Português. 3. Analise se as palavras destacadas são sinônimas:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Português. 3. Analise se as palavras destacadas são sinônimas:"

Transcrição

1 Português TEXTO 1 A enganosa propaganda do cowboy fumante americano persiste até hoje no Brasil. Ao caminhar pela cidade, observo muitas pessoas, de várias idades, ostentando nas suas mãos um cigarro como se isso fosse um troféu ganho em uma valorosa competição atlética, levando-o até os lábios, como se fosse um delicioso doce. Também vejo crianças e jovens meninas grávidas fumando um cigarro após outro, como se isso pudesse resolver os seus imensos problemas. [ ] Antigamente, as mulheres não fumavam publicamente, pois a igreja e a sociedade as fiscalizavam, podendo condená-las ao fogo eterno. Somente algumas mulheres e senhoras elegantes é que, uma vez ou outra, em suas reuniões, fumavam discretamente, ou em suas casas, às escondidas, longe do marido e dos filhos, pois era uma vergonha ser vista ou pega fumando um cigarrinho. [ ] A tecnologia e a ciência evoluíram, avançando extraordinariamente, e os costumes e hábitos da população sofreram mudanças radicais. Houve mesmo uma inversão dos valores morais tradicionais, rígidos e disciplinadores dos tempos dos avós e bisavós, muitos deles tendo até deixado de existir. Muito do que eles condenavam hoje é visto com naturalidade. Assim, o cigarro transformou-se no mal que muitos fumantes gostariam de abandonar, mas não conseguem, porque ele é uma droga perigosíssima, que atinge o cérebro de tal forma que exige tratamento e muita força de vontade para que o indivíduo consiga livrar-se dela. O cigarro acaba causando prejuízos ambientais, familiares e financeiros, tanto para a sociedade como para o governo, que acaba não tendo recursos para tantos doentes. E o ICMS recolhido das fábricas não paga os enormes prejuízos humanos causados pelo tabagismo. 3. Analise se as palavras destacadas são sinônimas: 1) A enganosa propaganda do cowboy fumante americano persiste / prevalece até hoje no Brasil. 2)...observo muitas pessoas, de várias idades, ostentando / exibindo nas suas mãos um cigarro. 3) A tecnologia e a ciência evoluíram / progrediram. 4) O cigarro atinge o cérebro de tal forma que exige / requer tratamento. A) 1, 2 e 3, apenas. B) 2, 3 e 4, apenas. C) 1 e 3, apenas. D) 1 e 4, apenas. E) 1, 2, 3 e 4. Estão corretas: 4. No trecho Ao caminhar pela cidade, observo muitas pessoas ostentando nas suas mãos um cigarro, a parte destacada introduz uma relação de: A) causa. B) condição. C) conseqüência. D) finalidade. E) tempo. José Roberto Gasquez. Gazeta de Mirassol, 12/09/2003. Publicado na Internet em Adaptado. 1. A principal função do texto 1 é: A) informar os leitores dos fatos descobertos mais recentemente sobre o tabagismo. B) explicar, pela análise minuciosa de dados objetivos, os malefícios causados pelo cigarro. C) comentar criticamente a respeito de um vício ao qual muitas pessoas estão presas. D) instruir os fumantes que não conseguem se livrar do vício, apontando saídas. E) propagar novos hábitos, valores e costumes, que o autor julga melhores do que os do passado. 2. Em relação ao tema que aborda, a posição do autor do texto 1 é: A) contrária. B) favorável. C) neutra. D) condescendente. E) permissiva. 5. A figura acima pode ser usada para ilustrar o seguinte argumento do texto 1: A)...observo muitas pessoas, de várias idades, ostentando nas suas mãos um cigarro como se isso fosse um troféu. B) Antigamente, as mulheres não fumavam publicamente, pois a igreja e a sociedade as fiscalizavam, podendo condená-las ao fogo eterno. C) A tecnologia e a ciência evoluíram, avançando extraordinariamente, e os costumes e hábitos da população sofreram mudanças radicais. D)...o cigarro transformou-se no mal que muitos fumantes gostariam de abandonar, mas não conseguem, porque ele é uma droga perigosíssima. E)...o ICMS recolhido das fábricas não paga os enormes prejuízos humanos causados pelo tabagismo.

2 Legislação 6. São direitos sociais previstos na Constituição Federal, EXCETO: A) piso salarial proporcional à extensão e à complexidade do trabalho. B) proteção do salário na forma da lei, constituindo crime sua retenção dolosa. C) salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda, nos termos da lei. D) adicional de remuneração para as atividades penosas, insalubres ou perigosas, na forma da lei. E) proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre, a menores de 21 anos. 7. Segundo a Constituição Federal, são condições de elegibilidade, EXCETO: A) nacionalidade brasileira. B) pleno exercício dos direitos políticos. C) alistamento eleitoral. D) domicílio eleitoral na circunscrição. E) idade mínima de 35 anos para Governador. 8. De acordo com a Lei n o 8.112/90, são requisitos básicos para investidura em cargo público, EXCETO: A) gozo dos direitos políticos. B) quitação com as obrigações eleitorais. C) quitação com as obrigações militares. D) idade mínima de 16 anos. E) nível de escolaridade exigido para o cargo. 9. De acordo com a Lei n o 8.112/90, são formas de provimento de cargo público, EXCETO: A) ascensão. B) reintegração. C) reversão. D) recondução. E) nomeação. 10. De acordo com a Lei n o 9.784/99 (Lei do Processo Administrativo), a Administração Pública obedecerá aos seguintes princípios, EXCETO: A) da legalidade. B) da motivação. C) do interesse particular. D) da segurança jurídica. E) da razoabilidade.

3 Auxiliar de Enfermagem 11. São sintomas apresentados por um paciente com Diabetes: A) polaciúria, hematúria e polidipsia. B) perda de peso, polifagia e poliúria. C) perda de peso, hematúria e oligúria. D) polidipsia, poliúria e anorexia. E) perda de peso, anorexia e hematúria. 12. Os indivíduos hemofílicos devem receber cuidados especiais. Não devem ser medicados com ácido acetilsalicílico ou heparina, que aumentam o risco de hemorragias. Sobre a Hemofilia e os cuidados de enfermagem, podemos afirmar que: A) se deve, preferencialmente, administrar medicamentos por via intramuscular. B) se deve aplicar calor local em traumatismos ou pancadas. C) hemofilia é uma doença causada por fragilidade da parede dos vasos, que se rompem. D) é importante adotar cuidados especiais na realização de tricotomias, evitando lesões na pele. E) hemofilia é uma doença causada por deficiência da Vitamina K. 13. Considere um paciente com déficit neurológico motor e que apresenta manifestações clínicas. São atribuições do auxiliar de enfermagem na assistência a esse paciente, EXCETO: A) colocar objetos seguros ao alcance do paciente, principalmente mais próximos do lado sadio. B) instruir o paciente a exercitar o lado sadio, a fim de aumentar sua força muscular. C) auxiliar o paciente durante a higiene pessoal. D) auxiliar o paciente durante as refeições. E) incentivar o paciente a deambular precocemente, sem ajuda de aparelhos. 14. Assinale a alternativa que não corresponde às medidas de prevenção das recidivas das infecções do trato urinário. A) Para as mulheres, deve-se orientar a higiene do períneo de frente para trás após evacuações. B) Estimular a ingesta hídrica liberal. C) Orientar a não tomar banho de banheira e incentivar o banho de aspersão, evitando a penetração de micróbios pelo trato uretral. D) Orientar a urinar a cada 2 ou 3 horas e a esvaziar a bexiga completamente. E) Orientar para o uso de diuréticos. 15. A medida mais representativa na prevenção do controle das infecções hospitalares é: A) curativos diários, observando-se a técnica correta. B) lavagem básica das mãos. C) controle biológico dos materiais esterilizados. D) uso correto de antibiótico profilático. E) uso de luvas para os procedimentos. 16. Sabe-se que o paciente está desidratado quando apresenta os seguintes sintomas: A) febre, poliúria, sede e ressecamento de mucosas. B) sede, febre, elasticidade diminuída e bradicardia. C) sede, pulso periférico diminuído, ressecamento das mucosas e oligúria. D) hematúria, edema generalizado, sudorese e taquicardia. E) febre, perda de turgor e dispnéia. 17. Sobre os procedimentos cirúrgicos, assinale a alternativa correta. A) Colecistectomia remoção cirúrgica do colédoco. B) Jejunostomia retirada parcial do intestino delgado. C) Gastrectomia comunicação do estômago com a parede abdominal. D) Esplenectomia remoção cirúrgica do baço. E) Histerectomia total retirada do útero e dos ovários. 18. Quanto ao processo de cicatrização das feridas, é correto afirmar que: A) a cicatrização por primeira intenção caracterizase por lesões com bordas regulares e de ajustes por suturas com perda acentuada de tecido. B) a cicatrização das feridas com área extensa de necrose, de coagulação ou de coloração negra ocorrerá com o uso contínuo de anti-séptico prescrito. C) a oxigenação e a perfusão dos tecidos são condições essenciais para ocorrer a cicatrização das feridas. D) as feridas abertas devem ser mantidas secas e limpas por meio de coberturas adequadas. Assim haverá aumento da migração celular, que favorece a epitelização. E) a deficiência protéica não influencia a resposta imunológica, mas baixas taxas de vitamina A tornam as feridas mais susceptíveis às infecções. 19. Quanto aos cuidados de enfermagem no pósoperatório, assinale a alternativa incorreta. A) Preferencialmente, a micção deve ser espontânea, em comadres ou aparadeiras. B) Deve-se monitorar os sinais vitais e comunicar ao médico assistente ou plantonista quando houver sinais de choque hipovolêmico. C) Deve-se encorajar o paciente a realizar os exercícios respiratórios que aprendeu no préoperatório. D) Não permitir mudanças de decúbito nas primeiras 24 horas. E) Deve-se baixar lentamente a cabeceira da cama, caso o paciente se queixe de tonturas ou vertigem.

4 20. O glutaraldeído é uma substância indicada para esterilização e desinfecção pelo método químico. No uso dessa solução, o auxiliar de enfermagem deve estar bem atento para: A) trocar a solução a cada 48 horas. B) utilizar preferencialmente caixas de aço inoxidável para acondicionar a solução. C) utilizar equipamentos de proteção individual no manuseio da solução, tais como máscaras e luvas. D) colocar o material na solução por 30 minutos, para esterilização. E) utilizar a solução de glutaraldeído na concentração de 1%. 21. Quanto ao processo de esterilização e desinfecção, é correto afirmar que: A) hipoclorito de sódio a 1% e álcool a 70% não são capazes de inativar o vírus do HIV. B) o calor úmido na forma de vapor saturado sob pressão é o processo de esterilização mais seguro, eficiente, rápido e econômico disponível. C) na estufa, a temperatura sugerida para a esterilização de metais no tempo de 60 minutos é de 160ºC. D) artigos críticos são aqueles destinados aos procedimentos invasivos e devem ser desinfetados. E) a descontaminação é o processo de destruição de microorganismos patogênicos na forma vegetativa, presentes em superfícies inertes, pela aplicação de agentes químicos e físicos. 22. Dentre os materiais abaixo listados, assinale aquele que não pode ser submetido ao processo de esterilização pelo calor úmido. A) Comadres de inox. B) Instrumentais cirúrgicos. C) Líquidos. D) Pós. E) Borrachas. 23. O Programa Nacional de Imunização recomenda: A) gestantes com três doses de dt e última dose aplicada há menos de cinco anos será considerada imunizada e não será necessário dose de reforço. B) gestante com esquema de vacinação antitetânica completa e última dose há mais de cinco anos deve reiniciar o esquema. C) ao nascer, o RN deve ser vacinado apenas com a vacina BCG. D) vacinar crianças a partir dos 2 meses com DPT, que imuniza contra Difteria, Pneumonia e Tétano. E) a vacina contra Hepatite B deve ser administrada em dose única aos seis meses. 24. Sobre a terminologia usada em obstetrícia, assinale a alternativa correta. A) Primípara mulher que abortou pela primeira vez. B) Natimorto recém-nascido que morreu 24 horas após o nascimento. C) Nutriz mulher bem nutrida. D) Perinatal período do início do trabalho de parto até 24 horas após o parto. E) Puérpera mulher que deu à luz. 25. Dentre os seguintes cuidados básicos, os que devem ser realizados pelo auxiliar de enfermagem durante as consultas de pré-natal, antes do atendimento do obstetra são: A) verificar altura de fundo de útero e aferir temperatura. B) pesar a gestante e aferir pressão arterial. C) auscultar batimentos cardíacos fetais e aferir pressão arterial. D) aferir temperatura e prescrever vitaminas. E) calcular idade gestacional e verificar a altura de fundo de útero. 26. A vacina preconizada pelo Programa Nacional de Imunização, que está indicada para ser feita preferencialmente ao nascer, com a finalidade de evitar a transmissão vertical é: A) BCG. B) DPT. C) Hepatite A. D) Hepatite B. E) Hib. 27. O Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher (PAISM) do Ministério da Saúde tem como ação básica: A) assistência especial à mulher com SIDA. B) assistência ao pré-natal, parto e puerpério. C) assistência à mulher vítima de acidentes. D) assistência à mulher vítima de câncer. E) assistência à mulher vítima de violência. 28. São sinais presuntivos de gravidez: A) amenorréia, náuseas, vômitos e βhcg positivo. B) amolecimento do colo uterino e ausculta dos batimentos cardíacos do feto. C) alterações da mama, ptialismo e polaciúria, aversão a odores. D) movimentos fetais perceptíveis, βhcg positivo e ausculta dos batimentos cárdio-fetais. E) aversão a odores, sinal de Chadwick e ultra-som com visualização das estruturas do útero gravídico. 29. São sinais e sintomas de uma reação anafilática: A) febre, prurido, secreção brônquica esverdeada e taquicardia. B) prurido generalizado, tosse, febre e secreção brônquica. C) congestão nasal, angústia respiratória, febre e tosse. D) prurido, espirro e tosse, dispnéia e taquicardia.

5 E) congestão nasal, hiperemia, febre, palidez e taquicardia. 30. São sinais que sugerem atelectasia pulmonar: A) febre, convulsão e calafrios. B) tosse, dispnéia e tiragem intercostal. C) tosse, dispnéia, febre e secreção pulmonar esverdeada. D) dispnéia, febre, náuseas e cianose. E) hiperemia facial, apnéia e febre. 31. É considerado princípio básico na assistência de enfermagem em situação de emergência: A) alimentar os pacientes. B) entubar pacientes em parada cardiorrespiratória. C) suturar pequenos ferimentos. D) reduzir fraturas e imobilizá-las. E) colaborar com a equipe médica nos cuidados de prevenção do choque. 32. São cuidados de enfermagem ao paciente que apresenta graves queimaduras, EXCETO: A) avaliar inicialmente a respiração e, se necessário, estabelecer de imediato desobstrução das vias aéreas e realizar manobras de ressuscitação pulmonar. B) não oferecer alimentos ou líquidos por via oral. C) resfriar as queimaduras com aplicação local de gelo ou água fria. D) instalar acesso venoso, pois essa é uma das medidas para se evitar o choque em pacientes queimados. E) usar gorros, máscaras, luvas e aventais no atendimento aos pacientes com ferimentos abertos provocados por queimaduras. 33. No pós-parto, o auxiliar deve orientar a paciente a ter alguns cuidados, EXCETO: A) tomar banho geral, lavando inclusive a cabeça. B) ingerir bastante líquido e alimentar-se bem, tão logo deseje. C) trocar absorvente quando for ao banheiro e realizar a higiene do períneo. D) procurar descansar sempre quando o bebê estiver dormindo. E) suspender a amamentação aos primeiros sinais de mastite. 34. São cuidados imediatos com o recém-nascido no centro obstétrico, EXCETO: A) administrar vitamina K, 1mg por via intramuscular. B) aplicar a técnica de crede ocular. C) identificar o RN e a mãe com pulseira de plástico ou esparadrapo e colher impressões digitais da mãe e plantar da criança. D) realizar higiene e banho do RN, para remoção do sangue ou mecônio, com água morna e sabão neutro. E) assegurar-se de que todo material que entrará em contato com o RN está estéril. 35. São medidas de prevenção das infecções hospitalares em UTI, EXCETO: A) utilizar água estéril para preencher nebulizadores. B) retirar adequadamente os condensados de circuito dos ventiladores. C) trocar o circuito dos respiradores a cada 48 horas. D) lavar as mãos antes e após o procedimento de aspiração orotraqueal. E) submeter à desinfecção de médio nível os componentes semicríticos dos circuitos dos ventiladores. 36. Quanto ao procedimento de drenagem torácica, é correto afirmar que: A) o vazamento e a retenção de ar no espaço pleural podem resultar em pneumotórax hipertensivo. Por isso, deve-se evitar o clampeamento do tubo por tempo prolongado. B) a flutuação do nível do líquido no tubo de drenagem é sinal de que o pulmão está reexpandido. C) o tubo deve estar a 1,0cm abaixo do nível de água do frasco de drenagem. D) estão contra-indicados o estímulo à respiração profunda e à tosse, pois aumentam a pressão intrapleural, levando à atelectasia. E) deve-se conectar a rede de vácuo diretamente ao respiro do frasco selo d água. 37. Considerando a assistência ao paciente na UTI com risco iminente de choque hipovolêmico, o auxiliar de enfermagem deve: A) passar sonda naso-enteral. B) estabelecer uma via de acesso venosa central. C) posicionar o paciente em semi-fowler. D) diminuir o gotejamento da venóclise. E) manter junto ao leito todo material e equipamento de emergência. 38. Quanto aos cuidados com o paciente cirúrgico, é incorreto afirmar que: A) quanto maior o intervalo entre tricotomia e o ato operatório, maior será o risco de infecção na ferida operatória. B) o paciente deve ser orientado a esvaziar a bexiga antes de ser levado ao centro cirúrgico. C) a posição de litotomia está indicada para as cirurgias pélvicas e laparotomias. D) cabe ao instrumentador assegurar-se de que todas as agulhas, compressas e instrumentais foram retirados do paciente ao final da cirurgia. E) é função da circulante checar os equipamentos e a disponibilidade dos materiais, antes e durante a cirurgia. 39. Entende-se por enteróclise: A) introdução de pequena quantidade de líquido no intestino, com finalidade emoliente. B) introdução de líquido na cavidade gástrica, seguida sua remoção por meio de sondagem, com finalidade de preparar o estômago para exames e estancar hemorragias.

6 C) introdução de grande quantidade de líquido no intestino, com finalidade de aliviar distensão abdominal e eliminação de flatos. D) introdução de solução estéril até a bexiga, com finalidade de desobstruir sonda e aliviar a dor. E) introdução de solução estéril através da uretra até a bexiga, a fim de remover cálculos. 40. Quanto aos procedimentos relacionados ao trato urinário, é correto afirmar que: A) o sistema de drenagem aberta está indicado para períodos de sondagem de até 5 dias. B) para coletar urina para exames, no paciente cateterizado, deve-se desconectar o sistema de drenagem, desinfetando-o antes de reconectá-lo ao sistema. C) para esvaziamento do sistema coletor, recomenda-se usar luvas estéreis. D) a incontinência urinária é indicação formal para se instalar um sistema de sondagem vesical. E) durante o transporte do paciente, não se deve colocar a bolsa na maca de transporte no mesmo nível que o paciente. 41. Para realizar lavagem gástrica, o paciente deve ser colocado na seguinte posição: A) decúbito lateral esquerdo. B) decúbito lateral direito. C) decúbito dorsal. D) decúbito ventral. E) posição de Fowler. 42. Foram prescritos 1000 ml de soro fisiológico a 0,9% e 500 ml de soro glicosado a 5%, para serem infundidos nas 24h. Considerando que o equipo utilizado será o microgotas, calcule qual será o gotejamento para que a solução seja infundida no tempo prescrito pelo médico. A) 20 gotas por minuto. B) 72 gotas por minuto. C) 62 gotas por minuto. D) 187 gotas por minuto. E) 120 gotas por minuto. 43. A via mais rápida de absorção dos medicamentos é: A) intradérmica. B) subcutânea. C) oral. D) endovenosa. E) retal. 44. São sinais locais de flebite: A) edema, febre e rubor. B) calor, dor e hipotensão. C) edema, calor e rubor. D) rubor, febre e dor. E) dor, edema e hipotensão. 45. A equipe de enfermagem deve estar atenta a possíveis problemas de interação medicamentosa, principalmente em pacientes idosos. Para esses pacientes, são medidas de assistência de enfermagem, EXCETO: A) o idoso apresenta menor capacidade hepática e renal de metabolizar e excretar drogas administradas, o que nos permite reduzir a posologia terapêutica habitual. B) os níveis de medicamentos podem aumentar nos tecidos e no plasma, em função de um metabolismo lento observado na pessoa idosa. C) os medicamentos sedativos ou doenças como a de Parkinson são fatores de risco por favorecerem a asfixia por ocasião da alimentação. D) considerando as possíveis perdas de memória do paciente idoso, pode-se escrever o esquema medicamentoso, para ajudar o paciente a controlar seus medicamentos. E) em pacientes idosos acamados e em estado geral precário, o auxiliar deve observar se o medicamento foi deglutido, pois ele pode manter o medicamento entre as bochechas, gengivas ou dentes. 46. Não corresponde à intervenção de enfermagem ao paciente idoso: A) usar luzes noturnas para orientação do paciente. B) usar grades laterais nas camas, à noite. C) distrair o paciente em vez de confrontar o comportamento inaceitável. D) criar recursos de memória conforme necessário: lembretes, listas, desenhos. E) alterar a rotina diária, sugerindo atividades de maior complexidade. 47. Define-se hematêmese como: A) sangramento oriundo do pulmão, de cor vermelho-claro, espumante. B) sangramento oriundo do intestino por via baixa, de coloração escura em borra de café. C) expectoração de sangue do trato respiratório. D) sangramento oriundo da cavidade nasal. E) vômito com presença de sangue. 48. A vacina BCG, que previne contra as formas mais graves de Tuberculose, deve ser feita ao nascer ou na primeira visita do recém-nascido à unidade de saúde. A dose e a via de administração dessa vacina são, respectivamente: A) 0,1 ml e via intradérmica. B) 0,1 ml e via subcutânea. C) 1,0 ml e via intradérmica. D) 1,0 ml e via subcutânea. E) 0,5 ml e via subcutânea.

7 49. Sabe-se que o crescimento e o desenvolvimento são indicadores da saúde da criança. Por essa razão, o acompanhamento deste processo se constitui a proposta do Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança (PAISC). O parâmetro mais importante para avaliar o crescimento e o desenvolvimento da criança é: A) perímetro cefálico. B) perímetro torácico. C) peso. D) estatura. E) perímetro abdominal. 50. A via correta para administração de insulina é: A) intradérmica. B) subcutânea. C) oral. D) endovenosa. E) intra-arterial.

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM

ENFERMAGEM HOSPITALAR Manual de Normas, Rotinas e Procedimentos Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM HOSPITALAR Sumário ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM Chefia do Serviço de Enfermagem Supervisor de Enfermagem Enfermeiro Encarregado de Unidade/Setor Enfermeiros em Unidade de Terapia Intensiva

Leia mais

Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL

Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL Tabela de Honorários para Prestação de Serviços de Enfermagem ATIVIDADES AÇÕES DESENVOLVIDAS QUADRO VALOR ATUAL 1. Consultoria I 2. Assessoria I Livre ADMINISTRATIVAS 3. Auditoria I manifestação 4. Planejamento

Leia mais

Tabela de Honorários RESOLUÇÃO COFEN-301/2005

Tabela de Honorários RESOLUÇÃO COFEN-301/2005 Tabela de Honorários RESOLUÇÃO COFEN-301/2005 Atividades Administrativas 1. Consultoria I 2. Assessoria I 3. Auditoria I 4. Planejamento I 5. Supervisão I Livre negociação entre as partes a partir de 72,31

Leia mais

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel Insuficiência respiratória aguda O que é!!!!! IR aguda Incapacidade do sistema respiratório de desempenhar suas duas principais funções: - Captação de oxigênio para o sangue arterial - Remoção de gás carbônico

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS

CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS Complicações Cirúrgicas CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS 1. Complicações Circulatórias Hemorragias: é a perda de sangue

Leia mais

Recebimento de pacientes na SRPA

Recebimento de pacientes na SRPA CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E Recebimento de pacientes na SRPA O circulante do CC conduz o paciente para a SRPA; 1.Após a chegada do paciente

Leia mais

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas

Pós Operatório. Cirurgias Torácicas Pós Operatório Cirurgias Torácicas Tipos de Lesão Lesões Diretas fratura de costelas, coluna vertebral ou da cintura escapular, hérnia diafragmática, ruptura do esôfago, contusão ou laceração pulmonar.

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 07

PROVA ESPECÍFICA Cargo 07 10 PROVA ESPECÍFICA Cargo 07 QUESTÃO 26 São doenças imunopreveníveis por meio de vacinas víricas: a) Hepatite A e hepatite B. b) Sarampo e tuberculose. c) Febre amarela e tétano. d) Poliomielite e tuberculose.

Leia mais

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola

PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA. Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA. Policial BM Espínola PRONTIDÃO ESCOLAR PREVENTIVA Primeiros Socorros ABORDAGEM PRIMÁRIA RÁPIDA Policial BM Espínola LEMBRE-SE Antes de administrar cuidados de emergência, é preciso garantir condições de SEGURANÇA primeiramente

Leia mais

TÉCNICO TÉCNICO TÉCNICO EM ENFERMAGEM 21/MAIO/2006 TÉCNICO EM ENFERMAGEM. Nome. Assinatura CPF _. _. _-

TÉCNICO TÉCNICO TÉCNICO EM ENFERMAGEM 21/MAIO/2006 TÉCNICO EM ENFERMAGEM. Nome. Assinatura CPF _. _. _- TÉCNICO CONCURSO PÚBLICO ADMINISTRATIVO TÉCNICO EM ENFERMAGEM Reservado ao CEFET-RN 21/MAIO/2006 Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome e o número do seu CPF no espaço indicado

Leia mais

SONDAGEM VESICAL DEMORA FEMININA

SONDAGEM VESICAL DEMORA FEMININA SONDAGEM VESICAL SONDAGEM VESICAL DEMORA FEMININA MATERIAL: Bandeja com pacote de cateterismo vesical; Sonda vesical duas vias(foley) de calibre adequado (em geral n. 14); Xylocaína gel, gazes, luvas estéreis;

Leia mais

04. As técnicas de comunicação terapêutica CORRETAS utilizadas pela equipe de enfermagem na abordagem ao paciente psiquiátrico são:

04. As técnicas de comunicação terapêutica CORRETAS utilizadas pela equipe de enfermagem na abordagem ao paciente psiquiátrico são: AUXILIAR DE ENFERMAGEM 1 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 01 A 20 01. Um paciente procurou um ambulatório de doenças infecto-contagiosas com diagnóstico de tuberculose. Nesse caso, o procedimento

Leia mais

ROTINAS E TÉCNICAS DE ENFERMAGEM Relação de POPs

ROTINAS E TÉCNICAS DE ENFERMAGEM Relação de POPs ROTINAS E TÉCNICAS DE ENFERMAGEM Relação de POPs AFERIÇÕES 21.001 Aferição da Altura Corporal Pacientes acima de 2 anos 21.002 da Frequência Respiratória 21.003 de Peso Corporal Pacientes acima de 2 anos

Leia mais

Necessidades humanas básicas: oxigenação. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo

Necessidades humanas básicas: oxigenação. Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Necessidades humanas básicas: oxigenação Profª Ms. Ana Carolina L. Ottoni Gothardo Revisão Revisão O Fatores que afetam a oxigenação Fisiológicos; Desenvolvimento; Estilo de vida; Ambiental. Fisiológicos

Leia mais

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função respiratória é prioritária em qualquer situação de intercorrência clínica. O paciente

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS EFETIVOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE TIBAGI - PR CADERNO DE PROVAS. Cargo

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS EFETIVOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE TIBAGI - PR CADERNO DE PROVAS. Cargo CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS CADERNO DE PROVAS Cargo Técnico em Enfermagem (Sede) Domingo, 30 de outubro de 2011. ANTES DE INICIAR A PROVA, LEIA AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 1. Espere a ordem do

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO. I Introdução

ALEITAMENTO MATERNO. I Introdução ALEITAMENTO MATERNO I Introdução O incentivo ao aleitamento materno continua sendo um grande desafio em saúde pública, considerando-se o alto índice de desmame precoce e o grande número de óbitos infantis

Leia mais

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações

Objetivos. Salvar a vida humana. Minimizar a dor. Evitar complicações Primeiros Socorros Objetivos Salvar a vida humana Minimizar a dor Evitar complicações Abordagem na vítima Verificar Sinais Vitais Verificar se há sangramento, fraturas e etc. Informar-se,se possível o

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL AUXILIAR DE ENFERMAGEM

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL AUXILIAR DE ENFERMAGEM PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL AUXILIAR DE ENFERMAGEM 1. Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira: (1) bile ( ) estômago (2) suco pancreático ( ) fígado (3) amilase

Leia mais

Punção Venosa Periférica CONCEITO

Punção Venosa Periférica CONCEITO Punção Venosa Periférica CONCEITO É a criação de um acesso venoso periférico a fim de administrar soluções ou drogas diretamente na corrente sanguínea, para se obter uma ação imediata do medicamento. Preparar

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II. Nutrição Enteral Profª.Enfª:Darlene Carvalho

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II. Nutrição Enteral Profª.Enfª:Darlene Carvalho FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM II Nutrição Enteral Profª.Enfª:Darlene Carvalho NUTRIÇÃO ENTERAL INDICAÇÕES: Disfagia grave por obstrução ou disfunção da orofaringe ou do esôfago, como megaesôfago chagásico,

Leia mais

REGISTROS DE ENFERMAGEM

REGISTROS DE ENFERMAGEM REGISTROS DE ENFERMAGEM MARIA DA CONCEIÇÃO MUNIZ RIBEIRO MESTRE EM ENFERMAGEM (UERJ) Conceito: Os registros efetuados pela equipe de enfermagem (enfermeiro, técnico e auxiliar) têm a finalidade essencial

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei n 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei n 5.905/73 DECISÃO COREN-RS Nº 077/2013 Dispõe sobre os valores mínimos de honorários de serviços prestados pelos profissionais de Enfermagem no âmbito do Estado do Rio Grande do Sul. O CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM

Leia mais

Página ORIGEM PULMONAR E EXTRAPULMONAR 01 de 05. Anexo 1. Figura 1: Características do frasco rígido com tampa rosca para a coleta de escarro

Página ORIGEM PULMONAR E EXTRAPULMONAR 01 de 05. Anexo 1. Figura 1: Características do frasco rígido com tampa rosca para a coleta de escarro 01 de 05 Anexo 1 Figura 1: Características do frasco rígido com tampa rosca para a coleta de escarro Figura 2: Exemplo de caixa com tampa de material não poroso, rígido, resistente à descontaminação, identificada

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Julgue os itens que se seguem, a respeito da assistência de enfermagem na prevenção e no controle de infecção hospitalar. 41 O curativo da ferida operatória em ambiente hospitalar deve ser realizado diariamente

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM

FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM SODA VESICAL E NASO ENTERAL Prof: Elton Chaves. DÉBITO URINÁRIO Anúria diurese inferior a 100ml Oligúria diurese inferior a 400ml Poliúria- diurese superior a 2.500ml 1 DÉBITO

Leia mais

Sondagens Gastro Gastro-intestinal Vesical Retal Priscilla Roberta Rocha Enfermeira - Especialista em Clínica Médica DEFINIÇÕES SONDA - Tubo que se introduz no organismo em canal natural ou não, para reconhecer-

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO TÉCNICO DE ENFERMAGEM

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO TÉCNICO DE ENFERMAGEM Prezado candidato(a), você recebeu o seguinte material: - um caderno de questões contendo 20 (vinte) questões objetivas,

Leia mais

Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento

Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento Boas práticas de atenção ao parto e ao nascimento Em 1996, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desenvolveu uma classificação das práticas comuns na condução do parto normal, orientando para o que deve

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEE ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEE ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DECEx DEE ESCOLA DE SARGENTOS DAS ARMAS ESCOLA SARGENTO MAX WOLF FILHO EXAME INTELECTUAL AOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE SARGENTOS 2013-14 SOLUÇÃO DAS QUESTÕES DE TÉCNICO

Leia mais

Oxigenoterapia Não invasiva

Oxigenoterapia Não invasiva Oxigenoterapia Não invasiva Definição Consiste na administração de oxigênio numa concentração de pressão superior à encontrada na atmosfera ambiental para corrigir e atenuar deficiência de oxigênio ou

Leia mais

Drenos. Prof. Claudia Witzel

Drenos. Prof. Claudia Witzel Drenos 1 Conceito É um material que quando necessário ;e colocado em uma cavidade, ou ferida, para saída de líquidos, secreções, e ou ar, pois estes não deveriam estar presentes no local. 2 Objetivos dos

Leia mais

As cirurgias cardíacas são acontecimentos recentes;

As cirurgias cardíacas são acontecimentos recentes; CIRURGIAS CARDÍACAS CIRURGIA CARDÍACA As cirurgias cardíacas são acontecimentos recentes; Na Europa e Brasil, até fins do século XIX não eram realizados procedimentos cirúrgicos na cardiologia; Com o avanço

Leia mais

09. Em relação ao Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde (RSS), é correto afirmar que: (RDC 306/2004) (A) os resíduos sólidos são definidos

09. Em relação ao Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde (RSS), é correto afirmar que: (RDC 306/2004) (A) os resíduos sólidos são definidos 09. Em relação ao Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde (RSS), é correto afirmar que: (RDC 306/2004) (A) os resíduos sólidos são definidos como os resíduos nos estados sólidos e semissólido,

Leia mais

ASSISTÊNCIA AO NEONATO EM ESTADO GRAVE. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/42883

ASSISTÊNCIA AO NEONATO EM ESTADO GRAVE. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/42883 ASSISTÊNCIA AO NEONATO EM ESTADO GRAVE Renata Loretti Ribeiro Enfermeira COREN/42883 CUIDADOS INICIAIS NO RN Renata Loretti - Enfermeira 2 Cuidados imediatos Realizados na Sala de Parto pelo Obstetra n

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CONCURSO PÚBLICO PARA TÉCNICO DE ENFERMAGEM 08 DE NOVEMBRO DE 2009... (NOME COMPLETO EM LETRA DE FORMA) INSTRUÇÕES

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA PÓS PARTO HEMORRAGIA PAULO ROBERTO MUNIZ DANTAS Universidade Federal da Paraíba CONSIDERAÇÕES HEMORAGIA PÓS PARTO SITUAÇÃO DRAMÁTICA

Leia mais

SCIH PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO - ITU

SCIH PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO - ITU M Pr02 1 de 5 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB, MS RESUMO A infecção do trato urinário relacionada à assistência à saúde (ITU-RAS) no adulto

Leia mais

Processo seletivo Técnico de Enfermagem

Processo seletivo Técnico de Enfermagem Classificação Nome do Candidato Nota / Prova Objetiva 1. Jeferton de Souza da Silva 9,11 2. Eliomar Paixão de Aquino 7,61 3. Leandra R. Duarte 7,53 4. Lidinéia Silene B. Almeida 7,22 5. José Antônio de

Leia mais

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia.

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia. SISTEMA ESQUELÉTICO Ossos do corpo humano se juntam por meio das articulações. E são responsáveis por oferecer um apoio para o sistema muscular permitindo ao homem executar vários movimentos. O sistema

Leia mais

a. Efetivos b. Autônomos c. Comissionados d. Empregados

a. Efetivos b. Autônomos c. Comissionados d. Empregados CONHECIMENTOS GERAIS 5 QUESTÕES 1. Segundo o Art. 5º do Estatuto do Servidor Público Municipal de Bom Jardim da Serra, quanto às formas de provimento os cargos públicos dividem-se em, exceto: a. Efetivos

Leia mais

CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO

CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO CAPÍTULO 7 : CUIDADOS COM O RECÉM-NASCIDO COM INFECÇÃO As infecções bacterianas nos RN podem agravar-se muito rápido. Os profissionais que prestam cuidados aos RN com risco de infecção neonatal têm por

Leia mais

2. Contra indicações relativas: Pacientes hemodinamicamente instáveis e cirurgias urológicas.

2. Contra indicações relativas: Pacientes hemodinamicamente instáveis e cirurgias urológicas. Revisão: 10/07/2013 PÁG: 1 CONCEITO Prática de higiene destinada a identificar pacientes em risco de desenvolver infecção da genitália, do trato urinário ou do trato reprodutivo e assegurar conforto físico.

Leia mais

Norma - Algaliação. Terapêutica Permitir a permeabilidade das vias urinárias. Diagnóstica Determinar por exemplo o volume residual

Norma - Algaliação. Terapêutica Permitir a permeabilidade das vias urinárias. Diagnóstica Determinar por exemplo o volume residual Norma - Algaliação DEFINIÇÃO Consiste na introdução de um cateter da uretra até á bexiga. É uma técnica asséptica e invasiva. Sendo uma intervenção interdependente, isto é, depende da prescrição de outros

Leia mais

UNIDADE II: CONDUTA HUMANIZADA NO PARTO E NASCIMENTO

UNIDADE II: CONDUTA HUMANIZADA NO PARTO E NASCIMENTO UNIDADE II: CONDUTA HUMANIZADA NO PARTO E NASCIMENTO Discutiremos nesta unidade a humanização como principio de qualidade, apresentação das condutas humanizadas no parto e nascimento e cuidados durante

Leia mais

SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA SONDAGEM NASOGÁSTRICA E LAVAGEM INTESTINAL

SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA SONDAGEM NASOGÁSTRICA E LAVAGEM INTESTINAL SEMIOLOGIA E SEMIOTÉCNICA SONDAGEM NASOGÁSTRICA E LAVAGEM INTESTINAL SISTEMA DIGESTÓRIO Formado pelo tubo digestivo e as glândulas anexas; Subdividido em: -cavidade oral - esôfago - estômago - intestino

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA COLETA E TRANSPORTE DE SECREÇÃO RESPIRATÓRIA - 2015

ORIENTAÇÕES PARA COLETA E TRANSPORTE DE SECREÇÃO RESPIRATÓRIA - 2015 Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul Instituto de Pesquisas Biológicas Laboratório Central de Saúde Pública- IPB-LACEN/RS SEÇÃO DE VIROLOGIA - LABORATÓRIO DE VÍRUS RESPIRATÓRIOS INVESTIGAÇÃO DA INFLUENZA

Leia mais

AEMS- FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS MS

AEMS- FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS MS AEMS- FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS MS ASSEPSIA E CONTROLE DE INFECÇÃO Prof. MARCELO ALESSANDRO RIGOTTI LICENCIADO EM ENFERMAGEM e ESPECIALISTA EM CONTROLE DE INFEÇÃO Mestrando pela Escola de Enfermagem

Leia mais

Medidas de Controle e Prevenção da Infecção

Medidas de Controle e Prevenção da Infecção Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro Protocolos Influenza A (H1N1) Medidas de Controle e Prevenção da Infecção Porta

Leia mais

Bactérias e Doenças Associadas

Bactérias e Doenças Associadas Bactérias e Doenças Associadas Disenteria Bacilar Agente Etiológico: Bactérias do gênero Shigella Forma de transmissão: Água e alimentos contaminados com as fezes dos doentes. Sintomas: Infecção intestinal,

Leia mais

COMPOSIÇÃO Cada 1 g de pó contém: benzocaína... 0,006 g bicarbonato de sódio... 0,884 g clorato de potássio... 0,11g

COMPOSIÇÃO Cada 1 g de pó contém: benzocaína... 0,006 g bicarbonato de sódio... 0,884 g clorato de potássio... 0,11g IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Albicon benzocaína, bicarbonato de sódio, clorato de potássio APRESENTAÇÕES Pó para uso tópico. Cada grama contém 0,006 g de benzocaína, 0,884 g de bicarbonato de sódio e

Leia mais

Enfermagem PADRÃO DE RESPOSTA

Enfermagem PADRÃO DE RESPOSTA Enfermagem PADRÃO DE RESPOSTA Em termos de atendimento à proposta, espera-se que o estudante estabeleça relação entre a qualidade do serviço de esgotamento sanitário e de tratamento da água para o agravamento

Leia mais

Orientações para tratamento de feridas (ultima atualização Novembro de 2007)

Orientações para tratamento de feridas (ultima atualização Novembro de 2007) Orientações para tratamento de feridas (ultima atualização Novembro de 2007) Hospital Municipal Miguel Couto 1 Objetivos: Oferecer informações técnicas e científicas atualizadas para as equipes médicas

Leia mais

CONCEITO. É definido como um material colocado no interior de uma ferida ou cavidade, visando permitir a saída de fluídos ou ar que estão

CONCEITO. É definido como um material colocado no interior de uma ferida ou cavidade, visando permitir a saída de fluídos ou ar que estão DRENOS CONCEITO É definido como um material colocado no interior de uma ferida ou cavidade, visando permitir a saída de fluídos ou ar que estão ou podem estar ali presentes. OBJETIVOS DOS DRENOS Permitem

Leia mais

Agrotóxicos. O que são? Como são classificados? Quais os sintomas de cada grupo químico?

Agrotóxicos. O que são? Como são classificados? Quais os sintomas de cada grupo químico? Dica de Bolso Agrotóxicos O que são? Como são classificados? Quais os sintomas de cada grupo químico? 12 1 O QUE SÃO AGROTÓXICOS? Agrotóxicos, também chamados de pesticidas, praguicidas, biocidas, fitossanitários,

Leia mais

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO (ISC)

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO (ISC) PREVENÇÃO DE INFECÇÃO EM SÍTIO CIRÚRGICO (ISC) Enf.ª Cláudia Cristina Castro de Andrade SEC/SCIH devidos créditos! Plágio é Crime! UM POUCO DE HISTÓRIA... Até a metade do século XIX ISC= óbito Joseph Lister,

Leia mais

MEU SALÃO LIVRE DAS HEP TITES. Manual de prevenção para manicures e pedicures

MEU SALÃO LIVRE DAS HEP TITES. Manual de prevenção para manicures e pedicures MEU SALÃO LIVRE DAS HEP TITES Manual de prevenção para manicures e pedicures Faça a sua parte e deixe as hepatites virais fora do seu salão de beleza As hepatites são doenças graves e, muitas vezes, silenciosas.

Leia mais

CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Maria da Conceição Muniz Ribeiro

CÂNCER DO COLO DO ÚTERO. Maria da Conceição Muniz Ribeiro CÂNCER DO COLO DO ÚTERO Maria da Conceição Muniz Ribeiro O câncer do colo do útero, também chamado de cervical, demora muitos anos para se desenvolver. As alterações das células que podem desencadear o

Leia mais

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO

MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE COORDENAÇÃO NACIONAL DE DST E AIDS MANUAL DE CONDUTAS EM EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL A MATERIAL BIOLÓGICO INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é descrever

Leia mais

FUNDAÇÃO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO PARÁ. N 0 Recomendação REC - 003

FUNDAÇÃO SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DO PARÁ. N 0 Recomendação REC - 003 Página 1/6 1- INTRODUÇÃO: O trato urinário é um dos sítios mais comuns de infecção hospitalar, contribuindo com cerca de 40% do total das infecções referidas por hospitais gerais. Além das condições de

Leia mais

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA:

Código: ENFDIG Disciplina: DIDÁTICA GERAL Fase: 5ª Grade curricular: 2000 Pré-requisitos: Psicologia da Educação DESCRIÇÃO DO PROGRAMA: 21cir FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecimento: Portaria nº 604, de 31 de maio de 1995 E-mail: denf@unir.br Campus Porto Velho/RO. BR 364,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÊNIO - Cateter nasal e máscara de oxigênio

ADMINISTRAÇÃO DE OXIGÊNIO - Cateter nasal e máscara de oxigênio Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Administração de oxigênio, a uma pressão maior que a encontrada no ar ambiente, para aliviar e/ou impedir hipóxia tecidual. FINALIDADE Fornecer concentração adicional de oxigênio

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS 2ª edição SUMÁRIO Nutrição Enteral: definição 1. Cuidados no preparo da Nutrição Enteral Higiene

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

Adultos e idosos também precisam se vacinar

Adultos e idosos também precisam se vacinar ANO VII N.º 10 Abril 2013 Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Adultos e idosos também precisam se vacinar Na hora de cuidar da própria saúde, muitos adultos e idosos não dão importância

Leia mais

CATETERISMO SONDA NASOGÁSTRICA. Introdução

CATETERISMO SONDA NASOGÁSTRICA. Introdução CATETERISMO SONDA NASOGÁSTRICA Introdução A sonda é um instrumento para ser introduzido em um canal ou cavidade para fins propedêuticos (determinar a presença de estenose, corpo estranho ou uma outra situação

Leia mais

Doenças Vasculares. Flebite ou Tromboflebite. Conceito:

Doenças Vasculares. Flebite ou Tromboflebite. Conceito: Doenças Vasculares Tromboflebiteé uma afecção na qual se forma um coágulo numa veia, em conseqüência de flebite ou devido à obstrução parcial da veia. Flebiteé a inflamação das paredes de uma veia. Causas:

Leia mais

Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP)

Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) Componente Curricular: Enfermagem Médica Profª Mônica I. Wingert Módulo III Turma 301E Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) É parada súbita e inesperada da atividade mecânica ventricular útil e suficiente

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso ANEXO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 4ª etapa do curso Células e Tecidos do Sistema Imune Anatomia do sistema linfático Inflamação aguda e crônica Mecanismos de agressão por

Leia mais

CARGO: TÉCNICO EM ENFERMAGEM

CARGO: TÉCNICO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO HUMANO E SOCIAL DEPARTAMENTO DE DESENVOLVIMENTO DE POTENCIALIZAÇÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE ADMISSÃO E MOVIMENTAÇÃO EDITAL N o 036/DDPP/2009

Leia mais

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC ALGUNS TERMOS TÉCNICOS UNESC FACULDADES - ENFERMAGEM PROFª.: FLÁVIA NUNES Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica Ortopneia: É a dificuldade

Leia mais

Pós operatório em Transplantes

Pós operatório em Transplantes Pós operatório em Transplantes Resumo Histórico Inicio dos programas de transplante Dec. 60 Retorno dos programas Déc 80 Receptor: Rapaz de 18 anos Doador: criança de 9 meses * Não se tem informações

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA E EXTENSÃO DE SERGIPE. Concurso Público da Prefeitura Municipal de Boquim

FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA E EXTENSÃO DE SERGIPE. Concurso Público da Prefeitura Municipal de Boquim FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA E EXTENSÃO DE SERGIPE PREFEITURA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO E JUSTIÇA SOCIAL Concurso Público da Prefeitura Municipal de Boquim PORTUGUÊS NÍVEL MÉDIO, CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Tuberculose, o que é?

Tuberculose, o que é? Tuberculose, o que é? P Á T R I A E D U C A D O R A O que é tuberculose? A tuberculose é uma doença infecciosa causada por um micróbio visível apenas ao microscópio chamado bacilo de Koch. Uma doença causada

Leia mais

IMPORTANTE. Os imunobiológicos devem ser mantidos no REFRIGERADOR com temperatura entre -2 e +8 C.

IMPORTANTE. Os imunobiológicos devem ser mantidos no REFRIGERADOR com temperatura entre -2 e +8 C. Administração de Imunobiológicos IMPORTANTE Os imunobiológicos devem ser mantidos no REFRIGERADOR com temperatura entre -2 e +8 C. Contra indicações gerais: Imunodeficiência congênita ou adquirida Neoplasias

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS Acionamento do serviço de emergência Antes de iniciar qualquer procedimento, garanta sua segurança e acione o serviço de emergência. 193 192 Fonte:

Leia mais

REAÇÃO ALÉRGICA AO CONTRASTE IODADO

REAÇÃO ALÉRGICA AO CONTRASTE IODADO 1 de 7 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial RN, IA 1 Objetivo: Identificar, qualificar e principalmente evitar qualquer tipo

Leia mais

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 Gestos que Salvam O que fazer? EM CASO DE EMERGÊNCIA O QUE FAZER Número Europeu de Emergência LIGAR PARA O NÚMERO EUROPEU

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE E DEFESA CIVIL SUBSECRETARIA DE PROMOÇÃO, ATENÇÃO BÁSICA E VIVILÂNCIA COORDENADORIA DE SAÚDE DA AP 5.2 DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIVISÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE BETI BRISSE

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLHA DO PRÉ-NATAL E DO PRÉ- NATALISTA.

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLHA DO PRÉ-NATAL E DO PRÉ- NATALISTA. A IMPORTÂNCIA DA ESCOLHA DO PRÉ-NATAL E DO PRÉ- NATALISTA. Um atendimento pré-natal de qualidade é fundamental para a saúde da gestante e de seu bebê. Logo que você constatar que está grávida, deve procurar

Leia mais

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso

ANEXO. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do curso ANEXO Para candidatos que desejam entrar na 2ª etapa do Metabolismo (anabolismo x catabolismo) Metabolismo de Carboidratos Metabolismo de Lipídeos Motilidade no trato gastrointestinal Introdução ao Metabolismo

Leia mais

Hepatites B e C. são doenças silenciosas. VEJA COMO DEIXAR AS HEPATITES LONGE DO SEU SALÃO DE BELEZA.

Hepatites B e C. são doenças silenciosas. VEJA COMO DEIXAR AS HEPATITES LONGE DO SEU SALÃO DE BELEZA. Hepatites B e C são doenças silenciosas. VEJA COMO DEIXAR AS HEPATITES LONGE DO SEU SALÃO DE BELEZA. heto hepatite manucure.indd 1 Faça sua parte. Não deixe as hepatites virais frequentarem seu salão.

Leia mais

Vacina Pentavalente. Nomenclatura. Proteção. Forma Farmacêutica Apresentação

Vacina Pentavalente. Nomenclatura. Proteção. Forma Farmacêutica Apresentação Vacina Pentavalente Nomenclatura Proteção Forma Farmacêutica Apresentação Lab. Produtor Composição Indicação Precauções Contra Indicações - Vacina adsorvida difteria, tétano, pertussis, hepatite B (recombinante)

Leia mais

ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA A CATETERISMO VESICAL

ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA A CATETERISMO VESICAL ROTINA DE PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA A CATETERISMO VESICAL Definição: Infecção urinária sintomática associada ao cateter: Febre > 38 o C ou sensibilidade suprapúbica e cultura positiva

Leia mais

RESUMÃO AV2 - ENSINO CLÍNICO V TEÓRICO (CC) Resumão elaborado por: Edwallace Amorim

RESUMÃO AV2 - ENSINO CLÍNICO V TEÓRICO (CC) Resumão elaborado por: Edwallace Amorim OBJETIVAS: RESUMÃO AV2 - ENSINO CLÍNICO V TEÓRICO (CC) Resumão elaborado por: Edwallace Amorim 1. De acordo com a RDC 50/2002, para até 02 salas de cirurgia, devem existir no lavabo? R: Quatro torneiras.

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. Orientações de Saúde Para Cadeirantes

1. APRESENTAÇÃO. Orientações de Saúde Para Cadeirantes 1. APRESENTAÇÃO Uma parcela significativa dos atletas paralímpicos são lesados medulares e/ou cadeirantes. Nos Jogos Paralímpicos de Londres a delegação brasileira apresentou-se com 180 atletas, dos quais

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

NAXOGIN COMPRIMIDOS. 500 mg

NAXOGIN COMPRIMIDOS. 500 mg NAXOGIN COMPRIMIDOS 500 mg Naxogin nimorazol I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Naxogin Nome genérico: nimorazol APRESENTAÇÕES Naxogin comprimidos de 500 mg em embalagens contendo 8 comprimidos.

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

SISTEMAS RENAL E URINÁRIO. Enf. Juliana de S. Alencar HC/UFTM Dezembro de 2011

SISTEMAS RENAL E URINÁRIO. Enf. Juliana de S. Alencar HC/UFTM Dezembro de 2011 SISTEMAS RENAL E URINÁRIO Enf. Juliana de S. Alencar HC/UFTM Dezembro de 2011 CONSIDERAÇÕES GERAIS É de extrema importância para a vida a função adequada dos sistemas renal e urinário. A principal função

Leia mais

Protocolo de Ações e Condutas Para Acompanhamento das Patologias Obstétricas

Protocolo de Ações e Condutas Para Acompanhamento das Patologias Obstétricas Protocolo de Ações e Condutas Para Acompanhamento das Patologias Obstétricas Descrição do Procedimento Operacional Padrão Quando Na admissão da paciente após detecção da patologia obstétrica. Objetivo

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

AUX. ENFERMAGEM LÍNGUA PORTUGUESA MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA UTILIZE O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE 01 A 10. Texto I

AUX. ENFERMAGEM LÍNGUA PORTUGUESA MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA UTILIZE O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE 01 A 10. Texto I LÍNGUA PORTUGUESA MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA UTILIZE O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE 01 A 10. Texto I O gerente de Malu Mader oferece fundos de investimentos exclusivos. Providencia análise de

Leia mais

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com:

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L 3.1. Diagnóstico da Gravidez O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: Após confirmação da gravidez

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água.

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água. RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁCIDO MURIÁTICO Composição: Água e Ácido Clorídrico Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger

Leia mais

TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS

TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS Transplante de órgãos é o ato de colher um órgão, tecido ou parte deles de um individuo (doador)

Leia mais

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac DENGUE Treinamento Rápido em Serviços de Saúde Médico 2015 Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac O Brasil e o estado de São Paulo têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: AUX.DE ENFERMAGEM

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: AUX.DE ENFERMAGEM ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE ITABAIANA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: AUX.DE ENFERMAGEM * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno de Questões,

Leia mais