se um habiitado do cescimento, desenvovimento e modenização de um paí A ecente históia tem demonstado que, paa o contínuo desenvovimento de países já evouídos tecnoogicamente, as TICs são cuciais paa estes continuaem a inova em seus pocessos e podutos e manteem sua competitividade. Iguamente impotante, as TICs povaam te o supote necessáio paa pemiti o desenvovimento de economias emegentes bem como na geação de uma tansfomação socia paa a obtenção de quaidade de vida. Em todo o mundo, as Tecnoogias da Infomação e Comunicação (TIC) tem pemitido aos indivíduos o acesso sem pecedentes à infomação e conhecimento, favoecendo os seviços de educação, saúde, acesso aos mecados, de faze negócio e de inteações sociais, ente outo Aém disso, ao

4 aumenta a podutividade e cescimento econômico, nos países em desenvovimento, as TICs desempenham um pape impotante na edução da pobeza e mehoia das condições de vida e das opotunidades ao cidadão com baixa quaidade de vida. Potanto, a ciação de poíticas paa o desenvovimento, impantação e utiização de Tecnoogias da Infomação e Comunicação são, natuamente, os avos pincipais das ações de quaque goveno. No Basi, o pojeto do e-basi pomove uma gande agenda de poíticas púbicas que tentam agutina o potencia tecnoógico e inteectua naciona paa a constução de um país com mais iguadade socia e competido consideando o uso intensivo das TICs [Fonte: The Goba Infomation Technoogy Repot Wod Economic Foum, Geneva 29]. Em temos amazônicos, à apicação da ação anteio deve se consideada a especificidade da egião, ou seja, uma áea física-geogáfica extensa e baixa densidade popuaciona. Esta paticuaidade constitui-se em um dos fatoes que dificuta o desenvovimento da egião, pincipamente daqueas áeas afastadas dos gandes centos metopoitanos, pea fata de opções de conectividade (comunicação de dados) de quaidade e atos custo Paa a tansposição dessas especificidades, agumas ações meecem destaque. Regionamente, o Goveno do Estado do Paá possui um Pogama de Democatização do Acesso às Tecnoogias de Infomação e Comunicação (NavegaPaá) que se destina a disponibiiza, à sociedade paaense, mecanismos de integação e incusão digita e socia atavés de uma ede de fiba óptica e aiada a tecnoogias sem fio paa o acance dos usuáios finais (cidadãos). Atavés desta infaestutua, o Goveno deseja atingi os divesos setoes da sociedade ofeecendo seviços de educação, saúde e seguança, ente outo Poém, a utiização ótima dos ecusos tecnoógicos bem como a sua adequação às novas tecnoogias são ações que devem se consideada É neste contexto que se inseem e atuam as instituições de pesquisa, investigando e desenvovendo souções e tecnoogias bem como fomando os espectivos ecusos humanos da áea. Neste escopo, a Univesidade Fedea do Paá tem atuado de foma pioneia e intensa paa o desenvovimento da egião. Na áea igada às Tecnoogias de Infomação e Comunicação, possui gupos atuantes petencente ao pogama de pósgaduação em Ciência da Computação. Ente esses gupos, estão o Gupo de Estudos de Redes de Computadoes e Comunicação Mutimídia (GERCOM), que atua na áea

5 de TIC, e o LABES (Laboatóio de Engenhaia de Softwae), atuante em engenhaia de softwae, que ente outas ações, foam esponsáveis pea poposição e coodenação da impantação e ativação da Rede Metopoitana de Ensino e Pesquisa de Beém, MetoBe (Metobe, 29), em paceia com a RNP. A MetoBe, inauguada em maio de 27, seviu de base paa o pojeto RedeComep (Redes Comunitáias de Educação e Pesquisa) e paa o pópio NavegaPaá e mudou substanciamente a quaidade do seviço de comunicação popocionado paa os usuáios das 12 pincipais instituições púbicas e pivadas de ensino e pesquisa de na Região Metopoitana de Beém, pemitindo a edução de custos com seviços de teecomunicações e a viabiização de apicações avançada Adicionamente, como foma de intega e ampia ainda mais estas iniciativas igadas ao ensino e pesquisa foi apovada em edita da Fundação de Ampao a Pesquisa do Estado (FAPESPA) uma ede de coaboação, chamada de Rede de Pesquisa em TIC, composta po pesquisadoes de divesas instituições do Estado do Paá e cujo objetivo passa po fomenta e canaiza o desenvovimento da áea no estado, atavés de ações coodenadas dos gupos envovido As atividades da Rede teão supote dos aboatóios que seão instaados no Paque de Ciência e Tecnoogia (PCT-Guamá). A Rede fomentaá a indústia de softwae, de sistemas embacados e investigaá atenativas tecnoógicas viáveis paa pove acesso de maneia mais univesa aos cidadão No entanto, paa que estes cenáios efetivamente sivam como instumento de capacitação e tansfomação do conhecimento em vao econômico e/ou socia, são necessáias ações pomovedoas do desenvovimento tecnoógico, induzindo a fomação ápida e quaificada de ecusos humano Potanto, o pogama de pósgaduação em Ciência da Computação teá pape estatégico neste contexto e ações de fotaecimento deste são indispensáveis paa o sucesso dessas divesas açõe 4. Objetivos Constituem objetivos deste pojeto: avança no estado da ate com eação ao tema Gestão de TI atavés de uma abodagem intediscipina que intege competências distibuídas nos dois pogamas de pós-gaduação envovidos nas áeas de Redes de Computadoes, Sistemas Distibuídos, Inteigência Atificia, Engenhaia de Softwae, e Métodos

6 de Especificação Foma; investiga, constui e avaia modeos, metodoogias e feamentas paa auxíio ao pocesso de tomada de decisão geencia em TI; eaiza estudos páticos paa pobemas eais de empesas púbicas de Tecnoogia da Infomação incuindo: o CTIC-UFPA, a infaestutua de gestão da MetoBe e do NavegaPaá; pomove a definitiva inseção do PPGCC-UFPA no cenáio naciona com a consoidação da pós-gaduação paa começa a ofeece o Doutoado em Ciência da Computação (cuso inexistente na Amazônia Oienta). 5. Metas e Resutados Espeados As metas do pojeto foam divididas em tês gupos, detahados a segui: 5.1. Fomação/Apefeiçoamento de Docentes e/ou Pesquisadoes Reaiza o pós-doutoamento de 3 pofessoes da UFPA na UFRGS; Contibui com a fomação de 1 aunos do Mestado do PPGCC na foma de Mestado ; Reaiza wokshops anuais, atenados ente Beém e Poto Aege, envovendo os pesquisadoes (pofessoes/aunos de doutoado) do pojeto como foma de tansfeência de ições apendidas ente as duas instituições; Pomove a toca de expeiências ente os gupos da UFPA e UFRGS no sentido de evoui os tabahos anteioes desenvovidos em cada gupo. Metas específicas po ano: Ano I Reaiza wokshop em Beém com a pesença dos pofessoes da UFRGS envovidos no pojeto; - Reaiza missão de pesquisa/docência do doutoando Abaham L.Rabeo de Sousa (UFRGS) em Beém paa tata do tema Simuação de Pocessos da Gestão de TI; - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de dois aunos de Engenhaia de Softwae da UFPA em Poto Aege com o objetivo de atua na especificação/pojeto aquitetua/pototipação de um simuado de popósito gea paa gestão de TI (como geneaização dos tabahos anteioes da UFPA desenvovidos especificamente paa a gestão do pocesso de softwae); - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de um auno da inha de Redes de Computadoes da UFPA paa atua na áea de Gestãode TI; - Reaiza tês missões de pesquisa de pofessoes da UFPA na UFRGS paa: eaiza o intecâmbio de infomações e acompanha seus oientandos no início dos seus estágios na UFRGS. Ano II - 211

7 - Reaiza wokshop em Poto Aege com a pesença da maioia dos pofessoes da UFPA envovidos no pojeto; - Reaiza tês estágios de pós doutoado dos pofessoes Antonio Joge Abeém, Caa A Lima Reis e Rodigo Quites Reis na UFRGS com duação de 2 meses cada; - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de dois aunos de Engenhaia de Softwae da UFPA em Poto Aege com o objetivo de atua na especificação/pojeto aquitetua/pototipação de feamentas associadas com a impantação de Gestão do Conhecimento Oganizaciona e Mehoia de Pocessos com base em Anáise Quantitativa como evoução de tabahos anteioes desenvovidos na UFPA; - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de um auno da inha de Redes de Computadoes da UFPA paa atua na áea de Gestãode TI. Ano III Reaiza wokshop do pojeto em Beém com a pesença dos pofessoes da UFRGS; - Reaiza missões de ensino/pesquisa dos Pofessoes Antonio Abeém (coodenado), Eduado Cequeia e Eoi Fáveo na UFRGS; - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de dois aunos de Engenhaia de Softwae da UFPA em Poto Aege com o objetivo de atua na especificação/pojeto aquitetua/pototipação de feamentas associadas aos aspectos de gaantia de execução (enfocement) de poíticas geenciais paa TI; - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de um auno da inha de Redes de Computadoes da UFPA paa atua na áea de Gestão de TI; - Reaiza Doutoado do auno Rafae Esteves (UFRGS) de 4 meses na UFPA paa contibui com a eaização de estudos páticos dos modeos e feamentas desenvovidas neste pojeto nas edes do CTIC/UFPA, MetoBe e/ou NavegaPaá; Ano IV Reaiza wokshop do pojeto em Poto Aege com a pesença dos pofessoes da UFPA; -Reaiza tês estágios de pós doutoado dos pofessoes Antonio Joge Abeém, Caa A Lima Reis e Rodigo Quites Reis na UFRGS com duação de 2 meses cada; - Reaiza estágio de Mestado sanduíche de um auno em inha de pesquisa a se definida Mehoia dos Pogamas de Pós-Gaduação Paticipantes Consoidação das inhas de pesquisa de Redes de Computadoes e Engenhaia de Softwae no PPGCC-UFPA Incopoação de novas inhas de pesquisas nos dois pogamas; Mehoia nas instaações físicas (saas de aua e aboatóios) do PPGCC-UFPA como decoência dos investimentos de contapatida exigida pea instituição neste edita (equivaente a 2% dos ecusos da CAPES); Mehoia nos indicadoes de podução científica e tecnoógica dos dois pogamas de pós-gaduação; Eevação do níve do PPGCC-UFPA paa 4 na avaiação da CAPES de 213 (tiênio 21, 211 e 212).

8 5.3. Apicabiidade dos Resutados de Pesquisa / Impacto Pevisto Novas inhas de pesquisa nos pogamas de pós-gaduação; Impactos paa o mecado: A expeiência e conhecimentos adquiidos duante o pojeto seão divugados atavés de atigos científicos e podutos de softwae, impactando na quaificação de podutos e seviços na áea de TI. Aém disso, o pojeto pevê a eaização de estudos em empesas eais na emoção dos gagaos geenciai Fomação de RH: A toca de expeiência e coopeação na eaização dos estudos esutaão, de maneia inequívoca, a quaificação da fomação dos aunos e apefeiçoamento dos pesquisadoes nas áeas envovida Os wokshops panejados seão um impotante instumento de divugação paa a comunidade científica e tecnoógica dos esutados paciais e finais poduzidos peas equipe 5.4. PUBLICAÇÕES CONJUNTAS O pojeto iá poduzi atigos científicos que seão submetidos aos veícuos eacionados abaixo e simiaes: a) Confeências: - ACM Symposium on Appied Computing - IEEE Intenationa Compute Softwae and Appications Confeence - IEEE Intenationa Confeence on Communications - IEEE Intenationa Confeence on Teecommunications - IEEE Intenationa Symposium on Netwok Computing and Appications - IEEE Intenationa Wokshop on IP Opeations & Management - IEEE Symposium on Computes and Communications - IEEE Symposium on Visua Languages and Human-Centic Computing - IFIP/IEEE Intenationa Symposium on Integated Netwok Management - IFIP/IEEE Netwok Opeations and Management Symposium - Intenationa Confeence on Softwae Engineeing - Intenationa Confeence on Softwae Pocess - Simpósio Basieio de Engenhaia de Softwae - Simpósio Basieio de Quaidade de Softwae - Simpósio Basieio de Redes de Computadoes b) Peiódicos: - Communications of the ACM - Esevie Compute Netwoks - IEEE Communications Magazine - IEEE e-tansactions on Netwok and Sevice Management - IEEE Intenet Computing - IEEE Netwok - IEEE Softwae - IEEE Systems Jouna - IEEE Tansactions on Softwae Engineeing - Intenationa Jouna of Netwok Management - Intenationa Jouna of Softwae Engineeing and Knowedge Engineeing - Jouna of Netwok and Systems Management - Jouna of Visua Languages and Computing - Softwae Pactice and Expeience

9 6. Fundamentação Teóica O uso e a impotância de sistemas em ede e distibuídos paa apoia as atividades de negócio das oganizações têm aumentado de foma significativa ecentemente. Esse cenáio tonou impeativo o uso de abodagens efetivas paa a geência desses sistemas de foma adequada e eficiente. A Bibioteca de Infaestutua de Tecnoogia da Infomação (Infomation Technoogy Infastuctue Libay, em ingês, ITIL) (OGC, 28) se tonou, nesse contexto, um dos conjuntos mais aceitos e adotados de boas páticas e pocessos paa a impantação e geência de seviços de TI (REBOUCAS et a., 27), possuindo uma impotância especia paa as oganizações que possuem seviços dinâmicos, de aga escaa e em constante evoução. Paa ida com mudanças em sistemas de TI, fequentemente intoduzidas em esposta às necessidades de negócio, a ITIL define o pocesso de geência de mudanças (change management) (LACY; MACFARLANE, 27). Esse pocesso tem po objetivo maximiza o vao que mudanças adicionam aos negócios, atavés da minimização de ocoência dos incidentes eacionados às mudanças e disupção no povisionamento de seviço Paa este fim, a geência de mudanças ecomenda o uso de métodos e pocedimentos padonizados paa ida com mudança Confome descito no ivo Supote a Seviços da ITIL (ITIL Sevice Tansition book) (LACY; MACFARLANE, 27), a geência de mudanças compeende desde a especificação de documentos chamados Requisições de Mudança (Requests Fo Change, RFC), po um soicitante da mudança, até a geação, que seja po um opeado de TI ou automatizada, de panos de mudança executávei As RFCs, tipicamente soicitadas po usuáios de negócios, expessam as mudanças equisitadas em um ato níve de abstação (po exempo, Impanta Novo Seviço de Comécio Eetônico e Aumenta a Capacidade do Enace de Dados). Panos de mudança executáveis, po sua vez, são wokfows que compeendem ações de baixo níve (po exempo, instaação de softwae, manipuação de tabeas de oteamento e modificações em configuações) a seem impantadas na infa-estutua de TI geenciada. Se executados, esses panos de mudança executáveis devem impanta as mudanças equisitada As fases subsequentes de um pocesso de geência de mudanças tadiciona são a avaiação, o teste, a autoização, o agendamento, a impantação, e o egisto das ações executadas na Base de Dados de Geência de

10 Configuação (Configuation Management Database, CMDB). Desde a concepção da ITIL, tem havido pesquisa substancia em questões eacionadas à geência de mudanças em TI. Po exempo, passos impotantes têm sido dados em dieção à expoação de opotunidade de paaeismo na execução de panos de mudança (KELLER et a., 24), otimização de ambos o agendamento de mudanças em janeas de manutenção e a atibuição de técnicos paa executá-as (TRASTOUR; RAHMOUNI; BARTOLINI, 27), e na obtenção de agendamentos de mudanças que satisfaçam a objetivos/estições de negócios (REBOUCAS et a., 27). No entanto, apesa dos potenciais benefícios de se eusa o conhecimento oiundo de mudanças em TI, este tópico tem sido pouco abodado em investigações passadas (KELLER et a., 24; LACY; MACFARLANE, 27; KELLER, 25). Do ponto de vista da gestão de tecnoogia da infomação votada de foma mais específica com a gestão do pocesso de softwae, já está consoidada a idéia que os investimentos no aumento da quaidade da gestão possuem impacto na quaidade do softwae poduzido. Agumas conseqüências positivas da definição e impantação de pocessos bem definidos em oganizações de desenvovimento de softwae são: 1) papéis e esponsabiidades são caamente definidos paa os pofissionais envovidos; 2) a quaidade do poduto e da satisfação do ciente podem se afeidas e acompanhadas; 3) as oganizações conseguem gea estimativas pecisas aceca dos cutos, pazos, e da podutividade da oganização [FUGGETTA, 2]. Como conseqüência, muitas oganizações de desenvovimento de softwae buscam a matuidade no pocesso de softwae, usando modeos como o SEI-Capabiity Matuity Mode Integation (CMMI) [CHRISSIS, 29], o modeo de Mehoia do Pocesso de Softwae Basieio (MPS.BR) [SOFTEX, 29], e a ISO 1227 paa estutua as iniciativas de mehoia de pocesso. Estes modeos fonecem uma base que pode se usada tanto paa notea a impantação da mehoia de pocessos quanto como paa que compadoes possam avaia a capacidade e matuidade das empesas de desenvovimento de softwae. A pesquisa na áea de gestão do pocesso de softwae está fotemente infuenciada peo objetivo de se constui feamentas (softwae) que auxiiem na definição, impantação, anáise, simuação e mehoia do pocesso de softwae das oganizaçõe Isto constituiu uma áea de pesquisa e desenvovimento denominada Tecnoogia do

11 Pocesso de Softwae [GIMENES, 1994], a qua invaiavemente adota souções intediscipinaes da Ciência da Computação paa ida com o gande númeo de méticas passíveis de monitoação com o objetivo de fonece apoio à tomada de decisão geencia. É impotante fisa que a gestão do pocesso de softwae agoa busca um ainhamento com eação à gestão de TIC como um todo: uma evidência desta peocupação é fonecida peo sugimento do modeo CMMI fo Sevices, que se peocupa com o estabeecimento, manutenção e entega de seviços de podutos em TI em gea. Isto constitui uma opotunidade vaiosa a qua seá expoada neste pojeto de coopeação que se popõe no momento. 7. Infaestutua e Contapatida 7.1. Pogama de Pós-Gaduação em Ciência da Computação da UFPA O Pogama de Pós-Gaduação em Ciência da Computação (PPGCC) da Univesidade Fedea do Paá (UFPA) é um pogama em consoidação que ofeece o Cuso de Mestado com conceito Níve 3 (Cuso Novo) em sua avaiação pea CAPES (27). O PPGCC foi ciado em Agosto de 25 e vem consoidando esfoços anteioes eaizados pea instituição na áea, incuindo o pioneio cuso de Tecnoogia em Pocessamento de Dados (fundado em 1974), e os atuais cusos de Bachaeado em Ciência da Computação, Engenhaia da Computação e Bachaeado em Sistemas de Infomação (este útimo, também ofeecido peos campi do inteio do Estado, de Castanha, de Capanema, de Maabá e Santaém). A áea temática de Tecnoogia da Infomação e Comunicação é consideada pioitáia paa investimentos em ensino e pesquisa peo Pano de Desenvovimento da UFPA paa o Cico e deveá se efoçado paa a póxima década. Potanto, o cuso de Mestado em Ciência da Computação está inseido neste contexto instituciona e busca atende a fote demanda na cidade de Beém, no estado do Paá, na egião amazônica, e no país po pofissionais quaificados com fomação em pósgaduação em Ciência da Computação paa souciona pobemas em divesas áeas impotante Nos seus pimeios pocessos seetivos ocoidos em junho de 25 e feveeio de 26 - houve demanda média de mais de noventa candidatos, com uma

12 densidade de apoximadamente sete candidatos po vaga. Nos pocessos seetivos de 27 e 28 a demanda média aumentou paa 11 candidatos, com uma densidade apoximada de 5 candidatos po vaga. Deve-se essata que no peíodo de 26 e 27, novos pofessoes se agegaam ao PPGCC, o que esutou em uma diminuição da densidade candidato/vaga. No momento, o PPGCC-UFPA conta com 17 pofessoes com fomação em divesos cusos nacionais e intenacionai Atuamente o PPGCC-UFPA conta com duas áeas de concentação paa suas inhas de pesquisa, confome enumeado a segui: Sistemas de Infomação, composta peas inhas de pesquisa Engenhaia de Softwae, Modeagem e Geência de Sistemas de Infomação e Infomática na Educação; Sistemas de Computação, fomada peas inhas de Redes de Computadoes e Sistemas Inteigente O Pogama conta com bosas paa seus aunos povenientes da CAPES, e vincuadas a pojetos de pesquisa CNPq e FINEP, e também de paceias com a ELETRONORTE (Centais Eéticas do Note do Basi), SERPRO, PRODEPA, Micosoft, IBM e outas empesa Os ecusos computacionais disponíveis paa os estudantes e pofessoes do PPGCC estão atuamente concentados pincipamente no pédio do Instituto de Ciências Exatas e Natuais (ICEN) na UFPA. Há tês aboatóios de Computação de uso compatihado com a gaduação e pioitaiamente aocado paa atividades com a pesença de pofessoes (auas e demonstações). Estes aboatóios totaizam apoximadamente sessenta estações de tabaho as quais estão sempe atuaizadas em temos de softwae e de hadwae. Há, ainda, uma impessoa ase paa uso dos aunos do Cuso. O PPGCC possui ainda váios aboatóios temáticos de pesquisa desde Redes de Computadoes (GERCOM Engenhaia de Softwae (LABES até o LabEAD (Laboatóio de Educação à Distância Estes aboatóios estão instaados nos pédios do ICEN e cada um destes aboatóios tem peo menos uma dezena de estações de tabaho e outos ecusos (impessoas, scanne, oteadoes, etc) custeados com ecusos povenientes de pojetos de pesquisa. Nestes aboatóios convivem os aunos do Mestado com bosistas de IC e em aguns casos até com doutoandos do Pogama de Pós-Gaduação em Engenhaia Eética (PPGEE) com o qua temos paceia

13 Em 26 tivemos um pojeto aceito no edita Finep CT-INFRA, que contempou o PPGCC, juntamente com outas pós-gaduações da UFPA envovidas com TI, com um pédio de 45m2. Esse pédio iá atende em beve o cescimento dos gupos de pesquisa do PPGCC. Em 29, um novo pojeto FINEP CT-INFRA foi apovado, desta vez com o objetivo de subsidia a constução de um novo pédio de 9 m2 paa acomoda as futuas instaações do Cento Paaense de Computação de Ato Desempenho. O sistema de bibioteca da UFPA é fomado pea Bibioteca Centa, ocaizada em pédio pópio no Campus Univesitáio do Guamá e po bibiotecas setoiais ocaizadas nos Institutos e Núceo A Bibioteca Centa é esponsáve pea compa e ecebimento de ivos e de evistas especiaizadas em Ciência da Computação, possuindo assinatuas das evistas: ACM Computing Suveys, Datamation, Infomation e Computation, Jouna of Compute and System Sciences, IEEE Mico, infomation Theoy, Sigpian Noices, IEEE Tansactions on Softwae Engineeing, Compute Gaphics Wod, Compute Aided Desing, Acta Infomática, Comunication of the ACM, Jouna of Systems and Softwae: Pactice and Expeience, Softwae Engineeing Notes, ente outas, assim como teses, boetins e outos mateiai A Bibioteca Setoia do Instituto de Ciências Exatas e Natuais (Bibioteca Máio Sea) abiga um acevo consideáve de obas fundamentais eacionadas com inhas de pesquisa do PPGCC. Ambas as bibiotecas contam com áeas de estudo em gupo. A bibioteca Centa passou po uma efoma ecente ciando áeas destinadas à eitua individua, áeas paa estudo em gupo, espaço infoma paa eitua de jonais, áeas especificas paa pesquisa eetônica (intenet) e acesso ao pota de Peiódicos da Cape Vae emba que o Pota de Peiódicos da CAPES também pode se acessado a pati de quaque computado da Univesidade conectado na intenet, via enace da RNP de 257 Mbp O PPGCC e seus pofessoes, atavés de pojetos de pesquisa financiados, têm sempe adquiido divesos exempaes de ivos e anais de congessos ecentes, sendo que todos são enviados a bibioteca setoia do ICEN paa consuta da comunidade. A contapatida exigida da instituição neste edita seá empegada em mehoia nas instaações físicas (saas de aua e aboatóios) do PPGCC-UFPA descitas acima, como ampiação do espaço físico da bibioteca setoia e efoma das saas de auas utiizadas peo pogama.

14 7.2. Pogama de Pós-Gaduação em Ciência da Computação da UFRGS O Pogama de Pós-Gaduação em Computação é um dos mais antigos pogamas basieios de pós-gaduação na áea. Com atuação em divesas sub-áeas da Computação, consoidou-se, ao ongo de mais de tês décadas, como cento de exceência em ensino e pesquisa. O objetivo do pogama é a fomação de pesquisadoes e pofissionais quaificados paa desenvove atividades em empesas de ata tecnoogia atavés dos seguintes pogamas: Mestado em Ciência da Computação, existente desde 1973, tendo já gaduado mais de 12 mestes; Doutoado em Ciência da Computação, existente desde 1989, contando com mais de 175 doutoes dipomado Os pogamas são fotemente integados com as atividades de pesquisa, agupadas em cinco áeas de concentação: Engenhaia da Computação, Sistemas de Computação, Sistemas de Infomação, Inteigência Atificia e Infomática Teóica. Os esutados destas pesquisas se taduzem na pubicação de atigos científicos em veícuos de gande impacto e no desenvovimento de podutos e pocessos de empesas geadoas de tecnoogia. O impacto das pesquisas do PPGC na indústia é bastante significativo. Desde a década de 197, váias indústias do Rio Gande do Su se beneficiaam das pesquisas teóicas e páticas desenvovidas nos aboatóios do pogama po seus pesquisadoes e auno Existem atuamente muitas empesas de difeentes segmentos que desenvovem tecnoogia pópia. Recentemente, divesas empesas gobais estabeeceam centos de pesquisa no Estado. O Pogama tem coopeação ativa com todas estas empesas e foma pessoa quaificado que é po eas absovido. O PPGC está intensificando seus esfoços no sentido de desenvove o espíito de empeendedoismo em seus mestandos e doutoandos, capacitando-os paa atua na indústia. O Instituto de Infomática mantém convênios e pojetos de tansfeência tecnoógica com divesas empesas, beneficiando dietamente o PPGC pea obtenção de ecusos paa aboatóios, bosas e bibioteca. Aém disso, o PPGC tem investido fotemente na fomação de mestes e doutoes em coaboação com instituições econhecidas no exteio, incentivando e

15 viabiizando a eaização de estágios no exteio duante o doutoamento, bem como o doutoamento em co-tutea. Neste caso, ao fina do cuso, o auno ecebe o títuo de douto pea UFRGS e também pea instituição estangeia. Da mesma foma, também tem ecebido estudantes estangeios paa eaização de mestado e doutoado sanduiche, o que contibui paa um ambiente de pesquisa futífeo, onde a convivência diáia com pessoas de difeentes cutuas acontece com natuaidade. Desta foma, mesmo àquees estudantes que não desejam eaiza pate de seus estudos no exteio, tem a opotunidade de desenvove seus estudos em um ambiente de pesquisa intenaciona. 8. Identificação das Linhas de Atuação Petendidas Após o Temino do Pojeto Constituem potenciais inhas de atuação no tema após o témino deste pojeto paa os dois pogamas: Gestão de Tecnoogia da Infomação; Gestão de Infaestutua Computaciona; Apoio po Computado ao Tabaho Coaboativo. Paa o PPGCC-UFPA é pevista a incopoação de uma inha de atuação adiciona: Métodos Fomais na Especificação de Softwae; Neste caso, é de fundamenta impotância a tansfeência de conhecimento ente os paceios de foma que o PPGCC-UFPA adquia expeiência em Uso de Linguagens Visuais (e outas inguagens de nova geação) na especificação de softwae de ata compexidade.

16 9. Oçamento Anua Detahado 1º Ano IES Poponen te UFPA Pogama de Pós- Gaduação PPGCC Coodenad o da Equipe Antonio Abeém Custeio 1., Pessoa Juídica Passagem 6 tota Diáias tota 5.31 Mestado s 3 1 tota 12. Custeio Aux. Moadia ME 3 1 Pessoa Física BOLSAS tota 6. Doutoado tota Aux.Moadia DO tota Estágio Pós Doutoa tota TOTA L IES Associad a 1 UFRGS Pogama de Pós- Gaduação PGCC Coodenad o da Equipe Luciano Gaspay Custeio 1., Pessoa Juídica Passagem 6 tota Diáias tota Mestado s Custeio Aux. Moadia ME Pessoa Física BOLSAS Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L TOTAL GERAL 1 O ANO

17 2º Ano IES Poponen te UFPA Pogama de Pós- Gaduação PPGCC Coodenad o da Equipe Antonio Abeém Custei o 1. Pessoa Juídica Passagem Diáias Mestado s Custeio Aux. Moadia ME Pessoa Física BOLSAS Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L IES Associada 1 UFRGS Pogama de Pós- Gaduação PGCC Coodenad o da Equipe Luciano Gaspay Custei o Pessoa Juídica Passagem Diáias Mestado s Custeio Aux. Moadia ME Pessoa Física BOLSAS Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L

18 TOTAL GERAL 2 o ANO

19 3º Ano IES Poponen te UFPA Pogama de Pós- Gaduação PPGCC Coodenad o da Equipe Antonio Abeém Custei o Pessoa Juídica Passagem Diáias Mestado s Custeio Aux. Moadia ME 3 1 Pessoa Física BOLSAS 6. Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L IES Associad a 1 UFRGS Pogama de Pós- Gaduação PPGC Coodenad o da Equipe Luciano Gaspay Custei o 1. Pessoa Juídica Passagem Diáias 5.31 Mestado s Custeio Aux. Moadia ME - Pessoa Física BOLSAS Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L TOTAL GERAL 3 o ANO

20 4º Ano IES Poponen te UFPA Pogama de Pós- Gaduação PPGC Coodenad o da Equipe Antonio Abeém Custei o 1. Pessoa Juídica Passagem Diáias 5.31 Mestado s Custeio Aux. Moadia ME Pessoa Física BOLSAS Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L IES Associad a 1 UFRGS Pogama de Pós- Gaduação PPGCC Coodenad o da Equipe Luciano Gaspay Custei o Pessoa Juídica Passagem Diáias Mestado s Custeio Aux. Moadia ME Pessoa Física BOLSAS Doutoado Aux.Moadia DO Estágio Pós Doutoa TOTA L 13.49

PROGRAMA NACIONAL DE COOPERAÇÃO ACADÊMICA-PROCAD NOVAS FRONTEIRAS EDITAL PROCAD NF 21/2009 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO DE PROJETO

PROGRAMA NACIONAL DE COOPERAÇÃO ACADÊMICA-PROCAD NOVAS FRONTEIRAS EDITAL PROCAD NF 21/2009 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO DE PROJETO 1/20 FUNDAÇÃO CAPES DIRETORIA DE PROGRAMAS E BOLSAS NO PAÍS COORDENAÇÃO GERAL DE PROGRAMAS ESTRATÉGICOS/CGPE COORDENAÇÃO DE PROGRAMAS ESPECIAIS/CPE PROGRAMA NACIONAL DE COOPERAÇÃO ACADÊMICA-PROCAD NOVAS

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Infotec Cusos Pofissionalizantes Ltda. Nome Fantasia: CEBRAC Cento Basileio de Cusos Data de fundação:

Leia mais

GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FUNCEF/ DIATI / GETIF Enconto da Qualidade e Podutividade em Softwae EQPS Belo Hoizonte - 2008 Basília, 25 de Setembo de 2008 Agenda Sobe a FUNCEF Beve históico Objetivo

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Fornecedor

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Fornecedor PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fonecedo Dados da Empesa Razão Social: Visa do Basil Empeendimentos Ltda. Nome Fantasia: Visa Data de Fundação: 08 de junho de 1987 Númeo

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Sênio Dados da Empesa Razão Social: MF 1000 FRANQUIA DE COSMÉTICOS LTDA Nome Fantasia: VITA DERM DAY CLINIC Data de fundação: 12/03/1984

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Cultua Anglo Ameicana de Petolina LTDA Nome Fantasia: Yázigi Petolina Data de fundação 03 de janeio

Leia mais

1 - Nome do projeto ou do programa de responsabilidade social: Programa SOS na Escola

1 - Nome do projeto ou do programa de responsabilidade social: Programa SOS na Escola PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Montese Educação pofissional Ltda. Nome Fantasia: SOS Educação Pofissional Data de fundação: 10/03/2010

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Sênio Dados da Empesa Razão Social: Soidents Fanchising Ltda Nome Fantasia: Soidents Clínicas Odontológicas Data de fundação: 20

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Pé Vemelho Ensino Pofissionalizante SS LTDA Nome Fantasia: BIT Company Data de fundação: 23/05/2009

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO FUNDO PATRIMONIAL DE APOIO AO JORNALISMO INVESTIGATIVO (F/ABRAJI) Aprovado pela Assembleia Geral de Associados realizada em.

REGIMENTO INTERNO DO FUNDO PATRIMONIAL DE APOIO AO JORNALISMO INVESTIGATIVO (F/ABRAJI) Aprovado pela Assembleia Geral de Associados realizada em. REGIMENTO INTERNO DO FUNDO PATRIMONIAL DE APOIO AO JORNALISMO INVESTIGATIVO (F/ABRAJI) Apovado pela Assembleia Geal de Associados ealizada em. Capítulo I Disposições Peliminaes At. 1º O pesente egimento

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Sênio Dados da Empesa Razão Social: Spoleto Fanchising LTDA. Nome Fantasia: Spoleto Data de fundação: 07 de feveeio de 1999 Númeo

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Índice:

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Índice: ANEXO 4 ROTEIRO DE VERIFICAÇÃO DO CÁLCULO DO CUSTO DO CAPITAL Roteio de Veificação do Cálculo do Custo do Capital Índice: Índice: Conceitos Veificações 1 VISÃO GERAL... 3 1.1 O QUE É CUSTO DE CAPITAL...

Leia mais

DETERMINAÇÃO DE ROTAS PARA EMPRESAS DE ENTREGA EXPRESSA

DETERMINAÇÃO DE ROTAS PARA EMPRESAS DE ENTREGA EXPRESSA DETERMINAÇÃO DE ROTAS PARA EMPRESAS DE ENTREGA EXPRESSA Femin A. Tang Montané Pogama de Engenhaia de Sistemas, COPPE/UFRJ Vigílio José Matins Feeia Filho Depatamento de Engenhaia Industial/ UFRJ/ Escola

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Sênio Dados da Empesa Razão Social: Spoleto Fanchising LTDA. Nome Fantasia: Spoleto. Data de fundação: 07 de feveeio de 1999. Númeo

Leia mais

EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDENCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2014

EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDENCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2014 EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDENCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2014 Recomenda-se a leitua atenta de todo o Edital antes de ealiza

Leia mais

A Disposição a Pagar pelo Uso da Água na Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho

A Disposição a Pagar pelo Uso da Água na Bacia Hidrográfica do Rio Pardinho A Disposição a Paga pelo Uso da Água na Bacia Hidogáfica do Rio Padinho Auto: Augusto Mussi Alvim (CPF: 564402430-04). Douto em Economia, Pofesso Adunto do Depatamento de Ciências Econômicas, PUCRS. Av.

Leia mais

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2015

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2015 SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO CENTRO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL CREDENCIADO PELO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES (CBC) EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA

Leia mais

EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDENCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2015

EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDENCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2015 EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDENCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2015 Recomenda-se a leitua atenta de todo o Edital antes de ealiza

Leia mais

Renato Frade Eliane Scheid Gazire

Renato Frade Eliane Scheid Gazire APÊNDICE A CADENO DE ATIVIDADES PONTIFÍCIA UNIVESIDADE CATÓLICA DE MINAS GEAIS Mestado em Ensino de Ciências e Matemática COMPOSIÇÃO E/OU DECOMPOSIÇÃO DE FIGUAS PLANAS NO ENSINO MÉDIO: VAN HIELE, UMA OPÇÃO

Leia mais

EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2015

EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2015 EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA SANTA CASA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA ANO 2015 Recomenda-se a leitua atenta de todo o Edital antes de ealiza

Leia mais

Ivan Correr (UNIMEP) ivcorrer@unimep.br. Ronaldo de Oliveira Martins (UNIMEP) romartin@unimep.br. Milton Vieira Junior (UNIMEP) mvieira@unimep.

Ivan Correr (UNIMEP) ivcorrer@unimep.br. Ronaldo de Oliveira Martins (UNIMEP) romartin@unimep.br. Milton Vieira Junior (UNIMEP) mvieira@unimep. X SMPEP Bauu, SP, Basil, 7 a 9 de ovembo de 2005 Avaliação do índice de utilização de máquinas feamentas CC em uma empesa de usinagem, po meio da análise da técnica de pé ajustagem de feamentas. - van

Leia mais

Avaliação: por que? Técnicas de Avaliação. Avaliação: Estudos em Laboratório. Objetivos da Avaliação. Avaliação Outros Grupos

Avaliação: por que? Técnicas de Avaliação. Avaliação: Estudos em Laboratório. Objetivos da Avaliação. Avaliação Outros Grupos intemidia.usp.b Avaliação: po que? intemidia.usp.b Técnicas de Avaliação Avalia adequação de designs Testa a usabilidade e a funcionalidade do sistema Requisitos dos usuáios estão efetivamente sendo atendidos?

Leia mais

Recomenda-se a leitura atenta de todo o Edital antes de realizar a inscrição.

Recomenda-se a leitura atenta de todo o Edital antes de realizar a inscrição. EDITAL PARA O PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO EDITAL DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS PARA RESIDÊNCIA MÉDICA - ANO 2016 Recomenda-se a leitua atenta

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software Aula 01

Princípios da Engenharia de Software Aula 01 Princípios da Engenharia de Software Aua 01 Prof.: José Honorato Ferreira Nunes honorato.nunes@bonfim.ifbaiano.edu.br Materia cedido por: Frankin M. Correia frankin.correia@bonfim.ifbaiano.edu.br Objetivo

Leia mais

Unidade 13 Noções de Matemática Financeira. Taxas equivalentes Descontos simples e compostos Desconto racional ou real Desconto comercial ou bancário

Unidade 13 Noções de Matemática Financeira. Taxas equivalentes Descontos simples e compostos Desconto racional ou real Desconto comercial ou bancário Unidade 13 Noções de atemática Financeia Taxas equivalentes Descontos simples e compostos Desconto acional ou eal Desconto comecial ou bancáio Intodução A atemática Financeia teve seu início exatamente

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueador Sênior PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Sênio Dados da Empesa Razão Social: Depyl Action Depilações Ltda-ME Nome Fantasia: Depyl Action - Especializada em Depilação Data

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA O MONITORAMENTO E CONTROLE EM TEMPO REAL DE REDES DE ESCOAMENTO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA O MONITORAMENTO E CONTROLE EM TEMPO REAL DE REDES DE ESCOAMENTO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA O MONITORAMENTO E CONTROLE EM TEMPO REAL DE REDES DE ESCOAMENTO Calos de O. Galvão 11, Fancisco V. Basileio 1, Cledson Souto Santana 1, Éica Machado 1, Esthe V. Basileio 1, Buno

Leia mais

11 Vamos dar uma voltinha?

11 Vamos dar uma voltinha? A U A UL LA Vamos da uma votinha? A patinadoa desiza sobe o geo, baços estendidos, movimentos eves, música suave. De epente encohe os baços junto ao copo, gia veozmente como um pião, vota a estende os

Leia mais

Problemas comuns Desenvolvimento e Design de Sistemas Web Categorias de problemas Exemplo de problema de funcionamento

Problemas comuns Desenvolvimento e Design de Sistemas Web Categorias de problemas Exemplo de problema de funcionamento Desenvovimento e Design de Sistemas Web Probemas comuns Web Sites ma definidos e projetados Necessidade de atuaização constante das informações: eternamente em construção Evoução extremamente rápida da

Leia mais

2. Projetos de Investimento como Opções Reais

2. Projetos de Investimento como Opções Reais 8. Pojetos de nvestimento como Opções Reais Uma fima que possui uma opotunidade de investimento adquiiu algo semelhante a uma opção de compa financeia: ela possui o dieito, mas não necessaiamente a obigação

Leia mais

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2016

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2016 IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO CENTRO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL CREDENCIADO PELO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES (CBC) EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO

Leia mais

_Relatóios _título: _A investigação paticipada de base comunitáia na constução da saúde _sub.título: _Pojecto de Capacitação em Pomoção da Saúde - PROCAPS Resultados de um estudo exploatóio _edição: _INSA,IP

Leia mais

IV SEMEAD TÍTULO SINTÉTICO REPRESENTATIVO DE UM FUNDO DE INVESTIMENTOS. José Roberto Securato 1 RESUMO

IV SEMEAD TÍTULO SINTÉTICO REPRESENTATIVO DE UM FUNDO DE INVESTIMENTOS. José Roberto Securato 1 RESUMO IV SEMEAD TÍTULO SINTÉTIO EPESENTATIVO DE UM FUNDO DE INVESTIMENTOS José obeto Secuato ESUMO O atigo tata da possibilidade de obtemos um título sintético que seja uma mímica em temos de isco e etono de

Leia mais

Informações sobre os Cursos. Gestão do Comércio e Negócios. Gestão Estratégica de Pessoas. com Ênfase em BI (Business Intelligence)

Informações sobre os Cursos. Gestão do Comércio e Negócios. Gestão Estratégica de Pessoas. com Ênfase em BI (Business Intelligence) Rua Eucides da Cunha, 377 Centro de Osasco 0800 771 77 44 www.fipen.edu.br Centra de Informações Gestão Estratégica de Pessoas Gestão da Produção e Logística Gestão do Comércio e Negócios Gestão de Serviços

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Manzaa e Manzaa Com. Sev. Ltda Nome Fantasia: Yázigi Loena Data de fundação: Abil/1983 Númeo de funcionáios:

Leia mais

MtN STER O DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS coordenação GERAL DE COMPRAS E CONTRATOS

MtN STER O DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS coordenação GERAL DE COMPRAS E CONTRATOS MtN STER O DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS coordenação GERAL DE COMPRAS E CONTRATOS NOTA TÉCNICA NO 01/2009 Assunto: Seviços de natueza contínua 1. O Tibunal

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo do E. B. de Pinhal Novo Física e Química A 10ºAno MEDIÇÃO EM QUÍMICA

Escola Secundária com 3º Ciclo do E. B. de Pinhal Novo Física e Química A 10ºAno MEDIÇÃO EM QUÍMICA Escola Secundáia com 3º Ciclo do E. B. de Pinhal Novo Física e Química A 10ºAno MEDIÇÃO EM QUÍMICA Medi - é compaa uma gandeza com outa da mesma espécie, que se toma paa unidade. Medição de uma gandeza

Leia mais

Vedação. Fig.1 Estrutura do comando linear modelo ST

Vedação. Fig.1 Estrutura do comando linear modelo ST 58-2BR Comando linea modelos, -B e I Gaiola de esfeas Esfea Eixo Castanha Vedação Fig.1 Estutua do comando linea modelo Estutua e caacteísticas O modelo possui uma gaiola de esfeas e esfeas incopoadas

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 02/2013

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 02/2013 RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 2/213 A Presidente do Conseho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso de suas atribuições, consoante o deiberado na 99ª Reunião Ordinária, reaizada no dia 1 de dezembro

Leia mais

Transformador de Corrente com Núcleo Toroidal de Liga Nanocristalina

Transformador de Corrente com Núcleo Toroidal de Liga Nanocristalina 1 Tansfomado de Coente com Núcleo Tooidal de Liga Nanocistalina Benedito A. Luciano, Membe, EEE, Raimundo C. S. Feie, José Gutembegue A. Lia, Glauco Fontgalland, Membe, EEE, e Walman B. de Casto. Abstact-

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoria Franqueado PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE RESPONSABILIDADE SOCIAL 2011 Categoia Fanqueado Dados da Empesa Razão Social: Cusos e Empeendimentos VER Ltda Nome Fantasia: Micolins Unidade Nova Lima Data de fundação: 09/03/2007

Leia mais

Bolsa de valores. 26 CAPITAL ABERTO Agosto 2014

Bolsa de valores. 26 CAPITAL ABERTO Agosto 2014 Bolsa de valoes 26 CAPITAL ABERTO Agosto 2014 Po Buna Maia Caion Isenção fiscal ao investido que aplica em PMEs é bem-vinda, mas descompasso ente ofeta e demanda ainda levaá tempo paa se supeado poblema

Leia mais

PATROCINADORES 2011. Federação das Indústrias do Estado do Amazonas - FIEAM. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas SEBRAE/AM

PATROCINADORES 2011. Federação das Indústrias do Estado do Amazonas - FIEAM. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas SEBRAE/AM PATOCINADOES 2011 EALIZAÇÃO: Federação das Indústrias do Estado do Amazonas - FIEAM Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Amazonas SEBAE/AM PATOCÍNIO: Confederação Nacional da Indústria CNI

Leia mais

MANUAL DE IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA VIÁRIA REQUISITOS DA NORMA ISO 39001

MANUAL DE IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA VIÁRIA REQUISITOS DA NORMA ISO 39001 MANUAL DE IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA VIÁRIA REQUISITOS DA NORMA ISO 39001 branca A P R E S E N TA Ç Ã O Construindo um novo futuro Para tornar-se íder goba em souções de transporte

Leia mais

Objetivo Estudo do efeito de sistemas de forças não concorrentes.

Objetivo Estudo do efeito de sistemas de forças não concorrentes. Univesidade edeal de lagoas Cento de Tecnologia Cuso de Engenhaia Civil Disciplina: Mecânica dos Sólidos 1 Código: ECIV018 Pofesso: Eduado Nobe Lages Copos Rígidos: Sistemas Equivalentes de oças Maceió/L

Leia mais

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 05. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação. Aula 05. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano MESTRADO EM MACROECONOMIA e FINANÇAS Disciplina de Computação Aula 5 Pof. D. Maco Antonio Leonel Caetano Guia de Estudo paa Aula 5 Poduto Vetoial - Intepetação do poduto vetoial Compaação com as funções

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS Comissão Própria de Avaliação

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS Comissão Própria de Avaliação Comissão Própria de Avaiação Apresentação dos Resutados da Avaiação Gera da UCPe peos Aunos A tabuação abaixo foi feita a partir dos questionários sócio-econômicos do ENADE, dos anos de 01. Estado Civi?

Leia mais

F-328-2 º Semestre de 2013 Coordenador. José Antonio Roversi IFGW-DEQ-Sala 216 roversi@ifi.unicamp.br

F-328-2 º Semestre de 2013 Coordenador. José Antonio Roversi IFGW-DEQ-Sala 216 roversi@ifi.unicamp.br F-38 - º Semeste de 013 Coodenado. José Antonio Rovesi IFGW-DEQ-Sala 16 ovesi@ifi.unicamp.b 1- Ementa: Caga Elética Lei de Coulomb Campo Elético Lei de Gauss Potencial Elético Capacitoes e Dieléticos Coente

Leia mais

MODELAGEM MARKOVIANA DA ALOCAÇÃO DE RECURSOS EM REDES MÓVEIS CELULARES HIERÁRQUICAS GSM/GPRS

MODELAGEM MARKOVIANA DA ALOCAÇÃO DE RECURSOS EM REDES MÓVEIS CELULARES HIERÁRQUICAS GSM/GPRS ODELAGE ARKOVIANA DA ALOCAÇÃO DE RECURSOS E REDES ÓVEIS CELULARES HIERÁRQUICAS GS/GPRS Glaucio Haoldo Silva de Cavalho Depatamento de Engenhaia Elética e da Computação, Univesidade Fedeal do Paá, Belém,

Leia mais

Análise de Correlação e medidas de associação

Análise de Correlação e medidas de associação Análise de Coelação e medidas de associação Pof. Paulo Ricado B. Guimaães 1. Intodução Muitas vezes pecisamos avalia o gau de elacionamento ente duas ou mais vaiáveis. É possível descobi com pecisão, o

Leia mais

FACULDADE IMPACTA DE TECNOLOGIA MBA, PROJETO E GERENCIAMENTO DE DATA CENTER

FACULDADE IMPACTA DE TECNOLOGIA MBA, PROJETO E GERENCIAMENTO DE DATA CENTER FACULDADE IMPACTA DE TECNOLOGIA MBA, PROJETO E GERENCIAMENTO DE DATA CENTER ELABORAÇÃO DE DIAGRAMA DE COMUNICAÇÃO DE UM DATACENTER São Paulo 2014 FACULDADE IMPACTA DE TECNOLOGIA ELABORAÇÃO DE DIAGRAMA

Leia mais

x p - O Valor do total das actividades consideradas, na região padrão p.

x p - O Valor do total das actividades consideradas, na região padrão p. Conceitos e Metodologias Medidas de Especialização Regional As medidas de análise egional, tadicionalmente utilizadas na análise dos tecidos podutivos egionais e em análises económicas sectoiais à escala

Leia mais

Variable Speed Wind Turbine Modeling Using ATPDraw

Variable Speed Wind Turbine Modeling Using ATPDraw Antonio S. Neto, Fancisco A. S. Neves, Pedo A. C. Rosas Univesidade Fedeal de Penambuco UFPE Recife - PE Email: asneto01@yahoo.com.b, fneves@ufpe.b, posas@ufpe.b Eduado L. R. Pinheio, Selênio R. Silva

Leia mais

EM423A Resistência dos Materiais

EM423A Resistência dos Materiais UNICAMP Univesidade Estadual de Campinas EM43A esistência dos Mateiais Pojeto Tação-Defomação via Medidas de esistência Pofesso: obeto de Toledo Assumpção Alunos: Daniel obson Pinto A: 070545 Gustavo de

Leia mais

ANÁLISE DA FIABILIDADE DA REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO

ANÁLISE DA FIABILIDADE DA REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO NÁLIE D IBILIDDE D REDE DE TRNPORTE E DITRIBUIÇÃO. Maciel Babosa Janeio 03 nálise da iabilidade da Rede de Tanspote e Distibuição. Maciel Babosa nálise da iabilidade da Rede de Tanspote e Distibuição ÍNDICE

Leia mais

Relações Setoriais e Sinérgicas no Sistema Inter-Regional Sul-Restante do Brasil

Relações Setoriais e Sinérgicas no Sistema Inter-Regional Sul-Restante do Brasil Relações Setoiais e Sinégicas no Sistema Inte-Regional Sul-Restante do Basil Antonio Calos Moetto * Rossana Lott Rodigues ** Umbeto Antonio Sesso Filho *** Katy Maia **** Resumo: A pati do sistema inte-egional

Leia mais

João Eduardo de Souza Grossi

João Eduardo de Souza Grossi UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA MESTRADO PROFISSIONALIZANTE, MODELAGEM MATEMÁTICA EM FINANÇAS MODELO DISCRETO DE APREÇAMENTO

Leia mais

Importância do setor florestal para a economia brasileira

Importância do setor florestal para a economia brasileira IMPORTÂNCIA DO SETOR FLORESTAL PARA A ECONOMIA BRASILEIRA NAISY SILVA SOARES; ELIANE PINHEIRO DE SOUSA; MÁRCIO LOPES DA SILVA; UFV VIÇOSA - MG - BRASIL pinheioeliane@hotmail.com APRESENTAÇÃO ORAL Evolução

Leia mais

Introdução ao Estudo da Interferência Eletromagnética (EMI) no Projeto de Placas de Circuito Impresso (PCBs) de Fontes Chaveadas.

Introdução ao Estudo da Interferência Eletromagnética (EMI) no Projeto de Placas de Circuito Impresso (PCBs) de Fontes Chaveadas. 1 Intodução ao Estudo da Intefeência Eletomagnética (EMI) no Pojeto de Placas de Cicuito Impesso (PCBs) de Fontes Chaveadas. Andé Baos de Mello Oliveia Resumo Este tabalho apesenta, inicialmente, o conceito

Leia mais

Bem-vindo à Wizards Play Network! Esse documento explica os aspectos básicos de hospedar uma Liga para começar a organizar torneios na sua loja.

Bem-vindo à Wizards Play Network! Esse documento explica os aspectos básicos de hospedar uma Liga para começar a organizar torneios na sua loja. Bem-vindo à Wizads Play Netwok! Esse documento explica os aspectos básicos de hospeda uma Liga paa começa a oganiza toneios na sua loja. Paa mais infomações sobe como oganiza um toneio, veja também o Guia

Leia mais

ARITMÉTICA DE PONTO FLUTUANTE/ERROS EM OPERAÇÕES NUMÉRICAS

ARITMÉTICA DE PONTO FLUTUANTE/ERROS EM OPERAÇÕES NUMÉRICAS ARITMÉTICA DE PONTO FLUTUANTE/ERROS EM OPERAÇÕES NUMÉRICAS. Intodução O conjunto dos númeos epesentáveis em uma máquina (computadoes, calculadoas,...) é finito, e potanto disceto, ou seja não é possível

Leia mais

digitar cuidados computador internet contas Assistir vídeos. Digitar trabalhos escolares. Brincar com jogos. Entre outras... ATIVIDADES - CAPÍTULO 1

digitar cuidados computador internet contas Assistir vídeos. Digitar trabalhos escolares. Brincar com jogos. Entre outras... ATIVIDADES - CAPÍTULO 1 ATIVIDADES - CAPÍTULO 1 1 COMPLETE AS FASES USANDO AS PALAVAS DO QUADO: CUIDADOS INTENET CONTAS DIGITA TAEFAS COMPUTADO A COM O COMPUTADO É POSSÍVEL DE TEXTO B O COMPUTADO FACILITA AS tarefas digitar VÁIOS

Leia mais

Gestão de Inventários: Introdução 1

Gestão de Inventários: Introdução 1 Gestão de Inventáios: Intodução 1 Gestão de Inventáios Intodução Definição de inventáio (ou stock) Acumulação de matéias-pimas, podutos semi-acabados e/ou podutos acabados, bem como de sobessalentes necessáios

Leia mais

Conversor CC-CC Bidirecional Buck-Boost Atuando como Controlador de Carga de Baterias em um Sistema Fotovoltaico

Conversor CC-CC Bidirecional Buck-Boost Atuando como Controlador de Carga de Baterias em um Sistema Fotovoltaico UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Seto de Tecnologia Faculdade de Engenhaia Pogama de Pós-Gaduação em Engenhaia Elética onveso - Bidiecional Buck-Boost Atuando como ontolado de aga de Bateias em um

Leia mais

Structural changes in employment in the economy: 1996 and 2002 compared

Structural changes in employment in the economy: 1996 and 2002 compared MPRA Munich Pesonal RePEc Achive Stuctual changes in employment in the economy: 1996 and 22 compaed Ichihaa, Silvio Massau; Guilhoto, Joaquim J.M. and Amoim, Mácio Guea 27 Online at http://mpa.ub.uni-muenchen.de/31514/

Leia mais

The Production Structure of Brazilian Economy and Agribusiness: 1980 to 1995

The Production Structure of Brazilian Economy and Agribusiness: 1980 to 1995 MPRA Munich Pesonal RePEc Achive The Poduction Stuctue of Bazilian Economy and Agibusiness: 1980 to 1995 Maia Cistina Otiz Futuoso and Joaquim José Matins Guilhoto Univesity of São Paulo, Univesity of

Leia mais

Capítulo III Lei de Gauss

Capítulo III Lei de Gauss ELECTROMAGNETISMO Cuso de Electotecnia e de Computadoes 1º Ano º Semeste 1-11 3.1 Fluxo eléctico e lei de Gauss Capítulo III Lei de Gauss A lei de Gauss aplicada ao campo eléctico, pemite-nos esolve de

Leia mais

CAMPOS MAGNETOSTÁTICOS PRODUZIDOS POR CORRENTE ELÉTRICA

CAMPOS MAGNETOSTÁTICOS PRODUZIDOS POR CORRENTE ELÉTRICA ELETOMAGNETMO 75 9 CAMPO MAGNETOTÁTCO PODUZDO PO COENTE ELÉTCA Nos capítulos anteioes estudamos divesos fenômenos envolvendo cagas eléticas, (foças de oigem eletostática, campo elético, potencial escala

Leia mais

Simulador de Transmissões Digitais

Simulador de Transmissões Digitais Simulado de Tansmissões Digitais Fancisco A. Taveia Banco. Monteio, Fancisco A. B. Cecas IST - Depatamento de Engenhaia Electotécnica e de Computadoes Instituto de Telecomunicações, IST - Toe ote -9, Av.

Leia mais

MANUFATURA VIRTUAL: CONCEITUAÇÃO E DESAFIOS

MANUFATURA VIRTUAL: CONCEITUAÇÃO E DESAFIOS MANUFATURA VIRTUAL: CONCEITUAÇÃO E DESAFIOS Arthur José Vieira Porto Mariea Consoni Forenzano Souza Departamento de Engenharia Mecânica SEM, Escoa de Engenharia de São Caros USP, Av. Trabahador Sancarense,

Leia mais

Análise de Segurança Estática em Sistemas de Potência

Análise de Segurança Estática em Sistemas de Potência Universidade Federa do Rio de Janeiro Escoa Poitécnica Departamento de Engenharia Eétrica NOTAS DE AULA Anáise de Segurança Estática em Sistemas de Potência Prof. Carmen Lucia Tancredo Borges, D.Sc Juiana

Leia mais

TEORIA DA GRAVITAÇÃO UNIVERSAL

TEORIA DA GRAVITAÇÃO UNIVERSAL Aula 0 EORIA DA GRAVIAÇÃO UNIVERSAL MEA Mosta aos alunos a teoia da gavitação de Newton, peda de toque da Mecânica newtoniana, elemento fundamental da pimeia gande síntese da Física. OBJEIVOS Abi a pespectiva,

Leia mais

Movimentos de satélites geoestacionários: características e aplicações destes satélites

Movimentos de satélites geoestacionários: características e aplicações destes satélites OK Necessito de ee esta página... Necessito de apoio paa compeende esta página... Moimentos de satélites geoestacionáios: caacteísticas e aplicações destes satélites Um dos tipos de moimento mais impotantes

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em toda parte Por que usar um organismo de certificação acreditado

Certificado uma vez, aceito em toda parte Por que usar um organismo de certificação acreditado Certificado uma vez, aceito em toda parte Por que usar um organismo de certificação acreditado A certificação de terceira-parte de sistemas de gestão é, com frequência, um requisito especificado para atuação

Leia mais

Faculdade de Imperatriz FACIMP. Faculdade de Imperatriz FACIMP MANUAL DO VESTIBULANDO CONFORME ADENDO AO EDITAL 001/15. Imperatriz - Maranhão 2015.

Faculdade de Imperatriz FACIMP. Faculdade de Imperatriz FACIMP MANUAL DO VESTIBULANDO CONFORME ADENDO AO EDITAL 001/15. Imperatriz - Maranhão 2015. Direção ARTEC A. Região Tocantina de Educação e Cutura LTDA - ARTEC Antônio Leite Andrade Presidente Dorice Souza Andrade Diretora Gera Andreia Vice-Diretor Iria Duarte Coordenadora Acadêmica MANUAL DO

Leia mais

Cálculo analítico das reações de apoio das lajes maciças de concreto

Cálculo analítico das reações de apoio das lajes maciças de concreto nais do XVI ncontro de Iniciação ientífica e Pós-Graduação do IT XVI NIT / 010 Instituto Tecnoógico de eronáutica São José dos ampos SP rasi 0 de outubro de 010 ácuo anaítico das reações de apoio das ajes

Leia mais

Caro cursista, Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista.

Caro cursista, Todas as dúvidas deste curso podem ser esclarecidas através do nosso plantão de atendimento ao cursista. Cao cusista, Todas as dúvidas deste cuso podem se esclaecidas atavés do nosso plantão de atendimento ao cusista. Plantão de Atendimento Hoáio: quatas e quintas-feias das 14:00 às 15:30 MSN: lizado@if.uff.b

Leia mais

Preparando a organização para o mundo digital

Preparando a organização para o mundo digital Ideas Preparando a organização para o mundo digita Por que você pode estar fazendo as perguntas erradas O mundo digita está em todas as partes e vem, aparentemente, ameaçando as maneiras mais tradicionais

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA DE TRANSMISSÃO MECÂNICA BASEADO EM ENGRENAGENS CÔNICAS E

Leia mais

DIAGNÓSTICO E PROPOSTA PARA UTILIZAÇÃO DO ESTOQUE DE SEGURANÇA EM PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PLÁSTICOS. *E-mail: elpidio@unisc.

DIAGNÓSTICO E PROPOSTA PARA UTILIZAÇÃO DO ESTOQUE DE SEGURANÇA EM PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PLÁSTICOS. *E-mail: elpidio@unisc. DIAGNÓSTICO E PROPOSTA PARA UTILIZAÇÃO DO ESTOQUE DE SEGURANÇA EM PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PLÁSTICOS Epídio O. B. Nara 1 *, Leirson Eckert 2, Jaqueine de Moraes 3 1 SPI - Sistemas de Processos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE GERADOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO CONECTADO ASSINCRONAMENTE À REDE MONOFÁSICA

DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE GERADOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO CONECTADO ASSINCRONAMENTE À REDE MONOFÁSICA DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DE GERADOR DE INDUÇÃO TRIFÁSICO CONECTADO ASSINCRONAMENTE À REDE MONOFÁSICA LIMA, Nélio Neves; CUNHA, Ygho Peteson Socoo Alves MARRA, Enes Gonçalves. Escola de Engenhaia Elética

Leia mais

= (1) ρ (2) f v densidade volumétrica de forças (N/m 3 ) ρ densidade volumétrica de carga (C/m 3 )

= (1) ρ (2) f v densidade volumétrica de forças (N/m 3 ) ρ densidade volumétrica de carga (C/m 3 ) Analise de Esfoços Eletomecânicos em Tansfomadoes Amofos ataés de Modelagem Computacional compaando à Noma IEC 60076-5 W.S. onseca, GSEI, UPA, Belém, PA, Basil; M.Sc A.C. Lopes, UNIAP, Macapá, AP, Basil;

Leia mais

física eletrodinâmica GERADORES

física eletrodinâmica GERADORES eletodinâmica GDOS 01. (Santa Casa) O gáfico abaixo epesenta um geado. Qual o endimento desse geado quando a intensidade da coente que o pecoe é de 1? 40 U(V) i() 0 4 Do gáfico, temos que = 40V (pois quando

Leia mais

Os aplicativos e sua utilização

Os aplicativos e sua utilização Os apicativos e sua utiização Baixando, Instaando e usando o Avast A B C D Os Apicativos Tipos de Apicativos Baixando e Instaando Usando o apicativo Tipos de Apicativos/Programas Os apicativos são programas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA MONITORAMENTO EM LINHA E CONTROLE DE REATORES DE POLIMERIZAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA MONITORAMENTO EM LINHA E CONTROLE DE REATORES DE POLIMERIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO PARA MONITORAMENTO EM LINHA E CONTROLE DE REATORES DE POLIMERIZAÇÃO Macelo Esposito, Calos A. Claumann, Ricado A. F. Machado, Claudia Saye, Pedo H. H. Aaújo* Univesidade Fedeal

Leia mais

e A Formação do Circuito Equivalente

e A Formação do Circuito Equivalente Cadeno de Estudos de MÁQUINAS ELÉCTRICAS nº 4 A Coe nte Eléctica de Magnetização e A Fomação do Cicuito Equivalente Manuel Vaz Guedes (Pof. Associado com Agegação) Núcleo de Estudos de Máquinas Elécticas

Leia mais

GEOMETRIA ESPACIAL. a) Encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo.

GEOMETRIA ESPACIAL. a) Encher a leiteira até a metade, pois ela tem um volume 20 vezes maior que o volume do copo. GEOMETRIA ESPACIAL ) Uma metalúgica ecebeu uma encomenda paa fabica, em gande quantidade, uma peça com o fomato de um pisma eto com base tiangula, cujas dimensões da base são 6cm, 8cm e 0cm e cuja altua

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS

PARECER DOS RECURSOS Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Púbico de Ingresso no Magistério Púbico Estadua EDITAL Nº 21/2012/SED PARECER DOS RECURSOS CARGO: Professor de Educação Física 11) Segundo

Leia mais

FÍSICA 3 Fontes de Campo Magnético. Prof. Alexandre A. P. Pohl, DAELN, Câmpus Curitiba

FÍSICA 3 Fontes de Campo Magnético. Prof. Alexandre A. P. Pohl, DAELN, Câmpus Curitiba FÍSICA 3 Fontes de Campo Magnético Pof. Alexande A. P. Pohl, DAELN, Câmpus Cuitiba EMENTA Caga Elética Campo Elético Lei de Gauss Potencial Elético Capacitância Coente e esistência Cicuitos Eléticos em

Leia mais

'CRYSTAL :FASHION EVENTO! alimentares '- -. ---- BULIMIA e ~'... C;;ritiba b~ distúrbios. os mais caro! e veloze! do mundc. MARIAlpU ,-- UTOMÓVEI!

'CRYSTAL :FASHION EVENTO! alimentares '- -. ---- BULIMIA e ~'... C;;ritiba b~ distúrbios. os mais caro! e veloze! do mundc. MARIAlpU ,-- UTOMÓVEI! , a --,;-,,; BULMA e ' C;;itiba b ANO REliA distúbios alimentaes '- - ---- MARAlpU \, EVENTO! sobe o Tudo 'CRYSTAL,-- UTOMÓVE! os mais cao! e veloze! do mundc :FASHON -- - - - - - - ---==--- - - - " ",

Leia mais

APRIMORAMENTO DA PRODUTIVIDADE DE SISTEMAS DE MANUFATURA E APLICAÇÃO DE ALGORITMOS GENÉTICOS NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE AGRUPAMENTOS CELULARES

APRIMORAMENTO DA PRODUTIVIDADE DE SISTEMAS DE MANUFATURA E APLICAÇÃO DE ALGORITMOS GENÉTICOS NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE AGRUPAMENTOS CELULARES Univesidade Fedeal de Santa Cataina Floianópolis SC - Basil APRIMORAMENTO DA PRODUTIVIDADE DE SISTEMAS DE MANUFATURA E APLICAÇÃO DE ALGORITMOS GENÉTICOS NA SOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE AGRUPAMENTOS CELULARES

Leia mais

De Kepler a Newton. (através da algebra geométrica) 2008 DEEC IST Prof. Carlos R. Paiva

De Kepler a Newton. (através da algebra geométrica) 2008 DEEC IST Prof. Carlos R. Paiva De Keple a Newton (atavés da algeba geomética) 008 DEEC IST Pof. Calos R. Paiva De Keple a Newton (atavés da álgeba geomética) 1 De Keple a Newton Vamos aqui mosta como, a pati das tês leis de Keple sobe

Leia mais

Nesta aula, vamos estudar a urbanização

Nesta aula, vamos estudar a urbanização Condomínios e faveas: a urbanização desigua A UU L AL A Nesta aua, vamos estudar a urbanização brasieira, que se caracteriza pea rapidez e intensidade de seu ritmo. Vamos comprender como o crescimento

Leia mais

Capítulo 12. Gravitação. Recursos com copyright incluídos nesta apresentação:

Capítulo 12. Gravitação. Recursos com copyright incluídos nesta apresentação: Capítulo Gavitação ecusos com copyight incluídos nesta apesentação: Intodução A lei da gavitação univesal é um exemplo de que as mesmas leis natuais se aplicam em qualque ponto do univeso. Fim da dicotomia

Leia mais

CONTROLE PREDITIVO EPSAC APLICADO AO RASTREAMENTO DE TRAJETÓRIA DE ROBÔS MÓVEIS

CONTROLE PREDITIVO EPSAC APLICADO AO RASTREAMENTO DE TRAJETÓRIA DE ROBÔS MÓVEIS CONTROLE PREDITIVO EPSAC APLICADO AO RASTREAMENTO DE TRAJETÓRIA DE ROBÔS MÓVEIS ÍTALO J. L. BATISTA 1, BISMARK C. TORRICO 1, GIOVANNI C. BARROSO 1. 1. Laboatóio de Automação e Robótica, Depto. de Eng.

Leia mais

ESTRATÉGIA DE CONTROLE PARA ACIONAMENTO A VELOCIDADE VARIÁVEL PARA MOTORES MONOFÁSICOS COM OPERAÇÃO OTIMIZADA

ESTRATÉGIA DE CONTROLE PARA ACIONAMENTO A VELOCIDADE VARIÁVEL PARA MOTORES MONOFÁSICOS COM OPERAÇÃO OTIMIZADA ESTRATÉGA DE CONTROLE PARA ACONAMENTO A VELOCDADE VARÁVEL PARA MOTORES MONOFÁSCOS COM OPERAÇÃO OTMZADA Ronilson Rocha * Pedo F Donoso Gacia * Selênio Rocha Silva * Mácio Fonte Boa Cotez x UFMG -CPDEE *

Leia mais

FLEXÃO DE ELEMENTOS CURVOS EM COMPÓSITOS OBTIDOS POR AUTOCLAVE

FLEXÃO DE ELEMENTOS CURVOS EM COMPÓSITOS OBTIDOS POR AUTOCLAVE MÉTODOS COMPUTACIONAIS M NGNHARIA Lisboa, 31 de Maio de Junho, 004 APMTAC, Potugal 004 FLXÃO D LMNTOS CURVOS M COMPÓSITOS OBTIDOS POR AUTOCLAV J. Tavassos e A. Leite Instituto Supeio de ngenhaia de Lisboa

Leia mais

Densidade de Fluxo Elétrico. Prof Daniel Silveira

Densidade de Fluxo Elétrico. Prof Daniel Silveira ensidade de Fluxo Elético Pof aniel ilveia Intodução Objetivo Intoduzi o conceito de fluxo Relaciona estes conceitos com o de campo elético Intoduzi os conceitos de fluxo elético e densidade de fluxo elético

Leia mais

ELETRÔNICA II. Engenharia Elétrica Campus Pelotas. Revisão Modelo CA dos transistores BJT e MOSFET

ELETRÔNICA II. Engenharia Elétrica Campus Pelotas. Revisão Modelo CA dos transistores BJT e MOSFET ELETRÔNICA II Engenaia Elética Campus Pelotas Revisão Modelo CA dos tansistoes BJT e MOSFET Pof. Mácio Bende Macado, Adaptado do mateial desenvolvido pelos pofessoes Eduado Costa da Motta e Andeson da

Leia mais