Dor relacionada ao trabalho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dor relacionada ao trabalho"

Transcrição

1 Dor relacionada ao trabalho Designação: Conceito: cumulative trauma disorder Anos 70 Trabalho envolvendo movimentos rápidos e contínuos com relativo pouco gasto de energia.

2 Dor relacionada ao trabalho Japão Distúrbios cervicobraquiais ocupacionais Conceitos: Era da tenossinovite : perfuradores de cartão (final da década de 50). Era da síndrome cervicobraquial: atenção às dores mais disseminadas (década de 60). Era do distúrbio cervicobraquial ocupacional: década de 70.

3 Dor relacionada ao trabalho Japão Distúrbios cervicobraquiais ocupacionais 1969: Ministério do Trabalho estabelece várias atividades profissionais como de risco : Formação e atuação do Comitê da Síndrome Cervicobraquialgia Ocupacional/ Estabelecimento de normas de controle/ Estágios evolutivos.

4 Dor relacionada ao trabalho Austrália Visibilidade social Década de 70 e início da década de 80. Debate intenso sobre gênese, clínica e significado social Alternativas da sociedade Restrição de critérios para o diagnóstico e relação causa-efeito com o trabalho: diminuição da concessão de benefícios do Seguro Social. Enfrentamento real.

5 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei -Brasil Década de 80: primeiros casos entre digitadores 1986: circular do INAMPS, reconhecendo a tenossinovite do digitador 1987: MPAS- tenossinovite do digitador 1990: NR 17 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) 1991: MPAS-LER

6 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei-brasil 1992: Sistema Único de Saúde (SP e MG)- adota o termo LER 1993: MPAS - LER (ampliação de direitos) 1998: MPAS (OS 606) - Dort (restrição de direitos)

7 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei -Brasil 1999: Portaria do Ministério da Saúde e anexo II do decreto 3.048/99 do MPAS inclui as LER/Dortentre as doenças relacionadas ao trabalho. 2000: Protocolo de LER do Ministério da Saúde 2001: Fascículos sobre LER (Série A Normas 103 a 106) M. da Saúde

8 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei -Brasil 2001: Manual de Procedimentos para os Serviços/ Doenças relacionadas ao trabalho de 580 páginas, 21 capítulos e anexos agravos relacionados ao trabalho, entre os quais as LER/Dort.

9 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei -Brasil 2003: Instrução Normativa 98 do MPS (substituiu a OS 606/98) Portaria 777/04 do Ministério da Saúde: LER/Dort são de notificação compulsória ao SINAN Protocolo finalizado após elaboração e consulta pública

10 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei -Brasil Portaria 8 anexo da NR 17 (check-out), Ministério do Trabalho e Emprego 30/03/ Portaria 9 -anexo da NR 17 (telemarketing), Ministério do Trabalho e Emprego 30/03/2007

11 Dor relacionada ao trabalho Do conhecimento à lei -Brasil Diretrizes de Ortopedia para Perícia Médica do INSS previsto para ser oficializado em dezembro de 2008

12 POR QUE TANTO ALARDE? Políticas setoriais que enfocam a produção e distribuição de bens e prestação de serviços (definem onde e como trabalharão os cidadãos): Agricultura e desenvolvimento agrário Comércio e indústria Desenvolvimento Ciência e tecnologia (Relações de) Trabalho Políticas setoriais sociais, que atendem aos trabalhadores incapacitados e/ou com agravos à saúde : Saúde Previdência Meio Ambiente Justiça

13 QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS DESTA FRAGMENTAÇÃO? acidentes de trabalho: Período , apenas entre trabalhadores com carteira assinada (menos de 30% da PEA) óbitos; comincapacidadepermanente; [1]. Coeficiente de Mortalidade no Trabalho: (por trabalhadores) Brasil 14,8(MPS, 2003) Finlândia 2,1(2001); França de 4,4(2000); Canadá 7,2(2002); Espanha 8,3(2003). [1]

14 "...AOMSestimaquena América Latina apenas entre1e4% detodas asdoençasocupacionais sãonotificadas... (1) 1 FACT SHEET nº 84 (revisado em junho de 1999), sobre Saúde Ocupacional, (

15 Dor crônica do sistema músculoesquelético Lesões por Esforços Repetitivos/ Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho Demanda principal dos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador

16 Dor crônica do sistema músculoesquelético No Centro de Dor do HC-USP Dor crônica do sistema músculo-esquelético 60% da demanda

17 Fonte: MPS Total Típicos Trajeto Doença Segurados Variação 5,6% 5% 11,8% 0,46% subnotificação

18 Fonte: MPS Número de auxílios-doençaacidentários (B91) concedidos de jan a dez de 2008, apenas para CID M50 a M79: Por CID M50 a M54 = Por CID M60 a M79 =

19 Foram analisados todos benefícios por incapacidade do INSS concedidos por doenças músculo-esqueléticas CID (diagnóstico) M00 M25/ M30-M36/ M40-M54/ M60-M79 X CNAE (ramo de atividade) Concluiu-se que há nexo técnico epidemiológico (NTEp) entre M00-M25: 108 ramos M30-M36: 3 ramos M40-M54: 162 ramos M60-M79: 149 ramos

20 NTEp Existência de significância estatística entre pertencer a determinado ramo da atividade econômica e desenvolver certo grupo de doenças Um dos critérios de concessão de benefício adotados pela Previdência Social desde 01 de abril de 2007 (Lei , Decreto 6042, IN 16 da Previdência Social).

21 Resultados das condições de trabalho - MPS Fonte (única em nível nacional): INSS 3 mil óbitos por ano A cada 2 horas ocorrem 3 mortes 300 mil acidentes típicos por ano A cada minuto de trabalho há 3 acidentes

22 Resultados das condições de trabalho -MPS Fonte: INSS (única em nível nacional) 2003: 32,8 bilhões de reais 8,2 bilhões = benefícios acidentários e aposentadorias especiais

23 Resultados das condições de trabalho -MPS 4% do PIB Helmut Schwarzer Secretário do MPS ago 2006

24 Resultados das condições de trabalho -SUS A Portaria 777/04 notificação ao SINAN dará números referentes à toda a população economicamente ativa do país

25 Relembrando: Universo -Brasil População economicamente ativa cuja responsabilidade é da Saúde SUS: 83 milhões de pessoas. População coberta pela Consolidação das Leis do Trabalho e segurada do Ministério da Previdência Social -Seguro de Acidentes do Trabalho (SAT):23 milhões de pessoas.

Introdução O trabalho seguro e salubre é um dos direitos sociais fundamentais garantidos pela Constituição Federal de 1988, artigo 7º, alínea

Introdução O trabalho seguro e salubre é um dos direitos sociais fundamentais garantidos pela Constituição Federal de 1988, artigo 7º, alínea Instituto Nacional do Seguro Social Diretoria de Saúde do Trabalhador Coordenação-Geral de Benefícios por Incapacidade Divisão de Perícias Ocupacionais ENTENDENDO OS NEXOS TÉCNICOS PREVIDENCIÁRIOS São

Leia mais

Notificação de Doenças Relacionadas ao Trabalho DRT

Notificação de Doenças Relacionadas ao Trabalho DRT Notificação de Doenças Relacionadas ao Trabalho DRT Área Técnica de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora / CORAS / SMS Ricardo Fernandes de Menezes Coordenador Política de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Leia mais

Acidentes de Trabalho no Setor de Atividade Econômico Indústria 2007.

Acidentes de Trabalho no Setor de Atividade Econômico Indústria 2007. Acidentes de Trabalho no Setor de Atividade Econômico Indústria 2007. Estatísticas de Acidente de Trabalho no Brasil BLOG DIESAT: Leia notícias atualizadas sobre Acidente de Trabalho: http://diesat.blogspot.com/search/label/acidente%20de%20trabalho

Leia mais

Saúde Ocupacional e Regulamentação dos Planos de Saúde

Saúde Ocupacional e Regulamentação dos Planos de Saúde Saúde Ocupacional e Regulamentação dos Planos de Saúde Regulamentação dos planos Resolução CONSU 10 Art. 2º, 2º Nos contratos de planos coletivos, não é obrigatória a cobertura para os procedimentos relacionados

Leia mais

PRODUÇÃO PROBATÓRIA E MEIOS DE MENSURAÇÃO DO DANO AO TRABALHADOR. ANA FREITAS

PRODUÇÃO PROBATÓRIA E MEIOS DE MENSURAÇÃO DO DANO AO TRABALHADOR. ANA FREITAS PRODUÇÃO PROBATÓRIA E MEIOS DE MENSURAÇÃO DO DANO AO TRABALHADOR ANA FREITAS anafreitasuba@yahoo.com.br RESUMO ACIDENTES DE TRABALHO E DOENÇAS EQUIPARADAS NEXO TÉCNICO EPIDEMIOLÓGICO DIRETRIZES E ENUNCIADOS

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva PPGCol

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva PPGCol OFERTA CURRICULAR 2014/1 Professor Responsável: Paulo Antônio Barros de Oliveira 1. Atividade de Ensino: Seminário Avançado Título: Saúde do trabalhador na atenção básica Nº Créditos: 02 Código da Respectiva

Leia mais

GESTÃO DE RISCO PARA LER/DORT

GESTÃO DE RISCO PARA LER/DORT GESTÃO DE RISCO PARA LER/DORT José Erivalder Guimarães de Oliveira São Paulo Agosto/2012 1. PROBLEMA E JUSTIFICATIVA Os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort/LER) são fenômenos muito

Leia mais

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS Esplanada dos Ministérios, Bloco F, CEP 70059-900 Brasília, DF Brasil

MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS Esplanada dos Ministérios, Bloco F, CEP 70059-900 Brasília, DF Brasil MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS Esplanada dos Ministérios, Bloco F, CEP 70059-900 Brasília, DF Brasil Garibaldi Alves - Ministro SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Benedito Alberto Brunca

Leia mais

AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO

AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO MERCADO DE TRABALHO METROPOLITANO 1 AGOSTO DE 2013 2 LIGEIRA REDUÇÃO DA TAXA DE DESEMPREGO As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego revelam ligeira redução da taxa de desemprego e

Leia mais

Organização: Sociedade Paulista de Perícias Médicas e Associação Paulista de Medicina. Apoio: Sociedade Brasileira de Perícias Médicas

Organização: Sociedade Paulista de Perícias Médicas e Associação Paulista de Medicina. Apoio: Sociedade Brasileira de Perícias Médicas 26 a 29/11/2008 Organização: Sociedade Paulista de Perícias Médicas e Associação Paulista de Medicina Apoio: Sociedade Brasileira de Perícias Médicas PERÍCIA: JUSTIÇA SOCIAL Dia: 26/11/08 Quarta- feira

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL: SEUS BENEFÍCIOS E O DIÁLOGO COM A SOCIEDADE

PREVIDÊNCIA SOCIAL: SEUS BENEFÍCIOS E O DIÁLOGO COM A SOCIEDADE PREVIDÊNCIA SOCIAL: SEUS BENEFÍCIOS E O DIÁLOGO COM A SOCIEDADE GRANDES NÚMEROS DO INSS 1.501 Agências da Previdência Social 39.392 servidores (4.730 peritos médicos) 198.000 pessoas atendidas diariamente.

Leia mais

ERGONOMIA. Autoria: Hudson de Araújo Couto Médico do Trabalho Belo Horizonte, MG. Compilação: Adilvo Andreazza Médico do Trabalho Blumenau, SC

ERGONOMIA. Autoria: Hudson de Araújo Couto Médico do Trabalho Belo Horizonte, MG. Compilação: Adilvo Andreazza Médico do Trabalho Blumenau, SC ERGONOMIA Autoria: Hudson de Araújo Couto Médico do Trabalho Belo Horizonte, MG Compilação: Adilvo Andreazza Médico do Trabalho Blumenau, SC Conteúdo Básico para Capacitação de Pessoal em Ergonomia do

Leia mais

PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 47, DE 2015

PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 47, DE 2015 PROJETO DE LEI DA CÂMARA Nº 47, DE 2015 (Nº 3.575/2012, NA CASA DE ORIGEM) Altera os arts. 3º, 15 e 71 da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso e dá outras providências.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE SAÚDE COMUNITÁRIA ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO CAROLINA FARIA DA CUNHA SALGADO WANDERLEY PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES

Leia mais

Assunto: Posicionamento do Ministério da Saúde acerca da integralidade da saúde dos homens no contexto do Novembro Azul.

Assunto: Posicionamento do Ministério da Saúde acerca da integralidade da saúde dos homens no contexto do Novembro Azul. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO Á SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS COORDENAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE DOS HOMENS COORDENAÇÃO DE SAÚDE DA PESSOA IDOSA DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL UNIME- União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade de Ciências Agrárias e da Saúde Curso de Odontologia INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS ODONTOLÓGICAS POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE BUCAL Professores(as): Michelle

Leia mais

As Mudanças do FAP Desafios do Cálculo por Estabelecimento. São Paulo, 27 de abril de 2016 Manoel Jardim Monteiro

As Mudanças do FAP Desafios do Cálculo por Estabelecimento. São Paulo, 27 de abril de 2016 Manoel Jardim Monteiro As Mudanças do FAP Desafios do Cálculo por Estabelecimento São Paulo, 27 de abril de 2016 Manoel Jardim Monteiro Agenda Como era o FAP até 2015 Como ficou o FAP a partir de 2016 Principais Impactos na

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NITERÓI PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NITERÓI PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO NÚCLEO DE ESTUDOS DE SAÚDE COLETIVA FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE NITERÓI PROGRAMA MÉDICO DE FAMÍLIA AVALIAÇÃO DAS AÇÕES DE PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL

Leia mais

Painel 2: Fator Saúde e os Acidentes Rodoviários. O Setor Saúde nos Acidentes Rodoviários Envolvendo Produtos Perigosos

Painel 2: Fator Saúde e os Acidentes Rodoviários. O Setor Saúde nos Acidentes Rodoviários Envolvendo Produtos Perigosos Painel 2: Fator Saúde e os Acidentes Rodoviários O Setor Saúde nos Acidentes Rodoviários Envolvendo Produtos Perigosos Responsáveis pela elaboração desta apresentação Diretoria de Saúde do Trabalhador

Leia mais

Rua São Bento, 413, Centro, São Paulo, CEP 01011-100 fone 3188-5200, fax 3241-3549, e-mail sgeral@spbancarios.com.br

Rua São Bento, 413, Centro, São Paulo, CEP 01011-100 fone 3188-5200, fax 3241-3549, e-mail sgeral@spbancarios.com.br Brasília, 16 de março de 2011. Ilmo. Doutor Mauro Luciano Hauschild D. D. Presidente do INSS Senhor Presidente Pleiteamos o estabelecimento de um diálogo com Vossa Senhoria, fundamentado na legalidade

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Sindical A IMPOSIÇÃO DE MULTA PARA O EMPREGADOR PELA FALTA DE COMUNI- CAÇÃO DO ACIDENTE DE TRABALHO NA VISÃO DO PROJETO DE LEI DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Nº 7220/10 Roberto Lopes

Leia mais

Gestão de Tecnologias em Saúde na Saúde Suplementar. GRUPO TÉCNICO REVISÃO DO ROL Karla Santa Cruz Coelho Fevereiro/2009

Gestão de Tecnologias em Saúde na Saúde Suplementar. GRUPO TÉCNICO REVISÃO DO ROL Karla Santa Cruz Coelho Fevereiro/2009 Gestão de Tecnologias em Saúde na Saúde Suplementar GRUPO TÉCNICO REVISÃO DO ROL Karla Santa Cruz Coelho Fevereiro/2009 Tecnologias em saúde: considerações iniciais O que é tecnologia em saúde? Medicamentos,

Leia mais

Previdência social no Brasil: desajustes, dilemas e propostas. Paulo Tafner

Previdência social no Brasil: desajustes, dilemas e propostas. Paulo Tafner Previdência social no Brasil: desajustes, dilemas e propostas Paulo Tafner São Paulo - Novembro de 2015. Previdência Social Os fatos Previdência Social Brasileira - 2014 (% do PIB) Previdência Social Brasileira

Leia mais

Número de consultas médicas (SUS) por habitante F.1

Número de consultas médicas (SUS) por habitante F.1 Número de consultas médicas (SUS) por habitante F.1 1. Conceituação Número médio de consultas médicas apresentadas 1 no Sistema Único de Saúde (SUS) por habitante, em determinado espaço geográfico, no

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS INGRESSO NO SERVIÇO PÚBLICO ATÉ 19 DE DEZEMBRO DE 2003 Professora por tempo

Leia mais

NO ÂMBITO DA OCUPAÇÃO

NO ÂMBITO DA OCUPAÇÃO PRINCIPAIS DESTAQUES DA EVOLUÇÃO DO MERCADO DE TRABALHO NAS SEIS REGIõES METROPOLITANAS DO PAÍS ABRANGIDAS PELA PESQUISA MENSAL DE EMPREGO DO IBGE (RECiFE, SALVADOR, BELO HORIZONTE, RIO DE JANEIRO, SÃO

Leia mais

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015

SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015 SÍNTESE DO COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL EM ALAGOAS, PARA JUNHO DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores De acordo

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL 2014 PRINCIPAIS RESULTADOS Brasília, março de 2016 SPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social 1 CONTRIBUINTES DO RGPS 2 EVOLUÇÃO ANUAL DO NÚMERO DE CONTRIBUINTES

Leia mais

Transtornos mentais relacionados ao trabalho

Transtornos mentais relacionados ao trabalho Transtornos mentais relacionados ao trabalho João Silvestre Silva-Junior joaossj@gmail.com joaosilvestrejr Roteiro Aspectos epidemiológicos dos transtornos mentais incapacitantes Nexo técnico previdenciário

Leia mais

Preenchimento da CAT

Preenchimento da CAT Quadro I - EMITENTE ACIDENTE DE TRABALHO I.1 - Informações relativas ao EMITENTE Campo 1. Emitente - informar no campo demarcado o dígito que especifica o responsável pela emissão da CAT, sendo: 1. empregador;

Leia mais

Instruções de Preenchimento da CAT

Instruções de Preenchimento da CAT Quadro I - EMITENTE I.1 - Informações relativas ao EMITENTE Campo 1. Emitente - informar no campo demarcado o dígito que especifica o responsável pela emissão da CAT, sendo: 1. empregador; 2. sindicato;

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE

MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE Junho/2012 Crescimento da ocupação e saída de pessoas do mercado de trabalho determinam expressiva redução do desemprego 1. Em junho, as informações da Pesquisa

Leia mais

André Merjan Figueiredo Ovidio Salvador Passareli

André Merjan Figueiredo Ovidio Salvador Passareli CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde Composição de Equipes de Prevenção para a Redução de Agravos e Transtornos Mentais Relacionados ao Trabalho em servidores

Leia mais

7. Hipertensão Arterial

7. Hipertensão Arterial 7. Hipertensão Arterial Situação Epidemiológica A hipertensão arterial é a doença de maior prevalência no Brasil. Além da magnitude, trata-se de doença de relativa gravidade, em decorrência de sua cronicidade

Leia mais

ACIDENTE DO TRABALHO E RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR. Adriana Jardim Alexandre Supioni adrianajardim@terra.com.br

ACIDENTE DO TRABALHO E RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR. Adriana Jardim Alexandre Supioni adrianajardim@terra.com.br ACIDENTE DO TRABALHO E RESPONSABILIDADE CIVIL DO EMPREGADOR Adriana Jardim Alexandre Supioni adrianajardim@terra.com.br ACIDENTES DO TRABALHO ESTATÍSTICAS No mundo: 2,34 milhões de pessoas morrem a cada

Leia mais

Cobertura de Seguridade Social

Cobertura de Seguridade Social Cobertura de Seguridade Social A cobertura de seguridade social no Brasil: uma análise da componente previdenciária Paulo Tafner e Fabio Giambiagi Buenos Aires, maio/2010 Estrutura do Sistema previdenciário

Leia mais

Salário mínimo, indexação e impactos na Seguridade brasileira

Salário mínimo, indexação e impactos na Seguridade brasileira Salário mínimo, indexação e impactos na Seguridade brasileira Paulo Tafner São Paulo Março de 216. Previdência Social Os fatos Previdência Social Brasileira - 214 (% do PIB) Previdência Social Brasileira

Leia mais

As Normas Internacionais do Trabalho e a Igualdade de Gênero

As Normas Internacionais do Trabalho e a Igualdade de Gênero As Normas Internacionais do Trabalho e a Igualdade de Gênero Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil São Paulo, 30 de julho de 2013 ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO -OIT Fundada em 1919

Leia mais

Eliminação do sarampo no Brasil

Eliminação do sarampo no Brasil Eliminação do sarampo no Brasil Elizabeth David dos Santos SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros VERAS, RP., et al., orgs. Epidemiologia: contextos e pluralidade [online]. Rio de Janeiro: Editora

Leia mais

Gran Amazonia: Desafios e Perspectivas da Integração Regional

Gran Amazonia: Desafios e Perspectivas da Integração Regional Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES Gran Amazonia: Desafios e Perspectivas da Integração Regional Emídio Cantídio de Oliveira Filho, Ph.D. Diretor de Programas

Leia mais

Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Setembro de 20 1 Prestação de Contas - LRF Objetivos das Políticas

Leia mais

PARECER Nº, DE 2016. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2016. RELATOR: Senador JOSÉ PIMENTEL I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2016 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, à Proposta de Emenda à Constituição nº 18, de 2009, do Senador Paulo Paim e outros, que altera o 8º do art. 201 da Constituição Federal,

Leia mais

Estratégia Nacional para Redução dos Acidentes do Trabalho 2015-2016

Estratégia Nacional para Redução dos Acidentes do Trabalho 2015-2016 Ministério do Trabalho e Emprego Secretaria de Inspeção do Trabalho Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho Estratégia Nacional

Leia mais

INDICADORES DE SAÚDE I

INDICADORES DE SAÚDE I Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Departamento Medicina Preventiva Disciplina de Epidemiologia INDICADORES DE SAÚDE I 2005 Indicadores globais: Coeficiente

Leia mais

GUIA PARA O ODONTÓLOGO SERVIDOR PÚBLICO, APOSENTADORIA ESPECIAL.

GUIA PARA O ODONTÓLOGO SERVIDOR PÚBLICO, APOSENTADORIA ESPECIAL. GUIA PARA O ODONTÓLOGO SERVIDOR PÚBLICO, APOSENTADORIA ESPECIAL. O QUE É A APOSENTADORIA ESPECIAL? A aposentadoria especial é um benefício previdenciário concedido ao segurado exposto permanentemente a

Leia mais

Briefing hepatites. Números gerais da Hepatite casos confirmados

Briefing hepatites. Números gerais da Hepatite casos confirmados Briefing hepatites Números gerais da Hepatite casos confirmados Casos acumulados 1999 a 2009 Taxa de incidência/detecção 2009 (nº de casos a cada 100 mil hab.) Óbitos acumulados 1999 a 2009 Coeficiente

Leia mais

20º Encontro Nacional de Líderes do Mercado Segurador. 05-08 de fevereiro de 2015 Salvador -BA

20º Encontro Nacional de Líderes do Mercado Segurador. 05-08 de fevereiro de 2015 Salvador -BA 20º Encontro Nacional de Líderes do Mercado Segurador 05-08 de fevereiro de 2015 Salvador -BA Sistema Nacional de Saúde Brasileiro SUS Saúde Suplementar Vigilência Epidemiológica Promoção à Saúde Vigilância

Leia mais

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS

ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS 1 ELABORAÇÃO DE INDICADORES SOCIAIS Ernesto Friedrich de Lima Amaral 25 de março de 2009 Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Ciências Humanas e Filosofia Departamento de Sociologia e Antropologia

Leia mais

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução

Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução Trabalho 001- Estratégias oficiais de reorientação da formação profissional em saúde: contribuições ao debate. 1.Introdução As pesquisas e os investimentos que influenciaram as mudanças nas propostas para

Leia mais

Informativo Caged nº 03/2011 15/03/2011 Em fevereiro foram abertas 18.914 novas vagas em Santa Catarina

Informativo Caged nº 03/2011 15/03/2011 Em fevereiro foram abertas 18.914 novas vagas em Santa Catarina Informativo Caged nº 03/2011 15/03/2011 Em fevereiro foram abertas 18.914 novas vagas em Santa Catarina No primeiro bimestre foram criados 35.803 mil postos de trabalho no Estado A geração de empregos

Leia mais

Art. 1º Este Decreto dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho - PNSST, na forma do Anexo.

Art. 1º Este Decreto dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho - PNSST, na forma do Anexo. Diário Oficial da União, nº 214, Seção I, p. 9, 08.11.2011 Decreto nº 7.602,de 07.11.2011 - Dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho - PNSST. A Presidenta da República, no uso

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Dados comparativos

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Dados comparativos Comando Nacional de Greve MISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Dados comparativos X IS Agosto de 2010 Dados Gerais IS Qtde Servidores Ativos Abrangência Qtde Serv. por abrangência Orçamento 2009 (bilhões) 5.419

Leia mais

Seguridade Social na Conjuntura Atual

Seguridade Social na Conjuntura Atual Universidade de Brasília (UnB) Instituto de Ciências Humanas (IH) Departamento de Serviço Social (SER) Programa de pós-graduação em Política Social Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Seguridade Social

Leia mais

Indicadores Sociais no Brasil: novas demandas de informação para as agendas de maior complexidade da Política Social

Indicadores Sociais no Brasil: novas demandas de informação para as agendas de maior complexidade da Política Social Indicadores Sociais no Brasil: novas demandas de informação para as agendas de maior complexidade da Política Social Paulo Jannuzzi SAGI/MDS Rio de Janeiro, 7 de agosto de 2015 O Brasil é reconhecido por

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA NOTA TÉCNICA 26 a 2005 POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ONCOLÓGICA 1 26 a: NT revisada após CT de Atenção á Saúde em 26/10/2005. Brasília, 11 de novembro de 2005. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 26a 2005 O Ministério

Leia mais

IV Seminário do Comitê de Estatísticas Sociais

IV Seminário do Comitê de Estatísticas Sociais IV Seminário do Comitê de Estatísticas Sociais Aproveitando a Agenda ODS para repensar indicadores sociais como indicadores de políticas Paulo Jannuzzi SAGI/MDS 2015 O Brasil passou por intensas transformações

Leia mais

Desenvolvimento humano e objetivos do milênio. Disciplina: Geografia IFMG Campus Betim

Desenvolvimento humano e objetivos do milênio. Disciplina: Geografia IFMG Campus Betim Desenvolvimento humano e objetivos do milênio Disciplina: Geografia IFMG Campus Betim A grande heterogeneidade dos países em desenvolvimento Processo de descolonização da África e na Ásia gerou vários

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Nº.../2015. (do Sr. Bonifácio de Andrada)

PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Nº.../2015. (do Sr. Bonifácio de Andrada) PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL Nº.../2015. (do Sr. Bonifácio de Andrada) Dá nova redação aos incisos XVIII e XIX do art. 7º, e ao inciso II do art. 195 da Constituição Federal, que dispõem sobre a licença

Leia mais

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005 O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY A Importância de Serviço Civil Estruturado Bens e Serviços Públicos Governança Reforma da Política Econômica Gasto Público Sustentabilidade Fiscal Fonte:

Leia mais

Morbidade subjacente à concessão de benefício por incapacidade temporária para o trabalho Morbidity leading to temporary work disability

Morbidade subjacente à concessão de benefício por incapacidade temporária para o trabalho Morbidity leading to temporary work disability Página 1 de 6 Revista de Saúde Pública ISSN 0034-8910 versão impressa Rev. Saúde Pública v.36 n.3 São Paulo jun. 2002 doi: 10.1590/S0034-89102002000300013 Morbidade subjacente à concessão de benefício

Leia mais

QUANDO A VIDA. DOS BRASILEIROS MUDA, O BRASIL MUDA TAMBÉM. Saiba como participar dessa mudança. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME

QUANDO A VIDA. DOS BRASILEIROS MUDA, O BRASIL MUDA TAMBÉM. Saiba como participar dessa mudança. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME QUANDO A VIDA DOS BRASILEIROS MUDA, O BRASIL MUDA TAMBÉM. Saiba como participar dessa mudança. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Esta é Dona Alenita Ferreira da Silva, beneficiária

Leia mais

Resultados de março 2015

Resultados de março 2015 Resultados de março Em março de, as MPEs paulistas apresentaram queda de 4,8% no faturamento real sobre março de 2014 (já descontada a inflação). Por setores, no período, os resultados para o faturamento

Leia mais

O Setor de Saúde na Perspectiva Macroeconômica.

O Setor de Saúde na Perspectiva Macroeconômica. O Setor de Saúde na Perspectiva Macroeconômica. Marcos Paulo Novais Silva José Cechin Superintendente Executivo APRESENTAÇÃO Este trabalho analisa a pesquisa Contas Satélite de Saúde 2005-2007, divulgada

Leia mais

ATENÇÃO. www.bndes.gov.br 1

ATENÇÃO. www.bndes.gov.br 1 ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

Classificação de Ocupações para Pesquisas Domiciliares - COD

Classificação de Ocupações para Pesquisas Domiciliares - COD Classificação de Ocupações para Pesquisas Domiciliares - COD Principais diferenças entre a COD e a CBO- Domiciliar 8º Fórum SIPD Rio de Janeiro 09 de julho de 2010 Introdução O que é uma classificação

Leia mais

Tendências recentes da atividade econômica em Araxá: empresas, trabalho formal

Tendências recentes da atividade econômica em Araxá: empresas, trabalho formal Tendências recentes da atividade econômica em Araxá: empresas, trabalho formal OBSERVATÓRIO SEDEP Estudos e Pesquisas I Set/ APRESENTAÇÃO O Observatório SEDEP é um acompanhamento de estatísticas econômico-sociais

Leia mais

Guia Previdenciário: Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP)

Guia Previdenciário: Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP) Guia Previdenciário: Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário (NTEP) Resumo: Analisaremos no presente Roteiro de Procedimentos os critérios para aplicação do Nexo Técnico Epidemiológico Previdenciário

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 316, DE 11 DE AGOSTO DE 2006.

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 316, DE 11 DE AGOSTO DE 2006. MEDIDA PROVISÓRIA Nº 316, DE 11 DE AGOSTO DE 2006. Altera as Leis n os 8.212 e 8.213, ambas de 24 de julho de 1991, e 9.796, de 5 de maio de 1999, e aumenta o valor dos benefícios da previdência social.

Leia mais

A importância da investigação do ambiente de trabalho

A importância da investigação do ambiente de trabalho A importância da investigação do ambiente de trabalho José Roberto Teixeira 26 Junho - 2006 PÓLO SAÚDE, Assessoria e Consultoria em Saúde Ocupacional Riscos no ambiente de trabalho Exposição da População

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ REFERÊNCIA DO AUTOR

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ REFERÊNCIA DO AUTOR ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR Hemoglobinopatia HEMOCE IGUATU-CE Maio 2016 Doença Falciforme Características Gerais - Doença genética mais comum no Brasil e no mundo;

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES ANTEPROJETO DE LEI n. INSTITUI A POLÍTICA INTEGRADA DE ATENÇÃO À SAÚDE DO SERVIDOR PÚBLICO MUNICIPAL, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. Faço saber que a Câmara Municipal aprovou e eu, NELSON TRAD FILHO, Prefeito

Leia mais

Acidentes de Trabalho na Construção Civil

Acidentes de Trabalho na Construção Civil 2 CAPÍTULO Acidentes de Trabalho na Construção Civil 2.1 HISTÓRICO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO O conceito de trabalho existe desde os primórdios da civilização. Foi por meio dele que os seres humanos

Leia mais

Informe Epidemiológico Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Informe Epidemiológico Doenças Crônicas Não Transmissíveis página 1/6 Aspectos Gerais As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são caracterizadas por um conjunto de doenças que não tem envolvimento de agentes infecciosos em sua ocorrência, multiplicidade

Leia mais

SEGPLAN XVII ENCONTRO NACIONAL DA ANIPES FORTALEZA, DEZEMBRO DE 2012

SEGPLAN XVII ENCONTRO NACIONAL DA ANIPES FORTALEZA, DEZEMBRO DE 2012 SEGPLAN XVII ENCONTRO NACIONAL DA ANIPES FORTALEZA, DEZEMBRO DE 2012 Índice de Desempenho dos Municípios Goianos - IDM THIAGO ALVES, MARCOS ARRIEL, LILLIAN PRADO, EDUIGES ROMANATTO E JULIANA DIAS XVII

Leia mais

A pesquisa como ferramenta de observação de tendências. Rio de Janeiro, 03 de setembro 2009

A pesquisa como ferramenta de observação de tendências. Rio de Janeiro, 03 de setembro 2009 A pesquisa como ferramenta de observação de tendências Rio de Janeiro, 03 de setembro 2009 Agenda 1. BNP Paribas Personal Finance 2. BNP Paribas Personal Finance no Brasil 3. O Observador 4. Característica

Leia mais

MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE

MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE MERCADO DE TRABALHO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE Agosto/2013 Desemprego registra redução em agosto 1. No mês de agosto, os dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego para os residentes em mostraram variação

Leia mais

PARECER COREN-SP 50/2013 CT PRCI n 100.568 Tickets nº 248.970, 285.940, 292.345, 297.031 e 295.651

PARECER COREN-SP 50/2013 CT PRCI n 100.568 Tickets nº 248.970, 285.940, 292.345, 297.031 e 295.651 PARECER COREN-SP 50/2013 CT PRCI n 100.568 Tickets nº 248.970, 285.940, 292.345, 297.031 e 295.651 Ementa: Encaminhamento de paciente para outros profissionais pelo Enfermeiro. 1. Do fato Enfermeiros que

Leia mais

Segurança de Processos Introdução

Segurança de Processos Introdução Segurança de Processos Introdução Introdução Seg. Ocup. Indicadores Cases Revisão: Setembro de 2015 Conceitos básicos Conceito de Segurança ou Prevenção de Perdas : A prevenção de acidentes é feita através

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL (enquadramento tempo de serviço)

APOSENTADORIA ESPECIAL (enquadramento tempo de serviço) (enquadramento tempo de serviço) LEI 9.032 28/04/95 MP 1523/96 (Dec. 2172, 05/03/97) 01/01/2004 * ATIVIDADE: (penosa, perigosa ou insalubre) formulário SB-40 * AGENTE NOCIVO: formulário SB-40 + laudo (ruído)

Leia mais

INDX apresenta estabilidade em abril

INDX apresenta estabilidade em abril 1-2- 3-4- 5-6- 7-8- 9-10- 11-12- 13-14- 15-16- 17-18- 19-20- 21-22- 23-24- 25-26- 27-28- 29-30- INDX INDX ANÁLISE MENSAL INDX apresenta estabilidade em abril Dados de Abril/11 Número 52 São Paulo O Índice

Leia mais

Eixo de Análise Pontos Positivos Recomendações

Eixo de Análise Pontos Positivos Recomendações Resultados Capítulo III Tabela III.55 Pontos positivos e recomendações Eixo de Análise Pontos Positivos Recomendações Atuação das ESF Divulgação do trabalho, sensibilização Capacidade de atendimento Relacionamento

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA INTEGRADA EXERCÍCIO 2015

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA INTEGRADA EXERCÍCIO 2015 01 Legislativa 12.481.878,92 455.614.427,68 468.096.306,60 01 031 Ação Legislativa 0,00 186.049.391,21 186.049.391,21 01 031 3282 ATUAÇÃO LEGISLATIVA 0,00 186.049.391,21 186.049.391,21 01 032 Controle

Leia mais

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico Hospitalares. Edição: Agosto de 2014 Data-base: Dezembro de 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO

VCMH/IESS. Variação de Custos Médico Hospitalares. Edição: Agosto de 2014 Data-base: Dezembro de 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO Variação de Custos Médico Hospitalares Edição: Agosto de 2014 Data-base: Dezembro de 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO O VCMH/IESS O índice VCMH/IESS para planos individuais atingiu 16,0% no período de 12 meses terminados

Leia mais

Município de Carapicuíba Estado de São Paulo

Município de Carapicuíba Estado de São Paulo EDITAL Nº 020/2016 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO EMERGENCIAL PROGRAMA DA SAÚDE DA FAMILIA A Comissão Permanente de Acompanhamento de Processo Seletivo do Município de Carapicuíba faz

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS 3º ENCONTRO PAULISTA DE AVALIAÇÃO E PLANEJAMENTO DA COMUNICAÇÃO A SERVIÇO DA SAÚDE DO TRABALHADOR II ENCONTRO DA REDE DE COMUNICADORES PELA SAÚDE I FEIRA DE AMOSTRAS DE COMUNICAÇÃO EM SAÚDE DO TRABALHADOR

Leia mais

INFORME EBOLA (10/10/2014)

INFORME EBOLA (10/10/2014) INFORME EBOLA (10/10/2014) O vírus Ebola foi identificado pela primeira vez em 1976, no Zaire (atual República Democrática do Congo), e, desde então foi responsável por alguns surtos, restritos a algumas

Leia mais

NOVA NORMA REGULAMENTADORA N. 01 PREVENÇÃO EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

NOVA NORMA REGULAMENTADORA N. 01 PREVENÇÃO EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NOVA NORMA REGULAMENTADORA N. 01 PREVENÇÃO EM SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Histórico, desdobramentos e impactos. Gilmar da Cunha Trivelato Pesquisador Titular e membro do GT-NR 01 FUNDACENTRO AUDIÊNCIA

Leia mais

SEgURANÇA No TRABAlho: UmA VISão geral

SEgURANÇA No TRABAlho: UmA VISão geral SEgURANÇA No TRABAlho: UmA VISão geral Breno Lohner Alcântara Ferreira 1 Fernando Garcez Vieira Neto 1 Heribaldo Menezes Sizino Leite Franco 1 Iago Oliveira Paiva Souza 1 John David Torres Mota 1 José

Leia mais

DETERMINANTES DO CRESCIMENTO DA RENDA

DETERMINANTES DO CRESCIMENTO DA RENDA DETERMINANTES DO CRESCIMENTO DA RENDA na região metropolitana do Rio de Janeiro entre 2010 e 2011 NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, JANEIRO DE

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 739, DE 7 DE JULHO DE 2016. Art.43...

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 739, DE 7 DE JULHO DE 2016. Art.43... MEDIDA PROVISÓRIA Nº 739, DE 7 DE JULHO DE 2016 Altera a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, que dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social, e institui o Bônus Especial de Desempenho

Leia mais

Política Nacional de Atenção Básica. Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014

Política Nacional de Atenção Básica. Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014 Política Nacional de Atenção Básica Novo Hamburgo, 25 de março o de 2014 A ATENÇÃO BÁSICA A AB é o nível de atenção mais próximo das pessoas e deve ser, integral, resolutiva, inserida no território e a

Leia mais

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Redução da jornada de trabalho - Mitos e verdades Apresentação Jornada menor não cria emprego Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição 231/95 que reduz a jornada de trabalho de

Leia mais

O trabalhador e a inserção ocupacional na construção e suas divisões

O trabalhador e a inserção ocupacional na construção e suas divisões BOLETIM TRABALHO E CONSTRUÇÃO O trabalhador e a inserção ocupacional na construção e suas divisões Número 8 Agosto de 2016 Mercado de Trabalho e Economia Menor dinamismo Taxa de Desemprego Nível de Ocupação

Leia mais

Desemprego mantém relativa estabilidade na maioria das regiões

Desemprego mantém relativa estabilidade na maioria das regiões Desemprego mantém relativa estabilidade na maioria das regiões JUNHO DE 20 As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego revelam que a taxa de desemprego aumentou apenas em duas das seis

Leia mais

PROVA DE ACIDENTE DE TRABALHO Presunção legal faz prova de doença ocupacional. Sidnei Machado (*)

PROVA DE ACIDENTE DE TRABALHO Presunção legal faz prova de doença ocupacional. Sidnei Machado (*) PROVA DE ACIDENTE DE TRABALHO Presunção legal faz prova de doença ocupacional Sidnei Machado (*) 1. O regime da presunção legal O regime da prova é fundamental para o sistema de reparação dos acidentes

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL. Portaria nº 237 de 31 de janeiro de 2008. O SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA no uso de suas atribuições:

SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL. Portaria nº 237 de 31 de janeiro de 2008. O SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA no uso de suas atribuições: SERVIÇO PÚBLICO ESTADUAL Portaria nº 237 de 31 de janeiro de 2008 O SECRETÁRIO DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA no uso de suas atribuições: Considerando o inciso XI, do artigo 17, da Lei nº 8.080 de 19/09/1990,

Leia mais