Primeiros Socorros. Informações Básicas sobre. Primeiros Socorros

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Primeiros Socorros. Informações Básicas sobre. Primeiros Socorros"

Transcrição

1 Primeiros Socorros Informações Básicas sobre Primeiros Socorros MARÇO 2015

2 OBJECTIVO Sensibilizar o grupo de aprendentes para o tema de Primeiros Socorros Transmitir Noções Básicas de Primeiros Socorros

3 Os Primeiros Socorros são a primeira ajuda ou assistência dada a uma vitima de acidente ou doença súbita para estabilizar a sua situação antes da chegada de uma âmbulância ou médico qualificado Os conhecimentos básicos de socorrismo adquiridos permitem actuar até que o auxílio adequado chegue ao local INEM

4 Constituição da Republica Portuguesa Artigo 64 º (Saúde) Todos têm direito à protecção da saúde e o dever de a defender e promover

5 Lei de Bases da Saúde Lei nº 48/90, de 24 Agosto Base V Direitos e Deveres dos Cidadãos 1. Os cidadãos são os primeiros responsáveis pela sua propria saúde, individual e colectiva, tendo o dever de a defender e promover

6 Base V Direitos e Deveres dos Cidadãos 2.( ) 3. É reconhecida a liberdade de prestação de cuidados de saúde, com as limitações decorrentes da lei, designadamente no que respeita a exigências de qualificação profissional.

7 Feridas Estado de choque Fracturas ósseas Hemorragia Asfixia Traumatismo Levantamento e transporte Outras situações - Insolações, Geladuras

8 Os princípios e a prática PAS Socorro essencial ACHE + IT Socorro não essencial feridas, fracturas...

9 Prevenir, preferenciamente, afastando o perigo da vítima Alertar, exame à vítima e local do acidente Socorrer, prestação de socorro, tendo em conta as situações de Socorro Essencial: ACHE + IT - ASFIXIA, CHOQUE, HEMORRAGIA, ENVENENAMENTO, INCONSCIENCIA, TRAUMATISMO

10 O tipo de situação O número de telefone A localização A gravidade da situação O número, o sexo e a idade das vitimas As queixas principais Outra situação (libertação gases, incêndio )

11 Ferida rotura ou rasgo da pele. Classificação: Superficiais não requerem tratamento hospitalar - E; L; P Profundas requerem sempre tratamento hospitalar - E; P; Hospital

12

13 Condição de fraqueza generalizada do corpo que resulta de lesão ou doença que tenha reduzido drasticamente o volume de sangue circulante no corpo, particularmente a nível do cérebro...

14 CAUSAS DO ESTADO DE CHOQUE Causas directas ou desencadeantes Falha cardíaca Perda de líquidos orgânicos Dor violenta Emoções fortes Longa permanência ao calor ou ao frio

15 Causas indirectas ou predisponentes Mau estado físico geral Má alimentação Fadiga Idade avançada Mau levantamento, mau socorro, e/ou mau transporte

16 CLASSIFICAÇÃO DOS ESTADOS DE CHOQUE: Hemorrágico Cardiogénico Séptico Outros: Anafilático, Neurogénico, Hormonal, Sindrome de Choque Tóxico

17 Sinais e sintomas: Palidez acentuada Suores frios Pulso rápido fraco Náusea ou vómitos Numa fase avançada: Pupilas dilatadas, Inconsciência

18 1º Socorro para a vítima consciente: Animar a vítima Deitá-la, elevar as pernas a 45º, cabeça em hiperextensão lateral Humedecer os lábios com água - Não dar de beber Transporte para o hospital

19

20 1º Socorro para a vítima inconsciente: Vítima em P.L.S. Não administrar líquidos Cobrir a vítima Folgar a roupa afim de facilitar a ventilação e circulação Transporte para o hospital

21 POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA (P.L.S.)

22 POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA (P.L.S.)

23 POSIÇÃO LATERAL DE SEGURANÇA (P.L.S.)

24 Fracturas: - Aberta ou Exposta - o osso apresenta comunicação com o exterior através de ferida profunda - Fechada - a pele não é perfurada pelas extremidades ósseas

25 Sinais e sintomas: Dor local Deformação local Impotência funcional Mobilidade anormal Crepitação óssea (sensação sonora quando as extremidades fracturadas se atrigam)

26 1º socorro Imobilizar sem movimentar Respeitar as deformações Bloquear as articulações vizinhas Combater as complicações eventuais Topos à vista, protegê-los com sogas

27

28 Se necessário, recorrer a material improvisado: Ramos de arvore, garrafas de água Plásticas duros, cartões, roupas para a suspensão dos membros superiores... sempre protegendo a pele de forma a que não sofra feridas adicionais

29 Classificação: HEMORRAGIA INTERNA VISIVEL INVISIVEL EXTERNA SEMPRE VISIVEL

30 Hemorragias internas visíveis: Hemorragia nasal (epistaxis) Hemorragia do ouvido (otorragia) Hemorragia pela boca

31 Hemorragias internas invisíveis - há saída de sangue do seu circuito normal, mantendo-se retido no organismo, perdendo a sua função.

32 Sinais e sintomas: Dor Palidez acentuada Pulso fraco e rápido Pupilas progressivamente mais dilatadas Sede Zumbidos Perturbações da visão e sentidos Ventilação superficial rápida Choque.

33 1º Socorro: Desapertar roupas Manter a temperatura Arejar o local Não dar nada de beber ou comer Repouso absoluto Transportar para o hospital

34 1º Socorro: Fazer compressão manual directa (CMD) - comprimir directamente a ferida Se a hemorragia não parar, usar a compressão manual indirecta (CMI)

35 Compressão Manual Directa (CMD)

36 A compressão manual indirecta (CMI) é usada nas hemorragias que não param com a CMD, e quando existem fracturas ou corpos estranhos encravados. Comprime-se a artéria contra o osso, em pontos de compressão existentes no nosso corpo.

37 pontos de compressão

38 O garrote é um método perigoso - risco de lesões irreversíveis. Só se aplica nas seguintes situações: Duas ou mais vitimas em situação de Socorro Essencial (ACHE + IT) e só um socorrista Se esmagamento de um membro Se amputação de um membro

39 NORMAS DE APLICAÇÃO DE GARROTE: Só nas raízes dos membros Aplica-se de 15 em 15 minutos - ao 14º minuto alivia-se lentamente. Utilizar laçada e nunca um torniquete Registar sempre em local visível (testa ou face) a última aplicação

40 H - hemorragia G - garrote 0930 hora a que foi aplicado o garrote. Risco de uma descuidada aplicação do garrote: Traumatismo na área Gangrena Alterações perigosas ritmo cardíaco

41 Sinais e sintomas Vítima não fala, nem tosse (ou tosse fracamente) Deita as mãos ao pescoço Dificuldade em respirar Tom azulado nos lábios, cara Olhos e veias salientes

42 CAUSAS DE ASFIXIA Ambiente sem oxigénio Afogamento Engasgamento (objecto ou comida) Doenças (inchaço da garganta...) Compressões violentas no tórax Choque eléctrico

43 1º SOCORRO Hiperextensão da cabeça Desapertar roupas (gravatas, cintos.. Desobstrução vias respiratórias Engasgamento - alternar as pancadas intercostais (grupos de 4) com a MANOBRA DE HEIMLICH (sentado, de pé, ou deitado)

44 Se necessário: Ventilação artificial Na asfixia com paragem cardíaca - Ressuscitação Cardio-Respiratória RCR Insuflações + Compressões Cardíacas Externas

45 MANOBRA DE HEIMLICH COMPRESSÃO RÁPIDA E RELATIVEMENTE VIOLENTA AO NÍVEL DO ESTÔMAGO E NO SENTIDO DO DIAFRAGMA.

46 VENTILAÇÃO ARTIFICIAL métodos: Boca a boca Boca a nariz Boca a nariz-boca Ambú / Máscara pocket-mask

47 VENTILAÇÃO ARTIFICIAL

48 TÉCNICA DA COMPRESSÃO CARDÍACA EXTERNA (C.C.E):

49 RESSUSCITAÇÃO CARDIO-RESPIRATÓRIA Ausência de pulso carotídio iniciar imediatamente Ressuscitação Cárdio-Respiratória RCR: Um ou dois reanimadores: 30:2 Compressões/Insuflações 30

50 Sinais e Sintomas: Galo, cova ou ferida na cabeça Perda de conhecimento Diminuição da lucidez ou sonolência Vómitos em jacto Perturbações do equilíbrio Pupila do lado da lesão muito dilatada Paralisa de qualquer parte do corpo Saída de sangue ou LCR pelo nariz, boca ou ouvidos

51 1º Socorro: Proteger com rodilha Manter imobilidade absoluta Vigiar a ventilação Não dar nada de beber Não tamponar a saída de sangue ou LCR Transportar para o hospital

52 Traumatismo vertebro-medular (cervical e coluna) Sinais e Sintomas: Insensibilidade abaixo da fractura Não executa certos movimentos Formigueiros Dor local

53 1º Socorro: Execução do levantamento para maca com plano rígido Não esquecer imobilizar pescoço e não largar até colocar colar cervical Transportar para hospital

54

55 LEVANTAMENTO E TRANSPORTE Suspeita de lesão da coluna, 5 a 6 pessoas para fazer levante da vítima: 1 para tracção da cabeça 1 para tracção nas pernas para o alinhamento correcto da coluna e restantes pessoas ao longo do corpo da vítima...

56

57 Na vítima com capacete: É preferível não retirar o capacete Retirar somente se: Dificultar a respiração vítima a vomitar Para o retirar são necessárias 2 pessoas...

58

59 Traumatismo facial Sinais e Sintomas: Choque por hemorragia e dor Possibilidade de asfixia por obstrução das vias aéreas

60 1º Socorro: Verificar obstrução vias aéreas Parar a hemorragia se existir Fazer penso oclusivo se houver lesão nos olhos Não dar nada a beber Transportar para o hospital

61 Sinais e Sintomas Lesão de órgãos internos no tórax (coração e pulmões). Pode ser: FECHADO - não há ferida visível ABERTO rotura do tórax, perigo entrada de ar - vítima com progressiva dificuldade em respirar e morre por asfixia

62 1º Socorro: Traumatismo Fechado, vítima consciente Posição semi-sentada; Transporte para o hospital

63 Traumatismo Aberto, vítima consciente: Cobrir a zona perfurada com pano e vedar a entrada de ar com um bocado de plástico sobre a zona lesada Não dar nada a beber Manter imobilidade absoluta Transportar para o hospital em posição semi-sentada

64

65 Vítima inconsciente, tanto no traumatismo aberto como no fechado, e depois de efectuar penso se necessário, colocar a vítima em posição lateral de segurança (P.L.S).

66 Pode ser fechado ou aberto 1º Socorro: Fazer cobertura do abdómen Nunca reintroduzir as vísceras para dentro da cavidade abdominal Não dar nada a beber Transportar para o Hospital

67 GOLPE PELO CALOR - O sistema termorregulador é afetado pela sobrecarga térmica, e a temperatura interna aumenta continuamente, produzindo alteração da função cerebral, com perturbação do mecanismo de dissipação do calor, cessando a sudorese. Pode acontecer danos irreversíveis nas células nervosas

68 GOLPE PELO CALOR Afecta normalmente as pessoas que fazem exercício físico em climas quentes e HÚMIDOS, especialmente se não repõem o fluido e sal perdidos através da transpiração 1º Socorro: Idêntico ao 1º Socorro para o ESTADO DE CHOQUE

69 Longa exposição do crânio ou do corpo ao sol em ambiente quente e SECO. 1º Socorro: Levar a vítima para local arejado e sombrio; Despir a vítima Embrulhá-la em lençol molhado e pôr pensos de água na testa Não administrar líquidos

70 Geladuras são queimaduras provocadas pelo frio. Tal como na queimadura pelo calor, a lesão pode ser superficial ou profunda e os tecidos afectados podem ser destruídos.

71 Sinais e sintomas: Àreas afectadas pálidas, depois brancas como cera, cianozadas em manchas, e, por fim, pretas Podem ocorrer bolhas Movimentos da zona afectada ficam diminuídos A vítima refere picadas e dores intensas, mas a região torna-se gradualmente dormente e a dor desaparece à medida que a geladura progride A pele fica dura e áspera

72 1º Socorro: MÃOS: mão da vítima debaixo da axila do lado contrário até que a cor volte ao normal Se não recupera, mergulhar a zona afectada em água tépida; À medida que descongela, recomeça a dor e recupera a cor. Secar sem esfregar, e envolver a zona descongelada em gaze seca ou lã Encaminhar a vítima para o hospital

73 Qualquer que tenha sido a causa do choque eléctrico, nunca toque na vítima com as mãos desprotegidas até ter a certeza de que já não corre perigo e de que a vítima já não está em contacto com a corrente (arco voltaico). No caso de choque eléctrico por alta voltagem, não se aproxime até que a polícia ou outra autoridade o informe de que é seguro fazê-lo.

74 Sinais e sintomas: Sinais e sintomas gerais de asfixia Eventuais queimaduras profundas nos pontos de entrada e de saída da corrente Sinais e sintomas de CHOQUE

75 1º Socorro: Se vítima inconsciente, abrir as vias aéreas e verificar se ventila Se necessário, executar ressuscitação cardiorespiratória, e colocar a vítima em P.L.S Prestar socorro a qualquer queimadura Proceder como em situação de CHOQUE

76 o corpo é incapaz de utilizar normalmente o açúcar como fonte de energia devido a uma insuficiência de insulina, hormona produzida pelo pâncreas. HIPERGLICÉMIA... HIPOGLICÉMIA...

77 1º Socorro: Se a vítima estiver consciente e for capaz de engolir, dar de imediato açúcar Se a vítima estiver inconsciente, mas ventilar normalmente, colocar em P.L.S.. Pode também colocar-se um pacote de açúcar debaixo da língua. Enviar imediatamente para o hospital.

78 Em caso de dúvida administrar sempre açúcar. A hipoglicémia não tratada resulta em inconsciência e pode causar rapidamente lesão cerebral e morte.

79 NUMA SITUAÇÃO DE ACIDENTE, QUALQUER QUE SEJA: PREVENIR; ALERTAR; SOCORRER - PAS QUEM AJUDA DEVE CERTIFICAR-SE DE: VÍTIMA E SOCORRISTA FORA DE PERIGO TRANSMITIR ALERTA 112 ACTUAR CALMA, METODICA/ E DAR PRIORIDADE A SOCORRO ESSENCIAL

80 ASFIXIA? VENTILA? se necessário desobstruir a boca e proceder a ventilação artificial NÃO TEM PULSO? manobras de reanimação cardio-respiratória ESTADO DE CHOQUE prevenir o mesmo HEMORRAGIAS estancá-las

81 Falar com a vítima e proporcionar-lhe CALMA E CONFIANÇA Colocar a vítima posição confortável, sem a deslocar mais do que ESTRITAMENTE NECESSÁRIO Considerar a hipótese de HEMORRAGIA INTERNA Socorrer feridas profundas e fracturas ANTES DE DESLOCAR A VÍTIMA

82 Sempre que necessário, PROVIDENCIAR TRANSPORTE PARA HOSPITAL NÃO ACTUAR PARA ALEM DAS SUAS POSSIBILIDADES NÃO RETIRAR ROUPA à vítima DESNECESSÁRIAMENTE NÃO ADMINISTRAR NADA ORALMENTE a uma vítima Vítima CONSCIENTE / Vitima INCONSCIENTE

83

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 Gestos que Salvam O que fazer? EM CASO DE EMERGÊNCIA O QUE FAZER Número Europeu de Emergência LIGAR PARA O NÚMERO EUROPEU

Leia mais

Gestos que Salvam Vidas..

Gestos que Salvam Vidas.. Gestos que Salvam Vidas.. O que é o SBV (suporte básico de vida)? Conjunto de medidas utilizadas para restabelecer a vida de uma vitima em paragem cardio-respiratória. Com o objectivo de recuperar a vitima

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA PRIMEIROS SOCORROS CONCEITO TRATAMENTO IMEDIATO E PROVISÓRIO CARACTERÍSTICAS DO SOCORRISTA CONHECIMENTO INICATIVA CONFIANÇA CRIATIVIDADE CALMA SOLIDARIEDADE ESTADO DE CHOQUE HIPOTENSÃO COM ACENTUADA BAIXA

Leia mais

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA Policial BM Espínola LEMBRE-SE Antes de administrar cuidados de emergência, é preciso garantir condições de SEGURANÇA primeiramente

Leia mais

AOS SÁBADOS NA ESEC Workshop Como Prestar os Primeiros Socorros : 10/3/2012

AOS SÁBADOS NA ESEC Workshop Como Prestar os Primeiros Socorros : 10/3/2012 AOS SÁBADOS NA ESEC Workshop Como Prestar os Primeiros Socorros : 10/3/2012 Formador: Enfermeiro Paulo Oliveira (HUC) Síntese elaborada por Ana Sofia Frias Quando ligamos para o 112, quem atende a nossa

Leia mais

QUEIMADURAS. Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção

QUEIMADURAS. Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção QUEIMADURAS Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção GRAVIDADE DAS QUEIMADURAS DEPENDE: Zona atingida pela queimadura Extensão da pele queimada Profundidade da queimadura: - 1ºGRAU - 2ºGRAU

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES PARA DESPORTISTAS Nº: 29/DA DATA: 04/08/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental INTRODUÇÃO

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS Acionamento do serviço de emergência Antes de iniciar qualquer procedimento, garanta sua segurança e acione o serviço de emergência. 193 192 Fonte:

Leia mais

TEXTO DE APOIO DE TRAUMA AQUÁTICO

TEXTO DE APOIO DE TRAUMA AQUÁTICO TEXTO DE APOIO DE TRAUMA AQUÁTICO Alexandre Tadeia www.buzios.org.pt buzios_ansc@hotmail.com Versão nº 1 10 de Junho de 2011 Índice Lesões na Coluna... 4 Tipo de Lesões... 4 Gestão do Acidente... 5 Entrada

Leia mais

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações Primeiros Socorros Objetivos Salvar a vida humana Minimizar a dor Evitar complicações Abordagem na vítima Verificar Sinais Vitais Verificar se há sangramento, fraturas e etc. Informar-se,se possível o

Leia mais

21/6/2011. eduardoluizaph@yahoo.com.br

21/6/2011. eduardoluizaph@yahoo.com.br A imagem não pode ser exibida. Talvez o computador não tenha memória suficiente para abrir a imagem ou talvez ela esteja corrompida. Reinicie o computador e abra o arquivo novamente. Se ainda assim aparecer

Leia mais

Primeiros Socorros Volume I

Primeiros Socorros Volume I Manual Primeiros Socorros Volume I um Manual de Junho de 2008 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Quando ocorre uma Onda de Calor emitem-se Alertas: Amarelo ou Vermelho, com menos e mais gravidade, respectivamente. Devem adoptar-se cuidados

Leia mais

- CURSO PRIMEIROS SOCORROS -

- CURSO PRIMEIROS SOCORROS - - CURSO PRIMEIROS SOCORROS - Copyright -Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada destes materiais, no todo ou em parte, constitui violação do direitos autorais. (Lei nº 9.610). FRATURAS

Leia mais

SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO

SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO Primeiros Socorros TST FILIPE MUNIZ RODRIGUES Introdução Primeiros Socorros, são as medidas imediatas aplicadas à uma vítima fora do ambiente hospitalar,

Leia mais

GUIA DE PRIMEIROS SOCORROS

GUIA DE PRIMEIROS SOCORROS GUIA DE PRIMEIROS SOCORROS PREVENT SENIOR Sumário 1. PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA (PCR)...1 1.1. Apresentação... 1 1.2. Causas... 1 1.3. Sintomas... 2 1.4. Como agir... 2 2. QUEDAS...2 2.1. Apresentação...

Leia mais

Auxiliar de Primeiros Socorros

Auxiliar de Primeiros Socorros Auxiliar de Primeiros Socorros Edição: Direcção dos Serviços para os Assuntos Laborais Edifício Advance Plaza sito na Avenida do Dr. Francisco Vieira Machado, nos. 221 a 279, em Macau. http://www.dsal.gov.mo/

Leia mais

Frio» Enregelamento dos membros

Frio» Enregelamento dos membros Frio» Enregelamento dos membros O enregelamento é uma situação que resulta da exposição excessiva ao frio ou pelo contacto com objetos extremamente frios. Consiste no congelamento das camadas superficiais

Leia mais

Trabalhadores designados pelas empresas (microempresas e PME S).

Trabalhadores designados pelas empresas (microempresas e PME S). Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho Público-Alvo Trabalhadores designados pelas empresas (microempresas e PME S). OBJECTIVOS Formação direccionada para cumprimento da legislação em matéria de higiene,

Leia mais

Manual de Primeiros Socorros Idosos

Manual de Primeiros Socorros Idosos Manual de Primeiros Socorros Idosos Situações de Emergência Regras Gerais de Actuação FLBA.114.01 Aprovado por: Data: 12.09.2012 APRESENTAÇÃO Um acidente é sempre inesperado e pode ser grave, com um risco

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Ondas de calor medidas de prevenção Recomendações dirigidas à população Conhecimento de todos os estabelecimentos

Leia mais

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis tivessem mais orientações ou tomassem mais cuidado

Leia mais

Primeiros Socorros. São ações que cada cidadão pode realizar para ajudar alguém que esteja passando por um momento de risco.

Primeiros Socorros. São ações que cada cidadão pode realizar para ajudar alguém que esteja passando por um momento de risco. PRIMEIROS SOCORROS Primeiros Socorros São ações que cada cidadão pode realizar para ajudar alguém que esteja passando por um momento de risco. Há um conjunto de procedimentos de emergências para vítima

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor MINISTÉRIO DA SAÚDE ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO ALGARVE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Durante os meses de Verão as temperaturas podem

Leia mais

PLANO INSTRUCIONAL. Carga Horária 1:00

PLANO INSTRUCIONAL. Carga Horária 1:00 PLANO INSTRUCIONAL Ação/Atividade: PROMOÇÃO SOCIAL/ PRIMEIROS SOCORROS Carga Horária: 20 HORAS Nº MÍNIMO DE PESSOAS: 12 PESSOAS Nº MÁXIMO: 15 PESSOAS IDADE MINIMA: 16 ANOS Objetivo Geral: PROPORCIONAR

Leia mais

Choque incapaz perda de sangue

Choque incapaz perda de sangue Choque Profª Karin O bom samaritano Para ser um socorrista é necessário ser um bom samaritano, isto é, aquele que presta socorro voluntariamente, por amor ao seu semelhante. Para tanto é necessário três

Leia mais

Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar. Noções de Primeiros Socorros

Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar. Noções de Primeiros Socorros Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar Noções de Primeiros Socorros Noções de Primeiros Socorros! O primeiro socorro;! Feridas, picadas e mordeduras;! Produtos e materiais;! Algumas recomendações. O primeiro

Leia mais

Introdução SUCESSO vs. TEMPO

Introdução SUCESSO vs. TEMPO Pedro Bettencourt Formador de Socorrismo; Formação em Gestão de Catástrofes; Membro E.E.R.T. (Equipa de resposta e Intervenção de Urgência da CEDEAO); Formação em Sistemas de Comunicação ( Utilização do

Leia mais

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS Os incêndios florestais e urbanos para além das consequências económicas e ambientais, representam riscos para a saúde das populações decorrentes

Leia mais

Primeiros Socorros Volume III

Primeiros Socorros Volume III Manual Primeiros Socorros Volume III um Manual de Agosto de 2008 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Manualnão pode

Leia mais

PROGRAMA (FORMAÇÃO) Área de educação e formação Código 720. Curso - Emergência e Primeiros Socorros no Local de Trabalho

PROGRAMA (FORMAÇÃO) Área de educação e formação Código 720. Curso - Emergência e Primeiros Socorros no Local de Trabalho 1 - Objetivos: Dotar os trabalhadores de conhecimentos e competências, adequados e específicos à realidade de trabalho da empresa, estabelecimento ou serviço, que permitam aplicar as medidas de primeiros

Leia mais

Introdução: O Problema dos Acidentes

Introdução: O Problema dos Acidentes Introdução: O Problema dos Acidentes Os acidentes representam um dos mais sérios problemas de saúde pública, constituindo-se na principal causa de mortes e invalidez entre jovens e crianças. Os acidentes

Leia mais

Primeiros Socorros. Conselhos Úteis

Primeiros Socorros. Conselhos Úteis Primeiros Socorros Conselhos Úteis 2 Mensagem do Presidente Como principal responsável a nível autárquico pela política de protecção civil, e dando continuidade à temática deste ano, no âmbito do Dia Internacional

Leia mais

Primeiros Socorros. O que fazer imediatamente após acontecer um acidente?

Primeiros Socorros. O que fazer imediatamente após acontecer um acidente? Primeiros Socorros Dicas de Primeiros Socorros Você não precisa ser um socorrista experiente para conseguir ajudar alguém que se machucou no meio da natureza. Mas algumas coisas são fundamentais ter em

Leia mais

APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA

APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA Dra. Maria Beatriz Silveira Schmitt Silva Coordenadora do SAMU do Vale do Itajaí Coordenadora Médica do SOS Unimed Blumenau Setembro/2010 Revisado em Fevereiro

Leia mais

Por Enf. Benvinda Brito

Por Enf. Benvinda Brito Por Enf. Benvinda Brito Os primeiros socorros são a primeira ajuda ou assistência dada a uma vítima de acidente ou doença súbita antes da chegada de uma ambulância ou do médico. A finalidade dos primeiros

Leia mais

Primeiros Socorros a Crianças. Miguel Félix Pediatra

Primeiros Socorros a Crianças. Miguel Félix Pediatra Primeiros Socorros a Crianças Miguel Félix Pediatra Primeiros socorros - definição procedimentos de emergência que visam manter as funções vitais e evitar o agravamento de uma pessoa ferida, inconsciente

Leia mais

Ataque cardíaco. Os homens têm uma probabilidade três vezes maior de sofrerem um ataque cardíaco do que as mulheres.

Ataque cardíaco. Os homens têm uma probabilidade três vezes maior de sofrerem um ataque cardíaco do que as mulheres. Ataque cardíaco Introdução Um ataque cardíaco, também conhecido como enfarte do miocárdio, ou trombose coronária, ocorre quando parte do músculo cardíaco morre por falta de oxigénio. O ataque cardíaco

Leia mais

MATRIZ DA COMPONENTE ESCRITA TIPO DE QUESTÕES

MATRIZ DA COMPONENTE ESCRITA TIPO DE QUESTÕES MATRIZ DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 1. Níveis de organização biológica 2. Reprodução Humana. 2.1. Morfologia do sistema reprodutor humano. 2.2 Vida intra-uterina. 2.3 Métodos contraceptivos. 3. Factores

Leia mais

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca).

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca). Quando se trabalha ou se está exposto a substâncias perigosas no local de trabalho, na comunidade ou em casa, é importante estar tão seguro quanto possível e estar preparado para acidentes. Esta secção

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA AS ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA A POPULAÇÃO Nº: 24/DA DATA: 09/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental

Leia mais

Resumo de Primeiros Socorros

Resumo de Primeiros Socorros Resumo de Primeiros Socorros Avaliação da Vítima Exame Primário Deve ser realizado rapidamente com o objetivo de se verificar se existe perigo imediato de vida A Airway Via Aérea: Verificar Permeabilidade

Leia mais

Quem ajuda, amigo é. Nas aulas anteriores deste módulo, um mesmo. Nossa aula. Até onde vão os primeiros socorros?

Quem ajuda, amigo é. Nas aulas anteriores deste módulo, um mesmo. Nossa aula. Até onde vão os primeiros socorros? A U A UL LA Quem ajuda, amigo é Introdução Nas aulas anteriores deste módulo, um mesmo fator foi sempre enfatizado: a PREVENÇÃO! Mas, e se apesar de todos os cuidados, um acidente acontecer na nossa frente?

Leia mais

[213] 96. LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS

[213] 96. LESÕES MÚSCULO-ESQUELÉTICAS Parte IV P R O T O C O L O S D E T R A U M A [213] rotina consiste em infundir 20 ml/kg em bolus de solução de Ringer e reavaliar o paciente em seguida. Manter a pressão sistólica entre 90 e 100 mmhg.

Leia mais

Guia de Suporte Básico de Vida

Guia de Suporte Básico de Vida Guia de Suporte Básico de Vida Este guia pretende contribuir para uma formação básica dos professores de Ciências Naturais em manobras de suporte básico de vida, um tema novo no domínio curricular da disciplina

Leia mais

MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS INFÂNCIA

MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS INFÂNCIA MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS INFÂNCIA Situações de Emergência Regras Gerais de Actuação FLBA.063.01 Aprovado por: Data: 30.08.2012 INTRODUÇÃO Um acidente é sempre inesperado e pode ser grave, com um risco

Leia mais

Retificação de TEXTOS e QUESTÕES DE PRIMEIROS SOCORROS do Grupo 3 CMS conforme

Retificação de TEXTOS e QUESTÕES DE PRIMEIROS SOCORROS do Grupo 3 CMS conforme Retificação de TEXTOS e QUESTÕES DE PRIMEIROS SOCORROS do Grupo 3 CMS conforme orientações da ANAC. Informamos que as questões relacionadas estão disponíveis nos simulados do nosso site. PAG 106 Parada

Leia mais

O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EXPOSIÇÃO AO CALOR PRODUZ REAÇÕES NO ORGANISMO

O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EXPOSIÇÃO AO CALOR PRODUZ REAÇÕES NO ORGANISMO O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO Muitos trabalhadores passam parte de sua jornada diária diante de fontes de calor. As pessoas que trabalham em fundições, siderúrgicas, padarias, - para citar

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS

PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS Apenas alguns conhecimentos sobre primeiros socorros podem ajudá-lo a lidar melhor com emergências. As suas competências podem ajudá-lo a salvar a vida de um familiar,

Leia mais

FERIMENTOS. Classificação dos ferimentos abertos

FERIMENTOS. Classificação dos ferimentos abertos FERIMENTOS Ferimentos são lesões resultantes de agressão sobre as partes moles, provocadas por um agente traumático, acarretando dano tecidual. Podem ser classificados em abertos ou fechados, superficiais

Leia mais

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR SUMÁRIO 01. Apresentação 02. Definições de Termos 03. Síntese Histórica 04. Causas de Acidentes 05. Estatísticas de Acidentes 06. Prioridades

Leia mais

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes deverão. Definir:

OBJETIVOS Ao final da aula os participantes deverão. Definir: FRATURAS OBJETIVOS Ao final da aula os participantes deverão Definir: * Fratura,luxação e entorse; * Citar 4 sinais ou sintomas que indicam tais lesões; * Citar 2 importantes razões para efetuar a imobilização;

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. Enfª. ROSANE INEZ BARAZETTI SCHIAVO SESMT/UCS

PRIMEIROS SOCORROS. Enfª. ROSANE INEZ BARAZETTI SCHIAVO SESMT/UCS PRIMEIROS SOCORROS Enfª. ROSANE INEZ BARAZETTI SCHIAVO SESMT/UCS SOCORROS AQUELE ATENDIMENTO IMEDIATO E PROVISÓRIO PRESTADO A UMA VITIMA EM SITUAÇÃO DE ACIDENTE. O PRINCIPAL OBJETIVO É MANTER A VITIMA

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

Introdução O bom samaritano Lucas 10:25

Introdução O bom samaritano Lucas 10:25 PRIMEIROS SOCORROS Introdução Os Primeiros Socorros ou socorro básico de urgência são as medidas iniciais e imediatas dedicadas à vítima, fora do ambiente hospitalar, executadas por qualquer pessoa, treinada,

Leia mais

o Ressonar e a Apneia de Sono

o Ressonar e a Apneia de Sono o Ressonar e a Apneia de Sono sintomas diagnóstico tratamento O ressonar apesar de ser comum, fonte de brincadeiras e aceite como normal na população em geral é de facto uma perturbação que não deve ser

Leia mais

Manual de Primeiros Socorros

Manual de Primeiros Socorros Manual de Primeiros Socorros DSE - Departamento de Saúde Escolar Apresentação O Departamento de Saúde Escolar da Rede Educacional Franciscana responsável pela saúde dos alunos e funcionários elaborou este

Leia mais

VIAS AÉREAS. Obstrução por corpo estranho SIATE - SERVIÇO INTEGRADO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA EM EMERGÊNCIA

VIAS AÉREAS. Obstrução por corpo estranho SIATE - SERVIÇO INTEGRADO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA EM EMERGÊNCIA VIAS AÉREAS Obstrução por corpo estranho SIATE - SERVIÇO INTEGRADO DE ATENDIMENTO AO TRAUMA EM EMERGÊNCIA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS POR CORPO ESTRANHO PERDA DE CONSCIÊNCIA PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA RECONHECIMENTO

Leia mais

ANEXO I - RESPOSTA FISIOLÓGICA AO CALOR INTENSO

ANEXO I - RESPOSTA FISIOLÓGICA AO CALOR INTENSO ANEXOS 28 ANEXO I - RESPOSTA FISIOLÓGICA AO CALOR INTENSO Resposta fisiológica ao calor intenso A temperatura corporal é constantemente regulada mantendo-se num intervalo relativamente estreito (35ºC 39ºC),

Leia mais

Introdução Apresentação do Módulo. Marta Ribeiro

Introdução Apresentação do Módulo. Marta Ribeiro Introdução Apresentação do Módulo ObjecCvos de Aprendizagem: 1- Responder a situações de stress minor, nomeadamente avaliar, actuar e encaminhar 2- Avaliar situações de emergência e uclizar as técnicas

Leia mais

7/4/2011 ABORDAGEM AO PACIENTE TRAUMATIZADO GRAVE: Reconhecer as lesões músculoesqueléticas. Reconhecer a biomecânica do trauma.

7/4/2011 ABORDAGEM AO PACIENTE TRAUMATIZADO GRAVE: Reconhecer as lesões músculoesqueléticas. Reconhecer a biomecânica do trauma. TRAUMATISMOS DOS MEMBROS Atendimento Inicial e Imobilizações ABORDAGEM AO PACIENTE TRAUMATIZADO GRAVE: Manter as prioridades da avalição ABC Não se distrair com lesões músculo-esqueléticas dramáticas que

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXI Acidentes de Trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

Inicie a disciplina apresentando o objetivo geral e os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Primeiros

Inicie a disciplina apresentando o objetivo geral e os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Primeiros Inicie a disciplina apresentando o objetivo geral e os específicos para esta aula que estão no Plano de Aula Teórica da disciplina de Primeiros Socorros 1, neste material. 93 Para iniciar uma discussão

Leia mais

Criança com deficiência

Criança com deficiência Criança com deficiência Não espero pelos outros. Começo eu mesmo. Como toda criança, a criança com deficiência precisa de muito amor, atenção, cuidados e proteção. Precisa também brincar com outras crianças

Leia mais

Guia de Orientação a concussão para o público geral

Guia de Orientação a concussão para o público geral FATOS DE UMA CONCUSSÃO A concussão é uma lesão cerebral. Todas as concussões são graves. Os abalos podem ocorrer sem perda de consciência. Todo atleta com os sintomas de uma lesão na cabeça deve ser removido

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc 1 TRM Traumatismo Raqui- Medular Lesão Traumática da raqui(coluna) e medula espinal resultando algum grau de comprometimento temporário ou

Leia mais

TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM)

TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM) Protocolo: Nº 63 Elaborado por: Manoel Emiliano Última revisão: 30/08/2011 Revisores: Samantha Vieira Maria Clara Mayrink TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM) DEFINIÇÃO: O Trauma Raquimedular (TRM) constitui o conjunto

Leia mais

Capítulo 25. Emergências Pediátricas. Capítulo 25. Emergências Pediátricas 1. OBJETIVOS

Capítulo 25. Emergências Pediátricas. Capítulo 25. Emergências Pediátricas 1. OBJETIVOS Capítulo 25 Emergências Pediátricas 1. OBJETIVOS No final da sessão os formandos deverão ser capazes de: Listar e descrever as emergências médicas mais frequentes; Listar e descrever os cuidados gerais

Leia mais

Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP)

Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) É parada súbita e inesperada da atividade mecânica ventricular útil e suficiente

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. Introdução. Introdução COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1

PRIMEIROS SOCORROS. Introdução. Introdução COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1 PRIMEIROS SOCORROS Introdução Os Primeiros Socorros ou socorro básico de urgência são as medidas iniciais e imediatas dedicadas à vítima, fora do ambiente hospitalar, executadas por qualquer pessoa, treinada,

Leia mais

CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS

CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS CENTRO SOCIAL SANTA CRUZ DO DOURO Índice Afogamento 3 Asfixia/Sufocação..4 Convulsões..5 Corpos Estranhos..6 Crise Asmática.7 Crise Hipo glicemia (Diabetes)..8 Desmaio.10 Doença Crónica 11 Electrocussão

Leia mais

MANUAL DO CURSO DE PRIMEIROS SOCORROS E SUPORTE BÁSICO DE VIDA

MANUAL DO CURSO DE PRIMEIROS SOCORROS E SUPORTE BÁSICO DE VIDA MANUAL DO CURSO DE PRIMEIROS SOCORROS E SUPORTE BÁSICO DE VIDA 6 HORAS 2014 Mod 10 V.01 INDICE INTRODUÇÃO PRIMEIROS SOCORROS... 4 Mala de Primeiros Socorros... 4 ABORDAGEM À VÍTIMA... 6 Avaliação da Vítima...

Leia mais

4 Primeiros Socorros 4_Primeiros_socorros.indd 77 3/25/09 8:58:22 AM

4 Primeiros Socorros 4_Primeiros_socorros.indd 77 3/25/09 8:58:22 AM 4 Primeiros Socorros 4_Primeiros_socorros.indd 77 3/25/09 8:58:22 AM Capítulo 4 Primeiros Socorros 4.0 Sinais vitais São reflexos ou indícios de mudanças no estado do indivíduo. É um conjunto de sinais

Leia mais

INSTRUÇÃO AEROMÉDICA. MÓDULO 3 Aula 2. Professora: Maria de Fátima Cardoso de Souza

INSTRUÇÃO AEROMÉDICA. MÓDULO 3 Aula 2. Professora: Maria de Fátima Cardoso de Souza INSTRUÇÃO AEROMÉDICA MÓDULO 3 Aula 2 Professora: Maria de Fátima Cardoso de Souza www.aerocurso.com 2010 Sistema de Avaliação e Exame da Vítima Antes de administrar cuidados de emergências, o piloto precisa

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

1 - Enquadramento legal

1 - Enquadramento legal TÍTULO: As actividades de primeiros socorros nas empresas AUTORIA: Enf.ºs Rui Vieira, José Pedro Silva e Paulo Azevedo PUBLICAÇÕES:TECNOMETAL n.ºs 146, 147 e 148 (Maio/Junho/Julho/Agosto/Setembro/Outubro

Leia mais

DE PRIMEIROS SOCORROS

DE PRIMEIROS SOCORROS SITUAÇÕES DE URGÊNCIA NAS ESCOLAS, JARDINS DE INFÂNCIA E CAMPOS DE FÉRIAS MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS Manual de Primeiros Socorros Afogamento 11 Asfixia 13 Corpos estranhos 15 Desmaio 17 Electrocussão

Leia mais

CURSO DE NOÇÕES BÁSICAS PRIMEIROS SOCORROS

CURSO DE NOÇÕES BÁSICAS PRIMEIROS SOCORROS CURSO DE NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROS Núcleo de Educação em Urgência Rua Jaraguá, 858, Bom Retiro São Paulo SP - CEP 01129-000 PABX. 11.3396-1400 1 NOÇÕES BÁSICAS DE PRIMEIROS SOCORROS I- DEFINIÇÕES

Leia mais

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes?

Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Como surge o diabetes? Com a queda da produção de insulina, hormônio importante para o funcionamento do organismo, resultando no aumento da quantidade de açúcar. Áreas afetadas pelo

Leia mais

MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS

MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS ASS. PORTUGUESA PARA AS PERTURBAÇÕES DO DESENVOLVIMENTO E AUTISMO Índice 1. OBJETIVOS DO PLANO...2 2. RESPONSABILIDADES...2 3. NÚMEROS DE EMERGÊNCIA...2 4. OBJETIVOS DO PRIMEIRO

Leia mais

AGENTE DESENTUPIDOR DE CANALIZAÇÕES

AGENTE DESENTUPIDOR DE CANALIZAÇÕES 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA / PREPARAÇÃO E DA SOCIEDADE IDENTIFICAÇÃO: APRESENTAÇÃO: FORNECEDOR: DESISTARK Agente fortemente ácido destinado ao desentupimento de canalizações de esgoto. Desicosmo Desinfestação,

Leia mais

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS

FÉRIAS ESCOLARES ACIDENTES DOMÉSTICOS FÉRIAS ESCOLARES X ACIDENTES DOMÉSTICOS As férias escolares exigem mais cuidados com os acidentes domésticos porque as crianças ficam mais tempo em casa e isso aumenta o risco de ocorrerem acidentes que

Leia mais

05 Queimaduras em cozinhas

05 Queimaduras em cozinhas 05 Queimaduras em cozinhas As queimaduras mais comuns são as provocadas por líquidos e a maioria das vítimas são as crianças. O álcool líquido está envolvido em grande parte dos acidentes que provocam

Leia mais

Animação Turística Unipessoal, Lª Alvará nº 11/2006 DGT. Programas de Cursos e Especializações. Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas

Animação Turística Unipessoal, Lª Alvará nº 11/2006 DGT. Programas de Cursos e Especializações. Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas Programas de Cursos e Especializações Federação Portuguesa de Actividades Subaquáticas CURSO DE SALVAMENTO COMISSÃO TÉCNICA DE MERGULHO DESPORTIVO CURSO DE SALVAMENTO 1 - CLASSIFICAÇÃO DO CURSO O Curso

Leia mais

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. Pág. 01 A bronquiolite é uma infeção respiratória causada por vírus, ocorrendo em crianças com menos de 2 anos.

Leia mais

Pronto Atendimento no Esporte

Pronto Atendimento no Esporte Centro de Treinamento Autorizado Pronto Atendimento no Esporte Artur Padão Gosling Obter ajuda qualificada Preservar a vida PRIMEIRO ATENDIMENTO Funções do Socorrista Minimizar a dor e o agravamento das

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume II Locais e Postos de trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1)

PLANO DE CONTINGÊNCIA GRIPE A (H1N1) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ALFREDO DA SILVA ESCOLA EB 2,3 DE ALBARRAQUE GRIPE A (H1N1) Elaborado pela Direcção do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva Tel: 219156510 Fax: 219156513 Mail: eb23alba.geral@mail.telepac.pt

Leia mais

Exame Primario - ABCD da VIDA (a partir de 2010, se tornou CAB, exceto para afogamento) Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman

Exame Primario - ABCD da VIDA (a partir de 2010, se tornou CAB, exceto para afogamento) Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman Page 1 of 18 Exame Primario - ABCD da VIDA (a partir de 2010, se tornou CAB, exceto para afogamento) Primeiros Socorros e Emergências Aquáticas Dr David Szpilman Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático

Leia mais

Sobre o Processo de Morrer

Sobre o Processo de Morrer Sobre o Processo de Morrer Se você nunca viu alguém morrendo, poderá ter medo do que acontecerá, mas o momento de morte é normalmente sereno. Este folheto tem o objetivo de ajudá-lo. Encontre mais informações

Leia mais

podem desenvolver-se até atingirem um tamanho considerável antes dos sintomas se manifestarem. Por outro lado, em outras partes do cérebro, mesmo um

podem desenvolver-se até atingirem um tamanho considerável antes dos sintomas se manifestarem. Por outro lado, em outras partes do cérebro, mesmo um Um tumor é uma massa anormal em qualquer parte do corpo. Ainda que tecnicamente ele possa ser um foco de infecção (um abcesso) ou de inflamação; o termo habitualmente significa um novo crescimento anormal

Leia mais

Def de Qi do Rim -etiologia

Def de Qi do Rim -etiologia PADRÕES DO RIM Funções energéticas Estoca a essência Fonte do Yin e Yang Domina o metabolismo Recebe o Qi dos Pulmões Controla os orifícios Domina os ossos Abre-se nos ouvidos e manifesta-se nos cabelos

Leia mais

PAE PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA.

PAE PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA. PAE PLANO DE ATENDIMENTO A EMERGÊNCIA. Empresa: BVB SERVIÇOS AUXILIARES DE TRANSPORTE AEREO LTDA Responsável Técnico: Reginaldo Beserra Alves Engº Segurança no Trabalho CREA 5907-D/PB SUMÁRIO CARACTERÍSTICAS

Leia mais

Centro de Treinamento Internacional Autorizado American Safety & Health Institute CNPJ: 11.697.949/0001-09

Centro de Treinamento Internacional Autorizado American Safety & Health Institute CNPJ: 11.697.949/0001-09 Centro de Treinamento Internacional Autorizado American Safety & Health Institute CNPJ: 11.697.949/0001-09 A EMPRESA A RIO EMERGÊNCIA treinamentos trata-se de uma empresa educacional, voltada ao ensino

Leia mais

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Os são seguros se forem utilizados com cuidado, de acordo com todas as indicações

Leia mais

CAPÍTULO 10 HEMORRAGIA E CHOQUE

CAPÍTULO 10 HEMORRAGIA E CHOQUE CAPÍTULO 10 HEMORRAGIA E CHOQUE 1. Introdução Para um melhor entendimento dos mecanismos (da hemorragia e do choque) faz-se necessário uma pequena revisão de alguns aspectos conceituais de anatomia e fisiologia

Leia mais