UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES LAIS SOUZA NOVAES FABIO TSUTOMU AKABANE TRATAMENTO DA RINITE ALÉRGICA COM ACUPUNTURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES LAIS SOUZA NOVAES FABIO TSUTOMU AKABANE TRATAMENTO DA RINITE ALÉRGICA COM ACUPUNTURA"

Transcrição

1 6 UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES LAIS SOUZA NOVAES FABIO TSUTOMU AKABANE TRATAMENTO DA RINITE ALÉRGICA COM ACUPUNTURA Mogi das Cruzes, SP 2012 UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES LAIS SOUZA NOVAES FABIO TSUTOMU AKABANE

2 7 TRATAMENTO DA RINITE ALÉRGICA COM ACUPUNTURA Monografia apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Universidade de Mogi das Cruzes, como parte dos requisitos para a obtenção do título de Especialista em Acupuntura. Orientadores: Profº Luiz Bernardo Leonelli Profª Bernadete Nunes Stolai Mogi das Cruzes, SP 2012 UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES LAIS SOUZA NOVAES FABIO TSUTOMU AKABANE

3 8 TRATAMENTO DA RINITE ALÉRGICA COM ACUPUNTURA Monografia apresentada ao Programa de Pós-Graduação da Universidade de Mogi das Cruzes, como parte dos requisitos para a obtenção do título de Especialista em Acupuntura. Aprovado em... BANCA EXAMINADORA: Profa. Bernadete Nunes Stolai UMC UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES Prof. Luiz Bernardo Leonelli UMC UNIVERSIDADE DE MOGI DAS CRUZES AGRADECIMENTOS Agradecemos primeiramente a Deus por nos iluminar e com fé, conseguimos alcançar mais esta vitória.

4 9 Agradecemos aos nossos orientadores Bernadete Nunes Stolai e Luiz Bernardo Leonelli pela orientação e esclarecimentos de dúvidas surgidas no decorrer desta pesquisa, e principalmente pela paciência. Aos Professores Luiz A. Alfredo, Romana de Souza Franco, Bernadete Nunes Stolai e Luiz Bernardo Leonelli pela dedicação e carinho apostados em nós durante todo o correr do curso. E por fim, e não menos lembrados, agradecemos a todos os pacientes que de alguma forma contribuíram para que esta pesquisa fosse concretizada. RESUMO A Rinite Alérgica pode ser definida como uma reação de resposta inflamatória da mucosa que reveste o nariz toda vez que ela entra em contato com determinadas substâncias que são chamadas de alérgenos. Elas podem ser encontradas nos recintos (poeira doméstica, por exemplo), como no meio ambiente (pólen). Os principais sinais e sintomas da rinite alérgica incluem crises de espirros, coriza, coceira nasal, obstrução nasal e sintomas oculares (coceira, lacrimejamento). Geralmente tratada com terapia medicamentosa. A Acupuntura é uma alternativa

5 10 interessante ao tratamento tradicional. Destacando também a capacidade de estimluar reações fisiológicas como a ativação do sistema imunológico, além de manter o equilibrio do organismo para que o mesmo esteja em harmonia. Sendo a Acupuntura uma prática extremamente segura. Por isso este trabalho tem como objetivo verificar os efeitos do tratamento com Acupuntura na Rinite Alérgica, baseado em artigos nacionais e internacionais. Para o estudo sobre o tema foram realizadas consultas nas bases de dados eletrônicos (Bireme, Scielo, Pubmed) abrangendo o período de 1992 a Como resultado da pesquisa, os pacientes com RA tratados com Acupuntura apresentaram melhoras na obstrução nasal, espirro, coriza, prurido nasal e nas recidivas da patologia e em apenas um estudo não houve alterações dos sintomas clínicos. Conclui-se que pode-se considerar promissora a Acupuntura como método de tratamento. Palavras-chave: Rinite Alérgica, Acupuntura, Tratamento. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO METODOLOGIA MATERIAL PROCEDIMENTOS RINITE ALÉRGICA DIAGNÓSTICO TRATAMENTO... 11

6 11 4 ACUPUNTURA TEORIA YIN-YANG TEORIA DOS CINCO ELEMENTOS SUBSTÂNCIAS ZANG FU Pulmão (Fei) Baço-Pâncreas (Pi) Rins (Shen) Vesícula Biliar (Dan) CANAIS DE ENERGIA CURIOSOS FATORES DAS DOENÇAS Fatores Internos Fatores Externos Fatores Mistos RINITE ALÉRGICA NA MEDICINA TRADICIONAL CHINESA PADRÕES SINDRÔMICOS DA RINITE ALÉRGICA TRATAMENTOS COM MOXA E ACUPUNTURA CONCLUSÃO REFERÊNCIAS INTRODUÇÃO A literatura indica que a Rinite Alérgica (RA) apresenta um impacto importante no trabalho e em sua produtividade. Os doentes sentem-se aborrecidos pela fadiga, pelo baixo desempenho e concentração no trabalho, pela cefaléia e mal-estar. A conjuntivite piora a visão e as atividades relacionadas a ela (MEGID et al., 2006). Segundo Ibiapina et al., (2008) a RA pode ser considerada a doença de maior prevalência entre as doenças respiratórias crônicas e, apesar de não estar entre

7 12 aquelas de maior gravidade, é um problema global de saúde pública, também, porque afeta a qualidade de vida dos pacientes e dificulta o controle da asma. A prevalência tem aumentado ao longo dos anos e provavelmente é subestimada, pois muitos indivíduos não a reconhecem como uma doença e não procuram atendimento médico. Por outro lado, os profissionais de saúde freqüentemente negligenciam a rinite. Ainda assim, a rinite alérgica encontra-se entre as dez razões mais freqüentes para a procura de atendimento primário à saúde. A RA afeta a vida domiciliar de muitos pacientes. As crianças com RA podem vivenciar sensações de completo isolamento, mesmo dentro de suas casas, já que muitas vezes a presença de alérgenos impede que participem das atividades familiares, como piqueniques, brincadeiras com os animais de estimação e ida a acampamentos (LIMA e SANTOS, 2007). O efeito social da RA não se restringe apenas à família. Na escola, essas crianças podem apresentar distúrbios emocionais em decorrência do prejuízo de aprendizado que comumente acompanha a RA e/ou devido às limitações de atividades impostas pela necessidade de evitar o contato com os alérgenos. Com isso, sua habilidade de integração completa e irrestrita com seus pares fica muito prejudicada, e surgem os distúrbios emocionais (RODRIGUES, SANTIS e ARROBAS, 2009). A RA é uma condição crônica que exerce um impacto socioeconômico importante sobre os pacientes, suas famílias, os sistemas de saúde e a sociedade como um todo. Esse impacto é composto por custos diretos, gerados pelo uso do sistema de saúde, e por custos indiretos, associados à perda da produtividade econômica. Assim, pessoas com rinite e/ou asma necessitam lidar com a carga, tanto imediata como em longo prazo, determinada por essas doenças que, habitualmente, acabam por afetar suas atividades diárias. Precisam freqüentemente escolher como distribuir seus recursos financeiros - normalmente direcionados às necessidades diárias, como alimentação e vestimentas - para custear os cuidados médicos necessários à melhora de sua condição de saúde (NUNES e SOLÉ, 2010). Graus variáveis de prejuízo às atividades profissionais podem ser vivenciados por até 60% dos pacientes com RA persistente e por até 40% dos com RA intermitente. Os pacientes queixam-se de cefaléia, fadiga, baixo rendimento e baixa concentração no trabalho. Vale lembrar que a conjuntivite, comumente associada à

8 13 RA, pode prejudicar a acuidade visual e as atividades relacionadas à visão (BOUSQUET et al., 2010). Rinite Alérgica (RA) é definida como uma inflamação da mucosa nasal, induzida pela exposição a alérgenos que, após sensibilização, desencadeiam uma resposta inflamatória mediada por imunoglobulina E (IgE) que produz liberação de substâncias vasoativas de mastócitos (histamina), que pode resultar em sintomas crônicos ou recorrentes (IBIAPINA et al., 2008). O início das manifestações clinica da RA ocorre mais comumente durante a infância, embora essas possam ser iniciadas mais tardiamente em até 30% dos pacientes. Segundo a freqüência dos sintomas, a RA é classificada como intermitente ou persistente e, de acordo com a intensidade dos sintomas, em leve ou moderado a grave (NUNES e SOLÉ, 2010). Existem duas formas de RA: uma sazonal (em determinadas épocas dos anos) e uma perene (que dura o ano todo, podendo ser continua ou intermitente) (MELLO, 2008). Segundo Rodrigues et al., (2009) a RA está intimamente associada à Asma. Tanto que se estima que 70% das pessoas que têm asma também são portadoras de rinite. Isoladamente, de 10% a 20% da população têm asma e 10% a 25%, rinite. Ainda que sejam causadas por um conjunto de fatores patogênicos e ambientais, sabe-se que o tratamento da rinite favorece o controle da asma. Complementando, Megid et al., (2006) relata que a RA está sendo pouco diagnosticada porque as pessoas têm a falsa idéia de ser apenas um resfriado e não procuram assistência médica. Estudos demonstram que a exposição aos alérgenos nos primeiros anos de vida resulta em declínio da função pulmonar e aumento da hiper-responsividade brônquica e dos níveis de óxido nítrico exalado, associados a um persistente influxo de eosinófilos e linfócitos T para as pequenas vias aéreas (IBIAPINA et al., 2008). A maioria dos autores defende que a Sinusite é uma complicação da Rinite, pois a alergia leva à inflamação da mucosa nasal, com edemas e obstrução dos ostios dos seios perinasais e conseqüente compromisso da sua oxigenação e drenagem (RODRIGUES, SANTIS e ARROBAS, 2009). O uso da Acupuntura para tratamento do quadro de Rinite Alérgica pode se apresentar como mais uma opção terapêutica, em que a substituição da medicação diminui o risco de efeitos colaterais pelo uso dessas substâncias por um período

9 14 prolongado, podendo muitas vezes não ser eficaz nas crises de rinite alérgica, enquanto que a Acupuntura produz um efeito anti-nociceptivo e antiinflamatório cessando o espirro e a coriza imediatamente. Dentre outras vantagens destaca-se a capacidade de estimular reações fisiológicas como a ativação do sistema imunológico e maior irrigação sanguínea. A Acupuntura é uma prática extremamente segura, exigindo apenas uma eficiência e um bom nível técnico do terapeuta (XUE et al., 2007). O objetivo deste trabalho é realizar um levantamento de artigos internacionais e nacionais, e verificar os efeitos do tratamento com Acupuntura na Rinite Alérgica (RA). 2 METODOLOGIA 2.1 MATERIAL Como material do estudo, foram utilizados artigos científicos internacionais e nacionais de sites eletrônicos como Scielo, Bireme, e Pubmed, e como critério de inclusão o ano de publicação entre 1992 a 2011.

10 PROCEDIMENTOS Para a realização deste estudo utilizou-se as palavras-chave (Rinite Alérgica, Acupuntura e Tratamento), nos sites eletrônicos (Bireme, Scielo e Pubmed). Os artigos encontrados correspondem aos critérios de inclusão e exclusão e também aos objetivos deste estudo. 3 RINITE ALÉRGICA Os fatores etiológicos da Rinite Alérgica são os aeroalergénios (ácaros do pó, polens, pêlos de animais, fungos, etc.) os mais freqüentes. Também os fármacos, como aspirina e outros anti-inflamatórios, desencadeiam freqüentemente quadros de rinite alérgica. Apesar de menos documentado, não se pode menosprezar o papel dos poluentes (domésticos e de exterior) (RODRIGUES, SANTIS e ARROBAS, 2009).

11 16 A Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI, 2009) afirma que na primeira exposição ao alergênico (sensibilização) este é apresentado pelas células dendríticas da mucosa nasal aos linfócitos T (Th 2) que, por sua vez, vão estimular os linfócitos B a produzir IgE. Surgindo então, os sintomas nasais, como, rinorréia aquosa, obstrução/prurido nasal, coceira, sintomas oculares, broncoespasmo e edema, alem de congestão nasal, coriza e espirros que podem ocorrer, no mínimo, de 30 a 60 minutos por dia. Tais pacientes apresentam localmente uma hiporreatividade simpática e hiperreatividade parassimpática, conseqüentemente apresentando sintomas por estímulos inesperados (mudanças de temperatura, umidade relativa do ar, etc) (MELLO, 2008). 3.1 DIAGNÓSTICO De acordo com Ibiapina et al., (2008) um adequado exame clínico identifica sem muitas dificuldades os sinais de rinite, tais como: hipertrofia e palidez dos cornetos inferiores, e secreção hialina, que estão associados a uma disfunção do epitélio, vasos, glândulas e nervos que, devido a um infiltrado de células inflamatórias, mediadores inflamatórios e citocinas, prejudicam o processo de aquecimento, umidificação e filtração do ar inspirado. Complementando, Zhang (2009) afirma que é comum ter a prega nasal transversa, palato alto e abobadado devido à respiração bucal, mal-oclusão dentária, olheira alérgica. Em outras ocasiões ocorrem disfunções tubárias, com queixas de repercussões auriculares. O diagnóstico da RA é clinico, e pode ser confirmado através de testes laboratoriais. O que define a etiologia da doença alérgica é a demonstração de sensibilização específica que pode ser obtida por testes in vivo ou in vitro. Os teste cutâneos de hipersensibilidade imediata a aeroalérgenos por meio de punctura (prick test) são os mais utilizados no diagnóstico da alergia respiratória em geral. O teste avalia, in vivo. Simultaneamente a presença de IgE específica ligada ao mastócito, a reatividade da célula exposta ao alérgeno e a resposta de órgãos-alvo locais à liberação de mediadores. O método para determinação de IgE especifica in vitro

12 17 mais utilizado é o ensaio radioimunoenzimático. Quando utilizados alérgenos padronizados revela sensibilidade e especificidade semelhantes aos testes cutâneos, mas por serem mais dispendiosos, necessitam de punção venosa (LIMA e SANTOS, 2007). Segundo Bousquet et al., (2010), estes testes são úteis principalmente para afastar aqueles casos sintomáticos de rinite por irritantes primários como fumaça de cigarro, mudanças de temperatura e não por respostas alérgicas devido à interação com anticorpos IgE e células liberadoras de histamina. O exame otorrinolaringológico é fundamental nos doentes com rinite alérgica, tanto para a avaliação de comorbilidades/complicações associadas, como para o diagnóstico diferencial (RODRIGUES, SANTIS e ARROBAS, 2009). 3.2 TRATAMENTO O tratamento dos pacientes portadores de rinite alérgica é composto por três pontos fundamentais: A- Higiene ambiental. B- Tratamento medicamentoso. C- Vacinas anti-alérgicas (NUNES e SOLÉ, 2010). De acordo com Bousquet et al., (2010), o problema é que não é fácil evitar o contato com o ácaro, a principal causa de rinite alérgica. No entanto, algumas medidas simples podem ser adotadas para diminuir a proliferação desses insetos. A casa e principalmente o quarto onde o doente dorme devem ser limpos com bastante freqüência. O ideal é que não existam carpetes, cortinas, tapetes, bichos de pelúcia, almofadas, móveis e outros e utensílios que possam acumular poeira nos ambientes em que os portadores de rinite vivem. Alguns cuidados podem ajudar a prevenir os efeitos de doenças respiratórias. Um ponto importante a considerar é a existência de boa ventilação na casa e no quarto. Em ambientes ensolarados, é mais difícil o bolor (fungo) se desenvolver. Os portadores de doenças respiratórias precisam privilegiar ambientes arejados e devem tomar sol nos horários em que os raios estejam mais fracos - antes das 10 e depois das 16h (MELLO, 2008). O objetivo do tratamento farmacológico da rinite alérgica é promover uma prevenção efetiva ou o alívio dos sintomas, tão segura e efetivamente quanto

13 18 possível. A remoção ou a prevenção do contato com alérgenos é sempre recomendada; entretanto, a terapêutica farmacológica é freqüentemente necessária. O emprego de medidas simples, como lavagem nasal com solução salina ou a adição de anti-histamínico tópico ou oral associado a uma baixa dose de corticóide intranasal, pode ajudar no controle da rinite alérgica e das rinossinusites crônicas (IBIAPINA et al., 2008). Como Lima e Santos (2007) citam, os corticóides podem ser aplicados topicamente, orais ou aplicados via parenteral. A aplicação de esteróides tópicos tem apresentado um aumento considerável. Estes resultados são atribuídos aos efeitos locais benéficos sistêmicos mínimos. Os efeitos adversos encontrados com o uso do corticóide se devem à irritação local. Pode aparecer queimação, epistaxe, ardência, secura, espirro. Normalmente, aparece sangue na secreção nasal quando usa corticóide intranasal. Quando os tratamentos feitos nestas condições (higiene ambiental e medicamentos) falham, pode-se associar o uso de vacinas anti-alérgicas. Este tratamento é longo, porém, quando feito corretamente, diminuí a sensibilidade do doente aquela substância ao qual ele era alérgico. Muitas vezes, chegamos ao ponto onde não há mais necessidade do uso de medicamentos (RODRIGUES, SANTIS e ARROBAS, 2009). 4 ACUPUNTURA A Acupuntura é o conjunto de conhecimentos teórico-empíricos da medicina chinesa tradicional que visa à terapia e à cura das doenças através da aplicação de agulhas e de moxas, além de outras técnicas (WEN, 2006 p. 09). A Acupuntura é parte integrante da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), fazendo parte das suas bases teóricas, e tem sido utilizada no tratamento e prevenção de diversas doenças há séculos. Diversas doenças otorrinolaringológicas

14 19 foram tratadas com Acupuntura, apresentando resultados satisfatórios, inclusive as doenças alérgicas nasais (MEGID et al., 2006). Segundo Mello (2008), muitos conceitos preconizados pela MTC podem, hoje, ser explicados há luz da neuroanatomia e da neurofisiologia, graças a recentes pesquisas neurofisiológicas sobre o mecanismo de ação de anestesia por Acupuntura, permitindo que a fisiologia do ser humano possa ser estudada de um modo global. Isto fez com que as milenares teorias filosóficas do yang e do yin, dos Cinco Movimentos, dos Zang-Fu e dos Jing-Luo passassem a ter fundamento científico. Segundo a teoria da Acupuntura, todas as estruturas do organismo se encontram ariginalmente em equilíbrio pela atuação das energias Yin (negativa) e Yang (positiva). Por outro lado, um desequilíbrio gerará a doença. A arte da Acupuntura visa, através de suas técnicas e procedimentos, estimular os pontos reflexos que tenha a propriedade de restabelecer o equilíbrio, alcançando-se assim, resultados terapêuticos (WEN, 2006 p.10). 4.1 TEORIA YIN-YANG Todas as coisas na natureza se desenvolvem sob influência da interação entre Yin e Yang. No ideograma chinês, Yin e Yang estão representados pelos lados ensolarado e sombrio da montanha. Em um processo dinâmico, os dois se completam. Yin não pode existir sem Yang, as duas forças se associam para construir um todo. O sistema de polaridade Yin e Yang têm uma função importante na medicina quanto à explicação do mecanismo da vida no corpo humano e suas disfunções patológicas (STUX e POMERANZ, 2004, p.79-80). O Yang representa todos os aspectos que se caracterizam por atividade, como calor, movimento, claridade, expansão, explosão, polaridade positiva, céu, também o Sol e o homem. O Yin representa o oposto, ou seja, os aspectos que caracterizam por atividade menor, como frio, repouso, escuridão, retração, implosão, polaridade negativa, terra, também a Lua e a mulher. A doença tem origem quando se instala um desequilíbrio entre o Yin e Yang (YAMAMURA, 2009, p.xliv).

15 20 No corpo humano há órgãos de constituição frágil que necessitam da proteção das costelas. São cinco órgãos: Coração, Pulmão, Rins, Baço-Pâncreas e Fígado. Eles pertencem ao Yin e seus pontos principais estão localizados na região ventral do corpo. Ao contrário, as vísceras menos protegidas e de constituição mais forte como Estômago, Intestino Delgado, Intestino Grosso, Bexiga, Vesícula Biliar e Útero, são de natureza Yang (WEN, 2006, p. 18). Segundo Maciocia (2004), existem quatro aspectos da relação Yin e Yang: Oposição de Yin e Yang: o Yin e Yang são tanto estágios opostos de um ciclo como estados de agregação. Nada no mundo natural escapa a essa oposição. Essa mesma contradição interna constitui a força motriz de toda modificação, desenvolvimento e deterioração das coisas. Interdependência de Yin e Yang: embora Yin e Yang sejam opostos, são também interdependentes: um não pode existir sem o outro. Tudo contém as forças opostas que são mutuamente exclusivas, mas, ao mesmo tempo, dependem uma da outra. Consumo mútuo de Yin e Yang: o Yin e o Yang estão num estado constante de equilíbrio dinâmico que é mantido por meio de um ajuste contínuo de seus níveis relativos. Quando tanto o Yin como o Yang estão em desequilíbrio, eles afetam-se mutuamente e modificam sua proporção, alcançando um novo equilíbrio. lntertransformação de Yin e Yang: o Yin e Yang não são estáticos, mas eles realmente se transformam um no outro. O Yin pode transformar-se em Yang e viceversa. Tal mudança não acontece a esmo, mas em determinados estágios de desenvolvimento de alguma coisa. 4.2 TEORIA DOS CINCO ELEMENTOS A Teoria dos cinco elementos permitiu a padronização da visão milenar dos filósofos naturalistas. Por meio desse sistema a medicina tradicional chinesa classificou a grande variabilidade dos processos naturais e os eventos da transformação observados na natureza. Os cinco elementos são Madeira, Fogo,

16 21 Terra, Metal e Água. Esses elementos básicos estão intimamente interligados, de modo que entre si, são estimulados, inibidos e controlados (STUX e POMERANZ, 2004 p.84). Essa teoria ocupa um lugar importante na medicina chinesa, porque todos os fenômenos dos tecidos e órgãos, da fisiologia e da patologia do corpo humano, estão classificados e são interpretados pelas inter-relações desses elementos (WEN, 2006 p. 21) Os dois princípios básicos dos cinco movimentos em condição de normalidade referem-se aos conceitos de geração e dominância. O princípio de geração estabelece que cada movimento gera o movimento seguinte, essa interrelação é conhecida como regra mãe-filho, sendo chamado de mãe o movimento que gera, e de filho o que foi gerado. O princípio de dominância estabelece que cada movimento apresenta dominância sobre o movimento que sucede, isto é, aquele que ele gerou, esse princípio é também conhecido como regra avô-neto, chama-se de avô o movimento que domina, e de neto, o que é dominado. O princípio de dominância tem finalidade de controlar o crescimento desenfreado que ocorreria se houvesse semente o princípio da geração (YAMAMURA, 2009 p.xlvii). Segundo Maciocia (2004 p.25), o ciclo de dominância excessiva ocorre quando a relação de controle entre os elementos fica desorientada e torna-se excessiva sobre os próximos elementos. Similarmente às funções fisiológicas, a relação da seqüência de dominância excessiva pode ser explicada em termos de condição patológica dos Órgãos Internos. A contra dominância é uma situação que ocorre quando um movimento se torna excessivo e volta-se contra aquele que normalmente o domina: o neto volta-se contra o avô (YAMAMURA, 2009 p.xlix). 4.3 SUBSTÂNCIAS A medicina chinesa considera a função do corpo e da mente como o resultado da interação de determinadas substâncias vitais. Essas substâncias manifestam-se em vários níveis de "substancialidade", de maneira que algumas delas são muito rarefeitas e outras totalmente imateriais. Todas elas constituem a antiga visão

17 22 chinesa do corpo-mente. O Shen (Mente) reside no Coração e é responsável por muitas atividades mentais diferentes. A Mente de um ser recém concebido origina-se das Essências pré-natais da mãe e do pai. Após o nascimento, sua Essência prénatal é armazenada no Rim e então proporciona a fundamentação biológica à Mente. A vida e a Mente de um bebê recém-nascido, porém, também depende da nutrição de sua própria Essência pós-natal. (MACIOCIA, 2004 p.36-57). A teoria tradicional chinesa não tem equivalente direto na ciência ocidental, seu conceito básico atribui ao Qi, energia vital presente em todo o corpo, equilíbrio e harmonia ou desequilíbrio e doença. Manifesta na pele, nos órgãos e permeando todo o corpo acumula-se nos órgãos e flui, principalmente, nos Canais de Energia Principais Meridianos, os quais têm funções importantes de defesa e proteção do corpo. O Qi pode se manifestar como essência (Jing) nascida com o individuo e transformada. Sendo responsável por funções de crescimento, reprodução, desenvolvimento e forças constitucionais básicas (Qi Pré-Celestial). E ao longo da vida o individuo pode ser nutrido pelos alimentos (Qi dos Alimentos) e pela respiração (Qi Torácico), que em conjunto com o Qi nascido com o ser (Qi Original) e o Qi adquirido (Qi Pós-Celestial), ao longo de sua formação, vai ser responsável pelo funcionamento, nutrição e defesas do organismo. Isto aconteceria através do sangue, fluídos corpóreos e através do próprio Qi circulante (FIGUEIREDO, 2010). O Jing é usualmente traduzido como Essência. O caractere chinês dá a idéia de alguma coisa derivadade um processo de refinamento ou destilação (uma substância muito preciosa, para ser cuidada e guardada). O termo Essência é utilizado em Medicina Tradicional Chinesa em 3 contextos diferentes: Essência Pré- Celestial - nutre o embrião e o feto durante a gravidez, sendo dependente da nutrição derivada do Rim (Shen) da mãe. É o único tipo de Essência presente no feto, uma vez que este não apresenta atividade fisiológica independente; Essência Pós-Celestial - é extraída do ar e dos alimentos e dos fluidos pelo Estômago (Wei), Baço (Pi) e Pulmão (Fei) após o nascimento; Essência do Rim - é uma interação compartilhada entre a Essência Pré-Celestial e Pós-Celestial. Esta Essência é estocada no Rim, circula por todo o organismo, particularmente nos Oito Vasos Extraordinários ou Maravilhosos. Determina o crescimento, reprodução, desenvolvimento, maturação sexual, concepção e gravidez (MACIOCIA, 2004 p.37-38).

18 23 O Sangue (Xué) é fruto da transformação da essência dos alimentos pelo Baço e o Estômago. É governado pelo Coração, armazenado pelo Fígado, controlado pelo Baço. Circula em todo o corpo; no interior, atinge todos os órgãos (Zang e Fu), no exterior, atinge a pele, a carne, os tendões e os músculos. Sua atuação é dupla, de um lado nutre e umedece os tendões orgânicos do corpo inteiro, do outro lado serve como base material à atividade mental (AUTEROCHE e NAVAILH, 1992 p.41-42). Os Fluidos Corpóreos são chamados Jin Ye em chinês. Este termo é composto de dois caracteres. Jin significa úmido e Ye significa fluido. Jin indica alguma coisa líquida, enquanto que Ye quer dizer fluidos de organismos vivos (encontrados em frutas, por ex.). Assim, Jin Ye pode ser traduzido como fluidos orgânicos. Nós os chamaremos de Fluidos Corpóreos (MACIOCIA, 2004 p.53). 4.4 ZANG FU Os Zang apresentam características Yin, são mais sólidos e internos e os responsáveis pela formação, transformação, armazenamento, liberação e regulação das Substâncias puras que são o Qi, Xué, Jing, Jin Ye e Shen. Os Fu apresentam características Yang, são mais ocos e externos e são responsáveis pela recepção e armazenamento de alimentos e bebidas, pela passagem e absorção de seus produtos de transformação e pela excreção dos resíduos (ROSS, 1994 p.60-61) Pulmão (Fei) O Pulmão (P) governa o Qi e a respiração. Essa é a função mais importante do Pulmão, uma vez que é do ar que o Pulmão extrai o "Qi puro" para o organismo, o qual combina com o Qi do Alimento, que vem do Baço; a combinação do ar do Pulmão e do Qi do Alimento forma o Qi da Reunião (Zong Qi). Após sua formação, o

19 24 Pulmão dispersa o Qi por todo o organismo, a fim de nutrir todos os tecidos e promover todos os processos fisiológicos (MACIOCIA, 2004 p.106). De acordo com Auteroche e Navailh (1992 p.73), o Pulmão também controla a descida do ar inspirado até os Rins que devem recebê-los. É graças a essa função de descida ininterrupta de seu Qi, que o Pulmão concorre ao metabolismo normal da água que desce do Aquecedor Superior para o Aquecedor Inferior, seguindo a via das águas. Como Ross (1994 p ) cita, o Qi do Pulmão manifesta-se nos pêlos, que nada mais é que um dos aspectos da função do Pulmão de harmonizar o exterior que inclui a pele, os pêlos, as glândulas sudoríparas e resistência contra agressões. O Pulmão abre-se no nariz, que é a via de entrada da respiração para a garganta, conhecida como a porta do Pulmão. O Pulmão controla a pele, sendo o mais "exterior" dos órgãos e influencia o Qi Defensivo; por todas essas razões, o Pulmão é o órgão mais fácil e diretamente invadido pelos fatores patogênicos exteriores, principalmente Vento, Calor, Fogo, Frio, Umidade e Secura. O Pulmão é, algumas vezes, denominado o órgão "delicado" por causa de sua suscetibilidade ao ser invadido pelos fatores patogênicos exteriores (MACIOCIA, 2004 p.110) Baço-Pâncreas (Pi) Regula a transformação e transporte. Os alimentos e as bebidas, sob a influência do Qi do Baço-Pâncreas (BP) são digeridos e separados em frações puras e impuras. As frações impuras sólidas passam do Intestino Delgado para o Intestino Grosso onde se faz a absorção e depois as frações impuras liquidas à Bexiga para a excreção. A fração pura é enviada à custa do BP para o Pulmão, onde é transformado em Energia (Qi), Sangue (Xue) e Líquido Orgânico (Jin Ye) (ROSS, 1994 p.80). Maciocia (2004 p.120) diz, o Baço extrai do alimento o Qi do Alimento para nutrir todos os tecidos do organismo. Esse Qi refinado é transportado por todo o organismo pelo Baço. Se o Baço estiver forte, o Qi refinado é direcionado para os músculos, particularmente os referentes aos membros.

20 25 O Qi do Baço permite ao Sangue correr normalmente nos vasos e impede que se espalhe fora dos mesmos. Se o Qi do Baço estiver fraco, o Sangue transborda manifestando-se pelos vários tipos de hemorragias (AUTEROCHE e NAVAILH, 1992 p.71). Segundo Ross (1994 p.81), uma função restrita ao Yang Qi do Baço é a de ajudar a sustentar e a manter os Órgãos no interior do corpo. E abre-se na boca e manisfesta-se nos lábios Rins (Shen) Os Rins (R) têm a função de armazenar a Essência pré-celestial, ou seja, a Essência herdada antes do nascimento nutre o feto e, após o nascimento, controla o crescimento, a maturação sexual, a fertilidade e o desenvolvimento. Essa Essência determina nossa base constitucional, força e vitalidade. Também é a base da vida sexual e o alicerce material para a fabricação do esperma nos homens, do óvulo e do sangue menstrual nas mulheres (MACIOCIA, 2004, p.128). De acordo com Auteroche e Navailh (1992 p.79), a regulação dos Líquidos Orgânicos é em grande parte devida à atividade do Qi dos Rins. Em seu ciclo normal a água passa pelo Estômago que a recebe, pelo Baço que a transforma, pelo Pulmão, que a distribui. Atravessa os Três Aquecedores, o que é puro vai para os órgãos, o que é impuro se transforma em suor e urinas que são expulsos do corpo. O Pulmão encaminha o Qi para os Rins que o recebe e o mantém. Abre-se nas orelhas e manifesta-se nos cabelos (ROSS, 1994 p.68) Vesícula Biliar (Dan) Como afirma Maciocia (2004 p.164), a Vesícula Biliar (VB) recebe a bile do Fígado, que a mantém pronta para excretar durante a digestão, quando for necessário. Desse ponto de vista, a função da VesículaBiliar é idêntica à da medicina ocidental.

Acupuntura no tratamento da rinite alérgica

Acupuntura no tratamento da rinite alérgica 1 Acupuntura no tratamento da rinite alérgica Lorena Picanço Teixeira Cavalcante 1 lohteixeira@hotmail.com Dayana Priscila Maia Mejia 2 Pós-Graduação em Acupuntura Instituição do Ensino Superior/FAIPE

Leia mais

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL

SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE (XUE) NA MTC, O XUE É UMA FORMA DE QI, MUITO DENSO E MATERIAL SANGUE É INSEPARÁVEL DO QI, JÁ QUE O QI PROPORCIONA VIDA AO XUE, SEM O QUAL ELE SERIA UM FLUIDO INERTE XUE DERIVA EM SUA MAIORIA DO

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc. Gastrite, Úlcera, Diarréia, Prisão de ventre (constipação) Cólica, Vermes. Anamnese: Tipo de dor ou desconforto:

Leia mais

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Centro Brasileiro de Acupuntura Acupuntura Aplicada a Ginecologia e Obstetrícia Prof.: Marcelo Brum Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Aparelho Genital Feminino: Abrange: Útero; Ovários; Trompas

Leia mais

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO)

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) OU FLUIDOS ORGÂNICOS JIN = ÚMIDO = ALGO LÍQUIDO YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) JIN - FLUIDOS YE - LÍQUIDOS PUROS, CLAROS, AQUOSOS, DILUÍDOS TURVOS,

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CURSO DE ACUPUNTURA CORPO ENERGÉTICO. Elaborado por Profa. Romana de Souza Franco. 1

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CURSO DE ACUPUNTURA CORPO ENERGÉTICO. Elaborado por Profa. Romana de Souza Franco. 1 CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CORPO ENERGÉTICO 1 CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL INTRODUÇÃO: O corpo energético humano, às vezes chamado de corpo etéreo permeia e cerca o corpo físico sólido. É a soma dos campos de

Leia mais

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal

Padrões de Desarmonia do Movimento Metal [Digite texto] Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária Padrões de Desarmonia do Movimento Metal Prof a. Márcia Valéria Rizzo Scognamillo marciascognamillo@yahoo.com.br Junho de 2011 Geral I.

Leia mais

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA Teoria da Acupuntura ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA A Medicina Tradicional Chinesa tem obtido um desenvolvimento através do tempo, pelo menos a 3000 anos. A Acupuntura promove diversas funções, ela controla

Leia mais

CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO)

CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO) CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO) A TEORIA DE JING-LUO ESTUDA AS ALTERAÇÕES FISIOPATOLÓGICAS DOS CANAIS E COLATERAIS E A RELAÇÃO ENTRE ESTES E OS ÓRGÃOS INTERNOS DO CORPO JING-LUO É O NOME DADO AO CONJUNTO

Leia mais

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG)

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) O Pulmão (FEI) 11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) 1 O Pulmão (FEI) QI Pulmão (FEI) tem a função de dirigir o QI e a Respiração. O QI do ar junta-se

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça,

Leia mais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone. Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone. Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Acupuntura Profa. Alessandra Barone Histórico Teoria Yin Yang Teoria dos Cinco Elementos Substâncias Vitais Medicina Tradicional Chinesa Histórico Antes de 2000 a.c Origem

Leia mais

Título Resumido. Poço (Jing)

Título Resumido. Poço (Jing) Analgesia Tendinomuscular pelo Ponto Poço (Jing) Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Dr. Reginaldo de Carvalho

Leia mais

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson.

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson. Doença de Parkinson A Doença de Parkinson é uma síndrome caracterizada por lentidão de movimento, rigidez e tremor resultante de disfunção nos glânglios da base, com diminuição da dopamina e aumento da

Leia mais

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao TRATAMENTO PARA MIOMA INSTITUTO Long Tao Mioma Uterino DEFINIÇÃO: É UM TUMOR BENIGNO QUE SURGE QUANDO UMA CÉLULA DO ÚTERO DA MULHER COMEÇA A SE MULTIPLICAR DE FORMA DESORDENADA. Definição na MTC: O mioma

Leia mais

Antes de imprimir este material, considere a possibilidade de apreciá-lo no computador ou leitor de textos. Preserve o meio ambiente

Antes de imprimir este material, considere a possibilidade de apreciá-lo no computador ou leitor de textos. Preserve o meio ambiente Antes de imprimir este material, considere a possibilidade de apreciá-lo no computador ou leitor de textos. Preserve o meio ambiente SHEN LONG Curso de ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA = ZANG FU = Coordenador

Leia mais

Dor segundo a Medicina Chinesa

Dor segundo a Medicina Chinesa XII Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientais Dor segundo a Medicina Chinesa Introdução Definição A IASP- International Association for the Study of Pain (Associação Internacional

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Ficha No.: Data: Nome: Data Nasc.: Naturalidade: Estado civil: Filhos: Endereço: Profissão: Fone(s): 1. Queixa Principal (QP): 2. História da Moléstia

Leia mais

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Prevenir é o melhor remédio para uma boa saúde, evitando-se as doenças e suas complicações. Problemas respiratórios, por exemplo, podem se tornar

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07 QUESTÃO 17 Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: a) Há 3.000 anos, agulhas de bronze e a pedra bian eram usadas como

Leia mais

OITO PRINCÍPI P O I S

OITO PRINCÍPI P O I S OITO PRINCÍPIOS TEM COMO FUNÇÃO IDENTIFICAR, ATRAVÉS DOS DADOS OBTIDOS DO PACIENTE: A LOCALIZAÇÃO DA DESARMONIA A NATUREZA DA DESARMONIA AS CONDIÇÕES DOS FATORES PATOGÊNICOS E DE RESISTÊNCIA DO ORGANISMO

Leia mais

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Acupuntura na Osteoartrose Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Osteoartrose 1 Osteoartrose Outras denominações ; Artrose; Doença Articular Degenerativa; Artrite Degenerativa. 2 É a doença articular mais

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

A Vesícula Biliar (DAN)

A Vesícula Biliar (DAN) A Vesícula Biliar (DAN) 44 pontos bilaterais Natureza YANG Elemento Madeira Acoplado ao Fígado (GAN) A Vesícula Biliar (DAN) A Vesícula Biliar (DAN) é considerada uma víscera de comportamento particular,

Leia mais

A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais

A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais PROFESSORA NAIANE A respiração ocorre dia e noite, sem parar. Nós podemos sobreviver determinado tempo sem alimentação, mas não conseguimos ficar sem respirar por mais de alguns poucos minutos. Você sabe

Leia mais

MASSAGEM DO-IN. Claudio Prieto - Elza Rodrigues Pinheiro Prieto. Site: www.massagemdoin.net. E-Mail: contato@massagemdoin.net

MASSAGEM DO-IN. Claudio Prieto - Elza Rodrigues Pinheiro Prieto. Site: www.massagemdoin.net. E-Mail: contato@massagemdoin.net MASSAGEM DO-IN Claudio Prieto - Elza Rodrigues Pinheiro Prieto Site: www.massagemdoin.net E-Mail: contato@massagemdoin.net O QUE É? O DO-IN é uma técnica de automassagem aplicada nos pontos energéticos

Leia mais

Acupuntura e o Diafragma

Acupuntura e o Diafragma Observações sobre Acupuntura e o Diafragma Mikael Ikivesi Tao Tao Project (Finlândia) http://kiinalainenlaaketiede.fi/taotao Tradução e Adaptação para Português Leo Silveira Projeto Medicina Chinesa Clássica

Leia mais

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA A doença não é uma Entidade mas uma condição flutuante do corpo do paciente, uma batalha entre a substância da doença e a tendência natural do corpo

Leia mais

O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EXPOSIÇÃO AO CALOR PRODUZ REAÇÕES NO ORGANISMO

O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO A EXPOSIÇÃO AO CALOR PRODUZ REAÇÕES NO ORGANISMO O CALOR EXCESSIVO NO AMBIENTE DE TRABALHO Muitos trabalhadores passam parte de sua jornada diária diante de fontes de calor. As pessoas que trabalham em fundições, siderúrgicas, padarias, - para citar

Leia mais

Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006)

Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006) Rinite alérgica e não-alérgica Resumo de diretriz NHG M48 (primeira revisão, abril 2006) Sachs APE, Berger MY, Lucassen PLBJ, Van der Wal J, Van Balen JAM, Verduijn MM. traduzido do original em holandês

Leia mais

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo FADIGA, NEURASTENIA ou TRANSTORNOS SOMATOFORMES Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo Sinais e sintomas relatados por pacientes com fadiga

Leia mais

PADRÕES DO FÍGADO (GAN)

PADRÕES DO FÍGADO (GAN) PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A ESTAGNAÇÃO DE FÍGADO SE MANIFESTA PRINCIPALMENTE NESTA REGIÃO, EM AMBOS OS LADOS.

Leia mais

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina)

Influenza. João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) Influenza João Pedro Marins Brum Brito da Costa (Instituto ABEL) Orientador: André Assis (UFRJ Medicina) O que éinfluenza Também conhecida como gripe, a influenza éuma infecção do sistema respiratório

Leia mais

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS Center-AO Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa Universidade Federal de São Paulo Departamento de Ortopedia e Traumatologia Disciplina de Ortopedia Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura ATM CERVICALGIAS

Leia mais

A Lesão. A Lesão. A lesão provoca congestão local causada por obstrução de QiE XUE nas articulações

A Lesão. A Lesão. A lesão provoca congestão local causada por obstrução de QiE XUE nas articulações Acupuntura Acupuntura e Traumatologia e Traumatologia É o estudo das patologias próprias do sistema esquelético, causadas principalmente por traumatismos utilizando a especialidade de acupuntura como recurso

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS

IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES DE ACORDO COM OS OITO PRINCÍPIOS Aplicação dos 8 princípios Aplicável em todos os casos, para doenças interiores e exteriores Divisão : Exterior-Interior Calor-Frio: Calor por

Leia mais

PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE

PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE PROGRAMA PARA CONTROLAR A ASMA PRIMEIRA PARTE O cuidado apropriado com a asma pode ajudar o paciente a prevenir a maior parte das crises, a ficar livre de sintomas problemáticos diurnos e noturnos e a

Leia mais

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA

PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA PLANEJAMENTO DO TRATAMENTO DA ASMA BRÔNQUICA O estudo do sistema imune (proteção) surgiu no início do século 20, com futuro muito promissor, mas isto não se confirmou de imediato. Os fenômenos imunológicos

Leia mais

CURSO PRÉ PROVA DE TITULO DE ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA

CURSO PRÉ PROVA DE TITULO DE ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA CURSO PRÉ PROVA DE TITULO DE ESPECIALISTA EM ACUPUNTURA Curso aberto também para quem deseja apenas realizar uma reciclagem de conhecimentos em Acupuntura TEMA CONTEÚDO MINISTRANTE DATA HORÁRIO Estudo

Leia mais

Esalerg gotas. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml

Esalerg gotas. Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml Esalerg gotas Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A. solução oral 1,25 mg/ml BULA PARA PACIENTE Bula de acordo com a Resolução-RDC nº 47/2009 I- IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ESALERG GOTAS (desloratadina)

Leia mais

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico.

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. 1 O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. Note essa organização na figura abaixo. - Átomos formam

Leia mais

FUNÇÕES DO CORAÇÃO (XIN) GOVERNAR O SANGUE (XUE)

FUNÇÕES DO CORAÇÃO (XIN) GOVERNAR O SANGUE (XUE) FUNÇÕES DO CORAÇÃO (XIN) GOVERNAR O SANGUE (XUE) * A TRANSFORMAÇÃO DO ZHENG QI EM SANGUE (XUE), OCORRE NO CORAÇÃO. * O CORAÇÃO É RESPONSÁVEL PELA CIRCULAÇÃO DO SANGUE (XUE) NO ORGANISMO. CONTROLAR OS VASOS

Leia mais

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA PRINCIPAIS SÍNDROMES Autor - Wanderley Rocha Casalecchi PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS: SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A

Leia mais

RYODORAKU. Mensuração Diagnóstica Eletrônica POR DENISE DARIN

RYODORAKU. Mensuração Diagnóstica Eletrônica POR DENISE DARIN RYODORAKU Mensuração Diagnóstica Eletrônica POR DENISE DARIN SIGNIFICADO DO RYODORAKU Ryo significa boa, Do conduzir e Raku linha ou canal. Caminhos Permeáveis (Linha de boa eletrocondutividade). É um

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 3/3 VACINA ANTIALÉRGICA UM TRATAMENTO DE EXCELÊNCIA A imunoterapia é o tratamento preventivo para impedir as reações alérgicas provocadas por substâncias como ácaros

Leia mais

PONTOS FONTE (YUAN) PONTOS DE CONEXÃO (LO) PONTOS DE TRANSPORTE POSTERIOR (BACK SHU) PONTOS DE COLETA FRONTAL (ALARME ou FRONT MU)

PONTOS FONTE (YUAN) PONTOS DE CONEXÃO (LO) PONTOS DE TRANSPORTE POSTERIOR (BACK SHU) PONTOS DE COLETA FRONTAL (ALARME ou FRONT MU) 1 PONTOS FONTE (YUAN) PONTOS DE CONEXÃO (LO) PONTOS DE TRANSPORTE POSTERIOR (BACK SHU) PONTOS DE COLETA FRONTAL (ALARME ou FRONT MU) PONTOS DE ACÚMULO (XI) PONTOS DE REUNIÃO (HUI) 1- PONTOS FONTE (YUAN)

Leia mais

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA

Prof. Carolina C. T. Haddad. Instituto Bioethicus. Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA Instituto Bioethicus Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária PULSOLOGIA A arte da palpação é de extrema importância dentro do exame semiológico da Medicina Veterinária Tradicional Chinesa e a

Leia mais

O que é Hemofilia? O que são os fatores de coagulação? A hemofilia tem cura?

O que é Hemofilia? O que são os fatores de coagulação? A hemofilia tem cura? Volume1 O que é? O que é Hemofilia? Hemofilia é uma alteração hereditária da coagulação do sangue que causa hemorragias e é provocada por uma deficiência na quantidade ou qualidade dos fatores VIII (oito)

Leia mais

Gripe A (H1N1) de origem suína

Gripe A (H1N1) de origem suína Gripe A (H1N1) de origem suína A gripe é caracterizada como uma doença infecciosa com alto potencial de contagio causado pelo vírus Influenza. Este vírus apresenta três tipos, sendo eles o A, B e C. Observam-se

Leia mais

Etiopatogenia na Medicina Chinesa

Etiopatogenia na Medicina Chinesa Etiopatogenia na Chinesa Prof. Eduardo Alexander Doutor em Saúde Coletiva - IMS/UERJ edu.alexander@gmail.com www.grandetriade.com.br Rio de Janeiro 2009 Quadro Resumo Racionalidades Médicas Racionalidades

Leia mais

Estagnação, Depressão, Restrição e Estase: Esclarecimento Terminológico.

Estagnação, Depressão, Restrição e Estase: Esclarecimento Terminológico. Estagnação, Depressão, Restrição e Estase: Esclarecimento Terminológico. Título Original Stagnation, Depression, Constraint, and Stasis: Terminological Clarification Por Jason Blalack www.chinesemedicinedoc.com

Leia mais

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work

Ass. de Comunicação www.ptexto.com.br. Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Trabalho Pág.: 3 Assunto: Great Place to Work Veículo: Correio Braziliense Data: 17/04/2011 Seção: Saúde Pág.: 27 Assunto: Amados mas perigosos Veículo:

Leia mais

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1 LOMBALGIA Segundo Bernard Auteroche instituto de acupuntura tradicional 1 instituto de acupuntura tradicional 2 Fisiologia Energética n A MTC, através da acupuntura, nos ensina que o corpo humano é recoberto

Leia mais

Vasos Maravilhosos. Dr. Juliano C. Franceschi

Vasos Maravilhosos. Dr. Juliano C. Franceschi Vasos Maravilhosos Dr. Juliano C. Franceschi Vasos Maravilhosos Vaso Concepção (Ren( Mai) Yin Vaso Penetrador (Chong Mai) Vaso Yin de Conexão (Yin Wei Mai) Vaso Yin do Calcanhar (Yin Qiao Mai) Yang Vaso

Leia mais

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA FECUNDAÇÃO: ovócito + espermatozóide multiplicação celular durante os primeiros dias o embrião tem forma arredondada (fase de mórula) por volta do 12 º dia, vai passando para uma

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos?

PROVA ESPECÍFICA Cargo 48. Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 48 QUESTÃO 26 Na reação de hipersensibilidade imediata do tipo I, qual dos seguintes mediadores é neoformado nos tecidos? a) Heparina. b) Histamina. c) Fator ativador de plaquetas

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS

EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS EFEITOS ADVERSOS A MEDICAMENTOS INTRODUÇÃO As informações contidas neste folheto têm a finalidade de orientar as pessoas que passaram ou que podem passar pela experiência não-desejada dos efeitos adversos

Leia mais

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Revisão da neurofisiologia da dor, Revisão da fisiopatologia

Leia mais

XII I I S im i pós pós o B ras r i as l i e l i e r i o de o de Aper pe f r e f i e ç i oam oam n e to t e o m e

XII I I S im i pós pós o B ras r i as l i e l i e r i o de o de Aper pe f r e f i e ç i oam oam n e to t e o m e XII Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientais 三 Método de Três Agulhas Introdução Definição O Método de Três Agulhas é uma forma de acupuntura que utiliza seleções e combinações

Leia mais

Inicio: 30/31 de maio de 2015 VIDA E BEM ESTAR NA TERCEIRA IDADE Ter qualidade de vida e bem estar na terceira idade depende de vários fatores, mas principalmente da forma como nos percebemos em cada fase

Leia mais

Medicina Tradicional Chinesa

Medicina Tradicional Chinesa Medicina Tradicional Chinesa Os Chineses acreditam que a vida e a saúde estão relacionadas diretamente ao fluxo de energia pelo corpo: "CHI". A doença se manifesta quando a energia é bloqueada. A MTC se

Leia mais

Nas listas de pontos, menciono HE-7 Shenmen porque, além de acalmar o Shen, ele pára a coceira.

Nas listas de pontos, menciono HE-7 Shenmen porque, além de acalmar o Shen, ele pára a coceira. PRURIDO O prurido é um sintoma que acompanha muitas doenças e padrões. Os principais fatores patogênicos que causam coceira são: Calor externo do vento do vento na pele umidade deficiência de sangue Para

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Ano letivo 01/016 CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período : Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS 1.1. Importância de uma alimentação equilibrada e segura Alimentos e nutrientes;

Leia mais

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas.

Cartilha. Doenças e Complicações. de Verão. Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Cartilha Doenças e Complicações de Verão Queimaduras solares. Desconforto. Micoses. Coceira. Desidratação. Fungos. Infecções. Ardência. Manchas. Devido às condições climáticas, diversas são as doenças

Leia mais

Febre Reumática Sociedade Brasileira de Reumatologia

Febre Reumática Sociedade Brasileira de Reumatologia Febre Reumática CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO: CREDITO IMAGEM DA CAPA: http://www.guildford.gov.uk/play EDITORAÇÃO: Rian Narcizo Mariano PRODUÇÃO: www.letracapital.com.br Copyright SBR-, 2011 O conteúdo desta

Leia mais

Prof. Henrique Adam Pasquini

Prof. Henrique Adam Pasquini Segundo a MTO Prof. Henrique Adam Pasquini RSRSRSRSRSRS... Prof. Henrique Adam Pasquini 2 INSPEÇÃO DA LÍNGUA MTC A Língua é o broto do Coração. Embriologia A Língua e o coração se originam de um mesmo

Leia mais

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções:

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: CUIDADOS COM A PELE A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: Regular a temperatura do nosso corpo; Perceber os estímulos dolorosos e agradáveis; Impedir a entrada

Leia mais

Informações ao Paciente

Informações ao Paciente Informações ao Paciente Introdução 2 Você foi diagnosticado com melanoma avançado e lhe foi prescrito ipilimumabe. Este livreto lhe fornecerá informações acerca deste medicamento, o motivo pelo qual ele

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LECTIVO 2014 / 2015 PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano DOMÍNIO: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO Profª Fernanda Toledo RECORDAR Qual a função do alimento em nosso corpo? Por quê comer????? Quando nascemos, uma das primeiras atitudes do nosso organismo

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais: Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc; Gastrite; Úlcera; Diarréia; Prisão de ventre (constipação / obstipação); Cólica (intestinal); Vermes.

Leia mais

SISTEMA RESPIRATÓRIO

SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA HUMANA I SISTEMA RESPIRATÓRIO Prof. Me. Fabio Milioni Roteiro Sistema Respiratório Conceito Função Divisão Estruturas Nariz Faringe Laringe Traquéia e Brônquios Pulmão Bronquíolos e Alvéolos 1

Leia mais

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos 1 Organização das Aulas Uma aula de Educação Física é composta por três partes sequenciais, cada uma com objetivos específicos. 1.1 Parte Inicial A parte inicial

Leia mais

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Solução nasal com 9 mg/ml de cloreto de sódio. Embalagem com 1 frasco spray nasal com 30 ou 50 ml.

FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Solução nasal com 9 mg/ml de cloreto de sódio. Embalagem com 1 frasco spray nasal com 30 ou 50 ml. SALSEP 0,9% cloreto de sódio 9 mg/ml USO NASAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO SOLUÇÃO NASAL FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Solução nasal com 9 mg/ml de cloreto de sódio. Embalagem com 1 frasco spray nasal

Leia mais

CINCO ELEMENTOS E OS DESEQUILÍBRIOS ESTÉTICOS FACIAIS. Por Luciana Silva Terapeuta Natural/Ortomolecular/Acupunturista

CINCO ELEMENTOS E OS DESEQUILÍBRIOS ESTÉTICOS FACIAIS. Por Luciana Silva Terapeuta Natural/Ortomolecular/Acupunturista CINCO ELEMENTOS E OS DESEQUILÍBRIOS ESTÉTICOS FACIAIS Por Luciana Silva Terapeuta Natural/Ortomolecular/Acupunturista Cinco Elementos e as Emoções Elemento Madeira Estação do Ano: Primavera Propriedade:

Leia mais

SALSEP cloreto de sódio Solução nasal 9 mg/ml

SALSEP cloreto de sódio Solução nasal 9 mg/ml SALSEP cloreto de sódio Solução nasal 9 mg/ml USO INTRANASAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO FORMAS FARMACÊUTICAS E APRESENTAÇÕES Solução nasal com 9 mg/ml de cloreto de sódio. Embalagem com 1 frasco spray nasal

Leia mais

Acupuntura: a escuta das dores subjetivas

Acupuntura: a escuta das dores subjetivas 38 Acupuntura: a escuta das dores subjetivas Simone Spadafora A maior longevidade expõe os seres vivos por mais tempo aos fatores de risco, resultando em maior possibilidade de desencadeamento de doenças

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Período 1ºPeríodo Nº Aulas previstas 37 aulas Conteúdos

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Componentes Vias Respiratórias A) Cavidades ou Fossas Nasais; B) Boca; C) Faringe; D) Laringe; E) Traqueia; F) Brônquios; G) Bronquíolos; H) Pulmões Cavidades ou Fossas Nasais; São duas cavidades paralelas

Leia mais

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos 1 O que é? A bronquiolite é uma doença que se carateriza por uma inflamação nos bronquíolos e que, geralmente,

Leia mais

EXERCÍCIO E DIABETES

EXERCÍCIO E DIABETES EXERCÍCIO E DIABETES Todos os dias ouvimos falar dos benefícios que os exercícios físicos proporcionam, de um modo geral, à nossa saúde. Pois bem, aproveitando a oportunidade, hoje falaremos sobre a Diabetes,

Leia mais

Acupuntura do. Acupuntura do 2 Metacarpo

Acupuntura do. Acupuntura do 2 Metacarpo Acupuntura do Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho Silva Filho Introdução Apresentação

Leia mais

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186

Câncer de Pulmão. Prof. Dr. Luis Carlos Losso Medicina Torácica Cremesp 18.186 Câncer de Pulmão Todos os tipos de câncer podem se desenvolver em nossas células, as unidades básicas da vida. E para entender o câncer, precisamos saber como as células normais tornam-se cancerosas. O

Leia mais

de elite podem apresentar essas manifestações clínicas. ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA

de elite podem apresentar essas manifestações clínicas. ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA ATIVIDADES FÍSICAS E ALERGIA É inquestionável que a melhora na aptidão física, com os conseqüentes benefícios físicos e fisiológicos, permite as pessoas portadoras de reações alérgicas suportar com mais tranqüilidade os seus agravos

Leia mais

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência:

Sinais de alerta perante os quais deve recorrer à urgência: Kit informativo Gripe Sazonal A gripe Sazonal é uma doença respiratória infeciosa aguda e contagiosa, provocada pelo vírus Influenza. É uma doença sazonal benigna e ocorre em todo o mundo, em especial,

Leia mais

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3

TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 TRATAMENTO DE ALERGIA RESPIRATÓRIA 2/3 SISTEMA IMUNE E ALERGIA Por alergia, entendem-se as repostas imunes indesejadas contra substâncias que venceram as barreiras como, os epitélios, as mucosas e as enzimas.

Leia mais