USF. Lusitana. U n i d a d e d e S a ú d e F a m i l i a r

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "USF. Lusitana. U n i d a d e d e S a ú d e F a m i l i a r"

Transcrição

1 USF Lusitana U n i d a d e d e S a ú d e F a m i l i a r

2 Bem-Vindo à USF Lusitana U n i d a d e d e S a ú d e F a m i l i a r Missão e Valores da USF A USF Lusitana tem como missão prestar cuidados de saúde humanizados de excelência aos seus utentes através de: Personalização, continuidade e globalidade de cuidados. A Unidade de Saúde Familiar Lusitana funciona no edifício do M.A.S, localizado na Avenida Dr. António José de Almeida, no piso 3. Os utentes com mobilidade condicionada dispõem de acesso por rampa e elevador. Consulta médica e de enfermagem com hora marcada. Acessibilidade. A equipa da USF A equipa que integra a Unidade é constituída por 9 médicos, 9 enfermeiros e 6 secretárias clínicas, organizados por equipas de saúde nucleares multidisciplinares: Médicos Dr. Fernando Andrade* Dr. Almeida Ferreira Dr.ª Benedita Laranjeira Dr.ª Dóris Lopes Dr. Jorge Antunes Dr.ª Helena Palma Dr. Esteves Pereira Dr.ª Julieta Teresa Dr. António Simões Enfermeiros Enf. Ricardo Pais Enf.ª Cristina Martins Enf.ª Paula Pinho Enf.ª Catarina Toipa Enf.ª Paula Favas Enf.ª Paula Loureiro Enf.ª Cláudia Costa Enf.ª Ana Seixas Enf.ª Custódia Ferreira Secretários Clínicos D. Florinda Costa D. Fernanda Carreira D. Fátima Martins D. Fernanda Simões D. Isabel Regalo D. Virgínia Pinto Contacto telefónico para marcação da consulta médica e de enfermagem. Pretende-se uma relação profi ssional de saúde/utente marcada pela: Disponibilidade; Competência; Profi ssionalismo; Igualdade; Responsabilidade; Dedicação; Respeito. *Coordenador da USF Lusitana

3 Horário de Funcionamento A USF funciona, em horário normal: 8.00h às 20.00h de 2ª a 6ª Feira. Com alargamento de horário das: Disponível para consultas programadas, médica e/ou de enfermagem e consultas de situações agudas (em horário expresso). Acesso ao Secretariado Clínico O Secretariado Clínico dispõe de um horário próprio para um atendimento mais personalizado, como a inscrição de novos elementos no seu agregado familiar e reembolsos. Todos os dias úteis das 14.00h às 16.00h Em qualquer contacto traga sempre consigo o seu Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade, Número de Utente, Número de Beneficiário (Seg. Social ou Subsistema) e Boletim de Vacinas (ou seu substituto). Marcação de Consultas Oferta de Serviços da USF Se pretende uma consulta médica ou de enfermagem tem a possibilidade de marcação via telefone em todo o período de funcionamento da USF No dia da consulta médica agendada, deve comparecer 30 minutos antes da hora marcada no secretariado da sua equipa de saúde. No caso das consultas de enfermagem deve comparecer 15 minutos antes. Caso não possa comparecer à consulta marcada, telefone a desmarcar ou a alterar a hora Consulta de Medicina Geral e Familiar; Consulta de Vigilância e Acompanhamento de Doenças Crónicas ; Consulta de Vigilância e Prevenção Consulta de Agudos; Consulta de Intersubstituição; Consulta no Domicílio Médica e de Enfermagem; Consulta de Enfermagem. ;

4 Oferta de Serviços da USF Consultas sem contacto directo com o médico Servem para resolver situações que não necessitam, no momento, de avaliação pelo médico: Oferta de Serviços da USF Consultas de Medicina Geral e Familiar Estas consultas são marcadas por iniciativa do utente ou do médico de família. Não têm carácter de urgência. Destinam-se a avaliar o estado geral de saúde, independentemente da idade ou situação do utente. Também se destinam à emissão de atestados, declarações e relatórios. Consultas de Doenças Crónicas Estas consultas envolvem a equipa médico/enfermeiro. O utente deve comparecer cerca de 30 minutos antes da hora da consulta médica para efectuar a inscrição e ser avaliado na consulta de enfermagem. Caso o utente não seja isento, todos estes actos exigem o pagamento de uma taxa moderadora. Consulta do Diabético Atendimento Telefónico Para sua comodidade pode usar o telefone durante todo o período de funcionamento da USF para marcar consultas, pedir informações e resolver assuntos administrativos. Traga sempre o seu medidor de glicémia e respectivo livro de registos Consulta do Hipertenso Poderá também aconselhar-se telefonicamente com o seu médico.. O atendimento telefónico de enfermagem encontra-se disponível durante o horário de funcionamento da USF. Solicite sempre o seu Enfermeiro de Família. Os horários médicos e de enfermagem encontram-se afixados na entrada da USF e serão fornecidos a cada agregado familiar. (Solicite junto do secretariado clínico)

5 Oferta de Serviços da USF Consulta de Agudos Esta consulta é feita pelo seu médico de família e tem como objectivo o tratamento e orientação de situações agudas. A marcação pode ser feita telefónica ou presencialmente no próprio dia. Não Oferta de Serviços da USF Consultas de Vigilância e Prevenção Estas consultas envolvem a equipa médico/enfermeiro. O utente deve comparecer cerca de 30 minutos antes da hora da consulta médica para efectuar a inscrição e ser avaliado na consulta de enfermagem. Consulta de Saúde Infantil/Juvenil Traga sempre o boletim de Saúde Infantil e Juvenil e Boletim de Vacinas. Saúde da Mulher - Planeamento Familiar Rastreio do Cancro do Colo do Útero Consulta Médica de Intersubstituição Esta consulta visa dar resposta aos utentes em situações agudas na ausência do seu médico de família. Também dá resposta às solicitações dos utentes que necessitam de uma consulta no dia, para além da capacidade de resposta do seu próprio médico de família. O horário da consulta é de: Segunda-Feira a Quinta-Feira Traga sempre o Boletim de Saúde Reprodutiva / Planeamento Familiar. Sexta-Feira Saúde da Mulher - Saúde Materna Traga sempre o Boletim de Saúde da Grávida.

6 Oferta de Serviços da USF Consulta Médica no Domicílio Esta consulta destina-se aos utentes dependentes, impossibilitados de se deslocarem à USF. As visitas domiciliárias são efectuadas de acordo com as necessidades identificadas, com programação da equipa de saúde familiar. O tempo de resposta depende da gravidade da situação. Consulta de Enfermagem Programada O seu enfermeiro presta cuidados de saúde em diversas áreas, tais como: Serviços não disponíveis Atendimento de situações de emergência e acidentes. Nestes casos deverá dirigir-se de imediato a Hospital S. Teotónio. Ligue 112 Saúde Transcrição de exames médicos de Medicina no Trabalho, Seguradoras e Hospitais. Recomendações Gerais Vacinação A vacinação é uma actividade diária. Para comodidade dos utentes sempre que possível deve coincidir com a consulta de vigilância. Para se vacinar contacte o seu Enfermeiro de Família. Para melhor funcionamento e resposta dos serviços, telefone previamente para marcação. Traga o seu Boletim de Vacinas ou o seu substituto. Nunca se esqueça do seu cartão de utente do SNS; Se possível, não falte às consultas sem avisar previamente; É importante compreender que o tempo de cada consulta é imprevisível e este depende da maior ou menor gravidade das queixas que o utente apresentar. Em média, cada consulta dura 15 minutos; Não marque uma consulta de agudos para as seguintes situações: Consulta de Aconselhamento em Aleitamento Materno Destina-se a ajudar mães e bebés a ultrapassarem dificuldades que possam surgir no estabelecimento e/ou manutenção do aleitamento materno. Contacte o seu Enfermeiro de Família preferencialmente antes de se deslocar à USF para melhor programação dos cuidados que necessita. Não recorra à USF em situações de emergência ou de acidente. Nestes casos dirija-se ao Hospital S. Teotónio. Privilegie o contacto telefónico. Privilegie a consulta programada.

7 USF Lusitana U n i d a d e d e S a ú d e F a m i l i a r Av. António José Almeida Coração de Jesus VISEU Tel: Apoio

Com a linha dos Cuidados Bordamos a Saúde

Com a linha dos Cuidados Bordamos a Saúde Com a linha dos Cuidados Espere o melhor de nós Queremos tratá-lo com respeito. Queremos que tenha acesso a cuidados de saúde de qualidade. Compreendemos que queira recusar um acto médico ou que queira

Leia mais

GUIA DO UTENTE USF S. JOÃO DO PRAGAL

GUIA DO UTENTE USF S. JOÃO DO PRAGAL GUIA DO UTENTE USF S. JOÃO DO PRAGAL ACES ALMADA- SEIXAL Rua Abel Salazar 2805-313 Almada Telefone: 212725530 Fax: 212725603 E-mail: usf.pragal@arslvt.min-saude.pt 1. QUEM SOMOS A Unidade de Saúde Familiar

Leia mais

Cuide de si cuide bem da sua Saúde!

Cuide de si cuide bem da sua Saúde! Eu só confio na Cuide de si cuide bem da sua Saúde! Direcção de Marketing 1 Rede Médis Linha Médis 24h Médico Assistente Médis (MAM) Plano de Saúde Médis Opções, Capitais, Co-Pagamentos, Prémios Períodos

Leia mais

Guia do Utente PELA SUA SAÚDE! QUEREMOS QUE TENHA ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DE QUALIDADE

Guia do Utente PELA SUA SAÚDE! QUEREMOS QUE TENHA ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DE QUALIDADE Avª Afonso III, Lote 1 100-0 Lisboa T. 21 810 10 10 Fax. 21 812 21 Transportes públicos: Carris 42 e 18 A paragem é em frente á USF. PELA SUA SAÚDE! QUEREMOS QUE TENHA ACESSO A CUIDADOS DE SAÚDE DE QUALIDADE

Leia mais

Guia de Acolhimento do Utente

Guia de Acolhimento do Utente Guia de Acolhimento do Utente Data da Aprovação: 31/03/2017 USF Nova Salus Guia de Acolhimento do Utente 1 A Unidade de Saúde Familiar Nova Salus (USF) é uma Unidade de Prestação de Cuidados de Saúde Primários

Leia mais

ANÁLISE DE INQUÉRITOS SATISFAÇÃO AOS UTENTES

ANÁLISE DE INQUÉRITOS SATISFAÇÃO AOS UTENTES ANÁLISE DE INQUÉRITOS SATISFAÇÃO AOS UTENTES No dia de Novembro de 0 foi aplicado um Inquérito de Satisfação aos Utentes, na USF Monte Pedral. O inquérito aplicado foi: Qual a sua opinião sobre o seu Médico

Leia mais

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO DOS UTENTES DOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS DA RAA 2016 RESULTADOS PRELIMINARES

INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO DOS UTENTES DOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS DA RAA 2016 RESULTADOS PRELIMINARES INQUÉRITO DE SATISFAÇÃO DOS UTENTES DOS CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS DA RAA 2016 RESULTADOS PRELIMINARES Direção Regional da Saúde junho de 2016 Índice Introdução... 3 1. Dados sociodemográficos... 4 2.

Leia mais

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO AÇÃO SOCIAL

GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO AÇÃO SOCIAL Manual de GUIA PRÁTICO ATENDIMENTO AÇÃO SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/7 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Atendimento Ação Social (31 A V4.07) PROPRIEDADE

Leia mais

Juntos faremos a diferença!

Juntos faremos a diferença! Juntos faremos a diferença! GUIA DE ACOLHIMENTO Leia com atenção as nossas recomendações e ajude-nos a fazer o melhor. Contamos consigo! COMO FUNCIONAMOS O QUE É UMA USF As U.S.F. Unidades de Saúde Familiares

Leia mais

Administração Regional do Centro Agrupamento Baixo Vouga II UNIDADE DE SAUDE FAMILIAR MOLICEIRO. Regulamento Interno

Administração Regional do Centro Agrupamento Baixo Vouga II UNIDADE DE SAUDE FAMILIAR MOLICEIRO. Regulamento Interno UNIDADE DE SAUDE FAMILIAR MOLICEIRO Regulamento Interno Novembro, 2012 Unidade de Saúde Familiar Moliceiro Regulamento Interno UNIDADE DE SAUDE FAMILIAR MOLICEIRO Coordenador da Equipa José António Madail

Leia mais

MONITORAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA E EQUIPES DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO

MONITORAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA E EQUIPES DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO DE SAÚDE MONITORAMENTO DA ATENÇÃO BÁSICA E EQUIPES DE SAÚDE NO ESTADO DE SÃO PAULO Orientação ao Interlocutor: 1. Explore bem o

Leia mais

INQUÉRITO SATISFAÇÃO UTENTES 2013

INQUÉRITO SATISFAÇÃO UTENTES 2013 ACES Grande Porto III Maia- Valongo ARSNorte IP Governo de Portugal INQUÉRITO SATISFAÇÃO UTENTES 2013 UNIDADE DE SAÚDE FAMILIAR DE VALONGO Aplicação Data: Março e Novembro 2013 Relatório elaborado: Enf.ª

Leia mais

Fluxograma do CIRCUITO DO UTENTE

Fluxograma do CIRCUITO DO UTENTE CIRCUITO DO UTENTE NO BALCÃO DE ATENDIMENTO RÉS/CHÃO Rés/Chão (Hall do Centro de Saúde) Secretariado Clínico 09:00 12:00 14:00 17:00 Secretário S Clínico Identifica o (ver foto/cartão) Atende utente verificando

Leia mais

Tecnologia de computadores. Alexandre Pontes nº27340 Wilson Roque nº27636

Tecnologia de computadores. Alexandre Pontes nº27340 Wilson Roque nº27636 Tecnologia de computadores Alexandre Pontes nº27340 Wilson Roque nº27636 Objectivos A implementação de sistemas de informação na saúde tem os seguintes objectivos: Administrativos e financeiros dados de

Leia mais

1. Introdução Horário de Funcionamento Área de Influência e Inscrições Cuidados Prestados... 4

1. Introdução Horário de Funcionamento Área de Influência e Inscrições Cuidados Prestados... 4 Guia de Acolhimento Rua do Patrocínio, nº 60 1350 230 Lisboa Telefone: 213 913 220/1 Fax: 213 950 432 e-mail: condestavel.sec@csscondestavel.min-saude.pt http://usfsantocondestavel.weebly.com ÍNDICE 1.

Leia mais

Propinas para licenciaturas Valor anual da propina: 999,00 Modalidades de pagamento: (Ver tabela) ato matrícula 999,00 MOD.1

Propinas para licenciaturas Valor anual da propina: 999,00 Modalidades de pagamento: (Ver tabela) ato matrícula 999,00 MOD.1 BEM-VINDO! Processo de Matrículas 2016/2017 LICENCIATURAS As matrículas para o ano letivo 2016/2017 dos alunos colocados (na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, Reingresso,

Leia mais

BOLETIM DE CUIDADOS NO DOMICÍLIO

BOLETIM DE CUIDADOS NO DOMICÍLIO PESSOAS EM SITUAÇÃO DE DEPENDÊNCIA BOLETIM DE CUIDADOS NO DOMICÍLIO Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde ESTE BOLETIM CONTÉM INFORMAÇÕES IMPORTANTES PARA A SAÚDE DA PESSOA A QUEM DIZ RESPEITO Conserve-o

Leia mais

Quem tem direito a receber o abono pré-natal?

Quem tem direito a receber o abono pré-natal? O que é o abono de família pré-natal? É um apoio em dinheiro, pago mensalmente, às mulheres grávidas que tenham atingido a 13ª semana de gravidez. Quem tem direito a receber o abono pré-natal? As grávidas

Leia mais

RESOLUÇÃO SMA Nº 1653 DE 11 DE MARÇO DE 2011

RESOLUÇÃO SMA Nº 1653 DE 11 DE MARÇO DE 2011 RESOLUÇÃO SMA Nº 1653 DE 11 DE MARÇO DE 2011 Dispõe sobre a concessão de licença para tratamento de saúde aos servidores municipais, por prazo não superior a 90 (noventa) dias. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE

Leia mais

REDE NACIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS SAÚDE MENTAL QUE RESPOSTAS?

REDE NACIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS SAÚDE MENTAL QUE RESPOSTAS? REDE NACIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS SAÚDE MENTAL QUE RESPOSTAS? Anabela Costa UMCCI Lisboa, 23 de Abril de 2008 1 Conceitos Básicos Continuidade de Cuidados: A sequencialidade das intervenções

Leia mais

Francisco George Diretor-Geral da Saúde

Francisco George Diretor-Geral da Saúde NÚMERO: 005/2012 DATA: 20/03/2012 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: NOVA FORMAÇÃO «Com Mais Cuidado: Prevenção de acidentes e envelhecimento ativo» - 28 de Maio de 2012 Acidentes domésticos, quedas,

Leia mais

SERVIÇOS ACADÉMICOS DA UNIVERSIDADE DO MINHO

SERVIÇOS ACADÉMICOS DA UNIVERSIDADE DO MINHO SERVIÇOS ACADÉMICOS DA UNIVERSIDADE DO MINHO Os Serviços Académicos são uma unidade de serviços da Universidade do Minho cujo principal objetivo é a gestão administrativa dos processos escolares dos estudantes,

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA - BH

Leia mais

Regulamento Interno. Campo de Férias Não Residencial

Regulamento Interno. Campo de Férias Não Residencial Regulamento Interno Campo de Férias Não Residencial O presente Regulamento Interno do Campo de Férias Não Residencial da Quinta Pedagógica do Pomarinho visa definir com objectividade todos os Direitos

Leia mais

Calendário de reuniões e eventos - 2011

Calendário de reuniões e eventos - 2011 Ministério da Saúde Cuidados de Saúde Primários Portugal Coordenação Estratégica Calendário de reuniões e eventos - 2011 Actualizado em 2011.05.16 COORDENAÇÃO ESTRATÉGICA Dia 18 de Maio (10,00-19,00) Coordenação

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO R E S O L V E:

RIO GRANDE DO NORTE TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO R E S O L V E: RIO GRANDE DO NORTE TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO RESOLUÇÃO Nº 007/2000-TCE Disciplina o funcionamento do Serviço de Assistência Médica dos Servidores do Tribunal de Contas SAMTEC e dá outras providências.

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE LAR

GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE LAR Manual de GUIA PRÁTICO SUBSÍDIO DE LAR INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/9 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Subsídio de Lar (4007 v4.14) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE REGALIAS SOCIAS AOS BOMBEIROS DO MUNICÍPIO. Capitulo I. Princípios Gerais. Artigo 1º. Objectivo

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE REGALIAS SOCIAS AOS BOMBEIROS DO MUNICÍPIO. Capitulo I. Princípios Gerais. Artigo 1º. Objectivo REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE REGALIAS SOCIAS AOS BOMBEIROS DO MUNICÍPIO Capitulo I Princípios Gerais Artigo 1º Objectivo Para efeitos de aplicação do presente Regulamento, consideram-se bombeiros os indivíduos

Leia mais

ATENDIMENTO NAS FILIAIS

ATENDIMENTO NAS FILIAIS ATENDIMENTO NAS FILIAIS Brasília, Salvador, São Luís e São Paulo ANS - Nº33967-9 www.centralnacionalunimed.com.br ÍNDICE ATENDIMENTO NAS FILIAIS CONHEÇA AS NOSSAS FACILIDADES AUTORIZAÇÕES ON-LINE SOLICITAÇÃO

Leia mais

6ª FEIRA, DIA 6 DE FEVEREIRO

6ª FEIRA, DIA 6 DE FEVEREIRO 6ª FEIRA, DIA 6 DE FEVEREIRO 09.30 09.45 Abertura Profª Doutora Isabel do Carmo 09.45 11.15 Estrutura da Unidade Presidentes Dr. Poole da Costa, Dr. Rui Portugal, Dr. Luís Pisco 09.45 10.10 Geografia da

Leia mais

Uma experiência em Enfermagem Comunitária na Região Autónoma na Madeira. Anália Olim Enfermeira Especialista de Saúde Comunitária CS da Ponta do Sol

Uma experiência em Enfermagem Comunitária na Região Autónoma na Madeira. Anália Olim Enfermeira Especialista de Saúde Comunitária CS da Ponta do Sol Uma experiência em Enfermagem Comunitária na Região Autónoma na Madeira Anália Olim Enfermeira Especialista de Saúde Comunitária CS da Ponta do Sol Programa Menos Álcool Mais Saúde III Encontro de Boas

Leia mais

Unidade de Saúde Familiar Delta Agrupamento de Centros de Saúde de Oeiras e Lisboa Ocidental

Unidade de Saúde Familiar Delta Agrupamento de Centros de Saúde de Oeiras e Lisboa Ocidental Unidade de Saúde Familiar Delta Agrupamento de Centros de Saúde de Oeiras e Lisboa Ocidental Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo Ministério da Saúde MISSÃO E VALORES A USF DELTA presta

Leia mais

MANUAL DE ACOLHIMENTO DO UTENTE

MANUAL DE ACOLHIMENTO DO UTENTE MANUAL DE ACOLHIMENTO DO UTENTE 0 INDICE Introdução. 2 Os Principios por que nos Guiamos. 3 Os Nossos Compromissos.. 4 Área de Abrangência e Inscrição - Área de Abrangência.. 5 - Inscrição... 5 Endereço

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBORIÚ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

ESTADO DE SANTA CATARINA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMBORIÚ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO EDITAL N 019/2015 Dispõe sobre os procedimentos de matrícula e rematrícula para atualização de dados dos alunos e abre as inscrições para as novas matrículas na rede pública municipal de ensino para o

Leia mais

ANEXO I A REGULAMENTO DE HORÁRIOS DE TRABALHO

ANEXO I A REGULAMENTO DE HORÁRIOS DE TRABALHO ANEXO I A REGULAMENTO DE HORÁRIOS DE TRABALHO Regulamento de horários de trabalho, nos termos e para os efeitos do disposto nas cláusulas 16ª e seguintes do Acordo de Empresa entre a Rádio e Televisão

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2013 (Enfermagem)

PROCESSO SELETIVO 2013 (Enfermagem) Santa Casa de Misericórdia de Passos Hospital Regional CNPJ (MF) 23.278.898/0001-60 - Inscrição Estadual: Isento PABX - DDR: (035) 3529.1300 (Geral) Rua Santa Casa, 164 - CEP 37904-020 Passos - MG e-mail:

Leia mais

GUIA DE ACOLHIMENTO AOS UTENTES

GUIA DE ACOLHIMENTO AOS UTENTES Agrupamento de Centros de Saúde Lisboa Central Crescer, evoluir e inovar na busca pela excelência na prestação dos cuidados de saúde. GUIA DE ACOLHIMENTO AOS UTENTES O presente guia tem como objetivo facultar

Leia mais

Fornecimento de Refeições Escolares às crianças do Pré Escolar. Normas de Utilização do Serviço

Fornecimento de Refeições Escolares às crianças do Pré Escolar. Normas de Utilização do Serviço Fornecimento de Refeições Escolares às crianças do Pré Escolar Normas de Utilização do Serviço Considerando a necessidade de adaptar os tempos de permanência das crianças nos estabelecimentos de ensino

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO MÉDICA. Faculdade de Ciências Biomédicas Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) Secretário-Geral

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO MÉDICA. Faculdade de Ciências Biomédicas Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) Secretário-Geral INSTITUTO DE EDUCAÇÃO MÉDICA Faculdade de Ciências Biomédicas Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT) Presidente da Direcção Prof. A. Matos-Ferreira Secretário-Geral Prof. L. Campos Pinheiro

Leia mais

QUESTIONÁRIO SOBRE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS. Denise Silveira, Fernando Siqueira, Elaine Tomasi, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini

QUESTIONÁRIO SOBRE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS. Denise Silveira, Fernando Siqueira, Elaine Tomasi, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini QUESTIONÁRIO SOBRE ATRIBUIÇÕES DOS PROFISSIONAIS Denise Silveira, Fernando Siqueira, Elaine Tomasi, Anaclaudia Gastal Fassa, Luiz Augusto Facchini IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE 1. UF: 2. Município:

Leia mais

Mínimo de abertura: Não aplicável. Não aplicável (conta não remunerada)

Mínimo de abertura: Não aplicável. Não aplicável (conta não remunerada) Designação Conta Ordenado Condições de Acesso Clientes Particulares, que efetuem a domiciliação do seu ordenado, através de transferência bancária codificada como ordenado. Modalidade Depósito à Ordem

Leia mais

CANDIDATURAS A UNIDADES DE SAÚDE FAMILIAR ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO REGULAMENTO INTERNO

CANDIDATURAS A UNIDADES DE SAÚDE FAMILIAR ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO REGULAMENTO INTERNO CANDIDATURAS A UNIDADES DE SAÚDE FAMILIAR ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO REGULAMENTO INTERNO Missão para os Cuidados de Saúde Primários 31 Outubro - 2007 ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO REGULAMENTO

Leia mais

Indicadores do Estado de Saúde de uma população

Indicadores do Estado de Saúde de uma população Indicadores do Estado de Saúde de uma população O que é a Saúde? Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), saúde é o estado de completo bemestar físico, mental e social e não, apenas, a ausência de

Leia mais

DIREITOS E DEVERES DOS ESTRANGEIROS EM PORTUGAL

DIREITOS E DEVERES DOS ESTRANGEIROS EM PORTUGAL PROGRAMA E CONDIÇÕES DIREITOS E DEVERES DOS ESTRANGEIROS EM PORTUGAL PALOP Solicitadores Solicitadores Estagiários Fevereiro de 2012 Lisboa Departamento de Formação - Câmara dos Solicitadores 2011 Avenida

Leia mais

TÓPICOS Isenções do pagamento de taxas moderadoras Isenções do pagamento de taxas moderadoras por insuficiência económica

TÓPICOS Isenções do pagamento de taxas moderadoras Isenções do pagamento de taxas moderadoras por insuficiência económica INFORMAÇÃO SOBRE AS TAXAS MODERADORAS PERGUNTAS FREQUENTES (FAQ) Nos termos da Base XXXIV da Lei de Bases da Saúde, as taxas moderadoras podem ser cobradas com o objetivo de completar as medidas reguladoras

Leia mais

Acesso às Consultas Externas do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria do Centro Hospitalar Lisboa Norte

Acesso às Consultas Externas do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria do Centro Hospitalar Lisboa Norte Acesso às Consultas Externas do Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria do Centro Hospitalar Lisboa Norte O Serviço de Estomatologia do Hospital de Santa Maria (SE do HSM) do Centro Hospitalar

Leia mais

Hipertensão Arterial. Promoção para a saúde Prevenção da doença. Trabalho elabora do por: Dr.ª Rosa Marques Enf. Lucinda Salvador

Hipertensão Arterial. Promoção para a saúde Prevenção da doença. Trabalho elabora do por: Dr.ª Rosa Marques Enf. Lucinda Salvador Hipertensão Arterial Promoção para a saúde Prevenção da doença Trabalho elabora do por: Dr.ª Rosa Marques Enf. Lucinda Salvador O que é a Pressão Arterial? É a pressão que o sangue exerce nas paredes das

Leia mais

TRANSPORTE NÃO URGENTE DE DOENTES (atualizado em 11/02/2014)

TRANSPORTE NÃO URGENTE DE DOENTES (atualizado em 11/02/2014) Considerando a recente revisão do quadro normativo dos transportes não urgentes de doentes no âmbito do Serviço Nacional de Saúde, procede-se à apresentação de esclarecimentos que se entendem oportunos

Leia mais

USF GLOBAL GUIA DO UTENTE. Em vigor: 2016 Última revisão: março de 2016 Próxima revisão: agosto de Guia do Utente Pág.

USF GLOBAL GUIA DO UTENTE. Em vigor: 2016 Última revisão: março de 2016 Próxima revisão: agosto de Guia do Utente Pág. USF GLOBAL GUIA DO UTENTE Em vigor: 2016 Última revisão: março de 2016 Próxima revisão: agosto de 2016 Guia do Utente Pág.1 USF GLOBAL LOCALIZAÇÃO E CONTACTOS USF GLOBAL (Sede): Centro de Saúde da Nazaré,

Leia mais

Paulistana. Apresentação do Case Tema: Sala de apoio ao Aleitamento Materno para Colaboradora

Paulistana. Apresentação do Case Tema: Sala de apoio ao Aleitamento Materno para Colaboradora Apresentação do Case Tema: Sala de apoio ao Aleitamento Materno para Colaboradora Introdução O leite humano é o melhor alimento que uma criança pode receber já que foi especialmente projetado para satisfazer

Leia mais

PINTI SAÚDE PLANOS ODONTOLÓGICOS LTDA. MANUAL DO USUÁRIO

PINTI SAÚDE PLANOS ODONTOLÓGICOS LTDA. MANUAL DO USUÁRIO PINTI SAÚDE PLANOS ODONTOLÓGICOS LTDA. ANS: 41946-0 MANUAL DO USUÁRIO APRESENTAÇÃO: A PINTI SAÚDE PLANOS ODONTOLÓGICOS LTDA, ENTIDADE PRIVADA, COM REGISTRO NA AGÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE (ANS) SOB O NÚMERO

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO FUNDAÇÃO CARDEAL CEREJEIRA

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO FUNDAÇÃO CARDEAL CEREJEIRA REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DA FUNDAÇÃO CARDEAL CEREJEIRA CENTRO DE IDOSOS SERVIÇO DE APOIO DOMILICIÁRIO SAD I Serviço de Apoio Domiciliário INDICE Objectivos 3 II Condições de Admissão 4 III

Leia mais

Dos jovens para os pais. Fim de Ano 2009

Dos jovens para os pais. Fim de Ano 2009 Fim de Ano 2009 Dos jovens para os pais Com 3 meses de funcionamento seleccionámos para a festa de Fim de Ano uma mensagem aos Pais para promover o suporte e controlo da Família aos jovens e adolescentes.

Leia mais

Regulamento de Funcionamento Interno de Centro de Dia CAPITULO I

Regulamento de Funcionamento Interno de Centro de Dia CAPITULO I Regulamento de Funcionamento Interno de Centro de Dia CAPITULO I (Âmbito de Aplicações das Normas) As presentes normas visam regulamentar as condições de funcionamento do Centro de Dia de Idosos da ALSS.

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

Equidade e Acesso aos Cuidados de Saúde. Anexo I. Potenciais barreiras no acesso aos cuidados de saúde. Cláudia Furtado João Pereira

Equidade e Acesso aos Cuidados de Saúde. Anexo I. Potenciais barreiras no acesso aos cuidados de saúde. Cláudia Furtado João Pereira Equidade e Acesso aos Cuidados de Saúde Anexo I Potenciais barreiras no acesso aos cuidados de saúde Cláudia Furtado João Pereira Escola Nacional de Saúde Pública Universidade Nova de Lisboa Lisboa Julho

Leia mais

VIH/HIV E GRAVIDEZ FAÇA O TESTE. RECEBA CUIDADOS MÉDICOS. RECEBA APOIO.

VIH/HIV E GRAVIDEZ FAÇA O TESTE. RECEBA CUIDADOS MÉDICOS. RECEBA APOIO. VIH/HIV E GRAVIDEZ FAÇA O TESTE. RECEBA CUIDADOS MÉDICOS. RECEBA APOIO. FAÇA O TESTE Agora, mais do que nunca, é importante que as mulheres grávidas, ou as que desejam ter um bebé, façam o teste do VIH.

Leia mais

No mês mundial de Saúde Mental, Prefeitura divulga ações realizadas na área

No mês mundial de Saúde Mental, Prefeitura divulga ações realizadas na área No mês mundial de Saúde Mental, Prefeitura divulga ações realizadas na área Em comemoração ao Dia 10 de outubro Dia Mundial de Saúde Mental, a Prefeitura de Fazenda Rio Grande, através da secretaria municipal

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PAULA FRASSINETTI

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PAULA FRASSINETTI ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PAULA FRASSINETTI NORMAS REGULAMENTARES DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE LICENCIADO EM EDUCAÇÃO BÁSICA Artº1 Dos objectivos e âmbito das presentes normas regulamentares

Leia mais

Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas

Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA DEPARTAMENTO REGIONAL DE MINAS GERAIS SESI/DRMG Vacinação Contra a Gripe 2015 Perguntas e Respostas BELO HORIZONTE 2015 Serviço

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO Acordo Parcelar Específico n.º 03 Entre O Centro Hospitalar de Lisboa Norte, EPE, E O Hospital de Santo Espírito de Angra do Heroísmo, EPE Junho de 2015 1 Acordo Parcelar Específico

Leia mais

Regulamento Interno. A inscrição para admissão deverá ser efetuada pessoalmente pelo

Regulamento Interno. A inscrição para admissão deverá ser efetuada pessoalmente pelo CADERNO DIÁRIO Rua Joaquim Nicolau de Almeida, nº 805 4400-188 Vila Nova de Gaia www.caderno-diario.com 917049954/223716660 Regulamento Interno Disposições Gerais A inscrição para admissão deverá ser efetuada

Leia mais

Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental.

Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI No 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona

Leia mais

Região Centro informador. Ano/Mês ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR. Redução. Alínea. Códigos. Semana de 5. Estabelecimento : Código : Nif.

Região Centro informador. Ano/Mês ÍNDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR. Redução. Alínea. Códigos. Semana de 5. Estabelecimento : Código : Nif. (Lei nº 6/89, de 15 de Abril), de resposta obrigatória, registado no INE sob o nº 9712. Válido até 2006/12/31. Região Centro informador Estabelecimento : Tipo : Morada : Ano/Mês Semana de 5 Código : Nif.

Leia mais

Cartão da Pessoa com Doença Rara (CPDR) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt)

Cartão da Pessoa com Doença Rara (CPDR) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.pt) NÚMERO: 008/2014 DATA: 21/07/2014 ATUALIZAÇÃO: 22/03/2016 ASSUNTO: Cartão da Pessoa com Doença Rara (CPDR) PALAVRAS-CHAVE: Doença rara, cartão, requisição, emissão PARA: Médicos do Sistema de Saúde CONTACTOS:

Leia mais

Normas do Laboratório de Práticas de Enfermagem

Normas do Laboratório de Práticas de Enfermagem UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Enfermagem Laboratório de Práticas de Enfermagem Telefone: (31) 3409-9873 Endereço: Av. Professor Alfredo Balena, nº 190 sala 321 - Centro - Belo Horizonte/MG

Leia mais

Manual da Proteção na Parentalidade. Índice...1 SUBSÍDIO PARENTAL...3. 1. Subsídio Parental Inicial...3

Manual da Proteção na Parentalidade. Índice...1 SUBSÍDIO PARENTAL...3. 1. Subsídio Parental Inicial...3 Índice Índice...1 SUBSÍDIO PARENTAL...3 1. Subsídio Parental Inicial...3 2. Subsídio Parental Inicial Exclusivo da Mãe...4 3. Subsídio Parental Inicial Exclusivo do Pai...4 4. Subsídio Parental Inicial

Leia mais

GABINETE DE APOIO JURÍDICO AOS INVESTIGADORES E DOCENTES

GABINETE DE APOIO JURÍDICO AOS INVESTIGADORES E DOCENTES PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A FACULDADE DE DIREITO DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA E A GABINETE DE APOIO JURÍDICO AOS INVESTIGADORES E DOCENTES Pelo presente Protocolo, A PRIMEIRA OUTORGANTE, Reitoria

Leia mais

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização,

GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os recursos disponibilizados pela organização, LIDERANÇA E PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DAS IPSS Cuidamos do Futuro do Envelhecimento em Portugal GESTÃO DE EXCELÊNCIA 2 Gestão: um conjunto de tarefas que procuram garantir a afectação eficaz de todos os

Leia mais

Data de Nascimento: / / MORADA: LOCALIDADE/ MORADA: Quem vem buscar a criança ao colégio?

Data de Nascimento: / / MORADA: LOCALIDADE/ MORADA: Quem vem buscar a criança ao colégio? Processo Nº Data: / / Creche: Jardim de Infância: Sala: Ano letivo: / Foto NOME: 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DA CRIANÇA Data de Nascimento: / / Idade: Distrito: B.I/ C.C./ Cédula: Nº Contribuinte: Nº Utente:

Leia mais

Normas de Funcionamento da Componente de Apoio à Família (CAF)

Normas de Funcionamento da Componente de Apoio à Família (CAF) Normas de Funcionamento da Componente de Apoio à Família (CAF) A educação pré-escolar destina-se a todas as crianças com idades compreendidas entre os 3 anos e a idade de ingresso no ensino básico e constitui

Leia mais

Regulamento de Funcionamento das Piscinas Municipais de Mourão

Regulamento de Funcionamento das Piscinas Municipais de Mourão Nota Justificativa As piscinas Municipais de Mourão, constituem um equipamento de grande importância para a promoção da actividade física e desportiva da população do Município, pois as actividades desportivas

Leia mais

PLANTÃO PROFESSORES ENSINO FUNDAMENTAL II / MÉDIO

PLANTÃO PROFESSORES ENSINO FUNDAMENTAL II / MÉDIO Belo Horizonte novembro de 2015. Prezados Pais e/ ou Responsáveis, Abaixo estão algumas informações referentes aos últimos eventos pedagógicos de seu filho no IEMP. Leia com atenção, e havendo dúvidas,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 046 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 046 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 046 / 2011 1. Do fato Assunto: Dimensionamento de Pessoal de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva. Solicitado parecer por enfermeiro sobre a realização de cálculo de dimensionamento

Leia mais

Código: CHCB.PI.HF.03 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas: 1 de 6. 1. Objectivo. 2. Aplicação. 3. Referencias Bibliográficas. 4.

Código: CHCB.PI.HF.03 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas: 1 de 6. 1. Objectivo. 2. Aplicação. 3. Referencias Bibliográficas. 4. Código: CHCB.PI.HF.03 Edição: 1 Revisão: 1 Páginas: 1 de 6 1. Objectivo Caracterizar o Serviço de Dietética do e definir os seus procedimentos. 2. Aplicação Centro Hospitalar da Cova da Beira. Não se aplica.

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 01/2016 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 01/2016 CONCURSO PARA INGRESSO DE MONITOR 1 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO EDITAL DE CONCURSO PARA PROGRAMA DE MONITORIA N O 01/2016 A Coordenação do Curso de Engenharia de Produção da Unidade de Ensino Superior Dom Bosco, no uso de suas atribuições

Leia mais

Cursos Teóricos. Congresso. Curso Açores. Curso Madeira 26 MAI

Cursos Teóricos. Congresso. Curso Açores. Curso Madeira 26 MAI Cursos Teóricos 26 MAI 30 JUN 22 SET 2º Curso Restaurações Estéticas Cerâmicas: construindo um protocolo passo a passo Europarque - Santa Maria da Feira Sidney Kina 3º Curso Utlização de Fluoretos e Programa

Leia mais

INFORMAÇÃO TÉCNICA 1. INTRODUÇÃO. PNSOC 2013/2017 Programa Nacional de Saúde Ocupacional 2º Ciclo - 2013/2017

INFORMAÇÃO TÉCNICA 1. INTRODUÇÃO. PNSOC 2013/2017 Programa Nacional de Saúde Ocupacional 2º Ciclo - 2013/2017 NÚMERO: 007/2014 DATA: 27/06/2014 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Requisitos do contrato de saúde do trabalho: Especificações Serviços de saúde do trabalho; contrato; principais atividades; deveres

Leia mais

Regulamento Prova SQUASH

Regulamento Prova SQUASH Regulamento Prova SQUASH Gabinete de Actividades Desportivas da Universidade do Porto GADUP Rua da Boa Hora n.º 18-A 4050-099 Porto Telefone: 222 074 164 Fax: 222 003 067 E-mail: gadup@sas.up.pt Web: www.sas.up.pt

Leia mais

I FÓRUM DE PEDIATRIA DO CFM

I FÓRUM DE PEDIATRIA DO CFM I FÓRUM DE PEDIATRIA DO CFM O currículo atual é suficiente? Christianne Martins Coordenadora da RM de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas/UERJ Membro do Comitê de Ensino da SOPERJ RESOLUÇÃO CNRM

Leia mais

http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais

http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais http://www3.esvilela.pt/exames-nacionais PROVAS FINAIS DO ENSINO BÁSICO 3º CICLO 2016 QUAL O OBJETIVO E A QUEM SE DESTINAM AS PROVAS FINAIS? As provas finais do 3.º ciclo destinam-se a todos os alunos

Leia mais

PROGRAMA DE INICAÇÃO CIENTÍFICA PIC

PROGRAMA DE INICAÇÃO CIENTÍFICA PIC EDITAL 0/205 Sociedade Mestra de Educação e Cultura de Goiás. Faculdade Padrão de Aparecida de Goiânia. fpadrao@yahoo.com.br. Rua José Leandro Qd. 63 Lt. 0 ao 05 Jardim da Luz Aparecida de Goiânia. Fone:

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. Matrícula Cronograma de Aulas Pág. 10 PÓS-GRADUAÇÃO EM EMERGÊNCIAS PEDIÁTRICAS - BH Unidade

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO APOIO A IDOSOS

REGULAMENTO DO CONCURSO APOIO A IDOSOS REGULAMENTO DO CONCURSO APOIO A IDOSOS Artigo 1º Objecto O presente Regulamento estabelece as normas de acesso ao concurso Apoio a Idosos. Artigo 2º Beneficiários Podem candidatar-se a este concurso instituições

Leia mais

Qual a melhor maneira de utilizar os serviços da nossa USF?

Qual a melhor maneira de utilizar os serviços da nossa USF? Dezembro 2010 nº 10 Boletim que informativo U S F M O N T E D E C A P A R I C A Sumário Nesta edição Qual a melhor maneira de utilizar os serviços da nossa USF? Consulte, aprenda, esclareça e contribua

Leia mais

Organização dos Serviços Farmacêuticos

Organização dos Serviços Farmacêuticos Organização dos Serviços Farmacêuticos Uma vez planificados os S.F. deve partir-se para a organização do serviço que compreende Estruturar as diferentes secções Definir as funções de cada secção e estabelecer

Leia mais

Março AGENDA MUNICIPAL M U N I C Í P I O. Cultura Desporto Lazer Info mail. Fotografia: Rosário Soares, publicada in Olhares.com

Março AGENDA MUNICIPAL M U N I C Í P I O. Cultura Desporto Lazer Info mail. Fotografia: Rosário Soares, publicada in Olhares.com AGENDA MUNICIPAL Cultura Desporto Lazer Info mail M U N I C Í P I O PESO DA RÉGUA AGENDA MUNICIPAL Fotografia: Rosário Soares, publicada in Olhares.com Março 2011 Março 2011 Participação gratuita T 1 Q

Leia mais

GUIA DO UTENTE. Revisto em: (3ª revisão) Elaborado em:

GUIA DO UTENTE. Revisto em: (3ª revisão) Elaborado em: GUIA DO UTENTE O presente Guia tem como objetivo facultar informações relevantes sobre a Unidade de Saúde Familiar (USF) do Arco, o seu funcionamento e os serviços que disponibiliza aos seus utentes. Elaborado

Leia mais

RESOLUÇÃO 18 DE 29 DE SETEMBRO DE 1995

RESOLUÇÃO 18 DE 29 DE SETEMBRO DE 1995 RESOLUÇÃO 18 DE 29 DE SETEMBRO DE 1995 Disciplina a assistência psicológica aos beneficiários do Programa de Assistência aos Servidores do Tribunal Regional Federal da Primeira Região Pro-Social. O JUIZ-PRESIDENTE

Leia mais

orientações sobre Licença Capacitação

orientações sobre Licença Capacitação orientações sobre Licença Capacitação O que é... Licença Capacitação A Licença Capacitação é um direito garantido aos servidores pelo artigo 87 da Lei 8.112/1990. 1 6 A licença capacitação não é cumulativa,

Leia mais

PRÊMIO PRESENÇA Políticas

PRÊMIO PRESENÇA Políticas Esta política estabelece diretrizes que serão aplicadas no Morena Rosa Group, cabendo a todas as áreas envolvidas no processo e citadas neste documento a responsabilidade pelo seu cumprimento. PRÊMIO PRESENÇA

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 121/VIII ALARGA A REDE DE SERVIÇOS PÚBLICOS PARA O TRATAMENTO E A REINSERÇÃO SOCIAL DE TOXICODEPENDENTES.

PROJECTO DE LEI N.º 121/VIII ALARGA A REDE DE SERVIÇOS PÚBLICOS PARA O TRATAMENTO E A REINSERÇÃO SOCIAL DE TOXICODEPENDENTES. PROJECTO DE LEI N.º 121/VIII ALARGA A REDE DE SERVIÇOS PÚBLICOS PARA O TRATAMENTO E A REINSERÇÃO SOCIAL DE TOXICODEPENDENTES Preâmbulo Na sequência da apresentação pelo PCP do projecto de lei n.º 29/VII

Leia mais

ASSISTÊNCIA HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO. Dra. Nivia Maria Rodrigues Arrais Pediatra - Neonatologista Departamento de Pediatria - UFRN

ASSISTÊNCIA HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO. Dra. Nivia Maria Rodrigues Arrais Pediatra - Neonatologista Departamento de Pediatria - UFRN ASSISTÊNCIA HUMANIZADA AO RECÉM-NASCIDO Dra. Nivia Maria Rodrigues Arrais Pediatra - Neonatologista Departamento de Pediatria - UFRN 10 PASSOS 22/04/2010 PARA A ATENÇÃO HOSPITALAR HUMANIZADA À CRIANÇA

Leia mais

PARECER COREN-SP 031 /2013 CT. PRCI n 101.092. Tickets nºs 290.315, 293.537 e 299.887

PARECER COREN-SP 031 /2013 CT. PRCI n 101.092. Tickets nºs 290.315, 293.537 e 299.887 PARECER COREN-SP 031 /2013 CT PRCI n 101.092 Tickets nºs 290.315, 293.537 e 299.887 Ementa: Realização de teste de gravidez e informação do resultado. 1. Do fato Auxiliares e Técnicos de Enfermagem questionam

Leia mais

ENTOMOLOGIA MÉDICA CURSO DE CAPACITAÇÃO EM TÉCNICAS BÁSICAS DE LABORATÓRIO E DE CAMPO

ENTOMOLOGIA MÉDICA CURSO DE CAPACITAÇÃO EM TÉCNICAS BÁSICAS DE LABORATÓRIO E DE CAMPO Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Instituto Oswaldo Cruz ENTOMOLOGIA MÉDICA CURSO DE CAPACITAÇÃO EM TÉCNICAS BÁSICAS DE LABORATÓRIO E DE CAMPO Edital de Seleção de Alunos Por meio deste Edital

Leia mais

Novembro de 2011. O fazemos:

Novembro de 2011. O fazemos: Novembro de 2011 O fazemos: A nossa missão é por excelência acolher, atender, informar e orientar os clientes para a resolução dos seus problemas dentro ou fora da Autarquia. Pretendemos ser reconhecidos

Leia mais

Escola de Música Marista do EML REGULAMENTO 2012 /2013. Capítulo I Funcionamento da Escola de Música Marista

Escola de Música Marista do EML REGULAMENTO 2012 /2013. Capítulo I Funcionamento da Escola de Música Marista Capítulo I Funcionamento da Escola de Música Marista 1 A E.M. (Escola de Música) é dirigida por um coordenador, nomeado pela Direção do Externato Marista. É função desse coordenador dirigir a E.M., quer

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 57 23 de Março de 2010

Diário da República, 2.ª série N.º 57 23 de Março de 2010 UNIVERSIDADE DA MADEIRA Reitoria Diário da República, 2.ª série N.º 57 23 de Março de 2010 Regulamento n.º 285/2010 Regulamento das provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para

Leia mais